• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 6
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 8
  • 8
  • 5
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Bretton Woods y el cambio de modelo económico

Oscátegui Arteta, José January 2006 (has links)
No description available.
2

A evolução das teorias de organização industrial e seus determinantes na configuração da estrutura da indústria e conduta das firmas

Maluf, Luiz Augusto Finger França January 2002 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Sócio-Econômico. Programa de Pós-Graduação em Economia. / Made available in DSpace on 2012-10-19T15:35:40Z (GMT). No. of bitstreams: 1 189975.pdf: 1162092 bytes, checksum: 78dc59e7f0a2df408e85ad22f42be579 (MD5)
3

Otimismo, excesso de confiança e entrada em jogos e mercados competitivos

Rodrigues, Antonio Felipe Oliveira January 2008 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Sócio-Econômico. Programa de Pós-Graduação em Economia. / Made available in DSpace on 2012-10-24T04:37:48Z (GMT). No. of bitstreams: 1 258013.pdf: 698741 bytes, checksum: e882be43531b9ecdf23e46dec56b96e5 (MD5) / Esta pesquisa investiga empiricamente as possíveis influências de agentes econômicos cognitivamente enviesados sobre as decisões de entrada em mercados competitivos. Especificamente, dois vieses cognitivos amplamente estudados na literatura comportamental e psicológica são enfocados: otimismo e excesso de confiança. As hipóteses de pesquisa são derivadas de um crescente corpo de teorias dedicadas à exploração das conseqüências para o mercado e para os agentes econômicos, da presença destas características psicológicas nos indivíduos. Argumenta-se que uma predição central emerge do conjunto dos modelos considerados, qual seja, indivíduos de comportamento otimista e/ou excessivamente confiante são mais propensos ao endividamento e a falências de empresas. O estudo oferece duas contribuições principais. A primeira é a utilização de um método, derivado da economia experimental, na mensuração do otimismo e excesso de confiança em diferentes grupos de referência, entre estes, empreendedores. A segunda é comparar resultados obtidos com os dados observados utilizando o mesmo método nos Estados Unidos. Especificamente, sólidas evidências empíricas apoiadas por argumentos teóricos diversos sugerem que os indivíduos que gerenciam o seu próprio negócio (empreendedores) são particularmente propensos a exibir excesso de confiança e otimismo exacerbado em seus julgamentos. No experimento pretende-se confirmar tal afirmação e mensurá-la. Utiliza-se uma amostra de 67 indivíduos sendo destes 26 estudantes de graduação, 15 estudantes de mestrado e 26 propriamente empresários. Os dados mostram evidências favoráveis à hipótese de que existe otimismo e excesso de confiança, em diferentes níveis, nos três sub-grupos de amostra, tendo maior significância o resultado tido entre empreendedores. A pesquisa verificou que características pessoais e emocionais têm uma relação direta com o comportamento e a decisão que é tomada pelo indivíduo. This dissertation investigates empirically the decisions to enter in competitive markets of cognitively biased economic agents. In particular, two cognitive biases largely studied in the behavioral and psychological literature are focused on, namely Optimism and overconfidence. The research hypothesis derives from a growing number of theories where these psychological characteristics are present. There are arguments on a central prediction emerges from the considered set of models, that is, individuals with optimistic behavior and/or excessively confident are prone to debt and bankruptcy, ceteris paribus. This research offers two main contributions. The first is the use of an experiment methodology for measuring optimism and surplus confidence in different reference groups, among which, entrepreneurs. The second is comparing the obtained results with the results observed through the same methodology in the United States of America. Specifically, solid empirical evidence supported by several theoretical arguments suggests that the individuals who manage their own business (entrepreneurs) are particularly prone to show overconfidence and exacerbated optimism in their judgments. The experiment intends to confirm this affirmation and measure it. A sample of 67 individuals is used, of which, 26 are undergraduate students, 15 are master#s degree students, and 26 are entrepreneurs. Data has presented favorable evidence to the hypothesis suggesting that there is optimism and overconfidence in different levels, among the three sample groups, being most significant the results obtained in the entrepreneurs group. The research verified that personal and emotional characteristics have a direct relation with behavior and the decisions that the individuals come up with.
4

A diferenciabilidade da função valor em uma classe de problemas de otimização dinâmica

Torrent, Hudson da Silva January 2005 (has links)
Neste trabalho analisamos a hipótese de diferenciabilidade da função valor-ótimo em uma classe de problemas de otimização dinâmica. A classe de problemas analisada é cálculo variacional com horizonte infinito. O artigo de Benveniste e Scheinkman (1979) é apresentado de forma detalhada, além disso, seu lema fundamental é generalizado ao excluirmos a hipótese de concavidade sobre a função auxiliar. Finalmente, aplicamos alguns resultados estabelecidos por Milgrom e Segal (2002), a fim de obtermos a diferenciabilidade da função valor-ótimo para a mesma classe de problemas, mas de uma nova maneira, ampliando a análise sobre o tema.
5

Modelo econômico de controle e avaliação de impactos ambientais

Kraemer, Tânia Henke January 2002 (has links)
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Tecnológico. Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção. / Made available in DSpace on 2012-10-20T08:32:49Z (GMT). No. of bitstreams: 1 189679.pdf: 798405 bytes, checksum: 368d894823760468e915b3f1b0de22c2 (MD5) / A presente pesquisa teve por foco a mensuração e a avaliação dos impactos ambientais gerados por empresas de produção de bens de consumo, especialmente as de alta carga poluidora. Para tanto, inicialmente estudou-se a evolução histórica da questão ambiental, desde o descaso generalizado pelo meio ambiente (quando se supunha que seus recursos eram infinitos) até o momento atual (do despertar da sociedade e organizações em geral para os riscos advindos de sua degradação). Desta forma foi possível compreender os vários pontos de vista sobre a questão ambiental, reflexo da divergência de informações e interesses entre os diversos atores, resultando na problemática ambiental. Atualmente a preservação ambiental está sendo considerada condição sine qua non para a sobrevivência das espécies. E, apesar da perversidade do sistema capitalista e do estilo de vida vigente que a tudo quer consumir, muitas regulamentações e acordos têm sido feitos em prol da mitigação dos efeitos adversos das atividades econômicas. Mas, julga-se que este é, ainda, apenas o começo de um longo caminho. Um dos grandes entraves é a generalizada resistência das empresas, onde predomina a cultura de que cumprir as regulamentações ambientais ou assumir um sistema de gestão ambiental, significa investir em caros sistemas de controle e proteção ambiental, resultando no aumento dos custos e na redução da capacidade financeira da empresa. Assim, este trabalho objetiva propor de forma estruturada um Modelo Econômico de Controle e Avaliação de Impactos Ambientais - de sigla MECAIA, o qual fornecerá subsídios para o desenvolvimento de melhorias e inovações ambientais, direcionadas para as metas estratégicas da empresa, através da indicação e mensuração de suas principais fragilidades ambientais, desde que respeitada a relação custo-benefício associada. Para tanto, o modelo baseia-se, principalmente, nos fundamentos do Balanced Scorecard e no método do Custeio Baseado em Atividades, para sua operacionalização. A fim de validar este modelo, relata-se sua aplicação em uma situação real - um curtume, de onde se aduziram conclusões significativas sobre a problemática abordada e o modelo proposto.
6

A diferenciabilidade da função valor em uma classe de problemas de otimização dinâmica

Torrent, Hudson da Silva January 2005 (has links)
Neste trabalho analisamos a hipótese de diferenciabilidade da função valor-ótimo em uma classe de problemas de otimização dinâmica. A classe de problemas analisada é cálculo variacional com horizonte infinito. O artigo de Benveniste e Scheinkman (1979) é apresentado de forma detalhada, além disso, seu lema fundamental é generalizado ao excluirmos a hipótese de concavidade sobre a função auxiliar. Finalmente, aplicamos alguns resultados estabelecidos por Milgrom e Segal (2002), a fim de obtermos a diferenciabilidade da função valor-ótimo para a mesma classe de problemas, mas de uma nova maneira, ampliando a análise sobre o tema.
7

Escalonamento de tarefas baseado em leilão de recursos no Middleware Grid-M

Cendron, Marcelo Massocco January 2008 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Tecnológico. Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação. / Made available in DSpace on 2012-10-24T06:14:43Z (GMT). No. of bitstreams: 1 250364.pdf: 958664 bytes, checksum: 56b35e5fa30b58668069cc9f0698a96e (MD5) / O escalonamento de tarefas em sistemas distribuídos é uma área que ainda há necessidade de pesquisas, tanto pelas promissoras evoluções previstas nos sistema de Grid e P2P, quanto nas dificuldades de conciliar o funcionamento de todos os tipos e configurações de nodo que podem existir nesse tipo de rede. Dentro da natureza humana, o sistema econômico já é um modelo de negociação consolidado e fundamentado, o que lhe garante confiança em seus conceitos apresentados. Essa confiança é o que se busca para que seja utilizado no escalonamento de tarefas em um Grid computacional. Baseado nesses fundamentos, nesse trabalho procuramos estender as pesquisas que estão sendo feitos na área de Economia Grid, que nada mais é do que a junção dos conceitos de economia com esse tipo de sistema distribuído denominado Grid. Mas especificamente, propomos uma arquitetura em que o escalonamento das tarefas seja realizado de forma justa ao desempenho de cada nodo, atribuindo mais tarefas para os nodos que possuem melhores condições de atender a requisição. Task scheduling in distributed systems is still an area in need of research, as much because of the promising improvements in Grid and other P2P systems as because of the difficulties in conciliating all the kinds of node configurations that are permitted in such systems. In human affairs the economic system is an already consolidated and well founded negotiation model, which gives confidence to its concepts. This trust is what we seek for task scheduling in computational grids. On this basis, this work explores the research being conducted on Grid Economy, which is nothing more than the linking of economy notions with grid systems. More specifically, we describe an architecture in which task scheduling is performed fairly in regards to each node's performance capabilities, assigning more tasks to nodes which are more capable of responding to requests.
8

Inclusion financière et populations précarisées : effets des business models des services financiers en France / Financial inclusion and deprived populations : effects of financial services’ business models in France.

Pinos, Fabienne 12 March 2015 (has links)
Ce travail de recherche a été mené afin de contribuer à l’enrichissement des connaissancesrelatives à l’inclusion financière. Partant du postulat que la pérennité d’une activité estconditionnée par son équilibre économique, que celui-ci soit construit sur la base de moyensprivés, publics ou mixtes, nous avons interrogé la relation entre inclusion financière etpopulations précarisées sous l’angle des effets des business models des services financiers, ennous limitant au marché français.Nous démontrons qu’en dépit d’une réglementation française apparemment protectrice pour leconsommateur et à visée inclusive, les modèles bancaires actuels entretiennent l’exclusion.L’amélioration des conditions d’accès et d’usage des populations précaires aux servicesfinanciers est donc conditionnée par des évolutions que le marché seul ne peut organiser.Nous concluons de surcroît que les dispositifs publics ou associatifs expérimentés pour luttercontre l’exclusion bancaire ne correspondent aux besoins des exclus que pour certains profils,dans certains contextes. De plus, l’hypothèse de pérennité de leurs modèles économiques nepeut être confirmée.Enfin, nous avançons et justifions qu’en matière de services financiers, un modèleéconomique soutenable et inclusif est conditionné par des transformations socioéconomiques.La première tient en l’officialisation de l’accès à la monnaie en tant que serviced’intérêt général, la seconde procède de la réhabilitation de la valeur de l’épargne. L’inclusionfinancière n’a pas vocation à résoudre le problème du niveau des ressources mais, au constatde besoins récurrents en crédit de liquidité, elle progresse lorsque se diffusent des offres quiévitent de détériorer les conditions de vie de l’emprunteur. Tel est l’objectif du modèle quenous proposons. / This research was conducted in order to contribute to the enrichment of knowledge onfinancial inclusion. Starting from the premise that the sustainability of a business depends onits economic balance, whether built on the basis of private, public or mixed resources, wequestioned the relationship between financial inclusion and deprived populations focusing onthe effects of the financial services’ business models, limiting ourselves to the French market.We demonstrate that despite a French regulation, seemingly protective for consumers andinclusive-oriented, current banking models maintain exclusion. Improving the conditions ofaccess to and use of financial services by insecure people is conditioned by developments thatthe market alone cannot organize.We conclude further that measures tested by the Government or the voluntary sector to fightagainst banking exclusion do only match the needs of excluded people for certain profiles, incertain contexts. Moreover, the assumption of the sustainability of their business modelscannot be confirmed.Finally, we argue and justify that, as regards financial services, a sustainable and inclusiveeconomic model is conditioned by socio-economic transformations. The first one refers to theformalization of the access to the currency as a service of general interest, the second onecomes from the rehabilitation of the value of savings.Financial inclusion is not intended to address the problem of resource level, but consideringthe finding of recurring liquidity credit needs, it progresses when offers that avoid damagingthe living conditions of the borrower are spread. This is the objective of the proposed model. / Esta investigación se realizó con el fin de contribuir al enriquecimiento de los conocimientossobre la inclusión financiera. Partiendo de la premisa de que la sostenibilidad de una empresadepende de su estabilidad económica, que ésta sea construida sobre la base de recursosprivados, públicos o mixtos, cuestionamos la relación entre inclusión financiera y poblacionesdesfavorecidas en términos de efectos de los modelos de negocio de los servicios financieros,limitándonos al mercado francés.Se demuestra que a pesar de una legislación francesa aparentemente protectora para losconsumidores y a finalidad inclusiva, los modelos bancarios actuales mantienen la exclusión.Mejorar las condiciones de acceso a y de uso de los servicios financieros por parte de laspersonas en situación de precariedad está condicionado por evoluciones que el mercado por sísolo no puede organizar.Concluimos además que los dispositivos públicos o asociativos experimentados para lucharcontra la exclusión bancaria sólo coinciden con las necesidades de los excluidos para ciertosperfiles, en ciertos contextos. Por otra parte, la hipótesis de la continuidad de sus modelos denegocio no se puede confirmar.Por último, se argumenta y justifica que en lo que se refiere a los servicios financieros, unmodelo económico sostenible e integrador está condicionado por transformacionessocioeconómicas. La primera se halla en la formalización del acceso a la moneda como unservicio de interés general, la segunda procede de la rehabilitación del valor de los ahorros. Lainclusión financiera no pretende resolver el problema del nivel de recursos pero, considerandoque las necesidades de crédito de liquidez estén recurrentes, se mejora cuando se difundenofertas que evitan influir negativamente en las condiciones de vida de los deudores. Este es elobjetivo del modelo propuesto.

Page generated in 0.0896 seconds