• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 159
  • 11
  • 11
  • 11
  • 9
  • 9
  • 3
  • 2
  • 2
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 163
  • 67
  • 59
  • 39
  • 36
  • 30
  • 26
  • 25
  • 21
  • 20
  • 19
  • 18
  • 18
  • 15
  • 14
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Densidade microvascular e expressão do fator de crescimento endotelial vascular em uma série de 79 casos de tumores estromais gastrintestinais

Waengertner, Luiz Eduardo January 2011 (has links)
Introdução: Tumores estromais gastrintestinais (GISTs) perfazem cerca de 70% dos tumores mesenquimais do trato gastrintestinal. Têm uma incidência de 1 a 2/100.000/ano sendo a forma esporádica observada em adultos, a mais comum. Para o diagnóstico definitivo de GIST é necessária a confirmação imunoistoquímica, sendo 90 a 95% dos casos positivos para o marcador CD117. Os GISTs apresentam comportamento biológico incerto e a classificação em categorias de risco (tamanho tumoral e índice mitótico – NIH) tem sido validada em inúmeras séries. Fatores angiogênicos como a DMV (densidade microvascular) e VEGF (fator de crescimento vascular endotelial) tem importância fundamental no crescimento e na progressão tumoral em algumas neoplasias e o seu significado nos GISTs ainda não está estabelecido. Objetivo: relacionar a expressão da densidade microvascular (DMV) e do marcador angiogênico VEGF com a curva de sobrevida dos pacientes portadores de GISTs. Material e Métodos: foram selecionados 79 casos diagnosticados como GIST, do Serviço de Patologia do Hospital de Clínica de Porto Alegre, no período de janeiro de 1.993 a dezembro de 2.009. Realizada a técnica da imunoistoquímica para avaliação do VEGF e do CD31 para avaliação da DMV. Os “hot spots” foram identificados em cada caso e a DMV avaliada através do método Chalkley computadorizado. Resultados: dos 79 casos, 14 foram obtidos através de biópsias e 65 de peças cirúrgicas. Todos os casos foram diagnosticados como GISTs esporádicos sendo 42 casos do sexo masculino e 37 do sexo feminino, com uma média de idade de 58,9 anos. A localização gástrica foi a mais frequente (45,6%) seguida pelo intestino delgado (38,0%). O tipo histológico predominante foi o fusocelular presente em 72,2% dos casos. GISTs classificados na categoria de risco muito baixo foram 15,4%, baixo risco 13,8%, risco intermediário 23,1% e alto risco 47,7%. Todos os casos apresentaram positividade para o VEGF, sendo que 27,8% foram considerados fracos positivos e 72,2% forte positivos. Na avaliação da DMV, 67 casos 84,8% apresentaram uma média de menos de 6 vasos marcados com CD31 e 15,2% apresentaram uma média de mais de seis vasos marcados. Houve diferença estatisticamente significativa na sobrevida de pacientes com DMV ≤ 6 vasos (média=11,2; IC 95%: 10,1 a 12,4) com os DMV≥ 6 vasos (média=2,4, IC 95%: 1,67 a 3,17), com P=0,001. Conclusões: 79 casos de GISTs diagnosticados no HCPA foram caracterizados do ponto de vista angiogênico. Houve associação da DMV com a sobrevida dos pacientes. O VEGF e a DMV não apresenta associação significativa com sexo, faixa etária, tipo histológico, categoria de risco, localização e metástases. / Introduction: Gastrointestinal stromal tumors (GISTs) are the most common mesenchymal tumors of the gastrointestinal tract, representing 70% of these neoplasias, having an annual incidence of 1 to 2/100.000. They are mostly sporadic and occurring mainly in adults. GISTs are tumors of relative unknown behavior and a score of risk stratification was developed based on two criteria: maximum tumor size and mitotic index according to the National Institutes of Health (NIH) consensus, validated by several authors. Angiogenic factors such as the MVD (microvessel density) and VEGF (vascular endothelial growth factor) may play an important role in growth and tumor progression, and its significance in GISTs remains unclear. Objective: to study the MVD and VEGF expression in GISTs and its correlation with the survival rate of these patients. Material and Methods: 79 cases of GISTs were diagnosed by the Pathology Service at the HCPA (Hospital de Clínicas de Porto Alegre) from January 1993 to December 2009 and submitted to immunohistochemical analysis for VEGF and CD31. For the MVD study,” hot spots” (CD31 positive vessels) were initially identified and the MVD evaluated by computational Chalkley method. Results: out of 79 GISTs, 14 cases were achieved from biopsies and 65 from surgical resections. All cases were diagnosed as sporadic GISTs, 42 male and 37 female with an average age of 58,9 years. GISTs were predominately located in the stomach (45,6%) followed by the small intestine (38,0%). Spindle cell morphology was present in 72, 2% of these tumors. According to the NIH classification, 15,4% GIST were classified as very low risk category, 13,8% low risk category, 23,1% intermediate risk category and 47,7% belonged to the high risk category. VEGF expression was seen all cases, 27, 8% were considered weakly positive and 72, 2% strongly positive. 67(84, 8%) GISTs showed an average of less than six vessels stained by CD31 (MVD) and 15, 2% GISTs an average of more than six vessels stained by CD31. A statistically significant difference was observed between the survival rate of patients having GISTs and the MVD: ≤ 6 vessels (mean=2,4, CI 95%: 1,67 a 3,17) and ≥ 6 vessels (mean=2,4, CI 95%: 1,67 a 3,17), p=0,001. Conclusions: 79 cases of GISTs diagnosed at the HCPA were studied for angiogenic factors. There was a statistically significant difference between MVD and the survival rate for these patients. No association for VEGF and MVD was seen when related to sex, age, histological type, risk category, location and metastasis.
2

Densidade microvascular e expressão do fator de crescimento endotelial vascular em uma série de 79 casos de tumores estromais gastrintestinais

Waengertner, Luiz Eduardo January 2011 (has links)
Introdução: Tumores estromais gastrintestinais (GISTs) perfazem cerca de 70% dos tumores mesenquimais do trato gastrintestinal. Têm uma incidência de 1 a 2/100.000/ano sendo a forma esporádica observada em adultos, a mais comum. Para o diagnóstico definitivo de GIST é necessária a confirmação imunoistoquímica, sendo 90 a 95% dos casos positivos para o marcador CD117. Os GISTs apresentam comportamento biológico incerto e a classificação em categorias de risco (tamanho tumoral e índice mitótico – NIH) tem sido validada em inúmeras séries. Fatores angiogênicos como a DMV (densidade microvascular) e VEGF (fator de crescimento vascular endotelial) tem importância fundamental no crescimento e na progressão tumoral em algumas neoplasias e o seu significado nos GISTs ainda não está estabelecido. Objetivo: relacionar a expressão da densidade microvascular (DMV) e do marcador angiogênico VEGF com a curva de sobrevida dos pacientes portadores de GISTs. Material e Métodos: foram selecionados 79 casos diagnosticados como GIST, do Serviço de Patologia do Hospital de Clínica de Porto Alegre, no período de janeiro de 1.993 a dezembro de 2.009. Realizada a técnica da imunoistoquímica para avaliação do VEGF e do CD31 para avaliação da DMV. Os “hot spots” foram identificados em cada caso e a DMV avaliada através do método Chalkley computadorizado. Resultados: dos 79 casos, 14 foram obtidos através de biópsias e 65 de peças cirúrgicas. Todos os casos foram diagnosticados como GISTs esporádicos sendo 42 casos do sexo masculino e 37 do sexo feminino, com uma média de idade de 58,9 anos. A localização gástrica foi a mais frequente (45,6%) seguida pelo intestino delgado (38,0%). O tipo histológico predominante foi o fusocelular presente em 72,2% dos casos. GISTs classificados na categoria de risco muito baixo foram 15,4%, baixo risco 13,8%, risco intermediário 23,1% e alto risco 47,7%. Todos os casos apresentaram positividade para o VEGF, sendo que 27,8% foram considerados fracos positivos e 72,2% forte positivos. Na avaliação da DMV, 67 casos 84,8% apresentaram uma média de menos de 6 vasos marcados com CD31 e 15,2% apresentaram uma média de mais de seis vasos marcados. Houve diferença estatisticamente significativa na sobrevida de pacientes com DMV ≤ 6 vasos (média=11,2; IC 95%: 10,1 a 12,4) com os DMV≥ 6 vasos (média=2,4, IC 95%: 1,67 a 3,17), com P=0,001. Conclusões: 79 casos de GISTs diagnosticados no HCPA foram caracterizados do ponto de vista angiogênico. Houve associação da DMV com a sobrevida dos pacientes. O VEGF e a DMV não apresenta associação significativa com sexo, faixa etária, tipo histológico, categoria de risco, localização e metástases. / Introduction: Gastrointestinal stromal tumors (GISTs) are the most common mesenchymal tumors of the gastrointestinal tract, representing 70% of these neoplasias, having an annual incidence of 1 to 2/100.000. They are mostly sporadic and occurring mainly in adults. GISTs are tumors of relative unknown behavior and a score of risk stratification was developed based on two criteria: maximum tumor size and mitotic index according to the National Institutes of Health (NIH) consensus, validated by several authors. Angiogenic factors such as the MVD (microvessel density) and VEGF (vascular endothelial growth factor) may play an important role in growth and tumor progression, and its significance in GISTs remains unclear. Objective: to study the MVD and VEGF expression in GISTs and its correlation with the survival rate of these patients. Material and Methods: 79 cases of GISTs were diagnosed by the Pathology Service at the HCPA (Hospital de Clínicas de Porto Alegre) from January 1993 to December 2009 and submitted to immunohistochemical analysis for VEGF and CD31. For the MVD study,” hot spots” (CD31 positive vessels) were initially identified and the MVD evaluated by computational Chalkley method. Results: out of 79 GISTs, 14 cases were achieved from biopsies and 65 from surgical resections. All cases were diagnosed as sporadic GISTs, 42 male and 37 female with an average age of 58,9 years. GISTs were predominately located in the stomach (45,6%) followed by the small intestine (38,0%). Spindle cell morphology was present in 72, 2% of these tumors. According to the NIH classification, 15,4% GIST were classified as very low risk category, 13,8% low risk category, 23,1% intermediate risk category and 47,7% belonged to the high risk category. VEGF expression was seen all cases, 27, 8% were considered weakly positive and 72, 2% strongly positive. 67(84, 8%) GISTs showed an average of less than six vessels stained by CD31 (MVD) and 15, 2% GISTs an average of more than six vessels stained by CD31. A statistically significant difference was observed between the survival rate of patients having GISTs and the MVD: ≤ 6 vessels (mean=2,4, CI 95%: 1,67 a 3,17) and ≥ 6 vessels (mean=2,4, CI 95%: 1,67 a 3,17), p=0,001. Conclusions: 79 cases of GISTs diagnosed at the HCPA were studied for angiogenic factors. There was a statistically significant difference between MVD and the survival rate for these patients. No association for VEGF and MVD was seen when related to sex, age, histological type, risk category, location and metastasis.
3

Quantificação de angiogênese corneana in vivo através de processamento de imagens digitais / In vivo quantification of corneal angiogenesis using digital image processing

Jamacaru, Francisco Vagnaldo Fechine January 2006 (has links)
JAMACARU, Francisco Fechine Vagnaldo. Quantificação de angiogênese corneana in vivo através de processamento de imagens digitais. 2006. 243 f. Tese (Doutorado em Cirurgia) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Medicina, Fortaleza, 2006. / Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2014-03-17T15:54:20Z No. of bitstreams: 1 2006_tese_fvfjamacaru.pdf: 5917612 bytes, checksum: 9c29919c8becd22b065837cc8d0df8ac (MD5) / Approved for entry into archive by denise santos(denise.santos@ufc.br) on 2014-03-17T15:55:34Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2006_tese_fvfjamacaru.pdf: 5917612 bytes, checksum: 9c29919c8becd22b065837cc8d0df8ac (MD5) / Made available in DSpace on 2014-03-17T15:55:34Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2006_tese_fvfjamacaru.pdf: 5917612 bytes, checksum: 9c29919c8becd22b065837cc8d0df8ac (MD5) Previous issue date: 2006 / A software was developed specifically for segmentation and quantification of corneal angiogenesis in digital images acquired in vivo. The purpose was to establish an automatic method to quantify the corneal progression of the neovascular response in a rapid, objective and accurate manner. It was also developed a model of inflammatory corneal angiogenesis in rabbits induced by a punctual alkaline cauterization. Angiogenic response was evaluated at days 3, 6, 9, 12, 15, 18 and 21 after cauterization. At these occasions, digital images of cornea were also captured in a standardized fashion. The software is composed of five modules, each with specific functions, which automatically identify and segment the neovessels and quantify the neovascular response through the calculation of three main parameters: neovascularization area, total vascular length and blood vessels number. Thus, the system does not require previous enhancement of the neovascularization, so that it provides the temporal and spatial monitoring of the angiogenic response in vivo. To assess the validity of the automatic method, it was determined the correlation degree between each automatic parameters and the five manual variables. It was also evaluated by comparing automatic recognition of blood vessels performed by the software on 50 subimages with the manual recognition performed by three raters by consensus (gold-standard) and then calculating the sensitivity, specificity and kappa coefficient. To assess reliability, three raters used the automatic method for analysing 50 images at two moments. The intra and inter-raters agreement was assessed by calculating intraclass correlation coefficient. To illustrate the utility of the automatic method, it was designed an assay that evaluated the effect of prednisone, thalidomide, acetylsalicylic acid, etoricoxib and celecoxib in the model of inflammatory corneal angiogenesis. The analysis of the graphics of the manual and automatic parameters showed that the temporal progression of the neovascular response in this model followed a biphasic pattern: exponential growth until day 12 (proliferation phase), followed by linear growth until day 21 (maturation phase). It was found a statistically significant positive linear correlation between automatic and manual variables, denoting that both methods measured the angiogenic response in an analogous fashion. The sensitivity of the automatic method was 85.32% and the specificity was 96.37%. The agreement between manual and automatic recognition of blood vessels was classified as almost perfect, according to kappa statistics. The inter-raters agreement was measured in six situations and it was classified as good in two of them and as excellent in the others. Among the nine situations analysed, the intra-rater agreement was classified as good in only one of them and as excellent in the others. Furthermore, the automatic system was able to detect differences in the intensity of the antiangiogenic effect of tested drugs, allowing the inhibitory activity to be graduated as full (prednisone), partial (thalidomide, acetylsalicylic acid and etoricoxib) and insufficient (celecoxib), demonstrating, thus, its value as method for quantitative analysis of angiogenesis. Therefore, such results demonstrate that the proposed automatic system constitutes an accurate and reproducible method of angiogenesis quantification. / Um programa de computador foi desenvolvido especificamente para a segmentação e quantificação de angiogênese corneana em imagens digitais capturadas in vivo. O propósito foi estabelecer um método automático para quantificar, de forma rápida, objetiva e acurada, a progressão temporal da resposta angiogênica. Desenvolveu-se ainda um modelo de angiogênese corneana inflamatória em coelhos, induzida por uma cauterização alcalina pontual, onde a resposta angiogênica foi avaliada, conforme cinco métodos manuais, nos dias 3, 6, 9, 12, 15, 18 e 21 após a cauterização, ocasiões em que também foram obtidas, de maneira padronizada, imagens digitais da córnea. O software é composto de cinco módulos, com funções específicas, que identificam e segmentam automaticamente os neovasos e quantificam a resposta angiogênica mediante a determinação de três parâmetros principais: área de neovascularização, comprimento vascular total e número de vasos sangüíneos. Assim, o sistema dispensa a rotulação prévia da neovascularização, propiciando, por conseguinte, o monitoramento espacial e temporal da resposta angiogênica in vivo. A avaliação da validade do método automático proposto envolveu a determinação do grau da correlação entre cada um dos quantificadores automáticos e os cinco parâmetros manuais. Compreendeu ainda a comparação do reconhecimento automático dos vasos sangüíneos realizado pelo software em 50 subimagens com o reconhecimento manual efetuado, consensualmente, por três examinadores (padrão-ouro), determinando-se então a sensibilidade, especificidade e o coeficiente de concordância kappa. Para avaliar a confiabilidade, três examinadores utilizaram o método automático para analisar 50 imagens em dois momentos. A concordância intra e interexaminadores foi medida pelo coeficiente de correlação intraclasse. Para ilustrar a utilidade do método automático, delineou-se um ensaio que avaliou o efeito dos fármacos prednisona, talidomida, ácido acetilsalicílico, etoricoxib e celecoxib no modelo de angiogênese corneana inflamatória. A análise dos gráficos dos quantificadores manuais e automáticos revelou que a evolução temporal da resposta angiogênica no modelo de angiogênese corneana inflamatória seguiu um padrão bifásico: crescimento exponencial até o dia 12 (fase de proliferação), seguido de crescimento linear até o dia 21 (fase de maturação). Constatou-se uma forte correlação linear positiva estatisticamente significante entre os quantificadores automáticos e manuais, denotando que o método automático mensurou a resposta angiogênica de forma análoga à realizada pelo método manual. A sensibilidade do método automático foi 85,32%, enquanto sua especificidade foi 96,37%. A concordância entre o reconhecimento manual e o reconhecimento automático dos vasos sangüíneos foi classificada pela estatística kappa como quase perfeita. A concordância interexaminadores foi avaliada em seis situações, sendo classificada como excelente em quatro delas e como boa nas outras duas. A concordância intra-examinador foi mensurada em nove situações, sendo classificada como boa em apenas uma e como excelente nas demais. Além disso, o sistema automático foi capaz de identificar diferenças na intensidade do efeito antiangiogênico dos diferentes fármacos avaliados, possibilitando graduar a atividade inibitória em plena (prednisona), parcial (talidomida, ácido acetilsalicílico e etoricoxib) e insuficiente (celecoxib), demonstrando, assim, o seu valor como método para análise quantitativa de angiogênese. Portanto, tais dados demonstram que o sistema automático proposto constitui um método de quantificação de angiogênese acurado e reprodutível.
4

Caracterização dos constituintes do látex e da borracha natural que estimulam a angiogênese /

Agostini, Deuber Lincon da Silva. January 2009 (has links)
Orientador: Aldo Eloizo Job / Banca: Gabriel Pinto de Souza / Banca: Ana Maria Pires / O Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia de Materiais, PosMat, tem carater institucional e integra as atividades de pesquisa em materiais de diversos campi da Unesp / Resumo: As membranas de borracha natural são usadas frequentemente como material biológico na indução de angiogênese e neoformação. Neste trabalho foram realizados estudos com objetivo de identificar os componentes do látex que são responsáveis pelo processo de angiogênese e neoformação. O látex, as fases centrifugadas do látex e as membranas da borracha natural, tratados termicamente em 60, 85 e 120ºC, foram liofilizados para a redução de água nos mesmos. A caracterização de tais materiais foi realizada por espectroscopia infravermelha (FTIR), micro-Raman, ressonância magnética nuclear (NMR - 1H e 13C), difração de raio x (DRX), microscopia eletrônica de varredura (MEV) e microscopia de força atômica (AFM), análise do termogravimétrica (TG) acoplado com infravermelho (TG/FT-IR), calorimetria exploratória diferencial (DSC), análise dinâmico mecânica (DMA) e o método de Bradford. Nos resultados de espectroscopia no infravermelho, micro de Raman, NMR (1H e 13C), de raios x e TG/FT-IR; os componentes químicos do látex, das fases centrifugadas do látex e das membranas da borracha natural foram identificados. A técnica de TG foi utilizada para avaliar a estabilidade térmica e os resultados mostraram que as membranas obtidas a 60ºC possuem maior estabilidade. Nos resultados de DSC notou-se que a transição vítrea acontece em ~ -68ºC, para todos os materiais que contêm isopreno e a degradação estrutural ocorrem em torno de 376ºC. As transições de vítreas foram confirmadas através dos resultados de DMA. O látex centrifugado apresenta três fases: partículas de borracha (F1), lutóides (F2) e Frey-Wyssling (F3). Nas frações F2 e F3 o isopreno é ausente, ou apresenta pequena proporção, mas contêm diversos componentes químicos: proteínas, ácidos aminados e grupos funcionais que podem induzir o angiogênese e a neoformação em tecidos biológicos...(Resumo completo, clicar acesso eletrônico abaixo) / Abstract: Natural latex and natural rubber membranes are frequently used as biomaterial in the angiogenesis induction and neoformation of biological tissues. Our studies aimed to study and identify the latex components that are responsible for angiogenesis and neoformation processes. The natural latex, the centrifuged latex phases and the natural rubber membranes were thermally treated at 60, 85 and 120ºC and afterward all samples were lyophilized. The characterization of such materials were carried out using infrared (FT-IR), micro Raman spectroscopy, nuclear magnetic resonance (NMR - 1H e 13C), X-ray diffraction, scanning electronic microscopy (SEM) and atomic force microscopy (AFM), thermogravimetry analysis coupled with infrared (TG/FT-IR), differential scanning calorimeter (DSC), dynamic mechanical analysis (DMA) and the method of Bradford. From the results of infrared and micro Raman spectroscopy, NMR (1H e 13C), X-rays and TG/FT-IR the chemical components present in the latex, in the centrifuged latex phases and in natural rubber membranes were identified. TG technique was used to evaluate the thermal stability and results showed that membranes obtained at 60ºC present greater stability, up to 350ºC. From DSC results it was found that the glass transition happens at -68ºC, for all materials containing isoprene, and the structural degradation occurs at 376ºC. Glass transitions were confirmed also by DMA results. Centrifuged latex presents three phases: rubber particles (F1), lutoids (F2) and Frey-Wyssling (F3). In the fractions F2 and F3 the isoprene is absent but they contain several chemical components: proteins, amino acids and functional groups that can induce angiogenesis and neoformation on biological tissues. The treated membrane 60ºC of natural rubber showed the highest angiogenesis and neoformation activities. Furthermore, membranes containing pores favor the cicatrization process and the vascularization processes. / Mestre
5

Densidade microvascular e expressão do fator de crescimento endotelial vascular em uma série de 79 casos de tumores estromais gastrintestinais

Waengertner, Luiz Eduardo January 2011 (has links)
Introdução: Tumores estromais gastrintestinais (GISTs) perfazem cerca de 70% dos tumores mesenquimais do trato gastrintestinal. Têm uma incidência de 1 a 2/100.000/ano sendo a forma esporádica observada em adultos, a mais comum. Para o diagnóstico definitivo de GIST é necessária a confirmação imunoistoquímica, sendo 90 a 95% dos casos positivos para o marcador CD117. Os GISTs apresentam comportamento biológico incerto e a classificação em categorias de risco (tamanho tumoral e índice mitótico – NIH) tem sido validada em inúmeras séries. Fatores angiogênicos como a DMV (densidade microvascular) e VEGF (fator de crescimento vascular endotelial) tem importância fundamental no crescimento e na progressão tumoral em algumas neoplasias e o seu significado nos GISTs ainda não está estabelecido. Objetivo: relacionar a expressão da densidade microvascular (DMV) e do marcador angiogênico VEGF com a curva de sobrevida dos pacientes portadores de GISTs. Material e Métodos: foram selecionados 79 casos diagnosticados como GIST, do Serviço de Patologia do Hospital de Clínica de Porto Alegre, no período de janeiro de 1.993 a dezembro de 2.009. Realizada a técnica da imunoistoquímica para avaliação do VEGF e do CD31 para avaliação da DMV. Os “hot spots” foram identificados em cada caso e a DMV avaliada através do método Chalkley computadorizado. Resultados: dos 79 casos, 14 foram obtidos através de biópsias e 65 de peças cirúrgicas. Todos os casos foram diagnosticados como GISTs esporádicos sendo 42 casos do sexo masculino e 37 do sexo feminino, com uma média de idade de 58,9 anos. A localização gástrica foi a mais frequente (45,6%) seguida pelo intestino delgado (38,0%). O tipo histológico predominante foi o fusocelular presente em 72,2% dos casos. GISTs classificados na categoria de risco muito baixo foram 15,4%, baixo risco 13,8%, risco intermediário 23,1% e alto risco 47,7%. Todos os casos apresentaram positividade para o VEGF, sendo que 27,8% foram considerados fracos positivos e 72,2% forte positivos. Na avaliação da DMV, 67 casos 84,8% apresentaram uma média de menos de 6 vasos marcados com CD31 e 15,2% apresentaram uma média de mais de seis vasos marcados. Houve diferença estatisticamente significativa na sobrevida de pacientes com DMV ≤ 6 vasos (média=11,2; IC 95%: 10,1 a 12,4) com os DMV≥ 6 vasos (média=2,4, IC 95%: 1,67 a 3,17), com P=0,001. Conclusões: 79 casos de GISTs diagnosticados no HCPA foram caracterizados do ponto de vista angiogênico. Houve associação da DMV com a sobrevida dos pacientes. O VEGF e a DMV não apresenta associação significativa com sexo, faixa etária, tipo histológico, categoria de risco, localização e metástases. / Introduction: Gastrointestinal stromal tumors (GISTs) are the most common mesenchymal tumors of the gastrointestinal tract, representing 70% of these neoplasias, having an annual incidence of 1 to 2/100.000. They are mostly sporadic and occurring mainly in adults. GISTs are tumors of relative unknown behavior and a score of risk stratification was developed based on two criteria: maximum tumor size and mitotic index according to the National Institutes of Health (NIH) consensus, validated by several authors. Angiogenic factors such as the MVD (microvessel density) and VEGF (vascular endothelial growth factor) may play an important role in growth and tumor progression, and its significance in GISTs remains unclear. Objective: to study the MVD and VEGF expression in GISTs and its correlation with the survival rate of these patients. Material and Methods: 79 cases of GISTs were diagnosed by the Pathology Service at the HCPA (Hospital de Clínicas de Porto Alegre) from January 1993 to December 2009 and submitted to immunohistochemical analysis for VEGF and CD31. For the MVD study,” hot spots” (CD31 positive vessels) were initially identified and the MVD evaluated by computational Chalkley method. Results: out of 79 GISTs, 14 cases were achieved from biopsies and 65 from surgical resections. All cases were diagnosed as sporadic GISTs, 42 male and 37 female with an average age of 58,9 years. GISTs were predominately located in the stomach (45,6%) followed by the small intestine (38,0%). Spindle cell morphology was present in 72, 2% of these tumors. According to the NIH classification, 15,4% GIST were classified as very low risk category, 13,8% low risk category, 23,1% intermediate risk category and 47,7% belonged to the high risk category. VEGF expression was seen all cases, 27, 8% were considered weakly positive and 72, 2% strongly positive. 67(84, 8%) GISTs showed an average of less than six vessels stained by CD31 (MVD) and 15, 2% GISTs an average of more than six vessels stained by CD31. A statistically significant difference was observed between the survival rate of patients having GISTs and the MVD: ≤ 6 vessels (mean=2,4, CI 95%: 1,67 a 3,17) and ≥ 6 vessels (mean=2,4, CI 95%: 1,67 a 3,17), p=0,001. Conclusions: 79 cases of GISTs diagnosed at the HCPA were studied for angiogenic factors. There was a statistically significant difference between MVD and the survival rate for these patients. No association for VEGF and MVD was seen when related to sex, age, histological type, risk category, location and metastasis.
6

Influência do praguicida diclorvós sobre os marcadores moleculares de angiogênese na próstata de ratos /

Lenharo, Naíra Ruiz January 2020 (has links)
Orientador: Fábio Porto-Foresti / Resumo: Os pesticidas organofosforados, como por exemplo o diclorvós (DDVP), são amplamente utilizados na atualidade, apesar de existirem muitos estudos que comprovem a sua atuação como desreguladores endócrinos. Esses desreguladores são capazes de interferir na homeostase mantida pelos hormônios e podem estar ligados ao desenvolvimento de lesões neoplásicas no sistema genital masculino, como o câncer de próstata, que representa a segunda maior incidência de neoplasias no sexo masculino no mundo. A progressão dessas lesões pode se dar através do processo de angiogênese e depende do equilíbrio local nas atividades de fatores proangiogênicos e antiangiogênicos. Um dos fatores antiangiogênicos mais bem estudados é a endostatina, inibidor endógeno da angiogênese, enquanto que o fator proangiogênico mais importante é o VEGF, juntamente com o seu receptor Flk-1. A angiogênese pode ser induzida pela hipóxia que ocorre no ambiente tumoral devido à disponibilidade limitada de oxigênio entre as células proliferativas. Assim, o presente estudo teve como objetivo analisar a morfologia e os marcadores moleculares envolvidos no processo de angiogênese (HIF-1α, VEGF, Flk-1 e endostatina) na próstata de ratos para avaliar a influência do praguicida diclorvós, associado ou não à indução química por N-metil-N-nitrosoureia (MNU). Foram utilizados 32 ratos da linhagem Fischer 344, com idade de 90 dias. Os ratos foram separados em quatro grupos experimentais: Controle, DDVP, MNU, MNU+DDVP. Foram feitas a... (Resumo completo, clicar acesso eletrônico abaixo) / Mestre
7

Estudo do papel biologico da enzima acido graxo sintase (FASN) na angiogenese induzida por melanoma murino / Study of the fatty acid synthases (FASN) a activity in the angiogenesis induced by murine melanoma

Seguin, Fabiana, 1984- 14 August 2018 (has links)
Orientador: Edgard Graner / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Odontologia de Piracicaba / Made available in DSpace on 2018-08-14T03:22:55Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Seguin_Fabiana_M.pdf: 3111522 bytes, checksum: 0ecd0d27711d3b04c7d5e9c386bea758 (MD5) Previous issue date: 2009 / Resumo: A enzima ácido graxo sintase (FASN), cuja expressão e atividade estão elevadas em várias neoplasias malignas humanas, é responsável pela síntese endógena de ácidos graxos saturados de cadeia longa e consequentemente para a síntese de fosfolipídios de membrana. A inibição de FASN por orlistat (Xenical), uma droga anti-obesidade, é descrita como tendo propriedades anti-neoplásicas no câncer de próstata e mama e no melanoma, além de desempenhar um provável papel anti-angiogênico, uma vez que também inibe a proliferação de células endoteliais e a neovascularização em ensaio ex vivo. Em trabalho recente realizado por nosso grupo de pesquisa, foi demonstrado que o tratamento de camundongos portadores de melanomas intraperitoneais com orlistat reduziu em cerca de 50% o número de metástases para linfonodos mediastínicos. Em outro estudo, também realizado por nosso grupo, foi observado que a inibição da atividade de FASN pode ter um papel sobre a linfangiogênese induzida por melanomas experimentais, pois a densidade de vasos linfáticos ao redor destes tumores foi significantemente aumentada pelo tratamento com orlistat. Considerando o papel biológico aparentemente relevante da FASN na disseminação metastática de melanomas, o presente trabalho teve como objetivo principal investigar, em ensaio in vivo, o papel desta enzima no processo de angiogênese induzida por implantes intradérmicos de células de melanoma (B16F10) em camundongos (C57Bl6). Através de um microscópio de dissecção e da obtenção de imagens dos vasos sanguíneos peritumorais, a rede vascular foi avaliada com o auxílio do programa Scion Image. Foi observado que a densidade de vasos sanguíneos ao redor dos tumores tratados com orlistat foi significantemente reduzida em relação aos grupos controle (p=0,024; teste de Mann-Whitney). Além disso, os tumores foram medidos e seus volumes calculados, verificamos que o tratamento com orlistat não alterou significativamente o seu crescimento. Através de reações de RT-PCR semiquantitativo em amostras de RNA total extraído dos tumores, foi observado que a expressão dos mensageiros de FASN não foi alterada pelo tratamento com orlistat. Por outro lado, houve aumento da quantidade dos mensageiros para VEGFA nos tumores dos grupos tratados com orlistat. Através da construção de curvas de proliferação e de experimentos de citometria de fluxo, foram avaliados os efeitos do tratamento da linhagem celular derivada de endotélio de aorta de coelho (RAEC) com cerulenina e orlistat. A adição de cerulenina (0,70 µg/ml) e orlistat (100 µM) ao meio de cultura das células RAEC provocou significativa inibição do crescimento celular, em comparação com as células controle. Finalmente, a incubação das células RAEC com meio previamente condicionado pelas células de melanoma B16F10 provocou aumento na taxa de crescimento, confirmando o potencial angiogênico destas últimas. Em conjunto, estes achados sugerem que a inibição da atividade de FASN pode ter um papel na redução da angiogênese induzida por melanomas experimentais, sugerindo que o bloqueio de FASN possa ser um alvo em potencial para a terapia anti-angiogênica. / Abstract: The metabolic enzyme fatty acid synthase (FASN) is over expressed in many human malignancies, being responsible for the endogenous synthesis of longchain saturated fatty acids and consequently for the production of cell membrane phospholipids. Inhibition of FASN by orlistat (Xenical), an anti-obesity drug, has anti-neoplastic properties in prostate and breast cancer as well as in melanoma. In addition, FASN seems to participate in angiogenesis, since its blockage inhibits the proliferation of endothelial cells and neovascularization in an ex vivo assay. In a recent study conducted by our group, it was demonstrated that the treatment of mice bearing melanoma with orlistat was able to reduce by 50% the number of metastases to the mediastinal lymph nodes. We also observed that the inhibition of FASN activity may have a role in the melanoma-induced lymphangiogenesis, since the extension of lymphatic vessels around the tumors was significantly increased by the treatment with orlistat. Considering that the biological role of FASN is relevant in the metastatic spread of melanoma, the main goal of this study was to investigate the role of this enzyme in the angiogenesis process induced by intradermal implantation of melanoma cells (B16F10) in mice (C57Bl6). By using a microscope for dissection, we analyzed the images of the peritumoral blood vessels and the vascular network with the aid the Scion Image software. The blood vessel density around the tumors mice treated with orlistat decreased in comparison with the control group. Moreover, the tumors were measured and their volumes calculated. And no statistically significant changes observed. The effect of orlistat or cerulenin on the proliferation of a cell line derived from the rabbit aorta endothelium (RAEC) was analyzed by the construction of growth curves and flow cytometry. The addition of cerulenin (0.70 µg/ml) or orlistat (100 µM) to the culture medium of RAEC cells caused significant inhibition of cell growth compared with the non-treated cells. Taken together, these findings suggest that inhibition of FASN activity may have a role in the reduction of angiogenesis induced by experimental melanomas, suggesting that FASN could be a potential target for the anti-angiogenic therapy. / Mestrado / Patologia / Mestre em Estomatopatologia
8

Caracterização dos constituintes do látex e da borracha natural que estimulam a angiogênese

Agostini, Deuber Lincon da Silva [UNESP] 30 April 2009 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:27:13Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2009-04-30Bitstream added on 2014-06-13T18:31:06Z : No. of bitstreams: 1 agostini_dls_me_bauru.pdf: 3608842 bytes, checksum: 9f88482e6ed9f6d122b753891fe26c0a (MD5) / Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) / As membranas de borracha natural são usadas frequentemente como material biológico na indução de angiogênese e neoformação. Neste trabalho foram realizados estudos com objetivo de identificar os componentes do látex que são responsáveis pelo processo de angiogênese e neoformação. O látex, as fases centrifugadas do látex e as membranas da borracha natural, tratados termicamente em 60, 85 e 120ºC, foram liofilizados para a redução de água nos mesmos. A caracterização de tais materiais foi realizada por espectroscopia infravermelha (FTIR), micro-Raman, ressonância magnética nuclear (NMR - 1H e 13C), difração de raio x (DRX), microscopia eletrônica de varredura (MEV) e microscopia de força atômica (AFM), análise do termogravimétrica (TG) acoplado com infravermelho (TG/FT-IR), calorimetria exploratória diferencial (DSC), análise dinâmico mecânica (DMA) e o método de Bradford. Nos resultados de espectroscopia no infravermelho, micro de Raman, NMR (1H e 13C), de raios x e TG/FT-IR; os componentes químicos do látex, das fases centrifugadas do látex e das membranas da borracha natural foram identificados. A técnica de TG foi utilizada para avaliar a estabilidade térmica e os resultados mostraram que as membranas obtidas a 60ºC possuem maior estabilidade. Nos resultados de DSC notou-se que a transição vítrea acontece em ~ -68ºC, para todos os materiais que contêm isopreno e a degradação estrutural ocorrem em torno de 376ºC. As transições de vítreas foram confirmadas através dos resultados de DMA. O látex centrifugado apresenta três fases: partículas de borracha (F1), lutóides (F2) e Frey-Wyssling (F3). Nas frações F2 e F3 o isopreno é ausente, ou apresenta pequena proporção, mas contêm diversos componentes químicos: proteínas, ácidos aminados e grupos funcionais que podem induzir o angiogênese e a neoformação em tecidos biológicos... / Natural latex and natural rubber membranes are frequently used as biomaterial in the angiogenesis induction and neoformation of biological tissues. Our studies aimed to study and identify the latex components that are responsible for angiogenesis and neoformation processes. The natural latex, the centrifuged latex phases and the natural rubber membranes were thermally treated at 60, 85 and 120ºC and afterward all samples were lyophilized. The characterization of such materials were carried out using infrared (FT-IR), micro Raman spectroscopy, nuclear magnetic resonance (NMR - 1H e 13C), X-ray diffraction, scanning electronic microscopy (SEM) and atomic force microscopy (AFM), thermogravimetry analysis coupled with infrared (TG/FT-IR), differential scanning calorimeter (DSC), dynamic mechanical analysis (DMA) and the method of Bradford. From the results of infrared and micro Raman spectroscopy, NMR (1H e 13C), X-rays and TG/FT-IR the chemical components present in the latex, in the centrifuged latex phases and in natural rubber membranes were identified. TG technique was used to evaluate the thermal stability and results showed that membranes obtained at 60ºC present greater stability, up to 350ºC. From DSC results it was found that the glass transition happens at –68ºC, for all materials containing isoprene, and the structural degradation occurs at 376ºC. Glass transitions were confirmed also by DMA results. Centrifuged latex presents three phases: rubber particles (F1), lutoids (F2) and Frey-Wyssling (F3). In the fractions F2 and F3 the isoprene is absent but they contain several chemical components: proteins, amino acids and functional groups that can induce angiogenesis and neoformation on biological tissues. The treated membrane 60ºC of natural rubber showed the highest angiogenesis and neoformation activities. Furthermore, membranes containing pores favor the cicatrization process and the vascularization processes.
9

Análise digital de imagem e estereologia da angiogênese em adenomas e no adenocarcinoma colorretal invasivo de submucosa

Tarta, Claudio January 2004 (has links)
A angiogênese é essencial no desenvolvimento neoplásico, associando-se às metástases à distância e recorrência em diversas neoplasias malignas. Em carcinomas colorretais, os parâmetros da análise digital de imagem e estereologia da angiogênese foram pouco estudados. Objetivo: avaliar parâmetros tridimensionais e a quantificação microvascular bidimensional nas diferentes apresentações morfológicas dos adenomas colorretais e no adenocarcinoma colorretal restrito à submucosa, a fim de determinar o papel da angiogênese nas diferentes etapas da seqüência adenoma-carcinoma e sua relação com as diferentes apresentações das lesões precursoras do carcinoma colorretal. Material e métodos: foi realizado estudo histórico de delineamento transversal, incluindo 115 lesões neoplásicas colorretais, ressecadas endoscópica ou cirurgicamente no período de 1997 a 2001, obtidas de pacientes do Hospital de Clínicas de Porto Alegre e da Fundação Universitária de Gastroenterologia (FUGAST). Para análise da angiogênese foram utilizadas as técnicas de imuno-histoquímica, análise digital de imagem, quantificação microvascular e estereologia. Os resultados foram apresentados como mediana e intervalos interquartis. Resultados: a quantificação microvascular foi progressivamente mais elevada nas lesões polipóides com displasia de alto grau comparadas às de baixo grau. Quanto maior o grau de atipia observado, maior foi o número de microvasos (regressão linear, P < 0,05). O volume e extensão microvascular foram diferentes entre as fases evolutivas da neoplasia colorretal, resultando em aumento no volume 728 (416 - 1408) versus 178 (93 - 601) e extensão microvascular 242,4 (131,1 - 936,8) vs 24,0 (6,5 - 142,2) (P < 0,001) nas lesões polipóides com displasia de alto grau comparadas às de baixo grau, respectivamente. A quantificação microvascular foi progressivamente mais elevada, acompanhando a progressão neoplásica polipóide: displasia de baixo grau 41,8 (15,8 - 71,9), displasia de alto grau 60,0 (23,0 - 95,6) e carcinoma de submucosa 76,0 (37,5 - 132,6) (P < 0,001). Concomitante, o volume 956 (436 - 2188) vs 178 (93 - 601) e a extensão microvascular 534,6 (146,7 - 1262) vs 24,0 (6,5 - 142,2) foram mais elevados nos adenocarcinomas colorretais restritos à submucosa em relação às lesões polipóides com displasia de baixo grau, respectivamente (P < 0,001). Não foi encontrada diferença estatisticamente significativa na angiogênese entre os adenomas polipóides e não-polipóides através da quantificação 41,8 (15,8 - 71,9) vs 22 (16 - 40) e estimativa da extensão microvascular 24 (6,5-142,2) vs 17,5 (4,4-54,7), respectivamente. Conclusão: a utilização da análise digital de imagem e estereologia acrescentou maior objetividade e eficácia na metodologia de avaliação angiogênica, pois permitiu a precisa segmentação das áreas hipervasculares, a representação da morfologia tridimensional característica do suprimento vascular e a identificação de diferenças na microvascularização nas etapas evolutivas do câncer colorretal. / Angiogenesis is essential in the tumoral development, associating with metastasis at distance and recurrence in several malignant neoplasias. In colorectal carcinomas, the parameters of the digital image analysis and stereology of angiogenesis have been little studied. Objective: evaluate three-dimensional parameters and the bidimensional microvascular quantification in the different morphologic presentations of the adenomas and in the submucosal colorectal carcinoma, in order to determine the role of angiogenesis in the different stages of the sequence adenoma-carcinoma and its relationship with the different presentations of the precursory neoplastic lesions of the colorectal carcinoma. Material and methods: transversal historical study was carried out, including 115 colorectal neoplastic lesions, obtained by endoscopyc or surgical resection between 1997 and 2001, from the patients of the Hospital de Clínicas de Porto Alegre and of the Fundação Universitária de Gastroenterologia (FUGAST). For the analysis of angiogenesis, immunohistochemistry, digital image analysis, microvascular quantification and stereology were used. The results were presented as medium and interquartile range. Results: the microvascular quantification has gradually raised in the polypoid lesions with high degree dysplasia comparing to the ones of low degree. The bigger the degree of atipia, the higher was the number of microvessels (linear regression, P < 0,05). The volume and microvascular extension were different among stages of the colorectal neoplasia, resulting in an increase of the volume 728 (416 - 1408) vs 178 (93 - 601) and microvascular extension 242,4 (131.1 - 936,8) vs 24,0 (6,5 - 142,2) (P < 0.001) in the polypoid lesions with comparative high degree dysplasia to the ones of low degree, respectively. The microvascular quantification was gradually raised, following the polypoid tumoral progression: low degree dysplasia 41,8 (15,8 - 71,9), high degree dysplasia 60,0 (23,0 - 95,6) and submucosal carcinoma 76,0 (37,5 - 132,6) (P < 0.001). Concomitantly, the volume 956 (436 - 2188) vs 178 (93 - 601) and microvascular extension 534,6 (146,7 - 1262) vs 24,0 (6,5 - 142,2) were more elevated in the submucosal carcinoma in relation to the polypoid lesions with low degree displasia, respectively (P < 0.001). There was no significantly difference in angiogenesis between the poypoid and nonpolypoid colorectal adenomas through the quantification 41,8 (15,8 - 71,9) vs 22 (16 - 40) and estimate of microvascular extension 24 (6,5 - 142,2) vs 17,5 (4,4 - 54,7), respectively. Conclusion: the use of the digital image analysis and stereology added greater objectivity and effectiveness in the methodology of angiogenic evaluation, because it allowed the accurate segmentation of hypervascular areas, the representation of characteristic three-dimensional morphology of vascular supply and identification of differences in the microvascularization in the evolutive stages of the colorectal cancer.
10

Análise digital de imagem e estereologia da angiogênese em adenomas e no adenocarcinoma colorretal invasivo de submucosa

Tarta, Claudio January 2004 (has links)
A angiogênese é essencial no desenvolvimento neoplásico, associando-se às metástases à distância e recorrência em diversas neoplasias malignas. Em carcinomas colorretais, os parâmetros da análise digital de imagem e estereologia da angiogênese foram pouco estudados. Objetivo: avaliar parâmetros tridimensionais e a quantificação microvascular bidimensional nas diferentes apresentações morfológicas dos adenomas colorretais e no adenocarcinoma colorretal restrito à submucosa, a fim de determinar o papel da angiogênese nas diferentes etapas da seqüência adenoma-carcinoma e sua relação com as diferentes apresentações das lesões precursoras do carcinoma colorretal. Material e métodos: foi realizado estudo histórico de delineamento transversal, incluindo 115 lesões neoplásicas colorretais, ressecadas endoscópica ou cirurgicamente no período de 1997 a 2001, obtidas de pacientes do Hospital de Clínicas de Porto Alegre e da Fundação Universitária de Gastroenterologia (FUGAST). Para análise da angiogênese foram utilizadas as técnicas de imuno-histoquímica, análise digital de imagem, quantificação microvascular e estereologia. Os resultados foram apresentados como mediana e intervalos interquartis. Resultados: a quantificação microvascular foi progressivamente mais elevada nas lesões polipóides com displasia de alto grau comparadas às de baixo grau. Quanto maior o grau de atipia observado, maior foi o número de microvasos (regressão linear, P < 0,05). O volume e extensão microvascular foram diferentes entre as fases evolutivas da neoplasia colorretal, resultando em aumento no volume 728 (416 - 1408) versus 178 (93 - 601) e extensão microvascular 242,4 (131,1 - 936,8) vs 24,0 (6,5 - 142,2) (P < 0,001) nas lesões polipóides com displasia de alto grau comparadas às de baixo grau, respectivamente. A quantificação microvascular foi progressivamente mais elevada, acompanhando a progressão neoplásica polipóide: displasia de baixo grau 41,8 (15,8 - 71,9), displasia de alto grau 60,0 (23,0 - 95,6) e carcinoma de submucosa 76,0 (37,5 - 132,6) (P < 0,001). Concomitante, o volume 956 (436 - 2188) vs 178 (93 - 601) e a extensão microvascular 534,6 (146,7 - 1262) vs 24,0 (6,5 - 142,2) foram mais elevados nos adenocarcinomas colorretais restritos à submucosa em relação às lesões polipóides com displasia de baixo grau, respectivamente (P < 0,001). Não foi encontrada diferença estatisticamente significativa na angiogênese entre os adenomas polipóides e não-polipóides através da quantificação 41,8 (15,8 - 71,9) vs 22 (16 - 40) e estimativa da extensão microvascular 24 (6,5-142,2) vs 17,5 (4,4-54,7), respectivamente. Conclusão: a utilização da análise digital de imagem e estereologia acrescentou maior objetividade e eficácia na metodologia de avaliação angiogênica, pois permitiu a precisa segmentação das áreas hipervasculares, a representação da morfologia tridimensional característica do suprimento vascular e a identificação de diferenças na microvascularização nas etapas evolutivas do câncer colorretal. / Angiogenesis is essential in the tumoral development, associating with metastasis at distance and recurrence in several malignant neoplasias. In colorectal carcinomas, the parameters of the digital image analysis and stereology of angiogenesis have been little studied. Objective: evaluate three-dimensional parameters and the bidimensional microvascular quantification in the different morphologic presentations of the adenomas and in the submucosal colorectal carcinoma, in order to determine the role of angiogenesis in the different stages of the sequence adenoma-carcinoma and its relationship with the different presentations of the precursory neoplastic lesions of the colorectal carcinoma. Material and methods: transversal historical study was carried out, including 115 colorectal neoplastic lesions, obtained by endoscopyc or surgical resection between 1997 and 2001, from the patients of the Hospital de Clínicas de Porto Alegre and of the Fundação Universitária de Gastroenterologia (FUGAST). For the analysis of angiogenesis, immunohistochemistry, digital image analysis, microvascular quantification and stereology were used. The results were presented as medium and interquartile range. Results: the microvascular quantification has gradually raised in the polypoid lesions with high degree dysplasia comparing to the ones of low degree. The bigger the degree of atipia, the higher was the number of microvessels (linear regression, P < 0,05). The volume and microvascular extension were different among stages of the colorectal neoplasia, resulting in an increase of the volume 728 (416 - 1408) vs 178 (93 - 601) and microvascular extension 242,4 (131.1 - 936,8) vs 24,0 (6,5 - 142,2) (P < 0.001) in the polypoid lesions with comparative high degree dysplasia to the ones of low degree, respectively. The microvascular quantification was gradually raised, following the polypoid tumoral progression: low degree dysplasia 41,8 (15,8 - 71,9), high degree dysplasia 60,0 (23,0 - 95,6) and submucosal carcinoma 76,0 (37,5 - 132,6) (P < 0.001). Concomitantly, the volume 956 (436 - 2188) vs 178 (93 - 601) and microvascular extension 534,6 (146,7 - 1262) vs 24,0 (6,5 - 142,2) were more elevated in the submucosal carcinoma in relation to the polypoid lesions with low degree displasia, respectively (P < 0.001). There was no significantly difference in angiogenesis between the poypoid and nonpolypoid colorectal adenomas through the quantification 41,8 (15,8 - 71,9) vs 22 (16 - 40) and estimate of microvascular extension 24 (6,5 - 142,2) vs 17,5 (4,4 - 54,7), respectively. Conclusion: the use of the digital image analysis and stereology added greater objectivity and effectiveness in the methodology of angiogenic evaluation, because it allowed the accurate segmentation of hypervascular areas, the representation of characteristic three-dimensional morphology of vascular supply and identification of differences in the microvascularization in the evolutive stages of the colorectal cancer.

Page generated in 0.0603 seconds