• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 29
  • 4
  • Tagged with
  • 33
  • 27
  • 10
  • 8
  • 8
  • 8
  • 7
  • 7
  • 7
  • 7
  • 6
  • 6
  • 6
  • 6
  • 5
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Re-enactment no filme pinta um fluxo de memória na dança contemporânea

SILVA, RAILDA January 2016 (has links)
Submitted by Diana Alves (ppgdancaufba.adm@gmail.com) on 2016-08-19T11:40:59Z No. of bitstreams: 1 Dissertação Railda 2016.2 pdf.pdf: 2538381 bytes, checksum: fca561dc9cddb0cb2c7e0ba531fa4ca1 (MD5) / Approved for entry into archive by Patricia Barroso (pbarroso@ufba.br) on 2016-08-19T15:22:49Z (GMT) No. of bitstreams: 1 Dissertação Railda 2016.2 pdf.pdf: 2538381 bytes, checksum: fca561dc9cddb0cb2c7e0ba531fa4ca1 (MD5) / Made available in DSpace on 2016-08-19T15:22:52Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Dissertação Railda 2016.2 pdf.pdf: 2538381 bytes, checksum: fca561dc9cddb0cb2c7e0ba531fa4ca1 (MD5) / Esta pesquisa analisa o re-enactment (Lepecki, 2010) no filme Pinta como um fluxo de memória na dança contemporânea. O filme Pinta (2013) tem direção do artista Jorge Alencar e “Dimenti - produtora cultural e ambiente de criação artística”. O estudo aporta-se na compreensão de que a obra artística contemporânea, pode não limitar sua materialização a uma determinada linguagem, e que a quantidade crescente de re-enactments do corpo na dança contemporânea, não se restringem só ao palco enquanto espaço cênico para a dança, mas em distintas intermediações que favorecem e produzem transformações e atualizações. A escolha do tema se justifica pelo interesse de aprofundar conhecimentos sobre as relações complexas da dança contemporânea e seus possíveis e inesgotáveis processos de sentidos, no intuito de elaborar princípios, técnicas e aspectos composicionais que ativam estéticas de obras passadas para o presente. A metodologia de trabalho é de característica qualitativa, com estudo de caso, utiliza entrevista semiestruturada, questionário e os registros videográficos de espetáculos e filmes utilizados para montagem de Pinta. Para referenciar discussões sobre re-enactment, dança contemporânea, hibridismo de processos compositivos foram acessados principalmente os textos dos autores Agamben (2009), Canclini (2008), Lepecki (2010), e finalmente para falar de corpo numa aproximação dos processos evolutivos que o corpo está envolvido com a memória, trazemos Greiner e Katz (2005). Ao analisar o processo de Pinta foi possível perceber que o filme produz um fluxo contínuo de memória a partir de materiais artísticos descontínuos, em ação para novas significações. Desse modo, é possível entender o re-enactment como uma prática de revisitamentos de desejos identificados tanto no artista como na obra, ambos são atingidos pelo desejo de presença.
2

Progresso da pinta-preta do tomateiro em cultivares de tomate, em diferentes épocas de plantio / Progress of early blight on different genotypes of tomato and in different growing season

Salustiano, Maria Eloisa 14 July 2000 (has links)
Submitted by Marco Antônio de Ramos Chagas (mchagas@ufv.br) on 2017-06-20T14:24:25Z No. of bitstreams: 1 texto completo.pdf: 440027 bytes, checksum: a513a2102139588d86e396ee9af4799f (MD5) / Made available in DSpace on 2017-06-20T14:24:25Z (GMT). No. of bitstreams: 1 texto completo.pdf: 440027 bytes, checksum: a513a2102139588d86e396ee9af4799f (MD5) Previous issue date: 2000-07-14 / Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais / Neste trabalho, procurou-se quantificar o progresso da pinta-preta, causada por Alternaria solani, em quatro épocas de plantio e suas relações com as variáveis climáticas, além de comparar o desempenho do cultivar Santa Clara e do híbrido Débora Plus em relação ao desenvolvimento da pinta-preta em duas épocas de plantio e em dois sistemas de condução. Também, quantificaram-se as perdas na produção causadas pela pinta-preta em duas épocas de plantio. Nesse sentido, quatro ensaios foram conduzidos em diferentes épocas de plantio, em plantas conduzidas pelo sistema de condução tradicional de tutoramento e sistema tutorado vertical. Foram realizados plantios de agosto a novembro de 1997, de outubro de 1997 a janeiro de 1998, de fevereiro a maio de 1998 e de abril a agosto de 1998. Os dados meteorológicos foram registrados durante a condução dos ensaios. Dentre as épocas de plantio estudadas, a época 1 foi a que proporcionou controle químico mais eficiente da pinta-preta, reduzindo a severidade em 93%. Esse controle foi possível devido à aplicação preventiva do chlorotalonil e às viiicondições climáticas do ano no inverno–primavera, quando temperaturas inferiores ou iguais a 20 oC predominaram, associadas a períodos de molhamento foliar com duração de seis horas semanais e escassez de chuva. Essa condição climática proporcionou atraso no início da epidemia, favorecendo o controle da doença. Já na época 2, as condições climáticas favoreceram a ocorrência da doença, antecipando o início da epidemia. As temperaturas registradas foram 25-30 oC, consideradas ótimas para o desenvolvimento da doença. Além da temperatura favorável, houve freqüência de chuva e presença de molhamento foliar constante. Nessas condições de ambiente, a pinta-preta desenvolveu-se rapidamente, atingindo severidade máxima em 60 dias após o transplantio, reduzindo o ciclo da cultura e levando plantas que não receberam aplicação de chlorotalonil à morte precoce. A antecipação da manifestação da pinta-preta para 34 dias após o transplantio dificultou o controle químico, reduzindo a eficiência. A época 3, verão–outono, foi desfavorável à doença em razão da escassez de chuva e do reduzido período de molhamento foliar, apesar de terem ocorrido temperaturas consideradas ótimas para o desenvolvimento da doença. A época 4, outono– inverno, foi desfavorável à pinta-preta, e o desenvolvimento da epidemia foi lento, alcançando severidade máxima depois de 100 dias após o transplantio. Nos ensaios 3 e 4, a primeira aplicação de fungicida foi feita por ocasião da manifestação dos primeiros sintomas. Houve efeito do chlorotalonil, reduzindo a severidade nas plantas que receberam aplicação e aumentando o ciclo da cultura. O cultivar Santa Clara apresentou maior AACPD em relação ao híbrido Débora Plus, no entanto o cultivar Santa Clara produziu mais frutos grandes e pesados quando conduzido pelo sistema tutorado vertical. O híbrido Débora Plus produziu mais frutos médios e mais frutos com sintomas de pinta-preta quando conduzido pelo sistema tutorado vertical. O sistema tutorado vertical não diferiu em produção com relação ao sistema tradicional na época 3. Já na época 4, o sistema tutorado vertical produziu maior número e peso de frutos comerciais. O controle com chlorotalonil foi efetivo nos sistemas para redução da pinta-preta nas folhas, além de promover redução dos frutos com pinta- preta. Os resultados indicaram que maior eficiência no controle da pinta-preta, com redução de fungicida e perdas provocadas por essa doença, pode ser obtida com o plantio do cultivar Santa Clara conduzido pelo sistema tutorado vertical em épocas de verão–outono e outono–inverno. O uso de chlorotalonil em alternância com a Calda Viçosa em épocas de inverno–primavera é também recomendável. Em épocas de verão, quando predominam as condições ótimas para o desenvolvimento da pinta-preta, é recomendável a antecipação da aplicação preventiva desse fungicida. / Four field trials were conducted at the Horta Velha Research Station of the Universidade Federal de Viçosa during the 1997/1998 growing season, with the objective of characterizing the conditions favorable of the development of early blight of tomato, caused by Alternaria solani; the effect of the disease on yield; and the effect of the disease on tomato genotypes under different cropping systems and during different growing seasons. The control of early blight was most efficient during the winter/spring and autumn/winter growing seasons. Control efficiency was as high as 93% in plots treated with Calda Viçosa alternated with Chlorothalonil. During these seasons, the start of the epidemic was retarded by as much as 60 days. This could be attributed to conditions being unfavorable for the development of the disease; mean air temperatures were less then 20 o C. Conditions were favorable for early blight development during the spring/summer and summer/autumn growing seasons. Mean air temperatures were between 25 and 30 o C, with frequent rainfall and constant leaf wetness. During the latter two seasons, the epidemic started as early as 30 days after planting. Compared to hybrid “Debora plus”, cultivar “Santa Clara” was more susceptible to early blight, with greater AUDPC, however, the latter produced more large marketable fruits and less diseased fruits. Cropping systems had no effect on yield. Fungicide application resulted in an increase in the yield of large, marketable fruits and a reduction of fruits blemished by early blight. / Tese importada do Alexandria
3

Produção de estruturas reprodutivas e efeito do ambiente nos tipos de sintomas produzidos por Guignardia citricarpa em Citrus spp

Nozaki, Márcia de Holanda [UNESP] 29 March 2007 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:33:40Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2007-03-29Bitstream added on 2014-06-13T19:04:54Z : No. of bitstreams: 1 nozaki_mh_dr_jabo.pdf: 745023 bytes, checksum: 9d7c07f38a8943e8fa117a5e301b9c6f (MD5) / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) / Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) / A mancha preta dos citros (MPC) doença causada pelo fungo Guignardia citricarpa Kiely [anamorfo: Phyllosticta citricarpa (McAlp.)Van der Aa], deprecia comercialmente os frutos, causando sua queda prematura e elevando o custo de produção. Até o presente momento, informações acerca da etiologia da doença são escassas. Portanto, o presente trabalho teve como objetivos: (i) criar metodologias alternativas de obtenção da estrutura reprodutiva do fungo em laboratório; (ii) observar a taxa de germinação in vitro de conídios do fungo; (iii) estudar a influência da poda de plantas cítricas no campo sobre a expressão de sintomas de falsa melanose; (iv) e, a relação entre a presença de sintomas de ácaro da falsa ferrugem e sintomas do tipo mancha trincada em frutos cítricos. De maneira geral, tanto pseudotécios quanto ascósporos foram obtidos em maior número quando da utilização da metodologia de discos foliares autoclavados, bem como a maior expressão dos sintomas mediante inoculações através desta metodologia. Com os resultados obtidos, pode-se afirmar que através da realização de práticas culturais como a poda dos ramos secos, bem como o controle do ácaro da falsa ferrugem, o progresso da MPC no campo é reduzido. / Citrus black spot (CBS) disease caused by the fungus Guignardia citricarpa Kiely [anamorph: Phyllosticta citricarpa (McAlp.)Van der Aa], depreciates the fruit comercially, causing its premature fall and elevating production cost. Until the present moment, there is a lack of informations about the etiology of the disease. Therefore, the aim of the present work was: (i) create alternative methodologies to obtain reproductive structures on laboratory; (ii) observe the in vitro conidia germination rate; (iii) study the influence of the harvest of citric plants on the expression of false melanose symptoms; (iv) and the relation between the expression of symptoms of citrus rust mite on the presence of cracked spot symptoms. Both pseudothecia and ascospores were obtained in larger rate when using autoclavated leave discs, and also the larger expression of symptoms on inoculations made by this method. By the results obtained, it can be afirmed that the harvest of dead twigs, and the control of the citrus rust mite, the progress of CBS on field is reduced.
4

Ocorrência de pinta preta causada por Guignardia citricarpa Kiely em pomares de citros sob manejo orgânico, no município de Montenegro, RS

Schmidt, Jéssica January 2003 (has links)
O cultivo de citros no Brasil tem sido assolado por diversos problemas, como pragas e doenças; entre as últimas, uma das mais importantes e que tem chegado a limitar a cultura, está a pinta preta, causada por Guignardia citricarpa Kiely; que provoca diminuição do tamanho dos frutos, manchas na casca e queda precoce. É de vital importância conhecer a epidemiologia desta doença nas condições locais, para tentativa de controle mais eficiente, principalmente em pomares sob manejo orgânico, nos quais não são utilizados insumos químicos industriais. Com este trabalho, objetivou-se identificar e comparar a incidência e a severidade da doença dentro e entre pomares da bergamoteira ‘Montenegrina’ (Citrus deliciosa Tenore) e tangor ‘Murcott’ (C. reticulata Blanco x C. sinensis Osbeck), a relação entre a severidade e a queda precoce dos frutos; a variação na produção de esporos e a relação de todos estes, com fatores climáticos. Os dados foram coletados entre agosto de 2001 e setembro de 2002, no município de Montenegro, RS, através da contagem direta de todos os frutos das plantas amostradas e, em laboratório, contou-se o número de lesões e seus diâmetros por fruto. Os índices de incidência e severidade da doença foram confrontados com fatores meteorológicos, avaliando-se as implicações no aumento da doença e na queda de frutos. O início dos sintomas deu-se em fevereiro para Murcott e, em março para Montenegrina, agravando-se progressivamente, atingindo valores máximos próximo à colheita. A análise estatística dos dados obtidos mostrou que o número de lesões difere dentro e entre cultivares, mas seus tamanhos parecem ser independentes. A severidade foi relacionada à queda de frutos em Montenegrina, mas não ocorrendo o mesmo em Murcott. Os resultados não evidenciaram influências da umidade relativa do ar, mas temperaturas médias e precipitação pareceram ter relação com o aumento da incidência e da severidade para ambas as cultivares.
5

Ocorrência de pinta preta causada por Guignardia citricarpa Kiely em pomares de citros sob manejo orgânico, no município de Montenegro, RS

Schmidt, Jéssica January 2003 (has links)
O cultivo de citros no Brasil tem sido assolado por diversos problemas, como pragas e doenças; entre as últimas, uma das mais importantes e que tem chegado a limitar a cultura, está a pinta preta, causada por Guignardia citricarpa Kiely; que provoca diminuição do tamanho dos frutos, manchas na casca e queda precoce. É de vital importância conhecer a epidemiologia desta doença nas condições locais, para tentativa de controle mais eficiente, principalmente em pomares sob manejo orgânico, nos quais não são utilizados insumos químicos industriais. Com este trabalho, objetivou-se identificar e comparar a incidência e a severidade da doença dentro e entre pomares da bergamoteira ‘Montenegrina’ (Citrus deliciosa Tenore) e tangor ‘Murcott’ (C. reticulata Blanco x C. sinensis Osbeck), a relação entre a severidade e a queda precoce dos frutos; a variação na produção de esporos e a relação de todos estes, com fatores climáticos. Os dados foram coletados entre agosto de 2001 e setembro de 2002, no município de Montenegro, RS, através da contagem direta de todos os frutos das plantas amostradas e, em laboratório, contou-se o número de lesões e seus diâmetros por fruto. Os índices de incidência e severidade da doença foram confrontados com fatores meteorológicos, avaliando-se as implicações no aumento da doença e na queda de frutos. O início dos sintomas deu-se em fevereiro para Murcott e, em março para Montenegrina, agravando-se progressivamente, atingindo valores máximos próximo à colheita. A análise estatística dos dados obtidos mostrou que o número de lesões difere dentro e entre cultivares, mas seus tamanhos parecem ser independentes. A severidade foi relacionada à queda de frutos em Montenegrina, mas não ocorrendo o mesmo em Murcott. Os resultados não evidenciaram influências da umidade relativa do ar, mas temperaturas médias e precipitação pareceram ter relação com o aumento da incidência e da severidade para ambas as cultivares.
6

Ocorrência de pinta preta causada por Guignardia citricarpa Kiely em pomares de citros sob manejo orgânico, no município de Montenegro, RS

Schmidt, Jéssica January 2003 (has links)
O cultivo de citros no Brasil tem sido assolado por diversos problemas, como pragas e doenças; entre as últimas, uma das mais importantes e que tem chegado a limitar a cultura, está a pinta preta, causada por Guignardia citricarpa Kiely; que provoca diminuição do tamanho dos frutos, manchas na casca e queda precoce. É de vital importância conhecer a epidemiologia desta doença nas condições locais, para tentativa de controle mais eficiente, principalmente em pomares sob manejo orgânico, nos quais não são utilizados insumos químicos industriais. Com este trabalho, objetivou-se identificar e comparar a incidência e a severidade da doença dentro e entre pomares da bergamoteira ‘Montenegrina’ (Citrus deliciosa Tenore) e tangor ‘Murcott’ (C. reticulata Blanco x C. sinensis Osbeck), a relação entre a severidade e a queda precoce dos frutos; a variação na produção de esporos e a relação de todos estes, com fatores climáticos. Os dados foram coletados entre agosto de 2001 e setembro de 2002, no município de Montenegro, RS, através da contagem direta de todos os frutos das plantas amostradas e, em laboratório, contou-se o número de lesões e seus diâmetros por fruto. Os índices de incidência e severidade da doença foram confrontados com fatores meteorológicos, avaliando-se as implicações no aumento da doença e na queda de frutos. O início dos sintomas deu-se em fevereiro para Murcott e, em março para Montenegrina, agravando-se progressivamente, atingindo valores máximos próximo à colheita. A análise estatística dos dados obtidos mostrou que o número de lesões difere dentro e entre cultivares, mas seus tamanhos parecem ser independentes. A severidade foi relacionada à queda de frutos em Montenegrina, mas não ocorrendo o mesmo em Murcott. Os resultados não evidenciaram influências da umidade relativa do ar, mas temperaturas médias e precipitação pareceram ter relação com o aumento da incidência e da severidade para ambas as cultivares.
7

Otimização do manejo da pinta preta causada por Guignardia citricarpa Kiely na produção ecológica de tangerinas cv. Montenegrina sob a ótica da pesquisa participativa / Optimization of management techniques of black spot (Guignardia citricarpa Kiely.) in ecological orchards of tangerine trees cv. montenegrinafrom the perspective of participatory research

Pandolfo, Juliana Dalmagro January 2011 (has links)
No Rio Grande do Sul cultiva-se diversas espécies cítricas, destacando-se o município de Montenegro, no Vale do Caí/RS. Para a produção de frutas destinadas ao consumo in natura, a maioria dos citricultores adota pacotes tecnológicos que consistem no uso de insumos químicos e na simplificação do ambiente. No entando, experiências de citricultores ecológicos demonstram ser possível produzir citros usando métodos de manejo que dispensam agrotóxicos ou fertilizantes químicos. Entretanto eles enfrentam dificuldades no manejo da pinta preta dos citros, causada pelo fungo Guignardia citricarpa Kiely. Essa doença deprecia o aspecto visual e quando em alta severidade, causa queda de frutos. A utilização de microrganismos no biocontrole pode interromper algum estágio da doença ou do ciclo de vida do patógeno. Sendo assim, este trabalho teve como objetivo gerar, junto com os agricultores, uma tecnologia de controle biológico da pinta-preta do citros, além de encontrar, problemáticas do controle da doença e soluções para estas, e gerar metodologias de baixo custo para o cultivo de microrganismos e adequadas às condições locais. Foram isolados microrganimos da microflora nativa de pomares agroecológicos. Esses microrganismos foram testados in vitro e in vivo quanto ao seu potencial antagônico ao fitopatógeno e quanto a sua patogenicidade ao citros, respectivamente. Duas leveduras e uma bactéria (em processo de identificação) foram selecionadas para serem avaliados em pomares quanto a sua eficiência ao controle da pinta-preta dos citros. Um isolado T. koningii, TC01, foi testado em 11 pomares orgânicos de tangerineiras cv. Montenegrina e avaliado em três desses pomares. O isolado foi eficiente no controle da pinta preta. O TC01 foi cultivado em sete substratos alternativos para sua produção massal, o composto da Ecocitrus, composto biodinâmico e meio sólido com suco de laranja se destacaram pelo fácil acesso, baixo custo e alta eficiência no desenvolvimento do antagonista. O projeto de pesquisa participativa fez com que os agricultores observassem seus pomares e criassem autonomia para buscar soluções adequadas e testar diferentes formas de manejo. / In the state of Rio Grande do Sul many citric species are grown, the town of Montenegro, in Vale do Caí/RS stands out among the most important producers. For the production of fruits for in natura consumption most of the local farmers adopt technological packages that consist in the use of chemical inputs and in environmetal simplification. However, experiments of ecological farmers in this region demonstrated that it is possible to produce citruses using management methods that exempt the use of pesticides or chemical fertilizers. However, they face difficulties in the management of citrus black spot, caused by the fungus Guignardia citricarpa Kiely. This illness depreciates the visual aspect and, when in high severity, causes the fall of the fruits. The usage of microorganisms for the control of ilnesses can interrupt a stage of the ilness or the pathogen life cycle. In this sense, this work has the aim of creating, together with the farmers, a technology of citrus black spot biological control using microorganisms with antagonistic potential, as well as finding problematics of ilness control and solutions for them, and also, create low-cost methodologies to the growth of microorganisms appropriate to local conditions. Microorganisms of the native microflora of agroecological orchards were isolated. These microorganisms were tested in vitro and in vivo regarding their antagonistic potential to the phytopathogen and regarding their pathogenicity to citrus, respectively. Two yeasts and one bacterium (in process of identification) were selected be evaluated in orchards regarding their efficiency in citrus black spot control. An isolated T. Koningii, TC01, was tested in eleven organic orchards of tangerine trees cv. Montenegrina and was evaluated in three of these orchards. The isolated was efficient in the control of black spot. TC01 was cultivated in seven alternative substracts to its massive production, Ecocitrus compound, biodynamic compound, and solid medium with orange juice standed out for their easy access, low cost and high efficiency in the development of the antagonist. The project of participatory research allowed the farmers to observe their orchards and to create autonomy in the serch of appropriate solutions and to test different ways of management.
8

Otimização do manejo da pinta preta causada por Guignardia citricarpa Kiely na produção ecológica de tangerinas cv. Montenegrina sob a ótica da pesquisa participativa / Optimization of management techniques of black spot (Guignardia citricarpa Kiely.) in ecological orchards of tangerine trees cv. montenegrinafrom the perspective of participatory research

Pandolfo, Juliana Dalmagro January 2011 (has links)
No Rio Grande do Sul cultiva-se diversas espécies cítricas, destacando-se o município de Montenegro, no Vale do Caí/RS. Para a produção de frutas destinadas ao consumo in natura, a maioria dos citricultores adota pacotes tecnológicos que consistem no uso de insumos químicos e na simplificação do ambiente. No entando, experiências de citricultores ecológicos demonstram ser possível produzir citros usando métodos de manejo que dispensam agrotóxicos ou fertilizantes químicos. Entretanto eles enfrentam dificuldades no manejo da pinta preta dos citros, causada pelo fungo Guignardia citricarpa Kiely. Essa doença deprecia o aspecto visual e quando em alta severidade, causa queda de frutos. A utilização de microrganismos no biocontrole pode interromper algum estágio da doença ou do ciclo de vida do patógeno. Sendo assim, este trabalho teve como objetivo gerar, junto com os agricultores, uma tecnologia de controle biológico da pinta-preta do citros, além de encontrar, problemáticas do controle da doença e soluções para estas, e gerar metodologias de baixo custo para o cultivo de microrganismos e adequadas às condições locais. Foram isolados microrganimos da microflora nativa de pomares agroecológicos. Esses microrganismos foram testados in vitro e in vivo quanto ao seu potencial antagônico ao fitopatógeno e quanto a sua patogenicidade ao citros, respectivamente. Duas leveduras e uma bactéria (em processo de identificação) foram selecionadas para serem avaliados em pomares quanto a sua eficiência ao controle da pinta-preta dos citros. Um isolado T. koningii, TC01, foi testado em 11 pomares orgânicos de tangerineiras cv. Montenegrina e avaliado em três desses pomares. O isolado foi eficiente no controle da pinta preta. O TC01 foi cultivado em sete substratos alternativos para sua produção massal, o composto da Ecocitrus, composto biodinâmico e meio sólido com suco de laranja se destacaram pelo fácil acesso, baixo custo e alta eficiência no desenvolvimento do antagonista. O projeto de pesquisa participativa fez com que os agricultores observassem seus pomares e criassem autonomia para buscar soluções adequadas e testar diferentes formas de manejo. / In the state of Rio Grande do Sul many citric species are grown, the town of Montenegro, in Vale do Caí/RS stands out among the most important producers. For the production of fruits for in natura consumption most of the local farmers adopt technological packages that consist in the use of chemical inputs and in environmetal simplification. However, experiments of ecological farmers in this region demonstrated that it is possible to produce citruses using management methods that exempt the use of pesticides or chemical fertilizers. However, they face difficulties in the management of citrus black spot, caused by the fungus Guignardia citricarpa Kiely. This illness depreciates the visual aspect and, when in high severity, causes the fall of the fruits. The usage of microorganisms for the control of ilnesses can interrupt a stage of the ilness or the pathogen life cycle. In this sense, this work has the aim of creating, together with the farmers, a technology of citrus black spot biological control using microorganisms with antagonistic potential, as well as finding problematics of ilness control and solutions for them, and also, create low-cost methodologies to the growth of microorganisms appropriate to local conditions. Microorganisms of the native microflora of agroecological orchards were isolated. These microorganisms were tested in vitro and in vivo regarding their antagonistic potential to the phytopathogen and regarding their pathogenicity to citrus, respectively. Two yeasts and one bacterium (in process of identification) were selected be evaluated in orchards regarding their efficiency in citrus black spot control. An isolated T. Koningii, TC01, was tested in eleven organic orchards of tangerine trees cv. Montenegrina and was evaluated in three of these orchards. The isolated was efficient in the control of black spot. TC01 was cultivated in seven alternative substracts to its massive production, Ecocitrus compound, biodynamic compound, and solid medium with orange juice standed out for their easy access, low cost and high efficiency in the development of the antagonist. The project of participatory research allowed the farmers to observe their orchards and to create autonomy in the serch of appropriate solutions and to test different ways of management.
9

Botryosphaeriales endofíticos e fitopatogênicos causadores de podridões pós-colheita em frutos de goiabas / Endophytic and pathogenic Botryosphaeriales causing post-harvest fruit rot of guava

Abreu, Vanessa Pereira de 23 February 2015 (has links)
Submitted by Reginaldo Soares de Freitas (reginaldo.freitas@ufv.br) on 2017-04-12T17:59:45Z No. of bitstreams: 1 texto completo.pdf: 2243894 bytes, checksum: ab4e44704d5ce4a8b8eed861c68ee7fc (MD5) / Made available in DSpace on 2017-04-12T17:59:45Z (GMT). No. of bitstreams: 1 texto completo.pdf: 2243894 bytes, checksum: ab4e44704d5ce4a8b8eed861c68ee7fc (MD5) Previous issue date: 2015-02-23 / Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais / A goiabeira (Psidium guajava) é uma cultura de grande importância, destacando-se como uma atividade econômica e social de grande expressão. Nativa da América Tropical, a goiabeira, é amplamente cultivada em todas as regiões do Brasil. A produção da goiabeira tem sido limitada por vários fatores, dentre eles, destacam-se as doenças, com especial ênfase às que ocorrem em pós-colheita. A pinta-preta da goiaba é a doença pós-colheita de maior incidência. As goiabas acometidas pela doença apresentam sintomas que constituem-se, inicialmente, de pontos deprimidos, os quais evoluem rapidamente na superfície dos frutos, de forma concêntrica e tornam-se lesões de coloração escura com diversos pontos negros correspondendo aos sinais do patógeno. Vários trabalhos associam a pinta-preta da goiaba ao fungo Phyllosticta psidiicola entretanto, ainda não existem trabalhos mais abrangentes com estudos taxonômicos mais apurados que investiguem qual o real agente etiológico dessa doença. Além da pinta-preta da goiaba, existem outras doenças de pós-colheita muito comuns causadas por fungos da ordem Botryosphaeriales como a podridão parda associada ao fungo Dothiorella dominicana e a podridão de Lasiodiplodia associada à Lasiodiplodia theobromae. Entretanto, também existe uma carência de estudos mais abrangentes associados a essas doenças. Nos últimos anos novas espécies têm sido propostas a partir de estudos moleculares, evidenciando a existência de um complexo de espécies. Assim, os objetivos deste trabalho foram estudar a etiologia da pinta-preta da goiaba baseada na combinação de características morfológicas e moleculares, verificar o relacionamento das espécies causadoras dessa doença com as espécies endofíticas, estabelecer o posicionamento filogenético das espécies encontradas, bem como comprovar a patogenicidade das espécies associadas. Foram realizadas coletas de goiabas com sintomas de podridões pós- colheita, frutos secos e mumificados nos mercados do município de Viçosa – Minas Gerais e em uma área de cultivo no município de Piraúba – Minas Gerais. Folhas, ramos e frutos sadios foram coletados nesta mesma área, a fim de obter os isolados endofíticos correspondentes a área com elevada ocorrência da doença na pós- colheita. Isolados monospóricos foram obtidos e armazenados. Estes tiveram o DNA extraído e a região TEF1-α amplificada e sequenciada. A partir dos resultados das análises filogenéticas, um isolado representativo de cada espécie foi selecionado para a caracterização morfológica e testes de patogenicidade. Seis espécies de Botryosphaeriales foram identificadas, entre elas, três pertencentes ao gênero Neofusicoccum, uma pertencente ao gênero Phyllosticta e duas espécies de Lasiodiplodia. Entre estas espécies, duas serão propostas como novas (Neofusicoccum sp. e Lasiodiplodia sp.). Todas as espécies foram comparadas morfológica e filogeneticamente, com exceção de Lasiodiplodia sp. que não esporulou em meio de cultura. Todas as espécies tiveram patogenicidade comprovada. Os resultados deste trabalho serão fundamentais para futuros estudos envolvendo medidas de manejo da doença, programas de quarentena e especialmente, para o desenvolvimento de variedades de goiabas resistentes à pinta- preta e outras podridões de frutos. / The guava (Psidium guajava) is an fruit crop of great importance, standing out as an economic and social activity of great expression. Native to tropical America, the guava, is widely cultivated in all regions of Brazil. The production of guava has been limited by several factors, specially the diseases, with special emphasis to those that occur in post-harvest. The guava black spot is a post-harvest higher incidence disease. Diseased guavas presents symptoms that are initially depressed points, which are changing rapidly on the surface of the fruit, concentrically and become dark-colored with many black spots corresponding to the signs of the pathogens in the lesions. Several studies associate the black guava spot with the fungus Phyllosticta psidiicola however, there are no more comprehensive work with more accurate taxonomic studies investigating the real causative agent of this disease. Besides the black guava spot, there are other very common post-harvest fungal diseases caused by the order Botryosphaeriales as the brown fruit rot disease associated with Dothiorella dominicana and the Lasiodiplodia rot associated with Lasiodiplodia theobromae. However there is also a lack of more comprehensive studies associated with these diseases. In recent years new species have been proposed based specially on molecular studies, showing the existence of a complex of species. The objectives of this study were to study the etiology of black spot of guava based on a combination of morphological and molecular characteristics, verify the relationship of the species that cause this disease with the endophytic species, establish the phylogenetic position of the species found, as well as prove the pathogenicity of the associated species. Guavas samples were collected with symptoms of post-harvest decay as also dried and mummified fruit disease in Viçosa local markets - Minas Gerais and in a farming area with a high occurrence of the disease after harvesting in the city of Piraúba - Minas Gerais. Healthy leaves, branches and fruits were collected in the same area, in order to get the endophytic isolates from this high incidence area. Single spore isolates were obtained and stored. These has the DNA extracted and TEF1-α region amplified and sequenced. Based on the results of the phylogenetic analysis one isolate of each species was selected for morphological characterization and pathogenicity test. Six species belonging to the Botryosphaeriales were identified, in which three belongs to Neofusicoccum genera, one belongs to the genera Phyllosticta and two species of Lasiodiplodia. Among these species, two will be proposed as new (Neofusicoccum sp. and Lasiodiplodia sp.). All species were compared morphologically and phylogenetically except Lasiodiplodia sp. since it was not sporulating in culture. All species proved to be pathogenic. Despite its importance, the etiology of black spot and other post-harvest fruit rot diseases has been neglected and remained obscure for a long time. The results of this work will be critical for future studies involving disease management, quarantine programs and especially for the development of guava varieties resistant to the black spot and others post-harvest fruit rot diseases.
10

Otimização do manejo da pinta preta causada por Guignardia citricarpa Kiely na produção ecológica de tangerinas cv. Montenegrina sob a ótica da pesquisa participativa / Optimization of management techniques of black spot (Guignardia citricarpa Kiely.) in ecological orchards of tangerine trees cv. montenegrinafrom the perspective of participatory research

Pandolfo, Juliana Dalmagro January 2011 (has links)
No Rio Grande do Sul cultiva-se diversas espécies cítricas, destacando-se o município de Montenegro, no Vale do Caí/RS. Para a produção de frutas destinadas ao consumo in natura, a maioria dos citricultores adota pacotes tecnológicos que consistem no uso de insumos químicos e na simplificação do ambiente. No entando, experiências de citricultores ecológicos demonstram ser possível produzir citros usando métodos de manejo que dispensam agrotóxicos ou fertilizantes químicos. Entretanto eles enfrentam dificuldades no manejo da pinta preta dos citros, causada pelo fungo Guignardia citricarpa Kiely. Essa doença deprecia o aspecto visual e quando em alta severidade, causa queda de frutos. A utilização de microrganismos no biocontrole pode interromper algum estágio da doença ou do ciclo de vida do patógeno. Sendo assim, este trabalho teve como objetivo gerar, junto com os agricultores, uma tecnologia de controle biológico da pinta-preta do citros, além de encontrar, problemáticas do controle da doença e soluções para estas, e gerar metodologias de baixo custo para o cultivo de microrganismos e adequadas às condições locais. Foram isolados microrganimos da microflora nativa de pomares agroecológicos. Esses microrganismos foram testados in vitro e in vivo quanto ao seu potencial antagônico ao fitopatógeno e quanto a sua patogenicidade ao citros, respectivamente. Duas leveduras e uma bactéria (em processo de identificação) foram selecionadas para serem avaliados em pomares quanto a sua eficiência ao controle da pinta-preta dos citros. Um isolado T. koningii, TC01, foi testado em 11 pomares orgânicos de tangerineiras cv. Montenegrina e avaliado em três desses pomares. O isolado foi eficiente no controle da pinta preta. O TC01 foi cultivado em sete substratos alternativos para sua produção massal, o composto da Ecocitrus, composto biodinâmico e meio sólido com suco de laranja se destacaram pelo fácil acesso, baixo custo e alta eficiência no desenvolvimento do antagonista. O projeto de pesquisa participativa fez com que os agricultores observassem seus pomares e criassem autonomia para buscar soluções adequadas e testar diferentes formas de manejo. / In the state of Rio Grande do Sul many citric species are grown, the town of Montenegro, in Vale do Caí/RS stands out among the most important producers. For the production of fruits for in natura consumption most of the local farmers adopt technological packages that consist in the use of chemical inputs and in environmetal simplification. However, experiments of ecological farmers in this region demonstrated that it is possible to produce citruses using management methods that exempt the use of pesticides or chemical fertilizers. However, they face difficulties in the management of citrus black spot, caused by the fungus Guignardia citricarpa Kiely. This illness depreciates the visual aspect and, when in high severity, causes the fall of the fruits. The usage of microorganisms for the control of ilnesses can interrupt a stage of the ilness or the pathogen life cycle. In this sense, this work has the aim of creating, together with the farmers, a technology of citrus black spot biological control using microorganisms with antagonistic potential, as well as finding problematics of ilness control and solutions for them, and also, create low-cost methodologies to the growth of microorganisms appropriate to local conditions. Microorganisms of the native microflora of agroecological orchards were isolated. These microorganisms were tested in vitro and in vivo regarding their antagonistic potential to the phytopathogen and regarding their pathogenicity to citrus, respectively. Two yeasts and one bacterium (in process of identification) were selected be evaluated in orchards regarding their efficiency in citrus black spot control. An isolated T. Koningii, TC01, was tested in eleven organic orchards of tangerine trees cv. Montenegrina and was evaluated in three of these orchards. The isolated was efficient in the control of black spot. TC01 was cultivated in seven alternative substracts to its massive production, Ecocitrus compound, biodynamic compound, and solid medium with orange juice standed out for their easy access, low cost and high efficiency in the development of the antagonist. The project of participatory research allowed the farmers to observe their orchards and to create autonomy in the serch of appropriate solutions and to test different ways of management.

Page generated in 0.0615 seconds