• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 88
  • 10
  • 6
  • Tagged with
  • 104
  • 56
  • 31
  • 26
  • 22
  • 19
  • 18
  • 18
  • 17
  • 17
  • 11
  • 9
  • 9
  • 9
  • 8
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Estrutura das associaçoes infaunais sublitorais de substrato inconsolidado adjacentes a recifes artificiais e naturais (Paraná, Brasil)

Lorenzi, Luciano January 2004 (has links)
Orientador : Carlos Alberto Borzone / Tese (doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciencias Biológicas, Programa de Pós-Graduaçao em Zoologia. Defesa: Curitiba, 2005 / Inclui bibliografia / Recifes artificiais são estruturas submersas assentadas sobre um substrato, geralmente em fundos marinhos, para mimetizar as características de um recife natural. A presença da estrutura mais o fluxo de água gerado pelas ondas e correntes remobiliza constantemente o sedimento adjacente, onde também alguns organismos predadores residentes no recife buscam ativamente o seu alimento. A combinação desses fatores pode alterar a composição e os padrões de distribuição das comunidades infaunais sublitorais dos substratos inconsolidados adjacentes aos recifes. Estudos destas comunidades foram realizados na plataforma rasa do Estado do Paraná em um conjunto de recifes artificiais próximos ao Arquipélago dos Currais, na Ilha Currais e numa laje submersa próxima às ilhas Itacolomis, em profundidades variando entre 8 e 17 metros. Antes da implantação dos recifes artificiais foram realizadas amostragens da infauna e do sedimento ao longo de um transecto perpendicular às marcas de ondulação dominantes na região (SE – NW) a 1, 5, 10 e 30 metros. Após a instalação dos recifes, foram realizadas amostragens semestrais entre 2000 e 2002 a SE e a NW das estruturas nas mesmas distâncias. Nos recifes naturais as amostragens foram feitas em março e agosto de 2001. Dois transectos separados entre si por 10 metros de distância e perpendiculares à base e às marcas de ondulação, foram estabelecidos na face exposta e na face protegida do recife. Nesta ocasião, amostras de sedimento e de infauna foram coletadas em distâncias de 1 e 30 metros da estrutura. Nos recifes artificiais, as dimensões das marcas de ondulação antes da instalação dos recifes era homogênea e após a instalação dos recifes essas marcas mostraram uma maior heterogeneidade espacial em função da variação temporal, da orientação e das distâncias dos recifes. As associações da infauna eram exclusivas de cristas e de cavas antes da instalação dos recifes artificiais. Após a instalação definiram-se padrões separando a composição da infauna correspondente ao transecto a SE daquele a NW. Esta separação ficou definida na última coleta correspondente ao inverno. Não houve uma clara diferenciação na composição faunística em função dadistância dos recifes artificiais. Nos recifes naturais os resultados mostraram que a composição do sedimento e das dimensões das marcas de ondulação foram distintas entre as faces exposta e protegida das duas estruturas. Nas Ilhas Currais, sedimentos mais grosseiros associados a maiores comprimentos de onda nas marcas de ondulação foram encontrados na face exposta, principalmente no verão. Na laje submersa estas mesmas características foram achadas na face protegida e ficaram mais evidenciadas no inverno. As associações infaunais foram distintas entre as estruturas, as quais tiveram pela sua vez composições distintas entre as faces. Em Currais ocorreram associações exclusivas da face protegida e diferentes da face exposta, a qual teve pela sua vez poucas similaridades entre os distâncias de 1 e 30 metros. Na laje submersa, ocorreu o contrário, houve associações exclusivas da face exposta, e na face protegida poucas similaridades entre as associações a 1 e 30 metros da estrutura. De maneira geral, os padrões sedimentológicos e das associações da infauna refletiram as condições hidrológicas geradas pela interação da hidrografia local com a fisionomia dos recifes. Esses padrões apresentaram poucas modificações nos recifes naturais, mas no caso dos recifes artificiais os efeitos foram percebidos desde a sua implantação até a etapa final do trabalho. As associações infaunais podem ser controladas por um conjunto de variáveis ambientais como a interação entre o regime hidrodinâmico, a microtopografia e o tamanho de grão, condicionados pela presença de estruturas recifais / Reefs are structures of varied forms and compositions in aquatic environments with associated organisms. Natural rocky structures are found above or below the sea level. Artificial reefs are submerged structures laid on a substract over the sea bottom to mime a natural reef. The combination of water flow generated by waves and the reef structure constantly reworks the adjacent sediment and where reef predators forage. The combination of these factors can affect the composition and distribution patterns of soft sediment sublitoral infaunal community adjacent to the reefs. Studies about these communities were conducted in Paraná continental shelf region in artificial reefs near Currais Archipelago in Currais Island and in a submerged slab near Itacolomis Islands, in depths varying from 8 to 17 meters. Infauna and sediment samples where taken before the artificial reefs implantation along a transect perpendicular to dominant ripple marks (SE – NW) in the distances of 1, 5, 10 and 30 meters from the reefs. After artificial reefs implantation, samples were taken every 6 months during the 2000 and 2002 years in the SE and NW sides in the same distances from the reefs. In the chosen natural reefs, samples were taken in March and August 2001 in two transects 10 meters distance apart from each other, perpendicular to the protected and exposed reefs bases and to the ripple marks. In that occasion, infauna and sediment samples were collected in 1 and 30 meters distances off the natural reefs. In the artificial reefs, the ripples dimensions before the implantation showed a great spatial homogeneity, but after reef implantation the ripples showed a greater spatial heterogeneity in function of temporal variation, orientation and the distances from the reefs. Infaunal associations were distinct between crests and troughs before artificial reefs implantation. After this, in the intermediate months, association changes occurred without a clear grouping that could characterize orientations, distances or crests and troughs from ripple marks. However, one year later, patterns in infaunal composition, corresponding to the exposed transect (SE) different from the protected (NW) occurred. This difference was evident in the last winter sampling. There was no clear difference in faunal composition in function of different distances from artificial reefs. In the natural reefs the results showed that sediment composition and ripple dimensions were distinct among the exposed and protected structures faces. In Currais Island, coarse sediments associated to greater wave lengths were found in the exposed face, more evident in the summer. In the submerged slab the similar characteristics were evident during the winter. Infaunal associations were distinct between structures which had different compositions among faces. In Currais occurred exclusive associations in protected than the exposed faces which had little similarities between 1 and 30 meters distances. In the submerged slab, the opposite occurred with associations exclusive to exposed face, and protected face there were little similarities between distances 1 and 30 meters from the structure. Generally, the sediment and association patterns reflected the hydrological conditions generated from the interaction between local hydrograph and reefs physiognomies. In spatial and temporal scales these patterns showed little modifications in natural reefs, but in artificial reefs, these effects were noticed from their implantation to the end of the work. Infaunal associations can be controlled by a set of environmental variables as the interaction between hydrodynamic regime, microtopography, and grain size, conditioned by reef structures presence.
2

Estudo morfossedimentar dos recifes de arenito da zona litorânea do estado do Piauí, Brasil

Baptista, Elisabeth Mary de Carvalho 25 October 2012 (has links)
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Geografia, Florianópolis, 2010 / Made available in DSpace on 2012-10-25T00:46:21Z (GMT). No. of bitstreams: 1 285476.pdf: 19157367 bytes, checksum: c6bbe6e75585864c75010a62c3f7bffc (MD5) / Os recifes de arenito constituem-se como uma feição relevante das costas tropicais, sendo componente fundamental deste ambiente, funcionando como protetores do litoral contra a ação erosiva das ondas, exercendo influência na morfologia costeira e configurando-se ao mesmo tempo testemunhos do fluxo e refluxo das marés e, conseqüentemente, do nível das águas oceânicas. Apresentam ainda função ecológica significativa ao abrigar inúmeras espécies animais e vegetais marinhas e até mesmo terrestres a partir do substrato rochoso que fornecem. Entende-se, então, que devido à expressiva ocorrência destas feições na costa brasileira, com destaque para o litoral nordestino, sua nítida relevância para os processos costeiros e, considerando ainda, o desconhecimento quase total acerca de sua presença na costa piauiense, configura-se necessário um estudo mais detalhado sobre as mesmas, propósito desta pesquisa. Assim, esta tese teve como objetivo geral estudar os recifes de arenito da zona litorânea piauiense do ponto de vista físico, considerando suas características morfossedimentares, visando seu reconhecimento como feição litoral relevante para o Piauí. A metodologia constou de: pesquisa bibliográfica; levantamento cartográfico; interpretação de fotografias aéreas, cartas topográficas e náutica; observação não - participante não - estruturada; amostragem; planialtimetria; geoprocessamento; registro fotográfico; análise dos resultados obtidos; discussão; conclusão e apresentação da tese. Os recifes de arenito ocorrem no litoral piauiense de forma linear e paralela à costa, geralmente descontínuos, servindo de substrato para o desenvolvimento de diferentes espécies marinhas animais e vegetais. Atuam como obstáculos naturais frente à ação das ondas e marés mais fortes e altas, atenuando o impacto das mesmas. O número de linhas de recifes é variado, sendo mais visíveis durante a maré baixa, aquelas mais próximas à costa e sua extensão máxima atinge aproximadamente 2,5 km. A composição dominante dos recifes de arenito da área estudada é de grãos de quartzo e quartzito, cimentados por óxido de ferro e tem a origem de seus componentes relacionados à Formação Barreiras, base geológica principal da área. Foram identificados, então, dois tipos distintos com relação à fonte de seus componentes e ao cimento: recifes de arenito propriamente ditos e recifes de arenito de praia (ou beachrocks), sendo os primeiros predominantes em 6 das 7 praias em que ocorrem. A presença dos recifes de arenito em quase um terço da zona litorânea piauiense contribui para a formação de uma linha de costa irregular com alternância de pequenas enseadas (como em Cajueiro da Praia, Morro Branco e Barra Grande) e pontais arenosos (como em Itaqui). Esta pesquisa, sem o propósito de esgotar o estudo sobre essas formações rochosas, recomenda a necessidade de novos trabalhos e considera fundamental estabelecer algumas proposições, com destaque para: utilização dos recifes de arenito com unidade geoambiental na definição de programas e ações voltadas para o gerenciamento costeiro da região; criação de uma unidade de conservação com objetivo específico de proteção dessas estruturas e reafirmação das mesmas de sua relevância como atributo geológico da zona litorânea do estado do Piauí.
3

Recifes artificiais

Serra, Maria Alexandra Pereira January 1996 (has links)
Dissertação apresentada para obtenção do grau de Mestre em Engenharia do Ambiente (ramo de Tratamento de Águas e Águas Residuais), na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, sob a orientação dos Prof. Doutores Fernando Veloso Gomes e Michael Weber
4

Diversidade de micro-organismos associados a zoantídeos (cnidaria, zoanthidae)

Rabelo, Emanuelle Fontenele January 2012 (has links)
RABELO, E. F. Diversidade de micro-organismos associados a zoantídeos (CNIDARIA, ZOANTHIDAE). 2012. 181 f. Tese (Doutorado em Ciências Marinhas Tropicais) - Instituto de Ciências do Mar, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2012. / Submitted by Geovane Uchoa (geovane@ufc.br) on 2016-01-13T12:17:27Z No. of bitstreams: 1 2012_tese_efrabelo.pdf: 3393586 bytes, checksum: 966a191c8c6d7b2123e4f0d640754aeb (MD5) / Approved for entry into archive by Nadsa Cid(nadsa@ufc.br) on 2016-01-14T14:03:18Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2012_tese_efrabelo.pdf: 3393586 bytes, checksum: 966a191c8c6d7b2123e4f0d640754aeb (MD5) / Made available in DSpace on 2016-01-14T14:03:18Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2012_tese_efrabelo.pdf: 3393586 bytes, checksum: 966a191c8c6d7b2123e4f0d640754aeb (MD5) Previous issue date: 2012 / Coral reefs are ecosystems of great biological diversity and ecological relevance. Some animals on coral reefs have a dynamic association between the animal host and a diversity of associated micro-organisms. These micro-organisms are directly envolved on their fisiology, generating benefits as the exchange of nutrients and production of bioactive compounds used in defense against predation and competition for space. The importance of coral–microbial interactions is increasingly being recognized, with studies demonstrating the active role that the associated microbial communities play in maintaining coral health and resilience. The limited knowledge on the diversity of zoanthids´ symbionts and the hypothesis that symbiotic micro-organisms are involved in competitive strategies of defense to adverse factors justify the relevance of this study, which aimed to access the diversity and community structure of bactéria and zooxanthellae associated with Palythoa caribaeorum, Zoanthus sociatus and Protopalythoa variabilis, commonly found on the northeast coast of Brazil. The structure of the communities was assessed by denaturing gel gradient electrophoresis (DGGE) and 16S cloning library. Tissues from corals and seawater were collected and used for extraction and amplification of 16S or 28S rDNA genes by polymerase chain reaction. The results showed diverse microbial communitie associated with the zoanthid species and sea water. The microbiota appears to be species-specific. According to the 16S rDNA libraries, the phyla Proteobacteria, Bacteriodetes and Cyanobacteria were predominant. The class Gammaproteobacteria was characteristically found associated to P. caribaeorum whereas Alphaproteobacteria was dominant in Z. sociatus and P. variabilis, which were also the most diverse hosts. Most of the identified bactéria were related to bioactive compound production which can be benefic to the host. The presence of exclusive bacteria in the zoanthids suggests that some species might be transmitted vertically to the host. The study of zooxanthellae diversity indicates the occurrence of the clades A and C of Symbiodinium in the studied zoanthids. The clade A was identified only in Z. sociatus whereas the clade C was present in all studied zoanthids. These clades are related to bleaching resistance and can confer more resistance to adverse environmental factors. This is the first study to examine the diversity and community structure of bactéria and zooxanthellae of Brazilian zoanthids. These data indicate that symbiont diversity is high and must be considered regarding the conservation of marine habitats. / Recifes de corais são ecossistemas de grande diversidade biológica e de extrema relevância ecológica. Alguns animais que compõe os recifes de coral apresentam uma associação dinâmica entre o animal hospedeiro e uma diversidade de micro-organismos associados. De maneira geral, esses micro-organismos estão envolvidos na fisiologia do hospedeiro, gerando benefícios como a troca de nutrientes e produção de compostos bioativos utilizados na defesa contra predação e competição por espaço. O conhecimento limitado sobre a diversidade de simbiontes de zoantídeos e a hipótese de que eles estão envolvidos em estratégias competitivas do hospedeiro e na resistência a fatores adversos justificam a relevância deste estudo. Nesse contexto, esse estudo teve por objetivo estudar a diversidade e estrutura da comunidade de bactérias e zooxantelas associadas aos zoantídeos Palythoa caribaeorum, Zoanthus sociatus e Protopalythoa variabilis, encontrados no nordeste do Brasil. Para tal, amostras dos tecidos dos zoantídeos e da água do mar foram utilizadas para extração de DNA e amplificação dos genes ribossomais. A estrutura das comunidades foi analisada por eletroforese em gel de gradiente desnaturante (DGGE) e a diversidade taxonômica por bibliotecas genômicas. Os resultados demonstraram perfis microbianos altamente diversificados e a microbiota parece ser espécie-específica. De acordo com as bibliotecas de rDNA 16S, os principais filos associados aos corais foram Proteobacteria, Bacteriodetes e Cyanobacteria. A classe Gammaproteobacteria foi dominante em P. caribaeorum, enquanto representantes da classe Alphaproteobacteria foram majoritariamente encontrados na água do mar e nos zoantídeos Z. sociatus e P. variabilis. Essas duas espécies de zoantídeo também apresentaram as maiores diversidades de bactérias simbiontes. A maioria das bactérias identificadas foi relacionada com a produção de compostos bioativos, o que sugere um papel de defesa para o hospedeiro. A presença de grupos específicos de bactérias nos zoantídeos sugere aquisição por transferência vertical. O estudo da diversidade de zooxantelas indicou a ocorrência dos clados A, e C de Symbiodinium nas três espécies de zoantídeos. O clado A foi identificado apenas em Z. sociatus, enquanto o clado C foi identificado nas três espécies. Os clados A e C são reconhecidamente relacionados à resistência contra o branqueamento. Estes dados indicam que a diversidade de simbiontes é alta e deve ser considerada sob o ponto de vista da conservação de ambientes marinhos.
5

Filogenia molecular e filogeografia de peixes da Família Mullidae (Actinopterygii: Perciformes)

Freitas, João Eduardo Pereira de January 2015 (has links)
FREITAS, J. E. P. de. Filogenia molecular e filogeografia de peixes da família Mullidae (Actinopterygii: Perciformes). 2015. 84 f. Tese (Doutorado em Ciências Marinhas Tropicais) - Instituto de Ciências do Mar, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2015. / Submitted by Geovane Uchoa (geovane@ufc.br) on 2016-01-14T14:16:40Z No. of bitstreams: 1 2015_tese_jepdefreitas.pdf: 9154203 bytes, checksum: 7959d37730b1d2f680b34584b07d61c3 (MD5) / Approved for entry into archive by Nadsa Cid(nadsa@ufc.br) on 2016-01-14T14:21:18Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2015_tese_jepdefreitas.pdf: 9154203 bytes, checksum: 7959d37730b1d2f680b34584b07d61c3 (MD5) / Made available in DSpace on 2016-01-14T14:21:18Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2015_tese_jepdefreitas.pdf: 9154203 bytes, checksum: 7959d37730b1d2f680b34584b07d61c3 (MD5) Previous issue date: 2015
6

Tolerancia à variacão de parametros ambientais e sua influencia sobre a distribuição espacial de anemonas-do-mar na zona entremarés de um costão rochoso no sul do Brasil

Vidolin, Denilton 22 July 2009 (has links)
No description available.
7

Algas marinhas bentônicas como bioindicadoras da qualidade ambiental em área recifal de Tamandaré, Pernambuco, Brasil

BARROS, Nathalia Cristina Guimarães 29 July 2013 (has links)
Submitted by Amanda Silva (amanda.osilva2@ufpe.br) on 2015-03-05T14:14:29Z No. of bitstreams: 2 TESE Nathalia Cristina Guimarães Barros.pdf: 2184042 bytes, checksum: 9abeb2b943ed2bbc18383ed3e7fea5c4 (MD5) license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) / Made available in DSpace on 2015-03-05T14:14:29Z (GMT). No. of bitstreams: 2 TESE Nathalia Cristina Guimarães Barros.pdf: 2184042 bytes, checksum: 9abeb2b943ed2bbc18383ed3e7fea5c4 (MD5) license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) Previous issue date: 2013 / FACEPE / O presente trabalho teve como objetivo principal realizar o levantamento das algas marinhas bentônicas dos recifes costeiros de Tamandaré como ferramenta para a caracterização da área estudada, baseando-se na composição e cobertura das macroalgas. O material foi coletado nas baías de Campas e de Tamandaré, durante as marés baixas, no período de maio de 2009 a julho de 2010 (período chuvoso) e dezembro de 2009 a janeiro de 2011 (período seco). As coletas foram realizadas no platô recifal, o qual ficava totalmente descoberto durante a baixa-mar. Em cada recife foram feitos três transectos de 10 metros cada, onde a cada dois metros foi realizada a avaliação da cobertura visual das macroalgas num quadrado de 20x20 cm. Em cada ponto do transecto foram feitas três repetições, ou seja, em cada ponto foi aferida a cobertura visual de três quadrados, perfazendo um total de 45 quadrados em cada estação de coleta, perfazendo um total de 990 amostras. Nos quadrados, além da cobertura visual das macroalgas, foi também aferida a altura média do dossel. Durante o período de estudo, foram coletadas também as macroalgas que ocorreram ao redor do recife, na região que permaneceu submersa durante a maré baixa, para complementar o estudo da biodiversidade da região costeira de Tamandaré. As algas foram coletadas com auxilio de uma espátula e acondicionadas em sacos plásticos etiquetados e levadas ao laboratório de bentos da Universidade Federal de Pernambuco, onde foram congeladas para posterior identificação. A fim de complementar a lista das macroalgas de Tamandaré, foram compilados trabalhos desenvolvidos na mesma região. Foi identificado um total de 37 espécies pertencentes a Chlorophya, Phaeophyceae (Heterokontaphyta) e Rhodophyta, distribuídas em 11 ordens e 21 famílias. O Filo Chlorophyta foi representado por 12 espécies, incluídas em três ordens: Cladophorales (três famílias), Bryopsidales (quatro famílias) e Dasycladales (duas famílias). A ordem Phaeophyceae foi representada por nove espécies, distribuídas em três ordens: Dictyotales, Ectocarpales e Fucales, cada uma com uma família. O Filo Rhodophyta foi representado por 16 espécies, classificadas em seis ordens: Corallinales, Nemaliales, Gracilariales, Rhodymeniales, Ceramiales e Gelidiales, as quatro primeiras ordens foram representadas por uma família cada, e as duas últimas, por duas e três famílias, respectivamente. Das 37 espécies identificadas, nove foram referenciadas pela primeira vez para Tamandaré. Quando juntamos os dados obtidos durante a coleta, mas os compilados, são referidas 103 espécies de macroalgas para Tamandaré. Gelidiella acerosa e Palisada perforata foram consideradas muito frequentes com 100% de ocorrência durante todo o período de coleta. Palisada perforata, foi a que apresentou a maior porcentagem de cobertura, com aproximadamente 58% nos recifes estudados. Em seguida, a espécie Gelidiella acerosa, também do filo Rhodophyta, apresentou cobertura de aproximadamente 28% durante o estudo, ficando evidenciado que durante o período chuvoso há declínio no tamanho das frondes. Este fato é provavelmente devido ao aporte de sedimentos finos provenientes dos rios, que recobrem as frondes, diminuindo assim a capacidade fotossintética e de crescimento das algas, enquanto que no período seco a cobertura e altura do dossel apresentaram valores maiores. Os recifes costeiros de Tamandaré podem estar sofrendo distúrbios ambientais que levam à dominância de espécies de algas que se adaptam a viver em condições extremas como dessecação e sedimentação. Isto pode modificar a estrutura e a diversidade nos ambientes recifais, mas não são considerados como resposta a impactos ambientas, mostrando que os recifes de Tamandaré podem ser considerados como não impactados.
8

Estratégias adaptativas dos zoantídeos Palythoa caribaeorum e Zoanthus sociatus (Cnidaria, Anthozoa) nos recifes costeiros do litoral de Pernambuco, Brasil

SILVA, Janine Farias da 25 September 2014 (has links)
Submitted by Isaac Francisco de Souza Dias (isaac.souzadias@ufpe.br) on 2016-04-14T18:09:15Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) TESE Janine Farias da Silva.pdf: 1475107 bytes, checksum: 4d1189b8ec66d46612673c156a1b5ed2 (MD5) / Made available in DSpace on 2016-04-14T18:09:15Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) TESE Janine Farias da Silva.pdf: 1475107 bytes, checksum: 4d1189b8ec66d46612673c156a1b5ed2 (MD5) Previous issue date: 2014-09-25 / FACEPE / Globalmente, estima-se que quase meio bilhão de pessoas vivem a menos de 100 quilômetros de ecossistemas recifais, beneficiando-se da produção e proteção que esses locais proporcionam. O impacto de mergulhadores e visitantes nesses ambientes inclui o contato com as nadadeiras provocando quebras dos corais e a ressuspensão do sedimento e o pisoteio e permanência sobre os recifes. Entre as espécies que melhor caracterizam os recifes de arenito brasileiros estão os zoantídeos Palythoa caribaeorum e Zoanthus sociatus, abundantes até mesmo em áreas com fluxo intenso de turistas, característica percebida em uma das praias mais visitadas do Brasil, a praia de Porto de Galinhas. O presente estudo avaliou a dinâmica ocupacional de Palythoa caribaeorum e Zoanthus sociatus e as estratégias adaptativas das espécies em recifes pernambucanos a partir da cobertura desses zoantídeos e variação dela no tempo e espaço tomando como base a taxa de crescimento e a capacidade adaptativa através da variação microanatômica em P. caribaeorum; e morfométrica em P. caribaeorum e Z. sociatus. Para resultados comparativos sobre a taxa de crescimento de P. caribaeorum foram utilizados colônias da praia de Suape. A cobertura de Zoanthus sociatus foi maior nos recifes pisoteado e não pisoteado de Porto de Galinhas e a altura, diâmetro e volume dos pólipos de Z. sociatus e P. caribaeorum sofreram alterações considerando localidade (recife pisoteado e não pisoteado e períodos seco e chuvoso). A espessura da mesogléia de P. caribaeorum foi a medida microanatômica que mais se notou variação entre os recifes, incluindo o infralitoral. Em relação ao crescimento das colônias de P. caribaeorum, não houve diferença entre as praias nem entre os recifes de Porto de Galinhas e no infralitoral, porém no período seco ocorreu uma diminuição na taxa de crescimento no recife pisoteado. O presente estudo confirma a ideia da alta plasticidade fenotípica de P. caribaeorum e Z. sociatus em resposta a distúrbios ambientais até mesmo em nível microanatômico em P. caribaeorum o qual garante o sucesso ocupacional das espécies. Também reforça o papel fundamental de P. caribaeorum na dinâmica de funcionamento dos recifes costeiros graças a seu crescimento rápido e contínuo, além de estratégias competitivas. / Globally, it is estimated that almost half a billion people live within 100 kilometers of a coral reef ecosystem, benefiting production and protection that this location provides. The impact of divers and visitors in these environments includes contact with fins causing breakage of corals and sediment resuspension and the trampling and remain on the reef. Among the best species that characterize Brazilian beachrocks are Palythoa caribaeorum and Zoanthus sociatus zoanthids, abundants in areas with heavy flow of tourists, realized in one of the most visited beaches of Brazil, Porto de Galinhas Beach. The present study examined the occupational dynamics of Palythoa caribaeorum and Zoanthus sociatus and adaptive strategies of species in Pernambuco reefs from covering these zoanthids and the variation of these in time and space based on both growth rate and adaptive capacity through microanatomic variation in P. caribaeorum; and morphometric in P. caribaeorum and Z. sociatus. For comparative results on the growth rate of P. caribaeorum colonies from Suape Beach were used. Coverage was higher in Zoanthus sociatus trampled and not trampled Porto de Galinhas reefs and the height, diameter and volume of polyps of Z. sociatus and P. caribaeorum unchanged considering location (trampled and not trampled reefs and dry and wet periods) . The thickness of the mesoglea of P. caribaeorum was the microanatomic variation more noted among the reefs, including infralittoral. Regarding the growth of P. caribaeorum colonies, there was no difference between the beaches or among the reefs of Porto de Galinhas and in the infralittoral, but in the dry season a decrease in growth rate occurred on trampled reef. The present study confirms the idea of high phenotypic plasticity of P. caribaeorum and Z. sociatus in response to environmental disturbances even in microanatomical level in P. caribaeorum which ensures occupational success of the species. It also reinforces the role of P. caribaeorum on dynamics of functioning of coastal reefs due its rapid and continuous growth beyond competitive strategies.
9

Anphipoda (crustácea, Peracarida) associados ao octocoral Carijoa riisei (Cnidara, Anthozoa) em ambientes estuarinos e recifais no litoral sul de Pernambuco

NASCIMENTO, Liliana do Carmo 30 September 2016 (has links)
Submitted by Pedro Barros (pedro.silvabarros@ufpe.br) on 2018-09-21T21:05:30Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 811 bytes, checksum: e39d27027a6cc9cb039ad269a5db8e34 (MD5) DISSERTAÇÃO Liliana do Carmo Nascimento.pdf: 642680 bytes, checksum: 53593d034e9c078cec99f99e7e859559 (MD5) / Approved for entry into archive by Alice Araujo (alice.caraujo@ufpe.br) on 2018-09-24T18:16:58Z (GMT) No. of bitstreams: 2 license_rdf: 811 bytes, checksum: e39d27027a6cc9cb039ad269a5db8e34 (MD5) DISSERTAÇÃO Liliana do Carmo Nascimento.pdf: 642680 bytes, checksum: 53593d034e9c078cec99f99e7e859559 (MD5) / Made available in DSpace on 2018-09-24T18:16:58Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 811 bytes, checksum: e39d27027a6cc9cb039ad269a5db8e34 (MD5) DISSERTAÇÃO Liliana do Carmo Nascimento.pdf: 642680 bytes, checksum: 53593d034e9c078cec99f99e7e859559 (MD5) Previous issue date: 2016-09-30 / CNPq / Carijoa riisei é um octocoral colonial de estrutura densamente arborescente que habita uma grande variedade de substratos e possui extensa distribuição geográfica, sendo muito característico nos recifes e estuários do litoral pernambucano. Pela arquitetura de suas colônias, propicia um ambiente bastante favorável à associação de inúmeros organismos. Partindo do pressuposto de que a espécie C. riisei proporciona um microambiente propício para epibiontes, este estudo teve por objetivos analisar a estrutura da comunidade de anfipodes associada ao octocoral na praia de Porto de Galinhas e estuário de Rio Formoso no litoral sul de Pernambuco. Para isso, foram realizadas um total de quatro coletas em campo, duas em cada local de estudo, uma no período seco e outra no período chuvoso, todas durante a maré baixa. Em cada coleta foram retiradas 12 amostras das colônias de C. riisei, totalizando, portanto, 48 amostras. Foi encontrado um total de 26.683 anfípodes, pertencentes a 21 espécies e uma família (Caprelidae) a qual não foi possível chegar ao nível de espécie. As espécies mais representativas foram: Ericthonius brasiliensis (57,28%), Laticorophium baconi (10,93%), Podocerus brasiliensis (7,65%), Monocorophium acherusicum (7,54%) e Dulichiella ankeri (5,89%) correspondendo juntas à 89,22% do total de indivíduos encontrados. O local que apresentou maior abundância foi o estuário de Rio Formoso, a fauna total de anfipodes associados ao octocoral no estuário foi 6 vezes maior que a de Porto de Galinhas. Os corofideos Laticorophium baconi e Monocorophium acherusicum só foram encontrados na área estuarina. Ao comparar os descritores biológicos entre Rio Formoso e Porto de Galinhas observamos que todos os índices apontaram diferenças significativas. O ambiente estuarino indicou ser o ambiente mais tendente a apresentar comunidades mais abundantes e diversificadas, possivelmente devido à abundância de nutrientes e sedimentos, influência de correnteza e luminosidade. / Carijoa riisei is a colonial octocoral heavily arborescent with a structure that inhabits a wide variety of substrates and has an extensive geographical distribution, wich makes it very characteristic in the reefs and estuaries of the coast of Pernambuco. The architecture of its colonies provides a very favorable environment to the association of numerous organisms. Assuming that the species C. riisei supplies a favorable microenvironment for epibionts, this study aimed to analyze the structure of the amphipod community associated with the octocoral at the beach of Porto de Galinhas and Rio Formoso estuary, as well as describe the population structure of the dominant species. Therefore, there was a total of four collections in the field, two at each study site, one in the dry season and another in the rainy season, all at low tide. In each collection, it was taken 12 samples of colonies of C. riisei, reaching a total of 48 samples. They found a total of 26,683 amphipods, belonging to 21 species and a family (Caprelidae) which was not possible to reach the species level. The most representative species were Ericthonius brasiliensis (57.28%), Laticorophium baconi (10.93%), Podocerus brasiliensis (7.65%), Monocorophium acherusicum (7.54%) and Dulichiella ankeri (5.89%) together corresponding to 89.22% of the subjects found. The site with the highest abundance was the Formoso River estuary, the total fauna of amphipods associated with the octocoral at the estuary was 6 times higher than the one of Porto de Galinhas. The corofideos Laticorophium baconi and Monocorophium acherusicum were only found in the estuarine area. he estuarine environment indicated to be the environment more prone to have more abundant and diverse communities, possibly due to the abundance of nutrients and sediment influence of current and brightness.
10

Evolução da Sedimentação nos Recifes Costeiros de abrolhos nas últimas décadas

Silva, Amanda Santos January 2011 (has links)
Submitted by Everaldo Pereira (pereira.evera@gmail.com) on 2017-02-19T01:17:09Z No. of bitstreams: 1 Dissertação_Amanda_Silva_ 2011.pdf: 5281061 bytes, checksum: 46b68fa4f541336e7cf8fb142690cbe0 (MD5) / Made available in DSpace on 2017-02-19T01:17:09Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Dissertação_Amanda_Silva_ 2011.pdf: 5281061 bytes, checksum: 46b68fa4f541336e7cf8fb142690cbe0 (MD5) / Os recifes de coral costeiros de Abrolhos estão inseridos em um ambiente com alto teor de sedimento terrígeno, o qual é carreado para o ambiente marinho quer como o resultado de processos naturais (descarga fluvial, erosão costeira, enxurrada) ou de ações antropogênicas (dragagem, desmatamento e ocupação humana na região costeira). O excesso desse sedimento no ambiente marinho costeiro tem sido apontado como uma das principais ameaças que poderão ser responsáveis pelo declínio do ecossistema recifal brasileiro. Este trabalho avaliou a evolução da sedimentação nos recifes costeiros de Abrolhos, nas últimas décadas, através de análises sedimentológicas de amostras de testemunhos coletados nos recifes Coroa Vermelha (localizado a 15 km da costa), Pedra de Leste (localizado a 12 km da costa) e Popa Verde (localizado a 35 km da costa), com o objetivo de verificar se houve aumento da taxa de sedimentação no entorno dos recifes. Foram feitas análises para determinar a cor, a textura, o teor de CaCO3 e o conteúdo dos grãos biogênicos, a identificação dos argilo-minerais e determinar a taxa de sedimentação e a geocronologia dos testemunhos. Os resultados das análises indicam que a proximidade da costa, a morfologia das estruturas recifais e as condições hidrodinâmicas, as quais os recifes estão inseridos, têm contribuído para a quantidade de sedimento fino que está sendo acumulado no entorno dos recifes. Os valores altos das taxas de sedimentação encontrados nos testemunhos dos recifes Coroa Vermelha (de 6,94mm/ano) e Popa Verde (de 10,04mm/ano), avaliados até 2008, comparados com os valores encontrados por Netto (2008) para o testemunho do recife Pedra de Leste (de 3,98mm/ano), avaliado até 2002, indicam que houve um aumento no aporte de sedimento terrígeno para a região dos recifes costeiros de Abrolhos, nos últimos seis anos. Esses resultados coincidem com o início das obras de dragagem do Canal do Tomba, iniciadas em 2002 nas proximidades dos recifes, e corroboram informações anteriores de que processos locais resultantes de ações antropogênicas podem estar aumentando o aporte de sedimento do continente para a zona costeira de Abrolhos. / ABSTRACT - Coral reefs from the coastal area of Abrolhos are in an environment with high percentage of terrigenous sediments, which are carried out to de sea, either as a result of natural processes (river output, coastal erosion, torrent) or due to anthropogenic influence (sea-floor dredging, deforestation and coastal human occupation). The excess of this terrigenous sediment to the marine coastal area has been pointed out as one of the major threats responsible by the decline of Brazilian coral reefs. This work studied the evolution of sedimentation in the Abrolhos coastal reefs, during the last decades, through the analyses of samples from sediment cores collected around the reefs of Coroa Vermelha (located 15 km from the coast), Pedra de Leste (located 12 km from the coast) and Popa Verde (located 35 km from the coast), with the purpose of verifying if there was an elevation of the sedimentation rate in the reefs surroundings. The analyses consist of determination of sediment color, texture, CaCO3 percent, biogenic compounds, clay minerals, and the sedimentation rate and geochronology of the sediment cores. The results indicate that distance from the coast, morphology of reef structures and the environment hydrodynamics have been contributing to the amount of fine sediment that accumulate into the reef environment. The highest values of sedimentation rates found for the reef cores of Coroa Vermelha (of 6.94mm/year) and Popa Verde (of 10.04mm/year), measured until 2008, compared with the value found by Netto (2008) for the Pedra de Leste reef core (of 3.98mm/year), measured until 2002, indicate that there was an elevation of the terrigenous sediment input into the area of the Abrolhos coastal reefs, in the last six years. These results coincide with the beginning of the Canal do Tomba dredging, initiated in 2002 in the nearest reefs area, and corroborate previous information that local processes resulting from anthropogenic actions could be causing an elevation of the continent sediment loads to the coastal zone of Abrolhos

Page generated in 0.0381 seconds