• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 14
  • Tagged with
  • 14
  • 14
  • 9
  • 9
  • 5
  • 4
  • 4
  • 4
  • 4
  • 3
  • 3
  • 3
  • 2
  • 2
  • 2
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Horários de atividade forrageadora e itens coletados por Protopolybia exigua (de Saussure) (Hymenoptera, Vespidae) na região do médio São Francisco, Bahia

Rocha, Agda Alves da [UNESP] 27 April 2007 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:30:16Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2007-04-27Bitstream added on 2014-06-13T20:00:15Z : No. of bitstreams: 1 rocha_aa_me_rcla.pdf: 859526 bytes, checksum: 82230b3ac1feb99a7c90243d658ecf5b (MD5) / Universidade Estadual Paulista (UNESP) / Neste trabalho foi estudada a atividade diária de busca por recursos de Protopolybia exigua em duas áreas no município de Bom Jesus da Lapa (13º15 S; 43º25 W), Bahia, Brasil, localizado na região do Médio São Francisco, com o objetivo de responder as seguintes questões: Qual a amplitude de horário da atividade forrageadora? Qual a relação entre os fatores físicos do tempo (temperatura, umidade relativa do ar, luminosidade e velocidade do vento) e a freqüência de saídas do ninho? Qual a influência das fases de desenvolvimento da colônia no número de saídas? Quais recursos as campeiras conduzem ao ninho? Qual a relação entre os fatores físicos do tempo e a coleta dos diferentes recursos? A coleta dos recursos é diferenciada de acordo com as fases do ciclo colonial e com o número de indivíduos (adultos e imaturos) presentes na colônia? Esta espécie, na região estudada, conduz presa macerada no papo? Durante o período de janeiro a junho de 2006 foram realizadas observações em 12 colônias de P. exigua, em diferentes fases do ciclo colonial. Os resultados revelaram que a espécie possui uma amplitude de quase 13 horas de atividade forrageadora e o Índice de Retorno com Recursos para a espécie foi de 93,5%. A atividade tornou-se mais intensa das 13:01 às 16:00h, quando foram registradas as maiores temperaturas (ºC) e menores valores de umidade relativa do ar (%). As colônias que possuíam maior número de larvas apresentaram um maior número médio de viagens ao campo por hora e o aumento do número de fêmeas na colônia tende a induzir a atividade forrageadora. Há diferença no número de saídas das campeiras do ninho, considerando as três fases de desenvolvimento colonial. A atividade de coleta de diferentes recursos (néctar, polpa de madeira, água, presa e resina) por P. exigua está relacionada...( Resumo completo, clicar acesso eletrônico abaixo) / In this study the daily activity of search for resources by Protopolybia exigua was studied in two areas of the city of Bom Jesus da Lapa (13º15'S; 43º25'W), Bahia, Brazil, located in the region of Médio São Francisco River, aiming to answer the following questions: what is the amplitude of the foraging activity time? What is the relation between the physical factors of weather (temperature, relative air humidity, luminosity and wind speed) and the frequency of nest leaving? What is the influence of the stages of colony development on the number of exits by the bees? What resources do workers take to the nest? What is the relation between the physical factors of weather and the gathering of different resources? Is the resource collecting distinct according to the phases of the colony cycle and the number of individuals (adults and immatures) present in the colony? Does this species, in the region studied, carry its prey macerated in the crop? During the period from January to June 2006 twelve colonies of P. exigua in different phases of the colony cycle were observed. The results revealed this species presented an activity amplitude of almost 13 hours of foraging activity and the Rate of Returns with Resources for the species was 93.5%. The activity became more intense from 1:01 p.m. to 4:00 p.m., when the highest temperatures (ºC) and the least values of relative air humidity (%) were observed. The colonies that had a larger number of larvae presented a larger average number of trips to the camp per hour, and the increase in the number of females in the colony tended to induce to foraging activity. There was difference in the number of exits by the nest workers, considering the three phases of colony development. The activity of collecting different resources (nectar, wood pulp, water, prey and resin) by P. exigua is related both to physical factors of weather and to colony intrinsic ... (Complete abstract click eletronic access below)
2

Evidência total das espécies de Polistes Latreille, 1802 do novo mundo (Vespidae: Polistinae): uma abordagem filogenética

Somavilla, Alexandre 02 December 2016 (has links)
Submitted by Gizele Lima (gizele.lima@inpa.gov.br) on 2017-04-11T13:18:06Z No. of bitstreams: 2 Tese Alexandre Somavilla PPG.pdf: 10209429 bytes, checksum: 4b9661e4c89503f805acb1a381194af3 (MD5) license_rdf: 0 bytes, checksum: d41d8cd98f00b204e9800998ecf8427e (MD5) / Made available in DSpace on 2017-04-11T13:18:06Z (GMT). No. of bitstreams: 2 Tese Alexandre Somavilla PPG.pdf: 10209429 bytes, checksum: 4b9661e4c89503f805acb1a381194af3 (MD5) license_rdf: 0 bytes, checksum: d41d8cd98f00b204e9800998ecf8427e (MD5) Previous issue date: 2016-12-02 / Conselho Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq / Polistes probably originated in the middle of the Jurassic period and it is estimated that its divergence from the remaining Vespidae occured duraing the Gondwana separation, around 140 million years ago. This genus currently houses 222 valid species and is taxonomically divided in four subgenera, Aphanilopterus in the New World (Nearctic+Neotropic) and the remaining ones in the Old World, Gyrostoma (East Asia and Indo-australian region), Polistella (Australasian region) and Polistes sensu stricto (Eurasia and African continent). A cladistic analysis was carried out in order to reconstruct the relationship of the New World Polistes, as well as testing its monophyly, using 90 of its known species as well as three Vespula species and eleven Old World Polistes species as the outgroup. In this analysis 1 40 morphological characters were proposed, 88 from female external morphology, 10 exclusive from adult male morphology, 22 from male genitalia, 13 from larval morphology and seven from nest architecture. Six molecular regions were also used, COI, 12S, 16S, 28S, EF1 -α e H3. The analysis were carried out under two phylogenetical criteria: parsimony (morphology data only and morphology and molecular data combined) and Bayesian inference (morphology and molecular data combined) using the softwares TNT and MrBayes respectively. In the phylogenetic hipoteses found, the five subgenera proposed by Richards and posteriorly synonymized with Polistes (Aphanilopterus) by Carpenter, was recovered as monophyletic in every analysis, except that of the Bayesian inference of 104 species due to the lack of molecular data for many species. Therefore, we propose the revalidation of the five New World subgenera of Polistes: Polistes (Onerarius) with one species, Polistes (Palisotius) with three species, Polistes (Fuscopolistes) with 13 species, Polistes (Epicnemius) with 24 species and Polistes (Aphanilopterus) with 52 species. Diagnose for each subgenus and an identification key for the species of New World Polistes are also provided as well as their taxonomic history, distribution, and description and illustration for the genitalia of the males of 58 species. / Polistes provavelmente surgiu em meados do Jurássico e estima-se que o grupo divergiu de outros Vespidae durante a separação da Gondwana, há cerca de 140 milhões de anos. Atualmente possui 222 espécies válidas e, taxonomicamente, é dividido em quatro subgêneros, P. (Aphanilopterus) com 93 espécies para o Novo Mundo e três para as espécies do Velho Mundo, sendo P. (Gyrostoma) (Leste Asiático e região Indo-australiana), P. (Polistella) (região Austral-asiática) e P. (Polistes) (Eurásia e continente Africano). Para reconstruir as relações entre as espécies de Polistes do Novo Mundo, bem como testar sua monofilia, uma análise cladística foi realizada para 90 espécies do Novo Mundo, além de três espécies de Vespula e onze de Polistes do Velho Mundo como grupos-externos. Foram propostos 140 caracteres morfológicos, sendo 88 relativos à morfologia externa de fêmeas, 32 exclusivos de machos adultos, incluindo os da genitália dos machos, 13 de larvas e sete da arquitetura dos ninhos, além de seis regiões moleculares COI, 12S, 16S, 28S, EF1 -α e H3. As análises foram realizadas sob dois critérios filogenéticos: parcimônia (apenas morfologia e combinado = morfologia + molecular) e inferência Bayesiana (combinado = morfologia + molecular) nos programas TNT e MrBayes, respectivamente. Foi verificado que os cinco subgêneros propostos por Richards e sinonimizados, posteriormente, a P. (Aphanilopterus) por Carpenter foram recuperados como monofiléticos em todas as análises, com exceção da inferência Bayesiana de 104 espécies, uma vez que a grande quantidade de dados moleculares faltando influenciou no resultado. Desta forma, foi sugerida a revalidação dos cinco subgêneros de Polistes do Novo Mundo, portanto Polistes (Onerarius) com uma espécie, Polistes (Palisotius) três espécies, Polistes (Fuscopolistes) com treze espécies, Polistes (Epicnemius) com 24 espécies e Polistes (Aphanilopterus) com 52 espécies. São apresentadas diagnoses para os subgêneros e chave dicotômica para as espécies. É fornecida uma atualização do catálogo das espécies de Polistes do Novo Mundo, com o histórico taxonômico e distribuição geográfica, bem como a descrição e ilustração da genitália dos machos de 58 espécies.
3

Aspectos bioecológicos de Angiopolybia pallens (Lepeletier, 1836) (Hymenoptera-Vespidae)

Cruz, Jucelho Dantas da [UNESP] 28 September 2006 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:35:44Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2006-09-28Bitstream added on 2014-06-13T19:25:17Z : No. of bitstreams: 1 cruz_jd_dr_rcla.pdf: 3172449 bytes, checksum: 93adff1236d1e39f4809993c3217111e (MD5) / Universidade Estadual Paulista (UNESP) / O presente trabalho foi realizado buscando o conhecimento de aspectos da biologia e ecologia de Angiopolybia pallens, uma importante espécie das matas úmidas brasileiras. Considerada uma espécie de alta freqüência em ambientes de Mata Atlântica do estado da Bahia, os dados coletados nos municípios de Vera Cruz-BA (12º 58 S; 38º 36 W Gr) e Ilhéus-BA (14º 47 S and 39º 03 W Gr) nos revelaram que: 1) essa vespa apresenta preferência por nidificar em folhas largas de arbustos e árvores de baixo porte (ninhos entre 0,30 e 3m do solo) localizadas em ambientes de meia sombra (clareiras e cultivos sombreados); 2) possui baixa autonomia de vôo, voando pequenas distâncias, com raio de ação efetivo de aproximadamente 24 metros e uma área de forrageamento de aproximadamente 1.800m2; 3) apresenta uma intensa atividade no início (6:00h às 7:00h) e fim do dia (17:30h às 18:00h) (ritmo circadiano bimodal); 4) tem baixo índice de eficiência na coleta de recursos, com uma equivalência entre os ítens coletados (néctar, presa e polpa); 5) reage negativamente à elevação da temperatura e luminosidade e positivamente ao incremento da umidade relativa do ar; 6) suas larvas possuem 3 ínstares e taxa de crescimento médio de 1,64; 7) suas colônias são poligínicas, sendo que, as vespas apresentam padrões de desenvolvimento ovariano variando de filamentoso a muito desenvolvido; 8) a casta das rainhas se diferencia significativamente da casta das operárias principalmente na fase de estabelecimento e 9) as castas das colônias em fase de estabelecimento são morfometricamente menores, quando comparadas com as de outras colônias com ciclo de desenvolvimento mais avançado. / The present work was carried out seeking to know aspects of the biology and ecology of Angiopolybia pallens, an important species of Brazilian rain forests. Regarded as a very frequent species in the environments of Atlantic Forest in the state of Bahia, the data collected in the cities of Vera Cruz, BA (12º 58 S; 38º 36 W Gr) and Ilhéus, BA (14º 47 S and 39º 03 W Gr) showed that: 1) this wasp prefers to nest on wide leaves of shrubs and short trees (nests between 0.30 and 3m from the ground) located in half-shaded environments (clearings and shaded cultures); 2) they have low flight autonomy and take flight for short distances, with an effective radius of action of about 24 meters and a foraging area of approximately 1,800m2; they exhibit intense activity at the beginning (from 6 to 7 a.m.) and the end of the day (from 5:30 to 6 p.m.) (bimodal circadian rhythm); they have a low efficiency rate in resource collecting, with equivalence among the items collected (nectar, prey and pulp); they react negatively to temperature or luminosity rising, and positively to increases in air relative humidity; 6) their larvae have three instars and an average growth rate of 1.64; 7) their colonies are polygynous, and the wasps show patterns of ovarian development ranging from filamentous to very well developed; 8) the queen caste differs significantly from the worker caste mainly in the establishment stage and 9) the castes of the colonies in the establishment stage are morphometrically smaller, if compared to the ones of other colonies with more advanced development cycles.
4

Biologia, organização social e ecologia comportamental de Mischocyttarus nomurae Richards, 1978 (Hymenoptera, Vespidae) / Biology, social organization and behavioral ecology of Mischocyttarus nomurae Richards, 1978 (Hymenoptera, Vespidae)

Rocha, Agda Alves da [UNESP] 13 March 2017 (has links)
Submitted by AGDA ALVES DA ROCHA null (rocha.agda@gmail.com) on 2017-11-28T19:58:09Z No. of bitstreams: 1 Rocha_Agda_2017.pdf: 3754795 bytes, checksum: 147e7d00c8330084beb9e117e77ac336 (MD5) / Approved for entry into archive by LUCIA SILVA PARRA null (lucia@ia.unesp.br) on 2017-11-29T16:34:46Z (GMT) No. of bitstreams: 1 rocha_aa_dr_rcla.pdf: 3754795 bytes, checksum: 147e7d00c8330084beb9e117e77ac336 (MD5) / Made available in DSpace on 2017-11-29T16:34:46Z (GMT). No. of bitstreams: 1 rocha_aa_dr_rcla.pdf: 3754795 bytes, checksum: 147e7d00c8330084beb9e117e77ac336 (MD5) Previous issue date: 2017-03-13 / A vespa social basal Mischocyttarus nomurae Richards tem ocorrência exclusiva no Brasil e foi registrada nos estados do Ceará, Bahia e Minas Gerais. Na Bahia, ocorre em três municípios da Chapada Diamantina: Lençóis, Mucugê e Rio de Contas. Nesta última, foram estudadas populações com relação à sua biologia básica, buscando responder perguntas relacionadas aos seguintes aspectos: morfologia externa dos imaturos, perfis comportamental, morfofisiológico e químico, substituição de rainhas, arquitetura de ninhos e hábitos de nidificação. Com relação à morfologia dos imaturos, a taxa média de crescimento da larva foi de 1,48. Com exceção da larva de 1o ínstar, que revelou-se menor do que o ovo, a espécie apresentou o padrão do grupo: presença de lobos, estes em número de dois e projetados para a frente, só totalmente desenvolvidos quando a larva atinge o 5o instar; as mandíbulas das larvas de 5o instar apresentam um único dente alongado e o primeiro espiráculo é mais do que duas (3,1) vezes maior em diâmetro que os demais. As cápsulas cefálicas da larva de 5º ínstar e da pré-pupa não diferiram significativamente. Após os estudos dos perfis morfofisiológico, químico e comportamental, foi verificado que as fêmeas de M. nomurae não apresentam distinção em sua morfologia externa, mas cinco tipos de desenvolvimento ovariano foram observados, três menos desenvolvidos (A1, A2 e B) e dois mais desenvolvidos (C e D). Foram detectados 34 compostos na sua cutícula, cujas cadeias variaram de 18 a 33 átomos de carbono. Os compostos consistiram em alcanos lineares (9%), alcanos ramificados (89%) e alcenos (2%). Foram identificados três grupos de fêmeas: Operária 1, Operária 2 e Rainha e a análise discriminante do perfil dos hidrocarbonetos cuticulares relacionada a esses grupos de fêmeas apresentou um p-valor significativo (Wilks' lambda= 0,135, F= 1.665, p = 0,0227). Após oito dias da remoção da fêmea dominante do ninho, em todas as colônias, exceto uma, a fêmea era anteriormente a fêmea β. Fêmeas com ovários não desenvolvidos podem realizar comportamentos de fêmea dominante, assim como uma fêmea com ovário desenvolvido comportouse como forrageadora típica. Houve diferença entre algumas atividades exercidas pelas fêmeas posicionadas em 2º lugar no ranking (fêmea β) e as demais fêmeas do ninho (3ª posição em diante), antes e após a remoção experimental da rainha. M. nomurae apresenta um sistema de gerontocracia flexível na sua substituição de rainhas e suas fêmeas sucessoras tornam-se mais agressivas que as rainhas originais, assumindo tarefas de dominantes, mesmo sem estarem inseminadas. Como algumas espécies do gênero, a maioria das colônias apresentou hábitos de nidificação relacionados a ambientes antrópicos. Destes, 61,2% das colônias utilizaram material de origem vegetal (madeira e palha). A altura média de construção do ninho com relação ao solo foi elevada, semelhante as das demais espécies do gênero (2,20 ± 0,83, 0,45 – 5,00m). A maioria dos ninhos foi construída com o favo voltado para baixo (70,15%) e em substrato horizontal (53,73%). O único favo do ninho pode ser arredondado ou elíptico, raramente retangular. O número de camadas de mecônio variou de zero a cinco e a espécie M. nomurae apresenta ninhos pequenos, com suas colônias apresentando um baixo número de adultos produzidos, embora haja uma alta taxa de reutilização de células. / The basal social wasp Mischocyttarus nomurae Richards occurs exclusively in Brazil, having been recorded there in the states of Ceará, Bahia, and Minas Gerais. It is known to occur in three municipalities in the Chapada Diamantina mountains of Bahia State: Lençóis, Mucugê, and Rio de Contas. Population studies were undertaken in the latter municipality to address questions related to the basic biology of M. nomurae: the external morphologies of the immatures; their behavior; their morpho-physiological and chemical profiles; queen substitutions; nest architecture, and nidification habits. In terms of the morphologies of the immatures, the mean larval growth rate was 1.48. With the exception of the 1st instar larvae, which are smaller than the eggs, the species demonstrated the standard developmental pattern for the group: the presence of lobes (two) projected forward, those only becoming fully developed in the 5th instar stage; mandibles in the 5th instar stage with a single elongated tooth, and the first spiracle with a diameter more than two (3.1) times greater than the others. The cephalic capsules of the 5th instar larvae and pre-pupae do not significantly differ. Studies of the morpho-physiological, chemical, and behavioral profiles of those wasps indicated that the females of M. nomurae do not have distinct external morphologies, although five different types of ovarian development were observed: three less-developed types (A1, A2 and B); and two more developed types (C and D). Thirty-four distinct chemical compounds were detected in the cuticle, with carbon chains varying from 18 to 33 atoms. Those carbon compounds consisted of linear alkanes (9%), branched alkanes (89%), and alkenes (2%). Three groups of females were identified: Workers 1, Workers 2, and Queens. Discriminant analyses of the cuticular hydrocarbons of those female groups demonstrated a significant p-value (Wilks' lambda= 0.135, F= 1.665, p = 0.0227). Eight days after the removal of the dominant female from the nest, female substitutions were observed all of the colonies (except one) assuming the condition of a new queen (from the ranks of the β females). Females with undeveloped ovaries do not perform behaviors associated with dominant females, nor do females with developed ovaries behave as typical foragers. There were differences between some of the activities performed by second-rank females (β females) and other females in the same nest (from the 3rd position down), both before and after experimentally removing the queen. M. nomurae demonstrates a flexible gerontocratic system in terms of queen substitutions, and the new queens become more aggressive than the original queens, assuming dominant roles even without being inseminated. As with many species of the same genus, most of the colonies nidify in anthropically modified environments. Of those colonies, 61.2% built nests using plant material (wood and leaves). The nests were constructed at reasonably high mean heights above ground level (2.20 ± 0.83 m; from 0.45 – 5.00 m), similar to other species of the genus. Most of the nests were affixed to horizontal substrates (53.73%) and constructed with the comb facing downward (70.15%). A nest comb can be rounded or elliptic, rarely rectangular. The numbers of meconium layers varied from zero to five. The nests of M. nomurae are generally small, with their colonies producing only small numbers of adults - although with high rates of comb cell reutilization.
5

Diversidade de vespas sociais (Hymenoptera: Vespidae; Polistinae) em fragmentos de Floresta Estacional Semidecidual no noroeste paulista

Gomes, Bruno [UNESP] 26 May 2008 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:22:55Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2008-05-26Bitstream added on 2014-06-13T18:08:51Z : No. of bitstreams: 1 gomes_b_me_sjrp.pdf: 1738477 bytes, checksum: 4ee846314729390bc173ffc569eb27b1 (MD5) / Cesp / O conhecimento de vespas sociais (Hymenoptera: Vespidae; Polistinae) em Florestas Estacionais Semideciduais na região noroeste do Estado de São Paulo, os quais vêm sendo degradadas pelo modelo econômico adotado no passado nesta região, é muito escasso. Neste trabalho foi realizado um levantamento de vespas sociais (Hymenoptera: Vespidae; Polistinae) no período de Setembro de 2005 a Dezembro de 2006 em um fragmento de mata no município de Paulo de Faria - SP, Brasil. Foram coletadas 7 espécies de vespas de 4 gêneros, utilizando as metodologias passivas (armadilhas Malaise e garrafas-armadilha) e ativas (coleta ativa com auxílio de iscas de carne e líquido atrativo). A metodologia de líquido atrativo e uma metodologia nova e alternativa e se mostrou muito eficiente, coletando todas as espécies obtidas nas demais. Agelaia foi o gênero mais abundante em todas as metodologias utilizadas, sendo 80% de toda a amostra. O levantamento apresentou uma baixa quantidade de espécies coletadas no fragmento e a eficiência das metodologias empregadas neste, sendo a metodologia de coleta ativa com auxílio de líquido atrativo muito eficiente na captura de vespas. / The knowledge of the social wasps (Hymenoptera: Vespidae; Polistinae) in semidecidual seasonal forests of northwest of Sao Paulo State is very poorly, causing a lack of information on the diversity of these wasps from these areas which has been degraded by the advance of the economic model adopted in the past. This work is a survey of social wasps (Hymenoptera: Vespidae; Polistinae) in the period of September 2005 to December 2006 in a fragment of forest in Paulo de Faria-SP, Brazil. Seven species of wasps from 4 genera were collected, using passive methods (Malaise and Bottle trap) and active methods (meat trap and attractive liquid). Agelaia was the most abundant genus in all used methodologies, representing 80% of all samples. The survey showed a low number of species collected in the fragment and the efficiency of the methodologies employed, the collecting active with the aid of attractive liquid was very efficient in the capture of wasps.
6

Sobre a produção e seleção de rainhas em diferentes fases do ciclo colonial em Epiponini (Vespidae: Polistinae) / About queen production and selection in different stages of colony cycle in Epiponini (Vespidae:Polistinae).

Laura Elena Chavarría Pizarro 30 August 2013 (has links)
As vespas da tribo Epiponini apresentam colônias com várias rainhas, cujo número varia durante o ciclo colonial. Nas colônias há inicialmente um número maior de rainhas, mas conforme o ciclo se desenvolve seu número diminui. Tem sido argumentado que nas colônias com indivíduos totipotentes pode haver conflitos de interesse entre rainhas e operárias. Neste contexto as operárias que são maioria poderiam ter uma vantagem para regular a produção de rainhas. Nos Epiponini o controle reprodutivo é feito possivelmente por sinalização química, que junto com posturas ritualizadas comunicam a presença da rainha na colônia. Como o processo de produção de rainhas é pouco conhecido, o objetivo deste trabalho foi estudar o comportamento de rainhas e operárias durante a fase de produção e seleção de modo a interpretar filogeneticamente as mudanças comportamentais entre as espécies. O estudo foi conduzido utilizando-se nove espécies de cinco gêneros: Chartergellus, Metapolybia, Protopolybia, Polybia, Brachygastra. Em cada colônia foram marcadas todas as rainhas, algumas operárias, e fêmeas recém-emergidas para realizar observações focais e filmagens dos comportamentos. Para promover a produção de rainhas foram feitos testes de remoção. Alguns dos comportamentos característicos das rainhas, e aqueles associados ao processo de seleção, tiveram sua origem interpretada filogeneticamente. O comportamento que melhor identifica as rainhas é o bending display I (BD1), um display de dominância feito das rainhas para as operárias, que foi basal para os Epiponini. O BD1 feito das operárias para as rainhas é uma apomorfía das operárias de Metapolybia. Outros comportamentos de teste entre rainhas surgiram independentemente em algumas espécies e poderiam estar relacionados com um aumento na complexidade das interações. Os testes das operárias estariam presentes no ancestral dos Epopinini indicando que elas controlam a seleção das rainhas. O comportamento de worker dance é utilizado principalmente pelas operarias dos clados de Polybia e Metapolybia para testar a capacidade reprodutiva das rainhas. Parece que os comportamentos ritualizados de dominância e de teste são utilizados como sinais honestos do potencial reprodutivo das fêmeas em vez de comportamentos agressivos. Em Metapolybia e Protopolybia exigua o BD1 é realizado com maior frequência após a eliminação da rainha e durante a seleção, diferente de Chartergellus e Protopolybia picteti onde não houve mudança. Em Chartergellus não houve um aumento dos displays, porque as fêmeas no geral não interagiam e a seleção é feita mediante a expulsão das rainhas. Em P. picteti nem todas as rainhas foram eliminadas. Em Metapolybia e Chartergellus no início do ciclo colonial há tolerância reprodutiva, e a eliminação das rainhas estimulou muitas fêmeas a ovipositar, mas o número eventualmente diminui. Este resultado mostra que a delimitação de casta poderia ser feita mediante algum tipo de sinalização química. Em Protopolybia há pouca redução do número de rainhas ao longo do ciclo e as intermediárias constantemente tentam botar ovos. Para as intermediárias é conveniente manter os ovários ativos para tentar atingir o status de rainha em uma nova colônia. A totipotência das fêmeas para desenvolver seus ovários é basal para os Epiponini. As operárias e intermediárias jovens, de idade intermediária e velhas podem desenvolver seus ovários diante da ausência da rainha. A flexibilidade é um traço muito importante nos Epiponini, uma vez que permite à população responder a situações adversas, mobilizando indivíduos a realizar diferentes tarefas segundo as necessidades da população. / Epiponini wasps have colonies with multiple queens, which alternate their number under different stages of the colony cycle. Initially there are several potential queens, but as the colony cycle develops, queen number is reduced. Because most of individuals remain reproductively totipotent there is great potential for conflicts over reproduction. Under this conditions workers could have an advantage to control queen production because they are the dominant caste. Reproductive control could be performed by chemical signals, which along with ritualized behaviors communicate queen presence in the colony. However, queen selection process is a little known across Epiponini, and for this reason our goal was to study queens and workers behavior during queen selection phase, performing a phylogenetic analysis to understand behavioral changes among species. We performed observations in nine species belong to five genera: Chartergellus, Metapolybia, Protopolybia, Polybia, Brachygastra. We marked queens, a sample of workers and newly emerged females to perform direct and video focal observations. To induce queen production, we performed queen removal tests. Some of queens characteristic behaviors and those associated with queen selection process were analyzed via phylogenetic optimization. Bending display I (BD1) is a dominance display performed queens against workers, is the behavior that better identify queens and is also basal for all Epiponini clades. BD1 perform from workers to queens is an apomorphy of Metapolybia. Another test behaviors performed among queens appeared independently in some species, and could be related with an increase of interaction complexity. Worker tests were present in the Epiponini ancestor, indicating that workers are in charge of queen control. Worker dance behavior was synapomorphic for the clade composed by Polybia, Metapolybia and their close related genera, in which workers test queens reproductive potential. Apparently, ritualized tests and dominance behaviors are used in Epiponini as honest signals of queens reproductive potential instead of aggressive behaviors. In Metapolybia and in Protopolybia exigua, BD1 is performed with high frequency after queen elimination and during queen selection process. On the other hand, in Chartergellus and Protopolybia picteti displays frequency did not change. In Chartergellus BD1 frequency did not change because females do not interact to each other a lot, also queen selection is performed by queens expulsion instead by tests. In P. picteti we possibly failed to remove all queens from the colony. Metapolybia and Chartergellus have reproductive tolerance between females during first stages of colony cycle, and queen elimination induced females to lay eggs, but queen number eventually is reduced. These results suggest that reproductive control in fact could be performed by chemical signals. On the other hand, in Protopolybia queens number change little during the colony cycle. In adition, intermediates constantly attempt to lay eggs. Persistence oviposition could be convenient for intermediates in Protopolybia to achieve queen status in new colonies. Females totipotency to develop ovaries is also basal for Epiponini. Not only young females develop their ovaries under queen lost; old and middle age individuals also attempt to replace the queen. Caste flexibility is decisive for colony survival of swarm wasps because allows colonies to respond efficiently to different situations that may eventually arise.
7

Comportamento, atividade e interações sociais entre rainhas e operárias de Metapolybia docilis (Vespidae: Polistinae: Epiponini) / Behavior, activity and social interaction between queens and workers of Metapolybia docilis (Vespidae: Polistinae: Epiponini).

Laura Elena Chavarría Pizarro 15 July 2009 (has links)
As sociedades de vespas da tribo Epiponini caracterizam-se pela variação no número de rainhas durante o ciclo colonial, o que implica na ocorrência cíclica de muitas rainhas (poliginia), poucas (oligoginia) e até uma rainha (monoginia). Durante as primeiras fases do ciclo colonial existe um número maior de rainhas, mas conforme a colônia cresce, o número de rainhas diminui. Os Epiponini também são caracterizados pela complexidade morfológica e as síndromes de diferenciação de castas. Entretanto, para algumas espécies dentro dos Polistinae, a única forma de separar as fêmeas reprodutoras das não reprodutoras é pelo comportamento ou pelo grau de desenvolvimento dos ovários. O estudo do comportamento e as interações sociais junto com os estudos morfométricos podem ajudar no entendimento da evolução da complexidade encontrada dentro dos Epiponini. Por isso o objetivo deste trabalho é descrever o comportamento das rainhas e operárias em Metapolybia docilis, e suas interações. Foram realizadas observações individuais do comportamento das rainhas e operárias previamente marcadas de quatro colônias de M. docilis. Foi feito um catálogo dos atos comportamentais observados com maior frequência. Para as rainhas os comportamentos incluíam tanto displays como comportamentos relacionados às necessidades básicas como alimentação e higiene, nas operárias os comportamentos incluíam principalmente trabalhos de manutenção do ninho e policiamento. Para realizar as análises morfométricas todos os indivíduos das colônias C1, C2 e C3 foram coletados, foi determinada a idade dos indivíduos da colônia e oito medidas corporais externas foram tomadas de uma amostra de 50 operárias e de todas as rainhas das colônias. A colônia C1 estava em Fase Matura, a colônia C2 em Fase de Pré- Enxameagem, as colônias C3 e C4 em Fase de Estabelecimento. Os comportamentos realizados com maior frequência pelas rainhas das quatro colônias foram: curvar o abdômen (CA), dança de display (DD), inspeção de célula (IC), trofalaxia (Tx) e auto-limpeza (Limp). Os comportamentos realizados com maior frequência pelas operárias foram IC e Tx. O comportamento CA provavelmente é um comportamento display de dominância feito pelas rainhas e o comportamento DD provavelmente está ligado a interações competitivas ou de dominância entre as fêmeas das colônias. Não foi encontrada diferenciação morfológica significativa entre rainhas e operárias de M. docilis para as colônias C2 e C3, mas sim para a colônia C1. Dentro das colônias estudadas o controle na reprodução das fêmeas é feito mediante o comportamento e não por manipulação larval. As operárias e as rainhas testam a capacidade reprodutiva das outras rainhas mediante displays de dominância não agressivos para decidir que fêmeas continuaram encarregando-se de produzir novos indivíduos. As operárias possivelmente controlam a reprodução (mediante o policiamento de ovos), seleção das rainhas, e todos os outros aspectos dentro da colônia explorando o ambiente e as necessidades do ninho. / Epiponini wasps societies are characterized by the alternation in the number of queens from many (polygyny) to few queens (olygyny) or even one (monogyny) during the colony cycle. When the colony is in the growing phase there are many queens, but as colony grows queen number decreases and new queens will be produced only when queen number is close to one (monygyny). Epiponines wasps are also characterized by the complexity of the morphological caste syndromes. However, in some Epiponini species the only way to separate reproductives from not reproductives is by behavioral acts or by the degree of ovarian development. The study of behavior and social interactions, associated with morphometric studies, could help to better understand the evolution and complexity found within the Epiponini. We studied and described behavioral acts and interactions between queens and workers in Metapolybia docilis. We performed direct and indirect (video) observations of individual behavior of previously marked queens and workers from four M. docilis colonies. We catalogued the most frequently observed behavioral acts: for queens these behaviors included displays and basic need behaviors such as feeding and hygiene; for workers they included nest maintenance and policing behaviors. All the individuals from colonies C1, C2 and C3 were collected to perform a morphometric analysis and age determination by taking eight external body measurements from a 50 workers sample and from all the queens of the colonies. Colony C1 was in an Emergence phase, colony C2 in a pre-swarming phase, colonies C3 and C4 in a pre-emergence phase. Most frequently behaviors made by queens were bending abdomen (BA), dance display (DD), cell inspection (CI), trofalaxis (Tx) and grooming (G). Most frequently behaviors made by workers were IC and Tx. Bending abdomen (BA) is probably a dominance display made by queens, and dance display (DD) was probably a test behavior made by workers and queens to test another queens. For colonies C2 and C3 there is no morphological differences between queens and workers, but there is a slight difference for colony C1. Within the colonies, the reproduction control is performed by behavior and not by larval manipulation because we did not found morphological differences between castes. Workers and queens tested the reproductive capacity of the queens by non aggressive dominance displays in order to select which females perform the reproduction work in the colony. Workers probably control the reproduction (by worker policing on the eggs laid), queen selection and all the others tasks on the colony by scanning the environment and the needs of the colony.
8

Diversidade de vespas sociais (Hymenoptera: Vespidae, Polistinae) em fragmentos de Floresta Estacional Semidecidual no Noroeste do Estado de São Paulo com diferentes tipos de matriz de entorno / Diversity of social wasps (Hymenoptera: Vespidae; Polistinae) on semi deciduous seasonal forest fragments with different surrounding matrix in northwest of São Paulo State.

Getulio Minoru Tanaka Junior 22 July 2010 (has links)
A região noroeste do Estado de São Paulo é uma das que mais sofre com o processo de fragmentação da vegetação natural que foi substituída principalmente por ambientes urbanizados, pastagens e áreas agriculturáveis. Cana-de-açúcar e citricultura são duas das principais monoculturas presentes atualmente na região. A área de entorno (matriz) dos fragmentos florestais exerce influência nas populações que habitam seu interior, incluindo o grupo das vespas sociais. O presente trabalho teve o objetivo de realizar um levantamento das vespas sociais (Polistinae) presentes em fragmentos florestais do Noroeste Paulista com matrizes de entorno compostas por canaviais e laranjais. Utilizamos uma metodologia baseada em coleta ativa utilizando líquido atrativo em um transecto no interior e um na borda dos fragmentos e obtivemos 20 espécies em Magda, 13 em Bebedouro, 13 em Matão e 19 em Barretos. Verificamos uma maior riqueza de espécies na borda dos fragmentos. O gênero mais representativo foi Agelaia em todas as áreas analisadas. Os maiores índices de diversidade de Shannon-Wiener foram obtidos nos transectos da borda de Barretos (H=2,26) e borda de Magda (H=2,25), fragmentos circundados por laranja e cana-de-açúcar respectivamente. Analisando a área como umtodo, Magda apresentou a maior diversidade (H=2,12). Espécies como Brachygastra moebiana, Metapolybia docilis, Mischocyttarus ignotus, M. paulistanus e M. consimilis não haviam sido registrados em levantamentos recentes no estado, além disso o registro de M. consimilis aparentemente é novo para o estado de São Paulo. Realizamos comparações com outros levantamentos realizados no estado e verificamos um indício de que a riqueza de vespas sociais pode estar relacionada com a quantidade de vegetação natural remanescente da área. Concluímos que com nossos dados não foi possível observar uma relação entre a ocorrência de vespas sociais e a matriz de entorno. / The northwest of São Paulo State is a region that undergoes a fragmentation process of its natural vegetation that was replaced by urban areas, meadows or farming lands. Sugarcane and citrus are two of the main regional monocultures. The surrounding area (matrix) of forest fragments influences the populations that inhabit the interior, including social wasps. The present work aimed at surveying social wasps (Polistinae) present in forest fragments of northwest of São Paulo State with different surrounding matrices composed by sugarcane and citrus. We used a methodology based on active collection using and attractive liquid in one transect on the edge and one on the interior of the fragments and we collected 20 species in Magda, 13 in Bebedouro, 13 in Matão and 19 in Barretos. We noted a greater richness on the edge of the fragments. Agelaia was the most representative genus in all of the areas. The greatest indices of Shannon-Wiener diversity were obtained on the edge of Barretos (H=2,26) and on the edge of Magda (H=2,25), fragments surrounded by citrus and sugarcane respectively. If the total area was analyzed, Magda showed the greater diversity (H=2,12). Species such as Brachygastra moebiana, Metapolybia docilis, Mischocyttarus ignotus, M. paulistanus and M. consimilis had not been recorded on recent surveys on the state, furthermore Mischocyttarus consimilis apparently is a new record for the São Paulo State. We did comparisons with others surveys made on the state and we noted that social wasps richness can be related with the amount of remnants of natural vegetation in a given area. We concluded that with our data it was not possible to observe a relation between the occurrence of social wasps and the surrounding matrix.
9

Sobre a produção e seleção de rainhas em diferentes fases do ciclo colonial em Epiponini (Vespidae: Polistinae) / About queen production and selection in different stages of colony cycle in Epiponini (Vespidae:Polistinae).

Pizarro, Laura Elena Chavarría 30 August 2013 (has links)
As vespas da tribo Epiponini apresentam colônias com várias rainhas, cujo número varia durante o ciclo colonial. Nas colônias há inicialmente um número maior de rainhas, mas conforme o ciclo se desenvolve seu número diminui. Tem sido argumentado que nas colônias com indivíduos totipotentes pode haver conflitos de interesse entre rainhas e operárias. Neste contexto as operárias que são maioria poderiam ter uma vantagem para regular a produção de rainhas. Nos Epiponini o controle reprodutivo é feito possivelmente por sinalização química, que junto com posturas ritualizadas comunicam a presença da rainha na colônia. Como o processo de produção de rainhas é pouco conhecido, o objetivo deste trabalho foi estudar o comportamento de rainhas e operárias durante a fase de produção e seleção de modo a interpretar filogeneticamente as mudanças comportamentais entre as espécies. O estudo foi conduzido utilizando-se nove espécies de cinco gêneros: Chartergellus, Metapolybia, Protopolybia, Polybia, Brachygastra. Em cada colônia foram marcadas todas as rainhas, algumas operárias, e fêmeas recém-emergidas para realizar observações focais e filmagens dos comportamentos. Para promover a produção de rainhas foram feitos testes de remoção. Alguns dos comportamentos característicos das rainhas, e aqueles associados ao processo de seleção, tiveram sua origem interpretada filogeneticamente. O comportamento que melhor identifica as rainhas é o bending display I (BD1), um display de dominância feito das rainhas para as operárias, que foi basal para os Epiponini. O BD1 feito das operárias para as rainhas é uma apomorfía das operárias de Metapolybia. Outros comportamentos de teste entre rainhas surgiram independentemente em algumas espécies e poderiam estar relacionados com um aumento na complexidade das interações. Os testes das operárias estariam presentes no ancestral dos Epopinini indicando que elas controlam a seleção das rainhas. O comportamento de worker dance é utilizado principalmente pelas operarias dos clados de Polybia e Metapolybia para testar a capacidade reprodutiva das rainhas. Parece que os comportamentos ritualizados de dominância e de teste são utilizados como sinais honestos do potencial reprodutivo das fêmeas em vez de comportamentos agressivos. Em Metapolybia e Protopolybia exigua o BD1 é realizado com maior frequência após a eliminação da rainha e durante a seleção, diferente de Chartergellus e Protopolybia picteti onde não houve mudança. Em Chartergellus não houve um aumento dos displays, porque as fêmeas no geral não interagiam e a seleção é feita mediante a expulsão das rainhas. Em P. picteti nem todas as rainhas foram eliminadas. Em Metapolybia e Chartergellus no início do ciclo colonial há tolerância reprodutiva, e a eliminação das rainhas estimulou muitas fêmeas a ovipositar, mas o número eventualmente diminui. Este resultado mostra que a delimitação de casta poderia ser feita mediante algum tipo de sinalização química. Em Protopolybia há pouca redução do número de rainhas ao longo do ciclo e as intermediárias constantemente tentam botar ovos. Para as intermediárias é conveniente manter os ovários ativos para tentar atingir o status de rainha em uma nova colônia. A totipotência das fêmeas para desenvolver seus ovários é basal para os Epiponini. As operárias e intermediárias jovens, de idade intermediária e velhas podem desenvolver seus ovários diante da ausência da rainha. A flexibilidade é um traço muito importante nos Epiponini, uma vez que permite à população responder a situações adversas, mobilizando indivíduos a realizar diferentes tarefas segundo as necessidades da população. / Epiponini wasps have colonies with multiple queens, which alternate their number under different stages of the colony cycle. Initially there are several potential queens, but as the colony cycle develops, queen number is reduced. Because most of individuals remain reproductively totipotent there is great potential for conflicts over reproduction. Under this conditions workers could have an advantage to control queen production because they are the dominant caste. Reproductive control could be performed by chemical signals, which along with ritualized behaviors communicate queen presence in the colony. However, queen selection process is a little known across Epiponini, and for this reason our goal was to study queens and workers behavior during queen selection phase, performing a phylogenetic analysis to understand behavioral changes among species. We performed observations in nine species belong to five genera: Chartergellus, Metapolybia, Protopolybia, Polybia, Brachygastra. We marked queens, a sample of workers and newly emerged females to perform direct and video focal observations. To induce queen production, we performed queen removal tests. Some of queens characteristic behaviors and those associated with queen selection process were analyzed via phylogenetic optimization. Bending display I (BD1) is a dominance display performed queens against workers, is the behavior that better identify queens and is also basal for all Epiponini clades. BD1 perform from workers to queens is an apomorphy of Metapolybia. Another test behaviors performed among queens appeared independently in some species, and could be related with an increase of interaction complexity. Worker tests were present in the Epiponini ancestor, indicating that workers are in charge of queen control. Worker dance behavior was synapomorphic for the clade composed by Polybia, Metapolybia and their close related genera, in which workers test queens reproductive potential. Apparently, ritualized tests and dominance behaviors are used in Epiponini as honest signals of queens reproductive potential instead of aggressive behaviors. In Metapolybia and in Protopolybia exigua, BD1 is performed with high frequency after queen elimination and during queen selection process. On the other hand, in Chartergellus and Protopolybia picteti displays frequency did not change. In Chartergellus BD1 frequency did not change because females do not interact to each other a lot, also queen selection is performed by queens expulsion instead by tests. In P. picteti we possibly failed to remove all queens from the colony. Metapolybia and Chartergellus have reproductive tolerance between females during first stages of colony cycle, and queen elimination induced females to lay eggs, but queen number eventually is reduced. These results suggest that reproductive control in fact could be performed by chemical signals. On the other hand, in Protopolybia queens number change little during the colony cycle. In adition, intermediates constantly attempt to lay eggs. Persistence oviposition could be convenient for intermediates in Protopolybia to achieve queen status in new colonies. Females totipotency to develop ovaries is also basal for Epiponini. Not only young females develop their ovaries under queen lost; old and middle age individuals also attempt to replace the queen. Caste flexibility is decisive for colony survival of swarm wasps because allows colonies to respond efficiently to different situations that may eventually arise.
10

Diversidade de vespas sociais (Hymenoptera: Vespidae, Polistinae) em fragmentos de Floresta Estacional Semidecidual no Noroeste do Estado de São Paulo com diferentes tipos de matriz de entorno / Diversity of social wasps (Hymenoptera: Vespidae; Polistinae) on semi deciduous seasonal forest fragments with different surrounding matrix in northwest of São Paulo State.

Tanaka Junior, Getulio Minoru 22 July 2010 (has links)
A região noroeste do Estado de São Paulo é uma das que mais sofre com o processo de fragmentação da vegetação natural que foi substituída principalmente por ambientes urbanizados, pastagens e áreas agriculturáveis. Cana-de-açúcar e citricultura são duas das principais monoculturas presentes atualmente na região. A área de entorno (matriz) dos fragmentos florestais exerce influência nas populações que habitam seu interior, incluindo o grupo das vespas sociais. O presente trabalho teve o objetivo de realizar um levantamento das vespas sociais (Polistinae) presentes em fragmentos florestais do Noroeste Paulista com matrizes de entorno compostas por canaviais e laranjais. Utilizamos uma metodologia baseada em coleta ativa utilizando líquido atrativo em um transecto no interior e um na borda dos fragmentos e obtivemos 20 espécies em Magda, 13 em Bebedouro, 13 em Matão e 19 em Barretos. Verificamos uma maior riqueza de espécies na borda dos fragmentos. O gênero mais representativo foi Agelaia em todas as áreas analisadas. Os maiores índices de diversidade de Shannon-Wiener foram obtidos nos transectos da borda de Barretos (H=2,26) e borda de Magda (H=2,25), fragmentos circundados por laranja e cana-de-açúcar respectivamente. Analisando a área como umtodo, Magda apresentou a maior diversidade (H=2,12). Espécies como Brachygastra moebiana, Metapolybia docilis, Mischocyttarus ignotus, M. paulistanus e M. consimilis não haviam sido registrados em levantamentos recentes no estado, além disso o registro de M. consimilis aparentemente é novo para o estado de São Paulo. Realizamos comparações com outros levantamentos realizados no estado e verificamos um indício de que a riqueza de vespas sociais pode estar relacionada com a quantidade de vegetação natural remanescente da área. Concluímos que com nossos dados não foi possível observar uma relação entre a ocorrência de vespas sociais e a matriz de entorno. / The northwest of São Paulo State is a region that undergoes a fragmentation process of its natural vegetation that was replaced by urban areas, meadows or farming lands. Sugarcane and citrus are two of the main regional monocultures. The surrounding area (matrix) of forest fragments influences the populations that inhabit the interior, including social wasps. The present work aimed at surveying social wasps (Polistinae) present in forest fragments of northwest of São Paulo State with different surrounding matrices composed by sugarcane and citrus. We used a methodology based on active collection using and attractive liquid in one transect on the edge and one on the interior of the fragments and we collected 20 species in Magda, 13 in Bebedouro, 13 in Matão and 19 in Barretos. We noted a greater richness on the edge of the fragments. Agelaia was the most representative genus in all of the areas. The greatest indices of Shannon-Wiener diversity were obtained on the edge of Barretos (H=2,26) and on the edge of Magda (H=2,25), fragments surrounded by citrus and sugarcane respectively. If the total area was analyzed, Magda showed the greater diversity (H=2,12). Species such as Brachygastra moebiana, Metapolybia docilis, Mischocyttarus ignotus, M. paulistanus and M. consimilis had not been recorded on recent surveys on the state, furthermore Mischocyttarus consimilis apparently is a new record for the São Paulo State. We did comparisons with others surveys made on the state and we noted that social wasps richness can be related with the amount of remnants of natural vegetation in a given area. We concluded that with our data it was not possible to observe a relation between the occurrence of social wasps and the surrounding matrix.

Page generated in 0.0781 seconds