• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 107
  • 3
  • 1
  • Tagged with
  • 111
  • 55
  • 40
  • 23
  • 22
  • 22
  • 20
  • 18
  • 18
  • 18
  • 17
  • 15
  • 14
  • 14
  • 13
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Dança e imortalidade : igreja, festa e xamanismo entre os Ikólóéhj Gavião de Rondônia

Felzke, Lediane Fani 20 January 2017 (has links)
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Sociais, Departamento de Antropologia, Programa de Pós-graduação em Antropologia Social, 2017. / Submitted by Fernanda Percia França (fernandafranca@bce.unb.br) on 2017-02-21T19:39:05Z No. of bitstreams: 1 2017_LedianeFaniFelzke.pdf: 7589453 bytes, checksum: 50839500efeb5a96e6ec9913db9e69a8 (MD5) / Approved for entry into archive by Guimaraes Jacqueline(jacqueline.guimaraes@bce.unb.br) on 2017-03-21T12:50:07Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2017_LedianeFaniFelzke.pdf: 7589453 bytes, checksum: 50839500efeb5a96e6ec9913db9e69a8 (MD5) / Made available in DSpace on 2017-03-21T12:50:08Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2017_LedianeFaniFelzke.pdf: 7589453 bytes, checksum: 50839500efeb5a96e6ec9913db9e69a8 (MD5) / Esta tese é sobre os Ikólóéhj Gavião, grupo étnico da Amazônia Meridional que vive na Terra Indígena (T.I.) Igarapé Lourdes em Rondônia e trata do lugar da igreja evangélica, das festas e do xamanismo na sociocosmologia deste povo. Os Ikólóéhj estão experimentando ser crentes. Contudo, a adesão majoritária ao protestantismo fundamentalista e a aparente renúncia às festas tradicionais e ao xamanismo só foram possíveis depois que a dança passou a fazer parte da igreja. Nesse sentido, a igreja foi transformada nos termos ikólóéhj. Eles dançam para antecipar a imortalidade, para ampliar a socialidade e viver momentos alegres. No entanto, não houve uma substituição dos conhecimentos e dos seres cosmológicos ancestrais pelos ensinamentos protestantes fundamentalistas, tampouco um sincretismo. Ambos são acionados a depender do contexto, deixando claro que são os Ikólóéhj que estão no controle da situação. / This PhD thesis is about the Ikólóéhj Gavião, ethnic group of the Southern Amazon Region who live in the Indigenous Land (Terra Indígena - T.I.) Igarapé Lourdes in the state of Rondonia. It deals with the place of the evangelical church, the rituals and shamanism in the sociocosmology of this indigenous people. The Ikólóéhj are experiencing being believers. However, the adhesion of the majority to fundamentalist protestantism and the apparent renouncement of the traditional rituals and shamanism were only possible after dancing become part of the church. In this sense, the church was transformed within ikólóéhj terms. They dance to anticipate immortality, to widen sociality and to live happy moments. Nevertheless, there has not been a substitution of knowledge and the cosmological ancestral beings by fundamentalist protestant teaching, nor syncretism. Both are brought into action depending on the context, making it clear that they are Ikólóéhj who are in control of the situation.
2

Literatura, subjetividade e xamanismo

Pizzi, Ana Paula January 2012 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Comunicação e Expressão. Programa de Pós-Graduação em Literatura. / Made available in DSpace on 2013-12-05T22:18:27Z (GMT). No. of bitstreams: 1 310210.pdf: 570477 bytes, checksum: 88b48e43e0bbbd4329fa641e67ced8a4 (MD5) Previous issue date: 2012 / Nas tramas da literatura, história e linguagem se entrelaçam e se desconstroem a todo tempo. Em cada leitura, um novo enlace ocorre e mais sentidos saltam do papel para que mundos possíveis sejam criados e novas vidas sejam experimentadas. A proposta desta pesquisa concentra-se no conto Meu Tio o Iauaretê, de João Guimarães Rosa, por um viés não antropocêntrico, extra-ocidental e com olhar direto na onça e no tupi. Desta forma, é possível aproximar a literatura e o pensamento indígena através da teoria do perspectivismo e da filosofia contemporânea que evidencia o animal-em-si. Entende-se, assim, a ética animal como um ideal de subjetividade que compõe uma política das diferenças, não para encaixotá-las sistematicamente, mas para respeitá-las na sua eterna heterogeneidade. E é considerando as infindas possibilidades de interpretação do conto de Rosa, que consideraremos esta como mais uma forma possível de leitura, onde história, ficção, animal, homem e escritura se misturam para borrar fronteiras, ecoar vozes e perseguir rastros.
3

Metamorfoses yaminawa

Gil, Laura Pérez January 2006 (has links)
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Antrolopologia Social. / Made available in DSpace on 2012-10-22T08:46:46Z (GMT). No. of bitstreams: 0 / A partir do contato definitivo na década de 1960 com a sociedade regional, vários aspectos das condições de vida dos Yaminawa (pano) de Raya (Rio Mapuya, Alto Ucayali, Peru) sofreram transformações. Entre estas, os Yaminawa destacam a "decadência" das capacidades e conhecimentos xamânicos, cuja aquisição era, antigamente, generalizada entre os homens e constituía um aspecto importante do processo de se tornar adulto. Este discurso contrasta, entretanto, com a presença e a relevância que tem na vida dos Yaminawa o xamanismo, entendido aqui não apenas como um conjunto de práticas, mas como uma visão de mundo. Esta tese é um estudo etnográfico de diversas faces, tanto conceituais quanto sociológicas, do sistema xamânico yaminawa e se propõe entender as circunstâncias e a lógica da transformação em que ele se encontra envolvido. Embora essa transformação esteja ligada às condições históricas e socioeconômicas particulares do contexto regional ucayalino, não pode ser entendida como a mera conseqüência da força aculturativa externa, já que, de um lado, responde aos interesses e intenções dos próprios Yaminawa e, de outro, se produz seguindo as idéias nativas quanto à construção social de pessoas e quanto aos princípios éticos que devem reger as relações sociais.
4

O proliferar dos outros

Villada Castro, Carolina January 2016 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Comunicação e Expressão, Programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução, Florianópolis, 2016. / Made available in DSpace on 2017-05-23T04:23:21Z (GMT). No. of bitstreams: 1 345641.pdf: 1574506 bytes, checksum: d3d18fc7556d38743776ff17eb6e2511 (MD5) Previous issue date: 2016 / Esta pesquisa apresenta uma análise teórica da tradução para o espanhol do texto "Apontamentos para uma poética xamânica do traduzir" do escritor e tradutor Álvaro Faleiros (2012), assim como das traduções indiretas para o espanhol da seleção de cantos xamânicos marubo: ?Raptada pelo raio? (Kaná kawã,), ?Pajé Flor de Tabaco? (Rome owe romeya) e ?Origem da vida breve? (Roka), compendiados no trabalho etnopoético de Niemeyer Cesarino em: Quando a terra deixou de falar. Cantos da mitologia Marubo (2013). A fim de pesquisar imagens do traduzir nos cantos xamânicos araweté e marubo, estabeleceu-se uma articulação entre a enunciação polifônica do xamã e a tradução literária, como atos de reverberação e multiplicação de vozes outras. Nessa perspectiva, ao modo do xamã, o tradutor literário age como voz entre vozes e prolonga os caminhos dessas vozes alheias vindas de alhures, que proliferam no espaço literário. O corpus está composto pelas contribuições tradutológicas de Álvaro Faleiros (2012-2015), as contribuições etnopoéticas de Viveiros de Castro (1986) e Niemeyer Cesarino (2011 e 2013). Desse modo, articulam-se diversas ferramentas metodológicas tais como: análise conceitual, análise comparada de traduções, tradução direta e indireta comentada e análise poética das imagens dos cantos xamânicos. Tudo isto almeja responder à força ética do canto xamânico e seus ecos para a prática de tradução literária.<br> / Abstract : This study presents a theoretical analysis of the Spanish translation of the text "Apontamentos para uma poética xamânica do traduzir" authored by the Brazilian writer and translator Álvaro Faleiros (2012a), as well as the Spanish indirect translation of a selection of Marubo shamanic singings: "Raptada pelo raio" (kaná kawã,), "Pajé Flor de Tabaco" (Rome owe romeya) and "Origem da vida breve" (Roka), assambled in the ethnopoetic work of Niemeyer Cesarino: Quando a terra deixou de falar. Cantos da mitologia Marubo (2013). Our main purpose is to investigate images of translation in the ?shamanic singing? Arawete and Marubo, articulating the polyphony of shamanic enunciations and literary translation as acts of reverberation and multiplication of other voices. From this perspective, as a shaman, we see the literary translator performing as a voice among other voices and extending the paths that distant voices bring with them; voices that proliferate within the literary space. Our framework is formed by the works of Álvaro Faleiros (2012-2015) and the ethnopoetic works of Viveiros de Castro (1986) and Niemeyer Cesarino (2011, 2013). We also put into play the following methodological tools: conceptual analysis, comparative analysis of translations, direct and indirect translation, and poetic analysis of shamanic singing images. With these instruments, we attempt to re-join the ethical strength of the shamanic singing and to direct its echoes to the practice of literary translation.
5

"Os kujà são diferentes" : um estudo etnológico do complexo xamânico dos Kaingang da terra indígena Votouro

Rosa, Rogerio Reus Goncalves da January 2005 (has links)
A partir do modelo etnológico, esta Tese de Doutorado busca compreender o complexo xamânico dos Kaingang, uma sociedade Jê que passou por profundas transformações sociais, religiosas e ambientais no decorrer dos últimos dois séculos. Trata-se de uma pesquisa realizada entre os Kaingang católicos da Terra Indígena Votouro e do Capão Alto (Terra Indígena Nonoai), duas sociedades falantes do dialeto kaingang Sudoeste, localizadas na bacia do Rio Uruguai, respectivamente às margens leste e oeste do rio Passo Fundo, região Alto-Uruguai, norte do Rio Grande do Sul, Brasil, América do Sul. De forma específica, na perspectiva do saber “guiado” kaingang, esta pesquisa analisa os dois sistemas ideológicos que marcam essa instituição xamânica, quais sejam: o sistema kujà — ligado ao domínio “floresta virgem” e à influência dos Guarani — e o sistema caboclo — ligado aos domínios “casa” e “espaço limpo” e à influência dos caboclos. No mesmo sentido, este trabalho visa perceber a maneira como o complexo xamânico se estabelece contemporaneamente entre os Kaingang da T.I. Votouro, a partir da influência exercida pela Igreja Católica Apostólica Romana e pelo Estado brasileiro.
6

"Os kujà são diferentes" : um estudo etnológico do complexo xamânico dos Kaingang da terra indígena Votouro

Rosa, Rogerio Reus Goncalves da January 2005 (has links)
A partir do modelo etnológico, esta Tese de Doutorado busca compreender o complexo xamânico dos Kaingang, uma sociedade Jê que passou por profundas transformações sociais, religiosas e ambientais no decorrer dos últimos dois séculos. Trata-se de uma pesquisa realizada entre os Kaingang católicos da Terra Indígena Votouro e do Capão Alto (Terra Indígena Nonoai), duas sociedades falantes do dialeto kaingang Sudoeste, localizadas na bacia do Rio Uruguai, respectivamente às margens leste e oeste do rio Passo Fundo, região Alto-Uruguai, norte do Rio Grande do Sul, Brasil, América do Sul. De forma específica, na perspectiva do saber “guiado” kaingang, esta pesquisa analisa os dois sistemas ideológicos que marcam essa instituição xamânica, quais sejam: o sistema kujà — ligado ao domínio “floresta virgem” e à influência dos Guarani — e o sistema caboclo — ligado aos domínios “casa” e “espaço limpo” e à influência dos caboclos. No mesmo sentido, este trabalho visa perceber a maneira como o complexo xamânico se estabelece contemporaneamente entre os Kaingang da T.I. Votouro, a partir da influência exercida pela Igreja Católica Apostólica Romana e pelo Estado brasileiro.
7

"Os kujà são diferentes" : um estudo etnológico do complexo xamânico dos Kaingang da terra indígena Votouro

Rosa, Rogerio Reus Goncalves da January 2005 (has links)
A partir do modelo etnológico, esta Tese de Doutorado busca compreender o complexo xamânico dos Kaingang, uma sociedade Jê que passou por profundas transformações sociais, religiosas e ambientais no decorrer dos últimos dois séculos. Trata-se de uma pesquisa realizada entre os Kaingang católicos da Terra Indígena Votouro e do Capão Alto (Terra Indígena Nonoai), duas sociedades falantes do dialeto kaingang Sudoeste, localizadas na bacia do Rio Uruguai, respectivamente às margens leste e oeste do rio Passo Fundo, região Alto-Uruguai, norte do Rio Grande do Sul, Brasil, América do Sul. De forma específica, na perspectiva do saber “guiado” kaingang, esta pesquisa analisa os dois sistemas ideológicos que marcam essa instituição xamânica, quais sejam: o sistema kujà — ligado ao domínio “floresta virgem” e à influência dos Guarani — e o sistema caboclo — ligado aos domínios “casa” e “espaço limpo” e à influência dos caboclos. No mesmo sentido, este trabalho visa perceber a maneira como o complexo xamânico se estabelece contemporaneamente entre os Kaingang da T.I. Votouro, a partir da influência exercida pela Igreja Católica Apostólica Romana e pelo Estado brasileiro.
8

Rowapari Danho're : sonhar e pegar cantos no xamanismo a'uwe /

Fuscaldo, Arthur Iraçu Amaral. January 2011 (has links)
Orientador: Luiza H. S. Christov / Coorientador: Rosângela P. de Tugny / Banca: Tania Stolze Lima / Banca: Paulo R. Maia Figueiredo / Resumo: Esta dissertação caracteriza-se como estudo a respeito de atividades oníricomusicais a'uwe e processos de construção de conhecimento a elas vinculados. Destaca-se do contexto estudado a noção de pegar cantos nos sonhos e o fato de que cada geração de homens é orientada desde a infância pelos mais velhos, para que aprendam esta prática. A esses processos estão vinculadas noções de sonho, música e sobre o que entendemos como construção de saberes, investigadas, sobretudo, a partir de exercícios de tradução e análise de relatos de sonhos com cantos, narrados por homens a'uwe. As reflexões aqui apresentadas foram desenvolvidas a partir de um primeiro contato com pessoas do povo A'uwe (Xavante) no ano de 2001, de estudo bibliográfico e de estadias nas aldeias Pimentel Barbosa e Wederã (2006, quinze dias) e na aldeia Etenhiritipa (2010, dois meses), situadas na Reserva Rio das Mortes no Estado do Mato Grosso / Abstract: This dissertation is characterized as a study about dream-musical activities a'uwe and construction processes of knowledge linked to them. Stands out from the context studied the notion of taking corners in dreams and the fact that each generation of men is driven since childhood by their elders, to learn this practice. To these processes are linked to notions of dreams, music and what we understand as knowledge construction, investigated mainly from exercises of translation and analysis of dream reports with songs, narrated by men a'uwe. The ideas presented here were developed from a first contact with the common people A'uwe (Xavante) in 2001, studied literature and overnight stays in villages and Wederã Pimentel Barbosa (2006, fifteen days) and in the village Etenhiritipa (2010, two months), located in the Rio das Mortes Reserve, in the state of Mato Grosso / Mestre
9

Rowapari Danho're: sonhar e pegar cantos no xamanismo a'uwe

Fuscaldo, Arthur Iraçu Amaral [UNESP] 21 September 2011 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:22:26Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2011-09-21Bitstream added on 2014-06-13T20:07:37Z : No. of bitstreams: 1 fuscaldo_aia_me_ia.pdf: 931029 bytes, checksum: 256ba3492c65e5c0f50b51065b9afbcb (MD5) / Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) / Esta dissertação caracteriza-se como estudo a respeito de atividades oníricomusicais a’uwe e processos de construção de conhecimento a elas vinculados. Destaca-se do contexto estudado a noção de pegar cantos nos sonhos e o fato de que cada geração de homens é orientada desde a infância pelos mais velhos, para que aprendam esta prática. A esses processos estão vinculadas noções de sonho, música e sobre o que entendemos como construção de saberes, investigadas, sobretudo, a partir de exercícios de tradução e análise de relatos de sonhos com cantos, narrados por homens a’uwe. As reflexões aqui apresentadas foram desenvolvidas a partir de um primeiro contato com pessoas do povo A’uwe (Xavante) no ano de 2001, de estudo bibliográfico e de estadias nas aldeias Pimentel Barbosa e Wederã (2006, quinze dias) e na aldeia Etenhiritipa (2010, dois meses), situadas na Reserva Rio das Mortes no Estado do Mato Grosso / This dissertation is characterized as a study about dream-musical activities a'uwe and construction processes of knowledge linked to them. Stands out from the context studied the notion of taking corners in dreams and the fact that each generation of men is driven since childhood by their elders, to learn this practice. To these processes are linked to notions of dreams, music and what we understand as knowledge construction, investigated mainly from exercises of translation and analysis of dream reports with songs, narrated by men a'uwe. The ideas presented here were developed from a first contact with the common people A'uwe (Xavante) in 2001, studied literature and overnight stays in villages and Wederã Pimentel Barbosa (2006, fifteen days) and in the village Etenhiritipa (2010, two months), located in the Rio das Mortes Reserve, in the state of Mato Grosso
10

Ën ga uyg ën tóg ("nós conquistamos essa terra") : os Kaingang no litoral do Rio Grande do Sul

Aquino, Alexandre Magno de 19 June 2008 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Sociais, Departamento de Antropologia, Programa de Pós-graduação em Antropologia Social, 2008. / Submitted by Kelly Marques (pereira.kelly@gmail.com) on 2009-10-30T18:56:32Z No. of bitstreams: 1 2008_AlexandreMagnoAquino_orig.pdf: 9503104 bytes, checksum: 93863595c430bca9578088901fdd7003 (MD5) / Approved for entry into archive by Guimaraes Jacqueline(jacqueline.guimaraes@bce.unb.br) on 2009-11-15T17:41:01Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2008_AlexandreMagnoAquino_orig.pdf: 9503104 bytes, checksum: 93863595c430bca9578088901fdd7003 (MD5) / Made available in DSpace on 2009-11-15T17:41:01Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2008_AlexandreMagnoAquino_orig.pdf: 9503104 bytes, checksum: 93863595c430bca9578088901fdd7003 (MD5) Previous issue date: 2008-06-19 / Essa pesquisa distribuiu-se ao longo de um período de seis anos com os Kaingang na região litorânea do Rio Grande do Sul. Num primeiro momento, trata-se da análise do uso de algumas noções espaciais por esse povo jê meridional, para designar acampamentos e aldeias – ëmã, ga, vãre. Verifica-se a importância dessas noções ao constituírem aldeias e acampamentos nessa região. Num segundo momento, procuro entender como essas noções espaciais conectam-se com o tempo. Tal conexão – espaço-tempo – é interpretada a partir de dados etnográficos que indicam formas de relação social entre os Kaingang fundadas na reciprocidade de kamë e kanhru krë, as metades patrilineares e exogâmicas. Essa reciprocidade é constantemente afirmada no contexto intra e inter aldeão por meio de regras de etiqueta e arranjos institucionais que envolvem, principalmente, o parentesco, o xamanismo e a liderança. De fato, os Kaingang relacionam-se entre si e com os Outros, que compõem seu cosmos, a partir da interação entre os que pertencem a uma ou outra metade, dos kujá (xamã) e dos pa i (cacique) que se articulam, nesse caso, para fundar aldeias na região litorânea. ___________________________________________________________________________________ ABSTRACT / This research was distributed throughout a period of six years with Kaingang in Rio Grande do Sul coastal area. In a first moment, it is about the analysis of the use of some spatial notions by this southern Jê group, in order to designate camps and villages – ëmã, ga, vãre. When they were building these camps and villages in this area it could be verified the importance of these notions. In a second moment, I tried to understand how these notions are connected with time. That connection – space-time – is interpreted according to ethnological data which indicate forms of social relation between Kaingang founded in the reciprocity of kamë and kanhru krë, patrilinearity and exogamic moieties. This reciprocity is constantly affirmed in the contexts intra and inter village through etiquette rules and institutional arrangement which involve, mainly, kinship, shamanism and leadership. In fact, Kaingang have relationships among themselves and with Others, who compose their cosmos, based on the interaction between those who belong to this or that moiety, kujá (xamã) and pa i’s (cacique) who articulate themselves, in this case, to found villages in the coastal area.

Page generated in 0.0435 seconds