• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 35
  • Tagged with
  • 38
  • 38
  • 38
  • 27
  • 21
  • 20
  • 19
  • 18
  • 15
  • 11
  • 10
  • 9
  • 8
  • 6
  • 6
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Diagnóstico da necessidade de prótese dentária em Índios Kiriri

Maia, Wolf Wanderley Borges January 2014 (has links)
Submitted by Programa de Pós-Graduação em Odontologia Saúde (mestrodo@ufba.br) on 2017-03-06T12:48:41Z No. of bitstreams: 1 PDF Final.pdf: 3639527 bytes, checksum: 02e0504bfef583c93803636c1ebe01f2 (MD5) / Approved for entry into archive by Delba Rosa (delba@ufba.br) on 2017-03-22T12:20:22Z (GMT) No. of bitstreams: 1 PDF Final.pdf: 3639527 bytes, checksum: 02e0504bfef583c93803636c1ebe01f2 (MD5) / Made available in DSpace on 2017-03-22T12:20:22Z (GMT). No. of bitstreams: 1 PDF Final.pdf: 3639527 bytes, checksum: 02e0504bfef583c93803636c1ebe01f2 (MD5) / CAPES / O objetivo deste trabalho foi avaliar a necessidade e tipo de tratamento reabilitador por prótese dentária em indígenas Kiriri, além de estimar o custo da reabilitação nesta população. A população total da aldeia foi de 2.182 indivíduos, destes 1.025 estavam na idade adulta (≥ 19 anos). Uma amostra representativa de 225 indivíduos adultos foi aleatoriamente selecionada. O exame dos voluntários foi realizado por examinadores previamente calibrados. As seguintes variáveis independentes foram avaliadas: Sexo, renda, idade, nível de escolaridade, tabagismo, diabetes, consulta odontológica prévia, profundidade de sondagem, nível clínico de inserção e índice de placa, além da experiência de cárie e dentes ausentes. Para o planejamento protético foi realizada a análise do nível clínico de inserção dos dentes remanescentes e a presença de cáries extensas para a indicação de exodontias, além da distribuição dos dentes remanescentes e dos espaços edêntulos nos arcos dentários. Análises bivariadas e modelos de regressão logística foram utilizados para a verificação da influência das variáveis independentes na necessidade e tipo de tratamento protético. Para a análise da diferença de custos em relação às variáveis independentes, foi utilizado o teste “t” ou Mann- Whitney. Os resultados demonstraram que 83% dos indivíduos necessitavam de algum tipo de tratamento protético. A regressão logística revelou que os indivíduos do sexo masculino, com idade ≥ 35 anos, com maior experiência de cárie foram os que mais necessitavam de reabilitação por prótese dentária. As demais variáveis independentes não apresentaram associação com a necessidade de tratamento (p≥0,49). De uma maneira geral, a maior necessidade foi por próteses removíveis sendo que as mulheres, indivíduos com idade ≥ 35 anos, fumantes, indivíduos com maior experiência de cárie e/ou com maior índice de placa e com periodontite foram os que mais necessitavam deste tipo de reabilitação. O custo estimado para reabilitação foi de R$ 80.310,00 e o custo per capta de R$ 429,47. A idade elevada representou um custo de reabilitação 17% mais alto, assim como a baixa escolaridade (5%), o tabagismo (1%), o alto índice de placa (8%), diagnóstico de periodontite moderada ou severa (7%) e a maior experiência de cárie (9%). As demais variáveis independentes não foram associadas com o custo (p=0,87). Concluise, portanto que a necessidade e custos da reabilitação protética nesta população foram altas e estavam associados com o sexo masculino, a idade elevada, baixa escolaridade, tabagismo, alto índice de placa, alta experiência de cáries e diagnóstico de periodontite moderada ou grave. Além disto, as próteses parciais removíveis foram as mais necessárias. Os resultados encontrados podem ser utilizados para direcionar e empenhar recursos destinados ao serviço de saúde pública no sentido de promover ações preventivas e curativas e para favorecer os grupos de alto risco da comunidade indígena estudada. / The aim of this study was to assess the needs for prosthetic treatment in Kiriri Indians. The total population of the village is 2182 individuals, of these 1025 are in adults (≥ 19 years). The sample size was 225 adults, randomly selected Kiriri Indians located in the northern of Bahia State. Examination of the volunteers was conducted by examiners previously calibrated. Sex, age, probing depth, clinical attachment level and plaque index and the caries experience were evaluated. The prosthetic planning was based on clinical attachment level of the remaining teeth and its caries extent for indication of exodontia, as well as their distribution in the dental arches. Bivariate analysis and logistic regression models were used to check the influence of variables with the need for prosthetic treatment. The results showed that 83% of individuals need some kind of prosthetic treatment. Logistic regression revealed that male individuals, aged ≥ 35 years with 3 or more carious lesions are at higher risk for need of rehabilitation by dental prosthesis. In general, the greatest need was for removable partial dentures, and women, individuals aged ≥ 35 years, smokers, and participants high caries experience and higher plaque index, with periodontitis, had greater need for this type of rehabilitation. The estimated cost for rehabilitation of the sample was R $ 80,310.00 and the cost per capta of R $ 429,47. The variables income, sex and previous dentist visiting showed no association with the type of prosthetic rehabilitation. However advanced age represented a rehabilitation cost 17 % higher as well as lower education (5%) , smoking (1% ) , high plaque index (8% ) , moderate or severe periodontitis (7%) and high caries activity (9%) The other independent variables were not associated with the cost (p ≥ 0.87). It can be concluded that the need and costs of prosthetic rehabilitation in this population was high and was associated with male gender, advanced age, education, smoking, high plaque index with high caries experience and diagnosis of moderate or severe periodontitis. In addition, the removable partial dentures were the most frequently necessary. These results can be used to direct and commit resources for the public health service to promote preventive and curative actions and to encourage high-risk groups of Indian community studied.
2

O suicídio Ticuna na regiäo do Alto Solimöes-AM / The Ticuna suicide in the Alto Solimöes-AM region

Erthal, Regina Maria de Carvalho January 1998 (has links)
Made available in DSpace on 2012-09-05T18:23:48Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) 33.pdf: 3419262 bytes, checksum: 399fbe9caed5da345524d1d43fcb4537 (MD5) Previous issue date: 1998 / Busca um entendimento do suicídio entre os índios Ticuna do Alto Solimöes-AM, objeto de difícil aproximaçäo, que aponta para a necessidade de uma abordagem interdisciplinar. Realiza uma avaliaçäo crítica da utilizaçäo do conceito de anomia para a análise do suicídio indígena, na medida em que este näo permite explicitar as relaçöes de desigualdade na qual estäo encravadas as supostas "inadaptaçöes" das populaçöes indígenas. A proposta encaminhada é de se trabalhar com um modelo que permita a percepçäo dos indivíduos como "atores" em cada "situaçäo histórica", capazes de produzir mudanças na alocaçäo de recursos e criaçäo de novos arranjos políticos. A etnoia realizada preocupa-se em captar as vinculaçöes entre os eventos de suicídio e violência desta última década, com a exacerbaçäo dos confrontos entre diferentes grupos faccionais que atualizam, em outro contexto histórico, os mecanismos de resoluçäo de conflitos próprios das antigas malocas. Na base desses confrontos está o abandono a que esta populaçäo tem sido submetida pelos órgäos responsáveis pela definiçäo e implementaçäo das políticas públicas para as populaçöes indígenas, com especial destaque para a falência do modelo de assistência à saúde proposto para a área do Alto Solimöes.
3

Prevalência e fatores associados à pressão arterial elevada no povo indígena Xukuru do Orubá, Pesqueira-PE,2010 / Prevalence of high bloond pressure and associated factors among the Xukuru do Ororubá indigenous population, Pesqueira-PE

Barbosa, Jessyka Mary Vasconcelos January 2013 (has links)
Made available in DSpace on 2015-11-11T12:04:10Z (GMT). No. of bitstreams: 2 25.pdf: 2122558 bytes, checksum: aaa5b325154e22ed40035c6a0cce6dff (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2013 / Fundação Oswaldo Cruz. Centro de Pesquisas Aggeu Magalhães. Recife, PE, Brasil / Doenças cardiovasculares são as principais causas de morte no mundo e a pressão arterial (PA) elevada e um dos seus principais fatores de risco. As mudanças no estilo de vida das populações indígenas parecem contribuir para uma transição no perfil epidemiológico com emergência de doenças cronicas não transmissíveis, como a PA elevada. Diante disso, objetivou-se verificar a prevalência de PA elevada e seus fatores associados no povo indígena Xukuru do Ororuba, Pesqueira-PE. Para tanto, realizou-se um estudo transversal no povo Xukuru com idade igual e superior a 18 anos. Os dados relativos as variáveis sociodemograficas, econômicas e comportamentais foram coletados através de questionário estruturado. A PA foi medida duas vezes utilizando tensiometro digital profissional. Aqueles que apresentaram PA sistolica .140 mmHg e/ou PA diastolica .90 mmHg e/ou sob utilização de medicamento anti-hipertensivo, foram considerado com PA elevada. A analise dos dados foi efetuada com a utilização dos programas SPSS para Windows (versao 16) e Stata versao 10.1. O efeito de fatores estudados sobre a PA elevada foi estimado por meio de regressão de Poisson simples e as variáveis que apresentaram p0,25 foram selecionadas para as analises múltiplas, seguindo um modelo hierarquizado para entrada das variáveis, considerando um nível de significância de 5 por cento. A prevalência de PA elevada foi de 29,9 por cento. Os fatores associados a PA elevada após ajuste foram: aqueles nas faixas etárias mais avançadas, 30-39 anos (RP)
4

Parasitoses Intestinais entre os Índios Suruí, Região Amazônica, Brasil / Parasitoses intestinal between the Indians Suruí, Amazonian Region, Brazil

Silva, Cassius Schnell Palhano January 2006 (has links)
Made available in DSpace on 2012-09-06T01:11:29Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) 913.pdf: 7593708 bytes, checksum: 2f34195bc20a030f18ae9b5e7f19b8e1 (MD5) Previous issue date: 2006 / Sedentarização, poluição do peridomicílio e precariedade de saneamento, são fatores que contribuem para a contaminação ambiental e intensificação da transmissão das enteroparasitoses entre populações indígenas no Brasil. Este inquérito parasitológico foi realizado na etnia Suruí, situada no Estado de Rondônia, Região Amazônica brasileira, em fevereiro e março de 2005. Ênfase foi dado ao diagnóstico da infecção pelo protozoário Entamoeba histolytica, agente etiológico da amebíase, importante causa de morbi-mortalidade por diarréia no mundo. Procurou-se distinguir infecções por Entamoeba histolytica e Entamoeba dispar através de métodos moleculares. (...) Dentre os possíveis determinantes desta transição estão o uso de tratamento anti-helmíntico em massa e transformações nas habitações dos Suruí. Contudo, outros fatores devem ser analisados, uma vez que o emprego irregular do tratamento em massa nesta comunidade não haveria de ser suficiente para manter tamanho controle das helmintíases. A ausência de infecções por Ascaris lumbricoides e Trichuris trichiura indica ainda uma nova situação, onde outros parasitos tendem a ocupar o lugar destes dois agentes comuns, surgindo como infecções emergentes.
5

Mortalidade infantil e alguns indicadores demográficos da população indígena do Distrito Sanitário Especial Indígena do Leste de Roraima, Brasil, 2002 a 2004 / Infant mortality and demographic indicator of the indigenous population of the Native Special Sanitary District of the East of Roraima, Brazil, 2002 to 2004

Costa, Ipojucan Carneiro da January 2006 (has links)
Made available in DSpace on 2012-09-06T01:11:53Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) 885.pdf: 856766 bytes, checksum: 62588b753e344030668a5e6f7da6671a (MD5) Previous issue date: 2006 / O objetivo deste estudo é descrever o perfil de mortalidade e outros indicadores demográficos, dando maior enfoque à descrição da mortalidade infantil e seus componentes neonatal e pós-neonatal, de uma população indígena atendida pelo Distrito Sanitário Especial Indígena do Leste do Estado de Roraima. A população é estimada em 31.000 habitantes, com cerca de seis grupos étnicos (Macuxi, Wapixana, Taurepang, Ingaricó, Patamona, Wai-Wai). As fontes de dados utilizadas são oriundas dos boletins de nascimento, óbito e de estimativas populacionais no período compreendido de 2002 a 2004. A população apresentou uma composição etária predominantemente de jovens, onde 52 por cento da população tinham menos de 15 anos de idade. Observaram-se taxas brutas de natalidade e de mortalidade de 42,1 nascimentos e 5,2 óbitos por mil habitantes. A mortalidade infantil foi 50,0 por mil nascidos vivos. Foi observado que 47 e 42 por cento do total de óbitos em menores de 1 ano estavam concentrados nos componentes neonatal precoce e pós-neonatal, respectivamente. A taxa de mortalidade perinatal observada foi de 38,9 crianças por mil nascimentos. A primeira causa de óbito registrada é relacionada a algumas afecções originadas no período perinatal seguidas das doenças respiratórias. Ressalta-se ser de fundamental importância o desenvolvimento de estudos direcionados à análise de dados sobre eventos vitais, com enfoque sobre os principais elementos da dinâmica populacional indígena no sentido de viabilizar planejamentos mais adequados às ações de saúde.
6

A saúde Bucal dos Índios Guarani no Estado do Rio de Janeiro / The oral health in Guarani Indians in the state of Rio de Janeiro

Alves Filho, Pedro January 2007 (has links)
Made available in DSpace on 2012-09-06T01:11:56Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) 965.pdf: 1399027 bytes, checksum: d991d848bfb227e7a9d33be1f2081191 (MD5) Previous issue date: 2007 / No Brasil, ainda existe uma situação epidemiológica pouco favorável na saúdebucal, com um sistema de atenção odontológica insatisfatório. Não há estudos suficientes sobre a saúde bucal dos povos indígenas que forneçam subsídios para traçar um completo perfil epidemiológico das patologias bucais encontradas nessas sociedades. Este estudo teve por objetivo descrever a situação de saúde bucal dos índios Guarani do Estado do Rio de Janeiro e analisar as doenças bucais de maiorprevalência que atingiram essa população pela realização de um inquérito epidemiológico. Foi observado um crescimento dos valores do CPO-D, a partir dos 6 anos de idade. A perda dentária também foi identificada, surgindo na infância, evoluindo paulatinamente nas idades posteriores e atingindo mais da metade dos elementos dentários a partir dos 25 anos. As crianças e adolescentes Guarani, do Rio de Janeiro, demonstraram um CPO-D inferior à média nacional. (...) Os adultos apresentaram uma média de CPO-D inferior à média nacional. As mulheres Guarani apresentaram sangramento gengival em todas as faixas etárias, enquanto que entre os homens foi observada uma freqüência menos expressiva. (...) O estudo contribuiu para mostrar a importância dacontinuidade de ações preventivas e de acesso ao tratamento. O investimento nas ações educativas e de promoção à saúde também é fundamental na melhoria da saúde bucal dos Guarani e exige uma percepção mais global que não se limite aos aspectos técnicos da odontologia. A promoção à saúde deve se dar desde o início da infância e mais ainda, desde o início do pré-natal e da gestação. Para tanto, devem ser implementadas políticas que garantam a continuidade da atenção, particularmente no que se refere à gestão dos recursos humanos que atuam na saúde indígena, por meio de educação permanente e de uma política de desprecarização do trabalho.
7

A Saúde Bucal do Povo Indígena Xukuru do Ororubá na Faixa Etária de 10 a 14 anos / The oral health of the indigenous people Xukuru do Ororubá in age group 10-14 years

Mauricio, Herika de Arruda January 2012 (has links)
Made available in DSpace on 2015-05-19T13:30:30Z (GMT). No. of bitstreams: 2 403.pdf: 2143720 bytes, checksum: c5d4971bf154ad17873a471330566252 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2012 / Fundação Oswaldo Cruz. Centro de Pesquisas Aggeu Magalhães. Recife, PE, Brasil / Introdução: Este trabalho busca difundir conhecimento acerca das condições de saúde bucal de povos indígenas no Brasil, especialmente na região nordeste e no Estado de Pernambuco. A partir do povo Xukuru do Ororubá, que constitui o maior contingente populacional étnico indígena no Estado de Pernambuco, realizou-se um estudo epidemiológico buscando melhor compreender a configuração do padrão de saúde bucal. Objetivo: Analisar a ausência de cárie e fatores associados do povo indígena Xukuru do Ororubá na faixa etária de 10 a 14 anos. Método: Trata-se de um estudo de corte transversal de base populacional, desenvolvido nos limites da Terra Indígena Xukuru no período de janeiro a março de 2010. Foram realizados exames bucais em um total de 233 indígenas da faixa etária de 10 a 14 anos. Os dados coletados foram estruturados no software Epi-Info versão 3.4 (2007), sendo utilizado o programa estatístico SPSS 13.0(R) para análise descritiva dos dados. Posteriormente, no sentido de medir o efeito dos fatores associados à ausência de cárie, foram testados modelos log-lineares de Poisson multiníveis com o auxílio do programa estatístico MLwiN 2.02(R). Resultados: Os exames bucais realizados identificaram Índice CPO-D médio de 2,38 (±2,62). Entre todos os indivíduos examinados, 26,61 por cento apresentaram-se livres de cárie. A análise múltipla revelou associação das variáveis menor média de habitantes por domicílio nas aldeias, menor número de moradores por domicílio, maior renda per capita, menor idade, sexo feminino, saber ler e escrever, maior satisfação com os dentes/boca, não deixar de dormir devido a problemas bucais, nunca ter ido ao dentista, não ocorrência de dor de dente e não necessitar de tratamento odontológico com a ausência de cárie. Conclusão: O estudo possibilitou quantificar a força de associação dos aspectos contextuais e individuais sobre a saúde bucal do povo indígena Xukuru do Ororubá
8

Mortalidade por cor ou raça, com foco nos indígenas: perspectivascomparativas entre o Censo Demográfico de 2010 e Sistemas Nacionais de Informação em Saúde / Mortality by color or race, focusing on indigenous: perspectives comparative between Census 2010 and National Health Information Systems

Caldas, Aline Diniz Rodrigues January 2014 (has links)
Made available in DSpace on 2016-03-15T14:15:03Z (GMT). No. of bitstreams: 2 157.pdf: 1372339 bytes, checksum: 252d75a004a1add9194a57feb81c0a25 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2014 / Desigualdades nas condições de vida, considerando variáveis como cor ou raça e etnia,vêm sendo crescentemente investigadas no Brasil ao longo dos últimos anos. No caso do segmento indígena, uma importante limitação é quanto à disponibilidade de dados para subsidiar tais análises. Esta tese, estruturada na forma de três artigos, aborda, a partir de bases de dados de representatividade nacional, indicadores de saúde, com foco na mortalidade de indígenas. No primeiro, foram investigadas as taxas de mortalidade(TM) geral padronizadas, bem como as TM por faixas de idade segundo cor ou raça para o Brasil e regiões, a partir dos dados do universo do Censo de 2010 em comparação com o Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM). A partir do Censo,as TM padronizadas mais elevadas foram apresentadas por indígenas nos domicílios urbanos, no Brasil e em todas as regiões, exceto no Norte, e nos domicílios rurais no Sudeste. No segundo, foram comparados os níveis da mortalidade infantil a partir dos dados do Censo 2010 e daqueles derivados do SIM e do Sistema Nacional sobre Nascidos Vivos (SINASC) para o mesmo período. Segundo os dados censitários, em todas as regiões, para os indígenas, as taxas de mortalidade infantil (TMI) foram mais elevadas do que nos demais segmentos populacionais, correspondendo a 23,0óbitos/1000 nascidos vivos no país. A partir do SIM/SINASC, as TMI para os indígenas foram mais elevadas que aquelas derivadas dos dados censitários, correspondendo a40,6/1000 no país. Em comparação com os demais segmentos de cor ou raça as TMI dos indígenas foram mais elevadas em todas as regiões, exceto no Nordeste. / No terceiro trabalho, a mortalidade infantil foi analisada segundo componentes e causas básicas de óbitos, de acordo com a cor ou raça, a partir das informações do SIM e do SINASC nos anos de 2009 e 2010. Para o período neonatal, as taxas de mortalidade mais elevadas foram observadas em indígenas e pretos em todas as regiões, exceto no Norte. No período pós-neonatal, as TM dos indígenas foram as mais elevadas em todas as regiões, sendo 5,4 vezes superior àquela da população brasileira geral. De todos os óbitos em indígenas menores de 1 ano de idade, 61,0 por cento ocorreram neste período. Quanto às causas básicas de mortalidade segundo componentes, no período neonatal precoce a prematuridade foi a principal na população em geral, enquanto nos indígenas prevaleceu a asfixia/hipóxia. Nos períodos neonatal tardio e pós-neonatal, as infecções foram as principais causas em todas as categorias de cor ou raça. Entretanto, nos indígenas as infecções corresponderam a mais de 50 por cento das causas de óbitos no período pós-neonatal. Conclui-se que os indicadores analisados apontam para expressivas desigualdades entre indígenas e os demais segmentos da população brasileira e que, de maneira geral, ações de atenção básica efetivas, comparativamente de baixo custo, poderiam em larga medida contribuir para a redução dessas desigualdades. Apesar de os princípios da equidade e da atenção diferenciada serem norteadores do Subsistema de Atenção à Saúde Indígena, as elevadas taxas de mortalidade infantil de indígenas indicam que as ações de saúde para este segmento populacional ainda estão bastante distantes de reduzir as iniquidades existentes.
9

Determinantes sociais e iniquidades em saúde bucal indígena: uma coorte com os índios Guarani no Estado do Rio de Janeiro / Social determinants and health inequalities in oral indigenous: a cohort with the Guarani Indians in the State of Rio de Janeiro

Alves Filho, Pedro January 2012 (has links)
Made available in DSpace on 2016-06-15T17:41:55Z (GMT). No. of bitstreams: 2 742.pdf: 2952764 bytes, checksum: f5413dbe6b3ea2d3d3d4596903cfbda0 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2012 / Made available in DSpace on 2016-07-05T22:26:25Z (GMT). No. of bitstreams: 3 742.pdf.txt: 328591 bytes, checksum: d5fd124f34a086618cc2cd3cad018c58 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) 742.pdf: 2952764 bytes, checksum: f5413dbe6b3ea2d3d3d4596903cfbda0 (MD5) Previous issue date: 2012 / A cárie dentária é o mais grave problema de saúde bucal, pois uma de suas consequências, o edentulismo (perda de dentes), retrata o caráter iníquo de sua relação com uma boa condição de saúde. A despeito das melhorias encontradas nas condiçõesde saúde bucal de vários países, tanto nos desenvolvidos quanto naqueles emdesenvolvimento, a prevalência de cárie e doenças periodontais ainda é expressiva na população de baixa renda, exercendo um papel importante como indicador de desigualdades. A literatura sobre a saúde bucal indígena sugere que a desigualdade das condições de saúde bucal decorre de muitos fatores, entre os quais: diferentes relações de contato, desigualdades socioeconômicas, culturais e ambientais. Partindo destapremissa, esta tese fundamentou-se em três estudos: (1) revisão sistemática sobre fatores associados à cárie dentária e doença periodontal em populações indígenas na AméricaLatina; (2) ecológico, para investigar a associação entre determinantes socioambientais e a ocorrência da cárie dentária em povos indígenas no Brasil; (3) coorte prospectiva, para investigar a associação entre determinantes sociais e a incidência de cárie dentáriaentre os índios Guarani no Pólo-Base de Angra dos Reis, Estado do Rio de Janeiro. As evidências encontradas na revisão sistemática indicam importantes desigualdades na saúde bucal entre diferentes povos indígenas em alguns países da América Latina. Osresultados do estudo ecológico sugerem que existem piores condições de saúde bucal em comunidades indígenas que mantêm certas características: (1) habitações com coberturas que utilizam materiais de origem vegetal; (2) presença de escola nas aldeias;(3) não dispõem de eletrificação; (4) que residem em certas regiões do país, como é o caso da Amazônia. Os resultados da análise multinível do estudo de coorte assinalam aassociação entre desigualdades sociodemográficas e a incidência de cárie dentária na etnia Guarani no estado do Rio de Janeiro. / As estimativas encontradas indicam queexistem piores condições de saúde bucal nas aldeias que não possuem escolafuncionando regularmente (...), com risco de cárie em adolescentes e adultosacima de quatro vezes maior em relação aos encontrados nas crianças guarani da coorte (...). A partir dos resultados observados, Conclui-se que a redução das desigualdades na distribuição da cárie dentária exige políticas e ações voltadas para a promoção da saúde, de forma a evitar que essas desigualdades transformem-se em iniquidades em saúde.
10

Demoia e saúde dos índios Xavante do Brasil Central / Demography and health of the Xavante indians of Central Brazil

Souza, Luciene Guimarães de January 2008 (has links)
Made available in DSpace on 2012-09-05T18:24:03Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) 346.pdf: 2213145 bytes, checksum: 44ed31d32baef4366a3ec3319f4b97d7 (MD5) Previous issue date: 2008 / Nos últimos anos tem havido um crescente número de estudos que tratam de aspectos demográficos dos povos indígenas no Brasil. Uma das questões demográficas mais assinaladas é o rápido crescimento demográfico de muitas etnias indígenas. No entanto, pouco se sabe sobre os componentes da dinâmica demográfica responsável poreste processo. Neste trabalho investigamos características do comportamento demográfico dos Xavante, povo indígena localizado na região central do Brasil, em Mato Grosso, no período de 1999 a 2004. Apresenta-se também uma análise do perfil demográfico de três aldeias Bororo no período de 1993 a 1996. As fontes de informações utilizadas são o censo populacional e o registro de eventos vitais. Os resultados mostram uma estrutura etária típica de povos indígenas que se encontra emprocesso de recuperação populacional, destacando-se altos níveis de fecundidade (8,2 filhos nascidos vivos por mulher) mortalidade em declínio. Contudo, as taxas de mortalidade, particularmente a infantil (96,7 por mil nascimentos vivos), ainda seapresentam em níveis bastante elevados, em muito superando as médias nacionais. Os óbitos em menores de um ano estiveram concentrados no componente pós-neonatal e neonatal precoce, os quais corresponderam a cerca de 67,9 por cento e 20,6 por cento dos óbitos infantis registrados. Foi possível comprovar um comportamento demográfico caracterizado porelevados níveis de natalidade, resultando em uma estrutura etária bastante jovem. Em comparação com a população brasileira, os Xavante apresentam elevadas taxas decrescimento populacional, com crescimento médio de 4,4 por cento ao ano. A alta natalidade observada entre os Xavante se reflete na elevada proporção de população com idadeinferior a 15 anos (53,4 por cento) e uma idade mediana de 13 anos. As taxas de mortalidade sinalizam para uma concentração de óbitos em crianças, sobretudo naquelas menores de cinco anos de idade. / O crescimento vegetativo foi o principal fator responsável pelo crescimento populacional, considerando que as migrações externas, entradas e saídaspara áreas não-xavante ou para áreas urbanas foram irrelevantes. Além do aumento populacional, houve um aumento expressivo no número de novas aldeias, o que se associa ao faccionalismo político que se encontra bem descrito na literatura etnológicasobre os Xavante. Destaca-se a importância da coleta e análise sistemáticas de dados demográficos para o aprimoramento dos registros e sua utilização pelos serviços de atenção à saúde indígena, informações estas de fundamental importância para oplanejamento, o monitoramento e a avaliação das atividades e programas de saúde.

Page generated in 0.0764 seconds