• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 67
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 68
  • 50
  • 47
  • 24
  • 24
  • 23
  • 20
  • 16
  • 14
  • 12
  • 10
  • 9
  • 9
  • 8
  • 8
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
41

Contribuições ao estudo da nefropatia diabética : estudo evolutivo da função renal em pacientes proteinuricos; efeito da qualidade de proteina na função renal de pacientes microalbuminuricos; atividade do sistema de contratransporte de sodio-litio

Friedman, Rogério January 1995 (has links)
Proteinúria (micro- e macroalbuminúria) identifica pacientes diabéticos com nefropatia diabética e/ou risco de doença cardiovascular e morte. Os três estudos que compõem este trabalho exploram aspectos de curso evolutivo, possibilidades de intervenção precoce e marcadores de predisposição para estas complicações. / Proteinuria (micro- and macroalbuminuria) identifies diabetic patients with nephropathy and/or those at risk of cardiovascular disease and death. The three studies that are part of this work explore aspects o f the evolution of kidney function, possibilities of early intervention, and markers of predisposition for these complications.
42

Efeito da fibra alimentar em pacientes com diabetes melito : avaliação aguda da resposta glicêmica e insulinêmica e revisão sistemática de desfechos renais

Carvalho, Cláudia Mesquita de January 2018 (has links)
Resumo não disponível.
43

Associação do grau de albuminúria com nível de atividade física e capacidade funcional em portadores de hipertensão arterial / Association of the degree of albuminuria with level of physical activity and functional capacity in patients with arterial hypertension

Meira, Tani Roberto Neres 22 February 2018 (has links)
Submitted by TANI ROBERTO NERES MEIRA null (tani.meira@yahoo.com.br) on 2018-04-09T21:29:57Z No. of bitstreams: 1 MESTRADO PÓS DEFESA.pdf: 803994 bytes, checksum: 5f2313980e254d737ac2088a7c4749dd (MD5) / Approved for entry into archive by ROSANGELA APARECIDA LOBO null (rosangelalobo@btu.unesp.br) on 2018-04-10T12:44:29Z (GMT) No. of bitstreams: 1 meira_trn_me_bot.pdf: 803994 bytes, checksum: 5f2313980e254d737ac2088a7c4749dd (MD5) / Made available in DSpace on 2018-04-10T12:44:29Z (GMT). No. of bitstreams: 1 meira_trn_me_bot.pdf: 803994 bytes, checksum: 5f2313980e254d737ac2088a7c4749dd (MD5) Previous issue date: 2018-02-22 / Introdução: A Doença Renal Crônica é um importante problema de saúde em todo o mundo, com repercussões sistêmicas de evolução progressiva, ocasionada em grande parte dos casos pelos efeitos deletérios renais da hipertensão arterial. É possível destacar o declínio funcional, como o principal ponderador para elevação das taxas de morbidade e mortalidade. Que reporta a necessidade de métodos que visem prevenir, retardar ou minimizar os agravos renais e cardiovasculares. Objetivo: Analisar a associação da albuminúria com o nível de atividades físicas e capacidade funcional em indivíduos portadores de hipertensão arterial. Materiais e métodos: Foi realizado um estudo transversal, com casuística composta por pacientes hipertensos, de todas as unidades de saúde de Itaí, com idade mínima de 18 anos, com algum grau de albuminúria, avaliados através do uso de fita reagente e quantificada pelo exame de urina 24 horas, o nível de atividades físicas foi avaliado com uso do questionário internacional de atividades física IPAQ, a capacidade funcional foi avaliada através da execução do teste de caminhada de seis minutos (TC6), o índice de dispneia pela escala modificada de Borg e a rigidez arterial foi aferida através da velocidade de onda de pulso (VOP). Para análise dos dados os indivíduos foram divididos em três grupos em conformidade ao grau de albuminúria, sendo <10mg/24h, 10mg/24h a <30mg/24h e 30mg/24h ou valores superior. As variáveis categóricas foram expressas por números absolutos e porcentagem e comparadas pelo teste do qui-quadrado. As variáveis contínuas e de distribuição paramétrica foram comparadas pela análise de variância de uma via e expressos em média e desvio padrão. As variáveis contínuas e de distribuição não paramétrica foram comparadas pela análise de variância para dados não paramétricos e expressos em mediana e intervalo interquartílico. A significância estatística foi definida ao nível de 0,05. Resultados: Foram analisados 231 pacientes hipertensos, destes 53 apresentavam proteinúria ao exame de urina tipo 1 e 44 concluíram as avaliações propostas. Não foram encontrados valores significantes na associação entre a albuminúria e nível de atividade física, capacidade funcional no TC6 e suas variáveis hemodinâmicas, aos valores antropométricos, ao índice de rigidez arterial, a pressão arterial central, classes de anti-hipertensivos, exames laboratoriais taxa de filtração glomerular. Houve associação entre albuminúria e maior nível da pressão arterial periférica sistólica com valor de p=0,02, bem como índice de dispneia na escala de esforço nos momentos de repouso e posterior ao esforço da execução do TC6 com valores de p=0,02 e p<0,01 respectivamente. Conclusão: Não houve associação do grau de albuminúria com nível de atividade física ou capacidade funcional de pacientes hipertensos. Com isto, é possível crer na hipótese que a execução de atividades físicas não esteja associada ao aumento da albuminúria, assim, a inserção de atividades físicas pode ser um método seguro quanto à albuminúria no manejo da DRC, sendo necessário um estudo prospectivo de intervenção para melhor análise desta informação / Introduction: Chronic Kidney Disease is a major health problem worldwide, with systemic and progressive repercussions, due in large part to the deleterious effects of hypertension. Among its repercussions it is possible to highlight the functional decline, as the main weight for raising morbidity and mortality rates. That reports the need for methods that aim to prevent, delay or minimize renal and cardiovascular diseases. Objective: To analyze the association of albuminuria with the level of physical activity and functional capacity in individuals with arterial hypertension. Materials and methods: A cross-sectional study was carried out with a sample of hypertensive patients from all health units of Itaí, with a minimum age of 18 years, with some degree of albuminuria, evaluated using reagent tape and quantified by the examination Of 24-hour urine, the level of physical activity was assessed using the IPAQ international physical activity questionnaire, functional capacity was assessed by performing the six-minute walk test (MWT), dyspnea index using the modified Borg scale And arterial stiffness was measured by pulse wave velocity (PWV). For data analysis, subjects were divided into three groups according to albuminuria, being <10mg / 24h, 10mg / 24h at <30mg / 24h and 30mg / 24h or higher values. Categorical variables were expressed by absolute numbers and percentage and compared by the chi-square test. The continuous and parametric distribution variables were compared by the analysis of one-way variance for repeated data and expressed in mean and standard deviation. The continuous and non-parametric variables were compared by analysis of variance for non-parametric data and expressed in median and interquartile range. Statistical significance was set at the 0.05 level. Results: A total of 231 hypertensive patients were analyzed, 53 of them had some degree of proteinuria and 44 completed the proposed evaluations. No significant values were found in the association between albuminuria in relation to physical activity level, functional capacity at MWT and its hemodynamic variables, anthropometric values, arterial stiffness index, central arterial pressure, antihypertensive class, laboratory tests And for glomerular filtration rate. Except for the association between albuminuria with a higher systolic peripheral blood pressure level of p = 0,02 and for the dyspnea index in the exertion scale at the moments before and after the MWT with values of p = 0,02 and p <0,01 respectively. Conclusion: There was no association between the degree of albuminuria in hypertensive patients, in response to the level of physical activity and functional capacity of the individuals. Thus, it is possible to believe that physical activity is not associated with increased albuminuria, so possibly physical activity insertion may be an effective method for the management of CKD, and a prospective intervention study is necessary to better analyze this information.
44

Associação do grau de albuminúria com nível de atividade física e capacidade funcional em portadores de diabetes mellitus / Association of the degree of albuminuria with level of physical activity and functional capacity in patients with diabetes mellitus

Daniel, Juliana Maria Rodrigues 22 February 2018 (has links)
Submitted by JULIANA MARIA RODRIGUES DANIEL null (juhrodriguess2@hotmail.com) on 2018-04-10T14:12:54Z No. of bitstreams: 1 Dissertação_jufinal.pdf: 777093 bytes, checksum: ec4f007a485719ddaa9a669b5cc08706 (MD5) / Approved for entry into archive by Luciana Pizzani null (luciana@btu.unesp.br) on 2018-04-10T19:36:57Z (GMT) No. of bitstreams: 1 daniel_jmr_me_bot.pdf: 777093 bytes, checksum: ec4f007a485719ddaa9a669b5cc08706 (MD5) / Made available in DSpace on 2018-04-10T19:36:57Z (GMT). No. of bitstreams: 1 daniel_jmr_me_bot.pdf: 777093 bytes, checksum: ec4f007a485719ddaa9a669b5cc08706 (MD5) Previous issue date: 2018-02-22 / Introdução. A doença renal crônica (DRC) representa um grave problema de saúde pública, que tem afetado milhões de pessoas em todo o mundo, gerando impacto negativo tanto na qualidade, como na quantidade de vida de seus portadores. É causada em grande parte dos casos pela nefropatia diabética. É possível destacar o declínio funcional como importante fator para elevação das taxas de morbidade e mortalidade. Desta forma, é possível ressaltar a importância da reabilitação física para saúde destas pessoas. Contudo há a necessidade de maior esclarecimento sobre as repercussões do treinamento físico em relação à proteinúria, que constitui indicador adverso de lesão renal na DRC. Objetivo. Avaliar a associação entre atividade física e capacidade funcional com albuminúria em portadores de diabetes mellitus. Materiais e métodos. Foi realizado um estudo transversal, com casuística composta por pacientes diabéticos, de todas as unidades de saúde de Itaí, com idade mínima de 18 anos, com algum grau de albuminúria, avaliados através do uso de fita reagente e quantificada pelo exame de urina 24 horas, o nível de atividades físicas foi avaliado com uso do questionário internacional de atividades física IPAQ, a capacidade funcional foi avaliada através da execução do teste de caminhada de seis minutos (TC6), o índice de dispneia pela escala modificada de Borg e a rigidez arterial foi aferida através da velocidade de onda de pulso (VOP), índice de amplificação e pressão arterial central. Para análise dos dados os indivíduos foram divididos em três grupos em conformidade ao grau de albuminúria, sendo <10mg/24h, entre 10mg/24h e <30mg/24h e igual ou maior que 30mg/24h. As variáveis categóricas foram expressas por números absolutos e porcentagem e comparadas pelo teste do qui-quadrado. As variáveis contínuas e de distribuição paramétrica foram comparadas pela análise de variância de uma via e expressas em média e desvio padrão. As variáveis contínuas e de distribuição não paramétrica foram comparadas pela análise de variância para dados não paramétricos (Kruskal-Wallis) e expressos em mediana e intervalo interquartílico. A significância estatística foi definida ao nível de 0,05. Resultados: Foram analisados 215 pacientes diabéticos, destes 52 apresentaram algum grau de proteinúria e 37 concluíram as avaliações propostas. Não houve associação entre o nível de atividade física e capacidade funcional com pior albuminúria. Dos índices de rigidez arterial, apenas a pressão arterial central teve associação com nível de albuminúria (para pressão arterial sistólica central; p=0,01 e para pressão arterial sistólica central diastólica; p=0,03 respectivamente). Conclusão: Não houve associação entre o nível de atividade física e capacidade funcional com pior albuminúria em portadores de diabetes mellitus. Dos índices de rigidez arterial, apenas a pressão arterial central teve associação com nível de albuminúria. Portanto, os dados do presente trabalho não corroboram a ideia de que a albuminúria possa ser um efeito colateral da atividade física desses pacientes. / Chronic kidney disease (CKD) is a serious public health problem that has affected millions of people worldwide, negatively impacting both the quality and quantity of life of its patients. It is caused in large part by diabetic nephropathy. It is possible to highlight functional decline as an important factor for raising morbidity and mortality rates. In this way, it is possible to emphasize the importance of the physical rehabilitation for health of these people. However, there is a need for greater clarification about the repercussions of physical training on proteinuria, which is an adverse indicator of renal damage in CKD. Goal. To assess the association between physical activity and functional capacity with albuminuria in patients with diabetes mellitus. Materials and methods: A cross-sectional study was carried out with a sample of diabetic patients from all health units of Itaí, with a minimum age of 18 years, with some degree of albuminuria, evaluated through the use of reagent tape and quantified by the urine test 24 hours , the level of physical activity was assessed using the IPAQ international physical activity questionnaire, functional capacity was assessed by performing the six-minute walk test (6MWT), the dyspnea index using the modified Borg scale, and arterial stiffness was measured by pulse wave velocity (VOP), amplification index, and central arterial pressure. For data analysis, subjects were divided into three groups according to the degree of albuminuria, being <10mg / 24h, between 10mg / 24h and <30mg / 24h and equal to or greater than 30mg / 24h. Categorical variables were expressed by absolute numbers and percentage and compared by the chi-square test. The continuous and parametric distribution variables were compared by one-way analysis of variance and expressed in mean and standard deviation. Continuous and nonparametric variables were compared by analysis of variance for non-parametric data (Kruskal-Wallis) and expressed in median and interquartile range. Statistical significance was set at the 0.05 level. Results: A total of 215 diabetic patients were analyzed, 52 of them presented some degree of proteinuria and 37 completed the proposed evaluations. There was no association between the level of physical activity and functional capacity with worse albuminuria. Of the arterial stiffness indexes, only central arterial pressure was associated with albuminuria level (for central systolic blood pressure, p = 0.01 and for central diastolic systolic blood pressure, p = 0.03 respectively). Conclusion: There was no association between the level of physical activity and functional capacity with worse albuminuria in patients with diabetes mellitus. Of the arterial stiffness indexes, only the central arterial pressure was associated with albuminuria level. Therefore, the data of the present study do not corroborate the idea that albuminuria could be a side effect of the physical activity of these patients.
45

Contribuições ao estudo da nefropatia diabética : estudo evolutivo da função renal em pacientes proteinuricos; efeito da qualidade de proteina na função renal de pacientes microalbuminuricos; atividade do sistema de contratransporte de sodio-litio

Friedman, Rogério January 1995 (has links)
Proteinúria (micro- e macroalbuminúria) identifica pacientes diabéticos com nefropatia diabética e/ou risco de doença cardiovascular e morte. Os três estudos que compõem este trabalho exploram aspectos de curso evolutivo, possibilidades de intervenção precoce e marcadores de predisposição para estas complicações. / Proteinuria (micro- and macroalbuminuria) identifies diabetic patients with nephropathy and/or those at risk of cardiovascular disease and death. The three studies that are part of this work explore aspects o f the evolution of kidney function, possibilities of early intervention, and markers of predisposition for these complications.
46

Efeito da fibra alimentar em pacientes com diabetes melito : avaliação aguda da resposta glicêmica e insulinêmica e revisão sistemática de desfechos renais

Carvalho, Cláudia Mesquita de January 2018 (has links)
Resumo não disponível.
47

Expressão gênica de proteínas do podócito na urina de pacientes diabéticos normo, micro ou macroalbuminúricos e em pré diabeticos

Nascimento, Jonathan Fraportti do January 2012 (has links)
Introdução: A lesão do podócito exerce um papel crítico na nefropatia diabética (ND) e é um fator preditivo de albuminúria patológica e progressão da doença. Neste estudo foi avaliada a expressão gênica de proteínas associadas ao podócito na urina de pacientes diabéticos em diferentes estágios da ND e em indivíduos com pré diabetes. Material e Métodos: Foram estudados 67 pacientes diabéticos com normo (n=34), micro (n=14) ou macroalbuminúria (n=19), dezenove indivíduos pré diabéticos e 15 controles saudáveis. O RNAm de nefrina, podocina, podocalixina, sinaptopodina, Transient Receptor Potential Cation Channel 6 (TRPC6), alfa actinina-4 e TGF1 foi quantificado por PCR em tempo real (2-ΔΔCt) em células do sedimento urinário. A expressão dos genes alvo do podócito foi correlacionada com albuminúria, controle glicêmico e função renal. O desempenho diagnóstico dos genes para albuminúria patológica foi determinado por curva ROC, e o seu efeito independente sobre esse desfecho foi avaliado por análise de regressão de Poisson. Resultados: O RNAm na urina dos genes alvo foi significativamente maior nos pacientes diabéticos em comparação aos não diabéticos, exceto de sinaptopodina e TGFβ1. A expressão de nefrina foi mais elevada nos indivíduos diabéticos micro e macroalbuminúricos comparado aos controles (p=0,04 e p<0,001 respectivamente), pré diabéticos (p<0,05) e normoalbuminúricos (p<0,05). Embora sua expressão tenha sido maior do que nos não diabéticos, os genes TRPC6, podocalixina e alfa actinina-4 não discriminaram os estágios da ND. A correlação da expressão dos genes com albuminúria e hemoglobina glicada foi estatisticamente significativa. Pacientes pré diabéticos tiveram expressão gênica semelhante aos controles. Na análise multivariada, apenas o gene da nefrina foi preditivo de albuminúria patológica. 6 Conclusões: A expressão das proteínas associadas ao podócito na urina foi maior nos pacientes diabéticos, mas não houve correlação direta do RNAm dos genes com níveis crescentes de albuminúria, exceto de nefrina. O gene da nefrina foi o único que discriminou os diferentes estágios da ND e foi preditivo de albuminúria patológica, mas a podocalixina e o TRPC6 também se correlacionaram com albuminúria e controle glicêmico. Neste estudo preliminar não se identificou aumento da expressão gênica das proteínas do podócito na urina em indivíduos com pré diabetes. / Introduction: Podocyte damage plays a critical role in the development of diabetic nephropathy (DN). The present study evaluated gene expression of podocyte-associated proteins in urine of pre-diabetic and diabetic patients at different stages of DN. Material and Methods: We studied 19 pre-diabetic patients, 67 diabetic patients with normo (n = 34), micro (n = 15), or macroalbuminuria (n = 19), and 15 healthy controls. Levels of mRNA of nephrin, podocin, podocalyxin, synaptopodin, transient receptor potential cation channel 6 (TRPC6), alpha-actinin-4, and TGF-1 were quantitatively measured by real-time polymerase chain reaction in urinary sediment. Gene expression was correlated with albuminuria, glycemic control, and renal function. The diagnostic performance of the genes for detecting pathological albuminuria was assessed by the receiver operating characteristic (ROC) curve and Poisson regression. Results: The mRNA expression of target genes in urinary sediment was significantly higher in diabetic compared to pre-diabetic patients and controls. Levels of nephrin were higher in diabetic patients with micro or macroalbuminuria than controls (p= 0.04 and p<0.001, respectively), pre-diabetic (p<0.05), and diabetic patients with normoalbuminuria (p<0.05), and increased with increasing rates of albuminuria. Gene expression was similar in pre-diabetic patients and controls. There was a significant positive correlation of gene expression with albuminuria and glycated hemoglobin. In the multivariate analysis, only nephrinuria predicted pathological albuminuria. Conclusions: The expression of podocyte-associated proteins in urine was higher in diabetic patients, but only nephrin correlated with increasing albuminuria and predicted 8 pathological albuminuria. This preliminary study did not find increased gene transcription in pre-diabetic patients.
48

Biomarcadores de lesão na nefropatia falciforme / Biomarkers of injury in sickle cell nephropathy

Mendonça, Ivone Camargo Damasceno 30 March 2012 (has links)
Sickle cell anemia is a disorder of genetic hemoglobin more common around the world, characterized by the presence of abnormal hemoglobin S. The phenomena of vaso-occlusion and anemia characteristics cause tissue damage leading to organ damage, including the kidneys. The various types of renal abnormalities occur primarily in the renal medulla. Clinical manifestations of sickle cell nephropathy start early, often before one year of age with glomerular hyperfiltration, hyposthenuria, renal tubular acidosis distal and, over time, increase in albuminuria. The lactate dehydrogenase (LDH) is considered a useful marker of hemolysis and its levels are very high in the presence of intravascular hemolysis, as indicated by some authors as associated with various complications related to hemolysis, including renal complications. In order to identify laboratory variables associated with renal injury in patients with sickle cell anemia, a cross-sectional study was conducted in children, teenagers and young adults treated in the hematology ward of the HU-UFS, from October 2010 to June 2011. Laboratory tests were performed in 124 patients with sickle cell anemia, mean age 13.3 + 6.4 years (2 - 32 years), 56.5 % were male. There was a frequency of microalbuminuria and proteinuria 19.4 % and 18.5% respectively. The frequency of glomerular hyperfiltration was 63.7 %. Elevation of LDH occurred in 95 % of patients and correlated positively with microalbuminuria, with percentages of reticulocytes and inversely with average rates of hemoglobin. Although univariate analysis revealed a significant positive correlation between the levels of LDH and microalbuminuria, these values were not significantly different between patients with or without microalbuminuria, suggesting that the association with renal injury is not specific, since it was also associated with markers of hemolysis. It is concluded that, levels of LDH present variability independently of microalbuminuria, because LDH levels were not able to distinguish patients with and without microalbuminuria. / A Anemia Falciforme é uma desordem da hemoglobina de caráter genético, mais comum em todo o mundo, caracterizada pela presença da hemoglobina anormal S. Os fenômenos de vaso-oclusão e anemia característicos da doença causam danos aos tecidos levando à lesão de órgãos, entre eles os rins. Os vários tipos de anormalidades renais ocorrem principalmente na medula renal. Manifestações clínicas de nefropatia falciforme começam cedo, muitas vezes antes de um ano de idade com hiperfiltração glomerular, hipostenúria, acidose tubular renal distal e, ao longo do tempo, aumento de albuminúria. A desidrogenase láctica (DHL) é considerada um marcador útil de hemólise e seus níveis encontram-se bastante elevados na presença de hemólise intravascular, sendo apontada por alguns autores como associadas a várias complicações relacionadas à hemólise, inclusive complicações renais. Com o objetivo de identificar variáveis laboratoriais associadas à lesão renal em portadores de anemia falciforme, foi realizado um estudo transversal em crianças, adolescentes e jovens adultos, atendidos no ambulatório de hematologia do HU-UFS, no período de outubro de 2010 a junho de 2011. Exames laboratoriais foram realizados em 124 pacientes com anemia falciforme, idade média de 13,3 + 6,4 anos (2 a 32 anos), 56,5 % do sexo masculino. Observou-se uma frequência de microalbuminúria e proteinúria de 19,4 % e 18,5 % respectivamente. A frequência de hiperfiltração glomerular foi de 63,7 %. Elevação de DHL ocorreu em 95 % dos pacientes e correlacionou-se positivamente com a microalbuminúria, com a contagem de reticulócitos e inversamente com taxas médias de hemoglobina. Apesar de a análise univariada revelar uma correlação positiva significativa entre os níveis de DHL e microalbuminúria, estes valores não foram significativamente diferentes entre os pacientes com ou sem de microalbuminúria, sugerindo que a associação com lesão renal não é específica, uma vez que houve também associação com marcadores de hemólise. Conclui-se que, níveis de DHL apresentam variabilidade de forma independente da microalbuminúria, pois níveis de DHL não foram capazes de discriminar pacientes com ou sem microalbuminúria.
49

Estudo da progressão da doença renal crônica em cães, segundo a classificação em estágios, pela avaliação sequencial da proteinúria pela eletroforese de proteínas urinárias e determinação de albuminúria / Study of chronic kidney disease progression in dogs, according to the stages classification, through the sequential evaluation of proteinuria by urine protein electrophoresis and determination of albuminuria

Mariana Faraone Waki 05 April 2013 (has links)
Durante a evolução da doença renal crônica (DRC) em cães, um dos mecanismos importantes envolvidos na autoperpetuação e progressão da lesão renal envolvem, teoricamente, o comprometimento inicial do glomérulo pelo mecanismo de hiperfiltração glomerular, e este processo pode acarretar no desenvolvimento de microalbuminúria ou de proteinúria pela presença de proteínas de alto peso molecular (albumina). Com o progredir da doença, as altas concentrações de proteína no filtrado glomerular pode também desencadear lesões tubulares e intersticiais, ocasionando a perda urinária também de proteínas de baixo peso molecular (PM) pelo comprometimento da reabsorção dessas proteínas pelos túbulos renais. Outras teorias de progressão da lesão renal também são suscitadas tais como o comprometimento inicial da porção túbulo-intersticial. Assim, espera- -se que durante a evolução da DRC, a avaliação das proteínas urinárias quanto à qualidade (determinação de albumina e os pesos moleculares) e a quantidade possam trazer informações relevantes sobre a velocidade de progressão e o local da lesão renal. O objetivo deste estudo foi de avaliar, sequencialmente, a albuminúria e a proteinúria (pelos métodos quantitativos e qualitativos - eletroforese de proteínas) dos cães com DRC nos estágios 1, 2 ou 3 ao longo do período de pelo menos 5 meses, e verificar a existência de alterações na intensidade ou no aparecimento de proteinúria e/ou albuminuria. Dezesseis cães (Grupo 1= 5 cães do estágio 1; Grupo 2= 5 cães do estágio 2 e Grupo 3= 6 cães do estágio 3), 9 fêmeas e 7 machos de raças variadas e idades entre 24 a 168 meses, foram acompanhados por 5 a 18 meses e os exames clínico e laboratorial realizados a cada 30 dias. Os cães dos Grupos 1 e 2 apresentaram bom controle clínico, entretanto o Grupo 3 apresentou evolução mais rápida da doença (3 cães vieram a óbito). No Grupo 1, o aumento da razão proteína:creatinina urinária (RPC; variação de 0,154 a 1,14) foi observada somente em um dos cães (no 1) e esta não era decorrente de albuminúria, mas sim da presença de proteínas de baixo peso molecular (lesão tubular) e também foi constatada diminuição progressiva da taxa de filtração glomerular pelo o aumento das concentrações de cistatina C sérica; os demais cães deste grupo apresentaram RPC e razão albumina:creatinina urinária (RAC) normais, entretanto com predomínio de proteínas de baixo peso molecular em 2 cães. No Grupo 2 fato semelhante também foi constatado, nos cães no 6 (inicialmente hipertenso) e 8 em que a RPC variou de 4,89 a 12,77 e 0,5 a 1,0, respectivamente; no cão no6 foi não foi detectada macroalbuminuria, mas somente microalbuminúria e com o predomínio de proteínas de baixo PM (lesão tubular), como também no cão no 8 (ausência de micro ou macroalbuminuria) em que houve o predomínio de 78 a 100% de proteínas de baixo PM e com 3 a 6 bandas. No Grupo 3, proteinúria foi constatada nos cães de no 11, 13 e 15 e a microalbuminúria somente no cão no11; o predomínio de proteínas de baixo PM foi observada nos cães no 11 e 13 e proteinúria mista no cão no 15. Assim, a avaliação sequencial ou seriada da proteinúria, pelo conjunto de informações obtido pela RPC, RAC e eletroforese de proteínas urinárias nos com cães com doença renal crônica, ao longo de um período, trouxe informações mais precisas acerca da qualidade das proteínas, identificando os segmentos do néfron que provavelmente foram comprometidos ao longo da evolução da doença. / During the course of chronic kidney disease (CKD) in dogs, one of the mechanisms involved in the autoperpetuation and progression of renal disease, in theory, is glomerular hyperfiltration, and this process may result in the development of microalbuminuria or proteinuria due to the presence of high molecular weight proteins (albumin). As the disease progresses, the presence of high concentrations of proteins in the glomerular filtrate may also cause the development of interstitial and tubular injuries, and in consequence the presence of low molecular weight proteins in urine as the impairment of tubular reabsorption mechanism of proteins is affected. Other theories of progression of renal injury are also raised such as the initial involvement of the tubulointerstitial segment. Thus, it is expected that during the course of CKD, the evaluation of the quality (determination of albumin and molecular weights) and quantity of urinary proteins may indicate relevant information about the location and rate of progression of renal injury. The objective of this study was to evaluate, longitudinally, albuminuria and proteinuria (by quantitative and qualitative methods - protein electrophoresis) of dogs with CKD in stages 1, 2 and 3 over the period of at least 5 months, and observe the changes in intensity or the appearance of proteinuria and / or albuminuria. Sixteen dogs (Group 1 = 5 dogs in stage 1, Group 2 = 5 dogs in stage 2 and Group 3 = 6 dogs in stage 3), 9 females and 7 males of various breeds and ages ranging from 24 to 168 months, were followed-up for 5-18 months and medical and laboratory monitoring data were recorded every 30 days. Dogs of Groups 1 and 2 showed good clinical control, however the Group 3 had a progressive deterioration of the disease (3 dogs died). In Group 1, the increase in urinary protein-to-creatinine ratio (UPC; ranging from 0.154 to 1.14) was observed in only one dog (no. 1) and albuminuria was not involved, however low molecular weights proteins (LMWP) were detected (tubular injury) and also the progressive decrease in glomerular filtration rate was noticed by the increase of serum concentrations of cystatin C; the remaining dogs in this group demonstrated normal UPC and UAC (urinary albumin-to-creatinine ratio), however the predominance of LMWP in 2 dogs was observed. In Group 2, similar findings were also noticed in CKD dogs no. 6 (initially hypertensive) and 8 , UPC ranged from 4.89 to 12.77 and 0.5 to 1.0, respectively; dog no. 6 demonstrated no macroalbuminuria but only microalbuminuria, and the predominance of LMWP (tubular injury) was observed as well as the dog no. 8 that had 78 to 100% of LMWP with 3 to 6 bands and no micro or macroalbuminuria was detected. Group 3 presented proteinuria in dogs no. 11, 13 and 15 and microalbuminuria was only observed in dog no. 11; the predominance of LMWP was noticed in dogs no.11 and 13, and mixed proteinuria in dog no. 15. Thus, the sequential or longitudinal study of proteinuria by means of several information obtained of UPC, UAC and urine protein electrophoresis in dogs with chronic kidney disease, followed-up over a period, could give more accurate information about the quality of proteins, allowing the possible identification of the segments of the nephron involved that could probably be affected throughout the course of the disease.
50

Avaliação sequencial da proteinúria, albuminúria e eletroforese de proteínas urinárias durante a evolução do diabetes mellitus em cães / Evaluation of proteinuria, albuminúria and electrophoresis of urine protein during the progression of diabetes mellitus in dogs

Cínthia Ribas Martorelli 26 July 2012 (has links)
O Diabetes Mellitus (DM) desenvolve pela deficiência de insulina, caracterizada por hiperglicemia crônica. Complicações são freqüentes e incluem: catarata, retinopatia, infecções recorrentes e cetoacidose. A hiperglicemia crônica pode promover diversas complicações a longo prazo, como a nefropatia diabética (ND). Nos humanos diabéticos, a alteração renal é uma das complicações mais importantes, caracterizada pela lesão glomerular associada usualmente a hipertensão arterial sistêmica. Diversos mecanismos foram propostos tais como em decorrência da hiperglicemia crônica por lesão nos podócitos e lesão túbulointersticial. Contudo, nos cães, até o momento, existem poucos estudos que demonstram a relação entre DM e lesão renal. Perda de proteína urinária, principalmente albumina, é uma característica de doença glomerular. Portanto, para o diagnóstico de ND foram avaliados: razão proteína: creatinina urinária (RPC), razão albumina: creatinina urinária (RAC), microalbuminúria e eletroforese proteínas urinárias utilizando gel de poloacrilamida (SDS-PAGE). O objetivo deste estudo foi avaliar, de modo seqüencial, a proteinúria e a albuminúria durante a progressão do DM. Quatorze cães diabéticos (Grupo A= 10 cães; Grupo B=4 cães que evoluíram posteriormente com doença concomitante), média de 124 meses de idade, maioria fêmea, prevalente a raça Poodle, foram acompanhados por 6 a 28 meses. O acompanhamento foi realizado a cada 30 ou 60 dias. Todos os cães apresentaram bom controle glicêmico (glicemia em jejum com média de 253,05 mg/dL; frutosamina sérica com média de 560,53 µmol/L). Ademais, os cães estudados não apresentaram dislipidemia, hipertensão arterial (sistólica, média 127,28 mmHg), poliúria, polidpsia, polifagia e perda de peso. Em relação à proteinúria, o Grupo A apresentou RPC na faixa de normalidade (0,013 a 0,83), enquanto que no grupo B houve o aumento gradual da RPC ao longo do tempo (de 0,019 para 3,40), sendo que o cão que apresentou maior valor foi o que desenvolveu linfoma linfoblástico. Os cães do Grupo A não apresentaram microalbuminúria (RAC < 0,03), já no Grupo B, foi observado aumento progressivo da RAC apenas nos cães que desenvolveram neoplasia (2/4). Foi observado variações nos perfis dos traçados eletroforéticos ao longo do tempo em ambos os grupos, e que pode sugerir a existência de comprometimentos dos segmentos do néfron, mas os valores da RPC, como também as referentes as Regiões A e B (PM > 60KDa e < 60KDa, respectivamente) encontravam-se normais. Concluindo, foi observado que os cães diabéticos do Grupo A não desenvolveram ND, e a proteinuria e microalbuminúria do Grupo B foi decorrente, provavelmente, das doenças concomitantes. Ademais, o controle glicêmico, o tempo de duração do DM, o controle da PA e dislipidemia podem ter colaborado na prevenção da ND nos cães. / Diabetes Mellitus (DM) is caused by insulin deficiency, which results in chronic hyperglycemia. Complications are common and include: cataract, retinopathy, recurring infections and ketoacidosis. Chronic hyperglycemia may promote several complications along the disease, including diabetic nephropathy (DN). In humans with diabetics, renal damage is one of the most serious complications of diabetes mellitus, and usually associated to arterial hypertension. Several mechanisms were proposed such as due to chronic hyperglycemia, podocyte and tubulointersticial lesions. In dogs, however, there are a few studies that could demonstrated the relationship between diabetes mellitus and renal injury. Urine protein loss, mainly albumin, is characteristic in glomerular disease. Therefore, in order to investigate the diabetic nephropathy urinary protein-to-creatinine ratio (UPC), microalbuminuria (MA) and urinary albumin-to-creatinine ratio (UAC) and urinary protein electrophoresis in polyacrilamide gel were determinated. The aim of this study was to sequentially evaluate proteinuria and albuminuria during the progression of DM in dogs. Fourteen diabetic dogs (Group A = 10 dogs; Group B=4 dogs that lately developed concomitant disease), mean age of 124 months, most female, prevalent breed was Poodle, were followed for 6 to 28 months. Data were recorded every 30 to 60 days. All dogs had good glycemia control (mean of fasting glycemia was 253,05 mg/dL; mean of serum fructosamine was 560,53 µmol/L). Moreover, absence of dyslipidemia, arterial hypertension (mean 127,28 mmHg), polyuria, polydipsia, polyphagia and weight loss were not observed. In relation to proteinuria, Group A showed normal levels of UPC (0,013 and 0,83), while Group B had gradual increase of UPC over time (from 0,019 to 3,40), and the highest value was detected in a dogs that developed lymphoblastic lymphoma during the study. Dogs of Group A did not have microalbuminuria (UAC < 0,03), and in Group B, progressive increase of UAC was only observed in dogs that delevoped neoplasia (2/14). Variations on urinary proteins electrophoresis patterns were detected during the progression of the disease in both groups and it could show possible lesions in different segments of the nephron, however, in those animals, UPC levels were in the normal range for dogs in Group A, and in Group B, UPC levels increased gradatively as the disease progressed, as well as the UPC of Regions A and B (MW > 60KDa and < 60 KDa, respectively). In conclusion, diabetic dogs of Group A did not develop diabetic nephropathy over time, and proteinuria and MA detected in Group B may be in consequence of concomitant diseases. Moreover, glycemic control, duration of DM, controlling of blood pressure and dyslipidemia may have refrain the development of diabetic nephropathy in dogs.

Page generated in 0.0788 seconds