• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 52
  • 1
  • Tagged with
  • 53
  • 53
  • 48
  • 46
  • 12
  • 9
  • 9
  • 8
  • 8
  • 7
  • 7
  • 7
  • 6
  • 5
  • 5
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Comparação entre parâmetros de pressão abdominal de pacientes em planejamento radioterápico e em sessões de radioterapia, com proposta de alarme contra alteração do volume-alvo em tratamentos de câncer de pulmão

Esteves, Douglas de Sousa 13 December 2016 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade Gama, Programa de Pós-Graduação em Engenharia Biomédica, 2016. / Submitted by Camila Duarte (camiladias@bce.unb.br) on 2017-01-30T14:57:04Z No. of bitstreams: 1 2016_DouglasdeSousaEsteves.pdf: 7313428 bytes, checksum: 2dc67662e772e7a69736b3f90abf3649 (MD5) / Rejected by Raquel Viana(raquelviana@bce.unb.br), reason: Boa tarde, A citação do item descrito não condiz com o item submetido. Atenciosamente, on 2017-02-13T18:07:10Z (GMT) / Submitted by Camila Duarte (camiladias@bce.unb.br) on 2017-02-14T15:25:47Z No. of bitstreams: 1 2016_DouglasdeSousaEsteves.pdf: 7313428 bytes, checksum: 2dc67662e772e7a69736b3f90abf3649 (MD5) / Approved for entry into archive by Ruthléa Nascimento(ruthleanascimento@bce.unb.br) on 2017-03-06T17:08:09Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2016_DouglasdeSousaEsteves.pdf: 7313428 bytes, checksum: 2dc67662e772e7a69736b3f90abf3649 (MD5) / Made available in DSpace on 2017-03-06T17:08:09Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2016_DouglasdeSousaEsteves.pdf: 7313428 bytes, checksum: 2dc67662e772e7a69736b3f90abf3649 (MD5) / Esta pesquisa aborda a monitoração de sinais de pressão abdominal, vinculada à respiração de pacientes submetidos a tratamento de câncer de pulmão no Hospital Universitário de Brasília (HUB) durante a sessão de planejamento e as sessões iniciais do tratamento radioterápico. Neste trabalho, objetiva-se adquirir os sinais abdominais associados à respiração e implementar algoritmos que possam extrair do sinal de respiração as características de amplitude e frequência dos sinais coletados. A ideia é comparar estes parâmetros, verificando se as diferenças existentes entre planejamento e as sessões iniciais do tratamento tem alguma significância estatística que possa influenciar principalmente o tratamento de câncer de pulmão. A finalidade de extrair a frequência e a amplitude dos sinais de respiração no planejamento e nas duas sessões iniciais do tratamento é porque esses parâmetros estão correlacionados ao ciclo respiratório e podem sofrer alterações devido o estado emocional do paciente como por exemplo a ansiedade e o nervosismo que podem interferir no ciclo respiratório do paciente. Para captar os sinais foi utilizado o sensor \emph{Respiration Monitor Belt Logger sensor} (NUL-236). Para fazer o monitoramento da respiração colocou-se o aparelho na região abdominal do paciente, para uma associação do movimento do diafragma com a respiração. Como o objetivo inicial do estudo era verificar se havia diferenças entre a sessão de planejamento e as duas primeiras sessões de tratamento e avaliar se essas são estatisticamente significativas, foram feitos inicialmente testes de normalidade para verificar se cada um dos parâmetros analisados apresentavam uma distribuição normal, depois foi feito uma teste de hipótese alternativa para saber se os parâmetros relacionados aos sinais coletados durante as sessões iniciais do tratamento eram maiores que os coletados na sessão de planejamento. Foi feito também um teste com os vários parâmetros através de um teste estatístico multivariado, (PERMANOVA) com a finalidade de saber se quando todos os parâmetros fossem analisados simultâneamente continuariam a apresentar diferenças significativas entre as sessões de tratamento e a sessão de planejamento e qual desses parâmetros apresentariam maior peso nessa diferença. Ao final desse trabalho podemos concluir nem todos os parâmetros analisados apresentam uma distribuição normal, mas que existe uma diferença significativa entre os parâmetros analisados durante o planejamento e as sessões iniciais do tratamento radioterápico, de maneira que essas diferenças podem sim alterar a posição do tumor e influenciar principalmente no tratamento de câncer de pulmão que são realizados no setor de radioterapia do Hospital Universitário de Brasília (HUB), onde em um trabalho futuro e mais complexo seria viável criar um dispositivo que pudesse dar um sinal de aviso quando os parâmetros analisados durante o planejamento sofressem uma alteração durante o tratamento. / This research addresses the monitoring of abdominal pressure signals, linked to the breathing of patients undergoing lung cancer treatment at the University Hospital of Brasília (HUB) during the planning session and the initial sessions of the radiotherapy treatment. In this work, we aim at acquiring the abdominal signals associated with breathing and to implement algorithms that can extract from the breathing signals the amplitude and frequency characteristics of the collected signals. The idea is to compare these parameters, verifying if the differences between radiotherapy planning and the initial sessions of the treatment have some statistical significance that can influence mainly the treatment of lung cancer. The purpose of extracting the frequency and amplitude of the breathing signals in the planning and in the two initial sessions of the treatment is because these parameters are correlated to the respiratory cycle and may suffer changes due to the emotional state of the patient (e.g., due to anxiety). This change may interfere with the target volume, given changes in lung volume at different amplitudes as compared to those found during the treatment planning sessions. In order to acquire the signals, we used the Respiration Monitor Belt Logger sensor (NUL-236), by Neulog. We placed the device over the patient's abdominal region for an association of the movement of the diaphragm with breathing. As the initial objective of the study was to verify if there were differences between the planning session and the first two treatment sessions and to assess whether these are statistically significant, normality tests were initially performed to verify if each of the analyzed parameters had a normal distribution. We then proceeded to a hypothesis test was to determine whether the parameters related to the signals collected during the initial treatment sessions were larger than those collected in the planning session. A multivariate statistical test was also performed with the aim of knowing if, when all parameters were analyzed simultaneously, there would still be significant differences between the treatment sessions and the planning session and which of these Would present greater weight in this difference. At the end of this work we can conclude that not all the analyzed parameters present a normal distribution, but that there is a significant difference between the parameters analyzed during the planning and the initial sessions of the radiotherapy treatment, so that these differences can rather alter the position of the tumor and mainly in the treatment of lung cancer. In a future project, we intend to create a device that could give a warning signal when the parameters analyzed during the planning stage undergo a change above a pre-specified tolerance level during treatment.
2

Análise retrospectiva epidemiológica e de resultados do tratamento de pacientes portadores de câncer de pulmão 2010 a 2015 em um núcleo de oncologia no Leste de Minas Gerais / Epidemiological retrospective analysis and results of the treatment of patients with lung cancer 2010 to 2015 in a core of oncology in Leste de Minas Gerais

Júnior, Arilton Januário Bacelar 04 February 2019 (has links)
O câncer é uma doença que pode ser caracterizada pelo crescimento desordenado de células malignas, que podem se disseminar pelo organismo tornando-se agressivas e até mesmo incontroláveis. O câncer de pulmão é uma doença caracterizada por uma baixa sobrevida, em torno de 15% em cinco anos. O presente trabalho avaliou o perfil epidemiológico de câncer de pulmão na região de Governador Valadares e os fatores de risco associados, determinando a frequência do câncer de pulmão no período de 2010 a 2015. É um estudo observacional, analítico e retrospectivo com característica quantitativa que foi realizado a partir do banco de dados do Núcleo de Especialistas em Oncologia, foram analisados 7035 prontuários de pacientes preenchidos eletronicamente pelas equipes de saúde. A amostra selecionada corresponde a 227 pacientes com diagnóstico de câncer de Pulmão e suas sub localizações anatômicas sendo aplicado em dados estatísticos e encontrando alguns resultados relevantes como: relação entre sexo e Histórico familiar onde 65 pacientes afirmaram que possuíam casos de câncer na família. Outro fator é o consumo de bebida alcoólica e câncer de pulmão onde 27,65% entram em contato com a bebida alcóolica. Foi verificado que 161 pacientes entraram em contato com o tabaco diretamente ao longo da vida desenvolvendo o câncer de pulmão. Outro dado importante que 176 pacientes vieram do Sistema Único de Saúde, tornando-se uma importante via de atendimento aos pacientes com câncer de pulmão. / Cancer is a disease that can be characterized by the disordered growth of malignant cells, which can spread through the body becoming aggressive and even uncontrollable. Lung cancer is a disease characterized by a low survival rate, around 15% in five years. The present study aims to evaluate the epidemiological profile for lung cancer in the region of Governador Valadares and associated risk factors, determining the frequency of lung cancer in the period from 2010 to 2015. It is an observational, analytical and retrospective study with a quantitative trait which was carried out from the database of the Nucleus of Specialists in Oncology. 7035 medical records of patients, filled electronically by health teams were analyzed. The selected sample corresponds to 227 patients diagnosed with Lung cancer and its sub-anatomical locations being applied in statistical data and finding some relevant results such as: relationship between sex and family history where 65 patients stated that they had cases of cancer in the family. Another factor is the consumption of alcoholic beverage and lung cancer where 27.65% come in contact with the alcoholic beverage. It was verified that 161 patients came into contact with tobacco directly throughout their lives developing lung cancer. Another important fact is that 176 patients came from the Unified Health System, becoming an important route of care for patients with lung cancer.
3

Análise estatística baseada na construção de árvores de classificação e regressão de microRNAs de pacientes com adenocarcinoma pulmonar

Camargo, Bethina da Rocha January 2020 (has links)
Orientador: Rogério Antonio de Oliveira / Resumo: O adenocarcinoma pulmonar é um problema mundial na saúde pública e representa uma das maiores causa de morte por câncer no mundo. Os microRNAs são grandes reguladores e têm sido propostos como biomarcadores em diversos tipos de cânceres. O objetivo desta pesquisa é encontrar possíveis microRNAs para melhorar a classificação dos tecidos (normal ou tumoral) e a sobrevivência dos pacientes. Utilizou-se o banco de dados do projeto Atlas do Genoma do Câncer (TCGA) para pacientes com adenocarcinoma pulmonar (LUAD). A análise estatística empregada foi baseada na construção de árvores de classificação, que encontrou o miR-21-5p, miR-133a-3p, miR-1287-3p e let-7g-3p estatisticamente significativos, e árvore de regressão para a sobrevivência dos pacientes, que encontrou o miR-887-3p, miR-1271-5p, miR-128-1-5p, miR-493-3p e miR-4999-5p estatisticamente significativos. / Abstract: Pulmonary adenocarcinoma is a worldwide public health problem and represents one of the biggest causes of cancer death in the world. MicroRNAs are strong regulators and have been proposed as biomarkers in several types of cancer. The objective of this research is to find possible microRNAs to improve the classification of tissues (normal or tumor) and patient survival. We used the database of the Atlas of Cancer Genome project (TCGA) for patients with pulmonary adenocarcinoma (LUAD). A statistical analysis employed was based on the construction of classification trees, which found miR-21-5p, miR-133a-3p, miR-1287-3p and let-7g-3p, with statistical classification, and regression tree for the situation of patients, who found miR-887-3p, miR-1271-5p, miR-128-1-5p, miR-493-3p and miR-4999-5p are statistically used. / Mestre
4

Riscos ocupacionais e câncer de pulmão / Occupational hazards and lung cancer

Victor Wunsch Filho 17 December 1992 (has links)
Os estudos epidemiológicos relativos ao denominado câncer ocupacional têm como objetivo o estudo do câncer em populações trabalhadoras e a identificação de fatores causais. O número de agentes que comprovadamente causam câncer em seres humanos é ainda pequeno, cerca de trinta. A estes fatores podem ser agregados algumas atividades ocupacionais e processos industriais onde agentes potencialmente cancerígenos existem mas não foram ainda identificados. A quase totalidade dos estudos epidemiológicos buscando relacionar ocupação e câncer foram realizados nos países desenvolvidos, com processos de industrialização mais antigos e consolidados. Nesta investigação o objetivo é estudar a relação trabalho e câncer no contexto de um país subdesenvolvido e recentemente industrializado. O estudo explora os riscos ocupacionais determinantes da neoplasia pulmonar na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP). O trabalho está dividido em duas partes. Na primeira são discutidos aspectos relativos ao câncer com particular destaque ao carcinoma broncogênico e à aplicação da metodologia epidemiológica na área da saúde do trabalhador, em especial para o estudo do câncer relacionado à ocupação. A segunda parte contempla a descrição do estudo de caso-controle construído para atingir os objetivos definidos. Os dados do estudo foram levantados no período de 1º de julho de 1990 a 31 de janeiro de 1991 em quatorze hospitais que concentram o atendimento a pacientes com câncer de pulmão na RMSP. Um total de 316 casos e 536 controles, emparelhados com os casos por sexo e idade, foram selecionados para análise. Tabagismo, tabagismo passivo, história migratória, outros cânceres na família e estrato sócio-econômico, além de sexo e idade, foram as outras variáveis estudadas. A análise univariada permitiu identificar as variáveis que estavam interferindo na relação principal estudada. Posteriormente, utilizou-se as técnicas de análise estratificada e de regressão logística para controlar as variáveis tabagismo, referência à carcinoma de pulmão na família, sexo e idade. Os resultados revelam que os trabalhadores que estiveram ligados por tempo prolongado aos setores de produção, de ramos de atividades industriais nos quais há maior probabilidade de exposição à substâncias cancerígenas, têm cerca de duas vezes o risco de desenvolverem carcinoma broncogênico em relação aos trabalhadores com menor probabilidade de exposição a substâncias cancerígenas como os que referiram nunca terem trabalhado fora de casa. / Epidemiological studies on occupational cancer have as their objective the study of cancer in working populations and the distribution of causal factors. The number of agents proved to cause cancer in humans is still rather small, about thirty. It could be added some occupational activities and industrial processes where hazardous agents are known to exist, but have not been identified. Almost all epidemiological studies to evaluate the relationship between occupation and cancer were carried out in developed countries, where industrialization process is older and more structured. In this investigation the objective is to study the association between occupation and cancer in a developing and newly industrialized country context. In this sense, the study explores occupational risks for lung cancer in the Metropolitan Region of São Paulo (MRSP). This work is split in two parts. Firstly it was introduced a review of some aspects on cancer, particularly lung cancer, and the use of epidemiologic methodology related to worker\'s health, particularly cancer. In the second part it was described the hospital-based case-control study carried out to reach defined objectives. This research was conducted between 1st July 1990 and 31st January 1991 in fourteen hospitais which concentrate lung cancer cases in the MRSP. It has been selected a total of 316 cases and 536 controls, matched by hospital, sex and age with cases. Smoking, passive smoking, migratory history, cancer in the family and socio-economic status, besides sex and age, were other variables studied. Univariate analysis identified variables that could interfere in the main studied associatian. Through stratification and logistic regression approaches the variables gender and age, smoking and reference to lung neoplasy in family, were controlled. The results showed that workers linked to the production sectors of industries where there are higher risk of exposure to carcinogenic products have about two fold the risk of developing lung cancer rather than those workers with the lowest risk of exposure to carcinogens.
5

Riscos ocupacionais e câncer de pulmão / Occupational hazards and lung cancer

Wunsch Filho, Victor 17 December 1992 (has links)
Os estudos epidemiológicos relativos ao denominado câncer ocupacional têm como objetivo o estudo do câncer em populações trabalhadoras e a identificação de fatores causais. O número de agentes que comprovadamente causam câncer em seres humanos é ainda pequeno, cerca de trinta. A estes fatores podem ser agregados algumas atividades ocupacionais e processos industriais onde agentes potencialmente cancerígenos existem mas não foram ainda identificados. A quase totalidade dos estudos epidemiológicos buscando relacionar ocupação e câncer foram realizados nos países desenvolvidos, com processos de industrialização mais antigos e consolidados. Nesta investigação o objetivo é estudar a relação trabalho e câncer no contexto de um país subdesenvolvido e recentemente industrializado. O estudo explora os riscos ocupacionais determinantes da neoplasia pulmonar na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP). O trabalho está dividido em duas partes. Na primeira são discutidos aspectos relativos ao câncer com particular destaque ao carcinoma broncogênico e à aplicação da metodologia epidemiológica na área da saúde do trabalhador, em especial para o estudo do câncer relacionado à ocupação. A segunda parte contempla a descrição do estudo de caso-controle construído para atingir os objetivos definidos. Os dados do estudo foram levantados no período de 1º de julho de 1990 a 31 de janeiro de 1991 em quatorze hospitais que concentram o atendimento a pacientes com câncer de pulmão na RMSP. Um total de 316 casos e 536 controles, emparelhados com os casos por sexo e idade, foram selecionados para análise. Tabagismo, tabagismo passivo, história migratória, outros cânceres na família e estrato sócio-econômico, além de sexo e idade, foram as outras variáveis estudadas. A análise univariada permitiu identificar as variáveis que estavam interferindo na relação principal estudada. Posteriormente, utilizou-se as técnicas de análise estratificada e de regressão logística para controlar as variáveis tabagismo, referência à carcinoma de pulmão na família, sexo e idade. Os resultados revelam que os trabalhadores que estiveram ligados por tempo prolongado aos setores de produção, de ramos de atividades industriais nos quais há maior probabilidade de exposição à substâncias cancerígenas, têm cerca de duas vezes o risco de desenvolverem carcinoma broncogênico em relação aos trabalhadores com menor probabilidade de exposição a substâncias cancerígenas como os que referiram nunca terem trabalhado fora de casa. / Epidemiological studies on occupational cancer have as their objective the study of cancer in working populations and the distribution of causal factors. The number of agents proved to cause cancer in humans is still rather small, about thirty. It could be added some occupational activities and industrial processes where hazardous agents are known to exist, but have not been identified. Almost all epidemiological studies to evaluate the relationship between occupation and cancer were carried out in developed countries, where industrialization process is older and more structured. In this investigation the objective is to study the association between occupation and cancer in a developing and newly industrialized country context. In this sense, the study explores occupational risks for lung cancer in the Metropolitan Region of São Paulo (MRSP). This work is split in two parts. Firstly it was introduced a review of some aspects on cancer, particularly lung cancer, and the use of epidemiologic methodology related to worker\'s health, particularly cancer. In the second part it was described the hospital-based case-control study carried out to reach defined objectives. This research was conducted between 1st July 1990 and 31st January 1991 in fourteen hospitais which concentrate lung cancer cases in the MRSP. It has been selected a total of 316 cases and 536 controls, matched by hospital, sex and age with cases. Smoking, passive smoking, migratory history, cancer in the family and socio-economic status, besides sex and age, were other variables studied. Univariate analysis identified variables that could interfere in the main studied associatian. Through stratification and logistic regression approaches the variables gender and age, smoking and reference to lung neoplasy in family, were controlled. The results showed that workers linked to the production sectors of industries where there are higher risk of exposure to carcinogenic products have about two fold the risk of developing lung cancer rather than those workers with the lowest risk of exposure to carcinogens.
6

Sobrevida em pacientes mulheres com câncer de pulmão em clínica especializada no Rio de Janeiro, 2000-2009 / Lung cancer survival among women assisted at health service in Rio de Janeiro, 2000-2009

Vera Lúcia Ferreira da Silva Teixeira 19 May 2011 (has links)
O câncer de pulmão é atualmente a neoplasia mais frequentemente diagnosticada, considerando ambos os sexos, e a principal causa de óbito por câncer em todo o mundo. A incidência e a mortalidade do câncer de pulmão vêm sendo influenciadas ao longo do tempo pela história do tabagismo e seus aspectos sócio-demográficos. Este estudo tem como objetivo analisar a sobrevida e fatores prognósticos em mulheres com câncer de pulmão assistidas em uma clínica especializada no Rio de Janeiro no período de 2000 a 2009. Foram analisadas 193 mulheres com diagnóstico de câncer de pulmão confirmado por exame histopatológico. Os dados foram obtidos diretamente do sistema informatizado de registros médicos do referido serviço. A idade do diagnóstico foi categorizada em quatro faixas etárias: até 49 anos, 50 a 59 anos, 60 a 69 anos e maior de 70anos. O tabagismo foi categorizado como não fumante, ex-fumante, fumante e fumante passiva. O estado nutricional foi avaliado pelo Índice de Massa Corpórea (IMC). A classificação histológica seguiu a divisão entre tumores de células não-pequenas (CPCNP) e tumores de pequenas células (CPCP). O estadiamento clínico se baseou na classificação do American Joint Committee on Cancer (AJCC) e Veterans Administration Lung Cancer Study Group (VALCSG) para os tumores de células não-pequenas e tumores de células pequenas, respectivamente. A modalidade de tratamento foi categorizada pela intenção da abordagem terapêutica em quatro grupos: controle, neoadjuvância, adjuvância e paliativa. Foram calculadas funções de sobrevida pelo método de Kaplan-Meier. Para os fatores prognósticos de risco, foram calculados os hazards ratios brutos e ajustados com intervalos de confiança de 95%, através do modelo de riscos proporcionais de Cox. A idade média das pacientes foi de 63 anos. Destas, 47,7% eram fumantes, 26,9% não fumantes, 19,7% ex-fumantes e 3,6% fumantes passivas. Em relação ao estado nutricional, 2,6% das pacientes apresentavam IMC baixo peso, 52,8% normal, 29,5% sobrepeso e 15% obesidade. A maioria dos casos, 169 (87,6%) pacientes, foi classificado como câncer de pulmão de células não-pequenas (CPCNP). Apenas 24 casos (12,4%) foram de câncer de pequenas células (CPCP). Durante o período estudado ocorreram 132 óbitos; 114 por CPCNP e 18 por CPCP. O tempo mediano de sobrevida para toda a coorte foi de 23,2 meses (IC95%: 16,9-33,5). Quando os dados foram estratificados por classificação tumoral, a sobrevida mediana nas pacientes com diagnóstico de CPCNP foi de 18,2 meses (IC95%: 15,6-25,5) e para aquelas com CPCP foi de 10,3 meses (IC95%: 8,4-19,3). A sobrevida encontrada em 24 meses foi de 49% (IC95%: 42,25-56,9), sendo 22,95 (IC95%: 0,6-49,3) para os tumores de pequenas células e 50,29% (IC95%: 43,1-58,7) para os tumores de células não- pequenas. Para o total das pacientes, as curvas de sobrevida estratificadas pelas variáveis selecionadas mostraram diferenças em relação à idade do diagnóstico (p=0,0023) nas faixas etárias intermediárias de 50-59 anos e 60-69 anos, se comparadas com os limites extremos (as mais idosas e as mais jovens). Não houve diferenças para o status de tabagismo (p=0,1484) nem para o IMC (p=0,6230). Na análise multivariada para todos os tumores, nenhum fator prognóstico influenciou no risco de morte. A idade nas categorias intermediárias (50-59 anos e 60-69 anos) e o IMC na categoria sobrepeso mostraram uma tendência à proteção, porém, não houve significância estatística. Para o grupo de mulheres com CPCNP, o modelo de riscos proporcionais apontou diferença em relação ao estadiamento clínico, especificamente o estádio IV (HR=3,36, IC95%: 1,66-6,8; p=0,001). As pacientes com idade entre 50-59 anos e sobrepeso mostraram uma tendência à diminuição do risco, embora sem significância estatística. Esses resultados mostram a necessidade de conhecer melhor o perfil das mulheres que desenvolvem câncer de pulmão e de realizar pesquisas que investiguem de forma mais aprofundada as condições que influenciam a evolução clínica dos casos e assim contribuir para o aprimoramento da abordagem terapêutica. / Lung cancer is currently the most frequently diagnosed cancer, considering both sexes, and the leading cause of cancer death worldwide. Incidence and mortality of lung cancer have been influenced over time by smoking history and their socio-demographic.This study aims to assess the survival and prognostic factors, smoking and body mass index, adjusted for aging, histologic classification and TNM Stating System among women with lung cancer at a clinic in Rio de Janeiro, Brazil, between 2000-2009. The information was obtained from the database of the clinic. The main variables analysed were age at diagnosis, categorized into four levels on the basis of age (<=49, 50-59, 60-69 and >=70), smoking history (never smoking, former smoking and current smoking), nutritional status based on Body Mass Index (BMI), histological classification, designated as non-small cell carcinoma (NSLC) and small cell carcinoma (SCLC), Staging System based on American Joint Committee on Câncer (AJCC) for NSLC and Veterans Administration Lung Study Group (VALSG) for SCLC and treatment modality. They were considered as treatment modality, observation, neoadjuvant and adjuvant therapies, prolongation of survival by chemotherapy. Survival curves were calculated by the Kaplan-Meier (KM) method. We used the porportional hazards modelo of Cox for evaluation of prognostic factors. We analysed 193 women, diagnosed with lung cancer confirmed by histopathology, 169 (87.6%) patient with tumors of non-small cell and 24 (12.4%) patients with smallcell tumors. The average age of patients was 63 years. Median survival for the entire cohort was 23.2 months (95% CI, 16.5 to 32.9). When data were stratified by tumor classification, the median survival in patients with NSLC was 25.5 months (95% CI, 18.3 to 36.4) and 10.5 (95% CI, 8.6 to 20.4) those with SCLC. The overall survival rate at 5 years was found to be 28.9% (95% CI, 2.4 to 37.1) and 68.3% (95% CI, 60.5 to 75.0) for NSLC and 17.2% (95% CI, 4.8 to 35.9) for SCLC. The survival curves differentiated by the classification of tumors showed a significant worsening of the median survival in patients with small-cell lung cancer, 10.3 months (95% CI, 8.4 to 19.3) when compared with non small cell lung cancer, 18.2 months (95% CI, 15.6 to 25.5). Median survival for the entire sample was 16.5 months (95% CI, 13.8 to 23.2). The survival functions stratified by prognostic factors showed differences in age at diagnosis (p= 0.00597) but showed no differences for smoking (p=0.11) nor BMI (p=0.383). The multivariate analysis showed clinical staging as the main independent prognostic factor. The age at diagnosis and BMI exerted a protective factor in at least one of the categories studied. The smoking status did not influence survival. These results show the need to better understand the profile of women who develop lung cancer and identify new prognostic factors to contribute to the improvement of the therapeutic approach.
7

O papel da proteína supressora de tumor p53 na indução de ciclooxigenase-2 em Carcinoma de Pulmão de Células Não Pequenas: aspectos moleculares e clínicos / Role of p53 tumor suppressor protein for the induction of cyclooxygenase-2 carcinoma non-small cell lung: molecular and clinical aspects

Mariana Lemos Duarte 05 February 2009 (has links)
O Carcinoma de Pulmão de Células Não Pequenas (NSCLC) é uma doença freqüentemente letal e altamente resistente à terapia oncológica convencional, como por exemplo, o tratamento quimioterápico com cisplatina e paclitaxel. A superexpressão de Ciclooxigenase-2 (COX-2) é constantemente observada em pacientes com NSCLC, estando associada ao prognóstico ruim destes pacientes. Acredita-se que a alta expressão de COX-2 produz efeitos anti-apoptóticos, porém pouco é conhecido sobre os mecanismos de regulação desta enzima. Muitos sinais capazes de ativar COX-2 também induzem a proteína supressora de tumor p53, conhecida pelo seu papel fundamental no controle da proliferação celular e apoptose. Dados recentes indicam que a proteína p53 é um importante regulador da expressão de COX-2. O objetivo desta dissertação foi avaliar os efeitos da quimioterapia na expressão da enzima COX-2 em linhagens celulares com diferente status do gene TP53, e ainda, correlacionar a expressão de COX-2 e o status mutacional de TP53, com as características clínico-patológicas de pacientes com NSCLC. Como ferramentas experimentais foram usadas técnicas de biologia celular e molecular como interferência de RNA, PCR em tempo real, análise mutacional e imuno-histoquímica. Com os resultados obtidos, observamos que as linhagens celulares de câncer de pulmão que apresentam p53 na sua forma selvagem, quando expostas ao tratamento com cisplatina, apresentaram indução da expressão de COX-2 (RNAm e proteína), em adição ao aumento da síntese de Prostaglandina E2 (PGE2). Em contrapartida, a expressão de COX-2 não foi alterada após o tratamento com cisplatina nas linhagens celulares que apresentavam mutação no gene TP53. Ao avaliar o tratamento com paclitaxel, foi observado um aumento da expressão de COX-2 nas linhagens A549 e H460 (linhagens celulares do tipo selvagem para p53), entretanto não foi observada alteração nos níveis de PGE2. Em adição, o tratamento com paclitaxel induziu um aumento da expressão de COX-2 na linhagem com deleção em TP53, ACC LC-319. Em seguida, após silenciamento de p53 na linhagem celular A549, por interferência de RNA, a cisplatina passou a não ser mais capaz de induzir o aumento da expressão de COX-2. No tratamento com paclitaxel, o silenciamento de TP53 não mudou a expressão de COX-2, indicando assim um efeito independente de p53. Dessa maneira, sugerimos que a indução de COX-2, por cisplatina, em linhagens celulares NSCLC é dependente de p53. Na análise dos pacientes NSCLC, os resultados demonstram que 54% dos pacientes apresentam expressão positiva de COX-2. Mutações em TP53 foram observadas em 57% dos pacientes, incluindo 56% de fumantes correntes e 37% de ex-fumantes. Uma associação entre a expressão de COX-2 e o status selvagem de TP53 foi observada, entre os pacientes que apresentaram expressão positiva de COX-2, 80% apresentaram TP53 selvagem. Um número maior de pacientes é necessário para aumentar o poder estatístico e confirmar as tendências observadas nesse estudo / Non-Small Cell Lung Cancer (NSCLC) is a lethal disease and highly resistant to conventional chemotherapeutic agents, like cisplatin and paclitaxel. Overexpression of cyclooxygenase-2 (COX-2) is frequently found in NSCLC, and is associated with a bad prognosis. High COX-2 expression is thought to exert antiapoptotic effects in cancer, but little is known about COX-2 regulation. Many signals that activate COX-2 also induce the tumor suppressor protein p53, which is believed to play a pivotal role in controlling proliferation and apoptosis. Recent data indicate the tumor suppressor protein p53 as an important regulator of COX-2. The main objective of this work was to analyze the effect of chemotherapy on the expression of COX-2 according to TP53 status and also evaluate the relationship between COX-2 expression and TP53 mutational status, according to clinic pathological features in NSCLC patients. As experimental tools techniques of cell and molecular biology such as RNA interference, real time PCR, mutational analysis and immunohistochemistry were used. We report herein that lung cancer cell lines expressing wild-type p53 when exposed to cisplatin treatment induced COX-2 (mRNA and protein), with concurrent synthesis of prostaglandins (PGE2). In contrast, COX-2 expression was not detected or changed after cisplatin treatment of cells containing an inactive form of p53. For paclitaxel treatment, an increase in COX-2 mRNA expression was observed in H460 and A549 (wild-type p53 cell lines), although the same was not observed on PGE2 production. Moreover, paclitaxel treatment increased COX-2 expression in ACC-LC-319 cell lines (p53 null). Further, after silencing wild-type p53 expression in A549 cells by RNA interference, cisplatin was no longer able to induce COX-2 mRNA and protein expression. While in treatment with paclitaxel the silencing of wild type TP53 did not change COX-2 expression, showing a p53-independent effect. Therefore, we suggest that induction of COX-2 by cisplatin in NSCLC cell lines is dependent on p53. In the NSCLC patients analysis, the results showed a COX-2 positive staining in 54% patients. TP53 mutations were found in 57% of the patients, including 56% in current smokers and 37% in former smokers. There was an association between COX-2 expression and wild-type TP53. Among COX-2 positive patients, 80% were wild-type TP53. A higher number of patients are necessary to increase statistical power and confirm the tendencies observed in this study
8

A utilização da imuno-histoquímica na definição histogenética diagnóstica das neoplasias de pulmão

Carvalho, Ana Maria da Silva January 2009 (has links)
Submitted by Ana Maria Fiscina Sampaio (fiscina@bahia.fiocruz.br) on 2013-10-15T18:53:45Z No. of bitstreams: 1 Ana Maria_da_Silva Carvalho. A utilização...2009.pdf: 4646765 bytes, checksum: 5565a182ac26f49c19a96b8c347526f5 (MD5) / Made available in DSpace on 2013-10-15T18:53:45Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Ana Maria_da_Silva Carvalho. A utilização...2009.pdf: 4646765 bytes, checksum: 5565a182ac26f49c19a96b8c347526f5 (MD5) Previous issue date: 2009 / Universidade Federal da Bahia. Salvador, BA, Brasil / Fundação Oswaldo Cruz. Centro de Pesquisas Gonçalo Moniz. Salvador, BA, Brasil / O Câncer de Pulmão (CP) é uma neoplasia de grande prevalência no mundo e apresenta taxas crescentes de incidência. Acomete principalmente homens entre 40 a 70 anos, sendo responsável por 1/3 dos óbitos por câncer. Os fatores etiológicos frequentemente associados a esta patologia são o tabagismo, as exposições industriais ao asbesto, urânio, níquel, arsênico, assim como poluentes atmosféricos como o gás radônio. Representa um grande desafio para os oncologistas, especialmente pela pequena taxa de sobrevida dos pacientes, em torno de 5 a 10% após 5 anos do diagnóstico. A complexidade de padrões morfológicos e pouca diferenciação representam desafios para o diagnóstico do CP. Dentre as estratégias introduzidas para auxiliar no reconhecimento dos tipos histológicos do CP, a imuno-histoquimica (IHQ) vem se destacando no estudo histogenético destes tumores. O objetivo dessa pesquisa foi o estudo retrospectivo de 244 casos de CP, procedentes do Hospital Especializado Otávio Mangabeira, diagnosticados em biópsias brônquica transbrônquica no Serviço de Histopatologia do Centro de Pesquisas Gonçalo Moniz, no período compreendido entre 1986 e 2004. Todos os casos foram visados de acordo com a classificação de câncer de pulmão da OMS (2004), sendo os diagnósticos da presente investigação confrontados com os diagnósticos iniciais. Os tumores definidos como carcinomas pouco diferenciados ou indiferenciados (n=67) e as neoplasias definidas como casos difíceis para a avaliação diagnóstica pelo HE (n=34) (divergência diagnóstica), foram submetidos a IHQ. Esta foi realizada através do sistema Envision TM e utilizando o seguinte painel minimo de marcadores antigênicos: CKAE1/AE3, CK8, CK34BE12, CK7, CK20, PA, CROMOGRANINA A e TTF-1. A freqüência dos diferentes tipos neoplásicos nos 244 casos analisados foi: carcinoma escamocelular, 36,9% (n=90); adenocarcinoma, 27,0% (n=66); carcinoma neuroendócrino de pequenas células, 11,9% (n=29); tumor carcinóide, 8,6% (n=21); linfoma/sarcoma, 2,4% (n=6); carcinoma neuroendócrino de grandes células, 0,4% (n=1); carcinoma adenoescamoso, 0,4% (n=1), permaneceram com o diagnóstico de carcinoma não pequenas células pouco diferenciado, 5,7% (n=14) dos casos e 2,4% (n=6) continuaram como neoplasia maligna indiferenciada. A IHQ definiu histogeneticamente 93,1 % (n=94) dos casos examinados e 6,9% (n=7) deixaram de ser avaliados por ausência de tecido tumoral nas secções (exigüidade de material). A modificação do diagnóstico entre a análise histológica e análise dos 101 casos através da IHQ, apresentou uma concordância negativa de 71,3% e concordância positiva de 28,7%. A avaliação geral de todos os tumores (244 casos) na 18 análise (HE) e as neoplasias classificadas na 28 análise em HE+IHa resultaram em uma concordância negativa de 27,5% e concordância positiva de 72,5%. Concluímos que a IHQ é um bom método complementar para o diagnóstico de câncer de pulmão; o painel mínimo de marcadores antigênicos utilizados foi capaz de definir histogeneticamente 93,1 % dos casos submetidos à IHQ; o diagnóstico preciso e rigoroso do câncer de pulmão não prescinde do exame convencional em HE para a escolha dos marcadores antigênicos a serem utilizados na interpretação diagnóstica final. / Lung cancer (LC) is one of the neoplasias mostly prevalent worldwide and it shows increasing rates of incidence. It attacks mainly men between the ages of 40 and 70, and It has being responsible for 1/3 of all deaths caused by cancer. The most important etiological factors associated with this kind of pathology are cigarrete smocking and industrial expositions to asbestos, uranium, nickel, arsenic and atmospheric pollutants as radon gas. It presents a great challenge for oncologists, especially due to the low five years survival rate after diagnosis. Complex morphological patterns and also lack of differentiation in many cases poses as difficulties for the diagnosis of LC. Among the strategies introduced to help the recognition of different histological types of LC, the immunohlstochemistry (IHC) appears as one of the most important methods in the histological diagnosis of these tumors. The main objective of this research was to perform a retrospective study of 244 cases of LC, coming from the Otavio Mangabeira Thoracic Hospital through the analysis of bronchial and transbronquial biopsies during the period of 1986-2004, at the Histopathological Service, Gonçalo Moniz Research Center. All of the cases were revised according to the LC classification of WHO (2004) and the diagnosis of this investigation were confronted with the first ones that are present in our files. The criteria for sending the cases for IHC were tumors defined as indifferentiated/poorly differentiated cases (n=67) and the ones considered as difficult cases for evaluation on HE stain only (divergent diagnosis, n=34). The immunohistochemical study was done using the Envision system™ and making use of the followings antigenic markers; CKAE1/AE3, CK8, CK34BE12, CK7, CK20, SPA CHROMOGRANIN A and TTF-1. The frequency of the different neoplasic types in the 244 analysed cases were: squamous cell carcinoma, 36,9% (n=90); adenocarcinoma, 27% (n=66); small cells neuroendocrine carcinoma, 11,9% (n=29) carcinoid tumor, 8,6% (n=21); linfomas/sarcomas, 2,4% (n=6); large cell neuroendocrine carcinoma, 0,4% (n=1); adenosquamous carcinoma, 0,4% (n=1). 5,7% of the tumors (n=14) remained as non-small poorly differentiated cell carcinoma and 0,8% of cases (n=2) remained as indifferentiated malignant tumor. The IHC was able to histogenetically define 93,1% (n=94) of the cases analysed by this technique and 6,9% (n=7) could not be evaluated due the lack of tumoral material on the slides. The diagnosis change between the HE stain and the IHC analysis of the 101 cases showed a negative concordance of 71,3% and a positive concordance of 28,7%. The evaluation of all 244 cases comparing the first analysis in HE stain and the second one including HE + IHC disclosed a positive concordance of 72,5% and a negative one of 27,5%. We concluded that the IHC is a good auxiliary method for the LC diagnosis; the minimum set of antigenic markers used in this study was to precisely define the histogenesis of 93,1% of the cases evaluated by IHC; the precise e rigorous diagnosis of LC can not rule out the conventional HE satain exam in order to select the main diagnosis possibilities and than choose the antigenic markers to be used in the final diagnostic conclusion.
9

Avaliação da presença do Papilomavírus humano (HPV) em tumores de pulmão

AMARAL, Carolina Maria Medeiros Do 15 December 2015 (has links)
Submitted by Fabio Sobreira Campos da Costa (fabio.sobreira@ufpe.br) on 2017-04-03T14:39:58Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) Tese - Carolina Amaral (2).pdf: 3097271 bytes, checksum: a09eebe935773ec4b3446a95c4507f5c (MD5) / Made available in DSpace on 2017-04-03T14:39:58Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) Tese - Carolina Amaral (2).pdf: 3097271 bytes, checksum: a09eebe935773ec4b3446a95c4507f5c (MD5) Previous issue date: 2015-12-15 / FACEPE / Os Papilomavírus humano (HPV) infectam mucosas e epitélio contribuindo para o desenvolvimento de tumores benignos como também malignos. São amplamente conhecidos como causadores do câncer cervical, contudo, atualmente, vem apresentando evidências de associação com diversos outros tipos de canceres, como o câncer de pulmão. Sendo assim, o presente estudo avaliou a presença do DNA do HPV em tumores de pulmão de pacientes do Estado de Pernambuco bem como a expressão de suas oncoproteínas E6 e E7. Para isto, a detecção foi feita em amostras de tecidos de tumores frescos e parafinados de 63 pacientes. HPV estava presente em 52% das amostras, sendo detectados os tipos 16 e 18 com frequências de 81 e 19%, respectivamente. Quanto a presença do vírus nos diferentes tipos histológicos dos tumores, foi detectado HPV em 40% dos carcinomas escamosos, 33% dos adenocarcinomas, 18% dos carcinomas de células pequenas e 9% em carcinoma de células grandes. Através da técnica de imunohistoquimica detectou-se a presença das oncoproteinas virais E6 (anticorpo anti-HPV 16 e anti-HPV 18) e E7 (anticorpo anti-HPV 16 e anti-HPV 18) com frequências de 85 e 75%, respectivamente. Tal resultado confirma os resultados obtidos molecularmente quanto à presença do HPV e é sugestivo de que o vírus esteja em atividade nas células tumorais e provavelmente esteja desempenhando um papel na carcinogênese de pulmão. No entanto, mais estudos são necessários para se ter um maior esclarecimento sobre interação de E6 e E7 com proteínas celulares na tumorigenese pulmonar. / Small DNA viruses - Human Papillomavirus (HPV) - infect oral mucosa and the epthelium, which leads to the development of both benign and malign tumors. They are widely known as the principal causes of cervical cancer although currently there is evidence to show that they are associated with several other types of cancer, such as lung cancer. In the light of this, this study evaluated the presence of HPV in the tumors of lungs of patients from the State of Pernambuco, as well as the E6 and E7 oncoproteins expression. This involved carrying out the detection in tumor tissue samples that were fresh and paraffin-embedded and taken from 63 patients. HPV was found to be present in 52% of the samples, and types 16 and 18 were detected with frequencies of 81% and 19% respectively. With regard to the presence of the vírus in different histological types of tumors, HPV was detected in 40% of the squamous carcinomas, 33% of the adenocarcinomas, 18% of the small cell carcinomas and 9% in large cell carcinomas. The presence of the E6 (antibody anti-HPV 16 and anti-HPV 18) and E7 (antibody anti-HPV 16 and anti-HPV 18) oncoproteins was detected by means of the immunohistochemical technique and this confirmed the results obtained from a molecular analysis with regard to the presence of the virus and it is suggestive that the virus is active in tumor cells and is probably playing a role in lung carcinogenesis. However, further studies are required to have a clearer understanding of the interaction of E6 and E7 with the cell proteins in pulmonary tumorigenesis.
10

Sobrevida em pacientes mulheres com câncer de pulmão em clínica especializada no Rio de Janeiro, 2000-2009 / Lung cancer survival among women assisted at health service in Rio de Janeiro, 2000-2009

Vera Lúcia Ferreira da Silva Teixeira 19 May 2011 (has links)
O câncer de pulmão é atualmente a neoplasia mais frequentemente diagnosticada, considerando ambos os sexos, e a principal causa de óbito por câncer em todo o mundo. A incidência e a mortalidade do câncer de pulmão vêm sendo influenciadas ao longo do tempo pela história do tabagismo e seus aspectos sócio-demográficos. Este estudo tem como objetivo analisar a sobrevida e fatores prognósticos em mulheres com câncer de pulmão assistidas em uma clínica especializada no Rio de Janeiro no período de 2000 a 2009. Foram analisadas 193 mulheres com diagnóstico de câncer de pulmão confirmado por exame histopatológico. Os dados foram obtidos diretamente do sistema informatizado de registros médicos do referido serviço. A idade do diagnóstico foi categorizada em quatro faixas etárias: até 49 anos, 50 a 59 anos, 60 a 69 anos e maior de 70anos. O tabagismo foi categorizado como não fumante, ex-fumante, fumante e fumante passiva. O estado nutricional foi avaliado pelo Índice de Massa Corpórea (IMC). A classificação histológica seguiu a divisão entre tumores de células não-pequenas (CPCNP) e tumores de pequenas células (CPCP). O estadiamento clínico se baseou na classificação do American Joint Committee on Cancer (AJCC) e Veterans Administration Lung Cancer Study Group (VALCSG) para os tumores de células não-pequenas e tumores de células pequenas, respectivamente. A modalidade de tratamento foi categorizada pela intenção da abordagem terapêutica em quatro grupos: controle, neoadjuvância, adjuvância e paliativa. Foram calculadas funções de sobrevida pelo método de Kaplan-Meier. Para os fatores prognósticos de risco, foram calculados os hazards ratios brutos e ajustados com intervalos de confiança de 95%, através do modelo de riscos proporcionais de Cox. A idade média das pacientes foi de 63 anos. Destas, 47,7% eram fumantes, 26,9% não fumantes, 19,7% ex-fumantes e 3,6% fumantes passivas. Em relação ao estado nutricional, 2,6% das pacientes apresentavam IMC baixo peso, 52,8% normal, 29,5% sobrepeso e 15% obesidade. A maioria dos casos, 169 (87,6%) pacientes, foi classificado como câncer de pulmão de células não-pequenas (CPCNP). Apenas 24 casos (12,4%) foram de câncer de pequenas células (CPCP). Durante o período estudado ocorreram 132 óbitos; 114 por CPCNP e 18 por CPCP. O tempo mediano de sobrevida para toda a coorte foi de 23,2 meses (IC95%: 16,9-33,5). Quando os dados foram estratificados por classificação tumoral, a sobrevida mediana nas pacientes com diagnóstico de CPCNP foi de 18,2 meses (IC95%: 15,6-25,5) e para aquelas com CPCP foi de 10,3 meses (IC95%: 8,4-19,3). A sobrevida encontrada em 24 meses foi de 49% (IC95%: 42,25-56,9), sendo 22,95 (IC95%: 0,6-49,3) para os tumores de pequenas células e 50,29% (IC95%: 43,1-58,7) para os tumores de células não- pequenas. Para o total das pacientes, as curvas de sobrevida estratificadas pelas variáveis selecionadas mostraram diferenças em relação à idade do diagnóstico (p=0,0023) nas faixas etárias intermediárias de 50-59 anos e 60-69 anos, se comparadas com os limites extremos (as mais idosas e as mais jovens). Não houve diferenças para o status de tabagismo (p=0,1484) nem para o IMC (p=0,6230). Na análise multivariada para todos os tumores, nenhum fator prognóstico influenciou no risco de morte. A idade nas categorias intermediárias (50-59 anos e 60-69 anos) e o IMC na categoria sobrepeso mostraram uma tendência à proteção, porém, não houve significância estatística. Para o grupo de mulheres com CPCNP, o modelo de riscos proporcionais apontou diferença em relação ao estadiamento clínico, especificamente o estádio IV (HR=3,36, IC95%: 1,66-6,8; p=0,001). As pacientes com idade entre 50-59 anos e sobrepeso mostraram uma tendência à diminuição do risco, embora sem significância estatística. Esses resultados mostram a necessidade de conhecer melhor o perfil das mulheres que desenvolvem câncer de pulmão e de realizar pesquisas que investiguem de forma mais aprofundada as condições que influenciam a evolução clínica dos casos e assim contribuir para o aprimoramento da abordagem terapêutica. / Lung cancer is currently the most frequently diagnosed cancer, considering both sexes, and the leading cause of cancer death worldwide. Incidence and mortality of lung cancer have been influenced over time by smoking history and their socio-demographic.This study aims to assess the survival and prognostic factors, smoking and body mass index, adjusted for aging, histologic classification and TNM Stating System among women with lung cancer at a clinic in Rio de Janeiro, Brazil, between 2000-2009. The information was obtained from the database of the clinic. The main variables analysed were age at diagnosis, categorized into four levels on the basis of age (<=49, 50-59, 60-69 and >=70), smoking history (never smoking, former smoking and current smoking), nutritional status based on Body Mass Index (BMI), histological classification, designated as non-small cell carcinoma (NSLC) and small cell carcinoma (SCLC), Staging System based on American Joint Committee on Câncer (AJCC) for NSLC and Veterans Administration Lung Study Group (VALSG) for SCLC and treatment modality. They were considered as treatment modality, observation, neoadjuvant and adjuvant therapies, prolongation of survival by chemotherapy. Survival curves were calculated by the Kaplan-Meier (KM) method. We used the porportional hazards modelo of Cox for evaluation of prognostic factors. We analysed 193 women, diagnosed with lung cancer confirmed by histopathology, 169 (87.6%) patient with tumors of non-small cell and 24 (12.4%) patients with smallcell tumors. The average age of patients was 63 years. Median survival for the entire cohort was 23.2 months (95% CI, 16.5 to 32.9). When data were stratified by tumor classification, the median survival in patients with NSLC was 25.5 months (95% CI, 18.3 to 36.4) and 10.5 (95% CI, 8.6 to 20.4) those with SCLC. The overall survival rate at 5 years was found to be 28.9% (95% CI, 2.4 to 37.1) and 68.3% (95% CI, 60.5 to 75.0) for NSLC and 17.2% (95% CI, 4.8 to 35.9) for SCLC. The survival curves differentiated by the classification of tumors showed a significant worsening of the median survival in patients with small-cell lung cancer, 10.3 months (95% CI, 8.4 to 19.3) when compared with non small cell lung cancer, 18.2 months (95% CI, 15.6 to 25.5). Median survival for the entire sample was 16.5 months (95% CI, 13.8 to 23.2). The survival functions stratified by prognostic factors showed differences in age at diagnosis (p= 0.00597) but showed no differences for smoking (p=0.11) nor BMI (p=0.383). The multivariate analysis showed clinical staging as the main independent prognostic factor. The age at diagnosis and BMI exerted a protective factor in at least one of the categories studied. The smoking status did not influence survival. These results show the need to better understand the profile of women who develop lung cancer and identify new prognostic factors to contribute to the improvement of the therapeutic approach.

Page generated in 0.1832 seconds