• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 36
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 37
  • 25
  • 16
  • 13
  • 12
  • 8
  • 7
  • 6
  • 5
  • 5
  • 5
  • 5
  • 5
  • 5
  • 4
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Associação de gabapentina como adjuvante à raquianestesia para controle da dor aguda em colecistectomia convencional / Gabapentin association as an adjuvant the spinal anesthesia for acute pain control in conventional cholecystectomy

Poma, Mara Aparecida Maricato January 2015 (has links)
POMA, Mara Aparecida Maricato. Associação de gabapentina como adjuvante à raquianestesia para controle da dor aguda em colecistectomia convencional. 2015. 72 f. Dissertação (Mestrado em Cirurgia) - Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2015. / Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2016-03-15T13:43:11Z No. of bitstreams: 1 2015_dis_mampoma.pdf: 1700044 bytes, checksum: ddc48e73a7765b770285652ae4e4fcf2 (MD5) / Approved for entry into archive by denise santos(denise.santos@ufc.br) on 2016-03-15T13:51:56Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2015_dis_mampoma.pdf: 1700044 bytes, checksum: ddc48e73a7765b770285652ae4e4fcf2 (MD5) / Made available in DSpace on 2016-03-15T13:51:56Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2015_dis_mampoma.pdf: 1700044 bytes, checksum: ddc48e73a7765b770285652ae4e4fcf2 (MD5) Previous issue date: 2015 / The cholelithiasis is the main biliary tract disease that affects a significant amount of the population, an issue of global public health. In Brazil, is the most common surgical abdominal disease, with about 200,000 hospitalizations annually by the Unified Health System (SUS). The treatment is surgical and can be done conventionally or laparoscopic surgery, the is gold standard option. But the reality of our public health system shows that the vast majority of surgical procedures performed are conventional cholecystectomy. What demand the need for appropriate anesthetic management for effective, safe anesthesia, with control of neuro endocrine response to trauma and postoperative pain. The objective of this clinical study, prospective, double-blind randomly distributed was to evaluate the use of gabapentin by mouth as an adjunct to spinal anesthesia for acute pain control in conventional cholecystectomy. We selected 59 patients with cholelithiasis for elective surgery in general surgery service of Hospital Santa Casa de Misericordia de Fortaleza, being divided into two groups: Gabapentin group (GGP), gabapentin was administered in 31 patients in the 600mg via dose oral 01 hour before surgery and the second control group (CG) were administered placebo, 1 tablet 01 hour before surgery in 28 patients. Both groups underwent spinal anesthesia with sufentanil for performing conventional cholecystectomy. The main variables were: age, gender, heart rate, systolic and diastolic blood pressure, glucose levels, pain scores and morphine consumption postoperatively. The results showed no statistically significant differences between the gabapentin group and the control group.We conclude that the use of gabapentin by mouth as an adjunct to spinal anesthesia in conventional laparoscopic not interfere with the hemodynamic response during surgery or in the control of acute postoperative pain, no consumption of morphine, either on the glycemic index in the post-period operatively. / A colelitíase é a principal doença do trato biliar que afeta uma quantidade significativa da população, representando um problema de saúde pública mundial. (BECKER et al 2013). No Brasil, é a doença abdominal cirúrgica mais comum, com cerca de 200.000 internações ao ano pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Ministério da Saúde - Sistema de Informações Hospitalares do SUS (SIH/SUS) Seu tratamento é cirúrgico podendo ser realizado de forma convencional ou por videocirurgia, que é o padrão ouro. (CASTRO;AKERMAN; MUNHOZ) 2014). Porém, a realidade do nosso sistema público de Saúde demonstra que a grande maioria dos procedimentos cirúrgicos realizados são colecistectomias convencionais. O que demanda a necessidade de um manejo anestésico apropriado para obter anestesia eficaz, segura, com controle da resposta neuro endócrina ao trauma e da dor pós-operatória. O objetivo deste estudo clínico, prospectivo, aleatoriamente distribuído e duplamente encoberto foi avaliar o uso da gabapentina por via oral como adjuvante da raquianestesia para controle da dor aguda em colecistectomia convencional. Foram selecionados 59 pacientes portadores de colelitíase para cirurgia eletiva no serviço de cirurgia geral do Hospital Santa Casa de Misericórdia de Fortaleza, sendo distribuídos em dois grupos: grupo Gabapentina (GGP), administrou-se gabapentina, em 31 pacientes, na dose de 600mg via oral 01 hora antes do início da cirurgia e o segundo grupo Controle (GC) administrou-se placebo, 1 comprimido, 01 hora antes do início da cirurgia em 28 pacientes. Os dois grupos foram submetidos à raquianestesia com sulfentanil para a realização de colecistectomia convencional. As principais variáveis avaliadas foram: idade, sexo, frequência cardíaca, pressão arterial sistólica e diastólica, níveis glicêmicos, escores de dor e consumo de morfina no pós-operatório. Os resultados obtidos não demonstraram diferenças estatisticamente significantes entre o grupo gabapentina e o grupo controle. Conclui-se que o uso da gabapentina por via oral como adjuvante da raquianestesia em colecistectomia convencional não interfere na resposta hemodinâmica no intraoperatório, nem no controle da dor aguda pós-operatória, nem no consumo de morfina, tampouco no índice glicêmico no período pós-operatório.
2

Colecistectomia por mini-laparotomia em sistema ambulatorial : analise da metodologia e resultados

Chaim, Elinton Adami, 1957- 23 August 1993 (has links)
Orientadores : Jose Carlos Pareja, Luiz Sergio Leonardi / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas / Made available in DSpace on 2018-07-18T09:27:21Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Chaim_ElintonAdami_M.pdf: 1942022 bytes, checksum: 306dbef4f200f1c7a6af953ba075de89 (MD5) Previous issue date: 1993 / Resumo: Quarenta doentes foram submetidos à colecistectomia por minilaparotomia em sistema ambulatorial, no período de junho de 1991 a junho de 1992, na Disciplina de Moléstias do Aparelho Digestivo do Departamento de Cirurgia da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas. A idade variou entre 23 e 55 anos (média: 39 anos), predominando o sexo feminino (80%) e a raça branca (90%). Os critérios de inclusão no programa foram: idade máxima de 55 anos; estado físico classe 1 e 2 (ASA); índice de massa corpórea menor que 30; ter acesso a um telefone; residir ou estar hospedado próximo ao Hospital; ter condições familiares para cuidados pós-operatórios; e possuir aceitação do doente. No pós-operatório a introdução da dieta foi feita na quarta hora, a deambulação na quinta hora e a alta hospitalar na oitava hora após o término da cirurgia. O controle clínico foi realizdo através de contato telefônico, pela equipe cirúrgica, e de visita domiciliar, pela equipe de enfermagem. Os critérios de seleção analisados (fatores fisiológicos, idade, peso corporal, psicológicos e condições sociais) foram adequados considerando-se os bons resultados verificados. A colangiografia peroperatória foi realizada com sucesso em 92,5 %, diagnosticando presença de litíase intra-coledociana em cinco doentes (12,5%). O tempo anestésico cirúrgico médio foi de 81,13 minutos, e a necessidade de ampliação da incisão cirúrgica ocorreu em 10,0%, devido a presença de cálculos no colédoco em três doentes e necrose da vesícula biliar em outro. O tempo médio de permanência hospitalar no pós-operatório foi de oito horas em 87,5 % . Quanto às complicações imediatas, ocorreram vômitos em 17 doentes (42,5%), sendo necessária a hospitalização de três deles (7,5%). As complicações tardias ocorreram em dois doentes (5,0%): um deles apresentou febre no quinto dia de pós-operatório, e outro, com coleção sero-hemática na tela subcutânea, foi diagnosticado no sétimo dia de pós-operatório, cuja cultura foi negativa. Não ocorreram óbitos nesta série estudada. O controle clínico pós-operatório em nível domiciliar, através do contato telefônico e da visita da enfermagem, ocorreram de maneira eficiente. O retomo às atividades físicas e profissionais ocorreram precocemente, com predomínio no segundo e quinto dia de pós-operatório respectivamente. A sintomatologia dolorosa no pós-operatório precoce foi controlada cpm uma a duas ampolas de diclofenaco sódico por via muscular ou um a seis comprimidos de diclofenaco sódico por via oral. O acompanhamento pós-operatório foi em média de oito meses, não havendo casos de hospitalização tardia. O aspecto estético, quanto à expectativa dos doentes, foi satisfatório. O método demonstrou-se seguro e eficaz, sendo exeqüível sem que sejam necessários investimentos tecnológicos de alto custo / Abstract: There has been a significant improvement in the surgical treatment of cholelithiasis in the recent pasto In this series of cases, forty patients were surgically treated using a minilaparotomy approach. The criteria for admission to the study included: good physical condition (ASA level 1 or 2, body mass index less than thirty and below fifty five years of age. An informed consent was obtained from all patients and their families, as well as an agreement concerning post-surgical care at home. The patients had to be within easy reach during the few days following the prodecure. The outcome was evaluated by means of the following variables: acceptance of refeeding four hours after the procedure with an appropriate diet; ability to get up from bed and walk around five hours after the procedure; interval between the end of the procedure and discharge; complaints related to the surgical procedure, during hospitalization and at home, and early and late surgical and clínical complications. The patients remained between 30 and 150 minutes under anesthetic drugs (mean = 81.13 minutes). The length of the surgical wound had to be further increased in three patients due to the presence of biliary lithiasis and gall-bladder necrosis. Most of the patients had a radiographic evaluation of the biliary tree made during the surgery. In five cases biliary stones were detected (12,5%). The majority of the patients were discharged eight hours after the procedure. The most frequent early complaint was vomiting in seventeen patients (42,4%). Three patients had to be readmitted. Late complications were noted in two patients. One patient became febrile and another had a sterile subcutaneous fluid collection. Pain was easily relieved by a single dose of an antiinflatory drug (dic1ofenac). There was no death in this series. Retum to professional and routine activities occured within two to three days after discharge in the majority of the cases. All the patients were reevaluated six months after discharge. None had to be readmitted or treated for a complication related to the procedure. We conclude that this is a safe and inexpensive procedure that can be done in most of medical centers / Mestrado / Mestre em Cirurgia
3

Papilotomia em cirurgia biliar : contribuição ao estudo de suas indicações, resultados e complicações

Faintuch, Joel 18 July 2018 (has links)
Orientador: Marcel Cerqueira Cesar Machado / Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas / Made available in DSpace on 2018-07-18T02:00:47Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Faintuch_Joel_D.pdf: 2494981 bytes, checksum: d45e98016b58b0fc166671d122f50b2b (MD5) Previous issue date: 1974 / Resumo: Não informado. / Abstract: Not informed. / Doutorado / Doutor em Medicina
4

Estudo comparativo entre o tratamento cirurgico da colecistolitiase por acesso videolaparoscopio e por minilaparotomia : analise de parametros quantitativos da atividade fisica no pos-operatorio imediato

Chaim, Elinton Adami, 1957- 29 July 1998 (has links)
Orientador: Jose Carlos Pareja, Marcelo de Carvalho Ramos / Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas / Made available in DSpace on 2018-07-24T00:27:26Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Chaim_ElintonAdami_D.pdf: 5162140 bytes, checksum: 2413b4a0b01577b8db42f8bbb16fd151 (MD5) Previous issue date: 1998 / Resumo: Os procedimentos cirúrgicos para o tratamento da colecistolitíase estão entre os mais freqüentemente utilizados na maioria dos países. Isto deve-se à prevalência da litíase biliar, presente em cerca de 3% a 22% da população ocidental. Na última década, entre as inovações técnicas na realização da cOlecistectomia, certamente as que mais repercussão alcançaram foram a colecistectomia por minilaparotomia e por videolaparoscopia, devido à busca por métodos menos invasivos e, conseqüentemente, a uma recuperação pós operatória mais rápida. O objetivo deste estudo foi analisar comparativamente a colecistectomia, realizada por minilaparotomia e por videolaparoscopia, utilizando-se métodos qualitativos e quantitativos. Sessenta doentes foram submetidos à colecistectomia, divididos em dois grupos. Os doentes foram estratificados conforme o índice de Massa Corpórea e idade e a alocação nos grupos foi casual e probabilística, distribuídos segundo uma tabela de números aleatórios gerados ao acaso por computador. Foram considerados como pertencentes ao Grupo A os doentes submetidos à colecistectomia por minilaparotomia e ao Grupo 8, os doentes submetidos por videolaparoscopia, no período de março a setembro de 1997, na Disciplina de Moléstias do Aparelho Digestivo do Departamento de Cirurgia da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas. Os critérios de inclusão ao estudo foram: doentes portadores de colecistolitíase, idade máxima de 60 anos e índice de Massa Corpórea menor que 40. A idade no Grupo A variou entre 15 e 57 anos (média de 36,5 anos) e no Grupo 8 entre 16 e 56 anos (média de 38,4 anos), predominando o sexo feminino (90%) e a raça branca (100% no grupo A e 96,7% no grupo 8) nos dois grupos. O tempo anestésico-cirúrgico médio foi de 75 minutos no grupo A e de 80,5 minutos no grupo 8. No pós operatório a reintrodução da dieta foi realizada na quarta hora, a deambulação na quinta hora e a alta hospitalar até 24 horas após o término da cirurgia, não ocorrendo complicações no pós-operatório imediato. Não ocorreram óbitos nesta série estudada. Os testes de desempenho da atividade física foram realizados comparativamente no pré e 'pós-operatórios, com resultados demonstrando superioridade da técnica da videolaparoscopia no teste de', função muscular e resultados semelhantes entre as técnicas no teste da esteira ergométrica. Tanto a colecistectomia realizada por minilaparotomia como por, videolaparoscopia mostraram-'se métodos segul"os e eficazes, proporcionando recuperação pós-operatória. satisfatória e retorno às atividades físicas e profissionais no mesmo período de tempo / Abstract: Surgical treatment for cholecystolithiasis is one of the most frequent worldwide. This fact rests in the prevalence of biliary lithiasis, present in approximately 3 to 22% of th~ western population. In the past decade, among the technical innovations performing cholecystectomy, minilaparotomy or videolaparoscopy have become attractive options, due to the search for less invasive methods and, leading to a faster postoperative recovery. The aim of this study is to compare cholecystectomy being performed by minilaparatomy and videolaparoscopy using qualitative and quantitative methods. Sixty patients, divided in two groups, were submitted to cholecystectomies. Patients were stratified according to body mass index and age. Allocation into groups was casual and probabilistic using a table of aleatory numbers casually generated by computer software. Group A in91uded patients operated on by minilaparatomy, and Group Bincluded patients operated on by videolaparoscopy. The period of study began in March of 1997 and ended in September of 1997, at the Discipline of Digestive Disease, Department of Surgery, School of Medical Sciences, State University of Campinas. Inclusion into the study was basedon the following topics: patients presenting cholecystolithiasis,aged 60 years old or younger, and with a body mass index lower than 40. Age in group A ranged from 15 to 57 (mean, 36,5) years old and group 8 ranged between 16 and 56 (mean, 38,4) years old. 80th groups presented a predominance of females (90,0%) and white people (100,0% in group A and 96,7% in group 8). Mean anesthetic time was 75 minutes in group A and 80,5 minutes in group 8. Postoperatively, diet was reintroduced in the fourth hour, deambulation in the fifth hour, and discharge from the hospital was up to 24 hours after the end of the surgery, if there is no complication during immediate postoperative period. No mortality occurred in this study. Physical activity tests were performed comparatively in the preoperative and postoperative stages showing better results when videolaparoscopy was utilized. Similar results for both groups were obtained using treadmill to measure physical activity. Cholecystectomies performed either by minilaparotomy or videolaparoscopy, proved themselves as secure as efficient " methods, presenting satisfactory postoperative recovery and resuming to physical and professional activities at the same period of time / Doutorado / Doutor em Cirurgia
5

Incidencia de calculos biliares e fatores relacionados a sua formação em pacientes com obesidade morbida submetidos a derivação gastrojejunal em Y de Roux

Oliveira, Carlos Iglezias Brandão 26 February 2003 (has links)
Orientador: Elinton Adami Chaim / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas / Made available in DSpace on 2018-08-03T16:49:40Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Oliveira_CarlosIgleziasBrandao_M.pdf: 4739801 bytes, checksum: 6e5cb406f222b7aeb83f22b64ce81683 (MD5) Previous issue date: 2003 / Resumo: O autor apresenta um estudo descritivo, retrospectivo, de pacientes submetidos no Serviço de Cirurgia Bariátrica do Departamento de Cirurgia da Faculdade de Ciências Médicas do Hospital das Clínicas da Unicamp,a gastroplastia redutora com derivação gastrojejunal à Capella, para tratamento da obesidade classe lU com o intuito de determinar a incidência de cálculos na vesícula biliar no pré-operatório e durante os primeiros 12 meses de pós-operatório. Os pacientes foram predominantemente do sexo feminino (76,91%), com média de idade de 39 anos, (variando de 19 - 63 anos), 61% eram superobesos (IMC 2: 50Kg/m2) e 90% perderam mais de 50% do excesso de peso. Foram operados no período de 1998 a 2001, 88 pacientes com avaliação ultra-sonográfica pré-operatória das vias biliares , sendo que 69 destes pacientes não apresentavam cálculos biliares. Somente 36 destes 69 pacientes foram incluídos neste estudo, por ter sido possível o seu acompanhamento nos 12 meses de pós-operatório. Estes pacientes foram divididos em dois grupos: os que formaram cálculos no pós-operatório (n=19) e os que não formaram (n=17) com o objetivo de avaliar a importância das variáveis sexo, idade, !MC pré-operatório, percentagem do excesso de peso no pré-operatório e percentagem do excesso de peso perdido no pós-operatório na formação de cálculos durante o período de perda de peso pós-operatório. Para análise dos dados obtidos utilizou-se o teste do qui-quadrado, fixando-se em 0,05 (5%) o nível de rejeição da hipótese de nulidade. A incidência pré-operatória de colecistolitíase nos 88 pacientes operados foi de 21,59% e a pós-operatória nos 36 pacientes acompanhados foi de 52,77%. A análise estatística não encontrou evidências de que a formação de cálculos no pós-operatório esteja associada, de forma significativa, com as variáveis estudadas / Abstract: The author reports a descriptive, retrospective 51udy of patients who were submitted to gastric bypass surgery in Hospital das Clinicas in Unicamp (S.P.) to be treated of morbid obesity to determine the incidence of gallstones formation in the preoperative and during the largest weight 10ss period represented by the first 12 months of postoperative. The patients involved in this study were specially females with an average age of 39 years old, being 61 % classified as super obese (BMI2: 50Kglm2) and 90% 1051 more than 50% of percentage excess weight. Between June 1998 and April 2001, 88 patients underwent surgery with preoperative ultrasonography evaluation of gallstones, 69 of these patients did not have gallstones. Only 36 of these 69 patients were inc1uded in this study because it was possible to accompany them during the 12 months of po51operative. These patients were divided in two groups: those who formed gall510nes during the po51operative (n=19) and those who did not formed (n=17) with the objective of evaluating the importance of the variables sex, age, preoperative BMI, excess weight percentage in the preoperative and percentage excess weight loss in the po51operative in the gall510nes formation during the po51operative rapid weight 10ss. To analyze the data the Pearson Chi-square test was used and differences were considered 51ati51ically significant when p value < 0,05 (5%). The preoperative incidence of cholelithiasis on the 88 operated patients was 21,59% and po51operative on the 36 patients who were accompanied was 52,77%. This confirm the high con-elation between morbid obesity, rapid weight 10ss and gallbladder disease. The 51atistical analysis could not find any evidences that the gall510ne fonnation in the po51operative is associated, significantly, with the studied variables / Mestrado / Medicina Interna / Mestre em Ciências Médicas
6

Avaliação da função renal em pacientes submetidos à colecistectomia ou correção de hérnia de hiato por via laparoscópia /

Lima, Rodrigo Moreira e. January 2011 (has links)
Orientador: Eliana Marisa Ganem / Banca: Norma Sueli Pinheiro Módolo / Banca: Pedro Thadeu Galvão Vianna / Banca: José Fernando Amaral Meletti / Banca: Anita Leocácia de Mattos / Resumo: O pneumoperitônio (PP), utilizado durante laparoscopia, produz oligúria transitória e diminui o ritmo de filtração glomerular (RFG) e o fluxo sanguíneo renal (FSR). O diagnóstico da disfunção renal aguda é rotineiramente baseado na elevação sérica da creatinina (Cr) e/ou na detecção de oligúria. A cistatina C (Cis C) tem sido estudada como um novo marcador de função renal. O objetivo foi avaliar a função renal, por meio da estimativa do RFG baseada nas concentrações sérica de Cr ou Cis C, de pacientes submetidos à videolaparoscopia.foram estudados 41 pacientes submetidos à colecistectomia ou à hiatoplastia pela via laparoscópica. A pressão intra-abdominal (PIA) foi mantida em 15 mm Hg durante a cirurgia. Amostras sanguíneas foram coletadas para mensuração dos valores séricos de vasopressina, Cr e Cis C antes da anestesia (M1), 30 min após a insuflação do PP (M2) e 30 min após a deflação do PP (M3). Quando a Cr foi utilizada para a estimativa do RFG, esta foi calculada pela fórmula de Cockcroft-Gault (RFG-CG). Quando a Cis C foi utilizada para o mesmo fim, a fórmula empregada foi a de Larsson (RFG-Larsson).os valores de Cis C aumentaram durante o estudo (M1 = M2 < M3; p < 0.05), enquanto os valores de Cr diminuíram nos momentos estudados, provavelmente decorrente da hemodiluição resultante da reposição volêmica durante o procedimento (M1 = M2 > M3; p < 0.05). Consequentemente, o RFG-Larsson (mL.min-1) diminuiu (M1 = 134,5 ± 38,2; M2 = 128,5 ± 33,8; M3 = 121,3 ± 33,7; M1 = M2 > M3) e o RFGCG aumentou durante os momentos estudados (M1 = 132,9 ± 37,9; M2 = 140,7 ± 45,4; M3 = 155,8 ± 57,0; M1 = M2 < M3). Análise de correlação de Pearson mostrou melhor correlação entre os valores de Cis C e RFG-Larsson (M1 = -0.96; M2 = -0.95; M3 = - 0.94), quando comparada à Cr e RFG-CG (M1 = -0.65; M2 = -0.67; M3 = -0.78). Não foi encontrada correlação... (Resumo completo, clicar acesso eletrônico abaixo) / Abstract: Pneumoperitoneum (PP) used during laparoscopic procedure has been shown to produce transient oliguria and reduced glomerular filtration rate (GFR) and renal blood flow (RBF). The diagnostic of acute kidney injury is usually based on either an elevation of serum creatinine (Cr) or the detection of oliguria. A relatively new marker for detecting renal injury is the cystatin C (Cys C). Our goal was to evaluate the renal function through analysis of GFR estimated by concentration of serum Cys C and serum Cr during laparoscopic surgery.we evaluated 41 patients subjected to colecistectomy or hiatoplasty by laparoscopic approach. Intraperitonial pressure during PP was maintained in 15 mm Hg. Blood samples were collected for vasopressin, Cys C, and Cr measurements (before intubation (M1), 30 min after PP (M2), and 30 min after the deflation of PP (M3)). To estimate GFR we used Larsson formula to evaluate Cys C (GFR-Larsson) and Cockcroft-Gault formula to evaluate Cr (GFR-CG).the values of Cys C increased during the study (M1 = M2 < M3; p < 0.05). Cr values decreased during the study probably because the hemodilution effect caused by fluid replacement (M1 = M2 > M3; p < 0.05). Consequently, the GFR-Larsson (ml.min-1) decreased (M1 = 134.5 ± 38.2; M2 = 128.5 ± 33.8; M3 = 121.3 ± 33.7 with M1 = M2 > M3), while GFR-CG increased during the study (M1 = 132.9 ± 37.9; M2 = 140.7 ± 45.4; M3 = 155.8 ± 57.0 with M1 = M2 < M3). Person's analysis showed better correlation between Cys C values and GFRLarsson (M1 = -0.96; M2 = -0.95; M3 = -0.94) versus Cr values and GFR-CG (M1 = - 0.65; M2 = -0.67; M3 = -0.78). No correlation between Cys C and Cr values was found. The vasopressin levels were stable without statistically significant change during the study.This study showed that Cys C was more efficient than serum Cr to detect early alterations in estimated GFR during laparoscopic surgery in patient previous normal / Doutor
7

Avaliação da função renal em pacientes submetidos à colecistectomia ou correção de hérnia de hiato por via laparoscópia

Lima, Rodrigo Moreira e [UNESP] 24 February 2011 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:30:29Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2011-02-24Bitstream added on 2014-06-13T21:01:13Z : No. of bitstreams: 1 lima_rm_dr_botfm.pdf: 2221542 bytes, checksum: 5a61ea17b1e2d421de2a667b0875fa20 (MD5) / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) / O pneumoperitônio (PP), utilizado durante laparoscopia, produz oligúria transitória e diminui o ritmo de filtração glomerular (RFG) e o fluxo sanguíneo renal (FSR). O diagnóstico da disfunção renal aguda é rotineiramente baseado na elevação sérica da creatinina (Cr) e/ou na detecção de oligúria. A cistatina C (Cis C) tem sido estudada como um novo marcador de função renal. O objetivo foi avaliar a função renal, por meio da estimativa do RFG baseada nas concentrações sérica de Cr ou Cis C, de pacientes submetidos à videolaparoscopia.foram estudados 41 pacientes submetidos à colecistectomia ou à hiatoplastia pela via laparoscópica. A pressão intra-abdominal (PIA) foi mantida em 15 mm Hg durante a cirurgia. Amostras sanguíneas foram coletadas para mensuração dos valores séricos de vasopressina, Cr e Cis C antes da anestesia (M1), 30 min após a insuflação do PP (M2) e 30 min após a deflação do PP (M3). Quando a Cr foi utilizada para a estimativa do RFG, esta foi calculada pela fórmula de Cockcroft-Gault (RFG-CG). Quando a Cis C foi utilizada para o mesmo fim, a fórmula empregada foi a de Larsson (RFG-Larsson).os valores de Cis C aumentaram durante o estudo (M1 = M2 < M3; p < 0.05), enquanto os valores de Cr diminuíram nos momentos estudados, provavelmente decorrente da hemodiluição resultante da reposição volêmica durante o procedimento (M1 = M2 > M3; p < 0.05). Consequentemente, o RFG-Larsson (mL.min-1) diminuiu (M1 = 134,5 ± 38,2; M2 = 128,5 ± 33,8; M3 = 121,3 ± 33,7; M1 = M2 > M3) e o RFGCG aumentou durante os momentos estudados (M1 = 132,9 ± 37,9; M2 = 140,7 ± 45,4; M3 = 155,8 ± 57,0; M1 = M2 < M3). Análise de correlação de Pearson mostrou melhor correlação entre os valores de Cis C e RFG-Larsson (M1 = -0.96; M2 = -0.95; M3 = - 0.94), quando comparada à Cr e RFG-CG (M1 = -0.65; M2 = -0.67; M3 = -0.78). Não foi encontrada correlação... / Pneumoperitoneum (PP) used during laparoscopic procedure has been shown to produce transient oliguria and reduced glomerular filtration rate (GFR) and renal blood flow (RBF). The diagnostic of acute kidney injury is usually based on either an elevation of serum creatinine (Cr) or the detection of oliguria. A relatively new marker for detecting renal injury is the cystatin C (Cys C). Our goal was to evaluate the renal function through analysis of GFR estimated by concentration of serum Cys C and serum Cr during laparoscopic surgery.we evaluated 41 patients subjected to colecistectomy or hiatoplasty by laparoscopic approach. Intraperitonial pressure during PP was maintained in 15 mm Hg. Blood samples were collected for vasopressin, Cys C, and Cr measurements (before intubation (M1), 30 min after PP (M2), and 30 min after the deflation of PP (M3)). To estimate GFR we used Larsson formula to evaluate Cys C (GFR-Larsson) and Cockcroft-Gault formula to evaluate Cr (GFR-CG).the values of Cys C increased during the study (M1 = M2 < M3; p < 0.05). Cr values decreased during the study probably because the hemodilution effect caused by fluid replacement (M1 = M2 > M3; p < 0.05). Consequently, the GFR-Larsson (ml.min-1) decreased (M1 = 134.5 ± 38.2; M2 = 128.5 ± 33.8; M3 = 121.3 ± 33.7 with M1 = M2 > M3), while GFR-CG increased during the study (M1 = 132.9 ± 37.9; M2 = 140.7 ± 45.4; M3 = 155.8 ± 57.0 with M1 = M2 < M3). Person’s analysis showed better correlation between Cys C values and GFRLarsson (M1 = -0.96; M2 = -0.95; M3 = -0.94) versus Cr values and GFR-CG (M1 = - 0.65; M2 = -0.67; M3 = -0.78). No correlation between Cys C and Cr values was found. The vasopressin levels were stable without statistically significant change during the study.This study showed that Cys C was more efficient than serum Cr to detect early alterations in estimated GFR during laparoscopic surgery in patient previous normal
8

Efeitos da melatonina sobre a inflamação e o estresse oxidativo tecidual de pacientes submetidos à laparoscopia cirúrgica

Volquind, Daniel January 2016 (has links)
Orientador: Luiz Antonio Vane / Resumo: A melatonina foi isolada em 1958 e múltiplas funções desta molécula passaram a ser esclarecidas. As ações em receptores específicos de membrana, ligados à proteína G são responsáveis pelo controle do ciclo circadiano e do ritmo sazonal, no entanto a atividade como varredor dos radicais livres de oxigênio e outros mediadores do metabolismo oxidativo não são mediadas por receptores. A geração de EROS está diretamente ligada ao dano celular e tecidual, sendo a isquemia e a reperfusão (I/R), os mecanismos fisiopatológicos que mais contribuem para o desequilíbrio entre moléculas oxidantes e antioxidantes, resultando no estresse oxidativo. A insuflação da cavidade peritoneal com gás carbônico promove I/R causando desfechos deletérios ao paciente. Com o objetivo de estudar os efeitos da melatonina sobre a inflamação e o estresse oxidativo peritoneal e a expressão gênica das proteínas MTNR1A e MTNR1B entre os pacientes submetidos à laparoscopia cirúrgica, que receberam ou não a melatonina, foram randomizados 80 pacientes em 2 grupos de 40 pacientes cada para receber melatonina (GMEL) - 20mg via oral 12 horas antes e 1 hora antes do procedimento, respectivamente - e 40 pacientes para receber placebo (GPLA) - 12 horas antes e 1 hora antes do procedimento, respectivamente. Amostras de peritônio parietal foram coletadas 10 minutos após o início do pneumoperitônio e 3 minutos após o final do mesmo. A morfologia tecidual foi avaliada no exame histopatológico de lâminas coradas com hematox... (Resumo completo, clicar acesso eletrônico abaixo) / Abstract: Melatonin was isolated in 1958 and multiple functions of this molecule have been clarified. The actions on specific receptors of membrane, attached to the G protein-coupled receptors are responsible for the control of circadian and seasonal rhythm cycle, however the activity as free radical oxygen scavenger and other mediators of oxidative metabolism are not mediated by receptors. The generation of EROS is directly linked to cellular damage and tissue ischemia and reperfusion being (I/R), the pathophysiological mechanisms that contribute most to the imbalance between oxidants and antioxidants molecules, resulting in oxidative stress. The peritoneal cavity insufflation with carbon gas promotes I/R causing deleterious outcomes for the patient. In order to study the effects of melatonin on the peritoneal inflammation and oxidative stress and genic expression of the proteins MTNR1A and MTNR1B among patients undergoing surgical laparoscopy who received or not melatonin, 80 patients were randomized into 2 groups of 40 patients each to receive melatonin (GMEL) - 20 mg orally 12 hours before and 1 hour before the procedure, respectively -and 40 patients to receive placebo (GPLA) - 12 hours before and 1 hour before the procedure, respectively. Parietal peritoneum samples were collected 10 minutes after the beginning of the pneumoperitoneum and 3 minutes after the end of it. Tissue morphology was evaluated on histopathological examination of slides stained with hematoxylin-eosin fo... (Complete abstract click electronic access below) / Doutor
9

Efeitos da melatonina sobre a inflamação e o estresse oxidativo tecidual de pacientes submetidos à laparoscopia cirúrgica / Effects of melatonin on oxidative stress and inflammation in tissue of patients undergoing surgical laparoscopy

Volquind, Daniel [UNESP] 29 January 2016 (has links)
Submitted by DANIEL VOLQUIND null (danielvolquind@gmail.com) on 2016-03-02T16:49:01Z No. of bitstreams: 1 TESE Repositório final.pdf: 2511476 bytes, checksum: b211b0f87e3c69a0c3c773e5597c9fec (MD5) / Approved for entry into archive by Ana Paula Grisoto (grisotoana@reitoria.unesp.br) on 2016-03-04T13:27:41Z (GMT) No. of bitstreams: 1 volquind_d_dr_bot.pdf: 2511476 bytes, checksum: b211b0f87e3c69a0c3c773e5597c9fec (MD5) / Made available in DSpace on 2016-03-04T13:27:41Z (GMT). No. of bitstreams: 1 volquind_d_dr_bot.pdf: 2511476 bytes, checksum: b211b0f87e3c69a0c3c773e5597c9fec (MD5) Previous issue date: 2016-01-29 / A melatonina foi isolada em 1958 e múltiplas funções desta molécula passaram a ser esclarecidas. As ações em receptores específicos de membrana, ligados à proteína G são responsáveis pelo controle do ciclo circadiano e do ritmo sazonal, no entanto a atividade como varredor dos radicais livres de oxigênio e outros mediadores do metabolismo oxidativo não são mediadas por receptores. A geração de EROS está diretamente ligada ao dano celular e tecidual, sendo a isquemia e a reperfusão (I/R), os mecanismos fisiopatológicos que mais contribuem para o desequilíbrio entre moléculas oxidantes e antioxidantes, resultando no estresse oxidativo. A insuflação da cavidade peritoneal com gás carbônico promove I/R causando desfechos deletérios ao paciente. Com o objetivo de estudar os efeitos da melatonina sobre a inflamação e o estresse oxidativo peritoneal e a expressão gênica das proteínas MTNR1A e MTNR1B entre os pacientes submetidos à laparoscopia cirúrgica, que receberam ou não a melatonina, foram randomizados 80 pacientes em 2 grupos de 40 pacientes cada para receber melatonina (GMEL) - 20mg via oral 12 horas antes e 1 hora antes do procedimento, respectivamente - e 40 pacientes para receber placebo (GPLA) - 12 horas antes e 1 hora antes do procedimento, respectivamente. Amostras de peritônio parietal foram coletadas 10 minutos após o início do pneumoperitônio e 3 minutos após o final do mesmo. A morfologia tecidual foi avaliada no exame histopatológico de lâminas coradas com hematoxilina- eosina para os parâmetros relacionados à inflamação e por meio de análise imuno-histoquímica para a expressão gênica das proteínas MTNR1A e MTNR1B. O GMEL apresentou redução estatisticamente significativa na intensidade das variáveis inflamatórias (IF, LP, CV e ED) quando comparado com o GPLA (p = 0,001). A expressão das proteínas MTNR1A e MTNR1B não mostraram diferenças entre os grupos estudados. O principal achado deste estudo foi a redução nas variáveis inflamatórias estudadas, induzidas pela melatonina. Observou-se no grupo GMEL uma diminuição no grau de infiltrados inflamatórios nas biópsias peritoneais. Este achado permite inferir que houve também uma diminuição do estresse oxidativo. A administração exógena de melatonina não mostrou influência na expressão gênica das proteínas MTNR1A e MTNR1B. O presente estudo teve como principais limitações o não estudo das citocinas inflamatórias e dos marcadores envolvidos no estresse oxidativo. Entretanto, a atenuação induzida pela melatonina nas reações inflamatórias teciduais, observadas pela análise histopatológica, permite deduzir que a não realização destas análises pouco influenciariam na conclusão do estudo. Em conclusão, nas condições empregadas neste estudo, os resultados demonstram que a melatonina diminui a inflamação peritoneal, e potencialmente, o estresse oxidativo nos pacientes submetidos à laparoscopia cirúrgica, além de atenuar o grau de inflamação, de infiltração de células inflamatórias, de edema endotelial e congestão vascular no peritônio parietal destes pacientes. No entanto, a melatonina não modificou a expressão gênica das proteínas MTNR1A e MTNR1B nos pacientes submetidos à laparoscopia cirúrgica. / Melatonin was isolated in 1958 and multiple functions of this molecule have been clarified. The actions on specific receptors of membrane, attached to the G protein-coupled receptors are responsible for the control of circadian and seasonal rhythm cycle, however the activity as free radical oxygen scavenger and other mediators of oxidative metabolism are not mediated by receptors. The generation of EROS is directly linked to cellular damage and tissue ischemia and reperfusion being (I/R), the pathophysiological mechanisms that contribute most to the imbalance between oxidants and antioxidants molecules, resulting in oxidative stress. The peritoneal cavity insufflation with carbon gas promotes I/R causing deleterious outcomes for the patient. In order to study the effects of melatonin on the peritoneal inflammation and oxidative stress and genic expression of the proteins MTNR1A and MTNR1B among patients undergoing surgical laparoscopy who received or not melatonin, 80 patients were randomized into 2 groups of 40 patients each to receive melatonin (GMEL) - 20 mg orally 12 hours before and 1 hour before the procedure, respectively -and 40 patients to receive placebo (GPLA) - 12 hours before and 1 hour before the procedure, respectively. Parietal peritoneum samples were collected 10 minutes after the beginning of the pneumoperitoneum and 3 minutes after the end of it. Tissue morphology was evaluated on histopathological examination of slides stained with hematoxylin-eosin for parameters related to inflammation and through immunohistochemistry analysis for protein expression of MTNR1A and MTNR1B. The presented statistically significant reduction in GMEL intensity of inflammatory variables (IF, LP, HP and ED) when compared with the GPLA (p = 0.001). The genic expression of MTNR1A and MTNR1B proteins show no differences between the groups. The main finding of this study was the reduction in inflammatory variables studied, induced by melatonin. It was observed in the GMEL a decrease in degree of inflammatory infiltrates in peritoneal biopsies. This finding allows us to infer that there was also a decrease in oxidative stress. Exogenous melatonin administration showed no influence on genic expression of MTNR1A and MTNR1B proteins. The present study had as main limitations the study not of inflammatory cytokines and markers involved in oxidative stress. However, the melatonina induced attenuation in inflammatory tissue reactions, observed by histopathological analysis, allows to deduce that the non realization of these analyses little influence at the conclusion of the study. In conclusion, under the conditions employed in this study, the results show that melatonin decreases the peritoneal inflammation, and potentially, the oxidative stress in patients undergoing laparoscopy surgical, as well as mitigate the degree of inflammation, inflammatory cells infiltration, endothelial edema and vascular congestion in the parietal peritoneum of these patients. However, melatonin does not modify the genic expression of MTNR1A and MTNR1B proteins in patients undergoing surgical laparoscopy.
10

Estudo das alterações funcionais respiratórias em pacientes submetidos à colecistectomia videolaparoscópica /

Khenaifes, Tatiana Eing Granado. January 2011 (has links)
Orientador: Daniela Cristina Cataneo / Banca: Karla Magnani / Banca: Suzani Tanni / Resumo: A colecistectomia por via laparoscópica é uma técnica minimamente invasiva que permite remover a vesícula biliar com redução do tempo cirúrgico e hospitalar, possibilitando o retorno precoce às atividades diárias. Porém, apesar de ser uma técnica minimamente invasiva, pode acarretar uma série de alterações pulmonares importantes. Analisar as alterações funcionais respiratórias em indivíduos submetidos à colecistectomia videolaparoscópica. Foram avaliados, pela equipe do Hospital Estadual Bauru, no período de abril de 2008 até maio de 2010, todos os pacientes com indicação cirúrgica. No período pré-operatório todos foram submetidos à anamnese, espirometria, medida do índice diafragmático, ventilometria, manovacuometria, pico de fluxo expiratório, teste de caminhada de 6 minutos e teste de escada. Todos os testes foram repetidos no primeiro, quinto e trigésimo pós-operatórios. Somente o teste de escada não foi repetido no primeiro pós-operatório. Foi avaliada em cada pós-operatório a escala analógica de dor, e a escala de Borg foi aplicada após os testes dinâmicos. Foram avaliados 50 pacientes, sendo 76% mulheres e 24% homens. A média da idade foi de 47,8±14,2 e do IMC foi de 28,8±4,8 kg/m2. A amostra foi composta por 68% de não tabagistas, 20% de tabagistas e 12% de ex-tabagistas. Não houve qualquer caso de complicação pós-operatória. O VEF1 e CVF apresentaram queda significativa no PO1, voltando aos valores pré somente no PO30, a VVM apresentou queda significativa no PO1, voltado aos valores pré no PO5 e o PFE foi significativamente menor no PO1, já estando normalizado no PO5. A PImáx e PEmáx apresentaram queda significativa no PO1 e continuou reduzido no PO5 retornando aos valores pré no PO30. O VE e o VC não apresentaram diferença estatística em qualquer momento estudado, somente a f aumentou no PO1. O ID1 e ID2 não apresentaram... (Resumo completo, clicar acesso eletrônico abaixo) / Abstract: Laparoscopic cholecystectomy is a minimally invasive technique that allows removal of the gallbladder with reduced surgical time and hospital stay, allowing an earlier return to daily activities, yet can cause a series of major pulmonary changes. The increasing of laparoscopic surgery for performing cholecystectomy has shown the need for evaluation of ventilatory changes resulting from the anesthesia, the pneumoperitoneum and visceral manipulation, plus the time of return to preoperative status. To evaluate changes in respiratory function in patients undergoing laparoscopic cholecystectomy. The team of Bauru State Hospital evaluated, from April 2008 until May 2010, all patients with surgical indication. In the preoperative period all underwent medical history, spirometry, peak expiratory flow, respirometry, manometry, measurement of diaphragmatic index, six minute walking test and stair-climbing test. All tests were repeated in the first, fifth and thirtieth postoperative days. The stair climbing test was not repeated in the first postoperative day. Pain analog scale was assessed at each postoperative, and the Borg scale was applied after the dynamic tests. Fifty patients were evaluated, 76% women and 24% men. The mean age was 47,8±14,2 and BMI was 28,8±4,8 kg/m2. The sample comprised 68% of nonsmokers, 20% were smokers and 12% former smokers. There was no case of postoperative complication. FEV1 and FVC showed a significant decrease in PO1, returning to PRE values in PO30, the MVV significant drop in PO1, returning to PRE values in PO5 and PEF were significantly lower in PO1, already being normal in PO5. MV and TV did not differ significantly at any time studied, only respiratory rate increased in PO1. The MIP and MEP showed a significant drop in the PO1 returning to baseline at PO5. The ID1 and ID2 did not differ at any time studied. The 6MWD was significantly lower than... (Complete abstract click electronic access below) / Mestre

Page generated in 0.0754 seconds