• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 45
  • Tagged with
  • 45
  • 45
  • 20
  • 19
  • 10
  • 10
  • 9
  • 9
  • 8
  • 7
  • 6
  • 6
  • 6
  • 6
  • 5
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Análise da competição entre os portos de Paranaguá e Santos para a movimentação de soja: aplicação de um modelo de equilíbrio espacial / not available

Ronaldo Bulhões 26 November 1998 (has links)
Este trabalho teve como objetivo fazer uma análise da competição entre os portos de Paranaguá e Santos para a movimentação de soja em grão, utilizando-se, como instrumento analítico, um modelo de equilíbrio espacial, o qual determinou quais as rotas de menor custo, as quantidades a serem transportadas e os preços nas regiões de oferta e demanda. Os resultados fornecidos pelo modelo para a exportação da soja mostraram que os fluxos devem ser originados naquelas regiões cujas necessidades internas foram satisfeitas e que possuam uma certa proximidade com os portos de exportação. No caso do porto de Paranaguá, a soja por ele escoada teve origem nos Estados do Paraná e Santa Catarina, com fluxos similares aos ocorridos na situação real, porém com volumes diferentes. Com relação ao porto de Santos, o fluxo de soja simulado pelo modelo para exportação não apresentou o mesmo comportamento da situação real, onde praticamente todos os Pólos do Estado de São Paulo exportavam a soja produzida por este porto. Os resultados mostraram que é mais viável os Pólos do Estado de São Paulo consumirem a produção local, de acordo com sua capacidade de industrialização, que exportar, uma vez que se destinar sua produção ao mercado externo, terá que importar de outros Estados para suprir suas necessidades de processamento, o que por sinal vem sendo observado ultimamente. Assim, a soja destinada ao porto de Santos, de acordo com a solução ótima, deve ter origem nos Estados de Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso. As simulações realizadas com as variáveis exógenas do modelo (elasticidade- preço de oferta, elasticidade-preço de demanda e custos de transportes), demonstraram que a soja poderá tomar-se mais competitiva, principalmente no caso de melhorias no setor de infra-estrutura de transportes. Para melhor poder de análise da competição entre os portos de Paranaguá e Santos, a pesquisa abordou também outros aspectos relevantes, tais como vias de acesso e infra-estrutura física dos mesmos. No caso do acesso por rodovia, os dois portos enfrentam problemas com relação à transposição das cidades de Curitiba e São Paulo, onde há conflito de tráfego de caminhões com o tráfego urbano. Contudo, a transposição de Curitiba é menos congestionada que a de São Paulo. Por outro lado, com relação ao modal ferroviário, o porto de Santos possui uma melhor infra-estrutura nas vias de acesso que o porto de Paranaguá. No caso da infra-estrutura fisica, o porto de Paranaguá apresenta maior capacidade de recepção, armazenamento e embarque, sendo que sua capacidade total de embarque é duas vezes maior que o porto de Santos, o qual apresenta ainda limitações nos setores de recepção e armazenamento, além de uma tarifa portuária superior à tarifa portuária praticada em Paranaguá. De acordo com as análises sobre os resultados do modelo, pode-se inferir que para a soja originada nas regiões mais próximas aos portos (no caso Santa Catarina e Paraná com destino ao porto de Paranaguá e São Paulo e Minas Gerais com destino ao porto de Santos) praticamente não existe competição. Contudo, as limitações de infra- estrutura e os altos custos portuários, somados aos elevados custos de transportes, acabam por diminuir a vantagem que o porto de Santos possui sobre o porto de Paranaguá em relação à região Centro-Oeste e, até mesmo, para o Sul e Sudoeste de São Paulo, o que contribui para tornar o porto de Paranaguá mais competitivo que o porto de Santos no que diz respeito à soja oriunda dessa região, mesmo possuindo maior distância em relação ao porto de Santos. / not available
2

Análise da competição entre os portos de Paranaguá e Santos para a movimentação de soja: aplicação de um modelo de equilíbrio espacial / not available

Bulhões, Ronaldo 26 November 1998 (has links)
Este trabalho teve como objetivo fazer uma análise da competição entre os portos de Paranaguá e Santos para a movimentação de soja em grão, utilizando-se, como instrumento analítico, um modelo de equilíbrio espacial, o qual determinou quais as rotas de menor custo, as quantidades a serem transportadas e os preços nas regiões de oferta e demanda. Os resultados fornecidos pelo modelo para a exportação da soja mostraram que os fluxos devem ser originados naquelas regiões cujas necessidades internas foram satisfeitas e que possuam uma certa proximidade com os portos de exportação. No caso do porto de Paranaguá, a soja por ele escoada teve origem nos Estados do Paraná e Santa Catarina, com fluxos similares aos ocorridos na situação real, porém com volumes diferentes. Com relação ao porto de Santos, o fluxo de soja simulado pelo modelo para exportação não apresentou o mesmo comportamento da situação real, onde praticamente todos os Pólos do Estado de São Paulo exportavam a soja produzida por este porto. Os resultados mostraram que é mais viável os Pólos do Estado de São Paulo consumirem a produção local, de acordo com sua capacidade de industrialização, que exportar, uma vez que se destinar sua produção ao mercado externo, terá que importar de outros Estados para suprir suas necessidades de processamento, o que por sinal vem sendo observado ultimamente. Assim, a soja destinada ao porto de Santos, de acordo com a solução ótima, deve ter origem nos Estados de Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso. As simulações realizadas com as variáveis exógenas do modelo (elasticidade- preço de oferta, elasticidade-preço de demanda e custos de transportes), demonstraram que a soja poderá tomar-se mais competitiva, principalmente no caso de melhorias no setor de infra-estrutura de transportes. Para melhor poder de análise da competição entre os portos de Paranaguá e Santos, a pesquisa abordou também outros aspectos relevantes, tais como vias de acesso e infra-estrutura física dos mesmos. No caso do acesso por rodovia, os dois portos enfrentam problemas com relação à transposição das cidades de Curitiba e São Paulo, onde há conflito de tráfego de caminhões com o tráfego urbano. Contudo, a transposição de Curitiba é menos congestionada que a de São Paulo. Por outro lado, com relação ao modal ferroviário, o porto de Santos possui uma melhor infra-estrutura nas vias de acesso que o porto de Paranaguá. No caso da infra-estrutura fisica, o porto de Paranaguá apresenta maior capacidade de recepção, armazenamento e embarque, sendo que sua capacidade total de embarque é duas vezes maior que o porto de Santos, o qual apresenta ainda limitações nos setores de recepção e armazenamento, além de uma tarifa portuária superior à tarifa portuária praticada em Paranaguá. De acordo com as análises sobre os resultados do modelo, pode-se inferir que para a soja originada nas regiões mais próximas aos portos (no caso Santa Catarina e Paraná com destino ao porto de Paranaguá e São Paulo e Minas Gerais com destino ao porto de Santos) praticamente não existe competição. Contudo, as limitações de infra- estrutura e os altos custos portuários, somados aos elevados custos de transportes, acabam por diminuir a vantagem que o porto de Santos possui sobre o porto de Paranaguá em relação à região Centro-Oeste e, até mesmo, para o Sul e Sudoeste de São Paulo, o que contribui para tornar o porto de Paranaguá mais competitivo que o porto de Santos no que diz respeito à soja oriunda dessa região, mesmo possuindo maior distância em relação ao porto de Santos. / not available
3

Economia do compartilhamento e plataformas digitais : riscos da competição em indústrias de alta tecnologia e mercados de dois lados

Coutinho, Lorena Giuberti 04 December 2017 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Departamento de Economia, Programa de Pós-Graduação em Ciências Econômicas, 2017. / Submitted by Raquel Almeida (raquel.df13@gmail.com) on 2018-01-02T19:32:39Z No. of bitstreams: 1 2017_LorenaGiubertiCoutinho.pdf: 1682872 bytes, checksum: 3a991d6a21c16da729da64b36054f3fd (MD5) / Approved for entry into archive by Raquel Viana (raquelviana@bce.unb.br) on 2018-03-01T20:21:29Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2017_LorenaGiubertiCoutinho.pdf: 1682872 bytes, checksum: 3a991d6a21c16da729da64b36054f3fd (MD5) / Made available in DSpace on 2018-03-01T20:21:29Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2017_LorenaGiubertiCoutinho.pdf: 1682872 bytes, checksum: 3a991d6a21c16da729da64b36054f3fd (MD5) Previous issue date: 2018-03-01 / A pesquisa objetiva identificar a estrutura econômica em que se inserem as plataformas digitais da economia do compartilhamento e analisar os possíveis riscos trazidos pelas estratégias de competição utilizadas por essas plataformas sobre mercados e renda. Modelos de negócios hoje considerados exemplos bem-sucedidos da economia do compartilhamento são protagonizados por agentes empresariais com grande poder global. Forças de mercado atuantes sobre indústrias de alta tecnologia - como elevadas economias de escala, efeitos rede, maior capacidade de discriminação de preços e produtos, elevados custos de substituição - sugerem que plataformas populares desfrutam de significativa vantagem competitiva sobre as menos populares. Além disso, a estrutura de competição e as estratégias utilizadas por plataformas digitais de dois lados tendem a favorecer um equilíbrio em que uma “firma dominante” adquire parcela extraordinária do mercado e tem incentivos para reinvestir seus lucros na construção de barreiras à entrada de concorrentes. Nesse sentido, sugere-se que a economia do compartilhamento faz parte de uma estrutura de mercado sujeita à dinâmica “winner-takes-all”, caracterizada por elevada concentração de mercado e de renda / This research seeks to identify the economic structure of digital platforms of the sharing economy and to analyze potential risks brought by the competition and by the strategies used by these platforms, particularly on markets and income. Business models considered successful examples of the sharing economy are led by players with extraordinary global power. Economic forces at work in high-technology industries - such as high economies of scale, network effects, greater capacity to discriminate prices and products, switching costs, and privileged information - suggest that popular platforms enjoy a significant competitive advantage over the less popular. In addition, the competition structure and the strategies used by two-sided digital platforms tend to favor a balance in which a "dominant firm" acquires an extraordinary share of the market and thus has incentives to reinvest its profits in constructing barriers to the entry of competitors. Therefore, it is suggested that the sharing economy take part in a market dynamics of “winner-takes-all”, distinguished by a market structure highly concentrated.
4

O processo administrativo no CADE e os problemas da regulação concorrencial brasileira / La procédure administrative au sein de CADE et les problèms de la réglementation de la concurrence bràsilienne

Ticiana Nogueira da Cruz Lima 01 June 2009 (has links)
Cette thèse de maîtrise analyse la procédure administrative au sein de Cade à partir dune approche instrumentaliste prenant en considération les spécificités de la législation sur la libre concurrence mise en oeuvre par Cade. Son objectif est didentifier et de traiter les particularités de la procédure administrative au sein de Cade. A cette fin, elle établit : (i) les principales caractéristiques des fonctions de Cade ; (ii) le régime juridique applicable à Cade; (iii) les limitations imposées à lactivité de Cade par la doctrine sur la procédure administrative ; (iv) une approche alternative des questions de procédure administrative centrée sur les spécificités de chaque procédure, impliquant une réflexion plus globale sur une théorie générale des procédures ; et (v) les propriétés fondamentales des trois valeurs constituant le coeur de cette théorie générale des procédures (perméabilité, fonctionnalité et moralité). Sur la base de ce cadre théorique, des problèmes concrets de garanties procédurales sont analysés : tout dabord, en évoquant les droits de participation dans la prise de décision en général ; ensuite, en abordant la problématique du droit dappel. / Essa dissertação versa sobre o processo administrativo do Cade a partir de uma visão instrumentalista que leva em conta a regulação da concorrência exercida pelo Conselho. O seu objetivo é delinear as particularidades do processo administrativo concorrencial brasileiro e seu regime legal. Para tanto, estabelece: (i) as características da função exercida pelo Cade; (ii) o regime jurídico ao qual se submete o Cade; (iii) as limitações da doutrina de processo administrativo para tratar do tema; (iv) uma proposta de abordagem para o tratamento de questões de processo administrativo que trás para o primeiro plano a consideração das particularidades dos processos específicos e implica também na reflexão sobre uma teoria geral dos processos; e (v) as características básicas dos três vetores que constituem o cerne dessa teoria geral e da própria noção de processo (permeabilidade, funcionalidade e moralidade). Percorrido esse percurso teórico, passa-se à discussão de problemas concretos debatidos na jurisprudência do Cade envolvendo o contraditório e o direito de defesa: primeiro pelo prisma da atuação dos administrados de maneira geral; depois tendo em vista especificamente a sistemática dos recursos.
5

Direito tributário e livre concorrência: da interpretação e aplicação do artigo 146-A da Constituição Federal / Tax law and free competition

Vinícius Alberto Rossi Nogueira 29 May 2014 (has links)
Este trabalho tem por escopo analisar o conteúdo semântico do artigo 146-A da Constituição Federal a fim de delimitar o seu campo de incidência e, desta forma, tentar esclarecer em que medida o Direito Tributário e a livre concorrência podem se relacionar. A partir de uma breve análise dos três modelos de mercados competitivos, a saber: o mercado de concorrência perfeita, o mercado monopolista e o mercado oligopolista, tentaremos definir em quais circunstâncias a livre concorrência pode ser protegida ou fomentada pelo Estado e em quais circunstâncias deve o Estado se abster de intervir. Adiante, analisaremos as formas de intervenção do Estado no domínio econômico e, em especial, os instrumentos jurídicos que permitem ao Estado regular a livre concorrência nos mercados. A partir destas conclusões, analisaremos o texto normativo do artigo 146-A e tentaremos oferecer uma interpretação consistente de seu conteúdo semântico, levando-se também em consideração os demais dispositivos constitucionais que versam sobre a livre concorrência. Por fim, analisaremos criticamente os pontos de maior discussão na doutrina e na jurisprudência envolvendo o Direito Tributário e a livre concorrência. / This work aims at analysing the content of article 146-A of Federal Constitution so as to define its object and, as such, clarifying how Tax Law and free competition may Interact with one another. After a brief overview of the three main models of competitive markets, them being: the perfectly competitive Market, the monopolistic Market and the oligopolistic Market, it will try to define in which circumstances free competition may be protected or fostered by public policies. Further, it will analyse how public administration may intervene into the private economic domain, specially the legal instruments though which public administration may regulate competition levels within markets. Based on these conclusions, it will analyse the provisions of article 146-A trying to provide an interpretation consistent with its content, also taking into account others constitutional provisions governing the free competition in the markets. At last, it will analyse the main points of discussion by scholars and legal precedents regarding Tax Law and the free competition principle.
6

Direito tributário e livre concorrência: da interpretação e aplicação do artigo 146-A da Constituição Federal / Tax law and free competition

Nogueira, Vinícius Alberto Rossi 29 May 2014 (has links)
Este trabalho tem por escopo analisar o conteúdo semântico do artigo 146-A da Constituição Federal a fim de delimitar o seu campo de incidência e, desta forma, tentar esclarecer em que medida o Direito Tributário e a livre concorrência podem se relacionar. A partir de uma breve análise dos três modelos de mercados competitivos, a saber: o mercado de concorrência perfeita, o mercado monopolista e o mercado oligopolista, tentaremos definir em quais circunstâncias a livre concorrência pode ser protegida ou fomentada pelo Estado e em quais circunstâncias deve o Estado se abster de intervir. Adiante, analisaremos as formas de intervenção do Estado no domínio econômico e, em especial, os instrumentos jurídicos que permitem ao Estado regular a livre concorrência nos mercados. A partir destas conclusões, analisaremos o texto normativo do artigo 146-A e tentaremos oferecer uma interpretação consistente de seu conteúdo semântico, levando-se também em consideração os demais dispositivos constitucionais que versam sobre a livre concorrência. Por fim, analisaremos criticamente os pontos de maior discussão na doutrina e na jurisprudência envolvendo o Direito Tributário e a livre concorrência. / This work aims at analysing the content of article 146-A of Federal Constitution so as to define its object and, as such, clarifying how Tax Law and free competition may Interact with one another. After a brief overview of the three main models of competitive markets, them being: the perfectly competitive Market, the monopolistic Market and the oligopolistic Market, it will try to define in which circumstances free competition may be protected or fostered by public policies. Further, it will analyse how public administration may intervene into the private economic domain, specially the legal instruments though which public administration may regulate competition levels within markets. Based on these conclusions, it will analyse the provisions of article 146-A trying to provide an interpretation consistent with its content, also taking into account others constitutional provisions governing the free competition in the markets. At last, it will analyse the main points of discussion by scholars and legal precedents regarding Tax Law and the free competition principle.
7

Fortalecimento das vantagens competitivas de Bio-Manguinhos no âmbito da inovação tecnológica de vacinas decorrentes da exposição à competição internacional / Strengthening the competitive advantages of Bio-Manguinhos in the technological innovation of vaccines from exposure to international competition

Nunes, Daniele Kastrup January 2009 (has links)
Made available in DSpace on 2011-05-04T12:36:27Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2009 / É importante compreender que para melhorar a questão da saúde pública é necessário produzir produtos com qualidade e em quantidade para atender às demandas públicas nacionais e internacionais. Para isso, é preciso desenvolver o complexo produtivo de bens e serviços de saúde. Diante da pressão do ambiente político e institucional em que o complexo econômico industrial da saúde está inserido, associado à necessidade de geração de novos produtos e da incerteza decorrente da globalização, a inovação tecnológica torna-se hoje elemento essencial para a obtenção de vantagem competitiva e sobrevivência das empresas. No caso de Bio-Manguinhos, o aprimoramento do controle e processos de produção da vacina febre amarela, com vista a atender os pré-requisitos necessários para a obtenção da certificação internacional, contribuiu significativamente para o fortalecimento das vantagens competitivas da organização. Em 2001, Bio-Manguinhos foi certificado pela Organização Mundial da Saúde para exportar a vacina febre amarela 5 e 50 doses. A certificação internacional foi obtida devido ao planejamento de longo prazo e à implementação de um rigoroso sistema de garantia da qualidade. Foram a melhoria e aperfeiçoamento dos processos de controle de qualidade e dos procedimentos de produção, que proporcionaram a entrada de Bio-Manguinhos no mercado externo de vacinas. Com a certificação, Bio-Manguinhos alcançou o reconhecimento mundial pela sua qualidade, garantindo com isso a sua competitividade no setor. Este trabalho teve por objetivo avaliar o ganho que a unidade obteve em função do procedimento para se obter esta certificação - processo esse chamado de pré qualificação - e o impacto da certificação internacional em inovações de processos, produtos e estrutura organizacional. / It is important to understand that in order to improve the public health system it is necessary to produce high quality products and in quantities to meet the national and international public demand. For this, we must develop and innovate in the goods and health services production complex. Under the pressure of political and institutional environment in which the health and economic-industrial complex is in, with the need to introduce new products and the uncertainty concerning globalization, technological innovation is nowadays essential to achieve competitive advantage and for survival of the companies. Regarding Bio-Manguinhos, the improvement of the control and production processes of yellow fever vaccine, in order to meet the pre-requisites necessary for obtaining the international certification, contributed significantly for the strengthening of internal competitive advantages. In 2001, Bio-Manguinhos was certified by the World Health Organization to export yellow fever vaccine 5 and 50 doses. The international certification was obtained due to longterm planning and the implementation of a rigorous quality system. It was with the improvement and development of quality control and production procedures, which provided the access of Bio-Manguinhos in the global vaccine market. With the certification, Bio-Manguinhos has achieved worldwide recognition for its quality, ensuring its competitiveness in the sector. The objective of this study was to evaluate the gain that Bio-Manguinhos obtained due to the certification procedure – this process is also known as pre-qualification - and the impact of international certification in innovating processes, products and organizational structure.
8

Abuso de posição dominante: condutas de exclusão em relações de distribuição / Abuse of a dominant position: exclusionary conducts in distribution relationships

Mariana Villela Corrêa 28 May 2012 (has links)
O objetivo do trabalho é estudar as situações em que práticas de distribuição tendentes à exclusão podem configurar ilícitos de abuso de posição dominante por parte de fornecedores de bens e serviços. Fornecedores de bens e serviços precisam identificar qual a forma mais eficiente de fazer que seus produtos cheguem até o consumidor final. Em determinadas circunstâncias, contudo, um fornecedor pode ocupar uma posição de domínio em determinados mercados e suas práticas de distribuição podem ter potenciais efeitos de exclusão, possivelmente causando efeitos indesejáveis sobre a concorrência. Ao longo do trabalho, buscamos contextualizar e compreender a ideia de exclusão, com recurso à análise do tratamento dado às condutas de exclusão por parte do direito antitruste dos Estados Unidos, do direito da concorrência comunitário europeu e do direito da concorrência brasileiro. Buscamos, ainda, traçar um panorama das principais linhas da teoria econômica que oferecem subsídios à compreensão da ideia de exclusão, bem como as contribuições específicas com referência ao tema. Examinamos, também, as principais práticas de distribuição tendentes à exclusão, que classificamos em tradicionais e não tradicionais, buscando compreender seus efeitos e motivações. Ao final, apresenta-se um diagnóstico e a conclusão. O tratamento das práticas de distribuição tendentes à exclusão deve encontrar um equilíbrio entre, de um lado, a repressão adequada dos abusos de posição dominante envolvendo relações de distribuição e, de outro, a preservação do incentivo para que fornecedores adotem formas eficientes, inovadoras e concorrenciais de estruturar seus sistemas de distribuição / The work seeks to examine situations in which distribution practices tending towards exclusion may characterize illicit acts of abuse of a dominant position by suppliers of goods and services. Suppliers of goods and services need to identify the most efficient way of getting their products to the end user. In certain circumstances, though, a supplier may occupy a dominant position in given markets, and its distribution practices may have effects of exclusion, possibly affecting competition unfavorably. Throughout the work, we attempt to contextualize and understand the idea of exclusion, using an analysis of the treatment given to exclusionary conducts under United States antitrust law, the competition law of the European community and Brazilian competition law. We also seek to sketch out an overview of the main lines of economic theory that assist in an understanding of the idea of exclusion, along with specific contributions making reference to the issue. We also examine the main distribution practices tending towards exclusion, which we classify into traditional and non-traditional, seeking to understand their effects and rationale. Lastly, a diagnosis and conclusion are presented. The treatment of distribution practices with a trend towards exclusion must strike a balance between, on the one hand, proper repression of abuses of a dominant position involving distribution relations and, on the other, the preservation of an incentive for suppliers to adopt efficient, innovative and competitive ways of structuring their distribution systems.
9

Análise da competitividade das exportações brasileiras de frutas selecionadas no mercado internacional / Analysis of Brazilian exports competitiveness of selected fruits in the international market

Aline Vitti 06 April 2009 (has links)
A participação do Brasil no mercado externo de frutas tem aumentado nos últimos anos e, apesar de o Brasil não apresentar participação relevante no mercado internacional, sabe-se que pode crescer ainda mais, visto o potencial do País. Dessa forma, o objetivo deste trabalho é analisar a competitividade das exportações brasileiras de frutas no mercado internacional, possibilitando identificar os fatores que têm sido responsáveis pelos ganhos de competitividade das exportações brasileiras de frutas entre os anos de 1989 a 2006. Para a realização deste estudo foram selecionadas as sete principais frutas frescas exportadas pelo Brasil em 2007: banana, lima/limão, maçã, mamão, manga, melão e uva. A base teórica utilizada foi o conceito de competitividade e os modelos Constant Market Share - CMS e Vantagem Comparativa Revelada - VCR. Quanto aos efeitos que mais contribuíram para o desempenho das exportações de frutas brasileiras, o efeito competitividade foi o mais importante, principalmente no segundo período analisado (1997/98/99 a 2004/05/06). O mamão foi a única fruta para qual os efeitos crescimento de mercado e destino das exportações foram mais representativos do que a competitividade. Apesar de o modelo CMS distinguir os efeitos explicativos da evolução das exportações, esse modelo não permite a identificação dos fatores que explicam o efeito competitividade. Assim, algumas variáveis foram analisadas no estudo na tentativa de explicar os fatores que contribuíram para a competitividade. Dentre elas o câmbio, o preço e a qualidade foram as mais importantes. No geral, o dólar valorizado contribuiu para o aumento da competitividade das frutas. Quanto ao preço de exportação da fruta nacional mais atrativo no mercado externo, ele apresentou maior peso quando o produto enfrenta no mercado destino a concorrência com frutas de outras origens. No estudo, verificou-se que o preço atrativo da fruta brasileira foi importante para explicar o fator competitividade para banana, maçã e manga. Já no caso das frutas exportadas pelo País na entressafra dos principais concorrentes, o principal fator foi o ganho de qualidade da fruta brasileira e a diversificação das variedades exportadas. Esse foi o caso da uva e do melão, que ao longo dos anos 2000 conseguiu melhorar a qualidade da fruta e ofertar um portfólio maior de variedades. No caso do grupo lima/limão, que tem na lima ácida tahiti o seu maior representante, o esforço da cadeia em mostrar uma nova fruta, até então desconhecida pelo consumidor europeu, foi um dos principais fatores que explicam o fator competitividade. / Brazil\'s participation in the international market of fruits has increased in recent years and, although Brazil does not present a relevant participation in the international market, it is known that can grow even more, seen the potential of the country. Thus, the objective of this study is to analyze the Brazilian exports competitiveness of fruit in the international market, possible to identify factors that have been responsible for gains in competitiveness in Brazilian exports of fruit between the years 1989 to 2006. For this study were selected the seven main fresh fruits exported by Brazil in 2007: banana, lime/lemon, apple, papaya, mango, melon and grapes. The theoretical basis used was the concept of competitiveness, and the models Constant Market Share - CMS and Revealed Comparative Advantage - VCA. The effect that most contributed to the Brazilian exports performance of fruit was the competitiveness, especially in the second period analyzed (1997/98/99 to 2004/05/06). The papaya was the only fruit for which the effect market growth and destination of the exportations had been more representative of the competitiveness. Although the CMS model distinguishes the effects explaining the evolution of exports, this model does not allow the identification of the factors that explain the competitiveness effect. Thus, some variables were analyzed in the study in an attempt to explain the factors that contributed to competitiveness. Among them the exchange rate, price and quality were most important. Overall, the valuated dollar contributed for the increase of the competitiveness of the fruits. As the price of domestic exports of fruit was more attractive in foreign markets, it showed better weight when the product faces competition in the market destination with fruit from other origins. In the study, we found that the attractive price of Brazilian fruit was important to explain the competitiveness factor for banana, apple and mango. In the case of the fruits exported for the Country in the period between harvests of the main competitors, the main factor of the Brazilian fruit was the gain in quality and the diversification of the exported varieties. This was the case of grapes and melons, which over the years 2000 has improved the quality of fruit and offered a bigger portfolio of varieties. In the case of the group lime/lemon, which has in the Tahiti acid lime the better representative, the chains effort was to show a new fruit, until then unknown by European consumers, it was one of the main factors to explain the competitiveness factor.
10

Análise de custos dos concorrentes: um estudo exploratório entre teoria e prática / Competitors\' cost analysis: an exploratory study of theory

Rodrigo Pinto dos Santos 01 September 2010 (has links)
A problemática fundamental desta pesquisa consiste no fato de que o arcabouço teórico sobre análise de custos dos concorrentes não está consolidado, visto que há escassez de trabalhos que desenvolvam o campo teórico e que evidenciem o que de fato acontece nas organizações em relação à análise de custos dos concorrentes. Assim, o que se fez neste trabalho foi: (i) sistematizar o conhecimento sobre análise de custos dos concorrentes em uma estrutura conceitual denominada referencial teórico de análise de custos dos concorrentes e (ii) investigar a realidade das práticas de análise de custos dos concorrentes em três empresas privadas que atuam no Brasil. Com o objetivo de verificar se, e em que medida, os elementos que compõem este referencial teórico refletem as práticas de análise de custos dos concorrentes das empresas investigadas, o estudo desenvolveu um exercício formal, organizando e sistematizando uma estrutura teórica. Tendo como elemento metodológico predominante a pesquisa de campo e o método dialético, a pesquisa realizada é de natureza empírico-teórica e utilizou-se de uma abordagem qualitativa para um Estudo de Caso exploratório conduzido por meio de diversas fontes de dados e informações: levantamento bibliográfico, questionário, roteiro de entrevistas, observação direta e análise de relatórios. No trabalho de campo, foram estudadas três organizações, sendo uma do setor de agronegócios e duas da indústria farmacêutica. Com o trabalho de campo, foi possível cruzar as informações obtidas na literatura com a realidade empresarial pesquisada. Quanto aos achados, o primeiro é que se conseguiu sistematizar o referencial teórico em quatro perspectivas: (i) freqüência de uso da análise de custos dos concorrentes, (ii) percepção da utilidade, (iii) quatro abordagens de estratégias pesquisadas (posicionamento estratégico, VBR, missão estratégica e tipologia estratégica) e (iv) variáveis contingenciais (tamanho, tipo de indústria, competição, existência de área de Inteligência Competitiva, área responsável pela Inteligência Competitiva, treinamento em Inteligência Competitiva e treinamento em Contabilidade) apontadas pela literatura. O segundo achado é que elementos que compõem o referencial teórico da análise de custos dos concorrentes estão refletidos nas práticas das organizações objeto de estudo, sejam os elementos incentivadores, sejam os elementos inibidores. / The fundamental problem of this research lies in the fact that the theoretical frame upon competitors costs analysis is not consolidated, as there are few studies that develop the theoretical and evidence of what actually happens in organizations in relation to the competitors cost analysis. So what has this work was: (i) systematizing knowledge on competitors cost analysis in a conceptual framework called the theoretical competitors cost analysis and (ii) to investigate the reality of practical competitors cost analysis three private companies operating in Brazil. Aiming to verify whether and to what extent the elements of this theoretical framework reflects the practical competitors cost analysis of the investigated companies, the study developed a formal exercise, organizing and systematizing a theoretical framework. Taking as a methodological element predominant field research and the dialectical method, the research is theoretical-empirical and has used a qualitative approach to an exploratory case study conducted through various sources of data and information: bibliographic, questionnaire, guided interviews, direct observation and report analysis. During the fieldwork, three organizations have been studied, one of the agribusiness industry and two in the pharmaceutical industry. With the fieldwork, it was possible to compare the information obtained from literature to business reality searched. As for the findings, the first is that it could systematize the theoretical framework of four perspectives: (i) frequency of use of competitors cost analysis, (ii) perception of the utility, (iii) four approaches to search strategies (strategic positioning, RBV, strategic mission and competitive strategy) and (iv) contingency variables (size, type of industry, existence of Competitive Intelligence area, the responsible department for Competitive Intelligence area, Competitive Intelligence training and Accounting training) in literature. The second finding is that the components of the theoretical analysis of competitors costs are reflected in the practices of the organizations studied, the elements are encouraging and inhibitors.

Page generated in 0.1187 seconds