• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 85
  • 3
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 88
  • 88
  • 54
  • 48
  • 33
  • 17
  • 15
  • 13
  • 12
  • 11
  • 10
  • 10
  • 8
  • 8
  • 7
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Estudo da fadiga dos músculos flexores do cotovelo e dos dígitos em contratação isométrica

Di Oliveira, Larissa 12 1900 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Medicina, 2005. / Submitted by Thaíza da Silva Santos (thaiza28@hotmail.com) on 2009-12-15T20:42:02Z No. of bitstreams: 1 TESE DEFINITIVA Larissa di Oliveira.pdf: 18982586 bytes, checksum: b3e2299ecc8092ef9e64a5c34fef83b6 (MD5) / Approved for entry into archive by Lucila Saraiva(lucilasaraiva1@gmail.com) on 2010-01-15T22:07:49Z (GMT) No. of bitstreams: 1 TESE DEFINITIVA Larissa di Oliveira.pdf: 18982586 bytes, checksum: b3e2299ecc8092ef9e64a5c34fef83b6 (MD5) / Made available in DSpace on 2010-01-15T22:07:49Z (GMT). No. of bitstreams: 1 TESE DEFINITIVA Larissa di Oliveira.pdf: 18982586 bytes, checksum: b3e2299ecc8092ef9e64a5c34fef83b6 (MD5) Previous issue date: 2005-12 / O objetivo deste estudo foi analisar simultaneamente o comportamento de alguns músculos flexores e extensores do cotovelo durante fadiga isométrica do Bíceps Braquial. Foram coletados os EMG dos músculos Bíceps Braquial (BBL), Braquiorradial (BRD), Flexores Superficiais dos Dedos (FSD), Tríceps Braquial (TBL) e Extensores Comuns dos Dedos (ECD). Simultaneamente foram registradas a força de flexão do cotovelo e a força dos dígitos. Foram analisadas as evoluções dos seguintes parâmetros durante o exercício: Freqüência Mediana (FMN), do Ângulo de Queda da FMN (AQ-FMN), do valor do RMS e do Tempo de Resistência (TR). Participaram 12 voluntários do sexo masculino da faixa de 20 a 25 anos, não praticantes de atividade física. O protocolo experimental consistiu na flexão do membro não dominante com o antebraço em supinação e o punho em posição neutra, nos ângulos de 45º, 90º e 135º de flexão de cotovelo, com carga de 30% da Contração Voluntária Máxima (CVM), até a exaustão, em 3 dias diferentes separados por 48 horas. Os resultados mostraram uma intensa atuação do TBL, que apresentou para RMS e FMN, diferenças significativas quando comparado com os outros músculos estudados. Ao contrário do esperado, os músculos flexores apresentaram comportamentos similares entre si. O ECD, entretanto, apresentou comportamento inesperado, similar aos flexores. Foram discutidas as possíveis explicações para esses resultados. _______________________________________________________________________________ ABSTRACT / This study aimed to simultaneously analyze the behavior of some elbow flexors and extensors muscles during Bíceps Brachii isometric fatigue. Surface EMGs were recorded from long head of biceps brachii (BBL), braquiorradial (BRD), flexor digitorum superficialis (FDS), lateral head of triceps brachii (TBL) and extensor digitorum (ED). Force of flexion of the elbow and force of the digits were also recorded. The evolutions of the following parameters during exercise were analyzed: median frequency (FMN), angle of FMN fall, RMS value and resistance time (RT). The sample was composed of 12 male volunteers, aged 20-25 years, not doing physical activity. The experimental protocol consisted of an isometric flexion of the elbow of the not dominant member until exhaustion at 45º, 90º e 135º angles, with a 30% of the Maximum Voluntary Contraction (MVC) load. The forearm was kept in supine and the fist in neutral position. The results showed a sensible activity of the TBL, which exhibited for both RMS and FMN significant differences when compared to the other studied muscles. As expected, the flexor muscles presented similar behaviors between themselves. Otherwise, the ECD presented an unexpected behavior, much similar to the flexors. The possible explanations for these results had been argued.
2

Associação entre doença periodontal e fadiga muscular induzida pelo exercício : resultados preliminares de um estudo observacional

Goergen, Joseane January 2016 (has links)
A Doença Periodontal (DP) tem sido indicada como um possível fator de risco para várias condições sistêmicas. Uma inflamação sistêmica de baixa intensidade originada a partir da DP tem sido a explicação para as associações observadas. A performance físicoatlética dos indivíduos e os mecanismos de desenvolvimento da Fadiga Muscular (FM) também têm sido estudados, inclusive tem se questionado se a condição de saúde bucal pode ser um fator de risco à redução da capacidade física dos indivíduos. O objetivo do presente estudo observacional foi verificar a associação entre DP e FM induzida pelo exercício em homens saudáveis. Foram avaliados 43 participantes, com idade entre 25 e 45 anos, oriundos da faculdade de odontologia e praticantes de atividades físicas. Exame periodontal completo e entrevista foram realizados no exame basal. Um questionário estruturado foi aplicado, medidas antropométricas, exames clínicos da condição periodontal e informações sobre a prática de atividade física por meio do International Physical Activity Questionnaire (IPAQ) foram obtidas. A seguir, os participantes foram submetidos a um protocolo de exercícios excêntricos para indução de FM e a Contração Isométrica Voluntária Máxima (CIVM) foi avaliada antes e imediatamente após a realização do protocolo A perda da capacidade de produção de força, calculada pela variação relativa da CIVM, foi o que caracterizou a FM e foi o desfecho deste estudo. Associações entre a condição periodontal e os parâmetros envolvidos na FM foram avaliados através de modelos de regressão linear múltipla com variância robusta, ajustando para índice de massa corporal, atividade física regular e fonte da amostra. Na totalidade da amostra, após o protocolo de FM, os participantes tiveram uma perda de 27,8% na capacidade de produção de força. Aqueles indivíduos com perda de inserção periodontal (PI) ≥4mm tiveram CIVM significativamente menor ao final do protocolo. Nos modelos de regressão linear multivariados, profundidade de sondagem (PS) (beta=- 10,32) e PI (beta=-3,53) médias estiveram associadas a uma redução significativamente maior na CIVM. Análises estratificadas para IPAQ (categorização de atividade física regular) encontraram associação entre parâmetros periodontais e CIVM somente entre os participantes com IPAQ baixo-médio, mostrando um possível efeito protetor da prática de atividade física sobre o efeito da DP na perda da capacidade de produção de força. Pode-se concluir, a partir dessa análise preliminar, que a doença periodontal pode vir a ser um indicador de risco para a FM. / Periodontal disease (PD) has been indicated as a possible risk factor for several systemic conditions. A low-intensity systemic inflammation originated from PD has been the explanation for the observed associations. The physical-athletic performance of individuals and the mechanisms of Muscle Fatigue (MF) development have also been studied, and there are doubts of whether the oral health condition may be a risk factor for the reduction in physical capacity and performance. The aim of this observational study was to evaluate the association between PD and exercise-induced MF in healthy men. The sample comprised 43 participants between 25-45 years of age sampled among patients from the Faculty of Dentistry of UFRGS and physically active subjects from different physical fitness centers of Porto Alegre. They were submitted to a protocol of eccentric exercises for induction of MF and the Maximum Voluntary Isometric Contraction (MVIC) was evaluated before and immediately after the fatigue protocol. The reduction of the strength production capacity was calculated by the relative variation of the MIVC, and this characterized MF in this study A structured questionnaire was applied, and anthropometric measurements, clinical examination of periodontal status and information about physical activity (through the IPAQ questionnaire) were performed. Associations between the periodontal condition and the parameters involved in MF were evaluated through multiple linear regression models adjusting for body mass index, physical activity and source of the sample. In the whole sample, participants had a loss of 27.8% in the capacity of force production after the MF protocol. Individuals with clinical attachment loss (CAL) ≥4 mm had significantly lower MVIC at the end of the protocol. In the multiple linear regression models, mean probing depth (beta = -10.32) and CAL (beta = -3.53) were associated with a significantly higher reduction in MVIC. Stratified analyzes for IPAQ found an association between periodontal parameters and MVIC only in participants with low-medium IPAQ, showing a possible protective effect of physical activity in the loss of strength production ability related to PD. It may be concluded from these preliminary findings that PD could be a risk indicator for MF.
3

Análise das variáveis eletromiográficas de superfície durante a recuperação em curto prazo da fadiga isométrica / Analysis of the surface electromyographic variables during the short term recovery of the of the isometric fatigue

Peixoto, Luciana Roberta Tenório January 2014 (has links)
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências Médicas, Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas, 2014. / Submitted by Alaíde Gonçalves dos Santos (alaide@unb.br) on 2014-06-04T12:58:57Z No. of bitstreams: 1 2014_LucianaRobertaTenorioPeixoto.pdf: 8162066 bytes, checksum: f45f55bcadf8da7925a33a55aa4af7fe (MD5) / Approved for entry into archive by Guimaraes Jacqueline(jacqueline.guimaraes@bce.unb.br) on 2014-06-04T13:21:19Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2014_LucianaRobertaTenorioPeixoto.pdf: 8162066 bytes, checksum: f45f55bcadf8da7925a33a55aa4af7fe (MD5) / Made available in DSpace on 2014-06-04T13:21:19Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2014_LucianaRobertaTenorioPeixoto.pdf: 8162066 bytes, checksum: f45f55bcadf8da7925a33a55aa4af7fe (MD5) / 1. Introdução: A eletromiografia de superfície (EMG-S) é uma ferramenta não-invasiva que tem sido muito usada no estudo do comportamento do músculo e, em particular, no estudo da fadiga muscular. Muitos trabalhos na literatura têm relatado correlação entre o crescimento da fadiga muscular e o crescimento ou diminuição de algumas variáveis eletromiográficas de superfície que quantificam a velocidade de condução de potenciais de ação de unidades motoras (do inglês, motor unit action potencials – MUAPs), e a amplitude e o deslocamento espectral dessas variáveis. Entretanto, essa correlação não é plenamente entendida até hoje. Por exemplo, quando ocorre a mudança das variáveis com a fadiga, o processo de retorno das variáveis ao valor normal, antes da fadiga, não é ainda bem entendido. O presente trabalho procura auxiliar neste entendimento. 2. Objetivos: O objetivo deste trabalho é verificar o efeito de intervalos curtos de 10 segundos sobre as variáveis que são comumente utilizadas para a análise de sinais eletromiográficos de superfície, verificando se existe a tendência de recuperação total ou parcial das variáveis aos seus valores antes do esforço fatigante, e, caso haja essa recuperação, tentar estimar a taxa de retorno com que ela ocorre. As variáveis estudadas foram a amplitude retificada média (ARV), o valor quadrático médio (RMS), as frequências média (MNF) e mediana (MDF) e a velocidade de condução (VC). 3. Materiais e Métodos: Quinze voluntários realizaram três contrações isométricas de 30 segundos a 60% da Contração Voluntária Máxima (MVC), com intervalos de 10 segundos entre elas. Ao longo dessas contrações foram registrados sinais eletromiográficos de superfície no bíceps braquial por meio de um arranjo de eletrodos de 64 canais. Para as três contrações, foram calculadas estimativas, em função do tempo, das variáveis eletromiográficas de superfície MDF, MNF, RMS, ARV e VC. Pesquisou-se, então, o comportamento dessas variáveis, calculando-se e comparando-se os valores médios das variáveis antes e depois das contrações com o uso de testes de hipóteses para apoiar essas comparações. 4. Resultados: Os resultados obtidos mostraram que a primeira contração se comporta conforme relatado na maioria dos trabalhos na literatura científica: as variáveis ARV e RMS aumentam com o tempo, e as variáveis MDF, MNF e VC diminuem com o tempo. Contudo, a segunda e a terceira contrações apresentaram comportamento inesperado: o crescimento da ARV e RMS, o crescimento da VC e a diminuição da MDF e da MNF. Esse comportamento sugere fortemente que a pausa causou uma mudança na estratégia usual de recrutamento do músculo. 5. Contribuição ao estado da arte: O entendimento da recuperação das variáveis eletromiográficas de superfície após intervalos curtos permitirá o uso mais criterioso dessas variáveis no estudo da fadiga muscular. Além disso, o trabalho mostrou a necessidade de se estudar com mais detalhe o efeito das pausas sobre as variáveis eletromiográficas. _______________________________________________________________________________________ ABSTRACT / 1. Introduction: Surface electromyography (S-EMG) is a non-invasive tool that is commonly used in the study of muscle behavior, and especially in the study of muscular fatigue. Many articles in the literature have shown that there is a relation between the development of muscular fatigue and the increase or decrease in some electromyographic variables that quantify the conduction velocity of motor unit action potentials (MUAPs), the amplitude, and the spectral displacement of these variables. However, this correlation is not completely understood yet. For example, when there is a change in the variables due to fatigue, the way these variables return to their original values before the fatigue is not well understood. The goal of this work is to help in improving this understanding. 2. Goals: The goal of this work is to study the effects of 10 seconds intervals on the variables that are commonly used for the analysis of surface electromyographic signals, verifying if there is a trend for the complete or partial recovery of the variables to their original values before the fatiguing effort, and, in case this recovery is to happen, to estimate the rate of recovery. The variables studied were the average rectified value (ARV), the root mean square value (RMS), the mean frequency (MNF), the median frequency (MDF), and the conduction velocity (CV). 3. Materials and Methods: Fifteen volunteers performed three 30-second isometric contractions of the biceps brachii at 60% of the Maximum Voluntary Contraction (MVC), with 10 seconds intervals in between. During these contractions, S-EMG signals were recorded in the biceps brachii by a 64 channels electrode array. For the three contractions, estimates of the MDF, MNF, RMS, ARV, and CV variables were calculated as a function of time. The behavior of these variables has been studied, and the average values of the variables before and after the contractions were compared, using statistical hypotheses tests to support these comparisons. 4. Results: The results obtained have shown that the first contraction behaved, on average, in the same way as reported on the majority of scientific papers in the literature: the ARV and RMS variables increased with time, and the MDF, MDF, and CV decreased with time. However, the second and third contractions had an unexpected behavior: the growth of the ARV and the RMS, the growth of the CV and the decrease of the MDF and the MNF. This behavior strongly suggests that the pauses have led to changes in the usual recruitment pattern of the muscle. 5. Contribution to the state of the art: A better understanding of the recovery process of the electromyographic variables after short intervals will allow a more proper use of these variables in the study of muscle fatigue. Moreover, the results have shown the need for a more detailed study of the effects of pauses on the electromyographic variables.
4

Associação entre doença periodontal e fadiga muscular induzida pelo exercício : resultados preliminares de um estudo observacional

Goergen, Joseane January 2016 (has links)
A Doença Periodontal (DP) tem sido indicada como um possível fator de risco para várias condições sistêmicas. Uma inflamação sistêmica de baixa intensidade originada a partir da DP tem sido a explicação para as associações observadas. A performance físicoatlética dos indivíduos e os mecanismos de desenvolvimento da Fadiga Muscular (FM) também têm sido estudados, inclusive tem se questionado se a condição de saúde bucal pode ser um fator de risco à redução da capacidade física dos indivíduos. O objetivo do presente estudo observacional foi verificar a associação entre DP e FM induzida pelo exercício em homens saudáveis. Foram avaliados 43 participantes, com idade entre 25 e 45 anos, oriundos da faculdade de odontologia e praticantes de atividades físicas. Exame periodontal completo e entrevista foram realizados no exame basal. Um questionário estruturado foi aplicado, medidas antropométricas, exames clínicos da condição periodontal e informações sobre a prática de atividade física por meio do International Physical Activity Questionnaire (IPAQ) foram obtidas. A seguir, os participantes foram submetidos a um protocolo de exercícios excêntricos para indução de FM e a Contração Isométrica Voluntária Máxima (CIVM) foi avaliada antes e imediatamente após a realização do protocolo A perda da capacidade de produção de força, calculada pela variação relativa da CIVM, foi o que caracterizou a FM e foi o desfecho deste estudo. Associações entre a condição periodontal e os parâmetros envolvidos na FM foram avaliados através de modelos de regressão linear múltipla com variância robusta, ajustando para índice de massa corporal, atividade física regular e fonte da amostra. Na totalidade da amostra, após o protocolo de FM, os participantes tiveram uma perda de 27,8% na capacidade de produção de força. Aqueles indivíduos com perda de inserção periodontal (PI) ≥4mm tiveram CIVM significativamente menor ao final do protocolo. Nos modelos de regressão linear multivariados, profundidade de sondagem (PS) (beta=- 10,32) e PI (beta=-3,53) médias estiveram associadas a uma redução significativamente maior na CIVM. Análises estratificadas para IPAQ (categorização de atividade física regular) encontraram associação entre parâmetros periodontais e CIVM somente entre os participantes com IPAQ baixo-médio, mostrando um possível efeito protetor da prática de atividade física sobre o efeito da DP na perda da capacidade de produção de força. Pode-se concluir, a partir dessa análise preliminar, que a doença periodontal pode vir a ser um indicador de risco para a FM. / Periodontal disease (PD) has been indicated as a possible risk factor for several systemic conditions. A low-intensity systemic inflammation originated from PD has been the explanation for the observed associations. The physical-athletic performance of individuals and the mechanisms of Muscle Fatigue (MF) development have also been studied, and there are doubts of whether the oral health condition may be a risk factor for the reduction in physical capacity and performance. The aim of this observational study was to evaluate the association between PD and exercise-induced MF in healthy men. The sample comprised 43 participants between 25-45 years of age sampled among patients from the Faculty of Dentistry of UFRGS and physically active subjects from different physical fitness centers of Porto Alegre. They were submitted to a protocol of eccentric exercises for induction of MF and the Maximum Voluntary Isometric Contraction (MVIC) was evaluated before and immediately after the fatigue protocol. The reduction of the strength production capacity was calculated by the relative variation of the MIVC, and this characterized MF in this study A structured questionnaire was applied, and anthropometric measurements, clinical examination of periodontal status and information about physical activity (through the IPAQ questionnaire) were performed. Associations between the periodontal condition and the parameters involved in MF were evaluated through multiple linear regression models adjusting for body mass index, physical activity and source of the sample. In the whole sample, participants had a loss of 27.8% in the capacity of force production after the MF protocol. Individuals with clinical attachment loss (CAL) ≥4 mm had significantly lower MVIC at the end of the protocol. In the multiple linear regression models, mean probing depth (beta = -10.32) and CAL (beta = -3.53) were associated with a significantly higher reduction in MVIC. Stratified analyzes for IPAQ found an association between periodontal parameters and MVIC only in participants with low-medium IPAQ, showing a possible protective effect of physical activity in the loss of strength production ability related to PD. It may be concluded from these preliminary findings that PD could be a risk indicator for MF.
5

Associação entre doença periodontal e fadiga muscular induzida pelo exercício : resultados preliminares de um estudo observacional

Goergen, Joseane January 2016 (has links)
A Doença Periodontal (DP) tem sido indicada como um possível fator de risco para várias condições sistêmicas. Uma inflamação sistêmica de baixa intensidade originada a partir da DP tem sido a explicação para as associações observadas. A performance físicoatlética dos indivíduos e os mecanismos de desenvolvimento da Fadiga Muscular (FM) também têm sido estudados, inclusive tem se questionado se a condição de saúde bucal pode ser um fator de risco à redução da capacidade física dos indivíduos. O objetivo do presente estudo observacional foi verificar a associação entre DP e FM induzida pelo exercício em homens saudáveis. Foram avaliados 43 participantes, com idade entre 25 e 45 anos, oriundos da faculdade de odontologia e praticantes de atividades físicas. Exame periodontal completo e entrevista foram realizados no exame basal. Um questionário estruturado foi aplicado, medidas antropométricas, exames clínicos da condição periodontal e informações sobre a prática de atividade física por meio do International Physical Activity Questionnaire (IPAQ) foram obtidas. A seguir, os participantes foram submetidos a um protocolo de exercícios excêntricos para indução de FM e a Contração Isométrica Voluntária Máxima (CIVM) foi avaliada antes e imediatamente após a realização do protocolo A perda da capacidade de produção de força, calculada pela variação relativa da CIVM, foi o que caracterizou a FM e foi o desfecho deste estudo. Associações entre a condição periodontal e os parâmetros envolvidos na FM foram avaliados através de modelos de regressão linear múltipla com variância robusta, ajustando para índice de massa corporal, atividade física regular e fonte da amostra. Na totalidade da amostra, após o protocolo de FM, os participantes tiveram uma perda de 27,8% na capacidade de produção de força. Aqueles indivíduos com perda de inserção periodontal (PI) ≥4mm tiveram CIVM significativamente menor ao final do protocolo. Nos modelos de regressão linear multivariados, profundidade de sondagem (PS) (beta=- 10,32) e PI (beta=-3,53) médias estiveram associadas a uma redução significativamente maior na CIVM. Análises estratificadas para IPAQ (categorização de atividade física regular) encontraram associação entre parâmetros periodontais e CIVM somente entre os participantes com IPAQ baixo-médio, mostrando um possível efeito protetor da prática de atividade física sobre o efeito da DP na perda da capacidade de produção de força. Pode-se concluir, a partir dessa análise preliminar, que a doença periodontal pode vir a ser um indicador de risco para a FM. / Periodontal disease (PD) has been indicated as a possible risk factor for several systemic conditions. A low-intensity systemic inflammation originated from PD has been the explanation for the observed associations. The physical-athletic performance of individuals and the mechanisms of Muscle Fatigue (MF) development have also been studied, and there are doubts of whether the oral health condition may be a risk factor for the reduction in physical capacity and performance. The aim of this observational study was to evaluate the association between PD and exercise-induced MF in healthy men. The sample comprised 43 participants between 25-45 years of age sampled among patients from the Faculty of Dentistry of UFRGS and physically active subjects from different physical fitness centers of Porto Alegre. They were submitted to a protocol of eccentric exercises for induction of MF and the Maximum Voluntary Isometric Contraction (MVIC) was evaluated before and immediately after the fatigue protocol. The reduction of the strength production capacity was calculated by the relative variation of the MIVC, and this characterized MF in this study A structured questionnaire was applied, and anthropometric measurements, clinical examination of periodontal status and information about physical activity (through the IPAQ questionnaire) were performed. Associations between the periodontal condition and the parameters involved in MF were evaluated through multiple linear regression models adjusting for body mass index, physical activity and source of the sample. In the whole sample, participants had a loss of 27.8% in the capacity of force production after the MF protocol. Individuals with clinical attachment loss (CAL) ≥4 mm had significantly lower MVIC at the end of the protocol. In the multiple linear regression models, mean probing depth (beta = -10.32) and CAL (beta = -3.53) were associated with a significantly higher reduction in MVIC. Stratified analyzes for IPAQ found an association between periodontal parameters and MVIC only in participants with low-medium IPAQ, showing a possible protective effect of physical activity in the loss of strength production ability related to PD. It may be concluded from these preliminary findings that PD could be a risk indicator for MF.
6

Análise do comportamento da velocidade de condução do potencial de ação em exercício isocinético com produção de fadiga muscular

Souza, Ariel Caleb Fernandes 07 1900 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Tecnologia, Departamento de Engenharia Elétrica, 2013. / Submitted by Alaíde Gonçalves dos Santos (alaide@unb.br) on 2014-04-02T15:45:20Z No. of bitstreams: 1 2013_ArielCalebFernandesSouza.pdf: 20819584 bytes, checksum: 76bace31c92329c1f879d2cc3113088c (MD5) / Approved for entry into archive by Guimaraes Jacqueline(jacqueline.guimaraes@bce.unb.br) on 2014-04-03T11:16:27Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2013_ArielCalebFernandesSouza.pdf: 20819584 bytes, checksum: 76bace31c92329c1f879d2cc3113088c (MD5) / Made available in DSpace on 2014-04-03T11:16:27Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2013_ArielCalebFernandesSouza.pdf: 20819584 bytes, checksum: 76bace31c92329c1f879d2cc3113088c (MD5) / O presente estudo investiga o comportamento da velocidade de condução (VC) do potencial de ação como indicador da fadiga muscular. Estimativas da VC são comparadas entre três séries isocinéticas por meio da regresão linear, considerados os intervalos de descanso de um e dois minutos. Os sinais eletromiográficos de superfície do músculo vastu lateral foram adquiridos em exercícios de extensão do joelho dominante a 60°/s, com máxima contração muscular, a partir . Os resultados mostram que a inclinação da VC dentro de uma repetição tem comportamento ascendente. Contudo, quando observada a inclinação ao longo de toda a série, ou entre séries consecutivas, identifica-se uma tendência decrescente, a qual é maior para intervalos curtos de descanso. Esse comportamento sugere a inclinação da VC como um potencial parâmetro ao estudo da fadiga muscular em testes isocinéticos. Foi feita uma análise comparativa de alguns descritores biomecánicos entre sujeitos que apresentaram um melhor desempenho no exercício isocinético denominado grupo Ouro e os demais sujeitos, grupo não Ouro. ______________________________________________________________________________________ ABSTRACT / This study investigates the behavior of conduction velocity (CV) of the action potential as an indicator of muscle fatigue. Estimates of CV are compared between three isokinetic series through linear regression, considering rest intervals of one and two minutes. The surface electromyographic signals were recorded from vastus lateralis muscle during the exercises of maximal concentric repetitions of dominant knee extension at 60°/s. The results show that the slope of CV has an ascending behavior within a repetition . However, when observed along the whole set, or between consecutive sets, a decreasing trend may be identified, which is higher for shorter rest intervals. isokinetic tests. We conducted a comparative analysis of some biomechanical descriptors , between subjects who performed better in isokinetic exercise, called Gold group and other subjects, not Gold group.
7

Estudo do comportamento do sinal eletromiográfico durante a recuperação da fadiga isométrica do bíceps braquial

Peixoto, Luciana Roberta Tenório 29 July 2008 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Medicina, 2008. / Submitted by Thaíza da Silva Santos (thaiza28@hotmail.com) on 2011-02-12T20:09:43Z No. of bitstreams: 1 2008_LucianaRobertaTenorioPeixoto.pdf: 539510 bytes, checksum: db13fa4b72405668d9f1887250ba4be4 (MD5) / Approved for entry into archive by Luanna Maia(luanna@bce.unb.br) on 2011-03-24T15:37:30Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2008_LucianaRobertaTenorioPeixoto.pdf: 539510 bytes, checksum: db13fa4b72405668d9f1887250ba4be4 (MD5) / Made available in DSpace on 2011-03-24T15:37:30Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2008_LucianaRobertaTenorioPeixoto.pdf: 539510 bytes, checksum: db13fa4b72405668d9f1887250ba4be4 (MD5) / O objetivo deste trabalho foi o de verificar se o eletromiograma de superfície (EMG-S) poderia fornecer dados para a determinação do tempo de recuperação da fadiga muscular. Para isso, dados eletrofisiológicos (Freqüência Mediana, FMD; Root Mean Square, RMS) e mecânicos (Contração Voluntária Máxima, CVM) do músculo bíceps braquial cabeça longa (BBL) foram registrados por até 48 h. Sessenta homens saudáveis praticantes de musculação foram aleatoriamente distribuídos por seis grupos experimentais (n=10 por grupo). Todos os grupos passaram por três fases: REF (fase de referência, correspondente ao repouso), RES (fase de resistência à fadiga, na qual se produziu a fadiga em exercício fatigante isométrico) e REC (fase de recuperação da fadiga). A diferença do protocolo experimental entre os grupos se deu apenas na fase REC, que ocorreu em seis diferentes tempos de gravação, a saber, 1 h, 2 h, 4 h, 8 h, 24 h e 48 h após a fase RES. Na fase REF, todos os voluntários produziram, além do parâmetro CVM, mais dois registros EMG-S, realizados com 0% e 20% da CVM, dos quais foram extraídos os parâmetros FMD e RMS. Na fase RES todos realizaram um exercício fatigante isométrico com carga de 60% da CVM. Na fase REC, os voluntários dos seis grupos, nos seis respectivos intervalos de gravação, produziram os mesmos registros e parâmetros da fase REF. Todos os registros foram produzidos com o cotovelo em 900 de flexão. A análise de dados consistiu em comparar os registros REF com os correspondentes REC, para verificar se os parâmetros monitorados retornavam aos mesmos valores de REF e para identificar o tempo de recuperação. Para essa comparação, visto que os dados nem sempre seguiam uma distribuição normal, foi utilizado o teste Wilcoxon pareado. Nossos resultados sugerem que, pela CVM, a recuperação se daria em duas horas depois de RES. A FMD, que não acusou claramente uma recuperação, sugere uma tendência que pode se concluir depois de 48 h. RMS parece não funcionar como indicador de recuperação. O comportamento do RMS e a inconsistência observada entre FMD e CVM levantam questionamentos sobre a necessidade de estudar melhor os esses parâmetros, por tempos maiores de REC e com cargas superiores a 20% da CVM. ______________________________________________________________________________ ABSTRACT / This work aimed to check the ability of the surface electromyogram (EMG-S) to provide useful data for settling the recovery time from muscular fatigue. For that purpose, electrophysiological (Median Frequency, MDF, and RMS value) and mechanical (Maximum Voluntary Contraction, MVC) signals were recorded up to 48 h from biceps brachial long head (BBL). Sixty healthy men practicing muscular exercise were randomly allocated in six groups (n=10 per group). Each group underwent three experimental phases: REF (reference phase, corresponding to rest), RES (phase of resistance to fatigue, produced by fatiguing isometric exercise) and REC (recovery phase). The experimental protocol was the same for all the groups, except for the six different REC phases corresponding to records made at 1 h, 2 h, 4 h, 8 h, 24 h and 48 h after RES phase. At the REF phase, all the subjects produced, in addition to MVC, two EMG-S signals recorded at 0% of MVC and 20% of MVC of which the parameters MDF and RMS were computed. At the RES phase, each subjetc underwent fatiguing isometric exercise at 60% of MVC load. At the REC phase, the six groups yielded signals corresponding to the six different acquisition times a producing the same records and parameters of the REF phase. All the records were constantly attained with the elbow flexed by 90°. The data analysis consisted in comparing the corresponding REF and RES data in order to verify whether the monitored parameters returned to the REF levels and to identify the recovery time. As our data were qualified as non-normal, we used the Wilcoxon matched pairs test. Our results concerning MVC suggest that recovery could be achieved in two hours after RES. Albeit the MDF didn't reveal an evident recovery behavior, it pointed towards a possible recovery above 48 h. RMS seems not to perform well in the role of a recovery indicator. The RMS behavior as well the inconsistency of MDF and MVC call in question the requirement of studying better those factors, for longer REC time periods and for loads higher than 20% of MVC.
8

Sinal eletromiográfico e a identificação da fadiga muscular durante corrida em esteira: diferentes propostas de análise

Melo, Sandy Gonzaga de [UNESP] 15 September 2011 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:30:52Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2011-09-15Bitstream added on 2014-06-13T20:21:20Z : No. of bitstreams: 1 melo_sg_dr_rcla.pdf: 609577 bytes, checksum: a9d51fbcdf884c8d8bd0fca73bb98fef (MD5) / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) / A fadiga muscular é definida como a incapacidade que o músculo esquelético tem de gerar ou manter elevados níveis de força e potência muscular durante determinado tempo. Ela pode está associada a exercícios submáximos e/ou máximos, respondendo com diminuição da velocidade de contração das fibras musculares e aumento do tempo de relaxamento da musculatura trabalhada. Muitos estudos têm utilizado a eletromiografia de superfície (EMGs) para caracterizar a fadiga pelo aumento induzido da amplitude do sinal EMG, assim como investigar os mecanismos fisiológicos e biomecânicos associados ao processo de instalação da fadiga neuromuscular. O objetivo desse estudo foi analisar metodologias empregadas na determinação do limiar eletromiográfico na fadiga muscular (LFEMG), visando a comparação entre os métodos quanto a capacidade de determinar um índice de limiar anaeróbio eletromiográfico fidedigno. Participaram da pesquisa 10 jogadores amadores de futsal com médias de idade 20,8 anos, massa corpórea de 67,3kg e estatura de 1,75m. Executaram um protocolo incremental de corrida em esteira para análise do LFEMG. Foi utilizada a eletromiografia de superfície para músculos do membro inferior e coletados dados como amplitude do sinal e frequência mediana. Posteriormente os dados relativos à eletromiografia foram verificados quanto à normalidade (Shapiro-Wilk) e analisados (ANOVA) através do software SPSS. Os resultados confirmam a proposta de que o limiar de fadiga neuromuscular pode ser identificado por meio da análise do comportamento do sinal eletromiográfico durante o protocolo incremental de corrida, como observado em estudos anteriores, e que os métodos pesquisados não apresentam diferenças estatisticamente significativas entre eles, contudo necessitam-se padrões metodológicos mais confiáveis e reprodutíveis para determinação de índices de fadiga neuromuscular através da análise do sinal EMG / Muscle fatigue is defined as the inability the skeletal muscle has to generate or maintain high levels of muscle strength and power during a given time. It can submaximal exercise be associated with and / or maximum response with a decrease in speed of contraction of muscle fibers and increased time of relaxation of the muscles worked. Many studies have used surface electromyography (EMG) to characterize the fatigue induced by the increase of the amplitude of the EMG signal as well as investigate the physiological and biomechanical mechanisms associated with the installation process of neuromuscular fatigue. The aim of this study was to analyze the methodologies used in determining the electromyographic fatigue threshold (FTEMG) in order to compare the methods for their ability to determine an reliable index of anaerobic threshold electromyographic. 10 players of amateur soccer participated in the research with average age 20.8 years, body mass index of 67.3 kg and height 1.75 m. They performed an incremental protocol of treadmill running for FTEMG analysis. We used surface electromyography to lower limb muscles and collected as signal amplitude and median frequency. Subsequently, data were normalized relative to the electromyography (Shapiro-Wilk) analyzed (ANOVA) by SPSS software. The results confirm the proposal that the neuromuscular fatigue threshold can be identified by analyzing the behavior of electromyographic signals during incremental running protocol, as observed in previous studies, and that the methods surveyed have no statistically significant differences between them, however, more reliable and methodological standards for reproducible determination of indices of neuromuscular fatigue by EMG signal analysis are required
9

Efeitos da administração intracerebroventricular de carnosina sobre parâmetros de estresse oxidativo em cérebro de ratos

Maravai, Soliany Grassi January 2014 (has links)
Dissertação de Mestrado apresentada ao Programa de Pós Graduação em Ciências da Saúde, da Universidade do Extremo Sul Catarinense – UNESC, para obtenção do título de Mestre em Ciências da Saúde. / A carnosina (β-alanina-L-histidina) é um dipeptídeo encontrado em abundância na musculatura esquelética, no músculo cardíaco e no sistema nervoso central. É um composto utilizado como terapia adjuvante para o tratamento de doenças neurodegenerativas associadas ou não ao envelhecimento, devido ao seu conhecido efeito protetor contra oxidantes gerados na fisiopatologia dessas doenças. Entretanto, até o momento, nenhum estudo avaliou o efeito da administração isolada de carnosina sobre parâmetros de estresse oxidativo em cérebro de ratos. Com o intuito de elucidar os efeitos antioxidantes da carnosina, este estudo investigou os efeitos da administração aguda intracerebroventricular (ICV) de carnosina sobre parâmetros de estresse oxidativo em córtex cerebral, cerebelo, hipocampo e estriado de ratos machos com 60 dias de vida. Para tanto, os animais foram submetidos a uma cirurgia estereotáxica com implantação de cânula no ventrículo lateral direito. Três dias após a cirurgia, os animais receberam uma administração única ICV de carnosina (6,4 μmol) através da cânula guia. Os animais do grupo controle receberam 6,4 μmol de NaCl em solução aquosa. Uma hora após a administração, os animais foram eutanasiados por decapitação com guilhotina e as estruturas cerebrais a serem estudadas foram limpas e dissecadas para posteriores análises bioquímicas. Para avaliação da oxidação lipídica e proteica, foram determinados os níveis de substâncias reativas ao ácido tiobarbitúrico (TBA-RS) e o conteúdo de sulfidrilas, respectivamente. Também foram avaliadas as atividades das enzimas antioxidantes catalase (CAT) e superóxido dismutase (SOD) nas mesmas estruturas cerebrais. Observou-se que os níveis de TBA-RS não foram alterados em nenhuma das estruturas cerebrais avaliadas nos animais que receberam carnosina em comparação ao grupo controle. Por outro lado, o conteúdo de grupos sulfidrila encontrou-se aumentado em cerebelo e hipocampo de ratos submetidos à administração de carnosina, sugerindo uma maior proteção conferida aos compostos tiólicos presentes nas células. Em relação às defesas antioxidantes, pôde-se observar um aumento da atividade da CAT em córtex cerebral dos animais que receberam administração ICV de carnosina. Tais resultados corroboram estudos anteriores que demonstram efeitos antioxidantes para a carnosina. Entretanto, a administração ICV deste dipeptídeo ocasionou uma inibição da atividade da SOD em estriado, o que pode ser um efeito tóxico da carnosina. Tomados em conjunto, os resultados do presente estudo demonstram efeitos ambíguos da carnosina sobre parâmetros de estresse oxidativo. Este trabalho corrobora o efeito antioxidante descrito, mas apresenta uma evidência de um possível efeito tóxico exercido pela carnosina. Estudos complementares são necessários para avaliar a segurança do uso terapêutico desta molécula.
10

Parâmetros discriminadores de estacionariedade fisiológica em sinais de eletromiografia de superfície aplicados no estudo da fadiga / Discriminatory parameters for physiological stationarity in surface electromyography applied in fatigue analysis

Rocha Júnior, Valdinar de Araújo 22 November 2016 (has links)
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Tecnologia, Departamento de Engenharia Elétrica, 2016. / Submitted by Fernanda Percia França (fernandafranca@bce.unb.br) on 2017-02-23T16:15:43Z No. of bitstreams: 1 2016_ValdinardeAraújoRochaJúnior.pdf: 4581584 bytes, checksum: e9f5e7a03217d7a664a1063c3e8ee236 (MD5) / Approved for entry into archive by Raquel Viana(raquelviana@bce.unb.br) on 2017-03-13T20:05:38Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2016_ValdinardeAraújoRochaJúnior.pdf: 4581584 bytes, checksum: e9f5e7a03217d7a664a1063c3e8ee236 (MD5) / Made available in DSpace on 2017-03-13T20:05:38Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2016_ValdinardeAraújoRochaJúnior.pdf: 4581584 bytes, checksum: e9f5e7a03217d7a664a1063c3e8ee236 (MD5) / A presente investigação tem como objeto de estudo o processamento do sinal eletromiográfico utilizado na análise da fadiga muscular. As técnicas de processamento de sinais tradicionalmente aplicadas à eletromiografia de superfície (EMG-S) produzem índices de fadiga com grande variação espacial (os índices sofrem grandes distorções por conta de mudanças na posição dos eletrodos de captação). Os índices de fadiga obtidos com técnicas clássicas também exibem grande variação temporal (eles não apresentam o mesmo resultado quando o procedimento experimental é repetido duas ou mais vezes). Com a finalidade de superar essas limitações, três novos parâmetros eletromiográficos que destacam as faixas de frequência mais reprodutíveis do sinal foram desenvolvidos: o escalar ponderado de Fourier (scale weighted Fourier – SWF); o escalar ponderado wavelet (scale weighted wavelet – SWW) e a razão wavelet entre a energia das escalas de baixa frequência e a energia total dos coeficientes (wavelet index of ratio of energies at scales of low frequency and wavelets energy – WIRELT). Além da criação de novos parâmetros, uma nova metodologia de análise de sinal também foi concebida para reduzir os problemas de variação espacial e temporal dos índices. Tal metodologia baseia-se em modelo estocástico markoviano que indica a não estacionariedade introduzida no sinal eletromiográfico pela fadiga utilizando processo de acumulação de parâmetros. A avaliação do modelo proposto foi feita em conjunto de sinais reais captados no bíceps braquial de homens e mulheres durante contração isométrica fatigante. Os sinais foram registrados com arranjo linear de eletrodos e o modelo estocástico foi aplicado tanto aos novos parâmetros desenvolvidos quanto aos parâmetros clássicos descritos na literatura (RMS, ZCR, MDF e WIRELT). As avaliações realizadas mostraram que os novos parâmetros são capazes de ressaltar as faixas de frequência mais reprodutíveis do sinal de EMG-S. Verificou-se também que o modelo estocástico indica a fadiga muscular independente do parâmetro eletromiográfico ao qual ele é aplicado. Com a utilização do novo modelo, alguns parâmetros tornam-se mais ou menos sensíveis à fadiga, dependendo da intensidade da contração isométrica. Em relação à variação espacial e temporal, os índices de fadiga obtidos com o novo processamento mostraram-se mais reprodutíveis que os índices calculados com métodos tradicionais. A nova metodologia também permitiu diferenciar a taxa de fadiga de homens e mulheres e sinalizar a fadiga mais acentuada em indivíduos que realizaram teste com maior intensidade de contração. Os resultados do presente estudo indicam que o processamento proposto constitui ferramenta de análise eletromiográfica da fadiga que minimiza os problemas identificados nas abordagens clássicas de tratamento do sinal de EMG-S. / The study object of the present investigation is the signal processing of electromyography signal used in muscular fatigue analysis. The traditional signal process techniques applied in surface electromyography produce fatigue indexes with high spatial variance (the indexes are distorted with electrode positioning changes). The fatigue indexes coming from classic techniques also show high temporal variance (they do no present the same result when experimental procedure is repeated twice or more times). Aiming to overcome these limitations, three new electromyographic parameters that highlight the most reliably signal frequency bands were developed: the scale weighted Fourier (SWF); the scale weighted wavelet (SWW) and the wavelet index of ratio of energies at scales of low frequency and wavelets energy (WIRELT). Besides the development of new parameters, a new methodology for signal analysis was conceived to minimize problems with spatial and temporal indexes variations. This methodology is based on a markovian stochastic model that indicates the non-stationarity inserted in electromyographic signal by the fatigue using a cumulative parameters process. The evaluation of the proposed model was performed in a set of real signals obtained in biceps brachii of men and women during isometric fatiguing contractions. The signals were acquired by a linear electrode array and the stochastic model was applied in the new and in the classic electromyographic parameters described in literature (RMS, ZCR, MDF e WIRELT). The evaluation performed showed that the new parameters are able to highlight the most reliable signal frequency bands of the EMG-S. It was found that stochastic model indicates the muscular fatigue regardless of the parameter in which it is applied. With the use of the new model, some parameters became more or less sensitive to fatigue depending on isometric contraction intensity. In relation to spatial and temporal variation, the fatigue indexes established with new signal processing have revealed to be more reliable than the ones obtained with traditional methods. The new signal processing also allowed to distinguish the fatigue rates in men and women, and indicated steeper fatigue rate in tests with more intense contractions. The results of the present study showed that the signal processing proposed is an electromyographic tool that minimizes the problems identified in classical approaches for EMG-S signal treatment.

Page generated in 0.0383 seconds