• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 537
  • 10
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 551
  • 331
  • 283
  • 191
  • 166
  • 117
  • 107
  • 106
  • 92
  • 92
  • 91
  • 90
  • 90
  • 71
  • 65
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Formação em humanização do SUS: avaliação dos efeitos dos processos de formação de apoiadores institucionais na produção de saúde (recorte campo São Paulo) / SUS’ humanization construction: evaluation of the effects of training in institutional suportes on helth production (São Paulo field experience)

Fornazieri, Nayara 25 September 2017 (has links)
Submitted by Nayara Fornazieri null (nfornazieri@gmail.com) on 2017-11-20T20:55:47Z No. of bitstreams: 1 Fornazieri N Formação em Humanização do SUS.pdf: 1856510 bytes, checksum: 5c40a8a6372360dee055deb8eedbf96f (MD5) / Submitted by Nayara Fornazieri null (nfornazieri@gmail.com) on 2017-11-22T14:06:59Z No. of bitstreams: 1 Fornazieri N Formação em Humanização do SUS.pdf: 1856510 bytes, checksum: 5c40a8a6372360dee055deb8eedbf96f (MD5) / Submitted by Nayara Fornazieri null (nfornazieri@gmail.com) on 2017-11-22T18:09:14Z No. of bitstreams: 1 Fornazieri N Formação em Humanização do SUS.pdf: 1856510 bytes, checksum: 5c40a8a6372360dee055deb8eedbf96f (MD5) / Submitted by Nayara Fornazieri null (nfornazieri@gmail.com) on 2017-11-22T18:12:24Z No. of bitstreams: 1 Fornazieri N Formação em Humanização do SUS.pdf: 1856510 bytes, checksum: 5c40a8a6372360dee055deb8eedbf96f (MD5) / Submitted by Nayara Fornazieri null (nfornazieri@gmail.com) on 2017-11-22T19:44:22Z No. of bitstreams: 1 Fornazieri N Formação em Humanização do SUS.pdf: 1856510 bytes, checksum: 5c40a8a6372360dee055deb8eedbf96f (MD5) / Submitted by Nayara Fornazieri null (nfornazieri@gmail.com) on 2017-11-23T11:57:14Z No. of bitstreams: 1 Fornazieri N Formação em Humanização do SUS.pdf: 1856510 bytes, checksum: 5c40a8a6372360dee055deb8eedbf96f (MD5) / Submitted by Nayara Fornazieri null (nfornazieri@gmail.com) on 2017-11-23T12:57:55Z No. of bitstreams: 1 Fornazieri N Formação em Humanização do SUS.pdf: 1856510 bytes, checksum: 5c40a8a6372360dee055deb8eedbf96f (MD5) / Submitted by Nayara Fornazieri null (nfornazieri@gmail.com) on 2017-11-23T13:16:31Z No. of bitstreams: 1 Fornazieri N Formação em Humanização do SUS.pdf: 1856510 bytes, checksum: 5c40a8a6372360dee055deb8eedbf96f (MD5) / Submitted by Nayara Fornazieri null (nfornazieri@gmail.com) on 2017-11-23T13:34:44Z No. of bitstreams: 1 Fornazieri N Formação em Humanização do SUS.pdf: 1856510 bytes, checksum: 5c40a8a6372360dee055deb8eedbf96f (MD5) / Submitted by Nayara Fornazieri null (nfornazieri@gmail.com) on 2017-11-23T17:24:54Z No. of bitstreams: 1 Fornazieri N Formação em Humanização do SUS.pdf: 1856510 bytes, checksum: 5c40a8a6372360dee055deb8eedbf96f (MD5) / Submitted by Nayara Fornazieri null (nfornazieri@gmail.com) on 2017-11-23T17:29:01Z No. of bitstreams: 1 Fornazieri N Formação em Humanização do SUS.pdf: 1856510 bytes, checksum: 5c40a8a6372360dee055deb8eedbf96f (MD5) / Submitted by Nayara Fornazieri null (nfornazieri@gmail.com) on 2017-11-24T12:05:23Z No. of bitstreams: 1 Fornazieri N Formação em Humanização do SUS.pdf: 1856510 bytes, checksum: 5c40a8a6372360dee055deb8eedbf96f (MD5) / Submitted by Nayara Fornazieri null (nfornazieri@gmail.com) on 2017-11-24T12:39:43Z No. of bitstreams: 1 Fornazieri N Formação em Humanização do SUS.pdf: 1856510 bytes, checksum: 5c40a8a6372360dee055deb8eedbf96f (MD5) / Submitted by Nayara Fornazieri null (nfornazieri@gmail.com) on 2017-11-24T16:47:37Z No. of bitstreams: 1 Fornazieri N Formação em Humanização do SUS.pdf: 1856510 bytes, checksum: 5c40a8a6372360dee055deb8eedbf96f (MD5) / Submitted by Nayara Fornazieri null (nfornazieri@gmail.com) on 2017-11-24T17:31:21Z No. of bitstreams: 1 Fornazieri N Formação em Humanização do SUS.pdf: 1856510 bytes, checksum: 5c40a8a6372360dee055deb8eedbf96f (MD5) / Submitted by Nayara Fornazieri null (nfornazieri@gmail.com) on 2017-11-27T11:40:50Z No. of bitstreams: 1 Fornazieri N Formação em Humanização do SUS.pdf: 1856510 bytes, checksum: 5c40a8a6372360dee055deb8eedbf96f (MD5) / Submitted by Nayara Fornazieri null (nfornazieri@gmail.com) on 2017-11-27T12:31:51Z No. of bitstreams: 1 Fornazieri N Formação em Humanização do SUS.pdf: 1856510 bytes, checksum: 5c40a8a6372360dee055deb8eedbf96f (MD5) / Submitted by Nayara Fornazieri null (nfornazieri@gmail.com) on 2017-11-27T13:03:15Z No. of bitstreams: 1 Fornazieri N Formação em Humanização do SUS.pdf: 1856510 bytes, checksum: 5c40a8a6372360dee055deb8eedbf96f (MD5) / Submitted by Nayara Fornazieri null (nfornazieri@gmail.com) on 2017-11-27T18:08:07Z No. of bitstreams: 1 Fornazieri N Formação em Humanização do SUS.pdf: 1856510 bytes, checksum: 5c40a8a6372360dee055deb8eedbf96f (MD5) / Submitted by Nayara Fornazieri null (nfornazieri@gmail.com) on 2017-11-28T12:13:07Z No. of bitstreams: 1 Fornazieri N Formação em Humanização do SUS.pdf: 1856510 bytes, checksum: 5c40a8a6372360dee055deb8eedbf96f (MD5) / Submitted by Nayara Fornazieri null (nfornazieri@gmail.com) on 2017-11-28T14:22:46Z No. of bitstreams: 1 Fornazieri N Formação em Humanização do SUS.pdf: 1856510 bytes, checksum: 5c40a8a6372360dee055deb8eedbf96f (MD5) / Submitted by Nayara Fornazieri null (nfornazieri@gmail.com) on 2017-11-28T14:31:56Z No. of bitstreams: 1 Fornazieri N Formação em Humanização do SUS.pdf: 1856510 bytes, checksum: 5c40a8a6372360dee055deb8eedbf96f (MD5) / Submitted by Nayara Fornazieri null (nfornazieri@gmail.com) on 2017-11-28T14:37:45Z No. of bitstreams: 1 Fornazieri N Formação em Humanização do SUS.pdf: 1856510 bytes, checksum: 5c40a8a6372360dee055deb8eedbf96f (MD5) / Approved for entry into archive by LUCIA SILVA PARRA null (lucia@ia.unesp.br) on 2017-11-28T17:24:12Z (GMT) No. of bitstreams: 1 fornazieri_n_me_assis.pdf: 1856510 bytes, checksum: 5c40a8a6372360dee055deb8eedbf96f (MD5) / Made available in DSpace on 2017-11-28T17:24:12Z (GMT). No. of bitstreams: 1 fornazieri_n_me_assis.pdf: 1856510 bytes, checksum: 5c40a8a6372360dee055deb8eedbf96f (MD5) Previous issue date: 2017-09-25 / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) / O presente trabalho surge da experiência na participação da pesquisa “FORMAÇÃO EM HUMANIZAÇÃO DO SUS: Avaliação dos efeitos dos processos de formação de apoiadores institucionais na produção de saúde nos territórios do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo”, projeto construído em parceria entre as universidades UFSC – Santa Catariana, UFRGS – Rio Grande do Sul e UNESP – São Paulo, realizada entre os anos 2012 a 2014. A presente pesquisa foi construída e pautada com o objetivo de definir e caracterizar as especificidades do campo São Paulo, no que se refere a formação dos apoiadores institucionais, a partir dos seus efeitos na produção de saúde dentro das instituições em que atuam. Para a construção da análise desse trabalho foram consideradas 3 Dimensões Analíticas: Produção de si, Produção de Redes e Produção de Práticas. Eixos norteadores construídos por meio de processo em pesquisa com base metodológica ancorada na denominada “Pesquisa de 4ª geração” a qual pretende-se ser qualitativa, avaliativa, interventiva, formativa e participativa. O processo avaliativo considerou 3 ferramentas como material de análise para a construção das considerações: Planos de Intervenção (confeccionados durante o andamento do curso), questionário eletrônico encaminhado aos apoiadores via e-mail e Grupos Focais (realizados posteriormente à finalização do curso). Os resultados construídos apontam para as dificuldades tais como capacitar apenas alguns apoiadores em cada território, a necessidade de que os atores envolvidos nos processos de atenção à saúde tenham conhecimento sobre o equipamento SUS; o (des)conhecimento referente às alternativas para chegar no espaço e movimento desejado, a tentativa de sistematizar reuniões de equipe, a percepção da necessidade em dialogar com seus pares, com a comunidade e com a gestão do serviço, reconhecendo a necessidade da tríplice inclusão (usuários, trabalhadores e gestão), bem como a percepção de mudanças pessoais ocorridas nos participantes que ainda ressoam nos espaços em que se encontram cada um desses apoiadores e suas ações. Como produto desse processo avaliativo, temos o registro dessa experiência e de possíveis encaminhamentos para ações futuras, visando contribuir para as práticas nos mais diversos espaços de atenção à saúde, possibilitando encontrar pontos importantes de consonância com a prática da construção e efetivação de uma política mais humana, e que atenda às necessidades de trabalhadores, gestores e usuários, na efetivação, disseminação e consolidação do SUS. / The present work is based on the experience of the participation in the research “SUS’s HUMANIZATION: Evaluation’s effects of the institutional formation processes supporters in the production of health in the Rio Grande do Sul, Santa Catarina and São Paulo territories”, a project built in partnership Between UFSC - Santa Catarina, UFRGS - Rio Grande do Sul and UNESP - São Paulo universities, carried out between the years 2012 and 2014. This process was built and based on the objective of defining and characterizing the specificities of the São Paulo field. Refers to the formation of institutional supporters, based on their effects on health production within the institutions in which they operate. For the construction of the analysis of this work were considered 3 Analytical Dimensions: Self-production, Network Production and Production of Practices. Guiding axes constructed by means of a research process based on a methodological base anchored in the so-called “4th Generation Research”; which is intended to be qualitative, evaluative, interventive, formative and participatory. The evaluative process considered 3 tools as an analysis material for the construction of the considerations: Intervention Plans (made during the course), electronic questionnaire sent to the supporters via e-mail and Focal Groups (made after the end of the course). Results show the difficulties such as training only some supporters in each territory, the need for the actors involved in health care processes to have knowledge about SUS’ equipment; (un)knowing alternatives to achieve movement and wanted bases, the attempt to systematize team meetings, the perception of needing dialogue with their peers, community and the management of the service, recognizing the necessity of the triple inclusion (users, employees and management), as well as the perception of personal changes that occurred in participants that still resonate in the spaces where each one of these supporters and their actions are. As a product of this evaluation process, we record this experience and possible referrals for future actions, aiming to contribute to the practices in the most diverse areas of health care, making it possible to find important points in harmony with the practice of building and implementing a more human, and which answer workers, managers and users needs, in SUS’ implementation, dissemination and consolidation process.
2

Humanização no acolhimento dos familiares de pacientes internados em Hospital Geral / Humanization in welcoming to family of inpatients in general hospital

Sousa, Sandra Maria Costa de January 2014 (has links)
SOUSA, Sandra Maria Costa de. Humanização no acolhimento dos familiares de pacientes internados em Hospital Geral. 2014. 86 f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2014. / Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2014-06-16T14:08:07Z No. of bitstreams: 1 2014_dis_smcsousa.pdf: 3311331 bytes, checksum: 7a1574510354855adb261348df199a88 (MD5) / Approved for entry into archive by denise santos(denise.santos@ufc.br) on 2014-06-16T14:08:50Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2014_dis_smcsousa.pdf: 3311331 bytes, checksum: 7a1574510354855adb261348df199a88 (MD5) / Made available in DSpace on 2014-06-16T14:08:50Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2014_dis_smcsousa.pdf: 3311331 bytes, checksum: 7a1574510354855adb261348df199a88 (MD5) Previous issue date: 2014 / The National Policy for Humanization of Hospital Care was established in 2003, aiming to promote a culture of humane health care. The guidelines are expressed in the method of inclusion of users, workers in service management and in health practices. It employs devices, updating the guidelines through strategies designed to promote changes in patterns of care and management. The mail goal of the present study was to identify the needs of welcoming family members during the hospital stay, and as specific objectives, to develop a group to support the family of inpatients as a humanization strategy, analyzing the welcoming of family of patients and the National Humanization Policy. A qualitative action research approach, using a group process, was applied to a large general teaching hospital, reference in the state, located in Fortaleza, Ceará State. The study subjects were family members accompanying inpatients in clinics A and B of that hospital during the study period. Data were collected from May to July 2013 through individual interviews, creating a support group for family members of hospitalized patients, and collage technique. The study was conducted on the basis of ethical considerations to humans, recommended by the Resolution 466/2012, from the National Board of Health, and initiated after the approval by the Research Ethics Committee of the institution. To maintain the commitment to confidentiality of the Informed Consent, the subjects were coded with the letter F (family member) and the number by order of registration. Data were analyzed using content analysis of Bardin. The results are presented as follows: presentation of family members; analysis of the interviews; completion of the Family Support Group; assessment of the group as a strategy of welcoming, through collage and analysis of the welcome at the hospital and the Humanization Policy. Our results allowed the achievement of the proposed objectives, and it is expected that they can support health professionals, as well as the administration of the hospital, to increase the actions and measures in infrastructure, including the welcome and effective humanization in assisting the family during hospitalization, with interest in the feelings of the family when accompanying the relative; the difficulties in dealing with feelings; the needs and obstacles in the hospital as well as in the forms of assistance related to information and psychological support requested. / A Política Nacional de Humanização da Assistência Hospitalar foi instituída em 2003, visando à promoção de uma cultura de atendimento humanizado na área da saúde. As diretrizes são norteadoras e se expressam no método da inclusão de usuários, trabalhadores na gestão dos serviços e nas práticas de saúde. Opera com dispositivos, atualizando as diretrizes por meio de estratégias destinadas à promoção de mudanças nos modelos de atenção e da gestão. A investigação teve como objetivo geral identificar as necessidades de acolhimento aos membros familiares durante a hospitalização e, como específicos, desenvolver um grupo de suporte de acolhimento aos familiares de pacientes hospitalizados como estratégia da política de humanização, analisando como acontecem o acolhimento aos familiares dos pacientes hospitalizados e a Política Nacional de Humanização. Foi realizada sob a abordagem qualitativa, do tipo pesquisa-ação, por meio do processo grupal, em um hospital geral de ensino, de grande porte, de referência no Estado, localizado na cidade de Fortaleza-Ceará. Os participantes do estudo foram componentes familiares que estavam acompanhando parentes internados nas clinicas A e B do citado hospital no período do estudo. Os dados foram coletados no período de maio a julho de 2013, por meio da entrevista individual, da criação de um grupo de suporte aos familiares de pacientes internados e da técnica de colagem. A pesquisa foi realizada com base nos cuidados éticos necessários aos seres humanos, preconizados pela Resolução nº 466/2012, do Conselho Nacional de Saúde Foi iniciada após a provação pelo Comitê de Ética em Pesquisa da instituição. Para manter o compromisso de sigilo contido no Termo de Consentimento Livre e esclarecido, os sujeitos foram codificados com a letra F de familiar e o número por ordem de registro. Os dados foram analisados pela técnica de Análise de Conteúdo, de Bardin. Os resultados estão expressos na seguinte ordem: apresentação dos familiares, análise das entrevistas; realização do Grupo de Suporte aos Familiares; avaliação do grupo como estratégia para o acolhimento, por meio da colagem e análise do acolhimento no hospital e a Política de Humanização. Em face dos resultados do estudo, que permitiram alcançar os objetivos propostos, espera-se que possam subsidiar a equipe de profissionais da saúde, bem como a administração do referido hospital, a potencializar as ações e medidas na infraestrutura, como também as de acolhimento e efetiva humanização na assistência ao familiar durante a internação, com interesse nos sentimentos do componente da família ao acompanhar o seu parente; nas dificuldades em lidar com seus sentimentos; nas necessidades e obstáculos no hospital, assim como nas formas de ajuda relacionadas às informações e ao apoio psicológico solicitado.
3

Dimensões culturais no tratamento do câncer bucomaxilofacial

Ribeiro de Oliveira, Emanuelle 31 January 2011 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T15:05:42Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo6640_1.pdf: 9331430 bytes, checksum: 96077af9dd08aba0b95fae4abd72ff4e (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2011 / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior / Esta tese apresenta os resultados de pesquisa realizada com um grupo de pacientes usuários do Departamento de Odontologia e Próteses Reabilitadoras do Hospital do Câncer do Estado de Pernambuco, bem como dos profissionais de saúde cuidadores relacionados ao seu tratamento reabilitador odontológico. Trata-se de um estudo do imaginário objetivando compreender as dimensões culturais em ação na elaboração do significado do tratamento reabilitador bucomaxilofacial na vida de pacientes afligidos pelo câncer de cabeça e pescoço, bem como apreender representações dos profissionais de saúde cuidadores com base em suas atuações no Depto.Odonto-HCPE, a fim de oferecer indicativos para propostas de humanização na relação profissional-paciente. A coleta de dados foi realizada através de aplicação do Arquétipo Teste com nove elementos (teste AT-9), elaborado por Yves Durand, de acordo com a Teoria do imaginário de Gilbert Durand, por entrevista de acordo com um roteiro previamente elaborado e também fez uso de depoimentos. O teste AT-9 permitiu o reconhecimento da estrutura do imaginário de cada paciente e foi utilizado como auxiliar na elaboração da mitocrítica, abrindo perspectivas para contribuir com a humanização
4

Percepções sobre o acolhimento e a humanização da assistência, em um serviço de reabilitação do Sistema Único de Saúde, Recife, PE, Brasil

SOUZA, Keilla Vamara Bilro de 13 March 2015 (has links)
Submitted by Rafael Santana (rafael.silvasantana@ufpe.br) on 2017-12-21T17:58:42Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 811 bytes, checksum: e39d27027a6cc9cb039ad269a5db8e34 (MD5) dissertacao certa.pdf: 2436528 bytes, checksum: 0147e3ac944aa3c2253555a99d2df8e5 (MD5) / Made available in DSpace on 2017-12-21T17:58:42Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 811 bytes, checksum: e39d27027a6cc9cb039ad269a5db8e34 (MD5) dissertacao certa.pdf: 2436528 bytes, checksum: 0147e3ac944aa3c2253555a99d2df8e5 (MD5) Previous issue date: 2015-03-13 / Introdução: A mudança do perfil epidemiológico e demográfico ocorrido no Brasil nas últimas décadas, aliado ao aumento da violência, contribuem para o aumento da procura por serviços de reabilitação. Esse cenário, juntamente com a insatisfação de grande parcela da sociedade com o modelo biomédico vigente, aponta a necessidade de reorganizar os serviços por meio do acolhimento. Esta é uma diretriz operacional da Política Nacional de Humanização da Atenção e Gestão do Sistema Único de Saúde, que busca mudanças para garantir o acesso humanizado e com resolubilidade. Objetivo: Esse trabalho tem o objetivo geral de analisar como se dá o acolhimento em um serviço de reabilitação de uma policlínica de saúde, levando em consideração as perspectivas do gestor, profissionais de saúde e usuários. O estudo tem como objetivos específicos: identificar o significado do acolhimento, as dificuldades e facilidades encontradas e a trajetória/itinerário do usuário até chegar ao local. Metodologia: Trata-se de uma pesquisa qualitativa de natureza descritiva. Foram entrevistados 14 voluntários, de ambos os sexos, com idade maior que 18 anos, entre os meses de julho e agosto de 2014. Os dados foram coletados de entrevistas semi-estruturadas, observação participante e análise documental. Resultados: Os resultados evidenciaram que a compreensão do acolhimento pelos usuários está relacionada com a escuta qualificada, e uma postura que demonstre sensibilidade, resolubilidade e agilidade no atendimento. Os profissionais também identificaram o acolhimento como a organização do serviço para melhor receber o usuário e levam em consideração os aspectos dos contextos social e emocional, além dos biomédicos. Foi verificado que há dificuldade de acesso ao serviço devido à alta demanda, levando a uma fila de espera e a fragmentação do processo de trabalho. Conclusões: Foi constatada satisfação dos usuários com o acolhimento e a humanização da assistência na relação com os profissionais, por meio do estabelecimento de vínculos. No entanto, é necessária uma reorganização do serviço para promover um acesso mais equânime, levando em consideração a vulnerabilidade e o maior acesso às informações, tanto para os usuários, quanto para os profissionais, fortalecimento do trabalho em equipe e maior investimento nos serviços de reabilitação. / Introduction: The change in the epidemiological and demographic profile occurred in Brazil in recent decades, coupled with the increase in violence, contribute to the increased demand for rehabilitation services. This scenario, coupled with dissatisfaction large portion of society with the biomedical model, points out the need to reorganize the services through the host. This is an operational guideline of National Policy on Humane Care and Health System Management which seeks change to ensure the humane and solving access. Objective: This study has the general objective of analyzing how is the host in a rehabilitation service of a health clinic, taking into account the perspectives of managers, health professionals and users. The study has the following objectives: to identify the meaning of the host, the difficulties and facilities found and the path / user route to reach the site. Methodology: treatment is a qualitative research of descriptive nature. We interviewed 14 volunteers of both sexes, older than 18 years, between the months of July and August 2014. Data were collected through semi-structured interviews, participant observation and document analysis. Results: The results seized by analysis of the data showed that the understanding of the host by users is related to the qualified hearing, and an attitude that demonstrates sensitivity, resolution and flexibility of services. Professionals identified the host also as the service organization to better receive you and take into consideration these aspects of social and emotional context, in addition to biomedical. It was found that there is limited access to service due to high demand, leading to a queue and fragmentation of the work process. Conclusions: It was observed user satisfaction with the reception and humanization of care in relation to the professionals through the establishment of a connection with these users. However, a reorganization of the service to promote a more equitable access is required, taking into account the vulnerability and greater access to information, both for users and for professionals, strengthening work in teams and increased investment in rehabilitation services.
5

Narrativa da humanização do parto e nascimento em Fortaleza-CE : pioneirismo e atualidade do movimento

Piauilino, Yluska Macêdo Lôbo 16 December 2013 (has links)
Made available in DSpace on 2019-03-29T23:50:20Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2013-12-16 / The present study seeks to build the narrative of the movement of the humanization of birth in Fortaleza, roots, pioneering, implementation of "Project Light" in the state and the current movement in the city. Despite technological advances in obstetrics, resume cultural roots to humanize the birth process is an alternative model to the current proposal. The interference of technology on the delivery is associated with a biomedical model that medicates the body, recommending that safe birth is one that occurs in hospitals equipped with high technology. In contrast, the humanization comprises among many respects, the adoption of measures and procedures simple and available regionally to monitor the labor and birth, avoiding unnecessary interventionist practices. This is a qualitative study which is based on primary sources and documentary evidence about midwives, reports and manuals "Project Light" that restore and expand hermeneutics, historical and socio-cultural understanding of the phenomenon and narrative experiences of professionals involved in motion. It was observed that there was a tradition in Ceará work of midwives in rural areas. However, this tradition has been lost to urbanization and movement sanitization of health from the sixties. Already in the seventies, began a movement of recovery and empowerment of lay midwives with the work of Ceará obstetrician Galba Araujo. Later there was the implementation of "Project Light", based on exchange of experiences developed by the International Cooperation Agency (JICA) in Ceará during the nineties. It was noticed that the movement of humanization of labor and birth had its start with the initiative and pioneering Galba Araujo with the training of midwives in the interior, but the movement was fragmented with his death and later taken over by JICA. Henceforth, there is a lack of knowledge about the life and history of Galba Araújo, leaving the roots of a marginalized history. We conclude that , will avail nothing encouragement, and training arising from government, state, local and international organizations , if no redemption guided roots and continuity of a process and all that they can contribute to its progress. / O presente estudo busca construir a narrativa do movimento de humanização do parto no município de Fortaleza, suas raízes, pioneirismo, implementação do Projeto Luz no estado e a atualidade do movimento no município. Apesar dos avanços tecnológicos na área obstétrica, retomar as raízes culturais para humanizar o processo do parto é uma proposta alternativa ao modelo atual. A interferência da tecnologia sobre o parto está associada a um modelo biomédico que medicaliza o corpo, preconizando que o nascimento seguro é aquele que ocorre no meio hospitalar munido de alta tecnologia. Em contraponto, a humanização compreende entre muitos aspectos, a adoção de medidas e procedimentos simples e disponíveis regionalmente para o acompanhamento do parto e nascimento, evitando práticas intervencionistas desnecessárias. Trata-se de uma pesquisa qualitativa a qual está baseada em fontes e evidências documentais primárias sobre as parteiras, relatórios e manuais do Projeto Luz que resgatam e ampliam a compreensão hermenêutica, histórica e sociocultural do fenômeno e em narrativa de vivências dos profissionais envolvidos no movimento. Observou-se que no Ceará havia uma tradição do trabalho das parteiras na zona rural. Entretanto, esta tradição se perdeu com a urbanização e movimento de sanitização da saúde a partir da década de sessenta. Já na década de setenta, iniciou-se um movimento de valorização e capacitação das parteiras leigas com o trabalho do obstetra cearense Galba de Araújo. Posteriormente, houve a implantação do Projeto Luz , baseado em trocas de experiências desenvolvido pela Agência de Cooperação Internacional do Japão (JICA) no Ceará ao longo da década de noventa. Percebeu-se que o movimento de humanização do parto e nascimento teve seu start com a iniciativa e o pioneirismo de Galba de Araújo com o treinamento de parteiras no interior, porém o movimento foi fragmentado com o seu falecimento e posteriormente retomado pela JICA. Doravante, há um desconhecimento sobre a vida e a história de Galba de Araújo, o que deixa as raízes de uma história marginalizada. Concluímos que de nada valerá incentivo e treinamentos advindos de governo, estado, municípios e organizações internacionais, se não houver resgate e continuidade pautada nas raízes de um processo e em tudo que estas podem contribuir para o progresso do mesmo.
6

Acolhimento como estratégia para humanizar práticas de cuidar em saúde: revisão integrativa de pesquisas em enfermagem. / Host as a strategy for humanizing practices in health care: an integrative review of nursing research.

Barreiro, Maria do Socorro Claudino 18 December 2009 (has links)
Made available in DSpace on 2015-05-08T14:47:20Z (GMT). No. of bitstreams: 1 arquivototal.pdf: 781817 bytes, checksum: f513c5b0261558bc82136f31de77dc85 (MD5) Previous issue date: 2009-12-18 / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior / The central theme of this study includes the host as a tool for humanizing health practices, based on results of research conducted at the national level that reflect the changes resulting from its application in various scenarios that shape health services. The host humanizes the practices of care by recognizing the characteristics that permeate the encounter between subjects, and expand access to health services, resulting in resolving care, based on co-responsibility, ethics and relationship. Thus, this study aims to investigate scientific studies published that focus on the central host and humanization in health care, examining the results from research conducted for the humanization of health care. This is a study of integrative literature review, for its implementation was conducted a search in the databases, the Virtual Health Library: LILACS and SciELO databases and portals of theses and dissertations from institutions: USP, UFC, UFPB , and CEBEN CAPES portal. To facilitate data collection were used as descriptors of the words: welcome, welcome, and access, hosting and bonding, comforting and humane, shelter and care. Data collection was performed during February, March, April and May of 2009. The sample consisted of 28 studies, available in full electronically published between 2002 to 2008. Data analysis identified three thematic categories: host, host to host and soft technology and access. Within these categories was possible to view the subcategories: bond, care, humanization, management of care and perception of professionals and users. In this context, the host introduced himself as a great tool that has the potential to transform the care practices that have been developed in health services, however, has been operationalized with difficulties. To become effective they must be worked from the perspective of raising awareness among professionals to recognize it as part of an indivisible whole in their practice of care. It involved the search for partnerships with the community in order to have her as an ally in this construction, a suggestion would be the formation of local health councils, to discuss among other things the construction of the host in health services so that they can act with his whole arsenal resolute. / A temática central desse estudo compreende o acolhimento como ferramenta para humanizar as práticas em saúde, embasado em resultados de pesquisas produzidas em âmbito nacional que retratem as mudanças decorrentes de sua aplicação nos vários cenários que conformam os serviços de saúde. O acolhimento humaniza as práticas de cuidar por valorizar as características que permeiam o encontro entre sujeitos, além de ampliar o acesso aos serviços de saúde, traduzindo-se no cuidado resolutivo, pautado na co-responsabilização, ética e vínculo. Nessa perspectiva, este estudo tem como objetivos Investigar as produções científicas publicadas que tenham como foco central o acolhimento e a humanização do cuidar em saúde; Analisar os resultados das pesquisas produzidas para a humanização do cuidar em saúde. Trata-se de um estudo de revisão integrativa da literatura, para a sua realização foi realizada uma busca nas bases de dados, da Biblioteca Virtual em Saúde: LILACS e Scielo, e nos portais de teses e dissertações das instituições: USP,UFC,UFPB, portal CAPES e CEBEN. Para viabilizar a coleta de dados foram utilizados como descritores as palavras: acolhimento, acolhimento e acesso, acolhimento e vínculo, acolhimento e humanização, acolhimento e cuidado. A coleta de dados foi realizada nos meses de fevereiro, março, abril e maio do ano de 2009. A amostra foi composta por 28 estudos, disponibilizados na íntegra eletronicamente, publicados no período de 2002 a 2008. A análise dos dados permitiu identificar três categorias temáticas: acolhimento, acolhimento como tecnologia leve e acolhimento e acesso. Dentro dessas categorias foi possível visualizar as subcategorias: vínculo, cuidado, humanização, gerenciamento do cuidado e percepção de profissionais e usuários. Nesse contexto, o acolhimento apresentou-se como ferramenta que possui um grande potencial para transformar as práticas de cuidado que vem sendo desenvolvidas nos serviços de saúde, contudo, vem sendo operacionalizado com dificuldades. Para sua efetivação é necessário que este seja trabalhado na perspectiva de sensibilizar os profissionais a reconhecê-lo como integrante de um todo indivisível em sua prática de cuidado. Cabe aos envolvidos buscar parcerias com a comunidade, a fim de tê-la como aliada nessa construção, uma sugestão seria a formação de conselhos locais de saúde, para entre outras coisas discutir a construção do acolhimento nos serviços de saúde, para que estes possam atuar com todo o seu arsenal resolutivo.
7

A Música na Promoção do Cuidado Humanizado na Unidade de Terapia Intensiva

Almeida, Francismeuda Lima de 29 December 2011 (has links)
Submitted by Juliana Paiva (julianammp@yahoo.com) on 2018-05-15T12:49:43Z No. of bitstreams: 1 291º Dissertação - Francismeuda Lima de Almeida.pdf: 3264108 bytes, checksum: 3dc76bacc8095b10c06e5f36aa3c192a (MD5) / Approved for entry into archive by Delba Rosa (delba@ufba.br) on 2018-05-15T15:40:33Z (GMT) No. of bitstreams: 1 291º Dissertação - Francismeuda Lima de Almeida.pdf: 3264108 bytes, checksum: 3dc76bacc8095b10c06e5f36aa3c192a (MD5) / Made available in DSpace on 2018-05-15T15:40:34Z (GMT). No. of bitstreams: 1 291º Dissertação - Francismeuda Lima de Almeida.pdf: 3264108 bytes, checksum: 3dc76bacc8095b10c06e5f36aa3c192a (MD5) / O objetivo desse estudo foi apreender a contribuição da música na promoção do cuidado humanizado ao paciente na UTI e analisar a contribuição atribuída pelo paciente, sobre o uso da música na promoção do cuidado humanizado na UTI. A pesquisa foi do tipo exploratória e descritiva, com uma abordagem qualitativa, realizada em duas UTIs de um hospital público de ensino de Salvador, com 10 pacientes críticos, conscientes e orientados, internados há no mínimo 24h. Foi utilizado um roteiro de entrevista semi-estruturado e a observação não-participante e constou de três momentos, o primeiro foi uma aproximação inicial onde foi perguntado sobre questões relativas à percepção do ambiente (UTI), sensações sobre o momento da internação e as músicas de preferência; o segundo constou da aplicação das músicas, enquanto foram observadas expressões faciais e corporais e o terceiro momento foi realizada a entrevista final sobre as sensações após escutar a música na UTI e as melhorias para si e para o ambiente. As entrevistas foram analisadas através da análise temática de Bardin. Os resultados demonstraram que a maioria acha o ambiente da UTI, bom, ótimo, o melhor possível porque tem profissionais competentes, educados que os tratam bem e tem aparelhagem tecnológica excelente. No entanto, outros consideram a UTI um lugar de recuperação e isolamento, sentem-se desconfortáveis por estarem longe de casa e da família. É assustador, devido a movimentação, gente dando ataque, muita aparelhagem, falta distração e o horário de visita é restrito. Estar na UTI, além de sentirem-se solitários, tristes e saudosos de casa e diferente porque saem da rotina, ficam aflitos, sentem dor e preocupação. Após as sessões de música as respostas obtidas das entrevistas e das observações foram de alegria, bom humor, relaxamento e rubor, tranqüilidade, assobios, balanço da cabeça e mãos com ritmo, olhos marejados, choro, sorrisos, fechamento dos olhos e sonolência. A experiência de ouvir música na UTI foi expressa como ótimo/maravilhoso, descontrai e relaxa, refrigera a alma e traz saudades. Os benefícios para si com o uso da música na UTI foram, que traz recordação; traz coisas boas; relaxa, acalma, distrai, anima e faz esquecer os problemas. Os benefícios para a UTI com a aplicação da música evidenciou que é: válido, bom, ótimo, edifica, importante e aprovam a idéia. Concluí que a aplicação da música contribuiu para uma melhor adaptação à UTI, tornando-a mais leve, agradável e confortável para os pacientes, promovendo a humanização do cuidado, e que pode se tornar uma prática freqüente no ambiente da UTI. / The aim of this study was to understand the contribution of music to promote the humane care to patients in the ICU and to analyze the contribution given by the patient on the use of music in promoting humane care in the ICU. The research was exploratory and descriptive, with a qualitative approach, carried out in two ICUs of a public teaching hospital of Salvador, with 10 critically ill patients, conscious and oriented, hospitalized for at least 24 hours. We used a structured interview semi-structured and non-participant observation and consisted of three phases, the first was an initial approximation was asked questions concerning the perception of the environment (ICU), feelings about admission and music Preferably, the second consisted of the application of the songs, as they were observed facial expressions and body and the third time the final interview was conducted about the feelings after listening to the music in the ICU and the improvements for themselves and the environment. The interviews were analyzed through thematic analysis of Bardin. The results showed that the majority thinks the ICU environment, good, great, because it has the best skilled professionals, who treat them well educated and has excellent technological equipment. However, others consider the ICU a place of recovery and isolation, are uncomfortable because they are away from home and family. It's scary, because the movement, giving us attack, much equipment, distraction and lack time to visit is restricted. Being in the ICU, and feel lonely, sad and yearning for home and come out different because of the routine, they are distressed, in pain and concern. After the music sessions the responses obtained from interviews and observations were of joy, humor, relaxation and flushing, tranquility, whistles, head nodding and hands in rhythm, teary eyes, tears, smiles, eye closure and drowsiness. The experience of listening to music in the ICU was expressed as excellent / wonderful, relaxing and relaxes the soul and brings nostalgia. The benefits for you with the use of music in the ICU, which brings memories, brings good things, relaxes, soothes, distracted, animates and makes us forget the problems. The benefits to the ICU with the application showed that the music is: valid, good, good, builds, important and approve the idea. I concluded that the application of music contributed to a better adaptation to the ICU, making it lighter, pleasant and comfortable for patients, promoting the humanization of care, and that can become a frequent practice in the ICU setting.
8

A política nacional de humanização na produção de inflexões no modelo hegemônico de cuidar e gerir no SUS : habitar um paradoxo /

Martins, Catia Paranhos. January 2015 (has links)
Orientadora: Cristina Amélia Luzio / Banca: Simone Mainieri Paulon / Banca: Ricardo Sparapan Pena / Banca: Silvio Yasui / Banca: Elizabeth Maria Freire de Araújo Lima / Resumo: A Política Nacional de Humanização - HumanizaSUS (PNH) foi criada em 2003 a partir do reconhecimento das experiências inovadoras de um "SUS que dá certo" e desde então fomenta mudanças na atenção e na gestão. Nesta cartografia nos interessamos pelos encontros, histórias, situações corriqueiras de trabalho, assim como os estranhamentos, questionamentos e embates que foram produzidos ao longo de nosso percurso no HumanizaSUS. Para contarmos fragmentos desta história muitas narrativas foram entrelaçadas. Os documentos oficiais, anotações de reuniões e inúmeras rodas de conversa através da experiência como consultora do Ministério da Saúde, foram somados aos 78 documentos/narrativas finais de um curso da PNH na região Centro-Oeste, e ainda ao diálogo com 5 outros consultores. Utilizamos dos pensadores da Filosofia da Diferença e também da Saúde Coletiva, principalmente os alinhados com o HumanizaSUS, que nos auxiliaram na empreitada por enxergar os indícios tanto das capturas, quanto das formas de resistências, sem lamentar o presente. Construímos dois planos de análise que estão interligados e dialogam mutuamente. No capítulo 2 fizemos um demorado passeio pela PNH, por momentos, acontecimentos e divergências que marcaram os apoiadores. Problematizamos o HumanizaSUS como uma obra aberta e tarefa coletiva, que tem disputado espaço no Ministério da Saúde, no cotidiano dos serviços e na produção acadêmica. No capítulo 3 discutimos alguns desafios e entraves para a efetivação da saúde como direito. As capturas do contemporâneo, o SUS como campo de disputa, os muitos e desiguais 'Brasis' e a luta por cidadania contribuem para ampliarmos a compreensão sobre o tamanho da tarefa proposta pelo HumanizaSUS. Nas narrativas dos apoiadores temos avanços e retrocessos do SUS, um movimento potente que ecoa das lutas reformistas em saúde, mas que trava batalhas com os modos... / Abstract: The National Humanization Policy - HumanizaSUS (NHP) was created in 2003 as from the recognition of innovative experiences of a "SUS that works out" and since then has been promoting changes in its attention and management. In this cartography, we have been interested in meetings, stories, everyday work situations, as well as in the feelings of strangeness, doubts and clashes that have been produced throughout our trajectory in HumanizaSUS. Many narratives have been linked in order to enable us to report fragments of this story. Official documents, notes from meetings, countless rounds of conversations through the experience of being a consultant at Ministry of Health were added to the 78 final documents/narratives of a course at NHP in the Midwest of Brazil, and also to the dialog with 5 other consultants. We have used authors of the Philosophy of Difference and also of Public Health, mainly the ones aligned with HumanizaSUS, who have helped us discerning the clues of capture and resistance, without feeling sorry for the present days. We have built two scooping plans that are connected and mutually dialog. In chapter 2, NHP and its remarkable moments, happenings and divergences were extensively covered. HumanizaSUS was discussed as an unfinished piece of work and collective duty and has been struggling for a place in the Ministry of Health in everyday services and academic production. In chapter 3, some challenges and obstacles for making health a right were discussed. The captures of contemporary history, SUS as a battle field, the several and unequal realities that exist in Brazil and the struggle for citizenship contribute to broaden the comprehension of how important HumanizaSUS proposal is. In the supporters' narratives we can see headways and retrocessions of SUS, a powerful movement that results from reformist battles regarding health care, but that also combats the hegemonic patterns... / Doutor
9

Um laboratório para a humanização em saúde : o Laboratório de Humanidades e a literatura como instrumento de humanização

Bittar, Yuri [UNIFESP] January 2011 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2015-12-06T23:45:02Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2011 / O presente estudo tem como objeto o Laboratório de Humanidades do Centro de História e Filosofia das Ciências da Saúde da Universidade Federal de São Paulo (CeHFi/UNIFESP), que se estrutura como atividade de ensino (graduação e pós-graduação) assim como de pesquisa e extensão. Nosso objetivo foi analisar de que forma esta atividade formativa, fundamentada na experiência estética e reflexiva provocada pela leitura de clássicos da literatura, atua e impacta em estudantes e profissionais da área da saúde no contexto universitário. Partindo de uma metodologia essencialmente qualitativa, baseada na observação participante e na abordagem da história oral de vida dos participantes, a pesquisa procurou avaliar e compreender como uma atividade formativa baseada nas humanidades pode ser proposta como um caminho de humanização em saúde. / The present study aims to analyze the "Laboratório de Humanidades", offered at the Center for History and Philosophy of Health Sciences on Federal University of São Paulo (CeHFi / UNIFESP), which is structured as teaching (undergraduate and postgraduate) and research and extension. Our objective was to analyze how this teaching activity, based on aesthetic experience and reflective caused by reading classic literature, operates and impacts on students and health professionals in the university context. Starting from an essentially qualitative methodology, based on participant observation and life oral history approach about participants, the survey sought to assess and understand how an activity-based training in the humanities can be proposed as a way of humanizing health. / BV UNIFESP: Teses e dissertações
10

Casas de parto autônomas no contexto brasileiro : conflitualidades e sentidos em torno da humanização de partos e nascimentos

Ramos, Ticiana Osvald 03 June 2013 (has links)
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Sociais, Departamento de Sociologia, Programa de Pós-Graduação em Sociologia, 2013. / Submitted by Alaíde Gonçalves dos Santos (alaide@unb.br) on 2013-08-14T13:24:26Z No. of bitstreams: 1 2013_TicianaOsvaldRamos.pdf: 311622282 bytes, checksum: 200e18d6764acade221624e8ae0c2e93 (MD5) / Approved for entry into archive by Guimaraes Jacqueline(jacqueline.guimaraes@bce.unb.br) on 2013-08-14T13:48:14Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2013_TicianaOsvaldRamos.pdf: 311622282 bytes, checksum: 200e18d6764acade221624e8ae0c2e93 (MD5) / Made available in DSpace on 2013-08-14T13:48:14Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2013_TicianaOsvaldRamos.pdf: 311622282 bytes, checksum: 200e18d6764acade221624e8ae0c2e93 (MD5) / A pesquisa objetiva compreender o processo pelo qual ocorre a inserção das Casas de Parto – CPs autônomas no campo obstétrico brasileiro, pautado pela chamada “humanização”, focando tensões existentes entre as principais profissões envolvidas, notadamente entre enfermeiras obstétricas e médicos obstetras. O problema da pesquisa se resume na questão: “Que sentidos e conflitualidades permeiam o cenário de surgimento e estabelecimento de diferentes Casas de Parto no Brasil?”. O estudo é qualitativo, centrado em duas CPs autônomas, nos estados do Distrito Federal e Rio de Janeiro, que sofreram tentativas de fechamento. Como procedimentos de coleta foram utilizados, principalmente, entrevistas em profundidade com profissionais e outros atores, em um total de trinta, submetidas à análise de discurso. O estudo trabalha discursividades em torno da humanização de partos e nascimentos, identidades e fronteiras profissionais, o conhecimento autoritativo e o território social do parto. Os resultados da pesquisa apontam a obstetrícia como um campo de batalhas, em que o conflito se faz onipresente, possuindo múltiplas imbricações e resultando na violência obstétrica, emergindo enquanto uma possibilidade de solução frente à responsabilização e atingindo fortemente as mulheres, que vivenciam nas maternidades hospitalares situações de violência, como um espólio dos conflitos no campo, também engendrados em situações de limiariedade entre as fronteiras territoriais das CPs e outras instituições. Muitas diferenças se mostraram importantes entre as duas CPs analisadas no estudo, demonstrando que por mais que as Casas tenham vividos episódios semelhantes e exista um discurso e uma filosofia comuns girando em torno de certas disposições e práticas do cuidado humanizado, a construção do cuidado ocorre de maneira fundamentalmente distinta em cada contexto. O cuidado promovido por enfermeiras obstétricas em Casas de Parto autônomas foi caracterizado a partir da ideia de organização do ser feminino, em uma releitura da figura da parteira e em contraposição à interventiva prática médica. _____________________________________________________________________________________ ABSTRACT / The research aims to understand the process through which occurs the insertion of autonomous Birth Houses – BH´s in the Brazilian obstetric field, guided by the notion of ´humanization´ and focusing on existing tensions between the main professions involved, especially between midwives and obstetricians. The core research problem refers to the question: "What meanings and conflicts permeate the context of emergence and establishment of different autonomous Birth Houses in Brazil?" This is a qualitative study focused on two autonomous BH´s, located in Distrito Federal and Rio de Janeiro, which faced attempts of closure. As data collection procedures, I used mainly in-depth interviews with professionals and other actors, in a total of thirty, subjected to discourse analysis. The study works with discoursivities around childbirth humanization, professional boundaries and identities, authoritative knowledge and social territories of childbirth. The research results depict midwifery as a battlefield, where conflict is omnipresent, having multiple imbrications and resulting in obstetric violence, emerging as a possibility of solution for accountability and strongly affecting women, who experience episodes of violence in maternity hospitals, as an asset of conflicts between the classes that compose the field, also engendered in limit situations between the BH´s territorial boundaries and other institutions. Many differences between the two analysed BH´s are relevant, showing that even though the BH´s have experienced similar episodes and there is a common discourse and philosophy around certain dispositions and practices of the humanized care, the construction of care occurs in a fundamentally different manner in each context. Care promoted by midwives in autonomous BH´s has been characterized from the idea of organizing the feminine being, in a reinterpretation of the traditional birth attendants´ image, opposed to interventional medical practice. _____________________________________________________________________________________ RÉSUMÉ / La recherche vise à comprendre le processus par lequel se produit l'insertion des Maisons de Naissance – MNs autonomes dans le domaine obstétrique brésilien, guidé par la notion d´ « humanisation », en mettant l´accent sur les tensions entre les professions principales concernées, notamment les infirmières sages-femmes et les obstétriciens. Le problème de recherche se résume dans la question : « Quels sont les sens et les conflits qui composent le contexte de l'émergence et de l'établissement des différentes Maisons de Naissance autonomes au Brésil? » Il s'agit d'une étude qualitative axée sur deux MNs autonomes dans le Distrito Federal et à Rio de Janeiro), qui ont subi des tentatives de fermeture. Les procédures de collecte utilisées principales ont été des entretiens approfondis avec des professionnels et d'autres acteurs, dans un total de trente, soumis à l'analyse du discours. L'étude travaille avec le discursivités autour de l'humanisation de l'accouchement, des limites professionnelles et d´identités, de la connaissance autoritaire et des territoires sociaux de la naissance. Les résultats de la recherche montrent l’obstétrique comme un champ de bataille, où le conflit est omniprésent, avec des multiples insertions et résultant dans la violence obstétricale qui émerge comme une possibilité de solution pour le problème de la responsabilité en impactant fortement les femmes, qui vivent des situations de violence dans les maternités hospitalières, comme un héritage maudit des conflits qui composent le domaine, aussi engendrés des situations limites entre les frontières territoires des MNs et d´autres institutions. Beaucoup de différences pertinentes ont été identifié entre les deux MNs analysées, ce qui montre que, tandis que les maisons ont connu des épisodes similaires et qu´il y a un discours et une philosophie communs autour de certaines dispositions et pratiques des soins humanisés, la construction des soins se présente fondamentalement différent dans chaque contexte. Les soins promus par les infirmières sages-femmes dans les MNs autonomes ont été caractérisés à partir de l'idée de l'organisation de l'être féminin, dans une réinterprétation de l´image des sages-femmes, par opposition à la pratique médicale interventionnelle.

Page generated in 0.0965 seconds