• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 354
  • 10
  • 6
  • Tagged with
  • 371
  • 210
  • 143
  • 133
  • 77
  • 72
  • 68
  • 57
  • 56
  • 51
  • 51
  • 50
  • 48
  • 46
  • 45
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

O imaginário: Uma viagem ao universo do "Acolhedor-acolhido"

NOGUEIRA, Maria Aparecida Lopes 1994 (has links)
Submitted by Caroline Falcao (caroline.rfalcao@ufpe.br) on 2016-05-25T16:38:42Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) 39N778i Dissertação.pdf: 8134936 bytes, checksum: 649c56af26f96d5ebc6266b92fa7034f (MD5) Made available in DSpace on 2016-05-25T16:38:42Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) 39N778i Dissertação.pdf: 8134936 bytes, checksum: 649c56af26f96d5ebc6266b92fa7034f (MD5) Previous issue date: 1994-09 A presente dissertação está situada no âmbito da Antropologia do Imaginário, e tem por objetivo compreender o fenômeno do "Acolhimento". O enfoque da Teoria do Imaginário foi escolhido, porque me proponho a discutir a questão paradigmática, entre outras coisas, acreditando ser a nível do paradigma que podem ocorrer as transformações que resultariam numa nova visão de mundo. O cerne do trabalho é, portanto, a questão da transformação, da mudança, por isto enfoca o processo do "Acolhimento" enquanto tal. Esse trabalho está dividido em quatro capítulos, são eles: O Paradigma, Fundamentação Teórica, Metodologia e Acolhedor-Acolhidos tirando a venda. Inclui, também, uma síntese e o encaminhamento para novos trabalhos no item - O que a mão ainda não toca, coração um dia alcança: perspectivas. O capitulo I- O Paradigma, contém o Paradigma da Física Moderna que serve de sustentáculo ao estudo desenvolvido, com a apresentação e discussão dos principais pressupostos adotados por nós. Traz, também, a trajetória que liga a Física Quântico — Relativista á Antropologia do Imaginário. A seguir tem-se o capitulo II- Fundamentação Teórica, onde se encontra discutida a Teoria que nos orientou- Está dividido em dois momentos: o primeiro deles, relaciona alguns dos principais estudiosos ligados à área do Imaginário, com a apresentação e discussão de suas ideias e conceitos5 o segundo momento, intitulado "A Antropologia do Imaginário e o "Acolhimento" se refere ao processo do "Acolhimento", como esse fenômeno é percebido, e como pode ser abordado no âmbito da Teoria do Imaginário. No capitulo III- Metodologia, tem-se três partes: a primeira, denominada "Fundamentos", que contém a apresentação e discussão dos conceitos e pressupostos principais da Abordagem Fenomenológica, aqui utilizada; na segunda parte, "Operacionalidade", se encontra a aplicação dos referidos conceitos e pressupostos do item anterior, relacionados ao trabalho de campo; na terceira parte "Mitocritica", apresentamos o método de análise utilizado nesse trabalho. O último capítulo - Acolhedor-Acolhido: tirando a venda, é o mais longo de todos. Está dividido em cinco partes: "Temas Fundamentais", contém os três temas encontrados no conjunto dos relatos ( Abandono , Sangue e Mãe ); "Núcleo Mítico", traz a apresentação e discussão do núcleo significativo do referido conjunto; "Símbolos da Inversão" e "Símbolos da Intimidade", contêm os principais símbolos encontrados no universo estudado; "As Estruturas Místicas", discute, de que forma as características do referido universo, insere-o nesse tipo de estrutura. O item - O que a mão ainda não toca, coração um dia alcanças perspectivas, contém uma síntese do trabalho apresentado, e o encaminhamento para novos trabalhos na área da Antropologia do Imaginário.
2

Mario Quintana: a (re) invenção lírica da infância

Lima, Tatiana Vieira de 2016 (has links)
LIMA, Tatiana Vieira de; COUTINHO, Fernanda Maria Abreu. Mario Quintana: a (re) invenção lírica da infância. 2016. 86f. – Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-graduação em Letras, Fortaleza (CE), 2016. Submitted by Márcia Araújo (marcia_m_bezerra@yahoo.com.br) on 2017-05-12T13:11:09Z No. of bitstreams: 1 2016_dis_tvlima.pdf: 861243 bytes, checksum: 23404321f448b0628010236f36780ef8 (MD5) Approved for entry into archive by Márcia Araújo (marcia_m_bezerra@yahoo.com.br) on 2017-05-12T13:11:27Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2016_dis_tvlima.pdf: 861243 bytes, checksum: 23404321f448b0628010236f36780ef8 (MD5) Made available in DSpace on 2017-05-12T13:11:27Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2016_dis_tvlima.pdf: 861243 bytes, checksum: 23404321f448b0628010236f36780ef8 (MD5) Previous issue date: 2016 Este trabalho tem como objetivo observar os modos pelos quais o imaginário infantil é representado na poesia do escritor sul-rio-grandense Mario Quintana (1906-1994). Busca-se compreender de que maneira se dá essa relação entre infância e poesia, criança e poeta, a partir da leitura das obras iniciais desse poeta: A rua dos cataventos (1940) e Canções (1946), além disso, compõem o corpus dessa pesquisa as obras constituídas por poemas em prosa: Sapato florido (1948), Caderno H (1973), A vaca e o hipogrifo (1977), Da preguiça como método de trabalho (1987) e Porta giratória (1988). A partir desse corpus propõe-se estabelecer uma discussão acerca dos sentimentos de tristeza e melancolia que envolvem a recordação da infância presente nos dois primeiros livros e que são substituídos nos livros de poemas em prosa, pela figuração de uma criança que é tida como um modelo a ser seguido pelo poeta em sua criação literária, a infância é representada não somente como uma fase cronológica da vida humana, mas como uma postura que o poeta assume diante de seu projeto literário. A fim de realizar o que se propõe, estabeleceu-se um diálogo com teóricos da literatura como Octávio Paz (1984,2012), Michael Hamburger (2007), Wolfgang Iser (2002), Emil Staiger (1997), bem como textos que discutem a infância: Gaston Bachelard, Benjamin (1994), Marisa Lajolo (2009), Marie-José Chombart de Lauwe (1991). Entende-se, portanto, que a criança é representada na poesia quintaniana de forma a desconstruir algumas concepções idealizadas relativas a fase pueril, além do mais, entre as diversas figurações da infância nessa poesia, prevalece de maneira persistente o encontro entre as idades, que só é possível por meio do fazer literário.
3

Narradores do sensível: um estudo sobre o imaginário e a cegueira na cidade do Recife (versão para quem enxerga)

ARAÚJO, Sandra Simone Moraes de 31 January 2011 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T15:03:35Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo1399_1.pdf: 9733781 bytes, checksum: 76ef9a31e3359c5c47e888df0c4696b7 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2011 Prefeitura da Cidade do Recife Esta tese teve como objetivo estudar a relação entre o imaginário e a cegueira, a partir da prática cotidiana dos cegos, na cidade do Recife, de maneira que se possa compreender como estes sujeitos percorrem o trajeto antropológico. A ideia de realizar um estudo desta natureza partiu da reflexão sobre a teoria do imaginário de Gilbert Durand, que o concebe, como o conjunto de imagens que compõem o capital pensado do Homo sapiens, e constitui a essência do espírito, como um esforço do ser humano em contrapor-se ao mundo objetivo da morte. Segundo o autor, na dinâmica do imaginário a essência do espírito impulsiona a capacidade humana de significar, as imagens são elementos organizadores da cultura e por meio delas o homem percorre o trajeto antropológico. Muitas vezes, quando se fala em imagens o pensamento logo conduz para algo que é percebido pelo sentido da visão. De forma muito apressada poderíamos pensar que alguém que não pode enxergar não teria capacidade de compor imagens, nem de compreender os símbolos de sua cultura. Os cegos, principalmente os que são portadores da cegueira congênita, desenvolvem a capacidade de apreender e se relacionar no contexto de sua cultura de maneira diversa do normovisual e de um modo particular percorre o trajeto antropológico. Para esta descoberta, foi utilizado como instrumental de coleta de dados, a observação direta do comportamento, a frequência ao curso de tiflologia, entrevistas semiestruturadas e a realização de uma oficina de fotografia direcionada para pessoas cegas. Os dados colhidos foram analisados por meio da mitocrítica, tendo como referencial teórico o que Gilbert Durand considera ser o entre saberes; a superação da oposição entre: natureza/cultura, cegueira/visão, etc. A partir da pesquisa foi possível observar que nas relações do cotidiano, dessa cidade, as pessoas cegas ainda são excluídas, e para viver nesse lugar criam táticas, subvertem os obstáculos e se organizam em instituições para reivindicarem melhorias na qualidade de vida. Atualmente a resistência das lutas em prol dessas melhorias, vem provocando, lentamente, modificações na cidade do Recife, criando pequenos oásis de acessibilidade, embora as mudanças ainda não contemplem todas as prerrogativas da legislação vigente destinada a pessoas com deficiência
4

Dimensões culturais no tratamento do câncer bucomaxilofacial

Ribeiro de Oliveira, Emanuelle 31 January 2011 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T15:05:42Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo6640_1.pdf: 9331430 bytes, checksum: 96077af9dd08aba0b95fae4abd72ff4e (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2011 Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Esta tese apresenta os resultados de pesquisa realizada com um grupo de pacientes usuários do Departamento de Odontologia e Próteses Reabilitadoras do Hospital do Câncer do Estado de Pernambuco, bem como dos profissionais de saúde cuidadores relacionados ao seu tratamento reabilitador odontológico. Trata-se de um estudo do imaginário objetivando compreender as dimensões culturais em ação na elaboração do significado do tratamento reabilitador bucomaxilofacial na vida de pacientes afligidos pelo câncer de cabeça e pescoço, bem como apreender representações dos profissionais de saúde cuidadores com base em suas atuações no Depto.Odonto-HCPE, a fim de oferecer indicativos para propostas de humanização na relação profissional-paciente. A coleta de dados foi realizada através de aplicação do Arquétipo Teste com nove elementos (teste AT-9), elaborado por Yves Durand, de acordo com a Teoria do imaginário de Gilbert Durand, por entrevista de acordo com um roteiro previamente elaborado e também fez uso de depoimentos. O teste AT-9 permitiu o reconhecimento da estrutura do imaginário de cada paciente e foi utilizado como auxiliar na elaboração da mitocrítica, abrindo perspectivas para contribuir com a humanização
5

Atravessando Sertões Memórias de Velhas e Velhos Camponeses do Baixo-Jaguaribe-Ce

Olivenor Souza Chaves, José 2002 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T18:31:03Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo7626_1.pdf: 1858889 bytes, checksum: 7cfb047b94d81a9d4951fed849d4f9fb (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2002 Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Articulando memória e experiência pessoal, procurei acompanhar o curso ordinário das experiências registradas pelas memórias de velhas e velhos camponeses da região do Baixo- Jaguaribe-CE, objetivando expressar a pluralidade de sentidos que os camponeses atribuem aos sertões em que nasceram e cresceram. Assim, através da História Oral de vida, estabeleci outros níveis de compreensão acerca das experiências vividas por esses sujeitos, que pudessem contrapor as interpretações que absolutizam a seca como sendo a única experiência vivida nos sertões do Ceará. Quanto à narrativa do trabalho, ela sugere ao leitor uma idéia de travessia que se realiza por diversos pedaços de sertões e por várias temporalidades que marcam o tempo da memória de meus entrevistados
6

A imagem da mulher ou a mulher da imagem: um estudo discursivo sobre o imaginário feminino na publicidade

José Leotti, Maria 2007 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T18:33:03Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo7469_1.pdf: 3215961 bytes, checksum: 013d10422a51b1361de3b3dc1f390b42 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2007 O presente estudo se propõe a compreender a construção do imaginário feminino em publicidades impressas em revistas que têm como público-alvo a mulher. O corpus foi composto por peças publicitárias veiculadas na revista Marie Claire, no período de 2003 a 2006, totalizando quarenta e dois anúncios. Buscou-se compreender, por meio das pistas encontradas nos textos publicitários enquanto materialidade lingüística, quem e como é a mulher para a qual esses discursos se dirigem; o que pensa e o que deseja a mulher que está na mira dessas publicidades. Para isso, investigou-se a produção imaginária e o modo como cada peça publicitária atinge seu objetivo, ou seja, convence e persuade a consumidora a adquirir o produto anunciado. A investigação sustentou-se nos princípios e procedimentos da Análise de Discurso, de perspectiva francesa (ADF), que abriu a possibilidade de reflexão sobre o discurso publicitário, levando em consideração as condições de produção que incluem, entre outros fenômenos, relações interdiscursivas e formações imaginárias, mais especificamente. Este estudo buscou ainda diálogo no campo da Filosofia, tomando como base a concepção de retórica aristotélica nas observações dos argumentos aplicados ao discurso publicitário, em especial, os de cunho persuasivo. Outro apoio teórico para a análise dos dados foi encontrado nos domínios da Comunicação e da Mídia. Foi dado ao corpus um tratamento discursivo, considerando que o enunciador desses discursos revela-se na enunciação e constrói seu ethos por intermédio das formações imaginárias com dupla face (caráter e corporalidade). Esta pesquisa sinaliza que, no momento de sua inscrição no discurso, o enunciador assume uma dada posição determinada pelas condições de produção de seu dizer. Esse gesto traz para a discursividade o que Pêcheux chamou de processo de antecipação que dá ao enunciador a possibilidade de planejar seu discurso em conformidade com o efeito de sentido que deseja produzir em seu interlocutor. Os resultados encontrados revelam que a análise do discurso publicitário não deixa no esquecimento o processo industrial pelo qual passa o produto anunciado, formula imagens femininas multifacetadas e para cada face dessa imagem há um recurso, uma estratégia de persuasão particularizada e muitas vezes, narcísica que produz efeito de individualização, mas tais funcionamentos não são transparentes necessitando de gestos de interpretação
7

Rachaduras Solarescas e Epigonismos Provincianos Sociedade e Cultura no Maranhão Neo-Ateniense: 1890-1930

de Jesus Barros Martins, Manoel 2002 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T18:34:34Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo7622_1.pdf: 773854 bytes, checksum: 2840c812728c95a2adcb94daec6a2405 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2002 Análise das representações formuladas pela elite letrada maranhense acerca dos processos de decadência material e de renovação cultural presentes na produção intelectual dos novos atenienses. Estuda-se a recorrência do discurso da decadência e do mito da Atenas Brasileira como elementos basilares das imagens produzidas sobre o Maranhão. Discute-se a atuação dos novos atenienses, visando proceder a uma renovação cultural sistêmica no Maranhão, ancorada: por uma produção intelectual ponderável, versando sobre os mais diversos ramos do conhecimento e, em grande parte, sobre a realidade regional; por um ambiente editorial minimamente dinâmico e responsável pela publicidade da referida obra; por um espectro institucional variegado, paulatinamente constituído como lugares de memória essenciais, até então inexistentes; e por uma diversidade de eventos comemorativos e de interesses coletivos e setoriais da comunidade gonçalvina
8

Relatos de experiência publicados na revista Nova Escola (2001-2004): modelo de professora ideal. Rapports d\'experiénces publiés dans la revue Nova Escola (2001-2004): modèle de professeur ideal.

Andreza Roberta Rocha 11 September 2007 (has links)
Cette recherche part d´une hypothèse qu\'il existe un imaginaire de ce qui serait une \"professeur idéal\". Pour essayer de comprendre comment cet idéal est formé, j\'ai pris comme objet d\'analyse quarante-huit exemplaires de la revue Nova Escola, de la perióde 2001-2004. Le corpus est composé de \"rapports d´expériences\" et de \"expériences rapportées\" sur l\'enseignement de la langue maternelle. En utilisant des concepts de la psychanalyse lacanienne, \"identification\" et \"imaginaire\", et, également des concepts de la sémantique argumentative, cette recherche essaie d\'énumérer les resources linguistiques discoursives utilisées dans la rédaction, mise en page et mise en édition des textes adressés pour les enseignants, étant publiés dans la revue Nova Escola. Ce travail essaie également d\'appréhender quels seraient les caractéristiques qui composeraient l\'imaginaire de professeur idéal. Ce travail fait une énumération des effets causés par la circulation du matériel étudié dans l\'écruiture des rapports d\'expérience des professeurs de langue maternelle. En conclusion, cette recherche montre comment il est important pour le professeur d\'adhérer à un lieu social qui serait construit au-delàs d\'un discours basée sur la répétition des modèles. A presente pesquisa parte da hipótese de que existe um imaginário do que seria uma \"professora ideal\". Para tal fim, toma como objeto de análise quarenta e oito exemplares da revista Nova Escola, publicados no período de 2001 a 2004. O corpus é composto de \"relatos de experiência\" (relatos em que um professor-leitor escreve para a revista Nova Escola) e \"experiências relatadas\" (relatos em uma experiência de ensino de língua materna realizadas em sala de aula é apresentada como argumento para reforçar ou ilustrar a tese defendida na matéria da qual participa). Mobilizando conceitos da psicanálise lacaniana, tais como de identificação e de imaginário (LACAN:1961,1962); da semântica argumentativa, por meio da Teoria Polifônica da Enunciação (DUCROT:1987) e da análise do discurso, por meio do conceitos de heterogeneidade discursiva (AUTHIER-REVUZ:1982) e de modalização autonímica (AUTHIERREVUZ: 1992), a pesquisa procurou responder quais são os recursos lingüísticos discursivos utilizados na redação, composição e editoração dos textos voltados para a classe docente publicados na revista Nova Escola; apreender quais seriam os traços que compõem o imaginário de professora ideal presente nesses textos e, ainda, mostrar os tipos de efeitos da circulação do material estudado na escrita de relatos de experiência de professores de língua portuguesa. Tendo identificado que nos textos é divulgada ao leitor a importância de copiar uma figura mítica, a do professor ideal, a pesquisa aponta duas tendências na divulgação de tal modelo: uma tendência propositiva (2001-2002) e uma tendência impositiva (2003- 2004), a pesquisa indica como efeitos possíveis dessa divulgação o favorecimento de uma postura de desresponsabilização por parte do professor em relação ao seu trabalho e a realização de atividades de ensino que desconsideram a pluralidade de contextos educacionais do nosso país e, como conclusão, indicia a importância de que os professores se filiem a um laço social a ser constituído para além de um discurso pautado pela repetição de modelos.
9

“Eu não pago 60 mil por uma moto. Por uma Harley eu pago.”: análise do consumo da imagem simbólica

Weber, Karina Pereira 2015 (has links)
Made available in DSpace on 2015-04-30T14:04:34Z (GMT). No. of bitstreams: 1 000467310-Texto+Completo-0.pdf: 2039761 bytes, checksum: cbfb0ccd833856e8230606d84431450a (MD5) Previous issue date: 2015 This research has as aim the comprehension of symbolic images by the relation with the hyper mark Harley-Davidson, starting with a presupposition that this images drive a kind of image consumption of the brand, as we purposed to think. The theoretical basis of the research consists of the basic notions of the imaginary, Gilbert Durand’s symbolic image; anthropological comprehension of the image and its production by the Hans Belting’s elucidations; comprehension of the brands and the consumption in the contemporary context by Gilles Lipovetsky and the comprehension of the consumption and it’s aspects beyond the objects with the Jean Baudrillard reflections’ help. The methodological path followed was the Michel Maffesoli’s Comprehensive Sociology, and Tim May and Maria Eugênia Costa’s Facal Group research technique. We see that the symbolic image emanating from the “individual-brand” transforms the way of consumption, which is a way to be explored by the branding as a way of providing transcendence relationship with brands. Esta pesquisa tem como objetivo a compreensão das imagens simbólicas a partir da relação com a hipermarca Harley-Davidson, partindo do pressuposto que tais imagens impulsionam uma espécie de consumo-imagem da marca, como propomos pensar. A fundamentação teórica da pesquisa consiste nas noções de imaginário e imagem simbólica de Gilbert Durand; na compreensão antropológica da imagem e de sua produção a partir das elucidações de Hans Belting; no entendimento sobre as marcas e consumo, no contexto contemporâneo, a partir de Gilles Lipovetsky; bem como a percepção do consumo e seus aspectos para além do objeto, com o auxílio das reflexões de Jean Baudrillard.O caminho metodológico seguido foi o da Sociologia Compreensiva de Michel Maffesoli e, para a técnica de pesquisa Grupo Focal, utilizou-se as propostas de Tim May e Maria Eugênia Belczak Costa. Percebemos que a imagem simbólica que emana da relação indivíduo-marca transforma os modos de consumo, sendo este um caminho a ser explorado pelo branding como um meio de propiciar relação de transcendência com as marcas.
10

Os Caretas de Triunfo: a força da brincadeira

COSTA, Maria Das Graças Vanderlei Da 2007 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T15:05:40Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo4352_1.pdf: 6344611 bytes, checksum: e29e67734c0282333660ff1722928fd1 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2007 O folguedo dos Caretas de Triunfo, hoje com aproximadamente nove décadas de existência, traduz a força do universo simbólico que o envolve. Entre mudanças e permanências, prazeres e conflitos, a brincadeira é exemplo de uma tradição compartilhada entre parentes e amigos. Nessa manifestação carnavalesca, a estética, expressão de emoção e sensibilidade, apresenta-se como elemento emblemático que possibilita o envolvimento entre as pessoas. Em sua trajetória, é reconhecida a importância e a visibilidade dos mascarados que passam a representar a cidade sertaneja, hoje intitulada Terra dos Caretas. O estalido dos chicotes, o desenho das máscaras, as cores da indumentária, as mensagens trazidas nas tabuletas, o som dos chocalhos, o movimento dos corpos encobertos, o silêncio enigmático dos brincantes, despertam sentidos e provocam emoções. A partir desses elementos pertinentes ao campo do sensível, cresce o convívio, formam-se grupos, reúnem-se indivíduos que vivenciam o imaginário presente nessa manifestação da tradição, que se mantém e se renova num constante movimento. Para perceber essa dinâmica utilizei como recurso metodológico a observação direta da brincadeira e o registro das lembranças materiais e imateriais dos moradores, visitantes e brincantes: memória pessoal e coletiva, familiar e grupal. Partindo das peculiaridades do lugar onde se desenvolve o folguedo, a cidade de Triunfo, passo a seguir uma trajetória construída a partir das recorrências temáticas que afloraram durante a pesquisa e que auxiliaram o direcionamento do meu olhar. O medo, a curiosidade e o orgulho formam uma tríade de elementos recorrentes que, marcando as lembranças dos indivíduos envolvidos na brincadeira, dão vida e sustentação ao folguedo triunfense

Page generated in 0.0643 seconds