• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 72
  • 2
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 77
  • 48
  • 11
  • 8
  • 8
  • 8
  • 8
  • 7
  • 7
  • 6
  • 6
  • 6
  • 6
  • 6
  • 6
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
21

Desenvolvimento de novas estratégias terapêuticas para glioblastoma através da nanotecnologia e da modulação do sistema imune e sistema purinérgico

Figueiró, Fabrício January 2015 (has links)
Glioblastoma multiforme (GBM) é o mais comum e mais maligno tumor cerebral. O péssimo prognóstico é parcialmente devido à baixa biodisponibilidade dos quimioterápicos no tecido tumoral, recorrência originada por células precursoras resistentes ao tratamento e um sistema imune comprometido. De fato, linfócitos regulatórios modulam o sistema imune para uma resposta pró-tumoral, tornando ainda mais difícil o tratamento. Nesse contexto, nanocápsulas lipídicas (LNCs) têm sido amplamente estudadas a fim de aumentar especificidade dos fármacos ao tecido tumoral. Metotrexato (MTX) e trans-resveratrol (RSV) possuem ação antitumoral já descrita, mas necessitam doses relativamente altas para ação anti-glioblastoma in vivo. O MTX também possui ação imunossupressora através do aumento de adenosina no meio extracelular. A Adenosina, por sua vez, pode modular tanto células efetoras quanto células regulatórias no microambiente tumoral. Dessa forma, a hipótese apresentada nessa tese é que o RSV e o MTX possam ser mais eficazes quando carreados por nanocápsulas em modelos de GBM. Além disso, buscamos avaliar se o MTX poderia interferir com enzimas do sistema purinérgico. Por fim, pesquisamos como a adenosina poderia modular linfócitos B e T através das enzimas CD39 e ecto-5’-NT/CD73. O RSV em nanocápsulas e o MTX em nanocápsulas (RSV-LNCs e MTX-LNCs) aumentaram a atividade anti-tumoral em relação aos compostos em solução, induzindo parada no ciclo celular e apoptose em células de GBM. O MTX diminuiu a expressão da proteína antiapoptótica BCL-2 e aumentou a caspase-3 ativa, levando as células de GBM à apoptose. Além disso, o MTX aumentou a expressão da enzima ecto-5’-NT/CD73 tanto em células de glioma quanto em linfócitos T presentes no microambiente dos gliomas. Esse aumento da expressão foi acompanhado da diminuição em linfócitos T efetores e T regulatórios. Também, demonstramos que linfócitos B que possuem alta expressão da enzima CD39, tem capacidade supressiva sobre linfócitos efetores. Em conjunto, os resultados apresentados nessa Tese apresentaram possíveis novas alternativas de tratamento e contribuíram para melhor compreender esse maligno câncer cerebral. / Glioblastoma multiforme (GBM) is the most common and most malignant brain tumor. The awful prognosis is in part due to the low bioavailability of chemotherapy agents in the tumoral tissue, recurrence originated from treatment-resistant progenitor cells and an impaired immune system. Indeed, regulatory lymphocytes modulate the immune system toward a pro-tumoral response, turning the treatment even more difficult. In this sense, lipid-core nanocapsules (LNCs) have been widely studied to raise the drug specificity to the tumor. Methotrexate (MTX) and trans-resveratrol (RSV) have antitumoral activity, but need relatively high doses to the anti-glioblastoma outcome in vivo. MTX has immunosuppressive capability mediated by the increase of adenosine in the extracellular milieu. Adenosine in turn may modulate both effector and regulatory immune cells in the tumoral microenvironment. Thereby, the hypothesis presented is that RSV and MTX may have an antitumor improvement when loaded into LNCs in GBM models. Moreover, we sought to evaluate whether MTX could interfere with purinergic enzymes. Lastly, we evaluated how adenosine could modulate B- and T-lymphocytes through CD39 and ecto-5’NT enzymes. RSV- and MTX-loaded lipid-core nanocapsules (RSV-LNCs or MTX-LNCs) increased their antitumoral outcome in relation to the solution compounds, inducing both cell cycle arrest and apoptosis in GBM cells. MTX decreased the expression of the antiapoptotic protein BCL-2 and increased the active caspase-3, triggering glioblastoma cells to apoptosis. Furthermore, MTX increased the expression of ecto-5’-NT/CD73 in glioma cells and T lymphocytes of the glioma microenvironment. This up-regulation was followed by decreasing in T effector and T regulatory lymphocytes. Also, we further demonstrated that B lymphocytes with high expression of CD39 enzyme can suppress T efector lymphocytes. Also, we further demonstrated that B lymphocytes with high expression of CD39 enzyme can suppress T efector lymphocytes. Taken together, the results presented herein indicate newfound treatment approaches and new knowledge regarding to this deadliest brain tumor.
22

Micropartículas de metotrexato e ácido poli lático-co-glicólico obtidas por “spray-drying”

Garcia, Mirela Cardoso [UNESP] 16 June 2014 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2015-04-09T12:28:11Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2014-06-16Bitstream added on 2015-04-09T12:48:03Z : No. of bitstreams: 1 000819746.pdf: 1243227 bytes, checksum: abcc54e6cedc24ecfc90de6e45c55da2 (MD5) / Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) / O metotrexato (MTX) é um antineoplásico de meia vida curta, pouco solúvel em água, álcool, éter e clorofórmio, o que compromete sua biodisponibilidade. O ácido poli lático-co-glicólico (PLGA) é um polímero biodegradável, que sofre hidrólise no organismo, comumente usado em sistema de liberação prolongada devido suas características de degradação. Micropartículas de PLGA/fármaco obtidas por spray-drying têm sido empregadas em diversas patologias, incluindo doenças do segmento anterior e posterior do olho. O objetivo deste trabalho foi desenvolver e caracterizar micropartículas de PLGA contendo MTX obtidas por spray-drying para potencial administração intraocular. Micropartículas de PLGA contendo MTX em duas diferentes concentrações foram obtidas. A morfologia das micropartículas demostraram-se de forma esférica e quanto mais se adiciona fármaco, a partícula tende a se deformar e o fármaco a se depositar na superfície da partícula. As análises de infravermelho (FTIR) sugerem a ocorrência de uma mistura física entre o PLGA e o MTX, provavelmente da interação entre os ácidos carboxílicos e aminas presentes no MTX com os ésteres da molécula do PLGA. A calorimetria exploratória diferencial (DSC) e difração de raios X resultam que o MTX está disperso na matriz polimérica com a prevalência de estado amorfo, favorecendo a eficiência de encapsulação (superior a 80%) e liberação, onde as micropartículas PLGA contendo MTX 10% obtiveram um perfil de liberação prolongada após 72 horas, enquanto as contendo 50% caracterizaram um efeito “burst” inicial e uma liberação mais lenta. Os resultados experimentais conclui êxito na obtenção das micropartículas de PLGA contendo MTX por spray drying e seu potencial como sistema de liberação prolongada de fármaco podendo ser interessante no tratamento ocular. / Methotrexate (MTX) is an antineoplastic agent of a short half-life, poorly soluble in water, alcohol, ether and chloroform, which affects your bioavailability. Poly lactic acid-co-glycolic acid (PLGA) is a biodegradable polymer that is hydrolyzed in the body, often used in controlled release system because of your characteristics the degradation. Microparticles PLGA / drug obtained by spray drying have been used in various pathologies, including anterior and posterior segment of the eye diseases. The aim of this study was to develop and characterize PLGA microparticles containing MTX obtained by spray-drying for a potential intraocular administration. PLGA microparticles containing MTX at two different concentrations were obtained. The morphology of the microparticles was spherical and the more drug is added, the particle tends to deform and the drug to be deposited on the particle surface. The infrared analysis (FTIR) suggest the occurrence of a physical mixture of PLGA and MTX, probably the interaction between carboxylic acids and amines present in MTX and the esters in PLGA molecule. The differential scanning calorimetry (DSC) and X-ray diffraction result that MTX is dispersed in the polymeric matrix with the prevalence of amorphous state, favoring the encapsulation efficiency (greater than 80%) and release, where PLGA microparticles containing 10% MTX showed sustained release profile after 72 hours, while containing 50% MTX characterize an initial burst effect and a slower release. The experimental results concludes successfully in obtaining microparticles PLGA containing MTX by spray drying and its potential as sustained drug release system may be interesting in treatment of eye diseases.
23

Neurotoxicidade do metotrexato : utilização da proteína S100B como um marcador e estudo do envolvimento do sistema glutamatérgico

Leke, Renata January 2005 (has links)
O metotrexato (MTX) é um antagonista do ácido fólico amplamente utilizado no tratamento de doenças neoplásicas e não neoplásicas. Entretanto, o uso terapêutico desse fármaco pode levar à neurotoxicidade que pode se manifestar na forma aguda, subaguda e crônica, abrangendo os seguintes sintomas: cefaléia, sonolência, confusão, edema cerebral, convulsões, encefalopatia, coma e prejuízo das funções cognitivas. Os achados neuropatológicos consistem de astrogliose reativa, desmielinização, dano axonal e necrose da substância branca. Em nível celular, o MTX parece afetar primeira e seletivamente os astrócitos, quando comparados com os neurônios.O exato mecanismo neurotóxico do MTX continua não esclarecido, e parece ser multifatorial. Visando ampliar os conhecimentos a respeito dos efeitos do MTX no SNC, foram desenvolvidos dois trabalhos com diferentes modelos em animais, nos quais foram estudados os possíveis mecanismos de ação tóxica desse fármaco, como também propomos a utilização do marcador bioquímico S100B na detecção de injúrias cerebrais associadas ao tratamento. A partir dos resultados obtidos nos experimentos de captação de glutamato in vitro, verificamos que o MTX interfere na remoção do glutamato da fenda sináptica, podendo levar à excitotoxicidade. Também, o aumento da proteína S100B auxilia no entendimento dos mecanismos de ação do MTX, pois sugere que os astrócitos estão respondendo a um insulto na tentativa de neuroproteção Além disso, a S100B, aliada a outros marcadores neuroquímicos e técnicas de diagnóstico por imagem, seria muito importante no monitoramento terapêutico, pois poderia detectar alterações celulares sutis e ajudaria a prevenir a neurotoxicidade pelo MTX. Os resultados que obtivemos nos experimentos de convulsões induzidas pelo MTX demonstraram a participação do sistema glutamatérgico na neurotoxicidade desse fármaco. Especificamente, evidenciamos o envolvimento dos receptores inotrópicos glutamatérgicos na patogênese das convulsões. Porém, neste modelo experimental, a captação de glutamato possivelmente diminuiu em decorrência das manifestações das convulsões e não por uma ação direta, ou indireta, do MTX. O entendimento dos mecanismos de ação é muito importante para a clínica médica, pois permite que novas ferramentas sejam criadas no intuito de prevenir os danos tóxicos induzidos por fármacos. Assim, mais estudos devem ser realizados para tentar desvendar os mecanismos de neurotoxicidade do MTX, como também para estudar potenciais marcadores bioquímicos de injúria cerebral que auxiliem no monitoramento terapêutico.
24

Tratamento conservador da prenhez ectópica com metotrexato

Moreira Filho, Carlito 15 December 2009 (has links)
No description available.
25

Micropartículas de metotrexato e ácido poli lático-co-glicólico obtidas por "spray-drying" /

Garcia, Mirela Cardoso. January 2014 (has links)
Orientador: Maria Virgínia da Costa Scarpa / Banca: Marco Vinícius Chaud / Banca: Leila Aparecida Chiavacci / Resumo: O metotrexato (MTX) é um antineoplásico de meia vida curta, pouco solúvel em água, álcool, éter e clorofórmio, o que compromete sua biodisponibilidade. O ácido poli lático-co-glicólico (PLGA) é um polímero biodegradável, que sofre hidrólise no organismo, comumente usado em sistema de liberação prolongada devido suas características de degradação. Micropartículas de PLGA/fármaco obtidas por spray-drying têm sido empregadas em diversas patologias, incluindo doenças do segmento anterior e posterior do olho. O objetivo deste trabalho foi desenvolver e caracterizar micropartículas de PLGA contendo MTX obtidas por spray-drying para potencial administração intraocular. Micropartículas de PLGA contendo MTX em duas diferentes concentrações foram obtidas. A morfologia das micropartículas demostraram-se de forma esférica e quanto mais se adiciona fármaco, a partícula tende a se deformar e o fármaco a se depositar na superfície da partícula. As análises de infravermelho (FTIR) sugerem a ocorrência de uma mistura física entre o PLGA e o MTX, provavelmente da interação entre os ácidos carboxílicos e aminas presentes no MTX com os ésteres da molécula do PLGA. A calorimetria exploratória diferencial (DSC) e difração de raios X resultam que o MTX está disperso na matriz polimérica com a prevalência de estado amorfo, favorecendo a eficiência de encapsulação (superior a 80%) e liberação, onde as micropartículas PLGA contendo MTX 10% obtiveram um perfil de liberação prolongada após 72 horas, enquanto as contendo 50% caracterizaram um efeito "burst" inicial e uma liberação mais lenta. Os resultados experimentais conclui êxito na obtenção das micropartículas de PLGA contendo MTX por spray drying e seu potencial como sistema de liberação prolongada de fármaco podendo ser interessante no tratamento ocular. / Abstract: Methotrexate (MTX) is an antineoplastic agent of a short half-life, poorly soluble in water, alcohol, ether and chloroform, which affects your bioavailability. Poly lactic acid-co-glycolic acid (PLGA) is a biodegradable polymer that is hydrolyzed in the body, often used in controlled release system because of your characteristics the degradation. Microparticles PLGA / drug obtained by spray drying have been used in various pathologies, including anterior and posterior segment of the eye diseases. The aim of this study was to develop and characterize PLGA microparticles containing MTX obtained by spray-drying for a potential intraocular administration. PLGA microparticles containing MTX at two different concentrations were obtained. The morphology of the microparticles was spherical and the more drug is added, the particle tends to deform and the drug to be deposited on the particle surface. The infrared analysis (FTIR) suggest the occurrence of a physical mixture of PLGA and MTX, probably the interaction between carboxylic acids and amines present in MTX and the esters in PLGA molecule. The differential scanning calorimetry (DSC) and X-ray diffraction result that MTX is dispersed in the polymeric matrix with the prevalence of amorphous state, favoring the encapsulation efficiency (greater than 80%) and release, where PLGA microparticles containing 10% MTX showed sustained release profile after 72 hours, while containing 50% MTX characterize an initial "burst effect" and a slower release. The experimental results concludes successfully in obtaining microparticles PLGA containing MTX by spray drying and its potential as sustained drug release system may be interesting in treatment of eye diseases. / Mestre
26

Desenvolvimento de novas estratégias terapêuticas para glioblastoma através da nanotecnologia e da modulação do sistema imune e sistema purinérgico

Figueiró, Fabrício January 2015 (has links)
Glioblastoma multiforme (GBM) é o mais comum e mais maligno tumor cerebral. O péssimo prognóstico é parcialmente devido à baixa biodisponibilidade dos quimioterápicos no tecido tumoral, recorrência originada por células precursoras resistentes ao tratamento e um sistema imune comprometido. De fato, linfócitos regulatórios modulam o sistema imune para uma resposta pró-tumoral, tornando ainda mais difícil o tratamento. Nesse contexto, nanocápsulas lipídicas (LNCs) têm sido amplamente estudadas a fim de aumentar especificidade dos fármacos ao tecido tumoral. Metotrexato (MTX) e trans-resveratrol (RSV) possuem ação antitumoral já descrita, mas necessitam doses relativamente altas para ação anti-glioblastoma in vivo. O MTX também possui ação imunossupressora através do aumento de adenosina no meio extracelular. A Adenosina, por sua vez, pode modular tanto células efetoras quanto células regulatórias no microambiente tumoral. Dessa forma, a hipótese apresentada nessa tese é que o RSV e o MTX possam ser mais eficazes quando carreados por nanocápsulas em modelos de GBM. Além disso, buscamos avaliar se o MTX poderia interferir com enzimas do sistema purinérgico. Por fim, pesquisamos como a adenosina poderia modular linfócitos B e T através das enzimas CD39 e ecto-5’-NT/CD73. O RSV em nanocápsulas e o MTX em nanocápsulas (RSV-LNCs e MTX-LNCs) aumentaram a atividade anti-tumoral em relação aos compostos em solução, induzindo parada no ciclo celular e apoptose em células de GBM. O MTX diminuiu a expressão da proteína antiapoptótica BCL-2 e aumentou a caspase-3 ativa, levando as células de GBM à apoptose. Além disso, o MTX aumentou a expressão da enzima ecto-5’-NT/CD73 tanto em células de glioma quanto em linfócitos T presentes no microambiente dos gliomas. Esse aumento da expressão foi acompanhado da diminuição em linfócitos T efetores e T regulatórios. Também, demonstramos que linfócitos B que possuem alta expressão da enzima CD39, tem capacidade supressiva sobre linfócitos efetores. Em conjunto, os resultados apresentados nessa Tese apresentaram possíveis novas alternativas de tratamento e contribuíram para melhor compreender esse maligno câncer cerebral. / Glioblastoma multiforme (GBM) is the most common and most malignant brain tumor. The awful prognosis is in part due to the low bioavailability of chemotherapy agents in the tumoral tissue, recurrence originated from treatment-resistant progenitor cells and an impaired immune system. Indeed, regulatory lymphocytes modulate the immune system toward a pro-tumoral response, turning the treatment even more difficult. In this sense, lipid-core nanocapsules (LNCs) have been widely studied to raise the drug specificity to the tumor. Methotrexate (MTX) and trans-resveratrol (RSV) have antitumoral activity, but need relatively high doses to the anti-glioblastoma outcome in vivo. MTX has immunosuppressive capability mediated by the increase of adenosine in the extracellular milieu. Adenosine in turn may modulate both effector and regulatory immune cells in the tumoral microenvironment. Thereby, the hypothesis presented is that RSV and MTX may have an antitumor improvement when loaded into LNCs in GBM models. Moreover, we sought to evaluate whether MTX could interfere with purinergic enzymes. Lastly, we evaluated how adenosine could modulate B- and T-lymphocytes through CD39 and ecto-5’NT enzymes. RSV- and MTX-loaded lipid-core nanocapsules (RSV-LNCs or MTX-LNCs) increased their antitumoral outcome in relation to the solution compounds, inducing both cell cycle arrest and apoptosis in GBM cells. MTX decreased the expression of the antiapoptotic protein BCL-2 and increased the active caspase-3, triggering glioblastoma cells to apoptosis. Furthermore, MTX increased the expression of ecto-5’-NT/CD73 in glioma cells and T lymphocytes of the glioma microenvironment. This up-regulation was followed by decreasing in T effector and T regulatory lymphocytes. Also, we further demonstrated that B lymphocytes with high expression of CD39 enzyme can suppress T efector lymphocytes. Also, we further demonstrated that B lymphocytes with high expression of CD39 enzyme can suppress T efector lymphocytes. Taken together, the results presented herein indicate newfound treatment approaches and new knowledge regarding to this deadliest brain tumor.
27

Associação de fármacos antiproliferativos para o tratamento da aterosclerose em coelhos: uso de nanoemulsão lipídica como veículo para etoposídeo e metotrexato / Combined chemotherapy of antiproliferative drugs for atherosclerosis treatment in the rabbit: lipidic nanoemulsion as a vehicle for etoposide and methotrexate

Antonio Carlos de Arruda Leite Júnior 07 October 2010 (has links)
Fármacos antiproliferativos vêm sendo utilizados em procedimentos de angioplastia, onde são administrados localmente por meio de \"stents\" farmacológicos. Embora seja possível que um tratamento sistêmico apresente maior eficiência, os efeitos colaterais dos fármacos antiproliferativos disponíveis constituem uma grande limitação. Estudos recentes em nosso laboratório demonstraram que uma nanoemulsão lipídica rica em colesterol concentra-se em regiões onde a proliferação celular é maior, possivelmente devido a uma maior demanda por colesterol para a síntese de membranas celulares. Assim, consideramos a possibilidade de utilização desta nanoemulsão como veículo de fármacos antiproliferativos para o tratamento da aterosclerose. No presente trabalho, dezesseis coelhos brancos, machos, da raça New Zealand, pesando aproximadamente 3 kg, foram submetidos a uma dieta contendo 1% de colesterol durante quatro semanas e divididos em dois grupos: um grupo recebendo uma injeção endovenosa contendo apenas solução salina e outro grupo tratado com uma associação de etoposídeo e metotrexato, veiculados na nanoemulsão lipídica. A análise da morfometria macroscópica mostra que o tratamento reduz as áreas de lesão aterosclerótica em aproximadamente 84% (razão da área de lesão sobre área total 0,57±0,2 nos animais controle versus 0,089±0,05 nos animais tratados, p<0,05). Houve redução de aproximadamente 3 vezes na razão da íntima-média dos animais tratados em relação aos animais controle. Adicionalmente, observamos que o tratamento reduz a migração de macrófagos na camada íntima do arco aórtico destes animais. Houve amplificação do efeito terapêutico em função da associação destes fármacos e redução na toxicidade. Portanto, a associação destes fármacos antiproliferativos veiculados em um sistema nanoparticulado pode ser promissora para o tratamento da aterosclerose. Estudos em humanos deverão confirmar o potencial desta proposta na terapêutica cardiovascular. / Drug eluting stents have been used in angioplastic procedures to deliver antiproliferative drugs directly to arterial tissue. Presumably, a systemic treatment could be more effective than local administration, but the side-effects of available antiproliferative drugs limit this approach. In recent studies, we have shown that a cholesterol-rich nanoemulsion concentrates in sites of high cell proliferation, possibly due to a high demand of cholesterol to membrane cell synthesis. Thus, we sought to test the emerging hypothesis that our nanoemulsion could be used as a vehicle to antiproliferative drugs for systemic treatment of atherosclerosis. In the present study, sixteen New Zealand White rabbits weighing from 3.2 to 3.8 kg were submitted to a diet containing 1% cholesterol during 4 weeks and then they were split in two groups: a group treated with an intravenous injection of saline solution and a group treated with an association of etoposide and methotrexate delivered in our lipid nanoemulsion. We have shown by macroscopic morphometry that the treatment reduced the lesion areas by roughly 84% (lesion area/total area ratio 0,57±0,2 in control animals, versus 0,089±0,05 in treated animals, p<0,05). The intima-media ratio was reduced by three fold in treated animals. Furthermore, we have observed a reduction in macrophage migration to the arterial intima. The association of etoposide and methotrexate resulted in a synergistic effect without increasing the toxicity. In conclusion, the association of antiproliferative drugs delivered in a nanoemulsion is a promising approach for atherosclerosis treatment. Further studies in humans are needed to confirm the potential of this treatment in cardiovascular therapeutics.
28

Desenvolvimento de novas estratégias terapêuticas para glioblastoma através da nanotecnologia e da modulação do sistema imune e sistema purinérgico

Figueiró, Fabrício January 2015 (has links)
Glioblastoma multiforme (GBM) é o mais comum e mais maligno tumor cerebral. O péssimo prognóstico é parcialmente devido à baixa biodisponibilidade dos quimioterápicos no tecido tumoral, recorrência originada por células precursoras resistentes ao tratamento e um sistema imune comprometido. De fato, linfócitos regulatórios modulam o sistema imune para uma resposta pró-tumoral, tornando ainda mais difícil o tratamento. Nesse contexto, nanocápsulas lipídicas (LNCs) têm sido amplamente estudadas a fim de aumentar especificidade dos fármacos ao tecido tumoral. Metotrexato (MTX) e trans-resveratrol (RSV) possuem ação antitumoral já descrita, mas necessitam doses relativamente altas para ação anti-glioblastoma in vivo. O MTX também possui ação imunossupressora através do aumento de adenosina no meio extracelular. A Adenosina, por sua vez, pode modular tanto células efetoras quanto células regulatórias no microambiente tumoral. Dessa forma, a hipótese apresentada nessa tese é que o RSV e o MTX possam ser mais eficazes quando carreados por nanocápsulas em modelos de GBM. Além disso, buscamos avaliar se o MTX poderia interferir com enzimas do sistema purinérgico. Por fim, pesquisamos como a adenosina poderia modular linfócitos B e T através das enzimas CD39 e ecto-5’-NT/CD73. O RSV em nanocápsulas e o MTX em nanocápsulas (RSV-LNCs e MTX-LNCs) aumentaram a atividade anti-tumoral em relação aos compostos em solução, induzindo parada no ciclo celular e apoptose em células de GBM. O MTX diminuiu a expressão da proteína antiapoptótica BCL-2 e aumentou a caspase-3 ativa, levando as células de GBM à apoptose. Além disso, o MTX aumentou a expressão da enzima ecto-5’-NT/CD73 tanto em células de glioma quanto em linfócitos T presentes no microambiente dos gliomas. Esse aumento da expressão foi acompanhado da diminuição em linfócitos T efetores e T regulatórios. Também, demonstramos que linfócitos B que possuem alta expressão da enzima CD39, tem capacidade supressiva sobre linfócitos efetores. Em conjunto, os resultados apresentados nessa Tese apresentaram possíveis novas alternativas de tratamento e contribuíram para melhor compreender esse maligno câncer cerebral. / Glioblastoma multiforme (GBM) is the most common and most malignant brain tumor. The awful prognosis is in part due to the low bioavailability of chemotherapy agents in the tumoral tissue, recurrence originated from treatment-resistant progenitor cells and an impaired immune system. Indeed, regulatory lymphocytes modulate the immune system toward a pro-tumoral response, turning the treatment even more difficult. In this sense, lipid-core nanocapsules (LNCs) have been widely studied to raise the drug specificity to the tumor. Methotrexate (MTX) and trans-resveratrol (RSV) have antitumoral activity, but need relatively high doses to the anti-glioblastoma outcome in vivo. MTX has immunosuppressive capability mediated by the increase of adenosine in the extracellular milieu. Adenosine in turn may modulate both effector and regulatory immune cells in the tumoral microenvironment. Thereby, the hypothesis presented is that RSV and MTX may have an antitumor improvement when loaded into LNCs in GBM models. Moreover, we sought to evaluate whether MTX could interfere with purinergic enzymes. Lastly, we evaluated how adenosine could modulate B- and T-lymphocytes through CD39 and ecto-5’NT enzymes. RSV- and MTX-loaded lipid-core nanocapsules (RSV-LNCs or MTX-LNCs) increased their antitumoral outcome in relation to the solution compounds, inducing both cell cycle arrest and apoptosis in GBM cells. MTX decreased the expression of the antiapoptotic protein BCL-2 and increased the active caspase-3, triggering glioblastoma cells to apoptosis. Furthermore, MTX increased the expression of ecto-5’-NT/CD73 in glioma cells and T lymphocytes of the glioma microenvironment. This up-regulation was followed by decreasing in T effector and T regulatory lymphocytes. Also, we further demonstrated that B lymphocytes with high expression of CD39 enzyme can suppress T efector lymphocytes. Also, we further demonstrated that B lymphocytes with high expression of CD39 enzyme can suppress T efector lymphocytes. Taken together, the results presented herein indicate newfound treatment approaches and new knowledge regarding to this deadliest brain tumor.
29

Neurotoxicidade do metotrexato : utilização da proteína S100B como um marcador e estudo do envolvimento do sistema glutamatérgico

Leke, Renata January 2005 (has links)
O metotrexato (MTX) é um antagonista do ácido fólico amplamente utilizado no tratamento de doenças neoplásicas e não neoplásicas. Entretanto, o uso terapêutico desse fármaco pode levar à neurotoxicidade que pode se manifestar na forma aguda, subaguda e crônica, abrangendo os seguintes sintomas: cefaléia, sonolência, confusão, edema cerebral, convulsões, encefalopatia, coma e prejuízo das funções cognitivas. Os achados neuropatológicos consistem de astrogliose reativa, desmielinização, dano axonal e necrose da substância branca. Em nível celular, o MTX parece afetar primeira e seletivamente os astrócitos, quando comparados com os neurônios.O exato mecanismo neurotóxico do MTX continua não esclarecido, e parece ser multifatorial. Visando ampliar os conhecimentos a respeito dos efeitos do MTX no SNC, foram desenvolvidos dois trabalhos com diferentes modelos em animais, nos quais foram estudados os possíveis mecanismos de ação tóxica desse fármaco, como também propomos a utilização do marcador bioquímico S100B na detecção de injúrias cerebrais associadas ao tratamento. A partir dos resultados obtidos nos experimentos de captação de glutamato in vitro, verificamos que o MTX interfere na remoção do glutamato da fenda sináptica, podendo levar à excitotoxicidade. Também, o aumento da proteína S100B auxilia no entendimento dos mecanismos de ação do MTX, pois sugere que os astrócitos estão respondendo a um insulto na tentativa de neuroproteção Além disso, a S100B, aliada a outros marcadores neuroquímicos e técnicas de diagnóstico por imagem, seria muito importante no monitoramento terapêutico, pois poderia detectar alterações celulares sutis e ajudaria a prevenir a neurotoxicidade pelo MTX. Os resultados que obtivemos nos experimentos de convulsões induzidas pelo MTX demonstraram a participação do sistema glutamatérgico na neurotoxicidade desse fármaco. Especificamente, evidenciamos o envolvimento dos receptores inotrópicos glutamatérgicos na patogênese das convulsões. Porém, neste modelo experimental, a captação de glutamato possivelmente diminuiu em decorrência das manifestações das convulsões e não por uma ação direta, ou indireta, do MTX. O entendimento dos mecanismos de ação é muito importante para a clínica médica, pois permite que novas ferramentas sejam criadas no intuito de prevenir os danos tóxicos induzidos por fármacos. Assim, mais estudos devem ser realizados para tentar desvendar os mecanismos de neurotoxicidade do MTX, como também para estudar potenciais marcadores bioquímicos de injúria cerebral que auxiliem no monitoramento terapêutico.
30

Efeito do metotrexato em altas doses na progressão de lesões periapicais inflamatórias em ratos: análise histológica e imaginológica

LEÃO, Silvana Freitas De Souza 27 August 2015 (has links)
Submitted by Irene Nascimento (irene.kessia@ufpe.br) on 2017-03-14T18:38:50Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) TESE DRA SilvLeão BibCCS.pdf: 1116113 bytes, checksum: 09fe5f507d442590886b6093583d8889 (MD5) / Made available in DSpace on 2017-03-14T18:38:50Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) TESE DRA SilvLeão BibCCS.pdf: 1116113 bytes, checksum: 09fe5f507d442590886b6093583d8889 (MD5) Previous issue date: 2015-08-27 / Facepe / Introdução: O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito do metotrexato em altas doses na evolução de lesões periapicais induzidas em molares de ratos e na região do periápice. Métodos: 35 ratos Wistar machos foram utilizados. As polpas dos primeiros molares inferiores foram expostas utilizando broca esférica ½ acoplada a motor de alta rotação. Após 30 dias, 7 grupos foram formados contendo 5 animais em cada um: G1- sem indução de lesão periapical e com administração intraperitoneal semanal (AIS) de solução salina (NaCl 0,9%) durante 2 semanas e sacrifício 2 dias após última AIS; os grupos G2, G3 e G4 sofreram indução de LP e AIS de solução salina por 2 semanas sendo sacrificados após 2, 4 e 7 dias, respectivamente. Os grupos G5, G6 e G7 sofreram indução de lesão periapical e AIS de MTX (12mg/kg/sem) por 2 semanas, sendo sacrificados após 2, 4 e 7 dias respectivamente. Para mensurar o tamanho das LP, foram realizadas tomografia computadorizada de feixe cônico (TCFC). Também foi realizada análise histológica para verificar intensidade do infiltrado inflamatório e presença de reabsorção óssea. As análises estatísticas utilizadas foram o teste ANOVA e o Kruskal-Wallis. Resultados: O tamanho das lesões periapicais nos grupos controle e do metotrexato não mostrou diferença estatisticamente significativa. As lesões periapicais apresentaram reação inflamatória crônica variando de leve a moderada, sem diferença significativa entre os grupos (p=0,2). Conclusão: Na presença das LP persistentes associadas ao canal radicular, o tratamento com MTX em altas doses não influenciou na progressão das lesões periapicais crônicas. / Introduction: The aim of this study was to determine the effect of high dose methotrexate in PL induced in rat molars and periapical region. Methods: It was used 35 male Wistar rats. To induce periapical lesions, the pulps of first mandibular molars were exposed using a ½ round bur on a high-speed handpiece. After 30 days, 7 groups were formed with 5 animals in each one. G1: no induction of periapical lesions and with weekly intraperitoneal administration (WIPA) of saline solution (NaCl 0,9%) and sacrifice after 2 days. The groups G2, G3 e G4 suffered periapical induction and WIPA of saline solution for 2 weeks being sacrified 2, 4 and 7 days respectively. The groups G5, G6 e G7 suffered periapical induction and WIPA of MTX (12mg/kg/week) for 2 weeks, being sacrified 2, 4 and 7 days respectively. For measure the size of the PL, CBCT were performed. A histomorphological analysis was also performed to determine the intensity of the inflammatory infiltrate and the presence of bone resorption. Statistical analyzes used were ANOVA and Kruskall-Wallis test. Results: The size of periapical lesions in control and methotrexate groups showed no statistically significant difference(p=0,2).PL were composed by chronic inflammatory reaction ranging from mild to moderate. Conclusions: According to the data obtained, in the presence of persistent PL associated with the root canal, treatment with high doses of MTX did not influence the progression of these lesions.

Page generated in 0.0285 seconds