• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 193
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 2
  • 2
  • 1
  • Tagged with
  • 200
  • 200
  • 49
  • 34
  • 27
  • 27
  • 23
  • 21
  • 21
  • 18
  • 18
  • 17
  • 16
  • 16
  • 16
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Avaliação da composição corporal dos recém-nascidos a termo, adequados, pequenos e grandes para idade gestacional

Barbosa, Claudia Neves January 2012 (has links)
Made available in DSpace on 2014-07-22T13:14:45Z (GMT). No. of bitstreams: 2 Claudia Neves Barbosa.pdf: 2320178 bytes, checksum: ae210da57dfbd14a390a911a1f0ff298 (MD5) license.txt: 1914 bytes, checksum: 7d48279ffeed55da8dfe2f8e81f3b81f (MD5) Previous issue date: 2012 / Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Fernandes Figueira. Departamento de Ensino. Programa de Pós-Graduação em Saúde da Criança e da Mulher. Rio de Janeiro, RJ, Brasil. / Introdução: A preocupação recente com os altos índices de sobrepeso e obesidade na infância tem motivado vários estudos sobre o processo de crescimento em períodos precoces da vida. Considerando a estreita ligação entre a nutrição precoce, o crescimento e a saúde subsequente, estudos dirigidos ao crescimento e a composição corporal no início da vida, são considerados cada vez mais relevantes para o entendimento desta relação. Monitorar a qualidade do ganho de peso através das medidas de composição corporal não invasivas pode ser uma importante ferramenta para um melhor entendimento do crescimento extra-uterino e da adequação nutricional para o pré-termo. Objetivo: Estudar o processo de crescimento, incluindo a composição corporal, usando várias técnicas: antropometria, bioimpedância e plestimografia por deslocamento de ar em recém-nascidos à termo. Metodologia: Foram admitidos no estudo 58 recém-nascidos à termo. Dos 58 recém-nascidos, 37 eram AIG (Adequado para a Idade Gestacional), 11 eram PIG (Pequeno para a Idade Gestacional), e 10 eram GIG (Grande para a Idade Gestacional). As medidas dos testes de avaliação da composição corporal foram realizadas nas primeiras 48 horas de vida. Foram realizadas medidas antropométricas (peso, comprimento, perímetro cefálico, tamanho do pé, prega cutânea tricipital, circunferência do meio do braço e circunferência muscular do meio do braço), avaliação da água corporal total através das medidas de bioimpedância elétrica, avaliação da gordura corporal e da massa livre de gordura através da técnica de plestimografia por deslocamento de água. Resultados: Os diversos métodos empregados foram capazes de detectar as diferenças entre os PIG, AIG e GIG. Foram observadas diferenças nos três grupos de RN, tanto nas medidas antropométricas quanto nas relações antropométricas representadas pelo IMC (Índice de Massa Corporal) e o IP (Índice Ponderal). Em relação à água corporal total e à taxa de água corporal, houve uma diferença significativa. Encontramos um aumento da água corporal total nos PIG quando comparados aos AIG de mesma idade gestacional. No estudo com o plestimógrafo observamos diferenças estatísticas nos três grupos, ficando mais evidente quando observamos o percentual de gordura corporal com média de 15,2 no GIG e 3,7 no PIG. Ao estudar as diferentes técnicas para avaliação da composição corporal, consideramos as medidas obtidas pelo plestimógrafo por deslocamento de ar como padrão ouro. Correlacionamos, então, as medidas antropométricas específicas como a prega cutânea triciptal, a circunferência muscular do meio do braço, o índice ponderal e o índice de massa corporal com as medidas de porcentagem de gordura e massa livre de gordura. Encontramos uma forte correlação entre estas medidas nos 3 grupos estudados. Em relação ao gênero, não encontramos diferenças na adiposidade entre o sexo masculino e feminino na população de AIG estudada. Conclusão: Nos nossos resultados, as medidas antropométricas, de bioimpedância e as obtidas pela plestimografia foram capazes de diferenciar os grupos de recém-nascidos à temo AIG, PIG e GIG, e portanto sugerem que devem ser úteis para predição da composição corporal dos pré-termos. A alta correlação entre as medidas antropométricas atualmente mais usadas para estimar composição corporal e as medidas obtidas pelo plestimógrafo provavelmente possibilitarão a validação das medidas antropométricas para estimativas da composição corporal. / Introduction Recent concern with the high rates of overweight and obese children have motivated research about the growth process in early childhood. Considering the close connection between early nutrition, growth and future health, research regarding growth and body composition in early life are considered to be increasingly relevant for the understanding of how they relate. Monitoring the quality of weight gain through noninvasive body composition measures can be an important tool to better understand extra-uterine growth and appropriate nutrition for the preterm baby. Aim Study the growth process, including body composition, using many techniques: anthropometry, bioelectrical impedance, and Air displacement plethysmography in term newborns. Method Fifty-eighty newborns were included in the research. Out of the fifty-eight newborns, thirty-seven were appropriate for gestational age(AGA) , eleven were small for gestational age(SGA) , and ten were large for gestational age(LGA). The body composition measures were done within the first forty-eight hours of life. Anthropometric measures (weight, length , head circumference, foot length, tricipital skinfold, mid arm circumference, and mid arm muscle circumference), assessment of total body water through bioelectrical impedance, assessment of fat free body mass using Air displacement plethysmography. Results The diverse techniques used were capable of detecting the differences between the SGA, AGA, and LGA. Differences in the anthropometric measures and in the anthropometric relations represented by the Body Mass Index (BMI) and the Ponderal Index (PI) were observed in the three groups. There was a significant difference in the total body water and the body water index. An increase in the total body water in the SGA was found when compared to the AGA with the same gestational age. Statistical differences between the three groups were observed using Air displacement plethysmography which were specially evident when the percentage of body fat was analyzed with an average of 15.2 in the LGA and 3.7 in the SGA. When studying the different techniques to assess body fat, we considered the the measures obtained with the Air displacement plethysmography to be gold standard. The specific anthropometric measures such as tricipital skinfold, mid arm muscle circumference, ponderal index, and the body mass index were correlated with the measures of fat percentage and fat free mass. There was a strong correlation between these measures in the three groups. Concerning gender, there was no difference in adiposity between male and female in the AGA group. Conclusion The results showed that anthropometric measures , bioelectrical impedance, and the measures obtained with Air displacement plethysmography were capable of differentiating the AGA, SGA, and LGA groups of newborns. Therefore, these results suggest that these measures should be useful to predict the body composition of preterm newborns. The strong correlation between the anthropometric measures that are now being used more frequently to estimate body composition and measures obtained with Air displacement plethysmography will probably enable the validation of anthropometric measures to estimate body composition.
2

Perfil epidemiológico, clínico e metabólico de mães e recém-nascidos em maternidade pública de Salvador

Amorim, Lídia Pereira de January 2013 (has links)
Submitted by Edileide Reis (leyde-landy@hotmail.com) on 2015-04-14T01:28:13Z No. of bitstreams: 1 Lídia Pereira de Amorim.pdf: 268352 bytes, checksum: c8d0a2f0e04225a79d61fd18573857f0 (MD5) / Made available in DSpace on 2015-04-14T01:28:13Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Lídia Pereira de Amorim.pdf: 268352 bytes, checksum: c8d0a2f0e04225a79d61fd18573857f0 (MD5) Previous issue date: 2013 / O estudo do perfil epidemiológico, clínico e metabólico de mães e recém-nascidos pode melhorar a abordagem preventiva e reduzir risco de aterosclerose para o complexo materno-fetal. Objetivos: Descrever o perfil epidemiológico, clínico e metabólico de mães e recém-nascidos e correlacionar o perfil clínico e metabólico. Desenho do estudo: transversal, descritivo e analítico. Metodologia: 105 gestantes e neonatos estudados entre maio e agosto de 2008. Coletados dados maternos históricos, físicos e laboratoriais (pré-gestacionais, gestacionais e puerperais), além de dados neonatais físicos e laboratoriais. Resultados: idade de 25,7 ± 6,5 anos, 93,3% de não brancas, escolaridade de 4 a 7 anos (50,0%) e 54,2% com atividade remunerada. Eventos adversos: hipertensão arterial (16,2%), pré-eclâmpsia (1,9%), e diabetes gestacional (1,9%); variações: peso, Δ= +4,5Kg, IMC, Δ= +2Kg/m2; variações puerperais: PAS, Δ= -3,7mmHg e PAD, Δ= -2,3mmHg; parto cesária; neonatos com peso elevado (16,7%), prematuros (9,5%). Valores maternos elevados do colesterol total (43,8%), triglicérides (44,8%), LDL-C (15,2%), TG/HDL-C (25,7%) e glicemia casual (7,6%); no RN glicemia elevada em 67 (64%) e o perfil lipídico, em mediana e IIQ, mostrou colesterol total, 59mg/dL (48-77mg/dL); LDL-C, 29mg/dL (22-39mg/dL); HDL-C, 26mg/dL (21-32mg/dL); VLDL-C, 4,6mg/dL (3,4-7,1mg/dL); TG, 23mg/dL (18-36mg/dL); TG/HDL, 0,9 (0,6-1,4); LDL/HDL, 1,1 (0,6-1,4); glicemia, 73mg/dL (53-96mg/dL); Hemoglobina, 15g/dL (14-16g/dL) e Hematócrito, 46mg/dL (43-48mg/dL). Conclusões: A gestação pode representar um potencial fator de risco de aterosclerose para o complexo materno-fetal. Assim, é importante monitorar o perfil lipídico durante a gestação e controlá-lo com medidas não farmacológicas, como nutrição e atividade física adequada, além de reavaliar após a gestação.
3

Complicações relacionadas ao uso do cateter intravenoso periférico em neonatos

Mingorance, Priscila January 2013 (has links)
Resumo: Introdução: A terapia intravenosa periférica é prática amplamente realizada durante a hospitalização do neonato em Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN). Proporciona vantagens ao cuidado desempenhado a esta clientela, contudo pode acarretar complicações relacionadas ao uso e manuseio do cateter intravenoso periférico (CIP). Objetivos: avaliar a incidência de complicações relativas ao uso do CIP em neonatos e identificar fatores de risco associados. Método: Estudo de coorte realizado na UTIN de hospital de ensino de Curitiba - Paraná, no período de março de 2012 a junho de 2013. Avaliaram-se variáveis relacionadas aos neonatos e aos CIP. Resultados: Totalizou-se 145 neonatos que utilizaram 677 CIP. A incidência de complicações relacionadas ao uso do CIP nesta pesquisa foi de 63,15%, dentre as quais se observou infiltração/ extravasamento (69,89%), flebite (17,84%) e obstrução (12,27%). Evidenciou-se como fatores de risco para a complicação do CIP: prematuridade (p=0,0324), uso de cateter venoso central (p=0,0064) e submissão a intubação orotraqueal (IOT) (p=0,0078) durante o internamento, presença de infecção pré-existente (p=0,0192) e peso no dia da punção (p=0,0093), tipo de infusão 'intermitente associada à contínua' (p<0,0001), IOT concomitante ao uso de CIP (p=0,0008), infusão de plano básico (p=0,0027), nutrição parenteral total (NPT) (p=0,0002), hemotransfusão associada a outras infusões (p=0,0003) e administração de outros medicamentos (p=0,0004). Neonatos com maior: média de cateteres (p<0,0001) e tempo de internamento (p<0,001); bem como menor: mediana de parkin (p=0,0166) e média de peso ao nascer (p=0,0049) desenvolveram número maior de complicações. Infusão intermitente é a mais adequada para a manutenção do cateter (p<0,0001); administração de NPT não é indicada para CIP (p=0,0002); e o uso exclusivo do cateter para a hemotransfusão reduz o risco de complicações (p=0,0003). Conclusões: A utilização da terapia intravenosa periférica é uma prática amplamente utilizada nos cuidados a neonatos hospitalizados em UTIN. Estimou-se a incidência de ocorrência de complicações relacionada ao uso do CIP, bem como, observou-se elevado número de resultados inéditos no que se refere aos fatores de risco que se relacionam ao desenvolvimento dessas complicações. Sugere-se o desenvolvimento de pesquisas semelhantes para a contemplação dos graus de flebite, infiltração e extravasamento. Bem como, a utilização de outras tecnologias de CIP para observação e comparação de riscos e benefícios. Mesmo após a observação de elevada taxa de ocorrência de complicações, ressalta-se a necessidade da utilização da terapia intravenosa periférica, pois se trata de procedimento que auxilia na recuperação clínica do neonato. Salienta-se que as condutas adotadas quanto à vigilância do CIP devem ser modificadas principalmente nas primeiras 48 horas de vida, quando o neonato apresenta instabilidade hemodinâmica e observa-se maior desenvolvimento de complicações.
4

Implicações do cuidado canguru nos parâmetros do sono em recém-nascidos prematuros

Bonan, Kelly Cristina Santos de Carvalho 13 August 2014 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas, 2014. / Submitted by Ana Cristina Barbosa da Silva (annabds@hotmail.com) on 2014-11-18T15:12:32Z No. of bitstreams: 1 2014_KellyCristinaSantosdeCarvalhoBonan.pdf: 1054484 bytes, checksum: d8ecf7ae432f2a34c5477f9361d8f069 (MD5) / Approved for entry into archive by Patrícia Nunes da Silva(patricia@bce.unb.br) on 2014-11-18T15:26:58Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2014_KellyCristinaSantosdeCarvalhoBonan.pdf: 1054484 bytes, checksum: d8ecf7ae432f2a34c5477f9361d8f069 (MD5) / Made available in DSpace on 2014-11-18T15:26:58Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2014_KellyCristinaSantosdeCarvalhoBonan.pdf: 1054484 bytes, checksum: d8ecf7ae432f2a34c5477f9361d8f069 (MD5) / Introdução: O sono é um dos estados mais importantes do ser humano, ele varia significantemente tanto na sua estrutura como em suas funções conforme a faixa etária. No período neonatal possui uma importância relacionada com a maturação do Sistema Nervoso Central (SNC), consolidação da memória e do aprendizado, manutenção da energia, aumento da síntese proteica e secreção do hormônio do crescimento (GH). Em prematuros o sono sofre a interferência do ambiente extrauterino, como a Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais, dos cuidados recebidos pela equipe de profissionais de saúde e da imaturidade cerebral. A incidência de alterações neurocomportamentais é alta e problemática quando se avalia o efeito da prematuridade no desenvolvimento do recém-nascido. Para minimizar esses danos, iniciou-se a implementação de cuidados individualizados e com a participação dos pais, como o preconizado no Método Mãe Canguru. A qualidade do sono em prematuros colocados na posição canguru é diferenciada, de acordo com estudos já realizados nesta população. Desta observação surgiu o objeto desta pesquisa e à busca de informações sobre a relação entre o tipo de cuidado e o perfil do sono em crianças nascidas prematuras. Objetivo: Investigar os efeitos do Cuidado Mãe Canguru em prematuros sobre os parâmetros do sono. Delineamento de pesquisa: Para alcançar tal objetivo, realizou-se um estudo quase experimental, no qual participaram 19 crianças prematuras (grupo experimental) e 15 crianças a termo (grupo controle). Métodos: Estudo exploratório transversal, prospectivo, do tipo quase experimental, envolvendo 34 crianças, sendo 15 recém-nascidos a termo com 48h de nascidas para criação de um padrão polissonográfico de recém-nascidos e 19 prematuros. O padrão de sono dos participantes foi avaliado durante 3h no período das 19 às 22 horas. O grupo controle dos recém-nascidos a termo foi considerado o padrão de sono e o grupo experimental teve o sono avaliado antes e após uma semana de aplicação do Cuidado Mãe Canguru para avaliação sobre o sono. Resultados: As características dos parâmetros do sono mostraram diferenças significativas entre recém-nascidos prematuros e crianças nascidas a termo para parâmetros do sono e cardiorrespiratórios. Os grupos diferiram significativamente para o número total de procedimentos dolorosos [t(27)= -5,120, p=0,000] com maior impacto para o grupo de prematuros. Quando comparados os resultados das duas polissonografias do grupo de prematuros, a segunda realizada após uma semana dos Cuidados Mãe Canguru constatou-se que houve diminuição na porcentagem de sono indeterminado, no tempo total de sono calmo e no tempo total de despertares e aumento significativo na eficiência do sono. Conclusão: Houve uma correlação positiva entre o Método Mãe Canguru e a melhora do padrão de sono dos prematuros antes e após a aplicação do método. __________________________________________________________________________ ABSTRACT / Context: Sleep is one of the most important human being, he varies significantly both in its structure and in its functions according to age. In the neonatal period has significance related to the maturation of the central nervous system (CNS), memory consolidation and learning, energy maintenance, increased protein synthesis and secretion of growth hormone (GH). In premature sleep suffers interference extra uterine environment such as Neonatal Intensive Care Unit, the care received by the team of health professionals and brain immaturity. The incidence of neurobehavioral changes is high and problematic when evaluating the effect of prematurity on the development of the newborn. To minimize this damage, began the implementation of individualized care and parental involvement, such as that recommended in Kangaroo Mother Care. The quality of sleep in preterm infants placed in the kangaroo position is differentiated according to previous studies in this population. This observation the object of this research and the search for information about the relationship between the type of care and the profile of sleep in preterm infants appeared. Objective: Our objective was to investigate the effects of kangaroo mother care in preterm infants on sleep parameters. Design and Setting: We conducted a quasi-experimental study, on which participated 15 preterm infants (experimental group) and 30 newborn full-term (control group). Methods: Cross-sectional, prospective exploratory study, quasi-experimental type, involving 34 children, 15 were full-term newborns born to 48h in creating a polysomnographic pattern of newborn and premature infants 19. The sleep patterns of participants were assessed for 3 hours in the period from 19 to 22 hours. The control group of newborns at term was considered the sleep pattern and the experimental group had sleep evaluated before and after one week of application of kangaroo mother care for evaluation of Kangaroo Care on sleep. Results: The characteristics of sleep parameters showed significant differences between preterm infants and term infants to sleep and cardiorespiratory parameters. The groups differed significantly to the total number of painful procedures [t (27) = -5.120, p = 0.000] with greater impact on the group of preterm infants. When the results of the two polysomnography the group of preterm infants, the second polysomnography performed after a week of Kangaroo Mother Care was found that there was a decrease in the percentage of indeterminate sleep, total sleep time and total quiet time awakenings and increased mean in sleep efficiency. Conclusion: There was a positive correlation between the Kangaroo Mother Care and improves sleep patterns of premature infants before and after the application of the method.
5

Condutância da pele como indicador de dor aguda no recém-nascido : estudo comparativo com frequência cardíaca, saturação de oxigênio e escalas comportamentais de dor

Jesus, José Alfredo Lacerda de 22 August 2011 (has links)
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas, 2011. / Submitted by Albânia Cézar de Melo (albania@bce.unb.br) on 2011-11-16T12:52:04Z No. of bitstreams: 1 2011_JoseAlfredoLacerdaJesus.pdf: 3702094 bytes, checksum: 0475aa1c3d4ec9e31180081d5653607c (MD5) / Approved for entry into archive by Elzi Bittencourt(elzi@bce.unb.br) on 2011-11-29T14:15:30Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2011_JoseAlfredoLacerdaJesus.pdf: 3702094 bytes, checksum: 0475aa1c3d4ec9e31180081d5653607c (MD5) / Made available in DSpace on 2011-11-29T14:15:30Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2011_JoseAlfredoLacerdaJesus.pdf: 3702094 bytes, checksum: 0475aa1c3d4ec9e31180081d5653607c (MD5) / Objetivos: Comparar os escores da atividade de condutância da pele (ACP), da frequência cardíaca (FC) máxima, da saturação de oxigênio (SATO2) mínima, e das escalas comportamentais de dor Neonatal Facial Coding System (NFCS), Neonatal Infant Pain Scale (NIPS) e COMFORT modificada frente a um estímulo doloroso agudo, e se eles preenchem os parâmetros psicofísicos de um marcador de dor (intensidade, reatividade, direção, regulação e inclinação). Método: Estudo longitudinal prospectivo com 41 recém-nascidos de termo saudáveis. As medidas estudadas foram: FC máxima e SATO2 mínima; variáveis da ACP: número de ondas por segundo (NOps) e área sob a curva das ondas (ASC); escores das escalas comportamentais de dor acima citadas. Os escores foram obtidos em períodos rotulados como antes, durante e após uma punção do calcanhar. Resultados: A intensidade entre os períodos foi significante para o NOps (p<0,01), ASC (p<0,05), FC máxima (p<0,01), SATO2 mínima (p<0,01), NFCS (p<0,01), NIPS (p<0,01) e COMFORT modificada (p<0,01). A reatividade e a direção foram significantes para todas as variáveis (todas p<0,01), exceto para ASC (p>0,05). O parâmetro regulação foi significante para as variáveis NOps (p<0,01), ASC (p<0.05), FC máxima (p<0,01), SATO2 mínima (p<0,01) e para todas as escalas comportamentais de dor (p<0,01). A inclinação foi significativamente estatística para a SATO2 mínima e as escalas comportamentais de dor NIPS e COMFORT modificada (p<0,05). Não foi encontrada correlação entre os níveis de ACP e os escores das demais variáveis estudadas. Conclusões: As respostas da ACP, da FC máxima, da SATO2 mínima e das escalas comportamentais de dor NFCS, NIPS e COMFORT modificada são similares em eventos dolorosos em recém-nascidos. Todas as variáveis estudadas preenchem os parâmetros psicofísicos de um marcador de dor e servem como medidas válidas para o seu diagnóstico, devendo ser usadas de acordo com as necessidades do contexto. ______________________________________________________________________________ ABSTRACT / Objectives: To compare the scores of the skin conductance activity (SCA), maximum heart rate (HR), minimum oxygen saturation (OS), and Neonatal Facial Coding System (NFCS), Neonatal Infant Pain Scale (NIPS) and modified COMFORT behavioral pain scales front to painful stimulus, and if they fit the psychophysical parameters to a pain marker (intensity, reactivity, direction, regulation and slope). Method: Observational prospective study including 41 healthy full term newborns. The measurements studied were: the maximum HR and the minimum OS; the SCA variables: number of waves per second (NWps) and relative area under the curve of waves (AUC); the scores of behavioral pain scales cited above. The measurements were performed in periods labeled before, during, and after a heel prick. Results: The values measured for intensity between periods was significant for the NWps (p<0.01), AUC (p<0.05), maximum HR (p<0.01), minimum OS (p<0.01), NFCS (p<0.01), NIPS (p<0.01) and modified COMFORT (p<0.01). Also, the reactivity and direction were significant for all variables (all p<0.01), except to AUC (p>0.05). The regulation parameter was significant for the variables NWps (p<0.01), AUC (p<0.05), maximum HR (p<0.01), minimum OS (p<0.01), and to all behavioral pain scales (p<0.01). The slope was statistically significant for the minimum OS, and to NIPS and modified COMFORT scales (p<0.05). There was not significantly correlation among the SCA scores and the scores of all others variables. Conclusions: It was concluded that the responses of the SCA, maximum HR, minimum OS, and NFCS, NIPS and modified COMFORT behavioral pain scales are similarly in painful events, that they fit the psychophysical parameters of a pain marker and serve as valuable measures for pain diagnostic working the use in accordance with the needs of the context.
6

Fatores de risco para asfixia neonatal

Rosa, Izilda Rodrigues Machado, 1953- 22 July 2018 (has links)
Orientador: Sergio Tadeu Martins Marba / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas / Made available in DSpace on 2018-07-22T11:29:05Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Rosa_IzildaRodriguesMachado_M.pdf: 1788927 bytes, checksum: 682e24fd5c82cd50689ff2baab9d0d59 (MD5) Previous issue date: 1997 / Resumo: O objetivo deste estudo foi avaliar alguns fatores de risco para asfixia neonatal em recém-nascidos vivos com peso acima de 1000 gramas na Maternidade do Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher (CAISM), da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), no período de janeiro de 1991 a dezembro de 1994. Foi realizado um estudo caso-controle emparelhado pelo peso, comparando-se 135 recém-nascidos com asfixia neonatal e 135 sem a doença. A asfixia foi diagnosticada pela presença de pelo menos três dos seguintes critérios: Apgar de quinto minuto menor que seis, necessidade de ventilação com pressão positiva com tubo endotraqueal por mais que um minuto ao nascimento, encefalopatia hipóxico-isquêmica e acometimento orgânico sistêmico no peíodo neonatal. Para avaliar a associação entre os fatores de risco maternos, obstétricos, perinatais e neonatais com a asfixia neonatal, foram realizadas análise bivariada e análise múltipla. Na análise bivariada, as variáveis estatisticamente significativas para asfixia foram: placenta prévia, parto cesárea, apresentação pélvica, sofrimento fetal, rotura prolongada de membranas, líquido amniótico meconial, purulento ou hemorrágico, oligoâmnio ou poliidrâmnio, uso de anestesia e anestesia geral, sexo masculino e idade gestacional menor que 37 semanas. Após a análise múltipla, o líquido amniótico não claro, a anestesia, oligoâmnio ou poliidrâmnio e número de consultas de pré-natal maior que seis, foram as únicas variáveis significativamente associadas à asfixia neonatal. Conclui-se que a asfixia neonatal tem risco multifatorial e que combinar esforços para prover cuidado pré-natal adequado, ótima assistência ao parto e nascimento e cuidado intensivo neonatal, poderia reduzir significativamente a morbidade e mortalidade neonatal nestas crianças / Abstract: The aim of this study was to evaluate some of the risk factors associated with neonatal asphyxia in neonates weighing more than 1000g bom in the Maternity Unit of the Center for Integral Assistance to Women's Health at the State University of Campinas, during the period from January 1991 to December 1994. The study had a matctied case-control design in which 135 neonates with birth asphyxia were compared with 135 healthy contrais without the disease and matched by weight. Neonatal asphyxia was diagnosed by the presence of at least thr.ee of the following criteria: an Apgar score of less than six at five Minutes, a need for positive pressure ventil~tion via an endotracheal tube for more than one minute after delivery, hypoxic-ischemic encephalopathy, and systemic abnormalities during the neonatal period. To evaluate the relationship between neonatal asphyxia and maternal, obstetric, perinatal and neonatal risk factors, bivariate and multiple analysis for a matched case-control study were employed. In the bivariate analysis, abruptio placentae, a cesarean section, breech presentation, abnormal fetal heart rates, the prolonged rupture of membranes, a meconial, hemorrhagic or infected amniotic fluid, the presence of oligohydramnios or polyhydramnios, use of anesthesia and general anesthesia, male sex and a gestational age of less than 37 weeks, were factors significantly associated with neonatal asphyxia. In contrast, multiple analysis indicated that abnormal amniotic fluid, oligohydramnios or polyhydramnios, and more than six prenatal visits were the only variables significantly associated with neonatal asphyxia. It is concluded that severa I risk factors are associated with neonatal asphyxia and that concerted efforts to provide adequate prenatal care, optimal assistance during delivery and birth and appropriate neonatal intensive care should significantly reduce neonatal morbidity and mortality / Mestrado / Medicina Interna / Mestre em Ciências Médicas
7

Estudo do quadro respiratorio do recem-nato frente a transfusão de diferentes quantidades e velocidades do sangue de reserva

Souza, Gustavo Antonio de, 1941- 15 July 2018 (has links)
Orientador : Jose Aristodemo Pinotti / Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas / Made available in DSpace on 2018-07-15T16:04:10Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Souza_GustavoAntoniode_D.pdf: 1803224 bytes, checksum: d4ee9d22d0495ed81639b54c857d51a3 (MD5) Previous issue date: 1976 / Resumo: Não informado / Abstract: Not informed / Doutorado / Doutor em Ciências Médicas
8

Efeito do tempo de vida sobre o valor do hematocrito do recem-nascido nas primeiras 24 horas de vida

Aranha Netto, Abimael, 1958- 22 March 1995 (has links)
Orientador: Maria Aparecida Brenelli / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas / Made available in DSpace on 2018-07-20T01:38:10Z (GMT). No. of bitstreams: 1 AranhaNetto_Abimael_M.pdf: 3339537 bytes, checksum: 59e9191fa1c23e87a74bfce99455e992 (MD5) Previous issue date: 1995 / Resumo: A policitemia neonatal é causa de importante morbidade no período neonatal e apesar da elevada prevalência neste período ainda apresenta etiologia, mecanismos fisiopatológicos, critérios diagnósticos, tratamento e prognósticos imprecisos. Com a finalidade de avaliar o comportamento do hematócrito ao longo do primeiro dia de vida em recém-nascidos normais a termo e suas consequências na definição do tempo ideal de triagem e diagnóstico de policitemia neonatal, foram estudados 172 recém-nascidos no período de julho de 1992 a junho de 1993, no Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher da Universidade Estadual de Campinas. Avaliou-se o hematócrito colhido em sangue misto de cordão umbilical ao- nascimento ou hora zero e a seguir os coletados em veia antecubital com 1, 2, 6, 12 e 24 horas de vida. Posteriórmente verificou-se a associação de fatores como: sexo, cor, tipo de parto, peso de nascimento, tempo de ligadura de cordão umbilical e variação de peso nas primeiras 24 horas de vida com o valor do hematócrito nos diversos tempos estudados. Utilizouse os testes estatísticos t de Student, F de Snedecor, análise de regressão linear simples e múltipla e montados modelos de predição diagnóstica da doença a partir do hematócrito de cordão umbilical com cálculos de sensibilidade, especificidade, valor preditivo positivo e negativo. Concluiu-se que o hematócrito variou significativamente no tempo, com hemoconcentração máxima na segunda hora de vida e retorno aos valores de cordão umbilical na 248 hora, com esta variabilidade não sendo associada estatisticamente a nenhum dos fatores estudados. A prevalência de policitemia neonatal (hematócrito venoso 65%) variou de forma semelhante ao hematócrito, com maior freqüência relativa na segunda hora (9%) e redução gradativa até atingir o menor valor na 24a hora (1,7%). O hematócrito de sangue misto umbilical não pôde ser utilizado com segurança como modelo diagnóstico de policitemia, mas o ponto de corte de 54% pôde ser estabelecido como modelo de triagem precoce da doença / Abstract: The neonatal polycythemia is cause of important morbidity in neonatal period. In spite of its high prevalence, the polycythemia is still imprecise concerning etiology, physiopathological cansequences, diagnosis criteria, treatment and prognosis in order to evaluate hematocrit behavior during the first day of life in normal, term infants, and its consequences to define the ideal time for blood drawn to diagnose neonatal polycythemia, 172 newborns were studied. The research was carried out between July 1992 and Jun 1993 at the Center for Whole Attention to Woman's Health in Campinas State University. The hematocrit was evaluated at time of births (from umbilical cord blood sample) and by antecubital vein pundion at 1 hour, 2, 6, 12 and 24 hours of life. Others factors such as sex, colour, type of delivery, birthweight, time of umbilical cord clamping and weight variability in the first 24 hours of life were considered to associated them to various hematocrit measures taken. The folowing statistic test were used: t-Student test, F-Snedecor test, simple and multiple regression. Models of diagnostic prediction from umbilical cord hematocrit were created considering sensibility, specificity and predictive value, both positive and negative. The findings show a significant variation in hematocrit along the time, with maximum hemoconcentration in the second hour after birth, returning to umbilical cord values in the 24th hour. The variability was not statistically associated to any of the studied factors. The prevalence of neonatal polycythemia (venous hematocrit equal or higher than 65%) variated in a similar way to the hematocrit, having higher rei ative rate in the 2nd hour (9%) and gradative reduction until attain a lower rate in the 24th hour (1,7%). The hematocrit taken from umbilical cord mixed blood could not be used as a sure diagnostic model for polycythemia, but the cutpoint of 54% could be established as model for precocious screening of the disease / Mestrado / Mestre em Pediatria
9

Contribuição do cirurgião-dentista na atenção à saúde bucal

Figueiredo, Daniela de Rossi 25 October 2012 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Odontologia, Florianópolis, 2010 / Made available in DSpace on 2012-10-25T05:07:09Z (GMT). No. of bitstreams: 1 278126.pdf: 1037969 bytes, checksum: 90710dc5302582ee381be84497d93e37 (MD5) / Considerando que a promoção da saúde para o recém-nascido, a qual inclui a saúde bucal, deve iniciar-se no período neonatal, o objetivo do artigo foi conhecer a percepção de puérperas e profissionais sobre a contribuição do Cirurgião-Dentista na atenção à saúde bucal dos recém-nascidos. Método: pesquisa qualitativa de caráter exploratório, com sete puérperas da Unidade Neonatal, nove puérperas do Alojamento Conjunto e quinze profissionais da Equipe de Saúde de ambas as unidades do Hospital Universitário Professor Polydoro Ernani de São Thiago, UFSC, Florianópolis, SC, realizado de abril de 2008 a novembro de 2009, por meio de observação participante e entrevistas semi-estruturadas, registradas em diário de campo e gravador, respectivamente. A análise dos dados seguiu princípios do Referencial do Cuidado Holístico-Ecológico (Análise-Reflexão-Síntese). Enquanto muitos participantes consideraram importante a orientação sobre os cuidados em saúde bucal, desde o período neonatal para melhor prevenção aos agravos à saúde, alguns acreditam que a atuação do Cirurgião-Dentista só é necessária após o nascimento dos dentes. As puérperas relataram almejar a atenção a sua própria saúde bucal. As experiências passadas citadas revelam que a antiga realidade assistencial da Odontologia era das extrações e/ou mutilações dentárias. Os profissionais de saúde apontaram aspectos da relação multiprofissional e interdisciplinar na promoção da saúde integral do ser humano, assim como, a importância da integração da atenção à saúde bucal no Hospital. Conclui-se que, para que a atenção à saúde bucal torne-se adjuvante na promoção de saúde geral no Hospital, há necessidade de mudanças na formação do Cirurgião-Dentista, das práticas de trabalho no Sistema de Saúde e valorização da abordagem interdisciplinar.
10

Incidência de infecção nosocomial causada por vírus respiratórios em uma unidade de cuidados intensivos e semi-intensivos neonatal.

GADELHA, C. S. E. 30 August 2012 (has links)
Made available in DSpace on 2016-08-29T15:34:51Z (GMT). No. of bitstreams: 1 tese_5886_.pdf: 1227481 bytes, checksum: 00a7fd1f913d658a778d00619c74b93a (MD5) Previous issue date: 2012-08-30 / O neonato, especialmente aquele nascido antes do termo, é mais suscetível às infecções. Existem poucos dados publicados sobre as infecções virais nosocomiais. no período neonatal e estes apresentam resultados discordantes. Objetivos: Determinar a incidência de infecção viral nosocomial em neonatos internados em uma unidade de terapia intensiva (UTI) e semi-intensiva, em Vitória, ES e realizar vigilância clínica quanto ao aparecimento de sintomas sugestivos desta infecção viral. Métodos: Trata-se de um estudo de coorte, prospectivo, com duração de 13 meses, realizado de novembro de 2010 a dezembro de 2011. Todos os neonatos internados na UTI neonatal do Hospital Universitário Cassiano Antônio Morais (HUCAM) no período do estudo foram submetidos a acompanhamento clínico e coleta semanal de secreção de nasofaringe (SNF), até a alta da unidade. Foram pesquisados 15 diferente vírus através de Imunofluorescência indireta (RIFI) e Reaçao em cadeia de polimerase (PCR) no formato multiplex. Resultados: 114 neonatos foram incluídos, sendo deles obtidas 424 amostras de SNF. Todas as amostras foram testadas por RIFI e 51 por PCR. Vinte e seis neonatos (22,8%) apresentaram suspeita clínica de infecção viral nosocomial. Em nove pacientes foi detectado algum vírus respiratório, sendo em quatro (3,5%) Vírus sincicial respiratório (VSR), em três ( 2,6%) Rinovírus (HRV) e em dois (1,7%), Influenza A (FLU A). Dois pacientes estavam assintomáticos. A incidência de infecção viral nosocomial foi de 7,8%. Encontramos uma baixa correlação entre a suspeita clínica de infecção viral e a detecçao do vírus laboratorilamente. Conclusões: A incidência encontrada foi compatível com as características da unidade estudada e resultado de um esforço permantente para profilaxia e educação continuada. Considerando a dificuldade de diagnóstico clínico preciso no período neonatal, ressaltamos a importância do diagnóstico laboratorial dessas viroses nesse período. PALAVRAS CHAVES: Infecção Hospitalar; Vírus, Recém-nascidos

Page generated in 0.0737 seconds