• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 11
  • Tagged with
  • 11
  • 11
  • 5
  • 4
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Construção de uma escala de escores centroides para o 16 PF

Guimarães, Cecilia Bastos January 1978 (has links)
Submitted by Estagiário SPT BMHS (spt@fgv.br) on 2012-04-18T13:45:29Z No. of bitstreams: 1 000005782.pdf: 21190949 bytes, checksum: 309e8c2d52bdeb9bb2594d1b4f1b25be (MD5) / Made available in DSpace on 2012-04-18T13:45:38Z (GMT). No. of bitstreams: 1 000005782.pdf: 21190949 bytes, checksum: 309e8c2d52bdeb9bb2594d1b4f1b25be (MD5) Previous issue date: 1978 / This study has as its objective to develop a centour score sca1e for the 'Sixteen Persona1ity Pactor Questlonnaire (16 PP)' by Raymond B. Cattell and Herbert W. Eber. This questionnaire was chosen because it is an objective personality eva1uation instrument with widespread uti1ization in Vocationa1 Guidance. Considering that centour scores presupose a bipolar sca1e, we opted for the above mentioned transformation in order to devise an individual- group adaptation index. We hope that this new eva1uation sca1e will prove helpful to vocationa1 counse1ors who use the 16 PP in their work counse1ing young peop1e in their career choices. / Este trabalho consiste na construção de uma escala de escores centróides para o 'Questionário de 16 Fatores de Personalidade, (16 PF)' de Raymond B. Cattell e Herbert W. Eber. A escolha desse questionário recaiu no fato de ser um instrumento de avaliação objetiva da personalidade de grande utilização na Orientação Vocacional. Optamos pela transformação dos escores brutos em centróides, considerando que estes pressupõem uma escala bipolar que por sua natureza permite a determinação de um índice de adaptação do indivíduo ao grupo. Sendo o 16 PF, um teste que fornece dados para que os indivíduos possam ser encaminhados para grupos ocupacionais adequados aos fatores de sua personalidade, esperamos que essa nova escala de avaliação venha facilitar o trabalho daqueles que lidam com Orientação Vocacional.
2

A construção de um instrumento de medida para o fator neuroticismo/estabilidade emocional dentro do modelo de personalidade dos cinco grandes fatores

Nunes, Carlos Henrique Sancineto da Silva January 2000 (has links)
Esta pesquisa teve como objetivo construir e validar uma escala para avaliação do fator neuroticismo/estabilidade emocional. Neuroticismo é uma dimensão da personalidade humana, no modelo dos cinco grandes fatores, que se refere ao nível crônico de ajustamento e instabilidade emocional. Um alto nível de neuroticismo identifica indivíduos propensos a sofrimento psicológico que podem apresentar altos níveis de ansiedade, depressão, hostilidade, vulnerabilidade, autocrítica, impulsividade, baixa auto-estima, idéias irreais, baixa tolerância a frustração e respostas de coping não adaptativas. No primeiro estudo deste projeto foram gerados os itens da escala e avaliadas as suas qualidades psicométricas e validade de construto. Os participantes foram 792 estudantes universitários de três estados brasileiros. O segundo estudo teve como objetivo verificar a validade concorrente do instrumento. Participaram 437 estudantes universitários. Os resultados mostraram que o instrumento e as quatro subescalas identificadas através da análise fatorial apresentam qualidades psicométricas adequadas. As correlações entre o instrumento e testes para avaliar ansiedade, depressão, bem estar subjetivo, auto estima e neuroticismo (EPQ) indicaram que a escala construída está avaliando adequadamente as diferentes facetas do construto neuroticismo.
3

Introversão - extraversão e preferencias entre cores

Costa, Maria Nazare Bento da 07 1900 (has links)
Submitted by Nathanne_estagiaria Silva (nathanne.silva@fgv.br) on 2012-01-10T16:33:03Z No. of bitstreams: 1 000016725.pdf: 15535616 bytes, checksum: e69b71a22031146b4b70999268b267cf (MD5) / Made available in DSpace on 2012-01-10T16:36:31Z (GMT). No. of bitstreams: 1 000016725.pdf: 15535616 bytes, checksum: e69b71a22031146b4b70999268b267cf (MD5) / Neste trabalho, serão apresentados os resultados de uma pesquisa de campo, de tipo exploratório , em que serão verificadas, numa amostra de universitários , as relações entre três dimensões da personalidade e a preferência entre cores. As referidas dimensões são Introversão- extraversão e Neuroticisrno, na acepção de Eysenck, além do traço de Ansiedade , segundo o enfoque de Spielberger . Foi feita uma revisão bibliográfica da teoria de Eysenck e suas colocações básicas, a fim de que se tornem claros os seus pressupostos e os fundamentos de seu inventário de personalidade, utilizado aqui corno instrumento básico. Da mesma forma , o conceito de ansiedade de Splelberger foi também abordado, devido à utilização do inventário por ele construído para medida desta característica da personalidade. Por fim, foram abordadas as principais teorias com relação à percepção visual e especificamente , do fenômeno cromatico em termos fisiológicos, associadas ainda às conotações estéticas, simbólicas e o significado atribuído subjetivamente às cores percebidas. A pesquisa foi realizada com uma amostra de universitários de diversos cursos das áreas de Ciências Humanas e Exatas, de ambos os sexos , da faixa etária compreendida entre 18 e 40 anos. A hipótese formulada para a dimensão Neuroticisno, em relação à preferência pela cor violeta, foi confirmada para o grupo masculino. Quanto à Introversão- extraversão em sua relação com cores quentes ou frias, novas vinculações foram estabelecidas no decorrer da pesquisa, mediante as interações verificadas com as outras variáveis . Assim, novos estudos podem ser desenvolvidos, mediante uma metodologia diferente, ou mesmo, aprimorando determinados aspectos não previstos no planejamento deste trabalho. Adotando-se novos critérios e/ou procedimentos acredita-se na possibilidade de estabelecer conclusões mais efetivas.
4

A construção de um instrumento de medida para o fator neuroticismo/estabilidade emocional dentro do modelo de personalidade dos cinco grandes fatores

Nunes, Carlos Henrique Sancineto da Silva January 2000 (has links)
Esta pesquisa teve como objetivo construir e validar uma escala para avaliação do fator neuroticismo/estabilidade emocional. Neuroticismo é uma dimensão da personalidade humana, no modelo dos cinco grandes fatores, que se refere ao nível crônico de ajustamento e instabilidade emocional. Um alto nível de neuroticismo identifica indivíduos propensos a sofrimento psicológico que podem apresentar altos níveis de ansiedade, depressão, hostilidade, vulnerabilidade, autocrítica, impulsividade, baixa auto-estima, idéias irreais, baixa tolerância a frustração e respostas de coping não adaptativas. No primeiro estudo deste projeto foram gerados os itens da escala e avaliadas as suas qualidades psicométricas e validade de construto. Os participantes foram 792 estudantes universitários de três estados brasileiros. O segundo estudo teve como objetivo verificar a validade concorrente do instrumento. Participaram 437 estudantes universitários. Os resultados mostraram que o instrumento e as quatro subescalas identificadas através da análise fatorial apresentam qualidades psicométricas adequadas. As correlações entre o instrumento e testes para avaliar ansiedade, depressão, bem estar subjetivo, auto estima e neuroticismo (EPQ) indicaram que a escala construída está avaliando adequadamente as diferentes facetas do construto neuroticismo.
5

A construção de um instrumento de medida para o fator neuroticismo/estabilidade emocional dentro do modelo de personalidade dos cinco grandes fatores

Nunes, Carlos Henrique Sancineto da Silva January 2000 (has links)
Esta pesquisa teve como objetivo construir e validar uma escala para avaliação do fator neuroticismo/estabilidade emocional. Neuroticismo é uma dimensão da personalidade humana, no modelo dos cinco grandes fatores, que se refere ao nível crônico de ajustamento e instabilidade emocional. Um alto nível de neuroticismo identifica indivíduos propensos a sofrimento psicológico que podem apresentar altos níveis de ansiedade, depressão, hostilidade, vulnerabilidade, autocrítica, impulsividade, baixa auto-estima, idéias irreais, baixa tolerância a frustração e respostas de coping não adaptativas. No primeiro estudo deste projeto foram gerados os itens da escala e avaliadas as suas qualidades psicométricas e validade de construto. Os participantes foram 792 estudantes universitários de três estados brasileiros. O segundo estudo teve como objetivo verificar a validade concorrente do instrumento. Participaram 437 estudantes universitários. Os resultados mostraram que o instrumento e as quatro subescalas identificadas através da análise fatorial apresentam qualidades psicométricas adequadas. As correlações entre o instrumento e testes para avaliar ansiedade, depressão, bem estar subjetivo, auto estima e neuroticismo (EPQ) indicaram que a escala construída está avaliando adequadamente as diferentes facetas do construto neuroticismo.
6

Estudo experimental sobre a precisão e validade dos escores introversão-extroversão de uma adaptação brasileira do Maudsley Personality Inventory de H.J. Eysenck

Ambrosio, Marilia Breder 12 1900 (has links)
Submitted by Beatriz_ Estagiaria (marcianb@ig.com.br) on 2012-01-27T14:09:11Z No. of bitstreams: 1 000039634.pdf: 2487356 bytes, checksum: 8c4ee899887e8bd18a24a632b813878a (MD5) / Made available in DSpace on 2012-01-27T14:09:48Z (GMT). No. of bitstreams: 1 000039634.pdf: 2487356 bytes, checksum: 8c4ee899887e8bd18a24a632b813878a (MD5) / The aim of the experimental work described in this dissertation was the study of m Brazilian adaptation of Eysenck's Maudsley Personality Inventory regarding introversion-extraversion dimension. The Brazilian version by Professor Riva Bauzer was twice administered to 70 students of four of our classes of psychology at the Colégio Batista Shepard. Besides this, to the same students a questionnaire was administered in which we asked to each pupil to give his subjective evaluation of the degree of extraversion present in each of his classmates. We were thus enabled to evaluate experimetally: a) the reliability coefficient of the questionnaire; b) the reliabiliy coefficient of the Brazilian version of the Maudsley Personality Inventory; c) the validity coefficient of the Maudsley Personality Inventory, taking the questionnaire as a criterion. Our work was not limited to this. The discriminating ability of each item of the Maudsley Personality Inventory was determined by means of the biserial correlation coefficient. together with the percentage of responses indicative of extraversion. The various experimental data now available open the way to further research aimed at the improvement of the Brazilian version of the Maudsley Personality Inventory. / O propósito dos trabalhos experimentais expostos na presente dissertação foi o de estudar a versão brasileira do Maudaley Personality Inventory. de Eysench. no que diz respeito à sua dimensão bipolar introversão-extroversão. A adaptação brasileira (devida à Professora Riva Bauzer) foi aplicada por duas vezes a 70 estudantes, de quatro turmas do Colégio Batista Shepard, que são nossos alunos de psicologia. Paralelamente a esta aplicação, foi aplicado por duas vezes sucessivas, aos mesmos alunos, um questionário por nós organizado. Nele era pedida a cada um uma avaliação subjetiva do grau de introversão-extroversão dos respectivos colegas de classe. Desse modo tivemos a possibilidade de avaliar: a) o coeficiente de precisão do questionário; b) o coeficiente de precisão do Maudeley Personality Inventory; c) o coeficiente de validade do Maudaley Persona lity Inventory, tomando o questionário como critério de validação. Entretanto, nao terminaram ai nossos trabalhos. Por meio do coeficiente de correlação bisserial, foi estimado o poder discriminante de cada uma das questões do Maudsley Personality Inventory, assim como seu grau de 'popularidade'. Esta é uma denominação por nós atribuida à porcentagem de sujeitos que assinalaram a questão no sentido de extroversão. Estes elementos abrem caminho para a realização de pesquisas ulteriores com a finalidade de aperfeiçoar a versão brasileira do Maudsley Personality Inventory.
7

Construção, normatização e validação das escalas de socialização e extroversão no modelo dos cinco grandes fatores

Nunes, Carlos Henrique Sancineto da Silva January 2005 (has links)
Esse projeto visou a construção, validação e normatização de escalas para a avaliação dos Fatores Extroversão e Socialização no modelo dos Cinco Grandes Fatores de Personalidade. A partir deste Modelo, Socialização é uma dimensão da personalidade que agrupa traços como altruísmo, franqueza, confiança nas pessoas, bem como frieza, falta de empatia, comportamentos antisociais, etc. Extroversão engloba traços que descrevem nível de comunicação, assertividade, gregariedade, busca por diversão, etc. A validade de construto da Escala Fatorial de Socialização (EFS) e Escala Fatorial de Extroversão (EFE) foi realizada a partir de amostras independentes compostas por aproximadamente 1.100 pessoas de cinco estados brasileiros, de ambos os sexos, com nível de escolarização médio ou superior. Foram realizadas análises fatoriais para a verificação da dimensionalidade da EFS, sendo que a solução de três fatores foi considerada a mais adequada. Os fatores extraídos foram denominados Amabilidade, Pró-sociabilidade e Confiança nas pessoas, com Alpha’s de 0,91; 0,84 e 0,80 respectivamente. A escala geral apresentou uma consistência interna de 0,92. Foram realizadas análises fatoriais para a verificação da dimensionalidade da EFE, sendo que a solução de quatro fatores foi considerada a mais adequada. Os fatores extraídos foram denominados Comunicação, Altivez, Assertividade, Interação Social, com Alpha’s de 0,90; 0,78; 0,78 e 0,83 respectivamente. A escala geral apresentou uma consistência interna de 0,91. / The present project aimed the development, validation and standardization of scales to measure Extraversion and Agreeableness in the Five Factor Model of Personality. In this model, Agreeableness is comprised by traits that describe altruism, straightforwardness, trust in people, as well as coldness, antisocial behavior, among others. Extraversion includes traits that describe level of communication, assertivity, gregariousness, search for pleasure, among others. The participants in the construct validity study of the Agreeableness Factorial Scale (EFS) and Extraversion Factorial Scale (EFE) were approximately 1.100 individuals, from five States in Brazil, of both sexes, with high school or university level of education. Factor analyses were conducted to determine the EFS dimensions. A 3-factor solution was found to be more adequate. The factors found were named: Amiableness, Pro-social behavior, and Trust. Cronbach’s alphas were .91, .84, and .80 respectively. The general scale presented an internal consistency level of .92. Factor analyses were also conducted to verify the EFE dimensions. A 4-factor solution was found to be more adequate. The factors found were named: Communication, Pride, Assertiveness, and Social Interaction. Cronbach’s alphas were .90, .78, .78, and .83 respectively. The general scale presented internal consistency level of .91.
8

Construção, normatização e validação das escalas de socialização e extroversão no modelo dos cinco grandes fatores

Nunes, Carlos Henrique Sancineto da Silva January 2005 (has links)
Esse projeto visou a construção, validação e normatização de escalas para a avaliação dos Fatores Extroversão e Socialização no modelo dos Cinco Grandes Fatores de Personalidade. A partir deste Modelo, Socialização é uma dimensão da personalidade que agrupa traços como altruísmo, franqueza, confiança nas pessoas, bem como frieza, falta de empatia, comportamentos antisociais, etc. Extroversão engloba traços que descrevem nível de comunicação, assertividade, gregariedade, busca por diversão, etc. A validade de construto da Escala Fatorial de Socialização (EFS) e Escala Fatorial de Extroversão (EFE) foi realizada a partir de amostras independentes compostas por aproximadamente 1.100 pessoas de cinco estados brasileiros, de ambos os sexos, com nível de escolarização médio ou superior. Foram realizadas análises fatoriais para a verificação da dimensionalidade da EFS, sendo que a solução de três fatores foi considerada a mais adequada. Os fatores extraídos foram denominados Amabilidade, Pró-sociabilidade e Confiança nas pessoas, com Alpha’s de 0,91; 0,84 e 0,80 respectivamente. A escala geral apresentou uma consistência interna de 0,92. Foram realizadas análises fatoriais para a verificação da dimensionalidade da EFE, sendo que a solução de quatro fatores foi considerada a mais adequada. Os fatores extraídos foram denominados Comunicação, Altivez, Assertividade, Interação Social, com Alpha’s de 0,90; 0,78; 0,78 e 0,83 respectivamente. A escala geral apresentou uma consistência interna de 0,91. / The present project aimed the development, validation and standardization of scales to measure Extraversion and Agreeableness in the Five Factor Model of Personality. In this model, Agreeableness is comprised by traits that describe altruism, straightforwardness, trust in people, as well as coldness, antisocial behavior, among others. Extraversion includes traits that describe level of communication, assertivity, gregariousness, search for pleasure, among others. The participants in the construct validity study of the Agreeableness Factorial Scale (EFS) and Extraversion Factorial Scale (EFE) were approximately 1.100 individuals, from five States in Brazil, of both sexes, with high school or university level of education. Factor analyses were conducted to determine the EFS dimensions. A 3-factor solution was found to be more adequate. The factors found were named: Amiableness, Pro-social behavior, and Trust. Cronbach’s alphas were .91, .84, and .80 respectively. The general scale presented an internal consistency level of .92. Factor analyses were also conducted to verify the EFE dimensions. A 4-factor solution was found to be more adequate. The factors found were named: Communication, Pride, Assertiveness, and Social Interaction. Cronbach’s alphas were .90, .78, .78, and .83 respectively. The general scale presented internal consistency level of .91.
9

Construção, normatização e validação das escalas de socialização e extroversão no modelo dos cinco grandes fatores

Nunes, Carlos Henrique Sancineto da Silva January 2005 (has links)
Esse projeto visou a construção, validação e normatização de escalas para a avaliação dos Fatores Extroversão e Socialização no modelo dos Cinco Grandes Fatores de Personalidade. A partir deste Modelo, Socialização é uma dimensão da personalidade que agrupa traços como altruísmo, franqueza, confiança nas pessoas, bem como frieza, falta de empatia, comportamentos antisociais, etc. Extroversão engloba traços que descrevem nível de comunicação, assertividade, gregariedade, busca por diversão, etc. A validade de construto da Escala Fatorial de Socialização (EFS) e Escala Fatorial de Extroversão (EFE) foi realizada a partir de amostras independentes compostas por aproximadamente 1.100 pessoas de cinco estados brasileiros, de ambos os sexos, com nível de escolarização médio ou superior. Foram realizadas análises fatoriais para a verificação da dimensionalidade da EFS, sendo que a solução de três fatores foi considerada a mais adequada. Os fatores extraídos foram denominados Amabilidade, Pró-sociabilidade e Confiança nas pessoas, com Alpha’s de 0,91; 0,84 e 0,80 respectivamente. A escala geral apresentou uma consistência interna de 0,92. Foram realizadas análises fatoriais para a verificação da dimensionalidade da EFE, sendo que a solução de quatro fatores foi considerada a mais adequada. Os fatores extraídos foram denominados Comunicação, Altivez, Assertividade, Interação Social, com Alpha’s de 0,90; 0,78; 0,78 e 0,83 respectivamente. A escala geral apresentou uma consistência interna de 0,91. / The present project aimed the development, validation and standardization of scales to measure Extraversion and Agreeableness in the Five Factor Model of Personality. In this model, Agreeableness is comprised by traits that describe altruism, straightforwardness, trust in people, as well as coldness, antisocial behavior, among others. Extraversion includes traits that describe level of communication, assertivity, gregariousness, search for pleasure, among others. The participants in the construct validity study of the Agreeableness Factorial Scale (EFS) and Extraversion Factorial Scale (EFE) were approximately 1.100 individuals, from five States in Brazil, of both sexes, with high school or university level of education. Factor analyses were conducted to determine the EFS dimensions. A 3-factor solution was found to be more adequate. The factors found were named: Amiableness, Pro-social behavior, and Trust. Cronbach’s alphas were .91, .84, and .80 respectively. The general scale presented an internal consistency level of .92. Factor analyses were also conducted to verify the EFE dimensions. A 4-factor solution was found to be more adequate. The factors found were named: Communication, Pride, Assertiveness, and Social Interaction. Cronbach’s alphas were .90, .78, .78, and .83 respectively. The general scale presented internal consistency level of .91.
10

Inventários Beck para crianças e adolescentes: revisão sistemática da literatura

Morais, Résia Silva de 27 March 2014 (has links)
The cognitive theory / therapy (CT) produced profound changes in psychiatry and psychology contributing thus to treat a variety of disorders. In diagnostic terms, the CT use psychometric scales and other instruments. For example, in 1961, Beck developed the Beck Depression Inventory (BDI) revised in 1978 (BDI-1A) and in 1996 the BDI-II was published. In 2001, the Beck Youth Inventory (BYI-II) was prepared for children and adolescents aged 7-18 years consisting of an inventory of five scales that assess symptoms of depression, anxiety, anger, disruptive behavior and self-concept. The aim of this work was to construct a systematic review of national and international scientific production of the Beck Depression Inventory for Youth (BDI-Y), the Beck Anxiety Inventory for Youth (BAI-Y) and the Beck Disruptive Behavior Inventory for Youth (BDBI-Y); furthermore, we considered studies that employ these tools in the clinical area and overall health. The review was carried from the use of descriptors: Beck Depression Inventory for Youth , Beck Anxiety Inventory for Youth and Beck Disruptive Behavior Inventory for Youth . The references selection criteria were: presence of the descriptor in the text, articles written in English, Spanish and Portuguese; repeated references in other databases will be selected only in one base; references that were related to the theme, with the guiding criterion focus on using the BAI-Y , the BDI-Y and BDBI-Y. The results were: following criteria for inclusion, 11 articles, with the descriptor \"Beck Depression Inventory for Youth\"; with the descriptor \"Beck Anxiety Inventory for Youth\", 11 studies were selected. Already with the descriptor \"Beck Disruptive Behavior Inventory for Youth\" were selected only three references. Therefore, undertake a review of the scientific production of three inventories Beck Youth Inventory (BYI-II) was essential to verify the scarcity of studies about BDI-Y, BAI-Y and BDBI-Y. Results show no Brazilian studies, most are from the United States and only one reference reported use of Beck Inventories, second edition, adapted and validated for the Chinese reality. These results can contribute to raising awareness about the need to researchers to continue this discussion, considering the great necessity of their inclusion in research and research development with emphasis on studies of the psychometric properties of these instruments and their appropriateness to the Brazilian reality. Finally, with the guarantee of further studies, will be possible to evaluate the competence of this scales and their utility in the academic and clinical community. / A teoria/terapia cognitiva (TC) promoveu profundas mudanças na psiquiatria e psicologia colaborando, assim, para o tratamento de uma ampla variedade de transtornos. Em termos diagnósticos, a TC faz uso de escalas psicométricas e de outros instrumentos. Por exemplo, em 1961, Beck desenvolveu as Escalas de Depressão de Beck (BDI) revisadas em 1978 (BDI-1A) e em 1996 a BDI-II foi publicada. Em 2001, elaborou o Beck Youth Inventory - (BYI-II) para crianças e adolescentes com idades entre 7 a 18 anos, que consiste em um inventário de cinco escalas que avaliam os sintomas de depressão, ansiedade, raiva, comportamento disruptivo e autoconceito. O objetivo deste trabalho foi construir uma revisão sistemática da produção científica nacional e internacional do Beck Depression Inventory for Youth (BDI-Y), do Beck Anxiety Inventory for Youth (BAI-Y) e do Beck Disruptive Behavior Inventory for Youth (BDBI-Y); além disso, foram considerados estudos que empregam esses instrumentos na área clínica e da saúde em geral. A revisão foi realizada a partir da utilização dos descritores: Beck Depression Inventory for Youth ; Beck Anxiety Inventory for Youth e Beck Disruptive Behavior Inventory for Youth . Os critérios de seleção da amostra foram: presença do descritor no corpo do texto; artigos escritos na língua inglesa, espanhola e portuguesa; referências repetidas em outras bases foram selecionadas apenas em uma base; referências que estavam relacionadas ao tema, tendo como critério norteador do estudo o enfoque sobre o uso do BAI-Y, do BDI-Y e do BDBI-Y. Após critérios de inclusão, os resultados obtidos foram: 11 artigos, com o descritor Beck Depression Inventory for Youth ; com o descritor Beck Anxiety Inventory for Youth , 11 estudos foram selecionados. Já com o descritor Beck Disruptive Behavior Inventory for Youth foram selecionadas apenas 3 referências. Portanto, empreender uma revisão da produção científica de três inventários do Beck Youth Inventory (BYI-II) foi essencial para tornar possível a verificação da escassez de estudos para os inventários BDI-Y, BAI-Y e BDBI-Y. Os resultados mostram que nenhuma referência nacional foi encontrada, a maioria é oriunda dos Estados Unidos da América e apenas uma referência relatou o uso dos Inventários Beck, segunda edição, adaptados e validados para a realidade chinesa. Esses resultados podem contribuir para um maior esclarecimento acerca da necessidade de pesquisadores darem continuidade a esta discussão, considerando a grande necessidade da inclusão destes instrumentos em trabalhos de pesquisa e o desenvolvimento de investigações com ênfase em estudos das propriedades psicométricas desses inventários e de sua adequação à realidade brasileira. Por fim, com a realização de mais estudos, torna-se possível avaliar a eficácia destas escalas e sua utilidade na comunidade acadêmica e clínica. / Mestre em Psicologia Aplicada

Page generated in 0.1254 seconds