• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 1044
  • 142
  • 71
  • 71
  • 66
  • 66
  • 65
  • 61
  • 36
  • 9
  • 6
  • 6
  • 3
  • 2
  • 2
  • Tagged with
  • 1343
  • 366
  • 351
  • 279
  • 276
  • 276
  • 266
  • 213
  • 190
  • 129
  • 109
  • 107
  • 98
  • 89
  • 89
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
31

Biossorção em sistema multielementar dos íons Pb2+, Cu2+, Ni2+, Cd2+ e Zn2+ em solução aquosa usando a vagem seca do feijão (Phaseolus vulgaris L.) modificada: otimização usando planejamento fatorial

Raulino, Giselle Santiago Cabral 24 June 2016 (has links)
RAULINO, G. S. C. Biossorção em sistema multielementar dos íons Pb2+, Cu2+, Ni2+, Cd2+ e Zn2+ em solução aquosa usando a vagem seca do feijão (Phaseolus vulgaris L.) modificada: otimização usando planejamento fatorial. 2016. 163 f. Tese (Doutorado em Engenharia Civil: Saneamento Ambiental) - Centro de Tecnologia, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2016. / Submitted by Marlene Sousa (mmarlene@ufc.br) on 2016-08-24T16:46:56Z No. of bitstreams: 1 Tese Giselle Raulino_final2.pdf: 6128301 bytes, checksum: cc18983381661392e7fe1a09e747d595 (MD5) / Rejected by Marlene Sousa (mmarlene@ufc.br), reason: renomear arquivo on 2016-08-24T16:50:39Z (GMT) / Submitted by Marlene Sousa (mmarlene@ufc.br) on 2016-08-24T16:54:59Z No. of bitstreams: 1 2016_tese_gscraulino.pdf: 6128301 bytes, checksum: cc18983381661392e7fe1a09e747d595 (MD5) / Approved for entry into archive by Marlene Sousa (mmarlene@ufc.br) on 2016-08-24T16:56:37Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2016_tese_gscraulino.pdf: 6128301 bytes, checksum: cc18983381661392e7fe1a09e747d595 (MD5) / Made available in DSpace on 2016-08-24T16:56:37Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2016_tese_gscraulino.pdf: 6128301 bytes, checksum: cc18983381661392e7fe1a09e747d595 (MD5) Previous issue date: 2016-06-24 / The solid waste coming from agro-industries have been extensively studied as potential adsorbents for the treatment of environmental pollutants, as an alternative to traditional treatment methods. In order to improve the adsorption capacity of these materials, several chemical modifications are studied in the literature. In this context, this study aimed to investigate the process of acid modification of dry bean pod (Phaseolus vulgaris L.) after alkaline pretreatment using tannic acid (FAT), polyacrylic (FPACRIL) and polyacrylic-co acrylamide (FPAA) and evaluate their performances as adsorbents for the removal of Pb2+ Cu2+, Cd2+, Ni2+ and Zn2+ metal ions in multielement aqueous solution. For this the factorial design was used as a tool both in the stage of study of the variables that affect the modification process as the optimization stage of the adsorptive process. In the modifying step, it was observed that only the variable pH had a significant effect on the modification process with tannic acid. When the modifying agent was the polyacrylic acid both variable initial concentrations as weight were significant, while the temperature was the only significant variable in the modification with polyacrylic-co-acrylamide acid. The removal percentage of all metal ions from aqueous solutions increased on average by 45% after modification with the three acids. The best materials obtained in the modification step for the three acids were characterized and the analysis showed that the soluble lipid fraction was removed after the alkali treatment, improving the availability of adsorbent sites. The materials from the three modification showed good thermal stability to about 200°C and no morphological changes. The point of zero charge were between 2.91 and 3.59. The study of the process of the variables that influence the adsorption capacity was conducted in two stages. First a fractional experimental design was carried and was observed that the variables pH, initial concentration and mass of adsorbent were the most significant variables in the adsorption capacity of the materials studied for almost all metal ions. Then an optimization using a central composite design was performed. From the design, the quadratic models were obtained and the response surfaces were constructed for the three modified materials. The best conditions found for removal of five multi metals were: pH = 3.5; adsorbent mass = 200 mg; initial concentration of metal ions = 4.5 mM, for the three materials. The values predicted by the models in the optimized conditions were compared with experimental results and were statistically equal to the three materials. Of the three materials obtained, the dry bean pod modified with tannic acid (FAT) showed the best performance, achieving the removal of 1.0 mmol / g. Then FAT has been used in studies of kinetics and adsorption isotherm. The kinetic study indicated equilibration time of 2 hours, with the model of pseudo-second order been the best model that fit to the data. The experimental adsorption isotherm data set both the Langmuir model as the Freundlich. FAT material was compared to a commercial adsorbent (activated charcoal) featuring superior performance, resulting in adsorption capacity 75% greater than the capacity of the commercial material / Os resíduos sólidos oriundos de agroindústrias têm sido bastante estudados como potenciais adsorventes no tratamento de poluentes ambientais, como uma alternativa aos métodos de tratamento tradicionais. A fim de melhorar a capacidade de adsorção desses materiais, diferentes processos de modificações químicas são estudados na literatura. Nesse contexto, o presente trabalho teve como objetivo investigar o processo de modificação ácida da vagem seca do feijão (Phaseolus vulgaris L.) já submetida à pré-tratamento alcalino utilizando os ácidos tânico (FAT), poliacrílico (FPACRIL) e poliacrílico-co-acrilamida (FPAA) e avaliar seus desempenhos como adsorventes na remoção dos íons metálicos Pb2+, Cu2+, Cd2+, Ni2+ e Zn2+ em solução aquosa multielementar. Para isso o planejamento fatorial foi utilizado como ferramenta tanto na etapa de estudo das variáveis que afetam os processos de modificação quanto na etapa de otimização do processo adsortivo. Na etapa de modificação, foi observado que somente a variável pH teve efeito significativo no processo de modificação com ácido tânico. Quando o agente modificante foi o ácido poliacrílico, tanto as variável concentração inicial quanto a massa mostraram-se significativas, enquanto a temperatura foi a única variável significativa na modificação com ácido poliacrílico-co-acrilamida. Os percentuais de remoção de todos os íons metálicos das soluções aquosas aumentaram em média 45% após modificação com os três ácidos. Os materiais que apresentaram melhor desempenho na etapa de modificação para os três ácidos foram caracterizados e as análises mostraram que a fração lipídica solúvel foi removida após o tratamento alcalino, melhorando a disponibilidade dos sítios adsorventes. Os materiais oriundos das três modificações apresentaram boa estabilidade térmica até cerca de 200 ºC e não ocorreram alterações morfológicas. Os potenciais de carga zero encontrados situaram-se entre 2,91 e 3,59. O estudo do processo das variáveis que influenciam na capacidade de adsorção foi realizado em duas etapas. Primeiro um planejamento fracionário foi realizado e foi observado que as variáveis pH, concentração inicial e massa de adsorvente foram as variáveis mais significativas na capacidade de adsorção dos materiais estudados para quase todos os íons metálicos. Em seguida uma otimização utilizando um delineamento composto central rotacional foi realizada com as três variáveis citadas anteriormente. Os modelos quadráticos foram então obtidos e as superfícies de resposta foram construídas para os três materiais modificados. As melhores condições encontradas para remoção multi dos cinco metais foram: pH = 3,5; massa de adsorvente = 200 mg; concentração inicial dos íons metálicos = 4,5 mM, para os três materiais. Os valores preditos pelos modelos nas condições otimizadas foram comparadas a resultados experimentais e em geral, não diferem estatisticamente entre si. Dentre os três materiais obtidos, a vagem seca do feijão modificada com ácido tânico (FAT) foi o que apresentou melhor performance, atingido a remoção de 1,0 mmol/g. Apenas FAT foi usado nos estudos de cinética e isoterma de adsorção. O estudo cinético indicou tempo de equilíbrio de 2 horas, sendo o modelo de pseudo-segunda ordem o que melhor se ajustou aos dados. Os dados experimentais de isoterma de adsorção se ajustaram tanto ao modelo de Langmuir quanto ao de Freundlich. O material FAT foi comparado a um adsorvente comercial (carvão ativado) apresentando performance superior, resultando em capacidade de adsorção 75% maior que a capacidade do material comercial
32

Toxicidade reprodutiva do herbicida glifosato-Roundup em ratos Wistar.

Dallegrave, Eliane January 2003 (has links)
Nos últimos 50 anos houve uma redução significativa na fertilidade de animais selvagens. Estudos revelam que as alterações morfológicas e fisiológicas sobre os órgãos reprodutivos de animais e também de seres humanos podem ser conseqüência da exposição a contaminantes ambientais. Vários pesticidas presentes no ambiente têm sido apontados como substâncias capazes de afetar o sistema endócrino, incluindo efeitos sobre a reprodução (COLBORN et al., 1993). Inúmeros fatores contribuem para que o Brasil seja um dos maiores consumidores de pesticidas do mundo. E, neste país, os herbicidas são os pesticidas líderes em vendas. O Roundup® é o herbicida mais utilizado, sendo comercializado em preparação contendo 36% de glifosato e 18% de polioxietilenamida (POEA) (ANVISA, 2002a e 2002b). Estudos de toxicidade reprodutiva realizados com o glifosato técnico referem a possibilidade de efeito sobre o sistema reprodutivo (WHO, 1994). Entretanto a literatura carece de estudos sobre os efeitos do POEA e dos produtos comerciais que o contém associado ao glifosato (DALLEGRAVE, 2002). Sendo assim, o presente trabalho objetivou verificar a influência do herbicida glifosato-Roundup® sobre a fertilidade e o desenvolvimento de ratos Wistar e a possibilidade deste desregular o sistema endócrino. Foram avaliados os efeitos do herbicida glifosato Roundup (lote BS 1096/98) sobre a reprodução de ratos Wistar, incluindo os efeitos teratogênicos (segmento II), sobre fertilidade e performance reprodutiva de machos e fêmeas (segmento I) e sobre animais expostos pré e perinatalmente (segmento III). As concentrações desejadas foram elaboradas mediante adição de água destilada. As progenitoras do ensaio de teratogenicidade foram tratadas, por via oral, com 500, 750 ou 1000mg/kg de glifosato (Roundup) ou água destilada (10ml/kg), do 6° ao 15° dia de gestação. Os animais da geração paterna (segmento I) foram tratados diariamente, por via oral, com 50, 150 ou 450mg/kg de glifosato (Roundup) ou água destilada (10ml/kg). Os machos foram tratados por 70 dias no pré-acasalamento e por 15 dias consecutivos na fase de acasalamento. As fêmeas foram tratadas por 15 dias no pré-acasalamento, de 1 a 15 dias na fase de acasalamento, por 21 a 23 dias durante a gestação, e aquelas que foram deixadas parir, por mais 21 dias referente ao período de lactação. A segunda geração (segmento III) foi exposta apenas durante a gestação e a lactação (fêmeas do segmento I). Os resultados do ensaio de teratogênese mostraram sinais de toxicidade materna com 50% de letalidade para as fêmeas tratadas com 1000mg/kg e sinais de retardo de desenvolvimento do esqueleto dos fetos. Os machos da geração paterna mostraram sinais de toxicidade sistêmica, com aumento na massa relativa de fígado e rins, acompanhado de alterações histopatológicas, e de toxicidade reprodutiva, caracterizada por alterações histopatológicas nos testículos, redução na concentração de espermatozóides, na produção diária de espermatozóides, na concentração de testosterona e aumento no percentual de espermatozóides anormais. As fêmeas da geração paterna não apresentaram sinais de toxicidade sistêmica e/ou reprodutiva nas variáveis avaliadas. Os machos expostos durante as fases pré e perinatal manifestaram sinais de toxicidade reprodutiva, caracterizados por alterações histopatológicas nos testículos, como degeneração das espermátides em ambas as fases, aumento no percentual de espermatozóides anormais na puberdade e redução na concentração de espermatozóides na fase adulta. As fêmeas expostas durante as fases pré e perinatal não apresentaram sinais de toxicidade sistêmica e/ou reprodutiva nas variáveis avaliadas, como também a prole das mesmas não manifestou alterações de desenvolvimento ponderal ou geral. Este estudo revelou que o herbicida glifosato-Roundup provocou um retardo no desenvolvimento esquelético dos fetos expostos durante a fase de organogênese. Afetou ainda o sistema reprodutivo masculino de indivíduos tratados na fase adulta e expostos durante as fases pré e perinatal, interferindo nas variáveis de fertilidade masculina em puberdade e fase adulta. Também houve sinais de toxicidade sistêmica nas fêmeas do ensaio de teratogênese (segmento II) e nos machos do ensaio de fertilidade e performance reprodutiva (segmento I), em doses muito inferiores aquelas referidas na literatura (WHO, 1994) para o glifosato grau técnico. Conclui-se que o glifosato-Roundup manifestou maior grau de toxicidade sistêmica, reprodutiva masculina e de desenvolvimento esquelético fetal, do que o referido na literatura para o glifosato grau técnico. E, frente à toxicidade reprodutiva masculina evidenciada neste estudo, pode-se sugerir que o glifosato- Roundup® manifestou efeitos de modulação endócrina e conseqüentemente, potencial desregulador endócrino.
33

A inosina previne alterações comportamentais e bioquímicas induzidas pelo metilmercúrio em camundongos

Macedo Júnior, Sérgio José January 2014 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Farmacologia, Florianópolis, 2014. / Made available in DSpace on 2015-02-05T21:15:53Z (GMT). No. of bitstreams: 1 327081.pdf: 1814011 bytes, checksum: 9525d01655f716852e76e8e4db235b3b (MD5) Previous issue date: 2014 / Introdução: O metilmercúrio (MeHg) tem sido especulado como contaminante ambiental envolvido em efeitos tóxicos em modelos animais e seres humanos. O objetivo do presente estudo foi avaliar o efeito protetor da inosina, uma purina endógena, diante dos efeitos promovidos pelo MeHg em camundongos. Métodos: Foram utilizados camundongos Swiss machos adultos (45 - 60 dias). Os animais foram expostos a uma solução de MeHg (40 mg/L) diluída na água de beber, durante 15 dias. A ingestão de líquidos foi monitorada diariamente. Concomitantemente, os animais foram tratados com inosina pela via intraperitoneal (i.p.), em doses de 3, 10, 30 ou 100 mg/kg, uma vez por dia, durante 15 dias consecutivos. No 15º dia, os animais foram submetidos a diferentes testes comportamentais, a fim de avaliar o desempenho motor e coordenação motora (teste da barra giratória, teste da retração dos membros posteriores, teste da caminhada na viga e teste do poste), cada animal foi usado em apenas um teste. Após os testes comportamentais, os animais foram eutanaziados por decapitação e o cerebelo foi coletado para a determinação subsequente dos níveis de citocinas pró-inflamatórias (IL-1ß, TNF-a e IL-6), anti-inflamatória (IL-1ra) e BDNF, por ELISA, bem como para determinação da atividade da glutationa peroxidase e glutationa redutase. Em outro conjunto de experimentos, os animais foram tratados pela via i.p. com inosina (10 mg/kg) ou uma mistura de inosina (10 mg/kg) e cafeína (3 mg/kg, antagonista não-seletivo de receptores para adenosina), uma vez ao dia durante 15 dias consecutivos, visando investigar o possível envolvimento de receptores de adenosina nos efeitos promovidos pela inosina. Vinte e quatro horas após a última injeção, os animais foram submetidos ao teste da barra giratória e testados frente à manifestação e o grau de retração dos membros posteriores. O efeito da inosina também foi investigado diante dos efeitos hepatotóxicos (atividade sérica de ALT e AST) e genotóxicos (ensaio do micronúcleo) do MeHg, bem como diante das alteraçoes nos níveis séricos de lipídeos (colesterol total, HDL e não-HDL) induzidos pelo MeHg. Resultados: O consumo de líquidos não diferiu entre os grupos avaliados. A inosina (10 mg/kg, i.p.) preveniu parcialmente os efeitos deletérios do MeHg em relação ao desempenho motor no teste da barra giratória, no grau de retração dos membros posteriores e no teste da caminhada na viga. No entanto, a inosina não foi capaz de prevenir os efeitos deletérios do MeHg, observados no teste do poste. A co-administração de inosina (10 mg/kg,i.p.) com cafeína (3 mg/kg, i.p.) reverteu totalmente o efeito protetor da inosina no teste da barra giratória e parcialmente no grau de retração dos membros posteriores. Inosina (10mg/kg, i.p.) foi capaz de previnir a redução nos níveis de IL-6 e o aumento nos níveis de BDNF induzidos pelo MeHg no cerebelo. MeHg (40 mg/L) reduziu a atividade cerebelar da glutationa peroxidase, a qual não foi prevenida pelo tratamento com inosina, mas não afetou a atividade cerebelar da glutationa redutase, quando comparado com o grupo não-exposto. Animais expostos ao MeHg apresentaram níveis cerebelares de Hg total mais elevados, quando comparados com animais não-expostos, o tratamento com inosina (10 mg/kg, i.p.) não preveniu o aumento nos níveis cerebelares de Hg total induzido pela exposição ao MeHg. Além disso, a inosina (10 mg/kg, i.p.) preveniu a redução na atividade sérica da ALT induzida pelo MeHg. Com relação aos níveis séricos de lipídeos, a inosina (10 mg/kg, i.p.) não foi capaz de prevenir o aumento dos níveis de colesterol total induzido pelo MeHg, no entanto, previniu o aumento dos níveis de colesterol não-HDL e promoveu um aumento nos níveis de colesterol HDL, quando comparado com animais expostos ao MeHg tratados com veículo (10 ml/kg, i.p.). Finalmente, a inosina foi capaz de prevenir o efeito genotóxico do MeHg, observado no ensaio do micronúcleo em cultura primária de linfócitos humanos, reduzindo o número de células binucleadas micronucleadas quando comparado com o grupo exposto ao MeHg tratado com veículo (10 ml/kg, i.p.). Conclusões: Em conjunto, os resultados do presente estudo sugerem que a inosina apresenta efeito protetor diante das alterações comportamentais (desempenho motor e coordenação) e bioquímicas no sistema nervoso central induzidas pela exposição ao MeHg. Além disso, esses efeitos parecem ser mediados por receptores de adenosina. A inosina também apresenta efeito protetor contra os efeitos hepatotóxicos e genotóxicos do MeHg, bem como sobre as alterações nos níveis séricos de lipídeos induzidos pelo MeHg. Em síntese, nossos dados demonstram que a inosina foi capaz de prevenir as alterações comportamentais e bioquímicas induzidas pelo MeHg, além disso, contribuem para um melhor entendimento dos mecanismos envolvidos na toxicidade do MeHg.<br> / Abstract : Introduction: Methylmercury (MeHg) has been speculated as environmental contaminants involved in toxic effects in both animals models and humans. The objective of the present study was to evaluate the protective effect of inosine, an endogenous purine, in face of MeHg-promoted effects in mice. Methods: Were used adult male Swiss mice (45 ? 60 days old). Animals were exposed to MeHg solution (40 mg/L) in drink water during 15 days. Liquid ingestion was monitored daily. Concomitantly, animals received inosine intraperitoneally (i.p.) at doses of 3, 10, 30 or 100 mg/kg, once a day during 15 consecutive days. On the 15th day, animals were submitted to different behavioral tests in order to evaluate motor performance and coordination (rotarod test, hind limb clasping phenomenon, beam walking test and pole test), each animal was used in only one test. After behavioral tests, animals were sacrificed by decapitation and the cerebellum was collected for subsequent measurement of pro-inflammatory (IL-1ß, TNF-a and IL-6), antiinflammatory citokynes (IL-1Ra) and BDNF levels by ELISA, as well as glutatione peroxidase and glutatione reductase activity. In another set of experiments, animals were treated by i.p. route with inosine (10 mg/kg) or a mixture of inosine (10 mg/kg) and caffeine (3 mg/kg, non selective adenosine receptors antagonist), once a day during 15 consecutive days, to investigate the possible involvement of adenosine receptors in the effects promoted by inosine. Twenty-four hours after the last injection animals were submitted to the rotarod test and tested for the manifestation and the degree of hind limb clasping phenomenon. The effect of inosine was also investigated in face of the hepatotoxic (ALT and AST serum activity) and genotoxic (micronucleus assay) effects of MeHg, as well as on the changes in serum lipid levels (total cholesterol, HDL and non-HDL levels) induced by MeHg. Results: Liquid consumptions did not differ between groups. Inosine (10mg/kg, i.p.) partially protected against the deleterious effects of MeHg toward motor performance in the rotarod test, in face of the hind limb clasping phenomenon and in the beam walking test (87 ± 10%; mean=21.57 ± 3.06 s vs 46.88 ± 11.93 s). However, inosine was not able to prevent the deleterious effects of MeHg observed in the pole test. Co-administration of inosine (10 mg/kg, i.p.) with caffeine (3 mg/kg, i.p.) completely prevented inosine protective effect in rotarod test and partially in the hind limb clasping phenomenon. Inosine (10 mg/kg, i.p.) was able to prevented MeHg-induced IL-6 decreased andalso prevented MeHg-induced BDNF increased levels in cerebellum. MeHg (40 mg/L) reduced glutathione peroxidase activity, wich was not prevented by inosine treatment, but did not affect glutathione reductase cerebellar activity when compared with non-exposed group. MeHg-exposed animals exhibited higher total Hg levels in cerebellum when compared to non-exposed animals. Inosine did not prevent total Hg-increased level induced by MeHg in cerebellum. Furthermore, inosine (10 mg/kg, i.p.) prevented the reduction in ALT serum activity induced by MeHg. Regarding serum lipid levels, inosine (10 mg/kg, i.p.) did not prevent MeHg-increased total cholesterol levels, however, was able to prevent MeHg-increased non-HDL cholesterol levels and promoted an increase in HDL cholesterol levels when compared with MeHg-exposed animals treated with vehicle (10 ml/kg, i.p.). Finally, inosine was able to prevent the genotoxic effect of MeHg, observed in the micronucleus assay in primary culture of human limphocytes, reducing the number of binucleated micronucleated cells when compared with the MeHg-exposed group treated with vehicle (10 ml/kg, i.p.). Conclusions: Taken together these results suggest that inosine presents protective effect in face of MeHg-behavioral (motor performance and coordination) and biochemical effects in the central nervous system. Whereas, inosine also presents protective effects against hepatotoxic and genotoxic effects of MeHg, as well as on the changes in serum lipid levels induced by MeHg. In summary, our data demonstrate that inosine was able to prevent behavioral and biochemical changes induced by MeHg, furthermore, contribute to understanding mechanisms mediating MeHg-toxicity.
34

Estudo toxicológico pré-clínico do extrato aquoso e do óleo essencial das folhas Alpinia zerumbet (Pers.) Burtt & Smith / Pre-clinical toxicological study of tea and essential oil from Alpinia zerumbet (Pers.) Leaves. Burtt & Smith

Oliveira, Cecília Carvalho de January 2008 (has links)
OLIVEIRA, Cecília Carvalho de. Estudo toxicológico pré-clínico do extrato aquoso e do óleo essencial das folhas Alpinia zerumbet (Pers.) Burtt & Smith. 2008. 91 f. Dissertação (Mestrado em Farmacologia) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Medicina, 2008. / Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2012-03-08T13:43:54Z No. of bitstreams: 1 2008_dis_ccoliveira.pdf: 1887999 bytes, checksum: e5e838721f0e83d15f2f7522478b90d4 (MD5) / Approved for entry into archive by Eliene Nascimento(elienegvn@hotmail.com) on 2012-03-09T11:39:41Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2008_dis_ccoliveira.pdf: 1887999 bytes, checksum: e5e838721f0e83d15f2f7522478b90d4 (MD5) / Made available in DSpace on 2012-03-09T11:39:41Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2008_dis_ccoliveira.pdf: 1887999 bytes, checksum: e5e838721f0e83d15f2f7522478b90d4 (MD5) Previous issue date: 2008 / Alpinia zerumbet, known ordinarily as colony in Northwestern Brazil, is a medicinal plant widely used in popular medicine as tea and infusions for the treatment of intestinal and cardiovascular illnesses, such as hypertension. Due to the high levels of consumption of such infusions, we have sought to evaluate the toxicological and genotoxicological profile of the tea and essential oil made from A. zerumbet leaves. This study has been evaluated by short term in vivo and in vitro trials. We initially evaluated the cytotoxicity and the hemolytic effect in vitro; however, there was no toxic response. The DL50 found for the tea was of >5 mg/Kg, which demonstrates that the active principles of the tea present low toxicity. The genotoxicity trials were carried out in vivo. The animal received treatment orally, with three doses of the tea (2 g/Kg, 3,5 g/Kg and 5 g/Kg) and with a dosage of 400 mg/Kg of the essential oil. Peripheral blood and bone marrow were collected after 24 and 48 hours. In the comet trial no high level comets were detected and the statistical analyses demonstrate a P<0,01 (significance: P<0,05) for all samples when compared to the positive control and a P<0,05 (significance: P<0,05) for samples in relation to the negative control. In the micronucleus test, all doses of the tea and essential oil presented a statistically significant difference in relation to cyclofosfamide, with a P < 0.001 and a P > 0.05 compared with the negative control (significance: P<0,05). All those results indicate that the tea and essential oil made from A. zerumbet leaves do not present cytotoxic or genotoxic action in the tested models. / Alpinia zerumbet, conhecida popularmente como colônia no Nordeste do Brasil, é uma planta medicinal usada amplamente na medicina popular na forma de chás e infusões para o tratamento de doenças cardiovasculares, como a hipertensão arterial. O intenso consumo popular dessas infusões levou-nos a avaliar o perfil toxicológico e genotoxicológico do extrato aquoso e do óleo essencial das folhas de A. zerumbet. Esse estudo foi avaliado pelos ensaios de curta duração in vivo e in vitro. Inicialmente foi avaliada a citotoxicidade e o efeito hemolítico in vitro, porém não houve resposta tóxica. A DL50 encontrada para o extrato aquoso foi >5 g/Kg, demonstrando que os princípios ativos do extrato apresentam baixa toxicidade. Os estudo de genotoxicidade foram realizados in vivo. Os animais foram tratados, por via oral, com três doses do extrato aquoso (2 g/Kg, 3,5 g/Kg e 5 g/Kg) e com a dose de 400 mg/Kg do óleo essencial. Após 24h e 48h, o sangue periférico e a medula óssea foram coletados. No ensaio do cometa não houve detecção de nenhum cometa de grau elevado e as análises estatísticas demonstraram um P<0,01 (grau de significância: P<0,05) para todas as amostras em relação ao controle positivo e um P>0,05 (grau de significância: P<0,05) para as amostras em relação ao controle negativo. No ensaio do micronúcleo, todas as doses do extrato aquoso e do óleo essencial tiveram diferença estatisticamente significante em relação a ciclofosfamida, um antineoplásico citotóxico, com um P<0,001 e um P>0,05 em relação ao controle negativo (significância: P<0,05). Todos esses resultados indicam que o extrato aquoso e o óleo essencial das folhas de A. zerumbet não apresentam ações citotóxicas nem genotóxicas nos modelos testados.
35

Estudo de toxicologia clínica e eficácia terapêutica do fitomedicamento melagrião / Clinical toxicology and therapeutic efficacy study of melagrião® phytomedicine

Viana, Ismênia Osório Leite January 2011 (has links)
VIANA, Ismênia Osório Leite. Estudo de toxicologia clínica e eficácia terapêutica do fitomedicamento melagrião. 2011. 207 f. Tese (Doutorado em Farmacologia) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Medicina, Fortaleza, 2011. / Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2012-06-13T12:08:24Z No. of bitstreams: 1 2011_tese_iolviana.pdf: 2316588 bytes, checksum: 6482dce466fbc06d23a77128535bcda1 (MD5) / Approved for entry into archive by Eliene Nascimento(elienegvn@hotmail.com) on 2012-06-13T13:28:44Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2011_tese_iolviana.pdf: 2316588 bytes, checksum: 6482dce466fbc06d23a77128535bcda1 (MD5) / Made available in DSpace on 2012-06-13T13:28:44Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2011_tese_iolviana.pdf: 2316588 bytes, checksum: 6482dce466fbc06d23a77128535bcda1 (MD5) Previous issue date: 2011 / The expectorant Melagrião® is a phytotherapic medicine composed of six medicinal plants with known action in the respiratory tract: Mikania glomerata, Cephaelis ipecacuanha, Aconitum napellus, Polygala senega, Myroxylon balsamum and Nasturtium officinale. The aim of this study was to evaluate the safety, the genotoxic potential of Melagrião® in healthy volunteers and its efficacy in patients with clinical diagnosis of acute bronchitis. This study contemplated two clinical protocols. Protocol A evaluated the Clinical Toxicology and safety of Melagrião® and consisted of a double-blind, placebo-controlled, randomized, parallel, with 46 adults subjects, randomly divided into two groups: Placebo and Melagrião®, each consisting of 28 and 18 volunteers, respectively. The subjects were treated for 28 uninterrupted days with 120 mL of Melagrião® or Placebo, divided into four daily doses. Clinical and laboratory evaluations were performed in the pre-study, during the treatment period and after the end of the study. The genotoxicity of Melagrião®, was investigated through the comet assay. The mean age of the subjects was 19.37 ± 17.36 years for the Melagrião® group and 24.70 ± 23.50 for the placebo group. The hematological, hepatic, renal and metabolic functions were analyzed before, during (7th, 14th and 28th day) and 7 days after the study through laboratory findings, which did not evidence signs of toxicity. Headache, vomiting, abdominal pain, dry cough, drowsiness, diarrhea, flatulence, heartburn and insomnia were the found adverse events attributed to both groups. No damage was observed (p >0.05) in peripheral lymphocytes of the subjects treated with Melagrião® by the comet assay. The clinical toxicology and genotoxicity studies showed no toxicity in the volunteers treated with Melagrião® for 28 uninterrupted days. Protocol B consisted of a double-blind, randomized and parallel study with 86 patients, randomly divided into two groups: Melagrião® (n = 43) or bromhexine (n = 43). They were all treated for 7 consecutive days using the recommended dosage according to the treatment group and age. Clinical and laboratory evaluations were performed in the pre-study and only clinical evaluation was performed on the seventh day. The mean age of the subjects was 19.37 ± 17.36 years for the Melagrião® group and 24.70 ± 23.50 for bromhexine group. Results of Protocol B show equivalence between the formulations tested, not being evident clinical and statistical differences within the parameters evaluated, and therefore the phytomedication Melagrião® effective in treating acute bronchitis. Abdominal pain and fever were the found adverse events attributed to both groups. The Melagrião® demonstrated safety in therapeutic dose, genotoxic negative character and effective in improving the signs and symptoms of acute bronchitis. / O expectorante Melagrião® é um fitoterápico composto de seis plantas medicinais com conhecida ação no trato respiratório: Mikania glomerata, Cephaelis ipecacuanha, Aconitum napellus, Polygala senega, Myroxylon balsamum e Nasturtium officinale. O objetivo desse estudo foi avaliar a segurança, o potencial genotóxico do Melagrião® em voluntários sadios e sua eficácia terapêutica em pacientes com diagnóstico clínico de bronquite aguda. Este estudo contemplou dois protocolos clínicos: no protocolo A foi avaliado a Toxicologia Clínica e segurança do Melagrião® que consistiu de um estudo duplo-cego, controlado por placebo, randomizado e paralelo, com 46 voluntários, adultos, que foram aleatoriamente distribuídos em dois grupos: Melagrião® e Placebo ambos constituídos por 28 e 18 voluntários, respectivamente. Os voluntários foram tratados durante 28 dias ininterruptos com 120 mL de Melagrião® ou Placebo dividido em 4 doses diárias. Avaliações clínica e laboratorial foram realizadas no pré-estudo, durante o período de tratamento, bem como após o encerramento do estudo. A genotoxicidade do Melagrião®, por sua vez, foi investigada mediante o emprego do teste do cometa. A idade média dos voluntários foi de 19,37 ± 17,36 anos para o grupo Melagrião® e de 24,70 ± 23,50, para o grupo Placebo. As funções hematológica, hepática, renal e metabólica foram analisadas, antes, durante (7o, 14o e 28o dia) e 7 dias após o estudo através dos exames laboratoriais, os quais não evidenciaram sinais de toxicidade. Cefaleia, vômito, dor abdominal, tosse seca, sonolência, diarréia, flatulência, pirose e insônia foram os eventos adversos atribuídos aos dois grupos. Pelo teste do cometa, não foram observados danos (p>0,05) nos linfócitos periféricos dos voluntários tratados com o Melagrião®. Os estudos de toxicologia clínica e genotoxicidade não evidenciaram nenhuma toxicidade nos voluntários tratados por 28 dias ininterruptos com o Melagrião®. Já o protocolo B consistiu de um estudo duplo-cego, randomizado e paralelo, com 86 pacientes. Os quais foram aleatoriamente distribuídos em dois grupos: Melagrião® ou Bromexina constituídos por 43 voluntários em cada grupo. Os voluntários foram tratados durante 7 dias consecutivos, utilizando posologia de acordo com grupo e idade. Avaliações clínica foram realizadas no pré-estudo e no sétimo dia, e laboratorial somente no pré-estudo. A idade média dos voluntários foi de 19,37 ± 17,36 anos para o grupo Melagrião® e de 24,70 ± 23,50, para o grupo Bromexina. Resultados do Protocolo B mostram equivalência entre as formulações testadas, não sendo evidenciadas diferenças clínicas e estatísticas dentro dos parâmetros avaliados, sendo, portanto o fitomedicamento Melagrião® eficaz no tratamento da bronquite aguda. Vômito, dor abdominal e febre foram os eventos adversos atribuídos aos dois grupos. O Melagrião® demonstrou segurança na dose terapêutica, caráter genotóxico negativo e eficaz na melhora dos sinais e sintomas da bronquite aguda.
36

Estudo da toxicidade oral de 90 dias(doses repetidas)do lodo de estação de tratamento de esgoto(LETE) em ratos wistar

Luvizutto, João Francisco Lozano [UNESP] 15 July 2008 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:33:25Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2008-07-15Bitstream added on 2014-06-13T18:45:06Z : No. of bitstreams: 1 luvizutto_jfl_me_botfm_prot.pdf: 466031 bytes, checksum: 8cce2991f8f6af972fbc4a7cd7c69791 (MD5) / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) / Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) / O processamento do esgoto urbano pelas estações de tratamento (ETE) produz o lodo (LETE), uma mistura complexa constituída por material orgânico, inorgânico (hidrocarbonetos aromáticos, minerais, rnetais pesados, etc.) e biológico (microorganismos, vegetais, etc.). Diante da possibilidade de reuhlização do LETE para enriquecer áreas agricolas,. e como insumo incorporado na matéria-prima da indústria cerâmica, o objetivo do presente trabalho foi avaliar parte do perfll toxicológico deste material pelo ensaio de toxicidade oral subcrônica de doses repetidas. Para tanto, foram utilizados 116 ratos V\listar machos e fêmeas com 6 semanas de idade, expostos via ração à concentrações de O, 5.000, 10.000 e 50.000 ppm de LETE durante 90 dias. Nos animais tratados com o LETE e sacrificados após 28 e 90 dias não ocorreram quaisquer sinais clínicos expressivos, assim como não ocorreram alterações nos exames hematológicos, no ganho de peso, no consumo de água e ração, nos pesos absolutos e relativos de órgãos determinados, quando corl1parados aos respectivos controies. Alterações histofógicas também não foram observadas nos animais expostos às maioms concentrações de LETE, Nas fêmeas de iodos os -grupos tratadas com o LETE e sacrificadas aos 90 dias houve aumento dos níveis da el1zima aspartato aminotral1sferase {AST), o que sugere alguma agressão hepática. No entanto, em conjunto, os resultados indicam que a exposição oral a altas concentrações de um determinado lote de LETE durante 28 -e 90 dias não exerce loxicidade sistêmjca relevante em ambos os gêneros de ratos wistar. / The solid residue generated by the urban sev/age treatment is called sewed-sludge (LETE). This complex mixture of organic and inorganic materia!s has been píOposed for use in agricultüre and as raw material for the pottery índustry. The present study was conducted to determine the potential toxic effects of LETE to V\fistar rals. After a 2-week acclimatizing period, 6-week oid male and female rats were fed ad libitum during 90 days a. commercia! diet containing O, 5000, 10000 ar 50aOa ppm af LETE. Five animats af each group were sacrificed aí íhe 28th day of síudy. ln those animais, and in the remaining animaJs sacrificed afier 90 days of experirnent, no aiterations were registered on food and water consumptions, body weights, body weight gain and relahve organ weíghís and ín hlood cel! counts, when compared to the respective conÍfO·ls. Hislologica! alteraijons w.ere also nOI observed ln ali collecled organs of the high-dose treatment animais. After 13 weeks there was significant increase af aspartate transaminase (AST} levets in aa treated fema[es of aH treated groups, what suggest some liver damage. However, in general the present findings indicate íhe specific parcal siudied does noí induce toxicity I when administered at very high doses during up to 90 days to both genders of wistar rats.
37

Lesões hepáticas de bovinos intoxicados experimentalmente por Senecio brasiliensis (Compositae): estudo semi-quantitativo e quantitativo da matriz extracelular e de células sinusoidais

Torres, Márcia Bersane Araújo de Medeiros [UNESP] January 2003 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:33:25Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2003Bitstream added on 2014-06-13T20:24:57Z : No. of bitstreams: 1 torres_mbam_dr_botfm.pdf: 1206082 bytes, checksum: a2242cde390376c1aa8e4dc3aeea4899 (MD5) / A matriz extracelular hepática (MEC) é atualmente alvo de diversos estudos em modelos de intoxicação experimental e lesões hepáticas crônicas, devido ao seu papel relevante nesses processos. Na espécie bovina, não existem estudos sobre os componentes da MEC hepática normal e nas lesões crônicas os enfoques têm sido os hepatócitos, com apresentações descritivas das alterações da matriz. Por esse motivo propusemos um modelo iniciando com estudo de fígados normais (controle) obtidos dos animais antes do início da intoxicaçãp experimental por Senecio brasiliensis. Esta planta contém alcalóides pirrolizidínicos (APs), que são substâncias causadoras de lesão hepática crônica progressiva. Este trabalho tem como principais objetivos fazer uma avaliação semi-quantitativa e quantitativa de componentes da MEC de fígado normal e de suas alterações durante a progressão da lesão hepática por intoxicação crônica por APs na espécie bovina. Foram usados 5 animais, intoxicados com folhas dessecadas de S. brasiliensis na dose de 0,38g/kg de peso corporal diariamente durante 24 dias. O experimento teve duração de 60 dias e foi dividido em 5 momentos (M1= controle; M2=15 dias; M3= 30 dias; M4=45 dias e M5=60 dias), nos quais os animais foram submetidos a biópsias hepáticas e colheita de sangue para exames bioquímicos. As biópsias hepáticas foram processadas para MO, Imuno-histoquímica e MET. Como foram observados sinais clínicos digestivos no início da 3a semana suspendeu-se a administração da planta aos 24 dias. Mesmo assim as lesões foram progressivas, com morte de um animal aos 45 dias. A partir de M2 havia alterações degenerativas, necrose, apoptose e megalocitose de hepatócitos associadas à fibrose portal, centrolobular e pericelular. Foi feita morfometria por análise de imagem para colágeno total com... / Extracellular matrix (ECM) has been studied on chronic hepatic lesions of experimental intoxication models due to its relevant role in this pathologic process. Nevertheless there are no specific studies on ECM in normal or chronically damaged bovine liver. Hepatocellular damage has been more important center of attention in chronic bovine liver damage and ECM has been simply described. Because of this fact we decided to present a bovine model starting with detailed study of normal (control) liver biopsy taken from animals before experimental intoxication by Senecio brasiliensis. This plant contains pyrrolizidine alkaloids (PA) that causes acute or chronic progressive liver damage. The main objetive of this project is to do quantitative and / or semi-quantitative measurement of specific components of normal liver ECM and its change during progressive liver damage when bovines are submitted to chronic PA intoxication. Five animals received 0,38g of dry leaf of S. brasiliensis per Kg of body weight orally per day during 24 days. All but one animal were evaluated up to 60 th day. Liver biopsy and blood samples were collected on 5 moments (M1= controle; M = 15th day; M3 = 30th day; M4=45th day and M5=60th day). Biopsy samples were processed for light microscopy, immuno-histochemistry and transmission electron microscopy (TEM) at the begining of the 3rd week some clinical signs indicated digestive complications and we stoped giving toxic plant on 24th day of experiment. Liver lesions were progressive even after that day and one animal died on 45th day. From M2 on ligth microscopy showed hepatocellular degenerative changes, necrosis, apoptosis and megalocitosis plus portal, centrilobular and pericellular fibrosis. Morphometric study by analysis of image for total collagen was done using Picrossirius staining and for elastic fiber system was done using... (Complete abstract, click electronic address below)
38

Toxicidade reprodutiva do herbicida glifosato-Roundup em ratos Wistar.

Dallegrave, Eliane January 2003 (has links)
Nos últimos 50 anos houve uma redução significativa na fertilidade de animais selvagens. Estudos revelam que as alterações morfológicas e fisiológicas sobre os órgãos reprodutivos de animais e também de seres humanos podem ser conseqüência da exposição a contaminantes ambientais. Vários pesticidas presentes no ambiente têm sido apontados como substâncias capazes de afetar o sistema endócrino, incluindo efeitos sobre a reprodução (COLBORN et al., 1993). Inúmeros fatores contribuem para que o Brasil seja um dos maiores consumidores de pesticidas do mundo. E, neste país, os herbicidas são os pesticidas líderes em vendas. O Roundup® é o herbicida mais utilizado, sendo comercializado em preparação contendo 36% de glifosato e 18% de polioxietilenamida (POEA) (ANVISA, 2002a e 2002b). Estudos de toxicidade reprodutiva realizados com o glifosato técnico referem a possibilidade de efeito sobre o sistema reprodutivo (WHO, 1994). Entretanto a literatura carece de estudos sobre os efeitos do POEA e dos produtos comerciais que o contém associado ao glifosato (DALLEGRAVE, 2002). Sendo assim, o presente trabalho objetivou verificar a influência do herbicida glifosato-Roundup® sobre a fertilidade e o desenvolvimento de ratos Wistar e a possibilidade deste desregular o sistema endócrino. Foram avaliados os efeitos do herbicida glifosato Roundup (lote BS 1096/98) sobre a reprodução de ratos Wistar, incluindo os efeitos teratogênicos (segmento II), sobre fertilidade e performance reprodutiva de machos e fêmeas (segmento I) e sobre animais expostos pré e perinatalmente (segmento III). As concentrações desejadas foram elaboradas mediante adição de água destilada. As progenitoras do ensaio de teratogenicidade foram tratadas, por via oral, com 500, 750 ou 1000mg/kg de glifosato (Roundup) ou água destilada (10ml/kg), do 6° ao 15° dia de gestação. Os animais da geração paterna (segmento I) foram tratados diariamente, por via oral, com 50, 150 ou 450mg/kg de glifosato (Roundup) ou água destilada (10ml/kg). Os machos foram tratados por 70 dias no pré-acasalamento e por 15 dias consecutivos na fase de acasalamento. As fêmeas foram tratadas por 15 dias no pré-acasalamento, de 1 a 15 dias na fase de acasalamento, por 21 a 23 dias durante a gestação, e aquelas que foram deixadas parir, por mais 21 dias referente ao período de lactação. A segunda geração (segmento III) foi exposta apenas durante a gestação e a lactação (fêmeas do segmento I). Os resultados do ensaio de teratogênese mostraram sinais de toxicidade materna com 50% de letalidade para as fêmeas tratadas com 1000mg/kg e sinais de retardo de desenvolvimento do esqueleto dos fetos. Os machos da geração paterna mostraram sinais de toxicidade sistêmica, com aumento na massa relativa de fígado e rins, acompanhado de alterações histopatológicas, e de toxicidade reprodutiva, caracterizada por alterações histopatológicas nos testículos, redução na concentração de espermatozóides, na produção diária de espermatozóides, na concentração de testosterona e aumento no percentual de espermatozóides anormais. As fêmeas da geração paterna não apresentaram sinais de toxicidade sistêmica e/ou reprodutiva nas variáveis avaliadas. Os machos expostos durante as fases pré e perinatal manifestaram sinais de toxicidade reprodutiva, caracterizados por alterações histopatológicas nos testículos, como degeneração das espermátides em ambas as fases, aumento no percentual de espermatozóides anormais na puberdade e redução na concentração de espermatozóides na fase adulta. As fêmeas expostas durante as fases pré e perinatal não apresentaram sinais de toxicidade sistêmica e/ou reprodutiva nas variáveis avaliadas, como também a prole das mesmas não manifestou alterações de desenvolvimento ponderal ou geral. Este estudo revelou que o herbicida glifosato-Roundup provocou um retardo no desenvolvimento esquelético dos fetos expostos durante a fase de organogênese. Afetou ainda o sistema reprodutivo masculino de indivíduos tratados na fase adulta e expostos durante as fases pré e perinatal, interferindo nas variáveis de fertilidade masculina em puberdade e fase adulta. Também houve sinais de toxicidade sistêmica nas fêmeas do ensaio de teratogênese (segmento II) e nos machos do ensaio de fertilidade e performance reprodutiva (segmento I), em doses muito inferiores aquelas referidas na literatura (WHO, 1994) para o glifosato grau técnico. Conclui-se que o glifosato-Roundup manifestou maior grau de toxicidade sistêmica, reprodutiva masculina e de desenvolvimento esquelético fetal, do que o referido na literatura para o glifosato grau técnico. E, frente à toxicidade reprodutiva masculina evidenciada neste estudo, pode-se sugerir que o glifosato- Roundup® manifestou efeitos de modulação endócrina e conseqüentemente, potencial desregulador endócrino.
39

Avaliação toxicológica pré-clinica do fitoterápico contendo Gossypium herbaceum (Tintura de Algodoeiro Cangeri) em ratos wistar

Etges, Rodrigo Nestor January 2007 (has links)
O presente estudo avaliou a segurança de um fitoterápico, constituído de extrato fluído de Gossypium herbaceum (algodoeiro) (Tintura de Algodoeiro Cangeri®), através de estudos de toxicidade subcrônica, tendo como base a resolução Nº 90, de 16 de março de 2004 da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). O objetivo era verificar se o presente fitoterápico causava toxicidade sistêmica de doses repetidas em ratos Wistar. Para o teste de toxicidades repetidas constituiu-se quatro grupos de ratos Wistar, cada um composto por 10 machos e dez fêmeas, tratados por via oral (gavagem) com 0,4ml.kg-1, 2ml.kg-1e 4ml.kg-1, respectivamente a dose terapêutica indicada pelo fabricante para seres humanos adultos, 5 vezes e 10 vezes a dose terapêutica, além de um grupo controle, que recebeu o veículo do fitoterápico. Os resultados revelaram que os animais tratados com a dose terapêutica não mostraram alterações sistêmicas que indique toxicidade. As alterações observadas nas variáveis de ganho de massa corporal, dados hematológicos e de bioquímica sangüínea nos grupos tratados com as doses 5 e 10 vezes a dose terapêutica revelaram a ocorrência de toxicidade sistêmica, agravada com a elevação da mesma. / The phytoterapic constituted by Gossypium herbaceaum (cotton plant) (Tintura de Algodoeiro Cangeri®) was investigated from the potential of toxicological effects when orally administered to male and female Wistar rats for 30 days. The studies were based in the resolution n. 90, March 16th, 2004 from National Agency of Sanitary Vigilance (ANVISA). The aim of the study was watch if daily doses of the fitoterapic would became in to systemic toxicity. Four experimental groups were formed (10 animals/sex/dose) receiving daily doses of 0.4ml, 2ml and 4ml.kg-1 respectively the therapeutic dose recommended by the producer for adult humans, 5 times and 10 times the therapeutic dose, besides a control group treated with the phytotherapic vehicle. The results revealed the absence of systemic toxicity with the therapeutic dose. The alterations observed in the weight gain, hematological values and biochemical blood analyses in the doses equivalent to 5 and 10 times the therapeutic doses revealed systemic toxicity, in a dose related manner.
40

Avaliação ecotoxicológica de fármacos psicotrópicos e suas possíveis interações com nanomateriais usando embriões de peixe-zebra

Moura, Diego Sousa 29 February 2016 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Biologia Animal, 2016. / Submitted by Jane Andréia Silveira Pinheiro (janeapinheiro@gmail.com) on 2016-06-29T11:51:53Z No. of bitstreams: 1 2016_DiegoSousaMoura.pdf: 8524274 bytes, checksum: 612849ccfd0cbcb5dc5cd8be5ae063b8 (MD5) / Approved for entry into archive by Marília Freitas(marilia@bce.unb.br) on 2016-06-29T13:58:09Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2016_DiegoSousaMoura.pdf: 8524274 bytes, checksum: 612849ccfd0cbcb5dc5cd8be5ae063b8 (MD5) / Made available in DSpace on 2016-06-29T13:58:09Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2016_DiegoSousaMoura.pdf: 8524274 bytes, checksum: 612849ccfd0cbcb5dc5cd8be5ae063b8 (MD5) / De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), aproximadamente 226 ingredientes ativos de fármacos psicotrópicos têm autorização para comercialização no Brasil (RDC 6/2014). Produzidos em larga escala, os fármacos psicotrópicos chegam aos ecossistemas (ex. por meio do descarte de efluentes domésticos). Assim, organismos não alvo, aquáticos e terrestres, são expostos a um coquetel de fármacos, durante o seu ciclo de vida. O objetivo do presente estudo foi: fazer uma revisão bibliográfica dos fármacos psicotrópicos comercializados no Brasil, com foco especial às suas diferentes classes, modo de ação e ecotoxicidade; Avaliar a mortalidade e efeitos subletais (comportamento, atividade de colinesterases e alterações no desenvolvimento) de algumas dessas drogas utilizando testes de embriotoxicidade com embriões de peixe-zebra (baseados na norma OCDE - nº 236) e por fim, investigar a interação entre fármacos e nanomateriais (nanoestruturados de carbono e nanopartícula de titânio), visto que existe a possibilidade de aplicação em processos de remediação ambiental. Os 226 fármacos psicotrópicos comercializados no Brasil podem ser divididos em seis diferentes classes: ansiolíticos (n = 69), antidepressivos (n = 57), antipsicóticos (n = 54), antiepilépticos (n = 20), fármacos para alívio sintomático de doenças neurodegenerativas (n = 26), reguladores do humor (n = 1). Os dados da revisão bibliográfica revelam que: apenas 24 % possuem algum estudo ecotoxicológico, além disso, esses estudos são limitados, sendo, em sua maioria relativos a testes agudos, pouca informação é encontrada sobre a toxicidade crônica. Considerando nossos resultados dos testes de embriotoxicidade com 16 formulações comerciais e 5 compostos puros (mg/L), bioquímicos (5 compostos puros - μg/L) e comportamentais (5 compostos puros - ηg/L), sugere-se que o uso somente do parâmetro de mortalidade parece ser insuficiente para avaliação de riscos, uma vez que efeitos severos no organismo nomeadamente: paralisia, são encontrados em doses em média 5-10x mais baixas que o valores de CL50 para os fármacos testados. Uma análise refinada dos parâmetros comportamentais utilizando o zebrabox revela que há alterações significativas no tempo total de nado ou distância total percorrida dos embriões em concentrações muito próximas ou, até mesmo abaixo das concentrações já detectadas no meio ambiente de fármacos psicotrópicos. Ademais, os resultados obtidos sugerem que os efeitos no comportamento podem não seguir uma dose resposta, uma vez que em baixas doses podem induzir a atividade locomotora e em doses mais altas tendem a diminuir a atividade locomotora. _______________________________________________________________________________ ABSTRACT / According to the National Health Surveillance Agency (ANVISA), approximately 226 active ingredients of psychiatric pharmaceuticals are allowed to be sold in Brazil (DRC 6/2014). Produced on a large scale, psychiatric pharmaceuticals arriving ecosystems (eg. By means of disposal of domestic waste). Thus, non-target organisms, aquatic and terrestrial, are exposed to a cocktail of drugs, throughout their life cycle. The aim of this study was: do a literature review of psychiatric drugs marketed in Brazil, with a special focus to their different classes, mode of action and ecotoxicity; Assess mortality and sublethal effects (behavior, cholinesterase activity and changes in development) of some of these pharmaceuticals using embryotoxicity tests with zebrafish embryos (based on the OECD standard – nº 236) and finally investigate the interaction between pharmaceuticals and nanomaterials (carbon nanotubes and titanium nanoparticles), since there is the possibility of application in environmental remediation processes. Approximalety, 226 psychiatric pharmaceuticals marketed in Brazil can be divided into six different classes: anxiolytics (n = 69), antidepressants (n = 57), antipsychotics (n = 54), antiepileptics (n = 20), fármacos para alívio sintomático de doenças neurodegenerativas (n = 26) mood regulators (n = 1). Data from the literature review shows that: only 24% have some ecotoxicological study, moreover, these studies are limited, and mostly related to acute tests, little information is found on the chronic toxicity. Whereas our results of embryotoxicity tests with 16 comercial formulations and 5 pure compounds (mg/L), biochemical (5 pure compounds - μg/L) and behavioral (5 pure compounds - ηg/L), it is suggested that the use of only mortality parameter seems to be insufficient to evaluate risks, since severe effects on the body including paralysis, are found in lower average (doses 5-10x) the CL50 values for the pharmaceuticals tested. A refined analysis of behavioral parameters using zebrabox shows that there are significant changes in the total swimming time, or total distance of embryos on much concentrations near or even below the concentrations already been detected in the environment of psychiatric pharmaceuticals. Furthermore, the results suggest that the effects on behavior can not follow a dose response since in low doses can induce locomotor activity and high doses tend to decrease locomotor activity.

Page generated in 4.922 seconds