• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 22
  • Tagged with
  • 22
  • 8
  • 8
  • 7
  • 7
  • 7
  • 6
  • 6
  • 5
  • 5
  • 4
  • 4
  • 4
  • 3
  • 3
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Filogeografia de Tropidurus torquatus Wied, 1820 (Squamata: Tropiduridae) com base em marcadores mitocondriais e nucleares / Phylogeography of Tropidurus torquatus Wied, 1820 (Squamata: Tropiduridae) based on mitochondrial and nuclear markers

Maíra Concistré 31 January 2013 (has links)
Estudos morfológicos constataram que a espécie Tropidurus torquatus apresenta dois morfotipos geograficamente distintos ao longo da área ocupada pela espécie. Um com preferência por ambientes saxícolas, situado mais para o interior do continente e, outro, mais costeiro, ocupando predominantemente os solos arenosos de dunas e restingas. Estes morfotipos possuem características morfológicas externas distintas associadas a estes ambientes. Porém, estas diferenças morfológicas observadas não foram determinantes para um estudo mais conclusivo dos padrões de diferenciação e da história zoogeográfica da espécie em questão. Dentro deste contexto teórico, este trabalho abordou a história das populações de T. torquatus com o uso de dados moleculares mostrando como a variabilidade genética da espécie esta distribuída geograficamente. Esta espécie se mostrou muito mais diversa do que se imaginava inicialmente. Quatro diferentes linhagens foram recuperadas na maioria das análises e apresentam relação com a geografia. Os resultados mostraram que esta espécie está se expandido e que possivelmente pode ocorrer uma diferenciação intraespecífica. Também mostrou que pode estar ocorrendo fluxo gênico não só dentro desta espécie, mas como entre as outras espécies do gênero, porém somente uma filogenia mais robusta poderá elucidar a relação entre elas / Morphological studies have showed that Tropidurus torquatus presents two geographically distinct morphotypes along the area occupied by the species. The first morphotype is saxicolous and exhibits a preference for rocky environments located farther inland, and the other morphotype is located in more coastal areas, occupying predominantly sandy soils of dunes and sandbanks. These morphotypes have distinct external morphological traits associated with the environments they occupy. However, these differences were not observed morphological determinants for a more conclusive study of the differentiation patterns of differentiation and zoogeographical history of the species. Within this theoretical context, this work addressed the history of T. torquatus populations using molecular data, in order to understand the geographical distribution of genetic variability. Results showed that this species is far more diverse than initially hypothesized. Four different lineages were recovered in most analyzes, each one related to its intrinsic distributional pattern. Besides, this study shows that this species is expanding its distribution area and for this reason a differentiation among populations is likely to occur, potentially with formation of new species. Also results show that gene flow may be occurring not only within the species, but also between other Tropidurus species. Nonetheless, only a more robust phylogeny may elucidate the relationship between these species
2

Filogeografia de Tropidurus torquatus Wied, 1820 (Squamata: Tropiduridae) com base em marcadores mitocondriais e nucleares / Phylogeography of Tropidurus torquatus Wied, 1820 (Squamata: Tropiduridae) based on mitochondrial and nuclear markers

Concistré, Maíra 31 January 2013 (has links)
Estudos morfológicos constataram que a espécie Tropidurus torquatus apresenta dois morfotipos geograficamente distintos ao longo da área ocupada pela espécie. Um com preferência por ambientes saxícolas, situado mais para o interior do continente e, outro, mais costeiro, ocupando predominantemente os solos arenosos de dunas e restingas. Estes morfotipos possuem características morfológicas externas distintas associadas a estes ambientes. Porém, estas diferenças morfológicas observadas não foram determinantes para um estudo mais conclusivo dos padrões de diferenciação e da história zoogeográfica da espécie em questão. Dentro deste contexto teórico, este trabalho abordou a história das populações de T. torquatus com o uso de dados moleculares mostrando como a variabilidade genética da espécie esta distribuída geograficamente. Esta espécie se mostrou muito mais diversa do que se imaginava inicialmente. Quatro diferentes linhagens foram recuperadas na maioria das análises e apresentam relação com a geografia. Os resultados mostraram que esta espécie está se expandido e que possivelmente pode ocorrer uma diferenciação intraespecífica. Também mostrou que pode estar ocorrendo fluxo gênico não só dentro desta espécie, mas como entre as outras espécies do gênero, porém somente uma filogenia mais robusta poderá elucidar a relação entre elas / Morphological studies have showed that Tropidurus torquatus presents two geographically distinct morphotypes along the area occupied by the species. The first morphotype is saxicolous and exhibits a preference for rocky environments located farther inland, and the other morphotype is located in more coastal areas, occupying predominantly sandy soils of dunes and sandbanks. These morphotypes have distinct external morphological traits associated with the environments they occupy. However, these differences were not observed morphological determinants for a more conclusive study of the differentiation patterns of differentiation and zoogeographical history of the species. Within this theoretical context, this work addressed the history of T. torquatus populations using molecular data, in order to understand the geographical distribution of genetic variability. Results showed that this species is far more diverse than initially hypothesized. Four different lineages were recovered in most analyzes, each one related to its intrinsic distributional pattern. Besides, this study shows that this species is expanding its distribution area and for this reason a differentiation among populations is likely to occur, potentially with formation of new species. Also results show that gene flow may be occurring not only within the species, but also between other Tropidurus species. Nonetheless, only a more robust phylogeny may elucidate the relationship between these species
3

Uma nova espécie de Tropidurus (Squamata : Tropiduridae) do litoral sul do Brasil e revisão do status taxonômico de Tropidurus catalanensis Gudynas & Skuk, 1983

Kunz, Tobias Saraiva January 2011 (has links)
Os lagartos Tropidurus do grupo torquatus são espécies heliófilas, extremamente abundantes nos vários tipos de formações abertas da América do Sul cisandina. O gênero tem história taxonômica complexa. A maioria das espécies foi descrita recentemente e revisões prévias incluíram pouco material do sul do continente. O grupo é composto atualmente por treze espécies: T. chromatops Harvey & Gutberlet, 1998, T. cocorobensis Rodrigues, 1987, T. erythrocephalus Rodrigues, 1987, T. etheridgei Cei, 1982, T. hispidus (Spix, 1825), T. hygomi Reinhardt & Lütken, 1861, T. insulanus Rodrigues, 1987, T. itambere Rodrigues, 1987, T. montanus Rodrigues, 1987, T. mucujensis Rodrigues, 1987, T. oreadicus Rodrigues, 1987, T. psammonastes Rodrigues, Kasahara & Yonenaga-Yasuda, 1983 e T. torquatus (Wied, 1820). Tropidurus catalanensis Gudynas & Skuk, 1983, foi descrito para o norte do Uruguai, porém atualmente é considerado sinônimo júnior de T. torquatus. Tropidurus torquatus tem a distribuição mais ampla do gênero, ocorrendo desde o Brasil central até o norte da Argentina. Diferenças significativas, tanto morfológicas como ecológicas, existem ao longo desta ampla área de distribuição, principalmente entre populações costeiras do sudeste e nordeste e as da região central do Brasil; as populações mais meridionais estavam, até recentemente, restritas ao Pampa e algumas áreas de campos e matas próximas ao Planalto Meridional, nos vales dos rios Uruguai, Paraguai e Paraná e alguns de seus tributários. Recentemente foi descoberta uma nova população de Tropidurus do grupo torquatus no litoral sul do estado de Santa Catarina, em disjunção das outras populações do sul do Brasil e significativamente diferente, na ecologia, das demais populações litorâneas (a mais próxima está a cerca de 800 km, no Rio de Janeiro). Após análises da variação geográfica dos caracteres morfológicos externos de Tropidurus torquatus, com ênfase nas populações do sul do Brasil, Tropidurus catalanensis foi revalidado e a população detectada no litoral sul de Santa Catarina foi descrita como nova espécie pertencente ao grupo torquatus. Nossa análise sugeriu ainda que pelo menos mais três espécies estão envolvidas sob o nome Tropidurus torquatus nas regiões Sudeste e Centro-Oeste do Brasil.
4

Uma nova espécie de Tropidurus (Squamata : Tropiduridae) do litoral sul do Brasil e revisão do status taxonômico de Tropidurus catalanensis Gudynas & Skuk, 1983

Kunz, Tobias Saraiva January 2011 (has links)
Os lagartos Tropidurus do grupo torquatus são espécies heliófilas, extremamente abundantes nos vários tipos de formações abertas da América do Sul cisandina. O gênero tem história taxonômica complexa. A maioria das espécies foi descrita recentemente e revisões prévias incluíram pouco material do sul do continente. O grupo é composto atualmente por treze espécies: T. chromatops Harvey & Gutberlet, 1998, T. cocorobensis Rodrigues, 1987, T. erythrocephalus Rodrigues, 1987, T. etheridgei Cei, 1982, T. hispidus (Spix, 1825), T. hygomi Reinhardt & Lütken, 1861, T. insulanus Rodrigues, 1987, T. itambere Rodrigues, 1987, T. montanus Rodrigues, 1987, T. mucujensis Rodrigues, 1987, T. oreadicus Rodrigues, 1987, T. psammonastes Rodrigues, Kasahara & Yonenaga-Yasuda, 1983 e T. torquatus (Wied, 1820). Tropidurus catalanensis Gudynas & Skuk, 1983, foi descrito para o norte do Uruguai, porém atualmente é considerado sinônimo júnior de T. torquatus. Tropidurus torquatus tem a distribuição mais ampla do gênero, ocorrendo desde o Brasil central até o norte da Argentina. Diferenças significativas, tanto morfológicas como ecológicas, existem ao longo desta ampla área de distribuição, principalmente entre populações costeiras do sudeste e nordeste e as da região central do Brasil; as populações mais meridionais estavam, até recentemente, restritas ao Pampa e algumas áreas de campos e matas próximas ao Planalto Meridional, nos vales dos rios Uruguai, Paraguai e Paraná e alguns de seus tributários. Recentemente foi descoberta uma nova população de Tropidurus do grupo torquatus no litoral sul do estado de Santa Catarina, em disjunção das outras populações do sul do Brasil e significativamente diferente, na ecologia, das demais populações litorâneas (a mais próxima está a cerca de 800 km, no Rio de Janeiro). Após análises da variação geográfica dos caracteres morfológicos externos de Tropidurus torquatus, com ênfase nas populações do sul do Brasil, Tropidurus catalanensis foi revalidado e a população detectada no litoral sul de Santa Catarina foi descrita como nova espécie pertencente ao grupo torquatus. Nossa análise sugeriu ainda que pelo menos mais três espécies estão envolvidas sob o nome Tropidurus torquatus nas regiões Sudeste e Centro-Oeste do Brasil.
5

Uma nova espécie de Tropidurus (Squamata : Tropiduridae) do litoral sul do Brasil e revisão do status taxonômico de Tropidurus catalanensis Gudynas & Skuk, 1983

Kunz, Tobias Saraiva January 2011 (has links)
Os lagartos Tropidurus do grupo torquatus são espécies heliófilas, extremamente abundantes nos vários tipos de formações abertas da América do Sul cisandina. O gênero tem história taxonômica complexa. A maioria das espécies foi descrita recentemente e revisões prévias incluíram pouco material do sul do continente. O grupo é composto atualmente por treze espécies: T. chromatops Harvey & Gutberlet, 1998, T. cocorobensis Rodrigues, 1987, T. erythrocephalus Rodrigues, 1987, T. etheridgei Cei, 1982, T. hispidus (Spix, 1825), T. hygomi Reinhardt & Lütken, 1861, T. insulanus Rodrigues, 1987, T. itambere Rodrigues, 1987, T. montanus Rodrigues, 1987, T. mucujensis Rodrigues, 1987, T. oreadicus Rodrigues, 1987, T. psammonastes Rodrigues, Kasahara & Yonenaga-Yasuda, 1983 e T. torquatus (Wied, 1820). Tropidurus catalanensis Gudynas & Skuk, 1983, foi descrito para o norte do Uruguai, porém atualmente é considerado sinônimo júnior de T. torquatus. Tropidurus torquatus tem a distribuição mais ampla do gênero, ocorrendo desde o Brasil central até o norte da Argentina. Diferenças significativas, tanto morfológicas como ecológicas, existem ao longo desta ampla área de distribuição, principalmente entre populações costeiras do sudeste e nordeste e as da região central do Brasil; as populações mais meridionais estavam, até recentemente, restritas ao Pampa e algumas áreas de campos e matas próximas ao Planalto Meridional, nos vales dos rios Uruguai, Paraguai e Paraná e alguns de seus tributários. Recentemente foi descoberta uma nova população de Tropidurus do grupo torquatus no litoral sul do estado de Santa Catarina, em disjunção das outras populações do sul do Brasil e significativamente diferente, na ecologia, das demais populações litorâneas (a mais próxima está a cerca de 800 km, no Rio de Janeiro). Após análises da variação geográfica dos caracteres morfológicos externos de Tropidurus torquatus, com ênfase nas populações do sul do Brasil, Tropidurus catalanensis foi revalidado e a população detectada no litoral sul de Santa Catarina foi descrita como nova espécie pertencente ao grupo torquatus. Nossa análise sugeriu ainda que pelo menos mais três espécies estão envolvidas sob o nome Tropidurus torquatus nas regiões Sudeste e Centro-Oeste do Brasil.
6

Análise comparativa da ecologia de Cnemidophorus ocellifer (Squamata: Teiidae) e Tropidurus hispidus (Squamata: Tropiduridae) em ambientes de Floresta Atlântica, Caatinga e Restinga do Nordeste brasileiro

Albuquerque, Ralph Lacerda de 31 July 2012 (has links)
Made available in DSpace on 2015-04-17T14:55:23Z (GMT). No. of bitstreams: 1 arquivototal.pdf: 688736 bytes, checksum: 174898ec13775cf825ce7ceb0054bb0c (MD5) Previous issue date: 2012-07-31 / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES / Variações ecológicas podem ser observadas ao longo da distribuição geográfica dos Squamata como consequência de diferentes pressões causadas por cada ambiente. Três populações de Tropidurus hispidus e Cnemidophorus ocellifer (em ambientes de Caatinga, restinga e Mata Atlântica) tiveram o uso de microhábitat, atividade, temperatura, dieta, dados morfométricos e reprodutivos comparados, a fim de testar a hipótese de que essas características respondem a variações ambientais, em vez de serem explicadas por fatores históricos. Foi observada diferença significativa entre o uso de microhábitat entre as populações. Cnemidophorus ocellifer foram mais encontrados em solos abertos ou associados a algum tipo de vegetação e os T. hispidus foram primariamente encontrados em microhábitats verticais (edificações e troncos de árvores). A única variação na atividade foi observada nos T. hispidus de floresta, que ficaram mais parados do que os demais após a aproximação do pesquisador. Todas as populações foram influenciadas significativamente pela temperatura do substrato e não foi observada diferença significativa nas temperaturas corpóreas entre populações. Em geral, a composição da dieta foi similar entre as populações de C. ocellifer, entretanto algumas diferenças foram encontradas nos principais itens alimentares, e foi praticamente idêntica entre T. hispidus que se alimentou principalmente de formigas e material vegetal. Os machos de T. hispidus foram maiores do que as fêmeas, e nas duas espécies apresentaram cabeças maiores do que as fêmeas, provavelmente como consequência de seleção sexual. Os C. ocellifer da Caatinga foram maiores do que as demais populações, provavelmente como consequência de maior disponibilidade de fontes de calor ao longo do ano. Não houve variação no tamanho da ninhada tendo C. ocellifer apresentado ninhadas de dois e os T. hispidus seis ovos em média. Tropidurus hispidus apresentou um gradiente no ciclo reprodutivo entre os ambientes, sendo completamente sazonal na Caatinga, contínuo com um pico na restinga e uniforme na floresta, evitando a época seca. Os C. ocellifer se reproduziram sazonalmente na região de tabuleiro (mata atlântica) e continuamente nos demais ambientes. Os resultados mostram que ambos os fatores ecológicos e históricos influenciam características ao longo da distribuição dessas espécies e de forma diferenciada sobre cada espécie.
7

Descrição Morfológica do Sistema Digestório do Tropidurus hispidus (Spix, 1825) / Morphological description of the Digestive System of the Tropidurus hispidus (Spix, 1825)

Pinto, Acacia Maria 20 February 2017 (has links)
Submitted by Socorro Pontes (socorrop@ufersa.edu.br) on 2017-05-16T12:00:52Z No. of bitstreams: 1 AcaciaMP_DISSERT.pdf: 2637847 bytes, checksum: 4bdf5f16cab4bc9c6bcc211cdda16ce6 (MD5) / Made available in DSpace on 2017-05-16T12:00:52Z (GMT). No. of bitstreams: 1 AcaciaMP_DISSERT.pdf: 2637847 bytes, checksum: 4bdf5f16cab4bc9c6bcc211cdda16ce6 (MD5) Previous issue date: 2017-02-20 / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior / Reptiles are very important for the maintenance of the environment, being considered models for biological studies because they are easily observed, manipulated and captured. Tropidurus hispidus is the most abundant lizard species in caatinga and dry environments, being very common in Brazil. Their food habit consists mainly of invertebrates, however, they can ingest parts of vegetables. Due to their differentiated dietary habits and the lack of information related to the morphology of these animals, a study of the morphological characterization of the digestive tract of Tropidurus hispidus was proposed. Four animals of both sexes of the species Tropidurus hispidus from the Apodi-RN region were used. It is necessary an in-depth study to collect more data of this correlation, so that one has a better understanding of the digestive system of the Tropidurus hispidus. Therefore, the aim of the present work is to describe the morphological characterization of the digestive tract of Tropidurus hispidus. The animals were anesthetized and euthanized. The digestive tract was dissected, fixed in Metacarn and included in paraffin. Cuttings of 5 μm thickness were stained with H & E, Gomori trichrome, Mallory trichrome and alcian blue. The digestive system of Tropidurus hispidus has a tongue with cartilaginous structure both in its central part and in the lateral, the esophagus epithelium is the pseudostratified type ciliated with goblet cells, the stomach has presented the muscular layer is well developed both in the initial part Finally, the small intestine is longer than the large intestine, but layers that form the large intestine have characteristics similar to those of the small intestine. The liver had melanomagrophagous cells and the pancreas had no islets of Langerhans, all of these differences may be mainly related to the eating habits of these animals / Os répteis são muito importantes para a manuntenção do meio ambiente, sendo considerados modelos para estudos biológicos por serem facilmente observados, manuseados e capturados. Tropidurus hispidus é a espécie de lagarto mais abundante em regiões de caatingas e ambientes secos, sendo muito comum no Brasil. Seu hábito alimentar é constituído principalmente por invertebrados, no entanto, podem ingerir partes de vegetais. Devido ao seu hábito alimentar diferenciado e a carência de informações relacionadas à morfologia desses animais, foi proposto um estudo da caracterização morfológica do trato digestório do Tropidurus hispidus. Foram utilizados 4 animais de ambos os sexos da espécie Tropidurus hispidus da região de Apodi-RN. Faz-se necessário um estudo aprofundado para coletar mais dados desta correlação, para que se tenha um melhor entendimento do sistema digestório do Tropidurus hispidus. Portanto, o objetivo do presente trabalho é descrever a caracterização morfológica do trato digestório do Tropidurus hispidus. Os animais foram anestesiados e eutanaziados. O trato digestório foi dissecado, fixado em Metacarn e incluídos em parafina. Foram feitos cortes de 5 μm de espessura foram corados com H&E, tricromo de Gomori, tricromo de Mallory e azul de alcian. O sistema digestório do Tropidurus hispidus possui uma língua com estrutura cartilaginosa tanto na sua parte central como nas laterais, o epitélio do esôfago é do tipo pseudoestratificado ciliado com células caliciformes, o estômago apresentou a camada muscular é bem desenvolvida tanto na parte inicial como na parte final, o intestino delgado é mais longo que o intestino grosso, porém camadas que formam o intestino grosso têm características semelhantes às do intestino delgado. O fígado apresentou células melanomacrofagos e pâncreas não apresenta ilhotas de Langerhans, todas essas diferenças podem estar principalmente relacionado com o hábito alimentar desses animais / 2017-05-16
8

Caracterização das propriedades neuromorfológicas e proliferativas do telencéfalo do lagarto Tropidurus hispidus

Pimentel, Hugo de Carvalho 28 March 2014 (has links)
For the last twenty years, a large number of data has been provided in favor of the hypothesis of new neurons being generated throughout the entire lifespan of some groups of animals. This phenomenon is known as postnatal neurogenesis. However, the physiological relevance of the increase in the neuronal population of some brain areas is not yet clear. In this sense, reptiles seem to be useful models for the study of postnatal neurogenesis and neuronal regeneration. The tropical lizards Tropidurus hispidus were shown to be examples of that, since they form new neurons throughout their entire lifespan. However, data on neuroanatomy and neurogenesis of this species have not yet been fully provided. Therefore, the aims of this study were to characterize the neuroanatomy and neuromorphology, to study the distribution of zinc terminal areas, to verify the neuronal proliferation pattern of these lizards when under different temperatures and to describe proliferative areas and neuronal migration pathways of the T. hispidus telencephalon. We used the Nissl technique to characterize anatomy; Golgi impregnations to characterize neuronal morphology; Neo-Timm histochemistry to detect zinc terminals; Doublecortin (DCX) immunohistochemistry as a marker of neuronal proliferation; NeuN immunohistochemistry to detect mature neurons; Glial fibrillary acidic protein (GFAP) to detect glia; and 5-bromodioxiuridine (BrDU) to detect cellular divisions. Our results show that T. hispidus lizards have at least ten different neuronal types in their cortical areas: granular (uni-, bi- and multipolar), pyramidal (normal, inverted, open, bipyramidal and horizontal), spherical horizontal and fusiform. Furthermore, we verified that the zinc-positive regions were in cortical areas, septum, striatum and amygdaloid complex. BrDU immunohistochemistry showed that in lizards maintained in warm temperatures (28oC), new cells were evenly distributed in the ventricle walls and in the nervous parenchyma. In cold temperatures (16oC), new cells concentrated near ventricle walls. The number of new cells, however, was not different between groups. This suggested that temperature changes may impair migration but not formation of new cells. DCX immunohistochemistry showed that there are four main neurogenic foci in T. hispidus: lateral, septomedial, ventral and terminal sulci. We further observed the existence of four patterns of neuronal migration: radial, rostraltangential (similar to the mammalian rostral migratory stream), caudal-tangential and commissural. Therefore, these data seem to support the hypothesis that the Tropiduridae family is important to understanding mechanisms of postnatal neurogenesis, and is useful to future studies on comparative neurobiology. / Nos últimos vinte anos, um grande número de evidências vem se acumulando em favor da hipótese de que novos neurônios são gerados durante toda a vida de alguns grupos de animais vertebrados. Este fenômeno é conhecido como neurogênese pós-natal. Todavia, ainda não está claro o significado fisiológico do aumento da população neuronal em diferentes áreas cerebrais. Os répteis parecem constituir uma classe de animais favoráveis para o estudo de neurogênese pós-natal e regeneração neuronal. A espécie de lagarto tropical Tropidurus hispidus é um exemplo disso, uma vez que apresenta formação de novos neurônios durante toda sua vida, por outro lado, as informações a cerca dos padrões neuroanatômicos e de neurogênese dessa espécie ainda não estão totalmente elucidados. Dessa forma, objetivou-se inicialmente realizar a caracterização neuroanatômica e neuromorfológica do telencéfalo do lagarto T. hispidus como também estudar a distribuição das áreas ricas em terminais de zinco. Além disso, verificar o padrão de proliferação neuronal quando submetidos a alterações térmicas e também descrever as áreas proliferativas e as vias de migração neuronal no telencéfalo desses animais. Para o estudo foram utilizadas as técnicas histoquímica de coloração de Nissl com a finalidade de caracterizar as áreas anatômicas; coloração de Golgi para caracterização neuromorfológica dos neurônios presentes no córtex cerebral; histoquímica de Neo-Timm a fim de detectar os terminais de zinco; imunohistoquímica para Doublecortina (DCX), como marcador de proliferação neuronal; imunohistoquímica para neurônios maduros (NeuN); proteína presente em glia radial (GFAP) e o marcador de divisão celular 5-Bromodioxiuridina (5-BrDU). A partir da análise dos dados foi possível verificar que o lagarto T. hispidus apresenta dez diferentes tipos de neurônios distribuídos em suas três áreas corticais, são eles: o granular (unipolar, bipolar e multipolar), piramidal (normal, invertido, aberto, bipiramidal e horizontal), horizontal esférico e fusiforme, além disso, verificou-se que as regiões zinco positivas encontravam-se em áreas corticais, septum, estriado e no complexo amidaloide. Os resultados obtidos com a marcação de imunohistoquímica para BrdU permitiu concluir que animais mantidos a temperatura natural (média de 28 ºC) apresentavam núcleos positivamente marcados tanto na parede do ventrículo como também distribuídos pelo parênquima nervoso. No entanto, aqueles animais mantidos a uma temperatura média de 16 ºC, esses núcleos positivamente marcados encontravam-se próximo ao ventrículo. Analisando o número de células positivamente marcadas por BrdU, em ambas temperaturas, verificou-se que não havia diferença estatisticamente significante, sugerindo que mudanças de temperatura podem alterar a mig ração de novos neurônios, mas possivelmente não altera a formação dessas novas células. Testes imunohistoquímicos com DCX demonstraram a existência em T. hispidus de quatro principais regiões produtoras de novos neurônios, são elas: sulcos laterais, septomediais, ventrais e terminais. Observou-se também a existência de quatro tipos de migração neuronal, a radial, tangencial rostral (semelhante a migração rostral de mamíferos), a tangencial caudal e a comissural. Portanto, esses dados parecem sustentar a hipótese de que a família Tropiduridae parece ser importante para entender os mecanismos de neurogênese pós-natal e ser útil para estudos futuros de neurobiologia comparada.
9

Tipos celulares no córtex medial do lagarto Tropidurus hispidus

Almeida, Fabríco Tavares Cunha de 30 March 2007 (has links)
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior / The aim of this study was to characterize the ependymal cells and neural population in the Tropidurus hispidus medial cortex. It s well known nowadays that the nervous system isn t so constant the way was believed and detains morphological and functional properties that was influenced by environmental, sexual, age alterations and origin of the lesion like others. There s a vast literature about studies of amphibians, birds, reptiles even mammals brains, but one of the major difficulties found in the nervous system s plasticity research area is the appropriated experimental model. The medial cortex of Tropidurus hispidus specimens was studied by several techniques as TIMM, Nissl, immunostainings to BrDU, GABA, EC40, by Lectin and mainly the Golgi method. The test results showed the existence of 17 neuronal types in the T. hispidus medial cortex, with the major prevalence of the unipolar granular neuron, showed 12 ependymal cells, showed the positive reactivity to the GABA, BrDU and EC40 immunostainings too, the two lasts shows a post-natal neurogenic activity in the cortical region of this animal. Also was positive reactivity to the Lectin utilization in the microglia visualization. With the analysis of all this aspects, the study in the Tropidurus hispidus medial cortex showed a structural complexity as other characteristics that turn this animal a viable experimental model to the neurogenic processes studies. / O objetivo deste trabalho foi caracterizar a população neural e de células ependimárias no córtex medial do lagarto Tropidurus hispidus. Sabe-se atualmente que o sistema nervoso não é tão constante como se pensava e que detêm propriedades morfológicas e funcionais que são influenciadas por alterações ambientais, sexuais, etárias, da natureza da lesão dentre outras. Toda essa problemática vem sendo analisada tendo como base a regeneração do sistema nervoso. Há vasta literatura sobre estudo dos cérebros desde anfíbios, aves répteis até mamíferos e mesmo humanos, mas uma das maiores dificuldades para a pesquisa na área de plasticidade do sistema nervoso é um modelo experimental adequado. Para isto, no presente estudo o córtex medial dos espécimes de Tropidurus hispidus foi estudado por diversas técnicas como TIMM, Nissl, imunohistoquímicas para BrDU, GABA, EC40, pela Lectina e principalmente pelo método de Golgi. Os resultados dos testes demonstraram a existência de 17 tipos de neurônios no córtex medial do cérebro do T. hispidus, sendo que o tipo de maior prevalência foi o do neurônio granular unipolar, o teste de Golgi também mostrou 12 tipos de ependimócitos, verificando-se reatividade positiva à imunohistoquímica para GABA, para BrDU e para EC40, esses dois últimos demonstraram uma atividade neurogênica pós-natal na região cortical desse animal. Também houve uma reatividade positiva à utilização da Lectina na visualização da micróglia. Haja vista aos aspectos analisados, o estudo no córtex medial do T. hispidus denotou uma complexidade estrutural bem como características que o tornam um modelo experimental viável para os estudos dos processos neurogênicos.
10

Filogenia e evolução dos Tropidurus do grupo torquatus (Squamata: Tropiduridae) / Phylogeny and evolution of Tropidurus of the torquatus group (Squamata: Tropiduridae)

Marco Aurélio de Sena 23 March 2015 (has links)
Os lagartos Tropidurus do grupo torquatus compreendem um conjunto de 15 espécies atualmente reconhecidas que se distribuem pelas áreas abertas da América do Sul cis-Andina. Estas espécies apresentam populações saxícolas e arenícolas, cuja relação não era bem compreendida. O objetivo deste trabalho foi, utilizando cinco marcadores moleculares, dois mitocondriais e três nucleares, propor uma hipótese filogenética robusta. Foi feita a mais extensa cobertura geográfica da distribuição conhecida do grupo, o que proporcionou incluir o maior número possível de populações arenícolas e saxícolas. Juntamente com as análises moleculares, foram feitas contagens de caracteres merísticos e medidas morfométricas de modo a delimitar as linhagens encontradas. Foram incluídas nas análises moleculares 14 das 15 espécies, e para os dados morfológicos, todas as espécies contaram com pelo menos um indivíduo. O gênero Tropidurus não foi recuperado como monofilético. Embora a monofilia do grupo torquatus não tenha sido formalmente testada pela ausência de T. chromatops nas análises moleculares, todas as demais espécies foram recuperadas em um grupo monofilético. Das 14 espécies estudadas, seis provaram-se monofiléticas: T. erythrocephalus, T. hygomi, T. insulanus, T. Montanus e T. mucujensis e T. psammonastes; as demais mostraram-se para- ou polifiléticas. Foram testadas hipóteses de relacionamento entre as populações arenícolas e saxícolas, mostrando que o quadro é bastante complexo, com uma grande plasticidade eco-morfológica, indicada pelos múltiplos eventos de ocupação das áreas arenosos ao longo da América do Sul Cis-Andina. Houve pelo menos 10 eventos independentes de linhagens arenícolas, mostrando uma grande plasticidade eco-morfológica. Entre os clados recuperados, há pelo menos 10 linhagens que podem ser candidatas a espécie, obtidas de clados bem resolvidos e morfologicamente distintos. Os resultados mostraram que muitas das espécies consideradas de ampla distribuição e por isto consideradas de menor preocupação para políticas de conservarção, como T. hispidus, T. oreadicus e T. torquatus, na verdade são constituídas por muitas linhagens microendêmicas que devem receber atenção especial quanto a sua conservação. / As presently understood, the Tropidurus torquatus group comprises 15 lizard species distributed in open areas throughout Cis-Andean South America. These species include saxicolous and psammophilous populations with uncertain phylogenetic relationships. The aim of this work was to provide a comprehensive phylogenetic analysis of the group based on two mitochondrial and three nuclear markers. Our sample represents the most extensive geographic coverage of the group\'s distribution, including the largest possible number of saxicolous and psammophilous populations. Our approach also involve a parallel morphological analysis based on meristic and morphometric data in order to delimit the taxonomic lineages. The phylogenetic analyses included 14 of the 15 species known to date, whereas morphological data were obtained from at least one individual of all nominal species. Our results recovered the genus Tropidurus as non-monophyletic; of the 14 species included in the molecular analyses T. erythrocephalus, T. hygomi, T. insulanus, T. montanus, T. mucujensis and T. psammonastes are monophyletic, whereas all other traditional taxa are apparently para/polyphyletic aggregates. The relationships between psammophilous and saxicolous populations are complex indicating least 10 independent origins of sandy lineages, as well as at least 10 candidate species without available names. Many of the traditional species previously considered widespread, and therefore of minor concern from conservation perspectives, (e.g., T. hispidus, T. oreadicus and T. torquatus) in fact consist of many microendemic lineages that should receive special conservational attention.

Page generated in 0.0582 seconds