• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 139
  • 15
  • 4
  • 4
  • 4
  • 4
  • 2
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 157
  • 79
  • 48
  • 24
  • 20
  • 19
  • 19
  • 18
  • 16
  • 15
  • 14
  • 13
  • 12
  • 12
  • 12
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
11

Caracterização da escolha da cadência preferida no ciclismo a partir de parâmetros biomecânicos e fisiológicos

Soares, Denise Paschoal January 2004 (has links)
No ciclismo, existe um fenômeno muito discutido que se relaciona com o ritmo de pedalada: ao contrário do que acontece em situações de caminhada onde os seres humanos utilizam para caminhar uma combinação de comprimento/freqüência de passada que minimiza o gasto energético, vários estudos já demonstraram que a cadência (ritmo de pedalada) preferida é sempre superior a cadência que minimiza o consumo de oxigênio. Os objetivos deste estudo foram: a) caracterizar a escolha da cadência preferida no ciclismo a partir de parâmetros biomecânicos e fisiológicos; e b) analisar o comportamento do momento flexor no joelho com o aumento da cadência. Foi apresentada uma proposta metodológica para o cálculo das variáveis biomecânicas de interesse (momento muscular, potência muscular e eficiência mecânica). Para a obtenção das variáveis, foi utilizado o sistema de vídeo Peak Performance (versão 5.3) a 120Hz; pedal dinamométrico (1880 Hz) e Eletromiógrafo Bortec (1880 Hz), Ergoespirômetro (Medical Graphics Corp.). Foram avaliados sete ciclistas nas cadências de 60, 75, 90 e 105 rpm e na sua cadência preferida, com uma carga correspondente ao limiar ventilatório individual. Os resultados mostraram que a cadência preferida parece estar mais associada a parâmetros biomecânicos do que fisiológicos. Além disso, o momento flexor no joelho não apresenta um padrão de comportamento entre os indivíduos. / In cycling, there is a fact very discussed in the literature that is related to the pedaling rate: different from situations like walking, where human beings use to walk a combination of stride length/frequency that minimizes the energetic expenditure, many studies have demonstrated that the preferred pedaling rate is always higher than that who minimizes the oxygen consumption. The aims of this study were: a) to characterize the choice of preferred pedaling rate from biomechanical and physiological parameters; and b) to analyze the behavior of the knee flexor moment with the increase in pedaling rate. A methodological proposal was presented to calculate the biomechanical variables of interest (muscle moment, muscle power and mechanical efficiency). To obtain these variables, a Peak Performance video system (version 5.3) in 120 Hz; a dinamometrical pedal (1880 Hz), an Eletromiographer (1880 Hz) and an ergoespirometer were used. Seven cyclists were analyzed in the pedaling rates of 60, 75, 90, 105 rpm and the preferred pedaling rate, with a load correspondent to the individual ventilatory threshold. The results showed that the preferred pedaling rate seems to be more associated with the biomechanical parameters compared to the physiological parameters. Besides that, knee flexor moment didn’t show a pattern among individuals.
12

Avaliação do desempenho de ciclistas em exercício isocinético com produção de fadiga : instrumentação, biomecânica e eletromiografia / Evaluation of cyclists's performance in isokinectic exercises with fatigue production : instrumentation, biomechanics and eletromyography

Carvalho, Thiago Raposo Milhomem de 15 December 2012 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Tecnologia, Departamento de Engenharia Elétrica, Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Sistemas Eletrônicos e Automação, 2012. / Submitted by Jaqueline Ferreira de Souza (jaquefs.braz@gmail.com) on 2012-06-22T13:15:51Z No. of bitstreams: 1 2012_ThiagoRaposoMilhomemdeCarvalho.pdf: 3767204 bytes, checksum: fe993c0ecaa290f54d08e6f7aab31789 (MD5) / Approved for entry into archive by Jaqueline Ferreira de Souza(jaquefs.braz@gmail.com) on 2012-06-25T10:42:46Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2012_ThiagoRaposoMilhomemdeCarvalho.pdf: 3767204 bytes, checksum: fe993c0ecaa290f54d08e6f7aab31789 (MD5) / Made available in DSpace on 2012-06-25T10:42:46Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2012_ThiagoRaposoMilhomemdeCarvalho.pdf: 3767204 bytes, checksum: fe993c0ecaa290f54d08e6f7aab31789 (MD5) / Neste trabalho desenvolveu-se instrumentação dedicada para digitalização e tratamento de sinais biomecânicos e biológicos durante a atividade do ciclismo. Estudaram-se o comportamento mioelétrico e biomecânico durante atividades de contrações cíclicas em exercícios isocinéticos com produção de fadiga. Foram propostos protocolos experimentais e metodologias objetivas para análise do desempenho destes ciclistas, baseando-se nos sinais eletromiográficos e biomecânicos coletados dos mesmos. Na avaliação de desempenho do ciclista, com respeito à técnica particular de pedalar, foi proposta uma metodologia que infere o esforço realizado em prol da geração de torque efetivo em relação ao esforço total despendido durante o exercício. Realizou-se, então, uma análise do comportamento mioelétrico do vasto lateral da perna esquerda de cada ciclista, a partir do processamento e da análise de seu sinal eletromiográfico coletado. Nesta análise foram computados parâmetros descritores da fadiga a partir de segmentos específicos dos sinais de eletromiografia. Seis ciclistas voluntários participaram das coletas, utilizando o mesmo cicloergômetro, as mesmas sapatilhas e eletrodos para a coleta do sinal eletromiográfico. Não foi observada, a princípio, nenhuma relação direta entre a dinâmica da fadiga e o comportamento do desempenho biomecânico ao longo da fase isocinética do exercício. Constituem-se contribuições principais deste trabalho: a definição de um critério objetivo para avaliação de desempenho com instrumentação dedicada; a implementação de um conjunto de técnicas associadas de processamento e condicionamento do sinal eletromiográfico para o cálculo dos descritores e uma análise conjunta dos sinais biomecânicos e eletromiográficos para a verificação da existência de relações diretas entre fadiga e desempenho biomecânico, podendo esta ideia ser estendida a outras modalidades esportivas. _______________________________________________________________________________ ABSTRACT / In this work, dedicated instrumentation for digitizing and biologic and biomechanical signal processing during cycling activities was developed. The myoelectric and biomechanical behaviors during cyclic contractions activities in isokinetic exercises with fatigue production were studied. Experimental protocols and objective methodologies for these cyclists’ performance analysis were proposed, based on the electromyographic and biomechanical signals collected from them. For the cyclist’s performance evaluation, regarding the particular pedaling technique, a methodology that infers the effort made in order to generate effective torque in relation to the total effort made during the exercise was proposed. An analysis of the myoelectric behavior of the left leg’s vastus lateralis of each cyclist was done, from the processing and analysis of their collected electromyographic signal. In such analysis, fatigue descriptor parameters were computed, based on specific segments of the electromyographic signals. Six volunteer cyclists participated in the data acquisition, using the same cycle ergometer, the same shoes and electrodes for the electromyographic signal collection. At first, no direct relationship between the fatigue dynamics and the biomechanical performance behavior during the exercise’s isokinetic phase was observed. This work’s main contributions are: the definition of an objective criterion for performance evaluation with dedicated instrumentation; the implementation of a set of associated electromyographic signal processing and conditioning techniques in order to compute the descriptors, and a joint analysis of the biomechanical and electromyographic signals to verify the existence of direct relationships between fatigue and biomechanical performance, with the possibility to extend this idea to other sport modalities.
13

Limiar ventilatorio e comportamento do sinal eletromiografico durante exercicio incremental no cicloergometro

Gassi, Ewerton Rodrigo 14 February 2006 (has links)
Orientador: Antonia Dalla Pria Bankoff / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação Fisica / Made available in DSpace on 2018-08-10T10:26:40Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Gassi_EwertonRodrigo_M.pdf: 1633107 bytes, checksum: 15c38102329290cbe5e3045e5d846394 (MD5) Previous issue date: 2008 / Resumo: Em atividades esportivas, ou mesmo de caráter recreativo, onde a capacidade aeróbia se apresenta como um fator determinante, o momento de transição entre o metabolismo predominantemente aeróbio para o anaeróbio tem recebido grande atenção dos pesquisadores. Este ponto de transição tem sido chamado de Limiar Anaeróbio (Lan) e é considerado um parâmetro extremamente importante, superando inclusive o consumo máximo de oxigênio para a prescrição e controle do treinamento. Na avaliação do Limiar Anaeróbio, a resposta do lactato sanguíneo é um dos métodos com maior aceitação, porém, limiar ventilatório que se constitui em apontar alterações em alguns parâmetros ventilatórios também têm sido muito utilizado. Porém, os resultados encontrados até o momento não são suficientes para esclarecer como a ativação muscular responde a atividades de intensidade crescente, principalmente em relação ao Limiar Anaeróbio. Sendo assim, o objetivo deste estudo foi determinara o limiar ventilatório e comparar com alterações do sinal eletromiográfico. Fizeram parte do estudo oito homens (25,25 '+ ou ¿' 6,96 anos), ciclistas e triatletas, que se exercitaram em cicloergômetro, com a intensidade sendo aumentada em 25 W/min até que a cadência de 80 RPM não pudesse mais ser mantida. Para a coleta dos volumes gasosos foi utilizado um analisador de gases modelo VO2000 (Imbrasport 'MARCA REGISTRADA¿), e do software Aerograph. Os sinais eletromiográficos foram coletados dos músculos vasto lateral, vasto medial, reto femural, bíceps femural e semitendíneo, e processados por um eletromiógrafo da marca Lynx AI6010, contendo seis canais. A freqüência de amostragem estabelecida para a aquisição dos registros eletromiográficos foi de 1024 Hz. Para filtragem do sinal eletromiográfico bruto, o filtro passa baixa foi ajustado em 500 Hz e o filtro passa alta em 10 Hz. A conversão dos sinais analógico/digital foi realizada por intermédio de uma placa A/D CAD 12/36 da marca Lynx. Para a captação e leitura dos sinais foi utilizado o software AQDADOS-Lynx. A faixa de entrada foi ajustada entre ¿5.000 'mu¿V a +5.000 'mu¿V. O LV1 foi tomado como a intensidade correspondente a um aumento no VE/VO2 sem nenhum aumento no VE/VCO2 e comparado com a intensidade correspondente a um aumento não linear na amplitude do sinal eletromiográfico durante o protocolo incremental. Os resultados não mostraram diferença em nenhuma das variáveis selecionadas para a intensidade do LV1 (67,03 '+ ou ¿' 6,23 % do VO2 pico) e do ponto referente a um aumento não linear na amplitude do sinal eletromiográfico dos músculos vasto lateral (64,39 '+ ou ¿' 11,77 % do 'VO IND. 2¿ pico) e reto femural (66,78 '+ ou ¿' 11,13 % do 'VO IND. 2¿ pico). Para os demais músculos nenhum ponto e quebra na linearidade do sinal foi verificado / Abstract: In sports, or same physical activity where the aerobic capacity if presents as a determinative factor, the transition moment enters the predominantly aerobic metabolism for the anaerobic has received great attention from the researchers. The aim of this study was to compare the alterations in the EMG sign to the ventilatory threshold (VT). Eight amateur cyclists and tri-athletes males participated in this study (25,25 '+ ou ¿' 6,96 years). Each subject performed an incremental cycling exercise until exhaustion in a cadence of 80 RPM and with the intensity being increased in 25 W/min. An analyzer of gases model VO2000 (Imbrasport 'MARCA REGISTRADA¿) and a software Aerograph were used to collect the gaseous volumes. The EMG signs were collected from vastus lateralis and Rectus femoris muscles and processed by an electromyography Lynx AI6010, with a sampling frequency of 1024 Hz. For the reception and reading of the signs was used the software AQDADOS (Lynx). VT was determined by a non-linear increase in VE/VO2 without any increase in VE/'VO IND. 2¿ and compared with the intensity corresponding to break point of EMG sign (BPEMG). The BPEMG and VT parameters used were the load, the time, absolute and relative 'VO IND. 2¿, ventilation (VE), the heart hate (HH) and the subjective perception of the effort (PSE) based on the model proposed by Borg (1970). All the values were collected in the second 10 ends of each apprenticeship. The results had not shown to difference in none of the variable selected for the corresponding intensity to LV and LF-EMG of the muscles vastus lateralis and reto femoris. The other muscles, any BPEMG of the sign it was not verified. / Mestrado / Mestre em Educação Física
14

Influência do processamento de sinal eletromiográfico sobre o cálculo da defasagem eletromecânica no ciclismo.

Rocha, Everton Kruel da January 2006 (has links)
resumo não disponível
15

Caracterização da escolha da cadência preferida no ciclismo a partir de parâmetros biomecânicos e fisiológicos

Soares, Denise Paschoal January 2004 (has links)
No ciclismo, existe um fenômeno muito discutido que se relaciona com o ritmo de pedalada: ao contrário do que acontece em situações de caminhada onde os seres humanos utilizam para caminhar uma combinação de comprimento/freqüência de passada que minimiza o gasto energético, vários estudos já demonstraram que a cadência (ritmo de pedalada) preferida é sempre superior a cadência que minimiza o consumo de oxigênio. Os objetivos deste estudo foram: a) caracterizar a escolha da cadência preferida no ciclismo a partir de parâmetros biomecânicos e fisiológicos; e b) analisar o comportamento do momento flexor no joelho com o aumento da cadência. Foi apresentada uma proposta metodológica para o cálculo das variáveis biomecânicas de interesse (momento muscular, potência muscular e eficiência mecânica). Para a obtenção das variáveis, foi utilizado o sistema de vídeo Peak Performance (versão 5.3) a 120Hz; pedal dinamométrico (1880 Hz) e Eletromiógrafo Bortec (1880 Hz), Ergoespirômetro (Medical Graphics Corp.). Foram avaliados sete ciclistas nas cadências de 60, 75, 90 e 105 rpm e na sua cadência preferida, com uma carga correspondente ao limiar ventilatório individual. Os resultados mostraram que a cadência preferida parece estar mais associada a parâmetros biomecânicos do que fisiológicos. Além disso, o momento flexor no joelho não apresenta um padrão de comportamento entre os indivíduos. / In cycling, there is a fact very discussed in the literature that is related to the pedaling rate: different from situations like walking, where human beings use to walk a combination of stride length/frequency that minimizes the energetic expenditure, many studies have demonstrated that the preferred pedaling rate is always higher than that who minimizes the oxygen consumption. The aims of this study were: a) to characterize the choice of preferred pedaling rate from biomechanical and physiological parameters; and b) to analyze the behavior of the knee flexor moment with the increase in pedaling rate. A methodological proposal was presented to calculate the biomechanical variables of interest (muscle moment, muscle power and mechanical efficiency). To obtain these variables, a Peak Performance video system (version 5.3) in 120 Hz; a dinamometrical pedal (1880 Hz), an Eletromiographer (1880 Hz) and an ergoespirometer were used. Seven cyclists were analyzed in the pedaling rates of 60, 75, 90, 105 rpm and the preferred pedaling rate, with a load correspondent to the individual ventilatory threshold. The results showed that the preferred pedaling rate seems to be more associated with the biomechanical parameters compared to the physiological parameters. Besides that, knee flexor moment didn’t show a pattern among individuals.
16

Avaliação dos efeitos da posição do selim na técnica da pedalada de ciclistas: estudo de casos

Diefenthaeler, Fernando January 2004 (has links)
DIEFENTHAELER, F. Avaliação dos efeitos da posição do selim na técnica da pedalada de ciclistas: estudo de casos. Dissertação de mestrado. Programa de Pós-Graduação em Ciências do Movimento Humano. Escola de Educação Física. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2004. Tendo em vista a importância da otimização das forças aplicadas no pedal por ciclistas, o presente estudo objetivou analisar os efeitos de diferentes posturas do ciclista durante a pedalada, por meio da variação da posição do selim, e relacionando-as com as seguintes variáveis: (1) economia de movimento (EC); (2) aplicação das forças no pedal; (3) índice de efetividade (IE) da pedalada; (4) alterações nos ângulos das articulações do tronco, do quadril, do joelho e do tornozelo; e (5) ativação dos músculos selecionados. Participaram deste estudo três ciclistas da elite gaúcha. O protocolo constou da avaliação de quatro diferentes posições de selim (mais para frente, mais para trás, mais para cima e mais para baixo) a partir da posição de referência na qual o ciclista treina e na sua cadência preferida. Os atletas permaneceram durante 30 s em cada posição, contados após a estabilização da taxa da troca respiratória entre 0,90 e 1. A avaliação foi realizada em um ciclossimulador magnético com a bicicleta do atleta, na qual foi acoplado um pedal instrumentado para obtenção das forças aplicadas no pedal. Os músculos do membro inferior direito monitorados para a eletromiografia foram estes: gluteus maximus, rectus femoris, biceps femoris, vastus lateralis, gastrocnemius medialis e tibialis anterior. A partir das forças normal e tangencial, foram calculadas as forças resultante e efetiva para obtenção do IE. A EC foi calculada a partir do VO2 e da potência gerada. Para a análise dos dados, foi utilizada a média de 10 ciclos consecutivos de pedalada. Os resultados obtidos demonstraram que os ajustes na posição do selim modificaram a direção e a magnitude das forças e, conseqüentemente, o IE; e que os três ciclistas avaliados apresentaram IE e EC maiores na posição de referência. Os dados cinemáticos mostraram pequenas variações nos ângulos articulares em função das mudanças na posição do selim. A ativação muscular apresentou variação no período de ativação assim como na magnitude do valor RMS, nas diferentes posições de selim avaliadas.
17

Efeito do uso de meias de compressão no vo2máx em ciclistas

Alberto Junior, Sylvestre da Silva Alberto January 2018 (has links)
Submitted by Gisely Teixeira (gisely.teixeira@uniceub.br) on 2018-06-11T18:13:46Z No. of bitstreams: 1 51403334.pdf: 821353 bytes, checksum: 11ee9b67e764516a09bff0a83a303f78 (MD5) / Made available in DSpace on 2018-06-11T18:13:46Z (GMT). No. of bitstreams: 1 51403334.pdf: 821353 bytes, checksum: 11ee9b67e764516a09bff0a83a303f78 (MD5) Previous issue date: 2018 / Introdução: Um dos fatores que levam as pessoas a praticarem um esporte é o aumento de performance física que é preponderante para os ciclistas que almejam a competição. Num contexto em que as modalidades esportivas têm se tornado cada vez mais competitivas e que os atletas encontram à sua disposição diversos artifícios para melhoria de duas performances, torna-se oportuno o questionamento sobre a influência das roupas de compressão sobre a performance de atletas. Objetivo: Este estudo buscou analisar o efeito das meias de compressão no VO2máx durante testes ergoespirométricos em ciclistas em relação ao não uso. Material e Métodos: Foi testada a influência do uso de meias de compressão sobre o VO2máx de 10 ciclistas bem treinados durante dois testes incrementais máximos, com e sem meia de compressão. Resultados: Não houve diferença significativa no VO2máx atingido nos dois testes (p = 0,365).
18

Comparação entre a carga interna e externa de protocolos de treinamento intervalado de ciclismo prescritos a partir do método de intensidade autoajustável

Dall'Agnol, Cristiano January 2018 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Desportos, Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Florianópolis, 2018. / Apesar da ampla utilização da metodologia autoajustável de prescrição de intensidade em sessões de treinamento intervalado (TI), pouco se sabe sobre as alterações do tempo de esforço e de recuperação sobre o tempo sustentado =90% do consumo máximo de oxigênio (VO2max). O objetivo deste estudo foi analisar a influência de alterações do tempo de esforço e de recuperação em sessões de TI prescritas via modelo de intensidade autoajustável sobre a intensidade, as respostas fisiológicas, incluindo o tempo acumulado a 90-94% (t90), =95% (t95) e 90-100%VO2max (t@VO2max) e as respostas perceptuais. Onze ciclistas treinados do sexo masculino (VO2max 55,7 ± 7,4 ml.kg-1.min-1, 265,5 ± 67,1 km.sem-1) realizaram teste incremental máximo e quatro sessões de TI prescritas via modelo autoajustável compreendidas por quatro estímulos de 4 e 8 minutos e esforço:pausa (E:P) de 2:1 (4x2 e 8x4) e 4:1 (4x1 e 8x2) de forma randomizada em que nenhum feedback de desempenho foi fornecido aos atletas durante a sessão. Valores superiores de potência foram encontrados em protocolos com duração total de esforço de 16 min e com E:P de 2:1. O protocolo 4x2 (90,7 ± 5,0%) apresentou o maior VO2médio na sessão enquanto o 8x2 (83,0 ± 6,3%) o menor (p < 0,05). Nenhuma diferença foi encontrada entre protocolos nos valores absolutos de t90 e t95. Os protocolos com E:P de 2:1 apresentaram maior t@VO2max absoluto, e o protocolo 4x2 com maior t95 e t@VO2max relativo ao tempo da sessão (22,5 ± 23,6% e 46,3 ± 27,8%, respectivamente). Ainda, valores de concentração de lactato sanguíneo ao final da sessão foram superiores em protocolos com duração total de esforços de 16 min, sem diferenças entre protocolos nos valores de percepção subjetiva de esforço. O TI prescrito via intensidade autoajustável com esforços de 4 e 8 min pode ser utilizado com o objetivo de acumular tempo >90% VO2max. Esforços de 4 min são preferíveis para manter maior geração de potência e induzir menor carga interna de treino, sendo que a razão E:P de 2:1 deve ser priorizada para obter maior t@VO2max. / Abstract : Despite the large utilization of self-paced interval training (IT), few data are available on the manipulation of work- and rest-interval duration on the time spent at intensities higher than 90% of maximal oxygen consumption (VO2max). The aim of this study was to analyze the influence of alteration of work- and rest- interval duration in self-paced IT on the intensity, perceptual and physiological responses including time spent between 90-94% (t90), =95% (t95) and between 90-100%VO2max (t@VO2max). Eleven male trained cyclists (VO2max 55.7 ± 7.4 ml.kg-1.min-1, 265.5 ± 67.1 km.week-1) performed an incremental test and four self-paced IT sessions characterized by four bouts of 4 and 8 min and work:relief ratios (W:R) of 2:1 (4x2 and 8x4) and 4:1 (4x1 and 8x2) in a random order. None feedback of performance were given to the athletes during IT sessions. Superior mean values of power output were found in the protocols with 16 min of total work duration and for protocols with W:R of 2:1. The 4x2 protocol (90.7 ± 5.0%) showed the highest VO2 while the 8x2 (83.0 ± 6.3%) presented the lowest (p < 0.05). No difference in absolute t90 and t95 values were found among protocols. The W:R of 2:1 provided higher absolute t@VO2max and the protocol 4x2 the highest relative t95 and t@VO2max values (22.5 ± 23.6% and 46.3 ± 27.8% of session duration). In addition, superior blood lactate concentration were found in sessions of 16 min of total work duration with no difference in rating of perceived exertion among protocols. The results suggested that work-intervals of 4 and 8 min can be utilized aiming to spend time >90% VO2max. Bouts of 4 min are preferable to maintain higher power output and to induce lower training load and W:R of 2:1 must be prioritized to obtain higher t@VO2max.
19

Micro-simulación de ciclistas empleando VISSIM 8: un caso aplicado en la ciudad de Lima

Quispe Chayña, Edwin Rafael 31 January 2017 (has links)
Como parte del desarrollo sostenible es inevitable no considerar la influencia de los sistemas de transporte, sobre todo, por las altas emisiones de CO2 que producen. Ciudades como Copenhague, Estocolmo, Berlín y Bogotá han comprendido ya que una alternativa de solución es la promoción de los sistemas de transporte no motorizado y un claro ejemplo es fomentar la utilización de las bicicletas. Por otro lado, la microsimulación del tráfico es una alternativa tecnológica que ahora puede darse debido a las computadoras y sus procesadores cada vez más eficientes. Sin embargo, existen pocos estudios que incluyan a los ciclistas como parte importante de un proyecto. En tal sentido, esta investigación pretender servir como una base para el desarrollo de futuros proyectos relacionados a la evaluación microscópica, específicamente, de avenidas para uso exclusivo de ciclistas. La evaluación se realiza durante el ciclo día, en un tramo de la avenida Arequipa, entre las calles Gonzáles Prada y la avenida Angamos. Para la evaluación se utiliza el software Vissim 8.0, que a pesar de contar solo con el submodelo de seguimiento vehicular de Wiedemann, se pretende adaptarlo para representar a los ciclistas. Del mismo modo, se evalúa las configuraciones internas del software, en especial los efectos que resultan al variar (i) el nivel de detalle (en intervalos) de la curva asignada al desired speed distribution, (ii) el efecto del driving behaviour asignado, (iii) el número de actualizaciones por segundo y (iv) el número semilla. Y que, a diferencia de lo planteado en la hipótesis, estas evaluaciones muestran resultados significativos en los diferentes casos. Así mismo, se revisan los modelos de seguimiento vehicular de Gipps, Wiedemann y General Motors; así como los expuestos por Twaddle et al. (2014) que incluye los modelos longitudinalmente continuos, modelos autómata celular y modelos de fuerza social. Finalmente, se muestra evidencia que, si bien es posible obtener resultados estadísticamente similares utilizando submodelos vehiculares, es necesario implementar otros modelos de seguimiento que sean específicos para ciclistas, pues como se describe, estos realizan más movimientos individuales y responden ante otro tipo de estímulos y condiciones. / Tesis
20

Comportamento das respostas bioquímicas, fisiológicas e de desempenho após uma competição de ciclismo de fundo (130-km)

Rodrigues, Patrick January 2012 (has links)
Orientador : Prof. Dr. Raul Osiecki / Dissertaçao (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciencias Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Educaçao Física. Defesa: Curitiba, 30/03/2012 / Bibliografia: fls. 91-103 / Área de concentraçao: Exercício e esporte / Resumo: Introdução: O ciclismo é um dos esportes mais tradicionais do mundo, principalmente na Europa, onde é considerado o esporte número um, sendo a competição mais tradicional o "Tour de France" (DIEFENTHAELER et al, 2007). Para alcançar os maiores ganhos possíveis no desempenho atlético, é necessário encontrar o equilíbrio perfeito entre o estímulo de treinamento ideal e o mais curto período suficiente de recuperação (CAPOSTAGNO, LAMBERTS & LAMBERTS, 2010). É comum nos treinamentos de ciclistas que a carga oscile entre o estímulo insuficiente e o aparecimento do overtraining (OLIVEIRA et al, 2010). O objetivo deste estudo foi verificar os efeitos de uma competição de ciclismo de fundo (130- km) sobre os marcadores bioquímicos indireto de dano muscular, indicadores de desempenho muscular, percepção subjetiva de dor muscular e da variabilidade da frequência cardíaca. Métodos: A amostra foi composta por 15 atletas de ciclismo de fundo, do sexo masculino, com idade média de 27,5±6,3(anos); estatura de 177,2±4,5 (cm); peso corporal de 72,3±5,2 (Kg); % Gordura de 8,4±2,7; e VO2 máx. de 62,3±7,8 (ml/kg/min). Os atletas realizaram uma competição de ciclismo de fundo de 130-Km, e foram submetidos a avaliações de marcadores bioquímicos indiretos de dano muscular (CK, LDH e Mioglobina), de indicadores de desempenho muscular (CVIM e EMG), escalas de percepção subjetiva de dor muscular, e FVC; Pré, Pós, 24, 48 e 72 horas após a competição de ciclismo. A análise estatística utilizada para comparação entre os tratamentos foi através do GEE, Para determinar o nível de significância foi utilizado o Teste de Wald e a análise "Post-Hoc" feita por LSD p>0,05. Resultados: A competição de ciclismo de fundo (130-Km) gerou aumento da concentração plasmática de todos os bio-marcadores de dano muscular. A CVIM não demonstrou fadiga em seus momentos de coleta pós-competição, já o EMG apresentou diminuição de sinal pós-competição em comparação com o pré. A percepção de dor muscular apresentou pico de dor no momento pós-competição e a DMIT foi observada somente no momento 24 horas após. Nos índices da FVC, todos se apresentaram todos sensíveis após a competição, havendo diminuição dos marcadores de SNP e aumento do SNS. Conclusão: Os achados desta pesquisa reforçam as proposições da literatura científica sobre a necessidade do período de recuperação suficiente para os atletas de ciclismo de fundo, fornecendo evidências do comportamento de algumas repostas bioquímicas, fisiológicas e de desempenho após uma competição de ciclismo (130-Km). / Abstract: Introduction: Cycling is one of the most traditional sports in the world, mainly in Europe, where it is considered the number one sport, the most traditional competition is the "Tour de France" (DIEFENTHAELER et al, 2007). To achieve the greatest possible gains in athletic performance, it is necessary to find the perfect balance between optimal training stimulus and shorter sufficient recovery period (CAPOSTAGNO, LAMBERTS & LAMBERTS, 2010). It is common in the training of cyclists that the load remains between the insufficient stimulus and the appearance of overtraining (Oliveira et al, 2010). The objective of this study was to investigate the effects of a cycling competition (130-km) on indirect biochemical markers of muscle damage, indicators of muscle performance, subjective perception of muscle pain and heart rate variability. Methods: The sample consisted of 15 cycling athletes, male, average age 27.5±6.3 (years), height of 177.2±4.5 (cm), body weight 72.3±5.2 (kg), %fat 8.4±2.7, and VO2 max. 62.3±7.8 (ml/kg/min). The athletes performed a cycling competition of 130-km, and were evaluated for indirect biochemical markers of muscle damage (CK, LDH, and myoglobin), muscle performance indicators (MVCI and EMG), scales of subjective perception of muscle pain, and HRV, pre, post, 24, 48 and 72 hours after the cycling competition. The statistical analysis used for comparison between treatments was through the GEE, to determine the significance level was used Wald test and analysis, "Post-Hoc" made by LSD p>0.05. Results: The cycling competition (130-km) generated increased plasma concentration of all bio-markers of muscle damage. The MVCI post-competition showed no fatigue in its moments of collecting, since the EMG signal has decreased post-competition compared with pre. The perception of pain showed a peak in muscle pain during post-competition and DOMS was observed only after 24 hours. About the indices of HRV, they all presented susceptible after the competition, with decrease of PNS markers and increased SNS. Conclusion: Our findings reinforce the propositions of the scientific literature about the need for sufficient recovery time for cycling athletes, providing responses evidence of the behavioral of some biochemical, physiological and performance after a cycling competition (130-km).

Page generated in 0.0656 seconds