• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 103
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 1
  • Tagged with
  • 105
  • 105
  • 57
  • 57
  • 40
  • 37
  • 29
  • 28
  • 27
  • 24
  • 18
  • 16
  • 13
  • 11
  • 11
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Controle do escape de ar em modelo experimental de aerostasia pulmonar pela aplicação de enxerto autólogo de gordura livre

Felicetti, José Carlos January 2011 (has links)
O escape de ar persistente é a complicação mais frequente após ressecções pulmonares, resultando no aumento da morbimortalidade no pós-operatório. Objetivo: Avaliar a viabilidade, integração e eficácia do enxerto de gordura livre peritoneal como método de controle de escape de ar em ratos com pulmões normais e enfisematosos. Métodos: sessenta ratos Wistar foram divididos em dois grupos: enfisema (n=30) e pulmão normal (n=30). O escape de ar pulmonar foi obtido por perfuração direta no lobo inferior direito. Injeção intrapulmonar de enxerto de gordura livre autóloga peritoneal foi utilizada para aerostasia. Os ratos de cada grupo foram divididos aleatoriamente em subgrupos (n=6) de 7, 14, 21, 30 e 60 dias. Depois do sacrifício, os pulmões foram removidos para análise histológica, morfometria, identificação e contagem de vasos, imuno-histoquímica para caspase 3, VEGF e Fator VIII. Resultados: houve integração tecidual do enxerto de gordura livre em todos os animais de ambos os grupos e em todos períodos de tempo. Vasos corados com Tinta da China no interior do enxerto de gordura estavam presentes em todos períodos em ambos grupos. A expressão de VEGF foi significativamente mais alta em todos os períodos no grupo do enfisema em comparação aos pulmões normais (p<0.001). Houve um significativo aumento na expressão da caspase 3 no grupo do enfisema aos 30 e 60 dias (p<0.001). O Fator VIII mostrou um aumento significantivo (p<0.001) nos pulmões enfisematosos aos 30 e 60 dias. Conclusão: Este estudo demonstrou que o uso de enxerto de gordura livre peritoneal é capaz de controlar o escape de ar tanto em pulmões de ratos normais como naqueles com enfisema, e a viabilidade persiste por, pelo menos, 60 dias após seu implante. / Persistent pulmonary air leak is the most frequent complication after lung resection resulting in an increase of postoperative morbimortality. Objective: Evaluate the viability, integration and efficacy of free peritoneal fat graft as a method for air leak control into normal and emphysematous rat lungs. Methods: Sixty Wistar rats were divided into two groups: emphysema (n=30) and normal lung (n=30). Pulmonary air leak was produced by direct puncture of the right lower lobe. Intra pulmonary injection of autologous free peritoneal fat graft was used for aerostasis. The rats from each group were randomly divided into subgroups (n=6) of 7, 14, 21, 30 and 60 days. After sacrifice, lungs were removed for histological analysis, morphometry, vessel identification and counting, imunohistochemistry for Capase 3, VEGF and Factor VIII. Results: There was tissue integration of the free fat grafts in all animals in both groups at all time periods. Vessels stained with India ink inside the fat grafts were present at all periods in both groups. VEGF expression was significantly higher in all periods in the emphysema group in comparison to normal lungs (p<0.001). There was a significant increase in caspase 3 expression in the emphysema group at 30 and 60 days (p<0.001). Factor VIII showed a significant increase (p<0.001) at 30 and 60 days in emphysematous lungs. Conclusion: This study demonstrated that the use of free peritoneal fat graft controls air leak in normal and emphysematous rat lungs with persisting graft viability for at least 60 days after implantation.
2

Controle do escape de ar em modelo experimental de aerostasia pulmonar pela aplicação de enxerto autólogo de gordura livre

Felicetti, José Carlos January 2011 (has links)
O escape de ar persistente é a complicação mais frequente após ressecções pulmonares, resultando no aumento da morbimortalidade no pós-operatório. Objetivo: Avaliar a viabilidade, integração e eficácia do enxerto de gordura livre peritoneal como método de controle de escape de ar em ratos com pulmões normais e enfisematosos. Métodos: sessenta ratos Wistar foram divididos em dois grupos: enfisema (n=30) e pulmão normal (n=30). O escape de ar pulmonar foi obtido por perfuração direta no lobo inferior direito. Injeção intrapulmonar de enxerto de gordura livre autóloga peritoneal foi utilizada para aerostasia. Os ratos de cada grupo foram divididos aleatoriamente em subgrupos (n=6) de 7, 14, 21, 30 e 60 dias. Depois do sacrifício, os pulmões foram removidos para análise histológica, morfometria, identificação e contagem de vasos, imuno-histoquímica para caspase 3, VEGF e Fator VIII. Resultados: houve integração tecidual do enxerto de gordura livre em todos os animais de ambos os grupos e em todos períodos de tempo. Vasos corados com Tinta da China no interior do enxerto de gordura estavam presentes em todos períodos em ambos grupos. A expressão de VEGF foi significativamente mais alta em todos os períodos no grupo do enfisema em comparação aos pulmões normais (p<0.001). Houve um significativo aumento na expressão da caspase 3 no grupo do enfisema aos 30 e 60 dias (p<0.001). O Fator VIII mostrou um aumento significantivo (p<0.001) nos pulmões enfisematosos aos 30 e 60 dias. Conclusão: Este estudo demonstrou que o uso de enxerto de gordura livre peritoneal é capaz de controlar o escape de ar tanto em pulmões de ratos normais como naqueles com enfisema, e a viabilidade persiste por, pelo menos, 60 dias após seu implante. / Persistent pulmonary air leak is the most frequent complication after lung resection resulting in an increase of postoperative morbimortality. Objective: Evaluate the viability, integration and efficacy of free peritoneal fat graft as a method for air leak control into normal and emphysematous rat lungs. Methods: Sixty Wistar rats were divided into two groups: emphysema (n=30) and normal lung (n=30). Pulmonary air leak was produced by direct puncture of the right lower lobe. Intra pulmonary injection of autologous free peritoneal fat graft was used for aerostasis. The rats from each group were randomly divided into subgroups (n=6) of 7, 14, 21, 30 and 60 days. After sacrifice, lungs were removed for histological analysis, morphometry, vessel identification and counting, imunohistochemistry for Capase 3, VEGF and Factor VIII. Results: There was tissue integration of the free fat grafts in all animals in both groups at all time periods. Vessels stained with India ink inside the fat grafts were present at all periods in both groups. VEGF expression was significantly higher in all periods in the emphysema group in comparison to normal lungs (p<0.001). There was a significant increase in caspase 3 expression in the emphysema group at 30 and 60 days (p<0.001). Factor VIII showed a significant increase (p<0.001) at 30 and 60 days in emphysematous lungs. Conclusion: This study demonstrated that the use of free peritoneal fat graft controls air leak in normal and emphysematous rat lungs with persisting graft viability for at least 60 days after implantation.
3

Controle do escape de ar em modelo experimental de aerostasia pulmonar pela aplicação de enxerto autólogo de gordura livre

Felicetti, José Carlos January 2011 (has links)
O escape de ar persistente é a complicação mais frequente após ressecções pulmonares, resultando no aumento da morbimortalidade no pós-operatório. Objetivo: Avaliar a viabilidade, integração e eficácia do enxerto de gordura livre peritoneal como método de controle de escape de ar em ratos com pulmões normais e enfisematosos. Métodos: sessenta ratos Wistar foram divididos em dois grupos: enfisema (n=30) e pulmão normal (n=30). O escape de ar pulmonar foi obtido por perfuração direta no lobo inferior direito. Injeção intrapulmonar de enxerto de gordura livre autóloga peritoneal foi utilizada para aerostasia. Os ratos de cada grupo foram divididos aleatoriamente em subgrupos (n=6) de 7, 14, 21, 30 e 60 dias. Depois do sacrifício, os pulmões foram removidos para análise histológica, morfometria, identificação e contagem de vasos, imuno-histoquímica para caspase 3, VEGF e Fator VIII. Resultados: houve integração tecidual do enxerto de gordura livre em todos os animais de ambos os grupos e em todos períodos de tempo. Vasos corados com Tinta da China no interior do enxerto de gordura estavam presentes em todos períodos em ambos grupos. A expressão de VEGF foi significativamente mais alta em todos os períodos no grupo do enfisema em comparação aos pulmões normais (p<0.001). Houve um significativo aumento na expressão da caspase 3 no grupo do enfisema aos 30 e 60 dias (p<0.001). O Fator VIII mostrou um aumento significantivo (p<0.001) nos pulmões enfisematosos aos 30 e 60 dias. Conclusão: Este estudo demonstrou que o uso de enxerto de gordura livre peritoneal é capaz de controlar o escape de ar tanto em pulmões de ratos normais como naqueles com enfisema, e a viabilidade persiste por, pelo menos, 60 dias após seu implante. / Persistent pulmonary air leak is the most frequent complication after lung resection resulting in an increase of postoperative morbimortality. Objective: Evaluate the viability, integration and efficacy of free peritoneal fat graft as a method for air leak control into normal and emphysematous rat lungs. Methods: Sixty Wistar rats were divided into two groups: emphysema (n=30) and normal lung (n=30). Pulmonary air leak was produced by direct puncture of the right lower lobe. Intra pulmonary injection of autologous free peritoneal fat graft was used for aerostasis. The rats from each group were randomly divided into subgroups (n=6) of 7, 14, 21, 30 and 60 days. After sacrifice, lungs were removed for histological analysis, morphometry, vessel identification and counting, imunohistochemistry for Capase 3, VEGF and Factor VIII. Results: There was tissue integration of the free fat grafts in all animals in both groups at all time periods. Vessels stained with India ink inside the fat grafts were present at all periods in both groups. VEGF expression was significantly higher in all periods in the emphysema group in comparison to normal lungs (p<0.001). There was a significant increase in caspase 3 expression in the emphysema group at 30 and 60 days (p<0.001). Factor VIII showed a significant increase (p<0.001) at 30 and 60 days in emphysematous lungs. Conclusion: This study demonstrated that the use of free peritoneal fat graft controls air leak in normal and emphysematous rat lungs with persisting graft viability for at least 60 days after implantation.
4

Influência da ovariectomia no processo de reparo de enxerto ósseo autógeno em bloco na mandíbula : estudo histológico em ratas adultas /

Luize, Danielle Shima. January 2004 (has links)
Orientador: Álvaro Francisco Bosco / Resumo: O objetivo do presente estudo foi avaliar, por meio de análise histológica, a influência da ovariectomia (depleção de estrógeno) no processo de reparo de enxertos ósseos autógenos em bloco. Para isso, foram utilizadas 36 ratas fêmeas, com idade de 12 meses, divididas em grupo controle (GC) e grupo experimental (GE) de 18 animais cada. As ratas do GE foram submetidas à cirurgia de ovariectomia (Ov), enquanto as ratas do GC foram submetidas a simulação do mesmo procedimento cirúrgico, sem a remoção dos ovários (Si). Transcorridos 30 dias da Ov ou Si, todos os animais receberam enxerto ósseo autógeno em bloco na mandíbula, na região próxima ao ângulo, tendo como área doadora o osso parietal da calvária. Os animais de cada grupo foram divididos em subgrupos de 6 animais, os quais foram submetidos à eutanásia nos períodos de 7, 14 e 28 dias, após a realização do enxerto ósseo. Aos 7 dias, a interface enxerto-leito receptor no GC mostrou-se preenchida por um típico tecido de granulação, com discreta atividade de angiogênese na porção central, ao passo que no GE, havia ainda a presença de coágulo sanguíneo e um tecido de granulação em organização. Aos 14 dias, no GC, a interface apresentou-se parcialmente preenchida por matriz óssea neoformada, estabelecendo uma união do enxerto ao leito receptor, enquanto que no GE, a maior parte da interface encontrou-se preenchida por um típico tecido de granulação com nítida angiogênese e discreta atividade osteogênica, com neoformação de matriz óssea em algumas áreas. Aos 28 dias, o enxerto no GC apresentou-se histologicamente integrado ao leito receptor, com acentuada atividade osteogênica, ao passo que no GE a interface apresentou-se parcialmente preenchida por matriz óssea neoformada, encontrando-se também áreas de tecido conjuntivo entre o enxerto e o leito receptor... (Resumo completo, clicar acesso eletrônico abaixo) / Abstract: The aim of this study was to investigate, by means of histological analysis, the influence of ovariectomy (estrogen depletion) on the repair process of autogenous block bone grafts. 36 female adult rats, age twelve months, were assigned to two groups (n=18): control group (CG) and experimental group (EG). The rats in the EG had an ovariectomy (Ovx) whereas those in the CG underwent the same surgical intervention but did not have their ovaries removed ("Sham"). Thirty days after Ovx or "Sham" all the animals received autogenous block bone grafts in the mandible, in the region near the mandibular angle. The donor area was the parietal bone. The animals of each group were euthanized at 7, 14 and 28 days postoperative. On the 7th postoperative day, the graft-recipient site interface in the CG appeared filled by a typical granulation tissue with discreet angiogenic activity in the central portion whereas the EG still exhibited a blood clot and an organizing granulation tissue. On the 14th postoperative day, the interface in the CG was partially filled with newly formed bone matrix establishing a union between the graft and the recipient site. The majority of the interface in the EG was filled by a typical granulation tissue with evident angiogenic activity, discreet osteogenic activity and newly formed bone matrix in some areas. On the 28th postoperative day, the graft in the CG appeared histologically integrated with the recipient site and exhibited pronounced osteogenic activity. On the other hand, the interface in the EG appeared partially filled by newly formed bone matrix with areas of connective tissue observed as well. Within the limitations of the study, it may be concluded that estrogen depletion caused by the ovariectomy hindered the healing process of autogenous block bone grafts placed in the mandible of female adult rats... (Complete abstract, click electronic address below) / Mestre
5

Reparo do defeito ósseo na trepanação craniana com enxerto ósseo autólogo : estudo comparativo morfológico e tomográfico

Worm, Paulo Valdeci January 2007 (has links)
A cranioplastia para a correção dos defeitos causados pelo trépano cirúrgico é um dos problemas não adequadamente solucionados em neurocirurgia. As depressões deixadas pelo trépano neurocirúrgico nas craniotomias é uma queixa freqüente dos pacientes no pós-operatório. A extensa gama de materiais aloplásticos que tem sido propostos e utilizados para este fim é um bom exemplo desta dificuldade. O pó de osso, que é comumente usado nessas reconstruções, sofre um alto grau de reabsorção, mas até o momento, essa absorção não tinha sido mensurada, nem comparada com a do osso cortical. Outro grande desafio não solucionado até o momento é a dificuldade para acessar o desenvolvimento biológico de ossos transplantados em humanos, impossibilitando assim a quantificação dos resultados. A avaliação do local de reconstrução pela inspeção e pela palpação é um método grosseiro de aferição e permite apenas uma análise qualitativa subjetiva. Nossa insatisfação com o resultado estético das cranioplastias, além da falta de medidas objetivas das falhas ósseas, nos levou a testar a utilização do enxerto ósseo autógeno da lâmina interna da calota craniana para a resolução estético-funcional das deformidades causadas pelo trépano neurocirúrgico. O pó de osso foi recolhido durante a trepanação e o fragmento ósseo foi retirado, com uma trefina, especialmente confeccionada pelo autor para esse fim Após oito meses, realizamos tomografia de crânio com reconstrução óssea. Os locais reconstruídos com pó de osso e com fragmento ósseo foram delimitados e tiveram a densidade óssea aferida mediante tomografia computadorizada de crânio, procedimento ainda não utilizado na prática clínica neurocirúrgica. Os resultados foram expressos em unidades Hounsfield (HU). As reconstruções foram avaliadas por dois especialistas diferentes, cegados para o estudo, que atribuíram uma nota de 0 a 10 para a aparência estética dos locais reconstruídos. Analisamos a correlação entre a nota atribuída pelos avaliadores com a densidade medida pela TC. Foram reconstruídos 108 orifícios de craniotomia nos 23 pacientes estudados, sendo 36 orifícios reconstruídos com fragmento circular da lâmina interna (33,3%) e 72 com pó de osso (66,6%). A densidade média das reconstruções com fragmento circular foi 987,01 ± 172,6 HU, enquanto a de pó de osso foi 464,46 ±197,66 HU. Essa diferença foi estatisticamente significativa (p< 0,001, teste t de Student, < 0,05). A nota média atribuída às reconstruções pelos avaliadores foi de 9,5 para ao fragmento ósseo e 5,7 para o pó de osso, (p< 0,001, teste t pareado < 0,05). Não ocorreram complicações durante o seguimento de até 25 meses. Ao final do estudo, pode-se concluir que o fragmento de osso autólogo da lâmina interna é superior ao pó de osso para reconstrução dos orifícios de trepanação. A absorção do fragmento ósseo é menor e sua característica estética é superior. O custo nulo, bem como a ausência de morbidade do sítio doador, habilita o auto-enxerto como a primeira escolha para a correção dos defeitos causados pelo trépano cirúrgico. / The cranioplasty for the correction of defects caused by surgical trepan is one of the problems that is not properly solved in neurosurgery. Frequently, the patients complain during postoperative period about the depressions left by the neurosurgical trepan in the craniotomy. The extensive gamma of aloplastic materials that has been considered and used for this end is a good example of this difficulty. The bone dust, frequently used in these reconstructions, suffers a high reabsorption degree, but until the moment, this absorption had not been mesured, nor compared to the one of the cortical bone. Another great challenge that has not been solved yet until the moment is the difficulty to access the biological development of transplanted bones in human beings, something that disabled the results quantification. The place reconstruction evaluation through inspection and palpation is a coarse method of gauging and allows only a subjective qualitative analysis. Our insatisfaction with the cranioplasties aesthetic result and the lack of objective measures of the bone imperfections made us test the use of bone autogenous graft of the internal calvarial bone blade as a aesthetic-functionary resolution for the deformities caused by neurosurgical trepan. Twenty three adult patients submitted to the surgery due to varied causes (ragged aneurism, not ragged aneurism, arteriovenous malformation and benign neoplasia) had had the trepanation orifices reconstructed with autologous bone dust or a autologous bone circular took from the internal blade of the bone segment removed for the intracranium procedure. In the same pacient, the two types of reconstruction had been carried through. The bone dust was collected during trepanation with a trephine especially confectioned by the author for this end. After eight months, we have carried through a tomography of the cranium that had bone reconstruction. The places reconstructed with dust of bone and with bone fragment had been delimited and they had had the bone density gauged by means of cranium computerized tomography, procedure still not used in the practical neurosurgical clinic. The results were expressed in Hounsfield units (HU). The reconstructions were evaluated by two different specialists, blinded for the study, who attributed a grade from 0 to 10 for the aesthetic appearance of the reconstructed places. We analyzed the correlation between the grade attributed for the appraisers with the density measured for the CT. 108 orifices of craniotomy in the 23 studied patients were reconstructed, among those 36 orifices were reconstructed with circular fragment from the internal blade (33,3%) and 72 with bone dust (66,6%). The mean density of the reconstructions with circular fragment was 987.01 ± 172,6 UH, while the one of bone dust was 464,46 ±197,66 UH. This difference was significant in a statistical way (p< 0.001, paired t-test < 0,05). The average grade attributed to the reconstructions by the appraisers was of 9,5 to the bone fragment and 5,7 to the bone dust, (p< 0.001. paired t-test < 0,05). It had not occurred complications during the pursuing of up to 25 months. In the end of the study, it can be concluded that the autologous bone fragment of the internal blade is superior to the dust of bone for the reconstruction of trepanation orifices. The absorption of bone fragment is smaller and its aesthetic characteristic is superior. The null cost, as well as the absence of morbidade of donor place, qualifies the selfgraft as the first choice for the correction of the defects caused by surgical trepan.
6

Reconstrução do ligamento patelofemoral medial com enxerto livre do tendão do semitendinoso

Gomes, João Luiz Ellera January 2002 (has links)
A presente tese é o resultado final de um trabalho prospectivo evolutivo que buscou apresentar uma nova filosofia de tratamento na instabilidade femoropatelar, voltada para a reconstrução anatômica do ligamento patelofemoral medial. Essa abordagem terapêutica mostrou-se extremamente eficiente, com poucas complicações e com uma recuperação bastante rápida, o que permite um retorno às atividades profissionais ou discentes dos pacientes num espaço de tempo mais curto dos que nas técnicas convencionais. Em um primeiro trabalho foi realizada a reconstrução do ligamento patelofemoral medial (LPFM) com uso de enxerto de poliéster, e neste foi utilizado enxerto livre do tendão do semitendinoso. Como não houve diferença significativa entre os dois, concluiu-se que o princípio defendido de reconstrução do ligamento patelofemoral mediaal é mais importante que a escolha do enxerto a ser utilizado.
7

Reparo do defeito ósseo na trepanação craniana com enxerto ósseo autólogo : estudo comparativo morfológico e tomográfico

Worm, Paulo Valdeci January 2007 (has links)
A cranioplastia para a correção dos defeitos causados pelo trépano cirúrgico é um dos problemas não adequadamente solucionados em neurocirurgia. As depressões deixadas pelo trépano neurocirúrgico nas craniotomias é uma queixa freqüente dos pacientes no pós-operatório. A extensa gama de materiais aloplásticos que tem sido propostos e utilizados para este fim é um bom exemplo desta dificuldade. O pó de osso, que é comumente usado nessas reconstruções, sofre um alto grau de reabsorção, mas até o momento, essa absorção não tinha sido mensurada, nem comparada com a do osso cortical. Outro grande desafio não solucionado até o momento é a dificuldade para acessar o desenvolvimento biológico de ossos transplantados em humanos, impossibilitando assim a quantificação dos resultados. A avaliação do local de reconstrução pela inspeção e pela palpação é um método grosseiro de aferição e permite apenas uma análise qualitativa subjetiva. Nossa insatisfação com o resultado estético das cranioplastias, além da falta de medidas objetivas das falhas ósseas, nos levou a testar a utilização do enxerto ósseo autógeno da lâmina interna da calota craniana para a resolução estético-funcional das deformidades causadas pelo trépano neurocirúrgico. O pó de osso foi recolhido durante a trepanação e o fragmento ósseo foi retirado, com uma trefina, especialmente confeccionada pelo autor para esse fim Após oito meses, realizamos tomografia de crânio com reconstrução óssea. Os locais reconstruídos com pó de osso e com fragmento ósseo foram delimitados e tiveram a densidade óssea aferida mediante tomografia computadorizada de crânio, procedimento ainda não utilizado na prática clínica neurocirúrgica. Os resultados foram expressos em unidades Hounsfield (HU). As reconstruções foram avaliadas por dois especialistas diferentes, cegados para o estudo, que atribuíram uma nota de 0 a 10 para a aparência estética dos locais reconstruídos. Analisamos a correlação entre a nota atribuída pelos avaliadores com a densidade medida pela TC. Foram reconstruídos 108 orifícios de craniotomia nos 23 pacientes estudados, sendo 36 orifícios reconstruídos com fragmento circular da lâmina interna (33,3%) e 72 com pó de osso (66,6%). A densidade média das reconstruções com fragmento circular foi 987,01 ± 172,6 HU, enquanto a de pó de osso foi 464,46 ±197,66 HU. Essa diferença foi estatisticamente significativa (p< 0,001, teste t de Student, < 0,05). A nota média atribuída às reconstruções pelos avaliadores foi de 9,5 para ao fragmento ósseo e 5,7 para o pó de osso, (p< 0,001, teste t pareado < 0,05). Não ocorreram complicações durante o seguimento de até 25 meses. Ao final do estudo, pode-se concluir que o fragmento de osso autólogo da lâmina interna é superior ao pó de osso para reconstrução dos orifícios de trepanação. A absorção do fragmento ósseo é menor e sua característica estética é superior. O custo nulo, bem como a ausência de morbidade do sítio doador, habilita o auto-enxerto como a primeira escolha para a correção dos defeitos causados pelo trépano cirúrgico. / The cranioplasty for the correction of defects caused by surgical trepan is one of the problems that is not properly solved in neurosurgery. Frequently, the patients complain during postoperative period about the depressions left by the neurosurgical trepan in the craniotomy. The extensive gamma of aloplastic materials that has been considered and used for this end is a good example of this difficulty. The bone dust, frequently used in these reconstructions, suffers a high reabsorption degree, but until the moment, this absorption had not been mesured, nor compared to the one of the cortical bone. Another great challenge that has not been solved yet until the moment is the difficulty to access the biological development of transplanted bones in human beings, something that disabled the results quantification. The place reconstruction evaluation through inspection and palpation is a coarse method of gauging and allows only a subjective qualitative analysis. Our insatisfaction with the cranioplasties aesthetic result and the lack of objective measures of the bone imperfections made us test the use of bone autogenous graft of the internal calvarial bone blade as a aesthetic-functionary resolution for the deformities caused by neurosurgical trepan. Twenty three adult patients submitted to the surgery due to varied causes (ragged aneurism, not ragged aneurism, arteriovenous malformation and benign neoplasia) had had the trepanation orifices reconstructed with autologous bone dust or a autologous bone circular took from the internal blade of the bone segment removed for the intracranium procedure. In the same pacient, the two types of reconstruction had been carried through. The bone dust was collected during trepanation with a trephine especially confectioned by the author for this end. After eight months, we have carried through a tomography of the cranium that had bone reconstruction. The places reconstructed with dust of bone and with bone fragment had been delimited and they had had the bone density gauged by means of cranium computerized tomography, procedure still not used in the practical neurosurgical clinic. The results were expressed in Hounsfield units (HU). The reconstructions were evaluated by two different specialists, blinded for the study, who attributed a grade from 0 to 10 for the aesthetic appearance of the reconstructed places. We analyzed the correlation between the grade attributed for the appraisers with the density measured for the CT. 108 orifices of craniotomy in the 23 studied patients were reconstructed, among those 36 orifices were reconstructed with circular fragment from the internal blade (33,3%) and 72 with bone dust (66,6%). The mean density of the reconstructions with circular fragment was 987.01 ± 172,6 UH, while the one of bone dust was 464,46 ±197,66 UH. This difference was significant in a statistical way (p< 0.001, paired t-test < 0,05). The average grade attributed to the reconstructions by the appraisers was of 9,5 to the bone fragment and 5,7 to the bone dust, (p< 0.001. paired t-test < 0,05). It had not occurred complications during the pursuing of up to 25 months. In the end of the study, it can be concluded that the autologous bone fragment of the internal blade is superior to the dust of bone for the reconstruction of trepanation orifices. The absorption of bone fragment is smaller and its aesthetic characteristic is superior. The null cost, as well as the absence of morbidade of donor place, qualifies the selfgraft as the first choice for the correction of the defects caused by surgical trepan.
8

Reconstrução do ligamento patelofemoral medial com enxerto livre do tendão do semitendinoso

Gomes, João Luiz Ellera January 2002 (has links)
A presente tese é o resultado final de um trabalho prospectivo evolutivo que buscou apresentar uma nova filosofia de tratamento na instabilidade femoropatelar, voltada para a reconstrução anatômica do ligamento patelofemoral medial. Essa abordagem terapêutica mostrou-se extremamente eficiente, com poucas complicações e com uma recuperação bastante rápida, o que permite um retorno às atividades profissionais ou discentes dos pacientes num espaço de tempo mais curto dos que nas técnicas convencionais. Em um primeiro trabalho foi realizada a reconstrução do ligamento patelofemoral medial (LPFM) com uso de enxerto de poliéster, e neste foi utilizado enxerto livre do tendão do semitendinoso. Como não houve diferença significativa entre os dois, concluiu-se que o princípio defendido de reconstrução do ligamento patelofemoral mediaal é mais importante que a escolha do enxerto a ser utilizado.
9

Intensificação precoce e transplante autologo de celula progenitora hematopoetica versus quimioterapia convencional em pacientes portadores de linfoma não-hodgkin agressivos e de alto risco como terapia de primeira linha

Cardoso, Renata Baldissera 06 August 2018 (has links)
Orientador: Carmino Antonio de Souza / Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas / Made available in DSpace on 2018-08-06T06:28:09Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Cardoso_RenataBaldissera_D.pdf: 346472 bytes, checksum: 84614c0f0a64309cbd572b9ce576d857 (MD5) Previous issue date: 2005 / Resumo: O tratamento convencional dos linfomas não-Hodgkin (LNH) com protocolo CHOP, promove taxas de remissão em aproximadamente 70% dos pacientes, as recidivas são freqüentes e, apenas 40% serão curados. Regimes poliquimioterápicos de segunda ou terceira gerações, não melhoraram estes índices. Atualmente, o transplante autólogo de medula óssea é a terapia de escolha para pacientes com LNH agressivos, em primeira recidiva sensível. Estudos de fase II em LNH agressivos, incorporando terapia de alta dose (TAD) seguida por transplante autólogo de medula óssea (TAMO) ou células progenitoras periféricas (CPP) em primeira linha, têm mostrado melhores taxas de sobrevida livre de doença (SLD), a longo prazo, em uma proporção substancial de pacientes. Porém, os resultados de estudos randomizados não confirmaram estes achados e foram muito heterogêneos. Análises retrospectivas de dois destes estudos, sugeriram o benefício do TAMO em pacientes com LNH agressivos e com IPI alto risco, após terapia de indução completa. Outros estudos, incorporando TAMO após terapia de indução abreviada, mostraram resultados conflitantes. Com o objetivo de analisar se intensificação precoce é mais efetiva que quimioterapia convencional, no tratamento dos pacientes portadores de LNH agressivos e de alto risco, conduzimos um estudo prospectivo, randomizado, de setembro de 1998 a dezembro de 2003. Um total de 56 pacientes com LNH IPI alto intermediário e alto risco, foram randomizados para receber 12 ciclos de VACOP-B (Braço A) ou 6 ciclos de VACOP-B seguido por TAD - CY 4g/m2, VP16 2g/m2 e resgate com CPP (Braço B). Foram analisadas as taxas de sobrevida global (SG), sobrevida livre de doença (SLD), sobrevida livre de eventos (SLE), toxicidade e taxas de mortalidade. Foram randomizados 27 pacientes para o braço A e 29 pacientes para o braço B. Destes, 73.2% (41/56) dos pacientes foram do sexo masculino e 26.8%, do sexo feminino. A mediana de idade foi de 38 anos. Mortalidade precoce (< 100 dias) ocorreu em 17% dos pacientes durante o tratamento e a principal causa foi progressão de doença. Com uma mediana de observação de 23 meses, 14 (52%) pacientes no braço A e 16 (55%) pacientes no braço B obtiveram remissão completa (P=0,08). As taxas de SG não diferiram entre os dois braços terapêuticos (P=0.8). Em análise multivariada, o IPI foi fator adverso influenciando a SG. A SLD foi de 93% no braço A comparado com 47% no braço B (P=0,02), apesar do maior número de pacientes com IPI de alto risco no braço A (P=0,02). A análise da SLE, não mostrou diferença estatisticamente significante (47% braço A e 30% braço B; P=NS). IPI foi fator adverso significante associado à SLE. Considerando a baixa SLD no braço B, nós não podemos considerar terapia seqüencial de alta dose e resgate com CPP, após indução quimioterápica abreviada, como terapia de primeira linha em LNH agressivos e IPI de risco intermediário-alto e alto risco / Abstract: Despite the improvement of treatment of aggressive non-Hodgkin¿s lymphomas in the past 20 years, only 40% are cured. No differences have been observed in terms of overall results using protocols of 1rst, 2nd or 3rd generations. Autologous bone marrow transplantation (ABMT) seems to be the salvage treatment of choice in sensitive diseases. However, the role of ABMT as front line therapy is not clear. France and Italian randomized studies, in a retrospective analysis, suggested that ABMT had better results than conventional CT for highrisk NHL. From September 1998, a multicenter phase III prospective randomized study was carried out comparing: VACOP-B 12 weeks (group A) and VACOP-B (6 weeks) + high dose sequential therapy (CY, 4g/m2; VP-16, 2g/m2) followed by ABMT (group B), focusing on overall survival, DFS, EFS and mortality rate. Valuable patients were 27 (A) and 29 (B). Male gender 41 (73.2%) and female 15 (26.8%). Median age was 38.3 years (17-60). At the diagnosis, more patients in arm A were classified as high-risk by the IPI score (59% vs 27%; P=0,02). 17% of patients dead early during treatment, most of them progression disease. With a median of observation of 23 months; 14 patients obtained CR (52%) in arm A and 16 (55%) pts in arm B (P=0,08).No difference in OS was observed between arm A and arm B, 47% and 40%, respectively (P=0.8). The high IPI was significantly associated with shorted OS (P=0,004). The DFS in arm A was 93%, compared to 47% in arm B (P=0,02). There was no statistically significant difference to EFS (47% in arm A vs 30% in arm B, P=NS). By multivariate analysis only high IPI was an adverse factor influencing EFS (P=0,009). Considering the low DFS in arm B, we cannot consider HDT and ASCT as front-line therapy in high-risk NHL patients / Doutorado / Clinica Medica / Doutor em Ciências Médicas
10

Reparo do defeito ósseo na trepanação craniana com enxerto ósseo autólogo : estudo comparativo morfológico e tomográfico

Worm, Paulo Valdeci January 2007 (has links)
A cranioplastia para a correção dos defeitos causados pelo trépano cirúrgico é um dos problemas não adequadamente solucionados em neurocirurgia. As depressões deixadas pelo trépano neurocirúrgico nas craniotomias é uma queixa freqüente dos pacientes no pós-operatório. A extensa gama de materiais aloplásticos que tem sido propostos e utilizados para este fim é um bom exemplo desta dificuldade. O pó de osso, que é comumente usado nessas reconstruções, sofre um alto grau de reabsorção, mas até o momento, essa absorção não tinha sido mensurada, nem comparada com a do osso cortical. Outro grande desafio não solucionado até o momento é a dificuldade para acessar o desenvolvimento biológico de ossos transplantados em humanos, impossibilitando assim a quantificação dos resultados. A avaliação do local de reconstrução pela inspeção e pela palpação é um método grosseiro de aferição e permite apenas uma análise qualitativa subjetiva. Nossa insatisfação com o resultado estético das cranioplastias, além da falta de medidas objetivas das falhas ósseas, nos levou a testar a utilização do enxerto ósseo autógeno da lâmina interna da calota craniana para a resolução estético-funcional das deformidades causadas pelo trépano neurocirúrgico. O pó de osso foi recolhido durante a trepanação e o fragmento ósseo foi retirado, com uma trefina, especialmente confeccionada pelo autor para esse fim Após oito meses, realizamos tomografia de crânio com reconstrução óssea. Os locais reconstruídos com pó de osso e com fragmento ósseo foram delimitados e tiveram a densidade óssea aferida mediante tomografia computadorizada de crânio, procedimento ainda não utilizado na prática clínica neurocirúrgica. Os resultados foram expressos em unidades Hounsfield (HU). As reconstruções foram avaliadas por dois especialistas diferentes, cegados para o estudo, que atribuíram uma nota de 0 a 10 para a aparência estética dos locais reconstruídos. Analisamos a correlação entre a nota atribuída pelos avaliadores com a densidade medida pela TC. Foram reconstruídos 108 orifícios de craniotomia nos 23 pacientes estudados, sendo 36 orifícios reconstruídos com fragmento circular da lâmina interna (33,3%) e 72 com pó de osso (66,6%). A densidade média das reconstruções com fragmento circular foi 987,01 ± 172,6 HU, enquanto a de pó de osso foi 464,46 ±197,66 HU. Essa diferença foi estatisticamente significativa (p< 0,001, teste t de Student, < 0,05). A nota média atribuída às reconstruções pelos avaliadores foi de 9,5 para ao fragmento ósseo e 5,7 para o pó de osso, (p< 0,001, teste t pareado < 0,05). Não ocorreram complicações durante o seguimento de até 25 meses. Ao final do estudo, pode-se concluir que o fragmento de osso autólogo da lâmina interna é superior ao pó de osso para reconstrução dos orifícios de trepanação. A absorção do fragmento ósseo é menor e sua característica estética é superior. O custo nulo, bem como a ausência de morbidade do sítio doador, habilita o auto-enxerto como a primeira escolha para a correção dos defeitos causados pelo trépano cirúrgico. / The cranioplasty for the correction of defects caused by surgical trepan is one of the problems that is not properly solved in neurosurgery. Frequently, the patients complain during postoperative period about the depressions left by the neurosurgical trepan in the craniotomy. The extensive gamma of aloplastic materials that has been considered and used for this end is a good example of this difficulty. The bone dust, frequently used in these reconstructions, suffers a high reabsorption degree, but until the moment, this absorption had not been mesured, nor compared to the one of the cortical bone. Another great challenge that has not been solved yet until the moment is the difficulty to access the biological development of transplanted bones in human beings, something that disabled the results quantification. The place reconstruction evaluation through inspection and palpation is a coarse method of gauging and allows only a subjective qualitative analysis. Our insatisfaction with the cranioplasties aesthetic result and the lack of objective measures of the bone imperfections made us test the use of bone autogenous graft of the internal calvarial bone blade as a aesthetic-functionary resolution for the deformities caused by neurosurgical trepan. Twenty three adult patients submitted to the surgery due to varied causes (ragged aneurism, not ragged aneurism, arteriovenous malformation and benign neoplasia) had had the trepanation orifices reconstructed with autologous bone dust or a autologous bone circular took from the internal blade of the bone segment removed for the intracranium procedure. In the same pacient, the two types of reconstruction had been carried through. The bone dust was collected during trepanation with a trephine especially confectioned by the author for this end. After eight months, we have carried through a tomography of the cranium that had bone reconstruction. The places reconstructed with dust of bone and with bone fragment had been delimited and they had had the bone density gauged by means of cranium computerized tomography, procedure still not used in the practical neurosurgical clinic. The results were expressed in Hounsfield units (HU). The reconstructions were evaluated by two different specialists, blinded for the study, who attributed a grade from 0 to 10 for the aesthetic appearance of the reconstructed places. We analyzed the correlation between the grade attributed for the appraisers with the density measured for the CT. 108 orifices of craniotomy in the 23 studied patients were reconstructed, among those 36 orifices were reconstructed with circular fragment from the internal blade (33,3%) and 72 with bone dust (66,6%). The mean density of the reconstructions with circular fragment was 987.01 ± 172,6 UH, while the one of bone dust was 464,46 ±197,66 UH. This difference was significant in a statistical way (p< 0.001, paired t-test < 0,05). The average grade attributed to the reconstructions by the appraisers was of 9,5 to the bone fragment and 5,7 to the bone dust, (p< 0.001. paired t-test < 0,05). It had not occurred complications during the pursuing of up to 25 months. In the end of the study, it can be concluded that the autologous bone fragment of the internal blade is superior to the dust of bone for the reconstruction of trepanation orifices. The absorption of bone fragment is smaller and its aesthetic characteristic is superior. The null cost, as well as the absence of morbidade of donor place, qualifies the selfgraft as the first choice for the correction of the defects caused by surgical trepan.

Page generated in 0.085 seconds