• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 439
  • 45
  • 45
  • 45
  • 38
  • 30
  • 6
  • 3
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 446
  • 446
  • 196
  • 145
  • 78
  • 74
  • 73
  • 72
  • 64
  • 63
  • 53
  • 53
  • 52
  • 52
  • 51
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Perfil da aptidão física relacionada à saúde de escolares brasileiros avaliados pelo projeto Esporte Brasil : um estudo de tendência de 2003 a 2011

Machado, Débora Teixeira January 2012 (has links)
O objetivo deste trabalho foi descrever e analisar a tendência da prevalência de escolares na zona de risco à saúde nas variáveis da aptidão física relacionada à saúde (ApFRS) ao longo dos anos de 2003 a 2011. Este estudo de tendência foi realizado com escolares brasileiros de todos os estados da federação e Distrito Federal, avaliados pelo Projeto Esporte Brasil (PROESP-Br). A amostra foi selecionada de forma aleatória estratificada multifásica (1) por sexo, (2) categoria de idade e (3) períodos de tempo e composta por 4288 escolares. Em relação à idade, os escolares foram categorizados em dois grupos: crianças (idades de 6 a 10 anos) e adolescentes (idades de 11 a 17 anos). Quanto aos períodos de tempo, considerou-se: 2003-2004, 2005-2006, 2007-2008 e 2009-2011. Os procedimentos para a realização dos testes e medidas seguiram as orientações do PROESP-Br (2009). Foram analisadas as prevalências de crianças e adolescentes classificados na zona de risco à saúde nas seguintes componentes da aptidão (ApFRS): índice de massa corporal (IMC - calculado a partir das medidas da massa corporal e estatura), aptidão cardiorrespiratória (teste de corrida/caminhada de 9 minutos), flexibilidade (teste sentar-e-alcançar com banco de Wells) e força/resistência abdominal (teste sit’up). Para o tratamento estatístico dos dados, utilizou-se: (1) para análises descritivas, a freqüência de ocorrência em valores percentuais, estratificados por sexo, categoria de idade e período de avaliação; (2) para as diferenças entre o desempenho nos testes de aptidão física entre os períodos de avaliação, adotou-se Anova Oneway e testes Post hoc de Bonferroni com nível de significância de 0,05; (3) para verificar as associações entre os períodos de tempo e as categorias da aptidão física relacionada à saúde, a Regressão de Poisson, com variância robusta; (4) para análises de associação entre as variáveis da aptidão física relacionada à saúde e sexo, o teste Qui-quadrado. Para todas as análises inferenciais, o nível de significância adotado foi de 0,05. As prevalências de crianças na zona de risco à saúde para o IMC, são semelhantes entre os sexos (entre 19 e 24,3% nos meninos e entre 17,2 e 25,4% nas meninas). A prevalência na zona de risco à saúde para o IMC teve comportamento crescente entre os períodos iniciais nos dois sexos, sendo que as prevalências no último período sugerem que quase um quarto das crianças está com sobrepeso e obesidade. Para os adolescentes, as prevalências partem de percentuais próximos aos 10% em 2003-2004 e praticamente dobram ao longo dos 9 anos analisados, apresentando valores próximos a 20% nos dois sexos. Quanto à aptidão cardiorrespiratória, as prevalências de escolares na zona de risco à saúde são superiores a 32% entre as crianças e a 40% entre os adolescentes brasileiros. Nas crianças, as prevalências dos meninos na zona de risco variaram de 38,1% a 32,1% (2003-2004 e 2009-2011, respectivamente). Para as meninas, o percentual na zona de risco foi de 41% no primeiro período e 42,1% no último. Quando comparados, os meninos apresentam menores prevalências na zona de risco à doenças cardiovasculares, exceto no período de 2005-2006. Observam-se, entre os adolescentes, prevalências maiores quando comparados às crianças, com valores acima dos 40% em todos os períodos e nos dois sexos. A categoria “risco à saúde” para a aptidão cardiorrespiratória se associou aos adolescentes. Em relação à flexibilidade, os resultados apontaram maiores prevalências de crianças do sexo masculino na zona de risco à saúde, com valores entre 26,5 e 19,8%, em comparação a valores de 12,3 a 22%, no sexo feminino. Os percentuais aumentaram ao longo dos anos analisados no sexo masculino. As diferenças entre os sexos foram significativas, mostrando associação de crianças do sexo masculino e a categoria “risco à saúde” para flexibilidade. As prevalências de adolescentes na zona de risco à saúde na flexibilidade são superiores no sexo masculino (40,3% dos rapazes e17,9% das moças). Enquanto as prevalências das moças na zona de risco diminuíram ao longo dos anos analisados, os rapazes apresentaram percentuais crescentes, com associação entre a categoria “risco à saúde” e o sexo masculino. Para a força/resistência muscular abdominal, as crianças apresentaram prevalências decrescentes na zona de risco em ambos os sexos. Os percentuais de meninas abaixo do ponto de corte foram superiores ao dos meninos em todos os períodos de tempo analisados. Os percentuais de meninos na zona de risco à saúde variaram entre 23,5% e 19,8%, enquanto que os das meninas variaram de 32,8 a 24,9% do primeiro para o último período (2003-2004 a 2009-2011). As prevalências de adolescentes na zona de risco à saúde para força/resistência abdominal entre 2003-2004 e 2009-2011 foram mais elevadas para o sexo masculino (entre 31 e 45,9% nos rapazes; entre 26,5 e 28,4% nas moças). Houve associação entre o sexo masculino e a categoria “risco à saúde” para os dois grupos de idade. Esses resultados apontam para a necessidade de intervenções no âmbito da promoção da saúde através do incremento da aptidão física relacionada à saúde na escola, bem como o desenvolvimento de estratégias que favoreçam índices adequados de IMC na população infanto-juvenil brasileira. / The aim of this study was to describe and analyze the trend in the prevalence of students in health risk in variables of physical fitness related to health over the years 2003 to 2011. This trend study was conducted with Brazilian schoolchildren from all states of the federation and the Federal District, assessed by Project Sport Brazil. The sample was selected randomly stratified multistage by (1) sex, (2) age category and (3) time periods and comprised 4288 students. Regarding age, the students were categorized into two groups: children (ages 6-10 years) and adolescents (ages 11-17 years). For time periods were considered: 2003-2004, 2005-2006, 2007-2008 and 2009-2011. The procedures for performing the tests and measurements followed the guidance PROESP-Br (2009). It was analyzed the prevalence of children and adolescents classified in the health risk zone in the following components of health-related physical fitness: body mass index (BMI - calculated from measurements of weight and height), cardio respiratory fitness (9-minute run/walk test), flexibility (sit-and-reach test with Well´s bench) and abdominal strength/resistance (sit'up test). For the statistical treatment, it were used: (1) Frequency of occurrence in percentages, stratified by sex, age group and assessment period for descriptive analyzes, (2) Oneway Anova and Bonferroni post hoc tests with significance level of 0.05, to analyze the differences between performance on physical fitness tests between the evaluation periods, (3) Poisson regression with robust variance, to assess relationships between time periods and of health-related physical fitness categories, (4) Chi-square test, to analyze the association between health-related physical fitness variables and sex. For all inferential analyzes, the adopted significance level was 0.05. The prevalence of children in the health risk area for BMI is similar between the sexes (between 19 and 24.3% in boys and between 17.2 and 25.4% in girls). The prevalence in the health risk area for BMI had increased between the initial periods in both sexes, and the prevalence in the last period suggests that nearly a quarter of children are overweight or obese. The prevalence for adolescents was close to 10% in 2003-2004 and nearly double during the 9 years analyzed, with approximately 20% in both sexes. As for cardio respiratory fitness, the prevalence of schoolchildren in the health risk area are greater than 32% among children and than 40% among Brazilian adolescents. The prevalence for children boys in the risk zone ranged from 38.1% to 32.1% (2003-2004 and 2009-2011, respectively). The percentage in the risk zone for girls was 41% in the first period and 42.1% in the latter. When compared to girls, boys have lower prevalence in the cardiovascular disease risk area, except during the period 2005-2006. When compared to children, it was observed higher prevalence in the health risk area among adolescents, with values above 40% in all periods and in both sexes. The category "health risk" for cardio respiratory fitness was associated with adolescents. Regarding flexibility, the results indicated a higher prevalence of male children in the health risk area, with values between 26.5 and 19.8%. The values for females ranged from 12.3 to 22%. The percentages have increased over the years analyzed for males. For flexibility, the gender differences were significant, showing association of male children and the category "health risk. For flexibility, the prevalence of adolescents in the health risk area are higher in males (40.3% to boys and 17, 9% to girls). While the prevalence of girls in the risk zone decreased over the years analyzed, boys showed increasing percentages, with the association between the category "health risk" and male. For abdominal muscular strength/endurance, children showed decreasing prevalence in the risk area in both sexes. The percentage of girls below the cutoff was higher than boys, in all time periods analyzed. The frequency of boys in the health risk area ranged between 23.5% and 19.8%, while it ranged from 32.8 to 24.9% in girls from the first to the last period (2003-2004 to 2009 - 2011). The prevalence of adolescents in the health risk area to abdominal strength/endurance between 2003-2004 and 2009-2011 were higher for males (about 31 and 45.9% in boys and about 26.5 and 28.4% in girls). There was an association between male and the category "health risk" for both age groups. These results show the need to promoting health interventions by increasing health-related physical fitness levels at school, and the development of strategies that promote adequate levels of BMI in the Brazilian juvenile population.
2

Perfil da aptidão física relacionada à saúde de escolares brasileiros avaliados pelo projeto Esporte Brasil : um estudo de tendência de 2003 a 2011

Machado, Débora Teixeira January 2012 (has links)
O objetivo deste trabalho foi descrever e analisar a tendência da prevalência de escolares na zona de risco à saúde nas variáveis da aptidão física relacionada à saúde (ApFRS) ao longo dos anos de 2003 a 2011. Este estudo de tendência foi realizado com escolares brasileiros de todos os estados da federação e Distrito Federal, avaliados pelo Projeto Esporte Brasil (PROESP-Br). A amostra foi selecionada de forma aleatória estratificada multifásica (1) por sexo, (2) categoria de idade e (3) períodos de tempo e composta por 4288 escolares. Em relação à idade, os escolares foram categorizados em dois grupos: crianças (idades de 6 a 10 anos) e adolescentes (idades de 11 a 17 anos). Quanto aos períodos de tempo, considerou-se: 2003-2004, 2005-2006, 2007-2008 e 2009-2011. Os procedimentos para a realização dos testes e medidas seguiram as orientações do PROESP-Br (2009). Foram analisadas as prevalências de crianças e adolescentes classificados na zona de risco à saúde nas seguintes componentes da aptidão (ApFRS): índice de massa corporal (IMC - calculado a partir das medidas da massa corporal e estatura), aptidão cardiorrespiratória (teste de corrida/caminhada de 9 minutos), flexibilidade (teste sentar-e-alcançar com banco de Wells) e força/resistência abdominal (teste sit’up). Para o tratamento estatístico dos dados, utilizou-se: (1) para análises descritivas, a freqüência de ocorrência em valores percentuais, estratificados por sexo, categoria de idade e período de avaliação; (2) para as diferenças entre o desempenho nos testes de aptidão física entre os períodos de avaliação, adotou-se Anova Oneway e testes Post hoc de Bonferroni com nível de significância de 0,05; (3) para verificar as associações entre os períodos de tempo e as categorias da aptidão física relacionada à saúde, a Regressão de Poisson, com variância robusta; (4) para análises de associação entre as variáveis da aptidão física relacionada à saúde e sexo, o teste Qui-quadrado. Para todas as análises inferenciais, o nível de significância adotado foi de 0,05. As prevalências de crianças na zona de risco à saúde para o IMC, são semelhantes entre os sexos (entre 19 e 24,3% nos meninos e entre 17,2 e 25,4% nas meninas). A prevalência na zona de risco à saúde para o IMC teve comportamento crescente entre os períodos iniciais nos dois sexos, sendo que as prevalências no último período sugerem que quase um quarto das crianças está com sobrepeso e obesidade. Para os adolescentes, as prevalências partem de percentuais próximos aos 10% em 2003-2004 e praticamente dobram ao longo dos 9 anos analisados, apresentando valores próximos a 20% nos dois sexos. Quanto à aptidão cardiorrespiratória, as prevalências de escolares na zona de risco à saúde são superiores a 32% entre as crianças e a 40% entre os adolescentes brasileiros. Nas crianças, as prevalências dos meninos na zona de risco variaram de 38,1% a 32,1% (2003-2004 e 2009-2011, respectivamente). Para as meninas, o percentual na zona de risco foi de 41% no primeiro período e 42,1% no último. Quando comparados, os meninos apresentam menores prevalências na zona de risco à doenças cardiovasculares, exceto no período de 2005-2006. Observam-se, entre os adolescentes, prevalências maiores quando comparados às crianças, com valores acima dos 40% em todos os períodos e nos dois sexos. A categoria “risco à saúde” para a aptidão cardiorrespiratória se associou aos adolescentes. Em relação à flexibilidade, os resultados apontaram maiores prevalências de crianças do sexo masculino na zona de risco à saúde, com valores entre 26,5 e 19,8%, em comparação a valores de 12,3 a 22%, no sexo feminino. Os percentuais aumentaram ao longo dos anos analisados no sexo masculino. As diferenças entre os sexos foram significativas, mostrando associação de crianças do sexo masculino e a categoria “risco à saúde” para flexibilidade. As prevalências de adolescentes na zona de risco à saúde na flexibilidade são superiores no sexo masculino (40,3% dos rapazes e17,9% das moças). Enquanto as prevalências das moças na zona de risco diminuíram ao longo dos anos analisados, os rapazes apresentaram percentuais crescentes, com associação entre a categoria “risco à saúde” e o sexo masculino. Para a força/resistência muscular abdominal, as crianças apresentaram prevalências decrescentes na zona de risco em ambos os sexos. Os percentuais de meninas abaixo do ponto de corte foram superiores ao dos meninos em todos os períodos de tempo analisados. Os percentuais de meninos na zona de risco à saúde variaram entre 23,5% e 19,8%, enquanto que os das meninas variaram de 32,8 a 24,9% do primeiro para o último período (2003-2004 a 2009-2011). As prevalências de adolescentes na zona de risco à saúde para força/resistência abdominal entre 2003-2004 e 2009-2011 foram mais elevadas para o sexo masculino (entre 31 e 45,9% nos rapazes; entre 26,5 e 28,4% nas moças). Houve associação entre o sexo masculino e a categoria “risco à saúde” para os dois grupos de idade. Esses resultados apontam para a necessidade de intervenções no âmbito da promoção da saúde através do incremento da aptidão física relacionada à saúde na escola, bem como o desenvolvimento de estratégias que favoreçam índices adequados de IMC na população infanto-juvenil brasileira. / The aim of this study was to describe and analyze the trend in the prevalence of students in health risk in variables of physical fitness related to health over the years 2003 to 2011. This trend study was conducted with Brazilian schoolchildren from all states of the federation and the Federal District, assessed by Project Sport Brazil. The sample was selected randomly stratified multistage by (1) sex, (2) age category and (3) time periods and comprised 4288 students. Regarding age, the students were categorized into two groups: children (ages 6-10 years) and adolescents (ages 11-17 years). For time periods were considered: 2003-2004, 2005-2006, 2007-2008 and 2009-2011. The procedures for performing the tests and measurements followed the guidance PROESP-Br (2009). It was analyzed the prevalence of children and adolescents classified in the health risk zone in the following components of health-related physical fitness: body mass index (BMI - calculated from measurements of weight and height), cardio respiratory fitness (9-minute run/walk test), flexibility (sit-and-reach test with Well´s bench) and abdominal strength/resistance (sit'up test). For the statistical treatment, it were used: (1) Frequency of occurrence in percentages, stratified by sex, age group and assessment period for descriptive analyzes, (2) Oneway Anova and Bonferroni post hoc tests with significance level of 0.05, to analyze the differences between performance on physical fitness tests between the evaluation periods, (3) Poisson regression with robust variance, to assess relationships between time periods and of health-related physical fitness categories, (4) Chi-square test, to analyze the association between health-related physical fitness variables and sex. For all inferential analyzes, the adopted significance level was 0.05. The prevalence of children in the health risk area for BMI is similar between the sexes (between 19 and 24.3% in boys and between 17.2 and 25.4% in girls). The prevalence in the health risk area for BMI had increased between the initial periods in both sexes, and the prevalence in the last period suggests that nearly a quarter of children are overweight or obese. The prevalence for adolescents was close to 10% in 2003-2004 and nearly double during the 9 years analyzed, with approximately 20% in both sexes. As for cardio respiratory fitness, the prevalence of schoolchildren in the health risk area are greater than 32% among children and than 40% among Brazilian adolescents. The prevalence for children boys in the risk zone ranged from 38.1% to 32.1% (2003-2004 and 2009-2011, respectively). The percentage in the risk zone for girls was 41% in the first period and 42.1% in the latter. When compared to girls, boys have lower prevalence in the cardiovascular disease risk area, except during the period 2005-2006. When compared to children, it was observed higher prevalence in the health risk area among adolescents, with values above 40% in all periods and in both sexes. The category "health risk" for cardio respiratory fitness was associated with adolescents. Regarding flexibility, the results indicated a higher prevalence of male children in the health risk area, with values between 26.5 and 19.8%. The values for females ranged from 12.3 to 22%. The percentages have increased over the years analyzed for males. For flexibility, the gender differences were significant, showing association of male children and the category "health risk. For flexibility, the prevalence of adolescents in the health risk area are higher in males (40.3% to boys and 17, 9% to girls). While the prevalence of girls in the risk zone decreased over the years analyzed, boys showed increasing percentages, with the association between the category "health risk" and male. For abdominal muscular strength/endurance, children showed decreasing prevalence in the risk area in both sexes. The percentage of girls below the cutoff was higher than boys, in all time periods analyzed. The frequency of boys in the health risk area ranged between 23.5% and 19.8%, while it ranged from 32.8 to 24.9% in girls from the first to the last period (2003-2004 to 2009 - 2011). The prevalence of adolescents in the health risk area to abdominal strength/endurance between 2003-2004 and 2009-2011 were higher for males (about 31 and 45.9% in boys and about 26.5 and 28.4% in girls). There was an association between male and the category "health risk" for both age groups. These results show the need to promoting health interventions by increasing health-related physical fitness levels at school, and the development of strategies that promote adequate levels of BMI in the Brazilian juvenile population.
3

Avaliação da aptidão física de idosos atendidos em unidade de saúde da cidade de Fortaleza, Ceará / Evaluation of physical fitness of elderly patients in unit health of the city of Fortaleza, Ceará

Cavalcante, Rossman Prudente January 2005 (has links)
CAVALCANTE, Rossman Prudente. Avaliação da aptidão física de idosos atendidos em unidade de saúde da cidade de Fortaleza, Ceará. Dissertação (Mestrado em Saúde Pública) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Medicina, Fortaleza, 2005. / Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2014-01-07T16:52:29Z No. of bitstreams: 1 2005_dis_rpcavalcante.pdf: 1097615 bytes, checksum: 17e0227c6e215ee5842203886a9a5f68 (MD5) / Approved for entry into archive by denise santos(denise.santos@ufc.br) on 2014-01-07T16:53:03Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2005_dis_rpcavalcante.pdf: 1097615 bytes, checksum: 17e0227c6e215ee5842203886a9a5f68 (MD5) / Made available in DSpace on 2014-01-07T16:53:03Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2005_dis_rpcavalcante.pdf: 1097615 bytes, checksum: 17e0227c6e215ee5842203886a9a5f68 (MD5) Previous issue date: 2005 / RATIONAL – Functional status is one of the key elements for the health of elderly people. Although Katz index is widely used scale for measuring functional status, its validity has not been assessed in the Brazilian context.Furthermore, detailed data on the functional status of elderly people attending secundary care health units in Brazil are not available. OBJECTIVES – the aims of this study were to describe the profile of the functional status and physical fitness of elderly patients attending secondary care health units in a Brazilian city; to assess the performance of the Katz index to screen for physical function impairment against objective tests to assess physical function (gold-standard). DESIGN/PARTICIPANTS – cross-sectional study among elderly patients attending a secundary care health unit in Brazil. RESULTS - 133 patients were enrolled (111 female, 22 male), the mean age of the sample was 71+ 6.5 years. The great majority (86.4%) was classified by the Katz index as functionally independent, but 47.3% were found with functional impairment when assessed by physical tests. There was no association between the scores of physical performance assessed by Katz index and those by the physical tests. The most critically impaired physical domains were aerobic endurance and flexibility of back muscles. The impairment of certain physical domains was associated with age and literacy. CONCLUSIONS – A high proportion of elderly patients attending a secondary care health unit showed physical function impairment, representing those who need physical intervention. In such setting Katz index is not a valid instrument to screen for physical impairment. / INTRODUÇÃO: Um dos elementos principais da saúde do idoso diz respeito à sua capacidade funcional e aptidão física. A escala de Katz é um dos diversos instrumentos utilizados para avaliar a capacidade funcional do idoso, mas seu desempenho para esta proposta não tem sido avaliado no contexto dos serviços de saúde do Brasil. Ademais, é importante para o planejamento de ações de saúde se identificar o perfil no que se refere à aptidão física dos idosos brasileiros atendidos em unidades de saúde. OBJETIVOS - O presente estudo teve como objetivos descrever o perfil funcional e a aptidão física de idosos atendidos em uma unidade secundária de saúde na cidade de Fortaleza, Ceará; e avaliar o desempenho da escala de Katz para rastreio da aptidão física quando comparada com um teste objetivo de avaliação física desenvolvido especificamente para idosos (Senior Fitness Test). DELINEAMENTO/PARTICIPANTES: Estudo transversal com uma amostra de 133 indivíduos (22 homens e 111 mulheres) com sessenta anos ou mais e que procuraram uma consulta com médico generalista numa unidade secundária de saúde, no caso específico, o Centro de Atenção ao Idoso da Universidade Federal do Ceará. RESULTADOS: A faixa etária dos participantes foi de 71 anos + 6,5. A maioria da amostra (86,4%) atingiu o escore da escala de Katz compatível com independência funcional. Por outro lado, quase a metade dos idosos (47,3%) apresentou escores críticos nas capacidades motoras avaliadas pelo Senior Fitness Test (força, flexibilidade, potência aeróbia e mobilidade corporal). Não houve diferença significativa quanto à aptidão física entre indivíduos totalmente independentes e indivíduos que relataram dificuldade em algum dos itens da escala de Katz. Os testes físicos com índices mais baixos foram os que avaliaram a potência aeróbia e flexibilidade dos músculos que compõem a cadeia posterior, enquanto que força de membros inferiores e superiores foram os itens com resultados mais satisfatórios. Entre as variáveis socioeconômicas analisadas, a idade, o sexo, a escolaridade e o arranjo familiar apresentaram associação com alguns dos itens avaliados. CONCLUSÃO – Quase a metade de idosos atendidos em uma unidade secundária de saúde apresentaram comprometimento importante da aptidão física, representando um segmento que necessita potencialmente de intervenção física. A escala de Katz não se mostrou adequada para rastreio de comprometimento de aptidão física em idosos que acorrem à unidade de saúde.
4

Perfil da aptidão física relacionada à saúde de escolares brasileiros avaliados pelo projeto Esporte Brasil : um estudo de tendência de 2003 a 2011

Machado, Débora Teixeira January 2012 (has links)
O objetivo deste trabalho foi descrever e analisar a tendência da prevalência de escolares na zona de risco à saúde nas variáveis da aptidão física relacionada à saúde (ApFRS) ao longo dos anos de 2003 a 2011. Este estudo de tendência foi realizado com escolares brasileiros de todos os estados da federação e Distrito Federal, avaliados pelo Projeto Esporte Brasil (PROESP-Br). A amostra foi selecionada de forma aleatória estratificada multifásica (1) por sexo, (2) categoria de idade e (3) períodos de tempo e composta por 4288 escolares. Em relação à idade, os escolares foram categorizados em dois grupos: crianças (idades de 6 a 10 anos) e adolescentes (idades de 11 a 17 anos). Quanto aos períodos de tempo, considerou-se: 2003-2004, 2005-2006, 2007-2008 e 2009-2011. Os procedimentos para a realização dos testes e medidas seguiram as orientações do PROESP-Br (2009). Foram analisadas as prevalências de crianças e adolescentes classificados na zona de risco à saúde nas seguintes componentes da aptidão (ApFRS): índice de massa corporal (IMC - calculado a partir das medidas da massa corporal e estatura), aptidão cardiorrespiratória (teste de corrida/caminhada de 9 minutos), flexibilidade (teste sentar-e-alcançar com banco de Wells) e força/resistência abdominal (teste sit’up). Para o tratamento estatístico dos dados, utilizou-se: (1) para análises descritivas, a freqüência de ocorrência em valores percentuais, estratificados por sexo, categoria de idade e período de avaliação; (2) para as diferenças entre o desempenho nos testes de aptidão física entre os períodos de avaliação, adotou-se Anova Oneway e testes Post hoc de Bonferroni com nível de significância de 0,05; (3) para verificar as associações entre os períodos de tempo e as categorias da aptidão física relacionada à saúde, a Regressão de Poisson, com variância robusta; (4) para análises de associação entre as variáveis da aptidão física relacionada à saúde e sexo, o teste Qui-quadrado. Para todas as análises inferenciais, o nível de significância adotado foi de 0,05. As prevalências de crianças na zona de risco à saúde para o IMC, são semelhantes entre os sexos (entre 19 e 24,3% nos meninos e entre 17,2 e 25,4% nas meninas). A prevalência na zona de risco à saúde para o IMC teve comportamento crescente entre os períodos iniciais nos dois sexos, sendo que as prevalências no último período sugerem que quase um quarto das crianças está com sobrepeso e obesidade. Para os adolescentes, as prevalências partem de percentuais próximos aos 10% em 2003-2004 e praticamente dobram ao longo dos 9 anos analisados, apresentando valores próximos a 20% nos dois sexos. Quanto à aptidão cardiorrespiratória, as prevalências de escolares na zona de risco à saúde são superiores a 32% entre as crianças e a 40% entre os adolescentes brasileiros. Nas crianças, as prevalências dos meninos na zona de risco variaram de 38,1% a 32,1% (2003-2004 e 2009-2011, respectivamente). Para as meninas, o percentual na zona de risco foi de 41% no primeiro período e 42,1% no último. Quando comparados, os meninos apresentam menores prevalências na zona de risco à doenças cardiovasculares, exceto no período de 2005-2006. Observam-se, entre os adolescentes, prevalências maiores quando comparados às crianças, com valores acima dos 40% em todos os períodos e nos dois sexos. A categoria “risco à saúde” para a aptidão cardiorrespiratória se associou aos adolescentes. Em relação à flexibilidade, os resultados apontaram maiores prevalências de crianças do sexo masculino na zona de risco à saúde, com valores entre 26,5 e 19,8%, em comparação a valores de 12,3 a 22%, no sexo feminino. Os percentuais aumentaram ao longo dos anos analisados no sexo masculino. As diferenças entre os sexos foram significativas, mostrando associação de crianças do sexo masculino e a categoria “risco à saúde” para flexibilidade. As prevalências de adolescentes na zona de risco à saúde na flexibilidade são superiores no sexo masculino (40,3% dos rapazes e17,9% das moças). Enquanto as prevalências das moças na zona de risco diminuíram ao longo dos anos analisados, os rapazes apresentaram percentuais crescentes, com associação entre a categoria “risco à saúde” e o sexo masculino. Para a força/resistência muscular abdominal, as crianças apresentaram prevalências decrescentes na zona de risco em ambos os sexos. Os percentuais de meninas abaixo do ponto de corte foram superiores ao dos meninos em todos os períodos de tempo analisados. Os percentuais de meninos na zona de risco à saúde variaram entre 23,5% e 19,8%, enquanto que os das meninas variaram de 32,8 a 24,9% do primeiro para o último período (2003-2004 a 2009-2011). As prevalências de adolescentes na zona de risco à saúde para força/resistência abdominal entre 2003-2004 e 2009-2011 foram mais elevadas para o sexo masculino (entre 31 e 45,9% nos rapazes; entre 26,5 e 28,4% nas moças). Houve associação entre o sexo masculino e a categoria “risco à saúde” para os dois grupos de idade. Esses resultados apontam para a necessidade de intervenções no âmbito da promoção da saúde através do incremento da aptidão física relacionada à saúde na escola, bem como o desenvolvimento de estratégias que favoreçam índices adequados de IMC na população infanto-juvenil brasileira. / The aim of this study was to describe and analyze the trend in the prevalence of students in health risk in variables of physical fitness related to health over the years 2003 to 2011. This trend study was conducted with Brazilian schoolchildren from all states of the federation and the Federal District, assessed by Project Sport Brazil. The sample was selected randomly stratified multistage by (1) sex, (2) age category and (3) time periods and comprised 4288 students. Regarding age, the students were categorized into two groups: children (ages 6-10 years) and adolescents (ages 11-17 years). For time periods were considered: 2003-2004, 2005-2006, 2007-2008 and 2009-2011. The procedures for performing the tests and measurements followed the guidance PROESP-Br (2009). It was analyzed the prevalence of children and adolescents classified in the health risk zone in the following components of health-related physical fitness: body mass index (BMI - calculated from measurements of weight and height), cardio respiratory fitness (9-minute run/walk test), flexibility (sit-and-reach test with Well´s bench) and abdominal strength/resistance (sit'up test). For the statistical treatment, it were used: (1) Frequency of occurrence in percentages, stratified by sex, age group and assessment period for descriptive analyzes, (2) Oneway Anova and Bonferroni post hoc tests with significance level of 0.05, to analyze the differences between performance on physical fitness tests between the evaluation periods, (3) Poisson regression with robust variance, to assess relationships between time periods and of health-related physical fitness categories, (4) Chi-square test, to analyze the association between health-related physical fitness variables and sex. For all inferential analyzes, the adopted significance level was 0.05. The prevalence of children in the health risk area for BMI is similar between the sexes (between 19 and 24.3% in boys and between 17.2 and 25.4% in girls). The prevalence in the health risk area for BMI had increased between the initial periods in both sexes, and the prevalence in the last period suggests that nearly a quarter of children are overweight or obese. The prevalence for adolescents was close to 10% in 2003-2004 and nearly double during the 9 years analyzed, with approximately 20% in both sexes. As for cardio respiratory fitness, the prevalence of schoolchildren in the health risk area are greater than 32% among children and than 40% among Brazilian adolescents. The prevalence for children boys in the risk zone ranged from 38.1% to 32.1% (2003-2004 and 2009-2011, respectively). The percentage in the risk zone for girls was 41% in the first period and 42.1% in the latter. When compared to girls, boys have lower prevalence in the cardiovascular disease risk area, except during the period 2005-2006. When compared to children, it was observed higher prevalence in the health risk area among adolescents, with values above 40% in all periods and in both sexes. The category "health risk" for cardio respiratory fitness was associated with adolescents. Regarding flexibility, the results indicated a higher prevalence of male children in the health risk area, with values between 26.5 and 19.8%. The values for females ranged from 12.3 to 22%. The percentages have increased over the years analyzed for males. For flexibility, the gender differences were significant, showing association of male children and the category "health risk. For flexibility, the prevalence of adolescents in the health risk area are higher in males (40.3% to boys and 17, 9% to girls). While the prevalence of girls in the risk zone decreased over the years analyzed, boys showed increasing percentages, with the association between the category "health risk" and male. For abdominal muscular strength/endurance, children showed decreasing prevalence in the risk area in both sexes. The percentage of girls below the cutoff was higher than boys, in all time periods analyzed. The frequency of boys in the health risk area ranged between 23.5% and 19.8%, while it ranged from 32.8 to 24.9% in girls from the first to the last period (2003-2004 to 2009 - 2011). The prevalence of adolescents in the health risk area to abdominal strength/endurance between 2003-2004 and 2009-2011 were higher for males (about 31 and 45.9% in boys and about 26.5 and 28.4% in girls). There was an association between male and the category "health risk" for both age groups. These results show the need to promoting health interventions by increasing health-related physical fitness levels at school, and the development of strategies that promote adequate levels of BMI in the Brazilian juvenile population.
5

Teste "W" 20 metros : proposta computadorizada para analise da performance especifica em atletas de voleibol

Souza, Solon Jose Gonçalves de 22 March 2000 (has links)
Orientador: Idico Luiz Pellegrinotti / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação Fisica / Made available in DSpace on 2018-07-26T18:45:14Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Souza_SolonJoseGoncalvesde_M.pdf: 4665454 bytes, checksum: 360470395228cb389a824e874914d8ff (MD5) Previous issue date: 2000 / Resumo: O presente estudo teve como objetivo propor um teste respeitando as especificidades dos deslocamentos e ações do voleibol e desenvolver um instrumento computadorizado para sua análise. Durante a execução do teste, os atletas cumpriram o maior número de vezes o percurso composto de três bloqueios, cinco mudanças de direção e deslocamento de 20 metros completando um estágio, que foi repetido por um período de 6 (seis) minutos. O desenvolvimento do instrumento computadorizado para monitorar o teste foi feito através de microprocessadores compostos por hardware e software, com uma central para elaboração dos dados. O instrumento é composto por uma interface, cabos, conectores, plataformas de saltos e sensores fotoelétricos infravermelhos, todos distribuídos na dimensão do teste. Os sensores fazem a captação das passagens do indivíduo e das mudanças de direção, enquanto os bloqueios realizados são registrados pelas plataformas de salto. Os sinais registrados são transformados em pulsos elétricos e enviados para a interface. O software desenvolvido em linguagem "C" (Q Basic e Visual Basic) compreende um programa onde se encontram todas as variáveis do teste, .permitindo a monitoração contínua do equipamento Para análise do teste acima descrito foi realizado um experimento com de 13 indivíduos infanto-juvenis das equipes: Clube fonte São Paulo de Campinas-SP. e Objetivo Carrefour Sorocaba-SP, participantes do Campeonato Paulista da federação Paulista de Voleibol (FPV). Os resultados das variáveis observacionais pretendidas pelo teste e o instrumento foram quantificadas através de médias e desvios padrão. Conclui mos que a distância percorrida teve uma média igual a 703,07 e o desvio 'padrão igual a 38,36; em relação à velocidade m/s a média foi de 1,95 e o desvio padrão de 0,11, já a média do número de mudanças de direção foi de 175, 85 e o desvio padrão 5,58, e o número de bloqueios teve a média 105,54 e o desvio padrão de 5,87 / Abstract: The present study had as objective to propose a test respecting the specifities of the shifts and actions of the volleyball and to developed na, computorized equipment to its analysis. During the execution the ,athletes accomplished the largest number of times the route composed by three blocks, tive direction changes and a shift of 20 meters, finishing one stage, which was repeated during 6 minutes. The development of the computerized equipment in order to attend the test was made through microprocessors composed by hardware and sofiware, with a central to work out the data. The equipment is composed by na i nterface , cables, conectors, jump platforms and infrared photoeletric sensors, ali of them distributed at the test dimensions. The sensors realize the passages captation of the directions, whereas the blocks are recorded' by the jump platforms. The recorded signals are transformed into eletric pulses and sent to the interface. The software developed in C language (Q Basic and Visual Basic) comprises a program in which are ali the test variables allowing the continued atendance of the equipment. For the test assay above described an experiment was carried out employing 13 infanto-juvenile individuais from the volleyball teans: Clube Fonte São Paulo, from Campinas, São Paulo State and Objetivo Carrefour, from Sorocaba, São Paulo State, participants of the Paulista Championship of the Paulista Federation of Volleyball (PFV). The results ofthe observed variables as well as the equipment were quantitied by both medium and standard deviation. We concluded that the careered distance had a medium of 703.07 and a standard deviation of 38.36; in relation to the speed (m/s), a medium of 1.95 and a standard deviation of 0.11; on the other hand the direction changes number medium and the standard deviation were 175.85 and 5.58, respectively, and the blocks number had a medium of 105.54 and a standard deviation of 5.87 / Mestrado / Mestre em Educação Física
6

Perfil clínico, crescimento somático e aptidão física relacionada à saúde de crianças e adolescentes vivendo com HIV/AIDS

Santos, Fabiana Ferreira dos January 2011 (has links)
O aumento da incidência da AIDS no sexo feminino é o proporcional ao aumento de casos de transmissão vertical do vírus HIV. Assim, o uso de terapia antirretroviral (TARV) é indicado desde a gestação, durante a infância, adolescência e idade adulta, caracterizando a AIDS como doença crônica.. No entanto, seu uso contínuo pode desencadear efeitos adversos sendo importante monitorar sua evolução, bem como de outros fatores associados à cronicidade da doença. Em decorrência da carência de estudos contemplando a temática, este estudo teve por objetivo identificar as características de crianças e adolescentes vivendo com HIV/AIDS quanto ao perfil clínico, crescimento somático (CS) e aptidão física relacionada à saúde (APFS). A pesquisa caracterizou-se como um estudo descritivo, transversal, apresentando 63 participantes, na faixa etária entre 07 e 17 anos de ambos os sexos, usuários de TARV atendidos no ambulatório de HIV/AIDS em Pediatria do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA). Os dados foram coletados no período de 3 meses, 2 vezes por semana, após as consultas ambulatoriais. O perfil clínico foi obtido através da análise dos prontuários dos participantes destacando sexo, idade, forma de transmissão, TCD4+, TCD8+, CV, período diagnóstico, TARV e seu tempo de uso e ocorrência de infecções oportunistas (IOs). O (CS) foi avaliado pelas medidas de massa corporal total em kg (balança digital com escalas de 100g), estatura (fita métrica com escala em cm) e índice de massa corporal (IMC) em kg/m², as quais também compuseram os parâmetros da aptidão física juntamente com as medidas de dobras cutâneas, subescapular e tricipital (DCS, DCT) (plicômetro Sanny), circunferência de cintura (CC) (fita métrica), flexibilidade (teste de sentar e alcançar) e força- resistência abdominal (nº abdominais em 1 minuto). A análise estatística descritiva foi realizada através de medidas de tendência central (média) e medidas de dispersão e as associações entre as variáveis quantitativas, os coeficientes de correlação de Pearson ou Spearman foram aplicados. Para a associação entre as variáveis qualitativas, o teste qui-quadrado de Pearson (desvio-padrão; p≤ 0,05; IC 95%) no programa estatístico SPSS (Statistic Packet of Social Science) para o Windows versão 18.0. Os resultados: a amostra foi composta por 26 meninos (41,3%) e 37 meninas (58,7%). O perfil clínico dos participantes apresentou valores dentro dos critérios de normalidade. Quanto à adesão à TARV, 44 (16 meninos e 28 meninas) dos 63 indivíduos avaliados tiveram boa adesão aos fármacos. O crescimento somático (CS) caracterizou-se de forma semelhante ao da curva de referência da WHO (2007), apesar de apresentar uma não- linearidade. As oscilações do IMC foram evidentes em ambos os sexos. A circunferência de cintura (CC) foi mais elevada entre os participantes usuários de inibidores de protease (IPs) (p= 0, 045). A dobra cutânea tricipital apresentou percentis 5 e 15 predominantes na maioria das faixas etárias em ambos os sexos. A flexibilidade (FLEX) também apresentou valores abaixo do padrão, mas sem significância estatística. A força- resistência muscular abdominal (RMA) dos participantes está significativamente abaixo dos níveis desejáveis 76,2% da amostra (p= 0, 026), apresentando similaridade em percentual em ambos os sexos. Conclui-se que a amostra apresentou bom padrão clínico, crescimento somático próximo aos padrões de normalidade. As oscilações do IMC, redução de gordura periférica e aumento da CC evidenciam a ocorrência de lipodistrofia nos avaliados. Os níveis de APFS merecem atenção, principalmente a força-resistência muscular abdominal, a qual apresentou valores abaixo do ponto de corte predominante em ambos os sexos. Os resultados sugerem investigações mais aprofundadas com estudos experimentais e longitudinais com programa de intervenção com exercícios físicos.
7

Simetrias e assimetrias na força propulsiva durante o nado atado com e sem fadiga

Santos, Karini Borges dos January 2011 (has links)
Orientador : Prof. Dr. André Luiz Félix Rodacki / Dissertaçao (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciencias Biológicas, Programa de Pós-Graduaçao em Educaçao Física. Defesa: Curitiba, 25/02/2011 / Inclui referências / Área de concentraçao: Exercício e esporte / Resumo: O nado crawl é um exercício simétrico, no qual o desempenho depende da proficiência de cada segmento em gerar forças propulsivas. A capacidade de gerar força propulsiva simetricamente é mportante para a obtenção de elevadas performances. Nado atado é uma alternativa metodológica para avaliar presença/ausência de assimetrias entre hemicorpos. Este estudo objetivou analisar relação das forças propulsivas entre os hemicorpos direito e esquerdo durante o nado atado em situações que envolvem fadiga. Adicionalmente parâmetros propulsivos obtidos ao longo de 2 min de nado atado foram orrelacionados com velocidade de uma prova de 200m de nado livre e com parâmetros isométricos obtidos em um teste de 3s de contração isométrica voluntária máxima. Vinte e um atletas (21.6± 4.7 anos) foram avaliados nos parâmetros de força pico, força média, impulso e taxa de desenvolvimento de força em nado atado, durante 10s no início, meio e fim do teste, através de uma célula de carga. A frequência de raçada em nado livre e atado, velocidade limpa em nado livre, força isométrica máxima e taxa de desenvolvimento de força em teste de contação isométrica foram quantificadas. Somente a força pico no nado atado se correlacionou com a velocidade do nado livre. A frequencia de braçada no nado atado apresentou queda em todos os instantes da prova, enquanto no nado livre tais quedas foram encontradas apenas entre o início e o meio da prova. Assimetrias foram encontradas entre hemicorpos para tod s as variáveis avaliadas (p<0,05) indicando diferenças entre os lados direito e esquerdo durante o nado. Uma análise sobre preferência respiratória não revelou influência da assimetria (p>0.05). Por outro lado, quando a performance foi considerada, maior assimetria foi encontrada no grupo de menor desempenho (p<0.05). As variáveis mensuradas no teste isométrico não foram correlacionadas com aquelas empregadas para caracterizar o nado atado. A identificação de defcits de força entre membros é relevante para que técnicos e atletas incluam treinamentos compensatórios específicos para a melhoria do desempenho na natação, visto que menores assimetrias são associados às melhores performances. / Abstract: Crawl style is an asymmetric exercise, in which the performance depends on the proficiency of each segment to generating propulsive forces. The ability to symmetrically generate propulsive force is important to obtain high performances. Tethered swimming is a methodological alternative to assess the presence/absence of asymmetries between body sides. This study aimed to analyze the relationship of the propulsive forces between left and right sides during tethered swimming under fatigue conditions. Additionally, propulsive parameters obtained during 2 min of tethered swimming were correlated with swimming speed in a 200m free style swimming test and with isometric parameters obtained in a 3s maximal voluntary isometric contraction test. Twenty-one athletes (21.6± 4.7 years-old) were assessed in their peak force, mean force, impulse, and rate of force development using a load cell during 10s in the beginning, middle and the end of the tethered swimming test. Stroke frequency in the free and tethered swimming tests, wimming speed in the free style test, maximal voluntary isometric contraction test and the rate of force development were quantified. Only the peak force in tethered swimming was correlated with the speed in free style. Stroke frequency showed a fall in all instants of tethered swimming. In the free swimming, falls were found only between the beginning and the middle of the test. Asymmetries were found in all hemi bodies in ll measured variables (p<0.05) and indicated differences between the left and the right sides during swimming. A preferred breathing side analysis did not revealed an influence of asymmetry. On the other hand, when the performance was considered, greater asymmetry was found in the group with lower performance. The variables measured in the isometric test did not correlate with those applied to describe the tethered swimming. Identifying force deficits between segments is relevant for athletes and coaches as they may include specific compensatory training to improve the swimming performance, as small asymmetries are elated to best performances.
8

Efeitos do treinamento resistido com máquinas pneumáticas e resistência elástica progressiva na força, capacidade funcional e equilíbrio em mulheres idosas : um ensaio clínico randomizado

Gonçalves, Karina Ferreira Lagôa 13 August 2015 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Educação Física, Programa de Pós-Graduação Strictu-Sensu em Educação Física, 2015. / Submitted by Raquel Viana (raquelviana@bce.unb.br) on 2016-05-31T21:40:42Z No. of bitstreams: 1 2015_KarinaFerreiraLagôaGonçalves.pdf: 3467345 bytes, checksum: 8c0c9f1cef74950fed7c97f5d6773241 (MD5) / Approved for entry into archive by Raquel Viana(raquelviana@bce.unb.br) on 2016-05-31T21:41:10Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2015_KarinaFerreiraLagôaGonçalves.pdf: 3467345 bytes, checksum: 8c0c9f1cef74950fed7c97f5d6773241 (MD5) / Made available in DSpace on 2016-05-31T21:41:10Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2015_KarinaFerreiraLagôaGonçalves.pdf: 3467345 bytes, checksum: 8c0c9f1cef74950fed7c97f5d6773241 (MD5) / INTRODUÇÃO: O envelhecimento populacional é um processo que acarreta diversas mudanças fisiológicas no indivíduo. Um dos principais problemas associados com o avanço da idade é a perda ou a diminuição da força que por sua vez está relacionada com a diminuição da capacidade funcional e independência. Uma das maneiras de intervir nesse processo é por meio do treinamento resistido (TR). O TR pode ser feito utilizando diversos tipos de materiais incluindo entre eles a resistência elástica progressiva (REP) e máquinas pneumáticas (MP). OBJETIVO:O objetivo desse estudo foi verificar e comparar os efeitos de 12 semanas de dois diferentes tipos de TR (MP e REP), na força muscular, equilíbrio e capacidade funcional de mulheres idosas. MÉTODOS: 54 mulheres foram alocadas randomicamente em dois grupos de 27 individuos cada: O Grupo de Treinamento Resistência Elástica (GTRE; n=27; idade = 67.55 ± 5.20 anos) e o Grupo Treinamento Máquina (GTM; n=27; idade = 69.34 ± 5.37 anos). O GTRE (67.55 ± 5.20) e GTM (69.34 ± 5.37) participaram do treino duas vezes por semana durante 12 semanas com 9 exercícios para ambos os grupos. O pico de torque(PT) isocinético para extensores de joelhos(PTEJ) e flexores de cotovelo(PTFC) nas velocidades de 60 º/s e 180 º/s, a força de preensão manual(FPP), o teste de sentar e levantar(TSL), o teste de flexão de cotovelo(TFC), o 8-foot up & go e o teste de alcance funcional(TAF) foram as variáveis dependentes medidas nos momentos pré e pós da intervenção. Todas as avaliações foram realizadas PRÉ e PÓS o período de intervenção. Para análise estatística descritiva verificou-se a normalidade dos dados através do teste de Shapiro-Wilk. Para comparar as variáveis dependentes entre os grupos e entre os momentos pré e pós-intervenção a análise de variância mista 2X2, testes t pareado e independente, Wilcoxon e U-Mann-Whitney foram aplicados. Os cálculos foram realizados no programa SPSS, para um índice de significância de p≤0,05. RESULTADOS: Os dois tipos de treinamento promoveram aumento estatisticamente significativo (p<0.001) para as variáveis dependentes de PTEJ60 º/s, PTEJ180 º/s, PTFC60 º/s , TFC, TSL e 8 foot up&go em ambos os grupos. Para o TAF e FPP nos dois grupos e no PT isocinético para flexores de cotovelo na velocidade angular de 180 º/s no GTRE não foram observadas diferenças estatisticamente significativas. CONCLUSÃO: Com base nos resultados apresentados, conclui-se que o TR com MP ou REP duas vezes por semana, durante doze semanas, resultam em melhorias na força e capacidade funcional de mulheres idosas. Palavras-Chaves: Envelhecimento, Treinamento Resistido, Força Muscular, Capacidade Funcional e Equilíbrio. _______________________________________________________________________________________________ ABSTRACT / INTRODUCTION: Natural population aging is a process that brings about several physiological transformations in an individual. One of the main issues associated with the advance in age is the loss or lowering in strength that, at the same time, is related to the diminishing in the labouring capacity and independence. One of the manners to intervene in that process the resistive training (RT). RT can be made by using several types of materials, including, among others, the elastic progressive resistance (EPR) and pneumatic machines (PM). OBJECTIVE: The purpose of this study was to verify and compare the the effects of 12-week of two different types of RT (PD and EPR), in muscle strength, balance and functional capacity of untrained elderly women. METHODS: 54 women were randomly allocated in 2 groups of 27 individuals each: The Elastic Resistance Training Group (ERTG; n=27; age=67.55 + 5.20 years) and the Machine Training Group (MTG; n=27; age=69.34 + 5.37 years). The ERTG and the MTG participated on the training twice a week during 12 weeks with nine exercises for both groups. The isokinetic Peak Torque (PT) for knee extensors(PTKE) and elbow flexors(PTEF) at the speed of 60 º/s and 180 º/s , Handgrip Strength (HS), the 30’ chair sit to stand(CST), the 30` arm curl test(ACT), the 8-foot up & go agility test and the Functional Reach Test(FRT) were the dependent variable measures in the moments of pre and post intervention. All evaluations were performed before and after the intervention period. We used descriptive statistics and verified the data normality by the Shapiro-Wilk test. To compare the dependent variables between groups and between pre- and post-intervention a mixed model 2X2 of analysis of variance (ANOVA) and paired t tests and independent, Wilcoxon and U-Mann-Whitney was used. The calculations were performed using SPSS for a p≤0,05 significance index RESULTS: Both types of training promoted statistically significant increase (p <0.001) for PTKE at 180º/s and 60 º/s; PTEF at 60º/s, CST, ACT and 8 foot up&go test in both groups. For the FRT and the HS in both groups and the isokinetic PT to elbow flexor in angular speed of 180 º/s on ERTG no difference statistically significant was found. CONCLUSION: Based on the presented results, it is concluded that the RT with PM or EPR twice a week, for twelve weeks, result in improvements in strength and functional capacity in elderly women.
9

Perfil clínico, crescimento somático e aptidão física relacionada à saúde de crianças e adolescentes vivendo com HIV/AIDS

Santos, Fabiana Ferreira dos January 2011 (has links)
O aumento da incidência da AIDS no sexo feminino é o proporcional ao aumento de casos de transmissão vertical do vírus HIV. Assim, o uso de terapia antirretroviral (TARV) é indicado desde a gestação, durante a infância, adolescência e idade adulta, caracterizando a AIDS como doença crônica.. No entanto, seu uso contínuo pode desencadear efeitos adversos sendo importante monitorar sua evolução, bem como de outros fatores associados à cronicidade da doença. Em decorrência da carência de estudos contemplando a temática, este estudo teve por objetivo identificar as características de crianças e adolescentes vivendo com HIV/AIDS quanto ao perfil clínico, crescimento somático (CS) e aptidão física relacionada à saúde (APFS). A pesquisa caracterizou-se como um estudo descritivo, transversal, apresentando 63 participantes, na faixa etária entre 07 e 17 anos de ambos os sexos, usuários de TARV atendidos no ambulatório de HIV/AIDS em Pediatria do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA). Os dados foram coletados no período de 3 meses, 2 vezes por semana, após as consultas ambulatoriais. O perfil clínico foi obtido através da análise dos prontuários dos participantes destacando sexo, idade, forma de transmissão, TCD4+, TCD8+, CV, período diagnóstico, TARV e seu tempo de uso e ocorrência de infecções oportunistas (IOs). O (CS) foi avaliado pelas medidas de massa corporal total em kg (balança digital com escalas de 100g), estatura (fita métrica com escala em cm) e índice de massa corporal (IMC) em kg/m², as quais também compuseram os parâmetros da aptidão física juntamente com as medidas de dobras cutâneas, subescapular e tricipital (DCS, DCT) (plicômetro Sanny), circunferência de cintura (CC) (fita métrica), flexibilidade (teste de sentar e alcançar) e força- resistência abdominal (nº abdominais em 1 minuto). A análise estatística descritiva foi realizada através de medidas de tendência central (média) e medidas de dispersão e as associações entre as variáveis quantitativas, os coeficientes de correlação de Pearson ou Spearman foram aplicados. Para a associação entre as variáveis qualitativas, o teste qui-quadrado de Pearson (desvio-padrão; p≤ 0,05; IC 95%) no programa estatístico SPSS (Statistic Packet of Social Science) para o Windows versão 18.0. Os resultados: a amostra foi composta por 26 meninos (41,3%) e 37 meninas (58,7%). O perfil clínico dos participantes apresentou valores dentro dos critérios de normalidade. Quanto à adesão à TARV, 44 (16 meninos e 28 meninas) dos 63 indivíduos avaliados tiveram boa adesão aos fármacos. O crescimento somático (CS) caracterizou-se de forma semelhante ao da curva de referência da WHO (2007), apesar de apresentar uma não- linearidade. As oscilações do IMC foram evidentes em ambos os sexos. A circunferência de cintura (CC) foi mais elevada entre os participantes usuários de inibidores de protease (IPs) (p= 0, 045). A dobra cutânea tricipital apresentou percentis 5 e 15 predominantes na maioria das faixas etárias em ambos os sexos. A flexibilidade (FLEX) também apresentou valores abaixo do padrão, mas sem significância estatística. A força- resistência muscular abdominal (RMA) dos participantes está significativamente abaixo dos níveis desejáveis 76,2% da amostra (p= 0, 026), apresentando similaridade em percentual em ambos os sexos. Conclui-se que a amostra apresentou bom padrão clínico, crescimento somático próximo aos padrões de normalidade. As oscilações do IMC, redução de gordura periférica e aumento da CC evidenciam a ocorrência de lipodistrofia nos avaliados. Os níveis de APFS merecem atenção, principalmente a força-resistência muscular abdominal, a qual apresentou valores abaixo do ponto de corte predominante em ambos os sexos. Os resultados sugerem investigações mais aprofundadas com estudos experimentais e longitudinais com programa de intervenção com exercícios físicos.
10

Análise da qualidade de vida e da aptidão física relacionada à saúde em pacientes acromegálicos

Dantas, Renata Aparecida Elias 02 May 2013 (has links)
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, 2013. / Submitted by Luiza Silva Almeida (luizaalmeida@bce.unb.br) on 2013-07-24T17:44:15Z No. of bitstreams: 1 2013_RenataAparecidaEliasDantas.pdf: 2784159 bytes, checksum: 5f2fed811713afd8d5839c7795cb6325 (MD5) / Approved for entry into archive by Leandro Silva Borges(leandroborges@bce.unb.br) on 2013-07-25T21:25:04Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2013_RenataAparecidaEliasDantas.pdf: 2784159 bytes, checksum: 5f2fed811713afd8d5839c7795cb6325 (MD5) / Made available in DSpace on 2013-07-25T21:25:04Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2013_RenataAparecidaEliasDantas.pdf: 2784159 bytes, checksum: 5f2fed811713afd8d5839c7795cb6325 (MD5) / O excesso da secreção do hormônio resulta nos pacientes de acromegalia, na maior parte das vezes, da presença de um tumor hipofisário secretor de GH. Co- morbidades relacionadas a degeneração articular e da coluna vertebral, gerando defeitos posturais e dor, podem resultar em redução da qualidade de vida e da aptidão física relacionada à saúde física e mental do paciente. O objetivo deste trabalho é avaliar aspectos relacionados à qualidade de vida de pacientes portadores de Acromegalia, sua relação com a aptidão física para capacidades de vida diária e os dados clínicos e controle da doença. Foi realizado uma pesquisa transversal de estudo de casos, em que participaram 40 indivíduos de ambos os sexos, com acompanhamento regular no Serviço de Endocrinologia do Hospital Universitário de Brasília. Foi realizada uma anamnese e feita a avaliação laboratorial dos pacientes; também foram aplicados questionários visando avaliação da qualidade de vida (SF-36 e AcroQol) e do nível de atividades físicas (IPAQ-6). Fez-se, ainda, análise postural e testes de aptidão física. Os dados foram comparados aos níveis de GH e IGF-1 plasmáticos e tipos de tratamento instituídos. O teste T-Student e o teste de Fisher foram aplicados e p<0.05 foi considerado estatisticamente significativo. Foi utilizado o programa estatístico SPSS 17.0. A amostra de indivíduos do estudo foi composta por 20 mulheres, idades 51.33 ± 14.33 e 20 homens, idades 46.2 ±13.18 anos. Os pacientes submetidos a procedimentos médicos combinando cirurgia, radioterapia e tratamento medicamentoso (87,55%) apresentaram redução tumoral mais expressiva em relação aos tratamentos isolados. A artralgia foi realatada por 83% dos pacientes. Nos homens, os locais de dor mais frequentes, foram ombros (73%), coluna vertebral (47% lombar and 53% toracica e cervical), mãos e quadris (40%). A presença de artralgia teve impacto em diversos domínios como capacidade funcional (p=0,028), dor (p=0,037), e vitalidade (p=0,043). Os maiores escores no SF-36 nos domínios funcionamento social (75 CI 57.3-92.6), saúde geral (75.5 CI 60.4-90.5), saúde mental (70 CI 57.8-82.1), foram observados em pacientes com níveis intermediário ou alto de atividade física. Correlações significativas positivas foram encontradas nos domínio saspectos emocionais e idade diagnóstico (r = 0,43 e p = 0,02), aspectos emocionais e idade atual (r=0,38 e p=0,04) e aspectos emocionais e o tamanho do tumor (r=0,41 e p=0,02). Foram encontradas correlações significativas e inversas para o domínio capacidade funcional e o tamanho do tumor (r =-0,42 e p=0,02), e aspectos sociais e o tamanho do tumor (r = -0,48 e p= 001). Tal achado sugere que pacientes com maior volume tumoral ao diagnóstico, apresentam piora na qualidade de vida, relacionada as múltiplas intervenções terapêuticas e desenvolvimento do hipopituitarismo. Foi encontrada correlação estatisticamente significativa para o teste de levantar deitado em relação ao GH inicial (p=0,01) e tamanho do tumor (p=0,02), mostrando melhores resultados, influenciados pelo tempo decorrido após o tratamento. Os pacientes que apresentaram critério de cura para Acromegalia manifestaram melhor escore para o aspecto físico. Os que desenvolveram hipopituitarismo apresentaram piores escores para os demais domínios avaliados para a qualidade de vida. Os dados sugerem que a normalização dos níveis hormonais melhora os escores nos domínios capacidade física, dor, vitalidade e aspectos emocionais. O nível de flexibilidade foi classificado abaixo da média da população normal, o que sugere comprometimento da aptidão física desses indivíduos para a prática de atividades diárias. Os pacientes, em maioria, apresentaram baixo nível de atividade física. _______________________________________________________________________________________ ABSTRACT / Growth hormone excess results, in most cases, from a somatotrophic pituitary adenoma. Co-morbidities related to vertebral column and arthicular degeneration, postural defects, may result in impairment of quality of life and physical activity related to mental and general health. The aim of this study was to evaluate the quality of life and its association with daily physical activity and disease control in acromegalic patients. A cross sectional, case series study, composed of 40 patients with confirmed diagnosis of Acromegaly, recruited from the Neuroendocrinology Unit of the University Hospital of Brasilia. Level of physical activity was accessed by the International Physical Activity Questionnaire (IPAQ 6- short-form), which evaluates the weekly time spent on physical activity of moderate to vigorous intensity in different contexts of life. Quality of life was evaluated by The Medical Outcome Study Questionnaire Short Form (SF 36). Data was compared to GH and IGF-1 levels. Students’ t test and Fisher test were used, p <0.05 was considered statistically significative, SPSS 17.0. The study cohort was composed 20 women, aged 51.33 ± 14.33 and 20 men, aged 46.2 ±13.18 years. The patients previously treated by combined surgery, radiotherapy and medical treatment (87,55%), presented a significant tumor shrinkage, compared to patients submitted to single treatments. Arthralgia was present in 83% of cases. In men, the most common algic sites were Knees (73%), vertebral column (47% lumbar and 53% thoracic and cervical segments), hands and wrists (40%). The presence of arthralgia has impact on several domains, as functional capacity (p=0,028), pain (p=0,037), and vitality (p=0,043). Higher scores on SF-36 were observed in patients with intermediate or high levels of physical activity, in domains social functioning (75 CI 57.3-92.6), general health (75.5 CI 60.4-90.5), mental health (70 CI 57.8-82.1). Significant correlations were found comparing emotional role and age (r=0,43 e p=0,02), emotional role and tumor volume (r=0,41 e p=0,02), functional activity and tumor volume (r =- 0,42 e p=0,02). Tumor volume seems to be inversely related to social functionning (r = -0,48 e p= 001). IGF-1 levels by the diagnosis was related to lower level of physical activity (p=0,04). Patients considered cured from Acromegaly presented higher scores on physical aspects. Patients with hypopituitarism secondary to multiple terapeutic interventions, presented worse scores related to quality of life. Although, patients who attained normal levels of GH and other pituitary hormones, presented better scores on domains physical capacity, pain, vitality and emotional role. The arthicular and muscular flexibility were considered lower than the mean flexibility described in studies in normal age matched or eldery healthy subjects. Most of patients reported low level of daily physical activity.

Page generated in 0.0385 seconds