• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 5
  • 1
  • Tagged with
  • 6
  • 6
  • 4
  • 3
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Avaliação do potencial biológico de óleos essenciais e extratos orgânicos de folhas de Indigofera suffruticosa

Silva, Cleideana Bezerra da 31 January 2014 (has links)
Submitted by Amanda Silva (amanda.osilva2@ufpe.br) on 2015-03-12T12:33:45Z No. of bitstreams: 2 TESE Cleideana Bezerra da Silva.pdf: 2910577 bytes, checksum: 96efaed65209c09ef30d897d8a4a7d76 (MD5) license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) / Made available in DSpace on 2015-03-12T12:33:46Z (GMT). No. of bitstreams: 2 TESE Cleideana Bezerra da Silva.pdf: 2910577 bytes, checksum: 96efaed65209c09ef30d897d8a4a7d76 (MD5) license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) Previous issue date: 2014 / Indigofera suffruticosa Mill (Fabaceae), é um arbusto conhecido como anil. É uma planta com distribuição mundial, e é utilizada na medicina popular contra diversos problemas de saúde. No presente estudo, folhas de I. suffruticosa de duas localidades do Estado de Pernambuco, Municípios de São Caetano e Cabo de Santo Agostinho, foram coletadas para extração de óleos essenciais por hidrodestilação e extração com solventes para obtenção de extratos orgânicos (folhas coletadas no Município de São Caetano). O óleo essencial hidrodestilado foi caracterizado de acordo com suas propriedades físico-químicas e biológicas. A análise de CG e CG-EM dos constituintes químicos do óleo essencial do Município de São Caetano revelou a presença de fenilpropanóides (89,9%), sesquiterpenos (6,4%), e monoterpeno (1,4%). Este estudo avaliou a ação acaricida do óleo essencial por fumigação sobre o Tetranychus urticae, e exibiu uma LC50 de 0.90 μL L-1 de ar, bem como, a sua atividade antimicrobiana e potencial citotóxico contra cinco linhagens de células cancerígenas humanas. Além disso, foram também obtidos dados de atividade antimicrobiana de extratos orgânicos e sua ação sinérgica combinada com eritromicina em Staphylococcus aureus resistentes a antibióticos. O extrato clorofórmico apresentou melhor efeito sinérgico (FIC = 0,2). A atividade antimicrobiana foi determinada pelo método de difusão em disco e pelo método de microdiluição, contra bactérias Gram-(+), Gram-(-) e fungos e a citotoxicidade foi analizadas pelo ensaio de MTT. Os óleos essenciais investigados mostraram fraca atividade contra bactérias gram-negativas, mas, revelou de moderada a alta atividade contra bactérias gram-positivas (CIM de 64,5 μg/mL a 1000 μg/mL). Os óleos também revelaram atividade citotóxica nas linhagens de células cancerígenas: HL-60 (leucemia pró-mielocítica humano), NCI-H292 (carcinoma do pulmão humano), HEP-2 (carcinoma da laringe humano) e HT29 (carcinoma do cólon humano), MCF-7 (carcinoma da mama). As células tumorais HL-60 e HEP-2 exibiram alta susceptibilidade aos óleos essenciais das duas localidades (IC50 de 2,0 μg/mL a 5,4 μg/mL). Neste estudo, também foi demonstrado que os extratos orgânicos de folhas de I. suffruticosa tem atividade antimicrobiana. Os óleos essenciais e extratos orgânicos de folhas de I. suffruticosa investigados neste trabalho exibiram significantes atividade, indicando que esta planta possui potencial biológico.
2

Avaliação da Atividade Acaricida de Óleos Essenciais de Acanthospermum australe (Loefl.) O. Kuntze, Casearia sylvestris Sw e Pothomorphe umbellata (L.) Miq., em Tetranychus urticae Koch, 1836 (Acari: Tetranychidae)

Becker, Carolina 15 May 2008 (has links)
Submitted by Ana Paula Lisboa Monteiro (monteiro@univates.br) on 2009-06-22T17:22:52Z No. of bitstreams: 1 CarolinaBecker.pdf: 503088 bytes, checksum: 6691aa24c9b4dfc671a9feae5b2172a0 (MD5) / Made available in DSpace on 2009-06-22T17:22:52Z (GMT). No. of bitstreams: 1 CarolinaBecker.pdf: 503088 bytes, checksum: 6691aa24c9b4dfc671a9feae5b2172a0 (MD5) / O uso de compostos químicos sintéticos para o controle de pragas é amplamente utilizado no cultivo de plantas, os quais desfavorecem a estabilidade ecológica de sistemas naturais. Por serem menos agressivos e possuírem mais de um princípio ativo, os pesticidas naturais de origem vegetal podem minimizar as conseqüências indesejadas. Avaliou-se no presente trabalho o potencial acaricida dos óleos essenciais das espécies vegetais Acanthospermum australe, Casearia sylvestris e Pothomorphe umbellata, em duas concentrações de solução etanólica (0,5% e 2,0%), além da análise de compisição dos extratos destas plantas por cromatografia gasosa e espectrometria de massas. Na análise de composição das plantas, os compostos em maior concenctração encontrados foram ß-elemeno (31,7%) e α-humuleno (28,2%) em C. sylvestris, apiol (46,6%) e dill apiol (14,5%) em P. umbellata. Em A. australe o elemento com maior concentração (81,0%) não foi identificado. A atividade acaricida foi constatada para as três plantas, após 72 horas na concentração 2,0%. O óleo de Acanthospermum australe foi o que apresentou desempenho mais próximo do acaricida comercial utilizado como controle negativo.
3

Extratos brutos e constituintes de própolis brasileiras: avaliação dos efeitos nos carrapatos Rhipicephalus sanguineus, Rhipicephalus microplus e Amblyomma cajennense / Propolis extracts and their constituents: evaluation of the effects against the ticks Rhipicephalus sanguineus, Rhipicephalus microplus and Amblyomma cajennense

Adne Abbud Righi 21 June 2013 (has links)
Própolis é uma substância resinosa produzida por Apis mellifera, contendo principalmente resinas vegetais e cera das próprias abelhas. É usada na colmeia para diversas finalidades, como vedar aberturas, reparar as células e envolver invasores que foram mortos na colméia, além de contribuir para a quase constância da temperatura dentro da colmeia (28 - 30oC). A própolis é importante para as abelhas, pois é responsável pela manutenção de um ambiente quase estéril, agindo contra bactérias, fungos e até larvas invasoras. Em virtude do amplo espectro de atividades biológicas e farmacológicas associadas a esse produto, a própolis vem sendo extensivamente utilizada em medicina alternativa, bem como na indústria cosmética e alimentícia. Apesar dos numerosos estudos já realizados com própolis, os poucos que foram feitos visando ao uso em veterinária relacionavam-se a combate de endoparasitas. Muitas doenças de animais vêm acometendo o homem atualmente, tais como as transmitidas pelos carrapato vermelho do cão (Rhipicephalus sanguineus) e carrapato-estrela (Amblyomma cajennense). Problemas de saúde para o gado e queda da produtividade pecuária é causada pelo carrapato do boi (Rhipicephalus microplus). Além disso, é crescente o interesse de profissionais veterinários pelo uso de produtos naturais, sobretudo em relação aos animais domésticos. Vale lembrar que o uso indiscriminado de acaricidas levou à seleção de carrapatos resistentes, de modo que outras estratégias para o controle dessas pragas são de grande importância. Com isso, o intuito do presente projeto foi a determinação da atividade de extratos brutos de própolis brasileira e seus constituintes no controle de carrapatos específicos e generalistas. Foram preparados extratos clorofórmicos de amostras de própolis verde de Lavras (MG) e própolis preta de Picos (PI), anteriormente analisadas quimicamente. Os extratos foram concentrados à secura e redissolvidos para administração a carrapatos mantidos em laboratório. Os ensaios com extratos brutos foram realizados in vitro para avaliar seu efeito nos artrópodos, empregando-se o teste de pacote de larvas. Foram realizados isolamentos biomonitorados, na tentativa de obtenção de substâncias ativas presentes nas própolis analisadas. O extrato bruto de Picos não revelou atividade acaricida. Por outro lado, o extrato bruto de Lavras mostrou-se bastante ativo e, então, foi fracionado por cromatografia em coluna de gel de sílica. As frações resultantes foram novamente avaliadas em ensaios in vitro em carrapatos. Novo fracionamento e novos bioensaios foram realizados, e foi identificada uma subfração com atividade acaricida. Análises por cromatografia líquida de alta eficiência (CLAE) foram desenvolvidas e quatro substâncias majoritárias (ácido 2,2-dimetil-cromeno-6-propenoico-dicafeoil glucosídeo, artepilina-C, bacarina e ácido 2,2-dimetil-cromeno-8-prenil-6-propenoico) dessa subfração ativa foram isoladas em CLAE-preparativo. As substâncias obtidas foram identificadas por meio de análises espectroscópicas correntes em química de produtos naturais (IV, UV, massas e RMN). Por fim, novos bioensaios foram realizados com a espécie de carrapato mais suscetível, Rhipicephalus microplus, porém não se observou atividade acaricida significativa para as substâncias isoladas. Assim sendo, talvez a alta atividade acaricida constatada na subfração ativa seja decorrente do sinergismo entre substâncias. / Propolis is a resinous substance produced by bees Apis mellifera, containing mainly plant exudates and bee waxes. It is used in the hive to close holes, repair cells and involve intruders that are killed inside the hive. Propolis is important to the bees, as it is responsible for the maintenance of the hive as a sterile environment, acting against bacteria, fungus and even invading larvae. Because of the wide range of biological and pharmacological activities of propolis, it has been extensivelly used in alternative medicine, as well as in cosmetic and food industries. However, few studies have been developed concerning the use of propolis to animal health. Nowadays, many animal diseases have affected humans, such as those transmited by ticks, the brown dog tick (Rhipicephalus sanguineus) and the star tick (Amblyomma cajennense). Cattle health problems and decrease of livestock productivity is caused by the cattle tick (Rhipicephalus microplus). In addition, the interest of veterinary professionals toward the use of natural products to animal health is increasing, mainly for the treatment of domestic animals. It is worth remembering that the indiscriminate use of acaricides leads to resistence selection. Thus, new strategies are of great importance for tick control. Hence, the aim of this project was to determine the activity of crude extracts of Brazilian propolis and their constituents for the control of specific and generalist ticks. Chloroform extracts were prepared from samples of green propolis from Lavras (state of Minas Gerais) and black propolis from Picos (state of Piauí), previously analyzed chemically. The extracts were concentrated to dryness and redissolved for ticks administration in laboratory. The bioassays were carried out in vitro to verify the effectivness of the extracts using the larval package test. Bioassays-guided isolations were carried out to obtain active constituents presented in the studied samples. The crude extract of propolis sample from Picos did not show any acaricide activity. On the other hand, the sample propolis from Lavras showed high activity, and then was fractionated by colunm chromatography in silica gel. The fractions obtained were tested, and a subfraction with acaricide activity was obtained. Analyses by high performance liquid chromatography (HPLC) were developed and four compounds (2,2-dimethyl-cromene-6-propenoic-dicafeoyl glucoside acid, artepillin-C, baccarin and 2,2-dimethyl-cromene-8-prenyl-6-propenoic acid) of the active subfraction were isolated using preparative HPLC. These compounds were identified by means of current spectroscopic analysis in chemistry of natural products (IR, UV, mass and NMR). Finally, new bioassays were carried out with the most susceptible tick specie, Rhipicephalus microplus, but no effect was observed testing the isolated compounds. Thus, probably the high acaricidal activity observed in the active subfraction was due to a synergism among the subfraction constituents.
4

Extratos brutos e constituintes de própolis brasileiras: avaliação dos efeitos nos carrapatos Rhipicephalus sanguineus, Rhipicephalus microplus e Amblyomma cajennense / Propolis extracts and their constituents: evaluation of the effects against the ticks Rhipicephalus sanguineus, Rhipicephalus microplus and Amblyomma cajennense

Righi, Adne Abbud 21 June 2013 (has links)
Própolis é uma substância resinosa produzida por Apis mellifera, contendo principalmente resinas vegetais e cera das próprias abelhas. É usada na colmeia para diversas finalidades, como vedar aberturas, reparar as células e envolver invasores que foram mortos na colméia, além de contribuir para a quase constância da temperatura dentro da colmeia (28 - 30oC). A própolis é importante para as abelhas, pois é responsável pela manutenção de um ambiente quase estéril, agindo contra bactérias, fungos e até larvas invasoras. Em virtude do amplo espectro de atividades biológicas e farmacológicas associadas a esse produto, a própolis vem sendo extensivamente utilizada em medicina alternativa, bem como na indústria cosmética e alimentícia. Apesar dos numerosos estudos já realizados com própolis, os poucos que foram feitos visando ao uso em veterinária relacionavam-se a combate de endoparasitas. Muitas doenças de animais vêm acometendo o homem atualmente, tais como as transmitidas pelos carrapato vermelho do cão (Rhipicephalus sanguineus) e carrapato-estrela (Amblyomma cajennense). Problemas de saúde para o gado e queda da produtividade pecuária é causada pelo carrapato do boi (Rhipicephalus microplus). Além disso, é crescente o interesse de profissionais veterinários pelo uso de produtos naturais, sobretudo em relação aos animais domésticos. Vale lembrar que o uso indiscriminado de acaricidas levou à seleção de carrapatos resistentes, de modo que outras estratégias para o controle dessas pragas são de grande importância. Com isso, o intuito do presente projeto foi a determinação da atividade de extratos brutos de própolis brasileira e seus constituintes no controle de carrapatos específicos e generalistas. Foram preparados extratos clorofórmicos de amostras de própolis verde de Lavras (MG) e própolis preta de Picos (PI), anteriormente analisadas quimicamente. Os extratos foram concentrados à secura e redissolvidos para administração a carrapatos mantidos em laboratório. Os ensaios com extratos brutos foram realizados in vitro para avaliar seu efeito nos artrópodos, empregando-se o teste de pacote de larvas. Foram realizados isolamentos biomonitorados, na tentativa de obtenção de substâncias ativas presentes nas própolis analisadas. O extrato bruto de Picos não revelou atividade acaricida. Por outro lado, o extrato bruto de Lavras mostrou-se bastante ativo e, então, foi fracionado por cromatografia em coluna de gel de sílica. As frações resultantes foram novamente avaliadas em ensaios in vitro em carrapatos. Novo fracionamento e novos bioensaios foram realizados, e foi identificada uma subfração com atividade acaricida. Análises por cromatografia líquida de alta eficiência (CLAE) foram desenvolvidas e quatro substâncias majoritárias (ácido 2,2-dimetil-cromeno-6-propenoico-dicafeoil glucosídeo, artepilina-C, bacarina e ácido 2,2-dimetil-cromeno-8-prenil-6-propenoico) dessa subfração ativa foram isoladas em CLAE-preparativo. As substâncias obtidas foram identificadas por meio de análises espectroscópicas correntes em química de produtos naturais (IV, UV, massas e RMN). Por fim, novos bioensaios foram realizados com a espécie de carrapato mais suscetível, Rhipicephalus microplus, porém não se observou atividade acaricida significativa para as substâncias isoladas. Assim sendo, talvez a alta atividade acaricida constatada na subfração ativa seja decorrente do sinergismo entre substâncias. / Propolis is a resinous substance produced by bees Apis mellifera, containing mainly plant exudates and bee waxes. It is used in the hive to close holes, repair cells and involve intruders that are killed inside the hive. Propolis is important to the bees, as it is responsible for the maintenance of the hive as a sterile environment, acting against bacteria, fungus and even invading larvae. Because of the wide range of biological and pharmacological activities of propolis, it has been extensivelly used in alternative medicine, as well as in cosmetic and food industries. However, few studies have been developed concerning the use of propolis to animal health. Nowadays, many animal diseases have affected humans, such as those transmited by ticks, the brown dog tick (Rhipicephalus sanguineus) and the star tick (Amblyomma cajennense). Cattle health problems and decrease of livestock productivity is caused by the cattle tick (Rhipicephalus microplus). In addition, the interest of veterinary professionals toward the use of natural products to animal health is increasing, mainly for the treatment of domestic animals. It is worth remembering that the indiscriminate use of acaricides leads to resistence selection. Thus, new strategies are of great importance for tick control. Hence, the aim of this project was to determine the activity of crude extracts of Brazilian propolis and their constituents for the control of specific and generalist ticks. Chloroform extracts were prepared from samples of green propolis from Lavras (state of Minas Gerais) and black propolis from Picos (state of Piauí), previously analyzed chemically. The extracts were concentrated to dryness and redissolved for ticks administration in laboratory. The bioassays were carried out in vitro to verify the effectivness of the extracts using the larval package test. Bioassays-guided isolations were carried out to obtain active constituents presented in the studied samples. The crude extract of propolis sample from Picos did not show any acaricide activity. On the other hand, the sample propolis from Lavras showed high activity, and then was fractionated by colunm chromatography in silica gel. The fractions obtained were tested, and a subfraction with acaricide activity was obtained. Analyses by high performance liquid chromatography (HPLC) were developed and four compounds (2,2-dimethyl-cromene-6-propenoic-dicafeoyl glucoside acid, artepillin-C, baccarin and 2,2-dimethyl-cromene-8-prenyl-6-propenoic acid) of the active subfraction were isolated using preparative HPLC. These compounds were identified by means of current spectroscopic analysis in chemistry of natural products (IR, UV, mass and NMR). Finally, new bioassays were carried out with the most susceptible tick specie, Rhipicephalus microplus, but no effect was observed testing the isolated compounds. Thus, probably the high acaricidal activity observed in the active subfraction was due to a synergism among the subfraction constituents.
5

Relação entre a toxicidade de mono e sesquiterpenos identificados no óleo essencial de espécies dos gêneros Ocotea (Lauraceae) e Eugenia (Myrtaceae) sobre o ácaro rajado (Tetranycus urticae)

MORAES, Marcílio Martins de 14 February 2012 (has links)
Submitted by (lucia.rodrigues@ufrpe.br) on 2017-02-15T13:07:39Z No. of bitstreams: 1 Marcilio Martins de Moraes.pdf: 1146662 bytes, checksum: 9d7558a3c80234e733d8b57cc34a37e7 (MD5) / Made available in DSpace on 2017-02-15T13:07:39Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Marcilio Martins de Moraes.pdf: 1146662 bytes, checksum: 9d7558a3c80234e733d8b57cc34a37e7 (MD5) Previous issue date: 2012-02-14 / The present study aims to investigate the chemical composition of essential oil from leaves of Ocotea duckei and Ocotea glomerata and leaves and fruits of Eugenia langsdorffii by GC-FID and GC-MS and to evaluate the acaricide action of essential oils and their compounds (separately and as blends) on the Tetranycus urticae.The oils from the leaves of species of the genus Ocotea were characterized by high percentage of sesquiterpenes. The main compounds identified were β-caryophyllene (18.6 ± 0.1%) and valenceno (17.6 ± 0.0%) for the oil of O. duckei and aromadendrene (17.3 ± 0.6%) and β-caryophyllene (14.6 ± 0.3%) for the oil of O. glemerata. The oils from leaves and fruits of E. langsdorffii were characterized by high percentage of sesquiterpenes. Epi-longipinanol (13.6 ± 0.1%) and -eudesmol (12.3 ± 0.2%) were the main components of oil from the leaves, while 10-epi-- eudesmol (35.7 ± 0.3%) and 1,10-di-epi-cubennol (15.6 ± 0.3%) were the major identified in the oil of the fruits. All oils tested were toxic to T. urticae. The oil of O. duckei (LC50 = 0.52 mL L-1from air) showed 2.5 times more toxic than the oil of O. glomerata fumigation test and 1.5 times more toxic than the oil of O. glomerata (LC50 = 7.22 mL / mL) in the residual contact test. The oil from the leaves of E. langsdorffii (LC50 = 1.7 mL L-1 air) was 1.7 times more toxic than the oil of the fruit by fumigation, and 1.8 times less toxic by residual contact. The fumigation toxicity observed for all oils was much lower compared with the positive control (eugenol). However, the effect of residual contact of the oils from the leaves of O. duckei, O. glomerata and the fruits of E. langsdorffii were only 2.5, 4.0 and 6.7 times lower than that of eugenol. The relationship between property acaricide, constituents and the blends of all the oils investigated in this work is also discussed. / O presente trabalho tem como objetivo investigar a composição química do óleo essencial das folhas de Ocotea duckei e Ocotea glomerata e das folhas e frutos de Eugenia langsdorffii por CG-FID e CG-EM bem como avaliar a ação acaricida desses óleos essenciais e de seus compostos (de forma isolada e na forma de blendas) sobre o Tetranycus urticae. Os óleos das folhas das espécies do gênero Ocotea foram caracterizados pelo alto percentual de sesquiterpenos. Os principais compostos identificados foram o β-cariofileno (18,6±0,1%) e o valenceno (17,6±0,0%) no óleo da O. duckei e o Aromadendreno (17,3±0,6%) e β-cariofileno (14,6±0,3%) no óleo da O. glomerata. Os óleos das folhas e dos frutos da E. langsdorffii foram caracterizados pelo alto percentual de sesquiterpenos. Epilongipinanol (13,6±0,1%) e -eudesmol (12,3±0,2%) foram os componentes principais no óleo das folhas, enquanto que 10-epi--eudesmol (35,7±0,3%) e 1,10- di-epi-cubennol (15,6±0,3%) foram os constituintes majoritários identificados no óleo dos frutos. Todos os óleos testados foram tóxicos ao T. urticae. O óleo da O. duckei (CL50 = 0,52 μL L-1de ar) se mostrou 2,5 vezes mais tóxico do que o óleo da O. glomerata no teste de fumigação e 1,5 vezes mais tóxico do que o óleo da O. glomerata (CL50 = 7,22 μL/mL) no teste de contato residual. O óleo das folhas da E. langsdorffii (CL50 = 1,7 mL L-1 ar) foi 1,7 vezes mais tóxico do que o óleo dos frutos por fumigação, e 1,8 vezes menos tóxico por contato residual. A toxicidade por fumigação observada para todos os óleos foi muito inferior comparada com o controle positivo (eugenol). Entretanto, o efeito de contato residual dos óleos das folhas de O. duckei, O. glomerata e dos frutos da E. langsdorffii foram apenas 2,5; 4,0 e 6,7 vezes menor do que a do eugenol. A relação entre a propriedade acaricida dos constituintes e das blendas de todos os óleos investigados também é discutida.
6

Caracterização química e efeito do óleo essencial de Lippia gracilis e seus constituintes majoritários sobre Aceria guerreronis (Acari: Eriophyidae) / Chemical characterization and effect of the essential oil of Lippia gracilis and its major constituents on Aceria guerreronis (Acari: Eriophyidae)

Menezes, Mariana Santos 22 July 2016 (has links)
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES / Lippia gracilis Schauer is a plant that belongs to the Verbenaceae family, is known as “alecrim-da-chapada” or “alecrim-de-tabuleiro”, and occure in the caatinga biome. Because of its bioactive potential, the essential oil of L. gracilis is been tested for control of different agriculture and livestock pests and diseases. One of these pests is the coconut mite, Aceria guerreronis (Acari: Eriophyidae), an important pest of the coconut crop in Brazil. The objective of this study was to evaluate the toxicity and repellency of the essential oil of two genotypes of L. gracilis and their major compounds thymol and carvacrol against the coconut mite (A. guerreronis). Adults of the coconut mite were subjected to increasing concentrations of the essential oils of the genotypes LGRA-106 and LGRA-109, of thymol and carvacrol, allowing the estimation of the lethal concentrations (LC). In addition to toxicity, the repellency of essential oils of L. gracilis, thymol and carvacrol was evaluated by releasing mites in the center of an arena with half area sprayed and the other half unsprayed. The analysis of the chemical composition of the essential oils of L. gracilis identified thymol (52.41%) and carvacrol (49.36%) as the major compounds for genotypes LGRA-106 and LGRA-109, respectively. The genotype LGRA-106 showed higher toxicity (LC50 = 4.73 μL/mL) to the coconut mite compared to the genotype LGRA-109 (LC50 = 30.99 μL/mL). The toxicity of LGRA-106 did not differ from its major compound thymol (LC50 = 5.34 μL/mL). The essential oil of LGRA-106 was 2.3 times more toxic than its major compound thymol at LC90. The LC50 and LC99 of genotypes LGRA-106 (4.73 and 13.18 μL/mL), LGRA-109 (30.99 and 54.33 μL/mL) and carvacrol (6.84 and 45.97 μL/mL) repelled the coconut mite after 24 h of exposure. The LC50 and LC99 of thymol (5.34 and 56.35 μL/mL) presented a neutral effect on the coconut mite after 24 h of exposure. We can conclude that the essential oil of genotype LGRA-106 has potential for development of a product to control the coconut mite. / Lippia gracilis Schauer é uma planta pertencente à família Verbenaceae popularmente conhecida como “alecrim-da-chapada” ou “alecrim-de-tabuleiro” e própria do bioma caatinga. Devido ao potencial bioativo, o óleo essencial de L. gracilis vem sendo testado para o controle de diferentes pragas e doenças na agricultura e pecuária. Uma destas pragas é o ácaro-da-necrose Aceria guerreronis (Acari: Eriophyidae), importante praga da cultura do coqueiro no Brasil. O objetivo deste trabalho foi avaliar a toxicidade e repelência do óleo essencial de dois genótipos de L. gracilis e seus compostos majoritários timol e carvacrol ao ácaro-da-necrose (A. guerreronis). Adultos do ácaro-da-necrose foram submetidos a concentrações crescentes dos óleos essenciais dos genótipos LGRA-106 e LGRA-109 de L. gracilis, de timol e carvacrol, possibilitando a estimativa das concentrações letais (CL). Adicionalmente à toxicidade, foi avaliada a repelência dos óleos essenciais de L. gracilis, timol e carvacrol por meio da liberação de ácaros no centro de uma arena com metade pulverizada e metade não pulverizada. A análise da composição química dos óleos essenciais de L. gracilis identificou o timol (52,41%) e o carvacrol (49,36%) como compostos majoritários dos genótipos LGRA-106 e LGRA-109, respectivamente. O genótipo LGRA-106 apresentou maior toxicidade (CL50 = 4,73 μL/mL) ao ácaro-da-necrose em comparação com LGRA-109 (CL50 = 30,99 μL/mL). A toxicidade do LGRA-106 não diferiu do seu composto majoritário timol (CL50 = 5,34 μL/mL). O óleo essencial do LGRA-106 foi 2,3 vezes mais tóxico que do seu composto majoritário timol para CL90. A CL50 e a CL99 dos genótipos LGRA-106 (4,73 e 13,18 μL/mL-1), LGRA-109 (30,99 e 54,33 μL/mL-1) e de carvacrol (6,84 e 45,97 μL/mL-1), repeliram o ácaro-da-necrose após 24 h de exposição. A CL50 e CL99 de timol (5,34 e 56,35 μL/mL) apresentaram efeito neutro sobre o ácaro-da-necrose após 24 h de exposição. Conclui-se que o óleo essencial do genótipo LGRA-106 apresenta potencial para desenvolvimento de um produto para o controle do ácaro-da-necrose.

Page generated in 0.0801 seconds