• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 11
  • Tagged with
  • 12
  • 10
  • 6
  • 6
  • 6
  • 6
  • 4
  • 4
  • 4
  • 4
  • 4
  • 4
  • 4
  • 2
  • 2
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Determinação do perfil farmacocinético do cetorolaco de trometamina comprimido de 30mg administrado por via sublingual em voluntários saudáveis / Determination of the pharmacokinetic profile of ketorolac tromethamine 30mg tablet administered sublingual route in healthy volunteers

Costa, Cléber Soares Pimenta January 2011 (has links)
COSTA, Cleber Soares Pimenta. Determinação do perfil farmacocinético do cetorolaco de trometamina comprimido de 30mg administrado por via sublingual em voluntários saudáveis. 2011. 180 f. Dissertação (Mestrado em Farmacologia) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Medicina, Fortaleza, 2011. / Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2012-03-09T13:41:53Z No. of bitstreams: 1 2011_dis_cspcosta.pdf: 1184724 bytes, checksum: 439be34c9479398ae0290597a233c8b3 (MD5) / Approved for entry into archive by Eliene Nascimento(elienegvn@hotmail.com) on 2012-03-12T12:13:34Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2011_dis_cspcosta.pdf: 1184724 bytes, checksum: 439be34c9479398ae0290597a233c8b3 (MD5) / Made available in DSpace on 2012-03-12T12:13:34Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2011_dis_cspcosta.pdf: 1184724 bytes, checksum: 439be34c9479398ae0290597a233c8b3 (MD5) Previous issue date: 2011 / Ketorolac tromethamine (ketorolac) is a non-steroidal anti-inflammatory drug (NSAID) used in the treatment of pain. The use of a sublingual analgesic has several advantages such as increased bioavailability and ease of administration, especially in patients who have difficulty swallowing. Thus, the aim of this study was to evaluate the pharmacokinetic profile of a formulation of ketorolac in Brazilian male volunteers. This was an open, non-randomized, 01 period, 01 treatment, single dose under fasting conditions study where was administered 30 mg sublingual tablet formulation of ketorolac. Healthy Brazilians male were eligible for inclusion. After an overnight fast, subjects received a single sublingual dose of the formulation. Plasma samples were obtained over a 24-hour period after administration. Plasma ketorolac concentrations were analyzed by High Performance Liquid Chromatography coupled Mass Spectrometry for analysis of pharmacokinetic properties, including Cmax, AUC0-24, and AUC0-∞. Tolerability was assessed by vital sign monitoring, laboratory analysis results, anamnesis and physical examination. A total of 14 male subjects were enrolled and completed the study. The pharmacokinetics parameters values (mean ± standard deviation, except median for time to Tmax) calculated for formulation were as follows: AUC0-∞ (9682 ± 1908 ng*h/mL); AUC0-24 (9346 ± 1789 ng*h/mL); Cmax (2605 ± 465 ng/mL); Tmax (0,58 ± 0,22 h); t1/2 (5,76 ± 0,69 h) and Ke (0,12 ± 0,02 1/h). The ketorolac formulation was well tolerated at the administered dose and no adverse reactions were observed. The advantage of the use of the sublingual formulation of ketorolac is its practical administration. It can be the treatment of choice for moderate and severe pain, especially in patients where parenteral route is undesirable or impracticable, or those who have difficulty of swallowing. The methods were successfully applied, it is possible to analyze the pharmacokinetic parameters and assess the safety of the tablet formulation of 30 mg of ketorolac tromethamine administered sublingually in healthy volunteers. / Cetorolaco de trometamina (Cetorolaco) é um antiinflamatório não esteroidal (AINE) usado no tratamento da dor. O uso da formulação sublingual tem diversas vantagens, como por exemplo, aumento da biodisponibilidade e fácil administração, especialmente em pacientes que tem dificuldades para engolir. Assim, o objetivo deste estudo foi avaliar o perfil farmacocinético da formulação sublingual do Cetorolaco em voluntários brasileiros do sexo masculino. Este foi um estudo aberto, não randomizado, 01 período, 01 tratamento, com dose única de rápida absorção, em que foi administrado um comprimido de 30 mg de Cetorolaco por via sublingual. Foram incluídos apenas voluntários brasileiros sadios. Após uma noite internados, os voluntários receberam uma dose única da formulação sublingual. Amostras de plasma foram obtidas em um período de 24 horas após a administração. A concentração plasmática de Cetorolaco foi analisada por Cromatrografia Líquida de Alta Eficiência acoplada a um Espectrômetro de Massa para análise dos parâmetros farmacocinéticos, incluindo o Cmax, ASC0-24, e ASC0-∞. A tolerabilidade foi avaliada pelo monitoramento dos sinais vitais, resultados das análises laboratoriais, anamnese e exame físico com os voluntários. 14 voluntários do sexo masculino foram incluídos e completaram o estudo. Os valores dos parâmetros farmacocinéticos (média ± desvio padrão, exceto mediana para o tempo do Tmax) calculados para a formulação foram os seguintes: ASC0-∞ (9682 ± 1908 ng*h/mL); ASC0-24 (9346 ± 1789 ng*h/mL); Cmax (2605 ± 465 ng/mL); Tmax (0,58 ± 0,22 h); t1/2 (5,76 ± 0,69 h) and Ke (0,12 ± 0,02 1/h). A formulação do cetorolaco foi bem tolerada na dose administrada e nenhuma reação adversa foi observada. A vantagem do uso da formulação sublingual de Cetorolaco é sua administração prática. Essa pode ser uma escolha para dor moderada e grave, especialmente em pacientes em que a via parenteral é indesejada ou impraticável, ou para aqueles que tenham dificuldade de engolir. Os métodos foram aplicados com sucesso, sendo possível analisar os parâmetros farmacocinéticos e avaliar a segurança da formulação do comprimido de 30mg do cetorolaco de trometamina administrado por via sublingual em voluntários saudáveis.
2

Efeito de inibidores da ciclooxigenase sobre o transporte ileal de água e eletrólitos em ratos anestesiados

Previdelli, Ivna Hitzschky Silva dos Fernandes Vieira January 2011 (has links)
PREVIDELLI, Ivna Hitzschky Silva dos Fernandes Vieira. Efeito de inibidores da ciclooxigenase sobre o transporte ileal de água e eletrólitos em ratos anestesiados. 2011. 76 f. Dissertação (Mestrado em Farmacologia) - Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2011. / Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2012-04-09T13:13:14Z No. of bitstreams: 1 2011_dis_ihsfvprevidelli.pdf: 1585667 bytes, checksum: 43a5e80f5b23ac06f94258a4b1f0e9a3 (MD5) / Approved for entry into archive by Eliene Nascimento(elienegvn@hotmail.com) on 2012-04-09T16:04:35Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2011_dis_ihsfvprevidelli.pdf: 1585667 bytes, checksum: 43a5e80f5b23ac06f94258a4b1f0e9a3 (MD5) / Made available in DSpace on 2012-04-09T16:04:35Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2011_dis_ihsfvprevidelli.pdf: 1585667 bytes, checksum: 43a5e80f5b23ac06f94258a4b1f0e9a3 (MD5) Previous issue date: 2011 / The aim of this study was to evaluate the effects of selective and non-selective COX inhibitors on water and electrolyte transport and the villous/crypt ratio in the ileum of anesthetized rats. Thirty-six animals distributed in 6 groups were treated with 3mg/Kg ketorolac (a selective COX-1 inhibitor), 10mg/Kg celecoxib (a selective COX-2 inhibitor), 5mg/Kg indometacin (a non-selective COX inhibitor),ketorolac+celecoxib, 0.9% saline solution or phosphate buffer for 3 consecutive days. Ketorolac and celecoxib were diluted in 0.9% saline solution, while indometacin was diluted in phosphate buffer. Following 24 hours of fasting with access to water ad libitum, the animals were anesthetized with 1.2mg/Kg urethane i.p. and submitted to median laparotomy to isolate an ileal segment for perfusion. Cannulae were introduced through surgically created fistulas in the proximal and distal extremities of the segment. Perfusion was performed with modified Ringer solution containing 50mg/L phenolsulfonphthalein (a non-absorbable marker). After 40 minutes, 3 samples of perfusate were collected. In addition, 3 control samples were collected at baseline and by the end of the experiment for comparison of sodium, potassium and chloride concentrations (mmol/L). Finally the animals were euthanized, the extremities of the perfused segment were cut off (5-mm rings) for histopathological examination and the segment was weighed. After 48 hours of storage at 100oC, the segment was weighed again in order to correct the functional parameters. The administration of ketorolac promoted secretion of ileal water, sodium, potassium and chlorine. However, treatment with celecoxib alone or with ketorolac, and indomethacin treatment did not induce significant changes in the secretion of water, sodium, potassium and chlorine, when compared with control groups. In the histological evaluation, treatment with celecoxib alone or in combination with ketorolac, induced an increase in villous / crypt ration. On the other hand, ketorolac administration did not change the villous / crypt ration when we compared with the control. Indomethacin treatment induced a decrease in villous / crypt ration compared with the control. Based on these data we can conclude that inhibition of COX-1 by ketorolac, but not COX-2 inhibition by celecoxib, induced a functional change in the ileal water and electrolytes secretion, since there was not epithelial damage in the histological analysis of intestine of rats treated with ketorolac. / Esse estudo tem por finalidade avaliar os efeitos de inibidores seletivos da COX (cetorolaco e celecoxibe) e de inibidores não seletivos (indometacina) da COX sobre o transporte ileal de água e eletrólitos em ratos anestesiados. Também se propõe a avaliar as alterações vilo/cripta do íleo de ratos tratados com inibidores seletivos e não seletivos da COX-1 e 2 (cetorolaco-inibidor específico da COX-1 na dose de 3mg/Kg, celecoxibe-inibidor específico da COX-2 e indometacina-inibidor não seletivo da COX). Os animais foram tratados per os durante três dias consecutivos com uma das seguintes substâncias: cetorolaco (3mg/Kg), celecoxibe (10mg/Kg), indometacina (5mg/Kg), cetorolaco + celecoxibe, salina 0,9% ou tampão fosfato. Todos os AINES aqui utilizados foram diluídos em solução salina (Nacl a 0,9%) exceto a indometacina que foi diluída em solução tampão fosfato. Após jejum de 24 horas com livre acesso à água, os animais foram anestesiados com Uretana (1,2mg /kg corporal, i.p). A seguir realizou-se laparotomia mediana para isolamento do segmento a ser perfundido. Cânulas foram introduzidas nas extremidades proximal e distal do segmento mediante criação de fístulas. O segmento isolado e as cânulas formaram o circuito que foi perfundido. Para a perfusão foi utilizada solução modificada de Ringer e Fenolsulftaleína 50mg/L como marcador não absorvível. O perfusato foi coletado em tubos de ensaio após 40min (03 amostras). Também foram obtidas 3 (três) amostras no início e no final (03 amostras) do experimento, para determinação dos parâmetros controle. Foram determinadas as diferenças entre as amostras controle e as coletas do perfusato quanto aos valores das concentrações de sódio, potássio e cloreto (mmol/L). Ao final do experimento, os animais foram sacrificados e o segmento ileal perfundido retirado, sendo imediatamente pesado, depois retirados anéis distais de aproximadamente 0,5 cm para o histopatológico. Nova medição de peso desse segmento foi realizada após o mesmo ser mantido em estufa a 100oC por 48h, de modo a permitir a correção dos parâmetros funcionais. A administração de cetorolaco aos animais promoveu secreção ileal de água, de sódio, cloreto e potássio. Por outro lado, o tratamento com celecoxib, sozinho ou em associação com cetorolaco, bem como o tratamento com indometacina não desencadearam alterações significativas na secreção de água, sódio, cloro e potássio, quando comparado com os grupos controles. Em relação as alterações morfométricas, os tratamentos com celecoxibe sozinho ou em associação com cetorolaco, promoveram um aumento da relação vilo/cripta. Por outro lado, a administração de cetorolaco aos animais não modificou a relação vilo/cripta quando comparado com o controle. Por outro lado, no tratamento com indometacina, a administração de indometacina apresentou uma diminuição na relação vilo/cripta, quando comparado com o controle. Baseado nestes dados podemos concluir, que a inibição da COX-1 pelo cetorolaco, mas não a inibição da COX-2 pelo celecoxib, desencadeia uma alteração funcional na secreção de água e eletrólitos no íleo, pois não houve lesão do epitélio na análise histológica do intestino de ratos tratados com a cetorolaco.
3

Analgesia preemptiva em cirurgias de implantes dentários = estudo comparativo com dexametasona e cetorolaco / Preemptive analgesia in dental implant surgery : comparasion with dexamethasone and ketorolac

Brito, Fabiano Capato de, 1976- 24 August 2018 (has links)
Orientador: Eduardo Dias de Andrade / Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Odontologia de Piracicaba / Made available in DSpace on 2018-08-24T16:11:06Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Brito_FabianoCapatode_D.pdf: 1226607 bytes, checksum: bf93752c3c24f16fc0b41670850b7e5d (MD5) Previous issue date: 2014 / Resumo: A analgesia preemptiva é um regime analgésico instituído previamente ao estímulo nocivo, com o objetivo de prevenir a hiperalgesia inflamatória e o subsequente estímulo que amplifica a dor no sistema nervoso central. Para aplicá-la na clínica cirúrgica odontológica, alguns fármacos com propriedades analgésicas e anti-inflamatórias têm sido avaliados, todavia com resultados ainda conflitantes. Por este motivo, propôs-se investigar, de forma comparativa, a analgesia preemptiva com dexametasona ou cetorolaco em cirurgias implantodônticas. Para tal, foram selecionados 33 indivíduos de ambos os gêneros, ASA I, que necessitavam de reabilitação bucal por meio da instalação de implantes dentários na região posterior da maxila ou mandíbula. Por ocasião da primeira ou da segunda intervenção, os voluntários foram tratados de maneira randomizada, com uma única dose de dexametasona 4 mg (via oral) ou cetorolaco 10 mg (via sublingual), administrada uma hora antes do início da cirurgia. A analgesia preemptiva foi avaliada pelo período de tempo compreendido entre o término do procedimento cirúrgico e o momento exato da tomada do primeiro comprimido do analgésico de resgate (paracetamol 750 mg), na fase pós-operatória. Os sujeitos da pesquisa também foram orientados a expressar a presença ou não de dor, e sua intensidade, no período das primeiras 12 horas pós-operatórias, na forma de uma escala analógica visual. Os dados foram tratados estatisticamente pelo teste de Wilcoxon, com nível de significância de 5%. Considerando o tempo decorrido entre a administração dos fármacos e a tomada do primeiro comprimido de analgésico, ou não, foi possível observar que não houve diferença estatisticamente significante (Wilcoxon, p = 0,0596) entre o cetorolaco (mediana = 3,6 h) e a dexametasona (mediana = 2,75 h). Também não houve diferença na incidência e na intensidade de dor no período das primeiras 12 horas pós-operatórias, se comparados os tratamentos (p = 0,7610). Concluiu-se que a dexametasona e o cetorolaco promovem analgesia preemptiva de forma similar em cirurgias de instalação de implantes dentários / Abstract: Preemptive analgesia is an analgesic regimen instituted prior to the noxious stimulus, in order to prevent inflammatory hyperalgesia and subsequent stimulus that amplifies pain in the central nervous system. To apply it in clinical dental surgery, drugs that have analgesic and anti-inflammatory properties have been studied, but the results are still conflicting. For this reason, we proposed to investigate, in a comparative way, preemptive analgesia with dexamethasone or ketorolac in surgical installation of dental implants. To this end, we selected 33 individuals of both genders, ASA I, who needed oral rehabilitation using dental implants in the posterior maxilla or mandible. On the occasion of the first or second intervention, the volunteers were treated randomly with dexamethasone 4 mg orally or ketorolac 10 mg sublingual on a single dose one hour before the intervention. Preemptive analgesia was assessed for the period of time between the end of the surgical procedure and the exact time of taking the first tablet of analgesic rescue medication (paracetamol 750 mg) postoperatively. The subjects were also instructed to express the presence or absence of pain and its intensity within the first 12 postoperative hours in the form of a visual analog scale. The data were statistically analyzed using the Wilcoxon test, with the significance level of 5%. Considered the mean time elapsed between drug administration and the first tablet, it was observed that there was no statistically significant difference (Wilcoxon, p = 0.0596) between ketorolac (median = 3, 6 h) and dexamethasone (median = 2.75 h). There was no difference in the incidence and intensity of pain during the first 12 postoperative hours, when the treatments (p = 0.7610) were compared. It was concluded that dexamethasone and ketorolac promote preemptive analgesia in a similar manner to the installation of dental implant surgery / Doutorado / Farmacologia, Anestesiologia e Terapeutica / Doutor em Odontologia
4

DeterminaÃÃo do Perfil FarmacocinÃtico do Cetorolaco de Trometamina Comprimido de 30mg administrado por Via Sublingual em VoluntÃrios SaudÃveis. / Determination of the pharmacokinetic profile of ketorolac tromethamine 30mg tablet administered sublingual route in healthy volunteers.

ClÃber Soares Pimenta Costa 21 January 2011 (has links)
Conselho Nacional de Desenvolvimento CientÃfico e TecnolÃgico / Cetorolaco de trometamina (Cetorolaco) à um antiinflamatÃrio nÃo esteroidal (AINE) usado no tratamento da dor. O uso da formulaÃÃo sublingual tem diversas vantagens, como por exemplo, aumento da biodisponibilidade e fÃcil administraÃÃo, especialmente em pacientes que tem dificuldades para engolir. Assim, o objetivo deste estudo foi avaliar o perfil farmacocinÃtico da formulaÃÃo sublingual do Cetorolaco em voluntÃrios brasileiros do sexo masculino. Este foi um estudo aberto, nÃo randomizado, 01 perÃodo, 01 tratamento, com dose Ãnica de rÃpida absorÃÃo, em que foi administrado um comprimido de 30 mg de Cetorolaco por via sublingual. Foram incluÃdos apenas voluntÃrios brasileiros sadios. ApÃs uma noite internados, os voluntÃrios receberam uma dose Ãnica da formulaÃÃo sublingual. Amostras de plasma foram obtidas em um perÃodo de 24 horas apÃs a administraÃÃo. A concentraÃÃo plasmÃtica de Cetorolaco foi analisada por Cromatrografia LÃquida de Alta EficiÃncia acoplada a um EspectrÃmetro de Massa para anÃlise dos parÃmetros farmacocinÃticos, incluindo o Cmax, ASC0-24, e ASC0-∞. A tolerabilidade foi avaliada pelo monitoramento dos sinais vitais, resultados das anÃlises laboratoriais, anamnese e exame fÃsico com os voluntÃrios. 14 voluntÃrios do sexo masculino foram incluÃdos e completaram o estudo. Os valores dos parÃmetros farmacocinÃticos (mÃdia  desvio padrÃo, exceto mediana para o tempo do Tmax) calculados para a formulaÃÃo foram os seguintes: ASC0-∞ (9682  1908 ng*h/mL); ASC0-24 (9346  1789 ng*h/mL); Cmax (2605  465 ng/mL); Tmax (0,58  0,22 h); t1/2 (5,76  0,69 h) and Ke (0,12  0,02 1/h). A formulaÃÃo do cetorolaco foi bem tolerada na dose administrada e nenhuma reaÃÃo adversa foi observada. A vantagem do uso da formulaÃÃo sublingual de Cetorolaco à sua administraÃÃo prÃtica. Essa pode ser uma escolha para dor moderada e grave, especialmente em pacientes em que a via parenteral à indesejada ou impraticÃvel, ou para aqueles que tenham dificuldade de engolir. Os mÃtodos foram aplicados com sucesso, sendo possÃvel analisar os parÃmetros farmacocinÃticos e avaliar a seguranÃa da formulaÃÃo do comprimido de 30mg do cetorolaco de trometamina administrado por via sublingual em voluntÃrios saudÃveis. / Ketorolac tromethamine (ketorolac) is a non-steroidal anti-inflammatory drug (NSAID) used in the treatment of pain. The use of a sublingual analgesic has several advantages such as increased bioavailability and ease of administration, especially in patients who have difficulty swallowing. Thus, the aim of this study was to evaluate the pharmacokinetic profile of a formulation of ketorolac in Brazilian male volunteers. This was an open, non-randomized, 01 period, 01 treatment, single dose under fasting conditions study where was administered 30 mg sublingual tablet formulation of ketorolac. Healthy Brazilians male were eligible for inclusion. After an overnight fast, subjects received a single sublingual dose of the formulation. Plasma samples were obtained over a 24-hour period after administration. Plasma ketorolac concentrations were analyzed by High Performance Liquid Chromatography coupled Mass Spectrometry for analysis of pharmacokinetic properties, including Cmax, AUC0-24, and AUC0-∞. Tolerability was assessed by vital sign monitoring, laboratory analysis results, anamnesis and physical examination. A total of 14 male subjects were enrolled and completed the study. The pharmacokinetics parameters values (mean  standard deviation, except median for time to Tmax) calculated for formulation were as follows: AUC0-∞ (9682  1908 ng*h/mL); AUC0-24 (9346  1789 ng*h/mL); Cmax (2605  465 ng/mL); Tmax (0,58  0,22 h); t1/2 (5,76  0,69 h) and Ke (0,12  0,02 1/h). The ketorolac formulation was well tolerated at the administered dose and no adverse reactions were observed. The advantage of the use of the sublingual formulation of ketorolac is its practical administration. It can be the treatment of choice for moderate and severe pain, especially in patients where parenteral route is undesirable or impracticable, or those who have difficulty of swallowing. The methods were successfully applied, it is possible to analyze the pharmacokinetic parameters and assess the safety of the tablet formulation of 30 mg of ketorolac tromethamine administered sublingually in healthy volunteers.
5

Dor em urgência odontológica: uso de anti-inflamatórios, corticoides e analgésicos em casos de pulpite aguda irreversível / Pain in dental emergency: anti inflammatory use, steroids and painkillers in cases of irreversible acute pulpitis

Bahia, Eliene Bim 26 October 2016 (has links)
O objetivo deste estudo foi avaliar o uso do cetorolaco de trometamina 10mg sublingual 30 minutos antes do procedimento de biopulpectomia em pacientes com pulpite irreversível com relação à dor antes do procedimento e nas 48 horas subsequentes, a quantidade de medicação consumida no pós-operatório e tempo esperado para sua utilização. Também foi avaliada a influência da anestesia intrapulpar, o uso da automedicação analgésica antes da procura pelo atendimento e diferença entre gêneros sobre os níveis de dor pré e pós-operatória. Propôs-se avaliar também a necessidade da presença do antibiótico na medicação intracanal, comparando o Otosporin® com hidrocortisona. Participaram da pesquisa 608 pacientes que procuraram o Setor de Urgência Odontológica da Faculdade de Odontologia de Bauru ou o Setor Odontológico do Pronto Socorro Central da Prefeitura Municipal de Bauru, sendo que 34 completaram de forma adequada o protocolo previsto. Foram divididos em 4 grupos que receberam cetorolaco ou placebo como medicação pré-operatória e Otosporin® ou hidrocortisona como medicação intracanal. Foram anotados os valores de intensidade de dor, em uma escala visual analógica, antes da medicação pré-operatória, antes do atendimento, após o atendimento, 1, 2, 4, 12, 24, 48 horas após e quando houve necessidade de medicação pós-operatória para alívio da dor. Também foi anotado se o paciente havia se automedicado e qual a droga utilizada, se houve necessidade de anestesia intrapulpar, a quantidade de medicação consumida pelo paciente no pós-operatório e o tempo esperado para seu consumo. Dos resultados observou-se que os pacientes que receberam cetorolaco como medicação pré-operatória tiveram uma redução significativa da dor em 30 minutos, quando comparado ao placebo. Foi observado que o tempo necessário para a ingestão de medicamentos pós-operatórios não demonstrou diferença significativa entre os grupos, assim como na quantidade de medicação ingerida. O tempo decorrido entre a primeira e a última dose de medicação pós-operatória também não demonstrou diferença estatística. Com relação a anestesia intrapulpar, 78% dos pacientes necessitaram desta técnica, mas devido ao pequeno tamanho da amostra obtida, não foi possível correlacionar o seu uso com a utilização da medicação pós-operatória. Para os pacientes que se automedicaram previamente, não houve diferença significativa em relação à dor inicial. Quando os gêneros foram comparados, não foi possível observar uma diferença estatística significante entre eles com relação aos parâmetros estudados. Também foram descritos no trabalho os motivos de não inclusão dos 574 pacientes que foram abordados durante a realização deste estudo. Com base nos resultados, conclui-se que o cetorolaco diminuiu expressivamente o nível de dor durante a espera pelo atendimento, porém com relação ao tempo esperado pelo paciente para tomar a primeira dose de medicação pós-operatória, a última dose, a quantidade de comprimidos e a frequência de ingestão não demonstrou a mesma diferença. Também não houve diferença no nível de dor inicial entre os pacientes que se automedicaram e os que não fizeram uso dessa prática. Devido ao pequeno número da amostra, não foi possível encontrar uma correlação entre o uso da técnica anestésica intrapulpar e medicação pós-operatória, sugerindo mais estudos futuros. / The aim of this study was to evaluate the use of ketorolac tromethamine (10mg sublingual taken 30 minutes before pulpectomy in patients with irreversible pulpitis) in pain reduction immediately before the procedure and the 48 subsequent hours, postoperative consumption of analgesic drugs and time for its use. The influence of intrapulpal anesthesia, the use of analgesic self-medication prior to the demand for care and gender difference on the levels of pre- and postoperative pain was also evaluated. It was also proposed assess the need for antibiotic presence in the intracanal medicament, comparing Otosporin® with hydrocortisone. A total of 608 patients who presented to Dental Urgency Sector from Dental School of Bauru (USP) or Emergency Dental Sector from Bauru City Hall were invited to participate, and 34 completed properly planned protocol. They were distributed in 4 groups that received either ketorolac or placebo as preoperative medication and Otosporin® or hydrocortisone as intracanal medication. The rates of pain intensity were recorded by means of a visual analogue scale before pretreatment medication, immediately before the appointment, 1, 2, 4, 12, 24, 48 hours after the appointment, and when there was taken post medication for postoperative pain relief. It was also recorded if the patient had self medicated and which the drug used and, if there was need intrapulpal anesthesia, amount of ketorolac and rescue medication (paracetamol 750mg) consumed by the patient postoperative time and the waitng time for consumption. The results showed that patients receiving Ketorolac as preoperative medication had a significant reduction of pain in 30 minutes compared to placebo. It was observed that the time required for the intake of postoperative drug showed no significant difference between groups, as well as the amount of medication intake. The time elapsed between the first and last dose of postoperative medication also showed no statistical difference. Concerning intrapulpal anesthesia, 78% of patients required for this technique, but because of the small sample size obtained it was impossible to correlate their use with the use of postoperative medication. For patients who practiced self medication previously, there was no significant difference with respect to initial pain. When genders were compared, it was not possible to observe a statistically significant difference between them regarding the parameters studied. Were also described in the study the reasons of non-inclusion of 574 patients that were addressed during this study. Based on the results, it is concluded that ketorolac significantly decreased the level of pain during the waiting time, but with respect to the time length for the patient to take the first dose of postoperative medication, the last dose, the number of tablets and taken frequency did not show the same difference. There was no difference in the initial level of pain among patients who practiced self medication and those who did not use this practice. Due to the small sample size, it was not possible to find a correlation between the use of the anesthetic technique intrapulpal and postoperative medication, suggesting more future studies.
6

Avaliação de dose única de cetorolaco pré-operatório no controle de dor em biopulpectomias / Evaluation of preoperative single dose of Ketorolac tromethamine in the management of pain in pulpectomy

Bahia, Eliene Bim 15 October 2010 (has links)
A utilização de anti-inflamatórios nao esteroidais previamente a atendimentos de urgência odontológica vem sendo estudada com a finalidade de proporcionar maior conforto pos-operatório ao paciente. Visando avaliar a influência de um antiinflamatório nao esteroidal administrado previamente ao procedimento endodôntico de urgência em pulpites irreversíveis, sobre a dor e sobre a quantidade de medicação consumida no pós-operatório, foi utilizado o cetorolaco de trometamina 10mg sublingual 1 hora antes do procedimento. Também foi avaliada a influência desta droga sobre a quantidade de anestésico necessária para o acesso indolor a câmara pulpar e sobre a diminuição da dor durante a espera pelo atendimento. Como em todo atendimento de urgencia em dentes com pulpite irreversivel e utilizado uma medicação intracanal a base de corticosteróide associado a antibióticos, propos-se avaliar a real necessidade da presenca do antibiotico no curativo de demora, comparando a medicação mais usada (OtosporinR) com hidrocortisona. Participaram da pesquisa 39 pacientes que procuraram o Setor de Urgência Odontológica da Faculdade de Odontologia de Bauru ou o Setor Odontologico do Pronto Socorro Central da Prefeitura Municipal de Bauru. Foram divididos em 4 grupos que receberam cetorolaco de trometamina ou placebo como medicação pós-operatória e OtorporinR ou hidrocortisona como medicação intracanal. Foram anotados os valores de intensidade de dor, em uma escala visual analógica, antes da medicação pré-operatória, antes do atendimento, após o atendimento e 1, 2, 4, 12, 24, 48 horas apos. Também foi anotada a quantidade de anestésico utilizado, o tempo de procedimento, o tempo de duração da anestesia e a quantidade de cetorolaco de trometamina e medicação socorro (paracetamol 750mg) consumida pelo paciente no pós-operatório. Dos resultados obtidos observou-se que os pacientes que receberam cetorolaco de trometamina como medicação pré-operatória tiveram uma redução da dor entre 52% e 73% no intervalo de espera para o atendimento e nos pacientes que tomaram placebo essa redução foi de 28% a 32%. Na dor pós-operatória nao houve diferença significativa entre os grupos em nenhum momento, porem o grupo que recebeu placebo pré-operatório e hidrocortisona como curativo de demora apresentou uma tendencia de intensidade de dor pós-operatória maior. A mesma tendência pode ser vista no consumo de medicação pós-operatória. A quantidade de anestésico utilizada e o tempo de procedimento nao sofreram influência da medicação pré-operatória, pois não houve diferença significativa entre os grupos. A avaliação da importância da medicação intracanal sobre a intensidade da dor pós-operatória foi realizada nos grupos que receberam placebo como medicação pré-operatória e nao se observou diferença significativa entre os diferentes curativos de demora. Com base nos resultados, conclui-se que o cetorolaco de trometamina diminuiu expressivamente o nivel de dor, durante a espera pelo atendimento, porém, não influenciou a intensidade da dor e o consumo de medicamentos pós-operatório, assim como não alterou a eficácia da anestesia para o procedimento de urgência em pulpite irreversivel. A presença do antibiótico na medicação intracanal não interferiu na dor pós-operatória. / The use of nonsteroidal anti-inflammatory drugs before emergency dental treatment has been studied with the purpose to provide higher postoperative comfort to the patient. The objective of this study was to evaluate the influence of ketorolac tromethamine (10mg sublingual, taken 1 hour previously the emergency endodontic proceeding of irreversible pulpitis) in pain reduction and in the postoperative consumption of analgesic drugs. It was also analyzed the influence of this drug upon the amount of anesthetic necessary to the painless access into pulpal chamber and the pain reduction while waiting the appointment. Because an intracanal medication containing corticoid in combination with antibiotics is applied in teeth with irreversible pulpitis in every emergency treatment, it was proposed to evaluate the real necessity of the antibiotic in this intracanal medication, comparing the most popular medicine, OtosporinR, with hydrocortisone alone, in the same concentration present in this medicine. A total of 39 patients who presented either to Dental Urgency Sector from Dental School of Bauru (USP) or Emergency Dental Sector from Bauru City Hall were invited to participate. They were distributed in 4 groups that received either ketorolac tromethamine or placebo pretreatment and either OtosporinR or hydrocortisone alone as intracanal medication. It was noted the rates of pain intensity by means of a visual analogue scale, before the pretreatment medication, immediately before the appointment and 1, 2, 4, 12, 24 and 48 hours after the appointment. It was also recorded the amount of anesthetic used, the duration of proceeding, the time length of the anesthetic effect and the amount of ketorolac tromethamine and rescue medication (paracetamol 750mg) consumed by the patient at postoperative time. The patients who received ketorolac tromethamine as preoperative medication had a pain reduction between 52% and 73% during the waiting time for appointment and the patients who received placebo had a reduction between 28% and 32%. There was none statistically significant difference between the 4 groups with respect to the postoperative pain relief, in all the times analyzed. However, the group that received placebo before the appointment and hydrocortisone alone as intracanal medication showed higher pain intensity tendency as showed by the higher consumption of postoperative medication. The preoperative medication does not significantly influences the amount of anesthetic used and the duration of proceeding in all the groups. The efficacy of intracanal medication over postoperative pain intensity may be established in the groups who received placebo as preoperative medication and our results showed none statistically significant differences between them. The results of the present study indicate that ketorolac tromethamine does not affect the postoperative pain intensity, postoperative analgesic drugs consumption, and does not modify the effectiveness of the local anesthetic solution used for the emergency proceeding in teeth with irreversible pulpitis. However, it was very effective in reducing pain during the waiting time. With regard to the presence of antibiotic in the intracanal medication, our results indicate that it does not show any additional action to reduce postoperative pain.
7

Avaliação do pulso e pressão arteriais e do controle da dor utilizando-se dexametasona e cetorolaco como medicação pré-operatória em cirurgia de terceiros molares

Cardoso, Nayara Reis 23 July 2013 (has links)
Made available in DSpace on 2016-12-23T13:54:31Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Nayara Reis Cardoso.pdf: 1510197 bytes, checksum: 9aecace3e09bf9da9d9e1202a17cec02 (MD5) Previous issue date: 2013-07-23 / A administração preemptiva de anti-inflamatórios é executada no intuito de controlar a dor e o edema associados a extrações de terceiros molares retidos. O objetivo do estudo foi comparar dois anti-inflamatórios, um esteroidal (dexametasona 4 mg) e um não-esteroidal (cetorolaco trometamol 10 mg) no pré-operatório de terceiros molares retidos. Metodologia: Esta pesquisa consiste de um ensaio clínico, cego, cruzado e pareado, realizada no Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal do Espírito Santo, pelo Programa de Pós-graduação em Clínica Odontológica, em pacientes atendidos na disciplina de Cirurgia Bucomaxilofacial II. Foram selecionados 21 indivíduos de ambos os sexos, entre 18 a 30 anos, saudáveis e com os terceiros molares inferiores retidos bilaterais avaliados radiograficamente em posição similar. Duas intervenções cirúrgicas foram executadas por acadêmicos do oitavo período e docentes responsáveis, separadas por um intervalo mínimo de 15 dias. No primeiro procedimento foi administrado 1 comprimido de cetorolaco trometamol 10 mg, por via sublingual, 1 hora antes da cirurgia. Para exodontia dos terceiros molares do lado oposto foi administrado 1 comprimido de dexametasona 4 mg, por via oral, 1 hora antes da cirurgia. O anestésico utilizado foi a lidocaína 2% com adrenalina 1:100.000. A dor foi avaliada por escalas analógicas visuais imediatamente após a cirurgia, 6, 12, 24, 36 e 48 horas pós-operatórias. A pressão arterial sistólica (PAS) e diastólica (PAD) e o pulso arterial foram aferidos três vezes antes da administração dos fármacos a cada 5 minutos para uma média inicial e a cada 15 minutos após a administração, mantendo-se as aferições durante todo o procedimento cirúrgico. Resultados: Não houve diferença estatisticamente significativa para a variável dor, pulso arterial e PAS entre os fármacos. Na comparação entre os momentos de avaliação o período 6 horas após demonstrou os maiores índices de dor para ambos os medicamentos. A dexametasona não alterou os parâmetros avaliados, no entanto, o cetorolaco proporcionou redução da PAD após administração e por isso, apresentou menor valor médio de PAD comparado à dexametasona. Conclusões: A dexametasona 4 mg e o cetorolaco 10 mg atuam de forma eficaz e similar no controle da dor após exodontia de terceiros molares e são seguros dentro dos parâmetros avaliados. Por proporcionar redução da PAD, o cetorolaco é indicado aos pacientes ansiosos pela ação ansiolítica e sedativa inerente ao fármaco / The preemptive administration of anti-inflammatory drugs is performed in order to control the pain and swelling associated with extraction of impacted third molars. The aim of the study was to compare two anti-inflammatory a steroidal (dexamethasone 4 mg) and a non-steroidal (ketorolac tromethamine 10 mg) preoperatively of impacted third molars. Methodology: This research consists of a clinical trial, blinded, crossover paired, held at the Center for Health Sciences, Federal University of Espírito Santo, the Program of Postgraduate Dental Clinic, in patients enrolled in the discipline of Oral and Maxillofacial Surgery II. We selected 21 individuals of both sexes, aged 18 to 30 years old, healthy and lower third molars retained bilateral radiographically evaluated in a similar position. Two surgeries were performed by scholars of the eighth period and teachers responsible, separated by a minimum interval of 15 days. In the first procedure were administered one tablet of 10 mg ketorolac tromethamine, sublingually 1 hour before surgery. To third molar extraction of the opposite side was administered one tablet 4 mg of dexamethasone orally 1 hour before surgery. The anesthetic used was 2% lidocaine with 1:100,000 epinephrine. Pain was assessed by visual analog scales immediately after surgery, 6, 12, 24, 36, and 48 hours postoperatively. Systolic blood pressure (SBP) and diastolic (DBP) and pulse pressure were measured three times before the administration of drugs every 5 minutes for a mean baseline and every 15 minutes after administration, keeping the measurements throughout the surgical procedure . Results: There was no statistically significant difference for the variable pain, arterial pulse and SBP drugs. Comparing the times of the evaluation period 6 hours showed the highest levels of pain for both drugs. Dexamethasone did not alter the parameters evaluated, however, ketorolac caused a reduction of DBP after administration and therefore had lower mean DBP compared to dexamethasone. Conclusions: Dexamethasone 4 mg and ketorolac 10 mg operate effectively and similar in the control of pain after removal of third molars and are safe within the parameters evaluated. By providing DBP reduction, ketorolac is indicated for patients eager for anxiolytic and sedative inherent to the drug
8

Micropartículas biodegradáveis para liberação prolongada intraocular de cetorolaco de trometamina obtidas po Spray Drying

Rossanezi, Gustavo [UNESP] 15 August 2008 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:25:26Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2008-08-15Bitstream added on 2014-06-13T20:33:03Z : No. of bitstreams: 1 rossanezi_g_me_arafcf.pdf: 544804 bytes, checksum: 730652528635cea19a056b12c29e4b28 (MD5) / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) / Universidade Estadual Paulista (UNESP) / As doenças que afetam o globo ocular de maneira geral têm a terapêutica limitada pela grande dificuldade de se atingir e manter níveis efetivos de fármacos nessa região. Isso porque as formas farmacêuticas convencionais para as doenças oculares são destinadas a aplicação tópica, e não proporcionam níveis terapêuticos no corpo vítreo, retina e coróide. Dessa forma, os sistemas de liberação prolongada de fármacos para aplicação intraocular representam um interesse significativo para a terapêutica em oftalmologia. Sendo assim, o presente trabalho teve como objetivo produzir através da técnica de “Spray Drying” micropartículas biodegradáveis a partir do ácido poli-láctico-co-glicólico (PLGA) contendo cetorolaco de trometamina (CETO), um antiinflamatório não-esteróide que tem apresentado resultados relevantes no tratamento pós-operatório de cirurgias oftálmicas, proporcionando maior conforto e diminuindo os efeitos colaterais causados pelos antiinflamatórios esteróides. Utilizando o método proposto foram produzidas micropartículas com diferentes proporções de CETO:PLGA. As micropartículas foram visualizadas através da Microscopia Eletrônica de Varredura (MEV), apresentando formato esférico e uniforme, com superfícies lisas, e o tamanho médio e distribuição de tamanho das partículas foram determinados através do espalhamento de luz. Somente uma das amostras foi descartada, devido a não formação de microesferas. As propriedades físico-químicas de todos os sistemas foram estudadas utilizando espectroscopia de infravermelho (IR), calometria diferencial exploratória (DSC) e termogravimetria/termogravimetria derivada. Os resultados destes estudos mostraram que após a obtenção as estruturas químicas dos componentes foram preservadas... / The diseases that affect the ocular globe generally have limited treatment due their difficulty to achieve and sustain effective levels of drugs in this region. Because conventional pharmaceutical forms for ocular diseases are destined to topical application, and not provide therapeutic levels in vitreous, retina and choroid. In this way, the ocular drug delivery systems represent a strategy for therapy in ophthalmology. Thus, the present work had as aim to produce through Spray drying technique biodegradable microparticles of poly-lactic co-glycolic acid (PLGA) containing ketorolac tromethamine (CETO), a nonsteroidal anti-inflammatory that has presented relevant results in post-operative treating of ophthalmic surgery, providing greater comfort and reducing the adverse effects caused by steroidal anti-inflammatory. Using the considered method were produced microparticles with different ratios of CETO: PLGA. The microparticles were accessed through Scanning Electronic Microscopy (SEM), presenting itself spherical and uniform, smooth surface, and the particle size analysis and mean diameter were determined by Dynamic Light Scattering. Only one non spherical sample was dismissed. The physicochemical properties of all systems were studied using infrared spectroscopy (IR), differential scanning calorimetry (DSC) and thermogrametry/ derivative thermogravimetry (TG/DTG). The results of these studies showed that after produced the chemical structure of components were preserved, only having the necessaries interactions to promote prolonged released. The amounts of encapsulated CETO were determined by UV-Vis spectrophotometry... (Complete abstract click electronic access below)
9

Efeitos do cetorolaco de trometamina 0,5%, sem conservante, sobre a resposta inflamatória, a sensibilidade e re-epitelização corneal em coelhos submetidos a ulceração química da córnea

Conceição, Luciano Fernandes da [UNESP] 03 February 2010 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:27:48Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2010-02-03Bitstream added on 2014-06-13T18:31:58Z : No. of bitstreams: 1 conceicao_lf_me_jabo.pdf: 2281445 bytes, checksum: c6ad72b6b6c930106b1b1fa9f6e7ea2a (MD5) / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) / Estudou-se os efeitos do cetorolaco de trometamina 0,5%, sem conservante, sobre a inflamação ocular, avaliando-se a reparação epitelial e a sensibilidade corneal, em coelhos submetidos à ulceração corneal química com hidróxido de sódio (NaOH) 1 mol/L. Constituíram-se dois grupos (n=12). O primeiro grupo recebeu 30 μl de cetorolaco de tometamina 0,5%, sem conservante (OT), a cada seis horas, em uma das córneas ulceradas e 30 μl de solução salina fisiológica 0.9% (OC) na córnea adelfa, totalizando 4 aplicações diárias, por um período de 24 horas. O limiar de sensibilidade corneal foi avaliado por estesiometria antes e posteriormente a lesão ser realizada, a intervalos regulares de quatro horas. Avaliou-se ainda o edema corneal, a hiperemia conjuntival, o blefarospasmo e o diâmetro das úlceras, empregando-se, biomicroscópio com lâmpada em fenda, teste do tingimento pela fluoresceína, imagem digitalizada para posterior avaliação em programa Image J, até a reepitelização completa. Decorridas 24 horas da abrasão nos animais do primeiro grupo (n=6) e 55 horas nos animais do segundo grupo (n=6), estes foram submetidos à eutanásia. Ambas as córneas (OT e OC) foram avaliadas histologicamente e à microscopia eletrônica de varredura. Utilizou-se Análise de Variância para Medidas Repetidas, considerando significativos os valores de p ≤ 0,05. Conclui-se que mesmo sem a adição de conservantes e a despeito do bom efeito analgésico, o cetorolaco de trometamina a 0,5%, sem conservante, retarda a reparação cicatricial do epitélio corneal em coelhos submetidos a abrasões com hidróxido de sódio 1 mol/L. / Studied the effects of ketorolac tromethamine 0.5% without preservatives on ocular inflammation, evaluating the sensitivity and corneal epithelial repair in rabbits subjected to chemical corneal ulceration with sodium hydroxide (NaOH) 1 mol / L. Constituted two groups (n = 12). The first group received 30 μl of tometamine ketorolac 0.5%, without preservative (OT) every six hours in one of ulcerated corneas and 30 μl of saline solution 0.9% (OC) in the other cornea a total of four applications daily for a period of 24 hours. The threshold of corneal sensitivity was assessed by esthesiometry before and after the injury to be held at regular intervals of four hours. It was also evaluated corneal edema, conjunctival hyperemia, blepharospasm and the diameter of the ulcers, using, biomicroscopy with slit lamp, the fluorescein dye test, the scanned image for further evaluation in program Image J, until complete reepithelialization. After 24 hours of abrasion in the animals of first group (n = 6) and 55 hours in animals of the second group (n = 6), they were euthanized. Both corneas (OT and OC) were evaluated histologically and scanning electron microscopy. We used ANOVA for repeated measures, considering significant p values ≤ 0.05. We conclude that even without the added preservatives and despite the good analgesic effect of ketorolac tromethamine 0.5%, without preservative, slowing the repair of corneal epithelium wound healing in rabbits subjected to abrasion with sodium hydroxide 1 mol/L.
10

Dor em urgência odontológica: uso de anti-inflamatórios, corticoides e analgésicos em casos de pulpite aguda irreversível / Pain in dental emergency: anti inflammatory use, steroids and painkillers in cases of irreversible acute pulpitis

Eliene Bim Bahia 26 October 2016 (has links)
O objetivo deste estudo foi avaliar o uso do cetorolaco de trometamina 10mg sublingual 30 minutos antes do procedimento de biopulpectomia em pacientes com pulpite irreversível com relação à dor antes do procedimento e nas 48 horas subsequentes, a quantidade de medicação consumida no pós-operatório e tempo esperado para sua utilização. Também foi avaliada a influência da anestesia intrapulpar, o uso da automedicação analgésica antes da procura pelo atendimento e diferença entre gêneros sobre os níveis de dor pré e pós-operatória. Propôs-se avaliar também a necessidade da presença do antibiótico na medicação intracanal, comparando o Otosporin® com hidrocortisona. Participaram da pesquisa 608 pacientes que procuraram o Setor de Urgência Odontológica da Faculdade de Odontologia de Bauru ou o Setor Odontológico do Pronto Socorro Central da Prefeitura Municipal de Bauru, sendo que 34 completaram de forma adequada o protocolo previsto. Foram divididos em 4 grupos que receberam cetorolaco ou placebo como medicação pré-operatória e Otosporin® ou hidrocortisona como medicação intracanal. Foram anotados os valores de intensidade de dor, em uma escala visual analógica, antes da medicação pré-operatória, antes do atendimento, após o atendimento, 1, 2, 4, 12, 24, 48 horas após e quando houve necessidade de medicação pós-operatória para alívio da dor. Também foi anotado se o paciente havia se automedicado e qual a droga utilizada, se houve necessidade de anestesia intrapulpar, a quantidade de medicação consumida pelo paciente no pós-operatório e o tempo esperado para seu consumo. Dos resultados observou-se que os pacientes que receberam cetorolaco como medicação pré-operatória tiveram uma redução significativa da dor em 30 minutos, quando comparado ao placebo. Foi observado que o tempo necessário para a ingestão de medicamentos pós-operatórios não demonstrou diferença significativa entre os grupos, assim como na quantidade de medicação ingerida. O tempo decorrido entre a primeira e a última dose de medicação pós-operatória também não demonstrou diferença estatística. Com relação a anestesia intrapulpar, 78% dos pacientes necessitaram desta técnica, mas devido ao pequeno tamanho da amostra obtida, não foi possível correlacionar o seu uso com a utilização da medicação pós-operatória. Para os pacientes que se automedicaram previamente, não houve diferença significativa em relação à dor inicial. Quando os gêneros foram comparados, não foi possível observar uma diferença estatística significante entre eles com relação aos parâmetros estudados. Também foram descritos no trabalho os motivos de não inclusão dos 574 pacientes que foram abordados durante a realização deste estudo. Com base nos resultados, conclui-se que o cetorolaco diminuiu expressivamente o nível de dor durante a espera pelo atendimento, porém com relação ao tempo esperado pelo paciente para tomar a primeira dose de medicação pós-operatória, a última dose, a quantidade de comprimidos e a frequência de ingestão não demonstrou a mesma diferença. Também não houve diferença no nível de dor inicial entre os pacientes que se automedicaram e os que não fizeram uso dessa prática. Devido ao pequeno número da amostra, não foi possível encontrar uma correlação entre o uso da técnica anestésica intrapulpar e medicação pós-operatória, sugerindo mais estudos futuros. / The aim of this study was to evaluate the use of ketorolac tromethamine (10mg sublingual taken 30 minutes before pulpectomy in patients with irreversible pulpitis) in pain reduction immediately before the procedure and the 48 subsequent hours, postoperative consumption of analgesic drugs and time for its use. The influence of intrapulpal anesthesia, the use of analgesic self-medication prior to the demand for care and gender difference on the levels of pre- and postoperative pain was also evaluated. It was also proposed assess the need for antibiotic presence in the intracanal medicament, comparing Otosporin® with hydrocortisone. A total of 608 patients who presented to Dental Urgency Sector from Dental School of Bauru (USP) or Emergency Dental Sector from Bauru City Hall were invited to participate, and 34 completed properly planned protocol. They were distributed in 4 groups that received either ketorolac or placebo as preoperative medication and Otosporin® or hydrocortisone as intracanal medication. The rates of pain intensity were recorded by means of a visual analogue scale before pretreatment medication, immediately before the appointment, 1, 2, 4, 12, 24, 48 hours after the appointment, and when there was taken post medication for postoperative pain relief. It was also recorded if the patient had self medicated and which the drug used and, if there was need intrapulpal anesthesia, amount of ketorolac and rescue medication (paracetamol 750mg) consumed by the patient postoperative time and the waitng time for consumption. The results showed that patients receiving Ketorolac as preoperative medication had a significant reduction of pain in 30 minutes compared to placebo. It was observed that the time required for the intake of postoperative drug showed no significant difference between groups, as well as the amount of medication intake. The time elapsed between the first and last dose of postoperative medication also showed no statistical difference. Concerning intrapulpal anesthesia, 78% of patients required for this technique, but because of the small sample size obtained it was impossible to correlate their use with the use of postoperative medication. For patients who practiced self medication previously, there was no significant difference with respect to initial pain. When genders were compared, it was not possible to observe a statistically significant difference between them regarding the parameters studied. Were also described in the study the reasons of non-inclusion of 574 patients that were addressed during this study. Based on the results, it is concluded that ketorolac significantly decreased the level of pain during the waiting time, but with respect to the time length for the patient to take the first dose of postoperative medication, the last dose, the number of tablets and taken frequency did not show the same difference. There was no difference in the initial level of pain among patients who practiced self medication and those who did not use this practice. Due to the small sample size, it was not possible to find a correlation between the use of the anesthetic technique intrapulpal and postoperative medication, suggesting more future studies.

Page generated in 0.0295 seconds