• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 7
  • Tagged with
  • 7
  • 7
  • 7
  • 7
  • 5
  • 5
  • 4
  • 4
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 2
  • 2
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Efeito da insolação na sanidade de abelhas Apis mellifera (africanizadas) no Semiárido Brasileiro / Effects of the insolation on the bee health of Apis mellifera (Africanized bees) in the Brazilian semiarid region

Souza, Franklin Amaro de 27 February 2016 (has links)
Submitted by Socorro Pontes (socorrop@ufersa.edu.br) on 2017-03-13T13:17:05Z No. of bitstreams: 1 FranklinAS_DISSERT.pdf: 1406892 bytes, checksum: 31ccee360ab84a9af3e75803363344c4 (MD5) / Made available in DSpace on 2017-03-13T13:17:05Z (GMT). No. of bitstreams: 1 FranklinAS_DISSERT.pdf: 1406892 bytes, checksum: 31ccee360ab84a9af3e75803363344c4 (MD5) Previous issue date: 2016-02-27 / Africanized honey bees (Apis mellifera) from the region of the Semiarid Potiguar has two main diseases: varroatose, whose agent is the mite Varroa destructor and, the Nosemosis disease, recently introduced in the state, whose agent was previously identified in the area of our experimental apiaries as being the microsporide Nosema ceranae. The objectives of this study were to evaluate the effects of direct insolation and shading on the hives, in relation to the mite infestation rate in the adult bees and in the worker brood; on hygienic behavior and on the Nosemosis disease. The experiment was conducted in CETAPIS / UFERSA in the Mossoró-RN city. It were used 10 beehives installed under a metallic structure covered by dry leaves of coconut, it was built on the east-west direction, and with a capacity to absorbed about 90% of the direct insolation. Ten other beehives were installed under the direct effect of insolation, about 15 meters in relation to the former group. The results showed that during the dry season period the hives installed in the shade had an average infestation rate (%) in adult bees significantly lower (P <0.01) than in hives installed in the sun. Although the results show a smaller infestation trend on the bee brood of hives installed in the shade, no significant differences were observed (P = 0.253). Already hygienic behavior was very low, considering that the bees were Africanized bees and it were captured in the region during the swarming season. However, there was a significant negative correlation between the hygienic behavior and the mite infestation rate in adult bees. The nosemosis disease showed one prevalence of 100% in the experimental apiary, however, the average number of spores per bee can be considered very low, being significantly higher during the harvest period than in the off season period's, however, this results did not show significant differences between the hives receiving direct insolation and that ones under shade / As abelhas africanizadas (Apis mellifera) da região do Semiárido Potiguar apresentam duas doenças principais: A varroatose cujo agente é o ácaro Varroa destructor, e a nosemose, recentemente introduzida no estado, cujo agente foi identificado anteriormente na região dos apiários experimentais como sendo o microsporídio Nosema ceranae. Os objetivos desta pesquisa foram avaliar os efeitos diretos da insolação e do sombreamento sobre colmeias em relação à taxa de infestação do ácaro em abelhas adultas e nas crias; sobre o comportamento higiênico e sobre a doença nosemose. O experimento foi realizado no CETAPIS/UFERSA em Mossoró, RN, onde, utilizou-se 10 colmeias instaladas sob uma latada construída no sentido leste-oeste, coberta com folhas de coqueiro que absorvia cerca de 90% da insolação e, outras 10 sob efeito direto da insolação. As coletas foram feitas no período da safra (chuvoso), nos dias 30/01, 20/03, 09/4 e 10/05, e no período da entressafra (seca), nos dias 18/08, 23/09, 07/10 e 30/11. Os resultados mostraram que durante o período de entressafra as colmeias instaladas na sombra apresentaram uma taxa de infestação média (%) (6,54 ± 0,59) em abelhas adultas menor (P<0.01) do que nas colmeias instaladas no sol (9,71 ± 1,02). Embora os resultados tenham mostrado uma tendência de infestação menor nas crias em colmeias instaladas na sombra, em relação as instaladas no sol, não foram observadas diferenças significativas (P=0.253). Já o comportamento higiênico (%) foi muito baixo para as colmeias na sombra e no sol (57, 61 ± 6,44 e 57,33 ± 7,96) respectivamente. No entanto, observou-se uma correlação negativa significativa entre este comportamento e a taxa de infestação do ácaro em abelhas adultas. Quanto à nosemose, foram encontrados esporos em todas as colmeias tanto no sol quando na sombra, mas no entanto, o número médio de esporos por abelha pode ser considerado muito baixo, sendo significativamente maior no período de safra (200.000 ± 40. 869) do que na entressafra (31.250 ± 3.900), no entanto, não se obteve diferenças significativas entre as colmeias na sombra e no sol / 2017-03-13
2

Influência das precipitações pluviométricas e da atividade forrageira das abelhas africanizadas (Apis mellifera L.) no comportamento higiênico / Influence of rainfall and foraging activity on hygienic behavior of Africanized honey bees (Apis mellifera L.)

Vanessa de Andrade Bugalho 25 March 2009 (has links)
O comportamento higiênico (CH) é uma característica muito utilizada para seleção em programas de melhoramento genético de abelhas Apis mellifera , em especial para o controle de doenças sem a necessidade de tratamentos químicos. Entretanto, o controle de qualquer comportamento é extremamente difícil sem que se conheçam os mecanismos que os determinam e quais os fatores ambientais que os influenciam. Os objetivos deste trabalho se constituíram em verificar se as abelhas forrageiras podem realizar o comportamento higiênico durante a noite, período no qual existe pouca ou nenhuma coleta de recursos e verificar o efeito das variáveis climáticas: temperatura, umidade relativa e em especial das precipitações pluviométricas no comportamento higiênico das abelhas africanizadas. Os experimentos foram realizados no Apiário Experimental do Departamento de Genética da Faculdade de Medicina de Ribeirão PretoUSP. Foram utilizadas seis colônias de abelhas africanizadas escolhidas aleatoriamente, colméias de observação e o sistema de monitoramento de uma Câmara Climática dotada de sensores de temperatura, umidade e registradores automáticos de atividades de vôo dotados de foto-células (Apidômetros) instalados no alvado das colônias. Próximo ao laboratório foi montada uma Estação Climatológica Modelo Vantage Pro-2 acoplada ao computador (com recepção wireless) para registro dos dados climáticos. Para o processamento estatístico dos dados dos experimentos utilizamos os testes One Way Repeated Measures (RM) ANOVA, RM ANOVA on Ranks, Paired t-test e o teste de Correlação de Spearman, levando-se em consideração a normalidade das amostras. Para avaliarmos a possível influência das abelhas forrageiras no CH realizamos três experimentos. No primeiro verificamos que as forrageiras realizam o CH na ausência de abelhas mais jovens. O segundo experimento foi realizado com quadros-testes de CH introduzidos nas colméias em horários distintos, sendo três repetições realizadas das 12h às 22h (6 horas durante o dia e 4 horas durante a noite) e das 24h às 10h (6 horas durante a noite e 4 horas durante o dia). As médias de células vazias foram respectivamente de 10,82% e 14,17%. Estes dados apresentaram diferença estatisticamente significante, sendo que o CH foi mais eficiente quando o quadro-teste permaneceu a maior parte do tempo (6 horas) na colméia durante a noite. As mesmas colônias foram utilizadas em mais três repetições realizadas das 18h às 4h (10 horas durante a noite) e das 6h às 16h (10 horas durante o dia). As médias de células vazias foram de 28,56% durante a noite e 23,90% durante o dia. Neste caso, embora não haja diferença estatística significante foi possível observar uma tendência do CH ser mais eficiente no período noturno. Contudo, como neste experimento não foi possível observar nenhuma abelha forrageira realizando o CH, um novo experimento foi realizado com uma colméia de observação para filmagens de abelhas de idade controlada e marcadas com etiquetas coloridas e numeradas. No entanto, nenhuma abelha observada forrageando anteriormente foi vista realizando o CH durante a noite. Constatamos que colônias constituídas por abelhas jovens apresentam melhor desempenho no CH do que colônias constituídas por abelhas de todas as idades. Quanto a influência das condições climáticas, realizamos testes de CH dois dias antes da chuva, durante a chuva e dois dias depois da chuva. Os testes de CH foram estatisticamente mais eficientes em dias chuvosos do que antes e depois da chuva quando realizados na primavera e no verão. Porém, durante o outono e o inverno os testes de CH não apresentaram nenhuma diferença estatísticamente significante. Mesmo não tendo sido observadas abelhas forrageiras realizando o CH não podemos descartar a possibilidade destas abelhas auxiliarem no CH em dias chuvosos e durante a noite quando a maior parte das campeiras estão no interior da colméia. Também podemos atribuir os resultados obtidos ao possível desvio de função de outras abelhas responsáveis pela recepção, evaporação e armazenamento de néctar e empacotamento de pólen, já que durante a noite e a chuva a coleta de recursos é extremamente reduzida ou não existe. A variável climática umidade relativa do ambiente comportou-se como um fator inversamente proporcional em relação ao CH, enquanto que a temperatura não apresentou nenhuma diferença estatísticamente significante em nenhum dos tratamentos. No entanto, como não foi possível obter dados de temperaturas mais extremas durante o período dos experimentos esta variável deve ser melhor pesquisada para se verificar o efeito dela no CH das abelhas africanizadas. / Hygienic behavior (HB) of honey bees (Apis mellifera ) is a useful and selectable characteristic for resistance to diseases. However, in order to efficiently evaluate and select for this behavior we need to understand the mechanisms involved and how environmental factors influence HB. We examined how time of the day, bee age and behavioral ontogeny, and climatic variables, including temperature, relative humidity and rainfall affect the HB of Africanized bees. We used six colonies of Africanized bees, observation hives and a hive temperature control chamber (colonies had free access to the outside), with temperature and relative humidity sensors and automatic flight activity recorders at the hive entrances. A climatic station placed near the hives was used to record the weather data. The data was analyzed with one way repeated measures ANOVA, ANOVA on ranks, paired t-tests and Spearman\'s correlation tests. We found that foraging bees can perform HB when the younger bees are removed from the colonies. When the HB tests were run from 12h to 22h (six hours during the day and four hours during the night), 10.8% of the brood was removed; when it was run from 24h to 10h (six hours during the night and four hours during the day, 14.2% of the brood was removed. These percentages were significantly different (three repetitions). The same tests were run from 18h to 4h (10 hours during the night; 28.6% removal) and 6h to 16h (10 hours during the day; 23.9% removal). In this case, there was no significant difference, though there appeared to be a tendency towards greater efficiency at night, similar to what was seen in the experiments with six versus four hours of night-time activity. We hypothesized that unoccupied forager bees may contribute at night; however, when we filmed the behavior of marked bees, those that were seen to make foraging trips did not perform HB at night. We also found that colonies formed only by young bees had more efficient HB than colonies formed by bees of all ages. To determine the influence of climatic conditions, we tested HB two days before rainy days, during rainy days and two days after rainy days; HB was significantly more efficient on rainy days than before and after during spring and summer (when most rain falls). However, during autumn and winter (normally dry seasons) there were no significant differences between days with and without rainfall. The variable relative humidity was inversely correlated with HB, while temperature was not significantly correlated with HB, though we did not test extreme temperatures.
3

Melhoramento genético e seleção de colmeias para aumento da produção de própolis verde na apicultura comercial / Genetic improvement and selection of colonies to increase production of green propolis in commercial beekeeping

Omar Arvey Martínez Carantón 14 December 2012 (has links)
O melhoramento genético de abelhas Apis mellifera é uma ferramenta essencial e de caráter obrigatório para o sucesso e desenvolvimento do setor apícola. O nosso objetivo principal foi estruturar, estabelecer e fixar um plano de seleção e melhoramento genético com o objetivo de incrementar a produção de própolis por colmeia. Iniciamos este trabalho através da avaliação das características de seleção de comportamento higiênico, taxa de infestação de Varroa, incidência de Nosema em um grupo inicial de 50 colmeias. Neste grupo 40,4% das colmeias apresentaram um comportamento higiênico acima de 90% com valores de 71 ± 28,9 ± 4,22 (média ± DP ± EP); taxa de infestação de Varroa 7,7 ± 4,0 ± 0,57 (média ± DP ± EP) e uma média de incidência de Nosema < 300.000 esporos/abelha. Após estas avaliações, selecionamos três colmeias com os seguintes parâmetros: >90% de comportamento higiênico, <5% de taxa de infestação de Varroa e ausência do esporo de Nosema. Rainhas virgens dessas três linhagens genéticas foram produzidas e introduzidas nos apiários de produção. Na segunda fase analisamos um total de 263 colmeias, das quais 12,9% eram rainhas filhas das colmeias selecionadas na primeira geração. Avaliando esses apiários através do teste estatístico ANOVA encontramos diferenças estatísticas significantes entre as médias de produção de própolis para colmeias com duas, quatro e seis lâminas (F= 25,4301, (p) <0,05). Observamos que 32% das colmeias produziram menos de 50 gramas, 37% entre 50 e 100 gramas e 31% mais de 100 gramas. Embora a troca de rainhas realizada nas colmeias utilizadas somente fosse de 18%, o resultado de produção das 34 rainhas selecionadas que foram aceitas mostrou que a produção destas colmeias, independentemente do apiário no qual estas rainhas foram introduzidas, foi sempre superior a média de produção individual de cada apiário. Do grupo de 263 colmeias selecionamos 60 colmeias segundo os resultados da coleta de própolis. Nestas observamos que o comportamento higiênico apresentou valores de 72,6 ± 25,0 ± 3,9 (média ± DP ± EP); taxa de infestação de Varroa 7,2 ± 3,0 ± 0,5 (média ± DP ± EP) e uma média de incidência de Nosema < 500.000 esporos/abelha. Após estas avaliações selecionamos dez colmeias com os seguintes parâmetros: >95% de comportamento higiênico, <5% de taxa de infestação de Varroa e ausência do esporo de Nosema para formar o grupo de rainhas selecionadas durante a segunda geração. Das dez colmeias selecionadas seis possuíam rainhas filhas da primeira geração, reforçando a importância de trabalhar com material previamente selecionado nas colmeias de produção. Apesar de termos selecionado somente a origem genética materna, pela introdução de rainhas virgens, nossos resultados de produção já mostraram ser promissores. / Genetic improvement of honey bees (Apis mellifera) is an essential and important tool for the success and development of the beekeeping industry. Our main objective was to develop and set in motion a selection and breeding program to increase propolis production. We began by evaluating for hygienic behavior, Varroa infestation, and Nosema incidence in an initial group of 50 colonies. Twenty of these colonies had a hygienic behavior index above 90%; the mean rate was 71 ± 28.9 ± 4.22% (mean ± SD ± SE). The mean rate of infestation with Varroa was 7.7 ± 4.0 ± 0.57 mites per 100 adult bees (mean ± SD ± SE). The mean rate of infection with Nosema was <500,000 spores/bee. Following these evaluations, we selected three colonies with the following parameters: >90% hygienic behavior, <5% Varroa infestation and no Nosema spores. Virgin queens from these three colonies were produced and introduced into production apiaries. In the second phase, we analyzed 263 colonies, of which 12.9% had queens that were daughters of the three colonies selected in the first generation. Evaluating these apiaries through ANOVA, we found significant differences in propolis production for two, four and six pieces of propolis (F = 25.4301, p <0.05). We observed that 32% of the colonies produced less than 50 grams, 37% between 50 and 100 grams, and 31% over 100 grams. Although queens were introduced into only 18% of the colonies, the production of the 34 colonies that had selected queens was always superior to the mean overall production, regardless of the apiary in which these queens were introduced. Among the 263 colonies, we selected 60 based on propolis production. The hygienic behavior values of these colonies was 72.6 ± 25.0 ± 3.9 (mean ± SD ± SE), the rate Varroa infestation was 7.2 ± 3.0 ± 0.5 (mean ± SD ± SE), and the mean rate of Nosema infection was <500,000 spores/bee. Following these evaluations, we selected 10 colonies with the following parameters: >95% hygienic behavior, <5% rate of Varroa infestation, and absence of Nosema spores to form the second generation selection group. Of the 10 selected colonies, six were headed by queens that were daughters of the first selected group, demonstrating the importance of working with previously selected material. Although we selected only the maternal genetic line by introducing virgin queens, the improvement in production has been promising.
4

Influência das precipitações pluviométricas e da atividade forrageira das abelhas africanizadas (Apis mellifera L.) no comportamento higiênico / Influence of rainfall and foraging activity on hygienic behavior of Africanized honey bees (Apis mellifera L.)

Bugalho, Vanessa de Andrade 25 March 2009 (has links)
O comportamento higiênico (CH) é uma característica muito utilizada para seleção em programas de melhoramento genético de abelhas Apis mellifera , em especial para o controle de doenças sem a necessidade de tratamentos químicos. Entretanto, o controle de qualquer comportamento é extremamente difícil sem que se conheçam os mecanismos que os determinam e quais os fatores ambientais que os influenciam. Os objetivos deste trabalho se constituíram em verificar se as abelhas forrageiras podem realizar o comportamento higiênico durante a noite, período no qual existe pouca ou nenhuma coleta de recursos e verificar o efeito das variáveis climáticas: temperatura, umidade relativa e em especial das precipitações pluviométricas no comportamento higiênico das abelhas africanizadas. Os experimentos foram realizados no Apiário Experimental do Departamento de Genética da Faculdade de Medicina de Ribeirão PretoUSP. Foram utilizadas seis colônias de abelhas africanizadas escolhidas aleatoriamente, colméias de observação e o sistema de monitoramento de uma Câmara Climática dotada de sensores de temperatura, umidade e registradores automáticos de atividades de vôo dotados de foto-células (Apidômetros) instalados no alvado das colônias. Próximo ao laboratório foi montada uma Estação Climatológica Modelo Vantage Pro-2 acoplada ao computador (com recepção wireless) para registro dos dados climáticos. Para o processamento estatístico dos dados dos experimentos utilizamos os testes One Way Repeated Measures (RM) ANOVA, RM ANOVA on Ranks, Paired t-test e o teste de Correlação de Spearman, levando-se em consideração a normalidade das amostras. Para avaliarmos a possível influência das abelhas forrageiras no CH realizamos três experimentos. No primeiro verificamos que as forrageiras realizam o CH na ausência de abelhas mais jovens. O segundo experimento foi realizado com quadros-testes de CH introduzidos nas colméias em horários distintos, sendo três repetições realizadas das 12h às 22h (6 horas durante o dia e 4 horas durante a noite) e das 24h às 10h (6 horas durante a noite e 4 horas durante o dia). As médias de células vazias foram respectivamente de 10,82% e 14,17%. Estes dados apresentaram diferença estatisticamente significante, sendo que o CH foi mais eficiente quando o quadro-teste permaneceu a maior parte do tempo (6 horas) na colméia durante a noite. As mesmas colônias foram utilizadas em mais três repetições realizadas das 18h às 4h (10 horas durante a noite) e das 6h às 16h (10 horas durante o dia). As médias de células vazias foram de 28,56% durante a noite e 23,90% durante o dia. Neste caso, embora não haja diferença estatística significante foi possível observar uma tendência do CH ser mais eficiente no período noturno. Contudo, como neste experimento não foi possível observar nenhuma abelha forrageira realizando o CH, um novo experimento foi realizado com uma colméia de observação para filmagens de abelhas de idade controlada e marcadas com etiquetas coloridas e numeradas. No entanto, nenhuma abelha observada forrageando anteriormente foi vista realizando o CH durante a noite. Constatamos que colônias constituídas por abelhas jovens apresentam melhor desempenho no CH do que colônias constituídas por abelhas de todas as idades. Quanto a influência das condições climáticas, realizamos testes de CH dois dias antes da chuva, durante a chuva e dois dias depois da chuva. Os testes de CH foram estatisticamente mais eficientes em dias chuvosos do que antes e depois da chuva quando realizados na primavera e no verão. Porém, durante o outono e o inverno os testes de CH não apresentaram nenhuma diferença estatísticamente significante. Mesmo não tendo sido observadas abelhas forrageiras realizando o CH não podemos descartar a possibilidade destas abelhas auxiliarem no CH em dias chuvosos e durante a noite quando a maior parte das campeiras estão no interior da colméia. Também podemos atribuir os resultados obtidos ao possível desvio de função de outras abelhas responsáveis pela recepção, evaporação e armazenamento de néctar e empacotamento de pólen, já que durante a noite e a chuva a coleta de recursos é extremamente reduzida ou não existe. A variável climática umidade relativa do ambiente comportou-se como um fator inversamente proporcional em relação ao CH, enquanto que a temperatura não apresentou nenhuma diferença estatísticamente significante em nenhum dos tratamentos. No entanto, como não foi possível obter dados de temperaturas mais extremas durante o período dos experimentos esta variável deve ser melhor pesquisada para se verificar o efeito dela no CH das abelhas africanizadas. / Hygienic behavior (HB) of honey bees (Apis mellifera ) is a useful and selectable characteristic for resistance to diseases. However, in order to efficiently evaluate and select for this behavior we need to understand the mechanisms involved and how environmental factors influence HB. We examined how time of the day, bee age and behavioral ontogeny, and climatic variables, including temperature, relative humidity and rainfall affect the HB of Africanized bees. We used six colonies of Africanized bees, observation hives and a hive temperature control chamber (colonies had free access to the outside), with temperature and relative humidity sensors and automatic flight activity recorders at the hive entrances. A climatic station placed near the hives was used to record the weather data. The data was analyzed with one way repeated measures ANOVA, ANOVA on ranks, paired t-tests and Spearman\'s correlation tests. We found that foraging bees can perform HB when the younger bees are removed from the colonies. When the HB tests were run from 12h to 22h (six hours during the day and four hours during the night), 10.8% of the brood was removed; when it was run from 24h to 10h (six hours during the night and four hours during the day, 14.2% of the brood was removed. These percentages were significantly different (three repetitions). The same tests were run from 18h to 4h (10 hours during the night; 28.6% removal) and 6h to 16h (10 hours during the day; 23.9% removal). In this case, there was no significant difference, though there appeared to be a tendency towards greater efficiency at night, similar to what was seen in the experiments with six versus four hours of night-time activity. We hypothesized that unoccupied forager bees may contribute at night; however, when we filmed the behavior of marked bees, those that were seen to make foraging trips did not perform HB at night. We also found that colonies formed only by young bees had more efficient HB than colonies formed by bees of all ages. To determine the influence of climatic conditions, we tested HB two days before rainy days, during rainy days and two days after rainy days; HB was significantly more efficient on rainy days than before and after during spring and summer (when most rain falls). However, during autumn and winter (normally dry seasons) there were no significant differences between days with and without rainfall. The variable relative humidity was inversely correlated with HB, while temperature was not significantly correlated with HB, though we did not test extreme temperatures.
5

Avaliação das características genéticas de abelhas africanizadas (Apis mellifera L.) importantes na seleção de rainhas matrizes para a produção de mel / Evaluation of genetic characteristics of africanized bees (Apis mellifera L.), important in selecting matrix queens for honey production

Gomes, Renata Valéria Regis de Sousa 02 May 2016 (has links)
Submitted by Socorro Pontes (socorrop@ufersa.edu.br) on 2017-04-11T16:57:51Z No. of bitstreams: 1 RenataVRSG_TESE.pdf: 4187159 bytes, checksum: 1407c0df06b55e7b10b6605b6b21cbe7 (MD5) / Approved for entry into archive by Vanessa Christiane (referencia@ufersa.edu.br) on 2017-04-13T15:06:15Z (GMT) No. of bitstreams: 1 RenataVRSG_TESE.pdf: 4187159 bytes, checksum: 1407c0df06b55e7b10b6605b6b21cbe7 (MD5) / Approved for entry into archive by Vanessa Christiane (referencia@ufersa.edu.br) on 2017-04-13T15:06:23Z (GMT) No. of bitstreams: 1 RenataVRSG_TESE.pdf: 4187159 bytes, checksum: 1407c0df06b55e7b10b6605b6b21cbe7 (MD5) / Made available in DSpace on 2017-04-13T15:06:34Z (GMT). No. of bitstreams: 1 RenataVRSG_TESE.pdf: 4187159 bytes, checksum: 1407c0df06b55e7b10b6605b6b21cbe7 (MD5) Previous issue date: 2016-05-02 / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior / This work aimed to evaluate africanized bee (Apis mellifera L.) phenotypic characteristics, important in selecting matrix queens for honey production. Thirty africanized bee (Apis mellifera L.) colonies were transferred from partner beekeeping apiaries in coastal zone and South Zona da Mata of Pernambuco to experimental apiary of Animal Science Department (AEDZ/UFRPE). Colonies were fortnightly evaluated in the period from January 2014 to February 2016 and data of 89 queens of colonies or families were recorded. Energy and protein food was provided in off-season period. Infestation rate in colonies with Varroa destructor and infection degree with Nosema were verified, as well as hygienic behavior, queen egg laying, defensiveness and honey production tests were carried out in the first experimental phase and selection index (IS) was obtained of analyzed colonies. For the 2nd experimental phase, 1st, 2nd and 3rd generation queens were produced; daughters of matrixes with IS ≥ 8.0 and honey production was evaluated. Sixty-two out of 89 queens observed died naturally, presenting average longevity of 6.4 ± 2.9 months. Natural reproduction peak period is between September and December. The queen perform egg laying all months of the year, and as temperature increases and humidity and rainfall decrease, queen oviposition intensity is higher; thus brood comb increases. The diet used showed economic viability, avoided swarm loss and stimulated queen egg laying. Low level of Varroatose (2.92% ± 2.02%) and low intensity of Nosema infection were found. Success in queen cell production was 98% in acceptance of transferred larvae. Genetic gain was observed of 0.7 Kg in honey production at colonies with 3rd generation queens; which represents increasing of 5.4% of honey production, related to matrix colonies and 49.2% compared to production in partner beekeeping apiaries. These results are very encouraging, leading us to believe in breeding program success, using the variables and calculation format for selection index used in this work and give us subsides for possible adjustments in management of production apiaries, in accordance with environmental conditions of this region, aiming at professional beekeeping growth and increased honey production / Este trabalho teve como objetivo avaliar as características fenotípicas de abelhas africanizadas (Apis mellifera L.) importantes na seleção de rainhas matrizes para a produção de mel. Foram transferidas 30 colônias de abelhas africanizadas (Apis mellifera L.) dos apiários de apicultores colaboradores da região do litoral e zona da mata sul de Pernambuco para o apiário experimental do Departamento de Zootecnia (AEDZ/UFRPE). As colônias foram avaliadas quinzenalmente no período de janeiro de 2014 a fevereiro de 2016 e foram registrados dados de 89 rainhas de colônias ou famílias. Foi administrado alimentação energética e proteica no período de entressafra. Foi verificado o nível de infestação das colônias com Varroa destructor e Nosema e realizado os testes de comportamento higiênico, postura da rainha, defensividade e produção de mel na 1ª fase experimental e obteve-se o índice de seleção (IS) das colônias analisadas. Para 2ª fase experimental foram produzidas rainhas de 1ª, 2ª e 3ª geração filhas das matrizes com IS ≥ 8,0 e avaliou-se a produção de mel. Das 89 rainhas observadas, 62 morreram naturalmente apresentando longevidade média de 6,4 ± 2,9 meses. A época de pico da reprodução natural é entre os meses de setembro a dezembro. A rainha realiza postura todos os meses do ano, sendo que à medida que a temperatura aumenta e a umidade e o índice pluviométrico diminuem, maior é a intensidade de ovoposição da rainha, consequentemente aumenta o número de quadros com crias. A dieta utilizada apresentou viabilidade econômica, evitou a perda dos enxames e estimulou a postura da rainha. Foram encontrados um nível baixo de varroatose (2,92% ± 2,02%) e baixa intensidade de infecção por Nosema. O sucesso na produção de realeiras foi de 98% na aceitação das larvas transferidas. Observou-se um ganho genético de 0,7 Kg na produção de mel nas colônias com rainhas de 3ª geração, o que representa aumento de 5,4% na produção de mel em relação as colônias matrizes e 49,2% comparada a produção nos apiários dos apicultores parceiros. Esses resultados são muito estimulantes levando-se a acreditar no sucesso do programa de melhoramento aplicado, utilizando-se as variáveis e a forma de cálculo para o índice de seleção utilizados no presente trabalho e nos dá subsídios para possíveis adequações no manejo dos apiários de produção, em conformidade com as condições ambientais dessa região, visando o crescimento profissional da atividade apícola e o aumento da produção de mel / 2017-04-11
6

A importância dos mecanismos comportamentais de resistência para a dinâmica populacional de abelhas Apis mellifera e o parasita Varroa destructor

Santos, Joyce de Fgueiró 06 June 2014 (has links)
Submitted by Joyce de Figueiró Santos (joycefigueiro@gmail.com) on 2014-07-21T14:48:02Z No. of bitstreams: 1 mestrado(1).pdf: 12859151 bytes, checksum: cce9beb4e56c9706618a1d6361e58fd9 (MD5) / Approved for entry into archive by Janete de Oliveira Feitosa (janete.feitosa@fgv.br) on 2014-07-22T21:09:53Z (GMT) No. of bitstreams: 1 mestrado(1).pdf: 12859151 bytes, checksum: cce9beb4e56c9706618a1d6361e58fd9 (MD5) / Approved for entry into archive by Marcia Bacha (marcia.bacha@fgv.br) on 2014-07-24T17:35:11Z (GMT) No. of bitstreams: 1 mestrado(1).pdf: 12859151 bytes, checksum: cce9beb4e56c9706618a1d6361e58fd9 (MD5) / Made available in DSpace on 2014-07-24T17:35:59Z (GMT). No. of bitstreams: 1 mestrado(1).pdf: 12859151 bytes, checksum: cce9beb4e56c9706618a1d6361e58fd9 (MD5) Previous issue date: 2014-06-06 / The ectoparasitic mite Varroa destructor that parasitize honey bees has become a global problem. Although this mite is unlikely to, by itself, cause the mortality of hives, it plays an important role as a vector for many viral diseases. These diseases are identified as some of the most important reasons for the Colony Collapse Disorder. The effects of V.destructor infestation are disparate in different parts of the world. Greater morbidity - in the form of colony losses - has been reported in colonies of European honey bees (EHB) in countries of Europe, Asia and North America. However, this mite has been in Brasil for many years and there are no reports of losses of Africanized honey bees (AHB) colonies. Studies carried out in Mexico showed that some resistance behaviors to the Varroa mite - especially grooming and hygienic behavior - appear to be different in each subspecies. Could those mechanisms explain why the AHB are less susceptible to Colony Collapse Disorder? In order to answer this question, we propose a mathematical model based on differential equations, to analyze the role of these resistance mechanisms in the overall health of the colony, and it’s ability to face environmental challenges. / Os ácaros ectoparasitas Varroa destructor, que parasitam as abelhas tornaram-se um problema global. Embora seja pouco provável que estes ácaros, por si só, provoquem a mortalidade das colmeias, eles desempenham um importante papel como vetor de muitas doenças virais. E estas doenças são identificados como algumas das mais importantes razões para a Desordem do Colapso das Colônias. Os efeitos da infestação do V.destructor são distintas em diferentes partes do mundo. Maiores mortalidades de colônias têm sido relatadas em colônias de abelhas européias (AE) em países da Europa, Ásia e América do Norte. No entanto, este ácaro está presente no Brasil já por muitos anos e não existem relatos de perdas em colônias das abelhas africanizadas (AA). Estudos realizados no México mostraram que alguns comportamentos de resistência ao ácaro Varroa - especialmente o grooming e o comportamento higiênico - são diferentes em cada uma das subespécie. Poderiam então esses mecanismos explicar por que as abelhas africanizadas são menos suscetíveis à Desordem do Colapso das Colônias? A fim de responder a esta pergunta, propomos um modelo matemático baseado em equações diferenciais, com o objetivo de analisar o papel desses mecanismos de resistência na saúde geral da colônia e na capacidade da colônia para enfrentar desafios ambientais.
7

Divergências morfométricas e comportamentais em Apis mellifera L. (Hymenoptera:apidae)

Sousa, Arlik Rafael Santiago de 31 July 2014 (has links)
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico / Bees of the genus Apis are widely distributed throughout the tropical regions of the planet, playing fundamental role as pollinators. In Brazil they are a polihibrid formed by the crossbreed of African subspecies Apis mellifera scutellata and European subspecies, where due generalist habits the introgression of alleles of the African subspecies has led to a predominance of the your characteristics in relation to European subspecies. The scope of this work was to characterize the divergence among 71 colonies of Africanized honey bees located in three distinct ecoregions (Forest zone, Ecotone and Semiarid) of the State of Sergipe Brazilian northeast, through morphological and behavioral analyses, in order to assess the relationship between the effects of seasonality and the different patterns morphoclimatic ecoregions in morphology, behavior and distribution of these groups of bees. In this work we used geometric morphometric techniques observing the anatomical landmarks of the wing venation with the aid of software Tps / DIG and evaluation of hygienic behavior by pin-killing method in two distinct seasonal periods, the dry and rainy. The correlation between the hygienic behavior indexes and environmental variables was obtained by Spearman correlation and the causal relations by path analysis, with the aid of software R. The morphometric analyzes were performed by means of multivariate analysis with the aid of software MORPHOJ and PAST. Thus, the results of this study demonstrated that the high gene flow evidenced between studied colonies and pronounced differences in apiaries and ecoregions with influence of altitude on shape (r=0,06239; p= 0.05) and size (0.001) contributed therefore for the separation of these groups as result of phenotypic plasticity rather than genetic divergence among populations of Africanized honey bees. Furthermore, the results also demonstrated significant difference in hygienic behavior of these populations between the dry and rainy season (p= 0,022; α=0,05) and between ecoregions (p=0,001; α=0,05) with the influence of temperature (ρ=0,065; p=0,471; α=0,05) and altitude (ρ=-0,294; p=0,001 α=0,05) upon pluviosity (ρ=0,274; p=0,002; α=0,05) that demonstrated be the main modulator of hygienic behavior, thus reinforcing the influence of environmental factors on the expression of this trait. Therefore, it is concluded by the influence of stochastic factors in the morphology, behavior and distribution of Africanized honey bees, where polyphenisms found denote the high genetic variability of these populations, a fact that can be exploited in future conservation, handling and breeding programs. / As abelhas do genero Apis estao amplamente distribuidas pelas regioes tropicais do planeta, sendo fundamentais no papel de polinizadores. No Brasil, estas sao um poliibrido formado pelo cruzamento entre a subespecie africana Apis mellifera scutellata e as subespecies europeias. Devido a habitos generalistas, a introgressao de alelos da subespecie africana tem levado a uma predominancia nas caracteristicas desta em relacao as europeias. O presente trabalho teve como escopo a caracterizacao da divergencia entre 71 colonias de A. mellifera africanizadas, situadas em tres distintas ecorregioes (Zona da Mata, Agreste e Sertao) do Estado de Sergipe, nordeste do Brasil, por meio de analises morfologicas e comportamentais, com o objetivo de avaliar as relacoes entre os efeitos da sazonalidade e dos distintos padroes morfoclimaticos das ecorregioes na morfologia, comportamento e distribuicao desses grupos de abelhas. Neste estudo foram utilizadas tecnicas de morfometria geometrica, com observacao dos marcos anatomicos da venacao alar, com o auxilio do software Tps/DIG e avaliacao do comportamento higienico pelo metodo de perfuracao de crias em dois periodos estacionais, o seco e o chuvoso. A correlacao entre os indices de comportamento higienico e as variaveis ambientais foi obtida por meio da correlacao de Spearman e as relacoes de causalidade por meio da analise de trilha, com o auxilio do software R. As analises morfometricas foram realizadas por meio de tecnicas de analise multivariada, com o auxilio dos softwares MORPHOJ e PAST. Assim, os resultados deste trabalho demonstraram que o intenso fluxo genico evidenciado entre as colonias estudadas e as diferencas pronunciadas nos distintos apiarios e ecorregioes, com influencia da altitude na forma (r=0,06239; p= 0.05) e tamanho (0.001) contribuiram, portanto, para a separacao desses grupos como resultado da plasticidade fenotipica e nao de divergencia genetica entre as populacoes de abelhas africanizadas. Alem disso, os resultados tambem demonstraram haver diferenca significativa no comportamento higienico dessas populacoes, entre os periodos seco e chuvoso (p= 0,022 ¿=0,05) e entre as ecorregioes (p=0,001; ¿=0,05), com influencia da temperatura ( Ï=0,065 p=0,471; ¿=0,05) e altitude ( Ï=-0,294; p=0,001; ¿=0,05) sobre a pluviosidade ( Ï=0,274 p=0,002; ¿=0,05) sendo esta o principal modulador do comportamento higienico, reforcando a influencia de fatores ambientais na manifestacao dessa caracteristica. Portanto, conclui-se pela influencia de fatores estocasticos na morfologia, comportamento e distribuicao das abelhas africanizadas, onde os polifenismos encontrados denotam a grande variabilidade genetica dessas populacoes, fato esse que pode ser explorado em futuros programas de conservacao, manejo e melhoramento.

Page generated in 0.1273 seconds