• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 14
  • Tagged with
  • 14
  • 14
  • 9
  • 7
  • 6
  • 4
  • 4
  • 3
  • 3
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Vaqueiros do Sítio do Meio (Lagoa Grande/PE) e mamíferos nativos das Caatingas Pernambucanas: percepções e interações

VALLE, Yumma Bernardo Maranhão January 2007 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T18:04:34Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo8156_1.pdf: 2836212 bytes, checksum: 1bb103feeb55f46888d525336bd895e0 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2007 / Este trabalho objetivou analisar a percepção e a interação da comunidade de vaqueiros do Sítio do Meio, distrito de Barra Bonita, município de Lagoa Grande, localizado na Depressão Sertaneja Pernambucana, acerca das espécies de mamíferos nativas, visando compreender as relações existentes entre esses dois grupos e identificar estratégias que enfatizem a conservação da fauna de mamíferos no local. Para tal, foi realizado um levantamento mastofaunístico na região, em duas campanhas: uma na estação seca e a outra na estação chuvosa (julho e setembro de 2004). Na abordagem etnobiológica os dados foram coletados, em três campanhas, através de entrevistas semi-estruturadas e pranchas de imagens da mastofauna local, que auxiliaram na identificação das espécies (julho/setembro de 2004 e dezembro 2006). Foram registradas 28 espécies de mamíferos no local. A população estudada (sertanejos) demonstrou um vasto conhecimento biológico, classificatório e utilitário destas espécies nativas. Particularmente de informações referentes ao comportamento e à dieta foram descritas de maneira muito elucidativa pela maioria dos entrevistados, demonstrando um profundo conhecimento dos vaqueiros de Sítio do Meio sobre a mastofauna local. Em função do prejuízo ou não que os mamíferos podem causar ao gado e às culturas de subsistência, os mamíferos são percebidos localmente como malinos e não-malinos . As interações entre essas duas comunidades giram em torno de conflitos entre gado/onça/vaqueiro, invasão dos animais aos roçados, caça de subsistência, uso medicinal e espiritual da mastofauna e, ainda, a criação e o manejo de algumas espécies selvagens pelos moradores e o aproveitamento da pele de alguns animais, empregadas em utilidades domésticas. Como resultado de algumas dessas interações, determinadas espécies da mastofauna local já se encontram extintas ou em vias de extinção, como: a onça-de-bode (Puma conconlor), a onça-pintada (Panthera onca), o tatu-bola (Tolypeutes trincinctus) e o porco queixada (Tayassu pecari). Algumas estratégias utilizadas pela própria população, se incentivadas, podem atuar de maneira efetiva na conservação das espécies mastofaunísticas presentes no local
2

Etnogeomorfologia costeira e estuarina em comunidades de pescadores artesanais no litoral de Goiana, Pernambuco

LOPES, Vanessa Martins 23 February 2017 (has links)
Submitted by Pedro Barros (pedro.silvabarros@ufpe.br) on 2018-08-30T21:38:38Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 811 bytes, checksum: e39d27027a6cc9cb039ad269a5db8e34 (MD5) DISSERTAÇÃO Vanessa Martins Lopes.pdf: 6928038 bytes, checksum: 440edd7d9121b0ae6f1223dedb5cac54 (MD5) / Rejected by Alice Araujo (alice.caraujo@ufpe.br), reason: on 2018-09-17T21:17:04Z (GMT) / Submitted by Pedro Barros (pedro.silvabarros@ufpe.br) on 2018-09-20T19:07:32Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 811 bytes, checksum: e39d27027a6cc9cb039ad269a5db8e34 (MD5) DISSERTAÇÃO Vanessa Martins Lopes.pdf: 6928038 bytes, checksum: 440edd7d9121b0ae6f1223dedb5cac54 (MD5) / Approved for entry into archive by Alice Araujo (alice.caraujo@ufpe.br) on 2018-09-20T21:37:11Z (GMT) No. of bitstreams: 2 license_rdf: 811 bytes, checksum: e39d27027a6cc9cb039ad269a5db8e34 (MD5) DISSERTAÇÃO Vanessa Martins Lopes.pdf: 6928038 bytes, checksum: 440edd7d9121b0ae6f1223dedb5cac54 (MD5) / Made available in DSpace on 2018-09-20T21:37:11Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 811 bytes, checksum: e39d27027a6cc9cb039ad269a5db8e34 (MD5) DISSERTAÇÃO Vanessa Martins Lopes.pdf: 6928038 bytes, checksum: 440edd7d9121b0ae6f1223dedb5cac54 (MD5) Previous issue date: 2017-02-23 / CNPq / A Etnogeomorfologia é uma nova abordagem na ciência geomorfológica, proposta por Ribeiro (2012), que busca compreender os conhecimentos locais de comunidades tradicionais, acerca de formas e processos morfoesculturadores do relevo. Nessa pesquisa especificamos a abordagem etnogeomorfológica aos ambientes costeiros e estuarinos, objetivando identificar o conhecimento das comunidades de pescadores artesanais acerca das formas e processos geomorfológicos. Estudamos o conhecimento tradicional etnogeomorfológico de pescadores das comunidades de Atapuz, Barra de Catuama, Carne de Vaca e São Lourenço, todas localizadas no município de Goiana, litoral norte do estado de Pernambuco. Enquanto uma pesquisa de cunho qualitativo, os procedimentos metodológicos consistiram em levantamento de material bibliográfico, reconhecimento das áreas de estudo, produção do material cartográfico, a fim de subsidiar a caracterização geoambiental, elaboração, aplicação e análise de entrevistas semi-estruturadas. Como resultado foi obtido uma série de classificações e explicações muito coerentes acerca de formas de relevo emersas e submersas dos ambientes costeiro e estuarino, bem como sobre processos de caráter geomorfológico e hidrodinâmico atuantes nesses dois ambientes. Os conhecimentos etnogeomorfológicos identificados, sobretudo acerca de processos, são reconhecidos pelos entrevistados como determinantes na atividade pesqueira, demonstrando que a origem desses conhecimentos se deve à apropriação da natureza para realizar a atividade de pesca. / The Ethnogeomorphology is a new approach of geomorphology science, proposed by Ribeiro (2012), which seeks to comprehend the local knowledge of traditional communities about the forms and the morphosculpturing processes of relief. In this research we specify the ethnogeomorphological approach to the coastal and estuarine environment, aiming to identify the knowledge of artisanal fisherman communities about geomorphological forms and processes. We studied the traditional ethnogeomorphological knowledge of fishermen from the Atapuz, Barra de Catuama, Carne de Vaca and São Lourenço communities, all of them located in the county of Goiania, north coast of the state of Pernambuco. As a qualitative research, the methodological procedure consist on a survey of bibliographic material, acknowledgement of the areas of study, production of cartographic material, in order to subsidize the geoenvironmental characterization, elaboration, application and analysis of semi-structured interviews. As a result, we were able to obtain a series of very coherent classifications and explanations about the emerged and submerged forms of relief of the estuarine and coastal environment, as well as about the geomorphological and hydrodynamic processes active in these two environments. The ethnogeomorphological knowledge identified, above all about the processes, are known by the interviewed as determiners of the fishing activity, showing that the origin of such knowledge is due to the appropriation of nature to perform the fishing activity.
3

Conhecimento e manejo tradicional de Caryocar coriaceum Wittm. (Pequi) na Chapada do Araripe, Nordeste do Brasil

SOUSA JÚNIOR, José Ribamar de 21 June 2012 (has links)
Submitted by (edna.saturno@ufrpe.br) on 2016-06-21T12:26:42Z No. of bitstreams: 1 Jose Ribamar de Sousa Junior.pdf: 937940 bytes, checksum: 7ef03fe9bda32f103653b2c38f25b8a8 (MD5) / Made available in DSpace on 2016-06-21T12:26:42Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Jose Ribamar de Sousa Junior.pdf: 937940 bytes, checksum: 7ef03fe9bda32f103653b2c38f25b8a8 (MD5) Previous issue date: 2012-06-21 / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES / Using and management of plant species by humans may lead to changes in the genetic structure of plant populations that can be settled by the manipulation of morphological variations of these populations through artificial selection, culminating in the evolutionary process called domestication. This process occurs naturally, since it reflects man's relationship with the species which he uses to meet their vital needs, such as food and income obtaining. Plants grown under different management regimes over time may show morphological variations between and within populations, and become even recognized by people as varieties. The present study aimed to study the traditional knowledge and the influence of local practices of using, collection and management on populations of Caryocar coriaceum Wittm. (pequi) in Chapada do Araripe, northeastern Brazil. The study was designed to answer the following questions: a) Are there phenotypic differences between populations of C. coriaceum under different regimes of local management of the landscape? b) If such differences exist, would they be associated with local preferences of the collectors? In this sense, an ethnobotanical study in the community Cacimbas (S 07 º 29 '36.9 " W 39 ° 22 '02.6 "), in the municipality of Jardim, state of Ceará, was carried out. Forty pequi collectors were interviewed with questions focused on pequi (C. coriaceum). Also, a study on the influence of management practices on populations of C. coriaceum in three collection locations (Porteiras, Baixa do Cão e Murici, which are in cerrado biome) was carried out. At each location, 12 individuals from pequizeiro were selected, from which 20 fruits were collected for morphometric analysis. It was found that the collectors‟ knowledge about pequi are well distributed among them. There were no significant differences between genders and age groups (defined < 40 and ≥ 40 years). The fruit was the most indicated part, with 100% of the citations, and the food category was the most prominent. The main form of management was fruit collection. The most frequently used collection areas were of native vegetation. The obtained averages were fruit length (5.42 ± 0.35), fruit weight (75.36 ± 9.97), shell thickness (0.92 ± 0.04), seed length (3.21 ± 0.23), seed diameter (2.67 ± 0.18), dry seed weight (7.97 ± 2.54), fruit with pulp, "putamen" (20.89 ± 6.12) and pulp thickness (0.27 ± 0.03). It can be stated that pequi (C. coriaceum) is a potential source of livelihood and income generation for human populations at Cacimbas community, in the region of Chapada do Araripe. / O uso e manejo de espécies vegetais por ação humana podem levar a modificações na estrutura genética das populações vegetais que pode ser assentada pela manipulação das variações morfológicas dessas populações através da seleção artificial, culminando no processo evolutivo denominado domesticação. Esse processo ocorre naturalmente, pois reflete a relação do homem com a espécie da qual ele se utiliza para atender as suas necessidades vitais, tais como alimentação e obtenção de renda. Plantas submetidas em diferentes regimes de manejo no tempo podem apresentar variações morfológicas entre e dentro de populações, e serem inclusive reconhecidas pelas pessoas como variedades. O presente estudo objetivou estudar o conhecimento tradicional e a influência de práticas locais de uso, coleta e manejo sobre as populações de Caryocar coriaceum Wittm. (pequi) na chapada do Araripe no Nordeste do Brasil. O estudo foi delineado para responder as seguintes perguntas: a) Há diferenças fenotípicas entre as populações de C. coriaceum submetidas a diferentes regimes de manejo local da paisagem? B) Caso existam tais diferenças, estariam elas associadas a preferências locais dos coletores? Nesse sentido, realizou-se um estudo etnobotânico na comunidade de Cacimbas (S 07º 29' 36.9" W 39º 22' 02,6") Município de Jardim, Ceará. Entrevistou-se 40 coletores de pequi (C. coriaceum) com questões voltadas sobre o pequi. Realizou-se também um estudo da influência das práticas de manejo sobre as populações de C. coriaceum em três locais distintos de coleta (Porteiras, Baixa do Cão e Murici, que são área de cerrado). Em cada local se selecionou 12 indivíduos de pequizeiros dos quais foram coletados 20 frutos para análises morfométricas. Verificou-se que o conhecimento dos coletores sobre o pequi está bem distribuído entre eles. Não houve diferenças significativas entre gêneros e faixa etárias (definidas < 40 anos e ≥ 40 anos). O fruto foi a parte mais indicada com 100% das citações e a categoria alimentícia foi a de maior destaque. A principal forma de manejo foi a coleta de frutos. As áreas mais frequentes de coleta foram as de vegetação nativa. A médias obtidas foram comprimento do fruto (5.42 ± 0,35), peso do fruto (75.36 ± 9.97), espessura da casca (0,92 ± 0,04), comprimento da semente (3,21 ± 0,23), diâmetro da semente (2,67 ± 0,18), peso da semente seca (7,97 ± 2,54), fruto com polpa, “putamên”, (20,89 ± 6,12) e espessura da polpa (0,27 ± 0,03). Pode-se afirmar que o pequi (C. coriaceum) é uma fonte potencial de subsistência e geração de renda para populações humanas de Cacimbas, comunidade da região da Chapada do Araripe.
4

Contribuição do saber local na identificação de plantas medicinais prioritárias para a conservação in situ na floresta nacional do Araripe, nordeste do Brasil

SILVA, Noelia Ferreira da 06 February 2013 (has links)
Submitted by (edna.saturno@ufrpe.br) on 2016-07-06T11:46:37Z No. of bitstreams: 1 Noelia Ferreira da Silva.pdf: 905999 bytes, checksum: 85e7306c98b4a06eb99b57d1cc70bfcb (MD5) / Made available in DSpace on 2016-07-06T11:46:37Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Noelia Ferreira da Silva.pdf: 905999 bytes, checksum: 85e7306c98b4a06eb99b57d1cc70bfcb (MD5) Previous issue date: 2013-02-06 / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES / This study performed an ethnobotanical diagnosis on management and conservation strategies used by a rural community located in the vicinity of Araripe National Forest. Thus, this study aimed to identify the local therapeutic repertory, as well as the medicinal species with priority for management and in situ conservation through informants perception and conservation priority index. The study was conducted in Macaúba community, belonging to the Barbalha municipality, Ceará, Brazil. Access to local knowledge occurred through the use of free list, semi structured interview and participatory workshop. Using free list and semi structured interviews, socioeconomic data and information about medicinal plants known and used by the community were collected. The 10 most salient native tree species were identified through free list analysis. In the participatory workshop, local specialists classified these species according to their availability and collection intensity as: high available vs low collection intensity; high available vs high collection intensity; low available vs low collection intensity; and low available vs high collection intensity. Analyzing local knowledge in relation to genus, age and professional activity, it was noticed that farmers men know more medicinal plants than those non-farmers (Z(U) = 2,6100; p = 0,0045) and that there is no difference in knowledge among farmers women and non-farmers (Z(U) = 0,1707; p = 0,8645). Despite its low value, correlation between the number of cited plants and age was significantly (rs= 0,3300, t = 3,9089, p = 0,0001): older people know more medicinal plants than younger. Considering informants perception, the most salient native tree species(Myracrodruon urundeuva Allemão; Himatanthus drasticus (Mart.) Plumel; Hymenea stigonocarpa Mart. ex Hayne; Stryphnodendron coriaceum Benth.; Caryocar coriaceum Wittm.; Eschweilera blanchetiana (O. Berg) Miers; Bowdichia virgilioides Kunth; Astronium fraxinifolium Schott; Hancornia speciosa Gomes e Copaifera langsdorffii Desf.) were indicated for conservationists strategies. The same informants appoint H. speciosa as the most important species for conservation, because of its low environmental availability and high exploitation rate. These results highlight that community's local knowledge needs to be associated to scientific knowledge in order to establish conservationist strategies for the used species. / O presente estudo realizou um diagnóstico etnobotânico sobre as estratégias de manejo e conservação adotadas por uma comunidade rural localizada no entorno da Floresta Nacional do Araripe. Nesse sentido, objetivou-se identificar o repertório terapêutico local, bem como as espécies medicinais prioritárias para manejo e conservação in situ por meio da percepção dos informantes e índice de prioridade de conservação. A área de estudo foi a comunidade de Macaúba, pertencente ao município de Barbalha, Ceará, Brasil. O acesso ao conhecimento local se deu através do uso de lista livre, entrevista semiestruturada e oficina participativa. Por meio das entrevistas semiestruturadas e da lista livre, foram coletados dados socioeconômicos, e informações sobre as plantas medicinais conhecidas e utilizadas pela comunidade. Analisando a lista livre, foram identificadas as 10 espécies nativas, arbóreas e mais salientes. Na oficina participativa, estas espécies foram classificadas pelos especialistas locais de acordo com sua disponibilidade e intensidade de coleta, como: espécies que apresentam alta disponibilidade vs baixa intensidade de coleta; alta disponibilidade vs alta intensidade de coleta; baixa disponibilidade vs baixa intensidade de coleta; e baixa disponibilidade vs alta intensidade de coleta. Analisando o conhecimento local em relação ao gênero, idade e atividade profissional, constatou-se que os homens agricultores conhecem mais plantas medicinais do que os não agricultores (Z(U) = 2,6100; p = 0,0045) e que não existe diferença no conhecimento entre as mulheres agricultoras e não agricultoras (Z(U) = 0,1707; p = 0,8645). Apesar de baixa, a correlação entre o número de plantas citadas e a idade foi significativa (rs= 0,3300, t = 3,9089, p = 0,0001): os mais velhos conhecem mais plantas medicinais do que os mais jovens. Através da percepção dos informantes, as espécies arbóreas nativas mais salientes (Myracrodruon urundeuva Allemão; Himatanthus drasticus (Mart.) Plumel; Hymenea stigonocarpa Mart. ex Hayne; Stryphnodendron coriaceum Benth.; Caryocar coriaceum Wittm.; Eschweilera blanchetiana (O. Berg) Miers; Bowdichia virgilioides Kunth; Astronium fraxinifolium Schott; Hancornia speciosa Gomes e Copaifera langsdorffii Desf.) foram indicadas para estratégias conservacionistas. Os mesmos elegem H. speciosa como a espécie mais importante para conservação, porque esta apresenta baixa disponibilidade ambiental e alta taxa de exploração. Esses resultados evidenciam que o conhecimento local da comunidade precisa estar atrelado ao conhecimento científico a fim de estabelecer estratégias conservacionistas para as espécies utilizadas.
5

Uso e conhecimento das espécies lenhosas em uma comunidade indígena na Savana de Roraima

Oliveira, Rodrigo Leonardo Costa de 14 December 2016 (has links)
Submitted by Inácio de Oliveira Lima Neto (inacio.neto@inpa.gov.br) on 2017-05-29T14:58:25Z No. of bitstreams: 2 Tese Versão Final Rodrigo LC de Oliveira.pdf: 2943788 bytes, checksum: ff8451aa6a272102a07ba3294699a3a0 (MD5) license_rdf: 0 bytes, checksum: d41d8cd98f00b204e9800998ecf8427e (MD5) / Made available in DSpace on 2017-05-29T14:58:25Z (GMT). No. of bitstreams: 2 Tese Versão Final Rodrigo LC de Oliveira.pdf: 2943788 bytes, checksum: ff8451aa6a272102a07ba3294699a3a0 (MD5) license_rdf: 0 bytes, checksum: d41d8cd98f00b204e9800998ecf8427e (MD5) Previous issue date: 2016-12-14 / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES / The availability of plant resources and their incorporation into traditional communities’ everyday life characterizes the specificities of each social group to perceive resource potential and develop use and conservation strategies for species. The aim of this study was to determine the availability of plant resources in different vegetation types of northern Roraima, and their perception in relation to gender and age groups in an indigenous Makuxi community. To develop this ethnobotanical research, some questions were made: 1) Which vegetation type provide useful species availability to the indigenous community Darora? 2) Age and gender can influence the knowledge of native woody species in different vegetation types? 3) The higher local availability of species have greater importance in the use value (UV) independently of the vegetation type? 4) Do extensive use of species and local availability present homogeneous knowledge between genders and age groups? For this last question there was semi-structured interview about knowledge and use of woody species with 60 participants (36 men and 24 women) from 38 families between 18 and 84 years old. The interviews were carried out between November 2014 to November 2015. Ethnobotanical indexes were calculated in order to recognize the main species and botanical knowledge differences among genders and age groups. The species ́s uses were grouped in categories of Food, Construction, Medicinal, Fuel, Handicraft and Technology. For ecological analysis of the species, a phytosociological survey was conducted, where eight plots were installed (0.25 ha each) with different community center distances, being four in the typical area of Savanna (non-forest - Lavrado), and four in forest areas: two in the Takutu river Alluvial Forest, one in Buritizal (Mauritia flexuosa palm swamp), and one in a Forest Island. Each plot was divided into 10 sub-plots of 25 m x 10 m each. In plots of Lavrado (non-forest), there were measured individuals with basal diameter ≥ 2 cm from 2 cm of the soil level (DSH 2 cm ≥ 2 cm), and the forest plots, all individuals with diameter ≥ 10 cm to breast height (1.3 m). For each vegetation type the phytosociological parameters were calculated. There were recorded 69 species and 2100 use citations, which men cited 67 species and 1446 citations and women cited 52 species and 654 citations, and the species with the largest community UV were the Mauritia flexuosa, Copaifera pubiflora, Byrsonima crassifolia and B. coccolobifolia. It can be concluded that the respondents over 40 have more knowledge than the younger, of these, the older men were considered the most knowledgeable about the number of species and citations, and the stem was part of the most used plant community. The ecological appearance was confirmed in Lavrado and Buritizal environments, ixand the Food and Fuel categories in Lavrado environment in Buritizal environment categories Food, Handicraft and Construction, and Forest Island environment with the Medical and Technology categories. Finally, knowledge of the mirixi (nanches) species, which showed high use and local availability, is widely shared between men and women independently of age. / A disponibilidade dos recursos vegetais e sua incorporação na vida cotidiana das comunidades tradicionais caracteriza as especificidades de cada grupo social a perceber o potencial dos recursos e desenvolver estratégias de uso e conservação. Deste modo, o objetivo deste estudo foi reconhecer a disponibilidade dos recursos vegetais e sua relação com os gêneros e classes de idade em uma comunidade indígena Makuxi em diferentes ambientes da savana no norte de Roraima. Tomando por base o seguintes questionamentos: 1) Em que tipo de ambiente as espécies estão mais disponíveis para a Comunidade indígena Darora? 2) Idade e gênero podem influenciar no conhecimento sobre as espécies lenhosas nativas nos diferentes ambientes de savana? 3) As espécies de maior disponibilidade local apresentam maior importância no valor de uso independente do tipo de ambiente em que se encontram? 4) Espécies de amplo uso e disponibilidade local apresentam o conhecimento homogêneo entre os gêneros e classes de idade? Para isso, foram realizadas entrevistas semiestruturadas sobre o conhecimento e uso das espécies lenhosas com 60 participantes (36 homens e 24 mulheres) de 38 famílias, entre 18 e 84 anos de idade. As entrevistas ocorreram entre novembro de 2014 a novembro de 2015. Foram calculados índices etnobotânicos com o intuito de reconhecer as principais espécies e diferenças no conhecimento botânico entre os gêneros e as classes etárias. Os usos indicados para as espécies foram agrupados nas categorias Alimentação, Construção, Medicinal, Combustível, Artesanato e Tecnologia. Para análise ecológica das espécies, foi realizado um levantamento fitossociológico, onde foram instaladas oito parcelas (0,25 ha cada) a diferentes distâncias do centro da comunidade, sendo quatro na área típica de savana (não florestal - Lavrado), e outras quatro nas áreas florestais: duas na Mata Ciliar do rio Takutu, uma no Buritizal, e uma na Ilha de Mata. Cada parcela foi dividida em 10 subparcelas de 25 m x 10 m cada um. Nas parcelas do Lavrado (não florestal), foram mensuarados os indivíduos com diâmetro de base ≥ 2 cm a 2 cm de altura do solo (DSH 2 cm ≥ 2 cm), e nas parcelas florestais, todos os indivíduos com diâmetro à altura do peito (DAP) ≥ 10 cm (1,3 m). Para cada tipo de vegetação foram calculados os parâmetros fitossociológicos. Foram registradas 69 espécies e 2100 citações de uso, as quais os homens citaram 67 espécies e 1446 citações e as mulheres citaram 52 espécies e 654 citações, e as espécies com os maiores valores de uso (VU) da comunidade em geral foram o Mauritia flexuosa, Copaifera pubiflora, Byrsonima crassifolia e B. coccolobifolia. Pode-se concluir que os informantes acima dos 40 anos possuem maior conhecimento que os mais jovens, destes, os homens mais idosos foram considerados os maiores conhecedores quanto ao número de espécies e citações, e o caule foi a parte da planta mais utilizada pela comunidade. A Aparência viiecológica foi corroborada nos ambientes Lavrado e Buritizal, e nas categorias Alimentação e Combustível no ambiente Lavrado, no ambiente Buritizal com as categorias Alimentação, Artesanato e Construção, e no ambiente Ilha de Mata com as categorias Medicinal e Tecnologia. E por fim, o conhecimento sobre as espécies de mirixis (Byrsonima crassifolia e B. coccolobifolia), que apresentaram alto uso e disponibilidade local, é amplamente compartilhado entre homens e mulheres independentemente da faixa etária.
6

Uso e conhecimento do solo por artesãos camponeses no Agreste pernambucano : uma abordagem etnopedológica / Soil use and knowlegde of potter-farmers of Pernambuco: na ethnopedological approach

CABRAL, Raiana Lira 18 February 2011 (has links)
Submitted by (lucia.rodrigues@ufrpe.br) on 2016-08-18T14:48:21Z No. of bitstreams: 1 Raiana Lira Cabral.pdf: 5762124 bytes, checksum: ae5d7569483058004f7d1bc4e55c48c8 (MD5) / Made available in DSpace on 2016-08-18T14:48:21Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Raiana Lira Cabral.pdf: 5762124 bytes, checksum: ae5d7569483058004f7d1bc4e55c48c8 (MD5) Previous issue date: 2011-02-18 / Conselho Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq / Ethnopedological studies have focused, mainly, agricultural practices land use. However, peasant and indigenous populations often use soil and land resources for various purposes, including ceramics. This study aimed to describe and analyze the knowledge and use of soils related to the ceramic manufacture, within a group of potter-farmers ("loiceiros") in the municipality of Altinho, State of Pernambuco, Northeast Brazil. The practices and soil knowledge of farmers were described and analyzed by Ethnoscientific’s techniques, giving emphasis to the task of evoking, among potters, the categories of soil (or soil materials) that they recognize, the attributes used to characterize soil materials and the criteria to differentiate and to relate them. According to local knowledge, the material ("clay"), which brings plasticity to the ceramic paste was categorized as "barro vermelho‖ (red clay), "barro preto‖ (black clay) and "barro de pote" (pot clay). The "loiceiros" used to collect "red clay" in three main claypits (―barreiros‖). Soils found near two of these pits were classified as Planossolo Háplico Eutrófico solódico and the other one was classified as Planossolo Nátrico Órtico típico, according to the Brazilian System of Soil Classification. The potters recognized variations in soil properties with depth. In this sense, three types of soil materials emerged in their discourse ("terra", "barro" and "piçarro"), which occurred in overlapping each other in the soil profile, similar to the arrangement of pedogenic horizons. The distinction between the soil materials by the artisans followed mainly morphological and utilitarian criteria. The mineralogical composition of the clay fraction of the soil materials under study included, mainly, 2:1 clay minerals from the group of smectites and micas, as well as kaolinite, feldspar and quartz. The ethnopedological approach carried out within the cultural context of farmers potters allowed to elicit useful information for the advancement of soil science and for a better understanding and appreciation of local knowledge and use of soils. / Os estudos etnopedológicos têm enfocado, majoritariamente, o uso agrícola dos solos. Contudo, as populações camponesas e indígenas costumam utilizar solos para múltiplos fins, inclusive cerâmica. Este trabalho teve o objetivo de descrever e analisar os conhecimentos e usos de solos relacionados à confecção de vasos cerâmicos junto a um grupo de artesãos camponeses (―loiceiros‖), no município de Altinho, Agreste Pernambucano, Nordeste do Brasil. As práticas e conhecimentos pedológicos dos camponeses foram descritos e analisados por meio de técnicas etnocientíficas, dando-se ênfase à tarefa de evocar, entre os informantes, as categorias de solos (ou materiais de solo) que eles fossem capazes de reconhecer, os atributos usados para caracterizá-las e os critérios adotados para diferenciá-las e relacioná-las. De acordo com o conhecimento local, o material (―barro‖) que confere plasticidade à massa cerâmica foi categorizado em ―barro vermelho‖, ―barro preto‖ e ―barro de pote‖ (―massapê‖). Os ―loiceiros‖ costumavam coletar ―barro vermelho‖ em solos de três localidades, dois destes solos foram classificados como Planossolo Háplico Eutrófico solódico e um deles como Planossolo Nátrico Órtico típico de acordo com o Sistema Brasileiro de Classificação de Solos. Os ceramistas estudados reconheceram variações nas propriedades do solo em função da profundidade. Neste sentido, três categorias de materiais de solo emergiram no discurso dos informantes (―terra‖, ―barro‖ e ―piçarro‖), as quais se apresentaram sobrepostas umas às outras no perfil de solo, de modo semelhante ao arranjo dos horizontes pedogenéticos. A distinção entre os materiais de solo pelos artesãos entrevistados seguiu, principalmente, critérios morfológicos e utilitários. A composição mineralógica da fração argila dos materiais de solo estudados incluiu, principalmente, argilominerais do tipo 2:1 do grupo das esmectitas e das micas, além de caulinitas, feldspatos e quartzo. A abordagem etnopedológica utilizada na pesquisa permitiu evocar dentro do contexto cultural dos agricultores ceramistas informações úteis para o avanço da pedologia e para uma melhor compreensão e valorização dos sistemas locais de conhecimento e uso de solos.
7

O saber local e a prática científica : análise das relações entre mateiros e pesquisadores em Pernambuco

DANTAS, Carolina Alencar 27 August 2012 (has links)
Submitted by Mario BC (mario@bc.ufrpe.br) on 2018-08-14T12:13:34Z No. of bitstreams: 1 Carolina Alencar Dantas.pdf: 2257109 bytes, checksum: 3cb941ff9392a9ffcb3c4920774e17c0 (MD5) / Made available in DSpace on 2018-08-14T12:13:34Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Carolina Alencar Dantas.pdf: 2257109 bytes, checksum: 3cb941ff9392a9ffcb3c4920774e17c0 (MD5) Previous issue date: 2012-08-27 / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES / The ethnoecology has contributed significantly in the joints between the local and scientific knowledges. In this study, it was used an approach ethnoecology to assess the implications of participation of "woodsmen" collaborators in scientific practice, in a way that a feasible understanding of the knowledge intersection (the scientific and nonscientific) in the relationship between researcher and woodsman can contribute to a positive dialogue for the science construction. The recognition of local knowledge and its relation to scientific knowledge are discussed here, from reports given by researchers and woodsmen through semi-structured interviews in oral history. For the analysis and systematization of the data it was used the content analysis technique thematic-categorical. The woodsman was defined and characterized by researchers as an essential agent for the field work development in forest environments. Compared by a researcher as a “great walking library", this collaborator, "shaped in the nature" according to respondents' reports, acts in research works developing multiple tasks (guidance in the forest, plant and animal species identification, plots assembly, information about natural history, among others). Although researchers recognize the cognitive woodsmen skills, the knowledge expressed by local informants often was not considered as a reliable information source for researchers who hired their services. It was feasible to verify that the researcher is who, through contact and experience in research work and forest inventories, gives the status of woodsman, issuance the woodsman title. The woodsman often not recognized himself as a woodsman, showing instability in his profession. It was indicated by the interviewed groups a tendency of these local informants to fall way, either by lack of interest among the younger generations to become woodsmen, or by the natural environments decreases. The parataxonomists formation was commented by more than 50% of the researchers and was appointed by them as an excellent support tool in forest research. The interaction analysis performed in this study helps in the understanding of knowledge production means and may enlighten important technical and social aspects to the science. In this sense, it is suggested to conduct researches and other measures to allow woodsmen express their own relationships with the scientific knowledge and with certain processes and structures from the natural world said. Thus, a more symmetric view from the two knowledge kinds might be contemplated, in order to contribute to respect for different ways of knowing and their uses, including in the context of Forest Science. Each knowledge kind has its purpose, but both knowledges can influence and relate to each other. / A etnoecologia vem contribuindo de forma significativa nas articulações entre os saberes locais e os científicos. Nesta pesquisa utilizou-se uma abordagem etnoecológica para avaliar as implicações da participação dos colaboradores “mateiros” na prática científica, de modo que uma possível compreensão do cruzamento de saberes (o científico e o não científico) na relação entre pesquisador e mateiro possa contribuir com um diálogo positivo para a construção da ciência. O reconhecimento dos saberes locais e sua relação com o conhecimento científico são aqui discutidos, a partir de relatos dados por pesquisadores e por mateiros por meio de entrevistas semi-estruturadas e entrevista em história oral. Para análise e sistematização dos dados foi utilizada a técnica de análise de conteúdo do tipo temático-categorial. O mateiro foi definido e caracterizado pelos pesquisadores como um agente essencial para o desenvolvimento de trabalhos de campo em ambientes florestais. Comparado por um pesquisador a “uma grande biblioteca ambulante”, este colaborador “formado na natureza” de acordo com relato dos entrevistados, atua nas pesquisas desenvolvendo múltiplas tarefas (orientação na mata, identificação de espécies vegetais e animais, montagem de parcelas, informações sobre história natural, entre outras). Apesar dos pesquisadores reconhecerem as habilidades cognitivas dos mateiros, o saber manifestado pelos informantes locais muitas vezes não foi considerado como fonte de informações fidedignas pelos pesquisadores que contrataram seus serviços. Foi possível verificar que o pesquisador é que, através do contato e experiência em trabalhos de pesquisas e inventários florestais, confere o status do mateiro, outorga a denominação de mateiro. O assim chamado mateiro muitas vezes não se identifica como. Foi indicada pelos grupos entrevistados uma tendência destes informantes locais desaparecerem, tanto pela falta de interesse das novas gerações em se tornarem mateiros, quanto pela diminuição dos ambientes naturais. A formação de parataxonomistas foi comentada por mais de 50% dos pesquisadores e foi apontada pelos mesmos como uma ferramenta útil de auxílio em pesquisas florestais. As análises de interações realizadas no presente estudo auxiliam na compreensão da forma de produção de conhecimento e podem esclarecer aspectos técnicos e sociais importantes para a ciência. Neste sentido, sugere-se a realização de pesquisas e outras ações que permitam aos mateiros expressarem suas próprias relações com o saber científico e com determinados processos e estruturas do mundo dito natural. Desta maneira, uma visão mais simétrica dos dois tipos de conhecimento pode vir a ser contemplada, de modo a contribuir para o respeito às diferentes formas de saber e suas utilidades, inclusive no âmbito das Ciências Florestais. Cada “tipo” de saber possui seu propósito, porém ambos os saberes podem se influenciar e se relacionar mutuamente.
8

Pedologia e conhecimento local: proposta metodol?gica de interlocu??o entre saberes constru?dos por ped?logos e agricultores em ?rea de cerrado em Rio Pardo de Minas, MG / Local knowledge and Pedology: metodological proposal of interlocution between awareness constructed by pedologists and farmers in Cerrado region at Rio Pardo de Minas, Minas Gerais State.

Correia, Jo?o Roberto 24 February 2005 (has links)
Made available in DSpace on 2016-04-26T19:39:30Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Paginas de Joao Roberto - DO-2005.pdf: 4103182 bytes, checksum: 2d76f683f6aed8f8f46bc8097cab7955 (MD5) Previous issue date: 2005-02-24 / Although there is a great volume of information about Brazilian soil attributes and their landscape distribution, there are many problems when we try to use the information for land usage planning, mainly of small areas such as in rural communities. For the Cerrado biome, the soil diversity is not adequately expressed in the existent soil surveys. Less than 1% of soils in this biome are mapped in scales more detailed than 1:100.000. Thus, sustainable land management proposals are threatened to fail. Another limitation refers to the language style and form of surveys; they show a low compatibility with the needs of the final users (farmers, environmental planners, extension agents, etc.). Some of the difficulties of translating the pedological information result from not considering the men as a component of the environment. Thus, it is necessary to develop tools for allowing a better use of knowledge, searching to integrate the man and their relationship with natural resources, and to understand how this relationship is established. The objective of this study was to elaborate a landscape hierarchy from the farmers and pedologists point of views, developing, a soil survey adapted to the reality of residents in rural communities, that would take in account the knowledge accumulated by these populations during many generations. The research was done in areas of farmers in Comunidade ?gua Boa 2, municipality of Rio Pardo de Minas, located in the north region of Minas Gerais State, Brazil. A collection of methodological procedures is presented along the study they were necessary to develop the research. They include since the initial contact with the farmers till the elaboration of the maps of soil and lands. It is also discussed the aspects related to the relationship farmer-pedologist, important to reach the main objective of the study. The soil survey showed 33 soil map unities, where the Cambissolo H?plico (Inceptisol) was the dominant soil class in the area. The Cambissolos Fl?vicos (Inceptisol), Gleissolos (Aquent) and Neossolos Fl?vicos (Entisol) were the soils elected by the farmers for cultivation. The environmental fragility was show by the soil texture (medium) and slopes above 20%, which dominated in the area, accordingly to the soil parent material. The environment stratification was elaborated from the local landscape definitions ( chapada , charrielo , carrasco , pirambeira , tabuleiro , and baixa ), which allowed to establish relationships between the farmers knowledge with that of the technicians. A Land Map was created, composed of 12 map unities, based on the Pedological Map and in the farmers information. This study showed that it is possible to establish relationships between the fields of knowledge, and that as the SiBCS (Brazilian System of Soil Classification), the farmers also develop their own hierarchy system for land classification. For this comprehension, it is necessary to use tools from ethnography studies. The experience reported allows contributing to strength the bases of a new approach for soil and environmental characterization: the ethnopedology. It is also proposed the creation of environment phases to best position the pedological information when studying areas of small family farmers. A joined work with universities and agriculture technical schools is suggested to form agents qualified to disseminate this new approach. / Apesar do grande volume de informa??es no Brasil sobre atributos dos solos e distribui??o na paisagem, surgem v?rios problemas quando se procura us?-las para planejamento de uso da terra, em particular pequenas ?reas como comunidades rurais. No bioma Cerrado, a diversidade de solos n?o ? expressa de forma adequada nos mapeamentos existentes. Menos de 1% dos solos est?o mapeados em escalas mais detalhadas que 1:100.000. Logo, propostas de manejo sustent?vel das terras ficam comprometidas. Outra limitante ? a linguagem e formato dos levantamentos, pouco compat?veis com as necessidades dos usu?rios (agricultores, planejadores ambientais, extensionistas, etc.). Algumas das dificuldades de tradu??o da informa??o pedol?gica decorrem de n?o considerar do homem como componente do ambiente. ? necess?rio, portanto, desenvolver ferramentas para os usos mais amplos do conhecimento, buscando integrar o homem e sua rela??o com os recursos naturais e compreender como se estabelece essa rela??o. O objetivo do presente trabalho foi elaborar uma hierarquiza??o da paisagem a partir do conhecimento de agricultores e de ped?logos, desenvolvendo um mapeamento de solos adaptado ? realidade dos moradores de comunidades rurais, que leva em conta o saber acumulado por essas popula??es durante v?rias gera??es. A pesquisa foi realizada em propriedades de agricultores da Comunidade ?gua Boa 2, munic?pio de Rio Pardo de Minas, localizado na regi?o norte de Minas Gerais. Ao longo do estudo, ? apresentado um conjunto de procedimentos metodol?gicos que foram necess?rios para realizar a pesquisa, desde o contato inicial com os agricultores at? a elabora??o dos mapas de solos e das terras. Procurou-se ainda discutir aspectos relativos ? rela??o ped?logos agricultores, importantes para atingir o objetivo principal do trabalho. O mapeamento pedol?gico identificou 33 unidades de mapeamento, onde o Apesar do grande volume de informa??es no Brasil sobre atributos dos solos e distribui??o na paisagem, surgem v?rios problemas quando se procura us?-las para planejamento de uso da terra, em particular pequenas ?reas como comunidades rurais. No bioma Cerrado, a diversidade de solos n?o ? expressa de forma adequada nos mapeamentos existentes. Menos de 1% dos solos est?o mapeados em escalas mais detalhadas que 1:100.000. Logo, propostas de manejo sustent?vel das terras ficam comprometidas. Outra limitante ? a linguagem e formato dos levantamentos, pouco compat?veis com as necessidades dos usu?rios (agricultores, planejadores ambientais, extensionistas, etc.). Algumas das dificuldades de tradu??o da informa??o pedol?gica decorrem de n?o considerar do homem como componente do ambiente. ? necess?rio, portanto, desenvolver ferramentas para os usos mais amplos do conhecimento, buscando integrar o homem e sua rela??o com os recursos naturais e compreender como se estabelece essa rela??o. O objetivo do presente trabalho foi elaborar uma hierarquiza??o da paisagem a partir do conhecimento de agricultores e de ped?logos, desenvolvendo um mapeamento de solos adaptado ? realidade dos moradores de comunidades rurais, que leva em conta o saber acumulado por essas popula??es durante v?rias gera??es. A pesquisa foi realizada em propriedades de agricultores da Comunidade ?gua Boa 2, munic?pio de Rio Pardo de Minas, localizado na regi?o norte de Minas Gerais. Ao longo do estudo, ? apresentado um conjunto de procedimentos metodol?gicos que foram necess?rios para realizar a pesquisa, desde o contato inicial com os agricultores at? a elabora??o dos mapas de solos e das terras. Procurou-se ainda discutir aspectos relativos ? rela??o ped?logos agricultores, importantes para atingir o objetivo principal do trabalho. O mapeamento pedol?gico identificou 33 unidades de mapeamento, onde o Apesar do grande volume de informa??es no Brasil sobre atributos dos solos e distribui??o na paisagem, surgem v?rios problemas quando se procura us?-las para planejamento de uso da terra, em particular pequenas ?reas como comunidades rurais. No bioma Cerrado, a diversidade de solos n?o ? expressa de forma adequada nos mapeamentos existentes. Menos de 1% dos solos est?o mapeados em escalas mais detalhadas que 1:100.000. Logo, propostas de manejo sustent?vel das terras ficam comprometidas. Outra limitante ? a linguagem e formato dos levantamentos, pouco compat?veis com as necessidades dos usu?rios (agricultores, planejadores ambientais, extensionistas, etc.). Algumas das dificuldades de tradu??o da informa??o pedol?gica decorrem de n?o considerar do homem como componente do ambiente. ? necess?rio, portanto, desenvolver ferramentas para os usos mais amplos do conhecimento, buscando integrar o homem e sua rela??o com os recursos naturais e compreender como se estabelece essa rela??o. O objetivo do presente trabalho foi elaborar uma hierarquiza??o da paisagem a partir do conhecimento de agricultores e de ped?logos, desenvolvendo um mapeamento de solos adaptado ? realidade dos moradores de comunidades rurais, que leva em conta o saber acumulado por essas popula??es durante v?rias gera??es. A pesquisa foi realizada em propriedades de agricultores da Comunidade ?gua Boa 2, munic?pio de Rio Pardo de Minas, localizado na regi?o norte de Minas Gerais. Ao longo do estudo, ? apresentado um conjunto de procedimentos metodol?gicos que foram necess?rios para realizar a pesquisa, desde o contato inicial com os agricultores at? a elabora??o dos mapas de solos e das terras. Procurou-se ainda discutir aspectos relativos ? rela??o ped?logos agricultores, importantes para atingir o objetivo principal do trabalho. O mapeamento pedol?gico identificou 33 unidades de mapeamento, onde oApesar do grande volume de informa??es no Brasil sobre atributos dos solos e distribui??o na paisagem, surgem v?rios problemas quando se procura us?-las para planejamento de uso da terra, em particular pequenas ?reas como comunidades rurais. No bioma Cerrado, a diversidade de solos n?o ? expressa de forma adequada nos mapeamentos existentes. Menos de 1% dos solos est?o mapeados em escalas mais detalhadas que 1:100.000. Logo, propostas de manejo sustent?vel das terras ficam comprometidas. Outra limitante ? a linguagem e formato dos levantamentos, pouco compat?veis com as necessidades dos usu?rios (agricultores, planejadores ambientais, extensionistas, etc.). Algumas das dificuldades de tradu??o da informa??o pedol?gica decorrem de n?o considerar do homem como componente do ambiente. ? necess?rio, portanto, desenvolver ferramentas para os usos mais amplos do conhecimento, buscando integrar o homem e sua rela??o com os recursos naturais e compreender como se estabelece essa rela??o. O objetivo do presente trabalho foi elaborar uma hierarquiza??o da paisagem a partir do conhecimento de agricultores e de ped?logos, desenvolvendo um mapeamento de solos adaptado ? realidade dos moradores de comunidades rurais, que leva em conta o saber acumulado por essas popula??es durante v?rias gera??es. A pesquisa foi realizada em propriedades de agricultores da Comunidade ?gua Boa 2, munic?pio de Rio Pardo de Minas, localizado na regi?o norte de Minas Gerais. Ao longo do estudo, ? apresentado um conjunto de procedimentos metodol?gicos que foram necess?rios para realizar a pesquisa, desde o contato inicial com os agricultores at? a elabora??o dos mapas de solos e das terras. Procurou-se ainda discutir aspectos relativos ? rela??o ped?logos agricultores, importantes para atingir o objetivo principal do trabalho. O mapeamento pedol?gico identificou 33 unidades de mapeamento, onde o Cambissolo H?plico foi a classe dominante na ?rea, sendo que Cambissolos Fl?vicos, Gleissolos e Neossolos Fl?vicos s?o preferidos para cultivos agr?colas. A fragilidade do ambiente foi revelada pela textura (m?dia) e declividades acima de 20% dominantes na ?rea, em estreita rela??o com o material de origem. A estratifica??o do ambiente foi elaborada a partir das defini??es locais ( chapada , charrielo , carrasco , pirambeira , tabuleiro , e baixa ), o que possibilitou o estabelecimento de rela??es entre o saber dos agricultores e dos t?cnicos. Foi elaborado ainda um Mapa das Terras, composto por 12 unidades de mapeamento, constru?das com base no Mapa Pedol?gico e nas informa??es dos agricultores. Este trabalho demonstrou que ? poss?vel estabelecer rela??es entre os dois campos do conhecimento e que, tal como o SiBCS, os agricultores tamb?m desenvolvem o seu sistema hier?rquico de classifica??o de terras. Para essa compreens?o, ? necess?rio utilizar ferramentas de estudos etnogr?ficos. A experi?ncia relatada permite contribuir para fortalecer as bases de uma nova abordagem sobre caracteriza??o de solos e ambientes: a etnopedologia. Prop?e-se ainda a cria??o de fases de ambientes para melhor posicionar a informa??o pedol?gica em ?reas de agricultores familiares. Sugere-se um trabalho conjunto com Universidades e Col?gios Agr?colas para formar agentes disseminadores dessa nova abordagem.
9

Etnoconhecimento de viminicultores do Planalto Sulcatarinense e o estudo do comportamento ecofisiológico de vimeiros / Traditional knowledge of willows growes from "Planalto Sul Catartinense" and the study of willow ecophysiology be havior

Mea, Luiz Gustavo Wiles Della 31 May 2010 (has links)
Made available in DSpace on 2016-12-08T16:44:36Z (GMT). No. of bitstreams: 1 PGPV10MA060.pdf: 3544376 bytes, checksum: 70aba0d2ca5ce86d930375b17637c798 (MD5) Previous issue date: 2010-05-31 / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior / The objective of this research was to obtain information that may assist in insertion and cultivation of species of the genus Salix in agroforestry systems. For the ethno knowledge study that deals with willow crops and local plant diversity was performed 30 semi-structured interviews applied to willow growers settled in typically willow crops communities. In the experiment that simulated levels of shadow, 20 cm willows cuttings were planted into box filled with a mixture of soil and manure and submitted to 0%, 50% and 70% shading levels. The diameter and length of the willow branches, fresh and dry weight of the branches and roots and branches winding resistance were evaluated 60 and 90 days after the starting of the experiment. For verifying the response of tree willow species to different water soil contents, the experiment was conducted into a greenhouse in a completely randomized design, in a factorial arrangement of 2 x 3 x 4. Each plot was composed by a plastic vase filled with Haplumbrepts or Latosols soil. In each vase was planted three willow cuttings of Salix x rubens, Salix viminalis or Salix smithiana species. The water soil regime tested was irrigation to soil water retention capacity to 100, 80, 60, 40 %. At 90 days after after the starting of the experiment were evaluated length of branches, number of buds, fresh and dry weight of shoots and roots of each plant. The willow growers showed to be prepared to do the harmonization of willow crop as agroforestry systems once it is done with native and commercial plant species, that could be panted and cultivated in the around of willow cropped areas. In order to obtain the highest yields and branches qualities in agroforestry systems plants of Salix viminalis and Salix x rubens should be cultivates in no shading areas. The biomass production of Salix x rubens, Salix viminalis and Salix Smithiana is greater between 80 and 100% capacity retention of moisture in the soil. Therefore, the willows fields outside of permanent legal areas with low wet areas should guarantee plenty of water to the willows plants / O objetivo desta pesquisa foi obter informações que possam auxiliar na inserção e cultivo de espécies do gênero Salix em sistemas agroflorestais. Para o estudo do etnoconhecimento foram realizadas 30 entrevistas semi-estruturadas com viminicultores residentes nas comunidades típicas de cultivo do vimeiro. O estudo abordou aspectos sobre o cultivo do vimeiro e da diversidade vegetal local. Para o experimento de simulação de sombra em vimeiros, estacas com 20 cm de comprimento foram plantadas em caixas com substrato composto pela mistura de solo e esterco bovino e submetidas aos níveis de 0%, 50% e 70% de sombreamento. Aos 60 e 90 dias após o plantio foram avaliados o diâmetro e comprimento dos ramos, massa fresca e seca dos ramos e das raízes e resistência dos ramos ao enrolamento. Para a resposta de três espécies de vimeiros a diferentes condições hídricas no solo, o experimento foi conduzido em casa de vegetação, com delineamento experimental inteiramente casualisado, disposto em arranjo fatorial de 2 x 3 x 4 x 4. As parcelas eram constituídas por vasos plásticos contendo separadamente solo do tipo Cambissolo Húmico álico franco argiloso e Latossolo Vermelho argiloso nos quais foram plantadas três estacas das espécies de Salix x rubens, Salix viminalis e Salix smithiana. Os regimes hídricos do solo foram de irrigação para elevação à capacidade de retenção (CR) de água quando o solo atingia 100, 80, 60 e 40% da CR. Aos 90 dias após a implantação das estacas foi avaliado o comprimento de ramo, número de gemas, massa fresca e seca da parte aérea e das raízes de cada planta. Os viminicultores entrevistados estão dispostos à manutenção e harmonização dos vimais como sistemas agroflorestais, dando preferência a espécies nativas ou comerciais, desde que localizadas no entorno dos vimais. Em sistemas agroflorestais, para a obtenção do maior rendimento e qualidade de ramos as plantas de Salix viminalis e Salix x rubens, estas devem ser cultivadas em áreas livres de sombreamento. A produção de biomassa de Salix x rubens, Salix viminalis e Salix smithiana é maior entre 80 e 100% de capacidade de retenção de umidade no solo. Portanto, a condução de vimais fora das áreas de preservação permanente com solos de baixadas e umidos devem assegurar a disponibilidade de água aos vimeiros
10

Conhecimentos na análise de ambientes: a pedologia e o saber local em comunidade quilombola do norte de Minas Gerais / Knowledge in the environment analysis: the pedology and local knowledge in the quilombola community on northern Minas Gerais

Matos, Laudiceio Viana 25 February 2008 (has links)
Made available in DSpace on 2015-03-26T13:53:03Z (GMT). No. of bitstreams: 1 texto completo.pdf: 4269175 bytes, checksum: aed8bdb97ca22c71cf5997e388fa003a (MD5) Previous issue date: 2008-02-25 / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico / There n increasing incorporation and appropriation of the epistemologies towards the sustainability, valorization of the man-environment relationships and the perception of the need for maintaining the complexity of the productive systems in response to the environmental degradation process, aggravated by practices of the reductionist paradigms. Local knowledge of traditional populations on the environment where they live has usually been not considered in the research and development programs, although many studies recognize and confirm its importance for developing research programs suitable to the specificities of the local agroecosystems. The difficulty of the soil science community in considering the local knowledge of the family-based farmers, of the indigenous peoples, of the quilombolas (local traditional black communities) and others, lead to the need for incorporating other aspects and approaches in the agrosystem studies. The combination of natural and social sciences and the consolidation of the crossing fields knowledge such as the agroecology, etnoecology and etnopedology may contemplate a broader environmental comprehension under an integrated view, with participation of the local population. In this sense, this study was carried out to identify, and to value the traditional knowledge concerning both soil and environment, as well as interrelate it to the knowledge in the scientific context. So, the environments of the quilombola territory in the Brejo dos Crioulos were stratified on the basis of local people s criteria and by the conventional pedological method, taking into account the soil and its interface with other environmental components. The characterization of the agroecosystems was associated to the interpretation and recognition of the logic of the traditional systems for use and management of the natural resources, as articulating the local knowledge with the information generated by the knowledge in the scientific context. The quilombolas identified four macroenvironments that were compatible with distinctions of the geoenvironments from which the stratification was based: on the geomorphology and geology, pedology and the influence of the water cycle in the territory, as follows: (i) brejo (wetland - Holocenic alluvia); (ii) vazante , moister place connected with a water course above wetland (colluvium- alluvial ramps - inferior third of hillsides); (iii) cultura vermelha (red land associated with colluvium ramps - medium and superior third of hillsides); (iv) carrasco (environment associated to clayish and sandy covers and thorny vegetation - landscape top). In addition, there is the furado complex occurring in dolinas (depression formed in calcareous areas karst) that are not supplied by the Arapuim river. In the furados , there are eutrophic soils resulting from the erosion process in the terrain, and they constitute areas receiving water and sediments, that are surrounded by an ample carrasco domain. During the rainy period, there occurs the accumulation and stagnation of water, therefore favouring the gleying and forming the environment locally recognized as brejo de furado . The typical toposequence formed by those enviroments is characterized by the following occurrence: Fluvic Inceptsols and Haplic Gleysols in the brejo ; Haplic Cambisols in the vazante ; Eutric Red Latosols in the cultura vermelha and Dystric Red Latosols in the carrasco . As the weathering process intensifies, the micas occurring in the brejo (area with good natural fertility and unaffected by salts) are turned into 2:1 clays until predominating the kaolinite in the Eutric Red Latosols ( cultura vermelha ). This bases removal process culminates with the characteristic dystrophy of the carrasco soils at the landscape top. It was verified that quilombolas recognize the best time, the environment (earth, moisture, microclimate), the species and variety, as well as combine activities and present the conjunct of practices that allow for the sustenance of their families. They take advantage of the natural fertility and the higher capacity that the soils in the brejo and vazante have to conserve the moisture in the regional aridity. In the cultura vermelha , they install their homes and backyards, establish the raising of small animals, amplify the cropping and integrate the productive systems, as linking the carrasco and their extractivism possibilities and cattle release with the alluvia, where most agriculture and water are found. The quilombolas dominate an own environmental stratification system, by basing on a logic that can be explained, interpreted and articulated to the knowledge generated in the scientific context. So, keys for the identification of the environments were constructed, based on the quilombolas criteria, as well as some models of the soil distribution in the landscape were elaborated and a semidetailed survey of the soils in the Brejo dos Crioulos territory was performed. The information obtained was based on the local knowledge, the deepening of the environmental characterization and the soil mapping rather contributed for better understanding of the quilombolas´ agricultural strategies. When interrelated, those results can subsidize the planning processes and the sustainable use of the lands in the quilombola territory. / Como resposta ao processo de degradação ambiental, ocasionado em grande parte pelas práticas e ações de paradigmas reducionistas, é crescente a incorporação e apropriação de epistemologias voltadas à sustentabilidade, valorização das relações homem-ambiente e a percepção da necessidade da manutenção da complexidade dos sistemas produtivos. O saber construído pelas populações tradicionais sobre o ambiente em que vivem, tem sido geralmente desconsiderado em programas de pesquisa e desenvolvimento, embora muitos estudos reconheçam e comprovam sua importância para o cotejamento responsável e condizente às especificidades dos agroecossistemas locais. A dificuldade da comunidade da ciência do solo em considerar o conhecimento local, de agricultores de base familiar, dos povos indígenas, remanescentes de quilombos, entre outros, remete a necessidade de incorporação de outros enfoques e abordagens nos estudos dos agroecossistemas. A combinação de ciências naturais e sociais e a consolidação de campos de cruzamento de saberes, como a agroecologia, etnoecologia e a etnopedologia, passam a contemplar o processo de pensar os ambientes de forma integrada e com a participação da população local. Neste sentido, este trabalho teve o objetivo de resgatar, identificar e valorizar o saber tradicional sobre o solo e o ambiente e inter-relacioná-lo com o conhecimento do meio científico. Para isso, fez-se a estratificação dos ambientes do território quilombola de Brejo dos Crioulos com base em critérios locais e pelo método pedológico convencional, considerando o solo e sua interface com outros componentes ambientais. Associou-se a caracterização dos agroecossistemas, com a interpretação e reconhecimento da lógica dos sistemas tradicionais de uso e manejo dos recursos naturais, articulando o saber local com as informações geradas pelo conhecimento do meio científico. Os quilombolas identificaram quatro macroambientes que foram compatíveis com as distinções de geoambientes estratificados com base na geomorfologia e geologia, pedologia e a influência do ciclo das águas no território, a saber: (i) brejo (aluviões Holocênicos); (i) vazante (rampas de colúvio-aluviais - terço inferior de encostas); (iii) cultura vermelha (rampas de colúvio - terço médio e superior de encostas); (iv) carrasco (coberturas argilosas e arenosas - teto da paisagem). Além dessas, existe o complexo furado, que é formado em áreas de dolinas que não são abastecidas pelo rio Arapuim. Nos furados, os solos são eutróficos, resultantes do processo de rebaixamento localizado do terreno, constituem-se em áreas receptoras de água e sedimentos, cercadas pelo amplo domínio do carrasco. No período chuvoso, tem-se o acúmulo e estagnação de água, propiciando a gleização, formando assim, o ambiente reconhecido localmente como brejo do furado. A topossequência típica formada por esses ambientes é caracterizada pela ocorrência de Neossolos Flúvicos e Gleissolos Háplicos, no brejo; Cambissolos Háplicos nas vazantes; Latossolos Vermelhos Eutróficos na cultura vermelha e Latossolos Vermelhos Distróficos no carrasco. Com a intensificação do processo de intemperismo, as micas que ocorrem no brejo (área com elevada soma de bases e não afetada por sais) passam a argilominerais 2:1 (esmectitas) até a predominância da caulinita nas áreas de Latossolos Vermelhos Eutróficos (cultura vermelha). Esse processo de remoção de bases culmina com a distrofia característica dos solos do carrasco, no topo da paisagem. Constatou-se que os quilombolas reconhecem o melhor momento (tempo), o ambiente (a terra, a umidade, o microclima), a espécie e variedade, combinam atividades e elencam o conjunto de práticas que permitem o sustento de suas famílias. Aproveitam a boa fertilidade natural e a maior capacidade que os solos do brejo e vazante têm para conservar a umidade, em meio à aridez regional. Na cultura vermelha instalam as moradias e quintais, estabelecem as pequenas criações, ampliam as roças e integram os sistemas produtivos, ligando o carrasco com suas possibilidades de extrativismo e solta do gado com os aluviões, onde estão a maior parte das lavouras e a água. Os quilombolas dominam um sistema próprio de estratificação dos ambientes, com base em uma lógica que pode ser explicada, interpretada e articulada ao conhecimento gerado no meio científico. Para isso, construiu-se chaves de identificação dos ambientes com base nos critérios dos quilombolas, elaborou-se modelos de distribuição dos solos na paisagem e fez-se o levantamento semidetalhado dos solos do território de Brejo dos Crioulos. As informações obtidas com base no saber local, o aprofundamento da caracterização dos ambientes e o mapeamento de solos contribuíram para a melhor compreensão das estratégias agroalimentares dos quilombolas. Estes consistem em resultados, que ao serem interrelacionados, podem subsidiar processos de planejamento e usos sustentáveis das terras do território quilombola.

Page generated in 0.0956 seconds