• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 20
  • Tagged with
  • 20
  • 20
  • 4
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Infarto do miocardio : historico de vida e opiniões de paciente

Turato, Egberto Ribeiro, 1954- 16 July 2018 (has links)
Orientadores : Rachel Vilela Favero e Eduardo Arantes Nogueira / Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas / Made available in DSpace on 2018-07-16T02:25:10Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Turato_EgbertoRibeiro_D.pdf: 12942921 bytes, checksum: cdf239f9f4e1e08b8434f62ac8d03ca8 (MD5) Previous issue date: 1988 / Resumo: Para o presente trabalho, o autor ocupou-se de colher e estudar Histórias de vida com Infarto Agudo do Miocãrdio - IAM- visando contribuir para a compreensão de receios, duvidas, expectativas e atitudes deles a partir da escuta e da observação do comportamento global destes pacientes. Procurou conhecer especialmente opiniões leigas de amostras de pacientes, extraldas nos 12 hospitais gerais de Campinas-SP,a respeito do IAMe de aspectos correlacionados, ouvindo 100 indivlduos, di$tribuidos em dois grupos: um de pacientes com infarto recente e outro, sem antecedentes cardiológicos, pareado por sexo, faixa etãria e condições sõcio-econômicas. E compilou-se opinião cientlfica de vãrias vertentes para confrontar com as primeiras....Observação: O resumo, na integra, podera ser visualizado no texto completo da tese digital / Abstract: For this paper, the author collected and studied Life Stories of patients with Myocardial Infarction aiming at contributing to the comprehension of their fears, doubts, expectations and attitudes, by listening to and observing them in their global behavior. Wetried to get mainly non-professional opinions of sampled patients from 12 general hospitals in Campinas, SP, regarding the MI and correlated aspects, listening to 100 patients, distributed in two groups: one of patients with recent infárction and the other without cardiological antecedents, paired by sex, age and social-economic conditions. As well as relationships between opinions and personal characteristics and life events were looked for....Note: The complete abstract is available with the full electronic digital thesis or dissertations / Doutorado / Doutor em Medicina
2

Contribuição ao estudo do diagnostico eletrocardiografico do enfarte do miocardio atrial

Leite, Paulo Pereira 17 July 2018 (has links)
Orientador : Reinaldo Chiaverini / Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas / Made available in DSpace on 2018-07-17T05:12:33Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Leite_PauloPereira_D.pdf: 2074388 bytes, checksum: c05eeaef9d9b9a3225ea8bef3b8aba38 (MD5) Previous issue date: 1972 / Resumo: Não informado / Abstract: Not informed / Doutorado / Doutor em Clínica Médica
3

Criterios eletrocardiograficos de reperfusão coronariana em pacientes com infarto agudo do miocardio tratados com trombolitico

Heinisch, Roberto Henrique January 1995 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciencias da Saude / Made available in DSpace on 2012-10-16T08:02:10Z (GMT). No. of bitstreams: 0Bitstream added on 2016-01-08T19:35:21Z : No. of bitstreams: 1 99841.pdf: 5105947 bytes, checksum: 244677185969f13c07b84cf8560e1e30 (MD5) / Descrição dos dados clínicos, eletrocardiográficos e cineangiocoronariográficos de 262 pacientes com infarto agudo do miocárdio tratados com estreptoquinase na unidade coronariana do Instituto de Cardiologia de Santa Catarina, no período de 1987 a 1992. Avalia o papel da variação do supradesnível do segmento ST, como teste preditor de recanalização coronariana após terapia trombolítica. O registro eletrocardiográfico foi realizado antes (ECG 1), no final (ECG 2) e em até 24 horas (ECG 3) após o tratamento. As coronariografias de 120 pacientes, realizadas até o vigésimo primeiro dia após a admissão, foram utilizadas como teste padrão ouro. Na fase hospitalar ocorreram 16 óbitos (6,1%). A taxa de patência da artéria relacionada ao infarto foi de 72,2%. Os valores médios das medidas do desnível do segmento ST nos pacientes com a artéria pérvia (n = 93) não diferiram significativamente daqueles obtidos no grupo que não obteve sucesso com o tratamento (n = 27). No conjunto dos testes diagnósticos utilizados para a análise desta casuística, o melhor desempenho foi o do percentual de alteração do segmento ST entre o ECG 1 e o ECG 2 superior a 10% e entre o ECG 1 e o ECG 3 superior a 70%. O estudo sugere que a demonstração eletrocardiográfica da redução na elevação do segmento ST tem um valor limitado na predição da patência da artéria coronária em pacientes com infarto agudo do miocárdio e terapia trombolítica.
4

Estudo do relaxamento dependente do endotelio em ratos submetidos a infarto experimental e tratados com inibidores da enzima conversora de angiotensina e bloqueadores especificos dos receptores AT1

Ozaki, Michiko Regina, 1962- 26 April 2001 (has links)
Orientador: Eros Antonio de Almeida / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas / Made available in DSpace on 2018-07-27T18:48:37Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Ozaki_MichikoRegina_M.pdf: 17946576 bytes, checksum: ad29577cf2ad2beda37a3618af7a5eca (MD5) Previous issue date: 2001 / Resumo: o infarto do miocárdio é conseqüência de grave isquemia do coração, geraJmente, causada por placas ateroscleróticas que se alojam nas coronárias e podem gerar trombos. Muito já se conhece sobre este evento, não havendo segredos da sua evolução natural, desde a apresentação clínica até a terapêutica. Entretanto, a repercussão do infarto do miocárdio sobre a reatividade do aparellio circulatório, no que se refere à sua fase recente, ainda se apresenta obscura. A disfunção endotelial ocorre precocemente na aterosclerose e encontra-se presente em uma outra série de patologias, tais como: hipertensão arterial, diabetes, hipercolesterolemia, insuficiência cardíaca, etc; porém, há controvérsias se o infarto do miocárdio estaria entre elas. Com o intuito de contribuir para o entendimento deste assunto, realizamos este traballio com os seguintes objetivos: 1) Estudar a função endotelial na vigência do infarto experimental do miocárdio em ratos, em sua fase recente; 2) verificar o efeito do inibidor da enzima de conversão da angiotensina (IECA) e do receptor específico de angiotensina (ATI) sobre a função endotelial;. 3) observar a influênciado IECA e do inibidor específico do ATl na mortalidade dos animais. Usou-se 80 ratos wistar machos pesando, entre 350-400 g, os quais foram divididos em oito grupos: grupo controle (RNN), grupo sham (RSS), grupo infarto médio (RIM), grupo infarto grande (RIG), grupo infarto médio e tratado com lisinopril(IECAM), grupo infarto grande e tratado com lisinopril (IECAG), grupo infarto médio tratado com losartan (ATIM) e o grupo infarto grande tratado com losartan (ATIG). O IECA e ATl escolhidos foram lisinopril e losartan, nas doses de 20 mg/kg/dia e 30 mg/kg/dia, respectivamente, sendo estas doses suficiente para a redução de aproximadamente 25% da pressão arterial confirmada pela medida na cauda dos animais. Os medicamentos foram administrados através de intubação orogástrica, dois dias antes de se submeterem à cirurgia e continuando por sete dias após o infarto do miocárdio. O infarto foi realizado por ligadura proximal da coronária descendente anterior esquerda, após toracotomia. Os animais operados foram mantidos em gaiolas com água e alimentação "ad libitum" e sacrificados através de inalação com éter etílico. Verificou-se a presença do infarto do miocárdio através da técnica de coloração com TTC (c1oreto de trifenil tetrazólio) a 1% e o estudo histopatológico foi realizado com coloração pela hematoxilina-eosina. Os infartosforam classificadosem ...Observação: O resumo, na íntegra, poderá ser visualizado no texto completo da tese digital / Abstract: The myocardial marction is a consequence of serious ischemia of the heart. It is usually caused by atherosc1erotic plaques which are deposited in the coronaries and generate a thrombus. Although at clinics and therapy we ftequently know what occurred during the natural evolution, what happens in the vascular endothelium in acute myocardial infarction remains obscure. The endothelial dysfunction occurs in atherosc1erosis, hypertension, diabetes, hypercholesterolemia and cardiac failure, but there is controversy whether an infarct occurs over activation of the endothelium or a decrease in endothelium response...Note: The complete abstract is available with the full electronic digital thesis or dissertations / Mestrado / Ciencias Basicas / Mestre em Clinica Medica
5

A influencia de variaveis clinicas e angiograficas na sobrevida a longo prazo de pacientes com infarto agudo do miocardio submetidos a terapeutica trombolitica

Vieira, Walasse Rocha 30 July 2001 (has links)
Orientador: Eduardo Arantes Nogueira / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas / Made available in DSpace on 2018-07-29T02:07:52Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Vieira_WalasseRocha_M.pdf: 17941647 bytes, checksum: 4d33815aa833b71bbf122e0adbeb87f0 (MD5) Previous issue date: 2001 / Resumo: OBJETIVO: Análise da influência de variáveis angiográficas e clínicas na letalidade, a longo prazo, (maior que 1 ano) do infarto do miocárdio em pacientes submetidos a terapêutica trombolítica. MATERIAL E MÉTODOS: Foram analisados 365 pacientes com infarto agudo do miocárdio (média de idade de 56,1 '+ ou ¿' 10,3 anos; com 251 homens) tratados com terapêutica trombolítica e admitidos em nossa unidade coronária no período entre 1990 e 2000. As variáveis analisadas para correlação com a sobrevida tardia foram: idade, sexo, peso, altura, área de superfície corpórea, índice de massa corpórea, pressão arterial, fatores de risco, fração de ejeção global, pervidade arterial, circulação colateral, número de vasos acometidos e locais do infarto. Foi utilizada a análise univariada e multivariada através do modelo proporcional de Coxo RESULTADOS: O período médio de seguimento foi de 3,35 anos (variação entre 1 a 10 anos), a taxa global de letalidade foi de 18,6%. As variáveis que se correlacionaram com maior sobrevida a longo prazo (seguimento médio de 3,35 anos), na análise univariada, foram: fração de ejeção acima de 50% (sobrevida média de 86,5 % versus 66,3%, p= 0,0001); idade abaixo de 70 anos (83,1% versus 64,7%, p= 0,005); ausência de diabete (83,8% versus 74,5%, p=0,03); ausência de infarto prévio (84% versus 66%, p= 0,0003); doença de um vaso (86,9% versus 75,5%, p= 0,001); presença de circulação colateral em doença de um único vaso (100% versus 83%, p= 0,028); ausência de circulação colateral em doença de múltiplos vasos e tratamento clínico (78% versus 62%, p=0,04); infarto de coronária direita (85,8% versus 76,9%, p=0,01). Os preditores independentes de sobrevida ajustados foram: fração de ejeção com correlação positiva (Qui2= 33,8, p=0,00001) e idade com correlação negativa (Qui2= 13,5, p=0,001). CONCLUSÃO: Na análise univariada, os preditores de maior sobrevida tardia foram: fração de ejeção acima de 50%, idade abaixo de 70 anos, ausência de antecedente de diabetes, ausência de história de infarto prévio, doença de um único vaso, infarto de coronária direita, colateral presente em doença de um único vaso e colateral ausente em doença de múltiplos vasos. A circulação colateral foi um preditor de mortalidade nos pacientes com doença de um único vaso e este é um resultado não reportado previamente. Na análise multivariadaos preditores de risco foram: fração de ejeção e idade / Abstract: Background: Although thrombolisys reduced mortality in acute myocardial infarction long term outcome of survivors is istill spurr. Objective: to uncover the principal clinical and angiographic predictors of long term (>1 year) mortality of patients treated with thrombolytic in acute myocardial infarction. Material and methods: We reviewed and analyzed the records of 365 patients admitted with diagnosis of acute myocardial infarction between 1990 and 2000. Potential predictors of long term survival were age, sex, weight, height, body surface area, body mass index, blood pressure, risk factors, ejection fraction, artery patency, collateral circulation, number ofvessels with obstructive lesions and the infarted wall. Survival ana1ysis was undertaken with Kaplan Meier curves and Cox proportional hazard ratio models. Results: The mean follow-up period was 3.35 years (1-10 years) and mean global mortality rate was 18.6%. Univariate ana1ysisdisclosed as significant for the mean survival associated with following binary variables: ejection fraction >50% (865 vs 66.3 % p=0.0001), age bellow 70 years (83.1 vs 64.7 p=0.001), absence ofprevious myocardial infarction (84.0 vs 66.0% p=0.0003), absence diabetes (83.8 vs 74.5% p=0.03), single vessel disease (86.9 vs 75.5% p=0.001), presence of collateral circulation in single vessel disease (100 vs 83% p=0.028), absence of collateral circulation in multiple vessel disease and clinical therapy (78.0 vs 62.0% p=0.04), right wall coronary infarction (85.8 vs 76.9% p=0.01). Multivariate ana1ysis disclosed that ejection ftaction and age were significant independent predictors of survival p<0,001. Conclusion: Ejection fraction, age, diabetes, previous myocardial infarction, number of obstructed vessels and anterior wall infarction, were strong predictors of long term mortality in accordance with the literature. Collateral circulation as a predictor for mortality in patients with single vessel disease and this is as a new unreported finding. In multivariate analysesthe independent predictors of survival were: ejection fraction and age / Mestrado / Clinica Medica / Mestre em Clinica Medica
6

Estudo do potencial tardio ventricular pós-infarto agudo do miocardio

Haurani, Semi January 1997 (has links)
Orientador: Helio Germiniani / Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Cardiologia / Resumo: Para avaliar a presença de substrato arritmogênico, os pacientes com infarto agudo do miocárdio foram submetidos a análise do potencial tardio ventricular obtido pela eletrocardiografía de alta resolução. Foram selecionados para o estudo quarenta pacientes, internados no Serviço de Cardiologia do Hospital das Nações, Curitiba-PR, atendidos na fase aguda do infarto do miocárdio. Todos os pacientes eram acometidos por um primeiro infarto, sem evidência de outras cardiopatias e ou bloqueios de ramo do feixe de His. Todos os pacientes foram submetidos a avaliação clínica, estudo hemodinâmico e cineangiocoronariográfico durante a fase hospitalar (4,95 + 5,39 dias), e eletrocardiograma de alta resolução próximo a data da alta hospitalar (11,52 + 2,80 dias). A prevalência global do potencial tardio ventricular foi de 32,5%: 13 pacientes com potencial tardio positivo (PTP) e 27 pacientes sem potencial tardio, isto é, negativo (PTN). A análise dos três parâmetros do eletrocardiograma de alta resolução (QRST, SBA40 e VM40) apresentaram médias com diferenças significativas entre os grupos PTP e PTN (p= 0,0001). Os grupos PTP e PTN eram semelhantes quanto a idade, sexo e classificação Killip para o estado clínico (KILLIP & KIMBALL, 1967). Durante a fase hospitalar apenas 01 paciente foi acometido por episódios de taquiarritmia ventricular sustentada, sendo que na evolução este paciente veio a apresentar potencial tardio ventricular. Os pacientes que foram submetidos a terapêutica trombolítica apresentaram uma menor prevalência de potencial tardio ventricular, quando comparados com os pacientes submetidos apenas ao tratamento convencional (17,4% vs 52,9%; p=0,02). As médias dos três parâmetros do eletrocardiograma de alta resolução apresentaram diferenças significativas (p= 0,03). Os pacientes que apresentavam a artéria relacionada ao infarto patente mostraram menor prevalência de potencial tardio ventricular, quando comparados aos que apresentavam a artéria ocluída (20% vs 53,33%; p=0,03). Apenas as médias do parâmetro QRST não evidenciaram diferença significativa (p= 0,23). A possível interferência do sexo neste parâmetro foi analisada. Não houve diferença significativa do QRST, apenas no sexo feminino, entre os pacientes com artérias patente e ocluída.A comparação entre as regiões acometidas pelo infarto (anterior ou inferior) não mostrou diferenças significativas na prevalência do potencial tardio ventricular e entre as médias dos parâmetros. Houve um maior número de potencial tardio positivo nos pacientes com infarto inferior, atribuído a maior sensibilidade do método para detecção de potenciais tardios oriundos desta parede. O comprometimento ventricular esquerdo, seja por dilatação ou por disfunção, não interferiu na prevalência do potencial tardio ventricular. Entretanto, a análise das médias dos parâmetros mostrou uma diferença significativa apenas para o QRST (p=0,01 para dilatação e p=0,04 para disfunção), sugerindo que nestas circunstâncias o aumento do QRST pode não estar relacionado, apenas com a presença de potenciais tardios ventriculares. / abstract: To evaluate arrhythmogenic substract, patients with acute myocardial infarction were submitted to analysis of ventricular late potential obtained from signalaveraged electrocardiogram (SAECG). Forty in-hospital patients in acute phase of their first myocardial infarction without evidence of other heart diseases or bundle branch blocks were studied through clinicai evaluation, hemodynamic and coronariographic studies during hospital phase (4,95 + 5,39 days) of infarction, and SAECG near hospital discharge (11,52 ± 2,8 days). Overall prevalence of ventricular late potential was 32,5%: 13 of them had positive late potential (PLP group) while 27 had no late potential, being considered negative (NLP group). Analysis of the three parameters of SAECG (QRST, LAS40 and RMS40) showed highly significant differences between the averages of PLP and NLP groups (p=0,0001). Both groups had no differences related to age, sex and Killip clinicai classification. During hospital phase only one patient had episodes of sustained ventricular tachyarrhythmias, and he tumed out to have positive ventricular late potential. Patients who had been submitted to thrombolytic therapy showed a significantly lower prevalence of ventricular late potential, in comparison to those under conventional therapy (17,4% vs 52,9%; p=0,02). Besides, these two groups also showed significant differences related to the three SAECG parameters (p=0,03). Patients who had patent infarction-related artery showed a significantly lower prevalence of ventricular late potential when compared to those with occluded artery (20% vs 53,3%; p=0,03). QRST average values, however, showed no significant difference (p=0,23); possible influence of sex in this parameter was analysed, and there was no significant difference of QRST between women with patent and occluded arteries. Comparisons between anterior and inferior infarctions showed no significant difference in prevalence of ventricular late potential or parameter avarages. Inferior infarctions had more positive ventricular late potential, probably due to a greater sensitivity of the method in detecting late potentials originated in the wall. Left ventricular involvement, whether by dilation or disfunction, did not interfere in the prevalence of ventricular late potential. Nevertheless, analysis of parameter averages showed a significant difference in QRST (p=0,01 for dilation and p=0,04 for disfunction), suggesting that in these situations the increase of QRST may be related to other factors than the mere presence of ventricular late potential.
7

Efeitos do atenolol e propranolol na hipertensão e nas alterações morfologicas miocardicas induzidas pela inibição da sintese de oxido nitrico em ratos

Pacca, Sandra Regina Machado de Campos 12 December 2001 (has links)
Orientador : Edson Antunes / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas / Made available in DSpace on 2018-07-31T15:56:37Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Pacca_SandraReginaMachadodeCampos_M.pdf: 12752864 bytes, checksum: 1c939232594dee6b0c5f6b349340c5d8 (MD5) Previous issue date: 2001 / Resumo: o óxido nítrico é um importante modulador do tônus vascular. A inibição prolongadade sua síntese, por meio de compostos análogos à L-arginina,tais como o N°O-nitro-L-argininameti! éster (L-NAME),constitui um modelo de hipertensão arterial acompanhado de isquemia miocárdicaem ratos. Neste trabalho, investigou-se, em ratos, o efeito de dois antagonistas dos receptores 13-adrenérgicos, o atenolol (antagonista seletivo 131)e o propranolol (antagonista não seletivo 13),na hipertensão e nas lesões miocárdicas induzidas pela administração crônica (8 semanas) de L-NAME.Para tanto os animais foram divididos em 6 grupos experimentais, (n =15 cada) : 1) Controle (animais que receberam ração e água de torneira); 2) L-NAME(animaisque receberam apenas L-NAMEna dose de 20 mg/rato/dia); 3) L-NAME+ propranolol (animais que receberam L-NAMEe propranolol, nas doses de 20 e 30 mg/rato/dia, respectivamente; 4) L-NA-ME+ atenolol (animais que receberam L-NAMEe atenolol, nas doses de 20 e 30 mg/rato/dia, respectivamente; 5) Propranolol (animais que receberam somente o propranololna dose de 30 mg/rato/dia), e 6) Atenolol( animaisque receberam apenas o atenololna dose de 30 mg/rato/dia). A pressão arterial caudal foi medida semanalmente e observou-se que nos animais tratados com L-NAME, houve uma elevação da pressão arterial tempo-dependente. Os pesos corpóreos foram também avaliados semanalmente e os animais do grupo tratado com L-NAME, tiveram um ganho de peso menor em relação aos outros grupos experimentais. Ao final do estudo, os animais foram sacrificados e os corações removidos para avaliação dos pesos cardíacos e posterior análise histológica qualitativa do miocárdio. No coração dos animais tratados com L-NAME, a área média dos cardiomiócitos aumentou e também foram observadas áreas de lesões com magnitudes diferentes entre os animais...Observação: O resumo, na íntegra, poderá ser visualizado no texto completo da tese digital / Abstract: The effects of the f3-blockers propranolol and atenolol were investigated on arterial hypertension, cardiomyocyte hypertrophy and ventricular ischaemic lesions in response to long-term administration of the nitric oxide (NO) synthase inhibitor NCO-nitro-L-arginine methyl ester (L-NAME) in rats. Male Wistar rats received L-NAME (20 mg/rat per day) in the drinking water for 8 weeks. Propranolol (30 mg/rat per day) and atenolol (30 mg/rat per day) were also given in the drinking water concomitantly to L-NAME. Treatment with L-NAME caused a time-dependent increase in tail-cuff pressure, whereas untreated rats remained normotensive during the whole study period. Propranolol or atenolol markedly attenuated L-NAME-inducedhypertension. When given alone, propranolol and atenolol had no significant effect on tail-cuff pressure. A significant increase in the mean crosssectional area of cardiomyocytes (Acel)of left ventricles was observed in LNAME- treated rats, and this was partly attenuated by either propranolol o atenolol...Note: The complete abstract is available with the full electronic digital thesis or dissertations / Mestrado / Mestre em Farmacologia
8

Estreptoquinase no infarto agudo do miocardio : avaliação dos fatores determinantes da sobrevida a curto e longo prazos

Nicolau, Jose Carlos 17 July 2018 (has links)
Orientadores : Luiz Antonio K. Bittencourt, Jose Antonio F. Ramires / Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas / Made available in DSpace on 2018-07-17T10:53:35Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Nicolau_JoseCarlos_D.pdf: 3047255 bytes, checksum: d29e8a0cb0486b4e3d1f6f63caeaff32 (MD5) Previous issue date: 1992 / Resumo: Objetivo - Analisar, em pacientes com infarto agudo do miocárdio submetidos a estreptoquinase intravenosa: a) variáveis que poderiam influenciar a sobrevida precoce (fase hospitalar) e tardia (até o sexto ano de seguimento); b) o papel da revascularização cirúrgica como terapêutica complementar ao fibrinolítico. Casuística e métodos - Estudaram-se 332 pacientes (idade média 55,6 +- 10 anos), entre 20 minutos e seis horas de evolução do infarto, submetidos à infusão de 750.000 unidades de estreptoquinase em 15 minutos. As variáveis analisadas para correlação com sobrevida foram: fração de ejeção do ventrículo esquerdo> 50% à cineventriculografia contrastada; ausência de hipotensão durante ou imediatamente após infusão da droga; pico de CK-MB < = 100 UI/I; ausência de infarto prévio; ausência de doença multi-arterial coronária; ausência de reinfarto intra-hospitalar; sexo masculino; tratamento invasivo (cirurgia ou angioplastia) complementar ao fibrinolítico; artéria relacionada ao infarto pérvia à cinecoronariografia; idade < =65 anos; tempo entre o início da dor e o início da infusão de estreptoquinase < =3 horas; artéria relacionada ao infarto com obstrução residual < 70%; localização inferior do infarto. Os períodos de seguimento analisados foram: a) precoce (fase hospitalar); b) tardio: médio (primeiro ano de seguimento) e longo prazos (até o sexto ano de evolução). Finalmente, compararam-se pacientes submetidos a tratamento cirúrgico, em relação àqueles mantidos em acompanhamento clínico. Resultados - a) Fase hospitalar: sobrevidas significativamente maiores foram obtidas em pacientes com fração de ejeção >50% (98 versus 86,9%, p=0,001, 95% IC=5,1 a 17,1%), com pico de CK-MB < = 100 UI/I (95,5 versus 84%, p=0,009, 95% IC=3,8 a 19,1%), e com ausências de hipotensão (93,7 versus 72,4%, p<0,001, 95% IC= 10,9 a 31,7%), infarto prévio (93,4 versus 81,8%, p=0,02, 95% IC=2,9 a 20,3%), e doença multi-arterial coronária (98 versus 92,1%, p=0,037, 95% IC= 1 a 10,8%), em relação àqueles que não apresentavam tais características. Em análises de regressão simples, fração de ejeção >50% (p<0,001), pico de CK-MB <=100 UI/I (p=0,003) e ausências de hipotensão (p<O,001), infarto prévio (p=0,009), doença multi-arterial coronária (p=0,02) e reinfarto (p=0,049), foram as variáveis que se correlacionaram significativamente com sobrevida. Em análise de regressão múltipla, encontraram-se correlações significativas para fração de ejeção >50% (p=0,017) e ausências de hipotensão (p=0,01), doença multi-arterial coronária (p=O,032) e reinfarto (p=0,037); b) primeiro ano de seguimento: correlacionaram-se significativamente com sobrevida (Iog-rank): fração de ejeção >50% (p=0,0187), tratamento invasivo (p=0,0028), localização inferior do infarto (p=0,044), ausências de reinfarto (p=0,0451) e infarto prévio (p=0,0001); c) sexto ano de seguimento: o mesmo tipo de análise mostrou correlações significativas para fração de ejeção >50% (p=0,028), idade < =65 anos (0,0114), tratamento invasivo (p=O,013) e ausência de infarto prévio (p=O,OO09); d) comparação entre os grupos clínico e cirúrgico: o primeiro, em relação ao segundo, apresentou fração de ejeção média similar (59% versus 62,7%, p=NS), o mesmo ocorrendo com suas características clínicas; entretanto, era de risco menor no que se refere ao percentual de pacientes com obstrução residual da coronária relacionada ao infarto > = 70% (77,1% versus 99,2%, p<O,001, 95% IC=14,1 a 30,1%) e com doença multi-arterial coronária (40,7% versus 76,8%, p<0,001, 95% IC=23,7 a 48,5%). Conclusões - a) Correlação com sobrevida: dependendo da fase em que os dados são analisados, diferentes variáveis deixam de, ou passam a, apresentar correlação significativa com sobrevida. Fração de ejeção >50% foi a única variável que, em qualquer fase, e por qualquer tipo de análise estatística utilizada, correlacionou-se significativamente com sobrevida. Ausência de infarto prévio ficou próxima, só não mostrando significância à análise de regressão múltipla, a nível hospitalar. Tratamento invasivo (cirurgia/angioplastia) e ausência de reinfarto mostraram correlações significativas em duas das fases estudadas. Em apenas uma das fases analisadas, ausências de hipotensão e doença multi-arterial coronária, localização inferior do infarto, pico de CKMB < = 100 UI/I e idade < = 65 anos, mostraram correlações significativas. Sexo masculino, obstrução residual < 70% e patência da coronária relacionada ao infarto, tempo entre o início da dor e o início da infusão de estreptoquinase < =3 horas, não se correlacionaram com sobrevida em nenhuma das fases analisadas; b) o tratamento cirúrgico, indicado com base fundamentalmente em critérios anatômicos, levou a altos níveis de sobrevida, significativamente maiores, a médio e longo prazo, em relação àqueles obtidos para pacientes mantidos em tratamento clínico / Abstract: Purpose - To analyze, in patients with acute myocardial infarction submitted to intravenous streptokinase: a) variables that could influence the short (in-hospital phase) and late (up to six years) survival; b) the role of coronary artery bypass surgery as adjuvant to the fibrinolytic therapy. Patients and Methods - 332 patients between 20 minutes and 6 hours of infarction evolution, with mean age of 55.6 +- 10 years, were included in the study and submitted to 750,000 units of streptokinase in 15 minutes of infusion. The variables analyzed for correlation with survival were: left ventricular ejection fraction >50% at contrasted ventriculography; absence of hypotension during ar immediately after the drug infusion; CK-MB peak < = 100 IU/I; absence of previous infarction; absence of multivessel coronary artery disease; absence of in-hospital reinfarction; male sex; invasive treatment (surgery or angioplasty) adjuvant to the fibrinolytic; "culprit" coronary artery patent at caronariography; age < =65 years; time between beginning of pain and beginning of streptokinase infusion < =3 hours; residual obstruction <70% at "culprit" coronary artery; inferior infarction location. The follow-up periods analyzed were: a) short (inhospital phase); b) late: medium-term (first year) and long-term (up to six years). Finally, patients submitted to surgical revascularization procedure were compared with those maintained in clinical follow-up. Results - a) In-hospital phase: significantly higher survival rates were obtained for patients with ejection fraction >50% (98 versus 86.9%, p=0.001, 95% CI=5.1 to 17.1%), with CK-MB peak < =100 IU/I (95.5versus 84%, p=0.009, 95% CI=3.8 to 19.1%), and with absences of hypotension (93.7versus 72.4%, p<0.001, 95% CI=1 0.9to 31.7%), previous infarction (93.4versus 81.8%, p=0.02, 95% CI=2.9 to 20.3%), and multivessel coronary artery disease (98 versus 92.1%, p=0.037, 95% CI= 1 to 10.8%), in relationship to those without such characteristics. By simple regression analysis, ejection fraction >50% (p<0.001), CK-MB peak <=100 IU/I (p=0.003) and absences of hypotension (p<0.001), previous infarction (p=0.009), multivessel coronary artery disease (p=0.02) and reinfarction (p=0.049), were the variables that correlated significantly with survival. By multiple regression analysis, significant correlations were found for ejection fraction >50% (p=0.017), and absences of hypotension (p=0.01), multivessel coronary artery disease (p=0.032) and reinfarction (p=0.037); b) first year follow-up: the following variables correlated significantly with survival by log-rank analysis: ejection fraction >50% (p=0.0187), invasive treatment (p=0.0028), inferior infarction location (p=0.044), absences of reinfarction (p=0.0451) and previous infarction (p=0.0001); c) sixth year follow-up: the same analysis showed significantly correlations for ejection fraction >50% (p=0.028), age < =65 years (p=0.0114), invasive treatment (p=0.013) and absence of previous infarction (p=0,0009); d) comparison between clinical and surgical groups: the first, in relation to the second one, showed similar average ejection fraction (59% versus 62.7%, p=NS), and clinical characteristics; it had, however, smaller risk according to the percentage of patients with residual obstruction > = 70% at the "culprit" coronary (77.1% versus 99.2%, p<0.001, 95% CI= 14.1 to 30.1%), and with multivessel coronary artery disease (40.7% versus 76.8%, p<0.OO1, 95% CI=23.7 to 48.5%). Conclusions - a) Correlation with survival: depending an the phase in wich the data are analyzed, the variables may or maynot present significant correlation with survival. Ejection fraction >50% was the only variable that, in every phase, and by any kind of statistical analysis, correlated significantly with survival. Absence of previous infarction was near, not showing significance only by multiple regression analysis, at in-hospital phase. Invasive treatment (surgery/angioplasty) and absence of reinfarction showed significant correlatians in twa afthe studied phases. Absences af hypotension and multivessel coronary artery disease, inferior infarction location, CK-MB peak < = 100 lU/I and age < =65 years, showed significant correlations in only one of the analyzed phases. Male sex, residual obstruction < 70% and patency at the "culprit" coronary, time pain/ infusion < =3 hours, did not correlate with survival at any phase; b) surgical treatment, indicated basically by anatomical criteria, showed high survival rates, significantly higher, at medium and long-term follow-up, in relationship to those obtained for patients maintained under clinical treatment / Doutorado / Doutor em Clínica Médica
9

Avaliação da evolução imediata e tardia dos pacientes com infarto agudo do miocárdio submetidos à angioplastia primária no Instituto de Cardiologia do Estado de Santa Catarina

Patta, Miguel de January 2006 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas / Made available in DSpace on 2012-10-22T15:14:57Z (GMT). No. of bitstreams: 0 / a angioplastia primária tem se mostrado o método mais eficaz para reperfundir a artéria relacionada com o infarto. O objetivo desse estudo foi avaliar a evolução imediata e tardia do infarto agudo do miocárdio (IAM) em pacientes atendidos no Instituto de Cardiologia do Estado de Santa Catarina (ICSC), submetidos a angioplastia primária, verificar a freqüência de eventos e testar algumas variáveis relacionadas com a sobrevida. Método: os pacientes foram acompanhados durante o período de internação através da análise de prontuários e no período após a alta através de avaliação ambulatorial no primeiro, terceiro, sexto, nono e décimo-segundo mês após o IAM. Nesse período foram verificadas a mortalidade total e a mortalidade no período hospitalar. Foram relacionadas algumas variáveis com a sobrevida: sexo, idade, fatores de risco, medicamentos, características clínicas, características angiográficas, intervalos de tempo entre o início dos sintomas e o atendimento (tempo dor-hospital) e entre o atendimento e a realização da angioplastia (tempo porta-balão). Utilizou-se a análise de regressão logística uni e multivariada para vericar a associação das variáveis citadas com a sobrevida. Considerou-se estatisticamente significativo quando P < 0,05. Resultados: Dos 60 pacientes que foram incluídos no estudo, 18,3% foram a óbito em um ano (n= 11). A mortalidade hospitalar foi de 11,6% (n= 7) e nos primeiros 30 dias de 13,3% (n= 8). Foi registrada a ocorrência de novo infarto (3,3%), necessidade de cirurgia de revascularização miocárdica (15%) e de nova angioplastia na lesão dilatada (6,5%) ou em outras lesões (15%). Na análise univariada, foi demonstrada a relação das seguintes variáveis com a sobrevida: idade menor que 65 anos (P < 0,001), sexo masculino (P= 0,01) , tempo dor-hospital até uma hora (P= 0,008), TIMI pós-angioplastia igual a 3 (P < 0,05) e Killip I na Unidade Coronariana (P= 0,002). Na análise multivariada, as seguintes variáveis permaneceram associadas a sobrevida: idade menor do que 65 anos( P< 0,001 ) e Killip I na Unidade Coronariana ( P= 0,02). Conclusão: Nesta casuística foi observado número maior de óbitos na fase hospitalar do que no acompanhamento tardio. Também foram registrados alguns eventos no acompanhamento (novo infarto, necessidade de cirurgia de revascularização do miocárdio e de nova angioplastia). Na análise multivariada encontrou-se um modelo significativo com as variáveis associadas com a sobrevida: idade menor que 65 anos e Killip I na Unidade Coronariana.
10

Tolerância imunológica a antígenos cardíacos como abordagem terapêutica no reparo tecidual miocárdico

Ramos, Elisabete Regina Bóf January 2015 (has links)
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Biológicas. Programa de Pós-Graduação em Farmacologia, Florianópolis, 2015. / Made available in DSpace on 2016-10-19T13:08:52Z (GMT). No. of bitstreams: 1 338132.pdf: 1996282 bytes, checksum: f659a404f2f50b825cf0b5fca2cee4be (MD5) Previous issue date: 2015 / Após um episódio de infarto do miocárdio, cardiomiócitos necrosados liberam componentes intracelulares os quais se configuram como antígenos, e desencadeiam assim, uma resposta autoimune contra o tecido cardíaco. Em um trabalho prévio realizado por nosso grupo encontramos que a tolerância imunológica aos antígenos cardíacos pode ser reforçada por meio do tratamento oral com proteínas cardíacas, e parece ser benéfica ao processo de reparo tecidual e função cardíaca após a indução de isquemia. Desta forma, o principal objetivo deste trabalho foi estudar em maiores detalhes estas observações e ainda, caracterizar o fenótipo dos leucócitos presentes no infiltrado celular inflamatório. Lesões cardíacas semelhantes ao infarto foram induzidas em ratos Wistar machos (grupo ISO) através da injeção de altas doses de isoproterenol (150 mg/Kg, em dois dias consecutivos). A tolerância imunológica aos antígenos cardíacos foi desenvolvida por meio da exposição oral aos componentes do coração 7 dias antes da indução da lesão miocárdica (grupo TOL+ISO). Animais naïve foram usados como controles não-infartados (grupo CTR). Com a finalidade de se acessar a função cardíaca e o processo inflamatório que tomou parte após a indução da lesão isquêmica, foram realizadas avaliação hemodinâmica e análise imunohistoquímica. Observamos que, enquanto os animais do grupo ISO apresentaram um proeminente dano sistólico e diastólico cardíaco, os animais do grupo TOL+ISO apresentaram fração de ejeção preservada tanto 3 dias após a indução da lesão miocárdica isquêmica (CTR 73,4 ± 2,8; ISO 44,6 ± 6,3; TOL+ISO 74,3 ± 4,4; P < 0,05 entre o grupo CTR e o grupo ISO), quanto 15 dias após (CTR 73,4 ± 2,8; ISO 53,6 ± 8.,8; TOL+ISO 66,6 ± 4,1; P < 0,05 entre grupo CTR e grupo ISO). A análise imunohistoquímica dos níveis de expressão de IL-10, arginase-1, NOS-2 e fosfo-p65 revelou que os animais tornados tolerantes aos antígenos cardíacos (TOL+ISO) são capazes de mobilizar a resposta anti-inflamatória de forma antecipada e mais pronunciada, quando comparado aos animais do grupo ISO. Em conjunto, nossos dados sugerem que a tolerância oral aos antígenos cardíacos pode ser capaz de melhorar o processo de reparo tecidual após lesão isquêmica, uma vez que acelerou o processo de resolução da inflamação, e que isso se correlacionou com o melhor desempenho cardíaco global.<br> / Abstract : After a myocardial infarction episode, necrotic cardiomyocytes can release antigens that trigger autoimmunity phenomena against the cardiac tissue. In a previous work we found that the reinforcing immunological tolerance to such cardiac antigens might benefits myocardial healing and function after isoproterenol-induced damage. Thus, the main objective of the present study was to further address those observations, and characterize the phenotype of infiltrating leukocytes. Infarction-like myocardial lesions were induced in male Wistar rats (ISO group) through the injection of high doses of isoproterenol (150 mg/kg, two consecutive days). Immunological tolerance to cardiac antigens was developed by means of oral exposure to cardiac antigens 7 days before isoproterenol-induced myocardial lesions (TOL+ISO group). Naïve animals were used as non-infarcted control (CTR group). Hemodynamics and immunohistochemistry analysis were performed do asses myocardial function and inflammation. We found that while ISO-treated animals presented systolic and diastolic impairment, TOL+ISO animals presented preserved ejection fraction at 3 d (CTRL 73.4 ± 2.8; ISO 44.6 ± 6.3; TOL+ISO 74.3 ± 4.4; P < 0.05 between CTRL and ISO) and 15 d (CTRL 73.4 ± 2.8; ISO 53.6 ± 8.8; TOL+ISO 66.6 ± 4.1; P <0 .05 between CTRL and ISO) post myocardial lesion induction. Immunohistochemical analysis of IL-10, arginase-1, NOS-2 and phopho-p65 expression levels revealed that animals tolerant to cardiac antigens mobilized an earlier and stronger anti-inflammatory response as compared to animals from the ISO group. Altogether, these findings suggest that oral tolerance to cardiac antigens might improve myocardial healing by means of accelerating the inflammation resolution process, and that correlated with a better overall cardiac functionality.

Page generated in 0.1051 seconds