• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 273
  • 4
  • Tagged with
  • 280
  • 280
  • 221
  • 205
  • 140
  • 119
  • 80
  • 68
  • 66
  • 64
  • 50
  • 43
  • 39
  • 38
  • 37
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Aplicação da Escala de Braden Q e o processo de enfermagem na prevenção de úlceras por pressão em crianças / Braden Q Scale application : the caring in nursing on the ulcers prevention by pressure in pediatrics / Aplicación de Escala de Braden Q : cuidados de enfermería en la prevención de úlceras de presión en pediatría

Brandão, Erlayne Camapum 25 September 2013 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, 2013. / Submitted by Elna Araújo (elna@bce.unb.br) on 2013-12-09T21:46:04Z No. of bitstreams: 1 2013_ErlayneCamapumBrandao.pdf: 836002 bytes, checksum: d17905a13542c6d216e00a4b2b90cd8e (MD5) / Approved for entry into archive by Luanna Maia(luanna@bce.unb.br) on 2013-12-10T11:44:04Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2013_ErlayneCamapumBrandao.pdf: 836002 bytes, checksum: d17905a13542c6d216e00a4b2b90cd8e (MD5) / Made available in DSpace on 2013-12-10T11:44:04Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2013_ErlayneCamapumBrandao.pdf: 836002 bytes, checksum: d17905a13542c6d216e00a4b2b90cd8e (MD5) / A hospitalização é vista como uma situação perturbadora na vida das pessoas e tem contornos peculiares quando se trata de uma ocorrência na infância, pois afeta a vida familiar implicando em uma mudança na rotina de toda a família. Uma complicação que poderá ocorrer nesse período é a úlcera por pressão (UP), merecendo uma atenção especial a partir da prevenção. A Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE) é um processo que melhora a qualidade do cuidado e que pode auxiliar na prevenção de úlceras por pressão em pediatria. O objetivo desse estudo foi analisar os riscos para desenvolvimento de UP em crianças hospitalizadas em uma Unidade de Terapia Intensiva e identificar a ocorrência de UP nessa clientela. Estudo descritivo e exploratório, realizado em um hospital de referencia materno-infantil no Distrito Federal. Aplicou-se um instrumento com 50 crianças hospitalizadas em uma UTI Pediátrica para obtenção de dados sócio-demográficos e clínicos, incluindo a aplicação da Escala de Braden Q e utilizou-se também outro instrumento com 12 enfermeiras do referido setor obtendo informações sobre a SAE. Os resultados relacionados com a amostra infantil foram os seguintes: a maioria era do sexo masculino (56%), com idade menor de 1 ano (44%), branca (54%), analfabeto/não estudava (86%), procedentes do Distrito Federal (70%), seus responsáveis eram mãe/pai (94%), renda familiar de 1 a 2 salários mínimos (52%) e com doenças no sistema nervoso (30%). Prevaleceu o uso de antiinflamatório e analgésicos (98%), de internações anteriores (58%) , até 10 dias de internação (37,9%) sendo o motivo mais frequente os problemas respiratórios (37,9%). Em relação ao tempo atual de internação predominou também até 10 dias (60%), o seguimento na atenção básica ficou em equilíbrio, 50% frequentavam e 50% não. A média dos escores da Escala de Braden Q foi 20,16. Em relação às sub-escalas, o escore 4 prevaleceu na Mobilidade (40%), Atividade (50%), Percepção sensorial (52%) e Perfusão tissular e oxigenação (64%). O escore 3 prevaleceu nas sub-escalas Umidade (38%) e Nutrição (50%), já o escore 2 predominou na Fricção e cisalhamento (52%). A única variável que teve diferença estatisticamente significativa foi menor de 1 ano (p=0,045). As medidas preventivas para UP realizadas foram: mudança de decúbito (70%), almofadas no calcâneo (54%) e utilização de hidratantes (54%). O colchao mais utilizado foi o de espuma (98%). Não houve casos novos de UP na amostra infantil. Em relação aos dados das enfermeiras observou-se que: todas eram do sexo feminino (100%), a maioria tinha especialização (58,3%) e não trabalhava em outra instituição (75%). As médias da idade foi de 37,8 anos, do tempo de atuação profissional foi de 13,8 anos, tempo de atuação na UTI Pediátrica foi de 5,2 anos. A maioria das enfermeiras não conhecia uma escala para prevenção de UP (66,7%) e não conhecia a escala de Braden Q (91,7%). Nenhuma utilizava a Escala de Braden Q na sua assistência, no entanto todas (100%) acreditavam que a utilização de uma escala desse tipo é importante na rotina da UTI Pediátrica, citando como justificativa padronizar a avaliação do risco (41,7%) e posicionar melhor a criança/proporcionar prevenção (41,7%). Todas as enfermeiras (100%) citaram como medida de prevenção para UP mudança de decúbito. A maior parte das enfermeiras (58,3%) relatou que a Escala de Braden Q pode contribuir com o processo de enfermagem (PE), citou como justificativa como meio de avaliar o cuidado oferecido e contribuir consequentemente com o PE, realizava o PE (58,3%) sendo que a etapa mais citada pelas enfermeiras foi a prescrição. No tocante às facilidades para realização do PE no setor pesquisado citou-se mais frequentemente: sistema informatizado (33,3%), trabalho com equipe multidisciplinar (33,3%), equipe envolvida em melhorar a assistência (33,3%). Já as dificuldades mais relatadas foram: falta de conhecimento das etapas (33,3%), sistema informatizado incompleto (33,3%), sobrecarga de trabalho (33,3%) e número de profissionais reduzidos (33,3%). Em relação às etapas do PE observadas nos prontuários das crianças, não se realizavam o diagnóstico de enfermagem (94%) e nem a prescrição de enfermagem (86%), e os registros eram na maioria anotações de enfermagem (56%). A utilização de uma escala que avalia o risco para UP é um método confiável que a enfermeira pode utilizar em sua rotina assistencial e a partir disso intensificar as medidas preventivas para aquelas crianças com maior risco. Já a realização da SAE proporciona uma assistência de qualidade à criança, assim como, aumenta a segurança nas decisões clínicas tomadas pelos enfermeiros. Nesse sentido, se faz necessário, um maior incentivo para sua realização nos serviços de saúde, demostrando que a sua aplicação fortalece a assistência e gera mais autonomia aos enfermeiros. ____________________________________________________________________________ ABSTRACT / Hospitalization is seen as a disturbing situation in the life of people and has peculiar profiles when it is about an occurrence in the childhood, for it affects family life implying a change on the routine of the whole family. A complication that may occur during this period is the ulcer by pressure (UP), deserving a special attention as from the prevention. The Nursing Systematization of Assistance (NSA) is a process which improves the care quality and which may aid in the prevention of ulcers by pressure in pediatrics. The objective of this study was to analyze the risks for the development of UP in hospitalized children in an Intensive Care Unit and to identify the UP occurrence on this clientele. Descriptive and exploratory study accomplished in a reference mother-and-child hospital in the Federal District. An instrument was applied with 50 hospitalized children in a Pediatrics ICU in order to obtain socio-demographical and clinical data, including the Braden Q Scale application and another instrument was used as well with 12 nurses from the previously mentioned sector obtaining information about the NSA. The related outcomes with the child’s sample were the following: most of them was male (56%), under the age of 1 year (44%), white (54%), illiterate/not studying (86%), from the Federal District (70%), mother/father were their responsible (94%), family income from 1 to 2 minimum wages (52%) and having diseases in the nervous system (30%). The anti-inflammatory and painkillers treatment (98%), previous internments (58%), until 10 internment days (37.9%) respiratory problems being the most frequent reason (37.9%). In relation to the present internment time it also prevailed until 10 days (60%), the continuance the basic attention was balanced, 50% frequented and 50% did not. The Braden Q Scale score average was 20,16. In relation to the under-scales, score 4 prevailed in the Modality (40%), Activity (50%), Sensorial perception (52%) and Tissue perfusion and oxigenation (64%). Score 3 prevailed in the Humidity under-scales (38%) and Nutrition (50%), score 2 prevailed on the Friction and shear (52%). The only variable that had a significant difference statistically was shorter than a year (p=0,045). The preventable measures for accomplished UP were changing of decubitus (70%), cushions in the heel bone (54%) and moisturizing use (54%). The most used mattress was the one made of foam (98%). There were no new UP cases in the child’s sample. Regarding the data of the nurses, it was observed that: all of them were female (100%), most of them had a major degree (58.3%) and did not work at another institution (75%). The age average was 37.8 years, professional performance time was 13.8 years, Pediatrics ICU performance time was 5.2 years. Most of the nurses did not know a UP prevention scale (66.7%) and did not know the Braden Q Scale (91.7%). None of them used the Braden Q Scale in their assistance, however, all of them (100%) believed that the use of a scale this type is important in the Pediatrics ICU routine, quoting as excuse to standardize the risk assessment (41.7%) and to better place the child / to provide prevention(41.7%). All of the nurses (100%) quoted as a prevention measure for UP the decubitus change. Most of the nurses (58.3%) reported that the Braden Q Scale may contribute with the nursing process (NP), quoted as excuse as a way to assess the offered care and consequently to contribute with the NP, accomplished the NP (58.3%) being the most cited stage by the nurses the prescription. Regarding the facilities to the NP performance, it was cited most frequently: computerized system (33.3%), work with multidisciplinary team (33.3%), involved team into improving assistance (33.3%). As for the most reported difficulties were: lack of stage knowledge (33.3%), incomplete computerized system (33.3%), work overload (33.3%) and reduced number of professionals (33.3%). Regarding the observed NP stages on the handbook of the children, no nursing diagnosis used to be performed (94%) and neither the nursing prescription (86%), and the records were most of them nursing notes (56%). The use of a scale that assess the risk for UP is a reliable method the nurse may use in her assistance routine and from that to intensify the preventable measures to those children with greater risk. As for the NSA performance, it provides an assistance of quality to the child as well as raises security in the clinic decisions taken by the nurses. In this sense, it is necessary a bigger encouragement for the health services accomplishment, showing that their application strengthens the assistance and generates more autonomy to the nurses. _____________________________________________________________________________ RESUMEN / La hospitalización es visto como una situación preocupante en la vida de las personas y tiene contornos peculiar cuando se trata de una ocurrencia en la niñez, afecta a la vida familiar que resulta en un cambio en la rutina para toda la familia. Una de las complicaciones que pueden ocurrir durante este período es la úlcera por presión (UP), merece una especial atención por parte de la prevención. El Sistematización de la Atención de Enfermería (SAE) es un proceso que mejora la calidad de la atención y puede ayudar en la prevención de las úlceras por presión en pediatría. El objetivo de este estudio fue analizar los riesgos para el desarrollo de la UP de los niños hospitalizados en una unidad de cuidados intensivos e identificar la ocurrencia de la UP esta clientela. Estudio descriptivo, realizado en un hospital de referencia materno-infantil en el Distrito Federal. Se aplica un instrumento con 50 niños hospitalizados en una UCI pediátrica para obtener datos socio-demográficos y estudios clínicos, incluida la aplicación de la Escala de Braden Q y que también se utiliza un instrumento con 12 enfermeras de ese sector para conseguir información acerca de la SAE. Los resultados relacionados con los niños de la muestra fueron los siguientes: la mayoría eran varones (56%) de edad menor de 1 año (44%), blancos (54%), analfabeto/no estudiar (86%), procedentes de Distrito Federal (70%), sus padres eran la madre/el padre (94%), los ingresos familiares 1-2 salarios mínimos (52%) y enfermedades del sistema nervioso (30%). Se impuso y el uso de analgésicos anti-inflamatorios (98%) de los ingresos previos (58%), hasta 10 días de hospitalización (37,9%) son los problemas respiratorios causa más común (37,9%). En cuanto a la hora del ingreso también predominó hasta 10 días (60%), el seguimiento en la atención primaria estaba en equilibrio, 50% y 50% que no asisten. Las puntuaciones medias de la escala de Braden Q fue de 20,16. En cuanto a las subescalas, la puntuación de 4 prevalecía en la movilidad (40%), actividad (50%), la percepción sensorial (52%) y el tejido de perfusión y oxigenación (64%). La puntuación se impuso en tres subescalas de humedad (38%) y alimentación (50%), lo que supuso el 2 predominó en fricción y cizalla (52%). La única variable que tenía una diferencia estadísticamente significativa fue de menos de 1 año (p = 0,045). Se llevaron a cabo medidas preventivas para UP: Cambio de posición (70%), taloneras en (54%) y el uso de cremas hidratantes (54%). El colchón era la espuma más común (98%). No hubo nuevos casos de la UP en el niño muestra. En cuanto a las enfermeras de datos observó que: todas eran mujeres (100%), la mayoría tenía experiencia (58,3%) y no funcionó en otra institución (75%). La edad media fue de 37,8 años, el tiempo de la práctica fue de 13,8 años, mientras que actúa en la UCI pediátrica fue 5,2 años. La mayoría de las enfermeras no sabían una escala para la prevención de la PU (66,7%) no conocía la escala de Braden Q (91,7%). Ninguno utilizó la Escala de Braden Q en su cuidado, sin embargo, todos (100% de) cree que el uso de tal escala es importante en la rutina UCI pediátrica, citando como justificación estandarizar la evaluación de riesgos (41,7%) y mejor posición que el niño/proporcionar servicios de prevención (41,7%). Todas las enfermeras (100%) citaron como una medida preventiva para Cambio de posición UP. La mayoría de las enfermeras (58,3%) informaron de que la escala de Braden Q puede contribuir al proceso de enfermería (PE), citado como justificación como un medio para evaluar la atención recibida y por lo tanto contribuir a la PE, el PE cuenta ( 58,3%), siendo el paso más frecuentemente mencionada por los enfermeros fue la receta. En cuanto a las instalaciones para llevar a cabo el sector PE examinó citado con mayor frecuencia: sistema informático (33,3%), trabajando con un equipo multidisciplinario (33,3%), el personal que participa en la mejora de la atención (33,3%). Sin embargo, las dificultades más frecuentes fueron: la falta de conocimiento de las etapas (33,3%), el sistema de información incompleta (33.3%), la sobrecarga de trabajo (33,3%) y la reducción del número de profesionales (33,3%). En cuanto a las etapas del PE observó en los registros de los niños, no se realiza el diagnóstico de enfermería (94%), ni la prescripción de enfermería (86%), y el registro fueron en su mayoría las notas de enfermería (56%). El uso de una escala que evalúa el riesgo de UP es un método fiable de que la enfermera puede utilizar en su atención de rutina y de que intensifiquen las medidas de prevención para los niños en mayor riesgo. Desde la finalización del SAE proporciona atención de calidad a los niños, así como aumenta la seguridad en las decisiones clínicas tomadas por las enfermeras. En este sentido, es necesario un mayor incentivo para que sus logros en los servicios de salud, mostrando que su asistencia con la aplicación fortalece y genera una mayor autonomía a las enfermeras.
2

O atendimento a criança hospitalizada : um estudo sobre serviço recreativo-educacional em enfermaria pediatrica

Ribeiro, Maria Jose 18 June 1993 (has links)
Orientador : Maria Cecilia Rafael de Goes / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação / Made available in DSpace on 2018-07-18T11:48:20Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Ribeiro_MariaJose_M.pdf: 7502950 bytes, checksum: 7a2294501e767669c2f79d9f64cc501d (MD5) Previous issue date: 1993 / Resumo: 0 atendimento à criança hospitalizada nos remete a uma variedade de questões a serem exploradas em diversos pontos que vão se ramificando. Trabalhar com crianças internadas em enfermaria pediátrica leva-nos a pensar sobre a organização da instituição hospitalar e sua trajetória na história; sobre a evolução dos conceitos de saúde e infância - que se intersectam na pediatria; sobre a questão da vida e da morte, da saúde e da doença e as diferentes formas de se vivenciar essas experiências, inerentes à nossa existência; sobre as relações de poder presentes no hospital que determinam os diversos comportamentos das pessoas que compõem a instituição. Nesse contexto de questões, nossa atenção foi orientada para a implementação e análise de um serviço de caráter recreativo-educacional numa enfermaria pediátrica, enquanto instância propiciadora do desenvolvimento das crianças hospitalizadas. A teoria histórico-cultural, com sua concepção de sujeito interativo que se constitui nas relações sociais, fundamentou o delineamento do serviço em implantação e a perspectiva de análise das experiências das crianças naquele espaço de atividades. Tais análises nos sugeriram que as crianças internadas podem se beneficiar largamente de experiências de aprendizagem enquanto hospitalizadas e que o internamento não impede que o fluxo de desenvolvimento dos pacientes tenha prosseguimento, sendo inclusive enriquecido pelas novas experiências no hospital / Abstract: Care to children while they are in hospital refers us to a variety of issues to be inquired in a number of further of shooting points. Working with children confined to a pediatric ward has led us to ponder over the hospital institutional, organization and its trajectory throughout history the evolution of the concepts on health and childhood, which are intersected in pediatrics the question of life and death, of health and disease, and the experiencing of these in so many and diversified ways, inherent in our lives and the relations of power present in a hospital, determining the behavioral diversity among those individuals that make the institution. In the above context of questions, our attention has been directed to the implementation and analysis of a pediatric ward service of a recreational and educational nature mainly aimed at developing the child while in hospital. The historic-cultural theory with its concept of interactive individuais establishing themselves in the social relations milieu has provided the grounds for outlining the service now under implementation and the perspective of analysis of the children¿s experiences within this area of activity. Such analysis has further suggested that the children can largely benefit from learning experiences while in the hospital and that their permanence in this getting will not prevent their development from being furthered and ay, in addition, enhance it / Mestrado / Psicologia Educacional / Mestre em Educação
3

Cultura de segurança do paciente em unidades de emergência pediátrica: perspectiva da equipe de enfermagem

Macedo, Taise Rocha January 2015 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, Florianópolis, 2015. / Made available in DSpace on 2015-12-29T03:02:37Z (GMT). No. of bitstreams: 1 336385.pdf: 1495095 bytes, checksum: b765585ad3130223e05615efca1c134b (MD5) Previous issue date: 2015 / A temática segurança do paciente vem sendo amplamente discutida nos últimos anos. No entanto, para que possamos aprimorar a segurança do paciente nas Unidades de Emergência Pediátrica, precisamos identificar a cultura de segurança que a constitui, para que estratégias possam ser traçadas a fim de fortalecer as áreas que se apresentam como de força e melhorar aquelas apontadas como críticas para a segurança do paciente. Para tanto, o objetivo deste estudo foi identificar a cultura de segurança do paciente em Emergências Pediátricas na perspectiva da equipe de enfermagem, por meio do instrumento Hospital Survey on Patient Safety Culture. Trata-se de uma pesquisa quantitativa do tipo survey transversal. A amostra foi intencional, não probabilística, participando do estudo 75 profissionais da equipe de enfermagem seguindo os critérios de inclusão e exclusão. Os dados foram coletados em três Emergências Pediátricas de Hospitais Públicos da Grande Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, entre setembro e novembro de 2014, por meio da aplicação do instrumento Hospital Survey on Patient Safety Culture, que avalia 12 dimensões da cultura de segurança do paciente em 42 questões, sendo que destas 18 são reversas. A pesquisa foi encaminhada e aprovada na Plataforma Brasil sob o protocolo 35231514.1.0000.5361. Para a análise dos dados, inicialmente as respostas foram tabuladas em planilhas do Excel e submetidos à análise descritiva, sendo as dimensões classificadas em áreas de força ou crítica, e ainda, aplicando o teste estatístico Qui-Quadrado para testar a diferença da variável de resultado do instrumento entre as categorias profissionais participantes do estudo. Os resultados mostram que não foram encontradas áreas de força para a segurança do paciente, sendo destacadas as melhores avaliadas, que foram apresentadas com potencial de assim tornar-se: Expectativas e ações do supervisor/chefia para a promoção da segurança do paciente e Trabalho em equipe. Como área crítica identificou-se Resposta não punitiva aoerro e apoio da gestão hospitalar para a segurança do paciente. Já na análise geral da variável de resultado não foi identificado diferença estatística significativa entre as respostas obtidas das categorias profissionais, no entanto a análise descritiva apresentou que os auxiliares de enfermagem avaliaram a variável de resultado mais positivamente, enquanto os enfermeiros foram os profissionais que avaliaram mais negativamente. Este resultado pode estar relacionado ao processo de formação e atividades exercidas pelos profissionais, além das recentes discussões sobre a temática nas instituições. No geral, o número de eventos adversos comunicados foi pouco expressivo revelando fragilidades na cultura de segurança e apontando áreas que precisam ser melhor discutidas, como a abordagem frente aos erros e o sistema de notificação de eventos adversos. Os resultados permitem afirmar que as ações dos núcleos de segurança são incipientes nas instituições, podendo o estudo subsidiar discussões no âmbito da enfermagem em emergências pediátricas, contribuindo para a implantação da cultura de segurança neste contexto, fortalecendo a educação permanente, o processo de comunicação, a interação entre os profissionais, qualificando a assistência prestada nas unidades. Sugere-se que discussões envolvendo a cultura de segurança possam ser ampliadas no âmbito das instituições de ensino e de saúde.<br> / Abstract : The thematic of patient safety has been widely discussed in recent years. However, to improve patient safety in Pediatrics? Emergency Unit, we need to identify the safety culture, in order to map out strategies to strengthen potent areas and improve areas labeled as critical for safety patient. Therefore, the aim of this study was to identify the culture of patient safety in Pediatric Emergency from the nursing team perspective, through an instrument called Hospital Survey on Patient Safety Culture. This is a quantitative research survey cross type. The sample was intentional, not probabilistic, conformed by 75 nurse team professionals following the inclusion and exclusion criteria. Data was collected in three Pediatric Emergency Public Hospitals of Florianopolis, Santa Catarina, Brazil, from September and November 2014, through the application of Hospital Survey on Patient Safety Culture, which evaluated 12 dimensions of culture patient safety in 42 questions, being 18 reversed. This research was conducted and approved by the Brazil Platform under the protocol number: 35231514.1.0000.5361. For data analysis, initially responses were arranged in Excel and submitted for descriptive analysis, so dimensions were classified into strength or critical areas, and then Chi-Square statistic test were applied to compute the difference of the instrument result variable among professionals categories that participated in this study. Results show that were not found areas of strength for patient safety, highlighting the best evaluated, which were presented with potential to become: Expectations and actions of the supervisor/manager to promote patient safety and Teamwork. As critical area, a Non-punitive response to the error and hospital management support for patient safety was identified. In fact, in the overall analysis of the outcome variable it was not identified a statistically significant difference between the responses of professional categories, however the descriptive analysis showed that nursing assistants evaluated the outcome variable more positively, while nurses evaluated more negatively. Thisresult may be related to formation process and activities performed by professional nurses, in addition to recent discussions on this thematic in several institutions. Overall, the number of adverse events reported was not very expressive, revealing weaknesses in safety culture and addressing to areas that need to be further discussed, such as the error approach and reporting system for adverse events. Results confirm that actions of safety centers are emerging; discussions may be realized on the field of pediatric emergency nursing, contributing to safety culture implementation in this context, strengthening continuing education, communication process, interaction among professionals, evaluating the assistance units. Finally, discussions involving safety culture may be expanded in educational institutions and health.
4

Lesões de pele em recém-nascidos na unidade de terapia intensiva neonatal / Skin wounds in newborns hopitalized in neonatal intensive care unite

Fontenele, Fernanda Cavalcante January 2008 (has links)
FONTENELE, Fernanda Cavalcante. Lesões de pele em recém-nascidos na unidade de terapia intensiva neonatal. 2008. 134 f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Fortaleza, 2008. / Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2012-01-13T16:05:48Z No. of bitstreams: 1 2008_dis_fcfontenele.pdf: 876977 bytes, checksum: 32fc671e0c1c58011ac1aa9d3d0ecef0 (MD5) / Approved for entry into archive by Eliene Nascimento(elienegvn@hotmail.com) on 2012-02-01T13:42:09Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2008_dis_fcfontenele.pdf: 876977 bytes, checksum: 32fc671e0c1c58011ac1aa9d3d0ecef0 (MD5) / Made available in DSpace on 2012-02-01T13:42:09Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2008_dis_fcfontenele.pdf: 876977 bytes, checksum: 32fc671e0c1c58011ac1aa9d3d0ecef0 (MD5) Previous issue date: 2008 / Infants in the Neonatal Intensive Care Unit (NICU) often get skin lesions on account of the many stressful procedures they are exposed to. This prospective, quantitative and descriptive study was carried out at a public health facility in Fortaleza (Northeastern Brazil) from March to May 2007, in order to investigate skin lesion patterns in infants in the NICU setting. The study population consisted of 137 hospitalized infants. Informed written consent was obtained from the infants’ caretakers. The data collection instrument registered skin lesions through direct observation during bathing, change of diapers, catheters and eye patches and during removal of semi-permeable membranes, elastic adhesive bandages and/or micropores, electrodes and hydrocolloid dressings applied to the skin during punction, among other procedures. Eighty percent of the infants were premature, 63% were male, 61% were caesarean births, 40% presented first-minute apgar scores of 7-10, 49% were diagnosed with moderate prematurity, 74% were full-term, 39% had low birth weight and 44% measured 41–47cm. Thirty-six infants had skin lesions (total 51 lesions) in the form of bruises (46%), erythema (18%), excoriation (12%), ecchymosis (10), pustulas (6%), scaling (4%), myelomeningocele (2%) or gastroschisis (2%). The lesions were inflicted while the infants were being treated with intravenous hydration (84%), antibiotics (78%), mechanical ventilation (53%), phototherapy (33%), parenteral nutrition (27%), blood transfusion (8%), oxygen hood (8%), nasal cpap (6%) or circulating oxygen (4%), or were in a heated incubator (86%), transport incubator (10%) or heated crib (4%). Lesions were observed most often on limbs (52%), torso (24%), head (16%) and other sites (8%). The causes identified were arterial puncture (32%), leaking (14%), contact dermatitis (14%), vein puncture (8%), impetigo (4%), undetermined (4%), congenital malformation (4%), removal of the caul (4%), removal of adhesive bandage (4%), skin dryness (4%), infection (2%), removal of hypoallergenic tape (2%) and birth traumatism (2%). Forty percent of lesions measured < 1cm2 and 68% measured 1-2cm. Most were well defined (38%) and/or localized (92%). Infants with lesions presented prematurity (92%), syndrome of respiratory distress (43%), asphyxia (24%), full-term delivery (8%); risk of infection (6%), risk of hypoglycemia (6%), gastroschisis (2%) or myelomeningocele (2%). Most (47%) weighed 550-999g at birth, with lesions occurring at 455-999g in 47%. Most were newborn (84%) and lesions appeared before the seventh day of life in 47% of cases. Among the parameters lesion type, diagnosis, PN, IG and prematurity, only the latter presented a statistically significant association (p=0.496, by the Fisher-Freeman-Halton test). The study shows the importance of providing the newborn with good-quality holistic nursing care with a view to the special needs of this patient population. / A pele do bebê quando internado em uma Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN), apresenta predisposição a ser lesionada, diante da necessidade de muitos procedimentos específicos, acabando por expô-lo a manipulações necessárias, mas um tanto desgastantes para o mesmo. Objetivou-se avaliar as lesões de pele que acometem recém-nascidos internados em uma UTIN. Estudo prospectivo, quantitativo, exploratório descritivo, realizado no período de março a maio/2007, numa instituição pública em Fortaleza-CE. Constituíram o universo e a amostra 137 recém-nascidos, que estiveram internados nas UTIN, os quais todos foram autorizados à participação nesta pesquisa pelos pais. Destes, 36 apresentaram lesões de pele. Na coleta de dados, utilizou-se um instrumento que permitiu o registro das lesões através da observação direta dos recém-nascidos durante a higiene corporal, trocas: de fralda, de sonda, de venda ocular; retiradas: de membrana semipermeável, bandagem adesiva elástica e/ou micropore, eletrodos, hidrocolóide que estavam fixados diretamente na pele destes, durante as punções, dentre outros procedimentos. Investigou-se 137 recém-nascidos, a maioria prematuro (80%), sexo masculino (63%), nascido de parto abdominal (61%), apgar de 7 a 10 no 1º minuto (40%), diagnosticados com prematuridade moderada (49%), baixo peso ao nascer (39%), adequado para a idade gestacional (74%), medindo entre 41 e 47cm (44%). Destes, 36 recém-nascidos (26%) apresentaram lesões de pele, totalizando 51 lesões. Foram identificadas: hematomas (46%), eritemas (18%), escoriações (12%), equimoses (10%), pústulas (6%), descamações (4%), mielomeningocele (2%) e gastrosquise (2%). Quando ocorreram as lesões, os recém-nascidos estavam em uso de hidratação venosa (84%), antibiótico (78%), ventilação mecânica (53%), fototerapia (33%), nutrição parenteral (27%), hemotransfusão (8%), oxihood (8%), cpap nasal (6%) e O2 circulante (4%); acomodados em incubadora aquecida (86%), incubadora de transporte (10%) e em berço de calor radiante (4%). Predominaram lesões nos membros (52%), no tronco (24%), na cabeça (16%) e em outros (8%). As associações realizadas foram: punção arterial (32%), extravasamento (14%), assadura (14%), punção venosa (8%), impetigo (4%), indeterminada (4%), má formação congênita (4%), retirada da membrana transparente (4%), retirada da bandagem adesiva (4%), ressecamento da pele (4%), infecção (2%), retirada da fita hipoalergênica (2%) e tocotraumatismo (2%). Quanto a área da lesão (40%) eram < 1cm2, no tamanho 68% eram lesões entre 1 e 2cm. A maioria tinha a forma geográfica (38%) e distribuição localizada (92%). Os recém-nascidos que desenvolveram lesões tinham diagnósticos de “prematuridade” (92%), “síndrome do desconforto respiratório” (43%), “asfixia” (24%), “recém-nascido a termo” (8%); “risco de infecção” (6%), “risco de hipoglicemia” (6%), “gastrosquise” (2%) e “mielomeningocele” (2%). A maioria nasceu com peso entre 550 - 999g, (47%), sendo o peso destes no dia em que ocorreu a lesão entre 455 - 999g, (47%). A maioria eram neonatos (84%) e as lesões (47%) surgidas antes do 7º dia de vida. Ao associar: tipos de lesões, diagnósticos, PN e IG dos RN’s, somente o diagnóstico “prematuridade” apresentou associação estatística significante: “p de Fisher-Freeman-Halton = 0,496”. Consagra-se na trajetória deste estudo o cuidado de enfermagem ao RN que, indiscutivelmente, deve ser holístico e diferenciado, considerando suas peculiaridades.
5

Notificação de incidentes e/ou eventos adversos em pediatria

Franzon, Joseila Cristina January 2016 (has links)
Dissertação (mestrado profissional) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Gestão do Cuidado em Enfermagem, Florianópolis, 2016. / Made available in DSpace on 2016-09-20T04:18:36Z (GMT). No. of bitstreams: 1 341248.pdf: 3807422 bytes, checksum: e201397ad54b0592f3d30b15c08e4db2 (MD5) Previous issue date: 2016 / O estudo trata da notificação de incidentes e/ou eventos adversos em saúde na pediatria como estratégia para segurança do paciente. Tem como objetivos: descrever o conhecimento e a conduta da equipe de enfermagem diante da ocorrência de incidentes e/ou eventos adversos em saúde na pediatria; construir um guia de orientações sobre o processo de notificação de incidentes e/ou eventos adversos em saúde na pediatria. Trata-se de estudo com metodologia de natureza descritiva com abordagem qualitativa, cujo cenário foi um hospital público pediátrico, situado na região Sul do Brasil. Como referencial teórico foram utilizados estudos dentro da temática da segurança do paciente. A coleta de dados foi realizada através de entrevista semiestruturada, no período de maio a julho de 2015, com 40 profissionais de enfermagem que exercem suas atividades laborais no referido serviço. As respostas foram analisadas por meio da análise temática, emergindo duas categorias: ?O saber e o fazer dos profissionais de enfermagem acerca dos incidentes e/ou eventos adversos em saúde? e ?o mito da punição?. Os resultados permitiram identificar que os profissionais possuem conhecimento sobre incidentes e/ou eventos adversos em saúde, embora seja incipiente. Quanto à conduta diante da ocorrência dos mesmos, os profissionais comunicam verbalmente o evento e realizam intervenções situacionais e momentâneas para retirar o paciente da situação que o atingiu. Ficou evidente que os profissionais consideram importante a notificação, mas não há aplicabilidade do processo em sua prática cotidiana. Aspectos como a ausência da cultura de segurança na instituição e de um protocolo sistematizado para notificação de incidentes e/ou eventos adversos se sobressaíram como causas desses problemas. O guia de orientações intitulado ?Guia de Orientações para Notificação de Incidentes e/ou Eventos Adversos em Saúde? foi construído de acordo com as etapas estabelecidas para resposta ao10primeiro objetivo. A primeira etapa tomou como base o conteúdo dos depoimentos e resultou na categoria: guia de orientações: subsídio para o processo de notificação. A análise dos dados evidenciou algumas lacunas no conhecimento dos profissionais, principalmente, em relação aos conceitos a respeito do tema e aos exemplos de incidentes e/ou eventos adversos em saúde. Entretanto, os profissionais participantes do estudo consideram importante a proposta do guia de orientações e ressaltaram sua contribuição no sentido de enriquecer ações voltadas para a segurança do paciente. O Guia traz informações sobre conceitos relevantes ao tema, tipos de ocorrências passíveis de notificação, fluxo da notificação e ficha de notificação, servindo como ferramenta para apoiar os profissionais frente a realização da notificação, contribuindo para a segurança do paciente pediátrico. Conforme observado, há lacunas em relação ao conhecimento e condutas relacionadas aos incidentes e/ou eventos adversos em saúde, de modo que se torna importante a implantação da cultura de segurança na instituição, assim como, o estabelecimento de um processo sistematizado para notificação das ocorrências. Essas atitudes servirão para contribuir com o avanço do conhecimento em relação às notificações de incidentes e/ou eventos adversos em saúde na pediatria, na medida em que propõe estratégias de intervenção para práticas assistenciais seguras e promove melhorias na gestão do risco hospitalar.<br> / Abstract : The study deals with the reporting of incidents and/or adverse events in pediatrics' health as a strategy for patient safety. It aims to: describe the knowledge and conduct of the nursing staff on the occurrence of incidents and/or adverse events in pediatrics' health; to build a guidance about the incidents reporting process and/or adverse events in pediatrics' health. It is a descriptive methodology study with a qualitative approach, whose scenario was a public pediatric hospital, located in southern Brazil. As theoretical, studies were used within the theme of patient safety. Data collection was conducted through semi-structured interviews in the period May to July 2015, with 40 nursing professionals, who work at that pediatric hospital. The responses were analyzed using thematic analysis, emerging two categories: "The knowing and doing of nursing professionals about incidents and/or adverse events in health" and "The myth of punishment". Results showed that professionals have knowledge of these incidents and/or adverse events, although incipient. As for conducts on the occurrence, professionals verbally communicate the event and perform situational and momentary interventions in order to remove the patient from the situation that has hit him. It was evident that professionals consider important to notice, but there is no applicability of the process in their daily practice. Aspects such as the lack of safety culture in the institution and a systematic protocol for reporting incidents and / or adverse events stood out as causes of these problems. The guidance entitled "Guidance for Notification of Incidents and/or Adverse Events in Health" was built according to the steps set out to answer the first goal. The first step was based on the content of the statements and resulted in the category: Guidance: subsidy for the notification process. Data analysis revealed some gaps in the knowledge of professionals, especially in relation to the concepts on the subject and to the examples of incidents and/or adverse health events. However, professionals who12were participants on this study consider important the proposal to build a Guidance and have also highlighted its contribution for the safety of the patient. The Guide provides information on relevant concepts to the topic, types of occurrences that might be notified, the notification's flow and notification's form, serving as a tool to support the professionals, but also contributing to the safety of pediatric patients. As noted, there are gaps in relation to knowledge and behavior related to incidents and/or adverse health events, so it becomes important to implement the institution's safety culture, as well as the establishment of a systematic process for notification of events. These actions will serve to contribute to the advancement of knowledge in relation to notifications of incidents and/or adverse health events in pediatrics, insofar proposes intervention strategies for safe care practices and promotes improvements in hospital risk management.
6

Adaptação transcultural e validação clínica do Difficult Intravenous Access Score - Diva Score - para uso no Brasil

Müller, Paula Christina de Souza January 2015 (has links)
Orientadora: Profª Drª Marcia Helena de Souza Freire / Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem. Defesa: Curitiba, 14/12/2015 / Inclui referências : f. 80-89 / Área de concentração: Prática profissional de enfermagem / Resumo: A Punção Intravenosa Periférica é considerada um dos procedimentos mais desgastante para crianças hospitalizadas, familiares e equipe de saúde. Para minimizar possíveis traumas, o uso de score de predição ao insucesso à primeira tentativa, no estabelecimento de PIP, já é uma realidade internacional. A tradução informal de instrumentos, desenvolvidos em nacionalidades diferentes compromete a qualidade dos resultados esperados com seu emprego. Portanto, procedeu-se a adaptação transcultural e validação clínica de instrumento aplicável à pediatria, o Difficult Intravenous Access score - DIVA score. Os seguintes passos foram implementados: 1. Tradução inicial; 2. Síntese das traduções; 3. Retro tradução; 4. Avaliação da documentação por comitê de juízes especialistas; 5. Pré-teste; 6. Apresentação da documentação aos juízes especialistas e autor do instrumento original. Com o emprego da metodologia proposta, obteve-se instrumento adaptado transculturalmente, que foi validado para uso confiável no Brasil, como recurso adjuvante à punção intravenosa de crianças. Os principais atributos que cercam a adaptação transcultural e validação de instrumento de saúde internacional, é sua aplicabilidade coerente, para que possam surtir efeitos positivos à nossa realidade. Destarte, tem-se um instrumento útil para diagnóstico do insucesso na primeira tentativa de punção e de risco de trauma vascular, que poderá, apontar pela adoção de recursos tecnológicos adjuvantes à venopunção, disponível para profissionais de saúde, sobretudo para a enfermagem, no território brasileiro. Descritores: Pesquisa Metodológica em Enfermagem; Estudos de Validação; Enfermagem Pediátrica; Hospitalização; Vasos Sanguíneos. / Abstract: The Peripheral Venipuncture is considered one of the most tiring processes for hospitalized children, family members and health team. In order to minimize possible traumas, the use of a failure prediction score to the first attempt, at establishing the Peripheral Venipuncture, is already an international reality. The informal translation of instruments, developed in different nationalities, compromises the quality of the expected results with its employment. Therefore, a transcultural adaptation and clinical validation of instrument applied to pediatrics, the Difficult Intravenous Access score – DIVA score. The following steps were implemented: 1. Initial translation; 2. Translations synthesis; 3. Back-translation; 4. Documentation evaluation by specialized judges committee. 5. Pretest. 6. Presentation of the documentation to the specialized judges and author of the original instrument. By employing the proposed methodology, it was obtained a transculturally-translated instrument that was validated for reliable use in Brazil as an adjuvant resource to the peripheral venipuncture of children. The main attribute that concerns the transcultural adaptation and the international health instrument validation is its consistent application so that they may result in positive effects to our reality. This way, we have an useful instrument for the diagnosis of failure on the first attempt of puncture and of vascular trauma risk, that may point to the adoption of adjuvant technological resources to the venipuncture, available to health professionals, above all to nursing, in Brazilian territory. Keywords: Nursing Methodology Research; Validation Studies; Pediatric Nursing; Hospitalization; Blood Vessels.
7

Ultrassonografia vascular na utilização de cateteres intravenosos periféricos em crianças: estudo clínico, randômico e controlado / Vascular ultrasound during the use of peripheral intravenous catheters in children: A clinical, randomized and controlled trial

Avelar, Ariane Ferreira Machado [UNIFESP] 24 June 2009 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2015-07-22T20:50:54Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2009-06-24 / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) / Introdução: As intervenções de enfermagem destinadas à implementação da terapia intravenosa (TIV) caracterizam-se como abrangentes e complexas, sendo necessária a produção de conhecimentos que contribuam com inovações capazes de melhorar os resultados obtidos nos cuidados prestados. Assim, pretendeu-se verificar se o uso da ultrassonografia vascular (USV) promoveria melhores resultados na utilização de cateteres intravenosos periféricos (CIP) em crianças. Objetivos: Comparar, independente do número de tentativas de punção venosa periférica (PVP), o índice de obtenção do acesso venoso periférico em crianças, segundo uso de USV ou método tradicional para inserção de CIP; verificar a assertividade na utilização de CIP, de acordo com uso de USV ou método tradicional de PVP, e descrever a influência do uso da USV sobre o tempo de permanência do cateter e a ocorrência de complicações locais da TIV relacionadas ao uso de CIP em crianças. Casuística e Método: Estudo clínico, randômico e controlado realizado em unidade de cirurgia pediátrica de um hospital universitário de São Paulo. A coleta dos dados ocorreu após aprovação do mérito ético da pesquisa. A amostra foi composta por 382 PVP distribuídas no grupo experimental (GE), no qual a PVP foi guiada pela USV, e no grupo controle (GC), em que foi utilizado o método tradicional de PVP. Procedeu-se investigação de variáveis de caracterização das crianças, da TIV e dos profissionais. Variáveis dependentes compreenderam obtenção do acesso venoso periférico, assertividade, tempo de permanência do cateter e ocorrência de complicações locais. Para a análise estatística foram aplicados os testes do Qui-quadrado, Exato de Fisher, Generalização do Teste Exato de Fisher, Mann-Whitney, Razão de Verossimilhança e Razão de Prevalência (nível de significância de 5%). Resultados: Do total de 382 PVP, 188 (49,2%) foram realizadas no GE e 194 (50,8%) no GC, em 335 crianças com idade entre 12 dias e 17 anos. As variáveis de caracterização apresentaram distribuição semelhante entre os grupos, com exceção da idade das crianças (p=0,028); condição da rede venosa periférica da mão esquerda (p=0,036), membro superior direito (p=0,007), membro superior esquerdo (p=0,018); dominância lateral (p=0,015) e reposicionamento do cateter (p=0,023). A obtenção do acesso venoso ocorreu em 161 (85,6%) punções do GE e em 178 (91,8%) do GC, com diferença marginalmente significante entre os grupos (p=0,059). Sucesso da punção na primeira tentativa foi observado em 102 (54,3%) PVP do GE e em 117 (60,3%) do GC (p=0,232). No GE, 108 (67,1%) cateteres foram retirados por alta do tratamento e no GC 120 (67,4%) (p=0,948). A mediana de tempo de permanência dos cateteres do GE foi de 22 horas e do GC de 23,4 horas (p=0,121). Complicações da TIV foram observadas em 46 (28,6%) crianças do GE e em 45 (25,3%) do GC (p=0,495). A infiltração apresentou distribuição diferente entre os grupos (p=0,025), com maior frequência no GE. Conclusões: A utilização da USV para inserção de CIP em crianças promoveu índice de obtenção do acesso venoso periférico, assertividade, tempo de permanência e ocorrência de complicações da TIV estatisticamente semelhantes aos obtidos com o método tradicional de PVP. / CNPq: 476295/2004-1 / TEDE / BV UNIFESP: Teses e dissertações
8

Assistência de enfermagem à criança com estomia no trato digestório / Nursing assistance to the child with stoma in the digestive system / Asistencia de enfermería al niño con estomia en el aparato digestivo

Silva, Daniela Monici da 30 September 2013 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, 2013. / Submitted by Elna Araújo (elna@bce.unb.br) on 2013-12-09T22:48:05Z No. of bitstreams: 1 2013_DanielaMoniciDaSilva.pdf: 806308 bytes, checksum: 3c0bfe94bf1e72870e993e4e6f323d0e (MD5) / Approved for entry into archive by Luanna Maia(luanna@bce.unb.br) on 2013-12-10T10:38:31Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2013_DanielaMoniciDaSilva.pdf: 806308 bytes, checksum: 3c0bfe94bf1e72870e993e4e6f323d0e (MD5) / Made available in DSpace on 2013-12-10T10:38:31Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2013_DanielaMoniciDaSilva.pdf: 806308 bytes, checksum: 3c0bfe94bf1e72870e993e4e6f323d0e (MD5) / Todas as crianças são esperadas pela família com muita ansiedade e é do desejo de todos que seja uma criança perfeita. Quando a família se depara com uma criança que apresenta malformação congênita, fica claro o estresse e o medo dos pais. A criança com malformação no trato gastrintestinal, na maioria das vezes, necessita de cirurgia imediata para a confecção de um estoma, aumentando ainda mais o estresse da família. Faz-se necessário, neste momento, uma equipe capacitada para lidar com esta situação, e, principalmente um enfermeiro capacitado para acolher, orientar e educar em saúde esta família. O principal objetivo do estudo foi caracterizar a assistência de enfermagem à criança com estomia no trato digestório. Trata-se de um estudo transversal, descritivo e exploratório de abordagem qualitativa. A pesquisa foi realizada em dois hospitais da Secretaria do Estado de Saúde do Distrito Federal, onde há a especialidade de cirurgia pediátrica, responsável por operar as crianças de 0 a 12 anos para a confecção de um estoma no trato digestório nos anos de 2011 e 2012. A coleta de dados foi realizada em prontuário e também por meio de entrevista semiestruturada realizada com pais e/ou responsáveis e enfermeiros, após a aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa da Secretaria do Estado de Saúde do Distrito Federal - FEPECS. A análise dos dados foi realizada utilizando a análise de conteúdo na modalidade temática de Bardin. Foram entrevistados 20 pais e/ou responsáveis e 10 enfermeiros. Após a análise dos dados coletados com os pais surgiram três categorias: conhecimento acerca de um estoma, cuidados com o estoma em casa e acompanhamento ambulatorial. Por meio dos dados coletados com os enfermeiros surgiram duas categorias: cuidados com a criança estomizada e Sistematização da Assistência de Enfermagem. Verificou-se, com esse estudo, que a maioria das crianças estomizadas no trato gastrintestinal no Distrito Federal é gastrostomizada principalmente por distúrbio de deglutição por neuropatia. A criança estomizada necessita de uma atenção diferenciada dos profissionais de saúde, principalmente do enfermeiro, que tem por papel a educação em saúde e a orientação para os cuidados a serem realizados em casa após a alta hospitalar. _____________________________________________________________________________ ABSTRACT / All children are expected by the family with great anxiety and everyone desires it to be a perfect child. When the family faces a child presenting a congenital malformation, stress and fear of the parents are clear. The child with malformation in the gastrointestinal system, most of the times, needs an immediate surgery in order to confect a stoma, raising even more the stress of the family. At this time, it is necessary to have an able team to handle with such situation, and mainly, a trained nurse to welcome, guide and educate this family about health. The main objective of the study was to characterize the nursing assistance to the child with stoma in the digestive system. It is regarding a transversal study, descriptive and exploratory of qualitative approach. The research was performed in two hospital of the Federal District Health State Secretary, where there is the pediatric surgery specialty, accountable for operating 0 to 12 years old children to the confection of a stoma in the digestive system during the years of 2011 and 2012. The data collection was performed in handbooks and through semi-structured interview conducted with parents and/or responsible and nurses, after the approval of the Federal District Health State Secretary Ethics Committee – FEPECS. The data analysis was performed through content analysis on the Bardin thematic modality. 20 parents and/or responsible and 10 nurses were interviewed. After the collected data analysis with the parents, three categories arose: knowledge regarding a stoma, care with stoma at home and ambulatory follow-up; and, through the collected data with the nurses two categories arose: care with the child with a stoma and Systematization of the Assistance of Nursing. It has been verified with this study that most of the children with stoma in the gastrointestinal system in the Federal District is gastrotomized, mainly for swallowing disturbance for neuropathy. The child with a stoma needs a distinguished attention from health professionals, mainly from the nurse, whose role is the health education and guidance towards the care to be performed at home after being discharged. _____________________________________________________________________________ RESUMEN / Todos los niños son esperados por la familia con mucha ansiedad y el deseo de todos es que sea un niño perfecto. Cuando la familia se depara con un niño que presenta malformación congénita, el estrés y el miedo de los padres se quedan claro. El niño con malformación en el aparato gastrointestinal, en la mayoría de las veces, necesita de cirugía inmediata para la confección de un estoma, aumentando aún más el estrés de la familia. Es necesario en ese momento un equipo entrenado para encargarse de la situación, y, principalmente un enfermero entrenado para acoger, orientar y educar en salud esa familia. El principal objetivo del estudio fue caracterizar la asistencia de enfermería al niño con estoma en el aparato digestivo. Es un estudio transversal, descriptivo y exploratorio de abordaje cualitativo. La investigación fue realizada en dos hospitales de la Secretaria del Estado de Salud del Districto Federal, donde hay la especialidad de cirugía pediátrica, responsable por operar los niños desde 0 hasta 12 años para la confección de un estoma en el aparato digestivo en los años de 2011 y 2012. La colecta de datos fue realizada en prontuario y también a través de entrevista semi-estructurada realizada con padres y/o responsables y enfermeros, después de la aprobación del Comité de Ética de la Secretaria del Estado de Salud del Districto Federal – FEPECS. La análisis de los datos fue realizada a través del contenido en la modalidad temática de Bardin. Fueron entrevistados 20 padres y/o responsables y 10 enfermeros. Después de la análisis de los datos colectados con los padres sugieran tres categorías: conocimiento acerca de un estoma, cuidados con el estoma en casa y acompañamiento ambulatorial; y; a través de los datos colectados con los enfermeros surgieron dos categorías: cuidados con el niño con estoma y Sistematización de la Asistencia de Enfermería. Se comprobó con ese estudio que la mayoría de los niños con estoma en el aparato gastrointestinal en el Districto Federal es gastrotomizada, principalmente por disturbio de deglución por neuropatía. El niño con estoma necesita de una atención diferenciada de los profesionales de la salud, principalmente del enfermero, que tiene por papel la educación en salud y la orientación para los cuidados que se realizarán en casa después del alta hospitalaria.
9

Audição musical como intervenção de enfermagem para alívio da ansiedade na criança em situação cirúrgica : ensaio clínico randomizado / Music listening as a nursing intervention to relieve anxiety in children undergoing surgery : a randomized controlled trial

Franzoi, Mariana André Honorato 31 August 2015 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, 2015. / Submitted by Guimaraes Jacqueline (jacqueline.guimaraes@bce.unb.br) on 2015-10-21T11:17:06Z No. of bitstreams: 1 2015_MarianaAndreHonoratoFranzoi.pdf: 74718909 bytes, checksum: 76b27c78b4957041841ad225c0b4e553 (MD5) / Approved for entry into archive by Patrícia Nunes da Silva(patricia@bce.unb.br) on 2015-12-21T12:17:35Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2015_MarianaAndreHonoratoFranzoi.pdf: 74718909 bytes, checksum: 76b27c78b4957041841ad225c0b4e553 (MD5) / Made available in DSpace on 2015-12-21T12:17:35Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2015_MarianaAndreHonoratoFranzoi.pdf: 74718909 bytes, checksum: 76b27c78b4957041841ad225c0b4e553 (MD5) / Introdução: A hospitalização em pediatria é um evento marcante na vida de crianças e de suas famílias e, geralmente, tende a ser um evento traumático e estressante, ainda mais se estiver associada à realização de procedimentos cirúrgicos. A ansiedade é uma das principais reações da criança relacionada à cirurgia. Dentre as estratégias de cuidado, a intervenção musical tem sido cada vez mais utilizada na assistência de enfermagem como terapia complementar para promover relaxamento, conforto emocional e espiritual, distração, alívio da dor e da ansiedade em pacientes hospitalizados. Objetivo: investigar o efeito da audição musical nos níveis de ansiedade pré-operatória de crianças submetidas a cirurgias eletivas em uma clínica cirúrgica pediátrica. Como objetivo secundário, foi analisado o estado emocional auto-referido pelos acompanhantes em relação ao processo cirúrgico da criança. Método: Tratou-se de um estudo piloto do tipo ensaio clínico controlado e randomizado realizado, no período de setembro de 2014 a abril de 2015, no Hospital Materno Infantil de Brasília, hospital público de referência para o atendimento de crianças acometidas por afecções cirúrgicas. Os participantes foram alocados aleatoriamente para o grupo experimental, submetido à audição de músicas por 15 minutos, ou grupo controle, que não ouviu música, apenas recebeu o cuidado padrão da clínica. As variáveis de desfechos avaliadas consistiram na frequência cardíaca, pressão arterial sistólica e diastólica, frequência respiratória, saturação de oxigênio e manifestação comportamental de ansiedade. Os sinais vitais foram mensurados a partir de aparelhos eletrônicos específicos e a ansiedade por meio da Escala de Ansiedade Pré-Operatória de Yale (EAPY-m), ambos mensurados na chegada da criança à clínica e 15 minutos após a primeira mensuração. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa e registrada na plataforma do Registro Brasileiro de Ensaios Clínicos. Resultados: 52 crianças, de 3 a 12 anos de idade, submetidas a cirurgias eletivas foram aleatoriamente alocadas para o grupo audição (n=26) e grupo controle (n=26). Em ambos os grupos, houve predomínio de crianças do sexo masculino, submetidas principalmente a cirurgias do trato geniturinário. Em relação ao nível de ansiedade pré-operatória, não houve diferença estatisticamente significativa entre os dois grupos, porém verificou-se que o grupo experimental apresentou redução estatisticamente significativa dos escores de ansiedade (p=0,0441), indicando que 15 minutos de audição foi um tempo efetivo para a intervenção musical. Verificou-se, ainda, uma diminuição estatisticamente significativa da frequência respiratória entre pré-escolares do grupo experimental em comparação aos do grupo controle na segunda mensuração (p=0,0453). A partir da entrevista realizada com os acompanhantes das crianças, constatou-se que a maioria referiu sentir medo, nervosismo, ansiedade e preocupação em relação ao processo cirúrgico, o que aponta para a necessidade de considerar a família no contexto do cuidado cirúrgico pediátrico, principalmente em relação a orientações sobre a anestesia. Conclusão: A audição musical por um tempo mínimo de 15 minutos apresenta-se como uma potencial e efetiva intervenção de enfermagem para o alívio da ansiedade pré-operatória em crianças em situação cirúrgica. ______________________________________________________________________________________________ ABSTRACT / Introduction: Pediatric hospitalization tends to be a traumatic and stressful event in children’s lives and their families, especially if it is associated with surgical procedures. Anxiety is one of the main child’s reactions related to the surgery. Among some care strategies, the musical intervention has been increasingly used in the nursing care as a complementary therapy to promote relaxation, emotional and spiritual comfort, distraction, pain and anxiety relief in hospitalized patients. Objective: To investigate the effect of music listening on the levels of preoperative anxiety in children undergoing elective surgery in a pediatric surgical inpatient unit. As a secondary objective, a parental self-report considering that their children were undergoing surgery procedures was obtained and analyzed with regard to their emotional profile. Method: It was a pilot randomized controlled trial, carried out from September 2014 to April 2015, at the Hospital Materno-Infantil in Brasilia, a public tertiary hospital and especialized in the care of children affected by surgical conditions. Participants were randomly allocated to one of two groups: the experimental group which was under music listening for 15 minutes or control group which did not listen to music, but only received the standard care provided at the surgical clinic. The main outcomes variables were: heart rate, systolic and diastolic blood pressure, respiratory rate, oxygen saturation and behavioral manifestations of anxiety. Vital signs were measured by means and anxiety level was obtained by the Preoperative Anxiety Scale Yale (YPAS-m), both measured at the child’s clinic arrival and 15 minutes after the first measure. The study was approved by the Research Ethics Committee and registered in the Brazilian Registry of Clinical Trials platform. Results: Out of 52 children undergoing elective surgery, at 3 years old up to 12 years old, were randomly allocated to the music listening group (n = 26) and control group (n = 26). Both groups have a predominance of male children and the type of genitourinary surgery. Regarding the level of preoperative anxiety, there was no statistically significant difference between the two groups, but it was found that the music listening group showed a statistically significant reduction in their anxiety scores (p = 0.0441), suggesting that 15 minutes of listening was an effective time to the music intervention. There was also a statistically significant decrease in respiratory rate among preschool children in the experimental group compared to the control group, specifically in the second measure (p = 0.0453). Taking into account the parental interviews, it was found that the vast majority of them reported feeling of fear, anxiety and concern about the surgical procedure which have highlighted to the importance to include the family in the context of pediatric surgical care, mainly in relation to the information about anesthesia. Conclusion: Music listening for 15 minutes minimally has showed to be a potentially effective nursing intervention for the preoperative anxiety relief in children undergoing surgical procedures.
10

Representações Sociais acerca da sistematização da assistência de enfermeiros que cuidam de crianças / Social Representations about the systematization of care of nurses caring for children / Representaciones Sociales acerca de la sistematización de la asistencia de enfermeros que cuidan a los niños

Oliveira, Carolina Sampaio de 12 May 2017 (has links)
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Departamento de Enfermagem, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, 2017. / Submitted by Raiane Silva (raianesilva@bce.unb.br) on 2017-07-14T16:05:09Z No. of bitstreams: 1 2017_CarolinaSampaiodeOliveira.pdf: 1793058 bytes, checksum: 6b248dfdb6211e28685a0df74ea34c0b (MD5) / Approved for entry into archive by Raquel Viana (raquelviana@bce.unb.br) on 2017-08-28T15:42:19Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2017_CarolinaSampaiodeOliveira.pdf: 1793058 bytes, checksum: 6b248dfdb6211e28685a0df74ea34c0b (MD5) / Made available in DSpace on 2017-08-28T15:42:19Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2017_CarolinaSampaiodeOliveira.pdf: 1793058 bytes, checksum: 6b248dfdb6211e28685a0df74ea34c0b (MD5) Previous issue date: 2017-08-28 / Este estudo teve como objetivo conhecer as Representações Sociais de enfermeiros que cuidam de crianças hospitalizadas sobre a sistematização da assistência de enfermagem, em dois hospitais escola da região oeste de Mato Grosso. Trata-se de um estudo qualitativo, descritivo e exploratório com base na Teoria das Representações Sociais de Serge Moscovici, realizado com 45 enfermeiros, que atuavam na assistência à criança hospitalizada. Na coleta dos dados foram utilizados dois instrumentos: o primeiro foi constituído por duas partes: um questionário que possibilitou a caracterização dos sujeitos e um questionário semiestruturado que viabilizou a entrevista. No segundo utilizou-se a técnica de associação livre de palavras (TALP). Para análise dos dados realizou-se a caracterização dos sujeitos utilizando o software Excel 2007, onde foi possível constatar que os participantes eram adultos jovens, predominantemente do sexo feminino e com mão- de- obra qualificada. Na segunda etapa o produto proveniente da técnica de associação livre de palavras foi analisado pelo software EVOC, que organizou as evocações e apontou o provável núcleo central da representação social, a partir de dois estímulos Sistematização da Assistência de Enfermagem e Atuação do Enfermeiro na SAE. Pode-se apreender que, frente à primeira expressão indutora os sujeitos evocaram mais prontamente as palavras: cuidado, enfermagem e organização, que refletem a dimensão das ações de enfermagem no atendimento à criança, sendo o próprio cuidado o provável núcleo central que estrutura a representação e remete a verdadeira competência do enfermeiro. Para expressão indutora “Atuação do Enfermeiro na Sistematização da Assistência de Enfermagem”, as palavras: conhecimento, humanização e importante constituíram o provável núcleo central refletindo o entendimento do grupo sobre as funções desenvolvidas pelo enfermeiro ao sistematizar o cuidado. Na terceira etapa os conteúdos verbais provenientes das entrevistas foram analisados utilizando o software Alceste. Da análise emergiram dois eixos que organizaram o conteúdo das representações sociais dos participantes do estudo. O primeiro eixo foi composto por uma classe e fez referência a dimensão teórica sobre a SAE. O segundo eixo foi organizado por quatro classe e faz menção a dimensão prática da SAE. Aprendeu-se que as representações teóricas não parecem suficientes para ancorar a prática assistencial, apontando a existência de importante discrepâncias entre as representações dessas duas dimensões. Essas representações não contribuem para o estabelecimento de uma realidade capaz de valorizar o cuidado de enfermagem, pois, não são capazes de conferir autonomia profissional, qualificar o cuidado e implementar mudanças de paradigmas requeridos na modernidade pela pediatria. / This study aimed to know the Social Representations of nurses who care for hospitalized children about the systematization of nursing care in two school hospitals in the western region of Mato Grosso. This is a qualitative, descriptive and exploratory study based on Serge Moscovici's Theory of Social Representations, carried out with 45 nurses, who worked in the care of hospitalized children. Two instruments were used in the data collection: the first one consisted of two parts: a questionnaire that enabled the characterization of the subjects and a semi-structured questionnaire that enabled the interview. In the second, the technique of free association of words (TALP) was used. Data analysis was performed to characterize the subjects using the software Excel 2007, where it was possible to verify that the participants were young adults, predominantly female and with skilled labor. In the second stage, the product from the free word association technique was analyzed by the EVOC software, which organized the evocations and pointed out the probable central nucleus of the social representation, from two stimuli Systematization of Nursing Assistance and Nursing Work at SAE. It can be understood that, in the face of the first inductive expression, the subjects more readily evoked the words care, nursing and organization, which reflect the dimension of nursing actions in the care of the child, being care itself the probable central nucleus that structures the representation And refers to the true competence of the nurse. For the inductive expression "Nursing Work in Nursing Care Systematization", the words: knowledge, humanization and important constituted the probable central nucleus reflecting the group's understanding of the functions developed by the nurse in systematizing care. In the third stage the verbal contents from the interviews were analyzed using Alceste software. From the analysis emerged two axes that organized the content of the social representations of the study participants. The first axis was composed of a class and referred to the theoretical dimension on SAE. The second axis was organized by four classes and mentions the practical dimension of SAE. It was learned that the theoretical representations do not seem sufficient to anchor the care practice, pointing out the existence of important discrepancies between the representations of these two dimensions. These representations do not contribute to the establishment of a reality capable of valuing nursing care, since they are not capable of conferring professional autonomy, qualifying care and implementing paradigm changes required in modernity by pediatrics. / Este estudio tuvo como objetivo conocer las Representaciones Sociales de enfermeros que cuidan de niños hospitalizados sobre la sistematización de la asistencia de enfermería, en dos hospitales escolares de la región oeste de Mato Grosso. Se trata de un estudio cualitativo, descriptivo y exploratorio basado en la Teoría de las Representaciones Sociales de Serge Moscovici, realizado con 45 enfermeros, que actuaban en la asistencia al niño hospitalizado. En la recolección de los datos se utilizaron dos instrumentos: el primero fue constituido por dos partes: un cuestionario que posibilitó la caracterización de los sujetos y un cuestionario semiestructurado que viabilizó la entrevista. En el segundo se utilizó la técnica de asociación libre de palabras (TALP). Para el análisis de los datos se realizó la caracterización de los sujetos utilizando el software Excel 2007, donde fue posible constatar que los participantes eran adultos jóvenes, predominantemente del sexo femenino y con mano de obra calificada. En la segunda etapa el producto proveniente de la técnica de asociación libre de palabras fue analizado por el software EVOC, que organizó las evocaciones y apuntó el probable núcleo central de la representación social, a partir de dos estímulos Sistematización de la Asistencia de Enfermería y Actuación del Enfermero en la SAE. Se puede aprehender que frente a la primera expresión inductora los sujetos evocaron más prontamente las palabras: cuidado, enfermería y organización, que reflejan la dimensión de las acciones de enfermería en la atención al niño, siendo el propio cuidado el probable núcleo central que estructura la representación Y remite la verdadera competencia del enfermero. Para expresión inductora "Actuación del enfermero en la sistematización de la asistencia de enfermería", las palabras: conocimiento, humanización e importante constituyeron el probable núcleo central reflejando el entendimiento del grupo sobre las funciones desarrolladas por el enfermero al sistematizar el cuidado. En la tercera etapa los contenidos verbales provenientes de las entrevistas fueron analizados utilizando el software Alceste. En el análisis surgieron dos ejes que organizaron el contenido de las representaciones sociales de los participantes del estudio. El primer eje fue compuesto por una clase e hizo referencia a la dimensión teórica sobre la SAE. El segundo eje fue organizado por cuatro clases y hace mención la dimensión práctica de la SAE. Se ha aprendido que las representaciones teóricas no parecen suficientes para anclar la práctica asistencial, señalando la existencia de importantes discrepancias entre las representaciones de esas dos dimensiones. Estas representaciones no contribuyen al establecimiento de una realidad capaz de valorar el cuidado de enfermería, pues no son capaces de conferir autonomía profesional, calificar el cuidado e implementar cambios de paradigmas requeridos en la modernidad por la pediatría.

Page generated in 0.1009 seconds