• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 8
  • 3
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 17
  • 12
  • 5
  • 4
  • 3
  • 3
  • 3
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
11

The chronic effect of no. 2 fuel oil on the population dynamics of Harpacticoid copepods in experimental marine mesocosms /

Stacey, Bruce M. January 1985 (has links)
No description available.
12

Molecular ecology of mate recognition in the harpacticoid copepod Tigriopus : antibody production, protein purification, and fitness consequences

Ting, Joy Holtvluwer 05 1900 (has links)
No description available.
13

Biodiversidad de copépodos harpacticoideos bentónicos en un área del estuario de Bahía Blanca

Sciberras, Michel 02 July 2018 (has links)
Este es el primer trabajo sobre copépodos meiobentónicos marinos realizado en el estuario de Bahía Blanca, y es el único trabajo sobre este grupo zoológico realizado en la Argentina desde 1982. El material examinado provino en su totalidad de la localidad de Arroyo Pareja, que se encuentra en la costa norte del estuario de Bahía Blanca. Esta playa se ubica a 38° 54’ 48,26” de latitud Sur y 62° 4’ 25,55” longitud Oeste, en la parte más externa de la porción media del estuario. El sustrato es limoso-arcilloso con valores promedio de 87 % de lodo y 13 % de arena. Se realizaron doce campañas entre el 9 de abril de 2014 y el 19 de marzo de 2015, tomando cinco muestras de sedimento cada vez, a partir de las cuales se registró el número de ejemplares adultos del orden Harpacticoida. Paralelamente, en cada campaña, se midieron tres variables físico-químicas con un multisensor HORIBA U10: temperatura, pH y salinidad. El análisis morfológico arrojó como resultado la identificación de 13 morfotipos pertenecientes al orden Harpacticoida. De ellos, se describieron tres especies nuevas para la ciencia durante el curso de esta investigación: Halectinosoma parejae Sciberras, Huys, Bulnes & Cazzaniga, 2017 (Ectinosomatidae), Ilyophilus sp. nov. (Nannopodidae; aún inédita) y Quinquelaophonte aestuarii Sciberras, Bulnes & Cazzaniga, 2014 (Laophontidae). Halectinosoma parejae fue numéricamente dominante en la mayoría de los muestreos y por este motivo, su identificación fue prioritaria. Pertenece a un género con numerosas especies nominales, muchas de ellas insuficientemente descritas, otras que son especies dudosas y muchas asignadas erróneamente. Se elaboró una clave dicotómica de las especies del género Halectinosoma con una fórmula setal diferente a la condición plesiomórfica. Por otro lado, la consulta de toda la bibliografía mundial sobre este género y el examen de material tipo permitieron elaborar una clave actualizada de los géneros de la familia Ectinosomatidae y también aclarar la posición taxonómica de varias especies problemáticas como Pseudobradya lanceta, Halectinosoma spinicauda, H. pterinum, H. paraspinicauda, H. littorale, H. arenicola y H. smirnovi. Halectinosoma parejae, Ilyophilus sp. nov. y Quinquelaophonte aestuarii, junto con otras dos especies de la familia Miraciidae aún no determinadas completamente, dominan la taxocenosis en términos de abundancia, constituyendo el 94 % del total de ejemplares recolectados. Está en desarrollo el estudio taxonómico de las dos morfoespecies de Miraciidae —una de ellas del género nominal polifilético Delavalia Brady, 1868—, así como de las ocho entidades numéricamente minoritarias. La densidad de los harpacticoideos intersticiales estudiados en esta tesis estuvo en el orden de magnitud usual para los barros de marismas. Se cumplió el patrón usual de inequitatividad, en el que una especie, en este caso Halectinosoma parejae, es la dominante principal y con unas pocas especies subdominantes se completa más del 90 % de los individuos de la taxocenosis. Se corroboró el patrón temporal de los harpacticoideos de mayor abundancia en los meses cálidos, aunque también se registró un pico menor de abundancia en invierno. Halectinosoma parejae incluyó hembras ovígeras en todas las fechas de muestreo en las que estuvo presente. Delavalia sp. e Ilyophilus sp. nov. también tuvieron períodos prolongados de reproducción, pero con una proporción de ovígeras mucho más alta en verano, mientras que la especie aún no identificada de Miraciidae parece concentrar su reproducción en invierno. / This is the first contribution on meiobenthic marine copepods of Bahía Blanca estuary, and this is the only work on this group since 1982. The material was collected from Arroyo Pareja, a locality located on the north shore of the Bahía Blanca estuary. This beach is located at 38°54´48.26´´ and 62°4´25.55´´, in the most external part of the middle portion of the estuary. The substrate is silty-clayey with average values of 87 % mud and 13 % sand. Twelve campaigns were carried out between April 9, 2014 and March 19, 2015, and five samples were taken of sediment each time. The number of harpacticoid adults was recorded. At the same time, three physical-chemical variables were measured with a HORIBA U10 multisensor: temperature, pH and salinity. From the morphological analysis, 13 morphotypes belonging to Harpacticoida were found, of which three new species were described: Halectinosoma parejae Sciberras, Huys, Bulnes & Cazzaniga, 2017 (Ectinosomatidae), Ilyophilus sp. nov. (Nannopodidae; aún inédita) and Quinquelaophonte aestuarii Sciberras, Bulnes & Cazzaniga, 2014 (Laophontidae). Halectinosoma parejae was numerically dominant in most samples, so its identification was a priority. It belongs to a genus with several nominal species, many of them insufficiently described, others are dubious species and many of them were wrongly assigned. A key to the species of Halectinosoma displaying a setal formula other than the common plesiomorphic condition is provided. The revision of the world bibliography and examination of type material allowed to elaborate an updated key to all genera in family Ectinosomatidae and to clarify the taxonomic position of several problematic species such as Pseudobradya lanceta, Halectinosoma spinicauda, H. pterinum, H. paraspinicauda, H. littorale, H. arenicola and H. smirnovi. Halectinosoma parejae, Ilyophilus sp. nov. and Quinquelaophonte aestuarii, together with two other species of the family Miraciidae not yet fully determined, dominate the taxocenosis in terms of abundance, constituting 94% of the total collected specimens. The taxonomic study of the two morphospecies of Miraciidae —one of them belonging to the polyphyletic genus Delavalia Brady, 1868— is under development, as well as the study of the eight numerically minority entities. Density of the interstitial harpacticoids studied in this work was in the usual order of magnitude for marsh muds. Results matched the usual pattern of inequality, in which one species, here Halectinosoma parejae, is dominant and more than 90 % of the taxocenosis is arisen with a few subdominant species. A temporal pattern of higher abundance in warm months was corroborated, although a lower peak of abundance was recorded in winter. Halectinosoma parejae presented ovigerous females on every sampling date in which it was present. Delavalia sp. and Ilyophilus sp. nov. also have long breeding periods thought with a much higher proportion of ovigerous females in summer, while the unidentified species of Miraciidae seemed to limit its reproduction to winter.
14

Patterns of Genome Size in the Copepoda

Wyngaard, G. A., Rasch, E. M. 01 January 2000 (has links)
Adult somatic nuclear DNA contents are reported for eleven cyclopoid species (Megacyclops latipes, Mesocyclops edax, M. longisetus, M. ruttneri, M. leuckarti, M. woutersi, Macrocyclops albidus, Cyclops strenuus, Acanthocyclops robustus, Diothona oculata, Thermocyclops crassus) and for the harpacticoid Tigriopus californicus and range from 0.50 to 4.1 pg DNA per nucleus. These diploid genome sizes are consistent with previously published values for four Cyclops species (0.28-1.8 pg DNA per nucleus), but are strikingly smaller than those reported for marine calanoids (4.32-24.92 pg DNA per nucleus). We discuss three explanations, none of them exclusive of another, to account for the smaller size and range of cyclopoid genome sizes relative to calanoid genome sizes: (1) higher prevalence of chromatin diminution in the Cyclopoida, (2) phylogenetic structure or older age of the Calanoida relative to Cyclopoida and (3) nucleotypic selection that may influence life history variation and fitness. Measurements of genome size were made on Feulgen stained, somatic cell nuclei, using scanning microdensitometry which is well suited to the sparse and heterogeneous populations of copepod nuclei. The importance of measuring large numbers of nuclei per specimen, possible sources of variation associated with cytophotometric measurements, and appropriate use of internal reference standards and stoichiometry of the Feulgen stained nuclei are discussed.
15

Cultivo em Massa do Copépodo Bentônico Tisbe biminiensis (Harpacticoida) e Sua Utilização na Larvicultura do Camarão Macrobrachium rosenbergii (Palaemonidae).

Christine Bezerra Ribeiro, Aurelyanna January 2005 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T15:05:32Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo1797_1.pdf: 494985 bytes, checksum: 49085c55ca04e2212bd3d03cd5d25893 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2005 / Este trabalho teve como objetivos desenvolver técnicas de cultivo em massa do copépodo Tisbe biminiensis em volumes de 5 litros e avaliar o seu desempenho como substituto da Artemia na larvicultura do camarão Macrobrachium rosenbergii. O cultivo do copépodo foi realizado em caixas plásticas (32 x 47 x 14,5 cm) munidas de aeração, com 5 litros de água do mar filtrada, sob temperatura ambiente e salinidade de 35°/oo. O alimento fornecido diariamente foi ração para peixes de aquário e a cada dois dias, nas trocas de água, 500ml das diatomáceas Phaeodactylum tricornutum ou Thalassiosira fluviatilis. Em todos os experimentos o número de copépodos foi estimado por subamostragem. O teste de desempenho do copépodo na larvicultura do M. rosenbergii foi realizado com quatro réplicas para cada um dos cinco tratamentos: 0, 25, 50, 75 e 100% de introdução de copépodo. Os resultados obtidos demonstraram que a coleta semanal de prole e a presença de sedimento arenoso não afetaram o crescimento dos copépodos. Os testes de sustentabilidade dos cultivos demonstraram que T. biminiensis cresceu bem em laboratório mantendo altas densidades por períodos de até 130 dias. O sistema de cultivo produziu uma média de 28.000indivíduos/l/dia A população de copépodos se recuperou 4 dias após a retirada da prole. A substituição da Artemia pelo T. biminiensis não foi favorável a M. rosenbergii, porém as altas mortalidades observadas no controle indicam algum tipo de problema no sistema de cultivo que pode ter influenciado os resultados
16

Ecologia e taxonomia da associação de Copepoda Harpacticoida no talude da Bacia de Campos , RJ, Brasil

Pereira Wandeness, Adriane 31 January 2009 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T22:57:29Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo1412_1.pdf: 6537585 bytes, checksum: 2cac5088c7c91e2dd804758a99640811 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2009 / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico / A taxonomia e a ecologia dos Copepoda Harpacticoida dos sedimentos do talude da Bacia de Campos são aqui apresentadas (capitulo 1), assim como a descrição de três espécies novas de Echinopsyllus (capitulo 2) e uma discussão acerca da distribuição geográfica e batimétrica da família Ancorabolidae (capitulo 3). Um total de 44 estações foi amostrado ao longo de nove transectos, considerando-se cinco profundidades (750 m, 1050 m, 1350 m, 1650 m e 1950 m) nas áreas Norte e Sul da Bacia de Campos e em dois estratos sedimentares (0-2 e 2-5cm). Para analisar a composição taxonômica e os aspectos ecológicos dos dados, foram construídos gráficos e organizadas tabelas. O índice de diversidade utilizado foi o de Shannon-Wiener e a equitabilidade calculada pelo índice de Pielou (J ). A análise de variância, por postos, de Kruskal-Wallis, foi aplicada aos valores do número total de indivíduos de Copepoda Harpacticoida, por amostra, a fim de testar diferenças entre os estratos trabalhados. Para a determinação de padrões ecológicos da comunidade, aplicou-se o índice de similaridade de Bray-Curtis e foi realizada uma análise de ordenação não-métrica multidimensional, considerando diferentes fatores: campanhas, áreas, profundidades e estratos. A significância da formação dos grupos de amostras foi testada pela análise ANOSIM. Para uma avaliação das relações entre a estrutura da comunidade de Harpacticoida e as variáveis ambientais, foi realizada a análise BIOENV. Foram identificados 1449 exemplares de Copepoda Harpacticoida. A composição desta fauna, na Bacia de Campos, mostrou-se semelhante à de outras áreas, especialmente, a da Bacia de Angola; porém, um alto valor percentual de táxons novos foi encontrado na Bacia de Campos (10 gêneros e 78 espécies novas). Os valores de densidade foram inferiores, de um modo geral, aos de outros estudos de mar profundo. A diversidade apresentou, em geral, valores altos ao longo das diferentes estações e áreas estudadas, além de uma tendência à redução com o aumento da profundidade. O estrato mais superficial apresentou, significativamente, os maiores valores de densidade e diversidade, o que confirma os relatos já existentes na literatura, Utilizando diferentes níveis de resolução taxonômica, os padrões observados para a comunidade mostraram uma resposta semelhante, no entanto, o uso de categorias taxonômicas mais elevadas leva a uma grande perda do conhecimento da biodiversidade marinha. A descoberta de novas espécies de Echinopsyllus estendeu o limite de distribuição desse gênero para o hemisfério sul e é uma evidência adicional de uma ampla distribuição dos gêneros de Ancorabolidae, anteriormente não esperada, nos oceanos mundiais. A posição filogené tica de Echinopsyllus dentro de Ancorabolinae é discutida. As observações dos registros de latitudes, profundidades e faixas de temperatura dos ancorabolídeos evidenc iaram uma clara tendência de distribuição: das altas latitudes existem registros em profundidades baixas e altas, enquanto nas baixas latitudes, os registros provém, unicamente, de altas profundidades. Esse padrão nos leva a hipotetizar que os limites de distribuição latitudinal e batimétrica das espécies de Ancorabolidae podem ser controlados/restritos pela temperatura. A posição filogené tica basal da subfamilia Laophontodinae sugere que Ancorabolidae foi, originalmente, uma família de áreas rasas e plataformas continentais frias de águas subantarticas que irradiaram para o mar profundo
17

Utilização da meiofauna bentônica nomonitoramento do cultivo do camarão Litopenaeus vannamei

Porchat de Assis Murolo, Priscila January 2005 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T15:05:49Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo1818_1.pdf: 582542 bytes, checksum: d21a405953d1cbc4272190565b3ef449 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2005 / Uma das maiores ameaças ao ecossistema estuarino tem sido o rápido aumento na aqüicultura costeira, e em particular a criação de camarões. O efluente da carcinicultura pode ser a principal fonte de poluição nos estuários. Considerando a sensibilidade da meiofauna à entrada de material antrópico e o grupo Copepoda Harpacticoida como o mais sensível à poluentes, este trabalho teve como objetivo, avaliar a influência da carcinicultura no estuário do rio Botafogo (Itapissuma-PE) utilizando a meiofauna e o grupo Copepoda Harpacticoida como bioindicadores. As amostragens ocorreram em baixa-mar, em três estações no médiolitoral dos estuários dos rios Botafogo e Siri, nos meses de fevereiro, abril, agosto e outubro de 2003. Foram analisados além da meiofauna, parâmetros físico-químicos da água e também sedimentológicos. A meiofauna esteve composta por 10 grupos taxonômicos sendo Nematoda e Copepoda os mais abundantes. A densidade total variou de 11.429 ind.10cm-2 a 1.339 ind.10cm-2 e foi consideravelmente mais alta no rio Botafogo. Com relação à Copepoda Harpacticoida, ocorreram 9 espécies, sendo Robertsonia mourei a mais abundante nos estuários. A densidade total de Copepoda variou de 14,92 ind.10cm-2 à 746,26 ind.10cm-2 não havendo grande diferença entre os estuários. O BIOENV discriminou as concentrações de clorofila-a e feopigmentos (rs=0,363) no rio Botafogo e salinidade no rio Siri (rs=0,568), como melhores descritores da comunidade de meiofauna e as concentrações de feopigmentos e de nitrogênio (rs=0,603) no rio Botafogo e a concentração de feopigmentos (rs=0,224) no rio Siri, como descritores do grupo Copepoda. Segundo ANOSIM two way , houve diferenças significativas (p<0,05) entre os rios, meses e estações tanto na análise com os grandes grupos da meiofauna como com Copepoda Harpacticoida. Parâmetros da água e do sedimento evidenciaram o estado de eutrofização do rio Botafogo sugerindo que a aqüicultura vêm afetando este estuário negativamente, e a meiofauna parece responder a eutrofização confirmando ser útil nos estudos de biomonitoramento

Page generated in 0.0518 seconds