• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 12
  • Tagged with
  • 12
  • 12
  • 4
  • 4
  • 4
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Interação microfitobentos X copepoda harpacticoida em área estuarina do canal de Santa Cruz - Recife

Lopes Trindade, Renata January 2007 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T23:02:49Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo8269_1.pdf: 698382 bytes, checksum: 4926e77ff1d70c1c55c59f5380ae6582 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2007 / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico / Os Harpacticoida participam de processos importantes do bentos porém suas interações específicas com os produtores primários ainda são pouco conhecidas. Este trabalho verificou a seletividade dos Harpacticoida sobre as microalgas e se a distribuição em microescala dos mesmos é influenciada pela distribuição dessas microalgas. Em laboratório realizou-se um experimento, onde as microalgas e quatro espécies de Harpacticoida (Cletocamptus deitersi; Mesochra sp.; Robertsonia mourei; Metis holothuriae) foram isoladas e cultivadas a partir de amostras de sedimento e de água coletadas em 10/08/2006, durante baixa-mar, no mediolitoral do Canal de Santa Cruz. O tempo de pastagem dos Harpacticoida sobre as microalgas foi de 24hs. No mesmo dia e local, foram coletadas amostras de sedimento, com 25 seringas contíguas (1,3cm2), em um centímetro de profundidade para verificar a relação microespacial in situ. A caracterização da área deu-se pelas variáveis: clorofilaa; feopigmentos; percentual de silte/argila; conteúdo de matéria orgânica e salinidade. Em laboratório, diferenças significativas (Mann-Whitney, p=0,0104) foram observadas para as densidades das microalgas Diploneis bombus e Navicula longa na presença de Mesochra sp. e no controle final. Na presença de R. mourei observou-se diferenças significativas (M-W, p=0,0104), comparando com o controle final, para Navicula sp., Tryblionella coarctata e Tryblionella punctata. Diferenças significativas (M-W, p=0,0104), para Cymbella sp.1, Cymbella sp.2 e Gomphonema sp., foram observadas na presença de C. deitersi e no controle final. M. holothuriae não determinou diferenças significativas para nenhuma espécie de microalga. Mesochra sp., R. mourei, C. deitersi, mostraram seletividade para as microalgas e o tamanho das mesmas parece influenciar esta seleção, assim como outros fatores podem explicar porque algumas microalgas não são ingeridas. Quanto a microdistribuição espacial, tanto o grupo Harpacticoida (rs=0,542; p=0,005) como C. deitersi (rs=0,0572; p=0,003) se correlacionaram significativamente com Gomphonema sp. Apesar dos Harpacticoida selecionarem microalgas, as correlações não demonstram de forma inequívoca a influência espacial desta seletividade. A abundância do alimento, a distribuição vertical no sedimento das microalgas e dos Harpacticoida, a predação de níveis tróficos superiores, entre outros fatores, podem fazer com que simples correlações não determinem claramente a influência das microalgas na distribuição microespacial dos Harpacticoida
2

Modelo ecotrófico do baixo Rio Tapajós : análise da teia trófica e dos impactos associados à pesca e desmatamento

Capitani, Leonardo January 2017 (has links)
rio Tapajós é o quinto maior afluente do rio Amazonas e apresenta uma das faunas de peixes mais diversas do mundo. Esses peixes realizam funções ao longo de toda a bacia hidrográfica da Amazônia, como a dispersão de sementes, a ciclagem de nutrientes e o transporte de biomassa entre rios pobres e ricos em nutrientes. Porém, a pesca e o desmatamento podem afetar esses serviços ecossistêmicos. Para o baixo rio Tapajós ainda não se conhece os efeitos da pesca e do desmatamento nas dinâmicas populacionais das principais espécies de peixes consumidos pelas populações ribeirinhas. Definir e quantificar a estrutura da teia trófica do baixo rio Tapajós é fundamental para a compreensão da sua capacidade produtiva, e da transferência de energia para sustentar os níveis tróficos superiores. O presente estudo teve como principais objetivos analisar a estrutura da teia trófica do baixo Rio Tapajós, e avaliar a dinâmica populacional de algumas espécies de peixes simulando o incremento da pesca e do desmatamento. Para modelar a teia trófica foi utilizado o programa Ecopath com dados de desembarques pesqueiros e analise de conteúdo estomacal de peixes. Os resultados mostraram que a transferência de energia na teia trófica do Rio Tapajós se dá igualmente entre as cadeias de herbivoría e detritivoría. As espécies-chave são piscívoras- insetívoras: Acaronia nassa, Cichla spp., Pellona castelnaeana e também predadores de topo, como os botos (Inia geoffrensis, Sotalia fluviatilis). As simulações para os próximos 30 anos indicaram que: o desmatamento é o maior fator de estresse para a teia trófica, reduzindo entre 10% e 100% a biomassa dos principais grupos biológicos; o aumento da pesca incidiu negativamente na dinâmica populacional de quelônios, pirarucu, dourada e pescada levando uma diminuição de biomassa entre 40% e 100%. Os resultados deste estudo quantificam com maior precisão a função da pesca e desmatamento na dinâmica populacional dos principais peixes de importância alimentar e comercial das populações ribeirinhas do baixo Rio Tapajós, sendo relevantes para iniciativas de manejo desse ecossistema.
3

Modelo ecotrófico do baixo Rio Tapajós : análise da teia trófica e dos impactos associados à pesca e desmatamento

Capitani, Leonardo January 2017 (has links)
rio Tapajós é o quinto maior afluente do rio Amazonas e apresenta uma das faunas de peixes mais diversas do mundo. Esses peixes realizam funções ao longo de toda a bacia hidrográfica da Amazônia, como a dispersão de sementes, a ciclagem de nutrientes e o transporte de biomassa entre rios pobres e ricos em nutrientes. Porém, a pesca e o desmatamento podem afetar esses serviços ecossistêmicos. Para o baixo rio Tapajós ainda não se conhece os efeitos da pesca e do desmatamento nas dinâmicas populacionais das principais espécies de peixes consumidos pelas populações ribeirinhas. Definir e quantificar a estrutura da teia trófica do baixo rio Tapajós é fundamental para a compreensão da sua capacidade produtiva, e da transferência de energia para sustentar os níveis tróficos superiores. O presente estudo teve como principais objetivos analisar a estrutura da teia trófica do baixo Rio Tapajós, e avaliar a dinâmica populacional de algumas espécies de peixes simulando o incremento da pesca e do desmatamento. Para modelar a teia trófica foi utilizado o programa Ecopath com dados de desembarques pesqueiros e analise de conteúdo estomacal de peixes. Os resultados mostraram que a transferência de energia na teia trófica do Rio Tapajós se dá igualmente entre as cadeias de herbivoría e detritivoría. As espécies-chave são piscívoras- insetívoras: Acaronia nassa, Cichla spp., Pellona castelnaeana e também predadores de topo, como os botos (Inia geoffrensis, Sotalia fluviatilis). As simulações para os próximos 30 anos indicaram que: o desmatamento é o maior fator de estresse para a teia trófica, reduzindo entre 10% e 100% a biomassa dos principais grupos biológicos; o aumento da pesca incidiu negativamente na dinâmica populacional de quelônios, pirarucu, dourada e pescada levando uma diminuição de biomassa entre 40% e 100%. Os resultados deste estudo quantificam com maior precisão a função da pesca e desmatamento na dinâmica populacional dos principais peixes de importância alimentar e comercial das populações ribeirinhas do baixo Rio Tapajós, sendo relevantes para iniciativas de manejo desse ecossistema.
4

Modelo ecotrófico do baixo Rio Tapajós : análise da teia trófica e dos impactos associados à pesca e desmatamento

Capitani, Leonardo January 2017 (has links)
rio Tapajós é o quinto maior afluente do rio Amazonas e apresenta uma das faunas de peixes mais diversas do mundo. Esses peixes realizam funções ao longo de toda a bacia hidrográfica da Amazônia, como a dispersão de sementes, a ciclagem de nutrientes e o transporte de biomassa entre rios pobres e ricos em nutrientes. Porém, a pesca e o desmatamento podem afetar esses serviços ecossistêmicos. Para o baixo rio Tapajós ainda não se conhece os efeitos da pesca e do desmatamento nas dinâmicas populacionais das principais espécies de peixes consumidos pelas populações ribeirinhas. Definir e quantificar a estrutura da teia trófica do baixo rio Tapajós é fundamental para a compreensão da sua capacidade produtiva, e da transferência de energia para sustentar os níveis tróficos superiores. O presente estudo teve como principais objetivos analisar a estrutura da teia trófica do baixo Rio Tapajós, e avaliar a dinâmica populacional de algumas espécies de peixes simulando o incremento da pesca e do desmatamento. Para modelar a teia trófica foi utilizado o programa Ecopath com dados de desembarques pesqueiros e analise de conteúdo estomacal de peixes. Os resultados mostraram que a transferência de energia na teia trófica do Rio Tapajós se dá igualmente entre as cadeias de herbivoría e detritivoría. As espécies-chave são piscívoras- insetívoras: Acaronia nassa, Cichla spp., Pellona castelnaeana e também predadores de topo, como os botos (Inia geoffrensis, Sotalia fluviatilis). As simulações para os próximos 30 anos indicaram que: o desmatamento é o maior fator de estresse para a teia trófica, reduzindo entre 10% e 100% a biomassa dos principais grupos biológicos; o aumento da pesca incidiu negativamente na dinâmica populacional de quelônios, pirarucu, dourada e pescada levando uma diminuição de biomassa entre 40% e 100%. Os resultados deste estudo quantificam com maior precisão a função da pesca e desmatamento na dinâmica populacional dos principais peixes de importância alimentar e comercial das populações ribeirinhas do baixo Rio Tapajós, sendo relevantes para iniciativas de manejo desse ecossistema.
5

Fragmentação florestal: redução no controle da formiga cortadeira Atta cephalotes por moscas parasitóides

Rejane de Almeida, Walkiria January 2004 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T15:03:15Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo2138_1.pdf: 1000529 bytes, checksum: 3c703083b05ec13636a7e993a33da62d (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2004 / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico / Nesse estudo nós testamos a hipótese que formigas cortadeiras (Atta sp.) sofrem um controle menos intenso das moscas Phoridae em áreas fragmentadas. Para avaliar diferenças na ação dos parasitóides devido ao efeito de borda, foram marcadas cinco colônias no interior e na borda de um fragmento de 3.000 ha (área controle). Adicionalmente, para verificar o efeito da redução e isolamento do habitat, outras cinco colônias foram marcadas em um fragmento de 300 ha. Foram realizadas perturbações nas colônias e registrada a ação desses parasitóides. Os resultados indicam maior abundância de parasitóides, menor tempo de aparecimento e maior taxa de ataque no interior da área controle. Nós concluímos que a fragmentação de habitats afeta a abundância e distribuição das moscas, bem como a taxa de ataques às formigas, podendo, dessa forma, comprometer o potencial efetivo de parasitismo. Portanto, podemos assumir que as populações de forídeos constituem um mecanismo de regulação populacional mais intenso para as colônias de Atta cephalotes em áreas mais preservadas
6

Avaliando processos de restauração utilizando redes de interação coleópteros-macrofungos

Mezzomo, Aline Ganzer January 2018 (has links)
A restauração ecológica visa a recuperação de ecossistemas que foram degradados, assegurando o seu restabelecimento estrutural e funcional. Porém, avaliar a funcionalidade do ecossistema ainda é um desafio, e vem sendo foco de trabalhos científicos a fim de desenvolver metodologias aplicáveis. Investigar as redes de interações ecológicas é uma forma adequada para avaliar a funcionalidade do ecossistema. As redes de interações são utilizadas na avaliação de habitats e já evidenciaram alterações na estrutura da comunidade que não foram detectadas pelas métricas tradicionais de riqueza, abundância e composição. Os macrofungos podem ser indicadores relevantes, pois realizam a decomposição e ciclagem de nutrientes e servem de alimento para diversos grupos de organismos, dentre eles os Coleoptera, que também podem utilizar a estrutura fúngica para nidificação. Este trabalho teve por finalidade construir redes tróficas formadas pela interação entre besouros fungívoros (Coleoptera) e macrofungos (Polyporales e Hymenochaetales) a fim de testar a aplicabilidade de redes ecológicas para avaliar a restauração quando comparadas às métricas tradicionais de abundância, riqueza e composição das espécies. O estudo se realizou em duas áreas sobre restauração florestal comparados às áreas de referência pareadas. A primeira área está em restauração há oito anos e a segunda há dez anos, sendo que até o momento, somente a segunda área teve sucesso na restauração da comunidade de plantas. No total, coletamos 512 macrofungos, representando 87 espécies, mas somente 181 indivíduos de 36 espécies apresentaram interações com besouros. Destes, foram obtidos 11.414 besouros de 53 espécies. Em ambas as áreas, as métricas de descritores de comunidade e também as métricas de redes não diferiram entre os tratamentos, indicando que a estrutura e também a funcionalidade das comunidades de macrofungos e besouros fungívoros está sendo recuperada nas áreas em restauração. Apesar de não haver diferença na composição de espécies, a espécie rara Falsocis brasiliensis e alguns exemplares da família Erotylidae somente foram encontradas em áreas de referência. Os processos de restauração diferiram qualitativamente entre as áreas, como podemos perceber através das interações realizadas. As áreas de restauração de dez anos estão mais próximas às áreas de referência, pois foram deixados troncos de madeira que serviram de substrato para os macrofungos, principalmente para o Ganoderma australe e suas interações, encontrado em árvores mortas da floresta de referência de ambas as áreas. Enquanto que as áreas de restauração de oito anos apresentaram pouco substrato lenhoso e baixa umidade, onde Pycnoporus sanguineous predominou em abundância de basidiomas e suas interações em relação à floresta de referência. / Ecological restoration aims to recover degraded ecosystems, ensuring both structural and functional restoration. Assessing ecosystem functionality is still a challenge, and current work is focusing on the development methods. Investigating networks of ecological interactions is a potential tool to assess ecosystem functionality. Interaction networks are used in the assessment of habitat change and have already evidenced differences in community structure that were not detected by the traditional metrics of richness, abundance and composition. Macrofungi are especially relevant indicators, due to their function in decomposition and nutrient cycling in the ecosystem, and as they serve as food source for several groups of organisms, among them the Coleoptera, which can also use the fungal structure for nesting. Here we aimed at building trophic networks formed by the interaction between fungivorous beetles (Coleoptera) and macrofungi (Polyporales and Hymenochaetales), in order to test the applicability of ecological networks for the evaluation of restoration when compared to the traditional metrics of abundance, richness and species composition through the macrofungi-beetles system. Research was conducted in two areas under forest restoration, compared to paired reference areas. The first area is under restoration process for 8 years and the second for 10 years, and in the second area the restoration success has been achieved based on plant community evaluation. During the study, we collected 512 macrofungi individuals, representing 87 species, but only 181 specimens from 36 species showed interactions with beetles. A total of 11,414 beetles from 53 species were obtained. For both areas, traditional community descriptors did not differ between treatments, nor did network metrics, indicating that the structure and also the functionality of the communities of fungivorous beetles and macrofungi are being successfully recovered in restoration areas. Although there is no difference in species composition, the rare species Falsocis brasiliensis and some specimens of the Erotylidae were found only in reference areas. The processes of restoration differ qualitatively between areas, as we can perceive through the interactions. The ten year-long restoration areas are more similar to the reference areas, due to the presence of wood logs that served as substrate for the macrofungus, mainly Ganoderma australe and its associated beetles, occurring on dead trees found in the both reference forest areas. On the other hand, the eight year-long restoration area had less woody substrate, composed mostly of thin branches, and less humidity, where Pycnoporus sanguineous predominated in basidiome abundance and their interactions compared to the reference forest.
7

Interação trófica entre Coleoptera e basidiomas de Polyporales e Hymenochaetales (Fungi : Basidiomycota) / Trophic interaction between Coleoptera and Basidiomes of Polyporales and Hymenochaetales (Fungi: Basidiomycota)

Graf, Letícia Vanessa January 2008 (has links)
O consumo de qualquer parte do organismo de um fungo denomina-se fungivoria e são raros os estudos que abordam a temática da interação trófica entre suas estruturas reprodutivas (basidiomas) e os insetos. Mesmo que seja um hábito alimentar freqüente entre os coleópteros, com muitas famílias obrigatoriamente fungívoras, pouco se conhece sobre a estruturação dessa assembléia. Entretanto, sabese que existem preferências por determinadas espécies de fungos, tanto para a postura dos ovos quanto para o próprio consumo. Algumas questões que este estudo aborda referem-se à riqueza e à especificidade dos besouros fungívoros. Adicionalmente investigarei a influência da taxonomia dos fungos, bem como da consistência e do sistema hifal dos basidiomas para o processo de seleção que as espécies de besouros realizam. Também foi verificado se a posição taxonômica dos besouros está relacionada com o grupo de fungos que estes utilizam ou com a consistência dos seus basidiomas. Foram realizadas oito coletas em um ambiente de Floresta Ombrófila Mista no Estado do Rio Grande do Sul, obtendo-se 376 indivíduos das Ordens Polyporales e Hymenochaetales. Estes espécimes foram mantidos individualizados em laboratório por três meses para a constante retirada dos besouros adultos e então dissecados. Todos os fungos que apresentaram besouros fungívoros associados (N = 207) foram identificados e totalizaram 40 espécies. Os coleópteros totalizaram 447 ocorrências e foram classificados em 90 morfoespécies e 20 famílias, sendo Ciidae e Staphylinidae as mais representadas. Os basidiomas foram classificados quanto às suas classes de consistência seguindo um gradiente de durabilidade e rigidez. A riqueza de besouros variou conforme a espécie do hospedeiro e não foram encontrados fatores que influenciam a variação de riqueza de besouros em fungos. A especificidade dos besouros não apresentou relação com a longevidade dos basidiomas. Também se verificou que a posição taxonômica dos fungos, bem como a consistência dos basidiomas, interferem na escolha do hospedeiro pelos besouros. Além disso, se observou que besouros mais relacionados filogeneticamente não utilizam uma assembléia de fungos mais semelhante nem basidiomas com consistências semelhantes. Isso demonstra que a habilidade em consumir as mesmas espécies não está tão relacionada com a filogenia dos besouros como ocorre com os herbívoros. / Fungivory is the consumption of any part of the fungi organism and just a few studies were done about the trophic interactions of its reproductive structures, so called basidiomes, and insects. Even though this is a disseminated habit among Coleoptera, which has many obligated fungivores families, little is known about its community organization. However, there have been works about feeding preferences and oviposing sites of some fungi species. Some of the questions of this study refer to richness and specificity of fungivores beetles on their host. It was also investigated the influence of fungi taxonomy, basidiomes consistency and hyphal system for the selection process of the beetle species, as well as the importance of the taxonomic position of the beetles regarding the host group they use and the basidiome´s consistency. The basidiomes of Polyporales and Hymenochaetales Orders were collected in an Araucaria angustifolia forest of Rio Grande do Sul State. It was obtained 376 fungal individuals, which were kept in the laboratory, individually separated in containers for three months, while the newly emerged beetles were captured, and the fungi were dissected afterwards. All individuals of fungi that had associations (207) were identified (40 species). It was found 447 occurcences of Coleoptera, which were classified in 90 morphospecies belonging to 20 families, with Ciidae and Staphylinidae being the most abundant. The basidiomes where classified by its consistency, following a longevity and hardness gradient. Beetle richness varied among fungal species and no factors that might influence the richness variation in fungi was found. Its specificity did not seem to be related to the longevity of the basidiomes. It was also verified that the fungus taxonomy as well as the consistency of its basidiomes demonstrated some importance for the process of host selection. Regarding the Coleoptera taxonomy, it was not verified that the more phylogenetic related ones use a more similar group of hosts or basidiomes that have similar consistency. This demonstrates that the ability to feed on the same species is not so related to the phylogeny of fungivore beetles as it occurs with herbivores.
8

Interação trófica entre Coleoptera e basidiomas de Polyporales e Hymenochaetales (Fungi : Basidiomycota) / Trophic interaction between Coleoptera and Basidiomes of Polyporales and Hymenochaetales (Fungi: Basidiomycota)

Graf, Letícia Vanessa January 2008 (has links)
O consumo de qualquer parte do organismo de um fungo denomina-se fungivoria e são raros os estudos que abordam a temática da interação trófica entre suas estruturas reprodutivas (basidiomas) e os insetos. Mesmo que seja um hábito alimentar freqüente entre os coleópteros, com muitas famílias obrigatoriamente fungívoras, pouco se conhece sobre a estruturação dessa assembléia. Entretanto, sabese que existem preferências por determinadas espécies de fungos, tanto para a postura dos ovos quanto para o próprio consumo. Algumas questões que este estudo aborda referem-se à riqueza e à especificidade dos besouros fungívoros. Adicionalmente investigarei a influência da taxonomia dos fungos, bem como da consistência e do sistema hifal dos basidiomas para o processo de seleção que as espécies de besouros realizam. Também foi verificado se a posição taxonômica dos besouros está relacionada com o grupo de fungos que estes utilizam ou com a consistência dos seus basidiomas. Foram realizadas oito coletas em um ambiente de Floresta Ombrófila Mista no Estado do Rio Grande do Sul, obtendo-se 376 indivíduos das Ordens Polyporales e Hymenochaetales. Estes espécimes foram mantidos individualizados em laboratório por três meses para a constante retirada dos besouros adultos e então dissecados. Todos os fungos que apresentaram besouros fungívoros associados (N = 207) foram identificados e totalizaram 40 espécies. Os coleópteros totalizaram 447 ocorrências e foram classificados em 90 morfoespécies e 20 famílias, sendo Ciidae e Staphylinidae as mais representadas. Os basidiomas foram classificados quanto às suas classes de consistência seguindo um gradiente de durabilidade e rigidez. A riqueza de besouros variou conforme a espécie do hospedeiro e não foram encontrados fatores que influenciam a variação de riqueza de besouros em fungos. A especificidade dos besouros não apresentou relação com a longevidade dos basidiomas. Também se verificou que a posição taxonômica dos fungos, bem como a consistência dos basidiomas, interferem na escolha do hospedeiro pelos besouros. Além disso, se observou que besouros mais relacionados filogeneticamente não utilizam uma assembléia de fungos mais semelhante nem basidiomas com consistências semelhantes. Isso demonstra que a habilidade em consumir as mesmas espécies não está tão relacionada com a filogenia dos besouros como ocorre com os herbívoros. / Fungivory is the consumption of any part of the fungi organism and just a few studies were done about the trophic interactions of its reproductive structures, so called basidiomes, and insects. Even though this is a disseminated habit among Coleoptera, which has many obligated fungivores families, little is known about its community organization. However, there have been works about feeding preferences and oviposing sites of some fungi species. Some of the questions of this study refer to richness and specificity of fungivores beetles on their host. It was also investigated the influence of fungi taxonomy, basidiomes consistency and hyphal system for the selection process of the beetle species, as well as the importance of the taxonomic position of the beetles regarding the host group they use and the basidiome´s consistency. The basidiomes of Polyporales and Hymenochaetales Orders were collected in an Araucaria angustifolia forest of Rio Grande do Sul State. It was obtained 376 fungal individuals, which were kept in the laboratory, individually separated in containers for three months, while the newly emerged beetles were captured, and the fungi were dissected afterwards. All individuals of fungi that had associations (207) were identified (40 species). It was found 447 occurcences of Coleoptera, which were classified in 90 morphospecies belonging to 20 families, with Ciidae and Staphylinidae being the most abundant. The basidiomes where classified by its consistency, following a longevity and hardness gradient. Beetle richness varied among fungal species and no factors that might influence the richness variation in fungi was found. Its specificity did not seem to be related to the longevity of the basidiomes. It was also verified that the fungus taxonomy as well as the consistency of its basidiomes demonstrated some importance for the process of host selection. Regarding the Coleoptera taxonomy, it was not verified that the more phylogenetic related ones use a more similar group of hosts or basidiomes that have similar consistency. This demonstrates that the ability to feed on the same species is not so related to the phylogeny of fungivore beetles as it occurs with herbivores.
9

Interação trófica entre Coleoptera e basidiomas de Polyporales e Hymenochaetales (Fungi : Basidiomycota) / Trophic interaction between Coleoptera and Basidiomes of Polyporales and Hymenochaetales (Fungi: Basidiomycota)

Graf, Letícia Vanessa January 2008 (has links)
O consumo de qualquer parte do organismo de um fungo denomina-se fungivoria e são raros os estudos que abordam a temática da interação trófica entre suas estruturas reprodutivas (basidiomas) e os insetos. Mesmo que seja um hábito alimentar freqüente entre os coleópteros, com muitas famílias obrigatoriamente fungívoras, pouco se conhece sobre a estruturação dessa assembléia. Entretanto, sabese que existem preferências por determinadas espécies de fungos, tanto para a postura dos ovos quanto para o próprio consumo. Algumas questões que este estudo aborda referem-se à riqueza e à especificidade dos besouros fungívoros. Adicionalmente investigarei a influência da taxonomia dos fungos, bem como da consistência e do sistema hifal dos basidiomas para o processo de seleção que as espécies de besouros realizam. Também foi verificado se a posição taxonômica dos besouros está relacionada com o grupo de fungos que estes utilizam ou com a consistência dos seus basidiomas. Foram realizadas oito coletas em um ambiente de Floresta Ombrófila Mista no Estado do Rio Grande do Sul, obtendo-se 376 indivíduos das Ordens Polyporales e Hymenochaetales. Estes espécimes foram mantidos individualizados em laboratório por três meses para a constante retirada dos besouros adultos e então dissecados. Todos os fungos que apresentaram besouros fungívoros associados (N = 207) foram identificados e totalizaram 40 espécies. Os coleópteros totalizaram 447 ocorrências e foram classificados em 90 morfoespécies e 20 famílias, sendo Ciidae e Staphylinidae as mais representadas. Os basidiomas foram classificados quanto às suas classes de consistência seguindo um gradiente de durabilidade e rigidez. A riqueza de besouros variou conforme a espécie do hospedeiro e não foram encontrados fatores que influenciam a variação de riqueza de besouros em fungos. A especificidade dos besouros não apresentou relação com a longevidade dos basidiomas. Também se verificou que a posição taxonômica dos fungos, bem como a consistência dos basidiomas, interferem na escolha do hospedeiro pelos besouros. Além disso, se observou que besouros mais relacionados filogeneticamente não utilizam uma assembléia de fungos mais semelhante nem basidiomas com consistências semelhantes. Isso demonstra que a habilidade em consumir as mesmas espécies não está tão relacionada com a filogenia dos besouros como ocorre com os herbívoros. / Fungivory is the consumption of any part of the fungi organism and just a few studies were done about the trophic interactions of its reproductive structures, so called basidiomes, and insects. Even though this is a disseminated habit among Coleoptera, which has many obligated fungivores families, little is known about its community organization. However, there have been works about feeding preferences and oviposing sites of some fungi species. Some of the questions of this study refer to richness and specificity of fungivores beetles on their host. It was also investigated the influence of fungi taxonomy, basidiomes consistency and hyphal system for the selection process of the beetle species, as well as the importance of the taxonomic position of the beetles regarding the host group they use and the basidiome´s consistency. The basidiomes of Polyporales and Hymenochaetales Orders were collected in an Araucaria angustifolia forest of Rio Grande do Sul State. It was obtained 376 fungal individuals, which were kept in the laboratory, individually separated in containers for three months, while the newly emerged beetles were captured, and the fungi were dissected afterwards. All individuals of fungi that had associations (207) were identified (40 species). It was found 447 occurcences of Coleoptera, which were classified in 90 morphospecies belonging to 20 families, with Ciidae and Staphylinidae being the most abundant. The basidiomes where classified by its consistency, following a longevity and hardness gradient. Beetle richness varied among fungal species and no factors that might influence the richness variation in fungi was found. Its specificity did not seem to be related to the longevity of the basidiomes. It was also verified that the fungus taxonomy as well as the consistency of its basidiomes demonstrated some importance for the process of host selection. Regarding the Coleoptera taxonomy, it was not verified that the more phylogenetic related ones use a more similar group of hosts or basidiomes that have similar consistency. This demonstrates that the ability to feed on the same species is not so related to the phylogeny of fungivore beetles as it occurs with herbivores.
10

Parasitóides, bruquídeos e plantas hospedeiras: riqueza de espécies e dinâmica espacial em escala local

Rodrigues, Ligia Maria da Silva [UNESP] 26 September 2008 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:27:26Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2008-09-26Bitstream added on 2014-06-13T20:35:57Z : No. of bitstreams: 1 rodrigues_lms_me_botib.pdf: 1004031 bytes, checksum: c12e9343417f8407c22334ecad16cd68 (MD5) / Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) / O presente estudo foi dividido em duas partes. A primeira parte (capítulo 1) teve como objetivo avaliar se as características nutricionais dos frutos de Mimosa bimucronata influenciam a formação dos padrões de distribuição espacial de Acanthoscelides schrankie e seus parasitóides, os quais por sua vez podem determinar os padrões de dependência de densidade espacial na interação hospedeiro-parasitóide. Ramos em frutificação foram marcados e coletas quinzenais de frutos foram feitas em 2006 e 2007. Após a emergência dos insetos, análises nutricionais dos frutos de cada ano foram feitas (teor de água, nitrogênio e fenóis). Tanto A. schrankiae como seus parasitóides apresentaram estrutura espacial bem definida apenas durante o ano de 2007. Foram observados padrões independentes, inversamente dependentes e diretamente dependentes da densidade espacial, dependendo do momento de observação. Associações espaço-temporal significativas com e sem atraso de tempo entre bruquídeos e parasitóides, e entre bruquídeos e a porcentagem de parasitismo foram observadas. Associações espaciais mais intensas foram observadas sem atraso de tempo. Portanto, as populações de bruquídeos e parasitóides foram dinamicamente acopladas, mas tal padrão foi dependente do ano de observação. Constatou-se uma dissociação espacial significativa das populações de bruquídeos e parasitóides com os conteúdos de fenóis dos frutos, ou seja, a forte associação entre bruquídeos e parasitóides ocorreu em ramos com menor concentração de compostos fenólicos, o que pode ter contribuído para a formação dos padrões espaciais observados. Associações espaciais significativas não foram observadas entre as populações de bruquídeos e parasitóides com os respectivos teores de água e nitrogênio. Na segunda parte (capítulo 2) investigou-se... / This study was divided into two parts. The objective of the first part (chapter 1) was to investigate whether fruit quality of Mimosa bimucronata plants influenced the spatial distribution patterns of Acanthoscelides schrankie and its parasitoids, which in turn would determine spatial density dependent patterns of host-parasitoid interactions. Branches were previously selected and fruits were collected at each fifteen days in years 2006 and 2007. After emergence of all insects, nutritional analyses of fruits were carried out for each year (water, nitrogen and phenolic contents). A. schrankiae and its parasitoids presented well defined spatial structure only in 2007. Independent, inversely density dependent and directly density dependent spatial patterns were verified; however, such patterns depended of the moment of observation. Significant spatio-temporal associations with and without time lags were observed between bruchids and its parasitoids and also between bruchids and the percentage of parasitism. The most significant spatial associations were verified without time lags. Therefore, bruchid and parasitoid populations were dynamically coupled, but these patterns were dependent of the year of observation. Significant spatial dissociations were verified between phenolic contents of M. bimucronata fruits and bruchid and parasitoid populations; therefore, significant spatial associations between bruchids and their parasitoids occurred on branches with lower concentrations of phenolic compounds, which may have determined the observed spatial patterns in the field. Significant spatial associations were not observed between bruchid and parasitoid populations and the water and nitrogen contents. In the second part (chapter 2), the species richness of bruchids and their host plants was investigated in a semi-deciduous forest fragment named as “Mata da Bica” (Botucatu-SP)... (Complete abstract click electronic access below)

Page generated in 0.1859 seconds