• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 316
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 318
  • 207
  • 65
  • 64
  • 61
  • 56
  • 54
  • 53
  • 49
  • 47
  • 47
  • 45
  • 42
  • 37
  • 37
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
31

Qualidade de vida, dor e função muscular em indivíduos com osteoartrite e com artroplastia total de joelho

Bortoluzzi, Silvia Helena Manfrin January 2008 (has links)
A osteoartrite é uma desordem articular comum nos idosos, sendo responsável por causar perda da funcionalidade destes indivíduos, quando comparada a outras doenças. Sua prevalência aumenta com a idade por ser uma doença irreversível. Esta condição musculoesquelética causa dor, incapacidade física e redução da qualidade de vida. A artroplastia total de joelho é o procedimento adequado para o tratamento da osteoartrite em seus graus mais avançados, e tem apresentado uma melhora funcional dos extensores do joelho (por meio da redução da inibição reflexa e possível aumento da capacidade de produção de força) e da qualidade de vida (pela redução da dor, aumento da mobilidade e retorno às atividades de vida diárias) nesses casos avançados da doença. No entanto, os efeitos da substituição do joelho osteoartrítico pela prótese não são totalmente conhecidos. Em função disso, o objetivo do presente estudo foi comparar a ativação muscular e a produção de força (torque) de indivíduos com osteoartrite (n=20) e indivíduos com artroplastia total de joelho (n=12). O pico de torque dos músculos extensores de joelho foi avaliado durante contrações isométricas voluntárias máximas nos ângulos de 30º, 60º, 75º e 90º. Nos mesmos ângulos articulares também foi avaliada a ativação elétrica dos músculos vasto lateral, vasto medial e reto femoral, através da eletromiografia de superfície. A qualidade de vida foi comparada entre os dois grupos através do questionário WOMAC. O grupo artroplastia obteve menores escores no questionário, o que indica melhora da qualidade de vida destes indivíduos ao serem comparados com o grupo osteoartrite. O comportamento dos dados tanto para a produção de torque como para a ativação muscular, apresentou-se semelhante nos dois grupos. A produção de torque não apresentou diferença significativa entre os grupos avaliados (p=0,775), sendo que a única diferença observada foi para o torque entre os ângulos testados (p=0,0001). Assim como para a produção de torque, a ativação muscular não apresentou diferença significativa entre os grupos osteoartrite e artroplastia total de joelho para os músculos VL, RF e VM (p>0,05). Somente para o menor ângulo (30º) e para o maior ângulo (90º) houve diferença significativa da ativação muscular em relação aos ângulos para os músculos vasto lateral (p=0,011) e vasto medial (p=0,014). Os resultados apresentados neste estudo suportam a hipótese de que a técnica cirúrgica de artroplastia total de joelho propicia uma redução da dor e uma melhora da qualidade de vida. No entanto, essa melhora na qualidade de vida parece não ser refletida em uma melhora funcional após a colocação da prótese, uma vez que não foi observado um aumento na ativação muscular com um correspondente aumento na capacidade de produção de força dos músculos extensores do joelho. / Osteoarthritis is a degenerative disease prevalent in the elderly population characterized by pain, disability and decrease of quality of life. Total knee replacement is indicated for the last stages of the disease, and shows a functional improvement of the knee extensor muscles (by a reduction of reflex inhibition and possibly by increasing muscle force production capacity) and improvement of quality of life (by the reduction in pain, increase in mobility and return to daily life activities) in these advanced stages of the disease. However, the functional effects of the joint replacement are not completely understood. Therefore, the purpose of this study was to compare both the muscle activation and the force production (torque) developed by patients with osteoarthritis (n=20) and patients which underwent total knee replacement (n=12). The knee extensor muscles peak torque was evaluated during maximal voluntary isometric contractions at the joint angles of 30º, 60º, 75º and 90º of knee extension. At the same joint angles the electrical activation was obtained, by surface electromyography from the vastus lateralis, the vastus medialis and the rectus femoris muscles. The WOMAC questionnaire was used to compare the quality of life between the two groups of the study. The arthroplasty group showed lower scores, indicating an improvement in the quality of life compare to the osteoarthritis group. Both groups showed a similar behavior in the torque production and in the muscle activation. Torque production was similar between the two groups (p=0,775), although there was a difference in the torque amongst the studied angles (p=0,0001). There was no difference between the osteoarthritis and the arthroplasty groups for muscle activation of the VL, RF and VM muscles (p>0,05). Nevertheless, activation was different when comparing the smallest and the largest angles studied (30º and 90º, respectively) of the vastus lateralis (p=0,011) and the vastus medialis (p=0,014) muscles in both groups. These results seem to support the hypothesis that the total knee replacement produces an improvement in the quality of life by a reduction in knee joint pain and an increase in the patients mobility and a return to the daily life activities. However, this surgical procedure did not produce a functional improvement in the knee extensor muscles, as there was no increase in muscle activation nor in the expected force produced by this muscle group.
32

Qualidade de vida, dor e função muscular em indivíduos com osteoartrite e com artroplastia total de joelho

Bortoluzzi, Silvia Helena Manfrin January 2008 (has links)
A osteoartrite é uma desordem articular comum nos idosos, sendo responsável por causar perda da funcionalidade destes indivíduos, quando comparada a outras doenças. Sua prevalência aumenta com a idade por ser uma doença irreversível. Esta condição musculoesquelética causa dor, incapacidade física e redução da qualidade de vida. A artroplastia total de joelho é o procedimento adequado para o tratamento da osteoartrite em seus graus mais avançados, e tem apresentado uma melhora funcional dos extensores do joelho (por meio da redução da inibição reflexa e possível aumento da capacidade de produção de força) e da qualidade de vida (pela redução da dor, aumento da mobilidade e retorno às atividades de vida diárias) nesses casos avançados da doença. No entanto, os efeitos da substituição do joelho osteoartrítico pela prótese não são totalmente conhecidos. Em função disso, o objetivo do presente estudo foi comparar a ativação muscular e a produção de força (torque) de indivíduos com osteoartrite (n=20) e indivíduos com artroplastia total de joelho (n=12). O pico de torque dos músculos extensores de joelho foi avaliado durante contrações isométricas voluntárias máximas nos ângulos de 30º, 60º, 75º e 90º. Nos mesmos ângulos articulares também foi avaliada a ativação elétrica dos músculos vasto lateral, vasto medial e reto femoral, através da eletromiografia de superfície. A qualidade de vida foi comparada entre os dois grupos através do questionário WOMAC. O grupo artroplastia obteve menores escores no questionário, o que indica melhora da qualidade de vida destes indivíduos ao serem comparados com o grupo osteoartrite. O comportamento dos dados tanto para a produção de torque como para a ativação muscular, apresentou-se semelhante nos dois grupos. A produção de torque não apresentou diferença significativa entre os grupos avaliados (p=0,775), sendo que a única diferença observada foi para o torque entre os ângulos testados (p=0,0001). Assim como para a produção de torque, a ativação muscular não apresentou diferença significativa entre os grupos osteoartrite e artroplastia total de joelho para os músculos VL, RF e VM (p>0,05). Somente para o menor ângulo (30º) e para o maior ângulo (90º) houve diferença significativa da ativação muscular em relação aos ângulos para os músculos vasto lateral (p=0,011) e vasto medial (p=0,014). Os resultados apresentados neste estudo suportam a hipótese de que a técnica cirúrgica de artroplastia total de joelho propicia uma redução da dor e uma melhora da qualidade de vida. No entanto, essa melhora na qualidade de vida parece não ser refletida em uma melhora funcional após a colocação da prótese, uma vez que não foi observado um aumento na ativação muscular com um correspondente aumento na capacidade de produção de força dos músculos extensores do joelho. / Osteoarthritis is a degenerative disease prevalent in the elderly population characterized by pain, disability and decrease of quality of life. Total knee replacement is indicated for the last stages of the disease, and shows a functional improvement of the knee extensor muscles (by a reduction of reflex inhibition and possibly by increasing muscle force production capacity) and improvement of quality of life (by the reduction in pain, increase in mobility and return to daily life activities) in these advanced stages of the disease. However, the functional effects of the joint replacement are not completely understood. Therefore, the purpose of this study was to compare both the muscle activation and the force production (torque) developed by patients with osteoarthritis (n=20) and patients which underwent total knee replacement (n=12). The knee extensor muscles peak torque was evaluated during maximal voluntary isometric contractions at the joint angles of 30º, 60º, 75º and 90º of knee extension. At the same joint angles the electrical activation was obtained, by surface electromyography from the vastus lateralis, the vastus medialis and the rectus femoris muscles. The WOMAC questionnaire was used to compare the quality of life between the two groups of the study. The arthroplasty group showed lower scores, indicating an improvement in the quality of life compare to the osteoarthritis group. Both groups showed a similar behavior in the torque production and in the muscle activation. Torque production was similar between the two groups (p=0,775), although there was a difference in the torque amongst the studied angles (p=0,0001). There was no difference between the osteoarthritis and the arthroplasty groups for muscle activation of the VL, RF and VM muscles (p>0,05). Nevertheless, activation was different when comparing the smallest and the largest angles studied (30º and 90º, respectively) of the vastus lateralis (p=0,011) and the vastus medialis (p=0,014) muscles in both groups. These results seem to support the hypothesis that the total knee replacement produces an improvement in the quality of life by a reduction in knee joint pain and an increase in the patients mobility and a return to the daily life activities. However, this surgical procedure did not produce a functional improvement in the knee extensor muscles, as there was no increase in muscle activation nor in the expected force produced by this muscle group.
33

Qualidade de vida, dor e função muscular em indivíduos com osteoartrite e com artroplastia total de joelho

Bortoluzzi, Silvia Helena Manfrin January 2008 (has links)
A osteoartrite é uma desordem articular comum nos idosos, sendo responsável por causar perda da funcionalidade destes indivíduos, quando comparada a outras doenças. Sua prevalência aumenta com a idade por ser uma doença irreversível. Esta condição musculoesquelética causa dor, incapacidade física e redução da qualidade de vida. A artroplastia total de joelho é o procedimento adequado para o tratamento da osteoartrite em seus graus mais avançados, e tem apresentado uma melhora funcional dos extensores do joelho (por meio da redução da inibição reflexa e possível aumento da capacidade de produção de força) e da qualidade de vida (pela redução da dor, aumento da mobilidade e retorno às atividades de vida diárias) nesses casos avançados da doença. No entanto, os efeitos da substituição do joelho osteoartrítico pela prótese não são totalmente conhecidos. Em função disso, o objetivo do presente estudo foi comparar a ativação muscular e a produção de força (torque) de indivíduos com osteoartrite (n=20) e indivíduos com artroplastia total de joelho (n=12). O pico de torque dos músculos extensores de joelho foi avaliado durante contrações isométricas voluntárias máximas nos ângulos de 30º, 60º, 75º e 90º. Nos mesmos ângulos articulares também foi avaliada a ativação elétrica dos músculos vasto lateral, vasto medial e reto femoral, através da eletromiografia de superfície. A qualidade de vida foi comparada entre os dois grupos através do questionário WOMAC. O grupo artroplastia obteve menores escores no questionário, o que indica melhora da qualidade de vida destes indivíduos ao serem comparados com o grupo osteoartrite. O comportamento dos dados tanto para a produção de torque como para a ativação muscular, apresentou-se semelhante nos dois grupos. A produção de torque não apresentou diferença significativa entre os grupos avaliados (p=0,775), sendo que a única diferença observada foi para o torque entre os ângulos testados (p=0,0001). Assim como para a produção de torque, a ativação muscular não apresentou diferença significativa entre os grupos osteoartrite e artroplastia total de joelho para os músculos VL, RF e VM (p>0,05). Somente para o menor ângulo (30º) e para o maior ângulo (90º) houve diferença significativa da ativação muscular em relação aos ângulos para os músculos vasto lateral (p=0,011) e vasto medial (p=0,014). Os resultados apresentados neste estudo suportam a hipótese de que a técnica cirúrgica de artroplastia total de joelho propicia uma redução da dor e uma melhora da qualidade de vida. No entanto, essa melhora na qualidade de vida parece não ser refletida em uma melhora funcional após a colocação da prótese, uma vez que não foi observado um aumento na ativação muscular com um correspondente aumento na capacidade de produção de força dos músculos extensores do joelho. / Osteoarthritis is a degenerative disease prevalent in the elderly population characterized by pain, disability and decrease of quality of life. Total knee replacement is indicated for the last stages of the disease, and shows a functional improvement of the knee extensor muscles (by a reduction of reflex inhibition and possibly by increasing muscle force production capacity) and improvement of quality of life (by the reduction in pain, increase in mobility and return to daily life activities) in these advanced stages of the disease. However, the functional effects of the joint replacement are not completely understood. Therefore, the purpose of this study was to compare both the muscle activation and the force production (torque) developed by patients with osteoarthritis (n=20) and patients which underwent total knee replacement (n=12). The knee extensor muscles peak torque was evaluated during maximal voluntary isometric contractions at the joint angles of 30º, 60º, 75º and 90º of knee extension. At the same joint angles the electrical activation was obtained, by surface electromyography from the vastus lateralis, the vastus medialis and the rectus femoris muscles. The WOMAC questionnaire was used to compare the quality of life between the two groups of the study. The arthroplasty group showed lower scores, indicating an improvement in the quality of life compare to the osteoarthritis group. Both groups showed a similar behavior in the torque production and in the muscle activation. Torque production was similar between the two groups (p=0,775), although there was a difference in the torque amongst the studied angles (p=0,0001). There was no difference between the osteoarthritis and the arthroplasty groups for muscle activation of the VL, RF and VM muscles (p>0,05). Nevertheless, activation was different when comparing the smallest and the largest angles studied (30º and 90º, respectively) of the vastus lateralis (p=0,011) and the vastus medialis (p=0,014) muscles in both groups. These results seem to support the hypothesis that the total knee replacement produces an improvement in the quality of life by a reduction in knee joint pain and an increase in the patients mobility and a return to the daily life activities. However, this surgical procedure did not produce a functional improvement in the knee extensor muscles, as there was no increase in muscle activation nor in the expected force produced by this muscle group.
34

Avaliação do efeito antinociceptivo do bloqueio dos nervos geniculados para controle da dor crônica da articulação do joelho no paciente portador de osteoartrite / Evaluation of an antinociceptive effect for blocking genicular nerves for the control of chronic pain in the knee joints of a patient suffering from osteoarthritis

Davi Lemos Reial Santos 31 October 2017 (has links)
A dor crônica de joelho secundária a osteoartrite é uma patologia comum com a progressão da idade e que vem aumentando sua prevalência a medida que se elevam a expectativa de vida e os índices de obesidade e sobrepeso. A consequência desses sintomas se reflete de maneira direta sobre a capacidade de realização de atividades diárias, a qualidade do sono e a capacidade laboral do indivíduo. O impacto psicológico, social e econômico da dor crônica de joelho representam um desafio de saúde pública, demandando tratamento eficiente e custo-efetivo. As terapias farmacológicas com frequência apresentam benefício limitado associado a diversos efeitos colaterais. Os procedimentos invasivos não cirúrgicos, como a injeção intraarticular de ácido hialurônico, representam uma alternativa em casos refratários ao tratamento clínico, sendo utilizados como terapia complementar, entretanto apresentam benefício limitado e insuficiente para o controle da dor em casos severos. Os procedimentos cirúrgicos, como a artroplastia total do joelho, habitualmente apresentam resultados satisfatórios na doença avançada, contudo são limitadas pelo seu alto custo, risco cirúrgico inerente e pequena capacidade resolutiva diante da alta prevalência. O bloqueio dos nervos geniculados é uma técnica recentemente descrita, de fácil realização e com mínima invasão necessitando ser estudada para que possa ser aplicada no manejo clínico. Neste estudo foram selecionados pacientes com osteoartrite moderada e severa, que apresentavam dor refratária ao tratamento clínico otimizado. Foram selecionados 16 pacientes e um total de 22 joelhos foram avaliados. Inicialmente todos os pacientes foram submetidos a um pré-teste que avaliava: 1) a intensidade da dor; 2) a qualidade do sono; 3) a capacidade de realização de atividades diárias. Aleatoriamente 2 grupos foram formados, o primeiro submetido ao bloqueio intra-articular e o segundo ao bloqueio dos nervos geniculados. A solução formada por: lidocaína 1% sem vasoconstrictor - 9 mL - 90 mg adicionada de Dexametasona - 1mL - 10 mg era padrão e utilizada nos dois grupos de intervenção. Após um seguimento semanal por 12 semanas consecutivas, os paciente foram reconvocados e submetidos ao outro procedimento proposto, dessa forma todos os pacientes atuaram como o seu próprio controle (desenho de estudo \"crossover\"). Nos seguimentos semanais, assim como no pré-teste, eram avaliados a intensidade da dor, a qualidade do sono e a capacidade de realização de atividades diárias. Os resultados mostraram que o bloqueio intra-articular e o bloqueio dos nervos geniculados apresentam redução importante da dor (p < 0,01), melhora na capacidade de realização de atividades diárias (p < 0,01) e melhora na qualidade do sono (p < 0,01), no entanto não houve diferença significativa no resultado entre os grupos estudados (p > 0,05). Conclui-se que o bloqueio dos nervos geniculados surge como uma alternativa segura, minimamente invasiva e de alta eficácia, apresentando resultados semelhantes ao bloqueio intra-articular. / Chronic pain of the knee secondary to osteoarthritis is a common pathology, progressive with age and which increases its prevalence as life expectancy is raised together with obesity and overweight. A consequence of these symptoms is reflected directly on the capacity of undertaking daily activities, the quality of sleep and the work capacity of each individual. The psychological, social and economic impact of chronic knee pain represents a challenge to public health, demanding efficient treatment at a worthwhile cost. Pharmaceutical therapies frequently present a limited benefit associated with various side effects. Non-surgical invasive procedures such as an injection intra-articular of hyaluronic acid, represents an alternative in refractory cases to clinical treatment, being used as a complementary therapy, however, presenting limited and insufficient benefit for the control of pain in severe cases. Surgical procedures such as complete arthroplasty of the knee, usually presents satisfactory results in patients with an advanced osteoarthritis, but are limited by their high cost, inherent surgical risk and small resolving capability facing a high prevalence. Blocking the genicular nerves is a recently described technique, easily applied by clinical management. Patients were selected in this study with moderate and severe osteoarthritis, with refractory pain in optimized clinical treatment. 16 patients were selected and a total of 22 knees were evaluated. Initially all the patients were submitted to a pre-test which evaluated: 1) the intensity of pain; 2) the quality of sleep; 3) the capacity to undertake daily activities. Two groups were formed randomly, the first submitted to intra-articular blocking and the second to blocking the genicular nerves. A solution of lidocaine 1% without a vasoconstrictor - 9 mL - 90 mg and Dexametasona - 1 mL - 10 mg was standard and used for intervention in both groups. After a weekly appraisal for 12 consecutive weeks, the patients were recalled and submitted to another proposed procedure and in this way all the patients acted as their own control (a \"crossover\" study design). In the following weeks, as also in the pretest, the intensity of pain, the quality of sleep and the capacity of undertaking daily activities were evaluated. The results showed that the intra-articular block and the blocking of the genicular nerves presented an important reduction of pain (p<0,01) but there was no significant difference in the result between the groups studied (p>0,05). It is therefore concluded that the blocking of the genicular nerves appears as a safe alternative, minimally invasive and highly efficient, presenting results similar to the intra-articular blocking.
35

Estudo comparativo das alterações degenerativas dos meniscos medial e lateral na artrose do joelho em varo / Evaluation of degenerative meniscal changes in varum knee arthrosis

Alexandre Carneiro Bitar 12 December 2006 (has links)
Na prática clínica, a queixa de dor no joelho em pacientes, a partir da quinta década de vida, é muito freqüente e comumente atribuída à lesão meniscal degenerativa. A relação entre a lesão degenerativa do menisco e a artrose é controversa, assim como a relação do varo e a evolução para artrose do joelho. Foram estudadas as alterações macroscópicas e microscópicas dos meniscos em 21 pacientes com deformidade em varo submetidos a artroplastia total do joelho, decorrente de artrose do joelho. Analisou-se, também, a relação destas lesões com o grau de artrose e varismo dos pacientes. Foram encontrados 9 de 21 meniscos com lesões, sendo o menisco mais acometido o medial e a lesão mais freqüente em clivagem horizontal. Neste modelo clínico de artrose com joelho em varo, afirma-se que: 1) Não foi possível estabelecer correlação entre o grau de artrose e a maior ocorrência de lesões meniscais macroscópicas; 2) Não se observou relação entre a maior gravidade da deformidade angular em varo dos joelhos com o aumento da ocorrência de lesões meniscais; 3) Quando ocorreram, as lesões meniscais preponderaram no menisco medial e as mais freqüentes foram as em clivagem horizontal; 4) Os meniscos apresentaram alterações microscópicas significativas resultantes do processo de artrose dos joelhos; no entanto, não há evidência que a presença de lesões é estatisticamente diferente entre os meniscos lateral e medial / In clinical practice, the knee pain complaint by patients from the fifth life decade is very frequent and commonly assigned to degenerative meniscal injury. The relationship between degenerative meniscal injury and arthrosis is controversial, as well as the relationship between genu varum and evolution to knee arthrosis. Macroscopic and microscopic meniscal changes in 21 patients with varum deformities undergoing total knee arthroplasty secondary to knee arthrosis were also studied. The relationship between these injuries and the degree of arthrosis and varism of patients were also studied. Of 21 menisci, 9 were found to have injuries, the most affected being the medial meniscus and the most frequent was the horizontal cleavage meniscal injury. In this clinical model of arthrosis with varum knee (1) it was not possible to establish any correlation between the degree of arthrosis and the higher occurrence of macroscopic meniscal injuries; (2) no relationship was observed between higher severity of genu varum angular deformity and increase of meniscal injury occurrence; (3) meniscal injuries prevailed in the medial meniscus, horizontal cleavage meniscal injuries being the most frequent; (4) the menisci presented significant microscopic changes resulting from the knee arthrosis process; however, no evidence was found that the presence of injuries is statistically different between lateral and medial menisci
36

Análise da influência de um calçado flexível e desprovido de salto sobre a mecânica da marcha e a carga articular de indivíduos com osteoartrite de joelho / Influence of flexible footwear and without heel on the gait mechanics and joint loading in individuals with knee osteoarthritis

Souza, Francis Trombini de 25 May 2010 (has links)
A literatura tem dado evidências de que uso de um calçado flexível e desprovido de salto que reproduza as características cinemáticas e cinéticas da marcha descalça poderia reduzir as cargas articulares e a progressão da osteoartrite (OA) de joelho. Assim, o propósito deste estudo foi avaliar e comparar a influência do uso agudo de um calçado flexível, desprovido de salto e de baixo custo (Moleca®), de um calçado moderno de salto e da condição descalça sobre os padrões cinéticos e cinemáticos do membro inferior durante a marcha de idosas com e sem OA de joelho. Foi avaliada a marcha de 45 idosas: 21 com OA (GOA) grau 2 ou 3 pelos critérios de Kellgren e Lawrence e 24 assintomáticas como grupo controle (GC) entre 60 e 75 anos. Foram adquiridas a força reação do solo vertical e horizontal e a variação angular sagital do tornozelo, joelho e quadril nas condições: descalça, Moleca® e salto alto. Também foram calculados, para as mesmas condições, os picos e o impulso dos momentos de força de adução do joelho por dinâmica inversa. As comparações inter-grupos e intercondições foram realizadas por ANOVAs dois fatores, sendo as três condições de marcha, medidas repetidas. Em ambos os grupos, o uso agudo da Moleca® impôs ao tornozelo uma variação angular sagital semelhante à condição descalça. Observou-se também que, em ambos os grupos, o uso agudo da Moleca® e do salto, gerou um aumento da amplitude de movimento sagital e da flexão final do joelho. No GOA, o salto impôs maior flexão de quadril que a condição descalça. Em ambos os grupos, o salto e a Moleca® apresentaram aumento do 1º pico da força vertical em relação à marcha descalça. Por outro lado, a magnitude dessa variável foi ainda maior com o uso do salto em relação à Moleca®. No GOA, o uso agudo da Moleca® comparado à marcha descalça proporcionou maior atenuação da força vertical durante o médio apoio. Ainda no GOA, a Moleca® em relação ao salto proporcionou maior capacidade de desaceleração e aceleração. Em ambos os grupos, o uso da Moleca® proporcionou momento de adução do joelho semelhante à marcha descalça. A Moleca®, porém, foi ainda mais efetiva que a marcha descalça na diminuição do momento de adução do joelho durante o médio apoio. Conclui-se que o calçado flexível, desprovido de salto e de baixo custo (Moleca®), em idosas com OA de joelho, devido à associação das características cinemáticas dos membros inferiores e da força reação do solo, proporciona momentos de força resultantes no joelho semelhantes à marcha descalça e uma efetiva redução de sobrecarga em relação ao calçado de salto. O uso agudo da Moleca® permitiu também, em algumas fases do apoio, uma redução ainda maior do momento de força do joelho em relação à marcha descalça, com a vantagem, porém, de proporcionar proteção externa aos pés durante a locomoção. / The literature has been given evidences that the use of flexible and non-heeled footwear that reproduces the kinematic and kinetic characteristics of barefoot gait may reduce the joint loads and the progression of the knee osteoarthritis (OA). The purpose of this study was to evaluate and compare the influence of the acute use of flexible, non-heeled and inexpensive footwear (Moleca®), with a modern heeled shoe and barefoot condition on the lower limb kinetic and kinematic patterns during gait in elderly women with and without knee OA. The gait of 45 elderly women was evaluated: 21 with OA grade 2 or 3 (OAG) according to Kellgren and Lawrence´s criteria and 24 asymptomatic control group (CG) between 60 and 75 years. Vertical and horizontal ground reaction force, ankle, knee and hip sagittal angular variation were acquired in the follow conditions: barefoot, Moleca® and heeled shoe. Knee adduction moments and angular impulse were also calculated by inverse dynamics. Comparisons intergroups and inter-conditions were performed by two-way ANOVAs, and the three gait conditions were within factors. In both groups, the acute use of Moleca® produced ankle sagittal angular variation similar to barefoot condition. In the sagittal plane, the use of Moleca® and heeled shoe generated an increased knee range of motion and increased knee final flexion in both groups. In the OAG, the heeled shoe imposed an increased hip flexion compared to the barefoot condition. In both groups, the heeled shoe and Moleca® increased the 1st vertical force peak in comparison to barefoot condition. Moreover, the magnitude of this variable was even greater when using the heeled shoe compared to the Moleca®. In the OAG, the acute use of Moleca® provided greater attenuation of the vertical force in midstance. Also in the OAG, the Moleca® provided greater capacity of deceleration and acceleration in comparison to the heeled shoe. In both groups, the Moleca® provided joint loads to the knee medial compartment similar to barefoot gait. Moleca®, however, was even more effective than barefoot gait in reducing the knee loads during midstance. We conclude that flexible, nonheeled and inexpensive footwear (Moleca®), in elderly women with knee OA, due to the association of the lower limb kinematics and ground reaction force characteristics, provides loads on the knee joint similar to barefoot gait and a significant reduction of overloads in comparison to the heeled shoe. The Moleca® also allows, in some gait support phases, a greater reduction in the knee joint load compared to the barefoot gait; however, with the advantage of providing external protection to the feet during gait.
37

Estudo artroscópico das articulações do ombro e joelho no cão / Arthroscopic study of the shoulder and knee joint in the dog

Tatarunas, Angelica Cecilia 06 August 2004 (has links)
O objetivo do presente trabalho foi o estudo artroscópico das articulações do ombro e do joelho no cão. Durante o exame artroscópico avaliou-se possibilidade de visibilização das estruturas intra-articulares, facilidades e dificuldades inerentes à técnica e complicações. Fez-se análise citológica de líquido sinovial e histopatológica de membrana sinovial da articulação do joelho. Realizou-se a artroscopia em 10 articulações (9 cães) do ombro portadoras de osteocondrite dissecante e em 53 articulações (50 cães) do joelho, as quais apresentaram ruptura de ligamento cruzado cranial total ou parcial associada ou não a lesão de menisco medial ou lateral e luxação medial de patela. Na articulação do ombro as complicações consistiram na dificuldade de confecção dos portais artroscópico e instrumental pela técnica de triangulação, lesão iatrogênica de cartilagem, deslocamento prematuro do artroscópio e acúmulo de fluído nos tecidos moles periarticulares. As estruturas observadas foram sulco intertubercular, tubérculo supraglenoidal, tendão do M. bíceps braquial, cartilagem da cabeça do úmero (cranial e caudal) e da cavidade glenoidal, ligamento glenoumeral medial, bolsa articular caudal e sinóvia. As lesões de cartilagem observadas durante estudo artroscópico destas articulações foram condromalácea, erosão, eburnação e fibrilação na cabeça do úmero e erosão na cavidade glenoidal, além de retalho de cartilagem livre (próximo ao defeito na cabeça do úmero, na bolsa articular caudal, próximo ao tendão do M. bíceps braquial e na porção medial da articulação) ou fixo junto ao defeito na cabeça do úmero. Em um animal o retalho de cartilagem foi removido via artroscopia e nos demais através de artrotomia. Durante exame artroscópico da articulação do joelho observou-se região suprapatelar, patela, tróclea, côndilo lateral e medial do fêmur, côndilo lateral e medial da tíbia, menisco lateral e medial, tendão do M. extensor digital longo, ligamento cruzado cranial e caudal, ligamento intermeniscal, ligamento mucoso e sinóvia. Complicações consistiram principalmente de infiltração de tecidos moles periarticulares e obstrução do campo de visão pelo coxim adiposo infrapatelar. Diferenças entre o diagnóstico artroscópico e a confirmação após artrotomia concentraram-se na diferenciação entre ruptura completa e parcial do ligamento cruzado cranial (n=3) e afecção de menisco (n=6). A artroscopia trouxe informações sobre a membrana sinovial, alteração em menisco lateral e ligamento cruzado caudal não perceptível durante artrotomia. O estudo citológico denotou processo não inflamatório na maioria das articulações estudadas. Em análise histopatológica obteve-se processo inflamatório crônico, agudo e uma articulação com sinovite linfocitica plasmocitica. A artroscopia é uma técnica endoscópica que demanda intenso treinamento para a sua realização; e, permite um exame rico em minúcias que traz informações significativas que poderão ajudar a elucidar as afecções articulares que acometem a espécie canina. / The aim of this approach is shoulder and knee arthroscopic study in the dog. During the arthroscopic exam it was analyzed the possibility to see the structures into the joint; facilities and difficulties concerning the technique and its complications. Cytological synovial fluid and histopathological synovial membrane studies of the knee joint were performed. The arthroscopy was carried out in ten shoulder joints (nine dogs) which had osteochondritis dissecans and in fifty-three knee joints (fifty dogs), which had complete or partial cranial cruciate ligament rupture associated or not with medial or lateral meniscal damage and medial patella luxation. In the shoulder joint the complications consisted of the difficulty in doing the arthroscopic and instrumental portal using the triangulation technique, iatrogenic lesion, premature removal of the arthroscopy and periarticular infiltration. The observed structures were intertubercular groo, supraglenoid tubercle, tendon of biceps brachii muscle, cartilage of the humeral head (cranial and caudal) and glenoid cavity, medial glenohumeral ligament, caudomedial gutter and synovium. The lesions of the articular cartilage observed during the exam in the shoulder joint were chondromalacia, erosion, eburnation, fibrillation in the humeral head and erosion of the glenoidal cavity besides joint mice (near the defect on the humeral head, on the caudomedial gutter, near the tendon of biceps brachii muscle and in the medial gutter) and flap in the caudomedial humeral head. In one animal the flap was removed by arthroscopy while in the others it was removed by arthrotomy. During the arthroscopic exam of the knee joint it was remarked suprapatellar joint pouch, patella, trochlea, lateral and medial femoral condyle, lateral and medial tibial condyle, lateral and medial meniscus, tendon of long digital extensor muscle, cranial and caudal cruciate ligament, intermeniscal ligament and synovium. The main complications consisted of periarticular infiltration and obstruction of the field of vision by the infrapatellar fat pad. The differences between the diagnostic after arthroscopy and confirmation by arthrotomy were the differentiation between complete and partial rupture of the cranial cruciate ligament (n=3) and meniscal lesion (n=6). The arthroscopy exam provides information about lateral meniscal and caudal cruciate ligament lesion which are not noticeable by arthrotomy. The cytological study showed no-inflammatory process in most of the joints. In the histopathological analysis the results were chronic and acute inflammatory process and one joint having plasmacytic lymphocytic synovitis. The arthroscopy is an endoscopic technique that requires continuous training to be achieved and gives a detailed exam with significant information which could help to explain a lot of diseases in joints of the canine species.
38

Análise da postura dinâmica e do desempenho no salto vertical / Dynamic postural analysis of vertical jump

Fresnel, Tatiana Motta 05 October 2009 (has links)
A hiperextensão dos joelhos pode comprometer o controle postural durante o salto vertical. Desta forma, o objetivo deste estudo foi analisar o deslocamento do Centro de Pressão (CP) e o movimento em membros inferiores durante o salto vertical de sujeitos com joelhos hiperestendidos comparativamente com sujeitos com joelhos alinhados no período de preparo do salto. Dezesseis mulheres foram analisadas durante o salto vertical, através de uma plataforma de força modelo AMTI. Os sujeitos foram enquadrados nos grupos Sujeito-Hiperestendido (n=11) e Sujeito-Alinhados (n=5) de acordo com o alinhamento dos joelhos na avaliação postural tradicional e a análise dos dados cinématicos foram efetuadas. Os sujeitos foram orientados a se posicionar sobre uma plataforma de força e saltar o mais alto possível. A cinemática foi adquirida através de câmera em posição padronizada ao lado direito do sujeito que teve os seguintes pontos anatômicos marcados: 5º metatarso, maléolo lateral, cabeça da fíbula e trocânter maior. A fase de preparo e de impulso, neste estudo chamado de fase de preparo, foi determinada pela curva de velocidade angular do joelho. A aterrissagem foi analisada no 1s, 2s e 3s após aterrissagem. Foram calculados para comparação o CP-AP, o CP-ML e o ângulo e velocidade angular máxima e mínima do tornozelo e joelho. Comparação intergrupos dos intervalos de interesse foi realizada aplicando-se Teste de Mann- Whitney aos dados (p<0.05). Comparação intragrupo, entre os intervalos de interesse foi realizada aplicando-se o teste de Friedman seguido do teste de Wilcoxon (p<0.05). Este estudo revelou que indivíduos com hiperextensão de joelhos apresentam controle postural diferente dos com joelhos alinhados durante a execução do salto vertical. Durante a fase de preparo os indivíduos com joelhos hiperextendidos apresentam maior ângulo de extensão de joelhos e maior deslocamento lateral do COP. Durante a fase de aterrissagem os indivíduos com joelhos hiperextendidos apresentam maior ângulo de extensão e menor ângulo de flexão demandando menor deslocamento lateral do COP do que os indivíduos alinhados / Postural misalignment of knee such as hyperextended knees may compromise postural control during vertical jump. Therefore, the aim of this study was to analyze COP and lower limbs movements during vertical jump comparing individuals with hyperextended and aligned knees. Sixteen young and healthy women were analyzed during their maximal vertical jump using a MTI force plate. Subjects were classified as hyperextended (n=11) or aligned (n=5) knees according to clinical observation of knee angle. Subjects were asked to stand still on the force plate and then jump as high as possible. Kinematic data were acquired using a camera located in standardized position at the right side of the subject. Anatomical landmarks were placed at the right side at: 5º metatarsal, lateral malleolus, head of fibula and greater throcanter. The phase of preparation associated to the phase of propulsion was called in this study the phase of preparation. This phase was established based on the curve of angular velocity of the knee. Landing was analyzed in the first, second and third second immediately after landing. COP-AP, VM-AP, COPML and VM-ML were calculated. Kinematic parameters were maximum and minimum ankle and knee angle and angular velocity. Intergroup comparison was carried using Mann-Whitney Test (p<0.05). Intergroup comparison was carried using Friedman Test followed by Wilcoxon Test (p<0.05). This study revealed that subjects with hyperextended knee present different postural control compared to the subjects with aligned knees while performing a vertical jump. During the phase of preparation subjects with hyperextended knees revealed higher angle of knee extension and lower COP-ML displacement. During the phase of landing subjects with hyperextended knees present higher angle of knee extension and lower angle of knee flexion requiring lower displacement of COP-ML when compared to subjects with aligned knee
39

Análise postural e atividade eletromiográfica em pacientes com osteoartrite de joelhos / Postural analysis and electromyographic activity in patients with osteoarthritis of the knee

Sencovici, Luciano 31 March 2010 (has links)
A Osteoartrite é o resultado da degeneração da cartilagem articular, sendo atualmente considerada uma condição comum e de causa multifatorial que afeta milhões de pessoas anualmente e uma das principais causas de dor e incapacidade funcional. Os joelhos são uma das articulações mais afetadas devido à sobrecarga, que constitui o principal mecanismo ativador ou determinante para o desenvolvimento da doença. Há diminuição importante da amplitude de movimento e da força muscular que acarreta em uma limitação funcional e alterações posturais interferindo nas atividades de vida diária. O objetivo principal desta pesquisa foi caracterizar as alterações posturais e a atividade eletromiográfica em pacientes com osteoartrite de joelho. Este estudo envolveu 30 mulheres voluntárias divididas em dois grupos: Grupo controle (GC) composto por 15 idosas (66,0±4,5 anos, IMC de 25,4±2,29 Kg/m2) e um grupo composto de 15 idosas com diagnóstico radiográfico de OA de joelhos Grupo osteoartrite (GO) (67,0±5,8 anos, IMC de 26,2±2,98 Kg/m2) bilateralmente, sendo um joelho sintomático e um assintomático. Para a análise postural foi utilizado o programa SAPO® na qual foram realizadas fotografias no plano sagital e frontal. Através do programa foram mensurados o ângulo Q e o ângulo do joelho bilateralmente. Foi realizada a avaliação eletromiográfica na CIMV bilateralmente do vasto lateral e medial. A avaliação na CIMV foi realizada com os sujeitos sentados na maca (joelhos em 90º de flexão). Foi solicitado ao sujeito realizar uma extensão de joelho ativa contra a resistência durante cinco segundos, repetindo esse processo por três vezes. Para a análise estatística foram utilizados teste de Shapiro-Wilk para normalidade, teste Levene para homocedasticidade e o teste de correlação de Spearman. As comparações entre os grupos foram realizadas por meio de duas ANOVAs one-way. No GO os sujeitos apresentaram uma capacidade funcional muito grave (IFL = 12), e de gravidade moderada na avaliação radiológica (escala de Kellgren = 2), no GC os sujeitos não possuíam dor. No GO o ângulo Q foi de 19,9º para o joelho com OA e de 19,1º para o assintomático (p=0,732). No GC obteve-se um ângulo Q de 19,8º (p=0,955) entre os dois joelhos. Na distância intercondilar o GC foi de 2,9 cm enquanto que no GO foi de 5,3 cm (p=0,168) e na distância intermaleolar o GC foi de 7,2 cm e no GO foi de 12,3 cm (p=0,156). Houve diferença estatística nos valores nas RMS do vasto lateral e medial nos joelhos controle (VL=545,2±40V / VM=456,9±45V) em relação aos joelhos sintomáticos (VL=338,6±54V / VM=291,7±40V) (p=0,001) para ambos os músculos. Já nas comparações entre os joelhos controle (VL=545,2±40V / VM=456,9±45V) e assintomático (VL=540,9±19V / VM=443,8±18V) não foram observados diferenças estatísticas (p=0,430 para VL e p=0,956 para VM). Nas comparações entre os joelhos sintomáticos (VL=338,6±54V / VM=291,7±40V) e assintomáticos (VL=540,9±19V / VM=443,8±18V) foram observadas as diferenças estatísticas significativas nos dois músculos analisados (p=0,001 para ambos). Ocorreu um predomínio de joelhos valgos nos dois grupos sem significância estatística. Na eletromiografia de superfície as portadoras de osteoartrite de joelhos apresentaram alterações na atividade muscular como diminuição da atividade muscular em VL e VM na CIMV em comparação ao GC e GO assintomáticos. / Osteoarthritis (OA) is the result of articular cartilage degeneration and is currently considered a common condition with multifactorial causes that affects millions of individuals annually and is one of the principal causes of pain and functional incapacity. The knees are one of the articulations most affected due to the overload that constitutes the principal activator or determinant mechanism for the development of the disease. An in important reduction in movement amplitude and muscular strength occurs that provokes functional limitation and postural alterations, interfering in daily life activities. The main objective of this research was to characterize the postural alterations and electromyographic activity in patients with OA in the knee. This study involved 30 female volunteers, divided into two groups: Control group (CG), composed of 15 elderly women (66.0±4.5 years-old, BMI 25.4±2.29 Kg/m2); and the Osteoarthritis group (OG), composed of 15 elderly women (67.0±5.8 yearsold, BMI 26.2±2.98 Kg/m2), with bilateral radiographic diagnosis of OA of the knees, one symptomatic and one asymptomatic. The SAPO® program was used for postural analysis, based on sagital and frontal plane photographs, which measured the Q angle and angle of the knees bilaterally. Electromyographic evaluation was conducted bilaterally to determine the maximum voluntary isometric contraction (MVIC) of the vastus lateralis and medialis. MVIC was performed with the subjects seated on a bed with the knees at 90º flexion. The subject was asked to perform active extension of the knee against resistance for 5 seconds, repeating this process three times. For statistical analysis, the Shapiro-Wilk test was used for normality, the Levene test for homocedasticity and the Spearman correlation test. Group comparisons were performed by one-way ANOVA. In the OG, the subjects presented severely affected functional capacity (LFI=12) and moderately severe radiological evaluations (Kellgren scale=2), while the CG presented no pain. In the OG, the Q angle was 19.9º for the OA knee and 19.1º for the asymptomatic knee (p=0.732), while in the CG, a Q angle of 19.8º (p=0.955) was obtained for both knees. The intercondylar distance was 2.9 cm for the CG and 5.3 cm for the OG (p=0.168), while the intermalleolar distance was 2.9 cm for the CG and 7.2 cm for the OG (p=0,156). Significant differences occurred in RMS values for the vastus lateralis and medialis in the control knees (VL=545,2±40V / VM=456,9±45V) compared to the symptomatic knees (VL=338,6±54V / VM=291,7±40V) (p=0.001) for both muscles; however, no statistical differences were observed between the control (VL=545,2±40V / VM=456,9±45V) and asymptomatic knees (VL=540,9±19V / VM=443,8±18V). Comparisons between symptomatic (VL=338,6±54V / VM=291,7±40V) and asymptomatic knees (VL=540,9±19V / VM=443,8±18V) showed statistically significant differences in both muscles analyzed (p=0.001 for both). Predominance occurred for valgus knees in both groups with no statistical significance. In the surface electromyography, patients with OA in the knees presented alterations in muscular activity, including diminished MVIC muscular activity in the VL and VM compared to the CG and OG asymptomatic knee.
40

Avaliação termográfica comparativa da articulação do joelho íntegro e de cães submetidos a duas técnicas de osteotomia corretiva para estabilização articular após ruptura de ligamento cruzado cranial / Thermographic evaluation of the normal canine stifle and comparative study of Tibial tuberosity advancement and Tibial plateau leveling osteotomy techniques

Nina, Marcos Ishimoto Della 17 December 2012 (has links)
A grande casuística relacionada à afecção ortopédica denominada ruptura do ligamento cruzado cranial na articulação fêmoro tíbio patelar canina tem gerado diversos estudos avaliando a biomecânica articular, fatores extrínsecos ao paciente e características metabólicas que poderiam influenciar na predisposição e no prognóstico dos pacientes acometidos por esta afecção. As dificuldades em identificar os diferentes níveis de instabilidade articular durante o diagnóstico e de estabilidade após o tratamento proposto, seja cirúrgico ou conservativo, provocou o desenvolvimento de diversas técnicas visando um melhor diagnóstico e estabilização articular pós operatória. Apesar da ampla variedade de técnicas cirúrgicas atualmente descritas para a insuficiência do ligamento cruzado cranial (LCC) em cães o tratamento ideal para esta freqüente condição ortopédica permanece indeterminado. Foram avaliados através da termografia infravermelha 30 pacientes caninos acima de 20 quilos sendo divididos em três grupos, o primeiro composto por dez animais hígidos onde foram analisados termograficamente os joelhos bilaterais a fim de padronizar valores térmicos de joelhos caninos normais, o segundo grupo composto por dez pacientes diagnosticados com instabilidade da articulação fêmoro tíbio patelar unilateral que foram submetidos a técnica cirúrgica de TTA para estabilização articular e o terceiro grupo composto por dez animais com diagnóstico de instabilidade da articulação fêmoro tíbio patelar unilateral que foram submetidos a técnica cirúrgica de TPLO para estabilização articular. Os grupos TTA e TPLO foram avaliados termograficamente em período pré operatório e nos momentos 30, 60 e 90 dias de pós operatório. Aos 30 dias de pós operatório houve diferença estatística com o grupo TPLO obtendo valores superiores ao grupo TTA. No período de 60 e 90 dias, não encontramos diferenças estatisticamente significantes nos valores comparativos dos membros operados em relação ao contralateral hígido podendo indicar que as duas técnicas cirúrgicas são capazes de trazer a articulação operada a uma condição de normalidade do ponto de vista termográfico. / The large number of cases related to the orthopedic condition called cranial cruciate ligament rupture in dogs has generated several studies evaluating the joint biomechanics, metabolic and environment characteristics that could influence the susceptibility and prognosis of patients affected by this condition. The difficulties in identifying the different levels of joint instability during diagnosis and joint stability after surgical or conservative treatment led to the development of several surgical techniques aiming a better diagnosis and joint stabilization. Despite the wide variety of surgical techniques currently described for the insufficiency of the cranial cruciate ligament (CCL) in dogs the ideal treatment for this common orthopedic condition remains uncertain. We evaluated using infrared thermography 30 canine patients over 20 kg. They were separated into three groups: the first group were consisted of ten healthy dogs, where we evaluated thermographycally their bilateral stifle in order to acquire thermal values of normal canine knees, the second group had ten patients diagnosed with instability of one stifle and were operated using the surgical technique called TTA and the third group were consisted of ten animals with a diagnosis of instability of unilateral stifle who underwent surgical procedure using the surgical technique called TPLO. The TTA and TPLO groups were evaluated thermographycally before surgery and at times 30, 60 and 90 days postoperatively. At 30 days evaluation we found significant differences between the TPLO and the TTA groups. At 60 and 90 days evaluation there were no significant differences between the operated limb in both groups and their contralateral not affected stifle. This results may indicate that both surgical techniques can bring the stifle back to normal thermographic parameters.

Page generated in 0.0474 seconds