• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 91
  • 5
  • 4
  • 3
  • 2
  • 1
  • Tagged with
  • 109
  • 109
  • 60
  • 49
  • 25
  • 24
  • 20
  • 17
  • 13
  • 12
  • 12
  • 12
  • 10
  • 10
  • 10
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Estudo de alterações fenotípicas em células da imunidade inata e adaptativa na infecção por Leishmania (L) chagasi / Study of phenotypic alterations in cells of the innate and adaptive immunity in the infection for Leishmania (L) chagasi

Marciano, Ana Paula Vieira January 2006 (has links)
Made available in DSpace on 2012-05-07T15:26:23Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) 000004.pdf: 2428917 bytes, checksum: 67c2e37d0c711d05795c8b9532bbba9f (MD5) Previous issue date: 2006 / [...] Nesse trabalho analisamos características imunofenotípicas de leucócitos do sangue periférico de indivíduos portadores de LV clássica, indivíduos portadores de LV assintomática e indivíduos curados da LV, com ênfase em células envolvidas na resposta imune inata e adaptativa. [...] mecanismos imunológicos que acompanham a infecção humana por Leishmania e a cura após tratamento etiológico são constituídos de eventos complexos, multifatoriais que envolvem o estabelecimento concomitante de ativação e imunorregulação do compartimento da imunidade celular inata bem como aspectos fenotípicos sugestivos da ativação e co-estimulação paralela da imunidade adaptativa celular e humoral. Esse perfil complexo e, a princípio controverso, de alterações fenotípicas pode ser parcialmente esclarecido, quando consideramos a importância da análise das diversas formas clínicas da LV e o impacto da terapêutica específica. Nesse contexto, observamos um predomínio de alterações fenotípicas associadas a mecanismos de ativação e co-estimulação celular, tanto na imunidade inata quanto na imunidade adaptativa, favorecendo o estabelecimento e manutenção de doença ativa em indivíduos portadores de LV clássica. Destaca-se nestes indivíduos o papel de linfócitos T CD8 citotóxicos na manutenção e progressão da infecção, associado à presença de linfócitos B. [...], observamos que a terapêutica etiológica da LV, favorece à restauração, para níveis semelhantes aos observados em indivíduos não infectados, do número de células ativadas e expressando moléculas coestimuladoras no âmbito da imunidade inata e adaptativa, associada à presença de mecanismos imunorreguladores efetivos. Já na infecção assintomática, observamos a presença de um perfil fenotípico preservado. No compartimento da imunidade inata, observou-se um padrão fenotípico semelhante ao observado em indíviduos não infectados e uma diminuição no número de monócitos pró-inflamatórios. No âmbito da resposta imune adaptativa, observou-se a preservação de sinais fenotípicos de ativação celular em linfócitos T em associação à redução na participação de linfócitos B, compatível com a hipotese de ausência de manifestação sistêmica na infecção assintomática por L. (L.) chagasi. Em conjunto, nossos resultados demonstram a importância do estudo de aspectos imunológicos envolvidos às diversas formas clínicas da LV para melhor caracterização de eventos da resposta imune associados à progressão e à resistência da doença
2

Interações entre os níveis de NO,ROS e atividade HO-1 com a apoptose de células mononucleares de sangue periférico e leucócitos de baço de cães com leishmaniose visceral /

Leal, Aline Aparecida Correa. January 2016 (has links)
Orientador: Valeria Marçal Felix de Lima / Banca: Maria cecilia Rui Luvizotto / Banca: Rosemeri de Oliveira Vasconcelos / Resumo: Leishmania são protozoários intracelulares obrigatórios que infectam células fagocitárias de mamíferos ocasionando a leishmaniose visceral canina (LVC). Por apresentarem um intenso parasitismo cutâneo, os cães infectados possuem papel chave na transmissão da doença. Para sobreviver no hospedeiro, as leishmanias são capazes de desenvolver mecanismos de escape por alterações das respostas de células fagocitárias, tais como o NO e o ROS responsáveis pela morte intracelular do parasita. A HO-1 também pode estar envolvida na regulação da resposta imune, porém seu papel na leishmaniose visceral canina ainda não está claro. A produção excessiva de NO, ROS e HO-1 pode ser prejudicial e estar relacionada com a apoptose e desregulação imunológica na LVC. Assim o este estudo teve a finalidade de investigar os níveis de ROS, NO e atividade HO-1 em células mononucleares do sangue periférico e leucócitos do baço e sua correlação com a apoptose celular. Para isso foram utilizadas células mononucleares sanguíneas e leucócitos de baço de cães infectados e saudáveis. As células foram isoladas e cultivadas durante 24 horas, na sequencia foram incubadas com sondas para NO ou ROS e foi determinada a apoptose celular. Todos as análises foram realizadas por citômetria de fluxo. Após a lise das células em cultura, a atividade HO-1 foi determinada no lisado celular por método colorimétrico. O metabolismo oxidativo estava reduzido e a taxa de apoptose dos mononucleares sanguíneos aumentada, por influê... (Resumo completo, clicar acesso eletrônico abaixo) / Abstract: Leishmania are obligate intracellular protozoan that infects phagocytic mammalian cells causing canine visceral leishmaniasis (CVL). Because they have an intense cutaneous parasitism, infected dogs have key role in disease transmission. To survive in the host, the Leishmania are able to develop escape mechanisms by changes in phagocytic cell responses, such as the NO and the ROS responsible for the death of intracellular parasites. The HO-1 may also be involved in regulating the immune response, but their role in canine visceral leishmaniasis is not yet clear. The excessive production of NO, ROS and HO-1 can be detrimental and to be related to immune dysregulation and apoptosis in LVC. So this study aimed to investigate the levels of ROS, NO and HO-1 activity in mononuclear cells of peripheral blood leukocytes and spleen and its correlation with cell apoptosis. For this they used blood mononuclear cells and spleen leukocytes from infected and healthy dogs. Cells were isolated and cultured for 24 hours following probes were incubated with NO or ROS and cell apoptosis was determined. All analyzes were performed by flow cytometry. After lysis of the cells in culture, HO-1 activity in cell lysate was determined by a colorimetric method. Oxidative metabolism was reduced and the apoptosis rate of increased blood mononuclear, influenced by ROS. The levels of ROS and NO were decreased in leukocytes from the spleen of infected dogs, and increased apoptotic rate was observed in spleen ... (Complete abstract click electronic access below) / Mestre
3

Estudo da coinfecção Leishmania infantum e Ehrlichia canis em cães numa área endêmica para leishmaniose visceral canina

Carvalho, Rayssa Maria de Araujo January 2015 (has links)
Submitted by Ana Maria Fiscina Sampaio (fiscina@bahia.fiocruz.br) on 2016-02-04T15:41:20Z No. of bitstreams: 1 Rayssa Maria de Araujo Carvalho Estudo da coinfecção...2015.pdf: 2144928 bytes, checksum: 48b23a40107abab111363e306597b10d (MD5) / Approved for entry into archive by Ana Maria Fiscina Sampaio (fiscina@bahia.fiocruz.br) on 2016-02-04T15:41:45Z (GMT) No. of bitstreams: 1 Rayssa Maria de Araujo Carvalho Estudo da coinfecção...2015.pdf: 2144928 bytes, checksum: 48b23a40107abab111363e306597b10d (MD5) / Made available in DSpace on 2016-02-04T15:41:45Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Rayssa Maria de Araujo Carvalho Estudo da coinfecção...2015.pdf: 2144928 bytes, checksum: 48b23a40107abab111363e306597b10d (MD5) Previous issue date: 2015 / Fundação Oswaldo Cruz, Centro de Pesquisas Gonçalo Moniz. Salvador, BA, Brasil / Universidade Federal da Bahia, Faculdade de Medicina. Salvador, BA, Brasil / A Erliquiose Monocítica Canina (EMC) e a Leishmaniose Visceral Canina (LVC) são duas doenças, transmitidas por vetores, com ampla distribuição mundial. Os agentes causadores dessas doenças são Ehrlichia canis e Leishmania infantum, respectivamente. Enquanto a EMC é transmitida por carrapatos, principalmente Rhipicephalus sanguineus, a Leishmania é inoculada no hospedeiro através do inseto-vetor da subfamilia Phlebotominae. A maioria dos sinais físicos são comuns às duas enfermidades, o que dificulta o diagnóstico clínico e o tratamento, especialmente em áreas endêmicas. Poucos são os estudos relacionados à coinfecção da erliquiose e leishmaniose caninas no Brasil. No Piauí, particularmente em Teresina, ainda não se tem dados concretos sobre a prevalência dessas afecções.Os sinais físicos variam com a severidade da infecção, a resposta imune do hospedeiro e a presença de coinfecção. Assim, buscamos avaliar cães, independente dos sinais físicos, atendidos no hospital universitário e clínicas particulares da cidade de Teresina, Piauí quanto a frequência de erliquiose e leishmaniose caninas no período de março de 2012 a setembro de 2014, independente de sexo, raça, idade e suspeita clínica, excetuando os cães que vinham apenas para vacinação. Foi realizado exame clínico e colhidas amostras sanguíneas para exame hematimétrico, bioquímico, parasitológico e molecular. Dos 664 cães avaliados para E. canis, 22,9% tiveram o DNA amplificado somente para esta bactéria. No caso de Leishmania infantum, houve amplificação de DNA em 29,1% dos 664 cães, sendo que, destes, 80 (12,1%) estavam coinfectados com E.canis. Anemia e trombocitopenia foram as principais alterações hematológicas observadas em cães infectados tanto com E. canis, como com L. infantum e coinfectados. As principais alterações bioquímicas nos cães com infecção apenas por L. infantum, assim como nos coinfectados, foram hipoglobulinemia e hiperproteinemia. Já nos monoinfectados por E. canis a hipoalbuminemia e a uremia foram as principais alterações. Perda de peso, úlceras, apatia, conjuntivite, palidez nas mucosas, alópecia e linfoadenomegalia são mais frequentes em cães monoinfectados com L. infantum do que nos infectados apenas com E. canis. Além disso, os cães coinfectados apresentam uma doença mais severa do que os monoinfectados. Concluímos que a presença da coinfecção por esses agentes infecciosos é endêmica na cidade de Teresina-Piauí e que existe um sinergismo entra as duas doenças.Portanto, destacamos aqui a relevância dos estudos voltados a epidemiologia e melhoria dos testes diagnósticos para uma prevenção e/ou controle mais eficazes dessas doenças. Palavras / The Canine Monocytic Ehrlichiosis (CME) and Canine Visceral Leishmaniasis (CVL) are the two vector-borne diseases with worldwide distribution. The causative agents of these diseases are Ehrlichia canis and Leishmania infantum, respectively. While CME is transmitted by ticks, especially Rhipicephalus sanguineus, Leishmania is inoculated into the host through the insect vector of the subfamily Phlebotominae. Most clinical signs are common to both conditions, which hinders the clinical diagnosis and treatment, especially in endemic areas. There are few studies related to the coinfection of canine ehrlichiosis and leishmaniasis in Brazil. In Piaui, particularly in Teresina, there is not yet concrete data on the prevalence of these diseases. The clinical signs vary according to the severity of the infection, to the host immune response and to the presence of coinfection. Thus, we sought to evaluate dogs, regardless of clinical signs, seen at university hospital and private clinics in the city of Teresina, Piauí, for the frequency of canine ehrlichiosis and leishmaniasis from March 2012 to September 2014, regardless of sex, race, age and clinical suspicion, except dogs that came just to vaccination purposes. Clinical examination was performed and blood samples for erythrocyte examination, biochemical, and molecular parasitology were collected. From 664 dogs evaluated for E. canis, 22, 9% showed amplified DNA, to this bacterium only . Regarding to Leishmania infantum, there was DNA amplification in 29, 1% out of the 664 dogs, and, from these, 80 (12, 1%) were coinfected with E. canis. Anemia and thrombocytopenia were major hematologic changes observed in dogs infected with Leishmania, E.canis and coinfected dogs. The main biochemical findings in dogs infected by L. infantum and coinfected were hyperalbuminemia, hypoglobulinemia and hyperproteinemia. In those infected only by E. canis, hypoalbuminemia and uremia were the main changes. Weight loss, skin lesions, lethargy, conjunctivitis, pale mucous membranes, alopecia and enlarged lymphnodes are more common in dogs with L. infantum than in dogs infected only with E.canis. In addition, the coinfected dogs have a more severe disease than the ones with only one infection. We conclude that the presence of coinfection by these infectious agents are endemic in the city of Teresina, Piauí, and that there is a synergism between the two diseases. Therefore, we highlight here the relevance of studies regarding epidemiology and improvement of diagnostic tests for prevention and / or control of the diseases in a more effective way.
4

O papel da heme oxigenase-1 na leishmaniose visceral canina /

Almeida, Breno Fernando Martins de. January 2016 (has links)
Orientador: Valéria Marçal Felix de Lima / Coorientador: Paulo César Ciarlini / Banca:Luiz Daniel de Barros / Banca:Flavia Lombardi Lopes / Banca:Suely Regina Mogami Bomfim / Banca; Rosimeri de Oliveira Vasconcelos / Resumo: A leishmaniose visceral canina (LVC) é uma doença crônica que causa imunossupressão nos animais doentes, principalmente por prejudicar a resposta imunológica celular, diminuindo a proliferação linfocitária e a capacidade fagocítica das células de defesa. Recentemente, a enzima heme oxigenase-1 (HO-1) vem ganhando destaque por estar envolvida na regulação da resposta imune celular em algumas condições patológicas, sendo uma enzima induzível por condições de estresse, como o estresse oxidativo que sabidamente ocorre na LVC. Nesse contexto, esse trabalho teve por objetivo determinar o papel da HO-1 na LVC, determinando sua concentração e expressão em cães infectados e saudáveis, correlacionando-a com o estresse oxidativo, carga parasitária e IL-10. Objetivou-se também avaliar o efeito da indução e inibição da enzima sobre a resposta linfoproliferativa de células de linfonodo de cães doentes e sobre a taxa de infecção macrofágica por promastigotas de Leishmania infantum, determinando as citocinas envolvidas. Os cães com LVC apresentaram marcante estresse oxidativo e aumento da concentração e expressão de HO-1, obtendo-se correlação positiva entre HO-1e estresse oxidativo e IL-10 de acordo com o tecido analisado. A inibição de HO-1 aumentou a taxa de proliferação celular na presença de antígeno solúvel de L. infantum, enquanto a indução de HO-1 diminuiu a taxa de proliferação antígeno-específica e aumentou a taxa de infecção macrofágica e o número de amastigotas por macrófago. Con... (Resumo completo, clicar acesso eletrônico abaixo) / Abstract: Canine visceral leishmaniasis (CVL) is a chronic disease that causes immunosuppression by reducing the cellular response of infected animals, impairing the cell proliferation and the phagocytic ability of defense cells. Recently, heme oxygenase-1 (HO-1) has been highlighted for being involved in regulation of cell response in certain pathological conditions, and for being an enzyme that can be induced by stress conditions, such as oxidative stress, that is known to occur in CVL. In this context, this study aimed to determine the role of HO-1 in CVL, determining its levels and expression in infected and healthy dogs, correlating these findings with oxidative stress, parasite load and IL-10. The effect of induction and inhibition of HO-1 on lymphoproliferative response by lymph node cells of infected dogs and macrophage infection rate by promastigotes of Leishmania infantum were also evaluated. Dogs with CVL showed marked oxidative stress and increased levels and expression of HO-1, obtaining a positive correlation between HO-1 and oxidative stress and IL-10 in a tissue-dependent way. Inhibition of HO-1 increased proliferation rate in the presence of L. infantum soluble antigen, while induction of HO-1 decreased antigen-specific proliferation and increased macrophage infection rate and number of amastigotes per macrophage. The increase in HO-1 metabolism observed in CVL is associated to oxidative stress present in these dogs and could be one of the mechanisms involved in the in... (Complete abstract click electronic access below) / Doutor
5

Estudo molecular de Cepas de Leishmania (L.) Infantum Chagasi isoladas de Flebotomíneos Lu. Longipalpis de área endêmica de Leishmaniose visceral da Amazônia Brasileira

Lidani, Kárita Cláudia Freitas 30 September 2013 (has links)
Resumo: A Leishmaniose Visceral (LV) é uma doença endêmica em vários estados do Brasil. O agente etiológico é o protozoário Leishmania (L.) infantum chagasi e o principal vetor é o flebotomíneo da espécie Lutzomyia longipalpis. Estudos epidemiológicos têm utilizado a PCR convencional para mensurar a taxa de infecção de flebotomíneos, como estratégia para aumentar a sensibilidade diagnóstica. Entre as principais vantagens deste método destaca-se a sensibilidade e especificidade, independente do número, estágio e localização de Leishmania no trato digestivo do vetor. Nesse sentido, o presente trabalho objetivou comparar genes com diferentes números de cópias para detectar L. chagasi em área endêmica para LV da Amazônia oriental, no município de Barcarena, estado do Pará. Foram realizadas capturas de 280 fêmeas de flebotomíneos Lu. longipalpis utilizando armadilhas de luz tipo CDC, no período de novembro de 2003 a fevereiro de 2004. O DNA foi extraído a partir do inseto inteiro, sem dissecção prévia, utilizando SDS e KOAc e empregado em reações de PCR para os genes de Leishmania: mini-exon, DNA do cinetoplasto (kDNA) e subunidade ribossomal 18S (SSU-rRNA). Foram empregados os seguintes iniciadores: D1 (5'-CCAGTTTCCCGCCCCG-3') e D2 (5'-GGGGTTGGTGTAAAATAG-3') que amplificam 780pb do gene kDNA; R221 (5'-GGTTCCTTTCCTGATTTACG-3') e R332 (5'-GGCCGGTAAAGGCCGAATAG-3') que amplificam 600pb do gene da subunidade menor do ribossomo (SSU-rRNA); S1629 (5'-GGGAATTCAATAWAGTACAGAAACTG-3') e S1630 (5'-GGGAAGCTTCTGTACTWTATTGGTA-3') que amplificam 400pb do gene mini-exon. A amplificação do gene da subunidade 28S rRNA (Lu1- 5'-TGAGCTTGACTCTAGTTTGGCAC3' e Lu2 5'-AGATGTACCGCCCCAGTCAAA-3') de Lu. longipalpis foi utilizado como controle para a extração do DNA do vetor, amplificando um fragmento de aproximadamente 370pb. Do total de 280 amostras de fêmeas Lutzomyia longipalpis, 24 (8,6%) apresentaram resultados positivos para o gene kDNA; 20 (7,1%), para o gene mini-exon; e 15 (5,3%) para o gene SSU-rRNA. Assumindo o resultado da taxa de infecção natural para o kDNA, a sensibilidade dos testes para os genes mini-exon e SSU-rRNA foi de 83,3% e 63%, respectivamente. A taxa de infecção foi considerada elevada e preocupante, visto que 62,5% dos vetores infectados foram coletados no intradomicílio; 37,5%, no peridomicílio. Os dados demonstram a importância da PCR como ferramenta para investigação da epidemiologia molecular da leishmaniose visceral para a estimativa de risco de transmissão da doença em área endêmica, com maior confiabilidade para o uso do DNA do cinetoplasto do parasita como marcador.
6

Diferenças entre sexos repercutem na carga parasitária e parâmetros bioquímicos na infecção experimenta l por Leishmania infantu

Marinho, Ananda Isis Lima 11 1900 (has links)
Submitted by Pós Imunologia (ppgimicsufba@gmail.com) on 2017-03-14T18:58:18Z No. of bitstreams: 1 dissertação Ananda Isis Lima de Marinho.pdf: 1076899 bytes, checksum: 21e99adf683c19eda3cf6952ccc97d03 (MD5) / Approved for entry into archive by Delba Rosa (delba@ufba.br) on 2017-04-24T13:08:50Z (GMT) No. of bitstreams: 1 dissertação Ananda Isis Lima de Marinho.pdf: 1076899 bytes, checksum: 21e99adf683c19eda3cf6952ccc97d03 (MD5) / Made available in DSpace on 2017-04-24T13:08:50Z (GMT). No. of bitstreams: 1 dissertação Ananda Isis Lima de Marinho.pdf: 1076899 bytes, checksum: 21e99adf683c19eda3cf6952ccc97d03 (MD5) / CNPq / Nas infecções parasitárias alguns fatores estão associados com a susceptibilidade do hospedeiro, dentre eles o sexo, a idade, condição genética, fatores ambientais e o estado imunológico. Diferenças entre os sexos são observadas em diversas infecções. Acredita- se que isto ocorra devido a ações de hormônios sexuais, podendo afetar os diferentes tipos de resposta imune. A Leishmaniose é um grave problema de saúde pública apresentando aumento da prevalência e afetando grande parte da população mundial. No Brasil é endêmica e o Nordeste é a região mais afetada. A forma visceral é a mais grave podendo levar o indivíduo a óbito se não tratada. Objetivamos determinar se existe diferença entre sexos no modelo experimental de LV. Hamsters (Mesocricetus auratus) machos e fêmeas foram infectados com L. infantum/chagasi através da injeção intradérmica e comparados com animais controles, após 5 meses de infecção. Após eutanásia sangue, baço e fígado foram coletados para as análises de carga parasitária, histológicas e de parâmetros bioquímicos. As fêmeas infectadas apresentaram um maior tamanho de baço que os machos infectados. Porém, foram os machos que apresentaram maior carga parasitária. As alterações bioquímicas foram maiores nas fêmeas, podendo estar relacionadas às alterações histológicas observadas no fígado das mesmas. As fêmeas infectadas apresentaram concentrações séricas inferiores de estradiol quando comparadas com fêmeas não infectadas. Essa redução não foi detectada nos machos. Nossos resultados indicam que existem diferenças entre sexos na LV experimental. A determinação de diferenças entre os sexos nas respostas às infecções é de fundamental importância na escolha da melhor abordagem terapêutica para o tratamento das enfermidades, incluindo as leishmanioses. / In parasitic infections some factors are associated with the susceptibility of the host, including sex, age, genetic condition, environmental factors and immune status. Gender differences are observed in various infections. It is believed it occurs due to sex hormones, which may affect different types of immune responses. Leishmaniasis is a serious public health problem presenting increased prevalence and affecting much of the world population. In Brazil it is endemic and the Northeast is the most affected region. The visceral form is the most severe and may cause death if left untreated. We aimed to determine whether there is gender difference in the experimental model of LV. Hamsters (Mesocricetus auratus) males and females were infected with L. infantum / chagasi by intradermal injection and compared with control animals after 5 months of infection. After euthanasia, blood, spleen and liver were collected for parasite load, histological and biochemical parameters analysis. Infected females showed an increase in the size of spleen compared to infected males. However, males had higher parasite burden. Biochemical changes were higher in females, which may be related to the histological changes observed in their liver. Infected females had lower serum concentrations of estradiol compared to uninfected females. This reduction was not detected in males. Our results indicate that there are gender differences in experimental LV. The determination of sex differences in responses to infection is very important in choosing the best therapeutic approach for the treatment of diseases, including leishmaniasis.
7

Analyses transcriptomiques et protéomiques de la résistance à l'antimoine et de son mode d'action chez la forme amastigote du parasite Leishmania infantum

El Fadili, Karima January 2007 (has links)
No description available.
8

Avaliação da atividade leishmanicida do extrato aquoso de própolis verde e de sua associação com o antimoniato de meglumina livre ou lipossomal em camundongos BALB/c infectados com Leishmania infantum.

Ferreira, Flávia Monteiro January 2013 (has links)
Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas. CIPHARMA, Escola de Farmácia, Universidade Federal de Ouro Preto. / Submitted by Maurílio Figueiredo (maurilioafigueiredo@yahoo.com.br) on 2015-01-28T17:51:37Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 22190 bytes, checksum: 19e8a2b57ef43c09f4d7071d2153c97d (MD5) DISSERTAÇÃO_AvaliaçãoAtividadeLeishmanicida.pdf: 1885846 bytes, checksum: f5a4b75f79b82eb4d3a774329357062f (MD5) / Approved for entry into archive by Gracilene Carvalho (gracilene@sisbin.ufop.br) on 2015-01-28T19:37:32Z (GMT) No. of bitstreams: 2 license_rdf: 22190 bytes, checksum: 19e8a2b57ef43c09f4d7071d2153c97d (MD5) DISSERTAÇÃO_AvaliaçãoAtividadeLeishmanicida.pdf: 1885846 bytes, checksum: f5a4b75f79b82eb4d3a774329357062f (MD5) / Made available in DSpace on 2015-01-28T19:39:27Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 22190 bytes, checksum: 19e8a2b57ef43c09f4d7071d2153c97d (MD5) DISSERTAÇÃO_AvaliaçãoAtividadeLeishmanicida.pdf: 1885846 bytes, checksum: f5a4b75f79b82eb4d3a774329357062f (MD5) Previous issue date: 2013 / O presente estudo avaliou a utilização do extrato aquoso de própolis verde (EAPV) e de sua associação ao antimoniato de meglumina livre ou encapsulado em lipossomas para o tratamento da leishmaniose visceral (LV) em modelo murino. In vitro, avaliou-se o efeito do EAPV e de sua associação com o antimoniato de meglumina livre sobre a viabilidade de células J774-A1. O EAPV não apresentou toxicidade nas concentrações testadas e foi capaz de reduzir o efeito tóxico do antimoniato de meglumina livre. Para o experimento in vivo, camundongos BALB/c isogênicos foram inoculados com 1 x 107 promastigotas de Leishmania (Leishmania) infantum (cepa C43). Após duas semanas de infecção, os animais foram divididos em sete grupos (n=8) e tratados com: (1) dose única de tampão fosfato por via intraperitoneal (ip), (2) dose única de antimoniato de meglumina livre (AM) (30 mg/Kg) ip., (3) dose única de lipossomas vazios ip, (4) dose única de antimoniato de meglumina lipossomal (30 mg/Kg) ip., (5) dose diária de EAPV (500 mg/kg/dose) durante 14 dias via oral; (6) associação do EAPV (esquema terapêutico igual ao grupo 5) ao AM (30 mg/kg) ip. e (7) associação do EAPV (esquema terapêutico igual ao grupo 5) ao antimoniato de meglumina lipossomal (30 mg/kg) ip. Duas semanas após o tratamento, os animais foram eutanasiados e avaliou-se a carga parasitária no fígado e baço pelo método de diluição limitante. Além disso, foi realizada análise do perfil de células do baço por citometria de fluxo, toxicidade cardíaca, hepática e renal pela dosagem de marcadores bioquímicos (CKMB, TGO/ALT, TGP/ASP, creatinina) e a histopatologia do fígado e baço. O tratamento com EAPV reduziu a carga parasitária no fígado (44%), mas não no baço. Além disso, verificou-se uma redução na carga parasitária após tratamento com antimoniato de meglumina encapsulado em lipossoma no fígado e baço de aproximadamente 41%. Não foi observada diminuição na carga parasitária após tratamento com antimoniato de meglumina livre em nenhum dos órgãos avaliados. A administração concomitante do EAPV e antimoniato de meglumina livre reduziu a carga parasitária no fígado (24,4%), mas não no baço. No entanto, a administração concomitante do EAPV e antimoniato de meglumina encapsulado em lipossomas reduziu a carga parasitária tanto no fígado quanto no baço, porém no mesmo nível observado pelo tratamento com antimoniato de meglumina lipossomal. Os resultados demonstraram ausência de alteração no padrão fenotípico de células do baço por citometria de fluxo e na função hepática, cardíaca e renal por análises bioquímicas. As análises histopatológicas mostraram que a administração do EAPV assim como do AM lipossomal isoladamente ou em associação ao EAPV levou a uma melhor preservação dos tecidos hepático e esplênico quando comparados aos demais grupos experimentais. Os resultados desse trabalho permitiram concluir que o EAPV foi capaz de provocar uma redução da carga parasitária hepática no mesmo nível observado com dose única de AM lipossomal. No entanto sua associação com antimoniato de meglumina lipossomal foi capaz de reduzir a carga parasitária no fígado e baço de forma semelhante à formulação de antimoniato de meglumina lipossomal isolada. As drogas testadas não causaram alterações no perfil das células do baço bem como não apresentaram toxicidade para os órgãos avaliados. __________________________________________________________________________________________ / ABSTRACT: The present study evaluated the use of aqueous extract of green propolis (AEGP) and its association with free or liposomal meglumine antimoniate for the treatment of murine visceral leishmaniasis (VL). In vitro, it was evaluated the effect of AEGP on the viability of J774-A1 cells. It was observed that the AEGP showed no toxicity at the concentrations tested and it reduced the toxic effects of free meglumine antimoniate. Isogenic BALB/c mice were intravenously inoculated with 1 x 107 Leishmania (Leishmania) infantum promastigotes (C43 strain). Two weeks post infection, the animals were divided into seven groups (n=8) and treated intraperitoneally, as a single dose, with either (1) phosphate buffer, (2) Sb(V) at 30 mg/kg, (3) empty liposomes, (4) liposomal Sb(V) – at 30 mg/kg, (5) AEGP at 500 mg/kg (oral, 14 days), (6) association of AEGP (500 mg/kg) with Sb(V) at 30 mg/kg or (7) association of AEGP (500 mg/kg) with Sb(V)-entrapped liposomes at 30 mg/kg. Two weeks after treatment, animals were euthanized and the parasite load associated to the liver and spleen was evaluated through the limiting dilution technique. Immunophenotyping of spleen cells was performed using flow cytometry. Enzyme activities in the serum were used to monitor hepatic, kidney and cardiac functions. Histopathological examinations of the liver and spleen were also conducted. The administration of AEGP reduced parasitic load in the liver, but not in spleen. There was a reduction in parasite load after treatment with liposomal meglumine antimoniate in the liver and spleen 41%. There was no decrease in parasite load after treatment with free meglumine antimoniate in any organ evaluated. Concomitant administration of AEGP and free meglumine antimoniate reduced the parasite load in the liver but not in spleen. However, concomitant administration of AEGP and meglumine antimoniate encapsulated in liposomes reduced the parasite load in both organs. Our results did not reveal any significant alteration in the profile of spleen cells by flow cytometry or in the liver, heart and kidney functions by biochemical analyzes. The histopathological analysis showed that administration of AEGP and/or liposomal Sb(V) was able to protect the liver and spleen tissues when compared to other groups. The results of this study indicate that the AEGP was able to reduce the parasite load only in the liver, however its association with meglumine antimoniate encapsulated in liposomes was able to reduce the parasite load in the liver and spleen. The drugs tested did not cause changes in the profile of spleen cells and showed no organ toxicity evaluated.
9

Implicações da evolução clínica e da carga parasitária em aspectos histopatológicos da pele de cães naturalmente infectados por Leishmania (Leishmania) infantum.

Cardoso, Jamille Mirelle de Oliveira January 2013 (has links)
Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas. Núcleo de Pesquisas em Ciências Biológicas, Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós Graduação, Universidade Federal de Ouro Preto. / Submitted by Maurílio Figueiredo (maurilioafigueiredo@yahoo.com.br) on 2015-01-28T20:16:28Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 22190 bytes, checksum: 19e8a2b57ef43c09f4d7071d2153c97d (MD5) DISSERTAÇÃO_ImplicaçõesEvoluçãoClínica.pdf: 2277060 bytes, checksum: a62590db278a8868aadbea6ad2834333 (MD5) / Approved for entry into archive by Gracilene Carvalho (gracilene@sisbin.ufop.br) on 2015-01-30T18:26:18Z (GMT) No. of bitstreams: 2 license_rdf: 22190 bytes, checksum: 19e8a2b57ef43c09f4d7071d2153c97d (MD5) DISSERTAÇÃO_ImplicaçõesEvoluçãoClínica.pdf: 2277060 bytes, checksum: a62590db278a8868aadbea6ad2834333 (MD5) / Made available in DSpace on 2015-01-30T18:26:18Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 22190 bytes, checksum: 19e8a2b57ef43c09f4d7071d2153c97d (MD5) DISSERTAÇÃO_ImplicaçõesEvoluçãoClínica.pdf: 2277060 bytes, checksum: a62590db278a8868aadbea6ad2834333 (MD5) Previous issue date: 2013 / A leishmaniose visceral canina (LVC) é uma zoonose de grande impacto na saúde pública sendo a pele o principal ponto de contato de organismos do gênero Leishmania com os hospedeiros invertebrados. O objetivo desse trabalho foi avaliar a carga parasitária, o processo inflamatório e as alterações da matriz extracelular na pele de cães naturalmente infectados por Leishmania (Leishmania) infantum apresentando diferentes formas clínicas da doença. Para isso, foram utilizados 35 cães sem raça definida, provenientes da região de Belo Horizonte, MG. Esses animais foram divididos em três grupos, de acordo com a presença de sinais clínicos, como assintomáticos (n=11, CA), oligossintomáticos (n=12, CO) e sintomáticos (n=12, CS), além de oito animais controle. Posteriormente estes animais foram distribuídos em novos grupos, de acordo com a intensidade do parasitismo cutâneo, sendo classificados em baixo parasitismo (n=12, BP), médio parasitismo (n=11, MP) e alto parasitismo (n=12, AP). Após exame clínico verificou-se que os sinais clínicos mais frequentes, sugestivos de LVC, foram as dermatites (47, 2%), seguidas por linfadenopatia (36, 1%) e emagrecimento (33,3%). Quanto à carga parasitária, verificou-se que essa foi maior nos grupos CS e CO quando comparada a CA. Infiltrado inflamatório foi presente em todos os grupos clínicos, porém esse foi maior nos grupos CA, CO e CS quando comparados ao grupo controle. Ainda, a inflamação foi maior no grupo CS quando comparado aos grupos CA e CO. Ao avaliar esse mesmo parâmetro nos grupos com distintos graus de parasitismo, foi verificado maior inflamação em cães com BP e MP quando comparados aos cães controle. Além disso, cães com MP e AP possuíam maior processo inflamatório que cães com BP. A avaliação da matriz extracelular demonstrou redução de colágeno total nos grupos infectados quando comparados ao grupo controle e nos grupos CO e CS em relação ao grupo CA. Animais com AP e MP apresentaram diminuição da área de colágeno em relação a animais controle. Na quantificação das fibras colágenas do tipo I observou-se redução nos grupos CO e CS quando comparados ao grupo controle e diminuição da mesma nos cães com MP em relação ao grupo controle. Ainda, em relação às fibras colágenas do tipo III foi observado um aumento significativo no grupo CO em relação aos grupos controle e CS e aumento em cães com BP quando comparado a cães controle e com MP. Esses resultados sugerem que a inflamação crônica e o intenso parasitismo dérmico foram diretamente relacionados à gravidade da doença e que esse processo inflamatório está intimamente associado à carga parasitária e as alterações da matriz extracelular desse órgão. __________________________________________________________________________________________ / ABSTRACT: Canine visceral leishmaniasis (CVL) is a zoonosis of major public health impact and the skin the main point of contact of organisms of the genus Leishmania with invertebrate hosts. Based on this, the aim of this study was evaluate the parasite load, inflammation and the matrix cellular alterations in the ear skin of dogs naturally infected with Leishmania (Leishmania) infantum with different clinical forms and different intensities of cutaneous parasitism. For that, thirty five dogs naturally infected with Leishmania, mongrels, from the Belo Horizonte, MG were categorized as asymptomatic (n=11), oligosymptomatic (n=12) and symptomatic dogs (n=12) and these were compared to control dogs (n = 8). Later were divided into new groups, according to three different parasites density: low (n=12), medium (n=11) and high parasitism (n=12). The major clinical manifestations of visceral leishmaniasis in dogs were dermatitis (47,2%), lymphadenopathy (36,1%) and weight loss (33,3%). Inflammatory infiltrates were observed in all groups, varying from intense and/or moderate in symptomatic to discrete in asymptomatic and control animals. Moreover, the inflammation was higher in symptomatic dogs when compared to oligosymptomatic and asymptomatic dogs. In assessing this parameter in groups with different degrees of parasitism, greater inflammation was observed in dogs with low, medium and high parasitism when compared to control dogs. In addition, dogs with medium and high parasitism showed higher inflammatory process those dogs with low parasitism. The mast cells’ number was higher in oligosymptomatic dogs compared to control dogs and was higher in dogs with low and medium parasitism when compared to control group. Extracellular matrix assessment demonstrated decrease in the collagen area in all infected groups when compared to control dogs and in symptomatic and oligosymptomatic dogs compared to asymptomatic dogs. Moreover, dogs with high and medium parasitism showed a decrease in collagen area relative to control animals. Regarding collagen type I there was only a significant dicrease in symptomatic and oligosymptomatic dogs compared to the group of uninfected dogs and decrease in dogs with medium parasitism compared to the group of uninfected dogs. Furthermore, it was verified increase in collagen type III in oligosymptomatic dogs compared to control group and symptomatic dogs and increase in dogs with low parasitism in relation the group of uninfected dogs and medium parasitism dogs. The results suggested that chronic dermal inflammation and cutaneous parasitism were directly related to the severity of clinical disease and that this inflammation is closely associated with the parasite load and changes in the extracellular matrix of the skin.
10

Alterações clínicas e oculares em cães naturalmente infectados por Leishmania infantum

Cunha, Caroline Magalhães January 2015 (has links)
Submitted by Angelo Silva (asilva@icict.fiocruz.br) on 2016-07-13T18:48:18Z No. of bitstreams: 2 license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) 71844.pdf: 6374317 bytes, checksum: cbcb33e3210240d51e2f525530467e5c (MD5) / Approved for entry into archive by Anderson Silva (avargas@icict.fiocruz.br) on 2016-08-24T19:30:58Z (GMT) No. of bitstreams: 2 71844.pdf: 6374317 bytes, checksum: cbcb33e3210240d51e2f525530467e5c (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) / Made available in DSpace on 2016-08-24T19:30:58Z (GMT). No. of bitstreams: 2 71844.pdf: 6374317 bytes, checksum: cbcb33e3210240d51e2f525530467e5c (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2015 / Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz. Rio de Janeiro, RJ, Brasil / Os achados clínicos da leishmaniose visceral canina (LVC), assim como os da leishmaniose visceral humana (LVH) são variáveis e inespecíficos. Apesar da LVC se apresentar como uma doença que pode ser fatal e crônica, existem poucos estudos descrevendo as alterações clínicas e histopatológicas destas infecções. Desta forma, evidenciando a necessidade de obtenção de dados que pudessem contribuir nesses estudos, o objetivo deste trabalho foi estudar as alterações clínicas e oculares presentes em 25 cães com leishmaniose visceral provenientes da localidade Cidade Operária, São Luís - Maranhão/Brasil através da realização de avaliação clínica, testes oftalmológicos (Schirmer e colírio fluoresceína) além de dosagens hematológicas e bioquímicas, isolamento e caracterização do parasito em amostras de medula óssea, baço e humor aquoso, além de PCR. Os resultados mostraram que linfoadenopatia foi o sintoma mais frequente, seguido de caquexia, alopecia, lesão de pele, onicogrifose e hepatoesplenomegalia. As manifestações clínicas oculares observadas com maior frequência foram: presença de algum tipo de secreção e conjuntivite, seguido de blefarite, uveíte e opacidade de córnea. Oito animais foram positivos no teste de Schirmer e sete no colírio de fluoresceína indicando a presença de ceratoconjuntivite seca e úlcera de cornea, respectivamente As alterações hematológicas mais frequentes foram anemia e trombocitopenia, aumento sérico de proteínas totais e globulina e a diminuição de albumina. A alteração mais frequente observada em todos os animais foi a presença de infiltrado inflamatório do tipo plasmocitário. A análise histopatológica dos olhos dos cães mostrou lesões nas pálpebras, esclera, glândulas e musculatura retrorbital. Tendo a presença do parasito sido evidenciada em 16% dos animais. Estes resultados mostram que as manifestações oftalmológicas estão presentes em animais com LVC e podem ocorrer concomitantemente com outros sinais sistêmicos da doença. É importante considerar a leishmaniose como uma doença sistêmica, a qual afeta diferentes órgãos e sistemas. Sugerimos assim, que em áreas endêmicas, este agravo deve ser incluído como diagnóstico diferencial de cães com lesões oculares ou de etiologia desconhecida / Abstract: Clinical findings of canine visceral leishmaniasis (CVL), as well as of human visceral leishmaniasis (HVL) are variable and nonspecific. Although VC present as a disease that can be fatal and chronic few studies describing the clinical and histopathological changes of these infections. Thus, highlighting the need to obtain data that could contribute to these studies, the objective of this work was to study the clinical and ocular abnormalities present in 25 dogs with visceral leishmaniasis from the locality City Workers, Sao Luis - Maranhao / Brazil by conducting clinical, ophthalmological test (fluorescein drops and Schirmer) and hematological and biochemical measurements, isolation and characterization of the parasite in samples of bone marrow, spleen, and aqueous humor, and PCR. The results showed that lymphadenopathy was the most common symptom, followed by cachexia, alopecia, skin lesion, onychogryphosis, and hepatosplenomegaly. Ocular clinical manifestations observed most frequently were the presence of some type of secretion and conjunctivitis, followed by blepharitis, uveitis and corneal opacity. Eight animals were positive in the Schirmer test and seven in drops of fluorescein indicating the presence of keratoconjunctivitis sicca and cornea ulcer, respectively The most common hematologic abnormalities were anemia and thrombocytopenia, increased serum total protein and globulin and decreased albumin. The most frequent alteration observed in all animals was the presence of inflammatory infiltrate of plasma cell type. Histopathological analysis dogs eyes showed lesions on the eyelids, sclera, glands and muscles retrorbital. Since the presence of the parasite was observed in 16% of animals. These results show that the ocular manifestations are present in animals with LVC and can occur concurrently with other signs of systemic illness. It is important to consider leishmaniasis as a systemic disease, which affects different organs and systems. We suggest therefore that in endemic areas, this grievance should be included in the differential diagnosis of dogs with eye injuries or of unknown etiology

Page generated in 0.101 seconds