• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 28
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 29
  • 29
  • 8
  • 7
  • 6
  • 6
  • 4
  • 4
  • 4
  • 4
  • 4
  • 4
  • 4
  • 4
  • 4
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

A flebografia pelvica e o quadro clinico da sindrome de congestão pelvica

Lane, Eduardo, 1923-2002 17 July 2018 (has links)
Orientador : José Aristodemo Pinotti / Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas / Made available in DSpace on 2018-07-17T07:10:43Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Lane_Eduardo_D.pdf: 3171665 bytes, checksum: 255069fb7d3b121bc554618df03bfa71 (MD5) Previous issue date: 1972 / Resumo: Não informado. / Abstract: Not informed. / Doutorado / Doutor em Ciências Médicas
2

Estudo epidemiológico de mulheres com lesões precursoras para câncer do colo uterino na região Sudoeste de Mato Grosso / Epidemiologic profile from women with precursory lesions of cervical cancer occurring on Mato Grosso southwest region

Teles, Cássia Caroline Garcia Dalbem 17 December 2010 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, 2010. / Submitted by Elna Araújo (elna@bce.unb.br) on 2011-05-12T19:33:32Z No. of bitstreams: 1 2010_CassiaCarolineGarciaDalbemTeles.pdf: 1256808 bytes, checksum: 800432c90add7d076c7b8dbd97ad477f (MD5) / Approved for entry into archive by Luanna Maia(luanna@bce.unb.br) on 2011-05-13T12:34:10Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2010_CassiaCarolineGarciaDalbemTeles.pdf: 1256808 bytes, checksum: 800432c90add7d076c7b8dbd97ad477f (MD5) / Made available in DSpace on 2011-05-13T12:34:10Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2010_CassiaCarolineGarciaDalbemTeles.pdf: 1256808 bytes, checksum: 800432c90add7d076c7b8dbd97ad477f (MD5) / O câncer do colo do útero é considerado um problema de saúde pública, com alta morbimortalidade. Tem início a partir de uma lesão precursora, que progride lentamente até atingir o estágio invasor; no entanto, se diagnosticado precocemente, tem grande potencial de prevenção e cura. Tem como principal fator de risco o papilomavírus humano e como cofatores o início precoce da atividade sexual, múltiplos parceiros, multiparidade, uso de anticoncepcional e tabagismo. Esta pesquisa teve como objetivo conhecer a prevalência das lesões precursoras para o câncer do colo do útero, verificar a associação dos cofatores com o risco de desenvolver o câncer do colo uterino em mulheres da região Sudoeste de Mato Grosso e avaliar o intervalo de tempo entre a realização do exame e o efetivo atendimento na unidade de referência. Foi realizado um estudo transversal descritivo e analítico, com coleta de dados em prontuários de 142 mulheres com citologia alterada, colposcopia positiva e submetidas à biópsia dirigida. Foi demonstrada a distribuição das variáveis de interesse e as possíveis associações foram avaliadas mediante o teste qui-quadrado e odds ratio. Foram identificadas as seguintes características: mulheres adultas com média etária de 38,8 anos, casadas, de baixa escolaridade, com início da atividade sexual antes dos 17 anos, com média de 3,8 parceiros, multiparas e tabagistas. A associação dos cofatores e o risco de desenvolver câncer do colo uterino foi positiva para o tempo de consumo de cigarro maior que seis anos. O intervalo de tempo entre a realização do exame preventivo do câncer e o encaminhamento ao serviço de referência teve média de 99,5 dias e o intervalo de tempo entre o encaminhamento e a consulta no serviço de referência teve média de 41,3 dias. Este estudo sinaliza as características das mulheres atendidas com lesões precursoras para câncer do colo uterino e um atraso no encaminhamento nas unidades básicas de saúde, dados estes que permitiram direcionar ações voltadas à educação reprodutiva e sexual, além de estimular outros estudos e ações políticas governamentais para otimizar o atendimento das usuárias do SUS na região Sudoeste de Mato Grosso. ________________________________________________________________________________ ABSTRACT / The cervical cancer is considered as a public health problem, with high levels of morbimortality. It begins through a precursory lesion which progresses slowly until it reaches an invasive state; if precociously diagnosed, however, it presents a great preventive and curative potential. Its main risk factor is the human papilomavírus and, as cofactor, the precocious beginning of sexual activity, multiple partners, multiparity, besides the use of contraceptives and smoking. This work aimed to research the prevailing of the precursory lesions for the cervical cancer, to verify the risk cofactors associated and the risk of developing cervical cancer in women living on the southwest of Mato Grosso and to evaluate the time gap between the exam conduction and the effective attendance in the referent unit. A transversal descriptive and analytical study was conducted using data collect in 142 women files presenting altered cytology, positive colposcopcy which have been submitted to directed biopsy. The distribution of the concerned variables and the possible associations have been presented and evaluated by the qui-square and odds ratio tests. The following characteristics have been identified: adult women with average age of 38,8, married, having low scholarity level, beginning their sexual activity before 17 years old, with an average of 3,8 partners, multiparas and cigarette smokers. The association of the cofactors and the risk of developing cervical cancer was positive considering the consume time as longer than six years. The time interval between the cancer preventive exam realization and the conduction and the appointment inside the referent services was of 41,3 days. This study signals the attended women particularities carrying precursory lesions for cervical cancer and an obstacle in the conduction of the patients inside health basic units, data which enabled to direct actions targeting the reproductive and sexual education, besides stimulating other researches and governmental political actions in order to optimize the attendance of the SUS users on the southwest region of Mato Grosso.
3

Análise comparativa da aptidão física de mulheres com lúpus eritematoso sistêmico

Balsamo, Sandor 16 April 2012 (has links)
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Ciências Médicas em Nível de Doutorado, 2012. / Submitted by Elna Araújo (elna@bce.unb.br) on 2012-06-22T00:20:15Z No. of bitstreams: 1 2012_SandorBalsamo.pdf: 4103246 bytes, checksum: 6a968c8f8e93110c158134a89bc32720 (MD5) / Approved for entry into archive by Jaqueline Ferreira de Souza(jaquefs.braz@gmail.com) on 2012-06-22T12:04:33Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2012_SandorBalsamo.pdf: 4103246 bytes, checksum: 6a968c8f8e93110c158134a89bc32720 (MD5) / Made available in DSpace on 2012-06-22T12:04:33Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2012_SandorBalsamo.pdf: 4103246 bytes, checksum: 6a968c8f8e93110c158134a89bc32720 (MD5) / Introdução: Lúpus eritematoso sistêmico (LES) é uma doença autoimune caracterizada por fadiga e prejuízo na qualidade de vida dos pacientes. Ao mesmo tempo, esses pacientes apresentam menor condicionamento cardiovascular. Entretanto, não está claro se pacientes com LES têm menor força muscular e performance funcional. Além disso, existe a necessidade do entendimento da metodologia para prescrição do treinamento resistido. Objetivos: Comparar a força muscular e a performance funcional e investigar a resposta aguda de um protocolo fatigante de exercício resistido para examinar a recuperação em curto prazo da fadiga e da dor muscular tardia (Delayed-Onset Muscle Soreness/DOMS) em pacientes com LES e mulheres saudáveis (grupo controle) pareadas pela mesma faixa etária e características físicas. Métodos: Foram avaliadas pacientes do sexo feminino com diagnóstico de LES em baixa atividade da doença – segundo o Systemic Lupus Erythematosus Disease Activity Index (SLEDAI) – e do grupo controle, pareadas por idade e características físicas. A força muscular – teste de uma repetição máxima (1RM) – foi avaliada pelos exercícios resistidos leg press, cadeira extensora, cadeira flexora, supino máquina, puxada pela frente. O desempenho funcional foi avaliado pelos testes: Timed Up And Go (TUG); sentar e levantar e flexão de cotovelo, ambos em 30 segundos; força de preensão manual; flexibilidade, equilíbrio unipodal e teste de caminhada de 6 minutos (6TC). A fadiga foi avaliada pela Fatigue Severity Scale (FSS) e Chalder Fatigue Scale (ChFS), e a qualidade de vida, pelo Short Form Health Survey 36 (SF-36). O protocolo do estudo da sessão fatigante de exercício resistido foi realizado na cadeira extensora, em que as participantes realizaram cinco séries, com 2 minutos de intervalo entre as séries e uma intensidade fixa de 60% de 1RM. Foram investigados diversos aspectos relacionados à fadiga ao longo das séries: volume de treinamento (número de repetições x pela carga), índice de fadiga (cálculo de queda no volume total na segunda, terceira, quarta e quinta série em relação à primeira série) e percepção subjetiva para o esforço. Além disso, foi avaliado o lactato sanguíneo (antes, imediatamente após e 15 e 30 minutos após). Para verificar o efeito da sessão fatigante de exercício resistido sobre fadiga e DOMS, foi utilizada Escala Visual Analógica (EVAFADIGA e EVADOMS) nos momentos imediatamente após e ao longo dos 6 dias subsequentes ao protocolo do estudo. Resultados: Após a triagem de um total de 240 pacientes com diagnóstico de LES, no Hospital Universitário de Brasília, de período de janeiro de 2009 a janeiro de 2011, 25 pacientes preencheu os critérios para a realização do estudo. Todas eram com baixa atividade da doença (SLEDAI = 1,52±1,61) e foram pareadas por idade e características físicas com 25 controles (idade média LES = 29,92±6,80 anos, grupo controle = 29,2±8,01 anos; IMC médio LES = 23,04±2,95 kg/m2, grupo controle = 23,51±3,34kg/m2). Comparado com o grupo controle, as pacientes com LES tiveram 1RM significativamente menor em todos os exercícios (todos = p < 0,01, exceto a cadeira extensora = p < 0,05). Também tiveram pior desempenho funcional na maioria dos testes (6TC = p < 0,001; testes de sentar e levantar e flexão do cotovelo = p < 0,01; preensão manual e TUG = p < 0,05) e maior fadiga (FSS/ChFS = p < 0,01). O SF-36 apontou que as lúpicas tiveram uma pior qualidade de vida em maior parte dos domínios (estado de saúde geral, capacidade funcional e limitação por aspectos emocionais = p < 0,01; aspectos sociais da funcionalidade, limitação por aspectos físicos e saúde mental = p < 0,05). O modelo de regressão linear sugere que a variável dependente força muscular foi associada com as variáveis independentes performance funcional (41%, p < 0,001), qualidade de vida (15-23%, p < 0,01) e fadiga (10%, p < 0,05). A variável dependente distância percorrida pelo 6TC foi associada à variável independente qualidade de vida (70%, p ≤ 0,01). O protocolo fatigante de exercício resistido mostrou que as pacientes com LES, comparadas com o grupo controle na condição de repouso, tiveram 1RM significativamente menor (p < 0,05), o que refletiu um valor 14% inferior da carga da sessão de treinamento com 60% de 1RM (p < 0,01). Além disso, as pacientes lúpicas apresentaram maior índice de fadiga ao longo de todas as séries (p < 0,05), o que refletiu um menor volume de treinamento em todas as séries (p < 0,05). Adicionalmente, as pacientes com LES reportaram maiores níveis médios na resposta da EVAFADIGA no primeiro, segundo e quinto dia. Entretanto, os níveis médios de EVADOMS do grupo LES não diferem estatisticamente dos níveis médios do grupo controle, exceto no sexto dia após o protocolo do estudo. Conclusão: Pacientes com LES tiveram menor força muscular e capacidade funcional, maior fadiga e pior qualidade de vida em relação às do grupo controle. Além disso, reportaram maior resposta de fadiga durante e após a sessão fatigante de exercício resistido em relação ao grupo controle. Os resultados indicam maior atenção na melhora da performance muscular no tratamento da fadiga ao se desenvolver programas de treinamento com ênfase na força muscular para pacientes com LES.
4

Apoptose, microinflamação e expressão de receptores de hidrocarboneto arílico nos folículos pilosos de pacientes com alopecia de padrão feminino

Ramos, Paulo Müller [UNESP] 19 February 2013 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-08-13T14:50:44Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2013-02-19Bitstream added on 2014-08-13T18:00:48Z : No. of bitstreams: 1 000753338.pdf: 2037475 bytes, checksum: 09c98e7253f95199ab127c0e47acab87 (MD5) / Alopecia de padrão feminino, ou alopecia androgenética feminina, é a principal causa de queda de cabelos em mulheres adultas, e inflige importante impacto na qualidade de vida das pacientes. Decorre da progressiva miniaturização de folículos pilosos e posterior diminuição da densidade dos fios, originando um quadro de alopecia difusa não cicatricial, com padrão clínico, dermatoscópico e histológico característicos. Apesar da elevada frequência e da relevância quanto ao impacto psicológico, sua fisiopatogenia não é ainda totalmente esclarecida, sofrendo influência de elementos genéticos, hormonais e ambientais. Além disso, a resposta ao tratamento é inconstante. Os receptores de hidrocarboneto arílico (AhR) podem ser ativados por diversos ligantes ambientais como poluentes (p. ex. dioxinas), fumaça do tabaco, radiação ultravioleta e pela ação microbiana (p.ex. Malassezia sp.), podendo exercer atividade proinflamatória, proapopótica, hormonal e carcinogênica, de acordo com o fator ativador e tecido alvo. Sua ação no folículo piloso e na alopecia de padrão feminino não foi ainda estudada. Neste trabalho, os autores avaliam a apoptose, infiltrado inflamatório e expressão de receptores de hidrocarboneto arílico nos folículos pilosos de pacientes com alopecia de padrão feminino. Foi conduzido um estudo transversal envolvendo 17 mulheres com alopecia de padrão feminino e cinco controles. Avaliaram-se amostras de pele do couro cabeludo que foram processados para HE, técnica do TUNEL e imuno-histoquímica para receptor de hidrocarboneto arílico. As variáveis foram comparadas de acordo com o grupo de folículos (terminal versus miniaturizado) e os grupos de pacientes (alopecia versus controles). Houve maior índice de apoptose (TUNEL) entre os folículos miniaturizados e entre os casos, além de significativa interação entre a categoria folicular e casos (p<0,01). Folículos miniaturizados apresentaram maior ... / Female pattern alopecia, or female androgenetic alopecia, is the main cause of hair loss in adult women and causes major impact on patient´s quality of life. It evolves from the progressive miniaturization of follicles that lead to a subsequent decrease of the hair density, leading to a non-scarring diffuse alopecia, with characteristic clinical, dermoscopic and histological pattern. Despite the high frequency and relevance about the psychological impact, its pathogenesis is not yet fully understood, but is influenced by genetic, hormonal and environmental factors. In addition, response to treatment is incostant. In this article, authors discuss the main clinical, epidemiological and physiopathological aspects of female pattern hair loss
5

Apoptose, microinflamação e expressão de receptores de hidrocarboneto arílico nos folículos pilosos de pacientes com alopecia de padrão feminino /

Ramos, Paulo Müller. January 2013 (has links)
Orientador: Hélio Amante Miot / Coorientador: Mariangela Esther Alencar Marques / Banca: Ricardo Romitti / Banca: Neusa Valente / Resumo: Alopecia de padrão feminino, ou alopecia androgenética feminina, é a principal causa de queda de cabelos em mulheres adultas, e inflige importante impacto na qualidade de vida das pacientes. Decorre da progressiva miniaturização de folículos pilosos e posterior diminuição da densidade dos fios, originando um quadro de alopecia difusa não cicatricial, com padrão clínico, dermatoscópico e histológico característicos. Apesar da elevada frequência e da relevância quanto ao impacto psicológico, sua fisiopatogenia não é ainda totalmente esclarecida, sofrendo influência de elementos genéticos, hormonais e ambientais. Além disso, a resposta ao tratamento é inconstante. Os receptores de hidrocarboneto arílico (AhR) podem ser ativados por diversos ligantes ambientais como poluentes (p. ex. dioxinas), fumaça do tabaco, radiação ultravioleta e pela ação microbiana (p.ex. Malassezia sp.), podendo exercer atividade proinflamatória, proapopótica, hormonal e carcinogênica, de acordo com o fator ativador e tecido alvo. Sua ação no folículo piloso e na alopecia de padrão feminino não foi ainda estudada. Neste trabalho, os autores avaliam a apoptose, infiltrado inflamatório e expressão de receptores de hidrocarboneto arílico nos folículos pilosos de pacientes com alopecia de padrão feminino. Foi conduzido um estudo transversal envolvendo 17 mulheres com alopecia de padrão feminino e cinco controles. Avaliaram-se amostras de pele do couro cabeludo que foram processados para HE, técnica do TUNEL e imuno-histoquímica para receptor de hidrocarboneto arílico. As variáveis foram comparadas de acordo com o grupo de folículos (terminal versus miniaturizado) e os grupos de pacientes (alopecia versus controles). Houve maior índice de apoptose (TUNEL) entre os folículos miniaturizados e entre os casos, além de significativa interação entre a categoria folicular e casos (p<0,01). Folículos miniaturizados apresentaram maior ... / Abstract: Female pattern alopecia, or female androgenetic alopecia, is the main cause of hair loss in adult women and causes major impact on patient's quality of life. It evolves from the progressive miniaturization of follicles that lead to a subsequent decrease of the hair density, leading to a non-scarring diffuse alopecia, with characteristic clinical, dermoscopic and histological pattern. Despite the high frequency and relevance about the psychological impact, its pathogenesis is not yet fully understood, but is influenced by genetic, hormonal and environmental factors. In addition, response to treatment is incostant. In this article, authors discuss the main clinical, epidemiological and physiopathological aspects of female pattern hair loss / Mestre
6

Depressão e gênero : análise da produção bibliográfica brasileira e das vivências de mulheres do distrito federal

Dantas, Gisele Cristine da Silva 09 August 2016 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Programa de Pós-Graduação em Psicologia Clínica e Cultura, 2016. / Texto liberado parcialmente pelo autor. Conteúdo restrito: Artigo 1 e 2. / Submitted by Fernanda Percia França (fernandafranca@bce.unb.br) on 2016-12-16T11:17:44Z No. of bitstreams: 1 2016_GiseleCristinedaSilvaDantas_Parcial.pdf: 800765 bytes, checksum: e882b787aabc278527201087a142973e (MD5) / Approved for entry into archive by Raquel Viana(raquelviana@bce.unb.br) on 2017-01-26T19:47:04Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2016_GiseleCristinedaSilvaDantas_Parcial.pdf: 800765 bytes, checksum: e882b787aabc278527201087a142973e (MD5) / Made available in DSpace on 2017-01-26T19:47:04Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2016_GiseleCristinedaSilvaDantas_Parcial.pdf: 800765 bytes, checksum: e882b787aabc278527201087a142973e (MD5) / A depressão tem sido um dos modos de adoecimento mais frequentes, universais e ascendentes no mundo ocidental com estimativa atual de 350 milhões de pessoas e um dos principais ônus sociais (WHO, 2015). A OMS (2001) apontou para a complexa interação de fatores biológicos, psicossociais e socioculturais no seu desenvolvimento e o gênero como um fator determinante. Também tem apontado para prevalência da depressão, presente em mulheres e homens em todas as faixas etárias, classe social, localização, raça, entre outros. No entanto, a atual prevalência tem sido identificada como mais comum nas mulheres, enquanto o uso de substâncias, em homens. Entretanto, há associação entre fatores sociais de gênero, raça, pobreza, urbanização, desenvolvimento sobre a depressão. O objetivo geral desse trabalho foi o de investigar a depressão em mulheres sob o enfoque de gênero. Essa dissertação apresenta-se em formato de dois Artigos Científicos. O Artigo 1 foi produzido com o intuito de mapear o que os pesquisadores no Brasil têm discutido sobre gênero e depressão. Esse artigo realizou, por meio de uma revisão sistemática de literatura, o levantamento de artigos científicos publicados em plataformas virtuais a partir de descritores específicos, no período de 2000 a 2014, por um panorama quanti-qualitativo. Foi realizada a análise qualitativa de 15 artigos. Somente cinco corresponderam a abordagens mais contemporâneas de gênero. Os resultados apontaram para uma escassez de estudos de gênero na depressão. Já o artigo 2 teve como objetivo investigar como o gênero participa da formação do quadro depressivo de mulheres diagnosticadas com este transtorno. Foram realizadas entrevistas semi-estruturadas com nove mulheres diagnosticadas com depressão em um serviço público e em uma clínica particular. Foram levantados os temas nas falas das mulheres participantes, bem como sua frequência e incidência (análise de conteúdo). A partir dos temas, elaborou-se quatro categorias: "vivências relacionais do círculo íntimo", "vivências relacionais do círculo extra-íntimo", "vivências de perspectiva de futuro" e "vivências de depressão". Os resultados apontaram a predominância de vivências relacionadas ao dispositivos amoroso e materno, ressentidas como desfavoráveis e relatadas sobretudo como pertencentes ao passado. Além disso, fez-se evidente um restrito investimento em relações extra círculo íntimo, o que aponta o quanto a vida destas mulheres fica circunscrita ao âmbito privado. / Depression has been one of the most frequent illness modes, universal and risen in the Western world with current estimate of 350 million people and one of the main social burden (WHO, 2015). WHO (2001) alerted to the complex interaction of biological, psychosocial and social in its development and the gender as a determining factor. It has also pointed to the prevalence of depression, presented in women and men in all age groups, social class, location, race, among others. Although, the current prevalence has been identified as most common in women, while the use of substances in men. There is an association between social factors of gender, race, poverty, urbanization, development of depression. The aim of this study was to investigate depression in women under the gender approach. This dissertation presents in in two scientific articles. Article 1 was produced in order to map the researchers in Brazil have discussed gender and depression. This article made through a systematic review of literature, provides a survey of scientific articles published on virtual platforms from specific descriptors, from 2000 to 2014, by a quantitative and qualitative overview. Qualitative analysis of 15 articles was carried out. Only five accounted for more contemporary approaches gender. The results pointed to a shortage of gender studies in depression. And Article 2 aimed to investigate how gender participates in the formation of depression in women diagnosed with this disorder. Semi-structured interviews were conducted with nine women diagnosed with depression in a public service and in a private practice. The issues were raised in the reports of the participating women and their frequency and incidence (content analysis). From the themes elaborated four categories: "relational experiences of the inner circle," "relational experiences of extra-inner circle", "experiences of future-oriented" and "depression experiences." The results showed the predominance of experiences related to the loving and maternal devices, resentful as unfavorable and reported mainly as belonging to the past. Furthermore, it became evident a restricted investment in extra inner circle relations, which indicates how the lives of these women is restricted to the private sphere. / La depresión ha sido uno de los modos más frecuentes de enfermedad, universal y en el mundo occidental con la estimación actual de 350 millones de personas y una importante carga social (OMS, 2015). OMS (2001) se refirió a la compleja interacción de factores biológicos, psicológicos y socioculturales en su desarrollo y el género como un factor determinante. Asimismo, ha señalado que la prevalencia de la depresión, presentes en las mujeres y los hombres en todos los grupos de edad, clase social, raza, ubicación, entre otros. Sin embargo, la prevalencia actual ha sido identificado como el más común en las mujeres, mientras que el uso de sustancias en los hombres. Sin embargo, existe una asociación entre los factores sociales de género, la raza, la pobreza, la urbanización, el desarrollo de la depresión. El objetivo de este estudio fue investigar la depresión en las mujeres bajo el enfoque de género. Esta tesis doctoral presenta en dos artículos científicos. El artículo 1 se produjo con el fin de asignar los investigadores en Brasil han discutido entre los géneros y la depresión. Este artículo hecho a través de una revisión sistemática de la literatura, la encuesta de artículos científicos publicados en las plataformas virtuales de descriptores específicos, de 2000 a 2014, por una visión cuantitativa y cualitativa. Análisis cualitativo de 15 artículos se llevó a cabo. Sólo cinco representaron más enfoques de género contemporáneo. Los resultados señalaron que la escasez de estudios de género en la depresión.Y el artículo 2 como objetivo investigar cómo participa género en la formación de la depresión en las mujeres diagnosticadas con este trastorno. Las entrevistas semi-estructuradas se realizaron con nueve mujeres con diagnóstico de depresión en un servicio público y en una clínica privada. Las cuestiones se suscitaron en los informes de las mujeres participantes y su frecuencia e incidencia (análisis de contenido). De los temas elaborado cuatro categorías: "las experiencias relacionales del círculo interno", "experiencias de relaciones de círculo extra-interior", "experiencias de orientadas al futuro" y "experiencias de depresión". Los resultados mostraron el predominio de experiencias relacionadas con los dispositivos de amor y maternos, resentido tan desfavorable e informaron sobre todo como pertenecientes al pasado. Por otra parte, se hizo evidente una inversión restringida en las relaciones círculo interno de más, lo que indica cómo las vidas de estas mujeres se limita a la esfera privada.
7

Análise da atenção psicossocial dispensada às mulheres com diagnóstico de esquizofrenia internadas nos hospitais de custódia e tratamento psiquiátrico no Brasil

Castro, Cássia Valéria de 10 June 2011 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, 2014. / Submitted by Cristiane Mendes (mcristianem@gmail.com) on 2014-11-20T15:04:01Z No. of bitstreams: 1 2014_CassiaValeriaDeCastro.pdf: 2725809 bytes, checksum: cacc31b5ff40c8ab9c9031bb4901f0fd (MD5) / Approved for entry into archive by Patrícia Nunes da Silva(patricia@bce.unb.br) on 2014-11-21T10:57:37Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2014_CassiaValeriaDeCastro.pdf: 2725809 bytes, checksum: cacc31b5ff40c8ab9c9031bb4901f0fd (MD5) / Made available in DSpace on 2014-11-21T10:57:37Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2014_CassiaValeriaDeCastro.pdf: 2725809 bytes, checksum: cacc31b5ff40c8ab9c9031bb4901f0fd (MD5) / A partir do censo brasileiro dos Hospitais de Custódia e Tratamento Psiquiátrico (HCTP), realizado em 2011, foi feito um recorte dos HCTP onde havia mulheres esquizofrênicas internadas a fim de realizar um estudo descritivo das condições físicas e do cuidado em atenção psicossocial nesses HCTP, bem como comparar os resultados obtidos com diretrizes nacionais (Ministério da Saúde) e internacionais (Schizophrenia Patient Outcome Research Team (PORT)) para o tratamento de pacientes esquizofrênicos. Para a coleta de dados, foi construído um questionário baseado no instrumento WHO QualityRights da Organização Mundial da Saúde (OMS). O instrumento foi aplicado em 13 HCTP, sendo respondido por seus diretores ou representantes. O principal resultado foi a confirmação do caráter ambíguo desses dispositivos, que ficam na fronteira entre o cuidado e a reclusão, mantendo características de espaços de tratamento e de prisão. Ao mesmo tempo em que há a tentativa de seguir algumas recomendações das diretrizes nacionais e internacionais, como a presença de equipes multidisciplinares e a oferta de atividades diversificadas às pacientes, há, em alguns desses HCTP, a presença de algemas, escolta, restrição do espaço de circulação e celas fortes. Este estudo tem como principal fragilidade o fato de não ter verificado as informações dadas pelos entrevistados, baseando-se, portanto, no depoimento de profissionais ligados à direção dos HCTP estudados. Também não foram ouvidas as mulheres a quem esses cuidados se destinam. As informações apontam para questões sérias ligadas ao tratamento de reclusão a pacientes psiquiátricos, ainda que estejam cumprindo medida de segurança. ______________________________________________________________________________ ABSTRACT / Based upon the Brazilian census of Custodial and Psychiatric Treatment Hospitals (CPTH) conducted in 2011, a sample of CPTH with schizophrenic women patients was selected in order to describe the physical conditions and the psychosocial attention care in these institutions, as well as to compare the results with the national guidelines set by the Brazilian Health Ministry and also the international guidelines set by Schizophrenia Patient Outcomes Research Team (PORT). The data was collected using a questionnaire based on the instrument WHO QualityRights conceived by the World Health Organization (WHO). The questionnaire was completed by 13 hospital directors of the CPTH. The main results include the confirmation of the ambiguous nature of these devices which reside on a fuzzy border between care and confinement, while maintaining characteristics of treatment and imprisonment spaces. On the other hand, there are some attempts to follow recommendations of national and international guidelines such as the presence of multidisciplinary teams and offering diversified activities for patients. In some of these CPTH, we can observe the use of handcuffs, security escort, restricted space movement and strong cells. The main weakness of this study has to do with the fact that the information given by the respondents were not verified, therefore relying exclusively on the information given by hospital directors of CPTH. The female patients who are the users of the care service also weren’t heard. The data collected points to serious issues relating to the treatment of psychiatric patients in confinement, even if security measures are being followed.
8

Qualidade de vida de mulheres usuárias do SUS com câncer de colo de útero, atendidas no Hospital Geral de Palmas -TO

Arrais, Taiana Avelino 24 February 2010 (has links)
Dissertação(mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, 2010. / Submitted by Shayane Marques Zica (marquacizh@uol.com.br) on 2011-03-17T20:27:39Z No. of bitstreams: 1 2010_TaianaAvelinoArrais.pdf: 1231010 bytes, checksum: ce86e32f8487e85a6d646f0d58359211 (MD5) / Approved for entry into archive by Luanna Maia(luanna@bce.unb.br) on 2011-03-21T15:28:21Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2010_TaianaAvelinoArrais.pdf: 1231010 bytes, checksum: ce86e32f8487e85a6d646f0d58359211 (MD5) / Made available in DSpace on 2011-03-21T15:28:21Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2010_TaianaAvelinoArrais.pdf: 1231010 bytes, checksum: ce86e32f8487e85a6d646f0d58359211 (MD5) / O câncer de colo do útero é o segundo tipo de câncer mais comum entre as mulheres. Uma característica marcante do câncer de colo do útero é sua consistente associação, em todas as regiões do mundo, com o baixo nível socioeconômico, pois esses grupos têm vulnerabilidade social. É o câncer mais comum na região norte do Brasil. O objetivo deste trabalho foi avaliar a qualidade de vida das mulheres diagnosticadas com câncer de colo do útero, e suas implicações na evolução da doença, no Hospital Geral de Palmas – TO. Utilizou-se, na metodologia, o questionário WHOQOL-bref onde constam 26 perguntas relacionadas a qualidade de vida em 4 domínios: físico, psicológico, relações sociais e meio ambiente. Fez-se também um perfil das mulheres entrevistadas através dos dados do prontuário. A idade média da amostra foi de 53,21 anos e com desvio padrão de 12,66, com escolaridade predominante no ensino fundamental incompleto, onde 72% das mulheres que participaram da pesquisa se dedicam a múltiplas atividades do lar. Os escores médios dos quatro domínios que compõem o WHOQOL-bref variaram entre 11 (domínio psicológico e meio ambiente) e 14 (relações sociais), sendo que o domínio físico apresentou domínio intermediário de 13. A partir dos resultados obtidos, e com embasamento na literatura, constata-se que a percepção da qualidade de vida para as mulheres está intrinsecamente ligada aos fatores sociais, psicológicos e físicos, pois ao mesmo tempo em que as mulheres enfrentam o câncer, experimentam diferentes sentimentos e comportamentos decorrentes de alterações na capacidade física, na auto-estima e na imagem corporal, nas relações com as outras pessoas e na realização de uma série de atividades diárias. Esses indicadores poderão auxiliar nas intervenções de políticas públicas que garantam melhor cobertura e atenção às mulheres mais vulneráveis à incidência e mortalidade por câncer de colo do útero. _______________________________________________________________________________ ABSTRACT / Cancer of the cervix is the second most frequent cancer among women. A hallmark of cancer of the cervix is its consistent association in all regions of the world, with low socioeconomic status, because these groups are socially vulnerable. It is the most widespread cancer in northern Brazil. The objective of this study was to evaluate the quality of life of women diagnosed with cancer of the cervix and its implications in the evolution of the disease, at the Hospital Geral de Palmas - TO. Methodology was based on the WHOQOL-bref which contains 26 questions related to quality of life in 4 domains: physical, psychological, social relationships and environment. A profile of the interviewed women was also provided by the data from medical records. The average age of the sample was 53.21 years old, whith standard deviation of 12.66, predominantly high in primary school level, where 72% of women who participated in the study were engaged in many homemarking activities. The mean scores of the four areas that make up the WHOQOL-bref, ranged from 11 (psychological domain and environment) to 14 (social relations), and physical domain showed an intermediate score of 13. From the results obtained, and reliance on the literature, it appears that the perception of quality of life for women is inextricably linked to social, psychological and physical factors, because while women face cancer, they experience different feelings and behaviors resulting from changes in physical function, self-esteem, body image, relationships with others and performance of a series of daily activities. These indicators could assist in public policy interventions to ensure better coverage and attention to women more vulnerable to the incidence and mortality from cancer of the cervix.
9

Incontinência urinária de esforço nas mulheres pertencentes ao Programa de Saúde da Família de Dourados / MS : prevalência, fatores de risco e impacto na qualidade de vida

Gomes, Guido Vieira 11 December 2009 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, 2009. / Submitted by Luiza Moreira Camargo (luizaamc@gmail.com) on 2011-06-08T20:00:12Z No. of bitstreams: 1 2009_GuidoVieiraGomes.pdf: 209708 bytes, checksum: 0355d27dd477f9ea4631db3a321aedb6 (MD5) / Approved for entry into archive by Elna Araújo(elna@bce.unb.br) on 2011-06-16T19:53:36Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2009_GuidoVieiraGomes.pdf: 209708 bytes, checksum: 0355d27dd477f9ea4631db3a321aedb6 (MD5) / Made available in DSpace on 2011-06-16T19:53:36Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2009_GuidoVieiraGomes.pdf: 209708 bytes, checksum: 0355d27dd477f9ea4631db3a321aedb6 (MD5) / Introdução: Incontinência urinária (IU) é a perda involuntária de urina pela uretra e é composta de vários subtipos. A incontinência urinária de esforço (IUE) é uma das formas mais comuns. Objetivos: Descrever a prevalência da IUE nas mulheres acima de 20 anos pertencentes ao Programa de Saúde da Família (PSF) no município de Dourados e correlacionar com as seguintes variáveis: Idade, Índice de massa corpórea (IMC), Paridade, Número de gestações, Histerectomia, Tabagismo e Diabetes mellitus. Material e métodos: O estudo foi do tipo transversal através de inquérito domiciliar onde foram entrevistadas 336 mulheres de 20 anos ou mais que não apresentavam os critérios de exclusão. Foram utilizados na entrevista dois formulários: Uma ficha de avaliação onde eram anotados dados demográficos e o questionário ICIQ-SF que avalia o impacto na qualidade de vida (QV). Na análise estatística foram utilizados o teste chi-quadrado,o teste t, o coeficiente de contingência corrigido e um modelo de regressão logística do tipo Forward Stepwise. Resultados: A prevalência de IUE no estudo foi de 21,4%. Em relação aos fatores de risco, a Idade (p=0,113), Tabagismo (p=0,796) e Diabetes mellitus (p=0,221) não apresentaram associação estatisticamente significativa, por outro lado o IMC (p=0.007). Número de gestações (p=0,018), Paridade (p=0,032) e Histerectomia (p=0.024) apresentaram associação. Utilizando regressão logística somente o pareamento de Peso e Histerectomia puderam predizer o desfecho (IUE). A maioria das portadoras de IUE (63,9%) considerou muito grave o comprometimento na QV. Conclusão: A prevalência da IUE observada foi semelhante à encontrada em outros estudos; IMC, Paridade, Número de gestações e Histerectomia apresentaram associação com esta patologia que compromete gravemente a QV. ________________________________________________________________________________________ ABSTRACT / Introduction: Urinary incontinence (UI) is the involuntary loss of urine by uretra and is composed of multiple subtypes. The stress urinary incontinence (IUE) is one of the most common forms. Objectives: To describe the prevalence of stress urinary incontinence (SUI) in women over 20 years, who belong to the Family Health Program (FHP) in Dourados, Mato Grosso do Sul, Brazil, and to correlate with the following variables: age, body mass index (BMI), parity, number of pregnancies, hysterectomy, smoking and diabetes mellitus. Material and methods: the study was transversal type, through a household survey, where 336 women above 20 years and who didn’t have exclusion criteria were interviewed. Two forms were used in the interview: to fill demographic data and ICIQ-SF questionnaire, that evaluates the impact on the quality of life (QV). In the statistical analysis, were used the Chi-square test, the testing t, the coefficient of contingency corrected and a logistic regression model of type Forward Stepwise. Results: the prevalence of SUI in the study was 21.4%. In relation to the risk factors, age (p=0,113), smoking (p = 0,796) and diabetes mellitus (p = 0,221) had no statistically significant association. On the other hand, the IMC (p = 0.007), number of pregnancies (p = 0.018), parity (p = 0,032) and hysterectomy (p = 0.024) presented association, but weak. Using logistic regression, only the pairing of weight and hysterectomy were able to predict the outcome (SUI). The majority of the patients (63,9%) had considered the impairment in the QV as very serious. Conclusion: the prevalence of SUI observed was similar to those that were found in other studies; BMI, parity, number of pregnancies and hysterectomy had association with that pathology, which has a serious impairment in the QV.
10

Incontinência urinária e estudo urodinâmico : perfil epidemiológico das mulheres atendidas no complexo regional de saúde de cáceres – MT no período de 2007 a 2009

Souza Junior, José Esteves de 10 May 2011 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, 2011. / Submitted by Clarissa Pêgas e Souza (clarissapegas@hotmail.com) on 2011-08-31T14:19:18Z No. of bitstreams: 1 2011_JoseEstevesdeSouzaJunior.pdf: 1035096 bytes, checksum: 5473fbe6897209db7b8da19e8b8f0b3c (MD5) / Approved for entry into archive by Jaqueline Ferreira de Souza(jaquefs.braz@gmail.com) on 2011-09-28T11:59:56Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2011_JoseEstevesdeSouzaJunior.pdf: 1035096 bytes, checksum: 5473fbe6897209db7b8da19e8b8f0b3c (MD5) / Made available in DSpace on 2011-09-28T11:59:56Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2011_JoseEstevesdeSouzaJunior.pdf: 1035096 bytes, checksum: 5473fbe6897209db7b8da19e8b8f0b3c (MD5) / Objetivo: Avaliar o perfil epidemiológico das mulheres com incontinência urinária atendidas no Ambulatório de Urologia do Complexo Regional de Saúde em Cáceres-MT; Avaliar os resultados do estudo urodinâmico em mulheres com incontinência urinária; Correlacionar os sintomas, os sinais, o exame físico e o resultado do estudo urodinâmico nas pacientes com incontinência urinária. Pacientes e Métodos: foram avaliadas retrospectivamente, 100 mulheres com incontinência urinária, atendidas no período de agosto de 2007 a dezembro de 2009. Os dados foram coletados através de prontuários padronizados com anamnese, exame físico e estudo urodinâmico. A análise estatística foi feita por meio de teste de distribuição de freqüência das variáveis para calcular sensibilidade, especificidade e valor preditivo positivo e negativo, a partir de tabelas de contingência. Resultados: a mediana de idade foi de 50 anos (variando de 25 a 89). As queixas clínicas consistiram: incontinência urinária de esforço (IUE) em 59 pacientes (59%), incontinência urinária mista (IUM) em 32 (32%) e incontinência urinária de urgência (IUU) em 9 (9%). Do total das pacientes 61 (61%) apresentaram sinal clinico de incontinência urinária. O diagnóstico por meio do estudo urodinâmico foi: IUE em 64% das pacientes, IUM em 14%, IUU em 9% e os restantes 14% foram normais. O valor diagnóstico com sintomas de IUE comparado com estudo urodinâmico demonstrou Sensibilidade em 65%, Especificidade em 39.9%%, VPP de 65.6% e VPN de 38,9%. Os sintomas de IUU e resultado urodinâmico demonstrou sensibilidade de 44%, especificidade 94,5%, VPP 44,4% e VPN 94,5%. E em relação aos sintomas de IUM com estudo urodinâmico a Sensibilidade 53,8%, Especificidade 71,3%%, VPP 21.9% e VPN de 91,2%. Conclusões: Observamos uma associação significativa entre queixa clinica e perda urinária observada no exame físico. Os resultados mostram que as chances das pacientes com queixas de IUE e IUM apresentarem perda no exame físico são maiores (15,27 e 18,9 vezes) quando comparadas com as chances do grupo com quadro clínico de IUU. E que existe uma associação significativa entre os resultados do Estudo urodinâmico e Menopausa. O estudo urodinâmico demonstrou baixo nível de concordância comparada ao quadro clínico, porém acrescido do teste de esforço este demonstrou melhora significativa. _______________________________________________________________________________________ ABSTRACT / Objective: It evaluate the epidemiological profile of the women with urinary incontinence attended in the Outpatient Clinic of Urology of the Regional Complex of Health in Cáceres-MT; Evaluate the results of the study urodinâmico in women with urinary incontinence; Correlate the symptoms, the signs, the physical exam and the result of the study urodynamic in the patients with urinary incontinence. Sick and Approaches: were evaluated retrospectively, 100 women with urinary incontinence, attended in the period of August of 2007 to December of 2009. The facts were collected through manuals standardized with anamnese, physical exam and study urodinâmico. The statistical analysis was deed by means of frequency distribution test of the variables for calculate sensibility, specificity and value predictive positive and negative, from tables of contingency. Results: to average of age was of 50 years (varying of 25 to 89). The clinical complaints consisted: urinary incontinence of effort (IUE) in 59 sick (59%), mixed urinary incontinence (IUM) in 32 (32%) and urinary incontinence of urgency (IUU) in 9 (9%). Of the total of the patients 61 (61%) presented sign I am in clinical practice of urinary incontinence. The diagnosis by means of the study urodynamic was: IUE in 64% of the patients, IUM in 14%, IUU in 9% and the remainders 14% were normal. The value diagnosis with symptoms of IUE compared with study urodynamic showed Sensibility in 65%, Specificity in 39.9%%, VPP of 65,6% and VPN of 38,9%. The symptoms of IUU and result urodinâmico showed sensibility of 44%, specificity 94,5%, VPP 44.4% and VPN 94,5%. And regarding the symptoms of IUM with study urodynamic the Sensibility 53,8%, Specificity 71,3%%, VPP 21,9% and VPN of 91,2%. Conclusions: We observe a significant association between complaint is in clinical practice and loses urinary observed in the physical exam. The results show that the chances of the patients with complaints of IUE and IUM will present loss in the physical exam are bigger (15.27 and 18.9 times) when compared with the chances of the group with clinical chart of IUU. And that a significant association exists between the results of the study urodynamic and Menopause. The study urodynamic showed compared agreement level bass to the clinical chart, however added of the test of effort this showed significant improvement.

Page generated in 0.0595 seconds