• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 26
  • 2
  • Tagged with
  • 28
  • 9
  • 7
  • 5
  • 5
  • 5
  • 5
  • 5
  • 5
  • 5
  • 4
  • 4
  • 4
  • 4
  • 4
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Avaliação da resposta inflamatória dermatológica de cães atópicos com a utilização de maleato de oclacitinib

Ribeiro, Jose Francisco Antunes. January 2019 (has links)
Orientador: Luiz Henrique de Araújo Machado / Resumo: Dermatite atópica (DA) canina é uma enfermidade alergoinflamatória de caráter crônico da pele, sendo realizado apenas tratamento suporte para melhora dos sinais clínicos. O maleato de oclacitinib é um inibidor de enzimas Janus Kinase (JAK) correlacionadas com citocinas pro-inflamatórias e pruridogênicas, e que possui ação rápida controlando o prurido. O objetivo desse estudo foi avaliar a resposta do maleato de oclacitinib, comparando o quadro clínico dermatológico com a resposta inflamatória pelas principais citocinas envolvidas nesse processo. Dez cães com diagnóstico de dermatite atópica foram tratados com maleato de oclacitinib durante 30 dias consecutivos e avaliados no início e no fim do tratamento, considerando as mudanças nas características clínicas e dosagens séricas das principais citocinas envolvidas no processo alérgico da DA, e por fim, correlacionar a evolução clínica com o comportamento dessas citocinas. As citocinas (IFN γ, IL-1, IL-4, IL-6, IL-10, IL-17, IL-31 e TNF α) foram dosadas pelo método de ELISA de amostras colhidas no dia 0 e no dia 30 de tratamento. Ao fim do estudo, pudemos conferir melhora significativa (p<0,001) das avaliações clínicas, com redução do prurido, do CADESI-04 e acompanhamento da IL-31, uma das principais citocinas envolvidas no prurido. Além disso, a utilização do maleato de oclacitinib reduziu todas as citocinas avaliadas durante esse curto período, questionando se, a utilização crônica, pode favorecer o aparecimento de infecções ... (Resumo completo, clicar acesso eletrônico abaixo) / Abstract: Canine atopic dermatitis (AD) is an allergic inflammatory disease of chronic character of the skin, being only supportive treatment to improve clinical signs. Oclacitinib maleate is a Janus Kinase (JAK) enzyme inhibitor correlated with proinflammatory and pruridogenic cytokines, and has rapid action controlling pruritus. The aim of this study was to evaluate the response of oclacitinib maleate by comparing the dermatological clinical picture with the inflammatory response by the main cytokines involved in this process. Ten dogs diagnosed with atopic dermatitis were treated with oclacitinib maleate for 30 consecutive days and evaluated at the beginning and end of treatment, considering changes in clinical characteristics and serum dosages of the main cytokines involved in the allergic process of AD, and finally, correlate clinical evolution with the behavior of these cytokines. Cytokines (IFN γ, IL-1, IL-4, IL-6, IL-10, IL-17, IL-31 and TNF α) were dosed by ELISA on samples taken on day 0 and day 30 of treatment. At the end of the study, we could see a significant improvement (p <0.001) in clinical evaluations, with reduction of pruritus, CADESI-04 and follow-up of IL-31, one of the main cytokines involved in pruritus. In addition, the use of oclacitinib maleate reduced all cytokines evaluated during this short period, questioning whether chronic use may favor the onset of opportunistic infections and/or neoplastic disease. / Mestre
2

Quantificação demastócitos em lesões de psoríase e correlação com a intensidade do prurido apresentado pelos pacientes com esta dermatose

Peres, Letícia Pangendler January 2015 (has links)
Introdução: A psoríase é uma doença de caráter crônico e bastante prevalente. O prurido associado a ela é um sintoma muito frequente e de difícil controle, podendo trazer sérios prejuízos na qualidade de vida dos pacientes. Estudos prévios demonstraram o aumento na quantificação de mastócitos em lesões de psoríase, porém a associação entre a quantidade células mastocitárias e a intensidade do prurido na psoríase nunca foi avaliada. Objetivo: Avaliar a associação entre a quantificação de mastócitos em lesões de psoríase e a intensidade do prurido apresentado pelos portadores dessa dermatose. Pacientes e Métodos: Foram avaliados 29 pacientes com diagnóstico clínico de psoríase em placas, atendidos no ambulatório de Dermatologia do HCPA. Todos os participantes tiveram suas lesões quantificadas pelos índices PASI (Psoriasis Area and Severity Index) e BSA (Body Surface Area) e responderam a dois questionários: um para definição do impacto da psoríase na qualidade de vida, através do DLQI (Dermatology Life Quality Index), e outro com informações clínicas. A intensidade do prurido foi aferida através de uma escala análogo visual (EAV) e obtida uma biópsia de pele para a quantificação dos mastócitos. A contagem dos mastócitos foi realizada através das colorações Giemsa e imunohistoquímica (IHQ) para CD-117. Resultados: Dos pacientes estudados, 44,8% eram homens e 55,2% mulheres. A idade média dos pacientes foi de 50 anos (desvio padrão = 15 anos). A avaliação do PASI apresentou uma uma mediana de 7.6 (IIC 5,35-15,05) e do BSA de 16% (IIC 10- 29,5). O DLQI apresentou um valor mínimo de 0 e máximo de 26, com mediana de 5 (IIC 2,5-12,5) . Em relação ao prurido, a EAV teve uma variação de 0 à 10, e median com valor de 6 (IIC 2-8), sendo que 93,1% dos pacientes apresentaram algum grau de prurido. Na quantificação de mastócitos nas biópsias de pele, obtivemos uma média de 11,32 mastócitos/campo na técnica de imunohistoquímica (desvio padrão= 4,47) e uma média de 6,72 mastócitos/campo para a coloração de Giemsa (desvio padrão= 2,57). Entretanto, não conseguimos estabelecer correlação entre a intensidade do prurido e a contagem de mastócitos, sendo encontrado um valor de p = 0,152 para a IHQ e de p = 0,116 para Giemsa. Após dividirmos os pacientes em psoríase leve/moderada (PASI≤10) e psoríase grave (PASI>10) também não foi observada correlação estatísticamente significativa com nenhuma das seguintes variáveis: quantificação de mastócitos, tempo de duração da doença, intensidade de prurido, uso de metotrexato, uso de corticóide tópico, tabagismo, presença de comorbidades (hipertensão, dislipidemia ou diabete) sexo e idade. A comparação entre os dois métodos de quantificação de mastócitos, através da técnica de Bland and Altman, mostrou que o IC entre eles está entre -1,49 e 10,83, sendo a técnica de imunohistoquímica considerada a mais sensível. Conclusão: Apesar de os mastócitos serem mediadores pruritogênicos em diversas doenças cutâneas, e ainda que já esteja bem documentado o aumento do número de mastócitos em lesões de psoríase, nossos resultados não foram capazes de estabelecer uma relação entre a quantificação dessas células com a intensidade do prurido referido pelos pacientes. Estes achados reforçam o conceito de que o prurido presente na psoríase possui uma fisiopatologia complexa e multifatorial, envolvendo outros mediadores pruritogênicos além dos mastócitos. / Introduction: Psoriasis is a chronic disease with a high prevalence. The associated pruritus is a very common symptom and one that is difficult to control, but the mediators involved in psoriatic itching have not been fully established. Objective: To evaluate associations between the number of mast cells in psoriatic lesions and the intensity of pruritus in patients with psoriasis. Patients and Methods: A sample of 29 patients with clinical diagnoses of plaque psoriasis was recruited. All participants were assessed using the Psoriasis Area and Severity Index (PASI) and by Body Surface Area (BSA). A questionnaire was administered to obtain clinical information and the Dermatology Life Quality Index (DLQI) was administered to acquire details relating to the impact of psoriasis on their quality of life. Pruritus was assessed using a visual analog scale (VAS) and skin biopsies were taken for staining with Giemsa and Immunohistochemistry (IHC) with CKit. Results: The immunohistochemical method revealed a mean of 11.32 mast cells/field (standard deviation= 4.47) and Giemsa staining revealed a mean of 6.72 mast cells/field (standard deviation= 2.57). However, there were no correlations between intensity of itching and the mast cell counts, with p values of p = 0.152 for IHC and p = 0.116 for Giemsa. Conclusions: Although mast cells are mediators of pruritus in many cutaneous diseases, our findings support the view that the psoriatic pruritus has complex and multifactorial pathophysiology, involving other pruritogenic mediators beyond mast cells.
3

Quantificação demastócitos em lesões de psoríase e correlação com a intensidade do prurido apresentado pelos pacientes com esta dermatose

Peres, Letícia Pangendler January 2015 (has links)
Introdução: A psoríase é uma doença de caráter crônico e bastante prevalente. O prurido associado a ela é um sintoma muito frequente e de difícil controle, podendo trazer sérios prejuízos na qualidade de vida dos pacientes. Estudos prévios demonstraram o aumento na quantificação de mastócitos em lesões de psoríase, porém a associação entre a quantidade células mastocitárias e a intensidade do prurido na psoríase nunca foi avaliada. Objetivo: Avaliar a associação entre a quantificação de mastócitos em lesões de psoríase e a intensidade do prurido apresentado pelos portadores dessa dermatose. Pacientes e Métodos: Foram avaliados 29 pacientes com diagnóstico clínico de psoríase em placas, atendidos no ambulatório de Dermatologia do HCPA. Todos os participantes tiveram suas lesões quantificadas pelos índices PASI (Psoriasis Area and Severity Index) e BSA (Body Surface Area) e responderam a dois questionários: um para definição do impacto da psoríase na qualidade de vida, através do DLQI (Dermatology Life Quality Index), e outro com informações clínicas. A intensidade do prurido foi aferida através de uma escala análogo visual (EAV) e obtida uma biópsia de pele para a quantificação dos mastócitos. A contagem dos mastócitos foi realizada através das colorações Giemsa e imunohistoquímica (IHQ) para CD-117. Resultados: Dos pacientes estudados, 44,8% eram homens e 55,2% mulheres. A idade média dos pacientes foi de 50 anos (desvio padrão = 15 anos). A avaliação do PASI apresentou uma uma mediana de 7.6 (IIC 5,35-15,05) e do BSA de 16% (IIC 10- 29,5). O DLQI apresentou um valor mínimo de 0 e máximo de 26, com mediana de 5 (IIC 2,5-12,5) . Em relação ao prurido, a EAV teve uma variação de 0 à 10, e median com valor de 6 (IIC 2-8), sendo que 93,1% dos pacientes apresentaram algum grau de prurido. Na quantificação de mastócitos nas biópsias de pele, obtivemos uma média de 11,32 mastócitos/campo na técnica de imunohistoquímica (desvio padrão= 4,47) e uma média de 6,72 mastócitos/campo para a coloração de Giemsa (desvio padrão= 2,57). Entretanto, não conseguimos estabelecer correlação entre a intensidade do prurido e a contagem de mastócitos, sendo encontrado um valor de p = 0,152 para a IHQ e de p = 0,116 para Giemsa. Após dividirmos os pacientes em psoríase leve/moderada (PASI≤10) e psoríase grave (PASI>10) também não foi observada correlação estatísticamente significativa com nenhuma das seguintes variáveis: quantificação de mastócitos, tempo de duração da doença, intensidade de prurido, uso de metotrexato, uso de corticóide tópico, tabagismo, presença de comorbidades (hipertensão, dislipidemia ou diabete) sexo e idade. A comparação entre os dois métodos de quantificação de mastócitos, através da técnica de Bland and Altman, mostrou que o IC entre eles está entre -1,49 e 10,83, sendo a técnica de imunohistoquímica considerada a mais sensível. Conclusão: Apesar de os mastócitos serem mediadores pruritogênicos em diversas doenças cutâneas, e ainda que já esteja bem documentado o aumento do número de mastócitos em lesões de psoríase, nossos resultados não foram capazes de estabelecer uma relação entre a quantificação dessas células com a intensidade do prurido referido pelos pacientes. Estes achados reforçam o conceito de que o prurido presente na psoríase possui uma fisiopatologia complexa e multifatorial, envolvendo outros mediadores pruritogênicos além dos mastócitos. / Introduction: Psoriasis is a chronic disease with a high prevalence. The associated pruritus is a very common symptom and one that is difficult to control, but the mediators involved in psoriatic itching have not been fully established. Objective: To evaluate associations between the number of mast cells in psoriatic lesions and the intensity of pruritus in patients with psoriasis. Patients and Methods: A sample of 29 patients with clinical diagnoses of plaque psoriasis was recruited. All participants were assessed using the Psoriasis Area and Severity Index (PASI) and by Body Surface Area (BSA). A questionnaire was administered to obtain clinical information and the Dermatology Life Quality Index (DLQI) was administered to acquire details relating to the impact of psoriasis on their quality of life. Pruritus was assessed using a visual analog scale (VAS) and skin biopsies were taken for staining with Giemsa and Immunohistochemistry (IHC) with CKit. Results: The immunohistochemical method revealed a mean of 11.32 mast cells/field (standard deviation= 4.47) and Giemsa staining revealed a mean of 6.72 mast cells/field (standard deviation= 2.57). However, there were no correlations between intensity of itching and the mast cell counts, with p values of p = 0.152 for IHC and p = 0.116 for Giemsa. Conclusions: Although mast cells are mediators of pruritus in many cutaneous diseases, our findings support the view that the psoriatic pruritus has complex and multifactorial pathophysiology, involving other pruritogenic mediators beyond mast cells.
4

Quantificação demastócitos em lesões de psoríase e correlação com a intensidade do prurido apresentado pelos pacientes com esta dermatose

Peres, Letícia Pangendler January 2015 (has links)
Introdução: A psoríase é uma doença de caráter crônico e bastante prevalente. O prurido associado a ela é um sintoma muito frequente e de difícil controle, podendo trazer sérios prejuízos na qualidade de vida dos pacientes. Estudos prévios demonstraram o aumento na quantificação de mastócitos em lesões de psoríase, porém a associação entre a quantidade células mastocitárias e a intensidade do prurido na psoríase nunca foi avaliada. Objetivo: Avaliar a associação entre a quantificação de mastócitos em lesões de psoríase e a intensidade do prurido apresentado pelos portadores dessa dermatose. Pacientes e Métodos: Foram avaliados 29 pacientes com diagnóstico clínico de psoríase em placas, atendidos no ambulatório de Dermatologia do HCPA. Todos os participantes tiveram suas lesões quantificadas pelos índices PASI (Psoriasis Area and Severity Index) e BSA (Body Surface Area) e responderam a dois questionários: um para definição do impacto da psoríase na qualidade de vida, através do DLQI (Dermatology Life Quality Index), e outro com informações clínicas. A intensidade do prurido foi aferida através de uma escala análogo visual (EAV) e obtida uma biópsia de pele para a quantificação dos mastócitos. A contagem dos mastócitos foi realizada através das colorações Giemsa e imunohistoquímica (IHQ) para CD-117. Resultados: Dos pacientes estudados, 44,8% eram homens e 55,2% mulheres. A idade média dos pacientes foi de 50 anos (desvio padrão = 15 anos). A avaliação do PASI apresentou uma uma mediana de 7.6 (IIC 5,35-15,05) e do BSA de 16% (IIC 10- 29,5). O DLQI apresentou um valor mínimo de 0 e máximo de 26, com mediana de 5 (IIC 2,5-12,5) . Em relação ao prurido, a EAV teve uma variação de 0 à 10, e median com valor de 6 (IIC 2-8), sendo que 93,1% dos pacientes apresentaram algum grau de prurido. Na quantificação de mastócitos nas biópsias de pele, obtivemos uma média de 11,32 mastócitos/campo na técnica de imunohistoquímica (desvio padrão= 4,47) e uma média de 6,72 mastócitos/campo para a coloração de Giemsa (desvio padrão= 2,57). Entretanto, não conseguimos estabelecer correlação entre a intensidade do prurido e a contagem de mastócitos, sendo encontrado um valor de p = 0,152 para a IHQ e de p = 0,116 para Giemsa. Após dividirmos os pacientes em psoríase leve/moderada (PASI≤10) e psoríase grave (PASI>10) também não foi observada correlação estatísticamente significativa com nenhuma das seguintes variáveis: quantificação de mastócitos, tempo de duração da doença, intensidade de prurido, uso de metotrexato, uso de corticóide tópico, tabagismo, presença de comorbidades (hipertensão, dislipidemia ou diabete) sexo e idade. A comparação entre os dois métodos de quantificação de mastócitos, através da técnica de Bland and Altman, mostrou que o IC entre eles está entre -1,49 e 10,83, sendo a técnica de imunohistoquímica considerada a mais sensível. Conclusão: Apesar de os mastócitos serem mediadores pruritogênicos em diversas doenças cutâneas, e ainda que já esteja bem documentado o aumento do número de mastócitos em lesões de psoríase, nossos resultados não foram capazes de estabelecer uma relação entre a quantificação dessas células com a intensidade do prurido referido pelos pacientes. Estes achados reforçam o conceito de que o prurido presente na psoríase possui uma fisiopatologia complexa e multifatorial, envolvendo outros mediadores pruritogênicos além dos mastócitos. / Introduction: Psoriasis is a chronic disease with a high prevalence. The associated pruritus is a very common symptom and one that is difficult to control, but the mediators involved in psoriatic itching have not been fully established. Objective: To evaluate associations between the number of mast cells in psoriatic lesions and the intensity of pruritus in patients with psoriasis. Patients and Methods: A sample of 29 patients with clinical diagnoses of plaque psoriasis was recruited. All participants were assessed using the Psoriasis Area and Severity Index (PASI) and by Body Surface Area (BSA). A questionnaire was administered to obtain clinical information and the Dermatology Life Quality Index (DLQI) was administered to acquire details relating to the impact of psoriasis on their quality of life. Pruritus was assessed using a visual analog scale (VAS) and skin biopsies were taken for staining with Giemsa and Immunohistochemistry (IHC) with CKit. Results: The immunohistochemical method revealed a mean of 11.32 mast cells/field (standard deviation= 4.47) and Giemsa staining revealed a mean of 6.72 mast cells/field (standard deviation= 2.57). However, there were no correlations between intensity of itching and the mast cell counts, with p values of p = 0.152 for IHC and p = 0.116 for Giemsa. Conclusions: Although mast cells are mediators of pruritus in many cutaneous diseases, our findings support the view that the psoriatic pruritus has complex and multifactorial pathophysiology, involving other pruritogenic mediators beyond mast cells.
5

Avaliação da resposta inflamatória, por imunoistoquímica, na pele de cães atópicos com a utilização de oclacitinib comercial e genérico

Morad, Juliana Caltabellotta Gomes January 2019 (has links)
Orientador: Luiz Henrique de Araújo Machado / Resumo: Dermatite atópica (DA) canina é uma enfermidade alergoinflamatória de caráter crônico, da pele e orelha externa, geralmente de cães adultos jovens, induzida por distintos alérgenos. A afecção tem etiopatologia complexa e ainda não totalmente elucidada, dificilmente atingindo cura. Porém, há hoje, várias opções medicamentosas para o seu controle. O oclacitinib faz parte da recente remessa de medicamentos para tratamento e controle do prurido dos cães atópicos, com poucos efeitos colaterais. É um fármaco inibidor de janus quinase, com rápida ação e que age na ligação das citocinas aos receptores JAKs. Este trabalho teve como intuito avaliar a resposta inflamatória da pele de animais atópicos, antes e 30 dias após o tratamento com Oclacitinib comercial (Apoquel®), através da mensuração das interlucinas IL-1, IL-4, IL-6, IL-10, IL-17, IL-31, TNF-, IFN- e filagrina, pela técnica de imuno-histoquímica, além da resposta clinica ao tratamento pela avaliação do CADESI-4 e escore do prurido. Os 10 cães utilizados no estudo são provenientes do atendimento dermatológico do HV da UNESP-Botucatu e clínica particular de Sorocaba-SP. Apenas os escores do CADESI-4, do prurido e da IL-1, citocina inflamatória chave da imunidade inata e na patogênese da DA, apresentaram redução na análise estatística. Concluise que a IL-1 pode ter um papel importante na farmacocinética do oclacitinib e maiores estudos são necessários para confirmar a ação do oclacitinib sobre a produção e ligação da IL-1 aos ... (Resumo completo, clicar acesso eletrônico abaixo) / Abstract: Canine atopic dermatitis (DA) is a chronic inflammatory alergo disease of the skin and external ear, usually of young adult dogs, induced by distinct allergens. The disease has complex and still not fully elucidated etiopatology, hardly reaching cure. However, there are today several drug options for your control. Oclacitinib is part of the recent consignment of medications for treatment and control of the itching of atopic dogs, with few side effects. It is an inhibitor drug of Janus Kinase, with rapid action and acting in the binding of cytokines to jaks receptors. The objective of this work was to evaluate the inflammatory response of the skin of atopic animals before and 30 days after treatment with commercial oclacitinib (Apoquel®), through the measurement of interlukines il-1, IL-4, IL-6, IL-10, IL-17, IL-31, TNF-α, IFN-γ and Filagrin, by immunohistochemistry technique, in addition to clinical response to treatment by evaluation of Cadesi-4 and pruritus score. The 10 dogs used in the study are from the dermatological treatment of HV of UNESP-Botucatu and private Clinic of Sorocaba-SP. Only the scores of Cadesi4, pruritus and IL-1, the key inflammatory cytokine of innate immunity and the pathogenesis of DA, showed a reduction in the statistical analysis. It is concluded that IL-1 may play an important role in the pharmacokinetics of oclacitinib and further studies are needed to confirm the action of oclacitinib on the production and binding of IL-1 to cutaneous receptors... (Complete abstract click electronic access below) / Mestre
6

Avaliação da participação de canais de cálcio voltagem-dependentes sobre a resposta pruritogênica em camundongos

Maciel, Izaque de Sousa January 2014 (has links)
Made available in DSpace on 2014-03-29T02:01:29Z (GMT). No. of bitstreams: 1 000455926-Texto+Completo-0.pdf: 1580649 bytes, checksum: 43ccab4db0f539ea4361b47f57d0cedd (MD5) Previous issue date: 2014 / We assessed the effects of pharmacological spinal inhibition of voltage-gated calcium channels (VGCC) in mouse pruritus. The epidural administration of P/Q-type MVIIC or PhTx3. 3, L-type verapamil, T-type NNC 55-0396 or R-type SNX-482 VGCC blockers failed to alter the scratching behavior caused by the PAR-2 activator trypsin, injected into the mouse nape skin. Otherwise, trypsin-elicited pruritus was markedly reduced by the spinal administration of preferential N-type VGCC inhibitors MVIIA and Phα1β. C. magus-obtained toxin MVIIA displayed significant effects when dosed from 1 to 4 h before trypsin, whereas the effects of P. nigriventer-derived Phα1β remained for up to 12 h. MVIIA or Phα1β also prevented the itching elicited by intradermal (i. d. ) injection of SLIGRL-NH2, compound 48/80 or chloroquine, although they did not affect H2O2-induced itching. Furthermore, the co-administration of MVIIA or Phα1β markedly inhibited the pruritus caused by the spinal injection of gastrin-releasing peptide (GRP), but not morphine. Notably, spinal MVIIA or Phα1β greatly prevented chronic pruritus allied to dry skin. However, either toxin failed to alter the edema formation or neutrophil influx caused by trypsin. In addition, epidural MVIIA or Phα1β did not modify the expression of GRP receptor (GRP-R) in the spinal cord, whilst they brought c-Fos activation to control levels. Finally, the in vitro incubation of MVIIA or Phα1β prevented the calcium influx evoked by the synthetic PAR-2 agonist AC264613 in spinal cord synaptosomes. Data brings novel evidence on itching transmission mechanisms, pointing out the therapeutic relevance of N-type VGCC inhibitors to control refractory pruritus. / Foram avaliados os efeitos da inibição farmacológica dos canais de cálcio voltagem-dependentes (CCVD) no prurido em camundongos. A administração intratecal (i. t. ) dos bloqueadores CCVD do subtipo P/Q (MVIIA ou PhTx3. 3), subtipo L (verapamil), subtipo T (NNC 55-0396) ou do subtipo R (SNX-482) não alterou o comportamento de coçar induzido pela tripsina (agonista do receptor PAR-2), aplicada na região dorsal do pescoço de camundongos. Entretanto, o comportamento de coçar induzido pela tripsina foi significativamente diminuído pela administração i. t. dos bloqueadores de CCVD do subtipo N (MVIIA e Phα1β). A toxina MVIIA, derivada do C. magus, apresentou efeitos significativos quando administrada entre 1 a 4 horas antes da aplicação de tripsina. Por outro lado, a toxina Phα1β derivada do veneno da aranha P. nigriventer demonstrou atividade, quando injetada até 12 h antes da tripsina.O pré-tratamento com MVIIA ou Phα1β foi efetivo em inibir o comportamento de coçar induzido pela aplicação intradérmica (i. d. ) de SLIGRL-NH2, composto 48/80 ou cloroquina; entretanto, as toxinas não inibiram o comportamento de coçar induzido pela injeção i. d. de H2O2. A co-injeção de MVIIA ou Phα1β inibiu o comportamento de coçar induzido pela aplicação i. t. do peptídeo liberador de gastrina (GRP), mas não inibiu o prurido causado pela morfina. Relevantemente, a administração i. t. da toxina MVIIA ou Phα1β inibiu a coceira crônica induzida pelo modelo de pele seca em camundongos. A atividade anti-pruritogênica de ambas as toxinas não parece estar relacionada com a modulação do processo inflamatório na pele, uma vez que as toxinas MVIIA ou Phα1β não foram capazes de inibir o edema e a migração de neutrófilos induzidos pela aplicação i. d. de tripsina.A aplicação i. t. de MVIIA ou Phα1β não modificou a expressão do receptor para o GRP (GRP-R) na medula espinhal. Por outro lado, as duas reduziram a expressão de c-Fos aos níveis do grupo controle, de acordo com a avaliação na medula dos camundongos. Finalmente, a incubação de MVIIA ou Phα1β preveniu o influxo de cálcio estimulado pelo agonista do receptor PAR-2 AC264613 em sinaptossomas de medula de camundongos. Estes resultados trazem uma nova perspectiva acerca dos mecanismos envolvidos na sinalização da coceira, indicando os inibidores de CCVD do subtipo N como possíveis estratégias para o tratamento do prurido, especialmente nas condições onde há ausência de resposta à terapia atual.
7

Caracterização do papel da fosfatidilinositol-3 quinase γ nas respostas inflamatórias e nociceptivas induzidas pela tripsina em camundongos

Pereira, Paula Juliana Brizuela de Seadi January 2011 (has links)
Made available in DSpace on 2013-08-07T19:05:39Z (GMT). No. of bitstreams: 1 000428504-Texto+Completo-0.pdf: 9435155 bytes, checksum: b968cd0d1d061bafe5d115acc37423bf (MD5) Previous issue date: 2011 / This study investigated the effects of selective PI3K inhibitors in the pruriceptive, inflammatory and nociceptive responses induced by trypsin in mice. The animals were orally treated with the selective PI3Kg inhibitors AS605240 (1 to 30 mg/kg), AS041164 and AS252424 (both 1 mg/kg), 30 min beforehand. In separate groups, AS605240 was given by intrathecal (i. t. ) or intracerebroventricular (i. c. v. ) routes. The control groups received saline at the same schedules of administration. The effects of PI3K blocking were assessed in different experimental assays. The oral treatment with AS605240 produced a marked reduction of scratching behavior elicited by trypsin, whereas AS041164 and AS252424 administration failed to significantly affect this parameter. Moreover, AS605240 (1 mg/kg) was able to produce a partial, but significant inhibition of the scratching bouts elicited by CP 48/80. Interestingly, the i. c. v. and i. t. injection of AS605240 also reduced trypsin-induced itching. The oral administration of AS605240 was found effective in producing a significant and dose-dependent reduction of trypsin-induced paw edema, TNFa production, as well as the neutrophil recruitment, according to MPO activity assessment. Likewise, oral AS605240 (1 mg/kg) promoted a significant reduction of spontaneous nociception induced by trypsin in the mouse paw. In contrast, the same dose of AS605240 did not significantly modify capsaicin-evoked nociception. Noteworthy, AS605240 (1 mg/kg) was effective in preventing c-Fos and phospho-Akt immunopositivity at the spinal cord of trypsin-injected mice, either into the dorsum or the paws. Our data suggests that PI3K inhibitors might represent a valuable alternative for treating inflammatory and painful conditions, as well as pruritus. / Este estudo investigou os efeitos de inibidores seletivos para PI3K nas respostas pruriceptivas, inflamatórias e nociceptivas induzidas por tripsina em camundongos. Os animais foram tratados por via oral com os inibidores seletivos de PI3K AS605240 (1 a 30 mg/kg), AS041164 e AS252424 (ambos 1 mg/kg), 30 min antes dos experimentos. Em grupos separados, o AS605240 foi administrado por via intratecal (i. t. ) ou intracerebroventricular (i. c. v. ). Os grupos controles receberam solução salina nos mesmo esquemas de administração. Os efeitos da inibição da PI3K foram avaliados em diferentes modelos experimentais. O tratamento oral com AS605240 reduziu marcantemente o comportamento de coçar causado pela tripsina, enquanto o AS041164 e AS252424 não afetaram de forma significativa esse parâmetro. Além disso, o AS605240 (1 mg/kg) produziu uma inibição parcial, mas significativa do comportamento de coçar evocado pelo CP 48/80. De maneira interessante, a injeção i. t. e i. c. v. de AS605240 também reduziu o prurido causado pela tripsina. A administração oral de AS605240 foi efetiva em promover uma redução significativa e dosedependente do edema de pata, produção de TNF, bem como o recrutamento de neutrófilos induzido por tripsina. Do mesmo modo, o AS605240 (1 mg/kg) reduziu significativamente a nocicepção espontânea causada pela injeção de tripsina na pata dos animais. Por outro lado, a mesma dose de AS605240 não modificou a nocicepção induzida por capsaicina. Notavelmente, o AS605240 (1 mg/kg) previniu a imunopositividade para c-Fos e fosfo-Akt na medula espinhal dos camundongos injetados com tripsina tanto no dorso como na pata. Nossos dados sugerem que a inibição de PI3K pode representar uma valiosa alternativa para o tratamento de condições inflamatórias e dolorosas, bem como o prurido.
8

Comportamento de coçar e nocicepção evidenciados após a aplicação facial de endotelina-1

Gomes, Lenyta Oliveira 26 October 2012 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Farmacologia, Florianópolis, 2011 / Made available in DSpace on 2012-10-26T05:38:18Z (GMT). No. of bitstreams: 1 290484.pdf: 2223179 bytes, checksum: 6cba3254b3fc511eda0220e4973d0485 (MD5) / O presente trabalho reproduziu o modelo experimental descrito por Shimada e Lamotte, (2008), e o utilizou para diferenciar e quantificar as respostas de coceira ou nocicepção à ET-1 na face de camundongos. A histamina causou acessos de coceira com efeito máximo em 50 mg, sem causar movimentos de limpeza. A capsaicina causou nocicepção (movimentos de limpeza facial) na dose máxima de 40 mg, porém, não promoveu acessos de coceira. A co-injeção i.d. de histamina (50 mg) juntamente com capsaicina (10 mg) resultou em diminuição ambas as repostas. A injeção i.d. de ET-1 (3 - 60 pmol) induziu tanto coceira, quanto nocicepção, proporcionais à dose administrada. A coceira induzida pela ET-1 (30 pmol) foi inibida pelo antagonista de receptores ETA BQ-123 (10 nmol, i.d., 5 min antes) e aumentada pelo antagonista de receptores ETB BQ-788 (10 nmol, i.d, 5 min antes). A injeção de BQ-123 não inibiu a nocicepção, porém, a coinjeção de ambos os antagonistas reduziu a hipernocicepçãoà ET-1 causada por BQ-788. A co-injeção com naltrexona (5 mg, i.d.) não alterou a coceira, mas aumentou a nocicepção. Porém os antagonistas seletivos µ (CTOP, 20 nmol) e . (Nor-BNI, 68 nmol) opióides aumentaram os acessos de coceira sem alterarem a nocicepção. Enquanto a coceira causada pela ET-1 foi inibida pelo agonista seletivo µ opióide (DAMGO, 100 nmol), mas não pelo agonista seletivo . opióide (U50488-H, 100 nmol) a nocicepção foi reduzida por ambas as dorgas. A loratadina (10 mg/Kg, i.p., 60 min antes), antagonista dos receptores H1 para histamina reduziu ambas as respostas à ET-1. A análise histológica revelou aumento no número de mastócitos intactos e degranulados na derme, 15 e 30 min após injeção de ET-1. Assim, ambas as respostas à ET-1, neste modelo, são mediadas por receptores ETA e por mastócitos, sendo dependentes de histamina. Este efeito parece ser limitado pela ativação de receptores ETB acoplados a liberaç0ão local de opióides. / This study aimed to replicate the experimental model described by Shimada and Lamotte (2008) and use it to differentiate and quantify the itch and nociception responses promoted by ET-1 in the check of mice. Histamine elicited scratching bouts, with maximal effect at 50 mg, but did not induce wipes bouts. Capsaicin evoked wiping responses in the maximum dose of (40 mg), but did not causes scratching. Responses induced by i.d. co-injection of histamine (50 mg) with capsaicin (10 mg) were reduce in comparison to those promoted by each drug alone. The i.d injection of ET-1 (3 - 60 pmol) induced both sctraching and wiping response, with maximum response at a dose of 60 pmol. Scratching induced by ET-1 (30 pmol) as inhibited by ETA receptor antagonist, BQ- 123 (10 nmol, i.d, 5 min before) and incresead by ETB receptor antagonist, BQ-788 (10 nmol, i.d, 5 min before). The BQ-123 treatment did not inhibit the wiping, but the co-injection of both antagonists reduced hypernociception to ET-1 induced by BQ 788. Co-injected with ET-1, naltrexone (5 mg, i.d.), did not alter the scratching bouts, but increase wiping. However, the selective antagonist as ì opioids (CTOP, 20 nmol) and ê opioid receptor (Nor-BNI, 68 nmol) augmented the scratching bouts without affecting wiping. While the scratching bouts were inhibited only by the selective ì opioid agonist (DAMGO,100 nmol) but not ê selective agonist (U50488-H,100 nmol) the wiping was reduced by both opioid agonist. The treatment with loratadine (10 mg/kg, i.p., 60 min before) reduced both ET-1 induced responses. Cheek skin sections obtained 15 and 30 min after ET-1 i.d. injection showed an increased number of intact and degranulated mast cells. Thus, both responses to ET-1 in this model are mediated by ETA receptors, being mediated by mast cells and histamine-dependent. This effect can be limited by activation of anti-pruritic ETB receptors coupled to local opioid release.
9

Análise imunoenzimática sérica de cães atópicos submetidos ao transplante de células-tronco mesenquimais – avaliação do perfil inflamatório

Berbel, Beatriz Rodrigues. January 2018 (has links)
Orientador: Luiz Henrique de Araújo Machado / Resumo: A dermatite atópica canina (DAC) apresenta uma complexa relação entre a inflamação e a barreira cutânea. O envolvimento de resposta imunológica do tipo Th2 e Th1, bem como produção de citocinas pró inflamatórias têm sido relacionadas com o padrão inflamatório, sinais clínicos e a gravidade da doença. As células-tronco mesenquimais (CTM) possuem características imunomoduladoras, sendo altamente sugeridas para reduzir a produção de citocinas inflamatórias e melhorar a qualidade de vida de animais atópicos. Visando comparar o efeito das CTM em cães atópicos, realizamos um estudo randomizado, simples-cego, com período inicial de placebo em seis cães. Foram comparados os perfis séricos inflamatórios por ELISA, além de resposta clínica por CADESI-04 e escala analítica de prurido. Ao final do estudo, os cães melhoraram significantemente o padrão clínico por CADESI-04 (p < 0,001) e pela escala de prurido (p < 0,05), contudo não houve mudança no perfil inflamatório das citocinas. Foi observado reações adversas em dois animais do estudo. Concluindo, o uso de CTM pode ser eficaz na melhora da sintomatologia relacionada a doença. / Abstract: Canine atopic dermatitis (CAD) presents a complex relationship between inflammation and cutaneous barrier. The involvement of Th2 and Th1 type immune responses, as well as the production of proinflammatory cytokines have been related to inflammatory pattern, clinical signs and severity of disease. Mesenchymal stem cells (MTCs) have immunomodulatory characteristics and are highly suggested to reduce the production of inflammatory cytokines and to improve quality of life of atopic animals. In order to compare effects of MTCs on atopic dogs, we performed a randomized, simple-blind, placebo-controlled study in 6 dogs. Inflammatory serum profiles were compared by ELISA, in addition to clinical response by CADESI-04 and analytical pruritus scale. At the end of the experiment, dogs significantly improved the clinical standard for CADESI-04 (p <0.001) and pruritus scale (p <0.05), however, there was no change in the inflammatory cytokine profile. Adverse reactions were observed in two study animals. Concluding that the use of CTM may be effective in improving symptoms related to disease / Mestre
10

O prurido mediado pelo receptor para o peptídeo liberador de gastrina (GRPR) é dependente da via de sinalização PI3KΎ/Akt

Pereira, Paula Juliana Brizuela de Seadi January 2016 (has links)
Made available in DSpace on 2016-06-02T12:30:27Z (GMT). No. of bitstreams: 1 000478920-Texto+Completo-0.pdf: 4958315 bytes, checksum: 38858f11b57077cc60813c0fa01390dd (MD5) Previous issue date: 2016 / The gastrin-releasing peptide (GRP) and its receptor (GRPR) were recently identified as specific components of pruritus, suggesting an important pharmacological potential for this system; however, the mechanisms underlying GRP/GRPR activity remain undefined. Herein, we evaluated GRPR localization and downstream signaling pathways. Our data show that GRP directly activates small-size capsaicin-sensitive DRG neurons, an effect that translates into transient calcium flux and membrane depolarization. Expression profile revealed that PI3KΎ is downstream of the GRP/GRPR axis, observed by GRP-induced Akt phosphorylation in ex vivo naive mouse spinal cords and in GRPR transiently expressing HEK293 cells. However, ex vivo mouse spinal cord stimulation by GRP failed to induce the activation of MAP-kinases, namely ERK 1/2 and p38. Intrathecal GRP administration led to intense scratching behavior, an effect significantly reduced by either GRPR antagonism or the PI3KΎ inhibition. We assessed whether the GRP/GRPR system is involved in chronic itching using the dry skin model and found that GRPR blockade or PI3KΎ inhibition reversed the scratching. We also found that p-Akt and GRPR are co-expressed in the spinal cord and in DRG neurons from dry skin mice, and that p-Akt levels are increased in these animals, an effect prevented by GRPR blockade. The intradermal injection of GRP also triggers scratching behavior, which was significantly decreased after treatment with PI3KΎ inhibitor. The itching response was also induced by the intrathecal injection of an Akt activator. Altogether, these findings are highly suggestive that GRPR is expressed by the peripheral and central terminals of DRG nociceptive afferents, which transmit itch via the PI3KΎ/Akt pathway. / O peptídeo liberador de gastrina (GRP) e seu receptor (GRPR) foram recentemente identificados como componentes específicos do prurido, com importante potencial farmacológico; no entanto, os mecanismos intracelulares que medeiam a atividade do sistema GRP/GRPR permanecem desconhecidos. O presente estudo avaliou a localização do GRPR e as vias de sinalização downstream ativadas por este receptor. Os dados obtidos mostram que o GRP ativa diretamente neurônios de pequeno diâmetro do DRG, sensíveis a capsaicina, um efeito demonstrado pelo fluxo transitório de cálcio e pela despolarização da membrana. O perfil de expressão observado sugere que a PI3KΎ é ativada downstream ao sistema GRP/GRPR, como indicado pela fosforilação de Akt (marcador de atividade de PI3KΎ) induzida por GRP, em medulas de camundongos ex vivo e, em células HEK293 transfectadas com GRPR. Contudo, a aplicação de GRP em medulas de camundongos, ex vivo, não parece depender da ativação das MAP-quinases, ERK1/2 ou p38. A injeção intratecal de GRP leva a um comportamento de coçar intenso, que é significativamente reduzido por antagonistas de GRPR ou pela inibição farmacológica de PI3KΎ.Para avaliar se o sistema GRP/GRPR estaria envolvido no prurido crônico, foi empregado o modelo de pele seca em camundongos. Neste paradigma experimental, o bloqueio de GRPR ou de PI3KΎ reverteu o comportamento de coçar. Os dados obtidos também mostram que p-Akt e GRPR estão co-localizados na medula espinhal e em neurônios do DRG de animais com pele seca e, que os níveis de p-Akt estão aumentados nesses animais, um efeito que foi prevenido pelo bloqueio de GRPR. A injeção intradérmica de GRP também induziu o comportamento de coçar, que foi significativamente reduzido após o tratamento com inibidor de PI3KΎ. Finalmente, foi demonstrado que a injeção intratecal de um ativador de Akt foi capaz de induzir coceira em camundongos. O conjunto de resultados obtidos sugere que o GRPR é expresso por terminais periféricos e centrais de neurônios nociceptivos do DRG, transmitindo o prurido através da ativação da via PI3KΎ/Akt.

Page generated in 0.0554 seconds