• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 73
  • 4
  • 4
  • 4
  • 4
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 75
  • 75
  • 47
  • 44
  • 14
  • 14
  • 12
  • 11
  • 10
  • 10
  • 10
  • 10
  • 9
  • 9
  • 9
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Influência da suplementação de vitamina D na gravidade da dermatite atópica na faixa etária pediátrica

Imoto, Renata Robl January 2016 (has links)
Orientadora: Profª. Drª. Vania Oliveira de Carvalho / Coorientador: Prof. Dr. Nelson Augusto Rosário Filho / Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Saúde da Criança e do Adolescente. Defesa: Curitiba, 11/10/2016 / Inclui referências : f. 98-115 / Resumo: Introdução: A dermatite atópica (DA) é uma doença inflamatória da pele, de caráter recidivante e crônico. O diagnóstico é clínico e a gravidade da doença pode ser avaliada por um índice de pontuação, o SCORAD. Existem evidências de que baixos níveis sanguíneos de vitamina D (VD) em pacientes com DA estão relacionados com maior gravidade da doença. Assim a sua suplementação seria uma possibilidade terapêutica. Objetivo: Avaliar a influência da suplementação de VD na gravidade da DA. Métodos: Estudo do tipo antes e depois, com coleta de dados prospectiva, com menores de 14 anos, atendidos entre janeiro de 2014 e janeiro de 2016. A gravidade da doença foi determinada pelo índice SCORAD e classificada como leve (pontuação < 25), moderada (? 25 à ? 50) ou grave (> 50). Os valores séricos de VD foram classificados como: suficientes (? 30 ng/mL), insuficientes (29 a 21 ng/mL) e deficientes (? 20 ng/mL). Participantes com deficiência receberam 50.000 UI de VD por semana, durante 4 semanas; enquanto os com insuficiência receberam 15.000 UI por semana, durante 4 semanas. A dose de manutenção da medicação, para todos os indivíduos com níveis inadequados foi de 15.000 UI por semana, durante 2 meses, totalizando 3 meses de tratamento. Todos foram submetidos ao teste cutâneo alérgico de leitura imediata. Após a suplementação vitamínica, os participantes foram reavaliados clínica e laboratorialmente. As variáveis categóricas foram tratadas com distribuição de frequências. Utilizado teste exato de Fisher, Qui-quadrado de Pearson e Qui-quadrado de Pearson para tendências lineares e o teste de regressão logística multivariada. O nível de significância mínimo adotado foi de 5%. Resultados: Cento e cinquenta e dois participantes preencheram os critérios de inclusão, dos quais 89 (58,5%) eram meninas. As avaliações ocorreram em todas as estações do ano. Quarenta e duas (27,6%) crianças usavam filtro solar diariamente. Foi diagnosticada DA leve, moderada e grave em 90 (59,2%), 36 (23,6%) e 26 (17,2%) participantes, respectivamente. A deficiência de VD ocorreu em 50 participantes (32,9%), níveis insuficientes de VD foram encontrados em 66 (43,4%), e em 36 (23,7%) crianças os níveis de VD foram suficientes. Os níveis médios de VD foram respectivamente de 24,9 ± 6,3 ng/mL na DA leve, 23,8 ± 7,5 ng/mL na moderada e 22,4 ± 8,4 ng/mL na grave. Os participantes com níveis vitamínicos suficientes apresentavam valores de SCORAD mais baixos, ou seja, tinham menor gravidade da DA (p<0,01). Cento e dezesseis participantes (76,3%) com níveis insuficientes e deficientes de VD, receberam suplementação da vitamina e após 3 meses de suplementação os valores de VD desse grupo foram significativamente mais elevados (35,9 ng/mL) em comparação com os níveis iniciais (23,7 ng/mL; p<0,001). Ao mesmo tempo, foi observada uma redução no índice SCORAD (19,4 antes da suplementação versus 12,3 após a suplementação; p<0,001). Crianças do sexo feminino tiveram menor resposta (p=0,02) com a suplementação de VD na diminuição da gravidade da DA. O teste cutâneo alérgico de leitura imediata foi positivo em 55 casos (36,1%). A sensibilização alérgica presente não teve relação estatística com a gravidade da DA (p=0,56). Conclusões: Níveis de VD foram deficientes ou insuficientes em 76,3% das crianças. Os participantes com níveis vitamínicos suficientes tinham DA mais leve, pelo SCORAD. Houve melhora dos níveis séricos de VD dos participantes com DA após a suplementação vitamínica e a suplementação de VD promoveu melhora da gravidade da DA. A sensibilização alérgica não teve relação com os níveis séricos de VD ou com a gravidade da doença. Palavras-chave: Dermatite atópica, vitamina D, hipersensibilidade. / Abstract: Introduction: Atopic dermatitis (AD) is an inflammatory skin disease, with a recurrent and chronic nature. Diagnosis is clinical and the disease severity can be assessed by a scoring index, SCORAD. There is evidence that low blood levels of vitamin D (VD) in patients with AD are related to greater severity of the disease. Thus, the supplementation would be a therapy option. Objective: To assess the influence of VD supplementation on the severity of AD. Methods: study type before and after, with prospective data collection, with children under 14 evaluated between January 2014 and January 2016. The severity of the disease was determined by the SCORAD index and was classified as mild (score <25), moderate (? 25 à ? 50) and severe (> 50). Serum VD values were classified as sufficient (? 30 ng/mL), insufficient (29-21ng/ml) and deficient (? 20 ng/mL). Participants with deficient levels received 50,000 IU of VD per week for 4 weeks; while those with insufficient levels received 15,000 IU per week, for 4 weeks. The maintenance dose for all subjects with inadequate levels was 15,000 IU per week for 2 months, a total treatment of 3 months. All participants underwent skin prick allergy test. After vitamin supplementation, participants were reevaluated both clinically and with new laboratory levels. Categorical variables were treated with frequency distribution. Fisher's exact test, chi-square test, chi-square test for linear trends and multivariate logistic regression test were used. The minimum level of significance was 5%. Results: One hundred and fifty-two participants met the inclusion criteria, of which 89 (58.5%) were girls. Assessments occurred in all seasons. Forty-two (27.6%) children used sunscreen daily. AD was diagnosed as mild, moderate and severe in 90 (59.2%), 36 (23.6%) and 26 (17.2%) participants, respectively. VD deficiency occurred in 50 subjects (32.9%), insufficient levels were found in 66 (43.4%), and 36 (23.7%) children had sufficient levels. Mean levels of VD were respectively 24.9 ± 6.3 ng/ml in mild AD, 23.8 ± 7.5 ng/ml in moderate and 22.4 ± 8.4 ng/ml in severe. Participants with sufficient vitamin levels had lower SCORAD values, therefore less severe AD (p<0.01). One hundred and sixteen participants (76.3%) with insufficient and deficient levels of VD received the vitamin, and, after 3 months of supplementation, the VD values of this group were significantly higher (35.9 ng/mL) compared to baseline levels (23.7 ng/ml; p <0.001). At the same time, a decrease in the SCORAD index (19.4 before supplementation versus 12.3 after; p <0.001) was observed. Female children had lower response to supplementation of VD in reducing the severity of AD (p = 0.02). The skin prick allergy test was positive in 55 cases (36.1%). Allergic sensitization was not statistically related to the severity of AD (p = 0.56). Conclusions: VD levels were deficient or insufficient in 76.3% of children. Participants with sufficient vitamin levels had milder AD by SCORAD. Vitamin D supplementation led to an increase in serum VD levels in the participants, as well as to an improvement in AD severity. Allergic sensitization was not related to serum levels of VD or the severity of the disease. Keywords: atopic dermatitis, vitamin D, hypersensitivity.
2

Inflamação cutânea em modelo animal de dermatite atópica canina

Castro, Talita de Cássia Borges 27 March 2018 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária, Programa de Pós-Graduação em Saúde Animal, 2018. / Submitted by Raquel Viana (raquelviana@bce.unb.br) on 2018-09-25T17:08:10Z No. of bitstreams: 1 2018_TalitadeCássiaBorgesCastro.pdf: 1194387 bytes, checksum: 839a43a9a30fa51d73d25dad63e1a8e9 (MD5) / Approved for entry into archive by Raquel Viana (raquelviana@bce.unb.br) on 2018-09-26T21:43:39Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2018_TalitadeCássiaBorgesCastro.pdf: 1194387 bytes, checksum: 839a43a9a30fa51d73d25dad63e1a8e9 (MD5) / Made available in DSpace on 2018-09-26T21:43:39Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2018_TalitadeCássiaBorgesCastro.pdf: 1194387 bytes, checksum: 839a43a9a30fa51d73d25dad63e1a8e9 (MD5) Previous issue date: 2018-09-25 / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). / A dermatite atópica (DA) é a forma mais comum de alergia que afeta cães causando prurido e inflamação na pele. O objetivo desse estudo foi avaliar um modelo murino similar à doença nos cães, para possibilitar futuros estudos de tratamento da atopia. Três grupos de 3 camundongos da linhagen C57Bl/6 receberam 0,1ml de extrato do ácaro Dermatophagoides farinae pela via percutânea em até 4 ciclos de indução e posteriormente a pele foi coletada por biópsia para avaliação histopatológica. Cada ciclo consistiu em duas aplicações de alérgeno que foi mantido aderido a pele com bandagem, sendo grupo G2 (2 ciclos), G3 (3 ciclos) e G4 (4 ciclos) e um grupo controle Gc que não recebeu alérgeno, somente bandagem. Não foram observadas alterações cutâneas clínica como eritema e escoriação em nenhum grupo. Houve diferença estatística significante no grupo que recebeu 4 ciclos de indução de alérgenos quanto à hiperplasia de epiderme e quantidade de mastócitos. O infiltrado perivascular foi maior em todos os grupos em relação ao controle. Sobretudo deverão ser realizados mais estudos para obter um modelo animal murino reprodutível para avaliação dos tratamentos da dermatite atópica canina. / The atopic dermatitis (AD) is a common allergic disease in dogs that cause itching and skin inflammation. This study aimed to test a murine model comparable to the dogs disease, to enable future atopic disease treatment studies. Three groups of 3 mice C57Bl/6 received 0.1ml of Dermatophagoides farinae mite extract percutaneously in up to 4 cycles of induction and subsequently the skin was collected by biopsy for histopathological evaluation. Each cycles were two allergen applying that kept fixed onto the skin with a bandage, being thus group G2 (2 cycles), G3 (3 cycles) and G4 (4 cycles) and a control group Gc that did not received allergen, only bandage. No clinical symptoms such as erythema and excoriations were observed in any group. There was a significant statistical difference in group G4 regarding epidermal hyperplasia and mast cell numbers. The perivascular infiltrate was higher in all groups than the control group. Therefore, further studies should be performed to obtain a reproducible murine animal model of canine atopic dermatitis treatments.
3

Uso da medicina alternativa em crianças com dermatite atópica no ambulatório de dermatologia pediátrica do Hospital Universitário de Brasília

Aguiar Júnior, Nelson dos Reis 29 April 2009 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, 2009. / Submitted by Thaíza da Silva Santos (thaiza28@hotmail.com) on 2010-03-07T17:32:06Z No. of bitstreams: 1 2009_NelsonRAjunior.pdf: 2007208 bytes, checksum: 4d8fa06e4e1821d116e9d8fe7893a5d4 (MD5) / Approved for entry into archive by Carolina Campos(carolinacamposmaia@gmail.com) on 2010-03-09T15:39:13Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2009_NelsonRAjunior.pdf: 2007208 bytes, checksum: 4d8fa06e4e1821d116e9d8fe7893a5d4 (MD5) / Made available in DSpace on 2010-03-09T15:39:13Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2009_NelsonRAjunior.pdf: 2007208 bytes, checksum: 4d8fa06e4e1821d116e9d8fe7893a5d4 (MD5) Previous issue date: 2009-04-29 / A Dermatite Atópica é uma doença de pele comum entre crianças, de difícil manejo e que envolve fatores genéticos e ambientais. Estudos correlacionando o uso de Medicina Alternativa ou Complementar e a Dermatite Atópica não são raros fora do Brasil, porém são inéditos em nosso país. Medicina Alternativa ou Complementar (MAC) é definida como diagnóstico, tratamento e/ou prevenção que complementa a medicina convencional por contribuir como um todo, por satisfazer as demandas não encontradas na medicina ortodoxa ou por diversificar o quadro conceitual da medicina e inclui formas de terapia que não possuem bases científicas ou eficácia comprovadas por métodos científicos. O objetivo deste estudo foi de investigar a prevalência do uso da Medicina Alternativa ou Complementar por pacientes pediátricos com dermatite atópica, identificar os fatores que podem influenciar na decisão de usar tais terapias, identificar os fatores renda familiar, tamanho da família e escolaridade dos responsáveis/cuidadores dos pacientes, identificar a natureza dos recursos alternativos utilizados pelos pacientes participantes deste estudo, verificar se houve piora do quadro clínico após uso de MAC, verificar se o tempo de duração da doença está associado a maior probabilidade do uso de MAC e avaliar o fator custo do tratamento com recursos de MAC. Desenvolveu-se o estudo com 85 pacientes portadores de Dermatite Atópica, atendidas no Serviço de Dermatologia do Hospital Universitário de Brasília. Foi aplicado um questionário aos pais/cuidadores dos pacientes logo após a consulta médica. Um total de 54 (63,5%) de pacientes utilizou algum tipo de recurso de Medicina Alternativa ou Complementar, indicação de parentes e amigos foi a razão pela qual a maioria utilizou MAC. Os fatores renda familiar, tamanho da família e escolaridade dos pais/cuidadores não influenciaram na decisão de uso de recursos alternativos. Remédios à base de plantas e homeopatia foram os recursos alternativos mais utilizados. A cronicidade da doença está relacionada a maior probabilidade de uso de recursos alternativos. O custo do tratamento alternativo não influenciou o uso de MAC. Muitos dos tratamentos foram referidos pelos pacientes como inúteis ou como provocadores de deterioração do quadro clínico geral. _________________________________________________________________________________________ ABSTRACT / Atopic dermatitis is a common skin disease among children, with difficult management, that involves genetic and environmental factors. Studies correlating the use of Complementary or Alternative Medicine and atopic dermatitis are not rare out of Brazil, but are unpublished in our country. Complementary or Alternative Medicine (CAM) is defined as diagnosis, treatment and / or prevention which complements conventional medicine by contributing as a whole, by meeting the demands not found in orthodox medicine or by diversifying the conceptual framework of medicine and that includes forms of therapy that has no scientific basis or proven effectiveness by scientific methods. The objective of this study was to investigate the prevalence of use of CAM by pediatric patients with atopic dermatitis, identify the factors that may influence the decision to use such therapies, to identify the factors family income, family size and caretakers schooling, to identify the nature of the alternative resources used by patients participating in this study, to verify if there was worsening of symptoms after the use of MAC, to verify if the disease chronicity is associated with greater likelihood of using CAM and to evaluate the factor cost of alternative treatment. The study was developed with 85 patients with atopic dermatitis, that were seen at the Dermatology Service of the University Hospital of Brasília. We applied a questionnaire to parents / caregivers of patients after a medical consultation. A total of 54 (63.5%) of patients used some type of action for Complementary or Alternative Medicine, word by mouth was the most cited reason for trying CAM. The factors family income, family size and caretakers schooling did not influence the decision to use CAM. Herbal medicines and homeopathy were the most used alternative resources and 18,8% of patients mentioned some sort of skin worsening after CAM use. Disease chronicity is related to greater likelihood of using alternative resources. The alternative treatment cost did not influence the use of CAM. Many of these alternative treatments were reported by patients as useless or as provocative deterioration of clinical general.
4

Avaliação da resposta inflamatória dermatológica de cães atópicos com a utilização de maleato de oclacitinib

Ribeiro, Jose Francisco Antunes. January 2019 (has links)
Orientador: Luiz Henrique de Araújo Machado / Resumo: Dermatite atópica (DA) canina é uma enfermidade alergoinflamatória de caráter crônico da pele, sendo realizado apenas tratamento suporte para melhora dos sinais clínicos. O maleato de oclacitinib é um inibidor de enzimas Janus Kinase (JAK) correlacionadas com citocinas pro-inflamatórias e pruridogênicas, e que possui ação rápida controlando o prurido. O objetivo desse estudo foi avaliar a resposta do maleato de oclacitinib, comparando o quadro clínico dermatológico com a resposta inflamatória pelas principais citocinas envolvidas nesse processo. Dez cães com diagnóstico de dermatite atópica foram tratados com maleato de oclacitinib durante 30 dias consecutivos e avaliados no início e no fim do tratamento, considerando as mudanças nas características clínicas e dosagens séricas das principais citocinas envolvidas no processo alérgico da DA, e por fim, correlacionar a evolução clínica com o comportamento dessas citocinas. As citocinas (IFN γ, IL-1, IL-4, IL-6, IL-10, IL-17, IL-31 e TNF α) foram dosadas pelo método de ELISA de amostras colhidas no dia 0 e no dia 30 de tratamento. Ao fim do estudo, pudemos conferir melhora significativa (p<0,001) das avaliações clínicas, com redução do prurido, do CADESI-04 e acompanhamento da IL-31, uma das principais citocinas envolvidas no prurido. Além disso, a utilização do maleato de oclacitinib reduziu todas as citocinas avaliadas durante esse curto período, questionando se, a utilização crônica, pode favorecer o aparecimento de infecções ... (Resumo completo, clicar acesso eletrônico abaixo) / Abstract: Canine atopic dermatitis (AD) is an allergic inflammatory disease of chronic character of the skin, being only supportive treatment to improve clinical signs. Oclacitinib maleate is a Janus Kinase (JAK) enzyme inhibitor correlated with proinflammatory and pruridogenic cytokines, and has rapid action controlling pruritus. The aim of this study was to evaluate the response of oclacitinib maleate by comparing the dermatological clinical picture with the inflammatory response by the main cytokines involved in this process. Ten dogs diagnosed with atopic dermatitis were treated with oclacitinib maleate for 30 consecutive days and evaluated at the beginning and end of treatment, considering changes in clinical characteristics and serum dosages of the main cytokines involved in the allergic process of AD, and finally, correlate clinical evolution with the behavior of these cytokines. Cytokines (IFN γ, IL-1, IL-4, IL-6, IL-10, IL-17, IL-31 and TNF α) were dosed by ELISA on samples taken on day 0 and day 30 of treatment. At the end of the study, we could see a significant improvement (p <0.001) in clinical evaluations, with reduction of pruritus, CADESI-04 and follow-up of IL-31, one of the main cytokines involved in pruritus. In addition, the use of oclacitinib maleate reduced all cytokines evaluated during this short period, questioning whether chronic use may favor the onset of opportunistic infections and/or neoplastic disease. / Mestre
5

Análise imunohistoquímica da proteína interleucina 31 e filagrina e sua relação com o grau de prurido e restauração da barreira cutânea, antes e após uso de solução repositora de lipídios na epiderme de cães com dermatite atópica / Analysis immunohistochemistry protein interleukin 31 and filaggrin and its relationship with cutaneous barrier level and restore skin before and after solution of use of lipid repositora in dogs epidermis with atopic dermatitis

Barbosa, Laura Carolina [UNESP] 29 September 2015 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2016-07-01T13:10:29Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2015-09-29. Added 1 bitstream(s) on 2016-07-01T13:13:46Z : No. of bitstreams: 1 000866649.pdf: 1623813 bytes, checksum: 7a365c7b113a6cb2107156da7f33dbc3 (MD5) / A dermatite atópica é uma doença de pele alérgica, inflamatória e pruriginosa que acomete cães geneticamente predispostos. A característica mais comum é o prurido que exerce impacto significativo na qualidade de vida do animal bem como do seu proprietário. A interleucina-31 (IL-31) é uma citocina envolvida com o grau de prurido nas alergopatias, enquanto a filagrina (FLG) é uma proteína relacionada com a adequada queratinização e hidratação do estrato córneo. O intuito desse estudo foi padronizar e quantificar a técnica de imunohistoquímica (IHQ) para IL-31 e filagrina e associa-las ao grau de prurido e restauração de barreira cutânea na dermatite atópica antes e após o tratamento tópico com repositor de lipídeos na epiderme. Todos os cães foram provenientes do atendimento clínico do Hospital Veterinário da FMVZ- Unesp Botucatu-SP. Sobre a IL-31 não houve diferença significativa entre sua expressão quando comparadas as regiões dorsal e axilar de cães normais. Quando comparamos a expressão da IL-31 entre cães com dermatite atópica e saudáveis foi possível notar maior expressão de IL-31 em cães com dermatite atópica. Quando comparamos os cães com dermatite atópica antes e após aplicação do repositor de lipídeos na epiderme a expressão da IL-31 diminuiu significativamente após a aplicação. Em se tratando da proteína filagrina não foi encontrada diferença significativa entre sua expressão quando comparadas a região axilar e cervical de cães saudáveis, o mesmo ocorreu entre essas regiões em cães com dermatite atópica antes do tratamento e após o tratamento, quando comparados de maneira isolada. Quando comparamos as regiões axilar e cervical dos cães com dermatite atópica antes e após o tratamento não houve o aumento da expressão da proteína filagrina como o esperado. Houve diferença significativa entre as regiões cervical e axilar de cães com dermatite atópica quando comparados... / Atopic dermatitis is an allergic, inflammatory and pruritic skin disease affecting genetically predisposed dogs. The most common feature is cutaneous rash that significantly impacts the animals' and owners' quality of life. Interleukin-31 (IL-31) is a cytokine involved in the degree of itching in allergies, while filaggrin (FLG) is a protein associated with adequate hydration and keratinization of the stratum corneum. The purposes of this study were to standardize the technique of immunohistochemistry (IHC) for IL-31 and filaggrin and to quantify and associate them to the degree of itching and skin barrier recovery in dogs with atopic dermatitis before and after topical treatment for lipids restitution in the epidermis. All dogs came from the clinical care of the Veterinary Hospital of FMVZ- Unesp Botucatu. There was no significant difference on the expression of IL-31 between samples obtained either from the dorsal or axillary regions of healthy dogs. When atopic dermatitis and healthy animals were compared, expression of IL-31 was noticeable higher in atopic dermatitis animals. IL-31 quantification in the atopic dermatitis animals evidenced significantly lower expression after the use of skin lipids complex in the epidermis. In the case of filaggrin protein, there was no significant difference between its expression when the axillary and cervical sites were compared both in healthy dogs and atopic dermatitis dogs and also when atopic dermatitis dogs were compared before and after treatment. Nevertheless significant difference in fillagrin levels was observed between the cervical and axillary regions of atopic dermatitis dogs when compared to healthy dogs; filagrina levels in healthy animals were larger than in atopic dermatitis dogs. IL-31 results suggest that this cytokine is involved in the physiology of atopic pruritus and that restitution of the skin epidermal barrier is essential so that we can control the pruritus and immunological...
6

Dermatite na região de contato com o vaso sanitário

Presa, Juliana Gomes Loyola January 2014 (has links)
Orientador: Profa. Dra. Vânia Oliveira de Carvalho / Tese (doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Saúde da Criança e do Adolescente. Defesa: Curitiba,10/10/2014 / Inclui referências : f.96-104 / Resumo: Introdução: A Dermatite na região de contato com vaso sanitário (DCVS) foi considerada uma dermatite alérgica a madeira do vaso sanitário nas décadas de 1960 e 1980. Mudanças no tipo do assento do vaso sanitário determinaram o desaparecimento desta dermatose nos anos seguintes. Recentemente na literatura há descrição de relatos de casos e pequenas séries de pacientes com DCVS e questiona-se a participação de produtos irritantes caracterizando uma dermatite por irritante primário ou ainda dermatite de contato alérgica e possível associação com a dermatite atópica. Objetivos: Estabelecer o perfil clínico dos pacientes com dermatite na região de contato com o vaso sanitário, avaliar o teste de contato, teste por puntura e fatores de melhora. Métodos: Estudo observacional, analítico, de coorte, prospectivo realizado no período de 2010 a 2014. Foram incluídas as crianças menores de 14 anos com dermatite na região posterior da coxa que compareceram a consulta no serviço de Dermatologia Pediátrica. Este estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa em Seres Humanos da Universidade Federal do Paraná. Foi realizada avaliação clinica evolutiva, teste de contato e teste por puntura em todos os pacientes. Os dados foram analisados no software Statistics 10.0®. As variáveis categóricas foram tratadas com distribuição de frequências. Testes exato de Fisher, X2 de Pearson e X2 de Pearson para tendências lineares e Teste de regressão logística multivariada. O nível de significância mínimo adotado foi de 5%. Resultados: Foram incluídas 34 crianças com DCVS, 23 (67,6%) do sexo feminino e 11 (32,4%) do masculino (p=0,003), com média de idade do início dos sintomas de 66,8 meses. História pessoal de atopia ocorreu em 67,6%. No exame físico foi diagnosticada dermatite atópica em 38,2% dos pacientes. O tipo de vaso sanitário usado nas residências e relatado na primeira consulta foi o almofadado em 64,7%, plástico em 29,4% e madeira em 5,9%. Os produtos de limpeza inicialmente usados para higiene do vaso sanitário foram a água sanitária (79,4%), desinfetantes (14,7%) e sabão (5,9%). A maior parte das crianças (70,6%) despendia menos de 10 minutos sentada no vaso sanitário. O teste de contato foi positivo em 15 casos (44,1 %) para pelo menos uma substância, destes, 10 foram considerados alérgicas, 3 irritativas e em 2 casos não foi possível determinar o tipo de dermatite de contato. Nos 19 (55,9%) pacientes com teste negativo 1 foi considerado dermatite alérgica, 2 irritativa e em 17 casos não foi possível determinar o tipo de dermatite de contato. O teste por puntura foi positivo em 20 casos (58,8%). A melhora clínica total ocorreu em metade dos pacientes e os principais fatores relacionados foram a troca do vaso sanitário (OR=4,40 [IC 104-18,59] p=0,02), tempo despendido sentado no vaso sanitário (OR=3,26 [IC 0,67-15,81] p=0,06) e a troca dos produtos de limpeza (OR=4,44 [IC 0,86-19,92] p=0,07). Conclusão: Os pacientes são na maioria meninas e a dermatite atópica foi mais frequente que na população geral. O teste de contato auxiliou na determinação do tipo de dermatite de contato, que pode ser alérgica ou irritativa e de difícil detecção da causa. Para que ocorra melhora os pacientes com DCVS não devem usar vaso sanitário com assento almofadado e devem permanecer mínimo tempo sentados no vaso sanitário. Palavras-chave: Dermatite Irritante. Dermatite Alérgica de Contato. Dermatite de Contato. Dermatite Atópica. / Abstract: Introduction: Toilet-seat contact dermatitis (TSCD) was considered an allergic dermatitis to wooden toilet seats in the 1960s and 1980s. Changes in the material of toilet seats determined the disappearance of this dermatitis in the following years. Recently in the literature there are descriptions of cases reports and small series of patients with TSCD and is questioned the participation of irritants products or allergic contact and possible association with atopic dermatitis. Objectives: Describe the clinical profile of patients with dermatitis in the region of contact with the toilet-seat, evaluate test, patch test and improvement factors. Methods: observational, analytical, prospective cohort conducted from 2010 to 2014 children under 14 years with dermatitis in the posterior thigh who attended the consultation in the Pediatric Dermatology Department were included. This study was approved by the Ethics Committee on Human Research of the Federal University of Paraná. Evolving clinical assessment, patch testing and prick test was performed in all patients. Data were analyzed with Statistics software 10.0®. Categorical variables were treated with frequency distribution. Fisher's exact test, Pearson's X2 and Pearson's X2 test for linear trends and multivariate logistic regression. The minimum level of significance was 5%. Results: 34 children with TSCD, 23 (67.6%) females and 11 (32.4%) males (p = 0.003), with a mean age of onset of symptoms of 66.8 months were included. Personal history of atopy was 67.6%. On physical examination atopic dermatitis was diagnosed in 38.2% of patients. The type of toilet-seat used in homes and reported at the first visit was padded (64.7%), plastics (29.4%) and wood (5.9%). The cleaning products used initially for toilet-seat hygiene were sanitary water (79.4%), disinfectants (14.7%) and soap (5.9%). Most children (70.6%) would spend 10 minutes sitting on the toilet. The patch test was positive in 15 cases (44.1%) for at least one substance, of these, 10 were considered allergic, 3 irritant dermatitis and in 2 cases it was not possible to determine the type of contact dermatitis. In 19 (55.9%) patients with negative patch test, 1 was considered allergic, 2 irritant and in 17 cases it was not possible to determine the type of contact dermatitis. The prick test was positive in 20 cases (58.8%). The overall clinical improvement occurred in half the patients and the main factors related to exchange the toilet (OR = 4.40 [CI 104 to 18.59] p = 0.02), time spent sitting in the toilet (OR = 3.26 [CI 0.67 to 15.81] p = 0.06) and the exchange of cleaners (OR = 4.44 [CI 0.86 to 19.92] p = 0.07). Conclusion: Patients are mostly girls with atopic dermatitis. Skin tests helped determine the type of contact dermatitis, which can be irritating or allergic and difficult to detect the cause. Patients with TSCD should not use toilet with padded seat and must remain for a shot time sitting on the toilet. Keywords: Irritant Dermatitis. Allergic Contact Dermatitis. Contact Dermatitis. Atopic Dermatitis.
7

Dermatite atópica em crianças e adolescentes : avaliação da relevância da vitamina D, hormônio paratireoideo e índice ultravioleta

Mesquita, Kleyton de Carvalho 30 June 2015 (has links)
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, 2015. / Submitted by Albânia Cézar de Melo (albania@bce.unb.br) on 2015-11-13T12:30:07Z No. of bitstreams: 1 2015_KleytonCarvalhoMesquita.pdf: 12901766 bytes, checksum: 8be6abf91d83899b83898869ed0610e3 (MD5) / Approved for entry into archive by Patrícia Nunes da Silva(patricia@bce.unb.br) on 2015-11-16T11:07:18Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2015_KleytonCarvalhoMesquita.pdf: 12901766 bytes, checksum: 8be6abf91d83899b83898869ed0610e3 (MD5) / Made available in DSpace on 2015-11-16T11:07:18Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2015_KleytonCarvalhoMesquita.pdf: 12901766 bytes, checksum: 8be6abf91d83899b83898869ed0610e3 (MD5) / Introdução: O papel desempenhado pela vitamina D na dermatite atópica (DA) é controverso e tem sido o foco de diversos estudos. O hormônio paratireoideo (PTH) e o índice ultravioleta (IUV), embora possivelmente envolvidos nessa associação, não têm sido considerados nessas pesquisas. Objetivos: Avaliar a concentração sérica da 25-hidroxivitamina D [25(OH)D] em pacientes com DA e em grupo controle; avaliar a adequabilidade dos valores de referência da 25(OH)D por meio de sua relação com o PTH molécula intacta (PTHi); identificar preditores independentes da gravidade clínica da DA e da concentração sérica de 25(OH)D. Métodos: Em estudo transversal com 106 pacientes de 0 a 18 anos de idade portadores de DA, um grupo controle foi pareado (1:1) com uma subamostra de 54 sujeitos com DA. Foram avaliados dados epidemiológicos, índice SCORing Atopic Dermatitis (SCORAD), testes laboratoriais e IUV. Resultados: O subgrupo DA apresentou maior concentração sérica de 25(OH)D e maior IUV - em média 3,39 ng/ml e 2,54 acima, respectivamente - que o grupo controle (p<0,05). Não houve associação significativa entre 25(OH)D e PTHi. Imunoglobulina E e IUV foram fatores independentes associados ao índice SCORAD. Por sua vez, fototipo, idade e IUV foram fatores independentes associados a 25(OH)D. Conclusões: A diferença da concentração de 25(OH)D entre casos e controles, embora significativa, pode não ter significância clínica e pode estar relacionada ao maior IUV médio encontrado nos casos com DA. A 25(OH)D e o PTHi não influenciaram o índice SCORAD. Estudos prospectivos com múltiplas dosagens de 25(OH)D são necessários para elucidar o papel da vitamina D na prevalência e gravidade da DA. Os pontos de corte adotados para a 25(OH)D parecem inadequados à amostra testada no tocante à supressão do PTHi. Uma vez que o IUV se mostrou significativamente associado com o SCORAD e com a 25(OH)D, esse índice pode atuar como fator de confusão e deve ser considerado em estudos envolvendo DA e vitamina D. / Introduction: The role played by vitamin D in atopic dermatitis (AD) is controversial and has been the focus of many studies. Although possibly involved in this association, parathyroid hormone (PTH) and ultraviolet index (UVI) have not been considered in such research. Objectives: To assess 25-hydroxy vitamin D [25(OH)D] serum levels in AD patients and a control group; to assess the adequacy of the cutoff point used for 25(OH)D investigating its relationship with intact PTH (iPTH); to identify the independent predictors of the AD clinical severity and 25(OH)D serum level. Methods: We conducted a cross-sectional study of 106 AD patients from 0 to 18 years old. A control group was matched (1:1) with a subsample of 54 participants with AD. Epidemiological data, SCORing Atopic Dermatitis (SCORAD) index, laboratory tests and UVI were assessed. Results: The AD subgroup had higher serum 25(OH)D level and higher UVI than control group – difference between the means of 3.39 ng/ml and 2.54, respectively (p<0.05). There was no significant correlation of iPTH with 25(OH)D. Immunoglobulin E and UVI were independent predictors associated with the SCORAD index. Skin type, age and UVI were independent predictors of 25(OH)D. Conclusions: The different levels of 25(OH)D between AD patients and controls may not have clinical consequences and may be related to the higher UVI found in AD subjects. The 25(OH)D and iPTH levels did not have an influence in SCORAD index. Prospective studies with multiple measurements of serum 25(OH)D levels are necessary to elucidate the role of vitamin D in prevalence and severity of AD. The cutoff point of 25(OH)D seems to be inappropriate to the sample at least with regard to the suppression of iPTH. Once UVI was significantly associated with SCORAD and with 25(OH)D, this index can work as a confounding factor and should be considered in studies involving AD and vitamin D.
8

Prevalência de asma e doenças alérgicas em adolescentes, de 13 e 14 anos, do município de Belém (Pará): caracterização da asma e identificação de possíveis fatores de risco associados / Prevalence of asthma and allergic diseases in schoolchildren aged from 13 to 14 years in the city of Belem (Para): characterization of asthma and possible associated risk factors

Barreto, Bruno Acatauassú Paes [UNIFESP] 24 November 2010 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2015-07-22T20:50:37Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2010-11-24 / Item withdrawn by Andrea Hayashi (deachan@gmail.com) on 2016-03-14T15:14:06Z Item was in collections: Em verificação - Dissertações e teses (ID: 50) No. of bitstreams: 4 Retido-342a.pdf: 1025667 bytes, checksum: 84901b502825b39b956f3d00ada1c1ec (MD5) Retido-342b.pdf: 1844625 bytes, checksum: bd3a7923b434d63ca46a10248b26254f (MD5) Retido-342a.pdf.txt: 94599 bytes, checksum: ff156d17371937ad76b1b0e566a22470 (MD5) Retido-342b.pdf.txt: 86935 bytes, checksum: 44a9df15267f88002d23a06eb8fd1348 (MD5) / Item reinstated by Andrea Hayashi (deachan@gmail.com) on 2016-03-14T15:25:12Z Item was in collections: Em verificação - Dissertações e teses (ID: 50) No. of bitstreams: 4 Retido-342a.pdf: 1025667 bytes, checksum: 84901b502825b39b956f3d00ada1c1ec (MD5) Retido-342b.pdf: 1844625 bytes, checksum: bd3a7923b434d63ca46a10248b26254f (MD5) Retido-342a.pdf.txt: 94599 bytes, checksum: ff156d17371937ad76b1b0e566a22470 (MD5) Retido-342b.pdf.txt: 86935 bytes, checksum: 44a9df15267f88002d23a06eb8fd1348 (MD5) / Objetivo: Este estudo teve como objetivos, determinar a prevalência de asma, rinite alérgica e eczema atópico em adolescentes, residentes em Belém (PA), no período de agosto de 2007 a dezembro de 2009. A presença de atopia, as características da asma e a avaliação de possíveis fatores de risco associados, também foram objetivos secundários avaliados. Métodos: Estudo epidemiológico transversal avaliou 3.725 adolescentes de 13 e 14 anos, sem distinção de gênero, matriculados em escolas públicas e privadas, do município de Belém (PA), os quais responderam o questionário padrão por escrito (QE) do International Study of Asthma and Allergies in Childhood (ISAAC). Desta avaliação inicial, seguiu-se estudo de caso-controle em amostra aleatória de adolescentes, os quais 126 considerados asmáticos e 254 não asmáticos foram avaliados por QE complementar, constituído por 33 questões referentes a dados pessoais, familiares e ambientais, respondidos pelos pais ou responsáveis. Calcularam-se a prevalência da asma e de doenças alérgicas relacionadas, assim como de seus sintomas, de acordo com o gênero e tipo de escola frequentada (particular ou pública). Utilizou-se o teste do qui-quadrado para comparar estas diferentes proporções. A associação entre asma e fatores de risco foi avaliada pela análise de regressão logística, considerando-se nível de significância estatística de 5%. Resultados: Foram admitidos 3.708 adolescentes, que responderam o QE-ISAAC de modo adequado, sendo 1.782 (48%) do sexo masculino. A prevalência de asma, rinite e eczema atópico nos últimos 12 meses foi: 20,7%, 44,2% e 12,5%, respectivamente. A prevalência de sintomas nos últimos 12 meses para asma, rinite e eczema atópico foi significantemente maior entre as mulheres (asma: 22,6% vs. 18,7%, p = 0,0039; rinite: 46,8% vs. 41,2%, p = 0,0005; eczema: 14,0% vs. 10,8%, p = 0,0045). Os adolescentes de escolas privadas, comparados aos das escolas públicas, apresentaram maior prevalência de doença ativa para asma (23,3% vs. 15,8%, p < 0,0001) e para rinite (52,0% vs. 29,6%, p < 0,0001). O diagnóstico médico de asma, rinite e eczema atópico foi 29,3%, 30,7% e 10,4%, respectivamente. Os fatores de risco significativamente associados à asma foram: presença de rinite diagnosticada (OR = 1,7; IC 95%: 1,2 - 2,9), rinite atual (OR = 3,2; IC 95%: 1,8 - 5,9), diagnóstico prévio de sarampo (OR = 4,7; IC 95%: 2,3 - 9,8), diagnóstico prévio de tuberculose (OR = 38,9; IC 95%: 4,6 - 328,0), presença de umidade no ambiente intradomiciliar (OR = 1,8; IC 95%: 1,1 - 3,2), presença de fumante intradomiciliar (OR = 2,4; IC 95%: 1,2 - 4,5) e o aleitamento materno (OR = 4,2; IC 95%: 1,1 - 15,2). Na avaliação da sensibilização atópica, a positividade para pelo menos um alérgeno foi significantemente maior nos adolescentes asmáticos (86,5% vs 32,4%; p < 0,0001), assim como a positividade para dois ou mais alérgenos (50,0% vs 22,7%; p < 0,0001). Analisando os alérgenos testados individualmente, a positividade para D. pteronyssinus, B. tropicalis, Cão, Gato e P. americana foram significantemente maiores nos adolescentes asmáticos, quando comparados aos não asmáticos. Conclusões: A prevalência de asma e eczema atópico em adolescentes no município de Belém foi semelhante à média brasileira, no entanto, a de rinite alérgica foi significantemente mais elevada. O diagnóstico médico de asma foi mais frequente do que a presença de sintomas sugestivos de asma. A história pregressa de tuberculose e sarampo, o aleitamento materno, a presença de umidade e de fumantes no domicílio e a presença concomitante de rinite alérgica, foram os principais fatores de risco associados ao desenvolvimento de asma nestes adolescentes, os quais apresentaram maior número de sensibilizações que os não asmáticos, principalmente para os ácaros da poeira doméstica, alérgenos de cão, gato e barata. / TEDE / BV UNIFESP: Teses e dissertações
9

Avaliação da melhora do prurido e da qualidade de vida de pacientes atópicos infantis e da qualidade de vida de seus familiares após sua inserção em grupos de apoio

Weber, Magda Blessmann January 2005 (has links)
Resumo não disponível
10

Prevalência de asma, rinite e eczema atópico em escolares de 13 e 14 anos de idade no município de Passo Fundo, Rio Grande do Sul

Porto Neto, Arnaldo Carlos January 2005 (has links)
Resumo não disponível

Page generated in 0.0882 seconds