• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 258
  • 5
  • 5
  • 5
  • 4
  • 4
  • 4
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 263
  • 263
  • 142
  • 137
  • 65
  • 49
  • 40
  • 38
  • 34
  • 28
  • 27
  • 26
  • 25
  • 23
  • 23
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Estudo sobre o teste ergometrico falso positivo em homens assintomaticos : avaliação do papel do estrogeno serico sobre a resposta eletrocardiografica ao esforço

Rocha, Jose, 1950- 26 May 1998 (has links)
Orientador: Eduardo Arantes Nogueira / Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas / Made available in DSpace on 2018-07-23T17:45:49Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Rocha_Jose_D.pdf: 6288146 bytes, checksum: ae065565bae30a359f75e002060e885d (MD5) Previous issue date: 1998 / Resumo: O TE Falso Positivo constitue-se num sério problema metodológico na prática médica. Os motivos porque o TE pode mostrar alterações eletrocardiográficas num indivíduo sem doença cardíaca isquêmica ou mesmo as vezes sem nenhuma doença cardíaca, como aqueles relacionadas com o uso de drogas, com os distúrbios metabólicos-eletrolíticos ,distúrbios respiratórios como os decorrentes de hipóxia ou hiperpnéia , miocardiopatia , valvopatia , Wolff-Parkinson-White , alteração da repolarização atrial e outros, não estão bem esclarecidos ou valorizados. Assim, as alterações eletrocardiográficas relacionadas com o uso de estrógeno , com o stress ou o tipo de stress , a hipercolesterolemia, hipotireoidismo etc , aguardam uma melhor definição de importância e significado para isquemia . Desta forma, sendo o estrógeno um fator provavelmente importante na gênese dos TE Falsos-Positivos, nós nos propusemos a estudar a influência do estradiol sérico na gênese das alterações eletrocardiográficas observadas nestes testes. Para tanto, selecionamos 40 indivíduos assintomáticos e sem cardiopatia aparente, avaliados por anamnese, exame físico , pelo eletrocardiograma convencional, ecocardiograma bidimensional com Dopller , teste ergométrico máximo e dosagem de estradiol nos Períodos Pré Esforço ,Esforço máximo e Pós esforço. Os indivíduos com TE mostrando alterações eletrocardiográficas significantes da repolarização ventricular no segmento ST - T , constituiram o Grupo Positivo (Grupo P) , tendo 5/35 voluntários; enquanto que os indivíduos com testes ergométricos Eficazes e sem alterações eletrocardiográficas , constituiram o Grupo Negativo (Grupo N) , com 30/35 indivíduos, sendo excluidos 5 voluntários devido o TE ter sido Ineficaz. Admitimos como TE Sugestivo de Isquemia os TE com inftadesnivelamento do Segmento ST horizontal ou descendente de pelo menos 1 mm em relação ao intervalo Pr , duração de 0.08 segundos após o Ponto J , além de inftadesnivelamento ascendente do Segmento ST de 2mm , medido 0,08 segundo após o Ponto J . Como TE Eneficazes, os TE onde não se atingiu 85% da frequência cardíaca máxima teórica para a idade. Dos TE Eficazes, 7 indivíduos fizeram TE em bicicleta ergométrica e 28 em esteira rolante. Foram observadas e analisadas as seguintes variáveis: Idade, Cor, Peso, Altura, Período do Teste,. Tipo de Ergômetro , Carga Máxima, Duração, Percentagem da Frequência Cardíaca Máxima, V02 máximo, Diagnóstico do Teste, Segmento ST , Ponto Y , Onda R, Q e T , Delta PAS , Delta PAO e Delta FC , Duplo Produto, P AS , P AO e FC ao Esforço Máximo, P AS Deitado, Sentado ou em Ré , durante cada estágio de esforço e aos 1 , 2 , 4 e 6 minutos da recuperação, Fração de Ejeção ao Ecocardiograma , Estradiol Pré Esforço, Estradiol ao Esforço Máximo e Estradiol Pós Esforço, Colesterol , Triglicérides , Glicemia e Ácido Úrico , Tabagismo e Quantidade de Cigarros/dia. Em relação aos desniveis do ST, atentamos não apenas para o tipo e intensidade de inftadesnivelamento, mas também para o momento em que este ocorreu e a derivação envolvida. Observamos que no Grupo N , todos os indivíduos tiveram ST do tipo ascendente, enquanto que no Grupo P , em 2 casos o ST foi do tipo ascendente, descendente em 1 caso e horizontal nos outros 2 casos, sendo que a alteração do ST - T ocorreu exclusivamente ao esforço ~m 2 casos, durante o esforço e recuperação em 1 caso e exclusivamente na recuperação nos outros 2 casos. Quanto à derivação eletrocardiográfica envolvida, vímos que em 3 casos houve alteração no CM5 e D2 , apenas no CM5 ou no D2 em 1 caso cada. Já quanto a intensidade de inti-adesnivelamento do ST , esta variou de -1 a -4 mm . Todos os indivíduos do Grupo P , foram submetidos à Cintilografia do Miocárdio com Tc-99 , reproduzindo as alterações eletrocardiográficas do ST - T observadas no primeiro teste enquanto que a perfusão miocárdica foi normal em todos os casos. Em relação ao Estradiol sérico , vimos que este mostrou o comportamento caracteristico de aumento ao esforço com diminuição no pós esforço, mostrando diferença significante para ambos os grupos entre o Estradiol 1 x Estradiol 2 , Estradiol 2 x Estradiol 3 e entre Estradiol 1 x Estradiol 3 . Entretanto, quando comparamos ambos os grupos não observamos diferença significante para o Estradiol Pré, Esforço Máximo ou Pós Esforço analisados em relação ao diagnóstico do TE ou o tipo de ergômetro. Assim, para o TE numa população de assintomáticos como a nossa, concluímos que: 1 - Não há relação causal entre as alterações eletrocardiográficas do Segmento ST - T e o Estradiol sérico. 2 - Não houve correlação entre a resposta eletrocardiográfica do segmento ST e a perfusão miocárdica à cintilografia do miocárdio com Tc-99 (SEST AMIBI). 3 - O mecanismo eletrofisiológico capaz de explicar as alterações eletrocardiográficas observadas sobre o segmento ST - T ao esforço e recuperação nestes indivíduos permanece incerto e não bem explicado. 4 - O diagnóstico de Isquemia Miocárdica no TE de assintomáticos, não deve se basear apenas na valorização da resposta eletrocardiográfica , dado que esta pode mostrar alteração sem relação com a presença de isquemia / Abstract: False positive exercise stress testing is a serious methodological problem. The reasons why an individual without heart disease may have a positive test are not fully understood. Thus, the electrocardiographic abnormalities relate to administration of estrogen, stress, hipercholesterolemia or hypothyroidism wait for a better understanding of their real meaning. In this work the hypothesis that the blood leveI of estrogen could be an factor in the genesis of the false positive abnormalities was tested. Forty asymptomatic adult volunteers without any apparent disease were submitted to maximal exercise tolerance tests. All had normal physical examination, electrocardiogram and echodopplercardiogram. Blood samples for estradiol determination were drawn before the test, at the maximal exercise level and at the post exercise period. Five volunteers did not attain the targeted heart rate and were exc1uded from the study. Of the 35 remaining volunteers, 5 had ST abnormalities considered positive for myocardial ischemia: ST depression > = 1 mm, lasting at least 0.08 seconds after the J point, or upsloping ST depression > = 2 mm lasting at least 0.08 seconds. Seven individuals exercised on a bicycle ergometer and 28 on a treadmill. The following variables were recorded and analyzed: age, color, weight, hight, time of day, ergometer, maximum load, duration, percent of maximal heart rate, V02 maximal, conc1usion (positive, negative), ST segment depression, Y point, R wave, Q wave, T wave, D SAP, DAP, HR (heart rate), double product, SAP, DAP, heart rate, ejection fraction, estradiol, cholesterol, triglicerides, fasting blood sugar, uric acid, tabagism, number of cigarettes per day. Also, the time of appearance of significant ST depression as well as the name of the involved electrocardiographic lead were recorded. The 5 volunteers with significant ST abnormality constituted a Positive Group and all other 30 a Negative Group. Volunteers of the Positive Group were also submitted to myocardial scintigraphy, and had normal results. Serum estradiol rose in the maximal exercise phase and dropped in the recovery period, without statistical significant difference between the two groups! Taking the myocardial scintigraphy as a reference for myocardial perfusion it concluded that: 1- there were no significant differences between the false positive group and the true negative group regarding resting, peak exercise, post exerci se and the profiles of estradiol blood levels. These data indicates that estradiol plays no role in the genesis of false positive exercise stress testing. 2- Also, there were no relation between the other exercise stress testing parameters and the ST depression or estradiol blood levels. 3- The electrophysiologic mechanism underlying false positive exercise stress testing remains unexplained. 4 - Regarding an asymptomatic adult population, conc1usions drawn from an exercise stress test should not be based solely on electrocardiographic grounds / Doutorado / Clinica Medica / Doutor em Clínica Médica
2

O comportamento da pressão arterial sistemica durante o teste cicloergometrico em portadores de prolapso idiopatico da valva mitral

Rocha, Jose, 1950- 20 August 1992 (has links)
Orientador : Paulo Afonso Ribeiro Jorge / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas / Made available in DSpace on 2018-07-15T23:48:41Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Rocha_Jose_M.pdf: 3070973 bytes, checksum: 09a747f23808762987a0d135975a75de (MD5) Previous issue date: 1992 / Resumo: O resumo poderá ser visualizado no texto completo da tese digital / Abstract: The abstract is available with the full electronic digital document / Mestrado / Mestre em Clinica Medica
3

Atividade física acompanhada de música /

Oliveira, Sandra Regina Garijo de. January 2002 (has links)
Orientador: Silvia Deutsch / Banca: Catia Mary Volp / Banca: Maria Luiza de Jesus Miranda / O objetivo do trabalho foi investigar a interferência de diferentes estilos musicais sobre os estados de ânimo, sobre a percepção de esforço e sobre a performance durante a prática de atividade física. Três estudos foram realizados. No primeiro, os participantes passaram por três sessões experimentais de 20 minutos de audição dos estilos New Age; Rock Heavy Metal e Sucessos. Neste estudo buscou-se inferir as alterações nos estados de ânimo dos ouvintes após a audição. No segundo estudo, os participantes passaram por 4 sessões experimentais de 20 minutos de caminhada em uma esteira rolante ouvindo os estilos acima citados além de uma sessão Sem Música. Além dos estados de ânimo, procurou-se acompanhar a Percepção de Esforço e a Performance (quantidade de exercício produzida). O terceiro estudo foi idêntico ao segundo com exceção da atividade que foi pedalar em um ciclo ergômetro. Através da Análise de Correspondência para verificação dos estados de ânimo após as sessões experimentais e das médias para verificar as Percepções de Esforço e a Performance foi possível identificar que as músicas New Age e Sucessos alteraram positivamente os estados de ânimo, e que o Rock alterou negativamente os mesmos. A situação de Caminhar e Pedalar Sem Música não foi capaz de alterar positivamente os estados de ânimo dos participantes, e isto foi interpretado como sendo extremamente monótono realizar estas atividades em ambientes fechados sem estímulos visuais ou sonoros. A percepção de esforço se apresentou diferente na situação de Rock, a média dos valores foi superior às demais tanto nas parciais de 5, 10, 15 e 20 minutos quanto na média geral após os 20 minutos. A performance dos participantes no grupo caminhar não diferiu de uma situação para outra. O grupo que pedalou diferiu sua performance de uma situação para... (Complete abstract, click electronic address below). / The purpose of this study was to investigate the interference of different musical styles on mood. on effort perception and on performance during physical activity practice. Three studies were developed. In the first one the participants went through three 20 minutes experimental sessions of listening to New Age; Rock Heavy Metal and Success styles. In this study it was searched to infer the listeners mood alterations after listening. In the sccond study, the participants went through four experimental sessions walking 20 minutes in a treadmill listening to the styles cited above add to that one session Without Music. Besides the mood, it was tried to follow the Effort Perception and the Performance (exercise quantity performed). The third study was identical to the second one, except that the activity was to exercise in a cycle ergometry. Using Correspondence Analysis to verify the mood after the experimental sessions and tbe Mean of Effort Perception and Performance it was possible to identify that the New Age and Success music changed positively the moods, and the Rock altered them negatively. The situations Walk and Cycle Without Music weren't capable of changing positively the participants mood, and this was understood as being extremely monotonous to do this activities in closed environments without visual or auditory stimulus. The effort perception was different in Rock situation, the mean of values was upper compared to the others in partials as 5, 10, 15 and 20 minutes and the mean also was greater than others after 20 minutes. The participants' performances in walking group did not differ from one situation to another. The cycling group had a different performance in each situation, the minor one was under New Age style and the larger one was under Rock style. A questionnaire of Preference and Adequate Music was applied to the participants... (Complete abstract, click electronic address below). / Mestre
4

"Comparação das respostas ao Teste Cardiopulmonar de exercício entre corredores capixabas de ciferentes níveis de desempenho".

MILAGRE, E. D. 29 May 2015 (has links)
Made available in DSpace on 2018-08-01T21:36:33Z (GMT). No. of bitstreams: 1 tese_8908_Dissertação Elaine Dalman - versão final ok.pdf: 1434551 bytes, checksum: 9cbc3931fb11d17f3f874b159dcac419 (MD5) Previous issue date: 2015-05-29 / Existe na literatura um grande número de estudos relacionados ao desempenho dos corredores. No entanto, nenhum deles investigou o nível de desempenho em corredores de rua (atletas de elite, amadores e não atletas) de modo que haja comparação entre eles. O objetivo principal foi identificar o perfil e cardiopulmonar no teste de esforço máximo de corredores de rua capixabas. Foram avaliados 59 sujeitos de ambos os sexos, moradores do estado do Espírito Santo, Brasil, treinados há pelo menos seis meses em corrida de rua, com idade entre 20 e 45 anos, divididos em grupos homogêneos por nível de desempenho (elite - GE, amador GA, e não atleta -GNA), a partir de um ranking em provas de corrida de rua. Todos passaram por um teste cardiopulmonar de exercício (TCPE) com protocolo de rampa em esteira (Cortex metalyser 3B), sendo analisados nas fases do limiar anaeróbio ventilatório (LAV), ponto de compensação respiratória (PCR) e máximo (MÁX). Comparou-se os dados dos três grupos por análise de variância de uma via, seguida do teste post-hoc de Tukey (p<0.05). Houve diferenças significativas entre os grupos em relação ao VO&#8322; (ml.kg-1.min-1), VE e velocidade no LAV, PCR e MÁX em ambos os sexos. Entre os homens os valores são superiores para os grupos com maior nível de desempenho em todas as fases do TCPE. Em relação as mulheres, GE foi semelhante em relação a GA, diferindo apenas de GNA. Para VE não houve diferenças significativas entre os grupos, assim como para as variáveis VO2 (L.min-1), frequência cardíaca (FC) e razão da troca respiratória (RTR), nas fases do TCPE em ambos os sexos. Conclui-se que a eficiência respiratória e a característica de desempenho (velocidade de corrida), entre os homens, são superiores para os grupos com maior nível de desempenho. Entre as mulheres não há diferença entre GE e GA, assim como entre GA e GNA.
5

Pressão arterial em adolescentes durante teste de esforço com protocolo em rampa

de Moraes chaves Becker, Mônica January 2005 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T18:29:44Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo8034_1.pdf: 637147 bytes, checksum: afffa85939ad57ad75e1f441cfd8bad2 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2005 / O teste de esforço é utilizado para avaliar o comportamento da pressão arterial, inclusive em crianças e adolescentes. Porém, não existe consenso dos valores normais de variação da pressão arterial com o exercício. Foi realizado estudo transversal de 218 adolescentes entre 10 e 19 anos (131 do sexo masculino), onde são descritos FC máxima, tempo de exercício, VO2 máximo e PA sistólica e diastólica de repouso, no esforço máximo e aos seis minutos da recuperação, durante teste de esforço com protocolo em rampa. A FC máxima foi semelhante em ambos os sexos, com média de 192 + 08 bpm. O tempo de exercício e o VO2 max foram maiores no sexo masculino. No repouso, a PA sistólica teve valores maiores no sexo masculino e a PA diastólica não mostrou diferença entre os sexos, porém ambas aumentaram com a idade. No exercício ocorreu elevação da PAS e queda da PAD em ambos os sexos. A variação da PAS foi maior no sexo masculino, principalmente acima dos 14 anos. A análise dos resultados demonstrou que a PAS durante o exercício tem relação direta com idade, peso, altura e IMC do indivíduo e a PAD guardou relação apenas com a idade
6

Acurácia do protocolo em rampa na detecção de isquemia miocárdica quando comparado à cintilografia

MACEDO JUNIOR, Aluisio Roberto Andrade 30 August 2012 (has links)
Submitted by Heitor Rapela Medeiros (heitor.rapela@ufpe.br) on 2015-03-03T13:23:28Z No. of bitstreams: 2 DISSERTAÇÃO MESTRADO - ALUÍSIO.pdf: 1635080 bytes, checksum: 15d4c98dd8f59e0057e2ad853fd17112 (MD5) license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) / Made available in DSpace on 2015-03-03T13:23:28Z (GMT). No. of bitstreams: 2 DISSERTAÇÃO MESTRADO - ALUÍSIO.pdf: 1635080 bytes, checksum: 15d4c98dd8f59e0057e2ad853fd17112 (MD5) license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) Previous issue date: 2012-08-30 / A doença arterial coronariana (DAC) permanece como maior causa de morte, incapacidade e perda econômica em países desenvolvidos, com cenário semelhante em muitas regiões do nosso país. O teste de esforço (TE) é um dos primeiros exames sugeridos quando se pensa em investigar um paciente com suspeita de ter DAC. Essa pesquisa objetiva estudar o valor diagnóstico do TE para detecção da isquemia miocárdica, utilizando o protocolo em rampa (PR) durante o esforço e a cintilografia miocárdica como padrão ouro, tendo em mente a hipótese de que o PR possui acurácia semelhante a outros protocolos. O manuscrito consiste de um artigo de revisão intitulado: ´´O valor diagnóstico do teste ergométrico na avaliação da isquemia miocárdica, o protocolo em rampa e a cintilografia``, onde se faz uma narração dos principais aspectos sobre isquemia, acurácia do TE, protocolos utilizados, características do PR e importância da cintilografia miocárdica. Foi redigido também um artigo original com título ´´Acurácia do protocolo em rampa na detecção de isquemia miocárdica quando comparado à cintilografia``, descrevendo-se o estudo em detalhes. Cento e noventa exames foram elegíveis para o estudo, sendo retirados de um banco de dados de uma clínica de medicina nuclear, no período de 2006 a 2011, em Recife, PE. Em seus resultados observou-se que as alterações significativas do segmento ST e a presença de dor torácica típica estiveram presentes em 47 (24,7%) dos pacientes. Os defeitos de perfusão reversíveis na cintilografia foram encontrados em 35 (18,4%) dos casos. Quando se comparou os dois métodos, obteve-se uma sensibilidade para o TE de 45,7%, especificidade (80%), valor preditivo positivo - VPP (34%), valor preditivo negativo - VPN (86,7%) e acurácia (73,7%), com medida kappa = 0,227 (p<0,05). Como conclusão, o TE segundo protocolo em rampa comparado à cintilografia obteve uma sensibilidade e VPP baixos, porém com especificidade e VPN elevados. Estes resultados estiveram dentro da larga variabilidade encontrada na literatura sobre a acurácia desse método com outros protocolos.
7

Comportamento metabólico, cinemático e eletromiográfico da velocidade auto-selecionada de caminhada em indivíduos com doença arterial periférica

Silva, Paula Figueiredo da January 2016 (has links)
A doença arterial periférica (DAP) causa oclusão aterosclerótica que gera redução no aporte de oxigênio para as extremidades inferiores afetando a capacidade funcional dos pacientes. Logo, a caminhada é criticamente importante na DAP. Por isso, o objetivo do Estudo 1 foi avaliar a velocidade auto-selecionada de caminhada (VAS), velocidade ótima de caminhada (VO) e custo de transporte da caminhada em pacientes DAP. Adicionalmente, nós descrevemos o Índice de Reabilitação (IR) . O objetivo do Estudo 2 foi comparar o comportamento metabólico e muscular durante a caminhada de pacientes DAP e sujeitos saudáveis. Observamos que pacientes DAP são menos econômicos na VAS e tem pior economia de caminhada do que os controles nas velocidades testadas. Os dados de co-contrações musculares parecem não explicar essa escolha. Porém, o comportamento muscular ao longo das velocidades indica que os pacientes DAP podem apresentar maiores percentuais de co-contrações musculares do que os indivíduos saudáveis. Esses resultados podem contribuir para uma melhor compreensão do cenário fisiopatológico responsável pelo comprometimento funcional precoce dessa população.
8

Correlaçãoentre a capacidade funcionalatravés do child health assessment questionnaire (chaq) eostestes físicos submáximos, na criança com febre reumática

Gonçalves, Fernanda Souza. January 2015 (has links)
Submitted by ROBERTO PAULO CORREIA DE ARAÚJO (ppgorgsistem@ufba.br) on 2016-07-11T13:05:39Z No. of bitstreams: 1 Fernanda Sousa Gonçalves.pdf: 1697172 bytes, checksum: c98d51c964531b0a103ba79d1492abbd (MD5) / Made available in DSpace on 2016-07-11T13:05:40Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Fernanda Sousa Gonçalves.pdf: 1697172 bytes, checksum: c98d51c964531b0a103ba79d1492abbd (MD5) / Introduction: the children and adolescents that evolve to rheumatic heart disease begin to live with the limitations imposed by doeça and lack of guidance become restricted, even in the performance of basic activity of daily living.Objective: to verify the existence of agreement between the indirect measurement of functional capacity derived from the perception of responsible through the Child Health Assessment Questionnaire (CHAQ), in relation to the direct measurement of functional capacity held by physical therapist through physical tests, the child sub maximal exercise with rheumatic fever.Methods: sectional Study with comparison group, descriptive and exploratory. We evaluated 15 children with rheumatic fever, which were submitted to the six-minute walk test (TC6M) and the three-minute step test (TD3) and evaluation of the CF under the perception of parents was conducted by applying the questionnaire CHAQ.Results: 15 patients with CRC were evaluated, mean age 13.7years, standard deviation (SD) 1.9years. All children attending school and had brothers, most of the sitters were 66.7% mom and a considerable part of caregivers, had low educational level and socioeconomic. The figure in the distance traveled showed a low performance, median (IQR) 420 (101) m and the same was observed in the TD3, median (IQR) 68 (6.5) compared to CHAQ was observed absence of impaired functional capacity on the perception of those responsible with a final score of 0.1. The correlation between CHAQ and the 6MWT (r = -0.21) and between CHAQ and TD3 (rs = -0.39). Conclusion: We found no correlation of submaximal tests, relative to CF obtained through the perception of those responsible assessed by CHAQ. This result points to the importance of the physiotherapist insert in their clinical practice, submaximal tests. / Introdução:as crianças e os adolescentes que evoluem para cardiopatia reumática passam a conviver com as limitações impostas pela doeçae,por falta de orientação,tornam-serestritas, até mesmo no desempenho de atividadesbásicas do cotidiano. Muitas vezes, essa condição é consequência da inadequada avaliação da capacidade funcional (CF).Objetivo:verificar a existência de correlaçãoentre a medida indireta da capacidade funcional obtida a partir da percepção do responsável através do Child Health Assessment Questionnaire (CHAQ),em relação à medida direta da capacidade funcionalatravés dos testesfísicos submáximos, na criança com febre reumática.Métodos:estudo seccional semgrupo de comparação, descritivo e exploratório.Foram avaliadas 15 criançascom febre reumática, que foramsubmetidas ao teste de caminhada de seis minutos (TC6M) e do teste do degrau de três minutos (TD3),e a avaliação da CFsob a percepção dos pais foi realizada por meio da aplicação do questionárioCHAQ.Resultados: Foram avaliados 15 pacientes com CRC, com média de idade 13,7anos, desvio padrão (DP) 1,9anos. Todas as crianças frequentavam escola epossuíam irmãos, a maioria dos acompanhantes eram mães,66,7%,e uma parcela considerável dos cuidadores apresentavam baixo nível socioeconômico e de escolaridade. O valor obtido na distância percorrida demonstrou um baixo desempenho, mediana (IIQ) 420 (101) metros e o mesmo foi observado no TD3, mediana (IIQ) 68 (6,5).Em relação ao CHAQ foi observadoausência de comprometimento da capacidade funcional diante da percepção dos responsáveis com escore finaldo questionáriode 0,1. A correlação entre o CHAQ e o TC6M (rs= -0,21) e,entre o CHAQ e o TD3,( rs= -0,39). Conclusão:Não foi encontradocorrelaçãodos testes submáximos, em relação à CF obtida através da percepção dos responsáveis avaliadapeloCHAQ.Esse resultado chama a atenção para a importância de o fisioterapeuta inserir,na sua prática clínica,os testes submáximos.
9

Identificação de possíveis mecanismos envolvidos na ação da progesterona sobre o hipotálamo e o bulbo olfatório de ratas Wistar submetidas ao teste do nado forçado

Arbo, Bruno Dutra January 2012 (has links)
A depressão é um transtorno comportamental com uma alta prevalência na população, a qual é maior nas mulheres do que nos homens. Estudos prévios mostraram que a administração de baixas doses de progesterona em ratas em diestro tem um efeito antidepressivo no teste do nado forçado. A depressão está associada com a neurodegeneração e a morte celular em alguns circuitos cerebrais, e a progesterona é um esteróide neuroprotetor que poderia prevenir ao menos parcialmente essa neurodegeneração. A fisiopatologia da depressão também envolve os sistemas GABAérgico e serotoninérgico, e ambos poderiam ter seu funcionamento modulado pela progesterona. Os animais de laboratório são constantemente expostos a vários tipos de estressores na rotina de laboratório, e o estresse poderia ser um fator de interferência em estudos comportamentais. O objetivo desse estudo foi verificar o efeito da progesterona na expressão protéica e na ativação da Akt e da Erk, e na expressão da caspase-3, SERT e na subunidade α4 do receptor GABAA no hipotálamo e no bulbo olfatório de ratas em diestro submetidas ao teste do nado forçado. No primeiro experimento, fêmeas em diestro (n= 8/grupo) foram randomicamente selecionadas para receber uma injeção diária de progesterona (0,4mg/kg i.p.) ou veículo durante dois ciclos estrais regulares e completos (8-10 dias). No dia do experimento, os animais foram eutanasiados 30 min após o teste do nado forçado, e foram avaliadas a expressão das proteínas Akt, Erk, caspase-3, SERT e da subunidade α4 do receptor GABAA no hipotálamo e no bulbo olfatório. No segundo experimento, ratos machos e fêmeas ovariectomizadas (n= 6/grupo) foram expostos ao estresse agudo e crônico ocasionado pela manipulação e pela administração de veículo ou progesterona (0,4mg/kg i.p.), e os níveis séricos de corticosterona, prolactina e progesterona foram avaliados. A progesterona reduziu a expressão da procaspase-3 no hipotálamo, mas não alterou a ativação da Akt e da Erk, bem como a expressão do SERT nessa estrutura. A progesterona não mudou a ativação e a expressão dessas proteínas no bulbo olfatório. O tratamento aumentou a expressão da subunidade α4 no hipotálamo, e também alterou a expressão dessa subunidade no bulbo olfatório, aumentando a expressão dessa subunidade no hemisfério direito e diminuindo no hemisfério esquerdo, criando uma assimetria na expressão dessa subunidade. Não houve correlação significativa entre a expressão dessas proteínas e o comportamento de imobilidade desses animais no teste do nado forçado. No segundo experimento, verificamos uma diferença de sexo na secreção de corticosterona no experimento agudo, de forma que as fêmeas apresentaram níveis séricos de corticosterona maiores do que os machos. Ainda, a exposição crônica aos estressores reduziu a corticosterona sérica e aumentou a prolactina sérica nas fêmeas em relação ao experimento agudo, sem ocasionar alterações na secreção desses hormônios nos machos. Em suma, nossos resultados sugerem que o efeito neuroprotetor da progesterona no hipotálamo através da redução na expressão da procaspase-3 poderia estar envolvido no efeito antidepressivo da progesterona em fêmeas em diestro. O receptor GABAA é outra via paralela de ação da progesterona, e a modulação da expressão da subunidade α4 no hipotálamo e no bulbo olfatório também pode estar relacionada com seu efeito antidepressivo. Existem diferenças na resposta neuroendócrina ao estresse ocasionado por procedimentos laboratoriais de rotina, e esse fato deve ser levado em conta na interpretação dos resultados oriundos da experimentação animal. / Depression is a mood disorder with a high prevalence in the population, which is higher in women than in men. Previous studies showed that the chronic administration of low doses of progesterone in diestrus female rats has an antidepressive effect in the forced swimming test (FST). Depression is associated with the neurodegeneration and the cell death of some brain circuits and progesterone is a neuroprotective steroid that could at least partially prevent this neurodegeneration. Also, the physiopathology of depression involves the GABAergic and serotoninergic systems, and both of them could be functionally modulated by progesterone. The laboratory animals are constantly exposed to several kinds of stressors in the laboratory routine, and stress could be an interfering factor in behavioral studies. The aim of this study was to verify the effect of progesterone in the protein expression and activation of Akt and Erk and the expression of caspase-3, SERT and GABAA receptor α4 subunit in the hypothalamus and in the olfactory bulb of diestrus female rats exposed to the forced swimming test (FST). In the first experiment, diestrus female rats (n = 8/group) were randomly selected to receive a daily injection of progesterone (0.4mg/kg i.p.) or vehicle, during two complete female estrous cycles (8-10 days). On the experiment day, the animals were euthanized 30 min after the FST, and we evaluated the protein expression of Akt, Erk, caspase-3, SERT and GABAA α4 subunit in the hypothalamus and in the olfactory bulb. In the second experiment, male and ovariectomized female rats (n = 6/group) were acute and chronically exposed to the manipulation and the injection stress caused by the administration of vehicle or progesterone (0.4mg/kg i.p.), and the serum levels of corticosterone, prolactin and progesterone were evaluated. Progesterone decreased the expression of procaspase-3 in the hypothalamus, but did not change the activation of Akt and Erk and the expression of SERT in this area. Progesterone did not change the activation and the expression of these proteins in the olfactory bulb. The treatment increased the expression of α4 subunit in the hypothalamus, and also changed the expression of this subunit in the olfactory bulb, increasing the expression of this subunit in the right hemisphere and decreasing this expression in the left hemisphere, creating an asymmetry in the expression of this subunit. There was not significant correlation between the expression of these proteins and the immobility behavior of these animals in the FST. In the second experiment, there was a sex difference in the seric levels of corticosterone in the acute experiment, with females showing higher levels of corticosterone than males. Also, the chronic exposure to the stressors decreased the seric levels of corticosterone and increased the seric levels of prolactin in females in relation to the acute experiment, but not in males. In summary, our results suggest that the neuroprotective effect in the hypothalamus through the reduction in the expression of procaspase-3 could be involved in the antidepressive effect of progesterone in diestrus females. The GABAA receptor is another target for the action of progesterone, and the modulation of the expression of α4 subunit in the hypothalamus and in the olfactory bulb could also be related do the antidepressive effect of progesterone in the FST. There are sex differences in the neuroendocrine response to the stress generated by routine laboratory proceedings and this should be taken in consideration in the interpretation of results involving animal experimentation.
10

Incrementos de velocidade versus inclinação no teste cardiopulmonar em esteira rolante : impacto na prescrição do exercício

Belli, Karlyse Claudino January 2012 (has links)
Resumo não disponível

Page generated in 0.0941 seconds