• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 86
  • 3
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 89
  • 89
  • 55
  • 48
  • 33
  • 17
  • 15
  • 13
  • 12
  • 11
  • 10
  • 10
  • 8
  • 8
  • 8
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
31

Relação entre percepção de fadiga e fadiga muscular em pacientes com artrite reumatóide

Espírito Santo, Rafaela Cavalheiro do January 2014 (has links)
Introdução: Fadiga é uma manifestação clínica importante na artrite reumatoide (AR). Atualmente, a avaliação de fadiga em AR é realizada através de questionários subjetivos, incluindo aspectos emocionais e sociais. No entanto, sabe-se que a fadiga pode estar acentuada no plano periférico e esta abordagem é pouco estudada nestes pacientes. Objetivo: Avaliar a relação entre a percepção de fadiga e fadiga muscular em pacientes com artrite reumatoide. Métodos: Trinta e oito pacientes do sexo feminino com AR foram incluídos. Os pacientes foram estratificados por DAS-28 e por três grupos etários (grupo I: 32-48 anos; grupo II: 49-54 anos de idade, e grupo III: 55-65 anos de idade). A fadiga muscular [avaliado por mudanças na magnitude (root mean square-RMS) e freqüência (média de freqüência-MDF) de ativação muscular durante os 60s do teste de força de quadríceps] e percepção de fadiga (FACIT-F) foram avaliadas. Além disso, dados demográficos [duração idade e doença, calculado pelo tempo decorrido a partir de diagnóstico], hemoglobina (g/ dL), DAS-28, HAQ, qualidade de vida (SF-36) e International Physical Activity Questionnaire (IPAQ, versão longa) foram medidos. A significância foi assumida quando p≤0.05. Resultados: Nenhuma associação foi observada quando os pacientes foram estratificados por DAS-28 e quando os pacientes foram estratificados por idade no grupo III. Moderada correlações estatisticamente significativas entre MDF e FACIT-F e FACIT-TOI (r = 0,6; p = 0,03 e r = 0,5; 0,04, respectivamente) foram encontrados no grupo I. No grupo II foram encontradas moderadas correlações estatisticamente significativas entre FACIT-TOTAL e RMS e MDF (r = 0,6; p = 0,01 e r = -0,5; p = 0,04, respectivamente). Conclusão: Moderada relação entre fadiga muscular e percepção de fadiga sugere que ambas as estratégias de avaliação podem ser complementares e têm um efeito benéfico sobre comorbidades AR. / Introduction: Fatigue is a major clinical manifestation in rheumatoid arthritis (RA). Actually, the assessment of fatigue in RA is realized through to subjective questionnaires, including emotional and socials aspects. However, known to that fatigue may be sharp in peripheral plane and this approach is little studied in these patients. Objective: To assess the relationship between perception of fatigue and muscle fatigue in patients with RA. Methods: Thirty eight female patients with RA were included. Patients were stratified by DAS-28 and by three age groups (group I: 32-48 years old; group II: 49-54 years old; group III: 55-65 years old). Muscle fatigue [assessed by changes in magnitude (i.e. root mean square-RMS) and frequency (i.e. median frequency-MDF) of muscle activation during a 60-s quadriceps strength test] and perception of fatigue (FACIT-F) were assessed. In addition, demographic data [age and disease duration, calculated by elapsed time from diagnostic], hemoglobin (Hb-g/dL), DAS-28, HAQ, quality of life (SF-36) and International Physical Activity Questionnaire (IPAQ, long version) were measured. Significance was assumed when p≤0.05. Results: No association was observed when patients were stratified by DAS-28 and when patients were stratified by age in group III. Moderate statistically significant correlations between MDF and FACIT-F e FACIT-TOI (r=0.6;p=0.03 and r=0.5;0.04, respectively) were found in group I. In group II moderate statistically significant correlations were found between FACIT-TOTAL and RMS and MDF (r=0.6;p=0.01 and r=-0.5;p=0.04, respectively). Conclusion: Moderate relationship between muscle fatigue and perception of fatigue suggests that both evaluation strategies can be complementary and have a beneficial effect on RA comorbidities.
32

Análise eletromiográfica da fadiga muscular na fibromialgia durante atividade funcional / Electromyography fatigue analyses in fibromyalgia patients during a functional activity

Juliana Ferreira Sauer 23 November 2010 (has links)
Introdução: Pacientes fibromiálgicos freqüentemente referem fadiga e estudos apontam esse sintoma como o segundo mais intenso, podendo limitar as atividades de vida diária, aumentar o estresse a até mesmo a dor. Não há um consenso se as queixas de fadiga correspondem a padrões alterados nos mecanismos de fadiga muscular, já que predominam as avaliações com questionários e escalas. O objetivo deste estudo foi avaliar a fadiga muscular em fibromiálgicos por meio da eletromiografia de superfície durante o teste de sentar e levantar. Métodos: Participaram do estudo 49 sujeitos divididos em dois grupos: Grupo Fibromiálgico (n=34) e Grupo Controle (n=15). Os padrões de fadiga muscular foram avaliados pela análise da freqüência mediana (MDF) do sinal eletromiográfico do terço distal do músculo vasto lateral durante o teste de sentar e levantar. A dor pela Escala Visual Analógica (EVA), os sintomas da fibromialgia pelo Questionário do Impacto da Fibromialgia (QIF) e o desempenho no teste de sentar e levantar pelo tempo total utilizado e número de repetições. Todos os participantes foram instruídos a realizar o teste numa velocidade confortável até a exaustão. A coleta da eletromiografia foi feita em três momentos, simultaneamente ao uso da escala de Borg para avaliação do nível de esforço percebido: início (T1), após um minuto (T2) e na exaustão (T3). Resultados: O grupo fibromiálgico apresentou MDF reduzida em T3 (p=0,04) e relato de esforço percebido mais intenso que o grupo controle em T2 (p=0,00). Foi observada correlação moderada entre MDF em T3 com as variáveis: intensidade da dor (-0,40; p=0,00) e tempo total em segundos (0,43; p=0,00). Conclusão: o grupo fibromiálgico apresentou sinais de fadiga precocemente com diminuição da freqüência mediana e percepção de esforço mais intenso comparado ao grupo controle. / Introduction: Fibromyalgia patients usually report fatigue and this symptom is the second more intense, limiting daily life activities, increasing stress and pain. There is no sense if fatigue complains are related to muscle fatigue altered patterns, since most studies performed questionnaires and scales to quantify this symptom. The aim of this study was to evaluate muscle fatigue patterns by surface electromyography during the sit to stand test. Methods: Participated 49 subjects in two groups: Fibromyalgia Group (n=34) and Control Group (n=15). Electromyography muscle fatigue patterns were evaluated by median frequency analyses (MDF) of the distal third of the vastus lateralis muscle during sit to stand test, pain by Visual Analog Scale (VAS), fibromyalgia symptoms by Fibromyalgia Impact Questionnaire (FIQ) and the test performance by total time spent in test and by number of movements. All subjects performed the sit to stand test in a comfortable velocity until exhaustion. Electromyography recording was performed in tree moments, simultaneously at Borg scale perceived effort evaluation: initial time (T1), after one minute (T2) and at exhaustion (T3). Results: Fibromyalgia group present MDF decrease at T3 (p=0,04) and more intense perceived effort at T2 (p=0,00). There was a moderate correlation for MDF in T3 with pain intensity (-0,40; p=0,00) and total time in sit to stand test in seconds (0,43; p=0,00). Conclusion: Fibromyalgia patients showed early muscle fatigue signs with MDF decrease and more intense perceived effort.
33

Eletromiografia e pletismografia óptico-eletrônica na avaliação respiratória

Elza Fontes da Gama, Alana 31 January 2011 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T23:13:16Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo3182_1.pdf: 2254853 bytes, checksum: 8780c9fa9873bb4edffdf58290b395c1 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2011 / Faculdade de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco / A Pletismografia Óptico-Eletrônica (POE) é um método moderno de avaliação da função respiratória com diversas capacidades de análises. A Eletromiografia de Superfície (SEMG) da musculatura respiratória permite uma análise da atuação da atividade muscular tanto do potencial da sua atividade quanto da sua freqüência de ativação. Essa dissertação objetivou associar a SEMG à POE a fim de obter informações da atividade da musculatura respiratória e sua correspondente ação na cinemática da caixa torácica e dinâmica dos volumes regionais e totais durante o repouso, imposição de cargas e fadiga, verificando a relação da aplicação integrada das técnicas de POE e SEMG. Para tal foi realizada uma revisão sistemática e dois estudos de corte transversal, o primeiro com 22 e o segundo com 39 indivíduos saudáveis. Para os estudos transversais inicialmente os voluntários foram submetidos à anamnese com história clínica, avaliação dos dados antropométricos, hemodinâmicos e função pulmonar. Em seguida eles realizaram a avaliação através da POE e da EMG, simultaneamente, durante as quais foram coletados os registros de respiração espontânea, manobras de pressão inspiratória e expiratória máximas e através de carga. A POE foi realizada com o protocolo de 89 marcadores e a partir da mesma foram avaliados os volumes pulmonares e sua distribuição. Na SEMG foram avaliados a freqüência de ativação muscular, através da análise de wavelet, dos músculos esternocleidomastoideo e diafragma. O uso da wavelet foi eficaz para detectar alteração na freqüência de ativação muscular (Diafragma: direito redução de 127,72Hz para 106,32Hz (p=0,035) e esquerdo de 97,02Hz para 78,67Hz (p=0,022)) e forneceu uma avaliação descritiva adicional do comportamento da freqüência incluindo sua predominância, distribuição e taxa de relaxamento. Com a imposição de cargas foi detectado um aumento do volume corrente a partir de 20cmH20 (p=0,000), predominante na região superior da caixa torácica, e do tempo inspiratório (p=0,004). Na atividade muscular, ocorreu uma diminuição da freqüência de ativação (p<0,05) no esternocleidomastoideo, a partir de 30cmH2O, e diafragma, mais tardio, a partir de 40cmH2O. O estudo observou ainda as diferenças da atividade muscular e do padrão ventilatório entre homens e mulheres com a imposição de cargas que devem ser considerados na determinação do uso de cargas. O uso integrado das técnicas forneceu informações mais completas da função pulmonar com dados de ventilação e dos músculos que a exercem. A avaliação mais detalhada permite uma maior compreensão das técnicas utilizadas e assim uma utilização mais eficaz das mesmas
34

Efeito imediato da TENS na dor, na função muscular e sua correlação com qualidade do sono e grau de catastrofização em indivíduos com disfunção temporomandibular / Short effect of tens on pain, muscular function and its relationship with sleep quality and catastrophizing level in subjects with temporomandibular disorder

Ferreira, Ana Paula de Lima 23 January 2014 (has links)
Introduction: Transcutaneous Electrical Nerve Stimulation (TENS) is a recommended therapy as a strategy to control musculoskeletal pain including temporomandibular disorder (TMD). Objective: Analyze the immediate responses of TENS on pain intensity, pressure pain threshold, electromyographic activity and muscle fatigue in subjects diagnosed with muscular TMD. Methods: Were selected 40 subjects of 18-35 years, with signs and symptoms of muscular TMD. The diagnosis it was used Brazilian version of the Research Diagnostic Criteria (RDC) and volunteers were randomly distributed in to two groups: (1) TENS placebo (n=20) and (2) TENS active (n=20). A single application of TENS was performed bilaterally on the temporal anterior and masseter muscles (Dp = 90 μs, time = 50 minutes, the first 25 minutes with frequency of 100 Hz and the last 25 minutes with 4 Hz frequency, high intensity but without allowing muscle contraction). For the placebo TENS group the same parameters were used, but with directed stimulus to voluntary only in the first 40 seconds, which was later diverted to the internal resistance of a placebo circuit. The sleep quality was evaluated using the Pittsburgh Sleep Quality Index (PSQI) and the degree of catastrophizing by Pain Catastrophizing Scale (PCS). Before, immediately and 48 hours after application of TENS were evaluated the intensity of pain using a visual analog scale (VAS), pressure pain threshold (PPT) of masticatory and cervical muscles and electromyographic activity (EMG) in mandibular rest, maximal voluntary contraction and during normal mastication. Results: There was a reduction in pain intensity and increased pain threshold to pressure only in the TENS active group immediately and after 48 hours of treatment. The electromyographic activity showed heterogeneous behavior for the group TENS placebo while in the TENS active group to have more uniform responses. Just TENS active group showed greater resistance to fatigue, being observed a delay of the declining strength time and higher intensity peak of electromyographic signal immediately after therapy. Conclusion: TENS active was superior to TENS placebo on identified hypoalgesia. The masticatory function was more efficient in the TENS active group. Moreover, the active form of TENS contributed so the masticatory muscles could reach higher amplitudes of EMG signal and could last longer in contraction before the onset of muscle fatigue. Furthermore, it was found that the greatest degree of catastrophizing and poor sleep quality can influence hypoalgesic response induced by active TENS. / Introdução: Transcutaneous Electrical Nerve Stimulation (TENS) é uma terapia recomendada como estratégia no controle da dor musculoesquelética incluindo a disfunção temporomandibular (DTM). Objetivo: Analisar as respostas imediatas da TENS sobre a intensidade da dor, limiar de dor à pressão, atividade eletromiográfica na dor, atividade eletromiográfica e fadiga muscular de sujeitos com diagnóstico de DTM muscular. Casuística e Métodos: Foram selecionados 40 indivíduos na faixa etária de 18 a 35 anos com sinais e sintomas de DTM muscular. O diagnóstico de DTM foi realizado seguindo-se a versão brasileira do Research Diagnostic Criteria (RDC) e os voluntários foram distribuídos aleatoriamente em dois grupos: (1) TENS placebo (n=20) e (2) TENS ativo (n=20). Foi realizada aplicação única da TENS bilateralmente nos músculos masseteres e temporais anteriores (Duração de pulso=90 μs, tempo=50 minutos, sendo os primeiros 25 minutos com frequência de 100 Hz e os últimos 25 minutos com frequência de 4 HZ, intensidade alta porém sem possibilitar contração muscular). Para o grupo TENS placebo foram utilizados os mesmos parâmetros, porém com estímulo transiente. A qualidade do sono foi avaliada através do Pittsburg Sleep Quality Index (PSQI) e o grau de catastrofização pela Escala de Pensamentos Catastróficos sobre a Dor (EPCD). Antes, imediatamente e 48 horas depois da aplicação da TENS, foram avaliados: a intensidade da dor através da escala visual analógica da dor (EVA), limiar de dor à pressão (LDP) de músculos mastigatórios e cervicais, bem como atividade eletromiográfica (EMG) em repouso mandibular, contração voluntária máxima e mastigação habitual. Resultados: Houve redução significativa da intensidade da dor e aumento do limiar de dor à pressão apenas no grupo TENS ativo, imediatamente e após 48 horas do tratamento. A atividade eletromiográfica demonstrou comportamento heterogêneo para o grupo TENS placebo enquanto que no grupo TENS ativo houve respostas mais uniformes em relação à redução da EMG durante o repouso, aumento durante a contração voluntária máxima (apertamento) e mastigação habitual. Para a maioria dos músculos analisados esses resultados se perpetuaram após 48 horas da terapia. Apenas o grupo TENS ativo demonstrou maior resistência a fadiga, sendo observado retardo no tempo de declínio da força e maior pico de intensidade do sinal eletromiográfico imediatamente após a terapia. Apenas no grupo TENS ativo, fator emocional desfavorável do tipo catastrofização se correlacionou de maneira negativa com a variação do limiar de dor à pressão do músculo temporal anterior imediatamente após aplicação da TENS. Conclusão: TENS ativo foi superior ao TENS placebo na hipoalgesia. A função mastigatória foi mais eficiente no grupo TENS ativo. A forma ativa da TENS contribuiu para que os músculos mastigatórios alcançassem maiores amplitudes de sinal eletromiográfico e perdurassem por mais tempo em contração antes da ocorrência da fadiga muscular. Além disso, foi verificado que o maior grau de catastrofização e má qualidade do sono podem influenciar a resposta hipoalgésica induzida pela TENS ativa.
35

FORÇA E FADIGA MUSCULAR MANUAL DE TRABALHADORAS EM CARATINGA-MG, BRASIL / Hand Muscular Strength and Fatigue in Workers in Caratinga-MG, Brazil.

Maurício Gonçalves Pereira 04 May 2006 (has links)
A saúde ocupacional ou profissional implica na soma de medidas para melhorar a saúde dos trabalhadores, tanto dentro como fora do seu ambiente de trabalho. O objetivo básico é a prevenção em todos os níveis, empregando estratégias e visando atingir a satisfação plena laboral do trabalhador, evitando, principalmente, dentre outras intercorrências as doenças osteomusculares relacionadas ao trabalho DORT (Doenças Osteomusculares Relacionados ao Trabalho) ou LER (lesões por esforços repetitivos). O objetivo do trabalho foi avaliar os aspectos biomecânicos da função de preensão de mão em trabalhadores envolvidos na fabricação de bijouterias, em uma empresa localizada no município de Caratinga – MG, através dos parâmetros de força e resistência à fadiga. O estudo foi realizado com trabalhadores que lidam com alicates, (jornada de 8 horas de trabalho) para a confecção de bijouterias. Participaram da pesquisa 15 mulheres. Os dados de força muscular foram levantados pela utilização da dinamometria e os índices de ácido láticos sérico, foram obtidos, através de uma leitura instantânea, pelo analisador portátil de precisão do lactato verificando o esforço dispendido pelo trabalhador para realização da atividade. Juntamente com os procedimentos citados acima, foi levantada a percepção de esforço relatada pelas trabalhadoras. A percepção subjetiva de esforço foi colhida no momento de aplicação dos testes de força e lactato, através da escala visual numérica (EVN). Segundo a análise estatística, os fatores considerados instantes (inicial e final) e período (matutino e vespertino) não tiveram significância estatística (p gt; 0,05) sobre a variável Lactato sanguíneo e força muscular. No tocante a variável grau de fadiga muscular, analisado através da EVN, o fator instante (inicial e final do trabalho) identificou de forma significante a fadiga (plt;0,05). Isso evidencia que os indivíduos envolvidos na pesquisa relataram uma exaustão mais no instante final do trabalho, independente do período, matutino ou vespertino. Na comparação dos valores correspondentes das variáveis testadas, pode-se verificar o grau de correlação ou associação entre as variáveis diferentes, ao mesmo tempo, revelando dados estatísticos significantes (plt; 0,05). Apesar do teste de análise de variância não ter sido estatisticamente significativo, percebe-se que as variáveis escolhidas apresentam uma correlação importante, abrindo caminho para o desenvolvimento de novas pesquisas, apoiados na metodologia proposta, no campo da saúde do trabalhador. / The occupational or professional health implicates in the sum of efforts to make the workers` health better, so much inside as out of their work atmosphere. The basic objective is prevention in all the levels, using strategies in order to reach the workers` satisfaction, avoiding, mainly, among other disorders, the musculoskeletal diseases related to work WMSD or REI (Repetitive efforts injury). The objective of this work was to evaluate the biomechanical aspects of the function of hand grip in workers involved in the trinkets production, in a company in the district of Caratinga – MG, through strength and resistance to fatigue. This study took place with workers that work with pliers (8 – hour – work a day), making trinkets. Fifteen women took part of this research. The data of muscular strength was obtained for the application of the dynamometer, and the levels of acid lactic, through instant reading of a portable analyzer of precision of the lactate verifying the strength made by the workers during the working activity. Beside the procedures mentioned above, it was related the perception of fatigue told by the workers. The subjective perception of fatigue was picked in the moment of the application of the tests of force and lactate, through the Numeric Visual Scale (NVS). According to the statistical analysis, the considered factors moment (initial and final) and period (morning and afternoon) didn’t have statistical effect (pgt;0,05) on the variable sanguine lactate and muscular strength. Concerning the variable degree of muscular fatigue, analyzed through NVS the moment actor (initial and final of the work) identified the fatigue in a significant way (plt;0,05). That evidences that the individuals involved in the research told they feel bigger fatigue in the final moments of working, independent of the period, morning or afternoon. Comparing the variable tested, it can be verified the correlation degree or association among the different variables, at the same time, showing significant statistical data (plt;0,05). In spite of the test of variance analysis hasn’t showed significant statistics, it is noticed that the chosen variables present an important correlation, making way for the development of new researches, supported in the proposed methodology in the worker’s health field.
36

Influência da prática de exergames na fadiga muscular e suas repercussões em pacientes com câncer

ALVES, Ricardo da Silva 08 December 2015 (has links)
O objetivo deste estudo foi avaliar a influência de um protocolo de exergames sobre a percepção de fadiga relatada, a termografia das pernas, o equilíbrio postural estático, a força muscular e frequência mediana do sinal eletromiográfico (EMG), em pacientes com câncer. Os grupos foram divididos em: pacientes com câncer submetido à quimioterapia e/ou radioterapia (GQR: n=15), pacientes com câncer e que não estavam em quimioterapia e/ou radioterapia (GCA: n=15) e os voluntários sem câncer (GC: n=15). Foi realizada em todos os grupos, a avaliação da fadiga relatada por meio da subescala de fadiga do questionário The Functional Assessment of Chronic Illness Therapy-Fatigue (FACIT-F); a avaliação da temperatura superficial dos membros inferiores por meio da termografia infravermelha; a avaliação do equilíbrio postural estático por meio das variáveis baropodométricas; a análise da contração isométrica voluntária máxima (CIVM) por meio da dinamometria e a avaliação da fadiga muscular por meio da frequência mediana do sinal EMG dos músculos dorsiflexores e flexores plantares. Todas as análises foram realizadas em três momentos: inicial (Av0), após a 10º sessão (Av1) e após a 20º sessão (Av2). As sessões de exergames foram realizadas para todos os grupos com auxilio do console Xbox 360 Kinect™ equipado com o jogo Your Shape Fitness Evolved™ 2012. A atividade foi realizada três vezes por semana e com duração média de 35 minutos. RESULTADOS: Pela subescala de fadiga do FACIT-F, os grupos GQR (vs GC: p=0,0003) e GCA (vs GC: p<0,0001), encontram-se mais susceptíveis a fadiga antes de realizarem o protocolo de exergames. Após 10 e vinte sessões de práticas de atividades por exergames foi observado que a fadiga desaparece (GQR versus GC, p=1,000; GCA versus GC, p=1,000). O GCA apresentou redução da temperatura superficial da região anterior do membro inferior esquerdo quando comparado ao GQR (p= 0,024) e no membro inferior direito (GCA vs GQR: p=0,041; GCA vs GC: p=0,042), enquanto a temperatura da região posterior dos membros inferiores foi similar entre os grupos (Grupo*Avaliação: p=0,6470). Ao final do treinamento, foi verificado o mesmo comportamento térmico da avaliação inicial para a região anterior direita (GQR vs GCA: p=0,041; GCA vs GC: p=0,042). Não foram observadas alterações estabilométricas ao longo do protocolo de exergames utilizado. Os valores médios da CIVM para os músculos dorsiflexores direito e esquerdo (p<0,0001) e para os mm. flexores plantares direito após 10 sessões (p=0,0249) aumentaram significativamente no GQR. A frequência mediana do sinal EMG do músculo gastrocnêmio medial direito do GQR se difere do GC na avaliação inicial (p=0,0159). Entretanto, após 10 e 20 sessões houve aumento da frequência mediana do m. tibial anterior esquerdo do GCA (p=0,0128), assim como o músculo gastrocnêmio medial esquerdo (p=0,0005) e direito (p=0,0069) do GQR. CONCLUSÃO: Deste modo, a prática de exercícios por exergames aplicada neste estudo se mostrou eficaz para redução da fadiga relatada e muscular, aumento da força muscular, no entanto, não foi capaz de alterar o equilíbrio postural estático e a temperatura das pernas de pacientes com câncer. / The aim of this study was to evaluate the influence of an exergames protocol on perception of related fatigue, thermography of the lowers limbs, static posture balance, muscle force and median frequency of electromyographic signal (EMG), in the cancer patients. The groups were divided into: cancer patients undergoing chemotherapy and/or radiotherapy (CRG: n = 15), patients with cancer and who were not on chemotherapy and/or radiotherapy (CAG: n = 15) and volunteers without cancer (CG: n = 15). Was performed in all groups, the evaluation of related fatigue measured by the fatigue subscale of The Functional Assessment of Chronic Illness Therapy-Fatigue (FACIT-F) questionnaire; evaluation of surface temperature of the lower limbs by infrared thermography; evaluation of static postural balance through baropodometrics variables; analysis of maximal voluntary isometric contraction (MVIC) through dynamometer and assessment of muscle fatigue by the median frequency of the EMG signal of dorsiflexors and plantar flexors muscles. All analysis were performed on three moments: initial (Ev0), after the 10th session (Ev1) and after the 20th session (Ev2). The sessions of exergames were performed to all groups using of the Xbox 360 Kinect™ console equipped with the game Your Shape Fitness Evolved™ 2012. The activity was performed three times a week and lasting an average of 35 minutes. RESULTS: The groups CRG (vs CG: p= 0.0003) and CAG (vs CG: p <0.0001) are more susceptible to fatigue before performing the exergames protocol, through fatigue subscale of the FACIT-F. It was observed that the fatigue disappears (CRG vs. CG, p= 1.000; CAG vs. CG, p= 1.000) after ten and twenty sessions of exergames activities. The CAG presented a reduction of surface temperature in the anterior region of the left lower limb when compared to CRG (p= 0.024) and in the right lower limb (CAG vs CRG: p= 0.041; CAG vs. CGC: p= 0.042), while the temperature of posterior the region of the lower limbs was similar between the groups (Group*Evaluation: p= 0.6470). It was verified at the end of training, the same thermic behavior of the initial assessment for the right anterior region (CGR vs. CAG: p= 0.041; CAG vs. CG: p= 0.042). Stabilometric changes were not observed throughout the exergames protocol used. The average values of MVIC for right and left dorsiflexors muscles (p<0.0001) and for right plantar flexors muscles after 10 sessions (p = 0.0249) increased significantly in GQR. The median frequency of EMG signal of the right medial gastrocnemius muscle of the GQR is different to CG in initial assessment (p= 0.0159). However, after 10 and 20 sessions increased the median frequency of left tibialis anterior muscle (p= 0.0128), in the CGA, as well as the left medial gastrocnemius muscle (p= 0.0005) and right gastrocnemius muscle (p= 0.0069), in the GQR. CONCLUSION: Thus, the practice of exercises by exergames applied in this study proved to be effective for reducing of related fatigue and muscle fatigue, increase in muscle strength, however was not able to change the static postural balance and the temperature of the legs of patients with cancer. / Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais - FAPEMIG
37

Avaliação da fadiga do músculo multífido lombar e ativação do transverso do abdome em indivíduos com hérnia discal lombar / Evaluation of lumbar multifidus muscle fatigue and activation of the transversus abdominis in patients with lumbar disc herniation

Ramos, Luiz Armando Vidal 05 December 2012 (has links)
Introdução: A dor lombar crônica pode ser definida como dor ou desconforto persistente por mais de 12 semanas nos níveis lombar e sacral da coluna vertebral. Cerca de 5% dos pacientes apresentam comprometimento de raiz nervosa, e uma razão comum é a herniação discal. Os músculos multífido lombar (ML) e transverso do abdome (TrA) são preferencialmente acometidos frente a episódios de dor lombar. Contudo, há escassa literatura que tenha avaliado a fadiga do ML e a capacidade de ativação do TrA em indivíduos com e sem hérnia de disco lombar. Objetivo: Avaliar a fadiga do músculo multífido lombar e a capacidade de ativação do transverso do abdome em indivíduos com hérnia de disco e dor lombar crônica, e controle. Métodos: Participaram do estudo 60 indivíduos com idade entre 20 a 50 anos, divididos em dois grupos: Hérnia Lombar (GHL) com dor há mais de três meses (n=30) e Grupo Controle (GC) sem dor (n=30). A fadiga do multífido lombar foi avaliada com a eletromiografia de superfície durante a realização do teste de esforço de Sorensen e a capacidade de ativação do TrA pela Unidade de Biofeedback Pressórico (UBP). A dor foi avaliada com a escala visual analógica - EVA e questionário McGill de Dor, a incapacidade funcional pelo Índice de incapacidade de Oswestry e o relato de esforço percebido pela escala de Borg. O nível de significância adotado foi de 5%. Na análise dos dados de frequência mediana quanto menor o valor maior a fadiga. Resultados: Houve aumento da fadiga nos dois grupos, porém mais intensa no GHL (p=0,0001) proporcionando a instalação da fadiga em menor tempo (163 s). Na capacidade de ativação do TrA, o GHL apresentou ativação insuficiente (-0,9 mmHg) e GC próximo a valores ideais ( -3,9 mmHg). Na escala de Borg, houve diferença entre os grupos para o esforço inicial (p=0,0002), contudo não foi observado diferença para o esforço final (p=0,0611). O GHL apresentou dor moderada (6,4 cm) quando avaliada pela EVA e pelo Questionário McGill de dor nas categorias sensorial (19,2) afetiva (8,6) e total (36,3) e incapacidade funcional mínima. Conclusão: Os indivíduos com hérnia de disco e dor lombar crônica apresentam maior fadiga do músculo multífido lombar e ativação do transverso do abdome insuficiente quando comparados aos controles. / Introduction: Chronic low back pain can be defined as pain or discomfort lasting more than 12 weeks in the lumbar and sacral levels of the spine. About 5% of patients have nerve root impairment, and the more common etiology is the disc herniation. The lumbar multifidus (LM) and transversus abdominis (TrA) muscles are often affected in low back pain. However, the literature on the fatigue assessment of ML and the ability of TRA activation in individuals with and without lumbar disc herniation is scarce. Objective: To evaluate the lumbar multifidus muscle fatigue and transversus abdominis activation in individuals with disc herniation and chronic low back pain, and control. Methods: The study included 60 subjects aged 20 to 50 years, divided into two groups: lumbar herniated group (GLH) with pain for more than three months (n = 30) and control group (CG) without pain (n = 30). The fatigue of the lumbar multifidus was measured with surface electromyography during the Sorensen test and ability of activation of TRA with Unit Biofeedback pressure (PBU). Pain was assessed by visual analog scale - VAS and McGill pain questionnaire, functional disability by Oswestry Disability Index, and the reporting of perceived exertion with Borg scale. The significance level was established in 5%. Results: We found increased fatigue in both groups however more intense in GLH (p=0.0001) providing the onset of fatigue in less time (163 s). The ability to activate the TrA, the GLH showed insufficient activation (-0.9 mmHg) and CG near the ideal values (-3.9 mmHg). In Borg scale, difference was observed between groups for the initial effort (p = 0.0002), however no difference was observed for the final effort (p = 0.061). The GLH had moderate pain (6.4 cm) when assessed by the VAS and the McGill Pain Questionnaire in sensory (19.2), affective (8.6) and total (36.3) categories and minimal functional disability. Conclusion: Individuals with disc herniation and chronic low back pain have higher fatigue of lumbar multifidus and insufficient transversus abdominis muscle activation when compared to controls.
38

Efeitos da suplementação crônica de lactato de cálcio e bicarbonato de sódio sobre desempenho físico em exercício intermitente de alta intensidade / Effects of chronic calcium lactate supplementation and sodium bicarbonate on high-intensity intermittent performance

Oliveira, Luana Farias de 17 November 2015 (has links)
A fadiga muscular é um fenômeno extensivamente estudado, especialmente por sua influência sobre o desempenho físico. Diversos estudos têm demonstrado que a acidose muscular, ocasionada pelo acúmulo de íons H+ no interior da célula muscular, é um fator limitante para o desempenho físico durante exercícios físicos de alta intensidade. Assim, estratégias com o objetivo de atenuar a queda do pH intramuscular têm o potêncial de se destacar como agente tamponante. Dentre elas, a suplementação de bicarbonato de sódio tem mostrado ser uma interessante estratégia nutricional para o aumento do desempenho anaeróbio. Recentemente a suplementação de lactato tem se mostrado como um possível agente tamponante. Teoricamente a suplementação de lactato pode aumentar os níveis sanguíneos de pH e bicarbonato, assim aumentando a capacidade tamponante extracelular. Os poucos estudos sugerem um potêncial ergogênico desta estratégia nutricional, embora a falta de estudos sugere a necessidade de mais estudos que atestem a eficácia ergogênica deste suplemento. Portanto, esse estudo tem por objetivo investigar o efeito da suplementação crônica de lactato de cálcio sobre os níveis sanguíneos de pH e bicarbonato e desempenho intermitente de alta intensidade; e ainda, compará-los com a suplementação de bicarbonato de sódio. Foram recrutados 18 atletas (idade 26 ± 5 anos; massa corporal 88,8 ± 6,8 kg; estatura 1,78 ± 0,7m; gordura corporal 18,6 ± 6,2 %). A pesquisa teve um desenho randomizado, controlado por placebo, duplo-cego cross-over. Os sujeitos foram alocados em 3 tratamentos diferentes: placebo, lactato de cálcio e bicarbonato de sódio. Todos os tratamentos suplementaram a dose de 500 mg.kg-1, divididas em 4 doses diárias, por um período de cinco dias consecutivos, seguido por dois dias de washout. Os indivíduos foram submetidos a testes de desempenho físico anaeróbio para membros superiores. Foram realizadas 4 séries do teste de Wingate, com duração de 30 segundos em cada série, e carga fixa em 4% do peso corporal, separadas por períodos de recuperação ativa de 3 minutos. As variáveis de potência média, pico e trabalho total, foram usados para verificação de alterações no desempenho em virtude dos tratamentos. Foi ainda avaliado os níveis sanguíneos de pH, bicarbonato e lactato no repouso, após o esforço e 5min após o esforço. A análise de reprodutibilidade do teste de Wingate mostrou que não houve diferenças entre as duas familiarizações e o teste pré-suplementação. As variáveis sanguíneas não foram diferentes entre os testes, e evidenciaram o potêncial do teste em diminuir pH, bicarbonato e excesso ácido-base e aumentar o lactato plasmático. Os resultados mostram que a suplementação de lactato de cálcio não foi capaz de melhorar o desempenho ou influenciar variáveis sanguíneas de bicarbonato e pH, no entanto a suplementação de bicarbonato de sódio melhorou o desempenho em ~2,9% e aumentou os níveis basais de bicarbonato sanguíneo, mas não alterou o pH. Dessa forma conclui-se que tal estratégia não é capaz de aumentar a capacidade tamponante, tampouco de promover melhoras no desempenho intermitente de alta intensidade / Muscle fatigue is an extensively studied phenomenon, especially due to its relevance to performance. Several studies have shown that muscle acidosis caused by hydrogen ion (H+) accumulation in the muscle cell is a limiting factor to physical performance during high-intensity exercise. Thus, strategies aimed at attenuating the fall in intramuscular pH during exercise have the potential to improve performance. Among these strategies, sodium bicarbonate supplementation has been shown to be an effective nutritional strategy for increasing anaerobic performance. Recently, lactate supplementation has been suggested to be an equally effective buffering aid. Theoretically, lactate supplementation can increase blood pH and bicarbonate levels, thereby increasing extracellular buffering capacity. The few studies available to date have shown the ergogenic potential of this nutritional strategy, although the lack of studies with chronic supplementation in addition to the lack of reliable physical tests suggests the need for more studies to confirm the efficacy of lactate supplementation. Therefore, this study aimed to investigate the effect of chronic calcium lactate and sodium bicarbonate supplementation on blood pH, bicarbonate and high-intensity intermittent exercise performance. Eighteen athletes (age 26±5 years; body mass 88,8±6,8 kg; height 1,78± 0,7m; body fat 18,6±6,2 %) were recruited to this randomised, double-blind, placebo-controlled, crossover and counterbalanced study. The participants\' underwent 3 different treatments: placebo, calcium lactate and sodium bicarbonate. The dose in all conditions was 500 mg·kg-1, divided into 4 daily doses, for 5 consecutive days, followed by a 2-day washout period. On the fifth day of supplementation, individuals underwent 4 bouts of the Wingate upper-body anaerobic test. The bouts lasted 30 seconds, with a fixed load of 4% body mass and were separated by active recovery periods of 3 minutes. Mean and peak power, as well as total work done, were recorded during each bout. In addition, blood pH, bicarbonate and lactate were determined at rest, immediately after exercise and 5 min after exercise. The Wingate test reproducibility analysis showed no differences between both familiarisations and a pre-supplementation test while blood variables were not different between tests. Post-exercise values highlighted the potential of the test to decrease blood pH, bicarbonate and base excess and to increase plasma lactate. Results showed that calcium lactate supplementation did not improve upper-body Wingate performance, likely due to a lack of change in blood bicarbonate and pH prior to exercise. Sodium bicarbonate supplementation improved performance by ~2.9% following increased pre-exercise levels of blood bicarbonate but not pH. It can be concluded that calcium lactate supplementation is not capable of increasing buffering capacity, and thus does not promote improvements in high-intensity intermittent performance
39

Efeito da fototerapia prévia ao exercício isocinético sobre a fadiga e o dano muscular

Baroni, Bruno Manfredini January 2010 (has links)
Desde seu desenvolvimento na década de 60, a fototerapia têm sido utilizada no tratamento de diversas condições patológicas, havendo um considerável corpo de evidências acerca de sua ação regenerativa, analgésica e anti-inflamatória. Tais efeitos terapêuticos podem ser explicados pela capacidade que a energia luminosa possui de ser absorvida pelos tecidos e estimular ou inibir processos intracelulares. Estudos recentes têm apresentado resultados promissores desta terapia também sobre a redução da fadiga e do dano muscular induzido pelo exercício. A fadiga muscular é um fenômeno multifacetado caracterizado por uma progressiva redução da capacidade de produção de força do músculo. O dano muscular, causado principalmente pelas ações excêntricas do exercício, é caracterizado pela desorganização da estrutura microscópica do músculo e redução da capacidade contrátil deste tecido. Assim, o objetivo do presente trabalho foi verificar o efeito da fototerapia aplicada imediatamente antes do exercício sobre: (1) a fadiga muscular de extensores de joelho submetidos a exercício isocinético concêntrico; (2) o dano muscular de extensores de joelho submetidos a exercício isocinético excêntrico. No primeiro estudo, 17 homens saudáveis e fisicamente ativos participaram de um desenho experimental cruzado no qual foram submetidos a 30 repetições concêntricas máximas de flexo-extensão do joelho, precedidas de tratamento com fototerapia ou placebo. A fototerapia foi aplicada através de um equipamento de light emitting diodes therapy (LEDT) composto por 35 diodos infravermelhos de 850 nm e 34 diodos vermelhos de 660 nm. O tratamento foi realizado em três pontos do quadríceps com aplicação de uma dose total de 125,1 J. Mensurações da função muscular dos extensores de joelho foram realizadas antes e imediatamente após o exercício através de contrações voluntárias máximas (CVM) de extensores de joelho a 60º de flexão da articulação. Como resultado, observou-se que os voluntários apresentaram um decréscimo de torque significativamente menor quando tratados com fototerapia em comparação ao tratamento placebo. No segundo estudo, 36 homens saudáveis e fisicamente ativos foram randomizados em grupo fototerapia (n=18) e grupo placebo (n=18), e submetidos a cinco séries de 15 contrações excêntricas máximas de extensores de joelho. Avaliações de dor muscular e níveis séricos das enzimas lactato desidrogenase (LDH) e creatina kinase (CK) foram mensuradas pré-exercício, 24 e 48 horas pós-exercício. Avaliações da função muscular (CVM de extensores de joelho) foram realizadas pré-exercício, imediatamente após, 24 e 48 horas após o exercício. Um equipamento de low level laser therapy (LLLT) composto por cinco diodos infravermelhos de 810 nm foi utilizado para aplicar o tratamento em seis pontos do quadríceps e transmitir uma dose total de 180 J. Como resultado, observou-se que o grupo fototerapia apresentou: (1) menores incrementos de LDH 48 horas após o exercício; (2) menores incrementos de CK 24 e 48 horas após o exercício; e (3) menor decréscimo do torque de extensores de joelho imediatamente após, 24 e 48 horas após o exercício, em comparação ao grupo placebo. Os achados destes estudos permitem concluir que o tratamento com fototerapia foi capaz de atenuar os efeitos da fadiga e do dano muscular induzidos por exercício em dinamômetro isocinético. / Since its development in the 60’s, phototherapy has been used in the treatment of several pathological conditions, with a considerable body of evidence with respect to its regenerative, analgesic and anti-inflammatory action. These therapeutic effects may be explained by the capacity that the light energy has of being absorbed by soft tissues and stimulate or inhibit intracellular processes. Recent studies have also shown promising results regarding the reduction of muscle fatigue and exercise induced muscle damage. Muscle fatigue is a multifaceted phenomenon characterized by a progressive reduction in muscle force production capacity. Muscle damage, mainly caused by eccentric exercise, is characterized by the microscopic disorganization of muscle structure and reduction of the contractile capacity of this tissue. Thus, the purpose of this study was to verify the effect of phototherapy applied immediately before exercise on: (1) knee extensors muscle fatigue after isokinetic concentric exercise; (2) knee extensor muscle damage after isokinetic eccentric exercise. In the first study 17 healthy and physically active male subjects participated of a cross-over design trial. Subjects were subjected to 30 maximal concentric repetitions of knee flexion-extension, preceded by placebo or phototherapy treatment. Phototherapy was applied with a light emitting diodes therapy (LEDT) equipment composed by 35 infrared diodes of 850 nm wavelength and 34 red diodes of 660 nm. Treatment was applied in three different points of the quadriceps muscle with a total dose of 125.1 J. Measurements of knee extensor muscle function were obtained before and immediately after exercise by maximal voluntary contractions (MVC) at a knee angle of 60º of joint flexion. Subjects showed a significant smaller decrease in torque when treated with phototherapy compared to placebo treatment. On the second study, 36 healthy and physically active male subjects were randomized into a phototherapy (n=18) and a placebo (n=18) group, and subjected to five series of 15 maximal knee extensor eccentric contractions. Measurements of pain and serum levels of lactate dehydrogenase (LDH) and creatine kinase (CK) enzymes were obtained pre-exercise, 24 and 48 hours postexercise. Evaluations of muscle function (knee extensor MVC) were obtained preexercise, immediately after, and 24 and 48 hours after exercise. A low level laser therapy (LLLT) equipment composed by five infrared diodes of 810 nm wavelength was used to apply the treatment on six different points of the quadriceps muscle with a total dose of 180 J. The phototherapy group showed: (1) smaller increments of LDH 48 hours after exercise; (2) smaller increments of CK 24 and 48 hours after exercise; and (3) smaller decrease on knee extensor torque immediately after, 24 and 48 hours after exercise compared to the placebo group. These findings allow us to conclude that the phototherapy treatment was able to attenuate the effects of fatigue and muscle damage induced by isokinetic exercise.
40

Protocolo incremental de corrida: comportamento de variáveis eletromiográficas, cinemáticas e metabólicas

Fraga, Carina Helena Wasem [UNESP] 10 May 2010 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:30:53Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2010-05-10Bitstream added on 2014-06-13T20:40:44Z : No. of bitstreams: 1 fraga_chw_dr_rcla.pdf: 2287250 bytes, checksum: 19a31b7d57d53f1dce9bd848d8b99deb (MD5) / Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) / O presente estudo teve como objetivos: (1) determinar e comparar os Limiares de Fadiga Eletromiográficos (EMGLF) de diferentes músculos com limiares metabólicos, durante protocolo de corrida incremental; (2) comparar o sinal eletromiográfico (EMG), a freqüência de passada (FP) e amplitude de passada (AP) entre três intensidades de exercício, correspondentes a 60%, 80% e 100% da velocidade máxima (Vmáx); (3) analisar o efeito de um protocolo incremental de corrida sobre o comportamento do sinal EMG obtido a partir de contrações isométricas e dinâmicas. Para cada objetivo proposto, será apresentado um artigo, nos quais foram avaliados indivíduos com diferentes experiências na modalidade: corredores recreacionais (CR), sem treinamento específico em corrida; e, corredores (CO) que treinavam para competições específicas da modalidade. Os protocolos de corrida foram realizados com velocidades iniciais de 8 km.h-1 para CR e de 10 km.h-1 para CO, com incrementos de 1 km.h-1 a cada três minutos até a exaustão. Esses protocolos diferiram de acordo com o intervalo entre cada estágio incremental: 30 segundos (protocolo A) e 120 segundos (protocolo B). Nos dois protocolos, foram coletados, nos intervalos, amostras de 25 μl de sangue para determinação dos limiares metabólicos. Apenas no protocolo B, foram coletados sinais EMG de contrações isométricas submáximas nos intervalos entre os estágios incrementais. Sinais eletromiográficos (EMG) foram registrados por meio de eletrodos de superfície bipolares posicionados sobre os músculos iliocostal lombar (IC), reto femoral (RF), vasto lateral (VL), vasto medial (VM), bíceps femoral (porção longa) (BF), tibial anterior (TA), e gastrocnêmio (porção lateral) (GL). Os principais resultados encontrados apontam que (1) o EMGLF mostrou-se similar entre os diferentes músculos analisados e entre a velocidade correspondente... / This study aimed to: (1) determine and compare the electromyographic fatigue threshold (EMGFT) of different muscles with metabolic thresholds during incremental running protocol, (2) compare the electromyographic signal (EMG), the stride frequency (SF) and the stride length (SL) in three exercise intensities corresponding to 60%, 80% and 100% of maximum velocity (Vmax), (3) analyze the influence of an incremental running protocol on the behavior of the EMG signal obtained from isometric and dynamic contractions. An article will be presented for each proposed aim. The subjects were divided according to their experiences in the sport in: Recreational Runners (RR), with no specific training in running, and Runners (RU) who trained specifically for running competitions. The running protocols were performed with initial speeds of 8 km.h-1 for RR and 10 km.h-1 for RU. The increments were of 1 km.h-1 in every three minutes until exhaustion. The two protocols used differed in their interval between each increments in: 30 seconds (protocol A) and 120 seconds (protocol B). In both protocols, blood samples of 25 μl were collected at the intervals between increments to determination the metabolic thresholds. Only in the protocol B, EMG signals were collected from submaximal isometric contractions in the intervals between incremental stages. Electromyographic signals (EMG) were recorded by bipolar surface electrodes placed over the lumbar iliocostal (IC), rectus femoris (RF), vastus lateralis (VL), vastus medialis (VM), biceps femoris (long portion) (BF), tibialis anterior (TA) and gastrocnemius (lateral portion) (GL). The main findings indicate that (1) EMGFT proved to be similar among the different muscles and between the speed at which the anaerobic threshold occurred. Therefore, the EMGFT allowed the estimation of the transition from aerobic to anaerobic metabolism noninvasively in the two... (Complete abstract click electronic access below)

Page generated in 0.052 seconds