• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 202
  • 5
  • 4
  • 4
  • 4
  • 3
  • 3
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 214
  • 214
  • 132
  • 113
  • 27
  • 20
  • 18
  • 17
  • 15
  • 14
  • 14
  • 13
  • 12
  • 12
  • 12
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
41

Amiloide, amiloidose e proteina serica amiloide : frequencia e importanciana artrite reumatoide e esclerose sistemica

Innocencio, Regina Maria 07 November 1994 (has links)
Orientador: João Francisco Marques Neto / Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas / Made available in DSpace on 2018-07-19T18:27:02Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Innocencio_ReginaMaria_D.pdf: 4117654 bytes, checksum: fa6c9ade194fbd27ff11e859abca2a69 (MD5) Previous issue date: 1994 / Resumo: A amiloidose secundaeia associada as doencas reumaticas caracteriza-se pelo depósito de fibrilas AA, derivadas de proteína sérica amilóide A (SAA), em determinados tecidos e órgãos. Os objetivos deste esudo consistiram em estabelecr a frequência da amiloidose na artrite reumatóide (AR) e esclerose sistêmica (ES) através da biópsia de tecido adiposo subcutâneo abdominal, determinar os níveis de proteína SAA e sua associação à amiloidose, parâmetros clínicos e atividade de doença em 48 pacientes com AR e 39 em ES. Todos foram submentidos à biopsia de tecido adiposo. O material resultante foi corado pelo vermelho Congo e analisado à luz polarizada. A biópsia de tecido adiposo foi positiva em dois pacientes com AR (4,17%), ambos do sexo feminino, com níveis elevados de proteína SAA, proteinúria, doença de longa evolução, soropositiva para o fator reumatóide e resultou negativa em todos pacientes com ES. Esta técnica representa um procedimento simples e sensível para o diagnóstico de amiloidose secundária, deve ser recomentdada devido ao baixo risco de complicações, como sangramento e ao menor custo em relação a métodos mais invasivos. A determinação dos níveis de proteína SAA foi realizada através da técnica de enzimaiunoesmaio em 43 pacientes voluntários saudáveis, 46 pacientes com AR e 37 com ES. Os níveis de proteína SAA mostraram-se significativamente elevados nos pacientes com AR em relação ao grupo de controle e entre aqueles com artrite periferica quando comparados com aqueles sem esta maifestacao, para niveis de proteina SAA inferiores a 100ug/ml. Entre os pacientes com ES, 26 apresentaram a forma limitada e 13 a forma difusa. Houve diferença significativa nos níveis de proteína SAA, tempo de duração da doença, escore cutâneo total e proteinuria em relação às duas formas clínicas. A proteína SAA é um sensível marcador de fase aguda que reflete o grau de atividade inflamatória nas doenças reumáticas / Abstract: The amyloid protein(AA) deposited in rheumatic diseases is derived from serum amylid protein A (SAA). The purposes of the present study were to verifythe frequency of amyloidoses in rheumatoid arthrits (RA) and systemic sclerosis (SSc) through the evaluation of subcutaneous abdominal fat biopsy and to determine the SAA response associated with amyloidosis, clinical features and disease activity in 48 patients with RA and 39 with SS. The fat biopsy specimens were stained with Congo red, examined for green birefringence through a polarizing microscope and showed positive results in two Caucasian women with RA (4,17%), high SAA levels, long standing disease proteinuria and positive rheumatoid factor and negative results in SSc patients. Congo red staining of subcutaneous fat tissue biopsu is a simples and sensitve method for the diagnosis of systemic amyloidosis. It may be recommended because of the low risk of complications from bleeding and lower costs than more invasive biopsy procedures. SAA levels were determined by solid phase enzyme immunoassay in sera from 43 healthy volunteers, 46 patients with RA and 37with SSc. There were significant differences in SAA concentration between RA and control groups and patients with or without arthristis and SAA levels under 100ug/ml. The patients with SSc were divided in two groups, 26 having limited systemic sclerosis (ISSc) and 13 having diffuse systemic sclerosis(dSSc). There wre significant differences in SAA concentration, mean disease duration, total skin score and proteinuria between ISS and dSSc groups. SAA is a sensitive acute phase reactant that reflects the inflammatory activity of rheumatic diseases. diseases / Doutorado / Doutor em Ciências Médicas
42

Eficácia terapêutica do Metotrexato na Artrite Reumatóide depende da expressão de células T reguladoras CD39+? / Eficácia terapêutica do Metotrexato na Artrite Reumatóide depende da expressão de células T reguladoras CD39+?

Peres, Raphael Sanches 10 May 2012 (has links)
Introdução: Artrite reumatóide (AR) é uma doença autoimune caracterizada por uma inflamação crônica das articulações. A estratégia terapêutica mais utilizada na AR consiste no uso de doses baixas de Metotrexato (MTX), um antagonista do folato, que promove a manutenção de altos níveis de adenosina (ADO) extracelular. No entanto, uma parte considerável dos pacientes é refratária ao tratamento com MTX e o mecanismo pelo qual este fenômeno ocorre ainda não é estabelecido. Estudos demonstram que células Tregs expressam em suas superfícies as ectonucleotidases CD39/ENTPD1 e CD73/ecto-5 \'nucleotidase, enzimas que geram ADO através da degradação de ATP. Estes achados, associados ao fato que a ADO possui potente atividade imunomoduladora, sugere que a atividade antiinflamatória do MTX está relacionada com os efeitos das Tregs. Objetivos: Investigar se os mecanismos de refratariedade ao MTX em pacientes com AR podem estar relacionados com uma deficiência na atividade bioquímica e função supressora de células Tregs, focando principalmente na expressão das ectonucleotidases CD39 e CD73. Pacientes e Métodos: No presente estudo, amostras do sangue periférico de pacientes com AR (n= 89) e doadores saudáveis (n =16) foram coletadas. Por citometria de fluxo, as populações leucocitárias de PBMC foram fenotipadas para a avaliação da expressão das ectonucleotidases CD39 e CD73 nos diferentes tipos celulares. A atividade das ectonucleotidases em células TCD4+ na geração de ADO extracelular foi avaliada por cromatografia líquida de alta performance (HPLC) e ensaios colorimétricos de Verde Malaquita. Resultados: Citocinas inflamatórias IL-1 e TNF- presentes no plasma e a frequência de células TCD4+ produtoras de IL-17 e IFN- estavam significativamente aumentadas em pacientes não responsivos ao MTX (UR-MTX; DAS28- 5,87±0,52; média de idade- 54,7 anos) quando comparadas com pacientes responsivos (R-MTX; DAS28- 2,23±0,57; média de idade- 52,6 anos) e indivíduos saudáveis (IS). Na caracterização fenotípica dos leucócitos de PBMC, não houve diferença na porcentagem de linfócitos TCD4+, TCD8+, células B e células dendríticas entre os grupos analisados. No entanto, observamos um aumento significativo na porcentagem de células Tregs (CD4+CD25+ FoxP3+) em pacientes R-MTX. De maneira interessante, enquanto que a porcentagem de células Tregs expressando CD73 não estava alterada, observou-se um aumento da frequência desta população celular expressando CD39 em pacientes R-MTX. Adicionalmente, a ADO extracelular presente no sobrenadante de células Tregs de pacientes UR-MTX estava reduzida quando comparada aos outros grupos, visto que esse grupo de pacientes também apresenta uma expressão reduzida de CD39 na superfície das Tregs. Conclusão: Em conjunto estes resultados demonstram que a refratariedade de pacientes ao MTX é associada com o número e funções das Tregs, especialmente na geração de ADO extracelular. Esses achados podem gerar novas perpectivas em intervenções terapêuticas para tratamento da AR, proporcionando avanços na escolha de drogas rotineiramente utilizadas para tratar a doença. / Introdução: Artrite reumatóide (AR) é uma doença autoimune caracterizada por uma inflamação crônica das articulações. A estratégia terapêutica mais utilizada na AR consiste no uso de doses baixas de Metotrexato (MTX), um antagonista do folato, que promove a manutenção de altos níveis de adenosina (ADO) extracelular. No entanto, uma parte considerável dos pacientes é refratária ao tratamento com MTX e o mecanismo pelo qual este fenômeno ocorre ainda não é estabelecido. Estudos demonstram que células Tregs expressam em suas superfícies as ectonucleotidases CD39/ENTPD1 e CD73/ecto-5 \'nucleotidase, enzimas que geram ADO através da degradação de ATP. Estes achados, associados ao fato que a ADO possui potente atividade imunomoduladora, sugere que a atividade antiinflamatória do MTX está relacionada com os efeitos das Tregs. Objetivos: Investigar se os mecanismos de refratariedade ao MTX em pacientes com AR podem estar relacionados com uma deficiência na atividade bioquímica e função supressora de células Tregs, focando principalmente na expressão das ectonucleotidases CD39 e CD73. Pacientes e Métodos: No presente estudo, amostras do sangue periférico de pacientes com AR (n= 89) e doadores saudáveis (n =16) foram coletadas. Por citometria de fluxo, as populações leucocitárias de PBMC foram fenotipadas para a avaliação da expressão das ectonucleotidases CD39 e CD73 nos diferentes tipos celulares. A atividade das ectonucleotidases em células TCD4+ na geração de ADO extracelular foi avaliada por cromatografia líquida de alta performance (HPLC) e ensaios colorimétricos de Verde Malaquita. Resultados: Citocinas inflamatórias IL-1 e TNF- presentes no plasma e a frequência de células TCD4+ produtoras de IL-17 e IFN- estavam significativamente aumentadas em pacientes não responsivos ao MTX (UR-MTX; DAS28- 5,87±0,52; média de idade- 54,7 anos) quando comparadas com pacientes responsivos (R-MTX; DAS28- 2,23±0,57; média de idade- 52,6 anos) e indivíduos saudáveis (IS). Na caracterização fenotípica dos leucócitos de PBMC, não houve diferença na porcentagem de linfócitos TCD4+, TCD8+, células B e células dendríticas entre os grupos analisados. No entanto, observamos um aumento significativo na porcentagem de células Tregs (CD4+CD25+ FoxP3+) em pacientes R-MTX. De maneira interessante, enquanto que a porcentagem de células Tregs expressando CD73 não estava alterada, observou-se um aumento da frequência desta população celular expressando CD39 em pacientes R-MTX. Adicionalmente, a ADO extracelular presente no sobrenadante de células Tregs de pacientes UR-MTX estava reduzida quando comparada aos outros grupos, visto que esse grupo de pacientes também apresenta uma expressão reduzida de CD39 na superfície das Tregs. Conclusão: Em conjunto estes resultados demonstram que a refratariedade de pacientes ao MTX é associada com o número e funções das Tregs, especialmente na geração de ADO extracelular. Esses achados podem gerar novas perpectivas em intervenções terapêuticas para tratamento da AR, proporcionando avanços na escolha de drogas rotineiramente utilizadas para tratar a doença.
43

Cinética plasmática da lipoproteína de baixa densidade e avaliação dos aspectos qualitativos da lipoproteína de alta densidade em indivíduos com artrite reumatóide / Plasma kinetics of an LDL-like non-protein nanoemulsion and transfer of lipids to high-density Lipoprotein (HDL) in patients with rheumatoid arthritis

Pozzi, Fernanda Santos 10 February 2012 (has links)
Artrite reumatóide é uma doença auto-imune que apresenta acentuado quadro inflamatório e proliferação celular o que, provavelmente, determina a alta prevalência de doenças cardiovasculares quando comparados a população mundial. A mortalidade e a morbidade conseqüentes das doenças cardiovasculares estão 2 vezes aumentadas em pacientes com artrite reumatóide e um dos principais fatores de risco relacionados ao desenvolvimento da aterosclerose é a dislipidemia. Esse importante fator de risco vem sendo associado à artrite reumatóide e as concentrações plasmáticas de lípides são constantemente avaliadas, já que se encontra bem estabelecido a relação entre dislipidemia e alta incidência de doença cardiovascular. No entanto, o verdadeiro impacto das alterações lipídicas na artrite reumatóide não é bem conhecido, já que os resultados de perfil lipídico são contraditórios. Alterações nas concentrações plasmáticas de lípides não necessariamente acompanham distúrbios no metabolismo das lipoproteínas plasmáticas. O objetivo do presente estudo foi avaliar aspectos do metabolismo da LDL e da HDL, em pacientes com artrite reumatóide. Nesse sentido, foi avaliada a cinética plasmática de uma nanoemulsão lipídica artificial com comportamento metabólico semelhante ao da LDL em 30 pacientes com artrite reumatóide divididos em 2 grupos de acordo com a atividade da doença, alta atividade (n=14) e remissão (n=16) e 30 indivíduos controle. A nanoemulsão marcada com éster de colesterol 14EC (EC-14C) e colesterol livre 3H (CL-3H) foi injetada endovenosamente após 12 horas de jejum. As amostras de sangue foram coletadas em tempos pré-determinados (5 min, 1, 2, 4, 6, 8 e 24 horas) após a injeção, para determinação das curvas de decaimento plasmático e da taxa fracional de remoção (TFR) dos lípides marcados, por análise compartimental. As TFR-EC-14C e TFR-CL-3H foram maiores no grupo AR quando comparado ao grupo controle (49%, p<0,05 e 44%, p<0,05, respectivamente), não havendo diferença entre os subgrupos de artrite reumatóide. No grupo artrite reumatóide e em seus subgrupos, as concentrações de HDL-C e apo E foram maiores quando comparados ao grupo controle (33%, p<0,0001 e 20%, p<0,01, respectivamente), enquanto os níveis de apo B foram menores na artrite reumatóide quando comparados ao grupo controle (16%, p<0,05). A transferência de colesterol esterificado radioativo da nanoemulsão para a HDL foi menor na artrite reumatóide, comparando-se com o grupo controle. A transferência dos outros lípides foi similar nos dois grupos. A HDL dos pacientes com artrite reumatóide foi menor do que a dos controles. Esses resultados podem contribuir com a melhor compreensão de possíveis mecanismos relacionados a uma maior incidência de doenças cardiovasculares em pacientes com artrite reumatóide / Mortality and morbidity, as a consequence of cardiovascular diseases, is twice as high in patients with rheumatoid arthritis than in the general worldwide population. This autoimmune disease has predominant inflammatory and cell proliferation background probably explains the high prevalence of cardiovascular disease. Dyslipidemias are important risk factors for cardiovascular disease. This study investigated the link between RA and plasma lipids as a predisposition to this high cardiovascular disease incidence. However, the impact of lipids on cardiovascular risk in rheumatoid arthritis is unclear. So much so, that lipid profiles in patients with rheumatoid arthritis in published studies is contradictory. The events of intravascular lipoprotein metabolism do not necessarily produce altered levels of plasma lipids. In an attempt to unravel novel dysfunctional mechanisms that could trigger pro-atherogenic processes beyond the concentration of the plasma lipids, plasma clearance of a lipidic nanoemulsion that resembles the LDL metabolic behavior were investigated in rheumatoid arthritis patients and compared to control subjects without the disease. 30 patients with rheumatoid arthritis divided into 2 groups according to disease activity, high activity (n=14) and remission (n=16), and 30 controls were studied. A nanoemulsion labeled with 14C-cholesteryl esther (14C-CE) and 3H-free cholesterol (3H-FC) were endovenously injected after which blood samples were collected at pre-determined periods (5 min, 1, 2, 4, 6, 8 and 24 hours), in order to determine the radioactivity of the plasma decay curves and calculate the fractional clearance rate (FCR) of the labeled lipids for compartmental analysis. In the rheumatoid arthritis group and subgroups the HDL-C and apo E concentration were higher when compared to control group (33%, p<0,0001 e 20%, p<0,01, respectively) while apo B concentration was lower (16%, p<0,05). The 14-CE-FCR and 3H-FC-FCR were greater in rheumatoid arthritis group and subgroups when compared to controls (49%, p<0,05 e 44%, p<0,05, respectively). There were no differences between the rheumatoid arthritis subgroups. Therefore, rheumatoid arthritis accelerates the LDL plasma removal, as indicated by a higher 14-CE-FCR and 3H-FC-FCR. The transfer of other lipids was also similar in both groups. The HDL of the rheumatoid arthritis patients was lower than that of the control group. These results could clarify possible mechanisms that can be related to a higher cardiovascular incidence in patients with rheumatoid arthritis
44

"Tradução para a língua portuguesa e validação do questionário da saúde dos pés FHSQ (Foot Health Status Questionnaire)" / Translation to the portuguese language and validation of the foot health questionnaire FHSQ (Foot Health Status Questionnaire)

Ferreira, Ana Francisca Barros 28 November 2005 (has links)
O objetivo deste estudo foi adaptar e validar o Foot Health Status Questionnaire (FHSQ) avaliando suas propriedades de medida. Este instrumento foi traduzido, traduzido de volta para o inglês, avaliado por comitê multidisciplinar e submetido a pré-teste, gerando o FHSQ-Br. O FHSQ-Br foi submetido a teste de campo em um grupo de estudo composto por 65 pacientes com Artrite Reumatóide (AR) para avaliar a confiabilidade teste-reteste, a consistência interna e a validade do construto. A validade do construto foi testada correlacionando os escores do instrumento com dados clínicos e laboratoriais usados para avaliar a AR. Este estudo demonstrou que o FHSQ-Br é um instrumento confiável, consistente e válido, útil na avaliação da saúde dos pés, sendo passível de adaptação para diferentes culturas / The purpose of this study was to conduct a cross-cultural adaptation and validation of the Foot Health Status Questionnaire (FHSQ) evaluating its measurement properties. All ten domains of the FHSQ were translated into Portuguese by two Brazilian translators creating Version 1. This version was back-translated by two native English-speaking teachers who made suggestions for Version 1, creating Version 2. A multidisciplinary committee was formed to test the instrument’s semantic, idiomatic, experiential and conceptual equivalences. After being reformulated and approved by the committee, Version 3 was pre-tested on a group of patients from the Rheumatology Service of the Hospital das Clínicas. They answered this version and made suggestions for the better understanding of the instructions, questions and response option. The FHSQ-Br was then created. The translated and adapted version was submitted to field test on a study group composed of sixty-five Rheumatoid Arthritis (RA) patients to evaluate test-retest reliability, internal consistency and construct validity. The construct validity of the FHSQ-Br was tested correlating the scores to clinical and laboratory parameters commonly used to assess RA (Health Assessment Questionnaire; Numbered Rating Scale for foot pain; foot X-rays; erythrocyte sedimentation rate and C-reactive protein). The cultural adaptation of the FHSQ was successfully accomplished, since patients suggested changes in only three items of the instrument during the pre-test phase. In the field test, the intra-class correlation coefficients showed high reliability for both intra- and inter-observer correlations. Internal consistency coefficients were statistically significant (p<0.05) for all domains. As for the evaluation of the construct validity, each domain revealed correlations with a specific group of parameters, according to what the domains were intended to measure. The FHSQ was cross-culturally adapted generating a reliable, consistent and valid instrument. This study has proven the FHSQ-Br to be a useful tool to evaluate foot health in systemic diseases and is easily adaptable to different cultures
45

"Tradução para a língua portuguesa e validação do questionário da saúde dos pés FHSQ (Foot Health Status Questionnaire)" / Translation to the portuguese language and validation of the foot health questionnaire FHSQ (Foot Health Status Questionnaire)

Ana Francisca Barros Ferreira 28 November 2005 (has links)
O objetivo deste estudo foi adaptar e validar o Foot Health Status Questionnaire (FHSQ) avaliando suas propriedades de medida. Este instrumento foi traduzido, traduzido de volta para o inglês, avaliado por comitê multidisciplinar e submetido a pré-teste, gerando o FHSQ-Br. O FHSQ-Br foi submetido a teste de campo em um grupo de estudo composto por 65 pacientes com Artrite Reumatóide (AR) para avaliar a confiabilidade teste-reteste, a consistência interna e a validade do construto. A validade do construto foi testada correlacionando os escores do instrumento com dados clínicos e laboratoriais usados para avaliar a AR. Este estudo demonstrou que o FHSQ-Br é um instrumento confiável, consistente e válido, útil na avaliação da saúde dos pés, sendo passível de adaptação para diferentes culturas / The purpose of this study was to conduct a cross-cultural adaptation and validation of the Foot Health Status Questionnaire (FHSQ) evaluating its measurement properties. All ten domains of the FHSQ were translated into Portuguese by two Brazilian translators creating Version 1. This version was back-translated by two native English-speaking teachers who made suggestions for Version 1, creating Version 2. A multidisciplinary committee was formed to test the instrument’s semantic, idiomatic, experiential and conceptual equivalences. After being reformulated and approved by the committee, Version 3 was pre-tested on a group of patients from the Rheumatology Service of the Hospital das Clínicas. They answered this version and made suggestions for the better understanding of the instructions, questions and response option. The FHSQ-Br was then created. The translated and adapted version was submitted to field test on a study group composed of sixty-five Rheumatoid Arthritis (RA) patients to evaluate test-retest reliability, internal consistency and construct validity. The construct validity of the FHSQ-Br was tested correlating the scores to clinical and laboratory parameters commonly used to assess RA (Health Assessment Questionnaire; Numbered Rating Scale for foot pain; foot X-rays; erythrocyte sedimentation rate and C-reactive protein). The cultural adaptation of the FHSQ was successfully accomplished, since patients suggested changes in only three items of the instrument during the pre-test phase. In the field test, the intra-class correlation coefficients showed high reliability for both intra- and inter-observer correlations. Internal consistency coefficients were statistically significant (p<0.05) for all domains. As for the evaluation of the construct validity, each domain revealed correlations with a specific group of parameters, according to what the domains were intended to measure. The FHSQ was cross-culturally adapted generating a reliable, consistent and valid instrument. This study has proven the FHSQ-Br to be a useful tool to evaluate foot health in systemic diseases and is easily adaptable to different cultures
46

Parâmetros nutricionais na artrite idiopática juvenil

Bisotto, Letícia Souza January 2005 (has links)
Resumo não disponível
47

Treinamento proprioceptivo em pacientes com artrite reumatoide: revisão sistemática / Proprioceptive training in patients with rheumatoid arthritis: a systematic review

Silva, Kelson Nonato Gomes da [UNIFESP] 31 March 2010 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2015-07-22T20:50:54Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2010-03-31 / Objetivo: Avaliar a efetividade e segurança do treinamento proprioceptivo na melhora da capacidade funcional em pacientes com artrite reumatóide. Métodos: Revisão Sistemática utilizando a metodologia da Colaboração Cochrane. Estratégia de busca: As bases pesquisadas foram: Cochrane Central Register of Controlled Trials (The Cochrane Library 2008, Issue 4), MEDLINE (1966 to 2008) via PubMed, EMBASE (1980 to 2008), LILACS (1982 to 2008), CINAHL (1982 to 2008), PEDro e Scirus. Também realizamos busca manual em anais de congressos, listas de referências de artigos publicados e contatos com especialistas. Não houve restrição de idioma. Critérios de Seleção: ensaios clínicos randomizados ou ensaios clínicos controlados comparando o treinamento proprioceptivo com alguma outra intervenção ou com nenhuma intervenção, em pacientes com artrite reumatóide, de acordo com os critérios do Colégio Americano de Reumatologia (ACR).de 1987 Coleta de dados e análise: Dois revisores independentemente avaliaram títulos e/ou resumos para critérios de inclusão e para risco de viés. Resultados: A pesquisa eletrônica identificou 864 estudos. Para esta busca, 17 estudos descreveram exercícios gerais em pacientes com artrite reumatóide como o principal tópico. Após analisá-los, observamos que o principal desfecho foi a melhora na força muscular, resistência, e exercícios dinâmicos (natação, caminhada, etc). Portanto nós não encontramos nenhum estudo investigando os efeitos do treinamento proprioceptivo isolado em pacientes com artrite reumatóide, não foi possível incluir nenhum dado em relação ao tópico escolhido em nossa revisão sistemática. Conclusão: Não houve nenhum estudo disponível avaliando a eficácia do treinamento proprioceptivo em pacientes com artrite reumatóide. A efetividade e segurança do treinamento proprioceptivo em melhorar a capacidade funcional destes pacientes permanece desconhecido. / Objective: To assess the effectiveness and safety of balance training (proprioceptive training) to improve functional capacity in patients with rheumatoid arthritis. Methods: Systematic review with Cochrane methodology. Search strategy: Databases Cochrane Central Register of Controlled Trials (The Cochrane Library 2008, Issue 4), MEDLINE (1966 to 2008) via PubMed, EMBASE (1980 to 2008), LILACS (1982 to 2008), CINAHL (1982 to 2008), PEDro e Scirus. We also carried out a handsearching and contact professional associates of the eligible studies when necessary. There was no language restriction. Selection criteria: All eligible randomised controlled trials or controlled clinical trials comparing balance training (proprioceptive training) with any other intervention or with no intervention, in patients with rheumatoid arthritis of according to the 1987 American College of Rheumatology (ACR) criteria. Data collection e analysis: Two reviewers independently assessed titles and/or abstracts for inclusion criteria and for risk of bias. Results: The electronic search identified 864 studies. From this search, 17 studies described general exercises in rheumatoid arthritis patients as the main topic. After analysing them, we observed that the main outcomes were improvement in muscle strength, endurance, and dynamic exercises (swimming, walking, etc). As we did not find any studies investigating the effects of proprioceptive training alone in patients with rheumatoid arthritis, it was not possible to include any data regarding the chosen topic in our systematic review. Conclusion: There is no research available examining the efficacy of balance training in patients with rheumatoid arthritis. The effectiveness and safety of balance training to improve functional capacity of these patients remains unclear, however, it is suggested that future research should give more importance to the balance training by either increasing the number and duration of sessions or investigating its efficacy alone. / TEDE / BV UNIFESP: Teses e dissertações
48

Atividade física previne perda óssea em mulheres na pré-menopausa com artrite reumatóide : estudo de coorte

Tourinho, Tatiana Freitas January 2005 (has links)
Resumo não disponível
49

Avaliação da efetividade do laser de baixa intensidade nas mãos de pacientes com artrite reumatoide: estudo controlado randomizado duplo-cego / Assessment of the effectiveness of low-level laser therapy on the hands of patients with rheumatoid arthritis: a randomized double-blind controlled trial

Meireles, Sandra Mara [UNIFESP] 30 January 2008 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2015-07-22T20:49:30Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2008-01-30 / A artrite reumatóide é uma doença inflamatória crônica que apresenta, entre outros fatores, dor e funcionalidade alterada. A literatura sugere que o laser de baixa intensidade apresente efeitos analgésicos e antiinflamatórios. Alguns estudos mostram que esse tipo de laser contribui para o tratamento dessa doença, ainda, porém, com resultados controversos. Objetivo: avaliar a efetividade do laser de baixa intensidade na diminuição da dor e melhora da função nas mãos de pacientes com artrite reumatóide. Material e Métodos: através de um estudo controlado, randomizado e duplo-cego, foram estudados 82 pacientes com o diagnóstico de artrite reumatóide. O grupo experimental utilizou a aplicação de laser e o grupo-controle foi submetido à aplicação de laser placebo. Foi utilizado o laser Arseneto de Gálio e Alumínio com comprimento de onda de 785nm, dosagem de 3J/cm2 e potência média de 70mW. Pacientes, terapeuta e avaliador foram cegos. O tratamento teve a duração de 2 meses e foi realizado 2 vezes por semana. Os pacientes foram avaliados, no início e no final do tratamento, por meio dos parâmetros: dor, rigidez matinal, força de preensão palmar, força de pinça, amplitude de movimento, inflamação, perimetria, função, estado global da mão e destreza. No final do tratamento, foram avaliados grau de satisfação do paciente e impressão de melhora sob o ponto de vista do terapeuta. Resultados: Os grupos foram homogêneos no início do estudo no que se refere às principais variáveis (p > 0,05). Não houve diferenças, estatisticamente significantes, entre os grupos em 96% (157 em 163) das medidas realizadas, exceto nas variáveis: a favor do grupo experimental: inflamação da interfalângica do polegar à direita (p = 0,012) e a perimetria da interfalângica do polegar esquerdo (p = 0,013); a favor do grupo-controle: flexão da interfalângica proximal do quinto dedo à direita (p = 0,021), perimetria da terceira interfalângica proximal à direita (p = 0,044), força de preensão palmar à esquerda (p = 0,010) e questionário Disabilities of the Arm, Shoulder, and Hand (DASH) no domínio trabalho (p = 0,010). Na maioria das medidas, pudemos observar diferenças, estatisticamente significantes, na análise intragrupos (p < 0,05). Conclusão: Concluímos que o laser de baixa intensidade Arseneto de Gálio e Alumínio, no comprimento de onda, dosagem e potência estudadas, não é efetivo para o tratamento das mãos de pacientes com artrite reumatóide. / Rheumatoid arthritis is a chronic inflammatory disease that causes pain and affects functionality. The literature suggests that low-level laser therapy offers analgesic and anti-inflammatory benefits. A number of studies have shown that this type of laser therapy contributes toward the treatment of the disease. Results, however, remain controversial. Objective: Assess the effectiveness of low-level laser therapy on pain reduction and improvement in function in the hands of patients with rheumatoid arthritis. Material and Methods: A randomized double-blind controlled trial was carried out on 82 patients with rheumatoid arthritis. The experimental group was submitted to the application of laser therapy, whereas the control group received a placebo laser. An Aluminum Gallium Arsenide laser was used, at a wavelength of 785 nm, dose of 3 J/cm2 and mean power of 70 mW. Patients, therapist and evaluator were all blind to group allocation. Treatment was carried out twice a week for two months. Patients were assessed at the beginning and end of treatment with regard to the following parameters: pain, morning stiffness, grip strength, pinch strength, range of motion, inflammation, perimetry, function, overall hand condition and dexterity. At the end of treatment, the degree of patient satisfaction and the impression of improvement from the perspective of the therapist were analyzed. Results: The groups were homogenous at the beginning of the study with regard to the main variables (p > 0.05). There were no statistically significant differences between groups in 96% (157 of 163) of the measurements taken at the end of the intervention; the following variables were the exceptions: favoring the experimental group – inflammation of the interphalangeal joint of the right thumb (p = 0.012) and perimetry of the interphalangeal joint of the left thumb (p = 0.013); and favoring the control group – flexion of the proximal interphalangeal joint of the right fifth finger (p = 0.021), perimetry of the third proximal interphalangeal joint of the right hand (p = 0.044), grip strength in the left hand (p = 0.010) and the Work domain of the Disabilities of the Arm, Shoulder and Hand (DASH) questionnaire (p = 0.010). There were statistically significant differences in the intra-group analysis for most of the measurements (p < 0.05). Conclusion: We conclude that low-level Aluminum Gallium Arsenide laser therapy is not effective at the wavelength, dosage and power studied for the treatment of hands among patients with rheumatoid arthritis. / TEDE / BV UNIFESP: Teses e dissertações
50

Estudo da prevalência dos auto-anticorpos marcadores de doenças reumáticas em pacientes com disfunção de articulação temporomandibula / A study on the prevalence of auto antibodies to rheumatic diseases markers in patients with temporomandibular joint disorders (TMD)

Bernardi, Fernanda Helena January 2009 (has links)
BERNARDI, Fernanda Helena. Estudo da prevalência dos auto-anticorpos marcadores de doenças reumáticas em pacientes com disfunção de articulação temporomandibula. 2009. 102 f. Dissertação (Mestrado em Patologia) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Medicina, Fortaleza, 2009. / Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2011-12-21T11:39:19Z No. of bitstreams: 1 2009_dis_fhbernardi.pdf: 2802210 bytes, checksum: 575dae8eb4b03897aae04013858851a2 (MD5) / Approved for entry into archive by Eliene Nascimento(elienegvn@hotmail.com) on 2012-02-01T16:11:50Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2009_dis_fhbernardi.pdf: 2802210 bytes, checksum: 575dae8eb4b03897aae04013858851a2 (MD5) / Made available in DSpace on 2012-02-01T16:11:50Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2009_dis_fhbernardi.pdf: 2802210 bytes, checksum: 575dae8eb4b03897aae04013858851a2 (MD5) Previous issue date: 2009 / The present study had the objective of investigating whether patients with Temporo-Mandibular Joint Disorder (TMD) reveal, at the time of clinical diagnosis, the presence of certain serological markers, such as rheumatoid factor (RF), anti-citrulinated cyclic peptide antibody (Anti-CCP) and antinuclear antibodies (ANA), which are commonly considered to be the markers for incidence and evolution of the rheumatic autoimmune diseases, Rheumatoid Arthritis (RA) and Systemic Lupus Erythematosus (SLE). The sample size for the study consisted of 98 individuals, with 69 patients - clinically diagnosed with Disk displacement, or other Temporo-Mandibular Joint (TMJ) conditions such as arthralgia, osteoarthrosis and osteoarthritis - constituting the experimental group, and a control group of 29 apparently healthy subjects. The experimental group patients were diagnosed by applying Questionnaire RDC/TMD (Research Diagnostic Criteria), and evaluation for involvement of other systems and body organs, in addition to head and neck. Peripheral blood samples were collected from all the individuals, and the serum samples evaluated for the presence of RF, Anti-CCP and ANA. Of the 98 individuals under study, 18 revealed presence of one or more of the serological markers investigated - 16 (26.08%) of them being TMD patients, and the other two (6.8%) from the control group. The TMJ patients positive for serum markers were predominantly women in the 4th and 5th decades of age. Comparative evaluations for possible associations between a variety of clinical symptoms of TMD and positive serological markers revealed that there was a significantly elevated morning stiffness, as also inflammation in other body articulations, in the seropositive group. These results enable us to suggest, if only provisionally, the following hypotheses to explain the incidence of serological markers for systemic rheumatic diseases in TMD patients: I. The clinical incidence of TMD may coincide, or coexist, with the possible evolution of other systemic rheumatic diseases; and II. The clinical evolution of TMD possibly predisposes the individual to the incidence of non-odontological systemic rheumatic pathologies. The eventual confirmation of both, or either, of these hypotheses could contribute to the early diagnosis and institution of more efficient therapeutic strategies for a better control of systemic rheumatic diseases. / O presente estudo tem a finalidade de avaliar se os indivíduos portadores de desordem temporomandibular (DTM) apresentam, no momento do diagnóstico clínico, alguns marcadores sorológicos, como o fator reumatóide (FR), o anticorpo anti-peptídeo citrulinado cíclico (anti-CCP) e o fator antinuclear (FAN), que são comumente associados à incidência e evolução das doenças auto-imunes reumáticas, como a AR (Artrite Reumatóide) e o LES (Lúpus Eritematoso Sistêmico). A amostra do estudo foi constituída por 98 participantes, dos quais 69 do grupo experimental - pacientes diagnosticados com deslocamentos de disco articular, ou outras condições da articulação temporomandibular (ATM), como artralgias, osteoartroses e osteoartrites - e 29 do grupo controle constituído por indivíduos aparentemente sadios. Os pacientes do grupo experimental foram diagnosticados por meio do questionário RDC/DTM (Research Diagnostic Criteria) e pelas avaliações quanto ao envolvimento de outros sistemas e órgãos do corpo, além da cabeça e do pescoço. Todos os participantes foram submetidos à coleta de sangue e as amostras sorológicas dos indivíduos foram analisadas quanto ao FR, FAN e anti-CCP. Os dois grupos apresentaram participantes reagentes a um ou mais marcadores sorológicos, sendo 18 (26,08%) do grupo experimental e dois (6,8%) do grupo controle. Os pacientes de DTM soropositivos foram predominantemente mulheres nas 4a e 5a décadas de vida. Análises comparativas para possíveis associações entre sintomas clínicos de DTM e a soropositividade revelaram aumentos estatisticamente significantes na proporção de rigidez matinal e de inflamação de outras articulações do corpo no grupo soropositivo. Esses dados permitem sugerir, mesmo que provisoriamente, as seguintes hipóteses, para explicar a incidência dos marcadores sorológicos para doenças reumáticas sistêmicas em pacientes com DTM: I. A incidência clínica das DTM poderá coincidir, ou coexistir, com a possível evolução de outras doenças reumáticas sistêmicas; e II. A evolução clínica das DTM poderá predispor os indivíduos para a incidência de patologias reumáticas não odontológicas no organismo. A comprovação eventual de ambas as hipóteses, ou qualquer uma delas, poderá contribuir para o diagnóstico precoce e a instituição de estratégias terapêuticas mais eficazes para o melhor controle da evolução das doenças reumáticas sistêmicas.

Page generated in 0.0805 seconds