• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 202
  • 5
  • 4
  • 4
  • 4
  • 3
  • 3
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 214
  • 214
  • 132
  • 113
  • 27
  • 20
  • 18
  • 17
  • 15
  • 14
  • 14
  • 13
  • 12
  • 12
  • 12
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
61

Qualidade de vida e reabilitação : casos cirúrgicos de artroplastia total do quadril

Matos, Denise Regina January 2006 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, 2006. / Submitted by Natália Cristina Ramos dos Santos (nataliaguilera3@hotmail.com) on 2009-11-02T14:41:24Z No. of bitstreams: 1 2006_Denise Regina Matos.pdf: 4909042 bytes, checksum: b79d49c22e0df2b19d3ee48300120671 (MD5) / Approved for entry into archive by Luanna Maia(luanna@bce.unb.br) on 2011-01-27T11:31:49Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2006_Denise Regina Matos.pdf: 4909042 bytes, checksum: b79d49c22e0df2b19d3ee48300120671 (MD5) / Made available in DSpace on 2011-01-27T11:31:49Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2006_Denise Regina Matos.pdf: 4909042 bytes, checksum: b79d49c22e0df2b19d3ee48300120671 (MD5) Previous issue date: 2006 / A artroplastia total de quadril é indicada para tratamento de artrose primária e secundária do quadril em função do acometimento por várias patologias associadas à destruição articular, tais como artrite reumatóide, espondilite anquilosante, fraturas, displasia congênita, necrose avascular da cabeça do fêmur, cujos sintomas são dor, limitação articular, restrições graves nas atividades diárias, alterações emocionais e alteração do sono. Considerando o interesse clínico e científico do tema para a área da Psicologia da Reabilitação, desenvolveu-se uma investigação com o objetivo de avaliar a qualidade de vida de pacientes submetidos a artroplastia total do quadril. Foram avaliados 17 pacientes do Programa de Ortopedia Adulto da Rede Sarah da Unidade Centro de Brasília, sendo 53% mulheres e 47% homens com idade média de 56 anos (DP= 10,4). Adotou-se uma abordagem multimetodológica nas etapas précirúrgica e pós-cirúrgica (três meses após a artroplastia de quadril) por meio da aplicação de um instrumento de avaliação de qualidade de vida (SF-36) e de um roteiro de entrevista semiestruturada. Os resultados obtidos pelo SF–36 apontam que os aspectos físicos, a capacidade funcional e a dor apresentaram as mais baixas médias no pré-operatório, sendo o estado geral de saúde e a saúde mental os domínios com as médias mais altas. No pós-operatório, todos os domínios avaliados pelo SF-36 apresentaram melhora significativa. Dentre esses, a dor, os aspectos emocionais e a capacidade funcional apresentaram as maiores variações, com conseqüente melhora nas suas avaliações, quando comparadas com as do pré e do pósoperatório. Os pacientes na faixa etária de 56 a 75 anos (n= 9) apresentaram uma melhora maior na capacidade funcional no pós-operatório, quando comparados com os pacientes mais jovens, na faixa de 35 a 55 anos de idade. A análise das entrevistas revela a dor e a percepção que o paciente tem sobre sua limitação para desempenhar funções diárias e a dependência de familiares. Quanto à satisfação, a entrevista revelou que três pacientes mostraram-se frustrados com os resultados obtidos após três meses de cirurgia. De modo geral, os dois instrumentos empregados mostraram-se adequados para a avaliação pretendida e apontam resultados semelhantes e complementares. No intuito de aprimorar a identificação e a análise das variáveis envolvidas na reabilitação desses pacientes, sugere-se que a investigação seja desenvolvida com uma amostra mais extensa e que o intervalo temporal de acompanhamento também seja ampliado. _____________________________________________________________________________ ABSTRACT / Total hip replacement (arthroplasty) is indicated to the treatment of primary and secondary hip arthrosis caused by several pathologies associated to joint destruction, such as rheumatoid arthritis, ankylosing spondylitis, fractures, congenital displasia, avascular necrosis of the femoral head, whose symptoms are pain, range of motion restriction, severe limitation of daily living activities, emotional alterations, and sleep disorders. Considering the clinical and scientific interest on the issue to the Rehabilitation Psychology area, an investigation has been carried out aiming at assessing the quality of life of patients who had undergone total arthoplasty of the hip. Seventeen patients were evaluated from the Adult Orthopedic Program from the Sarah Network Hospital, Brasília Downtown branch, 53% female and 47% male with the average age of 56 (SD 10,4). A multimethodological approach was adopted in the pre- and post-surgery phases (after three months ot total hip replacement) through the use of a quality of life evaluation instrument (SF-36) and a semi-structured interview procedure. The results obtained by the SF-36 indicate that the physical aspects, the functional capacity and pain presented the lowest averages in the pre-surgery phase, while the general and mental health state domains presented the highest averages. At the post-surgery phase, there has been a significant improvement of all domains evaluated by the SF-36, with the greatest variations presented by pain, emotional aspects and functional capacity, with subsequent improvement in the assessment of such features, when pre- and post-surgery phases were compared. Fiftysix to seventy-five year old patients (n= 9) presented better improvement in the functional capacity at post-surgery phase when compared to younger patients, ranging from thirty-five to fifty-five years old. The interview analysis reveals pain and the patients' perception about their limitation to carry out daily activities and the dependence on relatives. As for satisfaction, the interview shows that three patients were frustrated with the results after three months from surgery. In general, both instruments employed proved adequate for the intended evaluation, and point to similar and corresponding results. In order to improve identification and analysis of the variables pertaining to the rehabilitation of these patients, this research suggests that investigation be developed with a larger number of subjects and that the time interval under scrutiny also be extended.
62

Efeito do uso de palmilhas no tratamento de pes reumatoides / The effect of foot orthoses in rheumatoid arthritis

Magalhães, Eduardo de Paiva 02 June 2007 (has links)
Orientadores: Manoel Barros Bertolo, Linamara Rizzo Battistella / Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas / Made available in DSpace on 2018-08-10T14:49:39Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Magalhaes_EduardodePaiva_D.pdf: 4850874 bytes, checksum: 30c39d8223abecede7d6fcaa1901152c (MD5) Previous issue date: 2007 / Resumo: Objetivo: Avaliar a eficácia de palmilhas em pacientes com artrite reumatóide (AR) utilizando o Índice de Função dos Pés (FFI) durante 6 meses. Estudar a alteração na distribuição da pressão plantar em pés reumatóides após 15 dias em uso de palmilhas. Material e Métodos: Foram avaliados trinta e seis pacientes com AR e dor nos pés e prescritas palmilhas conforme as necessidades individuais. Todos os pacientes foram reavaliados em 30, 90 e 180 dias da avaliação inicial. Em cada consulta foi aplicado FFI e verificados o tempo de utilização das órteses e eventuais efeitos adversos. O Health Assessment Questionaire (HAQ) foi verificado na consulta inicial para avaliar a influência da condição física na evolução do FFI. Quinze mulheres com AR e dor nos pés foram submetidas a avaliação da pressão na superfície plantar pelo programa F-SCAN em avaliação inicial e após 15 dias em uso de palmilhas. Resultados: Durante o estudo os valores do FFI reduziram em todas as sub-escalas (dor, incapacidade e limitação de atividade). Esta redução foi notada no primeiro mês e mantida durante todo o período de avaliação. Os pacientes que utilizaram palmilhas com EVA convencionais (n=28) apresentaram melhores resultados. Pacientes utilizando palmilhas sob molde de gesso (n=8) apresentaram valores mais elevados do FFI na consulta inicial e menor redução deste índice com resultados ainda significantes para as sub-escalas de dor e incapacidade, mas não para limitação de atividade. Efeitos adversos menores foram verificados sem resultar em interrupção do tratamento. Os pacientes utilizaram a palmilha durante um período médio de 7,14 horas por dia durante o primeiro mês sem diferenças significativas nas avaliações subseqüentes. Não foi verificada relação entre o HAQ e a evolução do FFI. Com o uso de palmilhas foi verificada significativa redução dos valores de pressão plantar em ante-pé e retro-pé. Conclusões: As palmilhas foram efetivas como adjuvantes no tratamento de pés reumatóides com redução dos índices de dor, incapacidade e limitação de atividade avaliados pelo FFI, com poucos efeitos adversos. Também proporcionaram melhor distribuição da pressão na superfície plantar com redução dos seus valores em ante-pé e retro-pé / Abstract: Objective: To evaluate the effectiveness of foot orthoses, using the Foot Function Index (FFI), in a group of patients with rheumatoid arthritis (RA) in a period of six months. To compare the foot pressures in rheumatoid patients after the use of foot orthoses during a period of fifteen days. Methods: Thirty-six rheumatoid subjects with foot pain were examined and appropriate foot orthoses were prescribed according to each patient needs. All the patients were evaluated in 30, 90 and 180 days after baseline visit. FFI values, daily wearing time and adverse effects were noted in each appointment. The Stanford Health Assessment Questionnaire (HAQ) was obtained in the initial visit and it was used to evaluate the influence of physical condition on FFI response. Fifteen women with RA and foot pain were also examined and their foot pressure values measured using the F-SCAN program in first appointment and after fifteen days using appropriate insoles. Results: After the use foot orthoses, FFI values decreased in all subscales (pain, disability and activity limitation) for the patients studied. This reduction was noted early, in the first month and maintained during all the trial. Those using EVA (n=28) orthoses presented similar results to the total group. Otherwise, patients with made to measure orthoses (n=8) exhibited higher initial FFI values and worse evolution during the trial, still significant for pain and disability, but not for activity limitation. Minor adverse reactions were noted and none of them required treatment interruption. Orthoses were worn on an average for 7.14 hours in the first month without significant differences in the others visits. There was no relation between HAQ and FFI evolution. The patients using the foot orthoses achieved a significant plantar pressure reduction in forefoot and hindfoot. Conclusions: Foot orthoses were effective as an adjuvant management of rheumatoid foot. They significantly reduced pain, disability and activity limitation accessed by the FFI, with minor adverse effects. They also promote a better plantar pressure distribution and relief in forefoot and hindfoot / Doutorado / Clinica Medica / Doutor em Clínica Médica
63

Atividade física previne perda óssea em mulheres na pré-menopausa com artrite reumatóide : estudo de coorte

Tourinho, Tatiana Freitas January 2005 (has links)
Resumo não disponível
64

Relação entre percepção de fadiga e fadiga muscular em pacientes com artrite reumatóide

Espírito Santo, Rafaela Cavalheiro do January 2014 (has links)
Introdução: Fadiga é uma manifestação clínica importante na artrite reumatoide (AR). Atualmente, a avaliação de fadiga em AR é realizada através de questionários subjetivos, incluindo aspectos emocionais e sociais. No entanto, sabe-se que a fadiga pode estar acentuada no plano periférico e esta abordagem é pouco estudada nestes pacientes. Objetivo: Avaliar a relação entre a percepção de fadiga e fadiga muscular em pacientes com artrite reumatoide. Métodos: Trinta e oito pacientes do sexo feminino com AR foram incluídos. Os pacientes foram estratificados por DAS-28 e por três grupos etários (grupo I: 32-48 anos; grupo II: 49-54 anos de idade, e grupo III: 55-65 anos de idade). A fadiga muscular [avaliado por mudanças na magnitude (root mean square-RMS) e freqüência (média de freqüência-MDF) de ativação muscular durante os 60s do teste de força de quadríceps] e percepção de fadiga (FACIT-F) foram avaliadas. Além disso, dados demográficos [duração idade e doença, calculado pelo tempo decorrido a partir de diagnóstico], hemoglobina (g/ dL), DAS-28, HAQ, qualidade de vida (SF-36) e International Physical Activity Questionnaire (IPAQ, versão longa) foram medidos. A significância foi assumida quando p≤0.05. Resultados: Nenhuma associação foi observada quando os pacientes foram estratificados por DAS-28 e quando os pacientes foram estratificados por idade no grupo III. Moderada correlações estatisticamente significativas entre MDF e FACIT-F e FACIT-TOI (r = 0,6; p = 0,03 e r = 0,5; 0,04, respectivamente) foram encontrados no grupo I. No grupo II foram encontradas moderadas correlações estatisticamente significativas entre FACIT-TOTAL e RMS e MDF (r = 0,6; p = 0,01 e r = -0,5; p = 0,04, respectivamente). Conclusão: Moderada relação entre fadiga muscular e percepção de fadiga sugere que ambas as estratégias de avaliação podem ser complementares e têm um efeito benéfico sobre comorbidades AR. / Introduction: Fatigue is a major clinical manifestation in rheumatoid arthritis (RA). Actually, the assessment of fatigue in RA is realized through to subjective questionnaires, including emotional and socials aspects. However, known to that fatigue may be sharp in peripheral plane and this approach is little studied in these patients. Objective: To assess the relationship between perception of fatigue and muscle fatigue in patients with RA. Methods: Thirty eight female patients with RA were included. Patients were stratified by DAS-28 and by three age groups (group I: 32-48 years old; group II: 49-54 years old; group III: 55-65 years old). Muscle fatigue [assessed by changes in magnitude (i.e. root mean square-RMS) and frequency (i.e. median frequency-MDF) of muscle activation during a 60-s quadriceps strength test] and perception of fatigue (FACIT-F) were assessed. In addition, demographic data [age and disease duration, calculated by elapsed time from diagnostic], hemoglobin (Hb-g/dL), DAS-28, HAQ, quality of life (SF-36) and International Physical Activity Questionnaire (IPAQ, long version) were measured. Significance was assumed when p≤0.05. Results: No association was observed when patients were stratified by DAS-28 and when patients were stratified by age in group III. Moderate statistically significant correlations between MDF and FACIT-F e FACIT-TOI (r=0.6;p=0.03 and r=0.5;0.04, respectively) were found in group I. In group II moderate statistically significant correlations were found between FACIT-TOTAL and RMS and MDF (r=0.6;p=0.01 and r=-0.5;p=0.04, respectively). Conclusion: Moderate relationship between muscle fatigue and perception of fatigue suggests that both evaluation strategies can be complementary and have a beneficial effect on RA comorbidities.
65

Parâmetros nutricionais na artrite idiopática juvenil

Bisotto, Letícia Souza January 2005 (has links)
Resumo não disponível
66

Desenvolvimento de forma farmacêutica sólida à base de Baccharis trimera (Less.) DC. para o tratamento da artrite reumatóide

Ferreira, Pablo de Ataide 31 January 2012 (has links)
Submitted by Luiz Felipe Barbosa (luiz.fbabreu2@ufpe.br) on 2015-03-13T15:53:09Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) Dissertação Pablo PPGIT 2012.pdf: 3832792 bytes, checksum: eabb333d2b369315a834e644deaec4b6 (MD5) / Made available in DSpace on 2015-03-13T15:53:09Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) Dissertação Pablo PPGIT 2012.pdf: 3832792 bytes, checksum: eabb333d2b369315a834e644deaec4b6 (MD5) Previous issue date: 2012 / CAPES / Artrite reumatóide é uma desordem autoimune, de etiologia desconhecida, caracterizada por poliartrite periférica, simétrica, que leva a deformidade e destruição das articulações devido à erosão da cartilagem e do osso. Os custos e os efeitos indesejáveis oriundo da terapia convencional inviabilizam a qualidade de vida dos paciente. Baccharis é o maior gênero da família Asteraceae, com mais de 500 espécies distribuídas pelos os continentes Norte e Sul Americanos, sendo a B. trimera que apresenta o maior número de estudos fitoquímicos e farmacológicos. Estudos farmacológicos relatam atividade sobre o trato gastrointestinal e males do fígado, vários autores demonstraram em estudos pré-clínicos o potencial analgésico, antiinflamatório, e imunomodulador, do extrato aquosos de B. trimera, como também um efeito antiartrítico pronunciado. Este trabalho teve como objetivo obter um insumo farmacêutico padronizado à base de B. trimera para o desenvolvimento racional de forma farmacêutica sólida para o tratamento da artrite. O liófilo obtido a partir da droga vegetal padrão, foi submetido a ensaios de teor, solubilidade, tamanho de partícula, porosidade, área superficial, umidade, higroscopicidade, espectroscopia de infravermelho e análise térmica para sua caracterização e padronização. Para o desenvolvimento farmacotécnico da forma farmacêutica cápsula de B. trimera, realizou-se uma planificação qualitativa de diluentes (lactose e celulose). As metodologias analíticas para os ensaios de controle de qualidade seguiram a Farmacopéia Brasileira 5ª edição. Os resultados demonstraram que as formulações corresponderam às especificações de controle fisicoquímico, além de apresentar viabilidade econômica, porém, devido à lactose ser um excipiente reativo, quimicamente um açúcar redutor, a formulação que possuía celulose foi selecionada para continuidade dos estudos de estabilidade.
67

Genotipagem na artrite reumatoide. Alelos HLA-classe II : HLA-DRB1 *0101 e *0102 associados a suscetibilidade e HLA-DRB1 *0401 e *0404 associados a agressividade

Bértolo, Manoel Barros, 1955- 20 September 1996 (has links)
Orientadores: Lilian Tereza Lavras Costallat, Fernando Ferreira Costa / Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas / Made available in DSpace on 2018-07-21T16:00:30Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Bertolo_ManoelBarros_D.pdf: 5744580 bytes, checksum: f7167e9a18551a891129b8899097c781 (MD5) Previous issue date: 1996 / Resumo: A associação de antígenos de histocompatibilidade com a artrite reumatóide (AR) vem sendo demonstrada em inúmeros estudos. A principal associação em população caucasóide é com o HLA-DR4, contudo, também vem sendo observada com HLA-DRl e outros antígenos. Resultados de vários trabalhos sugerem que, o HLA-DR4 está mais associado com a gravidade do que com suscetibilidade. Com a introdução das técnicas de biologia molecular foi possível determinar que, os subtipos do HLA-DR4, relacionados com AR, são os alelos HLA-DRBl *0401, *0404 e *0405, que estão mais associados à gravidade da doença do que com a suscetibilidade. Em alguns estudos verificou-se, também, que os subtipos do HLA-DRl associados com a doença são os alelos HLA DRBl *0101 e *0102. Os propósitos deste estudo foram os de analisar a freqüência dos antígenos HLA-DR, identificar os alelos específicos do HLA-DRB 1, determinar sua freqüência, correlacionar estes alelos com as manifestações clínicas e laboratoriais e caracterizar aqueles que podem predizer o padrão evolutivo da AR em pacientes caucasóides. Foram avaliados 65 pacientes caucasóides, com AR, diagnosticados pelos critérios. da "American College of Rheumatism" (ACR). Todos foram avaliados clinicamente quanto ao envolvimento articular e extra-articular. O quadro funcional foi analisado usando-se a classificação funcional de Steinbrocker (CFS). Fator reumatóide (FR) e exame radiográfico foram realizados em todos os pacientes. Na determinação dos antígenos de classe I e TI utilizou-se a reação da microlinfocitotoxicidade. O DNA genômico dos pacientes positivos para HLA-DRl e DR4 foi amplificado pela reação da cadeia da polimerase (PCR), e a identificação dos alelos efetuada através da hibridização de sondas de oligonucleotídeos com seqüências específicas (SSO). Nesta casuística, o HLA mais freqüente foi o HLA-DRl (26,2%), quando comparado com o grupo controle (11,5%) (p<0,05). HLA-DR4 ocorreu em 24,6% dos pacientes e em 18% dos controles (p>0,05). Os pacientes com HLA-DRl não mostraram associação com nenhuma das variáveis clínicas e laboratoriais estudadas. Aqueles com DR4 positivo, quando comparados com DR4 negativo, apresentaram maiores títulos de FR, erosão óssea e um pior grau na CFS (p<0,05). Os alelos HLA-DRBI *0401 e *0404 apresentaram associação com um quadro funcional mais incapacitante, FR em altos títulos e erosão óssea, não se evidenciando predomínio significativo de um sobre o outro, com exceção do Fator Reumatóide, que estava em maiores títulos nos pacientes com o alelo *0404. Os alelos HLA-DRBI *0101 e *0102, embora mais freqüentes, não apresentaram associação com as variáveis clínicas e laboratoriais. Os pacientes com HLA-DRBI *0401, *0404 e *0101, que possuem seqüências semelhantes de aminoácidos na região 70-74 (QKRRA - QRRAA), mostraram maior freqüência de erosões. A partir dos dados obtidos, concluímos que os alelos HLA-DRBI *0101 e *0102 estavam relacionados com a suscetibilidade na AR, enquanto que os alelos HLA-DRB 1 *0401 e *0404 estavam associados com doença mais agressiva / Abstract: Several reports have shown that rheumatoid arthritis (RA) is associated with HLA-DR4, however association of RA and HLA-DRI has been found also in caucasian population. Subsets of HLA-DR4 were recognized using molecular biology technics. It has been mentioned that DR4 aneles (HLA-DRB 1 *0401, *0404, *0405) are more associated with severity than susceptibility to the disease. Our goals were to determine the HLA-DR frequency, to identify the specifics alleles of HLA-DRBI, to correlate these aneles with the clinical and laboratorial manifestations and to determine the aneles that can identify patients with more aggressive disease in caucasian with rheumatoid arthritis. Sixty five caucasian patients with RA (ACR's criteria) were analyzed with clinical, serological, radiographic data and functional status according to the Steinbrocker scale. To determine Class I and 11 antigens the microlinfocitotoxicity reaction was employed. Genomic DNA from HLA-DRI and DR4 positive patients was amplified by the polymerase chain reaction (PCR). Dot blotting and hybridization with sequence specific oligonucleotide (SSO) probes were performed. The phenotypic frequency of HLA-DRI in RA patients (26,2%) was significantly greater than controls (11,5%) (p<O,05). HLA-DR4 occurred in 24,6% of the patients and in the 18% of controls (p>0,05). The HLA-DRI positive patients did,'not show ditTerences when compared to HLA-DRI negative. Positive DR4 patients had significantly higher tittles of rheumatoid factor, bone erosions and worst functional status (p<0,05). The alleles HLA-DRB 1 *0401 e *0404 were associated with worst functional status, bone erosions and rheumatoid factor. HLA-DRBI *0101 and *0102 were the most frequent aneles, however not associated with clinical and laboratory characteristics. Those with HLA-DRBI *0101, *0401 e *0404 aneles, who presented de shared epitope (QKRAA - QRRAA) at position 70-74, showed erosion more frequently. We can conclude that the HLA-DRBI *0101 and *0102 aneles are associated with susceptibility to RA while *0401 and *0404 with more aggressive disease / Doutorado / Clinica Medica / Doutor em Medicina
68

Estudo clinico epidemiologico e da função pulmonar de pacientes com doenças difusas do tecido conjuntivo

Almeida, Maria do Socorro Teixeira Moreira, 1951- 27 August 2002 (has links)
Orientador : Manoel Barros Bertolo / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas / Made available in DSpace on 2018-08-02T21:51:03Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Almeida_MariadoSocorroTeixeiraMoreira_M.pdf: 7249511 bytes, checksum: c03df356cf6c0965a82a0ba3d5bc8e72 (MD5) Previous issue date: 2002 / Resumo: A autora realizou um estudo descritivo, estudando dados clinico-epidemiológicos e da função pulmonar de 102 pacientes portadores de Doenças Difusas do Tecido Conjuntivo (DDTC) admitidos no Serviço de Clinica Médica do Hospital Getúlio Vargas, sendo que a doença mais freqüente foi lupus eritematoso sistêmico (53,9%), seguido por artrite reumatóide (34,3%) e esc1erose sistêmica (11,8%), com maior comprometimento ocorrendo no sexo feminino (88,2%) e com média de idade de 36,8 anos. A maioria dos pacientes era procedente do Estado do Piauí (53,0%), era não caucasóide (71,6%), tinha apenas o 1° grau completo (62,0%), a renda média familiar (em salários mínimos) era 1,8 e com média de 5,9 anos de evolução. O sintoma mais referido foi alopecia (53,9%), seguido por outras lesões cutâneas e dispnéia (42,1% cada), vespertilio (21,6%), dor torácica (29,4%) e tosse seca (25,5%). À radiografia simples de tórax o achado mais encontrado foi atelectasia (10,9%) e à tomografia computadorizada de alta resolução, foi fibrose (44,1%). Sessenta e cinco vírgula cinco por cento dos pacientes mostraram padrão restritivo / Abstract: This descriptive study was conducted using clinical-epidemiological as well as pulmonary function data of 102 patients with diffuse diseases of the conjunctive tissues who were attended at the Medical Clinic of the Hospital Getúlio Vargas. The disease most frequently encountred was systemic lupus erythematosus (53,9%), followed by rheumatoid arthritis (34,3%) and systemic sclerosis (11,8%), with the greatest occurrence in females (88,2%) at a mean age of 36.8 years. The majority of patients was from the State of Piauí (53,0%), was non-caucasians (71,6%), had completed only their primary schooling (62,0%), had an average family income of 1.8 minimum salaries and the disease had a mean evolution of 5.9 years. The symptom most frequently referred to was alopecia (53,9%), followed by other cutaneous lesions and dyspnea (42,1% each), butterf1y rash (21,6%), thoracic pain (29,4%) and dry cough (25,5%). The simpIe radiographic study of the thorax revealed atelectasis (10,9%) as the most commom finding while the high resolution computerized tomography revealed fibrosis (14,1%) most frequently. Sixty-eight point five percent of the patients showed restricted standards / Mestrado / Medicina Interna / Mestre em Ciências Médicas
69

Avaliação da associação entre marcadores da artrite reumatóide e sua atividade com a presença de síndrome de Sjögren secundária

Oliveira, Hugo Franklin Lima de 31 January 2011 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T22:59:07Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo6620_1.pdf: 2039878 bytes, checksum: 69b02afca59a7702032716d997bea58c (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2011 / Objetivo: O propósito deste estudo foi avaliar o significado clínico de marcadores de atividade da artrite reumatóide (AR) em pacientes com Síndrome de Sjögren secundária (SSs). Materiais e Métodos: O estudo incluiu 118 pacientes distribuídos em 3 grupos: artrite reumatóide (46), AR com SSs (20) e controles saudáveis (52). Foram comparadas características clínicas e laboratoriais incluindo xerostomia, xeroftalmia, fluxo salivar em repouso (FSR), teste de Schirmer, número de articulações dolorosas e edemaciadas, escore de atividade da doença (DAS28) e dosagem de anti-CCP, Fator Reumatóide (FR), proteína C reativa (PCR), velocidade de hemossedimentação (VHS), além da análise histopatológica de glândulas salivares menores, Resultados: A dosagem anti-CCP foi detectada em 90% (18/20) dos pacientes com SSs à AR, 84,7% (39/46) dos pacientes com AR sem SSs e 1,9% (1/52) pacientes do grupo controle (p=0,181). O FR foi detectado em 75% (15/20) dos pacientes com SSs à AR, 63% (29/46) dos pacientes com AR sem SSs e em nenhum paciente do grupo controle (p=0,235). A média do número de articulações dolorosas em pacientes com SSs à AR foi de 3,53 e nos pacientes com AR sem SSs foi de 7,53 (p=0,054). Conclusões: Não houve diferença estatisticamente significante entre os grupos AR em relação aos exames anti-CCP e FR. O número de articulações dolorosas nos pacientes com AR sem SSs foi maior do que nos pacientes com SSs à AR
70

Cinética plasmática da lipoproteína de baixa densidade e avaliação dos aspectos qualitativos da lipoproteína de alta densidade em indivíduos com artrite reumatóide / Plasma kinetics of an LDL-like non-protein nanoemulsion and transfer of lipids to high-density Lipoprotein (HDL) in patients with rheumatoid arthritis

Fernanda Santos Pozzi 10 February 2012 (has links)
Artrite reumatóide é uma doença auto-imune que apresenta acentuado quadro inflamatório e proliferação celular o que, provavelmente, determina a alta prevalência de doenças cardiovasculares quando comparados a população mundial. A mortalidade e a morbidade conseqüentes das doenças cardiovasculares estão 2 vezes aumentadas em pacientes com artrite reumatóide e um dos principais fatores de risco relacionados ao desenvolvimento da aterosclerose é a dislipidemia. Esse importante fator de risco vem sendo associado à artrite reumatóide e as concentrações plasmáticas de lípides são constantemente avaliadas, já que se encontra bem estabelecido a relação entre dislipidemia e alta incidência de doença cardiovascular. No entanto, o verdadeiro impacto das alterações lipídicas na artrite reumatóide não é bem conhecido, já que os resultados de perfil lipídico são contraditórios. Alterações nas concentrações plasmáticas de lípides não necessariamente acompanham distúrbios no metabolismo das lipoproteínas plasmáticas. O objetivo do presente estudo foi avaliar aspectos do metabolismo da LDL e da HDL, em pacientes com artrite reumatóide. Nesse sentido, foi avaliada a cinética plasmática de uma nanoemulsão lipídica artificial com comportamento metabólico semelhante ao da LDL em 30 pacientes com artrite reumatóide divididos em 2 grupos de acordo com a atividade da doença, alta atividade (n=14) e remissão (n=16) e 30 indivíduos controle. A nanoemulsão marcada com éster de colesterol 14EC (EC-14C) e colesterol livre 3H (CL-3H) foi injetada endovenosamente após 12 horas de jejum. As amostras de sangue foram coletadas em tempos pré-determinados (5 min, 1, 2, 4, 6, 8 e 24 horas) após a injeção, para determinação das curvas de decaimento plasmático e da taxa fracional de remoção (TFR) dos lípides marcados, por análise compartimental. As TFR-EC-14C e TFR-CL-3H foram maiores no grupo AR quando comparado ao grupo controle (49%, p<0,05 e 44%, p<0,05, respectivamente), não havendo diferença entre os subgrupos de artrite reumatóide. No grupo artrite reumatóide e em seus subgrupos, as concentrações de HDL-C e apo E foram maiores quando comparados ao grupo controle (33%, p<0,0001 e 20%, p<0,01, respectivamente), enquanto os níveis de apo B foram menores na artrite reumatóide quando comparados ao grupo controle (16%, p<0,05). A transferência de colesterol esterificado radioativo da nanoemulsão para a HDL foi menor na artrite reumatóide, comparando-se com o grupo controle. A transferência dos outros lípides foi similar nos dois grupos. A HDL dos pacientes com artrite reumatóide foi menor do que a dos controles. Esses resultados podem contribuir com a melhor compreensão de possíveis mecanismos relacionados a uma maior incidência de doenças cardiovasculares em pacientes com artrite reumatóide / Mortality and morbidity, as a consequence of cardiovascular diseases, is twice as high in patients with rheumatoid arthritis than in the general worldwide population. This autoimmune disease has predominant inflammatory and cell proliferation background probably explains the high prevalence of cardiovascular disease. Dyslipidemias are important risk factors for cardiovascular disease. This study investigated the link between RA and plasma lipids as a predisposition to this high cardiovascular disease incidence. However, the impact of lipids on cardiovascular risk in rheumatoid arthritis is unclear. So much so, that lipid profiles in patients with rheumatoid arthritis in published studies is contradictory. The events of intravascular lipoprotein metabolism do not necessarily produce altered levels of plasma lipids. In an attempt to unravel novel dysfunctional mechanisms that could trigger pro-atherogenic processes beyond the concentration of the plasma lipids, plasma clearance of a lipidic nanoemulsion that resembles the LDL metabolic behavior were investigated in rheumatoid arthritis patients and compared to control subjects without the disease. 30 patients with rheumatoid arthritis divided into 2 groups according to disease activity, high activity (n=14) and remission (n=16), and 30 controls were studied. A nanoemulsion labeled with 14C-cholesteryl esther (14C-CE) and 3H-free cholesterol (3H-FC) were endovenously injected after which blood samples were collected at pre-determined periods (5 min, 1, 2, 4, 6, 8 and 24 hours), in order to determine the radioactivity of the plasma decay curves and calculate the fractional clearance rate (FCR) of the labeled lipids for compartmental analysis. In the rheumatoid arthritis group and subgroups the HDL-C and apo E concentration were higher when compared to control group (33%, p<0,0001 e 20%, p<0,01, respectively) while apo B concentration was lower (16%, p<0,05). The 14-CE-FCR and 3H-FC-FCR were greater in rheumatoid arthritis group and subgroups when compared to controls (49%, p<0,05 e 44%, p<0,05, respectively). There were no differences between the rheumatoid arthritis subgroups. Therefore, rheumatoid arthritis accelerates the LDL plasma removal, as indicated by a higher 14-CE-FCR and 3H-FC-FCR. The transfer of other lipids was also similar in both groups. The HDL of the rheumatoid arthritis patients was lower than that of the control group. These results could clarify possible mechanisms that can be related to a higher cardiovascular incidence in patients with rheumatoid arthritis

Page generated in 0.0795 seconds