• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 35
  • 1
  • Tagged with
  • 37
  • 17
  • 12
  • 10
  • 9
  • 7
  • 6
  • 6
  • 6
  • 6
  • 6
  • 6
  • 6
  • 5
  • 4
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

OCORRÊNCIA E SUSCETIBILIDADE in vitro A TERBINAFINA, CICLOPIROX, CETOCONAZOL E ITRACONAZOL, COM ÊNFASE NA COMBINAÇÃO ENTRE AS DROGAS ANTIFÚNGICAS DE AGENTES DE ONICOMICOSE NO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO.

HOFFMANN, A. 10 August 2011 (has links)
Made available in DSpace on 2016-08-29T15:34:49Z (GMT). No. of bitstreams: 1 tese_5034_.pdf: 1434573 bytes, checksum: 541d145b0de0cddf3c504221c143b8ee (MD5) Previous issue date: 2011-08-10 / As onicomicoses, infecções fúngicas de unhas, são causadas por fungos filamentosos dermatófitos e não-dermatófitos e leveduras e representam as micoses superficiais mais difíceis de serem diagnosticadas e tratadas. O tratamento é através do uso tópico e/ou oral com drogas antifúngicas e pode ainda envolver a remoção da unha,.. O uso de agentes tópicos concomitante à terapia sistêmica leva à melhores resultados clínicos e micológicos. A eficácia da associação medicamentosa pode estar associada à ação complementar entre as drogas, envolvendo diferentes níveis de penetração ungueal e, dependendo dos antifúngicos, de diferentes alvos de ação na célula fúngica. O objetivo do presente estudo consistiu em estabelecer a ocorrência de fungos filamentosos na etiologia das onicomicoses e a suscetibilidade in vitro destes às drogas terbinafina, ciclopirox olamina, cetoconazol e itraconazol, conforme o documento M38-A2 (2002) do CLSI. Foi tambem avaliada a combinação entre estas drogas antifúngicas através do cálculo do índice fracionário de concentração inibitória (IFCI). Nossos resultados demonstraram que prevalência das onicomicoses, no período de janeiro de 2009 a abril de 2011, foi de 50% dentre as dermatomicoses. A maioria dos isolados (77%) foi obtido de pacientes do sexo feminino e o local de maior acometimento foram as unhas dos pés para ambos os sexos. As unhas das mãos foram mais acometidas por leveduras e as unhas dos pés, por fungos filamentosos. Em geral, os gêneros de fungos filamentosos mais predominantes na etiologia das onicomicoses foram Trichophyton spp (21,7%), Fusarium spp. (11,2%) e Scytalidium spp.(8,4%). Para fungos filamentosos, os testes de suscetibilidade in vitro mostraram que isolados de dermatófitos foram mais sensíveis que isolados do grupo não-dermatófitos. Entre os não-dermatófitos, Fusarium spp. foi menos inibido que Scytalidium spp., que por sua vez, foi menos inibido que o dermatófito Trichophyton spp. Dentre as combinações testadas não houve nenhum efeito antagônico e,, com exceção daquela entre itraconazol e cetoconazol, as demais apresentaram efeito sinérgico sobre algum isolado. A combinação entre drogas apresentou maiores índices de sinergismo para o gênero Scytalidium spp. O melhor resultado para este gênero foi tambem obtido pela combinação itraconazol e terbinafina. Palavras-chave: onicomicoses, dermatófitos, não-dermatófitos, teste de suscetibilidade, combinação de drogas.
2

Detecção e caracterização parcial de queratinases obtidas de dermatófitos estocados na coleção de culturas Micoteca URM

SANTANA, Walkyria Almeida January 2006 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T15:54:30Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo6491_1.pdf: 275857 bytes, checksum: 11202234a898c95248b39df4d5ac3e07 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2006 / Queratinases são enzimas que catalisam hidrólise de proteínas, possuindo grande especificidade por queratina. Essas enzimas são produzidas por um grande número de microrganismos, dentre eles, os fungos dermatófitos são os de maior importância. O potencial de aplicação biotecnológica das queratinases é amplo, podendo estas atuarem na medicina e em diversos setores industriais, como também em processos de biorremediação. Este trabalho teve como objetivo estudar amostras de dermatófitos quanto à produção de queratinase e dentre elas, eleger a melhor produtora para caracterização parcial desta enzima. A determinação qualitativa da atividade queratinolítica foi avaliada em meio sólido contendo como única fonte de carbono e nitrogênio a queratina, onde as amostras Microsporum canis 4962 e Trichophyton mentagrophytes 4156 demonstraram maior atividade queratinolítica dentro de cada gênero. Para determinação quantitativa da atividade queratinolítica, foi realizado a produção da enzima em cultivo submerso, onde o meio liquido contendo sais e queratina de penas foi utilizado. O cultivo foi realizado durante 25 dias, a 28 C em agitador orbital (120rpm), onde avaliou-se a concentração protéica, atividade proteásica, variação do pH e peso seco. O extrato bruto da amostra melhor produtora (Microsporum canis 4962) foi utilizado para caracterização parcial da enzima. A queratinase da amostra Microsporum canis 4962 apresentou uma temperatura ótima a 80ºC e uma termoestabilidade a altas temperaturas (70-90ºC) retendo cerca de 42% de sua atividade nesta faixa de temperatura. A maior atividade foi obtida no pH 9,0 apresentando cerca de 60 % de atividade na faixa alcalina de pH. Os dados obtidos do efeito dos inibidores de proteases mostraram que a queratinase em estudo trata-se de uma serino protease
3

Detecção da atividade antifúngica de extratos de plantas do manguezal de Vila Velha, Itamaracá - PE

SILVA, Michelle Rose de Oliveira January 2004 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T15:04:59Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo4514_1.pdf: 661182 bytes, checksum: 022b50f4e5cd794c4ef3cf92b67504aa (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2004 / O uso de extratos de plantas com propriedades antimicrobianas tem grande significado no tratamento terapêutico. No Brasil, somente 5% das espécies de plantas foram estudadas fitoquimicamente e uma porcentagem ainda menor foi avaliada sob aspectos biológicos. Este trabalho avaliou a atividade antifúngica das folhas e cascas de Avicennia sp., Conocarpus erectus, Laguncularia racemosa e Rhizophora mangle coletadas no estuário do rio Paripe (Vila Velha, Itamaracá, PE), frente a dermatófitos e leveduras. Após a secagem, o material coletado foi reduzido a pó e submetido a extrações sucessivas com metanol. A abordagem fitoquímica foi realizada para detectar os principais grupos químicos presentes nessas plantas. Para determinação da atividade antifúngica dos extratos foram realizados o método de difusão em disco e a determinação da concentração mínima inibitória pelo método de microdiluição e macrodiluição. Os microrganismos utilizados foram às leveduras Candida albicans, C. parakrusei, C. tropicalis, C. glabrata, C. parapsilosis, Trichosporon beigelii e T. pullulans e os dermatófitos Epidermophyton floccosum, Microsporum gypseum, Trichophyton mentagrophytes e T. rubrum. A abordagem fitoquímica revelou a presença de flavonóides, terpenos e esteróides e taninos nessas plantas. Os taninos representam o principal grupo existente nas plantas testadas e a casca da amostra 1 de Avicennia apresentou terpenos e esteróides com grande intensidade. No teste de atividade pelo método de difusão em disco foram ativos, para as leveduras, os extratos da casca da amostra 1 de Avicennia, da casca de C. erectus, da folha de L. racemosa e da folha e casca de R. mangle e, os dermatófitos, foram sensíveis a todos os extratos, com exceção da amostra 2 de Avicennia. Para o teste de difusão em disco C. albicans foi à espécie mais resistente enquanto T. pullulans foi mais sensível, seguido por C. parakrusei, C. glabrata e C. parapsilosis e para os dermatófitos E. floccosum foi o microrganismo mais sensível, seguido por T. rubrum, T. mentagrophytes e M. gypseum. Na determinação da concentração mínima inibitória das espécies de leveduras T. beigelii, T. pullulans, C. parakrusei e C. parapsilosis foram as mais sensíveis, com CMI de 15,625 mg/mL. Para os fungos dermatofíticos, E. floccosum foi o mais sensível, apresentando CMI de 15,625 mg/mL, enquanto M. gypseum foi o mais resistente com CMI de 1000 mg/mL. O presente trabalho indica que as espécies estudadas, em especial a casca da amostra 1 de Avicennia, possuem relevante potencial antifúngico e estudos posteriores devem ser conduzidos para isolar os compostos ativos
4

Detecção e caracterização parcial de colagenases obtidas de dermatófitos esticados na coleção de culturas Micoteca URM

de Lima Ferreira Junior, Djair January 2006 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T15:54:23Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo6479_1.pdf: 326813 bytes, checksum: 6a19f07bcd3d7b7fc5a6b89d4f86cc73 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2006 / O grupo de fungos dermatófitos, em seus principais gêneros, tem sido citado na literatura como produtor de várias enzimas proteolíticas, dentre elas a colagenase tem sido isolada desde 1967. Neste trabalho, trinta amostras de dermatófitos foram testadas quanto à capacidade de degradar gelatina em meio sólido. Para esta seleção em meio sólido foram testadas espécies de Trichophyton tonsurans, Trichophyton mentagrophytes, Trichophyton rubrum, Epidermophyton floccosum, Microsporum canis e Microsporum gypseum, das quais foram escolhidas aquelas que apresentaram maiores diâmetros de colônia, para realizar-se a produção enzimática em cultivo liquido submerso, onde foram determinados a biomassa, pH, atividade proteásica, colagenolítica e conteúdo protéico. A maior atividade proteásica e colagenolítica foi obtida no quinto dia de cultivo na fase exponencial de crescimento, onde o pH do meio de cultura atingiu a faixa alcalina.O extrato bruto da enzima do maior produtor tanto de protease como de colagenase, o Microsporum gypseum, foi caracterizado quanto ao efeito do pH e da temperatura na atividade e estabilidade na enzima, bem como avaliado o efeito de inibidores. O pH ótimo da enzima deste microrganismo foi pH igual a 9,0 e a temperatura ótima foi a 70º C. A enzima apresentou-se estável à temperatura de até 80º C, retendo cerca de 32% de sua atividade durante 90 minutos de incubação. Quanto à estabilidade da colagenase ao pH, esta apresentou uma atividade residual de 116% no pH 9,0 durante o período do ensaio (90 min). A enzima sofreu inibição pelo ácido etilenodiaminotetracético (EDTA), confirmando a inclusão desta enzima no grupo das metaloproteases
5

Prospecção química e avaliação de atividade biológica de Pothomorphe Umbellata frente a algumas linhagens de dermatófitos /

Rodrigues, Edvânio Ramos. January 2012 (has links)
Orientador: Rosemeire Cristina Linhari Rodrigues Pietro / Coorientador: Ana Marisa Fusco Almeida / Banca: Lourdes Campaner dos Santos / Banca: Taís Maria Bauab / Banca: Suraia Said / Banca: Ana Helena Januário / Resumo: Dermatófitossão um grupo especial de fungos que afetam tecidos queratinizados de humanos e outros vertebrados causando infecções superficiais. O crescimento na incidência dessas infecções tem gerado problemas na terapêutica. A disponibilidade de antifúngicos na prática médica é relativamente pequena, algumas vezes ineficiente e a maioria deles apresenta certa toxicidade. Além do crescimento das infecções fúngicas o problema da resistência microbiana também sofreu um aumento acentuado. Plantas medicinais têm sido usadas por vários propósitos incluindo efeitos antimicrobianos e podem apresentar inibição do crescimento de fungos. Pothomorphe umbellata (L.) Miq., planta própria da flora Brasileira,conhecida popularmente como pariparoba ou caapeba, apresenta entre seus constituintes, sitosterol, estigmasterol. 4-nerolidilcatecol (4-NC) e sesquiterpenos. Neste trabalho estudamos a ação antifúngica dos extratos e óleos essenciais de P. umbellata além de alterações ocorridas no fungo relacionadas à ação do extrato vegetal, frente a linhagens de Trichophyton rubrum (Tr1 e Tr FOC), Trichophyton mentagrophytes e Microsporum canis. Os resultados demonstraram boa ação para a fração hexano (FHex) do extrato etanólico com CIM de 9,76 μg/mL e do 4-nerolidilcatecol com CIM de 31,25 μg/mL frente à linhagem Tr1. O teste de citotoxicidade in vitro demonstrou um IC50 de40,05 μg/mL para a fração hexano e <15,625 μg/mL para o 4-NC frente a linhagem de macrófagos J774. A dosagem do ergosterol fúngico demonstrou diminuição da porcentagem frente a fração FHex para as linhagens Tr1 e Mc, demonstrando um possível mecanismo de... (Resumo completo, clicar acesso eletrônico abaixo) / Abstract: Dermatophytesare a special group of fungi that affect keratinized tissues of humans and other vertebrates causing superficial infections. Growth in the incidence of these infections has generated problems in therapy. The availability of antifungal agents in clinical practice is relatively small, sometimes inefficient and most of them have some toxicity. Besides the growth of fungal infections, the problem of microbial resistance has also shown a significant increase. Medicinal plants have been used for several purposes including antimicrobial effects and have shown inhibition of fungal growth. Pothomorphe umbellata (L.) Miq., Brazilian flora plant, known popularly as pariparoba, or caapeba, has among its constituents, sitosterol, stigmasterol, 4- nerolidylcathecol (4-NC) and sesquiterpenes, This work studied the antifungal effect of extracts and essential oils of P. umbellata well as changes in the fungus-related action of plant extract, compared to strains of Trichophyton rubrum (Tr1and Tr FOC), Trichophyton mentagrophytes and Microsporum canis.The results demonstrated the good action for thehexane fraction(FHex)of ethanolic extract of P. umbellata, with an MIC of 9.76 ug/mL and 31.25 ug/mL for 4-NC against Tr1 strain. The in vitro cytotoxicity test showed an IC50 of 40.05 ug/mL for the hexane fraction and <15.625 ug/mL for 4-NC to the strain of macrophages J774. The determination of fungal ergosterol showed a percentage decrease compared to the fraction FHex for Tr1 and Mc strains, demonstrating a possible mechanism of action on lipids. By polyacrylamide gel electrophoresis in SDS-PAGE was demonstrated differences in the profile protein in Tr1 and Mc strains when treated with FHex in comparison with... (Complete abstract click electronic access below) / Doutor
6

Estandarización de la prueba de susceptibilidad antifúngica in vitro en cepas nativas de dermatofitos por el método de microdilución

Aguedo Ariza, Juvissan Medalith January 2012 (has links)
Establece una prueba de susceptibilidad antifúngica in vitro para cepas nativas de dermatofitos por el método de microdilución, siguiendo las recomendaciones del Clinical and Laboratory Standards Institute (CLSI) y con algunas modificaciones. Para lograr el óptimo crecimiento y desarrollo de los hongos dermatofitos se probaron 3 tipos de medios de cultivo, Agar Dextrosa Sabouraud 4% (SAB), Agar Papa Dextrosa (PDA) y Agar Oatmeal incubados a Temperatura ambiente (17 - 22 ºC) y a 28 ºC. Se observó que todas las cepas crecieron mejor en el medio SAB a 28°C con un tiempo de incubación de 7 días. Para la prueba de susceptibilidad antifúngica, se utilizó un inóculo de 0.2 - 5 x 104 UFC/mL; una temperatura de incubación de 35 ºC y un tiempo de incubación de 7 días. Para establecer la lectura de susceptibilidad o resistencia de las cepas, se utilizó la concentración minima inhibitoria al 80% (CMI 80). Se determinó el perfil de sensibilidad in vitro de las seis cepas de dermatofitos tales como, E.floccosum; M.canis; M.gypseum; T.rubrum, T.mentagrophytes y T.tonsurans frente a tres antifúngicos Fluconazol, Itraconazol y Terbinafina. Los valores obtenidos de CMI 80 mediante la técnica de microdilución en caldo oscilaron entre 0.25 μg/mL a 64 μg/mL para Fluconazol, varió de 0.002 a 0.063 μg/mL para Itraconazol y entre 0.002 a 0.032 μg/mL para Terbinafina. De todas los antifúngicos utilizados, la Terbinafina fue la droga con mayor actividad in vitro seguida de Itraconazol y finalmente Fluconazol. / Tesis
7

Tratamento da Tinea Unguium dos pododáctilos com terbinafina oral administrada de forma intermitente associada à onicoabrasão / Intermittent therapy with terbinafina and nail abrasion for dermatophyte toe-onychomycosis

Isabella Brasil Succi 07 May 2012 (has links)
A onicomicose é responsável por mais da metade das alterações ungueais, com prevalência em torno de 2-8%. As unhas dos pés são as mais afetadas, devido, principalmente a fungos dermatófitos (tinea unguium). A terbinafina é o único antimicótico fungicida oral e o mais potente agente contra dermatófitos in vitro. Entretanto, existem poucos estudos controlados, randomizados usando a terbinafina não-continua. Nosso objetivo foi comparar a efetividade e a segurança do tratamento da tinea unguium dos pododáctilos utilizando terbinafina oral em dois esquemas posológicos intermitentes diferentes, associado à onicoabrasão. Foram selecionados 41 pacientes com diagnóstico de onicomicose por dermatófitos, divididos em dois grupos (20 e 21 pacientes em cada), recebendo um dos seguintes tratamentos, além da onicoabrasão: Grupo I: Terbinafina oral 250mg/dia, 7 dias a cada mês; Grupo II: Terbinafina oral 500mg/dia, 7 dias a cada dois meses. Ambos os grupos tiveram duração de seis meses. Os parâmetros de avaliação da efetividade foram clínico e micológico ao término do tratamento, após seis meses e após um ano. Foram utilizados os critérios de cura total, cura parcial, melhora clínica, falha terapêutica e recidiva. Trinta e seis pacientes completaram o estudo. Não houve diferença estatística entre os grupos nos diversos parâmetros utilizados para avaliação da resposta terapêutica. A avaliação do resultado terapêutico mostra que ao final de 18 meses de acompanhamento, oito pacientes (44,4%) de cada grupo alcançaram a cura total, e que 5 (27,8%) pacientes do grupo I e 4 (22,2%) do grupo II apresentaram cura parcial. Apenas um paciente de cada grupo permaneceu com a lesão clínica inalterada durante todo o estudo. A presença dos fungos na lâmina ungueal foi sendo reduzida com o passar do estudo, ao final deste, todos os pacientes de ambos os grupos apresentaram a cultura negativa para dermatófitos. Embora o número de pacientes do estudo fosse pequeno, não houve diferença estatisticamente significativa entre os resultados de cada grupo considerando-se os parâmetros clínicos e micológicos analisados. Ambas as posologias foram consideradas seguras, sem efeitos colaterais graves, nem alterações significativas nos exames laboratoriais. Foram alcançadas taxas de cura (total e parcial) significativas nos Grupos I e II (66,6% e 72,2%, respectivamente, aos 18 meses). A cura total (disease free nail) foi obtida em 8 pacientes (44,4%) de cada grupo. O uso intermitente da terbinafina associado à onicoabrasão foi uma alternativa estatisticamente efetiva, segura e de melhor custo-benefício para o tratamento da tinea unguium dos pododáctilos, independente da posologia. / Onychomycosis constitutes up to 50% of all nail disorders and its prevalence ranges between 2-8%. The toenails are frequently affected, mostly due to dermatophytes (tinea unguium). Terbinafine is the only systemic fungicidal agent and the most potent antifungal agent in vitro against dermatophytes. However there are few randomized controlled trials using a non-continuous dose of terbinafine. The aim of this study was to compare the safety and effectiveness of two different intermittent regimens with terbinafine and nail abrasion to treat dermatophyte toenail onychomycosis. We selected 41 patients diagnosed with onychomycosis caused by dermatophytes, divided them in two groups, each receiving one of the following treatments, besides mechanical nail abrasion: Group I: oral terbinafine 250mg/day, 7 days, montly; Group II: oral terbinafine 500mg/day, 7 days, every two months. Both groups were treated for six months. The parameters used to evaluate the efficacy were clinical and mycological at the end of the treatment, six months and one year after termination. We used the following criteria: total cure, partial cure, clinical improvement, treatment failure and recurrence. Thirty-six patients completed the study. There was no statistical difference between groups in the various parameters used to evaluate therapeutic response. The evaluation of the therapeutic result reveals that after 18 months, eight patients (44.4%) of each group met the criteria for total cure, and five (27.8%) patients of group I and four (22.2%) of group II displayed partial healing. Only one patient of each group ended without any clinical improvement during the whole study. The presence of fungi in the nail plate was reducing progresively during the visits, and at the end of the study, all patients staged negative culture for dermatophytes. Despite the small number of patients of our study, there was no statistical difference between the outcomes (clinical and mycological) of each group. Both intermittent regimens were safe, without serious adverse effects, or abnormal findings in the laboratory tests performed. Significant cure rates were achieved (total and partial) in group I and II (66.6% and 72.2%, respectively, in 18 months). Eight patients (44.4%) of each group achieved the total cure (disease-free nail). The intermittent regimen of terbinafine with nail abrasion was an efficient, safe and low-cost treatment for dermatophyte toenail onychomycosis, indifferent to the regimen used.
8

Tratamento da Tinea Unguium dos pododáctilos com terbinafina oral administrada de forma intermitente associada à onicoabrasão / Intermittent therapy with terbinafina and nail abrasion for dermatophyte toe-onychomycosis

Isabella Brasil Succi 07 May 2012 (has links)
A onicomicose é responsável por mais da metade das alterações ungueais, com prevalência em torno de 2-8%. As unhas dos pés são as mais afetadas, devido, principalmente a fungos dermatófitos (tinea unguium). A terbinafina é o único antimicótico fungicida oral e o mais potente agente contra dermatófitos in vitro. Entretanto, existem poucos estudos controlados, randomizados usando a terbinafina não-continua. Nosso objetivo foi comparar a efetividade e a segurança do tratamento da tinea unguium dos pododáctilos utilizando terbinafina oral em dois esquemas posológicos intermitentes diferentes, associado à onicoabrasão. Foram selecionados 41 pacientes com diagnóstico de onicomicose por dermatófitos, divididos em dois grupos (20 e 21 pacientes em cada), recebendo um dos seguintes tratamentos, além da onicoabrasão: Grupo I: Terbinafina oral 250mg/dia, 7 dias a cada mês; Grupo II: Terbinafina oral 500mg/dia, 7 dias a cada dois meses. Ambos os grupos tiveram duração de seis meses. Os parâmetros de avaliação da efetividade foram clínico e micológico ao término do tratamento, após seis meses e após um ano. Foram utilizados os critérios de cura total, cura parcial, melhora clínica, falha terapêutica e recidiva. Trinta e seis pacientes completaram o estudo. Não houve diferença estatística entre os grupos nos diversos parâmetros utilizados para avaliação da resposta terapêutica. A avaliação do resultado terapêutico mostra que ao final de 18 meses de acompanhamento, oito pacientes (44,4%) de cada grupo alcançaram a cura total, e que 5 (27,8%) pacientes do grupo I e 4 (22,2%) do grupo II apresentaram cura parcial. Apenas um paciente de cada grupo permaneceu com a lesão clínica inalterada durante todo o estudo. A presença dos fungos na lâmina ungueal foi sendo reduzida com o passar do estudo, ao final deste, todos os pacientes de ambos os grupos apresentaram a cultura negativa para dermatófitos. Embora o número de pacientes do estudo fosse pequeno, não houve diferença estatisticamente significativa entre os resultados de cada grupo considerando-se os parâmetros clínicos e micológicos analisados. Ambas as posologias foram consideradas seguras, sem efeitos colaterais graves, nem alterações significativas nos exames laboratoriais. Foram alcançadas taxas de cura (total e parcial) significativas nos Grupos I e II (66,6% e 72,2%, respectivamente, aos 18 meses). A cura total (disease free nail) foi obtida em 8 pacientes (44,4%) de cada grupo. O uso intermitente da terbinafina associado à onicoabrasão foi uma alternativa estatisticamente efetiva, segura e de melhor custo-benefício para o tratamento da tinea unguium dos pododáctilos, independente da posologia. / Onychomycosis constitutes up to 50% of all nail disorders and its prevalence ranges between 2-8%. The toenails are frequently affected, mostly due to dermatophytes (tinea unguium). Terbinafine is the only systemic fungicidal agent and the most potent antifungal agent in vitro against dermatophytes. However there are few randomized controlled trials using a non-continuous dose of terbinafine. The aim of this study was to compare the safety and effectiveness of two different intermittent regimens with terbinafine and nail abrasion to treat dermatophyte toenail onychomycosis. We selected 41 patients diagnosed with onychomycosis caused by dermatophytes, divided them in two groups, each receiving one of the following treatments, besides mechanical nail abrasion: Group I: oral terbinafine 250mg/day, 7 days, montly; Group II: oral terbinafine 500mg/day, 7 days, every two months. Both groups were treated for six months. The parameters used to evaluate the efficacy were clinical and mycological at the end of the treatment, six months and one year after termination. We used the following criteria: total cure, partial cure, clinical improvement, treatment failure and recurrence. Thirty-six patients completed the study. There was no statistical difference between groups in the various parameters used to evaluate therapeutic response. The evaluation of the therapeutic result reveals that after 18 months, eight patients (44.4%) of each group met the criteria for total cure, and five (27.8%) patients of group I and four (22.2%) of group II displayed partial healing. Only one patient of each group ended without any clinical improvement during the whole study. The presence of fungi in the nail plate was reducing progresively during the visits, and at the end of the study, all patients staged negative culture for dermatophytes. Despite the small number of patients of our study, there was no statistical difference between the outcomes (clinical and mycological) of each group. Both intermittent regimens were safe, without serious adverse effects, or abnormal findings in the laboratory tests performed. Significant cure rates were achieved (total and partial) in group I and II (66.6% and 72.2%, respectively, in 18 months). Eight patients (44.4%) of each group achieved the total cure (disease-free nail). The intermittent regimen of terbinafine with nail abrasion was an efficient, safe and low-cost treatment for dermatophyte toenail onychomycosis, indifferent to the regimen used.
9

Perfil enzimático de dermatófitos e avaliação da atividade antifúngica de própolis e lectinas

SIQUEIRA, Ana Beatriz Sotero 31 January 2008 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T15:49:23Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo1524_1.pdf: 917228 bytes, checksum: 485080dae32edde2c05c00af5440c1ec (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2008 / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior / Dermatófitos são fungos filamentosos capazes de infectar pele, pêlos e unhas. São classificados nos gêneros Microsporum, Trichophyton e Epidermophyton. Com o objetivo de analisar o perfil enzimático desses fungos e avaliar atividade antifúngica de própolis brasileiras (verde e vermelha), como também de lectinas de sementes de leguminosas do Brasil (DViol, DRL, ConBr e LSL), foram utilizadas trinta amostras de seis espécies de dermatófitos preservadas na Coleção de Culturas Micoteca - University of Recife Mycolgy (URM), do Departamento de Micologia, da Universidade Federal de Pernambuco, sendo cinco amostras de cada espécie: Microsporum canis, Microsporum gypseum, Trichophyton tonsurans, Trichophyton mentagrophytes, Trichophyton rubrum e Epidermophyton floccosum. Todas as amostras, preservadas ente 2 e 22 anos, foram confirmadas taxonomicamente. Foi verificado que o período de estocagem não interferiu na capacidade crescimento e esporulação dos dermatófitos (p-valor < 0.01) e que a estocagem induz ao pleomorfismo de M. canis, independente do período. Atividade de proteases foi verificada em 57% das amostras. Todas foram capazes de crescer em meio de ágar-queratina e ágar-gelatina, indicando atividade de queratinases e colagenases, respectivamente. Em nenhuma amostra foi constatada atividade de fosfolipases mas em 90% foi observada atividade lipásica. O período de estocagem não interferiu na atividade de proteases, queratinases, colagenases, fospolipases e lipases. Para verificação da atividade antifúngica foi utilizado o método publicado no documento M38-A pelo Clinical and Laboratory Standards Institute , utilizando como controle o itraconazol e a terbinafina. A concentração inibitória mínima foi determinada por leitura visual e por leitor de microplacas. A concentração fungicida mínima foi determinada pela ausência do crescimento fúngico em meio de cultura Sabouraud líquido. O extrato alcoólico da própolis verde apresentou atividade fungistática entre 8 e 1024&#956;g/mL e o da própolis vermelha entre 8 e 512&#956;g/mL, variando para cada espécie de dermatófito analisada. O extrato aquoso da própolis verde e as soluções de lectinas não apresentaram atividade antifúngica. Foi constatado que as lectinas utilizadas apresentaram discreto efeito estimulador sobre o crescimento dos dermatófitos em cultivo, e que a lectina DViol também estimulou a esporulação das amostras de E. floccosum. Dessa forma, foi demonstrado que não houve interferência para expressão enzimática desses dermatófitos preservados na Coleção de Cultura Micoteca - URM. Foi verificado também que o potencial antifúngico dos extratos alcoólicos das própolis verde e vermelha para essas espécies, sugerem aplicações futuras como tratamento alternativo para dermatofitoses
10

Onicomicoses: Perfil de fungos não dermatófitos em pacientes ambulatoriais da Fundação Alfredo da Matta - Manaus/Amazonas

Aquino, Sandra Regina Sales de Menezes, (92)99500-2323 29 September 2004 (has links)
Submitted by Thais Lopes (th.lopes1598@gmail.com) on 2018-11-05T14:26:39Z No. of bitstreams: 1 Dissertação Sandra Aquino.pdf: 1804430 bytes, checksum: 3631232575fab64b76167abb06c64434 (MD5) / Approved for entry into archive by Marcos Roberto Gomes (mrobertosg@gmail.com) on 2018-11-05T17:57:03Z (GMT) No. of bitstreams: 1 Dissertação Sandra Aquino.pdf: 1804430 bytes, checksum: 3631232575fab64b76167abb06c64434 (MD5) / Approved for entry into archive by Divisão de Documentação/BC Biblioteca Central (ddbc@ufam.edu.br) on 2018-11-05T19:00:39Z (GMT) No. of bitstreams: 1 Dissertação Sandra Aquino.pdf: 1804430 bytes, checksum: 3631232575fab64b76167abb06c64434 (MD5) / Made available in DSpace on 2018-11-05T19:00:39Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Dissertação Sandra Aquino.pdf: 1804430 bytes, checksum: 3631232575fab64b76167abb06c64434 (MD5) Previous issue date: 2004-09-29 / The role of non-dermatophyte fungi, as it is controversial in the pathogenesis of onychomycosis, requires careful laboratory examination. Both filamentous fungi and yeasts can mimic the dermatophytoses. In this context, this research aimed to observe the mycological profile of nondermatophytic fungi on the etiology of onychomycosis in patients from the Amazon Region and to relate the etiological agents to the types of lesions and the probable predisposing factors. We examined 25 volunteers of both genders presenting 61 nails with lesions suggestive of onychomycosis. The collected clinical material was submitted to clarification with 40% Potassium Hydroxide solution. For the isolation of fungi, part of the clinical material was seeded on Sabouraud agar with chloramphenicol (100 mg / L) and Sabouraud agar plus chloramphenicol (100 mg / L) and 1% olive oil, both cultures were incubated at 25 ° C e 37ºC, respectively. The growth of the microorganisms was observed, every 24 hours, for 30 days. From the 25 patients examined, in 20 the parasitism by filamentous fungi and / or yeasts was confirmed. From the 61 ungual samples, in 72% (44) onychomycoses were diagnosed. According to the results obtained, the onychomycosis patients, 65% female and 35% male, had an age range of 31-50 years old (50%). Among these, there were patients with only hands fingernails (50%), only 25% of the toenails. In the others, 25% had both toenails and hands nails. The professional activity with the largest number of patients was housekeeper (25%), in which the nails of the hands (19%) were more affected. Concerning nails, the halluxes (40.91%) were the most affected. Distal-lateral subungual onychomycosis (OSDL) was observed in 66% of cases, mainly affecting the toenails (43%). The contact with moisture was the most important risk factor reported by patients who had hand nail injuries (45%). The prevalence of non-dermatophytic fungi (90.9%) was observed, among which yeasts were the most frequent (52.7%). Mixed infections (18%) by non-dermatophytic fungi affected 18% of the nails. Among the 53 isolates, 98% of the Deuteromycota phylum and 2% of the Ascomycota phylum were observed. Candida albicans was the predominant species (30%). Among non-dermatophyte filamentous fungi, Aspergillus candidus (4%) and A. niger (4%) were the most frequent. In 8% of cases, Trichophyton tonsurans were diagnosed. Candida albicans was predominant in single agent onychomycosis (28%) affecting mainly female toenails (9%) and male hand nails (9%) occurred more frequently in patients from 31 to 40 years old (12 %), With subungual distal-lateral onychomycosis (16%) being the most common clinical form. It is suggested, with the results of this research, on the etiology of onychomycosis, that non-dermatophyte fungi - both yeasts and filaments - cannot be excluded only by clinical examination, alerting to the importance of laboratory examination and, thus, increasing the chance of success. / O papel dos fungos não dermatófitos por ser controverso na patogenia das onicomicoses há a necessidade de proceder exame laboratorial criterioso. Tanto os fungos filamentosos quanto as leveduras podem mimetizar as dermatofitoses. Nesse contexto, esta pesquisa teve como objetivo observar o perfil micológico dos fungos não dermatófitos na etiologia das onicomicoses em pacientes oriundos da Região Amazônica e relacionar os agentes etiológicos com os tipos de lesões e os prováveis fatores predisponentes. Foram examinados 25 voluntários de ambos os sexos apresentavam 61 unhas com lesões sugestivas de onicomicoses. O material clínico coletado foi submetido à clarificação com solução de Hidróxido de Potássio 40%. Para o isolamento dos fungos, parte do material clínico foi semeado em ágar Sabouraud com cloranfenicol (100 mg/ L) e ágar Sabouraud acrescido de cloranfenicol (100 mg/L) e óleo de oliva 1%, ambos os cultivos foram incubados a 25ºC e 37ºC, respectivamente. O crescimento dos microrganismos foi observado, a cada 24 horas, por 30 dias. Dos 25 pacientes examinados, em 20 foi confirmado o parasitismo por fungos filamentosos e/ou leveduras. Das 61 amostras ungueais, em 72% (44) foram diagnosticadas onicomicoses. De acordo com os resultados obtidos, os portadores de onicomicoses, 65% do sexo feminino e 35% do masculino, a faixa etária oscilava entre 31-50 anos (50%). Entre esses, houveram pacientes que apresentavam acometimento apenas das unhas das mãos (50%), 25% apenas das unhas dos pés. Nos demais, 25% constatou-se acometimento tanto das unhas dos pés quanto das mãos. A atividade profissional com maior número de pacientes foi de domésticas (25%), nas quais as unhas das mãos (19%) foram mais acometidas. Com relação as unhas acometidas, os háluxes (40,91%) foram os mais afetados. A onicomicose subungueal distal-lateral (OSDL) foi observada em 66% dos casos, acometendo principalmente as unhas dos pés (43%). O contato com umidade foi o mais importante fator de risco relatado pelos pacientes que apresentavam lesões das unhas das mãos (45%). Constatou-se a predominância de fungos não dermatófitos (90,9%), dentre os quais as leveduras foram as mais frequentes (52,7%). Infecções mistas (18%) por fungos não dermatófitos acometeram 18% das unhas. Dentre os 53 isolados observou-se 98% do Filo Deuteromycota e 2% do Filo Ascomycota. Candida albicans foi a espécie predominante (30%). Dentre os fungos filamentosos não dermatófitos, Aspergillus candidus (4%) e A. niger (4%) foram os mais frequentes. Em 8% dos casos diagnosticarem-se Trichophyton tonsurans. Candida albicans foi predominante em onicomicose por agente único (28%) acometendo principalmente unhas dos pés no sexo feminino (9%) e unhas das mãos no masculino (9%), ocorreu mais freqüentemente em pacientes com 31 a 40 anos de idade (12%), sendo a onicomicose subungueal distal-lateral (16%) a forma clínica mais comum. Os resultados desta pesquisa se comprovaram que os fungos não dermatófitos são agentes frequentes de onicomicoses o que alerta para serem incluídos como suspeitos no diagnóstico etiológico das mesmas.

Page generated in 0.0526 seconds