• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 20
  • Tagged with
  • 20
  • 15
  • 13
  • 13
  • 7
  • 6
  • 5
  • 4
  • 4
  • 4
  • 4
  • 4
  • 4
  • 4
  • 3
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Qualidade dos cafés da “Região das Matas de Minas” em função da variedade, da altitude e da orientação da encosta da montanha / Quality of the coffees of the "Region of Matas de Minas" according to the variety, the altitude and the mountain slope orientation

Zaidan, Úrsula Ramos 31 July 2015 (has links)
Submitted by Reginaldo Soares de Freitas (reginaldo.freitas@ufv.br) on 2016-03-09T11:19:41Z No. of bitstreams: 1 texto completo.pdf: 915983 bytes, checksum: 4db28c5db6a7a7b5806a42c9693e3eb7 (MD5) / Made available in DSpace on 2016-03-09T11:19:41Z (GMT). No. of bitstreams: 1 texto completo.pdf: 915983 bytes, checksum: 4db28c5db6a7a7b5806a42c9693e3eb7 (MD5) Previous issue date: 2015-07-31 / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior / O café é um produto com aromas e sabores distintos que produz uma das bebidas mais difundidas no mundo, e tem o seu valor de mercado ajustado de acordo com a qualidade final da bebida, a qual pode ser influenciada por muitos fatores, tais como fatores ambientais e variedade da planta. O objetivo deste trabalho foi avaliar os efeitos da encosta da montanha, altitude e variedade de planta sobre a qualidade potencial dos cafés produzidos na “Região das Matas de Minas” (entre faixas de altitudes pertencentes aos intervalos: EA < 700, 700 ≤ EA < 825, 825 ≤ EA <950 e EA ≥ 950 metros acima do nível do mar). Frutos de café (Coffea arabica L.) das variedades Catuaí Vermelho e Catuaí Amarelo foram colhidos manualmente em ponto de maturação cereja. A colheita foi realizada em fazendas localizadas em quatorze dos 63 municípios que compõem a “Região das Matas de Minas”, distribuídos numa pequena parte da região do Vale do Rio Doce e uma maior parte na região da Zona da Mata, num território de Mata Atlântica, a Leste do estado de Minas Gerais. As amostras foram colhidas, separadas em sacos plásticos e identificadas para posterior processamento, que inclui a lavagem, separação e a secagem dos grãos até o café atingir o teor de água de 12% (b.u.), sendo então armazenados por aproximadamente 2 meses. Após este período foi feito o processo de beneficiamento, torra e moagem do café, e posteriormente foram feitas por degustadores/classificadores as análises de qualidade do café pelo teste de degustação (prova de xícara) dentro das normas da Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) para a classificação dos cafés. Por meio da análise sensorial da bebida, foram atribuídas notas aos atributos de qualidade dos cafés com o intuito de classificá-los quanto à qualidade da bebida de acordo com a influência dos fatores do ambiente e da variedade da planta. Para análise das notas foram adotados dois métodos estatísticos, a Estatística Descritiva e o Método de Tocher, para identificar, descrever e agrupar os cafés de melhor qualidade. A partir dos resultados obtidos, pode-se observar que a variedade Catuaí Amarelo teve uma pontuação média total em torno de 84 pontos, mostrando grande potencial de expressão da qualidade sensorial da bebida. E que o atributo de qualidade doçura foi o que mais contribuiu para a formação de grupos pelo método Tocher. Os fatores do ambiente e a variedade não exercem influência sobre a qualidade da bebida de forma isolada, todavia, contribuem de forma conjunta para formar as características da bebida produzida na região. / Coffee is a product with distinct flavors and aromas which produces one of the most widespread beverages in the world, and has its market value set according to the final quality of the beverage, which can be influenced by many factors such as environmental factors and variety of the plant. The objective of this study was to evaluate the effects of the mountain slope, altitude and variety of plant on the potential quality of the coffee produced in the "Region of the Matas de Minas" (between tracks altitudes belonging to intervals: EA < 700, 700 ≤ EA < 825, 825 ≤ EA < 950 e EA ≥ 950 meters above sea level). Coffee fruits (Coffea arabica L.) varieties “Catuaí Vermelho” and “Catuaí Amarelo” were collected manually in cherry maturation point. Plants were harvested in farms located in fourteen of the 63 municipalities that make up the "Region of the Matas de Minas", distributed a small part of the Vale do Rio Doce region and a majority in the Zona da Mata region, in Atlantic Forest territory the eastern state of Minas Gerais. The samples were harvested, separated and identified in plastic bags for further processing, including washing, separation and drying of the coffee beans to reach the 12% water content (bu) then being stored for about 2 months. After this period was made the beneficiation process, roasting and grinding coffee, and were later made by tasters / classifiers the coffee quality analyzes by the taste test (cup test) within the norms of the Brazilian Specialty Coffee Association (BSCA ) for the classification of cafes. Through sensory analysis of drinking, grades were attributed to quality attributes of the coffee shops in order to classify them as to the quality of the drink according to the influence of environmental factors and the variety of the plant. For analysis of the notes were adopted two statistical methods, descriptive statistics and the Tocher method to identify, describe and group the best quality coffees. From the results obtained, it can be seen that the variety "Catuai Amarelo" had an average total score of 84 points around, showing high potential for expression of the sensory quality of the beverage. And the quality sweetness attribute was the largest contributor to the formation of groups by Tocher method. Environmental factors and the variety have no influence on the quality of the drink in isolation, however,contribute jointly to form the drink features produced in the region.
2

Rizobactérias promotoras de crescimento e fungos micorrízicos arbusculares no desenvolvimento de mudas micropropagadas de bananeira

Cristina Teixeira dos Anjos, Érika 31 January 2008 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T15:49:40Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo1529_1.pdf: 841640 bytes, checksum: a1668107b89c5355d88180dbb4cb329e (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2008 / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico / Objetivando estudar o efeito de isolados de bactérias promotoras do crescimento de plantas (BPCP) e fungos micorrízicos arbusculares (FMA) foram realizados três experimentos. Primeiramente, bactérias epifíticas e endofíticas foram isoladas de raízes de bananeiras sadias de seis cultivares e caracterizadas quanto à produção de pectinase, celulase, ácido indolacético, &#946;-1,3-glucanase e quitinase. No 1º. experimento, as rizobactérias foram avaliadas quanto à promoção do crescimento de bananeiras micropropagadas cv. Grande Naine em casa de vegetação, sendo 74 tratamentos de bacterização + um tratamento controle, com 8 repetições. Mudas com aproximadamente 10 cm foram transplantadas e bacterizadas em potes contendo 1 kg de solo desinfestado. No 2º. experimento, foi observada a ação antagônica in vitro das RPCP selecionadas, contra Fusarium oxysporum f. sp. cubense. No 3º experimento, em casa de vegetação, foi estudado o efeito da associação RPCP x FMA no desenvolvimento de mudas de bananeiras cv. Grand Naine. Foi aplicado DIC com 7 tratamentos de bacterização com RPCPs (BAN29, BAN36, BAN81, BAN82, S1, S2 e controle) × 3 tratamentos de inoculação com FMAs (Glomus etunicatum, Glomus clarum e controle) × 7 repetições. A inoculação (200 glomerosporos/planta) ocorreu no transplantio das mudas para sacos contendo 1,5 Kg de solo desinfestado. Em seguida, as mudas foram bacterizadas com seis isolados pré-selecionados no Experimento 1. As suspensões bacterianas (50 mL/planta) utilizadas nos experimentos em casa de vegetação foram preparadas e ajustadas em fotocolorímetro (A580) em água destilada esterilizada (ADE) visando obter para 108 UFC/mL. O tratamento controle sem FMA e sem bactérias recebeu ADE. Para o isolamento de bactérias endofíticas foram testados diferentes substâncias desinfestantes e tempos de exposição, com melhor resultado obtido com hipoclorito de cálcio a 5%, por 20 minutos. Foram obtidos 80 isolados bacterianos, com predominância de bactérias epifíticas (53,7%) e de Gram-positivas (67,1%). Nove isolados produziram pectinase, 37 ácido indolacético e dois &#946;-1,3-glucanase. Nenhum dos isolados foi capaz de produzir celulase, ácido cianídrico, quitinase ou solubilizar fosfato. Incrementos no desenvolvimento de mudas micropropagadas de bananeiras cv. Grand Naine foram evidenciados a partir dos 30 dias após bacterização com 40 isolados. Houve incremento de até 82% para a biomassa fresca (BF) da parte aérea e de até 263% para a BF de raízes das mudas associadas com BAN29, BAN36, BAN81, BAN82, S1 e S2 (Experimento 1). A BAN36 foi capaz de inibir o crescimento micelial de Fusarium oxysporum f. sp. cubense em placas de Petri (até 67%) (Experimento 2). Em geral, a inoculação conjunta RPCP × FMA não proporcionou incremento no crescimento, sendo observada interação positiva apenas entre FMAs e os isolados S1 e S2. Apenas na ausência dos FMAs, as mudas tratadas com BAN29, BAN36, BAN81 e BAN82 diferiram em relação ao controle. Houve estímulo na colonização das raízes de bananeiras por G. clarum quando associadas com BAN82. Isolados bacterianos epifíticos e endofíticos de raízes de bananeiras são capazes de produzir substâncias, in vitro, com potencial uso biotecnológico para promoção do crescimento de mudas micropropagadas de bananeira da cultivar Grand Naine visando o controle de F. oxysporum f. sp. cubense. A interação RPCPs e FMAs demonstrou resultados conflitantes, concluindo-se que o efeito associado depende do isolado específico de cada microrganismo
3

Estabelecimento de plantas ornamentais tropicais micropropagadas: estudo da viabilidade de aplicação de fungos micorrízicos arbusculares (FMA) e/ou rizobactérias promotoras de crescimento de plantas (RPCP)

Ricardo Gonçalves de Oliveira, João 31 January 2009 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T15:02:36Z (GMT). No. of bitstreams: 1 license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2009 / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior / A aplicação de microrganismos benéficos na micropropagação é uma técnica viável e de grande benefício para o desenvolvimento das plantas durante o período de aclimatização. Este trabalho teve como objetivo avaliar o potencial de fungos micorrízicos arbusculares (FMA) e rizobactérias promotoras de crescimento de plantas (RPCP) na aclimatização de duas espécies ornamentais tropicais micropropagadas. Na aclimatização de Zingiber spectabile Griff. foram utilizados dois tratamentos de inoculação com FMA (Glomus etunicatum e Gigaspora margarita) e RPCP (Bacillus thuringiensis [HPF14] e B. pumilus [HPS6]) isolados e/ou combinados (em dupla inoculação). Para aclimatização de Tapeinochilos ananassae (Hassk.) K. Shum. três isolados de FMA (Glomus etunicatum, Acaulospora longula e Gigaspora albida) foram aplicados. Após 90 dias foi observado para Z. spectabile ganho de biomassa seca e colonização micorrízica em alguns tratamentos co-inoculados e prejuízo significativo ao desenvolvimento vegetal nas plantas inoculadas com B. thuringiensis. Em T. ananassae, plantas inoculadas com G. etunicatum apresentaram diferenças significativamente (P<0,05) superiores para todas as variáveis avaliadas, alcançando valores de incremento para biomassa e área foliar superiores a 100 %. Conclui-se que o uso combinado e/ou isolado de FMA e RPCP selecionados pode favorecer o desenvolvimento de Z. spectabile e que embora a associação FMA não seja específica, a presença de G. etunicatum e A. longula maximizaram o desenvolvimento vegetal do T. ananassae durante a fase de aclimatização
4

Atributos sensoriais dos cafés cultivados em diferentes altitudes e faces de exposição na região das Matas de Minas / Sensory attributes of coffee grown at different altitudes and exposure of faces in the region of Matas de Minas

Silveira, Alice de Souza 21 July 2015 (has links)
Submitted by Reginaldo Soares de Freitas (reginaldo.freitas@ufv.br) on 2015-11-12T14:53:13Z No. of bitstreams: 1 texto completo.pdf: 967485 bytes, checksum: 432b6a5e294f3b79de325c20c519fbfb (MD5) / Made available in DSpace on 2015-11-12T14:53:13Z (GMT). No. of bitstreams: 1 texto completo.pdf: 967485 bytes, checksum: 432b6a5e294f3b79de325c20c519fbfb (MD5) Previous issue date: 2015-07-21 / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico / O estado de Minas Gerais é o maior produtor nacional de café. Das regiões produtoras do Estado, as Matas de Minas vêm se tornando destaque na produção de cafés especiais, possibilitando maior agregação de valor ao produto. Os cafés especiais têm como base atributos físicos e sensoriais, como a qualidade da bebida, que precisa ser superior ao padrão de exportação. Muitos fatores contribuem para esta superioridade na bebida. Dentre os fatores estão os ambientais, como a altitude e a orientação da lavoura quanto à face de exposição ao sol e os genéticos, como a variedade. O método mais empregado para a avaliação da qualidade sensorial do café é a análise sensorial (“prova de xícara”). Tendo em vista o crescimento do mercado de cafés especiais no Brasil o objetivo foi avaliar o efeito dos fatores altitude, face de exposição das lavouras ao sol e variedade, na qualidade sensorial dos cafés da região das Matas de Minas. Foram georreferenciados e demarcados pontos amostrais em lavouras de 14 municípios das Matas de Minas. Para a marcação foram consideradas quatro altitudes (< 700 m, 700 ≥ 825 m, 825 > 950 m, ≥ 950 m), duas variedades (Catuaí Amarelo e Catuaí Vermelho) e duas orientações da lavoura em relação ao sol (Soalheira e Noruega), compondo um fatorial 4x2x2. As amostras de cafés foram colhidas no estádio “cereja”, descascadas, secas até umidade de 12% e armazenadas em embalagens plásticas até a realização da análise sensorial. Três provadores realizaram a análise sensorial da bebida e avaliaram oito atributos relativos aos padrões organolépticos do café segundo metodologia da BSCA (Percepção Geral, Bebida Limpa, Balanço, Retrogosto, Doçura, Acidez, Corpo e Sabor) dando notas de 0 a 8 para cada atributo, compondo assim o Escore Final (notas de 36 a 100). Os resultados da análise sensorial foram submetidos à ANOVA (p≤0,05) e as médias comparadas pelo teste de Tukey (p≤0,05). Para uma melhor visualização das notas atribuídas aos cafés sobre diferentes condições, foram construídos gráficos de perfis sensoriais. Para as análises estatísticas foi verificado efeito significativo de pelo menos um dos fatores ou suas interações sobre as notas dos atributos sensoriais avaliados e do Escore Final, exceto para o atributo Bebida Limpa. As altitudes > 700 m e ≤ 950 m demonstraram, para a maioria dos atributos sensoriais analisados e para o Escore Final, serem estatisticamente iguais. Em síntese, foram poucas as diferenças significativas encontradas entre os cafés na face Noruega sobre diferentes altitudes e cafés da variedade Catuaí Vermelho sobre diferentes altitudes. Os cafés localizados na face Soalheira e da variedade Catuaí Amarelo foram estatisticamente superiores quando localizados nas altitudes ≥ 950 m. Para os perfis sensoriais construídos foi verificado que os cafés da região das Matas de Minas apresentam como principais atributos sensoriais a Acidez, o Corpo e a Doçura. A região tem potencial para produção de cafés especiais em todos os extratos de altitude avaliados, nas duas faces de exposição e para ambas as variedades. / The specialty coffees are based on physical and sensory attributes such as quality of the drink, which should be higher than the standard export. Many factors contribute to this superiority in the drink. Among the environmental factors is, as the altitude and position of the face of the culture as sun exposure and genetics, as the range. The most commonly used method to evaluate the sensory quality of the coffee is the sensory analysis ("cup test"). Given the growth of the specialty coffee market in Brazil, the objective was evaluate the effect of the factors altitude, culture exhibition face the sun and variety on the sensory quality of coffee in the Matas de Minas region. They were georeferenced and demarcated sampling points in 14 counties in the plantations of the Matas de Minas. For marking were considered four class of altitudes (< 700 m, 700 m ≥ 825, 825 > 950 m, ≥ 950 m), two varieties (Catuaí Amarelo and Catuaí Vermelho) and two agricultural guidelines in relation to the sun (Sunny and Norway), composing 4x2x2 factorial. Samples of coffee "cherry" were harvested, shelled, dried to 12% moisture and stored in plastic containers until completion of the sensory analysis. Three tasters conducted sensory analysis of drinking and evaluated eight sensory attributes related to the methodological norms coffee BSCA (General Perception, Drink Clean, Balance, Aftertaste, Sweetness, Acidity, Body and Flavor) that give 0-8 scores for each attribute, such as well, making the Final Score (36-100 points). The results of sensory analysis were analyzed by ANOVA (p ≤ 0.05) and the means were compared by Tukey test (p≤ 0.05). For a better view of the marks awarded to the cafes in different conditions, they were built graphics sensory profiles. For the statistical analysis, there was a significant effect of at least one of the factors or their interactions on the notes of evaluated sensory attributes and the final note, except for the clean drink attribute. At altitudes > 700 m and ≤ 950 m coffees demonstrated, for most sensory attributes and that are statistically equal. In short, there were significant differences between the coffees in the face Norway at different altitudes and Catuaí Vermelho coffee at different altitudes. The coffees located in the Sunny face and variety Catuaí Amarelo were higher statistically when located in altitude ≥ 950 m. For the built sensory profiles it was found that the coffees of the Matas de Minas region has principal sensory attributes of Acidity, Body and Sweetness. The region has potential for production of specialty coffees in all altitude extracts evaluated, in two sides of exhibitions and both varieties.
5

Análise da propagação e desenvolvimento inicial in vitro, e aclimatização de Brassavola Martiana Lindl (Orchidaceae)

Alves, Laís Ramos 16 March 2018 (has links)
A família Orchidaceae apresenta imensa diversidade taxonômica, bioquímica, fisiológica e genética. Por essa razão não existe um modelo único que possibilite o sucesso na propagação in vitro para todas as suas espécies e variedades. Assim, esse trabalho teve como objetivo estudar aspectos envolvidos com a propagação, o desenvolvimento inicial in vitro e a aclimatização de Brassavola martiana Lindl., espécie ocorrente no estado do Tocantins. Testou-se os efeitos dos meios de cultura de Knudson C [KC], de Vacin e Went [VW] e de Murashige e Skoog nas concentrações de 100 e 50% de seus macronutrientes [MS e ½MS] na germinação e desenvolvimento inicial in vitro. Analisou-se também a influência da idade das sementes no processo germinativo. Foram avaliados os efeitos de diferentes concentrações de sacarose (0%, 1%, 2%, 3%, 4%, 5% e 6%) bem como do ácido naftalenoacético (ANA) e da benziladenina (BA) em combinações de 0; 0,57; e 2,28 μM na multiplicação e desenvolvimento de plantas, em experimentos separados. Verificou-se também a possibilidade de se multiplicar a espécie por meio de segmentos caulinares estiolados. Por fim, foi desenvolvido um protocolo para aclimatização de B. martiana utilizando-se substratos comerciais. O meio ½MS foi o mais promissor para a germinação de B. martiana, enquanto que o KC foi o melhor para o desenvolvimento dos protocormos e formação de novas plantas. Para a obtenção de uma germinabilidade superior a 60% recomenda-se utilizar sementes com pelo menos 7 meses de idade. A adição de 3% de sacarose ao meio de cultura favoreceu a multiplicação e desenvolvimento in vitro. O uso de concentrações iguais de ANA e BA (0,57 μM) favoreceu o desenvolvimento tanto da parte aérea quanto das raízes. A utilização de segmentos caulinares estiolados foi eficaz para a propagação de B. martiana. Para a aclimatização, as plantas de B. martiana devem inicialmente serem transferidas para recipientes comunitários contendo o substrato Bioplant e após oito semanas transplantadas para vasos individuais contendo o substrato Ouro Negro e cultivados durante 90 dias. A porcentagem de sobrevivência das plantas foi considerada satisfatória. / The Orchidaceae family presents immense taxonomic, biochemical, physiological and genetic diversity. For this reason, there is no single model that allows the success of in vitro propagation for all species and varieties. Thus, the objective of this work was to study aspects involved in the propagation, initial in vitro development and acclimatization of Brassavola martiana Lindl., A species occurring in the state of Tocantins. The effects of the cultivation media of Knudson C [KC], Vacin and Went [VW] and Murashige and Skoog at the concentrations of 100 and 50% of their macronutrients [MS and ½MS] on initial in vitro germination and development. The influence of seed age on the germination process was also analyzed. The effects of different concentrations of sucrose (0%, 1%, 2%, 3%, 4%, 5% and 6%) as well as naphthaleneacetic acid (ANA) and benzyladenine (BA) were evaluated in combinations of 0; 0.57; and 2.28 μM in plant multiplication and development, in separate experiments. It was also verified the possibility of multiplying the species by means of stretched cauline segments. Finally, a protocol for the acclimatization of B. martiana was developed using commercial substrates. The ½MS medium was the most promising for the germination of B. martiana, while the KC was the best for the development of protocormos and formation of new plants. To obtain germinability higher than 60%, it is recommended to use seeds at least 7 months old. The addition of 3% sucrose to the culture medium favored multiplication and development in vitro. The use of equal concentrations of ANA and BA (0.57 μM) favored the development of both shoot and roots. The use of styrofoam segments was effective for the propagation of B. martiana. For acclimatization, B. martiana plants should initially be transferred to community vessels containing the Bioplant substrate and after eight weeks transplanted into individual pots containing the Ouro Negro substrate and cultured for 90 days. The percentage of plant survival was considered satisfactory.
6

Micropropagação do porta-enxerto Mr. S. 2/5 (Prunus cerasifera x Prunus spinosa) / Micropropagation of rootstock Mr. S. 2/5 (Prunus cerasifera x Prunus spinosa)

Gallo, Cibele Merched 15 February 2012 (has links)
Made available in DSpace on 2014-08-20T13:59:15Z (GMT). No. of bitstreams: 1 dissertacao_cibele_merched_gallo.pdf: 638641 bytes, checksum: 82fbd49520aa928426c112de64c9a625 (MD5) Previous issue date: 2012-02-15 / Although fruiting plants can be propagated by several methods, commercial seedlings of Prunus are obtained by grafting a scion on a rootstock. In Rio Grande do Sul State, because of the proximity of the canning industry, the rootstocks originate from the disposal pits of late maturing cultivars, allowing the occurrence of varietal mixtures, and consequently, the formation of orchards with uneven plants. On the other hand, vegetative propagation leads to the formation of uniform plants, because they keep the characteristics of the mother-plant. This propagation may be made by several methods, for example, micropropagation. Thus, to develop protocols for vegetative propagation will contribute to the production of seedlings of Prunus spp. in southern Brazil. The aim of this work was to optimize in vitro multiplication and rooting, and the acclimatization of shoots from the rooting medium with rootstock Mr. S. 2/5.This work was divided into two chapters, one on the in vitro multiplication, and the second refers to in vitro rooting and acclimatization. In the first chapter, composition of salts, culture medium pH, source and concentration of carbohydrate, and concentration of IBA were tested. In the second chapter, the objective was to evaluate the effect of IBA concentration, and the permanence time of the shoots in the culture medium, in vitro rooting, and their survival during acclimatization phase. At the multiplication stage, the explants cultivated in MS medium, pH 5.2, showed a higher number of shoots. However, the source and concentration of carbohydrate had no influence on number and length of the shoots formed. In relation to IBA concentrations, supplemented mediums with 0.06mgL-1 increased formation of shoots, but had no significant influence on their length. With respect to in vitro rooting phase and acclimatization, shoots cultivated in a culture medium with 1.6mgL-1 IBA, during 12 days, showed high percentage of rooting, approximately 90%, as well as higher percentage of surviving plants in the acclimatization phase. / Apesar das plantas frutíferas serem propagadas por vários métodos, as mudas comerciais de prunáceas são obtidas por meio da enxertia de uma cultivar copa sobre um porta-enxerto. No Rio Grande do Sul pela proximidade das indústrias de conserva, os porta-enxertos são originários a partir do descarte dos caroços de cultivares de maturação tardia, aspecto este que permite a ocorrência de misturas varietais e consequentemente a formação de pomares com plantas desuniformes. Por outro lado, a propagação vegetativa leva à formação de plantas uniformes, pois mantém as características da planta matriz, podendo esta ser realizada por diversos métodos, como por exemplo, a micropropagação. Assim, desenvolver protocolos de propagação vegetativa irá contribuir no processo de produção de mudas de prunáceas na região Sul do Brasil. Portanto, o objetivo do presente trabalho foi otimizar a multiplicação e o enraizamento in vitro, bem como a aclimatização das brotações provenientes do meio de enraizamento com o porta-enxerto Mr. S. 2/5 . Para tal, o trabalho foi dividido em dois capítulos, um sobre a multiplicação in vitro e o segundo referente ao enraizamento in vitro e aclimatização. No primeiro capítulo foram testados a composição de sais, o pH do meio de cultura, a fonte e a concentração de carboidrato e a concentração de AIB. No segundo capítulo, objetivou-se avaliar o efeito da concentração de AIB e o tempo de permanência das brotações no meio de cultura, sobre o enraizamento in vitro e a sobrevivência dessas na fase de aclimatização. Na etapa de multiplicação, explantes cultivados em meio MS com pH 5,2 apresentaram o maior número de brotações. Entretanto, a fonte e a concentração de carboidrato não exerceram influência sobre o número e o comprimento das brotações formadas. Já, com relação às concentrações de AIB, meios suplementados com 0,06 mg L-1 apresentaram maior formação de brotações, porém sem influência significativa para o comprimento destas. No que diz respeito à fase de enraizamento in vitro e de aclimatização, brotações cultivadas em meio de cultura com 1,6 mg L-1 de AIB por 12 dias, apresentaram alta percentagem de enraizamento, aproximadamente, 90%, bem como maior percentagem de plantas sobreviventes na fase de aclimatização.
7

RIZOGÊNESE IN VITRO E EX VITRO EM Peltophorum dubium (SPRENGEL) TAUBERT / RHIZOGENESIS IN VITRO AND EX VITRO IN Peltophorum dubium (SPRENGEL) TAUBERT

Curti, Aline Ritter 28 February 2014 (has links)
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior / Peltophorum dubium is native forest species of Brazil endowed with ecological importance for the recovery of degraded areas and economical for timber purposes. The seeds of this species have low and irregular germination if they are not subjected to treatments to overcome dormancy. However, there are few studies that allow for the vegetative propagation of the species. As a result, the present study aimed to evaluate the formation of roots in shoots of P. dubium applying the techniques of micropropagation and minicutting and acclimatization of plants produced by these techniques. For rooting in vitro micropropagated shoots were subjected to treatments where different culture media were tested, with addition of 30 g L-1 vermiculite, combined with the nutrient media MS, MS/2, WPM, WPM/2 and changes in concentrations of auxin IBA (0, 5, 10 or 20 μM) and sucrose (0, 15 or 30 g L -1) in the presence or absence of agar (0 or 7g L-1) arranged in different tests. The results indicated that the best combination for root formation in vitro shoots of Peltophorum dubium is the use of nutritional WPM/2 without addition of sucrose and auxin, with 7 g L- 1 agar. This condition was still allowing the best performance of the plants during acclimatization in vitro. For rooting of shoots via minicutting, cuttings 3-7 cm apical portion of rooted shoots of seminal origin were used. Root formation after the cuttings are subjected to immersion in solution with 0, 1.000, 2.000 or 4.000 mg L- 1 IBA, from different collections and during 30, 60 or 90 days in a greenhouse with controlled conditions was evaluated for root induction. Rooting in cuttings occurred even without the use of IBA, after successive collections. However, it was increased with the use of up to 2.000 mg L-1 auxin the period of 60 days being sufficient for the formation of roots takes place. The seedlings showed good performance during acclimatization, indicating that the technique is feasible for minicutting plants production Peltophorum dubium. / Peltophorum dubium é uma espécie florestal nativa do Brasil dotada de importância ecológica para fins de recuperação de áreas degradadas e econômica, para fins madeiráveis. As sementes desta espécie apresentam germinação baixa e irregular se não forem submetidas a tratamentos para superação de dormência. Em virtude da carência de estudos que viabilizem a propagação vegetativa da espécie e considerando a natural recalcitrância em relação à rizogênese nesse processo, o presente trabalho teve como objetivo avaliar a rizogênese in vitro e ex vitro em brotações de P. dubium aplicando-se as técnicas de micropropagação e de miniestaquia, bem como a aclimatização das mudas produzidas por meio destas técnicas. Para a rizogênese in vitro, brotações micropropagadas foram submetidas a tratamentos em que foram testados diferentes meios de cultivo, com acréscimo de 30 g L-1 de vermiculita, combinados aos meios nutritivos MS, MS/2, WPM, WPM/2 e alterações nas concentrações da auxina ácido indolbutírico - AIB (0, 5, 10 ou 20 μM) e sacarose (0, 15 ou 30 g L-1), na presença ou ausência de ágar (0 ou 7 g L-1), arranjados em diferentes ensaios. Os resultados indicaram que a melhor combinação para a rizogênese in vitro em brotações de Peltophorum dubium é a utilização do meio nutritivo WPM/2, na ausência de sacarose e da auxina, porém com 7 g L-1 de ágar. Essa condição foi, ainda, a que permitiu o melhor desempenho das mudas durante a aclimatização in vitro. Para a rizogênese em brotações via miniestaquia, foram utilizadas miniestacas, de 3 a 7 cm, isoladas da porção apical de brotações de minicepas de origem seminal. Foi avaliada a formação de raízes após as miniestacas serem submetidas à imersão em solução contendo 0, 1.000, 2.000 ou 4.000 mg L-1 de AIB, oriundas de diferentes coletas e permanecendo por 30, 60 ou 90 dias em casa de vegetação com condições controladas adequadas à indução de raízes. A rizogênese nessas miniestacas ocorreu mesmo sem a utilização de AIB, ao longo das sucessivas coletas. No entanto, foi incrementada com a utilização de até 2.000 mg L-1 da auxina, sendo suficiente o período de 60 dias para que ocorra a formação de raízes. As mudas apresentaram bom desempenho durante a aclimatização, indicando que a técnica de miniestaquia é viável para a produção de mudas de Peltophorum dubium.
8

Micropropagação e miniestaquia na propagação de batata / Micro-propagation and mini-cutting in the potato propagation

Bandinelli, Maurício Guerra 06 March 2009 (has links)
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior / Micro-propagation is a common technique to produce disease free potato materials. Mini-cuttings of just acclimatized plantlets or older plants associated with micro-propagation may reduce production costs of potato mini-tubers. This work was carried out to study the micro-propagation and mini-cutting techniques to maximize the production of mini-tubers and to minimize the costs of potato seeds. Two experiments were conducted, being in the first evaluated the micro-propagation and acclimatization of plantlets and in the second evaluated the mini-cutting of potato plants. The first experiment was conducted in two steps. In vitro growth of potato explants were evaluated in two concentrations of MS medium (½ MS and MS), three sucrose doses (30, 45 and 60 g L-1), and three clones (Asterix, Macaca e SMINIA793101-3). The same treatment combinations were evaluated during plantlet acclimatization in two systems (floating and sand). The mini-cutting was evaluated in three experiments. The effect of irrigation solution (tap water, nutrient solution and the combination) and the physiological age of stock plant (just acclimatized and in mini-tuber production) were evaluated in the mini-cutting rooting of Asterix, Macaca and SMINIA793101-3 clones. A third experiment was carried out to evaluate the effect of indol butyric acid (IBA) (0; 300; 600; 900 ppm) in mini-cutting rooting of Asterix clone. The MS medium with 50% of the salt concentration increases the plantlet survival during acclimatization. The sucrose has no effect on plantlet acclimatization. Both floating and substrate (sand) are suitable systems for acclimatization of potato plantlets. Mini-cuttings root in sand as substrate irrigated with tap water or nutrient solution. Apical mini-cuttings are suitable for the production of potato plantlets. Rooting potential of mini-cuttings is affected by the advance of the physiological age of the stock plant. / A micropropagação é uma técnica comumente utilizada para a produção de material propagativo de batata livre de doenças. Associada a essa técnica, a miniestaquia de plântulas recém aclimatizadas ou em produção pode ser uma forma de reduzir os custos de produção de minitubérculos de batata. Este trabalho foi conduzido com o objetivo de estudar a micropropagação e a miniestaquia, para maximizar a produção de mudas e minimizar os custos da batata-semente. Dois experimentos foram conduzidos, sendo no primeiro avaliado a micropropagação e aclimatização de plântulas e, no segundo, avaliado a miniestaquia de plantas batata. O primeiro experimento foi conduzido em duas etapas. Em laboratório foi avaliado o crescimento dos explantes em função da combinação de concentrações do meio MS (½ MS e MS completo), com doses de sacarose (30, 45 e 60 g L-1) em três clones (Asterix, Macaca e SMINIA793101-3). Em telado foi avaliado o efeito dos tratamentos aplicados na micropropagação sobre a aclimatização de plântulas em dois sistemas (flutuação e areia). A miniestaquia foi estudada em três experimentos. Um experimento foi conduzido para avaliar o efeito da solução de irrigação (água, solução nutritiva e a combinação de ambas) e outro a idade da planta matriz (recém aclimatizada e em produção) sobre o enraizamento de miniestacas dos clones Asterix, Macaca e SMINIA793101-3. Um terceiro experimento foi conduzido para avaliar o efeito do ácido indol-butírico (AIB) (0, 300, 600 e 900 mg L-1) no enraizamento das miniestacas do clone Asterix. O meio ½ MS, independente da dose de sacarose, aumenta a sobrevivência das plântulas de batata durante a aclimatização. Tanto o sistema com flutuação, quanto com substrato (areia) podem ser utilizados para a aclimatização de plântulas de batata. Miniestacas apicais podem ser utilizadas para a produção de mudas de batata, no sistema de enraizamento com substrato (areia), irrigadas com água de torneira ou solução nutritiva. O potencial de enraizamento das miniestacas é negativamente afetado pelo avanço da idade fisiológica da planta matriz.
9

Propagação vegetativa in vitro a partir de segmentos nodais de jambú (acmella oleracea (l.) r. k. jansen).

Calderaro, Tatiana da Silva 27 November 2008 (has links)
Made available in DSpace on 2015-04-11T13:56:14Z (GMT). No. of bitstreams: 1 DISSERTACAO TATIANA.pdf: 475643 bytes, checksum: accc20b0283b458769c460005b76fed2 (MD5) Previous issue date: 2008-11-27 / Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas / The jambú is a medicinal plant, cultivated mainly in the North of the Country, more necessarily in Pará. The extract of its leves possess anesthetical properties being used in the treatment of males of the mouth and the throat, as well as for tooth ache. Also it possess antifungal, antibacterial, antiinflammatory, analgesic and larvicidal activity. Such plant still is very used as condiment in the cookery of the Amazon Region, mainly in the preparation of the celebrity tacacá . The present work had as objective to establish different methodologies for the culture in vitro of nodal segments of jambú. Different concentrations of bioregulators had been tested, amongst them AIA (0; 0,5; 1,0; 3,0 mg.L- 1 ) and BAP (0; 0,5; 1,5; 2,5; 5,0 mg.L- 1 ), different concentrations of sucrose (0; 7,5; 15; 30; 45 g.L- 1 ) and inorganic nitrogen (0; 5; 10; 20 and 40 ml .L- 1 ) and finally was made the acclimatization of the micropropagated plants, testing different substrates (plantmax®, vermiculit and sawdust). The experimental delineation was entirely randomized, with 20 repetitions of each treatment. The plants had been evaluated, in the two first experiments, to the 45 days and, in the last one, to the 60 days. One evidenced that the addition of bioregulators influenced the development and multiplication of the shoots, being the best ones resulted gotten between 0,5 mg.L- 1 of AIA combined with 1,5 mg.L- 1 of BAP. Modi fications in such a way in the concentrations of sucrose, as in the ones of inorganic nitrogen had influenced the growth of the cultivated jambú in vitro. The concentrations of sucrose of 7,5 and 30 g.L- 1 , together with the dosages of the inorganic nitrogen of 10 and 20 ml.L- 1 , had provided the best ones resulted for all the evaluated characteristics. The substrate plantmax®, as well as the vermiculit and the sawdust, had not differed between itself, being appropriate for the acclimatization of jambú seedlings. / O jambú é uma planta medicinal, cultivada principalmente no Norte do País, mais precisamente no Pará. O extrato de suas folhas possui propriedades anestésicas sendo utilizada no tratamento de males da boca e da garganta, bem como para dor de dente. Também possui atividade antifúngica, antibacteriana, antiinflamatória, analgésica e larvicida. Tal planta ainda é muito utilizada como condimento na culinária da Região Amazônica, principalmente no preparo do famoso tacacá . O presente trabalho teve como objetivo estabelecer diferentes metodologias para o cultivo in vitro de segmentos nodais de jambú. Foram testadas diferentes concentrações de bioreguladores, dentre eles o AIA (0; 0,5; 1,0; 3,0 mg.L - 1 ) e BAP (0; 0,5; 1,5; 2,5; 5,0 mg.L-1 ), diferentes concentrações de sacarose (0; 7,5; 15; 30; 45 g.L- 1 ) e dosagens de nitrogênio inorgânico (0; 5; 10; 20 e 40 ml.L- 1 ) e por último foi feita a aclimatização das plantas micropropagadas, testando diferentes substratos (plantmax®, vermiculita e serragem). O delineamento experimental foi o inteiramente casualizado, com 20 repetições de cada tratamento. As plantas foram avaliadas, nos dois primeiros experimentos, aos 45 dias e, no último, aos 60 dias. Constatou-se que a adição de bioreguladores influenciou o desenvolvimento e multiplicação dos brotos, sendo os melhores resultados obtidos entre 0,5 mg.L- 1 de AIA combinado com 1,5 mg.L- 1 de BAP. Modificações tanto nas concentrações de sacarose, como nas de nitrogênio inorgânico influenciaram o crescimento do jambú cultivado in vitro. As concentrações de sacarose de 7,5 e 30 g.L- 1 , juntamente com as dosagens de nitrogênio inorgânico de 10 a 20 ml.L- 1 , proporcionaram os melhores resultados para todas as características avaliadas. O substrato plantmax®, assim como a vermiculita e a serragem, não diferiram entre si, sendo apropriados para a aclimatização de plântulas de jambú.
10

Aechmea bromeliifolia (Rudge) Baker (Bromeliaceae) cultivada in vitro e ex vitro: morfologia, anatomia e ultraestrutura / Aechmea bromeliifolia (Rudge) Baker (Bromeliaceae) cultivated in vitro and ex vitro: morphology, anatomy and ultrastructure

Silva, Elienai Candida e 31 March 2016 (has links)
Submitted by Cássia Santos (cassia.bcufg@gmail.com) on 2017-02-06T14:04:54Z No. of bitstreams: 2 Dissertação - Elienai Candida e Silva - 2016.pdf: 5043887 bytes, checksum: 650b5f18a57f95fc1e41bebce7da7e99 (MD5) license_rdf: 0 bytes, checksum: d41d8cd98f00b204e9800998ecf8427e (MD5) / Approved for entry into archive by Luciana Ferreira (lucgeral@gmail.com) on 2017-02-08T10:26:21Z (GMT) No. of bitstreams: 2 Dissertação - Elienai Candida e Silva - 2016.pdf: 5043887 bytes, checksum: 650b5f18a57f95fc1e41bebce7da7e99 (MD5) license_rdf: 0 bytes, checksum: d41d8cd98f00b204e9800998ecf8427e (MD5) / Made available in DSpace on 2017-02-08T10:26:21Z (GMT). No. of bitstreams: 2 Dissertação - Elienai Candida e Silva - 2016.pdf: 5043887 bytes, checksum: 650b5f18a57f95fc1e41bebce7da7e99 (MD5) license_rdf: 0 bytes, checksum: d41d8cd98f00b204e9800998ecf8427e (MD5) Previous issue date: 2016-03-31 / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES / In vitro-grown plants have functional characteristics that difficult their survival when transferred directly from in vitro conditions to the natural environment, thus needing of acclimatization. Structural and phyisiological characteristic of the plants grown in vitro and ex vitro are important for technical adjustments and contribute to further information about the phenotypic plasticity of the plants exposed to different environmental conditions. Therefore, the aim of this study was to evaluate the morphology, anatomy and ultrastructure of Aechmea bromeliifolia (Rudge) Baker grown in vitro under different sealing lids of test tubes, and acclimatized. A. bromeliifolia is on ornamental species and therefore, the Plant Tissue Culture Laboratory of Universidade Federal de Goiás (UFG) has accomplished studies aiming to propagation in vitro. Plants cultured in vitro in test tubes with three sealing lids were analyzed: polypropylene rigid closure (PC), polyvinyl chloride film (PVC) and PC covered with a microporous membrane (PM). For comparison, plants germinated from seeds in a screen house were also analyzed. The acclimatized plants were maintained in a greenhouse under controlled conditions and were evaluated after 11 months. The in situ-grown plants were used for comparison. Among the in vitro-grown plants, those grown in tubes sealed with PM are more similar to those grown in screen house, mainly on opening of the stomata and chloroplasts ultrastructural. In the leaves of acclimatized plants some morphological and anatomical characteristics are different from those that occur in the leaves of in situ-grown plants: fibers associated to the vascular bundles have less wall thickness and the hypodermic fibers are organized into least number of layers in addition, they also less wall thickness. Moreover, the stomata occurs less depth in the epidermis in the leaves developed in the greenhouse. However, considering that most morphological, anatomical and ultrastructural characteristics of the leaves of the acclimatized plants are similar to those that occur in the leaves of in situ-grown plants, is possible concluded that the acclimatization process and the greenhouse environmental did not restrict its development, result that favoring the establishment of these plants in natural environmental. / Plantas desenvolvidas in vitro possuem características que dificultam sua sobrevivência quando transferidas diretamente da condição in vitro para o ambiente natural, evidenciando a necessidade de aclimatização. A caracterização estrutural e fiosiológica de plantas desenvolvidas in vitro e ex vitro são importantes para o aprimoramento das técnicas e, contribuem com informações sobre a plasticidade fenotípica de plantas submetidas a diferentes condições ambientais. Sendo assim, o objetivo deste estudo foi avaliar os aspectos morfológicos, anatômicos e ultraestruturais de Aechmea bromeliifolia (Rudge) Baker cultivada in vitro, sob diferentes tipos de vedação dos tubos de ensaio, e aclimatizada. A. bromeliifolia é de interesse ornamental e, por isso, o Laboratório de Cultura de Tecidos Vegetais da Universidade Federal de Goiás tem realizado trabalhos visando sua propagação in vitro. Foram analisadas plantas cultivadas in vitro em tubos de ensaio sob três tipos de vedação: tampa rígida de polipropileno (TP), filme de policloreto de vinila (FPVC) e tampa rígida de polipropileno coberta com membrana microporosa (TM). Para efeito de comparação, plantas de sementes germinadas em telado também foram avaliadas. As plantas aclimatizadas foram mantidas em casa de vegetação em condições controladas e foram avaliadas após 11 meses. Plantas coletadas in situ foram utilizadas para efeito de comparação. Entre as plantas desenvolvidas in vitro, as desenvolvidas em tubos vedados com TM se assemelharam mais àquelas cultivadas em telado, principalmente quanto à abertura dos estômatos e a ultraestrutura dos cloroplastos. Nas folhas das plantas aclimatizadas algumas características morfológicas e anatômicas são diferentes das que ocorrem nas plantas desenvolvidas in situ: as fibras associadas aos feixes possuem paredes menos espessas e as fibras hipodérmicas, se organizam em menor número de camadas, além de terem também paredes menos espessas. Além disso, os estômatos ocorrem menos aprofundados na epiderme nas folhas desenvolvidas na casa de vegetação. Considerando, contudo, que a maioria das características morfológicas, anatômicas e ultraestruturais das folhas das plantas aclimatizadas são semelhantes àquelas que ocorrem nas folhas das plantas desenvolvidas in situ, é possível concluir que o processo de aclimatização e o ambiente de casa de vegetação não restringiram seu desenvolvimento, resultado que favorece o estabelecimento destas plantas em condições de ambiente natural.

Page generated in 0.0797 seconds