• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 53
  • Tagged with
  • 54
  • 22
  • 15
  • 13
  • 12
  • 11
  • 10
  • 10
  • 10
  • 9
  • 9
  • 9
  • 7
  • 7
  • 6
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

O ambiente da educação e a educação no ambiente

Ferreira, Alexandre Garcia Gonçalves 2006 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Educação. Programa de Pós-Graduação em Educação. Made available in DSpace on 2012-10-22T11:17:17Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Nesse breve ensaio teórico, são apresentados elementos fundamentais do debate socioambiental, focalizando criticamente dois pontos: a Educação Ambiental e o Movimento Ambientalista. A apresentação das idéias é ilustrada com a descrição e discussão a respeito de um caso prático de Educação Ambiental em cavernas. Organizado em 3 partes - que podem ser lidas em conjunto ou independentemente - o texto apresenta, na primeira delas, uma exposição preliminar-introdutória sobre a crise socioambiental; na segunda, uma discussão sobre Unidades de Conservação e a atuação de ONGs e OSCIPs nessas áreas; e, por fim, um último capítulo dedicado à crítica do movimento ambientalista, a partir da idéia de radicalismo.
2

Consumo sustentável e sua relevância na cultura contemporânea: análise de hábitos e práticas nas dimensões da cultura de consumo

Bittencourt, Marcia da Costa 14 June 2013 (has links)
Submitted by Marcia Bittencourt (marciabit@uol.com.br) on 2013-06-10T19:10:26Z No. of bitstreams: 1 Versão Final Dissertação Marcia Bittencourt.pdf: 2269091 bytes, checksum: fae76bf5115460ab6be7b882896294be (MD5) Approved for entry into archive by Alda Lima da Silva(sivalda@ufba.br) on 2013-06-14T20:01:57Z (GMT) No. of bitstreams: 1 Versão Final Dissertação Marcia Bittencourt.pdf: 2269091 bytes, checksum: fae76bf5115460ab6be7b882896294be (MD5) Made available in DSpace on 2013-06-14T20:01:57Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Versão Final Dissertação Marcia Bittencourt.pdf: 2269091 bytes, checksum: fae76bf5115460ab6be7b882896294be (MD5) O objetivo deste estudo é identificar, caracterizar e analisar modos de consumo, reconhecidos como associados à ideologia da sustentabilidade. Como suporte para essa análise, a pesquisa está dividida em três partes. A primeira contempla a análise de alguns aspectos da cultura de consumo, a partir da compreensão da formação da sociedade de consumo contemporânea, dos alicerces da cultura de consumo e sua evolução histórica, com ênfase na década de 1960. A segunda aborda os estudos de pesquisadores ambientalistas e autores que analisam a problemática ambiental, faz um resgate das origens do movimento ambientalista e traz uma breve reflexão sobre a sustentabilidade e sua relevância na contemporaneidade. A terceira trata de questões que envolvem o consumidor e o papel da comunicação, para tanto, parte da reflexão sobre a relação entre a cultura de consumo e o movimento ambiental e posteriormente é introduzida a discussão em torno das noções de consumo verde e consumo sustentável e suas principais críticas, abordando estudos que trazem à luz a existência de modos de consumo relacionados às questões da sustentabilidade. Essa abordagem permite a discussão sobre o papel da comunicação das marcas no contexto contemporâneo de consumo e sua relação com esse perfil de consumidor. A compreensão da relação entre o ambientalismo e a cultura de consumo e um melhor entendimento da existência de um perfil de consumo orientado pela ideologia da sustentabilidade evidencia a insustentabilidade dos modos de vida contemporâneos em razão da finitude de seus recursos naturais e degradação da ecosfera e possibilita a análise de seu papel e relevância na capacidade de promover mudanças reais sobre o futuro da humanidade. Salvador - Bahia
3

Movimento ambientalista e modernidade : sociabilidade, risco e moral

Tavolaro, Sergio Barreira de Faria 1998 (has links)
Orientador: Leila da Costa Ferreira Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciencias Humanas Made available in DSpace on 2018-07-24T02:49:46Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Tavolaro_SergioBarreiradeFaria_M.pdf: 5788398 bytes, checksum: 28c17da433d1696182b8c94d9e12edd6 (MD5) Previous issue date: 1998 Resumo: Não informado Abstract: Not informed. Mestrado Mestre em Sociologia
4

Dos movimentos sociais para o Estado : um estudo das carreiras dos ativistas ambientais no Espírito Santo

Lerbarch, Brena Costa 2015 (has links)
Submitted by Maykon Nascimento (maykon.albani@hotmail.com) on 2015-07-30T20:36:28Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 23148 bytes, checksum: 9da0b6dfac957114c6a7714714b86306 (MD5) Dos movimentos sociais para o Estado um estudo das carreiras dos ativistas ambientais no Espírito Santo.pdf: 1545656 bytes, checksum: ee6c65fa81beb6b53ea5a6981a74dd0a (MD5) Approved for entry into archive by Patricia Barros (patricia.barros@ufes.br) on 2015-08-12T16:25:19Z (GMT) No. of bitstreams: 2 license_rdf: 23148 bytes, checksum: 9da0b6dfac957114c6a7714714b86306 (MD5) Dos movimentos sociais para o Estado um estudo das carreiras dos ativistas ambientais no Espírito Santo.pdf: 1545656 bytes, checksum: ee6c65fa81beb6b53ea5a6981a74dd0a (MD5) Made available in DSpace on 2015-08-12T16:25:19Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 23148 bytes, checksum: 9da0b6dfac957114c6a7714714b86306 (MD5) Dos movimentos sociais para o Estado um estudo das carreiras dos ativistas ambientais no Espírito Santo.pdf: 1545656 bytes, checksum: ee6c65fa81beb6b53ea5a6981a74dd0a (MD5) Previous issue date: 2015 A dissertação problematiza as relações entre movimentos sociais e Estado no Brasil contemporâneo, dando enfoque à entrada de lideranças de movimentos para órgãos públicos, por meio da ocupação de cargos de confiança e comissionados. Esta mudança no local de atuação, que pode ser compreendida como “trânsito” (da sociedade civil para o Estado) ou do ponto de vista da transformação de papéis (de desafiantes a membros da polity), repercute sobre o campo do ativismo em questão, sobre as decisões e políticas dos órgãos públicos envolvidos, assim como sobre o próprio ativista. Tendo em vista essa discussão, estabelecemos como objeto de atenção os impactos promovidos no nível individual, tendo como objetivo investigar e analisar as transformações processadas nas dimensões objetivas e subjetivas de carreiras de lideranças ativistas que adentraram o Estado por meio da ocupação de cargos. Assim, foi realizado um estudo das carreiras ativistas de seis lideranças reconhecidas por terem atuado em um campo específico de militância no Espírito Santo – o campo ambiental – e que ocuparam cargos em órgãos públicos. A metodologia utilizada foi qualitativa, e os dados foram coletados em entrevistas semiestruturadas e em profundidade com as lideranças e em pesquisa em outras fontes, como páginas de internet e materiais cedidos pelos próprios entrevistados. As análises foram instrumentalizadas teoricamente pela sociologia das carreiras militantes, por meio da qual buscamos reconstruir itinerários objetivos e aspectos subjetivos da atuação política das lideranças. Os resultados revelam que, na maioria dos casos estudados, a entrada para o Estado não foi acompanhada do desengajamento em relação ao ativismo desenvolvido em organizações e lutas ambientalistas; e que é recorrente a conciliação (e por vezes a articulação) de ambos. Todavia, a dupla atuação no movimento e no Estado foi permeada por tensões, levando algumas vezes a conflitos e rupturas. O trabalho permite concluir que, mesmo para os que se mantiveram ativistas em movimentos ambientais, houve impactos decorrentes da atuação em órgãos públicos sobre suas carreiras objetivas e subjetivas, sendo notável uma mudança na visão e na relação com o Estado, compreendido como lugar onde é possível “gerar contribuições”. The dissertation discusses the relationship between social movements and State in contemporary Brazil, focusing on the entrance of movement leaders to public agencies, by occupying appointed positions. This change in the place of political acting, which can be understood as a “transit” (from civil society to State) or from the point of view of the transformation of roles (from challengers to members of the polity), reverberates on the field of activism concerned, on the decisions and policies of the public agencies involved, as well as on the activist himself. In view of this discution, we established as object of attention the impacts promoted in the individual level, aiming to investigate and analyze the transformations processed in the objective and subjective dimensions of activist leaders' careers who stepped into the State through the occupation of public sector jobs. Thus, a study of the activist careers of six leaders recognized for having acted in a specific field of militancy on Espírito Santo (Brazil) – the environmental field – and who occupied positions in public agencies was performed. The methodology used was qualitative, and the data were collected through semi-structured in-depth interviews with the leaderships and through research in other sources, such as web pages and materials given by the interviewees. The analysis were instrumentalized by the sociology of activist careers, through which we sought to reconstruct objective itineraries and subjective aspects of the political acting of the leaders. The results reveal that, in most studied cases, the admission to State has not been followed by disengagement regarding the activism developed in environmental struggles and organizations; and that the conciliation (and sometimes the articulation) of both is recurrent. However, the double role in the movement and the State was permeated by tensions, sometimes leading to conflicts and ruptures. The work allows to conclude that, even for those who remained activists in environmental movements, impacts arised from the acting in public agencies on their objective and subjective careers, being remarkable a change in the vision and in the relationship with the State, understood as a place where you can "generate contributions".
5

Dos Movimentos Sociais para o Estado: um Estudo das Carreiras de Ativistas Ambientais no Espírito Santo.

LERBACH, B. C. 20 May 2015 (has links)
Made available in DSpace on 2016-08-29T15:33:39Z (GMT). No. of bitstreams: 1 tese_8906_Dissertação_Brena.pdf: 1538600 bytes, checksum: b84335726e9f6f5d1c65fa95deb7c23c (MD5) Previous issue date: 2015-05-20 A dissertação problematiza as relações entre movimentos sociais e Estado no Brasil contemporâneo, dando enfoque à entrada de lideranças de movimentos para órgãos públicos, por meio da ocupação de cargos de confiança e comissionados. Esta mudança no local de atuação, que pode ser compreendida como trânsito (da sociedade civil para o Estado) ou do ponto de vista da transformação de papéis (de desafiantes a membros da polity), repercute sobre o campo do ativismo em questão, sobre as decisões e políticas dos órgãos públicos envolvidos, assim como sobre o próprio ativista. Tendo em vista essa discussão, estabelecemos como objeto de atenção os impactos promovidos no nível individual, tendo como objetivo investigar e analisar as transformações processadas nas dimensões objetivas e subjetivas de carreiras de lideranças ativistas que adentraram o Estado por meio da ocupação de cargos. Assim, foi realizado um estudo das carreiras ativistas de seis lideranças reconhecidas por terem atuado em um campo específico de militância no Espírito Santo o campo ambiental e que ocuparam cargos em órgãos públicos. A metodologia utilizada foi qualitativa, e os dados foram coletados em entrevistas semiestruturadas e em profundidade com as lideranças e em pesquisa em outras fontes, como páginas de internet e materiais cedidos pelos próprios entrevistados. As análises foram instrumentalizadas teoricamente pela sociologia das carreiras militantes, por meio da qual buscamos reconstruir itinerários objetivos e aspectos subjetivos da atuação política das lideranças. Os resultados revelam que, na maioria dos casos estudados, a entrada para o Estado não foi acompanhada do desengajamento em relação ao ativismo desenvolvido em organizações e lutas ambientalistas; e que é recorrente a conciliação (e por vezes a articulação) de ambos. Todavia, a dupla atuação no movimento e no Estado foi permeada por tensões, levando algumas vezes a conflitos e rupturas. O trabalho permite concluir que, mesmo para os que se mantiveram ativistas em movimentos ambientais, houve impactos decorrentes da atuação em órgãos públicos sobre suas carreiras objetivas e subjetivas, sendo notável uma mudança na visão e na relação com o Estado, compreendido como lugar onde é possível gerar contribuições. Palavras-chave: Relação movimentos sociais - Estado. Ambientalismo. Carreiras ativistas.
6

Emancipação e ambientalismo: um estudo sobre fundamentos para uma educação ambiental crítica Emancipação e Ambientalismo: um estudo sobre fundamentos para uma educação ambiental crítica

Fabíola Marono Zerbini 25 April 2008 (has links)
O presente estudo objetiva Conhecer, organizar e qualificar um discurso coletivo e compartilhado em torno da Educação Ambiental Emancipatória\", que reflita a sua esperança projectual, a ser construído a partir do coletivo que transita em torno deste núcleo semântico, em confronto com o referencial teórico de suas premissas. Para tanto, se desenvolveu a partir de uma ação combinada entre estudos teóricos e empíricos, direcionados a compreender e a explicitar as premissas do objeto da presente pesquisa, de forma a gerar conclusões sobre a pertinência e a viabilidade lógica da hipótese que fundamenta a interação entre as utopias emancipatória e ambientalista em uma proposta pedagógica comum. O estudo teórico rastreou os elementos autores, correntes, teorias e hipóteses -, relacionados aos três temas centrais que compõem a proposta aqui em estudo, quais sejam: utopia emancipatória, utopia ambientalista e educação crítica. Para o primeiro deles o presente estudo se apoiou nos fundamentos e conceitos da noção de emancipação humana de Marx, na noção de sujeito crítico e na dialética do esclarecimento dos teóricos críticos da primeira geração, Adorno e Horkheimer, e, nas críticas de Hannah Arendt à dicotomia filosófica entre liberdade política e liberdade moderna, para concluir pela legitimidade humanista deste conceito que se concretiza como processo de desopressão e de autoconsciência humana. Para a utopia ambientalista, partiu de um resgate histórico da construção de seus valores, sensibilidades e racionalidades, para chegar no conflito contemporâneo entre desenvolvimento sustentável e sustentabilidade socioambiental, posicionando-se por esta última como um processo dinâmico e contínuo de busca de uma melhor interação entre cultura e natureza. Para o terceiro deles, o estudo se pautou em Henry Giroux, Adorno e Paulo Freire para traçar um caminho que parte da crítica à educação colonizadora para a construção e a vivência de uma educação revolucionária, comprometida com a transformação social. O estudo empírico por sua vez se direcionou a promover a construção de um discurso compartilhado, a partir da realização de reuniões semi-estruturadas com um grupo de pessoas previamente identificadas com a proposta da educação ambiental emancipatória, sobre as convergências e complementaridades dos mesmos em relação a este tema. Tendo os discursos 8 transcritos como dados, o estudo se pautou no referencial metodológico da Análise de Conteúdo (Bardin), para se desenvolver em cinco momentos: 1) situando as vozes que buscou apresentar os participantes traçando aspectos comuns de suas biografias, 2) situando a percepção do grupo sobre o objetivo da pesquisa, 3) situando as concepções sobre a utopia emancipatória, 4) situando as concepções sobre a sustentabilidade socioambiental, e, 5) situando as concepções sobre educação crítica. Os resultados das análises empíricas apontaram para a existência de convergências e complementaridades, capazes de colaborar em um discurso compartilhado sobre os questionamentos e as esperanças projetadas na educação ambiental emancipatória, confirmando a primeira componente da hipótese da presente pesquisa sobre a intersecção dos núcleos não ser vazia, ou seja, subjacente à utilização de uma terminologia comum pelo grupo, há afinidade e identidade de propósitos e significados desta terminologia. O último capítulo por sua vez, contrastou os resultados teóricos e empíricos, de forma a qualificar o discurso compartilhado em torno da educação ambiental emancipatória, comprovando a segunda componente da hipótese de que este discurso se fundamenta em premissas comprovadas teoricamente para cada um de seus elementos, e para todos na interação em um conceito único, a educação ambiental emancipatória. O presente estudo objetiva Conhecer, organizar e qualificar um discurso coletivo e compartilhado em torno da Educação Ambiental Emancipatória\", que reflita a sua esperança projectual, a ser construído a partir do coletivo que transita em torno deste núcleo semântico, em confronto com o referencial teórico de suas premissas. Para tanto, se desenvolveu a partir de uma ação combinada entre estudos teóricos e empíricos, direcionados a compreender e a explicitar as premissas do objeto da presente pesquisa, de forma a gerar conclusões sobre a pertinência e a viabilidade lógica da hipótese que fundamenta a interação entre as utopias emancipatória e ambientalista em uma proposta pedagógica comum. O estudo teórico rastreou os elementos autores, correntes, teorias e hipóteses -, relacionados aos três temas centrais que compõem a proposta aqui em estudo, quais sejam: utopia emancipatória, utopia ambientalista e educação crítica. Para o primeiro deles o presente estudo se apoiou nos fundamentos e conceitos da noção de emancipação humana de Marx, na noção de sujeito crítico e na dialética do esclarecimento dos teóricos críticos da primeira geração, Adorno e Horkheimer, e, nas críticas de Hannah Arendt à dicotomia filosófica entre liberdade política e liberdade moderna, para concluir pela legitimidade humanista deste conceito que se concretiza como processo de desopressão e de autoconsciência humana. Para a utopia ambientalista, partiu de um resgate histórico da construção de seus valores, sensibilidades e racionalidades, para chegar no conflito contemporâneo entre desenvolvimento sustentável e sustentabilidade socioambiental, posicionando-se por esta última como um processo dinâmico e contínuo de busca de uma melhor interação entre cultura e natureza. Para o terceiro deles, o estudo se pautou em Henry Giroux, Adorno e Paulo Freire para traçar um caminho que parte da crítica à educação colonizadora para a construção e a vivência de uma educação revolucionária, comprometida com a transformação social. O estudo empírico por sua vez se direcionou a promover a construção de um discurso compartilhado, a partir da realização de reuniões semi-estruturadas com um grupo de pessoas previamente identificadas com a proposta da educação ambiental emancipatória, sobre as convergências e complementaridades dos mesmos em relação a este tema. Tendo os discursos 8 transcritos como dados, o estudo se pautou no referencial metodológico da Análise de Conteúdo (Bardin), para se desenvolver em cinco momentos: 1) situando as vozes que buscou apresentar os participantes traçando aspectos comuns de suas biografias, 2) situando a percepção do grupo sobre o objetivo da pesquisa, 3) situando as concepções sobre a utopia emancipatória, 4) situando as concepções sobre a sustentabilidade socioambiental, e, 5) situando as concepções sobre educação crítica. Os resultados das análises empíricas apontaram para a existência de convergências e complementaridades, capazes de colaborar em um discurso compartilhado sobre os questionamentos e as esperanças projetadas na educação ambiental emancipatória, confirmando a primeira componente da hipótese da presente pesquisa sobre a intersecção dos núcleos não ser vazia, ou seja, subjacente à utilização de uma terminologia comum pelo grupo, há afinidade e identidade de propósitos e significados desta terminologia. O último capítulo por sua vez, contrastou os resultados teóricos e empíricos, de forma a qualificar o discurso compartilhado em torno da educação ambiental emancipatória, comprovando a segunda componente da hipótese de que este discurso se fundamenta em premissas comprovadas teoricamente para cada um de seus elementos, e para todos na interação em um conceito único, a educação ambiental emancipatória.
7

Modernização ecológica V.S. ambientalismo multissetorial no setor empresarial sul-brasileiro

Silva, Guilherme Nunes 2000 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Sociologia Política. Made available in DSpace on 2012-10-18T01:08:05Z (GMT). No. of bitstreams: 1 226274.pdf: 771293 bytes, checksum: 5ae8b252cdf1f44ceabd23944819a713 (MD5) O presente trabalho propõe-se a através do estudo de caso da adoção de Tecnologias Limpas comprovar/refutar as hipóteses levantadas pelo Ambientalismo Multissetorial e pela Teoria da Modernização Ecológica para explicar a mudança de comportamento empresarial quanto ao meio ambiente ao adotar procedimentos pró-ativos em lugar do fim-de-tubo. A metodologia de análise foi a da análise de discurso da escola francesa. Do confronto das teorias em pauta frente aos resultados analíticos procurou-se desenvolver um debate teórico aprofundando questões da modernidade em relação a crise ambiental apontando novas perspectivas ao avanço desta pesquisa.
8

A natureza da ideologia e a ideologia da natureza : elementos para uma sociologia da educação ambiental

Layrargues, Philippe Pomier 2003 (has links)
Orientador : Leila da Costa Ferreira Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciencias Humanas Made available in DSpace on 2018-08-03T09:26:09Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Layrargues_PhilippePomier_D.pdf: 10360189 bytes, checksum: 52323e86fd5cb8a784592090cfff0597 (MD5) Previous issue date: 2003 Resumo: Essa tese de doutorado aborda a educação ambiental como objeto de estudo sociológico e apresenta a Teoria das Ideologias como referencial teórico. Tem como questão motivadora central das reflexões, a indagação de que tal qual a Educação estaria também a educação ambiental sujeita a constituir-se num instrumento ideológico de reprodução das condições sociais? Essa indagação, sociologicamente crucial, remete-nos à reflexão sobre a função social da educação ambiental, ou seja, remete-nos ao enquadramento analítico das relações estabelecidas entre a educação ambiental e a mudança social, deixando em segundo plano, as relações estabelecidas entre a educação ambiental e a mudança ambiental. Nesse sentido, percorremos alguns dos principais elementos do campo da educação ambiental, a exemplo da lei que rege a Política Nacional, da principal metodologia adotada e da principal atividade pedagógica, procurando identificar suas relações com a mudança social Abstract: This Doctoral Thesis concerns on the environmental education as an object of sociology study and presents a Theory of the Ideologies as a theoretical reference. The central motivational reflection is the question of as a part of Education, the Environmental Education shall also become an ideological instrument to reproduce the social conditions? This question, sociologically curtail, send us to reflect about the social function of the environmental education, in other words, send us to the analytical framework of the relations established between the environment education and the social change, leaving the relations established between the environmental education and the environmental change in the background. In this sense, we follow some of the principal elements of the environmental educational space, as an example of the law that drives the National Policy, from the main methodology adopted and the main pedagogic activity, seeking to identify their relationship with the social change Doutorado Doutor em Sociologia
9

Mensuração da predisposição ao comportamento sustentável por meio da teoria da resposta ao item

Afonso, Michele Hartmann Feyh 2013 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Tecnológico, Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção, Florianópolis, 2013. Made available in DSpace on 2014-08-06T17:40:09Z (GMT). No. of bitstreams: 1 325589.pdf: 2658928 bytes, checksum: 84aba552ba6fdd5a1a71120701424d49 (MD5) Previous issue date: 2013 Resumo : Esse trabalho tem como objetivo desenvolver uma escala de mensuração da predisposição ao comportamento sustentável por meio da Teoria da Resposta ao Item. A construção da escala é realizada com base em uma pesquisa que consultou 401 brasileiros nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Recife e Porto Alegre sobre hábitos de vida e bem estar. A utilização da Teoria da Resposta ao Item permitiu identificar o caminho por trás da predisposição ao comportamento sustentável, indicando que existe um processo de migração até os indivíduos adotarem efetivamente hábitos mais responsáveis, o qual é caracterizado por seis níveis. O processo passa por deixar de atribuir grande importância a bens materiais, apresentar receptividade e fazer uma primeira reflexão sobre o assunto, reconhecer e aceitar o problema ambiental, se envolver com a questão de forma a buscar maior conhecimento e apresentar um senso de responsabilização sobre o problema, se perceber como capaz de fazer alguma coisa pelo problema e, por fim, um aprofundamento dos valores pós-materialistas. Os resultados mostram que os brasileiros, apesar de apresentarem grande preocupação com a questão ambiental, se encontram nas fases iniciais de predisposição ao comportamento sustentável. Dois terços dos entrevistados se posiciona no grupo de receptivos aos problemas ambientais e um quarto no grupo que reconhece e aceita o problema.
Abstract : This paper aims to develop a scale for measuring predisposition to sustainable behavior through Item Response Theory. The scale construction is achieved based on a survey that interviewed 401 Brazilians in São Paulo, Rio de Janeiro, Recife and Porto Alegre in lifestyle and wellness. The use of Item Response Theory identifies the predisposition to sustainable behavior, indicating that individuals experience a migration process until effectively adopting sustainable habits. This process is characterized by six levels. The process goes through ceasing the great importance given to material goods, show responsiveness and making a first reflection on the subject, recognize and accept the environmental problem, engage with the problem by seeking greater knowledge and presenting a sense of accountability for the issue, perceiving the ability to act upon the problem, and finally show a deepening of post-materialist values. The results show that the Brazilians, despite showing great concern with environmental issues, are in the early stages of predisposition to sustainable behavior. Two thirds of respondents are classified as receptive to environmental problems and a quarter of respondents are in the group that recognized and accepts the problem.
10

\"Quando o sol brilha, eles fogem para a sombra...\": a ideologia do aquecimento global \"When the sun shines, they slip into the shade...\": global warming ideology

Daniela de Souza Onça 18 February 2011 (has links)
Esta pesquisa procura reunir provas e evidências científicas contrárias à hipótese do aquecimento global antropogênico e elucidar seu significado na atualidade. Argumentamos que o clima está em permanente transformação, não podendo ser reduzido a um produto de variações das concentrações atmosféricas de dióxido de carbono e que a preocupação com mudanças climáticas não é uma novidade histórica mas, apesar disso, nosso desconhecimento sobre o funcionamento do sistema climático é ainda desafiador. Concluímos que a hipótese do aquecimento global antropogênico não é consensual e exerce hoje a função de ideologia legitimadora do capitalismo tardio, perpetuando a exclusão social travestindo-se de compromisso com as gerações futuras. This research aims to gather scientific proofs and evidences against anthropogenic global warming hypothesis and to elucidate its meaning in the present. We argue that climate is in a permanent transformation, not resuming itself to a product of atmospheric carbon dioxide concentration variations and that worries about climatic changes are not new but, despite this, our ignorance on the functioning of the climate system is still challenging. We conclude that anthropogenic global warming hypothesis is not consensual and exerts nowadays the function of late capitalism legitimating ideology, perpetuating social exclusion transvestiting itself as a commitment to future generations.

Page generated in 0.0898 seconds