• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 81
  • Tagged with
  • 83
  • 32
  • 20
  • 19
  • 18
  • 16
  • 16
  • 15
  • 13
  • 12
  • 12
  • 11
  • 9
  • 9
  • 9
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

O ambiente da educação e a educação no ambiente

Ferreira, Alexandre Garcia Gonçalves 2006 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Educação. Programa de Pós-Graduação em Educação. Made available in DSpace on 2012-10-22T11:17:17Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Nesse breve ensaio teórico, são apresentados elementos fundamentais do debate socioambiental, focalizando criticamente dois pontos: a Educação Ambiental e o Movimento Ambientalista. A apresentação das idéias é ilustrada com a descrição e discussão a respeito de um caso prático de Educação Ambiental em cavernas. Organizado em 3 partes - que podem ser lidas em conjunto ou independentemente - o texto apresenta, na primeira delas, uma exposição preliminar-introdutória sobre a crise socioambiental; na segunda, uma discussão sobre Unidades de Conservação e a atuação de ONGs e OSCIPs nessas áreas; e, por fim, um último capítulo dedicado à crítica do movimento ambientalista, a partir da idéia de radicalismo.
2

Entre fatos científicos e estados de risco: o caso das Baleiras Jubartes

TORRES, C. C. A. 27 June 2016 (has links)
Made available in DSpace on 2018-08-02T00:15:15Z (GMT). No. of bitstreams: 1 tese_9952_DISSERTAÇÃO_CLARACRIZIO_catalogada.pdf: 2133511 bytes, checksum: a4087c6d1ffbca2f8e463e142d195362 (MD5) Previous issue date: 2016-06-27 O presente trabalho de dissertação consiste em um empreendimento etnográfico focado nas atuações do Instituto Baleia Jubarte, que foram observadas a partir de sua base, localizada em Caravelas BA. O Instituto é um projeto de conservação da biodiversidade voltado principalmente a uma espécie emblemática para o ambientalismo (Baleia Jubarte, Megaptera novaeangliae). Através de uma perspectiva inspirada na Antropologia da Ciência, buscar-se-á delinear parte da rede de relacionamentos voltada à conservação da baleia jubarte, partindo do local em foco, e, concomitantemente, da análise de publicações científicas vinculadas à instituição. Serão visadas questões relativas a práticas, modos relacionais e ontologias do coletivo observado e algumas outras que podem entrar em conflito com o mesmo em diversas arenas voltadas à conservação das baleias aonde atuam os profissionais tecnocientíficos, extrapolando assim algumas questões para outros sujeitos que também se relacionam de formas outras com os animais. Neste material será feita uma tentativa de compreender as relações estabelecidas no trabalho de campo dos profissionais técnico-científicos do Instituto com seus principais sujeitos-objetos de estudo e proteção: as baleias jubartes. Para tais finalidades, o Instituto será visto inicialmente como um nó górdio de relações entre esferas tecnocientíficas, legais, conhecimentos locais, interesses econômicos, aspectos simbólicos e afetivos ligados à espécie, etc. Para fins de análise, foram diferenciadas duas linhas de relações envolvendo a baleia a partir do IBJ, denominadas: fluxo formal-textual e fluxo cotidiano-empírico.
3

Consumo sustentável e sua relevância na cultura contemporânea: análise de hábitos e práticas nas dimensões da cultura de consumo

Bittencourt, Marcia da Costa 14 June 2013 (has links)
Submitted by Marcia Bittencourt (marciabit@uol.com.br) on 2013-06-10T19:10:26Z No. of bitstreams: 1 Versão Final Dissertação Marcia Bittencourt.pdf: 2269091 bytes, checksum: fae76bf5115460ab6be7b882896294be (MD5) Approved for entry into archive by Alda Lima da Silva(sivalda@ufba.br) on 2013-06-14T20:01:57Z (GMT) No. of bitstreams: 1 Versão Final Dissertação Marcia Bittencourt.pdf: 2269091 bytes, checksum: fae76bf5115460ab6be7b882896294be (MD5) Made available in DSpace on 2013-06-14T20:01:57Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Versão Final Dissertação Marcia Bittencourt.pdf: 2269091 bytes, checksum: fae76bf5115460ab6be7b882896294be (MD5) O objetivo deste estudo é identificar, caracterizar e analisar modos de consumo, reconhecidos como associados à ideologia da sustentabilidade. Como suporte para essa análise, a pesquisa está dividida em três partes. A primeira contempla a análise de alguns aspectos da cultura de consumo, a partir da compreensão da formação da sociedade de consumo contemporânea, dos alicerces da cultura de consumo e sua evolução histórica, com ênfase na década de 1960. A segunda aborda os estudos de pesquisadores ambientalistas e autores que analisam a problemática ambiental, faz um resgate das origens do movimento ambientalista e traz uma breve reflexão sobre a sustentabilidade e sua relevância na contemporaneidade. A terceira trata de questões que envolvem o consumidor e o papel da comunicação, para tanto, parte da reflexão sobre a relação entre a cultura de consumo e o movimento ambiental e posteriormente é introduzida a discussão em torno das noções de consumo verde e consumo sustentável e suas principais críticas, abordando estudos que trazem à luz a existência de modos de consumo relacionados às questões da sustentabilidade. Essa abordagem permite a discussão sobre o papel da comunicação das marcas no contexto contemporâneo de consumo e sua relação com esse perfil de consumidor. A compreensão da relação entre o ambientalismo e a cultura de consumo e um melhor entendimento da existência de um perfil de consumo orientado pela ideologia da sustentabilidade evidencia a insustentabilidade dos modos de vida contemporâneos em razão da finitude de seus recursos naturais e degradação da ecosfera e possibilita a análise de seu papel e relevância na capacidade de promover mudanças reais sobre o futuro da humanidade. Salvador - Bahia
4

Movimento ambientalista e modernidade : sociabilidade, risco e moral

Tavolaro, Sergio Barreira de Faria 1998 (has links)
Orientador: Leila da Costa Ferreira Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciencias Humanas Made available in DSpace on 2018-07-24T02:49:46Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Tavolaro_SergioBarreiradeFaria_M.pdf: 5788398 bytes, checksum: 28c17da433d1696182b8c94d9e12edd6 (MD5) Previous issue date: 1998 Resumo: Não informado Abstract: Not informed. Mestrado Mestre em Sociologia
5

Dos movimentos sociais para o Estado : um estudo das carreiras dos ativistas ambientais no Espírito Santo

Lerbarch, Brena Costa 2015 (has links)
Submitted by Maykon Nascimento (maykon.albani@hotmail.com) on 2015-07-30T20:36:28Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 23148 bytes, checksum: 9da0b6dfac957114c6a7714714b86306 (MD5) Dos movimentos sociais para o Estado um estudo das carreiras dos ativistas ambientais no Espírito Santo.pdf: 1545656 bytes, checksum: ee6c65fa81beb6b53ea5a6981a74dd0a (MD5) Approved for entry into archive by Patricia Barros (patricia.barros@ufes.br) on 2015-08-12T16:25:19Z (GMT) No. of bitstreams: 2 license_rdf: 23148 bytes, checksum: 9da0b6dfac957114c6a7714714b86306 (MD5) Dos movimentos sociais para o Estado um estudo das carreiras dos ativistas ambientais no Espírito Santo.pdf: 1545656 bytes, checksum: ee6c65fa81beb6b53ea5a6981a74dd0a (MD5) Made available in DSpace on 2015-08-12T16:25:19Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 23148 bytes, checksum: 9da0b6dfac957114c6a7714714b86306 (MD5) Dos movimentos sociais para o Estado um estudo das carreiras dos ativistas ambientais no Espírito Santo.pdf: 1545656 bytes, checksum: ee6c65fa81beb6b53ea5a6981a74dd0a (MD5) Previous issue date: 2015 A dissertação problematiza as relações entre movimentos sociais e Estado no Brasil contemporâneo, dando enfoque à entrada de lideranças de movimentos para órgãos públicos, por meio da ocupação de cargos de confiança e comissionados. Esta mudança no local de atuação, que pode ser compreendida como “trânsito” (da sociedade civil para o Estado) ou do ponto de vista da transformação de papéis (de desafiantes a membros da polity), repercute sobre o campo do ativismo em questão, sobre as decisões e políticas dos órgãos públicos envolvidos, assim como sobre o próprio ativista. Tendo em vista essa discussão, estabelecemos como objeto de atenção os impactos promovidos no nível individual, tendo como objetivo investigar e analisar as transformações processadas nas dimensões objetivas e subjetivas de carreiras de lideranças ativistas que adentraram o Estado por meio da ocupação de cargos. Assim, foi realizado um estudo das carreiras ativistas de seis lideranças reconhecidas por terem atuado em um campo específico de militância no Espírito Santo – o campo ambiental – e que ocuparam cargos em órgãos públicos. A metodologia utilizada foi qualitativa, e os dados foram coletados em entrevistas semiestruturadas e em profundidade com as lideranças e em pesquisa em outras fontes, como páginas de internet e materiais cedidos pelos próprios entrevistados. As análises foram instrumentalizadas teoricamente pela sociologia das carreiras militantes, por meio da qual buscamos reconstruir itinerários objetivos e aspectos subjetivos da atuação política das lideranças. Os resultados revelam que, na maioria dos casos estudados, a entrada para o Estado não foi acompanhada do desengajamento em relação ao ativismo desenvolvido em organizações e lutas ambientalistas; e que é recorrente a conciliação (e por vezes a articulação) de ambos. Todavia, a dupla atuação no movimento e no Estado foi permeada por tensões, levando algumas vezes a conflitos e rupturas. O trabalho permite concluir que, mesmo para os que se mantiveram ativistas em movimentos ambientais, houve impactos decorrentes da atuação em órgãos públicos sobre suas carreiras objetivas e subjetivas, sendo notável uma mudança na visão e na relação com o Estado, compreendido como lugar onde é possível “gerar contribuições”. The dissertation discusses the relationship between social movements and State in contemporary Brazil, focusing on the entrance of movement leaders to public agencies, by occupying appointed positions. This change in the place of political acting, which can be understood as a “transit” (from civil society to State) or from the point of view of the transformation of roles (from challengers to members of the polity), reverberates on the field of activism concerned, on the decisions and policies of the public agencies involved, as well as on the activist himself. In view of this discution, we established as object of attention the impacts promoted in the individual level, aiming to investigate and analyze the transformations processed in the objective and subjective dimensions of activist leaders' careers who stepped into the State through the occupation of public sector jobs. Thus, a study of the activist careers of six leaders recognized for having acted in a specific field of militancy on Espírito Santo (Brazil) – the environmental field – and who occupied positions in public agencies was performed. The methodology used was qualitative, and the data were collected through semi-structured in-depth interviews with the leaderships and through research in other sources, such as web pages and materials given by the interviewees. The analysis were instrumentalized by the sociology of activist careers, through which we sought to reconstruct objective itineraries and subjective aspects of the political acting of the leaders. The results reveal that, in most studied cases, the admission to State has not been followed by disengagement regarding the activism developed in environmental struggles and organizations; and that the conciliation (and sometimes the articulation) of both is recurrent. However, the double role in the movement and the State was permeated by tensions, sometimes leading to conflicts and ruptures. The work allows to conclude that, even for those who remained activists in environmental movements, impacts arised from the acting in public agencies on their objective and subjective careers, being remarkable a change in the vision and in the relationship with the State, understood as a place where you can "generate contributions".
6

Dos Movimentos Sociais para o Estado: um Estudo das Carreiras de Ativistas Ambientais no Espírito Santo.

LERBACH, B. C. 20 May 2015 (has links)
Made available in DSpace on 2016-08-29T15:33:39Z (GMT). No. of bitstreams: 1 tese_8906_Dissertação_Brena.pdf: 1538600 bytes, checksum: b84335726e9f6f5d1c65fa95deb7c23c (MD5) Previous issue date: 2015-05-20 A dissertação problematiza as relações entre movimentos sociais e Estado no Brasil contemporâneo, dando enfoque à entrada de lideranças de movimentos para órgãos públicos, por meio da ocupação de cargos de confiança e comissionados. Esta mudança no local de atuação, que pode ser compreendida como trânsito (da sociedade civil para o Estado) ou do ponto de vista da transformação de papéis (de desafiantes a membros da polity), repercute sobre o campo do ativismo em questão, sobre as decisões e políticas dos órgãos públicos envolvidos, assim como sobre o próprio ativista. Tendo em vista essa discussão, estabelecemos como objeto de atenção os impactos promovidos no nível individual, tendo como objetivo investigar e analisar as transformações processadas nas dimensões objetivas e subjetivas de carreiras de lideranças ativistas que adentraram o Estado por meio da ocupação de cargos. Assim, foi realizado um estudo das carreiras ativistas de seis lideranças reconhecidas por terem atuado em um campo específico de militância no Espírito Santo o campo ambiental e que ocuparam cargos em órgãos públicos. A metodologia utilizada foi qualitativa, e os dados foram coletados em entrevistas semiestruturadas e em profundidade com as lideranças e em pesquisa em outras fontes, como páginas de internet e materiais cedidos pelos próprios entrevistados. As análises foram instrumentalizadas teoricamente pela sociologia das carreiras militantes, por meio da qual buscamos reconstruir itinerários objetivos e aspectos subjetivos da atuação política das lideranças. Os resultados revelam que, na maioria dos casos estudados, a entrada para o Estado não foi acompanhada do desengajamento em relação ao ativismo desenvolvido em organizações e lutas ambientalistas; e que é recorrente a conciliação (e por vezes a articulação) de ambos. Todavia, a dupla atuação no movimento e no Estado foi permeada por tensões, levando algumas vezes a conflitos e rupturas. O trabalho permite concluir que, mesmo para os que se mantiveram ativistas em movimentos ambientais, houve impactos decorrentes da atuação em órgãos públicos sobre suas carreiras objetivas e subjetivas, sendo notável uma mudança na visão e na relação com o Estado, compreendido como lugar onde é possível gerar contribuições. Palavras-chave: Relação movimentos sociais - Estado. Ambientalismo. Carreiras ativistas.
7

Emancipação e ambientalismo: um estudo sobre fundamentos para uma educação ambiental crítica Emancipação e Ambientalismo: um estudo sobre fundamentos para uma educação ambiental crítica

Fabíola Marono Zerbini 25 April 2008 (has links)
O presente estudo objetiva Conhecer, organizar e qualificar um discurso coletivo e compartilhado em torno da Educação Ambiental Emancipatória\", que reflita a sua esperança projectual, a ser construído a partir do coletivo que transita em torno deste núcleo semântico, em confronto com o referencial teórico de suas premissas. Para tanto, se desenvolveu a partir de uma ação combinada entre estudos teóricos e empíricos, direcionados a compreender e a explicitar as premissas do objeto da presente pesquisa, de forma a gerar conclusões sobre a pertinência e a viabilidade lógica da hipótese que fundamenta a interação entre as utopias emancipatória e ambientalista em uma proposta pedagógica comum. O estudo teórico rastreou os elementos autores, correntes, teorias e hipóteses -, relacionados aos três temas centrais que compõem a proposta aqui em estudo, quais sejam: utopia emancipatória, utopia ambientalista e educação crítica. Para o primeiro deles o presente estudo se apoiou nos fundamentos e conceitos da noção de emancipação humana de Marx, na noção de sujeito crítico e na dialética do esclarecimento dos teóricos críticos da primeira geração, Adorno e Horkheimer, e, nas críticas de Hannah Arendt à dicotomia filosófica entre liberdade política e liberdade moderna, para concluir pela legitimidade humanista deste conceito que se concretiza como processo de desopressão e de autoconsciência humana. Para a utopia ambientalista, partiu de um resgate histórico da construção de seus valores, sensibilidades e racionalidades, para chegar no conflito contemporâneo entre desenvolvimento sustentável e sustentabilidade socioambiental, posicionando-se por esta última como um processo dinâmico e contínuo de busca de uma melhor interação entre cultura e natureza. Para o terceiro deles, o estudo se pautou em Henry Giroux, Adorno e Paulo Freire para traçar um caminho que parte da crítica à educação colonizadora para a construção e a vivência de uma educação revolucionária, comprometida com a transformação social. O estudo empírico por sua vez se direcionou a promover a construção de um discurso compartilhado, a partir da realização de reuniões semi-estruturadas com um grupo de pessoas previamente identificadas com a proposta da educação ambiental emancipatória, sobre as convergências e complementaridades dos mesmos em relação a este tema. Tendo os discursos 8 transcritos como dados, o estudo se pautou no referencial metodológico da Análise de Conteúdo (Bardin), para se desenvolver em cinco momentos: 1) situando as vozes que buscou apresentar os participantes traçando aspectos comuns de suas biografias, 2) situando a percepção do grupo sobre o objetivo da pesquisa, 3) situando as concepções sobre a utopia emancipatória, 4) situando as concepções sobre a sustentabilidade socioambiental, e, 5) situando as concepções sobre educação crítica. Os resultados das análises empíricas apontaram para a existência de convergências e complementaridades, capazes de colaborar em um discurso compartilhado sobre os questionamentos e as esperanças projetadas na educação ambiental emancipatória, confirmando a primeira componente da hipótese da presente pesquisa sobre a intersecção dos núcleos não ser vazia, ou seja, subjacente à utilização de uma terminologia comum pelo grupo, há afinidade e identidade de propósitos e significados desta terminologia. O último capítulo por sua vez, contrastou os resultados teóricos e empíricos, de forma a qualificar o discurso compartilhado em torno da educação ambiental emancipatória, comprovando a segunda componente da hipótese de que este discurso se fundamenta em premissas comprovadas teoricamente para cada um de seus elementos, e para todos na interação em um conceito único, a educação ambiental emancipatória. O presente estudo objetiva Conhecer, organizar e qualificar um discurso coletivo e compartilhado em torno da Educação Ambiental Emancipatória\", que reflita a sua esperança projectual, a ser construído a partir do coletivo que transita em torno deste núcleo semântico, em confronto com o referencial teórico de suas premissas. Para tanto, se desenvolveu a partir de uma ação combinada entre estudos teóricos e empíricos, direcionados a compreender e a explicitar as premissas do objeto da presente pesquisa, de forma a gerar conclusões sobre a pertinência e a viabilidade lógica da hipótese que fundamenta a interação entre as utopias emancipatória e ambientalista em uma proposta pedagógica comum. O estudo teórico rastreou os elementos autores, correntes, teorias e hipóteses -, relacionados aos três temas centrais que compõem a proposta aqui em estudo, quais sejam: utopia emancipatória, utopia ambientalista e educação crítica. Para o primeiro deles o presente estudo se apoiou nos fundamentos e conceitos da noção de emancipação humana de Marx, na noção de sujeito crítico e na dialética do esclarecimento dos teóricos críticos da primeira geração, Adorno e Horkheimer, e, nas críticas de Hannah Arendt à dicotomia filosófica entre liberdade política e liberdade moderna, para concluir pela legitimidade humanista deste conceito que se concretiza como processo de desopressão e de autoconsciência humana. Para a utopia ambientalista, partiu de um resgate histórico da construção de seus valores, sensibilidades e racionalidades, para chegar no conflito contemporâneo entre desenvolvimento sustentável e sustentabilidade socioambiental, posicionando-se por esta última como um processo dinâmico e contínuo de busca de uma melhor interação entre cultura e natureza. Para o terceiro deles, o estudo se pautou em Henry Giroux, Adorno e Paulo Freire para traçar um caminho que parte da crítica à educação colonizadora para a construção e a vivência de uma educação revolucionária, comprometida com a transformação social. O estudo empírico por sua vez se direcionou a promover a construção de um discurso compartilhado, a partir da realização de reuniões semi-estruturadas com um grupo de pessoas previamente identificadas com a proposta da educação ambiental emancipatória, sobre as convergências e complementaridades dos mesmos em relação a este tema. Tendo os discursos 8 transcritos como dados, o estudo se pautou no referencial metodológico da Análise de Conteúdo (Bardin), para se desenvolver em cinco momentos: 1) situando as vozes que buscou apresentar os participantes traçando aspectos comuns de suas biografias, 2) situando a percepção do grupo sobre o objetivo da pesquisa, 3) situando as concepções sobre a utopia emancipatória, 4) situando as concepções sobre a sustentabilidade socioambiental, e, 5) situando as concepções sobre educação crítica. Os resultados das análises empíricas apontaram para a existência de convergências e complementaridades, capazes de colaborar em um discurso compartilhado sobre os questionamentos e as esperanças projetadas na educação ambiental emancipatória, confirmando a primeira componente da hipótese da presente pesquisa sobre a intersecção dos núcleos não ser vazia, ou seja, subjacente à utilização de uma terminologia comum pelo grupo, há afinidade e identidade de propósitos e significados desta terminologia. O último capítulo por sua vez, contrastou os resultados teóricos e empíricos, de forma a qualificar o discurso compartilhado em torno da educação ambiental emancipatória, comprovando a segunda componente da hipótese de que este discurso se fundamenta em premissas comprovadas teoricamente para cada um de seus elementos, e para todos na interação em um conceito único, a educação ambiental emancipatória.
8

Modernização ecológica V.S. ambientalismo multissetorial no setor empresarial sul-brasileiro

Silva, Guilherme Nunes 2000 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Sociologia Política. Made available in DSpace on 2012-10-18T01:08:05Z (GMT). No. of bitstreams: 1 226274.pdf: 771293 bytes, checksum: 5ae8b252cdf1f44ceabd23944819a713 (MD5) O presente trabalho propõe-se a através do estudo de caso da adoção de Tecnologias Limpas comprovar/refutar as hipóteses levantadas pelo Ambientalismo Multissetorial e pela Teoria da Modernização Ecológica para explicar a mudança de comportamento empresarial quanto ao meio ambiente ao adotar procedimentos pró-ativos em lugar do fim-de-tubo. A metodologia de análise foi a da análise de discurso da escola francesa. Do confronto das teorias em pauta frente aos resultados analíticos procurou-se desenvolver um debate teórico aprofundando questões da modernidade em relação a crise ambiental apontando novas perspectivas ao avanço desta pesquisa.
9

Ação coletiva na redução de emissões de carbono por desmatamento e de gradação :a atuação de organizações da sociedade civil brasileiras entre 2005 e 2010

Oliveira, Ana Leonardo Nassar de 2 March 2012 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciência Política, 2012. Submitted by Sabrina Silva de Macedo (sabrinamacedo@bce.unb.br) on 2012-07-02T14:56:33Z No. of bitstreams: 1 2012_AnaLeornadoNassardeOliveira.pdf: 1259606 bytes, checksum: 7477a5f7185ca873827e8e735cb66ac9 (MD5) Approved for entry into archive by Jaqueline Ferreira de Souza(jaquefs.braz@gmail.com) on 2012-07-06T15:14:42Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2012_AnaLeornadoNassardeOliveira.pdf: 1259606 bytes, checksum: 7477a5f7185ca873827e8e735cb66ac9 (MD5) Made available in DSpace on 2012-07-06T15:14:42Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2012_AnaLeornadoNassardeOliveira.pdf: 1259606 bytes, checksum: 7477a5f7185ca873827e8e735cb66ac9 (MD5) A busca por soluções para o problema das mudanças climáticas mobiliza representantes dos governos e da sociedade, envolvendo universidades, empresas privadas e organizações da sociedade civil (OSCs), entre outros atores. Esta pesquisa identifica e analisa as características das estratégias de ação coletiva adotadas por um grupo de OSCs brasileiras, entre os anos de 2005 e 2010, no se refere a políticas nacionais e internacionais sobre florestas no âmbito do debate sobre mudanças climáticas. Essa discussão ganha especial importância no Brasil, porquanto a maior parte de suas emissões de GEE é oriunda do desmatamento e degradação das florestas. Além disso, o Brasil conta com grande cobertura florestal conservada e pode ser beneficiado pela construção de um mecanismo internacional dedicado à redução das emissões de GEE por desmatamento e degradação de florestas. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, com base em um estudo sobre a atuação de 10 OSCs, a qual busca contribuir com uma discussão mais ampla sobre as formas de atuação de OSCs em processos de construção de políticas públicas em nível doméstico e internacional. As hipóteses consideradas foram: 1) as características das estratégias adotadas pelas OSCs podem ser explicadas a partir das interpretações dessas organizações sobre mudanças no contexto político em nível nacional e internacional, a partir de 2005; 2) a percepção das OSCs de que, a partir de 2005, há mais possibilidades para influenciar o processo de tomada de decisão sobre florestas e mudanças climáticas no Brasil do que em nível internacional, fez com que essas organizações priorizassem estratégias direcionadas ao processo de definição de políticas nacionais; 3) o desenvolvimento de estratégias comuns por meio de coalizões nacionais foi geralmente privilegiado pelas OSCs, em detrimento da adoção de estratégias individuais. Ao longo da pesquisa, observou-se a predominância de estratégias de cooperação, voltadas principalmente para a produção e disseminação de conhecimento sobre florestas e mudanças climáticas. Verificou-se, ademais, que o nível doméstico foi o principal lócus para desenvolvimento das estratégias dessas OSCs. Por fim, observou-se que, sempre que possível, essas organizações preferiram desenvolver suas estratégias em colaboração com outros atores, por meio de coalizões, ao invés de implementá-las individualmente. A partir da pesquisa, é possível afirmar que as escolhas dessas organizações, não são fixas. Podem mudar a partir da sua inserção em um determinado contexto político e da interação com outros atores sociais. _________________________________________________________________________________ ABSTRACT The quest for solutions for the climate change problem mobilizes representatives from governments and society, involving universities, private companies and civil society organizations (CSOs). This study identifies and make an analysis of the characteristics of the strategies developed and implemented by a group of Brazilian CSOs, between2005 and 2010, regarding national and international policies on forests and climate change. This discussion is especially important in Brazil where most greenhouse gases(GHG) emissions come from deforestation and forest degradation. Moreover, Brazilstill has most of its original forest areas conserved and can benefit from an international mechanism dedicated to reducing GHG emissions from deforestation and forest degradation. This is a qualitative research based on the analysis of 10 CSOs, which aim sat contributing to a broader discussion on the influence of CSOs in the development of public policies at the domestic and international levels. The hypotheses’ considered were: 1) the characteristics of the strategies adopted by the CSOs can be explained by their interpretation of the changes in the political context at national and international level since 2005; 2) the perception of the CSOs that from 2005 there have been more possibilities to influence the decision-making process on forests and climate change in Brazil than internationally led to the prioritization of strategies focused on the national level; 3) the development of common strategies through national coalitions was generally favored by the CSOs at the expense of individual strategies. Throughout this study, we observed the predominance of cooperative strategies, geared mainly to the development and dissemination of knowledge about forests and climate change. Fur thermore, we found out that the domestic level was the main locus for the development of CSOs strategies. Finally, we observed that, whenever possible, these organizations prefered to develop their strategies in collaboration with other actors,through coalitions, rather than to implement them individually. Based on this research, we conclude that the choices of these organizations are not fixed. They can change according to their insertion into a particular political context and interaction with other social actors.
10

Decodificando a internacionalização da Amazônia em narrativas e práticas institucionais : governos da natureza no Brasil e nos EUA

Medeiros, Rodrigo Augusto Lima de 12 April 2012 (has links)
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Sociais, Programa de Pós-Graduação em Estudos Comparados sobre as Américas, 2012. Submitted by Alaíde Gonçalves dos Santos (alaide@unb.br) on 2012-09-25T11:32:28Z No. of bitstreams: 1 2012_RodrigoAugustoLimadeMedeiros.pdf: 2192142 bytes, checksum: 6883788058ecf45ae422a7f5ba744cfc (MD5) Approved for entry into archive by Guimaraes Jacqueline(jacqueline.guimaraes@bce.unb.br) on 2012-09-27T11:06:32Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2012_RodrigoAugustoLimadeMedeiros.pdf: 2192142 bytes, checksum: 6883788058ecf45ae422a7f5ba744cfc (MD5) Made available in DSpace on 2012-09-27T11:06:33Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2012_RodrigoAugustoLimadeMedeiros.pdf: 2192142 bytes, checksum: 6883788058ecf45ae422a7f5ba744cfc (MD5) O objetivo analítico desta tese é elucidar significados políticos da chamada internacionalização da Amazônia que se edificam em práticas narrativas para um governo da natureza e das pessoas. A tese analisa a expressão internacionalização da Amazônia como uma categoria nativa, i.e., um modo próprio de nomear coisas, fatos, eventos que expressam particularidades, teias de significados, redes de atuação, moralidades, convicções políticas. A tese argumenta que narrativas políticas-institucionais fazem uso dessa categoria para legitimar (ou deslegitimar) ações edificadoras da realidade amazônica. Na argumentação da tese, governar é estabelecer conjuntos de inquéritos institucionais que permitem exercer uma forma específica e complexa de poder. A Amazônia é um espaço político de crescente importância estratégica, tornando-se alvo de formulações de burocracias especializadas estatais e não-estatais. O grande desafio político desta tese é evitar apropriações indevidas de sua argumentação, ao mesmo tempo em que procura pensar no âmbito acadêmico a possibilidade de um espectro analítico que relacione questões de uma geopolítica ambiental com a ampliação de direitos civis, políticos e sociais de minorias não hegemônicas. Se houvesse um propósito político explicito nesta tese, esse se traduziria em desagradar ideólogos de direita e de esquerda que dentro de suas ortodoxias e heterodoxias não reconhecem os regimes de poder que operam. As narrativas institucionais acerca da internacionalização da Amazônia se relacionam transversalmente (1) em saberes históricos sobre a formação do território amazônico; (2) em arranjos narrativos que formam as opiniões públicas debatedoras de projetos para a Amazônia no Brasil e nos EUA; (3) em ações estatais dentro de quadros institucionais peculiares no Brasil e nos EUA. Esses três vetores narrativos se inventam em inquéritos produtores de realidades socionaturais para a Amazônia que se edificam em realidades políticas e burocráticas. _______________________________________________________________________________________ ABSTRACT The analytical objective of this dissertation is to elucidate the political meanings of the so-called internationalization of the Amazon. The dissertation recognizes the term internationalization of the Amazon as a native category which sets up a basis for the rule of nature and people. It tries to argue how political narratives that approach from this category can legitimize (or delegitimize) specifics actions to build up an institutional reality for the Amazon. To rule, in the arguments of this dissertation, is to establish inquiries that allowed exercises of power. It also means specific forms of knowledge and practices, such as political economy, political ecology (politics of nature), diplomacy, military strategy, public opinion, the historicity of the territory, among others issues, constantly leading to the preeminence of the govern of nature. The expanding complexities of Amazon and its nature policy issues require specialized bureaucracies. I tried to decode how narratives about the internationalization of the Amazon are related across (1) historical knowledge on formation of the Amazon territory, (2) to inform (to form) public opinion in Brazil and USA which project ideas and actions to the Amazon, (3) specialized bureaucracies in Brazil and USA which transform practices and conceptions of how deal with Amazon. Those three vectors are narratives inquiries that make up social and natural realities.

Page generated in 0.0868 seconds