• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 11
  • Tagged with
  • 12
  • 8
  • 4
  • 3
  • 3
  • 3
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

O músculo palmar delgado

Mendes, João de Espregueira January 1926 (has links)
No description available.
2

Análise da confiabilidade do posicionamento dos eletrodos na aquisição do sinal eletromiográfico dos músculos do antebraço na tarefa de preensão palmar / Reliability of the positioning of the electrodes in the acquisition of electromyography activity in forearm muscles in the hand grip task

Tamanini, Guilherme 29 April 2015 (has links)
O objetivo deste estudo foi de analisar a confiabilidade teste reteste do posicionamento dos eletrodos na aquisição do sinal eletromiográfico dos músculos do antebraço na tarefa de preensão palmar, por meio de dois posicionamentos. O primeiro posicionamento proposto por Cram; Durie e o segundo proposto por Mogk; Keir. Foram recrutados 30 voluntários sendo divididos em 2 grupos com 15 indivíduos cada. O primeiro grupo era formado por indivíduos saudáveis, isto é, que não apresentavam qualquer patologia, trauma ou dor no membro superior. Este grupo era composto por 13 mulheres e 2 homens com idade média de 23,4 anos, sendo 13 destros e 2 canhotos. O segundo grupo era formado por indivíduos que apresentavam algum trauma no antebraço, punho ou mão, recrutados no centro de reabilitação e no ambulatório de cirurgia do membro superior do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. A amostra era composta por 13 homens e 2 mulheres com idade média de 34,6 anos, sendo 14 destros e 1 canhoto. Todos os participantes assinaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. O procedimento foi realizado em dois dias com diferença de 24h entre as avaliações. A avaliação consistia em realizar a tarefa de preensão palmar com o dinamômetro analógico da marca Jamar® , realizando a máxima contração voluntária pelo período de 10 segundos com repouso de 3 minutos entre cada preensão, sendo coletados o sinal eletromiográfico de sete canais dos músculos do antebraço volar e dorsal, segundo cada método. Foi analisada a confiabilidade pelo índice de ICC e o SEM (Standard Error of Measurement). Os resultados obtidos mostram excelente correlação entre os dois posicionamentos em ambos os grupos. Quando verificado o valor de ICC do grupo de saudáveis verificou valores acima de 0.75 em todos os canais, o que demonstrou uma alta correlação entre as medidas em ambos os posicionamentos, com pequeno SEM. No grupo pacientes foi observado que nos músculos FUC, FSD e ERC uma correlação moderada para o posicionamento Mogk; Keir e somente no músculo FRC apresentou correlação moderada no posicionamento Cram; Durie. Os gráficos de Bland e Altman mostraram alta concordância entre as medidas, visto que, em ambos os posicionamentos, os valores ficaram entre o intervalo de confiança de 95% e próximos da linha média. Como conclusão pode-se inferir que ambos os posicionamentos apresentaram alta confiabilidade e alta correlação quando avaliado por meio do teste e re-teste, podendo ser utilizados para medida eletromiográfica dos músculos do antebraço / The objective of this study was to analyze test retest reliability of the electrodes placement in the acquisition of electromyography forearm muscles during a isometric hand grip task, through two different methods. The first method was proposed by Cram; Durie and the second by Mogk; Keir. We recruited 30 volunteers divided into 2 groups with 15 subjects each. The first group consisted of healthy subjects, who did not show any pathology, trauma or pain in the upper extremity. This group consisted of 13 women and 2 men with a mean age of 23.4 years, and 13 right-handed and 2 left-handed. The second group consisted of individuals who had previous trauma on the forearm, wrist or hand. They were recruited from the rehabilitation center and upper limb surgery clinic of the Medical School of Ribeirão Preto Clinical Hospital. The sample consisted of 13 men and 2 women with a mean age of 34.6 years, 14 right-handed and left-handed one. All participants signed the consent form. The procedure was performed in two days with 24 hours difference between assessments. The evaluation was to carry by a isometric handgrip task with a analog dynamometer Jamar®, with maximum voluntary contraction for 10 seconds with 3 minutes of rest and analised by CCI and SEM (Standard Error of Measurement) . The results obtained have a high correlation between the two methods in both groups. Analyzing the ICC value of the healthy group value noted above 0.75 in all channels, demonstrating a excelent correlation between the measurements in both positions and low SEM. Checking in group patients realize that the FUC, FSD and ERC muscles has a moderate correlation for Mogk; Keir positioning and only on FRC showed moderate correlation in Cram; Durie electrode placement method. Analyzing Bland and Altman method a high concordance was found between the measures, since in both positions, the values were between the confidence interval of 95% and close to the midline. Through this we can infer that both positions have high reliability and high correlation when measured by the test and retest
3

Análise da confiabilidade do posicionamento dos eletrodos na aquisição do sinal eletromiográfico dos músculos do antebraço na tarefa de preensão palmar / Reliability of the positioning of the electrodes in the acquisition of electromyography activity in forearm muscles in the hand grip task

Guilherme Tamanini 29 April 2015 (has links)
O objetivo deste estudo foi de analisar a confiabilidade teste reteste do posicionamento dos eletrodos na aquisição do sinal eletromiográfico dos músculos do antebraço na tarefa de preensão palmar, por meio de dois posicionamentos. O primeiro posicionamento proposto por Cram; Durie e o segundo proposto por Mogk; Keir. Foram recrutados 30 voluntários sendo divididos em 2 grupos com 15 indivíduos cada. O primeiro grupo era formado por indivíduos saudáveis, isto é, que não apresentavam qualquer patologia, trauma ou dor no membro superior. Este grupo era composto por 13 mulheres e 2 homens com idade média de 23,4 anos, sendo 13 destros e 2 canhotos. O segundo grupo era formado por indivíduos que apresentavam algum trauma no antebraço, punho ou mão, recrutados no centro de reabilitação e no ambulatório de cirurgia do membro superior do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. A amostra era composta por 13 homens e 2 mulheres com idade média de 34,6 anos, sendo 14 destros e 1 canhoto. Todos os participantes assinaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. O procedimento foi realizado em dois dias com diferença de 24h entre as avaliações. A avaliação consistia em realizar a tarefa de preensão palmar com o dinamômetro analógico da marca Jamar® , realizando a máxima contração voluntária pelo período de 10 segundos com repouso de 3 minutos entre cada preensão, sendo coletados o sinal eletromiográfico de sete canais dos músculos do antebraço volar e dorsal, segundo cada método. Foi analisada a confiabilidade pelo índice de ICC e o SEM (Standard Error of Measurement). Os resultados obtidos mostram excelente correlação entre os dois posicionamentos em ambos os grupos. Quando verificado o valor de ICC do grupo de saudáveis verificou valores acima de 0.75 em todos os canais, o que demonstrou uma alta correlação entre as medidas em ambos os posicionamentos, com pequeno SEM. No grupo pacientes foi observado que nos músculos FUC, FSD e ERC uma correlação moderada para o posicionamento Mogk; Keir e somente no músculo FRC apresentou correlação moderada no posicionamento Cram; Durie. Os gráficos de Bland e Altman mostraram alta concordância entre as medidas, visto que, em ambos os posicionamentos, os valores ficaram entre o intervalo de confiança de 95% e próximos da linha média. Como conclusão pode-se inferir que ambos os posicionamentos apresentaram alta confiabilidade e alta correlação quando avaliado por meio do teste e re-teste, podendo ser utilizados para medida eletromiográfica dos músculos do antebraço / The objective of this study was to analyze test retest reliability of the electrodes placement in the acquisition of electromyography forearm muscles during a isometric hand grip task, through two different methods. The first method was proposed by Cram; Durie and the second by Mogk; Keir. We recruited 30 volunteers divided into 2 groups with 15 subjects each. The first group consisted of healthy subjects, who did not show any pathology, trauma or pain in the upper extremity. This group consisted of 13 women and 2 men with a mean age of 23.4 years, and 13 right-handed and 2 left-handed. The second group consisted of individuals who had previous trauma on the forearm, wrist or hand. They were recruited from the rehabilitation center and upper limb surgery clinic of the Medical School of Ribeirão Preto Clinical Hospital. The sample consisted of 13 men and 2 women with a mean age of 34.6 years, 14 right-handed and left-handed one. All participants signed the consent form. The procedure was performed in two days with 24 hours difference between assessments. The evaluation was to carry by a isometric handgrip task with a analog dynamometer Jamar®, with maximum voluntary contraction for 10 seconds with 3 minutes of rest and analised by CCI and SEM (Standard Error of Measurement) . The results obtained have a high correlation between the two methods in both groups. Analyzing the ICC value of the healthy group value noted above 0.75 in all channels, demonstrating a excelent correlation between the measurements in both positions and low SEM. Checking in group patients realize that the FUC, FSD and ERC muscles has a moderate correlation for Mogk; Keir positioning and only on FRC showed moderate correlation in Cram; Durie electrode placement method. Analyzing Bland and Altman method a high concordance was found between the measures, since in both positions, the values were between the confidence interval of 95% and close to the midline. Through this we can infer that both positions have high reliability and high correlation when measured by the test and retest
4

Validação diagnóstica da densitometria óssea de antebraço para o rastreamento da desmineralização óssea axial / Validation study of forearm bone densitometry for axial bone demineralization screening

Fontenele, Sheila Márcia de Araújo January 2008 (has links)
Made available in DSpace on 2012-05-07T14:40:38Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) 000017.pdf: 1319345 bytes, checksum: c42fafe980f6787ed238093cf6dd390c (MD5) Previous issue date: 2008 / Osteoporose é caracterizada pela diminuição da massa óssea e deterioração da micro-arquitetura, que eleva o risco global de fratura, diminui a expectativa e a qualidade de vida. É a doença ósseo-metabólica mais prevalente e de grande impacto sócio-econômico, considerada mundialmente um dos agravos mais importantes para a saúde pública. Apesar da OMS ter definido o DXA de coluna e fêmur, como padrão-ouro para diagnóstico, prognóstico e monitoramento da densidade mineral óssea, segundo o T-Score: -1,0DP - DMO normal; = -1,0DP a - 2,5DP - osteopenia; = -2,5DP - osteoporose, com risco de fratura duplicado, a cada aumento de -1,0DP, é inviável economicamente e se questiona a extrapolação do TS como medida de referência. Como os DXA de antebraço são mais baratos, simples e portáteis, além de emitirem menos radiação, são indicados para rastreamento de desmineralização óssea axial ou orientação terapêutica, caso o TS seja = -1,0DP. Este estudo objetivou avaliar o desempenho da densitometria do antebraço, utilizando o TS = -1,0DP, frente a baixa massa óssea axial; e, validar as DMO do rádio distal e do ultradistal, para o rastreamento da desmineralização óssea axial. Foram estudadas 189 mulheres (50-65 anos), saudáveis e na pós-menopausa, através de densitometrias periféricas e axiais. Para avaliar a habilidade do TS = - 1,0DP do novo teste, em diagnosticar pacientes com baixa massa óssea no padrãoouro, utilizaram-se indicadores de validação diagnóstica. A curva ROC identificou limiares das DMO de antebraço mais sensíveis e acurados. O teste de McNemar comparou os indicadores utilizando o TS e a DMO. Estipulou-se a significância estatística em 0,05. Os sítios do antebraço, utilizando o TS, apresentaram-se mais específicos (81 por cento-83 por cento) que sensíveis (64 por cento-63 por cento), com acurácia de quase 68 por cento, para rastreamento de desmineralização óssea na coluna / As DMO = 0,488g/cm2 do rádio distal e = 0,388g/cm2 do ultradistal, frente ao TS da coluna, elevaram a sensibilidade e a acurácia para 90 por cento e 80 por cento, diminuíram a especificidade para 60 por cento e as prevalências quase se equipararam à do padrão-ouro (79 por cento-81 por cento). A utilização do TS para diagnosticar baixa massa óssea axial, comprometeu a habilidade da densitometria do antebraço; enquanto a capacidade da mesma em selecionar corretamente mulheres saudáveis e na pós-menopausa com maior propensão a desmineralização óssea na coluna, e que se beneficiariam mais em confirmar esse diagnóstico ou iniciar uma terapêutica, ajustou-se após emprego das DMO
5

Avaliação eletromiografica e força de musculos do membro superior em individuos submetidos a suplementação de creatina / Strenght and elctromyographic evaluation of upper limb muscles in men undergoing creatine supplementation

Silva, Daniela Cristina de Oliveira 13 August 2018 (has links)
Orientador: Fausto Berzin / Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Odontologia de Piracicaba / Made available in DSpace on 2018-08-13T18:13:58Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Silva_DanielaCristinadeOliveira_D.pdf: 6119887 bytes, checksum: b62dec11acd94575dd460ba847dfc7a3 (MD5) Previous issue date: 2009 / Resumo: A eletromiografia de superfície é um instrumento potencial para estudos anatômicos, clínicos e cinesiológicos da atividade elétrica muscular e tem sido aplicada para identificar padrões de ativação muscular associados com força e fadiga muscular. A suplementação de creatina tem sido utilizada para aumentar a força e eficiência muscular, bem como diminuir o início da fadiga muscular. Assim, o objetivo deste trabalho foi analisar a atividade eletromiográfica e força dos músculos bíceps braquial (BB), braquiorradial (BR) e flexor ulnar do carpo (FUC) em indivíduos submetidos à suplementação aguda e crônica de creatina. Vinte indivíduos do sexo masculino, idade 18-35 anos, treinados em exercícios resistidos (musculação), foram selecionados para este estudo duplo-cego, randomizado, placebo-controlado. Os voluntários foram divididos em dois grupos: creatina (5 g de creatina e 5 g de maltodextrina, n=10) e placebo (5 g de celulose e 5 g de maltodextrina, n=10). A suplementação foi ingerida quatro vezes ao dia durante os primeiros 7 dias, e uma vez ao dia durante os 49 dias subsequentes. Cada voluntário realizou contração voluntária isométrica máxima (CVIM) de flexão do antebraço e com 30% e 60% da CVIM, antes e após 7 e 56 dias de suplementação. Os sinais eletromiográficos foram captados utilizando eletrodos de superfície passivos conectados a um pré-amplificador, registrados em um eletromiógrafo computadorizado, e analisados pelo software Myosystem-Br1. Uma célula de carga foi empregada para medir a força isométrica máxima durante os testes. Os dados eletromiográficos foram calculados pelos valores de amplitude (RMS - root mean square) e freqüência mediana (FM), e analisados por meio de curva de regressão linear, gerando coeficientes angulares de RMS e FM que foram considerados índices de eficiência e fadiga muscular, respectivamente. Os resultados mostraram que o grupo creatina exibiu aumento da força somente após 56 dias de suplementação (p < 0,05), enquanto nenhuma diferença foi encontrada no grupo placebo. Os músculos BB e BR mostraram decréscimo nos valores de coeficientes angulares de RMS após 7 e 56 dias de suplementação de creatina com 60% da CVIM (p < 0,05). Nenhuma diferença significante foi observada nos valores de coeficientes angulares de FM entre os tempos de suplementação para todos os músculos, em ambos os grupos e cargas. Assim, pode ser concluído que a suplementação crônica de creatina aumenta a força isométrica de flexão do antebraço. Além disso, tanto a suplementação aguda como a crônica de creatina melhoram a eficiência muscular de BB e BR apenas com cargas maiores, porém não tem efeito benéfico na redução da fadiga muscular de BB, BR e FUC, em qualquer intensidade de carga / Abstract: Surface electromyography is a potential tool for anatomic, clinic and kinesiologic studies of muscle electric activity and it has been employed to identify muscular activation levels associated with force and muscular fatigue. Creatine supplementation has been used to augment the strength and muscular efficiency as well to decrease the onset of muscular fatigue. This study aimed to analyze the force and electromyographic activity of biceps brachii (BB), brachioradialis (BR) and flexor carpi ulnaris (FCU) muscles in subjects submitted to acute and chronic creatine supplementation. Twenty resistance-trained male volunteers, aged 18 to 35 years, were selected for this double-blind, controlled-placebo, randomized study. Volunteers were placed into two groups: creatine (5 g creatine and 5 g maltodextrine, n=10) and placebo (5 g cellulose and 5g maltodextrine, n=10). Oral supplementation was given 4 times per day during the first 7days and once a day in the 49 subsequent days. Volunteers performed maximum isometric voluntary contraction (MIVC) of forearm flexion and with 30% and 60% MIVC, before and after 7 and 56 days of supplementation. Electromyographic signs were captured using passive surface electrodes joined to a pre-amplifier, recorded in a computer-connected electromyography and analyzed by the Myosystem-Br1 software. A load cell was used to measure the maximum isometric strength during the tests. Electromyographic data were calculated by values of amplitude (RMS - root mean square) and median frequency (MF) and analyzed by linear regression curve, generating RMS and MF slopes that were considered muscular efficiency and fatigue indices, respectively. Results showed that creatine group exhibited an increase of strength only after 56 days of supplementation (p < 0.05), while no significant difference was found in placebo group. BB and BR muscles showed a decrease of RMS slopes after 7 and 56 days of creatine supplementation with 60% MIVC (p < 0.05). No significant difference was observed in MF slopes among times of supplementation for all muscles in both loads and groups. It can be concluded that the chronic creatine supplementation increases the isometric strength of forearm flexion. Also, both acute and chronic creatine supplementation improve the BB and BR muscular efficiency only with high loads, but do not have beneficial effect on reducing muscular fatigue of BB, BR and FCU, whichever the load / Doutorado / Anatomia / Doutor em Biologia Buco-Dental
6

Resposta vascular durante o teste de estresse mental em adultos fisicamente ativos e sedentários com apneia obstrutiva do sono / Vascular response during the mental stress test in physically active and sedentary adults with obstructive sleep apnea

Silva, Rosyvaldo Ferreira 30 October 2017 (has links)
O objetivo deste estudo foi comparar a resposta do vascular durante o teste de estresse mental em adultos sedentários (SED) e fisicamente ativos (FA) com apneia obstrutiva do sono (AOS). Os pacientes não tratados com AOS e sem outras comorbidades foram classificados em SED e FA de acordo com o Questionário Internacional de atividade física. A pressão sanguínea, a freqüência cardíaca, o fluxo sanguíneo do antebraço (FSA) (pletismografia) e a condutância vascular do antebraço (CVA = FSA/pressão sanguínea x 100) foram medidas continuamente em repouso (4 min), seguidas de 3 min do teste Stroop Color Word Test (SCWT) também conhecido como teste de estresse mental. Quarenta pacientes com AOS (homens = 24, idade = 50 ± 1 anos, índice de massa corporal = 29 ± 0,5 Kg/m2, índice de apneia hipopnéia = 39 ± 4 eventos/h) divididos em SED (n = 21) e FA (n = 19) apresentaram diferença significativa na quantidade de tempo gasto em atividade física (17 ± 9 vs. 245 ± 33 minutos/semana, respectivamente). Os grupos foram semelhantes em relação ao sexo, idade, índice de massa corporal, frequência cardíaca do nível educacional e pressão arterial média em repouso, bem como percepção de estresse no final do SCWT. Em contraste, FSA basal (1,7 ± 0,08 mL/min/100mL vs 2,5 ± 0,19 mL/min/100mL) e CVA (1,7 ± 0,07 vs 2,5 ± 0,2) foram significativamente menores no grupo SED quando comaprados a FA, respectivamente (p <0,05). A resposta de frequência cardíaca e pressão arterial ao SCWT foram semelhantes e aumentou em ambos os grupos. O FSA (3,5 ± 0,2 mL/min/100mL vs 2,4 ± 0,14 mL/min/100mL) e a CVA (3,5 ± 0,2 vs 2,3 ± 0,1) durante SCWT foi significativamente menor no grupo SED quando comparados ao grupo FA (P <0,05). Houve uma correlação significativa entre a atividade física no tempo de lazer e FSA (r = 0,57; P <0,05) e CVA (r = 0,48; P <0,05). Conclui-se, que, a resposta vascular nos pacientes com AOS é influenciada pelo nível de atividade física de lazer. O alto nível de atividade física pode proteger a disfunção cardiovascular em repouso e na condição de estresse mental em pacientes com AOS moderado a severo / The objective of this study was to compare a vascular response during the mental stress test in sedentary (SED) and physically active (PA) patients with obstructive sleep apnea (OSA). Patients not treated with OSA and without other comorbidities were classified in SED and PA according to the International Questionnaire of Physical Action. Blood pressure, heart rate, forearm blood flow (plethysmography) and forearm vascular conductance (FVC = FBF / blood pressure x 100) were measured continuously at rest (4 min), followed by 3 min of the test Stroop Color Word Test (SCWT) also known as mental stress test. Forty patients with OSA (men = 24, age = 50 ± 1 years, body mass index = 29 ± 0.5 kg / m2, apnea hypopnea index = 39 ± 4 events / h) divided in SED (n = 19) and PA (n = 19) presented a significant difference in the amount of time spent in physical activity (17 ± 9 vs. 245 ± 33 minutes / week, respectively). The groups are similar in relation to gender, age, body mass index, heart rate at educational level, and mean resting blood pressure, as well as perceived stress at the end of SCWT. In contrast, baseline FBF (1.7 ± 0.08 mL/min/100mL vs 2.5 ± 0.19 mL/min/100mL) and FVC (1.7 ± 0.07 U vs 2.5 ± 0.2 U) were significantly lower without SED group when compared to PA, respectively (p <0.05). The heart rate and blood pressure response to SCWT were similar and increased in both groups. The FBF (3.5 ± 0.2 mL/min/100mL vs 2.4 ± 0.14 mL/min/100mL) and the FVC (3.5 ± 0.2 U vs 2.3 ± 0.1 U) during SCWT was much lower in the SED group when compared to the group PA (P <0.05). There was a significant correlation between physical activity without leisure time and FBF (r = 0.57, P <0.05) and FVC (r = 0.48, P <0.05). In conclusion, the vascular response in OSA patients is influenced by the level of leisure physical activity. The high level of physical activity may protect a cardiovascular dysfunction at rest and mental stress condition in patients with moderate to severe OSA
7

Resposta vascular durante o teste de estresse mental em adultos fisicamente ativos e sedentários com apneia obstrutiva do sono / Vascular response during the mental stress test in physically active and sedentary adults with obstructive sleep apnea

Rosyvaldo Ferreira Silva 30 October 2017 (has links)
O objetivo deste estudo foi comparar a resposta do vascular durante o teste de estresse mental em adultos sedentários (SED) e fisicamente ativos (FA) com apneia obstrutiva do sono (AOS). Os pacientes não tratados com AOS e sem outras comorbidades foram classificados em SED e FA de acordo com o Questionário Internacional de atividade física. A pressão sanguínea, a freqüência cardíaca, o fluxo sanguíneo do antebraço (FSA) (pletismografia) e a condutância vascular do antebraço (CVA = FSA/pressão sanguínea x 100) foram medidas continuamente em repouso (4 min), seguidas de 3 min do teste Stroop Color Word Test (SCWT) também conhecido como teste de estresse mental. Quarenta pacientes com AOS (homens = 24, idade = 50 ± 1 anos, índice de massa corporal = 29 ± 0,5 Kg/m2, índice de apneia hipopnéia = 39 ± 4 eventos/h) divididos em SED (n = 21) e FA (n = 19) apresentaram diferença significativa na quantidade de tempo gasto em atividade física (17 ± 9 vs. 245 ± 33 minutos/semana, respectivamente). Os grupos foram semelhantes em relação ao sexo, idade, índice de massa corporal, frequência cardíaca do nível educacional e pressão arterial média em repouso, bem como percepção de estresse no final do SCWT. Em contraste, FSA basal (1,7 ± 0,08 mL/min/100mL vs 2,5 ± 0,19 mL/min/100mL) e CVA (1,7 ± 0,07 vs 2,5 ± 0,2) foram significativamente menores no grupo SED quando comaprados a FA, respectivamente (p <0,05). A resposta de frequência cardíaca e pressão arterial ao SCWT foram semelhantes e aumentou em ambos os grupos. O FSA (3,5 ± 0,2 mL/min/100mL vs 2,4 ± 0,14 mL/min/100mL) e a CVA (3,5 ± 0,2 vs 2,3 ± 0,1) durante SCWT foi significativamente menor no grupo SED quando comparados ao grupo FA (P <0,05). Houve uma correlação significativa entre a atividade física no tempo de lazer e FSA (r = 0,57; P <0,05) e CVA (r = 0,48; P <0,05). Conclui-se, que, a resposta vascular nos pacientes com AOS é influenciada pelo nível de atividade física de lazer. O alto nível de atividade física pode proteger a disfunção cardiovascular em repouso e na condição de estresse mental em pacientes com AOS moderado a severo / The objective of this study was to compare a vascular response during the mental stress test in sedentary (SED) and physically active (PA) patients with obstructive sleep apnea (OSA). Patients not treated with OSA and without other comorbidities were classified in SED and PA according to the International Questionnaire of Physical Action. Blood pressure, heart rate, forearm blood flow (plethysmography) and forearm vascular conductance (FVC = FBF / blood pressure x 100) were measured continuously at rest (4 min), followed by 3 min of the test Stroop Color Word Test (SCWT) also known as mental stress test. Forty patients with OSA (men = 24, age = 50 ± 1 years, body mass index = 29 ± 0.5 kg / m2, apnea hypopnea index = 39 ± 4 events / h) divided in SED (n = 19) and PA (n = 19) presented a significant difference in the amount of time spent in physical activity (17 ± 9 vs. 245 ± 33 minutes / week, respectively). The groups are similar in relation to gender, age, body mass index, heart rate at educational level, and mean resting blood pressure, as well as perceived stress at the end of SCWT. In contrast, baseline FBF (1.7 ± 0.08 mL/min/100mL vs 2.5 ± 0.19 mL/min/100mL) and FVC (1.7 ± 0.07 U vs 2.5 ± 0.2 U) were significantly lower without SED group when compared to PA, respectively (p <0.05). The heart rate and blood pressure response to SCWT were similar and increased in both groups. The FBF (3.5 ± 0.2 mL/min/100mL vs 2.4 ± 0.14 mL/min/100mL) and the FVC (3.5 ± 0.2 U vs 2.3 ± 0.1 U) during SCWT was much lower in the SED group when compared to the group PA (P <0.05). There was a significant correlation between physical activity without leisure time and FBF (r = 0.57, P <0.05) and FVC (r = 0.48, P <0.05). In conclusion, the vascular response in OSA patients is influenced by the level of leisure physical activity. The high level of physical activity may protect a cardiovascular dysfunction at rest and mental stress condition in patients with moderate to severe OSA
8

Estudo comparativo sobre o emprego de 5-fluoruracil a 5% em creme versus sua utilização como agente de peelings superficiais seriados no tratamento do fotoenvelhecimento avançado. / Comparative study on the use of 5 % fluorouracil cream versus its use as superficial peeling agent in the treatment of advanced photoaging

Guimaraes, Carolina Okada Zerbini [UNIFESP] January 2013 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2015-12-06T23:46:03Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2013 / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) / Introdução: O 5-fluorouracil (5-FU) e um agente quimioterapico antimetabolito que atua bloqueando a reacao de metilacao do acido deoxiuridilico em acido timidilico, interferindo na sintese do DNA e RNA. A defiCiência de timina provoca desequilibrio no crescimento e morte celular. O uso topico de 5-FU a 5% em creme e aprovado para o tratamento de queratoses actinicas. Outra modalidade de emprego sao os peelings superficiais seriados. Observa-se melhora da textura, rugas e pigmentacao da pele com fotodano avancado. Assim, e util na prevencao das queratoses actinicas e cancer de pele nao-melanoma, com beneficio na aparencia da pele. Objetivos: O objetivo primario foi avaliar a eficacia (clinica e histologica) e a seguranca do 5-FU 5% em creme comparado ao seu uso em peelings seriados no tratamento do fotodano avancado dos antebracos. O objetivo secundario foi avaliar o beneficio estetico na pele fotoenvelhecida relacionado a melhora das alteracoes epidermicas e dermicas, assim como a duracao dos resultados. Metodos: Estudo de intervencao terapeutica, randomizado, comparativo, avaliador-cego, em 32 homens e mulheres, acima de 50 anos, portadores de fotoenvelhecimento moderado a grave dos antebracos. Os esquemas terapeuticos compreenderam o uso do 5- FU 5% em creme, uma vez ao dia, por quatro semanas, num antebraco e a realizacao de quatro peelings de 5-FU seriados semanais no antebraco contralateral. A avaliacao da eficacia foi clinica, atraves de uma escala de fotoenvelhecimento desenvolvida para antebracos, opiniao do paciente e investigador e fotografica cega, por tres observadores. Foram realizadas tres biopsias de pele em cada antebraco (pre, um mes e seis meses postratamentos) e exame histopatologico, pelas coloracoes hematoxilina-eosina e Calleja (fibras elasticas), alem de imuno-histoquimica para avaliar a expressao da proteina p53 epidermica nao selvagem e marcador dermico para procolageno I. A avaliacao de seguranca baseou-se no relato e observacao de eventos adversos. Resultados: Os achados clinicos e histologicos confirmaram os beneficios do 5-FU 5% topico, independentemente da modalidade de uso, na melhora no aspecto geral da pele fotoenvelhecida, reducao do material elastotico da derme. A imuno-histoquimica demonstrou diminuicao da expressao da proteina p53 e aumento da expressao do procolageno I, sem diferencas entre os tratamentos. A avaliacao clinica apos seis meses demonstrou a manutencao dos efeitos observados apos um mes do final dos tratamentos. Os eventos adversos observados, de intensidade leve a moderada e sem diferencas entre os tratamentos, foram: prurido, dor, eritema, xerose, descamacao e crostas. Houve melhor tolerabilidade com a utilizacao dos peelings superficiais seriados. Conclusao: O 5-FU a 5% em creme ou peeling foi eficaz no tratamento do fotodano avancado dos antebracos, promoveu reducao da expressao de p53, e reestruturacao dermica / BV UNIFESP: Teses e dissertações
9

DESENVOLVIMENTO DE UM EQUIPAMENTO COMPUTADORIZADO DE MOVIMENTAÇÃO PASSIVA CONTÍNUA PARA COTOVELO E ANTEBRAÇO / DEVELOPMENT OF A COMPUTERIZED EQUIPMENT FOR CONTINUOUS PASSIVE MOTION OF ELBOW AND FOREARM

Callegaro, Aline Marian 05 July 2010 (has links)
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior / This research demonstrates the development of a new principle of operation for elbow and forearm continuous passive motion (CPM) equipment. For that were integrated knowledges of Physical Therapy and Production Engineering to make a prototype of a CPM device for the purpose of enabling the programming of various sequences of passive movements of elbow and forearm by means of computerized numerical control (CNC). The conceptual design of prototype mechanical equipment was carried out, as well as the construction and development of a program to specify the principles of operation of the equipment. Computerized CPM allows the independent or synchronized passive movements on two axes: elbow flexion/extension and forearm pronation/supination. The prototype has stepper motors connected to a microcomputer by means of drivers. The motors are controlled by commercial CNC machine software control. The language read and interpreted by this program is generated by other software, this was developed for this equipment to facilitate its use by the Physical Therapists. It has language accessible to this professionals and it allows the insertion of such variables as time and angle. The software calculates the speed of movement with these variables automatically. Data entered into the program are saved and generate a text file with standard CNC language, which is recognized by the program control. The sequences of movements are created by Physical Therapist and adapted to patients according to treatment goals and the individual characteristics. The control software also provides the flexion/extension and pronation/supination range of motion (ROM) passive evaluation, the data of each patient can be stored for monitoring progress and possible reuse. Based on what was done, we can assert that this operating principle can be used in CPM device, the software developed can be used on any machine of this type wich CNC principle of operation and if them have the availability of two axes of movement. This technique can be used to other equipments specific to the health area. / Neste trabalho é demonstrado o desenvolvimento de um novo princípio de operação para equipamentos de movimentação passiva contínua (CPM) para cotovelo e antebraço. Foram integrados conhecimentos de Fisioterapia e Engenharia de Produção para construir um protótipo de um equipamento de CPM que possibilite a programação de variadas sequências de movimentos passivos do cotovelo e antebraço por meio de técnicas empregadas em equipamentos com Comando Numérico Computadorizado (CNC). Foi realizado o projeto conceitual da mecânica do protótipo, sua posterior construção e desenvolvido um programa para especificar os princípios de operação do equipamento. O CPM Computadorizado possibilita os movimentos passivos independentes ou sincronizados em dois eixos: flexão/extensão do cotovelo e pronação/supinação do antebraço. Possui motores de passo, conectados a um microcomputador por meio de driveres. Os motores são comandados por um software controle comercial de máquina CNC. A linguagem lida e interpretada por este programa é gerada por outro software, o qual foi desenvolvido para este equipamento, visando facilitar a utilização pelo fisioterapeuta. Ele disponibiliza, em linguagem acessível ao profissional da área, a inserção de variáveis como tempo e ângulo, com as quais calcula automaticamente a velocidade de movimento. Os dados inseridos no programa são salvos e geram um arquivo texto com linguagem CNC padronizada reconhecida pelo programa controle. As sequências de movimentos são criadas pelo fisioterapeuta e adaptadas aos pacientes, de acordo com os objetivos do tratamento e as características individuais. O software controle proporciona também uma avaliação passiva da amplitude de movimento (ADM) da flexão/extensão e pronação/supinação e os dados de cada paciente podem ser armazenados para acompanhamento da evolução e possível reutilização. Com base no que foi realizado, é possível afirmar que este princípio de operação pode ser empregado em equipamentos de CPM e o software desenvolvido pode ser utilizado em qualquer máquina deste tipo com princípio de operação CNC, onde exista a disponibilidade de dois eixos de movimentos. Esta técnica ainda pode ser utilizada em outros equipamentos específicos da área da saúde.
10

Resposta cardiovascular ao teste ergométrico e a capacidade vasodilatadora periférica quanto a polimorfismos genéticos da enzima sintetase do óxido nítrico endotelial e dos receptores alfa-adrenérgicos / Cardiovascular responses during treadmill exercise test, peripheral vasodilatation and genetic polymorphisms of endothelial nitric oxide synthase and alpha-adrenergic receptors

Nunes, Rafael Amorim Belo 10 March 2014 (has links)
Introdução: O desempenho cardiovascular durante o teste ergométrico varia entre indivíduos sem doença cardiovascular estabelecida. As variáveis que influenciam estas diferenças interindividuais na resposta ao exercício podem estar associadas à saúde cardiovascular. Formulamos a hipótese de que a resposta cardiovascular ao teste ergométrico possa variar quanto à capacidade de vasodilatação periférica e que ambas possam ser influenciadas por polimorfismos genéticos da enzima sintetase do óxido nítrico endotelial, dos receptores alfaadrenérgicos e do receptor B2 da bradicinina. Objetivos: 1 - Estudar as associações entre variáveis da resposta cardiovascular ao teste ergométrico e a vasodilatação muscular do antebraço em homens e mulheres sem doença cardiovascular estabelecida; 2 - Estudar as associações de variáveis da resposta cardiovascular ao teste ergométrico e da vasodilatação muscular do antebraço com polimorfismos genéticos da enzima sintetase do óxido nítrico endotelial, dos receptores alfa-adrenérgicos e do receptor B2 da bradicinina. Métodos: Seiscentos e oitenta e nove indivíduos de ambos os sexos, sem doença cardiovascular estabelecida, submetidos à avaliação médica cardiológica. O teste ergométrico foi realizado em esteira rolante e limitado por sintomas. A resposta cardiovascular ao teste ergométrico foi representada pelas seguintes variáveis: capacidade de exercício, reserva cronotrópica, recuperação da frequência cardíaca, pressão arterial sistólica máxima, pressão arterial diastólica máxima e recuperação da pressão arterial sistólica. A capacidade vasodilatadora periférica foi estimada pela resposta da condutância vascular do antebraço ao exercício isométrico (área total sobre a curva e variação dos valores absolutos durante 3 minutos de exercício em relação ao basal) durante o exame de pletismografia de oclusão venosa. Os polimorfismos genéticos da enzima sintetase do óxido nítrico endotelial (eNOS) 786T > C (rs2070744) e Glu298Asp (rs1799983), dos receptores alfa1A-adrenérgico (ADRA1A) Arg347Cys (rs1048101), alfa2A-adrenérgico (ADRA2A) 1780 C >T (rs553668), alfa2B-adrenérgico (ADRA2B) Ins/Del 301-303 (rs28365031) e do receptor B2 da bradicinina BK2R (rs5810761) foram genotipados por meio da técnica de High Resolution Melting. Modelos de regressão linear múltipla e modelos mistos estratificados para homens e mulheres foram utilizados na análise estatística. Resultados: As variáveis do teste ergométrico não se associaram ao aumento da condutância vascular do antebraço durante o exercício isométrico. O polimorfismo ADRA1A Arg347Cys associou-se com a pressão arterial sistólica máxima no sexo masculino (P = 0,049), o polimorfismo ADRA2A 1780 C > T associou-se à pressão arterial diastólica máxima no sexo masculino (P = 0,049) e à pressão arterial sistólica máxima em ambos os sexos (P = 0,009 nas mulheres, P = 0,022 nos homens), o polimorfismo ADRA2B Del 301-303 associou-se à pressão arterial sistólica máxima (P = 0,005) e à pressão arterial diastólica máxima (P = 0,043) no sexo feminino, e à recuperação da frequência cardíaca no sexo masculino (P = 0,041). A resposta da condutância vascular do antebraço durante o exercício isométrico associou-se ao polimorfismo eNOS 786T > C no sexo feminino (P = 0,043) e ao polimorfismo ADRA2A 1780 C > T no sexo masculino (P = 0,025). Conclusão: A resposta cardiovascular ao teste ergométrico não se associou à capacidade vasodilatadora periférica em indivíduos sem doença cardiovascular estabelecida. Em relação à resposta cardiovascular ao teste ergométrico, o polimorfismo ADRA1A Arg347Cys influenciou a pressão arterial sistólica máxima no sexo masculino; o polimorfismo ADRA2A 1780 C > T influenciou a pressão arterial sistólica máxima em ambos os sexos e a pressão arterial diastólica máxima no sexo masculino; o polimorfismo ADRA2B Del 301- 303 influenciou a pressão arterial sistólica máxima e a pressão arterial diastólica máxima no sexo feminino e a recuperação da frequência cardíaca no sexo masculino. A vasodilatação muscular do antebraço ao exercício isométrico foi influenciada pelos polimorfismos eNOS 786 T>C no sexo feminino e ADRA2A 1780 C > T no sexo masculino. Estes dados sugerem que polimorfismos genéticos associados aos receptores alfa-adrenérgicos e à enzima sintetase do óxido nítrico endotelial possam modular a resposta cardiovascular ao exercício e a capacidade vasodilatadora periférica. Variantes dos genes dos receptores alfa-adrenérgicos, em especial, parecem ser potenciais marcadores da resposta da pressão arterial durante o exercício / Purpose: The cardiovascular performance during exercise stress test may vary among individuals without overt cardiovascular disease. The variables associated with this variability between apparently healthy individuals may also influence the cardiovascular health. We hypothesized that cardiovascular responses during exercise stress test may vary according the peripheral vasodilator capacity and that both pathways may be influenced by genetic polymorphisms of endothelial nitric oxide synthase, alpha-adrenergic receptors and type B2 bradykinin receptor. Aim: 1- to study associations between the cardiovascular responses during exercise stress test and forearm muscle vasodilation in men and women without overt cardiovascular disease. 2- to study the influence of genetic polymorphisms of endothelial nitric oxide synthase, alpha adrenergic receptors and type B2 bradykinin receptor on the exercise test responses and forearm muscle vasodilation. Methods: Six hundred eighty nine individuals of both sexes, without overt cardiovascular disease, that underwent a cardiovascular check-up. The cardiovascular performance during exercise stress test was estimated by the following variables: exercise capacity, chronotropic reserve, heart-rate recovery, exercise systolic blood pressure, exercise diastolic blood pressure and systolic blood pressure recovery. The peripheral vasodilator capacity was estimated by forearm vascular conductance response to handgrip exercise (area under the curve and absolute changes during the 3-minute handgrip exercise) during venous occlusion plethysmography. The genetic polymorphisms of endothelial nitric oxide synthase (eNOS) 786T>C (rs2070744) and Glu298Asp (rs1799983), of adrenoceptors alpha1A (ADRA1A) Arg347Cys (rs1048101), alpha2A (ADRA2A) 1780 C>T (rs553668), alpha2B (ADRA2B) Ins/Del 301-303 (rs28365031) and of type B2 bradykinin receptor (rs5810761) were genotyped with High Resolution Melting. The statistical analysis was performed with multiple linear regression and linear mixed models for men and women. Results: Exercise test variables were not associated with forearm vascular conductance increase during handgrip exercise. The ADRA1A Arg347Cys was associated with exercise systolic blood pressure in men (P = 0.049), the ADRA2A 1780 C>T was associated with exercise diastolic blood pressure in men ( P = 0.049) and with exercise systolic blood pressure in both sexes (P = 0.009 for women, P = 0,022 for men), the ADRA2B Del 301-303 was associated with exercise systolic blood pressure (P = 0.005) and exercise diastolic blood pressure (0.043) in women, and with heart-rate recovery in men (P = 0.041). The forearm vascular conductance changes during handgrip exercise were associated with eNOS 786 T>C in women (P = 0.043) and with ADRA2A 1780 C>T in men (P = 0.025). Conclusions: The cardiovascular responses during treadmill exercise test were not associated with peripheral vasodilatory capacity in individuals without overt heart disease. The ADRA1A Arg347Cys polymorphism influenced exercise systolic blood pressure in men; the ADRA2A 1780 C >T polymorphism influenced exercise systolic blood pressure in both sexes and exercise diastolic blood pressure in men; and the ADRA2B Del 301-303 polymorphism influenced exercise systolic and diastolic blood pressures in women and heart-rate recovery in men. The exercise-induced muscle vasodilatation was influenced by the eNOS polymorphism 786 T > C in women and ADRA2A polymorphism 1780 C >T in men.These findings suggest that polymorphisms of genes coding alpha adrenergic receptors and endothelial nitric oxide synthase may play a role on the modulation of cardiovascular responses to exercise and peripheral vasodilatation. Particularly, genetic polymorphisms of alpha-adrenergic receptors appear to be potential markers of blood pressure response during exercise

Page generated in 0.0451 seconds