• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 1040
  • 503
  • 177
  • 96
  • 36
  • 30
  • 13
  • 11
  • 11
  • 9
  • 8
  • 7
  • 3
  • 2
  • 1
  • Tagged with
  • 1898
  • 1209
  • 293
  • 204
  • 187
  • 146
  • 146
  • 142
  • 127
  • 127
  • 113
  • 106
  • 105
  • 105
  • 104
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
41

Efeitos renais promovidos por polissacarídeos sulfatados da alga marinha Gracilaria cornea / Renal effects promoted by sulfated polysaccharides from seaweed Gracilaria cornea

Norões, Terentia Batista Sá de January 2014 (has links)
NORÕES, Terentia Batista Sá de. Efeitos renais promovidos por polissacarídeos sulfatados da alga marinha Gracilaria cornea. 2014. 90 f. Tese (Doutorado em Farmacologia) - Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2014. / Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2015-04-17T12:53:29Z No. of bitstreams: 1 2014_tese_tbsnnorões.pdf: 2331132 bytes, checksum: b0cce8e8531471fd37f587fb45d92159 (MD5) / Approved for entry into archive by denise santos(denise.santos@ufc.br) on 2015-04-17T12:56:32Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2014_tese_tbsnnorões.pdf: 2331132 bytes, checksum: b0cce8e8531471fd37f587fb45d92159 (MD5) / Made available in DSpace on 2015-04-17T12:56:32Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2014_tese_tbsnnorões.pdf: 2331132 bytes, checksum: b0cce8e8531471fd37f587fb45d92159 (MD5) Previous issue date: 2014 / The red marine algae are a group of sea live beings able to produce sulfated polysaccharides. These polysaccharides are found in great amount in algae of Gracilaria cornea species and they also have several commercial uses, mainly in industrial fields. They are also used for scientific pourposes because of its biologic activities. This work`s goal is to evaluate the effects of sulfated polysaccharides total (SPTs) from the seaweed Gracilaria cornea contributing to a better understanding about its effects. First, we have studied SPTs effects in three concentrations (1μg/mL, 3μg/mL e 4,5μg/mL), in the renal perfusion system aiming to evaluate the possible changes in kidney parameters. In this experimental model we used male Wistar rats (280-300 g). After the perfusion, the kidneys were subjects of histological analysis. The parameters were analised using ANOVA and Student t-test (p<0,005). The results we have found proved that SPTs promoted a significant increase in perfusion pressure (PP) and in renal vascular resistance (RVR) in concentrations 3,0 and 4,5 µg/mL. The urinary flow (UF) decreased with the 1 µg/mL SPTs concentration, but increased with the 3,0 and 4,5 µg/mL concentrations. The glomerular filtration rate (GFR) significantly dicreased with all the three concentrations. We noticed a decrease in sodium, potassium and chloride transport. The Osmotic Clearance (COSM) decreased with 1,0 μg/mL concentration and increased with 4,5 μg/mL concentration. The histological changes were mild and included tubular and glomerular damages. We also investigated the side effects caused by SPTs in cultured renal tubular cells of the type MDCK (Madin-Darby canine kidney). MDCK cells were grown in plastic flasks at 37 °C in umidified atmosphere of 5% CO2 – air with RPMI 1640 medium supplemented with 10% fetal calf serum. The SPTs caused decrease in cell viability in all studied concentrations (200, 100, 50, 25, 12,5, 6,25 and 3,12 µg/mL) and this effect did not depend on concentration. To evaluate the type of cell death caused by SPTs in MDCK cells, we performed anexin V-FITC and propidium iodide assays, respectively apoptosis and necrosis indicators. This analysis was made in a flow cytometry system with a 50 µg/mL SPTs concentration. We found a significant cell death amount, with apoptotic signs, and also late apoptotic cell death. These findings can improve the understanding about this algae biologic activities and help to find new farmacologic antitumoral weapons. / As algas marinhas são um grupo de seres vivos aquáticos com capacidade de produzir polissacarídeos sulfatados. Esses polissacarídeos são encontrados em grandes concentrações nas algas da espécie Gracilaria cornea e possuem diversas finalidades comerciais, sendo utilizados nos principais setores industriais. Possuem também relevância científica por apresentarem diversas atividades biológicas. O presente trabalho teve como objetivo avaliar a citotoxicidade renal dos polissacarídeos sulfatados totais (PSTs) da alga marinha Gracilaria cornea. Primeiramente, estudaram-se os efeitos dos PSTs, em três concentrações (1μg/mL, 3μg/mL e 4,5μg/mL), no sistema de perfusão de rim de rato isolado com a finalidade de avaliar as possíveis alterações dos parâmetros renais. Neste modelo experimental foram utilizados ratos Wistar machos (280-300 g). Após a perfusão renal, os rins foram submetidos à análise histológica. Os parâmetros avaliados foram analisados pela ANOVA e Student t-test, com p<0,05. Investigaram-se os efeitos causados pelos PSTs em cultura de células tubulares renais do tipo MDCK (Madin-Darby canine kidney). Essas células foram cultivadas em garrafas plásticas a 37 °C em atmosfera de 5% de CO2, com meio RPMI 1640 suplementado com soro bovino fetal a 10%. Para avaliar o tipo de morte celular causada pelos PSTs em cultura de células MDCK, foram realizados ensaios com anexina V-FITC e iodeto de propídio, marcadores de apoptose e necrose, respectivamente, no citômetro de fluxo com a concentração de 50 µg/mL dos PSTs. Os resultados encontrados demonstraram que os PSTs promoveram aumento significativo na pressão de perfusão (PP) e na resistência vascular renal (RVR) nas concentrações de 3,0 e 4,5 µg/mL. O fluxo urinário (FU) diminuiu com a concentração de 1 µg/mL dos PSTs, porém sofreu aumento nas demais concentrações. O ritmo de filtração glomerular (RFG) diminuiu significativamente nas três concentrações. Foi observada diminuição do percentual de transporte dos eletrólitos cloreto, sódio e potássio. O Clearance Osmótico (COSM) foi diminuído e aumentado com as concentrações de 1,0 e 4,5 μg/mL, respectivamente. As alterações histológicas nos rins indicaram alterações tubular e glomerular. O tratamento de cultura de células com os PSTs causou redução da viabilidade celular em todas as concentrações estudadas (200, 100, 50, 25, 12,5, 6,25 e 3,12 µg/mL) não sendo concentração-dependente. Observou-se morte celular significativa, com evidências de um processo apoptótico, além de morte celular por apoptose tardia. Esses achados tentam colaborar para um melhor conhecimento acerca dos efeitos citotóxicos renais dessa alga e pode ainda propiciar a descoberta de novas ferramentas farmacológicas antitumorais.
42

Estudo do potencial anticâncer de novos derivados acridínicos sintéticos em modelos experimentais in vitro / Study of the potential of new anticancer synthetic acridine derivatives in experimental models in vitro

Barros, Francisco Washington Araújo January 2010 (has links)
BARROS, Francisco Washington Araújo. Estudo do potencial anticâncer de novos derivados acridínicos sintéticos em modelos experimentais in vitro. 2010. 139 f. Dissertação (Mestrado em Farmacologia) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Medicina, Fortaleza, 2010. / Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2012-03-27T13:36:44Z No. of bitstreams: 1 2010_dis_fwabarros.pdf: 13241178 bytes, checksum: e06546c078af5823915b1be26bf86536 (MD5) / Approved for entry into archive by Eliene Nascimento(elienegvn@hotmail.com) on 2012-03-27T15:59:15Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2010_dis_fwabarros.pdf: 13241178 bytes, checksum: e06546c078af5823915b1be26bf86536 (MD5) / Made available in DSpace on 2012-03-27T15:59:15Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2010_dis_fwabarros.pdf: 13241178 bytes, checksum: e06546c078af5823915b1be26bf86536 (MD5) Previous issue date: 2010 / Acridines are planar aromatic polycyclic molecules that have the ability to progress in nuclear DNA. Many of its representatives have antibacterial, antiparasitic and antitumor. This study evaluated the cytotoxic potential of 22 new acridine compounds in strains of human tumor cells. Among these, four compounds [5-(acridin-9-yl-methilene)-3-(4-methyl-benzyl)-thiazolidine-2,4-dione, AC4; 5-(acridin-9-yl-methilene)-3-(4-bromine-benzyl)-thiazolidine-2,4-dione, AC7; 5-(acridin-9-yl-methilene)-3-(4-chloro-benzyl)-thiazolidine-2,4-dione, AC10; and 5-(acridin-9-yl-methilene)-3-(4-fluor-benzyl)-thiazolidine-2,4-dione, AC23] were active, especially in HCT-8 (colon) and SF-296 (glioblastoma), with IC50 values ranging from 2.3 to 5.3 mg / mL. The compounds were selective for tumor cells, provided they do not inhibit (IC50 > 25 µg/mL) cell proliferation monocucleares human peripheral blood (CMSPH) and were not able to induce DNA damage to these cells. None of the compounds showed hemolytic activity against erythrocytes of mice (EC50 > 200 µg/mL), suggesting a cytotoxicity by more specific mechanisms. In order to determine the mechanism involved in the selective cytotoxicity of compounds was carried out a sequence of in vitro experiments, using the line HCT-8 as a model. The cells were treated in different concentrations of compounds (2.5, 5 and 10 µg/mL) for 12 and 24 hours. All compounds were able to reduce the viability test (trypan blue) and proliferation (BrdU assay) of HCT-8 cells after treatment. Induction of apoptosis by acridine derivatives was determined by flow cytometry (membrane integrity, DNA fragmentation and internucleosomal transmembrane potential) and morphological analysis of cellular changes (ethidium bromide/acridine orange, and hematoxylin-eosin). The analysis by flow cytometry showed that the compounds evaluated promoted mitochondrial depolarization, which shows the activation of apoptosis by intrinsic pathway in HCT-8 cells. In the analysis of screening in 3 different mutant strains of Saccharomyces cerevisiae, it was observed that the line Top1Δ (without topoisomerase I) showed resistance to acridine compounds tested at a concentration of 50 µg/mL. In addition, the acridines partially inhibited the relaxation of DNA by topoisomerase I, suggesting that the compounds AC4, AC7, AC10, AC23 has the potential antiproliferative partly related to inhibition of catalytic activity of this enzyme. These data indicate the potential anticancer compounds tested. / Acridinas são moléculas policíclicas aromáticas planares que possuem a capacidade de intercalar no DNA nuclear. Muitos dos seus representantes apresentam propriedades antibacterianas, antiparasitárias e antitumorais. O presente estudo avaliou o potencial citotóxico de 22 novos compostos acridínicos em linhagens de células tumorais humanas. Dentre esses, quatro compostos [5-(acridin-9-il-metileno)-3-(4-metil-benzil)-tiazolidina-2,4-diona, AC4; 5-(acridin-9-il-metileno)-3-(4-bromo-benzil)-tiazolidina-2,4-diona, AC7; 5-(acridin-9-il-metileno)-3-(4-cloro-benzil)-tiazolidina-2,4-diona, AC10; e 5-(acridin-9-il-metileno)-3-(4-flúor-benzil)-tiazolidina-2,4-diona, AC23] foram ativos, especialmente em HCT-8 (cólon) e SF-296 (glioblastoma), com valores de CI50 variando de 2,3 a 5,3 µg/mL. Os compostos apresentaram seletividade para células tumorais, desde que não inibiram (IC50 > 25 µg/mL) a proliferação de células monocucleares de sangue periférico humano (CMSPH), bem como, não foram capazes de induzir dano ao DNA dessas células. Nenhum dos compostos mostrou atividade hemolítica contra eritrócitos de camundongos (EC50 > 200 µg/mL), o que sugere uma citotoxicidade por mecanismos mais específicos. A fim de determinar o mecanismo envolvido na citotoxicidade seletiva dos compostos, foi realizada uma seqüência de experimentos in vitro, usando a linhagem HCT-8 como modelo. As células foram tratadas em diferentes concentrações dos compostos (2,5; 5 e 10 µg/mL) por 12 e 24 horas. Todos os compostos foram capazes de reduzir a viabilidade (teste do azul de tripan) e a proliferação (ensaio do BrdU) de células HCT-8 após o tratamento. A indução de apoptose pelos derivados acridínicos foi determinada por citometria de fluxo (integridade da membrana, fragmentação do DNA internucleosomal e potencial transmembrânico) e por análise morfológica das alterações celulares (brometo de etídeo/laranja de acridina e hematoxilina/eosina). A análise por citometria de fluxo revelou que os compostos avaliados promoveram despolarização mitocondrial, o qual evidencia a ativação da apoptose pela via intrínseca nas células HCT-8. Na análise do screening em 3 diferentes linhagens mutantes de Saccharomyces cerevisiae, foi observado que a linhagem Top1Δ (sem topoisomerase I) mostrou moderada resistência aos compostos acridínicos testados na concentração de 50 µg/mL. Além disso, as acridinas inibiram parcialmente o relaxamento do DNA por topoisomerase I, sugerindo que os compostos AC4, AC7, AC10, AC23 tem o potencial antiproliferativo, em parte, relacionado a inibição da atividade catalítica desta enzima. Esses dados apontam o potencial anticâncer dos compostos testados.
43

Estudo das propriedades anticâncer in vitro e in vivo do 15-Deoxigoiazensolido / Evaluation of in vitro and in vivo anticancer activity of 15-deoxygoyazensolide

Pereira, Márcio Roberto Pinho January 2008 (has links)
PEREIRA, Marcio Roberto Pinho. Estudo das propriedades anticâncer in vitro e in vivo do 15-deoxigoiazensolido. 2008. 126 f. Tese (Doutorado em Farmacologia) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Medicina, Fortaleza, 2008. / Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2012-06-14T13:13:39Z No. of bitstreams: 1 2008_tese_mrppereira.pdf: 1916400 bytes, checksum: fd8b19d0096d449a0fffa70d79d3e864 (MD5) / Approved for entry into archive by Eliene Nascimento(elienegvn@hotmail.com) on 2012-06-14T16:35:33Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2008_tese_mrppereira.pdf: 1916400 bytes, checksum: fd8b19d0096d449a0fffa70d79d3e864 (MD5) / Made available in DSpace on 2012-06-14T16:35:33Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2008_tese_mrppereira.pdf: 1916400 bytes, checksum: fd8b19d0096d449a0fffa70d79d3e864 (MD5) Previous issue date: 2008 / The present study evaluated the anticancer activity of sesquiterpene lactone 15-deoxygoyazensolido. Citotoxic activity was initially evaluated by the MTT assay, where 15-deoxygoyazensolido showed IC50 < 4 μg/mL in all tested cell lines, varying from 0,09 to 0,56 μg/mL. This activity was confirmed by Trypan Blue assay, which 15-deoxygoyazensolido showed activity at 0,25, 0,5 and 1 μg/mL after 24h exposition in HL-60 cells. Afterwards, it was reveled by incorporation test of BrdU that citotoxic activity of 15-deoxygoyazensolido is related to inhibition of DNA synthesis. Besides, on the assays for induction of cellular apoptosis showed morphological alterations, DNA fragmentation, mitochondria depolarization, maintaining membrane integrity, typical apoptosis sight. The in vivo activity of 15-deoxygoyazensolido was evaluated using sarmoca 180 tumor in mice and Walker 256 tumor in rats. The sesquiterpene lactone inhibited tumor growth in a dose-dependent manner, but it was not capable to increase mice survival. The administration of 15-deoxygoyazensolido at dose 10 mg/m2/day inhibited 49,39% of solid Sarcoma 180 tumor development in transplanted mice. The histophatological assay in mice organs reveled moderate liver toxicity but these effects are considered reversible. The administration of sesquiterpene lactone inhibited Walker 256 tumor development at doses 5 e 10 mg/kg/day in transplanted rats about 34,05 e 38,80 % respectively. Concerning allergenic properties, it was not detected anti-lactone IgE antibody synthesis in swiss mice immunized with 100 μg of 15-deoxygoyazensolido. The results show that 15-deoxigoiazensolido has a potent anticancer activity, being apoptosis the mechanism of action which takes tumor cells to death. / O presente estudo procurou avaliar a atividade anticâncer da lactona sesquiterpênica 15-deoxigoiazensolido. A atividade citotóxica foi inicialmente avaliada pelo método do MTT, onde o 15-deoxigoiazensolido obteve uma IC50 < 4 μg/mL em todas as linhagens testadas variando de 0,09 a 0,56 μg/mL. Essa atividade foi confirmada pelo método do Azul de Tripan, no qual o 15-deoxigoiazensolido mostrou atividade nas doses de 0,25, 0,5 e 1 μg/mL após exposição por 24 h na linhagem HL-60. Em seguida, foi revelado pelo teste de incorporação do Brdu que a atividade citotóxica do 15-deoxigoiazensolido está relacionada com a inibição da síntese de DNA. Além disso, os ensaios que avaliam a indução de morte celular mostraram alterações morfológicas, fragmentação do DNA, despolarização da mitocôndria e manutenção da integridade da membrana celular, características do processo de apoptose. A atividade in vivo do 15-deoxigoiazensolido foi avaliado utilizando-se o sarcoma 180 em camundongos e Walker 256 em ratos. A lactona sesquiterpênica inibiu o crescimento do volume tumoral do sarcoma 180 de maneira dose dependente, mas não foi capaz de aumentar a sobrevida dos animais. A administração do 15-deoxigoiazensolido na dose de 10 mg/m2/dia inibiu 49,39 % do desenvolvimento do tumor sólido em camundongos transplantados com Sarcoma 180. A análise histopatológica nos órgãos dos camundongos revelou que houve moderada toxicidade no fígado, mas os efeitos são passiveis de reversibilidade. A administração da lactona sesquiterpênica nas doses de 5 e 10 mg/kg/dia em ratos transplantados com o tumor de Walker 256 inibiu seu desenvolvimento em cerca de 34,05 e 38,80 % respectivamente. Em relação ao seu potencial alergênico, não foi detectado síntese de anticorpos IgE anti-lactona em camundongos Swiss. Os resultados mostram que o 15-deoxigoiazensolido tem potente atividade anticâncer, sendo a apoptose o mecanismo de ação que leva as células tumorais à morte.
44

Expressão e regulação da quinase celular intestinal (ICK) em modelo de desnutrição in vivo e in vitro / Intestinal cell kinase is a novel participant in intestinal cell signaling responses to protein malnutrition

Alves, Luis Antonio de Oliveira January 2014 (has links)
ALVES, Luis Antonio de Oliveira. Expressão e regulação da quinase celular intestinal (ICK) em modelo de desnutrição in vivo e in vitro. 2014. 144 f. Tese (Doutorado em Ciências Médicas) - Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2014. / Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2016-03-04T13:13:41Z No. of bitstreams: 1 2014_dis_laoalves.pdf: 14635596 bytes, checksum: e4f1330eb5aa6bd3be3b7e58d448a025 (MD5) / Approved for entry into archive by denise santos(denise.santos@ufc.br) on 2016-03-04T13:14:25Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2014_dis_laoalves.pdf: 14635596 bytes, checksum: e4f1330eb5aa6bd3be3b7e58d448a025 (MD5) / Made available in DSpace on 2016-03-04T13:14:25Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2014_dis_laoalves.pdf: 14635596 bytes, checksum: e4f1330eb5aa6bd3be3b7e58d448a025 (MD5) Previous issue date: 2014 / Malnutrition can affect the intestinal architecture, causing mucosal atrophy and compromising epithelial turnover. Although the gut is able to compensatorily respond to malnutrition, the molecular mechanisms by which the gut responds to protein deprivation are not completely understood. The intestinal cell kinase (ICK) is a highly conserved serine/threonine protein and a novel component of the signaling pathways that regulate cell proliferation in the intestinal crypt. In order to evaluate the role of the intestinal compensatory response to protein deprivation mediated by ICK, the activation of molecular pathways related to cell proliferation and survival were measured in C57BL/6J mice subjected to low protein diet (containing 2% protein) for five days and received standard chow-fed controls. We analyzed the intestinal canonical Wnt/β-catenin pathway, mammalian target of rapamycin (mTOR), mitogen-activated protein kinase (MAPK) and protein kinase B (PKB/Akt) by immunoblotting. We also measured the expression of intestinal stem cells markers (LGR-5 and Bmi1). We also conducted an in vitro study using human ileocecal adenocarcinoma cells (HCT-8) starved with low serum (0-1%) to evaluate the ICK response with or without gut trophic factors, such as glutamine (2 mM), alanyl-glutamine (10 and 50mM), and zinc (10 and 50μM), casein and bovine serum albumin (BSA) at a concentration of 0.25 or 0.5% in the medium, respectively. We also assessed ICK mRNA transcript by q-PCR after protein deprivation. In order to evaluate the effect of this kinase on cell proliferation and apoptosis, the ICK gene was silenced using interference RNA in HCT-8 cells. Cell viability was measured by trypan blue exclusion. Furthermore, caspase 3 and 9, cleaved PARP, analyzed by western blot, and annexin V, measured by flow cytometry, were used to assess apoptosis. In order to measure ICK effect on cell proliferation, we analyzed Wnt/β-catenin and cyclin D1 pathways by western blot. We identified a significant and transient increase in ICK intestinal levels following low-protein induced malnutrition, concomitant with the activation of molecular pathways related to proliferation and survival, as well as increased expression of intestinal stem cell markers. This work also documented that the protein deprivation, induced by low serum concentration, increased the expression of ICK in HCT-8 cells, an effect that was reversed by BSA in the medium. This reverse effect was not seen with other compounds such as glutamine, alanyl-glutamine or zinc. Despite the increase in ICK expression after protein deprivation, no significant difference in its transcripts was found, when compared with controls. The silencing of the ICK gene significantly decreased Wnt/β-catenin and cyclin D1 signaling activation in HCT-8 cells with increased apoptosis by a caspase dependent mechanism. Our results suggest that the increased ICK expression in response to protein deprivation is a protective mechanism that limits cell apoptosis and supports epithelial cell proliferation following malnutrition. Keywords: Malnutrition. Protein deprivation. Intestinal cell kinase. β / A desnutrição pode afetar a arquitetura intestinal, causando atrofia da mucosa e comprometendo o turnover epitelial. Embora o intestino seja capaz de responder compensatoriamente à desnutrição, os mecanismos moleculares pelos quais o intestino responde à privação proteica não estão completamente esclarecidos. A quinase celular intestinal (ICK) é uma proteína altamente conservada do tipo serina/treonina e um novo componente das vias de sinalização que regulam a proliferação celular na cripta intestinal. Para avaliar o papel da resposta intestinal compensatória à privação proteica, regulada pela ICK, foi medida a ativação de vias moleculares relacionadas à proliferação e sobrevivência celulares, como a via canônica Wnt/β-catenina, a via da proteína alvo da rapamicina em mamíferos (mTOR), vias da proteína-quinase ativada por mitógeno (MAPK) e da proteína quinase B (PKB/Akt), bem como a expressão de marcadores para células-tronco intestinais (LgR-5 e Bmi1) por imunoblotting num modelo in vivo em camundongos fêmeas C57BL/6J submetidas à uma dieta hipoproteica (contendo 2% de proteína) por cinco dias e controles nutridos recebendo dieta padrão. Também foi realizado um estudo in vitro utilizando células HCT-8 de adenocarcinoma ileocecal humano desafiadas com meio padrão com restrição de soro fetal bovino (0-1%) para avaliar a resposta da ICK na presença ou não de fatores tróficos intestinais como glutamina (2mM), alanil-glutamina (10 e 50 mM) e zinco (10 e 50μM), além de caseína e albumina sérica bovina (BSA) na concentração de 0,25 e 0,5% no meio, respectivamente. A análise de RNAm foi feita para avaliar o transcrito de ICK por q-PCR, após privação proteica. No intuito de avaliar o efeito dessa quinase sobre a proliferação celular e apoptose, foi realizado o silenciamento do gene da ICK com uso de RNA de interferência em células HCT-8. A viabilidade celular foi avaliada com base na exclusão do azul de tripan. Posteriormente, foram realizados testes de western blot para caspase 3 e 9, PARP-clivada, além de anexina V por citometria de fluxo para avaliar apoptose, assim como western blot para via Wnt/β-catenina e ciclina D1 no intuito de medir os mecanismos relacionados à proliferação celular. Dessa forma, foi identificado um aumento significativo e transitório nos níveis intestinais de ICK na desnutrição induzida pela ração hipoproteica, concomitante com a ativação de vias moleculares relacionadas à proliferação e sobrevivência, bem como o aumento da expressão de marcadores para células-tronco intestinais. Esse trabalho também documentou que a privação proteica, induzida por baixa concentração de soro, aumenta a expressão de ICK em células HCT-8, efeito que foi revertido pela adição de BSA no meio. O mesmo resultado, não foi observado com outros compostos como glutamina, alanil-glutamina e zinco. Apesar do aumento da expressão da ICK após privação proteica, não houve diferença significativa da sua transcrição quando comparado com os controles. O silenciamento do gene de ICK reduziu significativamente a sinalização da via Wnt-β-catenina e ciclina D1 em células HCT-8 com aumento da apoptose por um mecanismo dependente de caspases. Os resultados sugerem que o aumento da expressão de ICK em resposta à privação proteica é um mecanismo de proteção que limita a apoptose e suporta a proliferação celular epitelial na desnutrição.
45

Mecanismos envolvidos na indução de morte celular por desacetilnemorona em células de câncer colorretal / Mechanisms involved in the induction of cell death by desacetilnemorona in colorectal cancer cells

Araújo, Ana Jérsia January 2013 (has links)
ARAÚJO, Ana Jérsia. Mecanismos envolvidos na indução de morte celular por desacetilnemorona em células de câncer colorretal. 2013. 129 f. Tese (Doutorado em Farmacologia) – Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2013. / Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2016-03-22T16:35:15Z No. of bitstreams: 1 2013_tese_aja.pdf: 5440301 bytes, checksum: e6364890039a36bd81719cb69ceef277 (MD5) / Approved for entry into archive by denise santos(denise.santos@ufc.br) on 2016-03-23T13:07:05Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2013_tese_aja.pdf: 5440301 bytes, checksum: e6364890039a36bd81719cb69ceef277 (MD5) / Made available in DSpace on 2016-03-23T13:07:05Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2013_tese_aja.pdf: 5440301 bytes, checksum: e6364890039a36bd81719cb69ceef277 (MD5) Previous issue date: 2013 / The desacetylnemorone (HCRH) is an abietane diterpene with para-quinone ring in its structure, and then classified as a tanshinone that are often described by their broad spectrum of biological activities. The diterpene HCRH was isolated and identified for the first time in 1971 from roots of plants of the genus Salvia, however its biological activity has not been yet fully characterized. The aim of this study was to evaluate the anticancer potential of desacetylnemorone isolated from the roots of the plant Hyptis carvalhoi. The present study evaluated the cytotoxic potential of the diterpene HCRH in several tumor and normal cell lines using the MTT assay and its possible mechanism of action. After 72 hours of incubation, the tested compound showed IC50 values ranging from 3.91 to 32.01 µM in colon tumor (HCT-116) and leukemic (HL-60) cells, respectively. While for normal cells IC50 values ranged from 35.68 µM in V-79 to higher than 72 µM in 3T3-L1 and PBMC cells. In colon tumor cells (HCT-116), the diterpene showed antiproliferative potential of time-dependent manner, leading to increased number of cells in the G0/G1 phase of the cell cycle and a substantial decrease in DNA synthesis. These effects were accompanied by changes in the levels of cyclins and CDKs, in addition to the increase in the levels of proteins p21waf1/cip1 and p27kip1, independent of p53 activation. Among the initial events induced by diterpene HCRH are the generation of reactive oxygen species (ROS) and the induction of DNA damage with subsequent activation of death pathways. Thus, we can suggest that desacetylnemorone has potent antiproliferative activity associated with ROS generation leading to DNA damage, which prevents cell cycle progression and drive cells to the process of death by apoptosis and autophagy. / A desacetilnemorona (HCRH) é um diterpeno abietano com anel para-quinona em sua estrutura, sendo então classificada como tanshinona que são frequentemente descritas pelo seu amplo espectro de atividades biológicas. O diterpeno HCRH foi isolado e identificado pela primeira vez em 1971 a partir das raízes de plantas do gênero Salvia, no entanto sua atividade biológica ainda não havia sido descrita previamente. O objetivo deste trabalho foi avaliar o potencial anticâncer da desacetilnemorona isolada das raízes da planta Hyptis carvalhoi. O presente estudo avaliou o potencial citotóxico do diterpeno HCRH em várias linhagens de células tumorais e normais pelo teste do MTT e seu possível mecanismo de ação. Após 72 horas de incubação, o composto testado apresentou valores de CI50 que variaram de 3,91 a 32,01 µM em células tumorais de cólon (HCT-116) e leucêmicas (HL-60), respectivamente. Enquanto que para células normais esses valores foram de 35,68 µM para a linhagem V-79 e maiores que 72 µM para linhagens 3T3-L1 e CMSP. Em células tumorais de cólon (HCT-116), o diterpeno mostrou potencial antiproliferativo de maneira tempo-dependente, induzindo aumento do número de células na fase G0/G1 do ciclo celular e uma diminuição expressiva da síntese de DNA. Esses efeitos foram acompanhados por alterações nos níveis de ciclinas e CDKs, além do aumento nos níveis das proteínas p21waf1/cip1 e p27kip1, independente da ativação de p53. Dentre os eventos iniciais induzidos pelo diterpeno HCRH estão a geração de espécies reativas de oxigênio (EROs) e a indução de dano ao DNA, com posterior ativação das vias de morte. Com isso podemos sugerir que a desacetilnemorona apresenta potente atividade antiproliferativa que provavelmente se inicia com a geração de EROs levando ao dano de DNA, o que impede a progressão do ciclo celular e encaminha as células aos processos de morte por apoptose e autofagia.
46

Avaliação da ativação de mecanismos apoptóticos mediados pela via UPR (unfolded protein response) em células Jurkat estimulados com a proteína Tat do HIV-1

Campestrini, Jéssica January 2017 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia e Biociências, Florianópolis, 2017. / Made available in DSpace on 2017-07-25T04:09:50Z (GMT). No. of bitstreams: 1 347088.pdf: 3940415 bytes, checksum: 28dbecb4b7a705a97c97b2cb3135050b (MD5) Previous issue date: 2017 / Indivíduos HIV-positivos geralmente apresentam uma elevada depleção de linfócitos T CD4. A morte de células infectadas ou não por HIV-1 é resultado, entre diversos outros fatores, da apoptose mediada por proteínas virais. Está apoptose pode ser ativada por mecanismos extrínsecos ou intrínsecos, respectivamente através de receptores celulares ou ativação de moléculas sinalizadoras de morte. Uma das vias celulares que regula a sobrevivência ou morte da célula é a via UPR (Unfolded Protein Response), que regula o estresse reticular causado pelo acúmulo de proteínas mal dobradas através do bloqueio da tradução proteica, aumento da expressão de chaperonas que auxiliam no dobramento e direcionam as proteínas mal dobradas para a via de degradação de proteínas associada ao retículo (ERAD). Quando o estresse reticular é prolongado, como no caso de infecções virais, a via UPR induz apoptose através da expressão da molécula pró-apoptótica CHOP. Neste trabalho, observou-se que após 72 horas de estímulo com 200 nM da proteína Tat houve um aumento significativo na taxa de apoptose das células Jurkat (12,05%, P<0.0001), indicando que provavelmente a proteína Tat exerce um efeito biológico que desencadeia o processo de apoptose. Células estimuladas também apresentam significativas alterações no perfil de transcritos dos genes que codificam as proteínas da via UPR: PERK, ATF6, IRE1, BIP, eIF2a, XBP1-u, XBP1-s, CHOP; e genes relacionado a apoptose mediada pelo estresse de RE: ATF4, CHOP, GADD34, BIM e BCL-2. Esses resultados indicam que a proteína Tat induz alterações celulares que geram estresse no RE levando a ativação da via UPR. O aumento na transcrição de CHOP pode indicar que o estresse no RE está envolvido no mecanismo de apoptose dessas células. Foi observado ainda, que células estimuladas sofrem parada nas fases S e G2 do ciclo celular e perdem o potencial de membrana de mitocôndria, sendo esses outros possíveis mecanismos de apoptose induzido por Tat. A identificação do papel de Tat no estresse no RE com posterior indução apoptótica podem reforçar a sugestão da via UPR como um possível alvo terapêutico.<br> / Abstract : HIV-positive individuals usually have a high depletion of of CD4 lymphocytes. The death of cells infected or not by the HIV is a result, among many other factors, the apoptosis mediated by viral proteins. Extrinsic or intrinsic pathways, respectively through cell surface receptors or activation of death signaling molecules, can trigger apoptosis cell death. The Unfolded Protein Response (UPR) is one of the cellular pathways that regulate cell survival or cell death. UPR also regulates the Endoplasmic Reticulum (ER) stress caused by the accumulation of misfolded or unfolded protein, by blocking the cell protein translation, increased expression of chaperones that assist in protein folding and lead misfolded proteins for the degradation pathway associated with the ER. When the ER stress is prolonged, as in the case of viral infections, the UPR induces apoptosis through the expression of pro-apoptotic molecule CHOP. In the present work, it was observed that after 72 hours of stimulation with 200nM of Tat protein there was a significant increase in apoptosis rate in Jurkat cells (12,05%, p<0.0001), indicating that Tat protein most likely exerts a biologic effect which triggers the apoptosis pathway. Cells stimulated also showed significant changes in transcription profile of genes encoding proteins of the UPR pathway: PERK, ATF6, IRE1, BIP, eIF2a, XBP1-u, XBP1-s, CHOP; and the genes related to ER stress-mediated apoptosis: ATF4, CHOP, GADD34, BIM e BCL-2. The increase in CHOP transcription may indicate that the ER stress is involved in the mechanisms that induces apoptosis in Jurkat cells. Furthermore, Tat stimulation induces cell cycle arrest and loss of mitochondrial membrane potencial in Jurkat cells. Identification the role of Tat in ER stress-induced apoptosis may reinforce the suggestion of the UPR pathway as a possible therapeutic target.
47

Silenciamento de XIAP potencializa os efeitos da superexpressão de TP53 na redução da proliferação e aumento da morte celular em gliomas

Silva, Andrew Oliveira January 2012 (has links)
Gliomas malignos compreendem o subtipo mais comum e devastador de tumores primários do sistema nervoso central (SNC), sendo o Glioblastoma Multiforme (GBM) a forma mais agressiva e mortífera. Pacientes com este tipo de tumor apresentam um prognóstico de sobrevida que não ultrapassa os 18 meses, após o diagnóstico. Isso é decorrente do fato de que os GBMs possuem elevada resistência aos tratamentos de quimio e radioterapia, além de serem altamente infiltrativos e neurologicamente destrutivos. Um importante fator que contribui para essa resistência é a superexpressão da proteína XIAP (X-linked Inhibitor of Apoptosis), o mais potente inibidor de apoptose da família das IAPs. Este atua inibindo diretamente a ativação das Caspases 3, 7 e 9. P53 é considerada uma das mais potentes proteínas supressoras tumorais, uma vez que esta atua como reguladora central em diversas vias de sinalização de mecanismos celulares distintos, como a via de controle do ciclo celular, reparo ao DNA, apoptose, senescência, autofagia, entre outras. Isto justifica o fato de p53 estar frequentemente mutada, nos mais variados tipos de cânceres. Portanto, o objetivo do presente trabalho foi estudar os efeitos resultantes da interação entre a superexpressão da proteína supressora tumoral p53 e o silenciamento da proteína anti-apoptótica XIAP na proliferação, na sobrevivência de GBMs. Quando p53 foi superexpressa (P+) na linhagem de glioma U87 silenciada para XIAP (Xi), através de RNAi, a taxa de proliferação celular reduziu significativamente em relação às células com as intervenções isoladas (U87Xi e U87wtP+) ou em relação ao controle selvagem U87wt, ao longo de dez dias. O ensaio de citotoxicidade LDH revelou um aumento na desestabilização da membrana citoplasmática nas células com a manipulação gênica combinada (U87XiP+) em relação os controles U87Xi e U87wtP+. O ensaio com AnexinaV/PI demonstrou uma elevação na marcação de células U87XiP+ com os dois marcadores, indicando uma maior indução de morte celular em relação aos controles. Além disso, como consequência da modulação combinada de p53 e XIAP, os níveis das proteínas pró-apoptóticas Bax e PUMA aumentaram tanto na linhagem U87wt, quanto na linhagem U87Xi, ao superexpressar p53. Além disso, os níveis de p21 e da proteína anti-apoptótica Bcl-xL foram reduzidos na linhagem U87Xi em relação ao controle U87wt. Outra constatação importante foi o aumento dos níveis de caspase-3 na linhagem U87Xi em relação ao controle U87wt e um aumento ainda maior nas células com a intervenção combinada (U87XiP+). Todos estes dados convergem para o fato de que a combinação do silenciamento de XIAP e superexpressão de p53 é mais efetiva na redução da proliferação e indução de morte na linhagem de glioma U87, do que as manipulações gênicas realizadas de forma isoladas, além de sugerir uma possível via de integração entre XIAP e p53, tendo como ponto de conexão o controle dos níveis citoplasmáticos da proteína p21 tanto por p53, quanto por XIAP, mostrando que a modulação combinada de proteínas da via apoptótica é capaz de potencializar os efeitos produzidos pelas intervenções de forma isoladas, representando uma nova e promissora estratégia no desenvolvimento de novas terapias para o tratamento de Gliomas.
48

Indução de parada no ciclo celular e apoptose pelo ditelureto de difenila : uma possível relação com inibição de enzimas topoisomerases

Xavier, Patricia Mendes Jorge January 2012 (has links)
O ditelureto difenila (DTDF) é um protótipo para o desenvolvimento de novas moléculas biologicamente ativas. Estudos prévios caracterizaram o efeito citotóxico dessa molécula em fibroblastos de pulmão de hamster chinês (células V79) mas os mecanismos relacionados à redução da viabilidade pelo DTDF são pouco conhecidos. Portanto, neste trabalho foi investigado o tipo de morte celular provocada pelo DTDF, sua influência no ciclo celular e sua possível interação com enzimas topoisomerases empregando células V79 e a levedura Saccharomyces cerevisiae como modelos biológicos de estudo. Conforme esperado, houve redução da viabilidade celular após o tratamento DTDF observada pelo ensaio MTT. A análise morfológica por coloração diferencial mostrou ocorrência de células apoptóticas e necróticas. Um aumento da atividade da enzima caspase 3/7 confirma a indução de apoptose pelo DTDF. Foi observada parada na progressão do ciclo celular na fase S e em sub-G1. A interação com topoisomerases foi verificada pelo teste de micronúcleo (MN) em células V79 onde foi verificado um possível potencial intercalante do DPDT. Linhagens de levedura deficientes em Top1p apresentaram maior tolerância ao DTDF em relação à linhagem selvagem, sugerindo que a interação com a enzima pode estar envolvida na toxicidade do DTDF. A sensibilidade ao DTDF encontrada na linhagem top3Δ indica que Top3p pode participar na reparação das lesões do DNA induzidas por este composto. Os nossos resultados sugerem que a diminuição da viabilidade celular pode ser atribuída à interação do DTDF com enzimas topoisomerases, levando a formação de quebras no DNA com consequente parada no ciclo celular e morte celular por apoptose/necrose. / The diphenyl ditelluride (DPDT) is a prototype for the development of new biologically active molecules. In previous studies, this organotelluride has shown an elevated cytotoxicity in lung fibroblast cell line derived from Chinese hamster (V79 cells), but the mechanisms for reduction of cell viability still remain unknown. Therefore, in this study we investigate the type of cell death induced by DPDT, the influence on cell cycle and its possible interaction with topoisomerase enzymes using V79 cells and the Saccharomyces cerevisiae yeast as biological models of study. As expected, there was a reduction in cell viability after DPDT treatment observed by MTT assay. Morphological analysis showed significant elevation in apoptotic and necrotic cells. An increase of caspase 3/7 activity confirms the apoptosis induction by DPDT. The arrest in the progression of the cell cycle in S phase and in sub-G1 was observed. The interaction with DNA topoisomerases was verified by the micronucleus test (MN) in V79 cells, which showed a possible intercalating potential of DPDT. Yeast strain deficient in Top1p showed higher tolerance to DPDT in relation to the wild type isogenic strain, suggesting that the interaction with this enzyme could be involved in the toxicity of DPDT. The sensitivity to DPDT found in top3Δ strain indicates that Top3p could participate in the repair of DNA lesions induced by this compound. Our results suggest that the decrease in cell viability can be attributed to interaction of DPDT with topoisomerases enzymes, leading to formation of DNA breakage and consequent cell cycle arrest and cell death by apoptosis / necrosis.
49

Investigação dos mecanismos de transdução de sinais envolvidos na apoptose induzida pelas chalconas sintéticas derivadas da 2, 4,5-trimetoxiacetofenona e do 2',4',5'-trimetoxibenzaldeído em leucemias agudas

Costa, Aline January 2012 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Farmácia / Made available in DSpace on 2012-10-26T09:34:50Z (GMT). No. of bitstreams: 1 303157.pdf: 8836552 bytes, checksum: 6d36524cfe394ced064ef4269ff20747 (MD5) / As leucemias constituem um grupo heterogêneo de neoplasias malignas decorrentes da proliferação clonal de células hematopoiéticas na medula óssea e/ou nos tecidos linfoides. Embora várias formas de terapia sejam utilizadas para combater as leucemias, a quimioterapia ainda é a terapia antileucêmica mais utilizada. Entretanto, a morbidade associada aos quimioterápicos ainda é um obstáculo significativo. Por isso, a busca por compostos antineoplásicos que tenham maior eficiência em induzir apoptose nas células tumorais e com insignificantes efeitos colaterais tornou-se alvo de investigação dos pesquisadores e da indústria farmacêutica. As chalconas e seus derivados têm sido descritos na literatura como promissores compostos com atividade antitumoral, no entanto, os mecanismos de ação citotóxica das chalconas ainda são controversos. Assim, neste trabalho, avaliamos o efeito citotóxico de 46 chalconas sintéticas derivadas da 2,4,5-trimetoxiacetofenona e do 2',4',5'-trimetoxibenzaldeído e os mecanismos de apoptose envolvidos nas células de leucemia mieloide aguda K562 e de leucemia linfoide aguda Jurkat, de origem humana. Nossos resultados mostram que do total de 46 chalconas testadas, 42 chalconas apresentaram efeito citotóxico significativo, e os compostos que causaram maior citototoxicidade foram as chalconas 13, 16, 19 e 26. O efeito citotóxico das chalconas avaliadas pode ser atribuído, provavelmente, às interações estéricas, pois os compostos que apresentaram efeitos citotóxicos menores possuem as mesmas características eletrônicas que as chalconas consideradas mais citotóxicas; desta forma não é possível estabelecer uma relação entre estrutura e atividade baseada nas características eletrônicas destes compostos. As chalconas com maior efeito citotóxico (chalconas 13, 16, 19 e 26) foram selecionadas para a realização de estudos citotóxicos em diferentes concentrações e tempos de incubação com as células K562 e Jurkat, e observou-se que essas chalconas causaram redução na viabilidade celular de ambas as células de maneira dependente da concentração e do tempo de incubação. Para avaliar a seletividade do efeito das chalconas sobre as células leucêmicas, as chalconas que tiveram maior efeito citotóxico também foram avaliadas quanto ao efeito citotóxico em células mononucleares de indivíduos saudáveis. Os resultados mostram que as chalconas não causaram alteração significativa na viabilidade celular dos mononucleares. Para estudar os mecanismos pelos quais esses compostos provocaram morte celular nas células K562 e Jurkat, avaliamos o ciclo celular, a indução a apoptose, o potencial mitocondrial, a expressão das proteínas Bcl-2, survivina, Bax, p53, Ki67 e caspase-3 ativa. Os resultados mostram que as chalconas 13, 16, 19 e 26 causaram aumento na proporção de células na fase Sub G0/G1 nas células Jurkat, e as chalconas 13 e 26 causaram mesmo efeito na célula K562. Além disso, as chalconas causaram diminuição na expressão do marcador de proliferação celular Ki67, sugerindo que o mecanismo de ação destes compostos envolve a inibição da proliferação celular. A avaliação da apoptose por microscopia de fluorescência e marcação com anexina V mostrou que as chalconas causaram morte celular por indução da apoptose. O estudo do mecanismo de ação dessas chalconas mostrou que as mesmas causaram redução do potencial mitocondrial, diminuição da expressão da proteína antiapoptótica Bcl-2 e aumento da expressão da proteína proapoptótica Bax, indicando que o mecanismo de indução de apoptose destes compostos envolve a via intrínseca da apoptose. Além disso, o mecanismo de ação destes compostos envolve o aumento da caspase-3 ativa e a diminuição da expressão da proteína antiapoptótica survivina e da proteína p53 mutada. / Leukemias are a diverse group of hematologic neoplasms caused by clonal proliferation of hematopoietic cells in bone marrow and/or lymphoid tissues. Although various forms of therapy are used in the treatment of leukemia, chemotherapy is still the most widely used antileukemic therapy. However, the morbidity associated with chemotherapy is a significant problem, thus, the search for anti-cancer compounds that induce tumor cell death more efficiently with fewer side effects became a major target for pharmaceutical research. Chalcones and their derivatives have been described in the literature as promising compounds with anti-tumor activity, however, their mechanisms of cytotoxic action are still under debate. In this work we evaluated the cytotoxic effect of 46 synthetic chalcones derived from 2,4,5- trimethoxyacetophenone and 2',4',5'-trimethoxybenzaldehyde and the apoptotic mechanisms involved in acute myeloid leukemia cells (K562) as well as acute lymphoid leukemia cells (Jurkat). Our results show that out of 46 chalcones tested, 42 chalcones showed significant cytotoxic effect, whereas the compounds with greater cytotoxic effect were chalcones 13, 16, 19, and 26. The cytotoxic effect of these active chalcones is probably due to their steric interactions, since some compounds with poor cytotoxic activity present the same electronic characteristics as that those considered active; thus it is not possible to establish a relationship based on the electronic characteristics of these compounds. The chalcones that provided the best cytotoxic effect (13, 16, 19, and 26) were chosen for a more detailed cytotoxicity study using K562 and Jurkat cells under different concentrations and incubation times. These chalcones caused a reduction in cell viability for both cell lines in a concentration and time-dependent manner. To assess the selectivity effect of chalcones on leukemic cells the most cytotoxic chalcones were also evaluated for cytotoxic effect on mononuclear cells from healthy individuals. The results show that chalcones caused no significant change in cell viability of mononuclear cells. To study the mechanisms by which these compounds caused cell death in K562 and Jurkat cells we evaluated the cell cycle, apoptosis induction, mitochondrial potential, expression of anti-apoptotic proteins Bcl-2 and survivin, expression of pro-apoptotic protein Bax, and expression of p53, Ki67 and active caspase-3 proteins. The results show that chalcones 13, 16, 29 and 26 caused an increase in the proportion of Jurkat cells in the Sub G0/G1 phase, and chalcones 13 and 26 caused same effect in K562 cells. In addition, chalcones caused a decrease in expression of cell proliferation marker Ki67, suggesting that the mechanism of action of these compounds involves inhibition of cell proliferation. The evaluation of apoptosis by fluorescence microscopy and labeling with annexin V showed that chalcones caused cell death by inducing apoptosis. The study of mechanism of action showed that chalcones reduced mitochondrial potential, decreased Bcl-2 expression, and increased Bax expression, indicating that the mechanism of apoptosis induced by chalcones involves the intrinsic apoptosis pathway. Moreover, the chalcones' mechanism of action involves increase in active caspase-3 expression and decrease in survivin and p53 expression.
50

Efeito antitumoral dos extratos hidroalcoólico e supercrítico da semente de Passiflora edulis f. flavicarpa Degener (Passifloraceae)

Mota, Nádia Sandrine Ramos Santos January 2015 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Bioquímica, Florianópolis, 2015. / Made available in DSpace on 2016-10-19T13:06:47Z (GMT). No. of bitstreams: 1 340548.pdf: 3484014 bytes, checksum: 75fa077316c96f5c32e7614011e08bcf (MD5) Previous issue date: 2015 / A utilização da extração supercrítica para a obtenção de compostosbioativos a partir das sementes da P. edulis f. flavicarpa Degener,consideradas como resíduos da indústria agroalimentar, demonstrou seruma forma eficiente de usar estas sementes por recicla-las, além de seruma excelente alternativa à extração convencional (maceraçãohidroalcoólica). Estudos prévios já evidenciaram o potencial efeitoantitumoral da P. edulis f. flavicarpa Degener, contudo os prováveismecanismos de ação responsáveis por tal efeito não estão totalmenteelucidados. Neste contexto, o presente trabalho objetivou avaliarcomparativamente o potencial antitumoral dos extratos hidroalcoólico(EtOH) e supercrítico (300bar/40°C/CO2/5% etanol, ESC) da torta desementes da P. edulis f. flavicarpa Degener, utilizando para issomodelos in vitro (MCF-7), moleculares (CT-DNA e DNA plasmidial) ein vivo (camundongos Balb/c inoculados com células do tumor ascíticode Ehrlich - TAE). Para tanto, avaliou-se a citotoxicidade (MTT), ainteração com o CT-DNA (espectrofotometria UV-Vis e fluorescência),a capacidade de induzir fragmentação ao DNA plasmidial, a capacidadeantiproliferativa (efeito sobre o ciclo celular), o efeito pró-apoptótico(coloração com EtBr/LA), a atividade antitumoral in vivo (avaliaçõesmorfológicas) e por fim, o efeito antiangiogênico in vivo (contagem dosvasos). A citotoxicidade dos extratos foi avaliada sobre as células deMCF-7 tratadas por 72h (10 a 500 µg/mL), no qual o ESC foi maiscitotóxico que o EtOH (CI50ESC = 291,07±16,15µg/mL; CI50EtOH =320,63±1,15µg/mL). Ambos os extratos apresentaram compostosintercalantes no CT-DNA (hipocromismo e redução da fluorescência doEtBr) e causaram fragmentação simples do DNA plasmidial(FIIEtOH50µg/mL = 59,81%; FIIESC50µg/mL = 87,30%). Nos ensaios in vivo,ambos os extratos diminuíram o peso corporal dos animais e o volumede líquido ascítico em decorrência do aumento na proporção de célulastumorais inviáveis. O que culminou no aumento da inibição docrescimento tumoral (EtOH200mg/kg/dia = 27,32±5,19% e ESC200mg/kg/dia =48,45±7,19%) e a sobrevida dos animais tratados (ESC200mg/kg/diaaumentou em 12,0% a probabilidade dos animais estarem vivos em 30dias; contra 17 dias de vida dos tratados com EtOH200mg/kg/dia). Acoloração com EtBr/LA revelou que o provável tipo de morte celularinduzida pelos tratamentos foi por apoptose, uma vez que as célulasadquiriram uma coloração laranja, característica de células apoptóticas(EtOH200mg/kg/dia = 30,57% e ESC200mg/kg/dia = 48,22%). Ambos osextratos apresentaram o efeito antiproliferativo por bloquear o ciclocelular. No entanto, o ESC apresentou tal efeito mais pronunciado doque o EtOH por induzir um atraso na fase G1 seguida de um bloqueiodo ciclo celular na fase G2. Por fim, ambos os extratos exibiramatividade antiangiogênica in vivo, onde o ESC apresentou tal efeito maisacentuado (ESC200mg/kg/dia = 90%). Os resultados obtidos demonstramque ambos os extratos da P. edulis f. flavicarpa Degener apresentaramatividade citotóxica, antiproliferativa, pró-apoptótica e antitumoral tantoin vitro com in vivo, mediado pelo bloqueio do ciclo celular em respostaaos danos no DNA, com respectiva sinalização de apoptose.Adicionalmente, o efeito antiangiogênico contribuiu na atividadeantitumoral observada. Ressaltando-se que, o ESC apresentou o feitoantitumoral mais eficaz que o EtOH provavelmente devido a presençados alcaloides ß-carbolínicos, harmana e harmina. Concluindo-se que aextração supercrítica confere maior citotoxicidade e efeito antitumoralaos extratos obtidos por essa técnica, por aumentar o poder de extraçãode compostos com provável atividade antitumoral.<br> / Abstract: The use of supercritical extraction to obtain bioactive compounds fromthe seeds of P. edulis f. flavicarpa Degener, considered as waste of thefood industry, proved to be an efficient way to use these seeds byrecycling them. Besides being an excellent alternative to conventionalextraction (hydro-alcoholic maceration). Previous studies havehighlighted the potential antitumor effect of P. edulis f. flavicarpaDegener. However, the mechanisms of action responsible for this effectare not fully elucidated. In this context, this study aimed tocomparatively evaluate the antitumor potential of hydro-alcoholic(EtOH) and supercritical extract (300bar/40°C/CO2/5% ethanol, SFE) ofseed cake of P. edulis f. flavicarpa Degener. For this purpose wasconducted in vitro (MCF-7), molecular (CT-DNA and plasmid DNA)and in vivo (Balb/c mice inoculated with Ehrlich ascites carcinoma cells- EAC) models. Therefore, we assessed the cytotoxicity (MTT),interaction with the CT-DNA (UV-Vis spectrophotometry andfluorescence), ability to induce plasmid DNA fragmentation,antiproliferative activity (effect on cell cycle), pro-apoptotic effect(staining with EtBr/OA), antitumor activity in vivo (morphologicalevaluation) and finally the antiangiogenic effect in vivo (microvesselcounting). The extracts cytotoxicity was determined on MCF-7 cellstreated for 72 hours (10 to 500 µg/mL), where ESC was more cytotoxicthan the EtOH (IC50SFE = 291.07±16.15µg/mL; IC50EtOH =320.63±1,15µg/mL). Both extracts showed intercalating compounds onCT-DNA (hypochromism and fluorescence reduction of EtBr) andcaused fragmentation of plasmid DNA (single strand break,FIIEtOH50µg/mL = 59.81%; FIISFE50µg/mL = 87.30%). In the in vivo assays,both extracts decreased the body weight of the animals and the volumeof ascites due to an increase in the proportion of unviable tumor cells.What led to increased inhibition of tumor growth (EtOH200mg/kg/day =27.32±5.19% e SFE200mg/kg/day = 48.45±7.19%) and survival of thetreated animals (ESC200mg/kg/day increased in 12.0% the probability ofanimals were alive at 30 days compared to 17 days of life those treatedwith EtOH200mg/kg/day). The staining with EtBr/OA revealed thatapoptosis was the type of cell death induced by treatments, since thecells have acquired an orange color, characteristic of apoptotic cells(EtOH200mg/kg/day = 30.57% e SFE200mg/kg/day = 48.22%). Both extractsshowed antiproliferative effect by blocking the cell cycle. However,ESC has a more pronounced effect than the EtOH by inducing a delay inthe G1 phase followed by a block of the cellular cycle in the G2 phase.Finally, both extracts exhibited antiangiogenic activity in vivo, whereESC had a greater effect (SFE200mg/kg/day = 90.0%). Indeed, the resultsshowed that both extracts of P. edulis f. flavicarpa Degener showedcytotoxic, antiproliferative, pro-apoptotic and antitumor activity in vitroand in vivo, mediated by blocking the cell cycle in response to DNAdamage, with relative apoptosis signaling. Additionally, theantiangiogenic effect has contributed to the observed antitumor effect.Emphasizing that ESC had showed the most effective antitumor effectthan EtOH probably due to the presence of ß-carboline alkaloids harmanand harmine. In conclusion, the supercritical extraction provides greatercytotoxicity and antitumor effect to the extracts obtained by thistechnique due to increased power of extraction of compounds withpossible antitumor activity.

Page generated in 0.0584 seconds