• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 9
  • 2
  • Tagged with
  • 11
  • 11
  • 4
  • 3
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Investigação de poliformismo nos genes das citocinas TNFa, INFg, TGfb, IL-6 e IL-10 em pacientes com febre hemorrágica da dengue / Investigation of cytokine genes polymorphism in TNF-α,IFN-γ, TGF-β,IL-6, AND IL-10 in dengue haemorrhagic fever patient

Silva, Francisco Marcio Pereira da January 2010 (has links)
SILVA, Francisco Marcio Pereira da. Investigação de poliformismo nos genes das citocinas TNFa, INFg, TGfb, IL-6 e IL-10 em pacientes com febre hemorrágica da dengue. 2010. 68 f. Dissertação (Mestrado em Patologia) - Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2010. / Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2016-03-09T15:19:11Z No. of bitstreams: 1 2010_dis_fmpsilva.pdf: 1000041 bytes, checksum: ed8a0829820ab0378a44784409d70332 (MD5) / Approved for entry into archive by denise santos(denise.santos@ufc.br) on 2016-03-09T15:45:00Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2010_dis_fmpsilva.pdf: 1000041 bytes, checksum: ed8a0829820ab0378a44784409d70332 (MD5) / Made available in DSpace on 2016-03-09T15:45:00Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2010_dis_fmpsilva.pdf: 1000041 bytes, checksum: ed8a0829820ab0378a44784409d70332 (MD5) Previous issue date: 2010 / Currently, Dengue Hemorrhagic Fever - DHF has had a continuous increase in its incidence in general across the country along with the increase of cases has been presenting an alarming fatality rate for DHF. Some conditions have different immune responses in the face of polymorphism in cytokine genes, this study aims to identify genetic factors related to worsening of the disease in patients with DHF. This investigation is the possibility of polymorphisms of cytokines genes: TNF-α -308 G → A, TGF-β codon 10 and codon 25, IL-10 -1082 G → A, -819 C → T, -592 A → C, IL-6-174G → C, and IFN-γ +874 T → A with DHF. The location of cross-sectional study of case-control takes place in Fortaleza, Ceará, Brazil in 2009, with patients who were diagnosed as DHF, laboratory and clinical ways, according to the rules of MS being a total of 48 persons in the DHF group. People who took part in the control group were a total of 85 voluntary blood donors of Hemoce. Samples of material collected, 5mL of blood were used for DNA extraction, using kits PureLink (Invitrogen) and subsequently made the process of typing, which was used Cytgen kits (One-Lambda, Canoga Park, CA, USA ). After the procedures and laboratory tests, it was obtained results as the genotype frequencies of TNF-α, -308 G/G, with predominance in the DHF group (85.4%). In the cytokine IFN-γ +874, the most frequent genotype was T / A in the DHF group (47.9%) in the TGF-β codon 10 and codon 25 genotype was the predominant T/C G/G (41 7%) in group DHF. In IL-6 -174, the most frequent genotype was G/G in the DHF group (58.3%), we note however that despite these frequencies, the cytokines mentioned no association and genotypic nor between allelic polymorphism and worsening of dengue. When analyzing the genotype IL-10 -1082, -819 and -592, we found a predominance of genotype GCC/ACC DHF group (35.5%), and associated with a statistically significant protective factor in the genotype GCC/GCC (21,0%) frequency in the control group. This cytokine showed an association to protect the worsening of the disease. We conclude therefore that the study of polymorphisms of cytokine genes in Dengue Hemorrhagic Fever, showed allelic and genotypic differences in IL-10 as a protective factor. / Atualmente a Febre Hemorrágica da Dengue – FHD, tem tido um contínuo aumento em sua incidência, de forma geral em todo o país, juntamente com esse aumento de casos vem se apresentando uma letalidade preocupante em relação à FHD. Algumas doenças apresentam respostas imunológicas diferentes diante de polimorfismo em genes de citocinas. Este estudo tem por objetivo identificar fatores genéticos relacionados com o agravamento da doença em pacientes com FHD. Tal investigação se dá na possibilidade do polimorfismo dos genes das citocinas: TNF-α -308 G→A, TGF-β códon 10 e códon 25, IL-10 -1082 G→A, -819 C→T, -592 A→C, IL-6 -174G→C, e IFN-γ +874 T→A com a FHD. O local do estudo transversal de caso-controle, foi em Fortaleza, Ceará, Brasil, em 2009, com pacientes que foram diagnosticados como FHD, clínica e laboratorialmente, de acordo com as normas do MS, estes perfazendo um total de 48 pessoas envolvidas no grupo FHD. As pessoas que fizeram parte do grupo controle foram num total de 85 doadores voluntários de sangue do HEMOCE. As amostras do material colhido, 5mL de sangue, foram utilizadas para extração de DNA, utilizando kits PureLink (Invitrogen), e posteriormente foi feito o processo de tipificação, utilizado-se o kit Cytgen (One-Lambda, Canoga Park, CA, EUA). Após os processos e análises laboratoriais, obtivemos como resultados as freqüências dos genótipos do TNF-α,-308 G/G, com maior predominância no grupo FHD (85,4%). Na citocina IFN-γ +874, o genótipo mais freqüente foi o T/A, no grupo FHD (47,9%), no TGF-β códon 10 e códon 25, o genótipo predominante foi o T/C G/G (41,7%) no grupo FHD, na IL-6 -174, o genótipo mais freqüente foi G/G no grupo FHD (58,3%), salientamos porém, que apesar destas freqüências, nas citocinas citadas não foi encontrada associação genotípica e nem alélica entre polimorfismo e agravamento da dengue. Ao analisarmos o genótipo IL-10 -1082, -819 e -592, obtivemos maior predominância no genótipo GCC/ACC do grupo FHD (35,5%), e uma significância estatística associada ao fator de proteção no genótipo GCC/GCC (21,0%) de freqüência no grupo controle. Esta citocina apresentou associação de proteção ao agravamento da doença. Concluímos, portanto, que o estudo do polimorfismo de genes das citocinas na Febre Hemorrágica da Dengue, demonstrou diferenças genotípicas e alélicas na IL-10, como fator de proteção.
2

Alteração no perfil etário dos casos de dengue no Ceará de 2001 a 2011 / Change in age profile of cases of dengue in Ceará 2001 to 2011

Belarmino, Glayriann Oliveira January 2013 (has links)
BELARMINO, Glayriann Oliveira. Alteração no perfil etário dos casos de dengue no Ceará de 2001 a 2011. 2013. 88 f. Dissertação (Mestrado em Patologia) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Medicina, Fortaleza, 2013. / Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2014-03-26T13:08:30Z No. of bitstreams: 1 2013_dis_gobelarmino.pdf: 2552274 bytes, checksum: dc94148a4ed172d29bfcf0b1853f8f92 (MD5) / Approved for entry into archive by denise santos(denise.santos@ufc.br) on 2014-03-26T13:11:58Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2013_dis_gobelarmino.pdf: 2552274 bytes, checksum: dc94148a4ed172d29bfcf0b1853f8f92 (MD5) / Made available in DSpace on 2014-03-26T13:11:58Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2013_dis_gobelarmino.pdf: 2552274 bytes, checksum: dc94148a4ed172d29bfcf0b1853f8f92 (MD5) Previous issue date: 2013 / In the state of Ceará dengue cases has been reported since 1986, with frequent epidemics and high mortality. Thus, the aim of this study was to describe the age distribution of dengue cases recorded in the state of Ceará between 2001-2011. We conducted a retrospective study of cases of dengue in the state of Ceará, using secondary data obtained from the Department of Health of Ceará and the Central Public Health Laboratory. We used data recorded in the Information System for Notifiable Diseases (SINAN) and Hospital Information System (SIH). In the age distribution of cases, it was considered ranges of < 9 years, 10-19, 20-59 and ≥ 60 years. We included all cases reported in SINAN with early symptoms of 1 January 2001 to 31 December 2011. For DHF cases, all fulfilled the criteria for DHF cases of WHO. The average number of confirmed cases was 27,541 cases, ranging from 3,094 in 2004 to 55,074 in 2011. There was a significant increase in the number of confirmed cases in < 9 years regarding to number of hospitalizations, number of DHF cases and number of deaths. Between the years 2003-2006, the DENV-3 serotype was predominant. Between 2007 and 2009 the DENV-2 serotype was predominant. In 2010 and 2011, the DENV-1 serotype was predominant. In 2003 the incidence of DHF was higher in the group ≥ 60 years (5.134/100.000 inhabitants). In 2007, with the return of DENV-2 serotype circulation, the incidence was higher among children <10 years (4.884/100.000 inhabitants), significantly increasing. The coefficient of hospitalization increased in all age groups, but in children < 9 years, this increase was more significant, from 0,050 / 1,000 in 2001 to 1.431/1.000 in 2011. It can be concluded that despite the greater number of cases have affected initially the adult population in recent years, with the simultaneous circulation of four serotypes, severe cases have occurred most often in children this change in the age profile of cases, possibly influenced by the reintroduction of the DENV-2 serotype, contributed to the increase in mortality from dengue. It is necessary to prepare the Assistance to early diagnose cases in the child population and consequently prevent deaths. / No estado do Ceará, casos de dengue vêm sendo notificados desde 1986, com epidemias frequentes e elevada letalidade. O objetivo deste trabalho foi descrever a distribuição etária dos casos de dengue registrados no estado do Ceará, no período de 2001 a 2011. Realizou-se estudo descritivo e retrospectivo sobre os casos de dengue notificados no Estado, através de dados secundários obtidos na Secretaria Estadual de Saúde do Ceará e Laboratório Central de Saúde Pública. Foram utilizados dados registrados no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN) e Sistema de Informação Hospitalar (SIH). A distribuição etária dos casos considerou faixas de < 9 anos, 10 a 19, 20 a 59 e ≥ 60 anos. Foram incluídos todos os casos registrados no SINAN, com início de sintomas de 1º de janeiro de 2001 a 31 de dezembro de 2011. Para os casos de FHD, os mesmos cumpriram com os critérios de definição de casos de FHD da OMS. A média do número de casos confirmados foi de 27.541 casos, variando entre 3.094 em 2004 e 55.074 em 2011. Houve um aumento importante em relação ao número de casos confirmados na faixa etária de < 9 anos, no número internações, no número de casos de FHD e no número de óbitos. Nos anos de 2003 a 2006 predominou o sorotipo DENV-3. Entre 2007 e 2009 predominou o sorotipo DENV-2. Em 2010 e 2011 predominou o sorotipo DENV-1. Em 2003 a incidência de FHD foi maior na faixa etária ≥ 60 anos (5.134/100.000 habitantes). Em 2007, com o retorno da circulação do sorotipo DENV-2 a incidência foi maior entre crianças < 9 anos (4.884/100.000 habitantes), aumentando de forma significativa. O coeficiente de internação aumentou em todas as faixas etárias, mas nas crianças < 9 anos esse aumento foi mais significativo, passando de 0,050/1.000 em 2001 para 1.431/1.000 em 2011. Pode-se concluir que apesar do maior número de casos ter acometido inicialmente a população adulta, nos últimos anos, com a circulação simultânea de quatro sorotipos, os casos graves têm ocorrido com maior frequência na população infantil. Essa mudança no perfil etário dos casos, possivelmente influenciada pela reintrodução do sorotipo DENV-2, contribuiu para o aumento na letalidade por dengue. É preciso preparar a assistência para diagnosticar precocemente os casos na população infantil e consequentemente evitar óbitos.
3

Caracterização clínico-epidemiológica do dengue grave em crianças e adolescentesRio de Janeiro, 2007-2008

Pone, Sheila Moura January 2015 (has links)
Made available in DSpace on 2016-05-19T13:20:09Z (GMT). No. of bitstreams: 2 sheila_pone_ini_dout_2015.pdf: 2264944 bytes, checksum: b862b9b78dfa206557399a150841b792 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2015 / Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas. Rio de Janeiro, RJ, Brasil / Em 2007-2008, o Rio de Janeiro viveu uma epidemia de dengue com 80.404 notificações, com 109 óbitos, 42% em < 15 anos. Objetivos: 1. Descrever a distribuição espacial e o perfil clínico-epidemiológico da epidemia de dengue por faixa etária no município do Rio de Janeiro. 2. Avaliar os fatores clínicos e laboratoriais preditivos de dengue grave em uma coorte de crianças internadas. Métodos: Esta tese foi formatada com dois artigos: 1) Distribuição espacial e caracterização clínico-epidemiológico do dengue no município do Rio de Janeiro; 2) Sinais clínicos e laboratoriais associados ao dengue grave em crianças hospitalizadas. Artigo 1: estudo ecológico com base no Sistema de Informação de Agravos de Notificação do município do Rio de Janeiro (2007-2008). Foram incluídos todos os casos de dengue confirmados pelo critério clínico-laboratorial dos residentes do município do Rio de Janeiro. Foram descritas as variáveis sócio demográficas e clínicas (classificação do caso, hospitalização e evolução) segundo a idade. Foi utilizado o critério de classificação de caso do Ministério da Saúde de 2005 (febre do dengue, dengue com complicações e febre hemorrágica do dengue - FHD). Autocorrelação espacial das taxas de incidência, mortalidade e letalidade foi verificada pelos índices de Moran e de Geary Artigo 2: coorte retrospectiva das hospitalizações por dengue (até 18 anos) em uma unidade de referência (2007-2008). Dengue grave foi definido pelo uso de terapia de suporte avançado de vida ou óbito. Diferenças de medianas e de proporções foram avaliadas, respectivamente, pelo teste de Mann-Whitney e pelo exato de Fisher (p<0,05). Foram calculados os parâmetros de acurácia dos sinais e sintomas. Resultados: Artigo 1: De 159887 notificações, 151527 eram residentes do município do Rio de Janeiro, 38.808 preencheram os critérios de inclusão. Destes, 8897 (22,9%) tiveram complicações e 1051 (2,7%) FHD; 16.436 (42,4%) eram < 18 anos e 15.288 (39,4%) foram confirmados laboratorialmente. A letalidade foi maior em lactentes (1,4%) e nos casos de FHD (7,7%). Extravasamento plasmático foi mais comum de 2 a 11 anos. Houve autocorrelação espacial global quanto à mortalidade e letalidade e autocorrelação local para os três índices (p<0,05). Artigo 2: De 145 pacientes, 53,1% eram do sexo feminino, com mediana de idade de 8,7 anos (IIQ=7,2-11,5); 15,9% evoluíram para gravidade A duração da febre em dias foi menor no grupo grave (G: Mediana Md=3,0, IIQ= 2,0\20134,5; NG: Md=4,0, IIQ=3,0\20135,0; p=0.062). Letargia, irritabilidade, sangramento, dispneia, ausculta pulmonar alterada, derrame pleural, distensão abdominal e edema foram associados à evolução para gravidade (p<0,05). Níveis de hematócrito (p=008) e de albumina sérica (p<0,001) foram menores nos graves. Letargia apresentou Valor Preditivo Negativo (VPN) > 90%, com Valor Preditivo Positivo (VPP) de 80%. As demais variáveis com p-valor <0,05 apresentaram VPN próximo ou > 90%, com baixo VPP. Conclusão: Apesar da incidência de FHD ter sido maior entre escolares, os lactentes tiveram maior letalidade. Extravasamento plasmático foi mais frequente em escolares e pré-escolares. Sangramento, sonolência e irritabilidade na admissão hospitalar associaram-se à gravidade e o derrame cavitário obteve maior acurácia do que a hemoconcentração como sinal de extravasamento plasmático / In 2007-2008, the Rio de Janeiro experienced a dengue epidemic with 80,404 notifications, with 109 deaths, 42% <15 years. Objectives: 1. To describe the spatial distribution and the clinical epidemiology of dengue epidemic by age group in the city of Rio de Janeiro. 2. To evaluate the predictive clinical and laboratory factors of severe dengue in a cohort of hospitalized children. Methods: This thesis has been formatted in two articles: 1) Spatial distribution and clinical and epidemiological characterization of dengue in the city of Rio de Janeiro; 2) clinical and laboratory signs associated with severe dengue in hospitalized children. Article 1: ecological study based in the Information System for Notifiable the city of Rio de Janeiro (2007-2008). We included all cases of dengue confirmed by clinical and laboratory testing of the residents of the city of Rio de Janeiro. Sociodemographic and clinical variables were described (case classification, hospitalization and evolution) according to age. We used the case of classification criteria of the Ministry of Health 2005 (dengue fever, dengue with complications and dengue hemorrhagic fever - DHF). Spatial autocorrelation of incidence, mortality and mortality was recorded by the indices of Moran and Geary. Article 2: Retrospective cohort of hospitalizations for dengue (18 years) in a unit of reference (2007-2008). Severe dengue was defined by the use of advanced support therapy of life or death. Median differences and ratios were evaluated, respectively, by the Mann-Whitney test and Fisher's exact test (P <0.05). The parameters of accuracy of the signs and symptoms were calculated. Results: Article 1: In 159 887 notifications were 151,527 residents of the city of Rio de Janeiro, 38 808 met the inclusion criteria. Of these, 8897 (22.9%) had complications and 1051 (2.7%) DHF; 16,436 (42.4%) were <18 years and 15,288 (39.4%) were laboratory confirmed. Mortality increased in infants (1.4%) and in cases of DHF (7.7%). Plasma leakage was more common 2-11 years. There was global spatial autocorrelation in mortality and mortality and local autocorrelation for the three indices (p <0.05). Article 2: In 145 patients, 53.1% were female, with a median age of 8.7 years (IQR = 7.2 to 11.5); 15.9% progressed to gravity. The duration of fever in days was lower in the severe group (G: Median Md = 3.0, IQR = 2.0 to 4.5; NG: Md = 4.0, IQR = 3.0-5.0; p = 0.062). Lethargy, irritability, bleeding, dyspnea, abnormal pulmonary auscultation, pleural effusion, bloating and swelling were associated with progression to severity (p <0.05). Hematocrit (p = .008) and serum albumin (p <0.001) were lower in severe. Lethargy presented Negative Predictive Value (NPV)> 90%,with Positive Predictive Value (PPV) of 80%. The other variables with p-value <0.05 showed VPN near or> 90% with low PPV. Conclusion: Although the incidence of DHF was longer in school, infants had higher mortality. Plasma leakage was more frequent in children and preschoolers. Bleeding, drowsiness and irritability at admission were associated with stroke severity and the cavity achieved greater accuracy than hemoconcentration as plasma leakage signal.
4

Fatores associados ao dengue grave em crianças: estudo caso-controle em três hospitais pediátricos no município do Rio de Janeiro / Factors associated with severe dengue in children - case-control study in three pediatric hospitals in the city of Rio de Janeiro

Wakimoto, Mayumi Duarte January 2011 (has links)
Made available in DSpace on 2016-06-15T17:41:58Z (GMT). No. of bitstreams: 2 246.pdf: 2136338 bytes, checksum: b9442031a16ab0c4db2024b9f05eac73 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2011 / Made available in DSpace on 2016-07-05T22:26:19Z (GMT). No. of bitstreams: 3 246.pdf.txt: 255961 bytes, checksum: 3211134772743ab708a93be62021a5f2 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) 246.pdf: 2136338 bytes, checksum: b9442031a16ab0c4db2024b9f05eac73 (MD5) Previous issue date: 2011 / O presente trabalho teve por objetivo analisar os fatores demográficos e clínico-laboratoriais associados ao dengue grave em crianças internadas em três hospitais pediátricos no município do Rio de Janeiro. Inicialmente foi avaliada a literatura disponível sobre o tema por meio de revisão sistemática. Os parâmetros que demonstraram forte associação aos casos graves na revisão foram: letargia, hepatomegalia, hematócrito maior 50 por cento, hemoconcentração maior 22 por cento, sangramento, que constituem sinais de alerta definidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Também estavam associados à síndrome do choque do dengue (SCD): tipo de vírus, infecção secundária pelo vírus dengue e obesidade. Houve importante variação nos resultados, o que apontou para a necessidade de realização de outros estudos, com desenho e métodos de análise adequados à investigação de fatores preditivos de gravidade em crianças, permitindo a comparação do padrão clínico-epidemiológico entre diferentes populações.Para avaliação dos fatores demográficos, clínicos e laboratoriais associados ao dengue grave em crianças no município do Rio de Janeiro, foi realizado estudo caso-controle em três hospitais de referência para internação. Foram avaliadas 308 crianças na faixa etária de 0 a 18 anos internadas por dengue: 89 casos, definidos como graves pela presença de choque e 219 controles. A média de idade entre os casos foi de 7,9 anos e 9,1 anos nos controles. Não houve associação significativa entre sexo e raça ao dengue grave. Todos os sinais de alarme descritos na literatura foram significativos na análise univariada: (...) O estudo demonstrou a importância do monitoramento dos sinais clínicos, confirmou a relevância dos sinais dealarme e definiu indicadores de evolução para o quadro de choque em crianças hospitalizadas com dengue. / The study aimed to evaluate demographic, clinical and laboratorial factors associated to severe dengue in hospitalized children from three pediatric hospitals in Rio de Janeiro. Initially, a systematic review about clinical and laboratorial aspects associated to severe dengue was developed. The parameters which revealed strong association to severe cases were: lethargy, hepatomegaly, hematocrit level more 50 percent, hemoconcentration more 22 percent and bleeding. Those are warning signs according to World Health Organization (WHO). The following signs were also associated to dengue shock syndrome (DSS): virus type, secondary dengue infection and obesity. The results presented important heterogeneity. Further studies with adequate designs and methods for the investigation of predictive factors of severity in children, allowing comparison of the clinical and epidemiological pattern in different populations, are needed.To evaluate demographic, clinical and laboratorial factors associated to severe dengue in children in Rio de Janeiro, a case-control study was conducted in three reference hospitals. A total of 308 children from 0 to 18 years old admitted with dengue diagnosis was evaluated: 89 cases of shock, according to the definition of the study, and 219 controls. The mean age was 7,9 years old for cases and 9,1 years old among controls. There was no significant association of sex and race with severe dengue. All the warning signs presented significant association with severe dengue in univariate analysis: (...) The study stressed the importance of monitoring clinical signs, confirmed the relevance of the warning signs and defined indicators of clinical evolution to shock in hospitalized children with dengue. (AU)^ien
5

Avaliação da acurácia dos critérios para definição de caso de febre hemorrágica da dengue e dengue grave utilizados pela organização mundial de saúde de acordo com as classificações tradicional e revisada

FERNANDES, Ana Isabel Vieira 31 August 2012 (has links)
Submitted by Heitor Rapela Medeiros (heitor.rapela@ufpe.br) on 2015-03-06T11:52:06Z No. of bitstreams: 2 Tese doutorado - Ana Isabel Vieira Fernandes_2012.pdf: 5747684 bytes, checksum: 34a3a87357db507b346922bdb10d1dda (MD5) license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) / Made available in DSpace on 2015-03-06T11:52:06Z (GMT). No. of bitstreams: 2 Tese doutorado - Ana Isabel Vieira Fernandes_2012.pdf: 5747684 bytes, checksum: 34a3a87357db507b346922bdb10d1dda (MD5) license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) Previous issue date: 2012-08-31 / CNPq / A dificuldade para preencher os critérios de febre hemorrágica da dengue (FHD) levou a Organização Mundial de Saúde a propor uma nova classificação. Entre março de 2009 e maio de 2011 formou-se uma coorte prospectiva de base hospitalar com suspeitos de dengue em dois hospitais da capital da Paraíba no nordeste do Brasil. De 770 pacientes, 554 tiveram confirmação laboratorial do diagnóstico de dengue, sendo coletadas informações clínicas, laboratoriais, ultrassonografia e classificados segundo Organização Mundial de Saúde (OMS) de 1997 e 2009, além do padrão ouro, extravasamento de plasma. Foram testadas a sensibilidade (S), especificidade (E), razão de verossimilhança positiva e negativa (RVSP e RVSN), Valores preditivos positivo e negativo (VPP e VPN) da variação do hematócrito ≥20%, albumina abaixo de 3,5g/dL, prova do laço, sangramentos de mucosas, derrames cavitários e plaquetas ≤100mil/mm3 para as duas classificações e comparada pela curva ROC as áreas abaixo da curva (AUC) da variação do hematócrito, da albumina e dos derrames cavitários. Dos 554 pacientes 27(4,9%) foram classificados como FHD III/FHD IV e 59 (10,6%) como DG. A sensibilidade e especificidade da classificação OMS 1997 em relação ao extravasamento de plasma foram 77,5% e 93,04%, respectivamente e da OMS 2009 foram 81,17% e 62,17%. O Kappa entre as duas classificações foi 0,489 com p=0,000. A comparação entre as AUC apontou a albumina como sendo superior à variação do hematócrito e não mostrou diferença em relação ao espessamento da vesícula biliar. A curva ROC apontou a variação do hematócrito acima de 10% como melhor ponto de corte para FHD melhorando sua sensibilidade e especificidade. A acurácia entre as duas classificações apresenta bom grau de concordância. A validação da classificação OMS 1997 apresenta sensibilidade pouco inferior à da OMS 2009, mas apresenta uma excelente especificidade quando se toma o extravasamento de plasma como padrão ouro.
6

DENGUE GRAVE NO BRASIL CENTRAL: ASPECTOS CLÍNICOS E EPIDEMIOLÓGICOS.

Queiroz, Eduardo Rodrigues de 14 March 2016 (has links)
Made available in DSpace on 2016-08-10T10:57:45Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Eduardo Rodrigues de Queiroz.pdf: 3248595 bytes, checksum: 3a273d70ad96a5f80068adc2f59bab5c (MD5) Previous issue date: 2016-03-14 / Dengue is an endemic disease in more than 125 countries located in tropical and subtropical regions. These areas concentrate almost 40% of the world population, which is exposed to the infection caused by this virus. Given the wide range and adaptability of Aedes aegypti, dengue is the most prevalent viral infection caused by a vector leading to epidemics, death and loss in the countries affected by it. Brazil is one of the countries recording the highest number of cases where dengue is a severe public health problem. The general objective is to describe the epidemiological characteristics of severe dengue. The specific objectives include: describe the coefficient of incidence, coefficient of mortality, clinical and demographic characteristics of severe dengue; describe how the incidence of severe dengue progresses; list the hemorrhagic clinical complications manifested after an individual is infected by the virus; present the temporal tendency of cases and mortality caused by severe dengue; and relate the circulating subtypes of dengue fever with severe cases and deaths caused by it. This descriptive, cross-sectional study addresses cases of dengue in the state of Goiás, Brazil from 2010 to 2014, which were classified as severe dengue, that is, dengue with complications, dengue hemorrhagic fever, and dengue shock syndrome reported to the Brazilian Health System s information system: SINAN (Notifiable Diseases Information System) and SIM (Mortality Information System). The highest incidence of severe dengue occurred among women (54.7%) while prevalence was highest among those of mixed race (56,2%) (p < 0.001); 99,1% (p < 0.001) lived in the urban area. Most individuals had attended middle school 45,1% (p < 0.001). The distribution of severe dengue by macro-regions shows that 82.3% of cases concentrated in the metropolitan region. A total of 478,463 cases were reported within the study period, among which, 279,492 (58.4%) referred to classical dengue and 4,882 (1%) referred to severe dengue; 344 resulted in death. The highest incidence occurred among individuals older than 60 years old followed by those aged between 16 and 45 years old. Death most frequently occurred among individuals aged between 26 and 35 years old and above 60 years of age. The highest incidence of severe dengue was recorded in 2010, 2013 and 2014. Serotypes 1, 2, 3 and 4; 1 and 4; and 1, 2, and 4, were the types that circulated in the years with higher incidence, respectively. The highest rates of hospitalization were recorded in 2010 and 2013. Clinical manifestations included: petechiae (22,3%), bleeding guns (20,9%) and gastrointestinal bleeding (14,7%), 59,9% presented only one hemorrhagic event. Despite the effort of governments and international institutions, dengue remains a disease of global impact causing incalculable damage to the countries affected by it. Dengue is an evitable cause of death and can be prevented by promoting health measures and controlling the vector. Once individuals are infected, however, deaths are prevented only by early and appropriately establishing diagnosis and managing patients. / A dengue é uma doença endêmica em mais de 125 países das regiões tropicais e subtropicais do planeta, nessas áreas concentram quase 40% da população mundial que vivem expostas a infecção por esse vírus. Pela abrangência e adaptabilidade do vetor Aedes aegypt a dengue é a mais prevalente infecção viral causada por um vetor e causa epidemias, morte e prejuízos nos países por ela acometidos. O Brasil é um dos países com maiores números de casos de dengue registrados sendo um grave problema de saúde pública. Objetivo geral é descrever as características epidemiológicas dos casos de dengue grave. Os objetivos específicos são: descrever o coeficiente de incidência, o coeficiente de mortalidade, as características clínicas e demográficas dos casos de dengue grave; descrever a evolução da incidência de dengue grave; descrever as complicações clínicas hemorrágicas manifestadas após a infecção pelo vírus da dengue; descrever a tendência temporal de casos e de mortalidade por dengue grave e relacionar os subtipos do vírus da dengue circulantes com os casos graves e óbitos por dengue. É um estudo descritivo, transversal das notificações das formas graves da dengue no Estado de Goiás, no período de 2010 a 2014 com todos os casos diagnosticados com classificação final a dengue grave, neste caso, incluem dengue com complicações, febre hemorrágica da dengue e síndrome do choque da dengue, notificados nos sistemas de informações do Sistema Único de Saúde: SINAN (Sistema Nacional de Agravos de Notificação) e SIM (Sistema de Informação de Mortalidade). A maior incidência da dengue grave ocorreu no sexo feminino (54,7%). A raça parda foi a mais prevalente (56,2%) (p < 0,001) e 99,1% (p < 0,001) residem na zona urbana. A maioria dos sujeitos possuíam o ensino fundamental 45,1% (p < 0,001). A distribuição dos casos de dengue grave por macrorregiões verifica-se que 82,3% dos casos concentraram na região metropolitana. No período em estudo, foram notificados 478.463 casos de dengue, dentre esses, os casos confirmados da dengue clássica foram 279.492 (58,4%), os casos de dengue grave corresponderam 4.882 (1%) e 344 foram a óbito. E que a maior incidência ocorreu entre os indivíduos com idade maior do que 60 anos, seguida por aqueles com idade entre 16 e 45 anos. Sendo que os maiores números de óbitos foram registrados entre aqueles com idade que variou entre 26 e 35 anos e acima dos 60 anos. As maiores incidências da dengue grave ocorreram nos anos de 2010, 2013 e 2014. Nos anos de maiores incidências, circulou os sorotipos 1, 2, 3 e 4; 1 e 4; e 1, 2, e 4, respectivamente. As maiores taxas de internação ocorreram nos anos de 2010 e 2013. As manifestações clinicas foram: petéquias (22,3%), gengivorragia (20,9%) e sangramento gastrointestinal (14,7%), (59,9%) apresentaram apenas uma manifestação hemorrágica. Mesmo com todos os esforços dos governos e das instituições internacionais, a dengue continua sendo uma doença de grande impacto mundial, com prejuízos incalculáveis para os países por ela afetados. A dengue é uma causa evitável de morte e pode ser prevenida por atividades de promoção da saúde e controle de vetores. No entanto, uma vez que uma pessoa é infectada, as mortes podem ser prevenidas através de diagnóstico precoce e adequado e gerenciamento dos doentes.
7

Tempo de tromboplastina parcial ativada como fator associado ao sangramento de mucosas em pacientes com dengue

MADRUGA, Clarissa Barros 18 June 2015 (has links)
Submitted by Irene Nascimento (irene.kessia@ufpe.br) on 2016-09-08T18:57:32Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) DISSERTAÇÃO - CLARISSA BARROS MADRUGA versão digital.pdf: 2723819 bytes, checksum: ae4a199db2f44ecf66614c6242c348b3 (MD5) / Made available in DSpace on 2016-09-08T18:57:32Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) DISSERTAÇÃO - CLARISSA BARROS MADRUGA versão digital.pdf: 2723819 bytes, checksum: ae4a199db2f44ecf66614c6242c348b3 (MD5) Previous issue date: 2015-06-18 / A dengue é importante causa de doença febril em países tropicais e de acordo com sua nova classificação a presença de sangramentos em mucosas e alterações hepáticas alertam para possível evolução desfavorável. O envolvimento do fígado manifesta-se principalmente por elevação de aminotransferases ou hepatomegalia e as formas hemorrágicas da dengue associam-se ao prolongamento precoce do TTPA. Foram selecionados 554 indivíduos com diagnóstico laboratorial de dengue a partir de banco de dados formado no período de março de 2009 a maio de 2011, divididos em dois grupos: com e sem sangramento espontâneo de mucosa, e os parâmetros laboratoriais (aminotransferases, TTPA e plaquetas) foram comparados entre eles. Dos 554 indivíduos, 285 (51,4%) eram do sexo feminino e 269 (48,6%) do sexo masculino, com idade média de 27,4 anos, mediana de 22 anos (3 meses a 92 anos), 219 (39,5%) tinham idade ≤ 15 anos e 335 (60,5%) com idade > 15 anos, 166 (30%) pacientes apresentaram manifestação hemorrágica espontânea, contra 388 (70%) que não apresentaram sangramento. Dentre os pacientes que sangraram, 81 (48,8%) eram do sexo masculino e 85 (51,2%) do sexo feminino, predominando na faixa etária ≤ 15 anos com 84/219 (38,4%) versus a faixa etária > 15 anos com 82/335 (24,5%). Pela localização, os sangramentos espontâneos apresentaram a seguinte ordem de ocorrência: gengivorragia, 30,3% (64/166); hematêmese, 26,5% (56/166); epistaxe, 22,3% (47/166); melena, 8,1% (17/166); hematúria, 6,6% (14/166), hemoptise; 3,3% (7/166) e hemotoquezia 2,8% (6/166). O prolongamento de TTPA foi encontrado em 23% (82/358) dos pacientes, enquanto 77% (276/358) tiveram TTPA normal. O prolongamento de TTPA foi mais frequente na faixa ≤ 15 anos com 51,2% versus a faixa etária >15 anos com 48,8% (p<0,05). Apenas 26% (138/524) apresentaram valores de AST maior que 175 e 74% (386/524) apresentaram AST até 175. Os valores de ALT apresentaram a seguinte distribuição: 16% (84/528) apresentam ALT maior que 200 e 84% (444/528) apresentam ALT até 200. Não houve associação entre elevação de aminotransferases e sangramentos (p > 0,05). Com a dicotomização das plaquetas em valores abaixo e acima de 50.000 mm3, o prolongamento de TTPA, apresentou resultado significativo para sangramentos espontâneos condicionado às plaquetas <50.000/mm³. Não foi encontrada associação entre alterações morfológicas do fígado e sangramentos espontâneos. Com a curva ROC foi estabelecido o ponto de corte de 41,3 segundos para a associação do TTPA com hemorragia espontânea de mucosa nos indivíduos estudados, com sensibilidade de 52,8%, especificidade de 69,2%, acurácia de 64,2%, Risco Relativo (RR) de 1,868 e Odds Ratio (OR) 2,511. Na análise multivariada apenas os fatores de risco prolongamento de TTPA e plaquetas apresentaram associação significativa quanto à ocorrência de sangramentos espontâneos (p < 0,05). O prolongamento de TTPA mostrou-se como possível preditor de sangramento, no entanto, faz-se necessário avaliação de outros elementos do coagulograma para que esse dado possa adquirir maior consistência. / Dengue is an important cause of febrile illness in tropical countries and according to the new classification the presence of mucosal bleeding and liver changes correlates with possible adverse developments. The involvement of the liver is manifested primarily by increased aminotransferases levels or hepatomegaly and hemorrhagic forms of dengue are associated with the early prolonged aPTT. Information from 554 patients with a laboratory diagnosis of dengue from the database formed from March 2009 to May 2011 were collected, divided into two groups: with and without spontaneous mucosa bleeding, and laboratorial parameters (aminotransferases, aPTT and platelet ) were compared. Of the 554 subjects, 285 (51.4%) were female and 269 (48.6%) were male, mean age 27.4 years, median 22 years (3 months to 92 years), 219 ( 39.5%) were aged ≤ 15 years and 335 (60.5%) aged> 15 years, 166 (30%) patients had spontaneous hemorrhagic manifestation, against 388 (70%) who did not have bleeding. Among the patients who bled, 81 (48.8%) were male and 85 (51.2%) were females, predominantly aged ≤ 15 years with 84/219 (38.4%) versus the age group > 15 years, with 82/335 (24.5%) (p <0.01). By location, spontaneous bleeding showed the following order of occurrence: gingival bleeding, 30.3% (64); hematemesis, 26.5% (56); epistaxis, 22.3% (47); melena, 8.1% (17); hematuria, 6.6% (14), hemoptysis; 3.3% (7) and hemotoquezia 2.8% (6). The extension of APTT was found in 23% (82/358) of patients, while 77% (276/358) had normal aPTT. The enlargement aPTT was more frequent in the range ≤15 years with 51.2% versus age> 15 years with 48.8% (p <0.05). Only 26% (138/524) had values of AST greater than 175 and 74% (386/524) had AST up to 175. ALT values were distributed as follows: 16% (84/528) have ALT greater than 200 and 84% (444/528) have ALT up to 200. There was no association between increased levels of aminotransferases and bleeding (p> 0.05). With the dichotomy of platelets in values below and above 50,000 mm3, the extension of aPTT, showed significant results (p <0.05) for spontaneous bleeding conditioning to platelets <50,000 / mm³. No association was found between morphological changes in the liver and spontaneous bleeding. With the ROC curve was established cutoff point of 41.3 seconds to the association of aPTT with spontaneous bleeding mucosa in studied subjects, with sensitivity 52.8%, specificity 69.2%, accuracy of 64.2% , relative risk (RR) of 1.868 and odds ratio (OR) 2.511. In multivariate analysis, only the risk factors enlargement aPTT and platelets were significantly associated for the occurrence of spontaneous bleeding (p <0.05). The extension of aPTT showed up as possible predictor of bleeding, however, it is necessary to evaluate other coagulation elements so that this data can acquire greater consistency.
8

Investigação de fatores sorológicos e genéticos relacionados com a predisposição ao desenvolvimento das formas graves da dengue em Juiz de Fora

Siqueira, Tatiane Ribeiro de 26 February 2015 (has links)
Submitted by Renata Lopes (renatasil82@gmail.com) on 2015-12-09T14:33:14Z No. of bitstreams: 1 tatianeribeirodesiqueira.pdf: 1746220 bytes, checksum: 01a239ee1ea9876e3d413b78f8f1446b (MD5) / Approved for entry into archive by Adriana Oliveira (adriana.oliveira@ufjf.edu.br) on 2015-12-09T14:56:33Z (GMT) No. of bitstreams: 1 tatianeribeirodesiqueira.pdf: 1746220 bytes, checksum: 01a239ee1ea9876e3d413b78f8f1446b (MD5) / Made available in DSpace on 2015-12-09T14:56:33Z (GMT). No. of bitstreams: 1 tatianeribeirodesiqueira.pdf: 1746220 bytes, checksum: 01a239ee1ea9876e3d413b78f8f1446b (MD5) Previous issue date: 2015-02-26 / CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior / A infecção por dengue vírus (DENV) tem sido considerada atualmente a mais importante arbovirose no mundo. Até o presente momento foram descritos quatro diferentes sorotipos do DENV: DENV-1, DENV-2, DENV-3 e DENV-4. A infecção pelo DENV pode produzir uma ampla variedade de distúrbios a febre do dengue ou formas graves da doença, como a febre hemorrágica do dengue (FHD) e síndrome do choque do dengue (SCD), onde os quatro sorotipos de DENV podem causar desde uma infecção assintomática até FHD e SCD. A patogênese da FHD/SCD é multifatorial e vários estudos mostram algumas hipóteses para explicar as manifestações mais graves na infecção por DENV: (i) fatores virais, (ii) associação entre FHD/SCD em casos de infecção heterotípica pelo DENV e (iii) fatores do próprio hospedeiro, que poderiam estar relacionados à resposta imune. Estudos que buscam entender o porquê de pacientes com dengue apresentarem diferentes prognósticos são de grande importância para a Saúde Pública. Embora a doença causada por DENV seja considerada um grande problema de saúde pública, ainda não estão disponíveis drogas antivirais e vacinas a fim de tratar ou prevenir a infecção. O combate do vetor tem sido ineficiente, permitindo o aparecimento de novas epidemias. A cidade de Juiz de Fora vem passando por diversas epidemias de dengue nos últimos anos, com o registro de casos graves e óbitos. Diante deste contexto, este trabalho visou investigar os fatores sorológicos e genéticos relacionados com a predisposição ao desenvolvimento das formas graves de dengue em Juiz de Fora. Em setembro e outubro de 2013 e fevereiro e maio de 2014, amostras de sangue total foram coletadas. As amostras foram estudas para estudos de SNPs, pequisa de anticorpos e do DENV. No grupo estudado, foi observada uma soroprevalência de 16,1%. Foram detectados genótipos predisponentes e genótipos protetores de FHD, nos genes FCRIIa, JAK-1 e DCSIGN, em moradores de Juiz de Fora, entretanto, não foi observada associação desses genótipos individualmente e/ou em combinação com a distribuição de gênero, diferentes regiões de Juiz de Fora onde os participantes residiam e relato de apresentação de sintomas de dengue pelos pacientes. Foram detectados três pacientes que apresentaram material genético de DENV. O conhecimento de áreas e pessoas predispostas à FHD constituem informações valiosas do ponto de vista epidemiológico e na estruturação de políticas públicas que visem o controle da dengue. / Dengue virus infection (DENV) is considered the most important arbovirose in the world and the greatest impact on public health. Four different serotypes of DENV: DENV-1, DENV-2, DENV-3 and DENV-4 have been described. DENV infection may produce a wide variety of disorders, dengue fever or severe disease, such as dengue hemorrhagic fever (DHF) and dengue shock syndrome (SCD). Any of the four DENV can cause asymptomatic infection from one to DHF and DSS. The pathogenesis of DHF / DSS is multifactorial and several studies showed some hypotheses to explain the most serious manifestations of infection by DENV: (i) viral factors (ii) secondary infection DENV and (iii) the host factors could be related to exaggerated immune response. Studies trying to understand why dengue patients have different prognoses are of great importance for public health. Although dengue is considered one major public health problem, there are not available antiviral drugs and vaccines to treat or prevent the infection. The vector control has been inefficient, allowing the emergence of new outbreaks. The city of Juiz de Fora has experienced several dengue epidemics in recent years, with the record of serious cases and deaths. Given this context, this study aimed to investigate the serological and genetic factors related to the predisposition to severe forms of dengue in Juiz de Fora. In September/ October 2013 and February to May 14 342 samples of whole blood were collected were collected. Samples were used to investigate the immune response do dengue, SNPs and DENV. In the study group, a seroprevalence of 16.1% was observed. Predisponent and protector genotypes were detected genes FCyRIIa, JAK-1 and DCSIGN in Juiz de Fora residents, however, there was no association of these genotypes individually and / or in combination with the gender distribution, different Juiz de Fora regions where the participants lived and report presentation of dengue symptoms by patients. Three patients were detected with DENV infection, by the time of sample collection.The knowledge of areas and persons who are more prone to have FHD is a valuable information from the epidemiological point of view and the structuring of public policies aimed at controlling dengue.
9

ANÁLISE DE CASOS DE DENGUE SEGUNDO GRAVIDADE CLÍNICA, SÃO LUIS, MARANHÃO, BRASIL / ANALYSIS OF CASES OF DENGUE FEVER ACCORDING TO CLINICAL SEVERITY, SÃO LUIS, MARANHÃO, BRAZIL

DIAS JÚNIOR, José de Jesus 27 January 2017 (has links)
Submitted by Maria Aparecida (cidazen@gmail.com) on 2017-04-18T14:10:47Z No. of bitstreams: 1 José de Jesus Dias.pdf: 4056526 bytes, checksum: 6dcac9eac4643fe488fb8d737b838031 (MD5) / Made available in DSpace on 2017-04-18T14:10:47Z (GMT). No. of bitstreams: 1 José de Jesus Dias.pdf: 4056526 bytes, checksum: 6dcac9eac4643fe488fb8d737b838031 (MD5) Previous issue date: 2017-01-27 / In Brazil, the severe dengue cases have increased since2001. However, in children under 15 years, this trend began in 2007, mainly in the northeast of country. In Maranhão the first records of severe dengue date back to 2002. The objective of this research was to analysis prevalence of severe dengue for age group and its possible associated factors. It is treated of ecologic study of dengue cases confirmed the National Mandatory Reporting System (SINAN) from 2002 to 2011 in São Luís, Maranhão, Brazil. The diagnosis and dengue classification were based on the criteria of the Brazilian Ministry of Health, dengue fever, dengue hemorrhagic fever and dengue with complications. It was considered as severe dengue: dengue hemorrhagic fever and dengue with complications and as not severe dengue: dengue fever. We conducted logistic regression analysis, with the severe dengue outcome. During the period studied, 1,229 cases of severe dengue were confirmed; 812 of these were children under fifteen years (66%). Among the risk factors evaluated, being less than 15 years was associated with severe dengue (OR = 3.10, CI = 2.69-3.57; p-value = 0.001) as well as identifying as white (OR = 1.35, CI = 1.14-1.60; p-value = 0.001). The prevalence of severe dengue in children under fifteen years was high and only the group below the age of fifteen and white were associated with the occurrence of severe dengue. / No Brasil, os casos graves de dengue aumentaram a partir de 2001. No entanto, em menores de 15 anos, essa tendência teve início em 2007, principalmente no nordeste do país. No Maranhão os primeiros registros de casos graves de dengue remontam a 2002. O objetivo dessa pesquisa foi analisar a prevalência de casos de dengue grave por faixa etária e os possíveis fatores associados. Trata-se de estudo ecológico de casos de dengue em residentes de São Luís, Maranhão, Brasil, confirmados no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN) de 2002 a 2011. O diagnóstico e a classificação de dengue foram baseados nos critérios do Ministério da Saúde, dengue clássica, febre hemorrágica da dengue e dengue com complicações. Considerou-se como dengue grave: febre hemorrágica da dengue e dengue com complicações e como dengue não grave: dengue clássica. Realizou-se análise de regressão logística, tendo como desfecho dengue grave. No período estudado confirmaram-se 1.229 casos de dengue grave; destes, 812 eram menores de quinze anos (66%). Dentre os fatores de risco avaliados, ter idade inferior a 15 anos foi associado à dengue grave (OR=3,10; IC=2,69-3,57; pvalor = 0,001) e ser da raça branca (OR=1,35; IC=1,14-1,60; p-valor = 0,001). A prevalência de dengue grave em menores de quinze anos foi elevada e apenas a faixa etária menor de quinze anos e raça branca estiveram associadas à ocorrência de dengue grave.
10

Marcadores circulantes de morte celular por apoptose em dengue

Limonta Velazquez, Daniel de Jesús January 2012 (has links)
Submitted by Alessandra Portugal (alessandradf@ioc.fiocruz.br) on 2013-10-01T21:50:08Z No. of bitstreams: 1 DANIEL DE JESÚS LIMONTA VELÁZQUEZ.pdf: 919728 bytes, checksum: e0d58f37f2cdfe18820bd7ba77a8415c (MD5) / Made available in DSpace on 2013-10-01T21:50:08Z (GMT). No. of bitstreams: 1 DANIEL DE JESÚS LIMONTA VELÁZQUEZ.pdf: 919728 bytes, checksum: e0d58f37f2cdfe18820bd7ba77a8415c (MD5) Previous issue date: 2012 / Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz. Rio de Janeiro, RJ, Brasil / Dengue é a doença viral transmitida por mosquitos de maior importância mundial e é, causada por qualquer um dos quatro sorotipos do vírus (DENV-1,-2,-3,-4). É uma virose frequente em áreas tropicais e subtropicais e atualmente o Brasil notifica um número crescente de casos. Durante mais de 30 anos a dengue foi classificada em febre da dengue e febre hemorrágica da dengue. Porém, a OMS no ano 2009 propôs uma nova classificação: dengue com e sem sinais de alarme (DSSA e DCSA) e dengue grave (DG) no intuito de facilitar tanto o diagnóstico como o manejo do tratamento. A patogenia da dengue é multifatorial na qual se aceitam contribuições de fatores virais e do hospedeiro. Estudos sobre mecanismos da imunopatologia da dengue descreveram associações entre fenômenos descritos como “tempestade” de citocinas, hiperativação de células imunes, anticorpos e células T de reação cruzada entre diferentes sorotipos virais. Além disso, estudos vêm demonstrando a contribuição da apoptose na imunopatologia da dengue. Neste contexto, o objetivo do trabalho da tese foi avaliar o envolvimento de proteínas circulantes relacionadas a apoptose na patogênese da infecção pelos DENV. Para isso, 106 amostras foram obtidas de pacientes com suspeita clínica de infecção por DENV durante a epidemia de 2010 nos estados brasileiros de Mato Grosso do Sul e Rio de Janeiro. Para confirmação dos casos, cinco diferentes técnicas foram utilizadas: ELISA de captura de IgM, IgG anti-dengue, detecção da proteína viral NS1, isolamento viral e RT-PCR. Nesta casuística, 72 casos de dengue foram confirmados. A detecção de IgM anti-dengue confirmou um maior número de casos suspeitos. Os sorotipos encontrados foram DENV-1 e DENV-2. Baseado na nova classificação da OMS, tivemos 35 indivíduos com DSSA, 17 pacientes com DCSA e 15 indivíduos com DG. Contudo, a classificação tradicional da dengue diagnosticou apenas 5 casos com febre hemorrágica da dengue. Nos 67 pacientes da dengue foram dosados níveis plasmáticos de moléculas pró-apoptóticas (TNF-α, TRAIL, FasL) e anti-apoptótica (Survivina). Níveis aumentados de TNF-α, FasL e TRAIL foram encontrados nos pacientes com a forma DSSA quando comparados aos controles e pacientes graves (DG). Nossos resultados não indicaram correlações importantes entre os níveis de TNF-α e parâmetros associados à gravidade, mas, observamos correlações diretas entre FasL ou TRAIL com plaquetas e TRAIL com hematócrito. Todavia, o único caso fatal apresentou o maior nível plasmático de FasL. De forma interessante, TRAIL se correlacionou inversamente com a contagem dos linfócitos. Em relação à Survivina, os resultados indicaram que o grupo DCSA apresentou níveis diminuídos em comparação aos controles e pacientes graves e de forma interessante, Survivina se correlacionou diretamente com a contagem de leucócitos. Assim, o TRAIL seria indicador de bom prognóstico da doença, e TRAIL poderia estar envolvido com a maior susceptibilidade dos linfócitos à morte. Por outro lado, Survivina poderia estar participando da proliferação e/ou migração dos leucócitos. Até o presente, este é o primeiro trabalho abordando mediadores circulantes de apoptose segundo a nova classificação clínica da dengue. Mais pesquisas precisam ser realizadas para discernir a complexa interação entre moléculas pró e anti-apoptóticas e suas implicações na gravidade da dengue. / Dengue é a doença viral transmitida por mosquitos de maior importância mundial e é, causada por qualquer um dos quatro sorotipos do vírus (DENV-1,-2,-3,-4). É uma virose frequente em áreas tropicais e subtropicais e atualmente o Brasil notifica um número crescente de casos. Durante mais de 30 anos a dengue foi classificada em febre da dengue e febre hemorrágica da dengue. Porém, a OMS no ano 2009 propôs uma nova classificação: dengue com e sem sinais de alarme (DSSA e DCSA) e dengue grave (DG) no intuito de facilitar tanto o diagnóstico como o manejo do tratamento. A patogenia da dengue é multifatorial na qual se aceitam contribuições de fatores virais e do hospedeiro. Estudos sobre mecanismos da imunopatologia da dengue descreveram associações entre fenômenos descritos como “tempestade” de citocinas, hiperativação de células imunes, anticorpos e células T de reação cruzada entre diferentes sorotipos virais. Além disso, estudos vêm demonstrando a contribuição da apoptose na imunopatologia da dengue. Neste contexto, o objetivo do trabalho da tese foi avaliar o envolvimento de proteínas circulantes relacionadas a apoptose na patogênese da infecção pelos DENV. Para isso, 106 amostras foram obtidas de pacientes com suspeita clínica de infecção por DENV durante a epidemia de 2010 nos estados brasileiros de Mato Grosso do Sul e Rio de Janeiro. Para confirmação dos casos, cinco diferentes técnicas foram utilizadas: ELISA de captura de IgM, IgG anti-dengue, detecção da proteína viral NS1, isolamento viral e RT-PCR. Nesta casuística, 72 casos de dengue foram confirmados. A detecção de IgM anti-dengue confirmou um maior número de casos suspeitos. Os sorotipos encontrados foram DENV-1 e DENV-2. Baseado na nova classificação da OMS, tivemos 35 indivíduos com DSSA, 17 pacientes com DCSA e 15 indivíduos com DG. Contudo, a classificação tradicional da dengue diagnosticou apenas 5 casos com febre hemorrágica da dengue. Nos 67 pacientes da dengue foram dosados níveis plasmáticos de moléculas pró-apoptóticas (TNF-α, TRAIL, FasL) e anti-apoptótica (Survivina). Níveis aumentados de TNF-α, FasL e TRAIL foram encontrados nos pacientes com a forma DSSA quando comparados aos controles e pacientes graves (DG). Nossos resultados não indicaram correlações importantes entre os níveis de TNF-α e parâmetros associados à gravidade, mas, observamos correlações diretas entre FasL ou TRAIL com plaquetas e TRAIL com hematócrito. Todavia, o único caso fatal apresentou o maior nível plasmático de FasL. De forma interessante, TRAIL se correlacionou inversamente com a contagem dos linfócitos. Em relação à Survivina, os resultados indicaram que o grupo DCSA apresentou níveis diminuídos em comparação aos controles e pacientes graves e de forma interessante, Survivina se correlacionou diretamente com a contagem de leucócitos. Assim, o TRAIL seria indicador de bom prognóstico da doença, e TRAIL poderia estar envolvido com a maior susceptibilidade dos linfócitos à morte. Por outro lado, Survivina poderia estar participando da proliferação e/ou migração dos leucócitos. Até o presente, este é o primeiro trabalho abordando mediadores circulantes de apoptose segundo a nova classificação clínica da dengue. Mais pesquisas precisam ser realizadas para discernir a complexa interação entre moléculas pró e anti-apoptóticas e suas implicações na gravidade da dengue.

Page generated in 0.0596 seconds