• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 21
  • Tagged with
  • 21
  • 21
  • 6
  • 6
  • 5
  • 5
  • 5
  • 5
  • 5
  • 4
  • 4
  • 4
  • 4
  • 4
  • 4
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Evolução da endemia hansênica no Estado do Ceará : características epidemiológicas e operacionais no período de 1970 a 1996 / Evolution of endemic leprosy in Ceará : epidemiological and operational characteristics in the period 1970-1996

Tavares, Clodis Maria January 1997 (has links)
TAVARES, Clodis Maria. Evolução da endemia hansênica no Estado do Ceará : características epidemiológicas e operacionais no período de 1970 a 1997. 1997. 156 f. Dissertação (Mestrado em Saúde Pública) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Medicina, Fortaleza, 1997. / Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2013-12-16T12:16:31Z No. of bitstreams: 1 1997_dis_cmtavares.pdf: 1216633 bytes, checksum: b6079c27eb2c6a9e704722f529c76aec (MD5) / Approved for entry into archive by denise santos(denise.santos@ufc.br) on 2013-12-16T12:16:59Z (GMT) No. of bitstreams: 1 1997_dis_cmtavares.pdf: 1216633 bytes, checksum: b6079c27eb2c6a9e704722f529c76aec (MD5) / Made available in DSpace on 2013-12-16T12:16:59Z (GMT). No. of bitstreams: 1 1997_dis_cmtavares.pdf: 1216633 bytes, checksum: b6079c27eb2c6a9e704722f529c76aec (MD5) Previous issue date: 1997 / In the last years we can observe, in Ceara, an increase in the detection rates of hanseniase. The dates from 1970 to 1996, show that the rates increased from 0.23/ 10 thousand inhabitant in 1970 to 2,77/ 10 thousand inhabitant in 1996, reaching an increase of 1,104.34%. The rise, is often explained, as an evidence in the expand of the endemic disease, as an increase in the transmission of the disease, and also as operational factors though the rise in the coverage of the health services, mainly in the country side of Ceara. This work has as objective to study, analyse the epidemiologic and operational situation of hanseniase, in the state of Ceara from 1970 to 1996, though their records, in order to evaluate the greatness of this patyology in Ceara, spreaded in the 14 Health Regional Departments of the state and also in Fortaleza. It is studied the tendency of these rates by sex and age as the proportions of the different clinic forms of the disease making a comparison with other studies of Brasilian and foreign authors. As the analysed period includes important signs in the evolution of the therapy and in the evolution of the therapy and in the focus politics used in the control of hanseniase, it is necessary to make a shot history, correlating the epidemiological phenomenon with the operational results. The global tendency in the rates of detection of leper in the studied period is of increase. We also observe a continuing fall of prevalence since 1990, with an expressive fall of 60%, due to a new treatment (MDT-OMS) and cleaness of file, through righ statistics making an impact of the endemic leper. We study the existence of the active record, your reasons and levels of incapacities at the moment of heal, as also the cohorts of multibacillaries and paucibacillaries. The actions plan to extringuish the leper as a health public problem is analysed, taking into consideration the projection to 2000 year. That based in the observed ascention in the study period and in the continuation of politics to the control and extinction of leper, keeping the same rapidity and using the same strategies, we will reach the OMS, goal only in 2008 year. Therefore, if there is no change in the actions of diagnostic and control, making sensible the health workers and above all the priority by the managers, with definite politics, we will need 12 years more to get the goal of 1 inhabitant to 10 thousand inhabitants. / O Ceará vem registrando nos últimos anos, um aumento nas taxas de detecção de hanseníase. Os dados do período de 1970 a 1996 revelam que as taxas de detecção aumentaram, passando de 0,23/10.000 habitantes em 1970 para 2,77/10.000 habitantes em 1996, correspondendo um crescimento com variação de 1 104,34%. Essa ascendência freqüentemente é interpretada como evidência de expansão da endemia, como o aumento de transmissão da doença, ou também aos fatores operacionais, através do aumento da cobertura dos serviços de saúde, principalmente no interior do Estado. Esse trabalho teve como objetivo, estudar e analisar a situação epidemiológica e operacional da hanseníase no Estado do Ceará, no período de 1970 a 1996, através de seus indicadores, visando avaliar a magnitude desta patologia, no Ceará, distribuídos nos 14 Departamentos Regionais de Saúde, inclusive na Capital alencarina. O método utilizado foi um estudo retrospectivo, descritivo e analítico de uma série histórica de casos de hanseníase dos últimos 26 anos. Foi estudada a tendência das taxas de detecção brutas e específicas por sexo e grupo etário, bem como as proporções das diversas formas clínicas da doença, comparando com outros estudos de autores brasileiros e estrangeiros, levantados na revisão de literatura. Como o período analisado inclui marcos importantes na evolução da terapêutica e do enfoque das políticas de controle da hanseníase, realizou-se um breve histórico, correlacionado o fenômeno epidemiológico com resultados operacionais. Observa-se, também, a queda progressiva da prevalência a partir de 1990, com um descenso acumulado de 60%, devido à implantação de um novo esquema de tratamento (poliquimioterapia-PQT/OMS) e limpeza de arquivo, com impacto de forma acentuada da endemia hansênica. Estudam-se também as saídas do registro ativo, seus motivos e graus de incapacidade no momento da cura, assim também como as coortes de multibacilares e paucibacilares. O plano de ação para a eliminação da hanseníase como problema de saúde pública é analisado, levando-se a uma projeção para o ano 2000, o que, baseada na ascensão observada no período estudado e na continuação das políticas de controle e eliminação da hanseníase, mantendo-se a mesma velocidade e utilizando as mesmas estratégias, alcançaremos a meta da OMS, apenas no ano 2008. Portanto, se não houver um maior incremento na descentralização das ações de diagnóstico e controle, sensibilizando profissionais de saúde e, principalmente, priorização por parte dos gestores com definições políticas, necessitaremos ainda de 12 anos para a almejada meta de 1 doente por 10.000 habitantes.
2

Biomonitoramento citogenético, hematológico e bioquímico em agentes de endemias expostos à agrotóxicos no município de Valença - Piauí / Cytogenetic biomonitoring and laboratory in agents endemics exposed to pesticides organophosphorus the municipality of Valencia – PI

Costa, Tacyana Pires de Carvalho January 2014 (has links)
COSTA, Tacyana Pires de Carvalho. Biomonitoramento citogenético, hematológico e bioquímico em agentes de endemias expostos à agrotóxicos no município de Valença - Piauí. 2014. 128 f. Dissertação (Mestrado em Farmacologia) – Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2014. / Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2015-10-27T16:35:21Z No. of bitstreams: 1 2014_dis_tpccosta.pdf: 1458814 bytes, checksum: d0e95bbb1250b437ee52f6cda0ae2b6e (MD5) / Approved for entry into archive by denise santos(denise.santos@ufc.br) on 2015-10-27T16:36:08Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2014_dis_tpccosta.pdf: 1458814 bytes, checksum: d0e95bbb1250b437ee52f6cda0ae2b6e (MD5) / Made available in DSpace on 2015-10-27T16:36:08Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2014_dis_tpccosta.pdf: 1458814 bytes, checksum: d0e95bbb1250b437ee52f6cda0ae2b6e (MD5) Previous issue date: 2014 / Insecticides based on organophosphates are widely used in eradication campaigns and high application of these products, without the use of biosecurity measures, contributes to the increased incidence of occupational poisoning in endemic agents. The study aimed to conduct a biomonitoring through biochemical, hematological and cytogenetic analyzes of agents of endemic occupationally exposed to organophosphate insecticides in the city of Valencia Piauí. The survey was conducted with 20 agents endemic and 20 non exposed workers. Applied a questionnaire recommended by the International Commission for Protection Against Environmental Mutagens and Carcinogens-ICPEMC, and biological material was collected for hematological, biochemical and cytogenetic analyzes. The population studied had a mean age of 44.15 years, working time of 14.75 years, weekly workload of 40 hours and 55% of agents said they use PPE. As for lifestyle 25% were smokers, 85% consumed alcohol and 30% report some underlying disease. Evaluating the hematological parameters no statistical significance when comparing the two groups. As biochemical variables for urea, creatinine, ALT, AST and BChE showed significant changes. In dosages of alkaline phosphatase and gamma glutamyl transferase, significant (p <0.01) compared to the unexposed group. Regarding the genotoxic analysis (cells with micronuclei), there was a statistically significant difference between the exposed groups (2.78) and unexposed (0.56). The nuclear changes were evidenced cariorrex (184.1 versus 717.0), karyolysis (138.5 versus 47.48), and binucleated cells (0.1413 versus 0.06087) of the exposed compared to the control group respectively. Although the numbers of karyorrhexis were more evident in the control group, and karyolysis binucleation parameters were genotoxicity along with micronuclei. / Os inseticidas à base de organofosforados são amplamente utilizados em campanhas antivetoriais e a elevada aplicação desses produtos, sem o emprego de medidas de biossegurança, contribui para o aumento da incidência de intoxicação ocupacional em agentes de endemias. O estudo objetivou realizar um biomonitoramento através de análises bioquímica, hematológica e citogenética de agentes de endemias expostos ocupacionalmente a inseticidas organofosforados no município de Valença do Piauí. A pesquisa foi realizada com 20 agentes de endemias e 20 trabalhadores não expostos ocupacionalmente. Aplicou-se um questionário recomendado pela International Commission for Protection Against Environmental Mutagens and Carcinogens-ICPEMC, e coletou-se material biológico para as análises hematológicas, bioquímicas e citogenética. A população exposta apresentou média de idade de 44,15 anos, tempo de trabalho de 14,75 anos, carga horária semanal de 40 horas e 55% dos agentes afirmaram utilizar EPIs. Quanto aos hábitos de vida 25% são tabagistas, 85% etilistas e 30% referem alguma doença de base. Avaliando os parâmetros hematológicos não houve significância estatística quando comparados os dois grupos. Quanto as variáveis bioquímicas para ureia, creatinina, ALT, AST e BChE não apresentaram alterações significantes. Nas dosagens de fosfatase alcalina e gama glutamiltransferase, houve significância (p<0,01) em relação ao grupo não exposto. Em relação à análise genotóxica (células com micronúcleos), houve diferença estatística significativa entre os grupos exposto (2,78) e não exposto (0,56). As alterações nucleares evidenciadas foram cariorrex (184,1 contra 717,0), cariólise (138,5 contra 47,48), células binucleadas (0,1413 contra 0,06087) do grupo exposto em relação ao controle respectivamente. Embora os números de cariorrex tenham sido mais evidenciados no grupo controle, as cariólises e as binucleações foram parâmetros de genotoxicidade juntamente com os micronúcleos
3

Identificação e análise filogenética de espécies do gênero Sporothrix isoladas em área endêmica de esporotricose no Estado do Rio de Janeiro

Oliveira, Manoel Marques Evangelista de January 2009 (has links)
Made available in DSpace on 2014-12-22T16:37:24Z (GMT). No. of bitstreams: 2 manoel_oliveira_ipec_mest_2009.pdf: 1307995 bytes, checksum: 3640ed583b88d4d2abacbd6bfad36521 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2014-10-07 / Fundação Oswaldo Cruz. Instituto de Pesquisa Clínica Evandro Chagas, Rio de Janeiro, RJ, Brasil / A esporotricose, micose subcutânea causada pelo complexo Sporothrix schenckii, é cosmopolita e a mais freqüente na América Latina. Nos últimos anos tem aumentado significativamente o número de casos no Brasil, com destaque para o aumento no Estado do Rio de Janeiro na última década. Recentemente, foram consideradas quatro novas espécies dentro do gênero Sporothrix, sendo essas: Sporothrix brasiliensis, S. globosa, S. mexicana e S. luriei. Entretanto somente 25 isolados de área endêmica no Rio de Janeiro foram incluídos nos estudos prévios. A caracterização destas foi realizada por meio da utilização de provas fenotípicas: morfologia de conídios, teste de crescimento à 30ºC, teste de termotolerância e auxonograma. No presente trabalho realizamos a caracterização de 248 isolados oriundos de pacientes atendidos no ambulatório de Dermatologia do IPEC, os quais tiveram diagnóstico de esporotricose durante a epidemia de esporotricose, no período de 1998 e 2008. De acordo com as características fenotípicas, 206 isolados (83,1%) foram caracterizados como S. brasiliensis, um isolado (0,4%) como S. mexicana, 15 (6,0%) como S. schenckii e em 26 isolados (10,5%) não foi possível realizar a caracterização da espécie sendo classificadas como Sporothrix spp Dentre esse isolados foi realizada a análise molecular de 8 (31%) isolados que apresentaram resultados inconclusivos nos estudos fenotípicos através do sequenciamento de um locus do gene calmodulina possibilitou a formação de um grande grupo constituído por 7 isolados todos caracterizados genotipicamente como pertencentes à espécie S. brasiliensis. A análise em nível de genótipo deve ser utilizada como ferramenta complementar na identificação de espécies do complexo Sporothrix. A correlação entre dados moleculares e características fenotípicas é fundamental na identificação de espécies complexo Sporothrix, possibilitando a implementação da taxonomia polifásica / Sporothrix schenckii is the species responsible for sporotrichosis, an important subcutaneous mycosis with a worldwide distri bution, and very frequent in Latin America, and it has been reported as endemic in Rio de Janeiro, Brazil. Recent molecular studies have demonstrated that this species constitutes a complex of numerous phylogenetic species, which were phenotipically characteri zed using different culture media, growth rates at different temperatur es, and nutritional tests as we ll comparison calmodulin genes and it was proposed four new species Sporothrix brasiliensis , Sporothrix globosa , Sporothrix mexicana and Sporothrix luriei . And just 25 isolates from the endemic occurring in Rio de Janeiro were included in this previous stu dy. We have studied a total of 248 Sporothrix isolates from this endemic obtaine d during the period of 1998 and 2008. The phenotypic characterization was based on th e morphology of conidia, growth rates at 30ºC and 37 ºC, ability to grow at 37 ºC, and auxonographic method. A ccording to the key features for species differentiation, 206 isolates (83.1%) were characterized as S. brasiliensis , one as S. mexicana (0.4%), 15 (6.0%) as S. schenckii and in 26 isolates (10.5%) the species was not differe ntiated being classified as Sporothrix spp. Among 8 (31%) of these unidentified isolates, molecular methodology, by sequence analysis of on protein coding locus (calmodulin) was perfor med, revealing the presence of one major clade, grouping 7 of these isolates with S. brasiliensis, representing this phylogenetic species. The analysis in genotype level should be used as complemental tool in the identification of species of the Sporothrix complex. The correlation among molecular data and phenotipe is fundamental in the identification of species Sporothrix complex , making possible the implementation of the polyphasic taxonomy
4

Leishmaniose visceral: situação epidemiológica e distribuição espacial, município de Palmas, Tocantins / Leishmaniose visceral: situation epidemiological and spatial distribution, town of Palms, Tocantins

Glória, Mary Ruth Batista January 2006 (has links)
Made available in DSpace on 2012-09-06T01:11:20Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) 889.pdf: 11030552 bytes, checksum: 5dc0c575c22ba65b615af1b315fa94bb (MD5) Previous issue date: 2006 / (...) O objetivo deste estudo foi descrever a situação epidemiológica da LV no município de Palmas e analisar sua distribuição espacial na cidade no período de 1995 a 2004. Foram analisados os casos notificados no SINAN, na FUNASA, no SIM e na Secretaria Municipal de Saúde de Palmas, considerando-se apenas pacientes residentes em Palmas, cujas fichas de investigação apresentavam campo da classificação final confirmado para a LV.(...) O primeiro registro de caso de LV em Palmas data de 1990, ano de implantação da cidade. De lá para cá a doença se disseminou por varias regiões da capital, e hoje é encontrada em grande parte das quadras/loteamentos. A LV em Palmas se caracteriza como uma doença de transmissão claramente urbana, pois quase a totalidade dos casos (98 por cento) procedia de ambiente urbano. (...) A transmissão da LV em Palmas apresentou um comportamento claramente cíclico, com picos em 1996, 1999, 2001 e 2003. Ademais, evidenciou-se um aumento crescente dos picos ao longo dos anos, acompanhando o crescimento populacional e a ocorrência de importantes modificações ambientais, como a formação do lago da UHE Lajeado. A permanência de fragmentos vegetais entremeados por quadras habitadas e consolidadas, as constantes migrações, os desmatamentos (conseqüente da formação do reservatório da UHE Lajeado, da expansão urbana e da constante roçagem de lotes baldios, logradouros e áreas verdes), além da carência de infra-estrutura básica na área de saneamento, em especial nas áreas periféricas, são condições que possivelmente contribui para a manutenção do ciclo de transmissão da doença em Palmas.
5

Educação em saúde no controle da Dengue no Brasil, 1988 a 2004: reflexões sobre a produção científica / Education in health in the control of the Dengue in Brazil, 1988 to 2004: reflections about the scientific output

Ferreira, Fabiana Silva January 2006 (has links)
Made available in DSpace on 2012-09-06T01:12:30Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) 865.pdf: 575232 bytes, checksum: 31ba3d914504c80cc9963fab7410d6a2 (MD5) Previous issue date: 2006 / Este estudo busca refletir sobre o conhecimento científico em educação em saúde no controle da dengue no Brasil, levantando os conteúdos e as abordagens/concepções educativas presentes nesses estudos. Realizou pesquisa qualitativa, utilizando-se análise de conteúdo da produção científica, cadastrada nas bases LILACS e MEDLINE, sobre educação em saúde no controle da dengue, publicada no período de 1988 a 2004. (...) Com essa seleção criou-se um quadro, identificando o pressuposto e objetivos de cada estudo, metodologia utilizada, resultado e conclusão. Os estudos foram classificados em cinco eixos de investigação, no qual foram apresentados seus conteúdos relevantes, analisando-se também o formato da cada abordagem/concepção educativa presente no estudo. Verificou-se nessas produções científicas que, apesar de a população ter acesso a informações sobre os mecanismos de transmissão da doença e de seu controle, isto não implica a adoção de práticas preventivas. (...) Indicam para a necessidade de novas estratégias educativas, mas poucos apontam que essas estratégias devam ser baseadas na organização e conhecimento do nível local, levando em conta os discursos, valores e o saber popular, articulando a questão da dengue com outras prioridades da população. Analisando as abordagens educativas predominantes nos serviços de saúde, verificou-se que estas partem de uma perspectiva reducionista da doença, articulando a dengue como um problema entomológico, permanecendo o vetor como o único elo vulnerável, sob o pressuposto de que acúmulo de informação produziria, automaticamente, uma mudança da prática da população. Conclui-se que as práticas educativas em dengue não estão valorizando o real papel da participação da população no controle da doença e da necessidade de repensar essas práticas do ponto de vista popular. (...)
6

Filariose bancroftiana: a morbidade referida como indicador da parasitose em Jaboatão dos Guararapes-PE / Lymphatic filariasis: a morbidity as an indicator of infection in Jaboatao dos Guararapes-PE

Evangelista Netto, Maria José January 2008 (has links)
Made available in DSpace on 2012-05-07T14:43:57Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) 000062.pdf: 2830403 bytes, checksum: 89eae1ce6eb7f974bdf91fade797ad15 (MD5) Previous issue date: 2008 / A filariose linfática continua a ser um sério problema de saúde pública. Segundo a Organização Mundial da Saúde existem aproximadamente 16 milhões de casos de linfedema e cerca de 27 milhões de homens com manifestações urogenitais. Uma alternativa para delimitação de áreas endêmicas foi validada na África e na Índia com abordagem da morbidade filarial pelos informantes-chave. No Brasil, em base populacional, poucas informações são disponíveis acerca da morbidade filarial, encontrando-se apenas relatos isolados acerca da ocorrência de manifestações da doença. Este estudo propõe avaliar a correlação entre a prevalência da morbidade filarial referida e a ocorrência de microfilaremia, por bairro, no município de Jaboatão dos Guararapes/PE, no período de 2001/2002, utilizando-se um estudo ecológico, em duas etapas: exploratória e analítica. Estimou-se uma prevalência de 6 por cento de domicílios positivos para filariose, sendo pesquisados 6.507 residências, investigando-se 23.673 pessoas, distribuídas em três Distritos. A pesquisa de microfilária de Wuchereria bancrofti foi feita pela técnica de gota espessa, coletada entre 23H00 e 01H00. As informações das manifestações clínicas relativas à parasitose foram obtidas através de questionário aplicado pelos Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate à Filariose, previamente treinados e capacitados na identificação e conhecimento da doença. Para análise de correlação foram utilizados o Coeficiente de Correlação de Pearson (r= regressão linear simples) e o teste de significância estatística correspondente. A prevalência de infecção filarial foi de 1,4 por cento e a da morbidade referida foi de 3,1 por cento, ambas ocorrendo com maior freqüência no bairro de Cavaleiro. Neste estudo observou-se uma associação positiva entre a prevalência das queixas filariais e a prevalência da microfilaremia, analisadas por bairro. A hidrocele foi a manifestação referida que se destacou, apresentando a associação mais fortemente positiva (r=0,699; p0,001), resultado, até então, evidenciado em áreas de alta endemicidade. Este achado indica que esta condição clínica tem valor preditivo positivo para o risco de filariose linfática, mesmo em áreas de baixa prevalência da parasitose.
7

Avaliação clínica e laboratorial de pacientes portadores de esquistossomose mansônica em localidades endêmica no município de Rio Largo no estado de Alagoas. / Clinical and laboratory evaluation of patients with schistosomiasis mansôni in an endemic área in Rio Largo the state of Alagoas.

Pereira, Luciano Fernandes 09 July 2009 (has links)
A total of 60% of the area of Alagoas / Brazil is considered endemic to the occurrence of schistosomiasis and is not known the classification of clinical forms of the disease. This work has the objective of evaluating an endemic Schistosomiasis population in Alagoas, taking into account the prevalence, classification of the clinical forms and the results of laboratorial analysis. The sample was made of people from endemic areas of Rio Largo/Alagoas. The participants were submitted to a stool examination by Kato-Katz technique and the diagnostic was made after the reading of two microscopic slides for each sample. The patients positive for schistosomiasis mansoni were submitted to a clinical examination and blood collection. The positivity for Schistosomiasis observed in the population under study was of 8.11%. The medium parasite load was of 79,1+174,3 eggs. The clinical forms found were intestinal (90.57%) and hepatointestinal (9.43%), statistically significant at p<0.001. There were not found serious clinical forms. The present study shows results which update information on Schistosomiasis in the city of Rio Largo, data that, although referring to only three locations of this place, suggest the decrease of the parasite load and the clinical forms as well. / Em torno de 60% do território do estado de Alagoas é considerado área endêmica para esquistossomose mansoni, sendo observadas áreas de moderada a alta prevalência com mais de dois milhões de indivíduos expostos à infecção, não sendo conhecido o atual estadiamento das formas clínicas da parasitose. Este trabalho tem o objetivo de avaliar a população de uma área endêmica de esquistossomose no Estado de Alagoas em relação à prevalência, estadiamento das formas clínicas e dados de exames laboratoriais. A amostra foi constituída de moradores de três áreas endêmicas (Ilha Angelita, Lourenço de Albuquerque e Fazenda Riachão) do município de Rio Largo, Estado de Alagoas. Foram realizados 3.082 exames parasitológico de fezes através da técnica Kato-Katz, sendo o diagnóstico firmado após a leitura de duas lâminas para cada amostra. Do total das amostras, 249 foram positivos para Schistosoma mansoni , correspondendo a uma prevalência de 8,11%. Estes pacientes foram submetidos a exame clínico e coleta de sangue para realização de exames laboratoriais. A média da carga parasitária encontrada foi de 79,1+174,3 ovos. As formas clínicas encontradas foram a intestinal (90,57%) e hepatointestinal (9,43%) sendo uma diferença estatisticamente significativa (p<0,001). Não foram encontradas formas clínicas graves. O presente estudo apresenta resultados que atualizam dados sobre a esquistossomose mansônica no município de Rio Largo e embora sejam referentes a três localidades, sugerem haver uma diminuição da carga parasitária e das formas clínicas graves.
8

Diagnóstico da esquistossomose mansoni em áreas de baixa transmissão: Avaliação de diferentes técnicas (KatoKatz, Gradiente Salínico, PCR-ELISA e qPCR), antes e após intervenção terapêutica

Siqueira, Liliane Maria Vidal January 2015 (has links)
Submitted by Nuzia Santos (nuzia@cpqrr.fiocruz.br) on 2015-11-23T14:45:37Z No. of bitstreams: 1 Tese_DIP_LilianeMariaVidalSiqueira_DIAGNÓSTICO DA ESQUISTOSSOMOSE MANSONI_2015.pdf: 4352109 bytes, checksum: a6f614437dca609f76b593ecec0689a9 (MD5) / Approved for entry into archive by Nuzia Santos (nuzia@cpqrr.fiocruz.br) on 2015-11-23T14:45:52Z (GMT) No. of bitstreams: 1 Tese_DIP_LilianeMariaVidalSiqueira_DIAGNÓSTICO DA ESQUISTOSSOMOSE MANSONI_2015.pdf: 4352109 bytes, checksum: a6f614437dca609f76b593ecec0689a9 (MD5) / Made available in DSpace on 2015-11-23T14:45:52Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Tese_DIP_LilianeMariaVidalSiqueira_DIAGNÓSTICO DA ESQUISTOSSOMOSE MANSONI_2015.pdf: 4352109 bytes, checksum: a6f614437dca609f76b593ecec0689a9 (MD5) Previous issue date: 2015 / Fundação Oswaldo Cruz. Centro de Pesquisa René Rachou. Laboratório de Triatomíneos e Epidemiologia da Doença de Chagas. Belo Horizonte, MG, Brazil / Este estudo populacional foi realizado em duas localidades endêmicas para a esquistossomose, Tabuas e Estreito de Miralta, pertencentes ao município de Montes Claros, região norte de Minas Gerais, empregando-se duas técnicas parasitológicas e dois ensaios moleculares para o diagnóstico da esquistossomose mansoni. Uma amostra fecal foi obtida de todos participantes e examinada utilizando a técnica de Kato-Katz (24 lâminas = 1000 mg) e a técnica do Gradiente Salínico, utilizando duas porções de 500 mg, totalizando 1000 mg de fezes. Além disso, os ensaios de PCR-ELISA e qPCR foram realizados em DNA extraído de 1000 mg de fezes. Os resultados obtidos pelas diferentes técnicas foram analisados individualmente e comparativamente entre eles. Todos os indivíduos que apresentaram ovos de Schistosoma mansoni ou outros helmintos foram tratados com praziquantel ou Albendazol, respectivamente. Para avaliação de cura após o tratamento, amostras de fezes dos indivíduos positivos para S. mansoni, foram coletadas 30, 90 e 180 dias após o tratamento, e examinadas pelas técnicas parasitológicas e pelos ensaios moleculares. Na localidade de Tabuas, a taxa de positividade, obtida pelo exame de duas lâminas pela técnica de Kato-Katz, foi de 15,5% (23/148), pela análise de 24 lâminas de Kato-Katz 20,9% (31/148) e a obtida pela técnica do Gradiente Salínico foi de 29,0% (43/148) (p< 0,05). A prevalência obtida pela combinação dos resultados das duas técnicas parasitológicas foi de 31,0% (46/148). O ensaio de PCRELISA apresentou taxa de positividade de 25,0% (37/148) e ensaio de qPCR, 30,4% (45/148). Na localidade Estreito de Miralta, a taxa de positividade obtida pelo exame de duas lâminas pela técnica de Kato-Katz foi de 10,5% (15/142). As técnicas de Kato-Katz (24 lâminas) e do Gradiente Salínico revelaram taxas de positividade de 19,7% (28/142) e 18,3% (26/142) (p=0,802), respectivamente. A prevalência obtida pela combinação dos resultados das técnicas parasitológicas foi de 24,6% (35/142). O ensaio de qPCR apresentou taxa de positividade de 18,3% (26/142). Na localidade de Tabuas, as taxas de cura obtidas pelas técnicas parasitológicas Kato-Katz e Gradiente Salínico, 30, 90 e 180 dias após o tratamento foram 100%, 91,6% e 78,4%, respectivamente. Pelo ensaio de PCR-ELISA as taxas de cura obtidas foram de 89,7%, 88,8% e 67,5% e pelo ensaio de qPCR, as taxas de cura foram 100%, 83,3% e 62,1%, nas mesmas etapas de acompanhamento. Na localidade de Estreito de Miralta, as taxas de cura obtidas pelas técnicas de Kato-Katz e GS foram 93,3%, 96,9% e 96,5% (30, 90 e 180 dias após o tratamento, respectivamente) e pelo ensaio de qPCR foram 93,3%, 93,9% e 96,5% nas mesmas etapas de acompanhamento. Este estudo reforça a necessidade de se combinar técnicas com o objetivo de melhorar a acurácia diagnóstica, aumentando a chance de detectar indivíduos com carga parasitária baixa, reduzindo assim a contribuição destes para a manutenção da transmissão. / This populational study was conducted in two schistosomiasis endemic localities, Tabuas and Estreito de Miralta, municipality of Montes Claros, Minas Gerais state, using two parasitological techniques and two molecular assays for the diagnosis of schistosomiasis. One fecal sample was obtained from all participants and analyzed according to the Kato-Katz (KK) technique (24 slides = 1000 mg) and by Saline Gradient (SG) technique (using two portions of 500 mg, totalizing 1000 mg of feces). Moreover, the PCR-ELISA and qPCR assays were utilized for testing 1000 mg of feces. The results obtained by means of different techniques were individually analyzed and compared. All individuals who had Schistosoma mansoni eggs or other helminths were respectively treated with praziquantel or albendazol. For cure evaluation, samples of feces from individuals treated were collected 30, 90 and 180 days after treatment and examined by parasitological and molecular techniques. In Tabuas locality, the positivity rate obtained by the analysis of two and 24 KK slides were 15.5% (23/148) and 20.9% (31/148) respectively, both lower than that obtained by SG technique, 29.0% (43/148) (p< 0.05). The prevalence obtained by the combination of the parasitological techniques (KK + SG) was 31.0% (46/148). By the PCR-ELISA, the positivity rate was 25.0% (37/148), also lower than that obtained by the qPCR, 30.4% (45/148) (p< 0.05). In Estreito de Miralta locality, the SG and the qPCR showed the same positivity rate, 18.3% (26/142) and by the KK technique (24 slides) the positivity was 19.7% (28/142), no statistical difference was detected (p= 0.802). The prevalence obtained by the parasitological techniques (KK + SG) was 24.6% (35/142). The cure rates obtained by the KK and SG 30, 90 and 180 days after treatment, in the Tabuas locality, were 100%, 91.6% and 78.4%, respectively. By the PCR-ELISA assay, the cure rates were 89.7%, 88.8% e 67.5% and by the qPCR assay were 100%, 83.3% and 62.1% in the same followed-up steps. In Estreito de Miralta, the cure rates obtained by KK and SG were 93.3%, 96.9% e 96.5% (30, 90 and 180 after treatment, respectively) and by the qPCR the cure rates were 93.3%, 93.9% e 96.5% in the same followed-up steps. This study reinforces the need of combining techniques to improve the diagnosis accuracy, increasing from this way the detection of individuals with low parasite burden and for the cure assessment, as an important tool for disease transmission control.
9

Educação em saúde na prevenção e controle da esquistossomoseavaliação de duas abordagens educativas com professores do município endêmico de Malacacheta-Minas Gerais

Murta, Felipe Leão Gomes January 2016 (has links)
Made available in DSpace on 2016-06-28T12:18:23Z (GMT). No. of bitstreams: 2 felipe_murta_ioc_mest_2016.pdf: 2506895 bytes, checksum: a765e8bfa364a8d6c5a32fe6f7ac1e1c (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2016 / Made available in DSpace on 2016-07-05T23:52:46Z (GMT). No. of bitstreams: 3 felipe_murta_ioc_mest_2016.pdf.txt: 181778 bytes, checksum: bfd1ea2c9fd92c06e8ce0ebe372f6b38 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) felipe_murta_ioc_mest_2016.pdf: 2506895 bytes, checksum: a765e8bfa364a8d6c5a32fe6f7ac1e1c (MD5) Previous issue date: 2016 / Introdução: A esquistossomose mansônica é endêmica no Brasil. As crianças em idade escolar detêm as maiores prevalências e cargas parasitárias. Estudos que avaliaram os limites e possibilidades das abordagens educativas para o controle da endemia sugerem que os programas devem investir em estratégias que levem em conta a realidade local, o empoderamento e a integração dos profissionais da saúde e educação e o desenvolvimento de ações com os grupos mais vulneráveis, como os escolares. Objetivos: Este trabalho visa: (a) estimar as taxas de infecção por Schistosoma mansoni entre os profissionais de educação no município de Malacacheta, área endêmica de Minas Gerais; (b) formar professores multiplicadores do conhecimento sobre esquistossomose entre os escolares; (c) avaliar o uso, no ensino fundamental, de duas abordagens educacionais sobre prevenção e controle da esquistossomose; e (d) verificar se as abordagens educacionais contribuem para promover mudanças no nível do conhecimento que aproxime o saber popular e o científico dos professores e alunos de forma sustentável no tempo Metodologia: A positividade para S. mansoni nos profissionais da educação do município foi estimada através de inquérito parasitológico de fezes (n=522), usando o método de Kato-Katz. Dois cursos de atualização sobre a doença, com abordagens distintas, foram ministrados para professores de diferentes disciplinas do município endêmico de Malacacheta, Minas Gerais. Questionários semiestruturados foram aplicados aos professores e seus alunos, antes e após as ações educativas, para levantar os conhecimentos prévios e adquiridos. Resultados: A prevalência da esquistossomose no grupo estudado foi de 5,9% e os resultados das análises dos questionários/entrevistas apontam para mudança significativa no conhecimento sobre a doença, tanto nos professores que participaram dos cursos, quanto de seus alunos. As ações educativas contribuíram para aumentar o conhecimento sobre a doença de um modo geral, que foi multiplicado e sustentável mesmo após um ano das ações educativas / Schistosomiasis mansoni is endemic in Brazil. The highest prevalences and parasite loads are among school-age children. Studies to evaluate the limitations and potential of educational approaches to its control suggest that programmes should invest in strategies that address the local situation and the empowerment and integration of health and education personnel and provide for actions with the most vulnerable groups, such as schoolchildren. Objectives: This study aims: (a) to assess infection rates by Schistosoma mansoni among education personnel in Malacacheta, a municipality in the endemic area of Minas Gerais; (b) to train teachers as multipliers of knowledge of schistosomiasis among schoolchildren; (c) to evaluate the use, with primary and middle-school teachers, of two educational approaches on schistosomiasis prevention and control; and (d) to ascertain whether the educational approaches contributed to knowledge rearrangement that approximates the popular and scientific know-how of teachers and their pupils and whether that knowledge is sustainable in time Methodology: S. mansoni infection among education personnel in the municipality was estimated by parasitology stool test (n=522), using the Kato-Katz method. Two refresher courses using different, but complementary, educational approaches (critical pedagogy and pedagogy of creative play) to the disease were given to teachers of various different subjects. Semi-structured questionnaires were applied to teachers and their pupils, before and after the educational actions, in order to survey prior and acquired knowledge. Results: Prevalence of schistosomiasis in the study group was 5.9%, while the results of analysis of the questionnaires/interviews pointed to significant changes in knowledge of the disease among teachers who took the course and their pupils. The educational actions contributed to improve the knowledge about the disease in general, which was multiplied and sustained even after one year the educational actions
10

Estudo comparativo da acurácia de diferentes técnicas para o diagnóstico laboratorial da esquistossomose mansoni em áreas de baixa endemicidade / Comparative study of the accuracy of different techniques for the laboratory diagnosis of schistosomiasis mansoni in low endemicity areas

Maria Cristina Carvalho do Espírito Santo 10 March 2014 (has links)
INTRODUÇÃO: A esquistossomose se constitui em grande problema de saúde pública, sendo que estimativas apontam para 200 milhões de pessoas infectadas no mundo. No Brasil atinge 19 unidades federadas, apresentando áreas de alta e média endemicidade e, em uma grande extensão, áreas de baixa endemicidade. O município de Barra Mansa, Rio de Janeiro, Brasil, apresenta uma prevalência estimada de 1%. As áreas de baixa endemicidade (ABE) representam um novo desafio para o controle dessa helmintose, pois cerca de 75% dos indivíduos infectados são assintomáticos e cursam com infecções de baixa carga parasitária (<100 ovos por grama de fezes), ocorrendo uma diminuição da sensibilidade das técnicas parasitológicas de fezes, que são referência para o diagnóstico laboratorial dessa helmintose. OBJETIVO: Comparar o desempenho das técnicas de Kato-Katz (KK) e Hoffman, Pons e Janer (HH), do ensaio de ELISA-IgG e ELISA-IgM, da técnica de Imunofluorescência Indireta (RIFI), da técnica de qPCR TaqMan® em amostras de fezes e de soro (qPCR-fezes e qPCR-soro), tendo como referência a Reação Periovular (RPO), por meio de inquérito epidemiológico para obtenção de amostras de fezes e soro de indivíduos randomizados residentes nos bairros de Cantagalo, Nova Esperança, Santa Clara, São Luiz e Siderlândia, Barra Mansa/RJ. MÉTODOS: Estudo de corte transversal, no período de abril a dezembro de 2011, de amostragem probabilística, sendo coletadas 610 amostras de fezes e 612 amostras de soro. As técnicas de investigação diagnóstica laboratorial foram: KK e HH, ELISA-IgG e ELISA-IgM, RIFI-IgM, RPO, qPCR-fezes e qPCR-soro. RESULTADOS: Observaram-se os seguintes resultados, obtidos das diferentes técnicas diagnósticas: KK e HH, 0,8% (n=5); ELISA-IgG, 11,6% (n=71); ELISA-IgM, 21,4% (n=131); RIFI-IgM, 15,8 (n=97); RPO, 5,4% (n=33); qPCR-fezes, 9,8% (n=60); qPCR-soro, 1,5% (n=9). A maior positividade foi obtida no ensaio ELISA-IgM (21,4%), enquanto as técnicas de KK e HH foram as que menos denunciaram a presença da infecção (0,8%). Na comparação com a RPO, exceto a qPCR-soro, todas as outras técnicas apresentaram diferença estatisticamente significante na positividade (p < 0,05) e boa acurácia (82% a 95,5%), porém baixa concordância, sendo a melhor com ELISA-IgG (Kappa=0,377) e RIFI (Kappa=0,347). Na associação entre as variáveis sociodemográficas e as técnicas diagnósticas utilizadas, observou-se diferença estatisticamente significante (p =< 0,05) entre a variável residir no bairro Santa Clara, exceto com a técnica de qPCR-soro. CONCLUSÕES: As taxas de positividade das técnicas parasitológicas ficaram muito aquém daquelas apresentadas pelas outras técnicas. Vigilância inadequada nas áreas de baixa endemicidade de esquistossomose pode resultar na transformação das mesmas em áreas de média e alta endemicidade. Este estudo apresenta uma perspectiva de controle que aponta para a possibilidade de utilização de ferramentas laboratoriais combinadas para a identificação de casos nas áreas de baixa endemicidade / INTRODUCTION: Schistosomiasis constitutes a major public health problem, and estimates suggest that 200 million people are infected worldwide. In Brazil, it is reported in 19 federal units, showing areas of high and medium endemicity and a wide range of areas of low endemicity. Barra Mansa, Rio de Janeiro, Brazil, has an estimated prevalence of 1%. Areas of low endemicity (ALE) represent a new challenge for the helminth control because about 75% of infected individuals are asymptomatic and infections occur with low parasite load (< 100 eggs per gram of feces), causing a decrease in sensitivity of stool parasitological techniques, which are a reference for the laboratory diagnosis of this helminth. OBJECTIVE: To compare the performance of the techniques of Kato-Katz (KK), Hoffman, Pons and Janer (HH), ELISA-IgG and ELISA-IgM, the Indirect Immunofluorescence Technique (IFT) and the qPCR technique in samples of serum and stool (qPCR in feces and serum) using the Circumoval Precipitin Test (COPT) as reference, and epidemiological survey to obtain stool samples and sera from randomized residents in the neighborhoods of Cantagalo, Nova Esperança, Santa Clara, São Luiz and Siderlândia, Barra Mansa/RJ. METHODS: A cross-sectional study conducted from April to December 2011, using a probabilistic sampling that collected 610 fecal samples and 612 serum samples. The laboratory diagnostic techniques used were: KK and HH, ELISA-IgG and ELISA-IgM, IFA-IgM, COPT, qPCR-stool and qPCR-serum. RESULTS: We obtained the following results from different diagnostic techniques: KK and HH, 0.8% (n=5); ELISA-IgG, 11.6% (n=71); ELISA-IgM, 21.4% (n=131); IFA-IgM 15.8 (n=97); RPO 5.4% (n=33); qPCR-stools, 9.8% (n=60) and qPCR-serum, 1 5% (n=9). ELISA-IgM (21.4%) presented the highest positivity while the techniques of HH and KK were the least sensitive to indicate the presence of infection (0.8%). In comparison with COPT, except for qPCR-serum, all other techniques showed a statistically significant difference in positivity (p < 0.05) and high accuracy (from 82% to 95.5%), but poor agreement, and the best one was with ELISA-IgG (Kappa=0.377) and IFA (Kappa=0.347). Concerning the association between sociodemographic variables and diagnostic techniques used, we observed a statistically significant difference (p =< 0.05) between the variable living in the Santa Clara neighborhood with all techniques except qPCR-serum. CONCLUSIONS: The positivity rate of parasitological techniques was far from that presented by other techniques. The lack of adequate surveillance in areas of low endemicity of schistosomiasis may turn them into areas of medium and high endemicity. This study presents a control perspective, pointing to the possibility of using these combined laboratory tools in the diagnosis of schistosomiasis in low endemicity areas

Page generated in 0.0683 seconds