• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 13
  • 1
  • Tagged with
  • 17
  • 17
  • 10
  • 7
  • 5
  • 5
  • 4
  • 4
  • 4
  • 4
  • 4
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Estudo da prevalência da filariose bancroftiana e loana na Vila do Buco-Zau, Norte de Angola / Study of prevalence Elephantiasis Filarial in Vila Buco-Zau, Angola Northern

Bungo, Francisco January 2002 (has links)
Made available in DSpace on 2012-09-06T01:12:08Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) 482.pdf: 2336338 bytes, checksum: e082b77cb1a5d4da0f639dd962c4dc5b (MD5) Previous issue date: 2002 / A filariose linfática continua sendo um grande problema de saúde pública em Africa e é uma das seis doenças declaradas pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como potencial a sua erradicação global. É endêmica em 80 países, distribuídos geoicamente nas áreas tropicais e subtropicais, entre a latitude 40° Norte e 30° Sul, afetando mais de 120 milhões de pessoas no mundo. A incapacidade física associada a graves manifestações clínicas enfatiza a significância a conseqüências socioeconômicas. Com objetivo de estimar a prevalência de microfilaremia e doença filarial bancroftiana e loana, foi realizado no primeiro trimestre de 2001, um estudo seccional clínico-laboratorial na vila do Buco-Zau, Província de Cabinda, norte de Angola. Foi selecionado aleatoriamente três dos cinco bairros que compõem à vila, e 2169 indivíduos foram elegíveis para o estudo. No total foram estudados 300 indivíduos de ambos os sexos maiores de 4 anos de idade morando há mais de um ano no Município de Buco-Zau. Cada indivíduo da amostra foi submetido a um questionário individal e domiciliário e a exames de sangue. A coleta sangüínea para pesquisa de microfilárias W. bancrofti foi feita no período das 22 e 1 hora e para microfilárias l. loa no horário entre 11 e 13 horas. Os indivíduos com amostras com resultado negativo no primeiro exame foram novamente testados. Para a doença filarial observou-se uma prevalência de 46,33 por cento enquanto que a microfilaremia da filariose bancroftiana foi de 21,33 por cento e, 22, 6 por cento na filariose loana. Entre os homens, o hidrocele foi a manifestação clinica mais prevalente (10,33 por cento) na filariose bancroftiana, e nas mulheres, o linfedema (2,78 por cento). Na filariose loana, o edema de Calabar e a presença de macrofilária na conjuntiva ocular apresentaram prevalências de 4.33 por cento e 2.33 por cento, respectivamente. Houve 8,33 por cento de indivíduos, com idade variando de 15 a 49 anos, que simultaneamente apresentaram microfilaremia positiva para ambas filariose. Os resultados observados indicam que a filariose bancroftiana e loana são de alta endemicidade na área de estudo, e, portanto, representa um grande problema de saúde pública que requer intervenção urgente das autoridades locais para a sua prevenção e controle.
2

Expressão diferencial de genes que codificam peptídeos antimicrobianos de aedes aegypti em resposta`a infecção por Wuchereria bancrofti / Differential expression of antimicrobial peptides genes of Aedes aegypti in response to Wuchereria bancrofti infection

Oliveira, Iêda Ferreira de January 2008 (has links)
Made available in DSpace on 2012-05-07T14:43:56Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) 000036.pdf: 25978686 bytes, checksum: fb761a85d8fd97f160b282be8450893d (MD5) Previous issue date: 2008 / No Brasil, a filariose linfática causada por Wuchereria bancrofti ainda é um grave problema de saúde pública. O mosquito Culex quinquefasciatus é o principal vetor nas áreas onde este nematódeo tem periodicidade noturna, enquanto Aedes aegypti é uma espécie naturalmente refratária. Os mecanismos responsáveis pela refratariedade a W. bancrofti nesta espécie de mosquito são desconhecidos. Desse modo, estudos sobre a resposta imune de Ae. aegypti à W. bancrofti são importantes para compreender os mecanismos que limitam o desenvolvimento deste patógeno nesta espécie de mosquito. O objetivo deste trabalho foi avaliar o padrão de expressão temporal dos genes defensina, cecropina e transferrina de Ae. aegypti infectados artificialmente com W. bancrofti, assim como observar o desenvolvimento do filarídeo neste mosquito comparado com Cx. quinquefasciatus. Fêmeas de Ae. aegypti Rec Lab e Cx. quinquefasciatus CqSF foram alimentadas artificialmente com amostras de sangue venoso de voluntários infectados e não infectados com W. bancrofti. Após o repasto sanguíneo, foi extraído o RNA total de pools Ae. aegypti - tanto do grupo controle, quanto do grupo infectado, coletados nos seguintes tempos: 2h, 24h, 48h, 72h e 7 dias. Os RNAs foram submetidos a reações de RT-PCR em tempo real com primers específicos para os genes da defensina, cecropina, transferrina e rpL8 (controle endógeno), separadamente e em duplicata. A expressão relativa destes genes foi calculada pelo método 2- C T. Nas observações microscópicas, a cabeça, tórax e abdômen de mosquitos Ae. aegypti e Cx. Quinquefasciatus foram dissecados durante os 15 dias pós-infecção, a fim de avaliar a migração, o desenvolvimento e o movimento dos parasitas. Os resultados mostraram que a transcrição da defensina, cecropina e transferrina aumentou em Ae. aegypti logo após a infecção com W. bancrofti, apresentou picos às 2h (cecropina) ou 24h (defensina e transferrina), e diminuiu a partir de 48h. Os picos de transcritos imunes coincidiram com o período de migração da microfilária para o tórax de Ae. aegypti, que ocorreu nas primeiras 24h. Após a migração, vermes filarídeos diferenciaram-se em larvas de primeiro estádio salsichóide, mas interromperam o desenvolvimento a partir desse momento, diferentemente de Cx. quinquefasciatus, cujo desenvolvimento de W. bancrofti foi normal. É possível que defensina, cecropina e transferrina estejam envolvidas na resposta imune de Ae. aegypti à infecção por W. bancrofti
3

Distribuição da infecção filarial entre famílias residentes no distrito de Cavaleiro, Jaboatão dos Guararapes- PE / Distribuition of filarial infection among families residing in the District of Cavaleiro, Jaboatão dos Guararapes-PE

Gomes, Ayla Maritcha Alves Silva January 2006 (has links)
Made available in DSpace on 2012-05-07T14:43:58Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) 000050.pdf: 2583325 bytes, checksum: 8f4e5ace0c16b32d13cd9c48b293de37 (MD5) Previous issue date: 2006 / Embora alguns estudos realizados com a finalidade de identificar fatores condicionantes da infecção ou da doença filarial tenham reconhecido a importância da agregação familiar na dinâmica de transmissão dessa infecção, poucos trabalhos apresentaram como objetivo discutir a investigação familiar ou domiciliar utilizando a detecção da microfilária como um indicador da infecção e relacionando-se aos fatores sócio-econômicos e ambientais do domicílio. O presente estudo tem como objetivo verificar a distribuição em domicílios, com e sem infecção filarial, identificando se existem diferenças relacionadas a fatores sócio-econômicos e ambientais nos residentes de Cavaleiro, Jaboatão dos Guararapes-PE. Para tal selecionou-se o desenho de estudo seccional, descritivo, considerando o domicílio como a unidade de estudo. Foram utilizados dados secundários. 1.511 domicílios foram selecionados. A análise foi realizada de acordo com as variáveis selecionadas e verificou-se que havia 164 domicílios positivos indicando uma prevalência de 10,85 (por cento). Observou-se que a média de residentes nos domicílios negativos foi de 3,81 enquanto que nos domicílios positivos foi de 5,28. Quanto aos fatores sócioeconômicos, foi constatado a importância da renda e da média do número de moradores residentes. Já quanto aos fatores sócio-ambientais, verificou-se o que há resquícios de que as condições precárias de esgotamento sanitário podem ser condicionantes da infecção filarial. Sendo assim, pode-se considerar que a infecção filarial está intimamente relacionada com as condições de vida da população.
4

Avaliação da Cinética de Antígeno Circulante em pacientes portadores de Wuchereria bancrofti / Evaluation of the kinetic of circulating antigen in carrying patients of Wuchereria bancrofti

Araújo, Marcela Eugênia Belém de Barros January 2009 (has links)
Made available in DSpace on 2016-06-21T13:43:11Z (GMT). No. of bitstreams: 2 812.pdf: 886575 bytes, checksum: 2a89882009cc9e8fdadea0801ab6b4fd (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2009 / Made available in DSpace on 2016-07-05T22:16:46Z (GMT). No. of bitstreams: 3 812.pdf.txt: 134308 bytes, checksum: c87c136b362c753141544a758888b47a (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) 812.pdf: 886575 bytes, checksum: 2a89882009cc9e8fdadea0801ab6b4fd (MD5) Previous issue date: 2009 / Fundação Oswaldo Cruz. Centro de Pesquisas Aggeu Magalhães. Recife, PE, Brasil / Devido a suas características epidemiológicas a filariose linfática é uma das doenças potencialmente erradicáveis. Por esse aspecto, a Organização Mundial de Saúde propôs em 1997 sua eliminação mundial prevista para 2020. O principal objetivo do Programa de eliminação da Filariose Linfática é reduzir o reservatório humano com microfilárias circulantes, para menos de 1 por cento, somado a redução para o índice >0.1 por cento nas crianças nascidas após o início do tratamento em massa, ambos diagnosticados pelas técnicas de gota espessa e pesquisa de antígeno circulante filarial (cartão ICT e Og4C3) resultando na interrupção da transmissão. Entre os objetivos do Plano de Controle e Eliminação da filariose linfática está à utilização da pesquisa de antígeno circulante como indicador da monitorização da eficácia do tratamento específico realizado nas comunidades endêmicas. Pesquisas demonstram resultados inconsistente nos padrões de clareamento da circulação sangüínea do antígeno da W.bancrofti após o tratamento, pois ainda não se pode assegurar a cura parasitológica e correlacionar esse fato concreto com a cronologia do desaparecimento do antígeno circulante filarial. O presente estudo comparou o efeito do tratamento seletivo com dietilcarbamazina (dose única e tradicional) e a intervenção cirúrgica sobre a microfilaremia e o marcador sorológico de infecção ativa (antigenemia), diagnosticados pelas técnicas parasitológicas da filtração (microfilaremia), utrason (vermes adultos filarias) e a pesquisa de antígeno circulante filarial (cartão ICT e Og4C3) frente aos 31 indivíduos de ambos os sexos, micro e amicrofilarêmicos, no período pré, 1, 6, 12, 96 e 120 meses. Observou-se uma correlação positiva (r=0,3118, P < 0,0001) crescente da densidade de MF/mL com o antígeno circulante filarial diagnosticado de forma quantitativa pela ferramenta diagnostica do Og4C3. O tratamento que observamos um menor número de indivíduos positivos foi através da medicação dietilcarbamazinna dose tradicional seguido de cirurgia e dose única. No presente estudo observamos que o tempo eleito pela OMS de 48 a 82 meses é insuficiente para assegurar a cura da infecção, visto quem em 96 meses ainda encontra-se vestígios de antígeno circulante. Sugere-se que exames paralelos sejam realizados para confirmar e assegurar a cura do indivíduo
5

Perfil epidemiológico e antigênico da população não aderente ao tratamento em massa para filariose linfática no município de Olinda - PE / Antigenic and epidemiological profile of the population adheres to mass treatment for lymphatic filariasis in the city of Olinda-PE

Cabral, Sílvia Natália Serafim January 2012 (has links)
Made available in DSpace on 2016-06-28T12:15:32Z (GMT). No. of bitstreams: 2 311.pdf: 703148 bytes, checksum: e9a1987ac509953997379fb664cefca9 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2012 / Made available in DSpace on 2016-07-05T22:00:07Z (GMT). No. of bitstreams: 3 311.pdf.txt: 120710 bytes, checksum: a3f263ff84adb026c162566900bc7b6d (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) 311.pdf: 703148 bytes, checksum: e9a1987ac509953997379fb664cefca9 (MD5) Previous issue date: 2012 / Fundação Oswaldo Cruz. Centro de Pesquisas Aggeu Magalhães. Recife, PE, Brasil / A Organização Mundial de Saúde aponta a Filariose Linfática como endemia potencialmente eliminável. Para isso, foi criado o Programa Global de Eliminação da Filariose Linfática, que possui como uma de suas estratégias o tratamento em massa da população endêmica. A baixa adesão ao tratamento representa um sério obstáculo ao sucesso do programa. Assim, o objetivo deste estudo é descrever o perfil epidemiológico e antigênico e os fatores relacionados a não adesão ao tratamento em massa para filariose linfática no município de Olinda-PE. Trata-se de um estudo de corte transversal, cuja população foi constituída por pessoas que se recusaram a participar do tratamento em massa nos bairros Alto da Bondade e Alto da Conquista, nos anos de 2009 e 2010. Os dados foram coletados através da aplicação de questionários e do teste antigênico (ICT card test). Os indivíduos positivos pelo ICT card test foram avaliados através da filtração (teste parasitológico padrão-ouro). Para o processamento e a análise de dados foi utilizado o programa Epi-Info. Foram pesquisados 102 indivíduos, sendo 51 (50,00 por cento) moradores do Alto da Bondade e 51 (50,00 por cento) do Alto da Conquista. A maioria era do sexo feminino (63,73 por cento) com média de idade de 49,39 anos, e possuía o ensino médio (17,6 por cento). Sobre as características socioambientais, verificou-se que todos os domicílios visitados eram de alvenaria. Cerca de 90por cento possuía abastecimento de água ligado à rede geral e coleta de lixo por serviço de limpeza urbana, porém o esgotamento sanitário era feito através de fossas rudimentares. Do total de pesquisados, quatro (3,92 por cento) apresentaram-se antígeno-positivos para Wuchereria bancrofti através do teste ICT card test), porém não apresentaram positividade na filtração Os principais motivos encontrados para a não adesão ao tratamento em massa foram o não recebimento da medicação e relacionados às reações adversas, porém tais razões não foram completamente esclarecidas. Novas estratégias são necessárias para o aumento da adesão ao tratamento em massa, dentre as quais ações de educação em saúde e campanhas de sensibilização
6

Efeito do tratamento em massa com dietilcarbamazina na microfilaremia, antigenemia e anticorpos antifilariais em uma área endêmica do município de Olinda - PE / The effect of mass drug administration with single doses of diethylcarbamazine in microfilaremia, antigenemia e antifilarial antibodys in a endemic area in Olinda - PE

Pereira, Jennifer Sabrina Ferreira da Silva January 2014 (has links)
Made available in DSpace on 2016-06-21T13:43:13Z (GMT). No. of bitstreams: 2 178.pdf: 1437974 bytes, checksum: 047540ba121ca5948b540d6c7496106b (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2014 / Made available in DSpace on 2016-07-05T22:17:02Z (GMT). No. of bitstreams: 3 178.pdf.txt: 94268 bytes, checksum: ed8e1d8b0ae23b6bb21a951068e65500 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) 178.pdf: 1437974 bytes, checksum: 047540ba121ca5948b540d6c7496106b (MD5) Previous issue date: 2014 / Fundação Oswaldo Cruz. Centro de Pesquisas Aggeu Magalhães. Recife, PE, Brasil / Este trabalho analisou o efeito do tratamento em massa com doses únicas anuais de Dietilcarbamazina (DEC), no período de 2007 a 2012, em indivíduos infectados por Wuchereria bancrofti, residentes em Olinda - PE. Para essa análise foram utilizadas as técnicas de filtração em membrana, na detecção da microfilaremia, o teste do cartão ICT e o Og4C3-ELISA, na detecção do antígeno circulante filarial, e o teste BM14 na avaliação dos níveis de anticorpos antifilariais. Os resultados obtidos indicam redução nas características avaliadas: após a quarta dose de DEC, a microfilaremia reduziu 100 por cento e a antigenemia pelo cartão ICT atingiu 78,1 por cento de redução após a quinta dose. A mediana do Og4C3 caiu significativamente de 7117 ua, para 1715 ua após a terceira dose, último ano que o teste foi realizado. Observou-se curva de redução também nos níveis de Bm14, com mediana da densidade ótica caindo de 2,1 para 0,1 após a quinta dose. A diminuição nas taxas das características estudadas indica que o tempo preconizado pela Organização Mundial de Saúde para a eliminação da transmissão da FL na área é suficiente para a negativação das microfilárias. Os resultados desse estudo mostram a elevada eficácia do esquema terapêutico utilizado no clareamento da microfilaremia e tratamento dos infectados, e sugerem que a utilização desse esquema na população possivelmente tenha levado a interrupção da transmissão na área. Sugere-se que haja um acompanhamento maior que cinco anos da população submetida ao tratamento para uma melhor avaliação dos níveis de anticorpos e de antigenemia filarial circulante
7

Filariose bancroftiana: a morbidade referida como indicador da parasitose em Jaboatão dos Guararapes-PE / Lymphatic filariasis: a morbidity as an indicator of infection in Jaboatao dos Guararapes-PE

Evangelista Netto, Maria José January 2008 (has links)
Made available in DSpace on 2012-05-07T14:43:57Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) 000062.pdf: 2830403 bytes, checksum: 89eae1ce6eb7f974bdf91fade797ad15 (MD5) Previous issue date: 2008 / A filariose linfática continua a ser um sério problema de saúde pública. Segundo a Organização Mundial da Saúde existem aproximadamente 16 milhões de casos de linfedema e cerca de 27 milhões de homens com manifestações urogenitais. Uma alternativa para delimitação de áreas endêmicas foi validada na África e na Índia com abordagem da morbidade filarial pelos informantes-chave. No Brasil, em base populacional, poucas informações são disponíveis acerca da morbidade filarial, encontrando-se apenas relatos isolados acerca da ocorrência de manifestações da doença. Este estudo propõe avaliar a correlação entre a prevalência da morbidade filarial referida e a ocorrência de microfilaremia, por bairro, no município de Jaboatão dos Guararapes/PE, no período de 2001/2002, utilizando-se um estudo ecológico, em duas etapas: exploratória e analítica. Estimou-se uma prevalência de 6 por cento de domicílios positivos para filariose, sendo pesquisados 6.507 residências, investigando-se 23.673 pessoas, distribuídas em três Distritos. A pesquisa de microfilária de Wuchereria bancrofti foi feita pela técnica de gota espessa, coletada entre 23H00 e 01H00. As informações das manifestações clínicas relativas à parasitose foram obtidas através de questionário aplicado pelos Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate à Filariose, previamente treinados e capacitados na identificação e conhecimento da doença. Para análise de correlação foram utilizados o Coeficiente de Correlação de Pearson (r= regressão linear simples) e o teste de significância estatística correspondente. A prevalência de infecção filarial foi de 1,4 por cento e a da morbidade referida foi de 3,1 por cento, ambas ocorrendo com maior freqüência no bairro de Cavaleiro. Neste estudo observou-se uma associação positiva entre a prevalência das queixas filariais e a prevalência da microfilaremia, analisadas por bairro. A hidrocele foi a manifestação referida que se destacou, apresentando a associação mais fortemente positiva (r=0,699; p0,001), resultado, até então, evidenciado em áreas de alta endemicidade. Este achado indica que esta condição clínica tem valor preditivo positivo para o risco de filariose linfática, mesmo em áreas de baixa prevalência da parasitose.
8

Estudo da resposta imune humoral (IgG específica) para antígenos de larvas infectantes (L3) de Wuchereria bancrofti, entre portadores e não portadores de filariose bancroftiana no Município de Olinda-PE / Study of the immune humoral response (IgG specific) for antigens of larvae infectantes (L3) of Wuchereria bancrofti, between bearers and not bearers of elephantiasis filarial in the city of Olinda-PE

Miranda, Janaina Campos de January 2006 (has links)
Made available in DSpace on 2012-09-05T18:24:08Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) 276.pdf: 1326782 bytes, checksum: bae32ec1487817e0d1342725c58ded5e (MD5) Previous issue date: 2006 / A filariose linfática bancroftiana é uma doença parasitária humana de grande complexidade em sua dinâmica de infecção, necessitando ainda de maiores esclarecimentos, principalmente, em aspectos relacionados à tolerância e imunopatologia. A existência da imunidade protetora em comunidades endêmicas de filariose permanece como objeto de intenso debate e o grupo denominado endêmicos normais , tem sido alvo de interesse para elucidar muitas questões referentes à imunologia da doença. O presente trabalho tem como objetivo verificar através de um estudo do tipo caso-controle, as diferenças entre portadores e não portadores de filariose linfática bancroftiana pelo reconhecimento humoral de bandas protéicas de extrato secretório-excretório de larvas infectantes de Wuchereria bancrofti. Os quatro setores censitários de Olinda-PE, com maior prevalência de filariose, foram escolhidos como área de estudo. Consideramos grupo controle portadores da filariose bancroftiana e grupo de casos os de endêmicos normais. (...) A identificação desse grupo de proteínas respondedoras em endêmicos normais deve nortear novas pesquisas para o estudo bioquímico desses compostos e sua relação com a imunidade protetora em filariose linfática bancroftiana.
9

Situação epidemiológica da filariose linfática bancroftiana no município de Maceió, estado de Alagoas. / The epidemiological situation of bancroftian lymphatic filariasis in the municipality of Maceió, state of Alagoas.

Leite, Anderson Brandão 24 November 2008 (has links)
Bancroftian lymphatic filariasis is a neglected parasitic illness, known popularly as elephantiasis, because it is one of its chronic clinical manifestations. It is an anthroponotic disease caused by a nematode helminth of the species Wuchereria bancrofti (Cobbold, 1877) (Spirurida: Onchocercidae). Bancroftian filariasis occurs in 83 countries localized in tropical and subtropical regions and is considered by the World Health Organization as the second leading cause, worldwide, of work disability. With the objective to ascertain the current distribution of lymphatic filariasis in Maceio, based upon previous studies, hemoscopic and entomological surveys were conducted in the city. The hemoscopic surveys were performed using a thick blood smear (TBS) in a random sample of 20,025 students of night schools, enrolled in the 143 public schools that cover the 50 districts of the city, a sample of 1418 employees of the same public night schools and of 546 soldiers of the Brazilian Army s 59th Motorized Infantry Battalion. Also evaluated by TBS was the family of the sole microfilaremic person found, composed of four individuals and 239 families of current and former neighbors of this patient, with a total of 943 individuals. The entomological survey, for which the methodology of xenomonitoring was adopted, was conducted in an area of the city where they found the microfilaremic person diagnosed during the study. For this, in the residences of microfilaraemic person and his neighbors, 478 engorged female mosquitos of the species Culex quinquefasciatus (Say, 1823) (Diptera: Culicidae) were caught and examined by PCR. No microfilaremia was diagnosed in the hemoscopic surveys conducted among the night school students and soldiers of the Army. Among the employees of the schools just an individual microfilaremic person was diagnosed living in the Benedito Bentes district, locality considered free of lymphatic filariasis, however he was a past resident of the Jacintinho district which is endemic for the disease. The sole microfilaremic found in the study had microfilaremia considered very low (4 mf/mL of blood). The hemoscopic survey conducted among the current neighbors (Benedito Bentes 336 individuals) and the previous neighbors in the endemic area (Jacintinho 607 individuals) did not detect microfilaremia. The entomologic survey revealed that there were no examples of mosquitos with W. bancrofti DNA in the home of the person or the surrounding region. It was demonstrated that the sole microfilaremic person, that lived in a non-endemic area for 10 years, could not be epidemiologically important as a source of infection (reservoir) possibly due to his low level of microfilaremia. These results, associated with recently released data that report a significant reduction of the disease in endemic areas of the city, suggests that there is no transmission of Bancroftian lymphatic filariasis in the city of Maceio. / A filariose linfática bancroftiana é uma doença parasitária, negligenciada, conhecida popularmente como elefantíase, devido a uma de suas manifestações clínicas crônicas. É uma enfermidade antroponótica, provocada por um helminto nematóide da espécie Wuchereria bancrofti (Cobbold, 1877) (Spirurida: Onchocercidae). A bancroftose ocorre em 83 países, localizados em regiões tropicais e subtropicais e é considerada pela Organização Mundial da Saúde como a segunda causa mundial de incapacidade para o trabalho. Com o objetivo de verificar a atual distribuição da filariose linfática em Maceió, tendo como base estudos anteriores, foram realizados na cidade inquéritos hemoscópicos e entomológico. Os Inquéritos hemoscópicos foram realizados utilizando a gota espessa de sangue (GE), em uma amostra aleatória de 20.025 escolares noturnos, matriculados em 143 escolas públicas que abrangem os 50 bairros da cidade; em uma amostra de 1.418 funcionários do período noturno das mesmas escolas públicas e 546 militares do 59º Batalhão de Infantaria Motorizada do Exército Brasileiro. Também foram avaliadas por GE, a família do único microfilarêmico encontrado, composta por quatro indivíduos e 239 famílias de atuais e antigos vizinhos deste paciente, com um total de 943 indivíduos. O inquérito entomológico, para o qual se adotou a metodologia de xenomonitoramento, foi realizado em uma área da cidade onde se detectou o único paciente microfilarêmico diagnosticado durante o estudo. Para isto, foram capturadas nas residências do microfilarêmico e de seus vizinhos, e examinadas pela PCR, 478 fêmeas ingurgitadas de mosquitos da espécie Culex quinquefasciatus (Say, 1823) (Diptera: Culicidae). Nos inquéritos hemoscópicos realizados entre os escolares noturnos e militares do Exército não foi diagnosticado nenhum microfilarêmico. Entre os funcionários das escolas foi diagnosticado apenas um indivíduo microfilarêmico residente no bairro Benedito Bentes, localidade considerada indene para filariose linfática na cidade, porém o parasitado era antigo residente do bairro Jacintinho, endêmico para a enfermidade. O único microfilarêmico detectado no estudo apresentou microfilaremia considerada muito baixa (4 mf/mL de sangue). O inquérito hemoscópico realizado entre os atuais vizinhos (Benedito Bentes 336 indivíduos) e os antigos vizinhos de área endêmica (Jacintinho 607 indivíduos) não detectou microfilarêmicos. O inquérito entomológico revelou que não havia exemplares de mosquitos com DNA de W. bancrofti na residência do microfilarêmico e na sua região circunvizinha. Verificou-se que o único microfilarêmico, que residia há 10 anos na área indene, não possuía importância epidemiológica como fonte de infecção (reservatório) possivelmente devido a sua baixa microfilaremia. Estes resultados, associados a dados recentemente divulgados, que relatam diminuição significativa da prevalência da enfermidade na área endêmica da cidade, sugere que não está havendo transmissão da filariose linfática bancroftiana na cidade de Maceió.
10

Aspectos epidemiológicos da filariose linfática bancroftiana em antiga áreaendêmica da cidade de Salvador, estado da Bahia / Epidemiological aspects of lymphatic filariasis in the old bancroftian endemic area of the city of Salvador state of Bahia

Alves, Veronica de Medeiros 13 December 2010 (has links)
The lymphatic filariasis, a disease known as elephantiasis in one of its chronic manifestations, is caused by a helminth nematodes species of Wuchereria bancrofti (Cobbold, 1877) that just parasite to human. It is transmitted by mosquitoes of the Culex quinquefasciatus (Say, 1823), with haematophagic nocturnal habit, which coincides with the peak of microfilariae in peripheral blood of the host. It is considered the second leading cause of the disability worldwide to work, to cause physical weakness, social stigma and economic loss. Is distributed in tropical and subtropical regions, present in 83 countries in Asia, Africa, Americas and Oceania, where an estimated 120 million in those infected. In Brazil, the areas considered at risk are the state of Pernambuco (Recife, Olinda, Jaboatão and Paulista), state of Alagoas (Maceió) and state of Pará (Belém), while the latter two cities with the foci of transmission interrupted. Salvador, capital of Bahia state, is considered the oldest focus of Bancroftian filariasis in Brazil. The first epidemiological survey conducted in the city to study the distribution of Wuchereria bancrofti was made in 1878, when 309 individuals were examined in 26 (8.4%) were found microfilariae in the blood. The last survey conducted in 1966 documented the prevalence found in the neighborhood Uruguay of 6.24%. Since then no study was conducted to evaluate the transmission of lymphatic filariasis in Salvador, the focus being considered extinct without any confirmation of the disposal of its transmission. The World Health Organization (WHO) established in 1997, the elimination of lymphatic filariasis in the world by the year 2020. In Brazil, in order to achieve this goal was established in 1997 in conjunction with the National Health Foundation, Research Institutes, Federal University of Alagoas and Health Departments of endemic areas, the National Plan to Eliminate Lymphatic Filariasis. Among the activities planned include the reassessment of epidemiological outbreaks considered extinct. This study aimed to evaluate the distribution of lymphatic filariasis endemic area in the old city of Salvador, Bahia (district and adjacent Uruguay). For this, we carried out the investigation in haemoscopic 11.324 students in the night time, finding no microfilaraemic; 663 employees and their families also underwent the examination of haemoscopia, not being found any microfilaraemic; researched is circulating antigens of W. bancrofti in 510 children aged 6 to 10 years of age through the immunochromatography test - ICT card, where no antigenemia was not identified; and determined the vector infection xenomonitoramento by using the technique of polymerase chain reaction, with the collection of 23.580 female mosquitoes of Culex quinquefasciatus that were engorged and resting inside houses. This analysis was not detected the presence of the DNA from W. bancrofti in these mosquitoes. These findings support that the elimination of the lymphatic filariasis transmission in the former endemic area of Salvador, Bahia and no expansion of lymphatic filariasis in areas adjacent to the old focus of Salvador. / A Filariose linfática (FL), doença conhecida como elefantíase em uma de suas manifestações crônicas, é provocada por um helminto Nematoda da espécie Wuchereria bancrofti (Cobbold, 1877) que parasita exclusivamente o ser humano. Sua transmissão ocorre através de mosquitos da espécie Culex quinquefasciatus (Say, 1823), com hábito hematofágico noturno que coincide com o pico das microfilárias no sangue periférico do hospedeiro. Considerada a segunda causa mundial de incapacidade para o trabalho, provoca debilidade física, estigma social e perdas econômicas. Encontra-se distribuída em regiões tropicais e subtropicais, estando presente em 83 países da Ásia, África, Américas e Oceania, onde são estimados em 120 milhões os infectados. No Brasil as áreas consideradas de risco localizam-se no Estado de Pernambuco (Recife, Olinda, Jaboatão e Paulista), no Estado de Alagoas (Maceió) e no Estado do Pará (Belém), estando as duas últimas cidades com os focos de transmissão interrompidos. Salvador, capital do Estado da Bahia, é considerado o mais antigo foco de bancroftose no Brasil. O primeiro inquérito epidemiológico realizado na cidade, para estudar a distribuição da Wuchereria bancrofti foi feito em 1878, quando foram examinados 309 indivíduos e em 26 (8,4%) foram encontrados microfilárias no sangue. No último inquérito documentado realizado nessa cidade, em 1966, a prevalência encontrada no bairro Uruguai foi de 6,24%. Desde então nenhum estudo foi realizado para avaliar a transmissão da FL em Salvador, sendo o foco considerado extinto sem que houvesse confirmação da eliminação de sua transmissão. A Organização Mundial de Saúde (OMS) estabeleceu em 1997, a eliminação da Filariose linfática no mundo até o ano de 2020. No Brasil, a fim de atingir essa meta foi elaborado, em 1997, em conjunto com a Fundação Nacional de Saúde, Instituições de Pesquisa, Universidade Federal de Alagoas e Secretarias de Saúde de áreas endêmicas, o Plano Nacional para Eliminação da Filariose Linfática. Entre as atividades previstas inclui-se a reavaliação epidemiológica dos focos considerados extintos. Baseando-se nesse princípio, este trabalho tem como objetivo apresentar a distribuição da FL na antiga área endêmica da cidade de Salvador/Estado da Bahia (bairro Uruguai e adjacências). Para isto, realizou-se o inquérito hemoscópico em 11.324 escolares do período noturno, não encontrando nenhum microfilarêmico; 663 funcionários e seus familiares também realizaram o exame da hemoscopia, não sendo encontrado nenhum microfilarêmico; pesquisaram-se antígenos circulantes de W. bancrofti em 510 crianças de 6 a 10 anos de idade através do teste da imunocromatografia ICT card, não sendo identificado nenhuma antigenemia; e avaliou-se a infecção vetorial por xenomonitoramento, através da técnica da Reação em Cadeia da Polimerase, com a coleta de 23.580 mosquitos fêmeas da espécie Culex quinquefasciatus que se encontravam ingurgitados e pousados dentro das residências. Nessa análise não foi detectado a presença de DNA de W. bancrofti nesses mosquitos. Esses resultados comprovam a eliminação da transmissão da FL na antiga área endêmica de Salvador e a não expansão da FL para áreas contíguas ao antigo foco de Salvador.

Page generated in 0.0489 seconds