• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 222
  • 1
  • Tagged with
  • 226
  • 226
  • 117
  • 109
  • 78
  • 77
  • 74
  • 68
  • 64
  • 63
  • 55
  • 46
  • 44
  • 44
  • 41
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
41

Proposta de protocolo admissional à equipe de enfermagem sobre o uso de medidas de precaução de contato /

Santos, Julielen Salvador dos. January 2013 (has links)
Orientador: Ione Corrêa / Banca: Silvana Denofre Carvalho / Banca:Maria de Lourdes da Silva Marques Ferreira / Resumo: O desenvolvimento de estratégias para o controle de infecção nos serviços de saúde é de extrema importância e a não utilização das medidas de precauções padrão e precauções de isolamento (gotículas, aerossóis e contato) favorecem a disseminação de microrganismos multirresistentes. A precaução de contato visa impedir a disseminação de microrganismos por contato direto ou indireto e sempre deve estar associada às precauções padrão. Assim, essa pesquisa tem por objetivo elaborar um protocolo admissional à equipe de enfermagem para aumentar o uso das medidas de precauções de contato. Participaram deste estudo 106 alunos de graduação do Curso de Enfermagem de 03 (três) Universidades no Interior do estado de São Paulo, sendo 02 (duas) privadas e 01 (uma) pública. Os resultados encontrados foram comparados com artigos já publicados sobre o tema. Foram considerados os materiais disponíveis nas bases de dados bibliográficos: Literatura Internacional em Ciências da Saúde (Medline), Scientific Eletronic Library Online (Scielo), Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (Lilacs) e Cochrane Library, nos idiomas português e inglês, o período das publicações compreende entre 1999 a 2012. As respostas receberam a caracterização de adequada, parcialmente adequada e inadequada, segundo categoria de acertos e erros. Houve o predomínio do sexo feminino, com 86,25% e faixa etária entre 20 e 29 anos. Em relação à definição de precaução de contato e as doenças que exigem o uso das medidas de prevenção, a maioria dos graduandos respondeu parcialmente adequada; 93,67% e 44,87%, respectivamente. Ao serem indagados sobre as medidas a serem utilizadas durante a assistência prestada ao paciente em precaução de contato a maioria dos graduandos respondeu adequadamente (91,03%). No que se refere às dificuldades encontradas na utilização dessas medidas, foram citados ... / Abstract: Developing strategies for infection control in the healthcare setting is extremely important and the lack of standard precautions and isolation precautions (droplets, aerosols, and contact) favors the dissemination of multidrug-resistant microorganisms. Contact precautions aim at preventing the spread of microorganism through direct or indirect contact and must always be associated with standard precautions. Thus, this research aims at developing an admittance protocol to the nursing staff to increase the use of contact precautions. This study includes 106 undergraduate students of Nursing undergraduate course from 03 (three) universities located in the State of São Paulo: 02 (two) of them are private universities and 01 (one) is public. The results were compared with previously published articles on the subject. The following bibliographic databases were considered: Medical Literature Analysis and Retrieval System Online (MEDLINE), Scientific Electronic Library Online (Scielo), Latin American and Caribbean Health Science Literature Database (LILACS), and Cochrane Library, in Portuguese and English; the study includes publications from 1999 to 2012. According to the division of right and wrong, the answers were considered appropriate, partially appropriate, and inappropriate. Most (86.25%) of the respondents were women in the age group of 20-29 years. Regarding the definition of contact precautions and diseases which require the use of preventive measures, most of the students answered partially appropriate (93.67% and 44.87%, respectively). In respect to the measures to be used during the care provided to patients on contact precautions, most students answered appropriately (91.03%). With regard to the difficulties in using such measures, students answered discomfort, lack of material or personnel, and time. Regarding literature review, the study selected 19 publications on the subject - 14 publications include ... / Mestre
42

Epidemiologia, clínica e evolução de recém-nascidos com sífilis congênita

Vaccari, Alessandra January 2011 (has links)
Made available in DSpace on 2013-08-07T19:07:05Z (GMT). No. of bitstreams: 1 000433016-Texto+Completo-0.pdf: 932415 bytes, checksum: 4c3a5d75ecc91437ffa82559d67ea24c (MD5) Previous issue date: 2011 / OBJECTIVE: To study the epidemiology, clinical aspects and outcome of children who were diagnosed with congenital syphilis and treated in the neonatal period, as well as those whose mothers had gestational syphilis and were treated during pregnancy. METHODS: The sample of convenience was comprised of all live newborns whose mothers were seropositive for syphilis during pregnancy and/or delivery, born at the Hospital São Lucas da PUCRS (HSL) between may 1997 to december 2004. Additionally, we included infants with congenital syphilis from other hospitals. During the study period, all patients were referred for routine follow-up at the Congenital Infections Clinic of HSL. To assess the nutrition, we calculated the percentage of the median for the final weight for each patient, taking as reference the weight-for-age graphs of the World Health Organization. Data were collected prospectively, entered and analyzed using Epi Info, version 3. 4. The results were expressed as frequencies. Chi-square (or Fisher exact test when indicated) for associations, and Mann-Whitney/Wilcoxon to compare means were also used. The level of significance was P <0. 05.RESULTS: During the study period there were 24,920 live births in HSL and 499 mothers were diagnosed with syphilis. In 120 cases the mothers had received adequate treatment for syphilis before delivery (MS group). In the same period, 379 newborn infants met the criteria for case definition of congenital syphilis (CS-HSL group). The prevalence of congenital syphilis was 15,2 cases per 1000 live births (95% CI 14-17/1000). Other 19 newborns with syphilis, born in other hospitals, were sampled, totaling 398 patients with congenital syphilis (CS group). Thus, the total study sample included 518 patients. In the CS-HSL group 5. 0% of the newborns had a gestational age below 34 weeks, compared to 0. 8% in the MS group (p <0. 05). In the CS-HSL group the average birth weight was 2979g (± 632g) and the median birth weight was 3057g (interquartile range 2670-3335g, min. 610g, max. 4870g). In the MS group, the average was 3243g (± 522g) and the median was 3227g (interquartile range 2882-3590g, min. 1830g, max. 4645g) (P <0. 001). Small for gestational age infants were 5/120 (4. 2%) in MS group and 44/379 (11. 6%) in CS-HSL group (P <0. 005). Analyzing only patients of CS-HSL group, there was an association between clinical manifestations and preterm birth: OR = 3,0 (95% CI 2,5-6,0). Of the 398 infants with congenital syphilis, 389 were discharged and nine (2,3%) died in the NICU. There was one neonatal death in MS group and two deaths were identified after the neonatal period. Of the 508 patients who were discharged, 256 (50,3%) returned to HSL for at least one visit. To evaluate the growth and the possible sequalae, we selected only patients who could be examined at least at 8 months of age, a total of 120 patients in CS group and 27 in MS group. The median of the percentage of the median for the final weight in the CS group was 102. 5 (interquartile range 92-113, min 52, max 158), and in the MS group it was 108 (interquartile range 103-116, min 85, max 125), P <0,05. Excluding premature infants, the difference remained significant: CS group 103 (interquartile range 94 to 113,5 min 52 max 158) and MS group 109 (interquartile range 104-120, minimum 97, maximum 125), P <0 05. Of the 120 patients in the CS group who were examined at least at 8 months, 16 (13,3%) had some sequelae related to prematurity or syphilis (excluding those who had only low birth weight). None of the 24 patients in MS group had sequelae. P<0,05. To compare the patients with congenital syphilis with and without sequelae in relation to the clinical manifestations in the neonatal period, we included only the 95 that had conclusive investigation. There were clinical manifestations in the neonatal period in 13 (92,9%) of 14 patients with sequelae and in 31 (38,3%) of 81 patients without sequelae. OR = 20,9 (95% CI 2,6-168,3)CONCLUSIONS: The observed associations reflect the high morbidity of congenital syphilis, especially in earlier pregnancy. We conclude that although the current case definition may have an exaggerated sensitivity, it is highly effective in identifying the newborns who had no chance of being infected and those at risk for congenital syphilis, who should not be discharged without treatment. Despite the low return rate, the study showed that congenital syphilis is still a disease of major impact, causing prematurity, low birthweight, neonatal deaths, severe and irreversible sequelae in infants who survived, and sequelae are more frequent in newborns whose treatment began later. Moreover, most newborns with congenital syphilis, even with clinical manifestations in the neonatal period, respond very well to treatment started early, progressing satisfactorily, provided that they meet the basic environmental conditions for their growth and development. / OBJETIVO: Estudar a epidemiologia, os aspectos clínicos e a evolução de crianças que tiveram diagnóstico de sífilis congênita e receberam tratamento no período neonatal, assim como daquelas cujas mães tiveram sífilis gestacional e foram tratadas durante a gestação.MÉTODOS: A amostra, de conveniência, foi composta por todos os recém-nascidos vivos cujas mães tinham sorologia positiva para sífilis na gestação e/ou no parto, nascidos no Hospital São Lucas da PUCRS (HSL) no período de maio de 1997 a dezembro de 2004. Adicionalmente, foram incluídos recém-nascidos com sífilis congênita provenientes de outros hospitais. No período do estudo, todos os pacientes foram encaminhados para acompanhamento de rotina no Ambulatório de Infecções Congênitas do HSL. Para avaliar a nutrição, calculamos a percentagem da mediana do peso final para cada paciente, tomando como referência os gráficos de peso sobre idade da Organização Mundial da Saúde. Os dados foram coletados prospectivamente, digitados e analisados no Epi Info, versão 3. 4. Os resultados foram expressos em frequências percentuais e também foram utilizados os testes Qui-quadrado (ou exato de Fisher quando indicado) para associações e o Mann-Whitney/Wilcoxon para comparação entre médias. O nível de significância adotado foi P<0,05.RESULTADOS: No período do estudo ocorreram 24. 920 partos de recém-nascidos vivos no HSL e 499 mães tiveram diagnóstico de sífilis. Em 120 casos as mães haviam recebido tratamento correto para sífilis antes do parto (grupo SM). No mesmo período, 379 nascidos vivos preencheram os critérios de definição de caso de sífilis congênita (grupo SC-HSL) A prevalência de sífilis congênita foi de 15,2 casos por 1000 nascidos vivos (IC 95% 14-17/1000). Mais 19 casos de recém-nascidos com sífilis, procedentes de outros hospitais, foram incluídos na amostra, somando 398 pacientes com sífilis congênita (grupo SC). Assim, a amostra total do estudo incluiu 518 pacientes. No grupo SC-HSL 5,0% dos recém-nascidos tinham idade gestacional inferior a 34 semanas, em comparação a 0,8% no grupo SM (p<0,05). No grupo SC-HSL a média do peso de nascimento foi de 2979g (±632g) e a mediana foi 3057g (amplitude interquartil 2670-3335g, mín. 610g, máx. 4870g). No grupo SM a média foi de 3243g (±522g) e a mediana foi 3227g (amplitude interquartil 2882-3590g, mín. 1830g, máx. 4645g) (P<0,001). Os pequenos para a idade gestacional foram 5/120 (4,2%) no grupo SM e 44/379 (11,6%) no grupo SC-HSL (P<0,005). Analisando-se apenas os pacientes do grupo SC-HSL, houve associação entre presença de manifestações clínicas e prematuridade: OR=3,0 (IC 95% 2,5-6,0). 11 Dos 398 recém-nascidos com sífilis congênita, 389 tiveram alta e 9 (2,3%) foram a óbito na UTI Neonatal. Ocorreu um óbito neonatal no grupo SM e foram identificados dois óbitos após o período neonatal. Dos 508 pacientes que tiveram alta, 256 (50,3%) retornaram ao HSL para pelo menos uma consulta. Para avaliar o crescimento e as possíveis sequelas, selecionamos apenas os pacientes que puderam ser examinados com pelo menos 8 meses de idade, perfazendo 120 pacientes do grupo SC e 27 do grupo SM.A mediana da percentagem da mediana do peso final no grupo SC foi 102,5 (amplitude interquartil 92-113, mín 52, máx 158) e no grupo SM foi 108 (amplitude interquartil 103-116, mín 85, máx 125); P<0,05. Excluindo-se os prematuros, a diferença continuou significativa: grupo SC 103 (amplitude interquartil 94-113,5 mín 52, máx 158) e grupo SM 109 (amplitude interquartil 104-120, mínimo 97, máximo 125); P<0,05. Dos 120 pacientes do grupo SC que foram examinados com pelo menos 8 meses, 16 (13,3%) apresentavam alguma sequela relacionada com a sífilis ou com a prematuridade (excluindo-se os que apresentavam apenas baixo peso). Nenhum dos 24 pacientes do grupo SM apresentava sequelas; P<0,05. Para comparar os 120 pacientes com sífilis congênita entre os com e sem sequelas em relação ao quadro clínico inicial (no período neonatal), incluímos apenas os 95 que tiveram quadro clínico conclusivo. Havia manifestações clínicas no período neonatal em 13 (92,9%) dos 14 com sequelas e em 31(38,3%) dos 81 sem sequelas. OR=20,9 (IC95% 2,6-168,3).CONCLUSÕES: As associações encontradas refletem a grande morbidade da sífilis congênita, principalmente nas mais precoces da gestação. Concluimos que a definição de caso atual, embora possa ter uma sensibilidade exagerada, está sendo altamente eficiente em identificar os recém-nascidos que não tem chance de estar infectados e apontar os recém-nascidos em risco de sífilis congênita, que não devem ter alta sem tatamento. Apesar do baixo índice de retorno, o estudo conseguiu mostrar que a sífilis congênita continua sendo uma doença de grande impacto, causando prematuridade, baixo peso, mortes neonatais, sequelas graves e irreversíveis nos recém-nascidos que sobreviveram, e as sequelas são mais frequentes nos recém-nascidos cujo tratamento foi iniciado mais tardiamente. Por outro lado, a maioria dos recém-nascidos com sífilis congênita, mesmo apresentando manifestações clínicas no período neonatal, respondem muito bem ao tratamento iniciado precocemente, evoluindo de forma satisfatória, desde que satisfeitas as condições ambientais básicas para seu crescimento e desenvolvimento.
43

Estratégias de controle da toxoplasmose congênita

Lago, Eleonor Gastal January 2006 (has links)
Made available in DSpace on 2013-08-07T19:07:20Z (GMT). No. of bitstreams: 1 000347388-Texto+Completo-0.pdf: 1857979 bytes, checksum: 98875a0d9c6f342bef2d9bc65c57b825 (MD5) Previous issue date: 2006 / Objectives – The first aim of this study was to determine the prevalence of congenital toxoplasmosis in infants treated by the public health system in Porto Alegre, a city of about 1,500,000 inhabitants in Southern Brazil, through neonatal screening for Toxoplasma gondii-specific IgM. The second aim was to investigate whether the cases of congenital toxoplasmosis detected by this approach would have been identified by the prenatal screening program for toxoplasmosis that had already been implemented for the same population. Methods – A fluorimetric assay was used to analyze Toxoplasma gondii-specific IgM in the same dried blood filter paper specimens obtained from all newborns for routine metabolic diseases screening. When the screening was positive, serum samples from the infant and the mother were requested for confirmatory Toxoplasma gondii serology, and the infant underwent complete clinical investigation. Results – Throughout 2002, 14,398 out of ~20,000 liveborn infants were screened for metabolic diseases in the public health system in Porto Alegre, and 10,000 cards from consecutive infants were examined for Toxoplasma gondii-specific IgM. Seven infants tested positive in filter paper, and congenital toxoplasmosis was confirmed in six of them. Three cases had already been identified at birth, because the mothers were tested at the time of delivery, and one case had already been identified in the maternity ward, before birth. Two cases have been identified solely by the neonatal screening. Conclusions – The prevalence of congenital toxoplasmosis was 6/10,000 (95% CI 2/10,000, 13/10,000). Neonatal screening identified cases of congenital toxoplasmosis undetected by prenatal screening, when maternal serology had not been done at delivery. If not complemented by additional testing at delivery or in the post-delivery period, prenatal screening may be inefficient in detecting toxoplasmosis acquired and transmitted in late pregnancy. Additionally, neonatal screening and maternal serology at delivery were useful in identifying congenital toxoplasmosis when the mother did not receive prenatal care. / Objetivos – O primeiro objetivo deste estudo foi avaliar a prevalência de toxoplasmose congênita em recém-nascidos atendidos na rede pública de saúde de Porto Alegre, cidade de cerca de 1. 500. 000 habitantes, localizada no sul do Brasil, através da triagem neonatal para IgM anti-T. gondii. O segundo objetivo foi verificar se os casos de toxoplasmose congênita identificados por esta metodologia teriam sido detectados pelo programa de triagem pré-natal já implantado na mesma população. Métodos – Foi utilizado um teste fluorimétrico para pesquisar a IgM anti- Toxoplasma gondii em amostras de sangue absorvidas em papel filtro, aproveitando as mesmas amostras rotineiramente obtidas de todos os recém-nascidos para triagem de doenças metabólicas. Quando a triagem era positiva para IgM anti-Toxoplasma gondii, eram solicitadas amostras séricas do lactente e da mãe para sorologia confirmatória, e o lactente era submetido a uma completa investigação clínica. Resultados – Durante o ano de 2002 o teste para IgM foi realizado em 10. 000 recém-nascidos consecutivos. Em sete pacientes o teste foi positivo, e em seis foi confirmada a toxoplasmose congênita. Três casos já haviam sido identificados ao nascimento, pois suas mães haviam sido testadas para toxoplasmose no momento do parto, e um caso havia sido identificado na maternidade, um pouco antes do nascimento. Dois casos de toxoplasmose congênita foram identificados somente pela triagem neonatal. Conclusões – A prevalência de toxoplasmose congênita foi de 6/10. 000 (IC 95%: 2/10. 000-13/10. 000). A triagem neonatal identificou casos de toxoplasmose congênita não detectados pela triagem pré-natal, quando a sorologia materna não havia sido feita no momento do parto. Se não complementada por um teste na hora do parto ou logo após o mesmo, a triagem pré-natal pode ser ineficiente em detectar a toxoplasmose adquirida e transmitida nas últimas semanas da gestação. Adicionalmente, a triagem neonatal e a sorologia materna no momento do parto identificaram casos de toxoplasmose congênita em que a mãe não havia realizado acompanhamento pré-natal.
44

Qualidade de vida e caracteríscticas de personalidade de pessoas que vivem com AIDS

Andreola, Maria Tereza January 2013 (has links)
Made available in DSpace on 2016-11-30T14:53:27Z (GMT). No. of bitstreams: 2 107309_Maria.pdf: 3219195 bytes, checksum: 301e6332a6e5dba01172296b0dc67132 (MD5) license.txt: 214 bytes, checksum: a5b8d016460874115603ed481bad9c47 (MD5) Previous issue date: 2013 / Este estudo enfoca a relação sobre a percepção da Qualidade de vida e características de personalidade de pessoas que vivem com Aids. Tendo em vista o advento da Terapia Antirretroviral e a cronicidade da infecção, é consequencial pensar na problemática de promover, além de mais anos, uma vida com qualidade para essas pessoas. Objetivo: avaliar a associação entre Qualidade de vida e características de personalidade de pessoas que vivem com Aids, acompanhadas no Ambulatório do Hospital Nereu Ramos do município de Florianópolis, Santa Catarina. Método: foi realizado um estudo transversal entre os meses de agosto a dezembro de 2012, envolvendo uma amostra de 80 indivíduos encaminhados pelos médicos assistentes do ambulatório. Para caracterização da Qualidade de vida foi utilizado o Instrumento de Avaliação da Qualidade de Vida para pessoas com Infecção por HIV da Organização Mundial de Saúde (WHOQOL-HIV bref); para identificação das características de personalidade foram utilizados a Bateria Fatorial de Personalidade (BFP) e o Teste dos Seis Desenhos (T6D). Resultados: foram encontradas relações significativas entre pior ou menor percepção da Qualidade de Vida e características de personalidade no fator Neuroticismo (p=0,001), e nas facetas Instabilidade Emocional (p<0,001) e Depressão (p<0,001). Em relação à BFP e ao T6D foram encontradas associações significativas com índice alto e muito alto no fator Neuroticismo (p=0,024) e a faceta Depressão (p=0,007) com a tendência à Autossabotagem. Nas variáveis sociodemográficas, clínicas e laboratoriais foram encontradas associações com pior ou menor percepção da Qualidade de Vida com menor grau de instrução (p=0,022), sem atividade laboral (p=0,042), baixa contagem de células TCD4+ (p=0,043) e carga viral detectável (p=0,016). As variáveis atividade laboral (p=0,028) e usuários de droga (p=0,008) estão associadas com alto grau no fator Neuroticismo. Conclusão: existe associação com pior ou menor percepção da Qualidade de Vida e características de personalidade, principalmente com o estado de depressão que expressa um modelo comportamental e emocional do Eu aprendido na primeira infância. / This study focused on the relationship between the perceived quality of life and personality traits of people living with Aids. Since the advent of HAART and chronicity of the HIV-infection, people should be able to add years to their lives and enhance the quality. Objective: This study was intended to assess the association between quality of life and personality traits of people living with Aids. Participant patients were monitored at the outpatient center of Hospital Nereu Ramos in Florianópolis, State of Santa Catarina, Brazil. Method: A cross-sectional study was conducted between August and December 2012, including a sample of 80 individuals referred by attending physicians of the outpatient center. Assessment of quality of life was performed using the Quality of Life for People with HIV Infection of the World Health Organization (WHOQOL-HIV Bref). The Personality Factor Battery and the Six Drawing Test were used to identify the personality traits. Results: Significant relationships were found between poor or low perception of quality of life and personality traits in the neuroticism factor (p=.001), and between the facets of emotional instability (p<.001) and depression (p<.001). With regard to the personality factor battery and the projective drawing test, relevant associations were found. There were high and very high rating scores in the neuroticism factor (p=.024) and depression facet (p=.007), with a tendency towards self-sabotage. In the sociodemographic, clinical and laboratory variables, poor or low perception of quality of life was found to be associated with poor education (p=.022), lack of occupation (p=.042), low CD4+ T-cell count (p=.043) and detectable viral load (p=.016). The variables occupation (p=.028) and drug users (p=.008) were associated with high scores in the neuroticism factor. Conclusion: There was association between poor or low perception of quality of life and personality traits, especially with the state of depression that expresses a behavioral and emotional model of the self-concept developed during early childhood.
45

Perfil sociodemográfico, clínico e epidemiológico das crianças internadas em um Hospital Universitário em Belém-Pará

Loureiro, Cláudia Regina Navas Pereira, 92-91467114 08 October 2012 (has links)
Submitted by Divisão de Documentação/BC Biblioteca Central (ddbc@ufam.edu.br) on 2017-08-15T14:34:56Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 0 bytes, checksum: d41d8cd98f00b204e9800998ecf8427e (MD5) Dissertação -Claudia Regina Loureiro.pdf: 740121 bytes, checksum: 03e59fd57e4ab2720b900d3992152b5e (MD5) / Approved for entry into archive by Divisão de Documentação/BC Biblioteca Central (ddbc@ufam.edu.br) on 2017-08-15T14:35:17Z (GMT) No. of bitstreams: 2 license_rdf: 0 bytes, checksum: d41d8cd98f00b204e9800998ecf8427e (MD5) Dissertação -Claudia Regina Loureiro.pdf: 740121 bytes, checksum: 03e59fd57e4ab2720b900d3992152b5e (MD5) / Approved for entry into archive by Divisão de Documentação/BC Biblioteca Central (ddbc@ufam.edu.br) on 2017-08-15T14:35:32Z (GMT) No. of bitstreams: 2 license_rdf: 0 bytes, checksum: d41d8cd98f00b204e9800998ecf8427e (MD5) Dissertação -Claudia Regina Loureiro.pdf: 740121 bytes, checksum: 03e59fd57e4ab2720b900d3992152b5e (MD5) / Made available in DSpace on 2017-08-15T14:35:32Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 0 bytes, checksum: d41d8cd98f00b204e9800998ecf8427e (MD5) Dissertação -Claudia Regina Loureiro.pdf: 740121 bytes, checksum: 03e59fd57e4ab2720b900d3992152b5e (MD5) Previous issue date: 2012-10-08 / CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior / This study had for objective to describe the clinical and epidemic profile of the clientele of the pediatric clinic of the João de Barros Barreto Academical Hospital in the period of August to November of 2012. The conceptual bases are of the epidemiology and of the pediatric nursing. It is a study of the observational and descriptive type, of traverse cut, with analysis the light of the descriptive statistics methods, which guide the description and the presentation in tables. The place of the research was the João de Barros Barreto Academical Hospital. In the study they were researched 97 handbooks of children interned in writing by consent of your responsible. The obtained data were tabulated through the program Microsoft Excel and the whole statistical processing took place under the support computational of the software Epi-info, being the results presented in tables and critical analysis of the results. The results: the companion's responsible and/or sex that prevailed was the feminine with 89,69% (87), and 87,6% (85) they were the mothers. With relationship to the patients' sex that you/they interned, 53,6% (52) of the internments they were children of the masculine sex; the age group between an and five years with 38,10% (37). With relationship to the pathologies found in AIHs, the prevalence of the visceral leishmania was observed, with 16,49% (16) followed by the pneumonia with 15,46% (15) and the bacterial meningitis with 11,34% (11) cases. In relation to the time of internment, it was verified that 39,77% of the children stayed interned by a period understood among seven to fourteen days. The investigation demonstrates the all it is important the knowledge of the data of the child's clinical and epidemic profile for the nursing and for the hospital administration, because to leave of those results the male nurse he/she can plan an appropriate care for child, as well as the accompaniment in the clinic, since 60,4% (58) of the children they received high for us to give continuity to the ambulatory treatment. / Este estudo teve por objetivo descrever o perfil clínico e epidemiológico da clientela da clínica pediátrica do Hospital Universitário João de Barros Barreto no período de agosto a novembro de 2012. As bases conceituais são da epidemiologia e da enfermagem pediátrica. Trata-se de um estudo do tipo observacional, descritivo, de corte transversal, com análise a luz dos métodos da estatística descritiva, os quais orientam a descrição e a apresentação em tabelas. O local da pesquisa foi o Hospital Universitário João de Barros Barreto. No estudo foram pesquisados 97 prontuários de crianças internadas mediante consentimento por escrito de seu responsável. Os dados obtidos foram tabulados através do programa Microsoft Excel e todo o processamento estatístico se realizou sob o suporte computacional do software Epi-info, sendo os resultados apresentados em tabelas e análise crítica dos resultados. Os resultados: o sexo do acompanhante e/ou responsável que predominou foi o feminino com 89,69% (87), sendo que 87,6% (85) eram as mães. Quanto ao sexo dos pacientes que internaram, 53,6% (52) das internações eram crianças do sexo masculino; a faixa etária entre um e cinco anos com 38,10% (37). Quanto às patologias encontradas nas AIHs, observou-se o predomínio da leishmaniose visceral, com 16,49% (16) seguida da pneumonia com 15,46% (15) e a meningite bacteriana com 11,34% (11) casos. Em relação ao tempo de internação, verificou-se que 39,77% das crianças permaneceram internadas por um período compreendido entre sete a quatorze dias. A investigação demonstra o quanto é relevante o conhecimento dos dados do perfil clínico e epidemiológico da criança para a enfermagem e para a gestão hospitalar, pois a partir desses resultados o enfermeiro poderá planejar um cuidado apropriado para criança, assim como o acompanhamento no ambulatório, já que 60,4% (58) das crianças receberam alta para darem continuidade ao tratamento ambulatorial.
46

Estudo microbiológico simultâneo do escarro dessalivado e da saliva em pacientes com doença pulmonar infecciosa

Chaves, Marcus Silvane Sanchez January 2008 (has links)
O tratamento das infecções do trato respiratório inferior – em especial as pneumonias adquiridas na comunidade – fundamenta-se em critérios clínico-radiológicos, de acordo com consensos e publicações sobre o assunto. A valorização diagnóstica do exame bacteriológico do escarro nessas infecções tem se mostrado controversa, esbarrando em diversos obstáculos, entre eles o fato de o material transitar pela orofaringe e boca, sofrendo a contaminação por microorganismos residentes nessas estruturas. No presente estudo procurou-se verificar se era possível identificar a flora bacteriana envolvida em infecções bronco-pulmonares de indivíduos adultos, diferenciando-a daquela presente nas estruturas supra-glóticas, particularmente na boca, examinando-se simultaneamente o escarro “dessalivado”, cuidadosamente obtido e processado, e a saliva. Nos períodos 1995-1997 e 2005-2007 foram estudados 164 pacientes adultos, 80 homens e 84 mulheres, com idades entre 22 e 92 anos (média de 57 anos), todos com escarro purulento, e evidências clínicas e radiográficas de infecção do trato respiratório inferior. Casos de tuberculose e de micose foram excluídos. De cada um desses 164 indivíduos, amostras de escarro foram cuidadosamente colhidas em frascos esterilizados. Com uma alça de platina, recolhia-se um grumo do material purulento, o qual, após ser arrastado pela margem de uma lâmina ou parede do frasco, onde o excesso de saliva ficava retido (“dessalivação” do material), ele era distendido no centro da mesma lâmina e corado (gram), e também cultivado em meio apropriado (ágarsangue). Com outra alça de platina buscava-se, no mesmo frasco, o material não purulento (saliva) que ficava em torno do grumo, o qual era distendido em outra lâmina, e também corado pelo método de gram, e cultivado no mesmo tipo de meio usado para a cultura do material purulento. Os germes identificados e a celularidade encontrada ao exame direto (gram), tanto do grumo de pus (escarro) como da saliva, e os resultados das culturas de ambos os materiais eram registrados. As lâminas foram inicialmente examinadas por algum dos diferentes microbiologistas do Serviço, e finalmente por um único deles (referência). Ao exame direto, os tipos de germes encontrados no escarro (grumo purulento) mostraram-se significativamente diferentes dos que foram vistos na saliva (p < 0,001). No grumo purulento observou-se, em geral, um único ou predominante tipo de bactéria, enquanto que na saliva, contendo células epiteliais, uma flora mista foi mais vezes identificada. A mesma diferenciação, entretanto, não foi observada nas culturas, mais freqüentemente crescendo um mesmo tipo de bactéria em ambos os materiais (Streptococcus sp.), comumente presente em orofaringe e boca. A presença de macrófagos e ausência de células epiteliais foram verificadas quase que exclusivamente no escarro (p < 0,0001), enquanto que polimorfonucleares foram igualmente observados em ambos os materiais. Em conclusão, em indivíduos com infecções pulmonares diversas, o exame direto do escarro adequadamente obtido e processado, “dessalivado”, corado pelo método de gram, e mostrando a presença de macrófagos, pareceu discriminar – de modo superior à cultura – os germes provenientes do trato respiratório inferior. / The treatment of the lower respiratory tract infections – in special community acquired pneumonias – is today based in clinical and radiographic criteria, according to guidelines and publications about the subject. The diagnostic value of the sputum examination in these infections have been considered controversial. Among the several obstacles for its natural acceptance is the fact of the material to transit through pharynx and mouth suffering contamination by resident microorganisms of these structures. The aim of this study was to verify the possibility to identify the bacteriological flora involved in adult pulmonary infections, and differentiate it from those of the upper structures, particularly the mouth, through the simultaneous examination of a valid sample of sputum and saliva. In two periods (1995-1997; 2005-2007), 164 adult patients – 80 males, 84 females; age 22 to 92 years (mean 57) – all with purulent sputum and clinical-radiographic features of a lower respiratory tract infection. Cases of tuberculosis and mycosis were excluded. In sterilized bottles sputum samples were carefully obtained from every of the 164 individuals. With a platinum wire, a bit of purulent portion of the material was token and dragged by the inner surface of the bottle or over the glass slide, until the excess of saliva was reduced (“de-salivation”). The material was then distended on the center of the slide and stained (gram) for microscopic examination, and also cultivated in an appropriate media. From the same sample, saliva near the purulent material was token, fixed, stained (gram), and cultivated. The germs and cell types found at the direct examination and the culture results of both materials (sputum and saliva) were registered. The smears were at first examined by one of different microbiologists of the service, and finally by one of them (reference) in each period of the study. At the bacterioscopy, the germs found in the sputum smears were significantly different of those found in saliva (p < 0.001). There were either one or a predominant type of bacteria in the sputum, whereas in saliva (containing epitelial cells) a mixed flora was often observed. In the cultures, however, the results were others, growing more frequently a type of microorganism in both materials, often Streptococcus sp, germ commonly present in mouth and pharynx. Presence of macrophages and absence of epitelial cells were found almost exclusively in the sputum (p < 0.0001), whereas the inverse were observed in saliva. Polymorphonuclear cells were identified in both materials of all patients. In conclusion, individuals with different pulmonary infections, the direct examination of the properly collected and processed (“dessalived”) purulent sputum , stained by gram method, and with presence of macrophages, seemed indicate – better than the culture – the germs from the lower respiratory tract.
47

Caracterização molecular do genoma completo e parcial do Vírus da Hepatite B em pacientes com infecção crônica

Silva, Luiz Claudio Santana da [UNIFESP] January 2013 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2015-12-06T23:45:57Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2013 / Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) / Introdução: São Paulo e uma das cidades com maior diversidade populacional do mundo. Por causa disso, ela pode apresentar um perfil molecular do HBV diferente do restante do Brasil. Objetivos: Avaliar os genotipos e possiveis recombinantes; mutacoes relacionadas a resistencia aos antivirais, progressao da doenca hepatica e de escape vacinal em pacientes infectados na cidade de São Paulo. Pacientes e Metodos: Foram selecionadas amostras de plasma de 60 pacientes tratados e nao tratados infectados pelo HBV. Foi realizada a amplificacao e sequenciamento do genoma completo, mapeamento de mutacoes, analises filogeneticas para determinacao dos genotipos e deteccao de recombinantes. Resultados: Foram analisados 28 genomas completos e tambem 11 genomas parciais (HBsAg e o dominio de RT). A distribuicao de genotipos foi: A (51,3%), D (25,6%), F (15,4%) e C (7,7%). Mutacoes de resistencia primaria nao foram encontradas, no entanto, mutacoes compensatorias foram encontradas em 43% dos pacientes tratados e 12,5% nos pacientes nao tratados. Foram encontradas mutacoes relacionadas ao escape vacinal e alteracoes na antigenicidade do HBsAg (82%); mutacoes no gene C relacionadas com a progressao da doenca hepatica (85,7%) e delecoes na regiao Pre-S (14%). Conclusoes: A distribuicao de genotipos reflete o contexto historico e social da populacao da cidade de São Paulo, que e composta por imigrantes da Africa, Europa e Asia, e da migracao brasileira, em sua maioria procedente da Regiao Nordeste e Norte do Brasil. A maioria das mutacoes no gene S, que levam a alteracoes da antigenicidade do HBsAg, sao caracteristicas que distinguem os diferentes genotipos, o que poderia explicar a diferencia de antigenicidade entre eles. As Mutacoes A1762T/G1764A e G1896A em pacientes HBeAg positivos e delecoes nos codons de iniciacao na regiao Pre-S podem estar relacionados com populacoes virais nao majoritarias e necessita de mais estudos com as novas tecnologias de sequenciamento / BV UNIFESP: Teses e dissertações
48

Prevalência das doenças periimplantares mucosite e periimplantite . Análise de fatores de risco locais e sistêmicos. Estudo retrospectivo de 1 a 9 anos

Buttendorf, André Ricardo January 2012 (has links)
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Odontologia, Florianópolis, 2012 / Made available in DSpace on 2013-06-25T23:26:16Z (GMT). No. of bitstreams: 1 313275.pdf: 1688390 bytes, checksum: 01dfa120b2694b6c11f95f2e8f4480b9 (MD5) / Objetivo : Determinar a prevalência de doenças periimplantares; mucosite e periimplantite, nos pacientes do Centro de Estudos de Educação Continuada em Implantodontia da Universidade Federal de Santa Catarina. Além disso, foi estudada a proporção de implantes afetados. Foi avaliada também a associação de fatores de risco, com as doenças periimplantares, como: Idade; Sexo; Tabaco; Tempo de prótese em função; Localização do implante; Quantidade de mucosa ceratinizada periimplantar. Materiais e Métodos: Um estudo transversal foi realizado em 200 pacientes com 760 implantes hexágono externo apresentando próteses com pelo menos 1 ano de tempo de carregamento (intervalo: 1-09 anos). Profundidade de sondagem, presença de sangramento à sondagem e supuração foram os dados clínicos coletados. Radiografias foram obtidas para avaliar o nível da crista óssea ao redor dos implantes. Mucosite foi definida como uma profundidade de sondagem ? 4 mm com sangramento a sondagem, ao redor do implante, com perda óssea < 2mm. A periimplantite foi definida como uma profundidade de sondagem > 4 mm, associado com sangramento e/ou supuração, e perda óssea ? 2mm. Resultados: Cento e trinta e nove (69%) pacientes apresentavam todos os implantes saudáveis, 46 (23%) pacientes apresentaram ao menos 1 implante com mucosite peri-implantar e 15 (8%) apresentaram peri-implantite. Quinhentos e quarenta e sete (72%) implantes saudáveis, 161 (21%) com mucosite priimplantar e 62 (7%) com periimplantite. Fumo e a quantidade de mucosa ceratinizada se mostraram positivos na relação com as doenças periimplantares. Conclusões: De acordo com os resultados, conclui-se que a prevalência da mucosite peri-implantar foi de 23% e de periimplantite foi 8%. Dos fatores associados estudados, somente o fumo e a quantidade de mucosa ceratinizada < 2mm se mostraram positivos na relação com as doenças periimplantares.<br> / Abstract : Aim: Determine the prevalence of peri-implant diseases; mucositis and periodontitis, of patients from the Center of Studies of Continuing Education in Implant Dentistry of the Federal University of Santa Catarina. In addition, the extension (the proportion of affected implants) was studied. Evaluate the relationship between specific factors (age, sex, smoking, time of prosthesis in function, implant location, and quantity of peri-implant keratinized mucosa) and peri-implant diseases. Materials and Methods: A cross-sectional study was carried out in 200 patients with 760 external-hexed cylindrical implants presenting implant supported prosthesis with at least 1 year of loading time (range: 1-09 years) were included. The probing depth, the presence of bleeding on probing and suppuration were collected. Radiographs are required to evaluate supporting bone levels around implants. Peri-implant mucositis was considered when the probing depth was of ? 4mm with presence of BOP around an implant presenting < 2 mm of bone loss. Peri-implantitis was defined when showing PD of ?4mm, associated with BOP and/or suppuration, and bone loss ? 2mm. Results: One hundred thirty-nine (69%) patients presenting all implants healthy, 46 (23%) patients presented peri-implant mucositis and 15 (8%) presented peri-implantitis. Five hundred and forty-seven (72%) healthy implants, 161(21%) with peri-implant mucostitis and 62 (7%) with peri-implantitis. Conclusions: According to the results, it is concluded that the prevalence of mucositis peri-implant was 23% and peri-implantitis to 8%. Only smoking and quantity of peri-implant KM < 2mm showed positive association with peri-implant diseases.
49

Os caminhos e descaminhos da vigilância das doenças transmissíveis no Brasil

Quaresma, Silvia Jurema Leone January 2012 (has links)
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Sociologia Política, Florianópolis, 2012 / Made available in DSpace on 2013-06-25T20:13:34Z (GMT). No. of bitstreams: 1 315202.pdf: 6842959 bytes, checksum: a1a4e4f4e018d5481ed08ad07ad29551 (MD5) / Nesta tese valemo-nos de uma dualidade de métodos (pesquisa bibliográfica, com ênfase numa revisão histórica, e estudo de caso, na forma como é realizado nas Ciências Sociais); utilizamos diferentes fontes de dados; e também, entrevistas realizadas com uma tríade de profissionais, quais sejam, alguns sanitaristas/pesquisadores que atuaram na saúde pública do Brasil entre as décadas de 1960-1990, um técnico do setor de vigilância epidemiológica de SC e alguns profissionais das unidades de vigilância epidemiológica, ambiental e sanitária do município de pesquisa, para atingir o seguinte objetivo: analisar qualitativamente as trajetórias das políticas e das instituições que estavam relacionadas à vigilância das doenças transmissíveis no Brasil no período anterior a década de 1990 e posterior a esta; identificando os possíveis elementos remanescentes que estruturam essas políticas hoje; analisando as fragilidades da descentralização do setor da saúde, segundo a percepção de alguns sanitaristas/pesquisadores; e avaliando como um município de Santa Catarina está absorvendo todas as mudanças ocorridas na saúde com relação à municipalização das ações e serviços da vigilância das doenças transmissíveis. Ao longo dos capítulos da tese foi possível verificar que desde a chegada da Família Real, em 1808, as políticas de saúde no Brasil foram marcadas pela inauguração de vários órgãos (SESP, FSESP, DENERU, SUCAM, FUNASA) que podem ser considerados como instrumentos de combate às doenças transmissíveis. Todos esses órgãos foram se transformando de acordo com os problemas emergenciais na saúde pública e também conforme o momento político vigente no país que ora impunha a centralização e ora estabelecia a descentralização do setor da saúde. A partir da década de 1990, com a inauguração de um novo modelo descentralizado de política de saúde, houve a recapitulação da competência dos entes federados ficando os serviços e ações destinados à vigilância das doenças transmissíveis para os municípios. Essas mudanças, por um lado, proporcionaram aspectos positivos para os municípios, uma vez que, esses passaram a ter maior autonomia em relação as suas demandas em saúde; houve uma normatização em relação ao repasse de recursos para a Vigilância em Saúde; bem como, suscitou um maior investimento em capacitação dos profissionais que atuam nas unidades de Vigilância em Saúde municipais e com isso ocorreu a desmonopolização do conhecimento da Epidemiologia e controle de doenças; sucedeu também um grande avanço no processamento e agilidade das informações provenientes da notificação de doenças e investigação epidemiológica que devem ser registradas no SINAN oportunizando vários tipos de análise da situação de saúde da população seja em nível local, estadual ou ainda federal. Por outro lado, ainda há vários problemas a serem superados como, por exemplo, a falta de aparelhamento dos municípios frente às novas responsabilidades que acabam acentuando uma grande diversidade de níveis de organização setorial no país; a carência de profissionais de nível superior capacitados, inclusive, em Epidemiologia nos municípios; falta de políticas intersetoriais que tenham como prioridade sanar problemas em relação à prevenção e o controle das doenças transmissíveis; as falhas no processo de notificação das doenças transmissíveis, tanto no setor público quanto no privado, que acabam distorcendo a qualidade dos dados no SINAN comprometendo a análise realizada pelos órgãos competentes para a tomada de decisão. No entanto, há municípios, como o pesquisado neste trabalho, que estão conseguindo superar esses entraves com o comprometimento tanto dos profissionais das vigilâncias (ambiental, epidemiológica e sanitária) quanto dos gestores e assim estão caminhando gradualmente para a organização de uma prática intersetorial de gestão da saúde pública.<br> / Abstract : In this thesis we make use of two methods - literature research focusing on a historical review and case study research such as carried out in the Social Sciences -, different data sources and interviews with three types of professionals - health workers/researchers who worked in Brazil's public health system between 1960 and 1990, one worker from the epidemiological surveillance system of Santa Catarina and workers from the units of epidemiological, environmental and health surveillance of one municipality of the state of Santa Catarina - to achieve our purpose, which is to qualitatively analyze the trajectories of the policies and institutions that were concerned with the surveillance of communicable diseases in Brazil before the 1990s and after. To do this we identify the remaining elements which may still frame these policies today, we analyze the weaknesses of the decentralization of the health sector according to the viewpoint of renowned health workers/researchers, and we assess how the municipality in question is absorbing the changes in the health system which have to do with the municipalization of the actions and services of communicable disease surveillance. As this thesis progresses, it is possible to see that since the arrival of the Royal Family in Brazil in 1808, health policies have been influenced over time by the establishment of several organizations (SESP, FSESP, DENERU, SUCAM, FUNASA) which can be considered as weapons in the fight against communicable diseases. All of these suffered changes following emergency problems in the public health system and political turns in the country which alternately called for the centralization or the decentralization of the health sector. From the 1990s, with the establishment of a new decentralized model and the redistribution of competence between the federal entities, responsibility for the services and activities of communicable disease surveillance fell on the municipalities. On the one hand, these were positive changes. Municipalities were given greater autonomy over their health demands, the transfer of funds for Health Surveillance was regulated and investments on professional training for municipal Health Surveillance workers increased, which led to the de-monopolization of knowledge on Epidemiology and disease control. In addition, there were great developments in the processing of information to be recorded in SINAN regarding the notification of diseases and epidemiological research, which has facilitated several types of analyses of the health situation of the population on local, state and national level. On the other hand, several problems have yet to be overcome, such as lack of equipment in municipalities to deal with these new responsibilities, complicated by a wide variation in sectoral organization across the country; lack of trained, graduate professionals in Epidemiology and other areas in these municipalities; lack of intersectoral policies aimed primarily at the prevention and control of communicable diseases; flaws in the process of notification of communicable diseases both in the public and private sectors, affecting the quality of the data stored in SINAN and consequently the results of analyses conducted by the competent bodies for decision-making. However, there are some municipalities such as the one focused on in this study which are finding ways to overcome these barriers through commitment from both (environmental, epidemiological and health) surveillance professionals and administrators. These municipalities are moving gradually towards an intersectoral management of public health.
50

Internações sensíveis à atenção primária : estudo descritivo com foco em doenças infecciosas e validação do sistema de informações hospitalares, no Hospital Regional do Paranoá, Distrito Federal

Cavalcante, Danyelle Monteiro 06 August 2014 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Medicina, Núcleo de Medicina Tropical, 2014. / Submitted by Jaqueline Ferreira de Souza (jaquefs.braz@gmail.com) on 2014-12-11T10:49:28Z No. of bitstreams: 1 2014_DanyelleMonteiroCavalcante.pdf: 1114780 bytes, checksum: 0e4ea8c5137cdba25d6e2608fa07bcdd (MD5) / Approved for entry into archive by Jaqueline Ferreira de Souza(jaquefs.braz@gmail.com) on 2014-12-11T10:49:52Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2014_DanyelleMonteiroCavalcante.pdf: 1114780 bytes, checksum: 0e4ea8c5137cdba25d6e2608fa07bcdd (MD5) / Made available in DSpace on 2014-12-11T10:49:52Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2014_DanyelleMonteiroCavalcante.pdf: 1114780 bytes, checksum: 0e4ea8c5137cdba25d6e2608fa07bcdd (MD5) / Introdução: A atenção primária à saúde deve assumir o papel de coordenadora do cuidado para que o sistema de saúde responda de maneira apropriada às necessidades de saúde da população. Nesse sentido a avaliação e o monitoramento são fundamentais para as adequações necessárias das ações implementadas. Um dos indicadores que vem sendo utilizado no Brasil, com esta finalidade, são as internações por condições sensíveis à atenção primária (ICSAP). Trata-se de um indicador composto por 19 grupos de diagnósticos de acordo com a CID10, constituindo a lista brasileira de ICSAP. Objetivos: Estudar o perfil das Internações por Condições Sensíveis à Atenção Primária (ICSAP); analisar o comportamento das doenças infecciosas no escopo dessas internações; e validar o sistema de informações hospitalares quanto ao registro das internações por essas condições, no Hospital Regional do Paranoá Distrito Federal, no ano de 2012. Metodologia: Foram realizados dois estudos: epidemiológico descritivo de coorte clínica, utilizando dados das internações do Sistema de Informações Hospitalares do Sistema Único de Saúde (SIHSUS) a fim de descrever estas internações segundo variáveis selecionadas; e um estudo de validação, no qual foram estimadas a Sensibilidade (S), Especificidade (E), Valor Preditivo Positivo (VPP) e Valor Preditivo Negativo (VPN) do SIH/SUS para o registro adequado de ICSAP, tendo como padrão ouro o prontuário. Calcularam-se Intervalos de Confiança de 95% para todas as estimativas. Para as análises foram utilizados o Excel®, Tabwin versão 3.5v e o SPSS versão 20. Resultados: Foram analisadas 8.171 internações, excluídos nesse total as internações referentes as CID10 O80 e O82. Desses, 4.674 (57,2%) eram do sexo feminino; com média de permanência de 5,6 dias, e com 7.738 (94,70%) registros de residentes no Distrito Federal. Houve 1.604 (19,63%, IC95%= 18,73 a 20,46) ICSAP, com 930 (57,98%) dos registros para o sexo feminino, idade média de 36,7 anos (DP=26,8 anos), e os cinco diagnósticos mais frequentes foram: Infecção do rim e trato urinário (304 - 18,95%), infecção da pele e tecido subcutâneo (167 – 10,41%), gastroenterites infecciosas e complicações (153 – 9,54%), insuficiência cardíaca (151 – 9,41%), e diabetes mellitus (150 – 9,35%). As doenças infecciosas e parasitárias (DIP) representaram 45%, do total de ICSAP e foram a causa principal de internações na faixa etária de 1 a 4 anos (138 – 19,06%) e teve maior representatividade do sexo feminino (471 – 65,06%); no grupo das DIP XIV ocorreram 28 óbitos e a faixa etária de maior número de óbitos foi nos maiores de 65 anos. No estudo de validação os resultados foram: S de 70,11% (IC95%= 60,48 a 79,72), E de 88,37% (IC95%= 85,56 a 91,23), VPP de 51,69% (IC95%= 42,68 a 60,72) e VPN de 94,34% (IC95%= 92,18 a 96,42). Conclusão: Os achados de ICSAP no Hospital Regional do Paranoá foram similares a outros estudos publicados e destacase a frequência de internações por Doenças Infecciosas Parasitárias. O SIH-SUS foi mais específico do que sensível para a condição de ICSAP. / Introduction: Primary health care may be in charge of coordinating care assistance so the health system can appropriately meet people’s health needs. Evaluation and monitoring are therefore essential for the necessary adaptations on implemented actions. An index currently used in Brazil to serve this purpose is the hospitalization rates for ambulatory care sensitive conditions (ACSCs). This index consists of 19 groups of diagnoses based on ICD-10, representing the Brazilian list of hospital admissions for ACSCs. Objectives: To study the profile of hospital admissions for ambulatory care sensitive conditions; to analyze the behavior of infectious diseases within the scope of hospital admissions; to validate the hospital information system regarding the record of admissions for the aforementioned conditions at Hospital Regional do Paranoá (HRPa) in Distrito Federal, Brazil in 2012. Methodology: Two studies were conducted: a descriptive epidemiology study of clinical cohort that used data from admissions on the Hospital Information System of the Brazilian Unified Health System (Sistema de Informações Hospitalares do Sistema Único de Saúde / SIH-SUS) in order to classify hospital admissions under selected variables; and a validation study for determining Sensitivity (S), Specificity (Sp), Positive Predictive Value (PPV) and Negative Predictive Value (NPV) of SIH-SUS for proper record of hospital admissions for ACSCs, having medical records as gold standard. All estimates were calculated on 95% confidence intervals. Data were analyzed by Excel®, Tabwin 3.5v and SPSS (version 20) softwares. Results: The study analyzed 8171 admissions, excluding from this total admissions regarding ICD-10 O80 and O82. Among those, 4674 patients (57.2%) were female; average length of stay in hospital was 5.6 days and 7738 of them (94.70%) lived in Distrito Federal. There were 1604 hospital admissions for ambulatory care sensitive conditions (19.63%, 95%CI = 18.73 to 20.46) with 930 records (57.98%) for female patients of mean age 36.7 years (SD = 26.8 years).The five most frequent XV diagnoses were: kidney and urinary tract infections (304 – 18.95%), skin and subcutaneous tissue infections (167 – 10.41%), infectious gastroenteritis and complications (153 – 9.54%), heart failure (151 – 9.41%) and diabetes mellitus (150 – 9.35%). Infectious and parasitic diseases (IPD) represented 45% of total hospital admissions for ambulatory care sensitive conditions, being the leading cause of hospitalizations in the age group 1-4 years (138 – 19.06%) and having greater incidence on females (471 – 65.06%). In the group of IPD 28 deaths occurred; the age group at highest rate of deaths was in adults over 65. Results in the validation study were: S 70.11% (95%CI = 60.48 to 79.72), Sp 88.37% (95%CI = 85.56 to 91.23), PPV 51.69% (95%CI = 42.68 to 60.72) and NPV 94.34% (95%CI = 92.18 to 96.42). Conclusion: The findings on hospital admissions for ambulatory care sensitive conditions were similar to other published studies. The frequency of hospitalizations for IPD may be highlighted. SIS-SUS presented more specificity than sensitivity on the hospital admissions for ambulatory care sensitive conditions.

Page generated in 0.0842 seconds