• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 156
  • 7
  • 3
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 168
  • 168
  • 106
  • 58
  • 39
  • 33
  • 32
  • 32
  • 30
  • 28
  • 22
  • 19
  • 19
  • 17
  • 16
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

A marcha das margaridas : resistências e permanências

Silva, Berenice Gomes da 05 1900 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Sociais, Departamento de Sociologia, 2008. / Submitted by Ângela Christina (angelchris@bce.unb.br) on 2008-09-30T18:11:36Z No. of bitstreams: 1 2008_BereniceGDaSilva.pdf: 9430152 bytes, checksum: c1ad55e10ff968574081af539fef0420 (MD5) / Approved for entry into archive by Georgia Fernandes(georgia@bce.unb.br) on 2008-10-01T13:38:40Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2008_BereniceGDaSilva.pdf: 9430152 bytes, checksum: c1ad55e10ff968574081af539fef0420 (MD5) / Made available in DSpace on 2008-10-01T13:38:40Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2008_BereniceGDaSilva.pdf: 9430152 bytes, checksum: c1ad55e10ff968574081af539fef0420 (MD5) / A pesquisa aborda a trajetória das mulheres trabalhadoras rurais em torno da Marcha das Margaridas - uma estratégia de mobilização realizada por um conjunto de movimento Contra a fome, a pobreza e a violência sexista. Realizada em Brasília – DF - a cada três anos, a Marcha das Margaridas conta com a presença de mulheres oriundas de todas as regiões brasileiras. É retratada neste estudo como uma ação coletiva realizada por mulheres trabalhadoras rurais que constituem uma identidade política, a partir de problemas comuns ao meio rural brasileiro. O objetivo da pesquisa é identificar como o gênero é constituído na Marcha das Margaridas e como os desdobramentos resultantes deste conceito são identificados nas categorias poder e identidade. A análise é permeada pela diferença localizada nas tensões permanentes tanto na relação entre os próprios movimentos de mulheres trabalhadoras rurais que integram a MM, quanto com as demais redes de movimentos com as quais esta Marcha se relaciona. O referencial teóricometodológico é fundamentado nas contribuições de Scott (1992); Lauretis (1994); Descarries (2003); Foucault (1979; 1988); Hall (1999); Melucci (1989; 1990) e Sherer- Warrer (2005). A partir da apreensão do conceito de gênero como produto e processo das relações sociais, os resultados indicaram que, o gênero influenciou as práticas sociais das mulheres trabalhadoras rurais. O poder, visto como algo difuso e em constante disputa, assim como o gênero, localizam-se dentro e fora das estruturas sociais e é exercitado na Marcha das Margaridas mediante alianças e tensões permanentes. A unidade diz respeito à identidade política respaldada em uma pauta comum, porém, as diferenças acabam sendo reveladas pela diversidade e a pluralidade das mulheres presentes na MM: agricultoras familiares, assentadas, quebradeiras de coco, pescadoras, quilombolas, mulheres do campo, das águas e das florestas que formam um mosaico identitário. Apesar desta pluralidade e diversidade, a afirmação da identidade política de mulheres trabalhadoras rurais na Marcha das Margaridas reforça a idéia de um sujeito mulher universal ancorado por uma essência feminina. Por outro lado, afirmar esta identidade configura-se numa estratégia importante para evidenciar as mulheres trabalhadoras rurais como sujeitos de direitos, historicamente negados e que, impedem o reconhecimento de sua própria existência como seres humanos. Suas práticas sociais permeadas pelas relações de poder revelam que a atuação em rede proporciona articulações locais e globais. Ao questionar o Estado e os seus próprios movimentos, a Marcha das Margaridas rompe com estruturas sociais hierarquizadas e hegemonicamente masculinas e pauta um novo modelo de desenvolvimento do País. Assim, ao evidenciar que as desigualdades de gênero estão presentes em todas as relações sociais, a investigação acerca da Marcha das Margaridas aponta para novas possibilidades de apreensão das teorias e estudos feministas.
2

Psicologia e perspectiva feminista : produção de conhecimento, prática e programas de prevenção em saúde mental

Alves, Claudia de Oliveira January 2013 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Departamento de Psicologia Clínica, Programa de Pós-Graduação em Psicologia Clínica e Cultura, 2013. / Submitted by Alaíde Gonçalves dos Santos (alaide@unb.br) on 2014-01-09T12:13:35Z No. of bitstreams: 1 2013_ClaudiadeOliveiraAlves.pdf: 930304 bytes, checksum: 9920b5b110d2546d6948405471d4f44c (MD5) / Approved for entry into archive by Patrícia Nunes da Silva(patricia@bce.unb.br) on 2014-01-10T09:57:40Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2013_ClaudiadeOliveiraAlves.pdf: 930304 bytes, checksum: 9920b5b110d2546d6948405471d4f44c (MD5) / Made available in DSpace on 2014-01-10T09:57:40Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2013_ClaudiadeOliveiraAlves.pdf: 930304 bytes, checksum: 9920b5b110d2546d6948405471d4f44c (MD5) / Perspectivas feministas e os estudos de gênero adentraram a academia e provocaram revisões na forma de produção do conhecimento científico e de atuação prática em vários campos do saber. Um desses campos foi a psicologia. O objetivo geral dessa dissertação foi identificar e compreender a inserção da perspectiva feminista e dos estudos de gênero na área da psicologia clínica no Brasil. Os objetivos específicos foram: 1. Levantar na literatura brasileira qual o estado da arte da inserção dos feminismos e dos estudos de gênero na psicologia clínica; 2. Analisar se/como os programas de prevenção em saúde mental identificados na literatura brasileira incluem problematizações feministas e de gênero; 3. Investigar como psicólogos/as que afirmam utilizar a perspectiva feminista na psicologia clínica desenvolvem sua prática. Foram desenvolvidos quatro estudos. O primeiro estudo visou apresentar breve história da psicologia e da psicologia clínica, e discutir como a perspectiva feminista e os estudos de gênero se inseriram no campo da psicologia clinica, em especial na psicoterapia. O segundo estudo investigou a inserção dos feminismos e dos estudos de gênero nas produções acadêmicas em psicologia no Brasil. Foi realizada uma revisão sistemática de literatura. Os dados apontam que ainda são muito poucos os estudos em psicologia que levam em consideração a perspectiva feminista ou incluem uma análise de gênero. O terceiro estudo consistiu na investigação de como psicólogas feministas brasileiras percebem sua formação e desenvolvem sua prática profissional. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas com quatro psicólogas que se identificam como feministas. As falas revelaram que a inserção das questões de gênero e feministas na formação em psicologia, e no campo da psicologia clínica é incipiente. Características e desafios de uma prática feminista foram identificadas. O quarto estudo buscou investigar se programas de prevenção em saúde mental no Brasil identificados através de revisão sistemática da literatura da área incluem problematizações feministas e de gênero. Os resultados mostraram que os programas de prevenção em saúde mental no Brasil não levam em consideração as problematizações feministas e de gênero. Os resultados dessa dissertação indicam que a perspectiva feminista e os estudos de gênero estão inseridos de forma muito incipiente na psicologia clínica brasileira. _______________________________________________________________________________________ ABSTRACT / Feminist perspectives and gender studies entered academia and provoked revisions in knowledge production and professional practice in various fields. Psychology was one of them. The general objective of this master thesis was to identify and to understand the insertion of feminist perspectives and gender studies in the area of Clinical Psychology in Brazil. The specific objectives were: 1. To identify the level of insertion of gender studies and feminist perspectives in the psychological literature in Brazil; 2. To analyze if and how Mental Health Prevention Programs identified in the literature include gender and feminist analyses; 3. To investigate how psychologists who identify themselves as feminists conduct their practice. Four studies were developed. The first study presents a brief history of the field of psychology and clinical psychology and discusses how feminist perspectives and gender studies entered the clinical area, especially psychotherapy. The second study investigated the insertion of feminist perspectives and gender studies in academic productions in the area of psychology in Brazil through a systematic literature review. Data revealed that very few studies take into consideration feminist perspectives or include a gender analysis. The third study investigated how Brazilian feminist psychologists perceive their academic background and develop their professional practice. Four psychologists who identify themselves as feminists were interviewed. Semistructured interviews were used. Their report revealed that the presence of feminist perspectives and gender studies in academia is still incipient. Characteristics and challenges of a feminist practice were identified. The fourth study investigated if Mental Health Prevention Programs identified through a systematic literature review include a gender and/or feminist perspective. The results showed that the Mental Health Prevention Programs identified do not take into consideration these approaches. The overall results of this master thesis indicate that the insertion of feminist perspectives and gender studies in the area of Clinical Psychology in Brazil is still incipient.
3

A representação do adultério feminino em Dalton Trevisan

Souza, Marcius Fabiani Barbosa de 21 January 2011 (has links)
Dissertação(mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Letras, 2011. / Submitted by Jadiana Paiva Dantas (jadi@bce.unb.br) on 2011-06-28T23:25:38Z No. of bitstreams: 1 2011_Marcius Fabiani Barbosa de Souza.pdf: 683392 bytes, checksum: d137f27c39c77d1b6fdf5d2711b0916a (MD5) / Approved for entry into archive by Repositorio Gerência(repositorio@bce.unb.br) on 2011-06-30T17:30:18Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2011_Marcius Fabiani Barbosa de Souza.pdf: 683392 bytes, checksum: d137f27c39c77d1b6fdf5d2711b0916a (MD5) / Made available in DSpace on 2011-06-30T17:30:18Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2011_Marcius Fabiani Barbosa de Souza.pdf: 683392 bytes, checksum: d137f27c39c77d1b6fdf5d2711b0916a (MD5) / Este trabalho investiga a representação da mulher adúltera e do marido traído nos contos do autor paranaense Dalton Trevisan. O trabalho apoiou-se, fundamentalmente, nos conceitos de polifonia e dialogismo, conforme desenvolvidos pelo pensador russo Mikhail Bakhtin. Buscou-se identificar a ocorrência da polifonia e de interações dialógicas nos doze contos estudados, em uma perspectiva tanto intra quanto intertextual, bem como as implicações ideológicas da representação do adultério feminino pelo autor em relação à evolução histórica do sistema patriarcal. _______________________________________________________________________________ ABSTRACT / This work investigates the representation of the adulterous woman and the betrayed husband in the short stories of Brazilian author Dalton Trevisan. The work is based mainly upon the concepts of polyphony and dialogism, both of them developed by Russian theorist Mikhail Bakhtin. One has aimed to identify the occurrence of polyphony and dialogical interactions in 12 selected short stories from both intratextual and intertextual perspectives, as well as the ideological implications of the representation of female adultery in the works of Dalton Trevisan as compared to the historical developments of the patriarchal system.
4

Vozes subalternas: produções de autoria feminina na pós-colonização do Brasil / Voces subalternas: producciones femeninas en Brasil descolonial

Fernandes, Ana Carolina dos Reis [UNESP] 14 September 2016 (has links)
Submitted by Ana Carolina dos Reis Fernandes null (carolkail@hotmail.com) on 2016-11-14T20:23:40Z No. of bitstreams: 1 vozes_subalternas_final. pdf.pdf: 1186511 bytes, checksum: d1a89fbdcc0c0c494b44974a753a6729 (MD5) / Approved for entry into archive by Juliano Benedito Ferreira (julianoferreira@reitoria.unesp.br) on 2016-11-21T13:50:37Z (GMT) No. of bitstreams: 1 fernandes_ac_me_arafcl.pdf: 1186511 bytes, checksum: d1a89fbdcc0c0c494b44974a753a6729 (MD5) / Made available in DSpace on 2016-11-21T13:50:37Z (GMT). No. of bitstreams: 1 fernandes_ac_me_arafcl.pdf: 1186511 bytes, checksum: d1a89fbdcc0c0c494b44974a753a6729 (MD5) Previous issue date: 2016-09-14 / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) / O presente trabalho tem por objetivo analisar as intersecções entre as categorias gênero, raça e classe na passagem da colonização para a pós-colonização brasileira, através da interpretação de narrativas literárias que deram voz aos sujeitos femininos, até então silenciados pela história e vistos apenas sob a óptica do colonizador, no cenário da produção colonial. Tomamos como aparato teórico desta discussão os estudos pós-coloniais e os estudos de gênero e, considerando a imbricação entre estas duas correntes, partimos do pressuposto de que, durante a construção pós-colonial do Brasil, os sujeitos femininos, até então silenciados pelo discurso histórico, tomam voz através da escrita e narram suas próprias histórias sem a mediação do sujeito colonizador. Selecionamos três textos literários produzidos por mulheres entre os séculos XIX e XX e, através destes escritos, analisaremos os sujeitos das produções e os contextos aos quais se inserem, trazendo mostras das especificidades presentes neste período de transição e ressaltando a importância das categorias raça, classe e gênero para tal análise. Em ordem cronológica, a primeira autora a qual iremos nos referir tornou-se importante referência feminista no Brasil e, na primeira metade do século XIX, traduziu de forma livre um importante tratado sobre o direito das mulheres. Trata-se de Nísia Floresta, pseudônimo de Dionísia Gonçalves Pinto. O segundo trabalho, também escrito no século XIX é de acordo com Roberto Schwarz “(...) um dos bons livros da literatura brasileira, e não há nada à sua altura em nosso século XIX, se deixarmos de lado Machado de Assis” (SCHWARZ, 1997, p.47). Nos referimos ao diário pessoal de Alice Dayrell Caldeira Brant, escrito entre os anos de 1893 e 1895 e publicado apenas no ano de 1942 sob o título de Minha vida de menina, assinado com o pseudônimo de Helena Morley. A terceira autora cujo trabalho buscamos contemplar encontrase na segunda metade do século XX, contexto de grandes transformações sociais vivenciadas na sociedade brasileira, principalmente no que toca às questões de gênero. Em meio a estas transformações, a antropóloga e ativista do movimento negro, Lélia González, defende uma questão relevante a ser pontuada pelos movimentos de mulheres no Brasil: qual é o lugar da mulher negra nesta sociedade de classes? Embora tenham sido produzidas em diferentes contextos históricos (diferenças que iremos trabalhar ao longo do texto) iremos ressaltar as aproximações e distanciamentos estabelecidos entre estas obras, principalmente no que diz respeito aos protagonismos femininos em uma sociedade em processo de descolonização.
5

O PROCESSO DE CRIAÇÃO DA PROTAGONISTA DE A MÁQUINA DO TEMPO EM PEÇA RADIOFÔNICA

Cruz, Saryne Rhayane Aquino da 12 September 2017 (has links)
Submitted by Roberth Novaes (roberth.novaes@live.com) on 2018-07-11T14:45:04Z No. of bitstreams: 1 PPGlitcult - dissertação - Saryne Cruz.pdf: 4047949 bytes, checksum: 5bb4a6862ecf44016323f7e57daddb16 (MD5) / Approved for entry into archive by Setor de Periódicos (per_macedocosta@ufba.br) on 2018-07-11T16:49:01Z (GMT) No. of bitstreams: 1 PPGlitcult - dissertação - Saryne Cruz.pdf: 4047949 bytes, checksum: 5bb4a6862ecf44016323f7e57daddb16 (MD5) / Made available in DSpace on 2018-07-11T16:49:01Z (GMT). No. of bitstreams: 1 PPGlitcult - dissertação - Saryne Cruz.pdf: 4047949 bytes, checksum: 5bb4a6862ecf44016323f7e57daddb16 (MD5) / O presente estudo analisou o processo de criação da protagonista de A Máquina do Tempo (2015), peça radiofônica adaptada do romance do escritor inglês Herbert George Wells, considerado um dos pais da ficção científica. A peça radiofônica em questão foi produzida pelo grupo PRO.SOM e faz uma releitura do texto de Wells, publicado em 1898, ao ser trazido para uma mídia sonora, assim como, ao se apresentar uma mulher no papel de uma cientista que protagoniza a narrativa. Buscou-se entender como se desenvolveu o processo de adaptação da referida protagonista. Os estudos da Crítica Genética foram importantes como embasamento teórico-metodológico da análise do referido processo. Partimos de reflexões propostas, principalmente por Almuth Grésillon (1994) e Pierre-Marc de Biasi (2000), para embasar o trabalho. / This study has analyzed the creative process of the radio play A máquina do tempo´s main character (2017), an adaptation based on the novel The time machine, written by the English author Herbert George Wells, considered one of those who fostered science fiction books. The script of the referred radio play has been written by PRO.SOM team and it is a recreation of Well's novel, published in 1898. Then, the literary text has been translated into a sound media and, in such recreation, a woman plays the role of the scientist responsible for the creation of the time machine. Genetic criticism has been the theoretical and methodological background of this dissertation; Almuth Grésillon´s (1994) and Pierre-Marc de Biasi´s (2000) texts have been very important for this research.
6

INFÂNCIAS, VIOLÊNCIAS E SEXUALIDADE: UMA AVENTURA AUTOBIOGRÁFICA COM PEDRO ALMODÓVAR

Fontes, Ramon Victor Belmonte Fontes 20 October 2016 (has links)
Submitted by Ramon Victor Belmonte Fontes (ramon_fontes@hotmail.com.br) on 2018-09-01T16:34:31Z No. of bitstreams: 1 (DISSERTAÇÃO - FINAL) Infâncias, violências e sexualidade - Uma aventura autobiográfica com Pedro Almodóvar.pdf: 1487552 bytes, checksum: 4ce5bcada79523521cad521f52936019 (MD5) / Approved for entry into archive by Setor de Periódicos (per_macedocosta@ufba.br) on 2018-09-03T20:42:17Z (GMT) No. of bitstreams: 1 (DISSERTAÇÃO - FINAL) Infâncias, violências e sexualidade - Uma aventura autobiográfica com Pedro Almodóvar.pdf: 1487552 bytes, checksum: 4ce5bcada79523521cad521f52936019 (MD5) / Made available in DSpace on 2018-09-03T20:42:17Z (GMT). No. of bitstreams: 1 (DISSERTAÇÃO - FINAL) Infâncias, violências e sexualidade - Uma aventura autobiográfica com Pedro Almodóvar.pdf: 1487552 bytes, checksum: 4ce5bcada79523521cad521f52936019 (MD5) / FAPESB - Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia / Pensar como os mecanismos de violência e, mais especificamente, o abuso sexual, participam da construção subjetiva das crianças é um dos objetivos desta dissertação. Para fazer isso, discuto como a experiência de abuso sexual na infância participou da construção das minhas próprias subjetividades. As reflexões, aqui propostas, não buscam uma história totalizante, nem um tipo de generalização sobre as experiências dos abusos sexuais na infância. Ao invés disso, elas seguem por caminhos pessoais (inseridos, também, em processos sociais) e pretendem apresentar um olhar localizado no tempo e espaço que sirvam para trazer à tona mais fragmentos discursivos e reflexivos a respeito de tal violência. Para isso, será dada ênfase nas minhas narrativas, entendidas aqui como autobiográficas, e nos filmes Fale com ela (2002), Má Educação (2003) e Volver (2005), do cineasta Pedro Almodóvar, como instrumentos que discutem, mobilizam e ressignificam os caminhos subjetivos possibilitados a cada um de nós. A proposta metodológica desta pesquisa segue por caminhos que não coadunam com uma escrita burocrática. Escrever, no âmbito deste trabalho, significa minar os discursos pré-moldados sobre as experiências memorialísticas, bem como apresentar novos olhares e subjetividades que não reproduzam um entendimento reducionista e inexorável das complexas situações de abuso sexual na infância. Em resumo, é uma escrita de pretensões políticas que coloca em devir a violência experimentada na idade infantil e tem o intuito de não reduzir os indivíduos violentados aos estereótipos de futuro algoz e/ou mártir eterno.
7

Performances de gênero nas relações entre jogadores e avatares : dinâmicas com o game Rust

Caetano, Mayara Araujo January 2017 (has links)
Essa dissertação traz como problema de pesquisa o modo como jogadores de jogos eletrônicos constroem sentidos sobre gênero e sexualidade através dos avatares. Para atender esse questionamento, partimos para uma abordagem teórico-empírica. Os eixos teóricos se concentram nas discussões sobre as diferenças entre os termos mais utilizados para denominar as imagens controladas pelos jogadores, ou seja, entre avatares e personagens, de acordo com os estudos de jogos. E os empréstimos teóricos dos estudos de gênero e sexualidade desenvolvidos em outras áreas, que são aplicados aos jogos eletrônicos. Para o desenvolvimento empírico do trabalho temos experimentos que combinam as técnicas de sessões de gameplay, dinâmica de imagens e entrevistas semiestruturadas. Além da autoobservação da pesquisadora. Para esses experimentos foi escolhido como objeto empírico o jogo massivo online de sobrevivência Rust (Facepunch Studios) disponível para PCs pela Steam. Os experimentos foram realizados com 9 participantes distribuídos em dois grupos: avatarjogador com gênero correspondente e avatar-jogador com gênero não correspondente. O gênero era a variável de controle da pesquisa em Rust e os participantes foram distribuídos aleatoriamente nos grupos. Foram criadas duas contas no jogo, sendo uma com gênero feminino e outra com masculino. Os resultados dessa pesquisa indicam a predominância da heteronormatividade na construção e na percepção de gênero e sexualidade dos participantes nos jogos eletrônicos. Os participantes que se identificam com o gênero masculino são mais restritos a identificar-se com imagens de gênero correspondente, enquanto as participantes mulheres são mais disponíveis para controlar imagens de gênero distinto. Ambos os grupos demonstraram incômodo com a nudez do corpo dos avatares que controlaram em Rust. A possibilidade de seus avatares serem vistos nus por outros jogadores foi um dos motivos de desconforto mencionados, principalmente quando os avatares eram masculinos. Embora já o tivessem feito, os participantes não estavam conscientes de ter praticado gender swap (ou cross gender play) em jogos eletrônicos. A representação da sexualidade presente nos jogos eletrônicos foi considerada pouco inclusiva e algumas estratégias para melhor representá-la foram sugeridas pelos participantes. / This dissertation questions the construction of gender and sexuality by players through their avatars in electronic games. The research was based on a theoretical-empirical framework. The first theoretical axe focused on the differences between the terms most commonly used to describe the images controlled by the players, especially avatars and characters, as presented in the games studies’ literature. A second theoretical line approached gender studies and sexuality in game studies as well as in other disciplines. The empirical research was composed by experiments combining self-observation, observation of gameplay sessions, dynamics of images and semistructured interviews. These experiments were based on the massive online survival game Rust (Facepunch Studios). Nine volunteers were distributed in two groups: avatar-player with corresponding gender (femalefemale or male-male) and avatar-player with non-corresponding gender (female-male and male-female). Thus, gender was the control variable and the participants were randomly assigned to the first or second group. The results suggest that heteronormativity is predominant in the construction and perception of gender and sexuality of videogame players. Participants who identified as male were more restricted to images that correspond to this identification, while female participants were more less resistant to control images with a different gender. Both groups showed discomfort with their avatar’s naked body in Rust. The possibility of being seen naked by other players was one of the reasons for discomfort, especially when the avatars were male. Participants had practiced gender swap (or cross gender play) in electronic games, but were not aware of having done it. The representation of the sexuality in electronic games was not considered inclusive and some strategies to better represent it were suggested by the participants.
8

Performances de gênero nas relações entre jogadores e avatares : dinâmicas com o game Rust

Caetano, Mayara Araujo January 2017 (has links)
Essa dissertação traz como problema de pesquisa o modo como jogadores de jogos eletrônicos constroem sentidos sobre gênero e sexualidade através dos avatares. Para atender esse questionamento, partimos para uma abordagem teórico-empírica. Os eixos teóricos se concentram nas discussões sobre as diferenças entre os termos mais utilizados para denominar as imagens controladas pelos jogadores, ou seja, entre avatares e personagens, de acordo com os estudos de jogos. E os empréstimos teóricos dos estudos de gênero e sexualidade desenvolvidos em outras áreas, que são aplicados aos jogos eletrônicos. Para o desenvolvimento empírico do trabalho temos experimentos que combinam as técnicas de sessões de gameplay, dinâmica de imagens e entrevistas semiestruturadas. Além da autoobservação da pesquisadora. Para esses experimentos foi escolhido como objeto empírico o jogo massivo online de sobrevivência Rust (Facepunch Studios) disponível para PCs pela Steam. Os experimentos foram realizados com 9 participantes distribuídos em dois grupos: avatarjogador com gênero correspondente e avatar-jogador com gênero não correspondente. O gênero era a variável de controle da pesquisa em Rust e os participantes foram distribuídos aleatoriamente nos grupos. Foram criadas duas contas no jogo, sendo uma com gênero feminino e outra com masculino. Os resultados dessa pesquisa indicam a predominância da heteronormatividade na construção e na percepção de gênero e sexualidade dos participantes nos jogos eletrônicos. Os participantes que se identificam com o gênero masculino são mais restritos a identificar-se com imagens de gênero correspondente, enquanto as participantes mulheres são mais disponíveis para controlar imagens de gênero distinto. Ambos os grupos demonstraram incômodo com a nudez do corpo dos avatares que controlaram em Rust. A possibilidade de seus avatares serem vistos nus por outros jogadores foi um dos motivos de desconforto mencionados, principalmente quando os avatares eram masculinos. Embora já o tivessem feito, os participantes não estavam conscientes de ter praticado gender swap (ou cross gender play) em jogos eletrônicos. A representação da sexualidade presente nos jogos eletrônicos foi considerada pouco inclusiva e algumas estratégias para melhor representá-la foram sugeridas pelos participantes. / This dissertation questions the construction of gender and sexuality by players through their avatars in electronic games. The research was based on a theoretical-empirical framework. The first theoretical axe focused on the differences between the terms most commonly used to describe the images controlled by the players, especially avatars and characters, as presented in the games studies’ literature. A second theoretical line approached gender studies and sexuality in game studies as well as in other disciplines. The empirical research was composed by experiments combining self-observation, observation of gameplay sessions, dynamics of images and semistructured interviews. These experiments were based on the massive online survival game Rust (Facepunch Studios). Nine volunteers were distributed in two groups: avatar-player with corresponding gender (femalefemale or male-male) and avatar-player with non-corresponding gender (female-male and male-female). Thus, gender was the control variable and the participants were randomly assigned to the first or second group. The results suggest that heteronormativity is predominant in the construction and perception of gender and sexuality of videogame players. Participants who identified as male were more restricted to images that correspond to this identification, while female participants were more less resistant to control images with a different gender. Both groups showed discomfort with their avatar’s naked body in Rust. The possibility of being seen naked by other players was one of the reasons for discomfort, especially when the avatars were male. Participants had practiced gender swap (or cross gender play) in electronic games, but were not aware of having done it. The representation of the sexuality in electronic games was not considered inclusive and some strategies to better represent it were suggested by the participants.
9

Entre gênero e espécie : à margem teóricas das Ciências Sociais e do feminismo

Kirjner, Daniel de Almeida Pinto 11 March 2016 (has links)
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Intituto de Ciências Sociais, Departamento de Sociologia, 2016. / Submitted by Camila Duarte (camiladias@bce.unb.br) on 2016-08-01T13:15:17Z No. of bitstreams: 1 2016_DanieldeAlmeidaPintoKirjner.pdf: 2250598 bytes, checksum: 3674d85db692fbce445c0dbf82f17fae (MD5) / Approved for entry into archive by Raquel Viana(raquelviana@bce.unb.br) on 2016-08-02T18:15:27Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2016_DanieldeAlmeidaPintoKirjner.pdf: 2250598 bytes, checksum: 3674d85db692fbce445c0dbf82f17fae (MD5) / Made available in DSpace on 2016-08-02T18:15:27Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2016_DanieldeAlmeidaPintoKirjner.pdf: 2250598 bytes, checksum: 3674d85db692fbce445c0dbf82f17fae (MD5) / No mundo ocidental, importantes pensadores conceberam as ideias de gênero e espécie de maneira muito próxima e as utilizaram como ferramentas de reafirmação da superioridade do masculino humano. Desde a era clássica, através da exaltação da racionalidade como essência do espírito humano, homens estabeleceram domínio sobre mulheres, animais e o meio ambiente. O movimento feminista, principalmente desde a década de 1970, passa a desconstruir estas “verdades” de gênero assim como suas opressões e hierarquias instituídas. Tal debate resulta no questionamento dos ideais de humanidade e na relativização do conhecimento através da compreensão dos afetos, das vivências e das identidades dissidentes. Neste contexto, as certezas sobre o que é o ser humano e o que o diferencia do resto da existência são questionadas e os animais são incluídos definitivamente na teoria de gênero, por meio do ecofeminismo animalista da década de 1990. Nesta mesma época, surgem no Brasil duas proeminentes publicações: a Estudos Feministas e a Cadernos Pagú. Esta pesquisa fez uma análise da posição que foi relegada a mulheres e animais no pensamento ocidental em relação a um ideal masculinista de humanidade; da reação feminista a esta opressão de espécie/gênero; e das razões para a não consolidação, até o momento, dos estudos feministas animais no Brasil. Fez-se uma análise quanti- qualitativa das revistas Estudos Feministas e Cadernos Pagu, expoentes do feminismo acadêmico brasileiro, no sentido de mapear os principais assuntos, discussões de gênero e perspectivas teóricas em evidência no país. Os resultados mostraram que as Ciências Sociais, os movimentos de mulheres e as questões raciais são fatores relevantes para a discussão de gênero neste contexto, enquanto o ecofeminismo e a opressão animal são debates praticamente esquecidos. Conclui-se, portanto, que para haver um crescimento dos estudos feministas animais no Brasil é necessária uma maior inclusão dos não-humanos na práxis da militância feminista, nas discussões raciais e nas Ciências Sociais. _________________________________________________________________________________________________ ABSTRACT / In the western world, renowned thinkers conceived both the ideas of gender and species in a very similar fashion, and used them as tools to reinsure the superiority of the male human. Since the Classical era, through the exaltation of the rationality as the essence of the human spirit, men established dominance over women, animals and the environment. The feminist movement, particularly since the 1970’s, began to deconstruct those “truths” of gender as well as their instituted oppressions and hierarchy. Such debate results in the questioning of the ideals of humanity and the relativization of knowledge by understanding affection, experiences and dissident identities. In this context, certainties about what is the human being and what differentiates it from the rest of the existence were questioned, and the animals were definitively included in the gender theory through the animalist ecofeminism of the 1990’s. At the same time, in Brazil, two prominent publications arose: “Estudos Feministas” [Feminist Studies] and “Cadernos Pagu” [Pagú Booklets]. This research analyzed the position relegated to women and animals in the western thought regarding a masculinist ideal of humanity; the feminist reaction to this gender/species oppression; and the reasons explaining the non-consolidation, to date, of the animal feminist studies in Brazil. A quali-quantitative analysis of both magazines, Estudos Feministas and Cadernos Pagú – pinnacles of the Brazilian academic thinking –, aiming at mapping the main subjects, gender discussions and theoretical perspectives being evidenced within the country. The results showed that the Social Sciences, women’s movements and racial issues are relevant factors for the discussion of gender in this context, while ecofeminism and animal oppression are practically forgotten debates. Concluding, therefore, that in order to improve animal feminist studies in Brazil, non-human animals need a broader participation in the praxis of feminist activism, racial discussions and Social Sciences. _________________________________________________________________________________________________ RESUMEN / En el mundo occidental, importantes pensadores concibieron las ideas de género y especie de manera muy similar y las utilizaron como herramientas de reafirmación de la superioridad de lo humano masculino. Desde la era clásica, a través de la exaltación de la racionalidad como esencia del espíritu humano, los hombres establecieron el dominio sobre las mujeres, animales y el medio ambiente. El movimiento feminista, principalmente desde la década de 1970, comienza a reconstruir estas “verdades” de género así como sus opresiones y jerarquías institucionalizadas. Tal debate trae como resultado el cuestionamiento de los ideales de la humanidad y en la relativización del conocimiento a través de la comprensión de los afectos, de las vivencias y de las identidades divergentes. En este contexto, las certezas sobre lo que es el ser humano y lo que lo diferencia del resto de la existencia son cuestionadas y los animales son incluidos definitivamente en la teoría de género, por medio del eco feminismo animalista de la década de 1990. En esta misma época, surgen en el Brasil dos relevantes publicaciones: la Estudios Feministas y Cuadernos Pagú. Esta investigación hizo un análisis de la posición en la que fueron puestas las mujeres y animales en el pensamiento occidental con relación a un ideal masculinista de humanidad; de la reacción feminista a esta opresión de especie/genero; y de las razones para la no consolidación, hasta el momento, de los estudios feministas animales en el Brasil. Se realiza un análisis cuanti-cualitativo de las revistas Estudios Feministas y Cuadernos Pagú, exponentes del feminismo académico brasilero, en el sentido de mapear los principales asuntos, discusiones de género y perspectivas teóricas en evidencia en el país. Los resultados mostraron que las Ciencias Sociales, los movimientos de mujeres y las cuestiones raciales son factores relevantes para la discusión de género en este contexto, mientras que el ecofeminismo y la opresión animal son debates prácticamente olvidados. Se concluye, por lo tanto, que para que haya un crecimiento de los estudios feministas animales en el Brasil es necesaria más inclusión de los no-humanos en la práxis del activismo feminista, en las discusiones raciales y en las Ciencias Sociales. _________________________________________________________________________________________________ RESUMÉ / Dans le monde occidental, un nombre important de penseurs ont conçu les notions de genre et d’espèce de façon très proche et en les employant comme des outils pour la reaffirmation de la superiorité du masculin humain. Depuis l’ère classique, par le biais de l’exaltation de la rationalité comme une essence humaine, les hommes établirent leur domination sur les femmes, les animaux et l’environnement. Le mouvement féministe, et ce surtout à partir des annés 1970, commença a déconstruire ces “vérités” liées au genre ainsi que les oppresions et hierarchies établies. Ce débat a eu pour conséquence un questionnement des idéaux de l’humanité et une relativisation de la connaissance par la compréhension des affections, des expériences et des identités dissidentes. En ce contexte, les certitudes à propos de ce qu’est l’être humain et sur ce qui le différencie du reste de l’existence sont remises en question et les animaux sont inclus définitivement parmi les études de genre, par le biais de l’écoféminisme animaliste de la décennie de 1990. À cette même époque, apparurent au Brésil deux importantes publications: Estudos Feministas et Cadernos Pagú, cellesci peuvent être considérées comme les plus influentes du féminisme académique brésilien actuel. L’étude suivante a eu pour objectif premier, faire une analise de la position relégué attribuée aux femmes et aux animaux dans la pensée occidentale par rapport à un idéal masculin de l’humanité; second, observer la réaction féministe à cet oppresion d’espèce/genre; troisième et dernier, expliquer les motifs de la non consolidation, jusqu’alors, des études féministes animaux au Brésil. Une analise quantiqualtitative des publications Estudos Feministas et Cadernos Pagú a été faite, de façon à identifier les principaux sujets, discussions de genre et perspectives théoriques mise en évidence dans le contexte brésilien. Les résultats ont montré que les sciences sociales, les mouvements féministes et les questions raciales sont des facteurs prépondérants pour la discussion de genre en ce contexte alors que l’écoféminisme et l’oppression animale sont des débats quase inéxistants. En conclusion, nous pouvons dire que pour qu’il y ai une croissance au Brésil des études féministes animaux il serait nécessaire une plus grande inclusion des non humains dans la práxis de la militance féminine, lors des débats raciaux et des sciences sociales.
10

Vestígios do gótico nos contos de Lygia Fagundes Telles

Santos, Lorena Sales dos 15 July 2010 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Departamento de Teoria Literária e Literaturas, 2010. / Submitted by Allan Wanick Motta (allan_wanick@hotmail.com) on 2011-05-03T14:13:32Z No. of bitstreams: 1 2010_LorenaSalesSantos.pdf: 856421 bytes, checksum: 3e6e1630fd48d6fb2a772b9ee6a5c9d1 (MD5) / Approved for entry into archive by Daniel Ribeiro(daniel@bce.unb.br) on 2011-05-07T00:38:18Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2010_LorenaSalesSantos.pdf: 856421 bytes, checksum: 3e6e1630fd48d6fb2a772b9ee6a5c9d1 (MD5) / Made available in DSpace on 2011-05-07T00:38:18Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2010_LorenaSalesSantos.pdf: 856421 bytes, checksum: 3e6e1630fd48d6fb2a772b9ee6a5c9d1 (MD5) / Por seu caráter próximo ao que veio a chamar-se Cultura de Massa, o Gótico chegou a ser considerado um gênero menor. Efetivamente, surgiu como reação ao autoritarismo do Estado e da lógica iluminista, no século XVIII, sendo resultante do ambiente de convulsões sociais relacionado às revoluções burguesa e industrial. O Gótico adotou como tema aquilo que era negado pelo Iluminismo: o espaço feminino, a sexualidade, o terror, o sobrenatural, a repressão e a transgressão. Após um período de intensa produção, foi considerado pela Critica como um gênero morto no século XIX. O presente trabalho vale-se do conceito de Teoria Polissistêmica de Itamar Even Zohar (1990) para rejeitar essa idéia do Gótico como gênero morto, observando a interferência desse gênero, a partir de seu sistema periférico do polissistema da Literatura inglesa, nos contos de Lygia Fagundes Telles, escritora brasileira contemporânea e canônica, portanto, parte de um sistema central da Literatura brasileira. A verificação da presença de elementos do Gótico nos contos de Lygia Fagundes Telles aponta para a força e resistência desse gênero, que atravessa oceanos e permanece vivo através dos séculos, justamente por possibilitar a expressão daquilo que é reprimido e socialmente indizível. _________________________________________________________________________________ ABSTRACT / For its approximation with what came to be called Mass Culture, the Gothic was eventually considered a subgenre. Effectively, it appeared as a reaction to the authoritarianism of the State and illuministic logic, in the 18th century, resulting from the environment of social convulsion connected to both the industrial and bourgeois revolutions. The Gothic adopted as its theme that which was denied by the Iluminism: women's space, sexuality, terror, the supernatural, repression and transgression. After a period of intense production, it was considered by the Critics as a dead genre in the 19th century. The present work considers the concept of Polysystem Theory by Itamar Even Zohar (1990) to reject this idea of the Gothic as a dead genre, observing the interference of this genre, from its position in a peripheral system of the polysystem of British Literature, in the short stories by Lygia Fagundes Telles, a contemporary Brazilian writer, considered a canonic writer, therefore part of a central system of the Brazilian Literature. The observation of the presence of elements of the Gothic in the short stories by Lygia Fagundes Telles points to the force and resistance of this genre, which crosses oceans and remains alive through the centuries, exactly for making it possible to express all that is repressed and socially unspeakable.

Page generated in 0.078 seconds