• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 70
  • Tagged with
  • 71
  • 23
  • 22
  • 12
  • 10
  • 10
  • 10
  • 9
  • 9
  • 8
  • 8
  • 8
  • 7
  • 7
  • 7
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
41

Relação entre qualidade subjetiva do sono pré-operatório e desfechos pós-operatórios em pacientes submetidas à histerectomia abdominal

Vieira, Fabio Martins January 2006 (has links)
Resumo não disponível
42

Ovariohisterectomia videolaparoscópica híbrida por Acesso único e por dois portais em cadelas com até 10 Kg de peso corporal

Mottin, Tatiane da Silva January 2014 (has links)
A ovariohisterectomia (OVH) é um dos procedimentos cirúrgicos mais realizados na rotina médica veterinária e traz benefícios para a saúde do animal, como prevenção de doenças reprodutivas, e para a sociedade, já que é fundamental para o controle populacional de cães e gatos. Diversas técnicas laparoscópicas têm sido descritas para a realização de procedimentos cirúrgicos em medicina veterinária, especialmente na área de cirurgia dos pequenos animais domésticos. Um grande número de trabalhos vem estabelecendo variações em relação à técnica de OVH laparoscópica, propondo alternativas no número e localização dos trocartes, tipos de hemostasia, comparação com a cirurgia convencional, entre outras. O objetivo deste trabalho é descrever e avaliar a técnica de OVH híbrida pelo acesso laparoscópico através de um único portal (Centry Port®) em cadelas, além de comparar a mesma à cirurgia híbrida por dois portais. Utilizou-se 20 cadelas, hígidas, com peso corporal até 10 kg, que foram distribuídas em dois grupos. No grupo um (GI), a cirurgia foi realizada por um único acesso, localizado na região pré-púbica, sobre a linha alba. No grupo dois (GII), a OVH laparoscópica foi executada com o uso de dois acessos, um pré-umbilical e outro pré-púbico, ambos sobre a linha alba. Nos dois grupos, o método para hemostasia do complexo arteriovenoso ovariano foi a eletrocoagulação. A hemostasia e secção do corpo do útero foram realizados após a exteriorização deste, de forma convencional, com a técnica das três pinças. Foram avaliados os tempos cirúrgicos, as complicações trans e pós-operatórias, além da estimativa de dor utilizando a escala descritiva da Universidade de Melbourne. Observou-se que as cirurgias do GI foram realizadas em menor tempo, levando a uma diferença estatisticamente significativa no tempo cirúrgico total e no tempo cirúrgico laparoscópico em relação ao GII. Não houve diferença significativa nas avaliações de dor entre os grupos. Não foi necessário converter os procedimentos laparoscópicos para cirurgia convencional em nenhum dos animais. Concluiu-se que a OVH híbrida por single port com o uso do Centry Port® é exequível em cadelas de até 10 kg de massa corporal e, além de apresentar menor tempo cirúrgico do que a técnica por dois portais, permitindo que a cirurgia seja realizada de forma segura e sem intercorrências, mesmo que por cirurgião não proficiente. / The ovariohysterectomy (OVH) is one of the most common surgical procedures in veterinary medical routine and brings benefits to the health of the animal, such as prevention of reproductive diseases, and for society, since it is fundamental to control the population of dogs and cats. Several laparoscopic techniques have been described for surgical procedures in veterinary medicine, especially in the area of surgery for small pets. A lot of studies has been establishing variations in relation to the technique of laparoscopic OVH, proposing alternatives on the number and location of the trocars, types of hemostasis, compared with conventional surgery, among others . The objective of this study is to describe and evaluate the technique of hybrid OVH by laparoscopy through a single portal (Centry Port®) in dogs and to compare this technique with hybrid surgery by two portals. We used 20 bitches, otherwise healthy, weighing up to 10 kg were divided into two groups. In group one (GI), surgery was performed by a single access, located in the pre-pubic region, on the alba linea. In group two (GII), laparoscopic OVH was performed using two access, a pre-umbilical and other pre- pubic, both on the alba linea. In both groups, the method for hemostasis of the ovarian arteriovenous complex was electrocoagulation. Hemostasis and body section of the uterus were carried out after the uterus externalization, in conventional manner, with the technique of the three clamps. Surgery times, trans and postoperative complications were assessed, and the estimate of pain using a descriptive scale of the University of Melbourne. It was observed that the GI surgeries were performed in less time, leading to a statistically significant difference in total operative time and laparoscopic surgical time compared to GII. There was no significant difference in pain ratings between groups. It was necessary to convert the laparoscopic procedure to open surgery in any animal. It was concluded that hybrid OVH single port by using the Centry Port® is practicable in dogs up to 10 kg of body weight, as well as presenting less surgical time than the technique by two portals, allows the surgery to be performed safely and uneventfully, even for not proficient surgeon.
43

Avaliações hemogasométricas e cardiocirculatórias em cadelas pré-púberes e adultas submetidas à ovariossalpingohisterectomia por videocirurgia e por laparotomia

Queiroga, Luciana Branquinho January 2017 (has links)
A cirurgia videolaparoscópica é considerada uma importante ferramenta diagnóstica e terapêutica na medicina veterinária, uma vez que possibilita ampla visualização da cavidade abdominal de maneira minimamente invasiva, promovendo menores escores de dor no período pós-operatório, menores tempos de recuperação cirúrgica, além de menores índices de complicações referentes à ferida operatória. Entretanto, a insuflação da cavidade abdominal com CO2 eleva a pressão intra-abdominal, piorando a relação ventilação perfusão pulmonar. Adicionalmente, quantidades significativas de CO2 podem ser absorvidas através da membrana peritoneal, resultando em hipercapnia e acidose caso não seja aumentado o volume minuto do paciente. Pacientes humanos pediátricos e neonatos submetidos a capnopneumoperitônio são especialmente sensíveis à hipercapnia pela absorção de CO2 devido a extensa superfície peritoneal em relação à massa corporal. Estudos correlacionando as taxas de absorção de CO2 durante a instauração de capnopneumoperitônio são ainda muito escassos em medicina veterinária. Entretanto, parece plausível que essas alterações ocorram de maneira similar na espécie canina.Foram avaliadas 40 cadelas pré-púberes e adultas submetidas à OSH videolaparoscópica ou convencional, divididas em quatro grupos: convencional adulto (CA), convencional pediátrico (CP), videolaparoscópico adulto (VA) e, videolaparoscópico pediátrico (VP). Foram registrados FC, FR, PAS, PAM, PAD, T°C, ETCO2, tempo inspiratório e pressão de pico inspiratória e, colhidas amostras de sangue arterial para mensuração de pH, SaO2 (%); PaO2 (mmHg); PaCO2 (mmHg); HCO3 - (mmol/L), EB e TCO2. Tomando como base os valores de PaCO2 e ETCO2 encontrados, foi determinada a Pa – ETCO2. Não foram encontradas diferenças significativas nos valores de PaCO2, ETCO2 e na Pa-ETCO2 entre os grupos VA e VP. / Endoscopic surgery is considered an important diagnostic and therapeutic tool in veterinary medicine. It allows a wide visualization of the abdominal cavity in a minimally invasive way, promoting lower pain scores in the postoperative period, shorter surgical recovery times, and lower indices of surgical wound complications. However, insufflation of the abdominal cavity with CO2 raises the intra-abdominal pressure, worsening ventilation/ perfusion relation. In addition, significant amounts of CO2 can be absorbed through the peritoneal membrane, resulting in hypercapnia and acidosis if the patient's minute volume is not increased. Pediatric and neonatal human patients submitted to capnopneumoperitoneum are especially sensitive to hypercapnia by absorption of CO2 due to extensive peritoneal surface in relation to body mass. Studies correlating the rates of CO2 uptake during capnopneumoperitoneum implantation are still very scarce in veterinary medicine. However, it seems plausible that these changes occur in a similar way in the canine species. Fourty prepubescent and adult bitches submitted to videolaparoscopic or conventional OSH were divided into four groups: adult conventional (CA), pediatric conventional (CP), adult videolaparoscopic (VA) and pediatric videolaparoscopic (VP). HR, RR, SAP, MAP, DAP, T ° C, ETCO2, inspiratory time, and peak inspiratory pressure were recorded and arterial blood samples were collected for pH measurement, SaO2 (%); PaO2 (mmHg); PaCO2 (mmHg); HCO3- (mmol / L), BE and TCO2. Based on the PaCO2 and ETCO2 values , Pa - ETCO2 was determined. No significant differences were found in the values of PaCO2, ETCO2 and Pa-ETCO2 between the VA and VP groups.
44

Avaliação do tempo cirúrgico e de recuperação pós-operatória nas pacientes submetidas à histerectomia robótica e outras técnicas de histerectomia no Hospital de Clínicas de Porto Alegre

Gutierrez, Ana Luiza January 2015 (has links)
Base Teórica: A histerectomia ainda é um procedimento cirúrgico frequente. Nos últimos 25 anos, muitos esforços foram feitos para reduzir o número de histerectomias abdominais, como o avanço tecnológico, que permitiu cirurgias menos invasivas. Visando ampliar o uso da cirurgia minimamente invasiva, foi desenvolvida a cirurgia robótica, com a vantagem de facilitar o uso da laparoscopia proporcionando movimentos mais ergonômicos e precisos. Apesar de ser tecnologia recente e do alto custo, vem ganhando cada vez mais espaço na prática clínica. Dados sobre tempo cirúrgico e tempo de internação pós-operatória tem sido alvo de várias publicações, uma vez que afetam os custos do procedimento. Objetivo: O presente projeto visa à documentação da experiência inicial do Hospital de Clínicas de Porto Alegre na realização da histerectomia robótica, e comparação dos seus dados com outras vias de histerectomia já realizados no nosso meio. Métodos: Foi realizado estudo caso-controle para comparação de dados pré-operatórios, operatórios (como tempo cirúrgico total e sangramento) e pós-operatórios (tempo de recuperação pós-operatória, complicações, dor nas primeiras 24 horas após a cirurgia), em 80 pacientes, submetidas à histerectomia para tratamento de patologias uterinas benignas. Nós incluímos quatro grupos de pacientes: robótico, vaginal, abdominal e laparoscópico. O grupo robótico foi composto pelas primeiras 20 cirurgias realizadas em nosso hospital, e os grupos controle foram selecionados retrospectivamente a partir da data da última cirurgia robótica, constituindo uma amostragem não probabilística. Também foi realizado estudo transversal utilizando apenas as pacientes submetidas à cirurgia robótica em nosso serviço, para fins de documentação de nossa experiência inicial. Resultados: O grupo robótico foi responsável pelo maior tempo cirúrgico total (180,7 minutos), e pelo menor tempo de recuperação pós-operatória (23,7 horas), entre os quatro grupos. Não houve diferença entre os grupos na análise do sangramento transoperatório e das complicações pós-operatórias. Dados analisados sobre a dor pós-operatória não diferiram entre os grupos. No estudo transversal, foi demonstrada curva de aprendizado em tempo de docking e undocking, e houve correlação forte entre tempo cirúrgico total e índice de massa corporal da paciente. Conclusão: Análise do tempo cirúrgico total e do tempo de recuperação pós-operatória são relevantes, pois podem ser ferramentas necessárias para redução dos custos da cirurgia robótica. Nossa experiência inicial demonstra curva de aprendizado em alguns aspectos. / Background: Hysterectomy is a frequent surgical procedure. In the last 25 years, many efforts have been made to reduce the number of abdominal hysterectomies, such as the technological advances, which allowed less invasive procedures. Aiming to increase the use of minimally invasive surgery, the robotic surgery was developed, which advantage of more precise and ergonomic movements than laparoscopy. Although it is a recent and expensive technology, robotic surgery is gaining more space in clinical practice. Data from Total Surgical Time and Time of Postoperative Recovery has been target of publications, once they can affect the costs. Objective: The purpose of this study is to compare the surgical outcomes of patients undergoing robotic hysterectomy for benign cases to patients undergoing another types of hysterectomy performed in our institution. Methods: It was performed a case-control study to compare pre-operative, operative (as Total Surgical Time and bleeding) and postoperative (Time of Postoperative Recovery, complications, and pain at the first 24 hours after the surgery) in 80 patients undergoing hysterectomy for treatment of various benign uterine conditions. We have included four groups of patients: robotic, vaginal, abdominal and laparoscopic. The robotic group was composed by the first twenty patients undergoing robotic hysterectomy at our hospital, and the control groups were retrospectively selected from the date of the last robotic surgery, constituting a non-probabilistic sample. We also performed a crosssectional study with the 20 patients of robotic group, to document our initial experience. Results: The robotic group was responsible for the longer Total Surgical Time (180.7 minutes), and for the shortest Time of Postoperative Recovery (23.7 hours) among the four groups. There were no difference between the groups in analysis of estimated blood loss and postoperative complications. Data related to postoperative pain showed no difference between the groups. At cross-sectional study, it was demonstrated learning curve of docking and undocking times, and was found a strong correlation between Total Surgical Time and body mass index. Conclusion: Analysis of Total Surgical Time and Time of Postoperative Recovery are relevant, because they can be necessary tools to reduce the costs of robotic surgery. Our initial experience demonstrated learning curve in some ways.
45

Avaliações hemogasométricas e cardiocirculatórias em cadelas pré-púberes e adultas submetidas à ovariossalpingohisterectomia por videocirurgia e por laparotomia

Queiroga, Luciana Branquinho January 2017 (has links)
A cirurgia videolaparoscópica é considerada uma importante ferramenta diagnóstica e terapêutica na medicina veterinária, uma vez que possibilita ampla visualização da cavidade abdominal de maneira minimamente invasiva, promovendo menores escores de dor no período pós-operatório, menores tempos de recuperação cirúrgica, além de menores índices de complicações referentes à ferida operatória. Entretanto, a insuflação da cavidade abdominal com CO2 eleva a pressão intra-abdominal, piorando a relação ventilação perfusão pulmonar. Adicionalmente, quantidades significativas de CO2 podem ser absorvidas através da membrana peritoneal, resultando em hipercapnia e acidose caso não seja aumentado o volume minuto do paciente. Pacientes humanos pediátricos e neonatos submetidos a capnopneumoperitônio são especialmente sensíveis à hipercapnia pela absorção de CO2 devido a extensa superfície peritoneal em relação à massa corporal. Estudos correlacionando as taxas de absorção de CO2 durante a instauração de capnopneumoperitônio são ainda muito escassos em medicina veterinária. Entretanto, parece plausível que essas alterações ocorram de maneira similar na espécie canina.Foram avaliadas 40 cadelas pré-púberes e adultas submetidas à OSH videolaparoscópica ou convencional, divididas em quatro grupos: convencional adulto (CA), convencional pediátrico (CP), videolaparoscópico adulto (VA) e, videolaparoscópico pediátrico (VP). Foram registrados FC, FR, PAS, PAM, PAD, T°C, ETCO2, tempo inspiratório e pressão de pico inspiratória e, colhidas amostras de sangue arterial para mensuração de pH, SaO2 (%); PaO2 (mmHg); PaCO2 (mmHg); HCO3 - (mmol/L), EB e TCO2. Tomando como base os valores de PaCO2 e ETCO2 encontrados, foi determinada a Pa – ETCO2. Não foram encontradas diferenças significativas nos valores de PaCO2, ETCO2 e na Pa-ETCO2 entre os grupos VA e VP. / Endoscopic surgery is considered an important diagnostic and therapeutic tool in veterinary medicine. It allows a wide visualization of the abdominal cavity in a minimally invasive way, promoting lower pain scores in the postoperative period, shorter surgical recovery times, and lower indices of surgical wound complications. However, insufflation of the abdominal cavity with CO2 raises the intra-abdominal pressure, worsening ventilation/ perfusion relation. In addition, significant amounts of CO2 can be absorbed through the peritoneal membrane, resulting in hypercapnia and acidosis if the patient's minute volume is not increased. Pediatric and neonatal human patients submitted to capnopneumoperitoneum are especially sensitive to hypercapnia by absorption of CO2 due to extensive peritoneal surface in relation to body mass. Studies correlating the rates of CO2 uptake during capnopneumoperitoneum implantation are still very scarce in veterinary medicine. However, it seems plausible that these changes occur in a similar way in the canine species. Fourty prepubescent and adult bitches submitted to videolaparoscopic or conventional OSH were divided into four groups: adult conventional (CA), pediatric conventional (CP), adult videolaparoscopic (VA) and pediatric videolaparoscopic (VP). HR, RR, SAP, MAP, DAP, T ° C, ETCO2, inspiratory time, and peak inspiratory pressure were recorded and arterial blood samples were collected for pH measurement, SaO2 (%); PaO2 (mmHg); PaCO2 (mmHg); HCO3- (mmol / L), BE and TCO2. Based on the PaCO2 and ETCO2 values , Pa - ETCO2 was determined. No significant differences were found in the values of PaCO2, ETCO2 and Pa-ETCO2 between the VA and VP groups.
46

Síntese e cicatrização de pele em cães com fio de náilon, fio farpado e grampo cirúrgico / Synthesis and skin healing in dogs with nailon wire, barbed wire and surgical clip

Santos, Eduardo Rosa dos January 2018 (has links)
A dermorrafia é vital para o sucesso do procedimento por ser a última etapa cirúrgica. Este estudo comparou a síntese e o processo de cicatrização de pele em cães com a utilização de três diferentes materiais, fio de náilon (grupo GFN), fio farpado (grupo GFF) e grampo cirúrgico (grupo GGC), após ovariohisterectomia. Foram utilizadas 27 fêmeas caninas aptas a serem castradas eletivamente que não apresentavam comorbidades. Os animais foram divididos randomicamente nos três grupos e submetidos à dermorrafia com os materiais a serem testados. Foram avaliados: o tempo para a sutura da pele, as complicações relatadas pelos tutores e a temperatura local da pele em cicatrização. Foram também avaliados diversos parâmetros clínicos de cicatrização em sete dias de pósoperatório, bem como parâmetros histológicos de biópsias de pele coletadas aos 14 dias. O grampo cirúrgico apresentou o menor tempo (p<0,001) para dermorrafia e a maior ocorrência de deiscências de sutura. O fio farpado apresentou o menor escore (p=0,006) de alterações clínicas aos sete dias de pós-cirúrgico e não apresentou ocorrência de deiscência de sutura. Contudo não houve diferença entre os grupos quanto à avaliação histológica da biópsia cicatricial aos 14 dias. O fio farpado apresentou segurança na sutura e fácil manipulação na dermorrafia de cães, enquanto o grampo cirúrgico utilizado mostrou-se pouco confiável devido ao grau elevado de deiscência. / Dermorrhaphy is vital to the success of the procedure because it is the last surgical step. This study compared the synthesis and the process of skin healing in dogs using three different materials, nylon thread (GFN group), barbed wire (GFF group) and surgical staple [SV1] (GGC group) after ovariohysterectomy. Twenty-seven canine females without comorbidities were electively castrated. The animals were randomly divided into three treatment groups and submitted to dermorrhaphy with the materials to be tested.. The following were evaluated: time to suture the skin with each material, the complications reported by the tutors and the local temperature of the skin in healing process. Several clinical parameters of healing were also evaluated in seven postoperative days, as well as histological parameters of skin biopsies collected at 14 days. The surgical staple showed the shortest time (p<0.001) for dermorrhaphy and the higher occurrence of suture dehiscences. The barbed wire had the lowest score (p=0.006) of clinical changes on the seventh postoperative day and did not presented an occurrence of suture dehiscence. However, there was no difference between the groups regarding the histological evaluation of cicatricial biopsy at 14 days. The barbed wire showed security in the suture and easy manipulation in the dermorrhaphy of dogs, while the surgical staple used proved to be unreliable due to the high degree of dehiscence.
47

Relação entre qualidade subjetiva do sono pré-operatório e desfechos pós-operatórios em pacientes submetidas à histerectomia abdominal

Vieira, Fabio Martins January 2006 (has links)
Resumo não disponível
48

Ovariohisterectomia videolaparoscópica híbrida por Acesso único e por dois portais em cadelas com até 10 Kg de peso corporal

Mottin, Tatiane da Silva January 2014 (has links)
A ovariohisterectomia (OVH) é um dos procedimentos cirúrgicos mais realizados na rotina médica veterinária e traz benefícios para a saúde do animal, como prevenção de doenças reprodutivas, e para a sociedade, já que é fundamental para o controle populacional de cães e gatos. Diversas técnicas laparoscópicas têm sido descritas para a realização de procedimentos cirúrgicos em medicina veterinária, especialmente na área de cirurgia dos pequenos animais domésticos. Um grande número de trabalhos vem estabelecendo variações em relação à técnica de OVH laparoscópica, propondo alternativas no número e localização dos trocartes, tipos de hemostasia, comparação com a cirurgia convencional, entre outras. O objetivo deste trabalho é descrever e avaliar a técnica de OVH híbrida pelo acesso laparoscópico através de um único portal (Centry Port®) em cadelas, além de comparar a mesma à cirurgia híbrida por dois portais. Utilizou-se 20 cadelas, hígidas, com peso corporal até 10 kg, que foram distribuídas em dois grupos. No grupo um (GI), a cirurgia foi realizada por um único acesso, localizado na região pré-púbica, sobre a linha alba. No grupo dois (GII), a OVH laparoscópica foi executada com o uso de dois acessos, um pré-umbilical e outro pré-púbico, ambos sobre a linha alba. Nos dois grupos, o método para hemostasia do complexo arteriovenoso ovariano foi a eletrocoagulação. A hemostasia e secção do corpo do útero foram realizados após a exteriorização deste, de forma convencional, com a técnica das três pinças. Foram avaliados os tempos cirúrgicos, as complicações trans e pós-operatórias, além da estimativa de dor utilizando a escala descritiva da Universidade de Melbourne. Observou-se que as cirurgias do GI foram realizadas em menor tempo, levando a uma diferença estatisticamente significativa no tempo cirúrgico total e no tempo cirúrgico laparoscópico em relação ao GII. Não houve diferença significativa nas avaliações de dor entre os grupos. Não foi necessário converter os procedimentos laparoscópicos para cirurgia convencional em nenhum dos animais. Concluiu-se que a OVH híbrida por single port com o uso do Centry Port® é exequível em cadelas de até 10 kg de massa corporal e, além de apresentar menor tempo cirúrgico do que a técnica por dois portais, permitindo que a cirurgia seja realizada de forma segura e sem intercorrências, mesmo que por cirurgião não proficiente. / The ovariohysterectomy (OVH) is one of the most common surgical procedures in veterinary medical routine and brings benefits to the health of the animal, such as prevention of reproductive diseases, and for society, since it is fundamental to control the population of dogs and cats. Several laparoscopic techniques have been described for surgical procedures in veterinary medicine, especially in the area of surgery for small pets. A lot of studies has been establishing variations in relation to the technique of laparoscopic OVH, proposing alternatives on the number and location of the trocars, types of hemostasis, compared with conventional surgery, among others . The objective of this study is to describe and evaluate the technique of hybrid OVH by laparoscopy through a single portal (Centry Port®) in dogs and to compare this technique with hybrid surgery by two portals. We used 20 bitches, otherwise healthy, weighing up to 10 kg were divided into two groups. In group one (GI), surgery was performed by a single access, located in the pre-pubic region, on the alba linea. In group two (GII), laparoscopic OVH was performed using two access, a pre-umbilical and other pre- pubic, both on the alba linea. In both groups, the method for hemostasis of the ovarian arteriovenous complex was electrocoagulation. Hemostasis and body section of the uterus were carried out after the uterus externalization, in conventional manner, with the technique of the three clamps. Surgery times, trans and postoperative complications were assessed, and the estimate of pain using a descriptive scale of the University of Melbourne. It was observed that the GI surgeries were performed in less time, leading to a statistically significant difference in total operative time and laparoscopic surgical time compared to GII. There was no significant difference in pain ratings between groups. It was necessary to convert the laparoscopic procedure to open surgery in any animal. It was concluded that hybrid OVH single port by using the Centry Port® is practicable in dogs up to 10 kg of body weight, as well as presenting less surgical time than the technique by two portals, allows the surgery to be performed safely and uneventfully, even for not proficient surgeon.
49

Avaliação do tempo cirúrgico e de recuperação pós-operatória nas pacientes submetidas à histerectomia robótica e outras técnicas de histerectomia no Hospital de Clínicas de Porto Alegre

Gutierrez, Ana Luiza January 2015 (has links)
Base Teórica: A histerectomia ainda é um procedimento cirúrgico frequente. Nos últimos 25 anos, muitos esforços foram feitos para reduzir o número de histerectomias abdominais, como o avanço tecnológico, que permitiu cirurgias menos invasivas. Visando ampliar o uso da cirurgia minimamente invasiva, foi desenvolvida a cirurgia robótica, com a vantagem de facilitar o uso da laparoscopia proporcionando movimentos mais ergonômicos e precisos. Apesar de ser tecnologia recente e do alto custo, vem ganhando cada vez mais espaço na prática clínica. Dados sobre tempo cirúrgico e tempo de internação pós-operatória tem sido alvo de várias publicações, uma vez que afetam os custos do procedimento. Objetivo: O presente projeto visa à documentação da experiência inicial do Hospital de Clínicas de Porto Alegre na realização da histerectomia robótica, e comparação dos seus dados com outras vias de histerectomia já realizados no nosso meio. Métodos: Foi realizado estudo caso-controle para comparação de dados pré-operatórios, operatórios (como tempo cirúrgico total e sangramento) e pós-operatórios (tempo de recuperação pós-operatória, complicações, dor nas primeiras 24 horas após a cirurgia), em 80 pacientes, submetidas à histerectomia para tratamento de patologias uterinas benignas. Nós incluímos quatro grupos de pacientes: robótico, vaginal, abdominal e laparoscópico. O grupo robótico foi composto pelas primeiras 20 cirurgias realizadas em nosso hospital, e os grupos controle foram selecionados retrospectivamente a partir da data da última cirurgia robótica, constituindo uma amostragem não probabilística. Também foi realizado estudo transversal utilizando apenas as pacientes submetidas à cirurgia robótica em nosso serviço, para fins de documentação de nossa experiência inicial. Resultados: O grupo robótico foi responsável pelo maior tempo cirúrgico total (180,7 minutos), e pelo menor tempo de recuperação pós-operatória (23,7 horas), entre os quatro grupos. Não houve diferença entre os grupos na análise do sangramento transoperatório e das complicações pós-operatórias. Dados analisados sobre a dor pós-operatória não diferiram entre os grupos. No estudo transversal, foi demonstrada curva de aprendizado em tempo de docking e undocking, e houve correlação forte entre tempo cirúrgico total e índice de massa corporal da paciente. Conclusão: Análise do tempo cirúrgico total e do tempo de recuperação pós-operatória são relevantes, pois podem ser ferramentas necessárias para redução dos custos da cirurgia robótica. Nossa experiência inicial demonstra curva de aprendizado em alguns aspectos. / Background: Hysterectomy is a frequent surgical procedure. In the last 25 years, many efforts have been made to reduce the number of abdominal hysterectomies, such as the technological advances, which allowed less invasive procedures. Aiming to increase the use of minimally invasive surgery, the robotic surgery was developed, which advantage of more precise and ergonomic movements than laparoscopy. Although it is a recent and expensive technology, robotic surgery is gaining more space in clinical practice. Data from Total Surgical Time and Time of Postoperative Recovery has been target of publications, once they can affect the costs. Objective: The purpose of this study is to compare the surgical outcomes of patients undergoing robotic hysterectomy for benign cases to patients undergoing another types of hysterectomy performed in our institution. Methods: It was performed a case-control study to compare pre-operative, operative (as Total Surgical Time and bleeding) and postoperative (Time of Postoperative Recovery, complications, and pain at the first 24 hours after the surgery) in 80 patients undergoing hysterectomy for treatment of various benign uterine conditions. We have included four groups of patients: robotic, vaginal, abdominal and laparoscopic. The robotic group was composed by the first twenty patients undergoing robotic hysterectomy at our hospital, and the control groups were retrospectively selected from the date of the last robotic surgery, constituting a non-probabilistic sample. We also performed a crosssectional study with the 20 patients of robotic group, to document our initial experience. Results: The robotic group was responsible for the longer Total Surgical Time (180.7 minutes), and for the shortest Time of Postoperative Recovery (23.7 hours) among the four groups. There were no difference between the groups in analysis of estimated blood loss and postoperative complications. Data related to postoperative pain showed no difference between the groups. At cross-sectional study, it was demonstrated learning curve of docking and undocking times, and was found a strong correlation between Total Surgical Time and body mass index. Conclusion: Analysis of Total Surgical Time and Time of Postoperative Recovery are relevant, because they can be necessary tools to reduce the costs of robotic surgery. Our initial experience demonstrated learning curve in some ways.
50

Avaliação do protocolo anestésico xilazina, quetamina e remifentanil em cadelas submetidas à ovário- salpingo-histerectomia através da eletrocardiografia

SILVA NETO, Jairo de Macedo Lins e 29 February 2008 (has links)
Submitted by (edna.saturno@ufrpe.br) on 2016-10-13T11:48:46Z No. of bitstreams: 1 Jairo de Macedo.pdf: 599046 bytes, checksum: 6a11dd425d912b6f9c15d757a5cee99d (MD5) / Made available in DSpace on 2016-10-13T11:48:46Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Jairo de Macedo.pdf: 599046 bytes, checksum: 6a11dd425d912b6f9c15d757a5cee99d (MD5) Previous issue date: 2008-02-29 / Several anesthesic protocols aiming to reduce undisirable haemodinamics effects, allowing safetier return with minimal side effects to patient. Thus, the objective of this study was to evaluate the possible changes in vital parameters related to ECG, heart rate and body temperature in bitches pre-treated with atropine, anesthetized with ketamine and xylazine, associated or not to different doses on a continuous infusion of remifentanil. It was used 15 clinical healthy bitches, distributed acoording to experimental groups: G1= ketamine+ xylazine; G2= ketamine + xylazine + continuous remifentanil infusio(0,125 g/Kg/min); G3 = ketamine + xylazine + continuous remifentanil infusion (0,25 g/Kg/min). The variable measurement was accomplished before pre-anesthesia (M0), simultaneously to skin incision (M1), during the closing of right ovarian pedicle (M2), during the occlusion of the uterine stump (M3) and half for finish of the skin synthesis (M4). Data showed a sudden increasing on average and standard deviation of cardiac frequency in all groups at M1 (178.6 20.6), having decreasing, although with tachycardia tendency until M4 (157.3 18.3). Such M1 elevation is correspondent to surgical cut moment, suggesting the biggest nociceptive moment, following by right pedicle closing M2, (176.0 15.2). It was not observed apnea on animals, just an considerable repiratory decreasing on six animals (6/15) being one of them (1/5) on G1, thre animals (3/5) on G2 and two animals (2/5) on G3. The corporal temperature values measured by rectum did not showed biological significant among groups, keeping these averages compatibles qith physiological parameters for specie. According to the resultspresented one can suggest that the increase in T wave may be related to electrolyte imbalance, and disrritmia heart, being observed framework of hypoxemia. Further studies with a larger number of animals may confirm the efficiency of the anesthetic protocol using atropine, xylazine, ketamine associated with continuous infusion for remifentanil under the effective control of pain. / Os diversos protocolos anestésicos visam abreviar os efeitos hemodinâmicos indesejáveis, proporcionando um retorno mais seguro, com os mínimos efeitos colaterais para o paciente. Dessa forma, objetivou-se com este trabalho avaliar as possíveis alterações de parâmetros vitais relacionadas à eletrocardiografia, freqüência respiratória e temperatura corporal em cadelas pré-tratadas com atropina, anestesiadas com quetamina e xilazina, associadas ou não a diferentes doses de remifentanil sob infusão contínua. Para tanto, foram utilizadas 15 cadelas clinicamente sadias, distribuídas de acordo com os grupos experimentais: G1 = quetamina + xilazina ; G2 = quetamina + xilazina + infusão contínua com remifentanil (0,125μg/Kg/min); G3 = quetamina+ xilazina + infusão contínua com remifentanil (0,25μg/Kg/min). As mensurações das variáveis foram realizadas antes da pré-anestesia (M0), simultaneamente à incisão da pele (M1), durante a ligadura do pedículo ovariano direito (M2), durante a ligadura do coto uterino (M3) e na metade do término da síntese cutânea (M4). Os resultados apresentaram aumento nas médias e desvio padrão na freqüência cardíaca em todos os grupos no M1 (178,6±20,6), sendo posteriormente decrescente, porém, com tendência à taquicardia até M4 (157,3±18,3). Tal elevação em M1, corresponde ao momento de incisão cirúrgica, sugerindo o momento de maior estímulo nociceptivo, seguido da ligadura do pedículo direito (M2, 176,0±15,2). Não se observou apnéia em nenhum dos animais, apenas queda considerável da freqüência respiratória em seis animais (6/15), sendo um animal (1/5) no G1, três animais (3/5) no G2 e dois animais (2/5) no G3. Os valores da temperatura corporal,mensuradas via retal, não apresentaram diferenças biologicamente significativa entre os grupos, mantendo suas médias dentro dos parâmetros fisiológicos para espécie. De acordo com os resultados apresentados pode-se sugerir que o aumento da onda T pode estar relacionado a desequilíbrio eletrolítico, além de disrritmia cardíaca, sendo observado quadro de hipoxemia. Estudos posteriores com um maior número de animais poderão confirmar a eficiência do protocolo anestésico utilizando atropina, xilazina, quetamina associadas ao remifentanil sob infusão contínua para o efetivo controle da dor.

Page generated in 0.0849 seconds